You are on page 1of 99

Perfuração e

Desmonte
(Parte 02)

Explosivos

• Definição

Explosivos são substâncias ou misturas,
em qualquer estado físico, que, quando submetidos
a uma causa térmica ou mecânica suficientemente
enérgica (calor, atrito, impacto etc.) se transformam,
total ou parcialmente, em gases, em um intervalo de
tempo muito curto, desprendendo considerável
quantidade de calor.

Explosivos
Ingredientes de um explosivo
• (a) Explosivo básico (ou explosivo base) é um sólido ou
líquido que, submetido a uma aplicação suficiente de calor ou
choque, desenvolve uma reação exotérmica extremamente
rápida e transforma-se em gases a altas temperaturas e
pressões. Exemplo típico de explosivos básico é a
nitroglicerina C3H5O9N3, descoberta em 1846 pelo químico
italiano Ascanio Sobrera.

.

Explosivos
(b) Os combustíveis e oxidantes são adicionados ao explosivo
básico para favorecer o balanço de oxigênio na reação química de
detonação. O combustível (óleo diesel, serragem , carvão em pó,
parafina, sabugo de milho, palha de arroz etc.) combina com o
excesso de oxigênio da mistura explosiva, de forma que previne a
formação de NO e NO2; o agente oxidante (nitrato de amônio,
nitrato de cálcio, nitrato de potássio, nitrato de sódio etc.) assegura
a completa oxidação do carbono, prevenindo a formação de CO.

Explosivos
A formação de NO, NO2 e CO é indesejável, pois além
de altamente para o ser humano, especialmente em
trabalhos subterrâneos, esses gases reduzem a
temperatura da reação “ladrões de calor” e
conseqüentemente, diminuem o potencial energético
e a eficiência do explosivo.

Explosivos

(c) os antiácidos geralmente são adicionados para
incrementar a estabilidade do produto à estocagem,
exemplo: carbonato de cálcio, óxido de zinco.

Explosivos (d) os depressores de chama (cloreto de sódio) normalmente são utilizados para minimizar as possibilidades de fogo na atmosfera da mina. principalmente nas minas onde ocorre a presença do gás metano (grisu). .

.Explosivos (e) os agentes controladores de densidade e sensibilidade dividem-se em: químicos (nitrito de sódio. No controle do pH do explosivo utilizam-se a cal e o ácido nítrico. ácido nítrico) e mecânicos (micro esferas de vidro).

.Explosivos (f) os agentes cruzadores (cross linking) são utilizados juntamente com a goma guar para dar uma forma de gel nas lamas e evitar a migração dos agentes controladores da densidade. Exemplo: dicromato de sódio.

Conceitos sobre Detonações • Combustão. impacto ou onda de choque. Qualquer matéria ao ser excitada por calor. pode apresentar as seguintes reações: . Deflagração e Detonação.

.Combustão: processo lento de liberação de energia (calor). a velocidade de reação é de alguns mm/s.Conceitos sobre Detonações • . normalmente.

.

Conceitos sobre Detonações •- Deflagração: Decomposição química por transferência térmica. . podendo atingir uma pressão de detonação de 50 MPa e temperaturas na faixa de 1270 a 2270 ºC. A reação atinge velocidades de detonação variando de 100 a 1500 m/s.

podendo atingir pressões de detonação de 5 a 15 GPa e temperaturas na faixa de 2230 a 4500 ºC.Conceitos sobre Detonações •- Detonação: Decomposição química produzida por uma onda de choque. A reação atinge velocidades de detonação variando de 2 a 8 km/s. .

Há três tipos de explosivos comerciais: . por serem os mais utilizados pelas minerações e obras civis.Classificação dos Explosivos • Neste texto discutiremos apenas os explosivos químicos.

gelatinas. . explosivos caracterizados pela elevadíssima velocidade de reação (1500 a 9000 m/s) e alta taxa de pressão (50. Exemplo de altos explosivos: TNT. dinamites.000 a 4 milhões de psi).Classificação dos Explosivos • (a) altos explosivos. for necessário um estímulo inicial de considerável grandeza. isto é. Secundários quando. centelha ou impacto. para sua iniciação. Os altos explosivos serão primários quando a sua iniciação se der por chama.

Dinamite TNT Gelatina .

Classificação dos Explosivos • (b) baixos explosivos.000 psi. ou deflagrantes. . caracterizam-se por uma velocidade de reação muito baixa (poucas unidades de m/s) e pressões no máximo de 50. Exemplo: pólvora.

Pólvora .

lama. Exemplo: ANFO. emulsões.Classificação dos Explosivos • (c) Agentes detonantes são misturas cujos ingredientes não são classificados como explosivos. ANFO Pesado. .

ANFO Emulsão .

Tipos de Explosivos ALTOS EXPLOSIVOS COM BASE NITROGLICERINA 1) Explosivos nitroglicerinados Os altos explosivos possuem na composição química a nitroglicerina. DE sua .

o oxidante usado. a serragem substitui o kieselguhr como absorvente e nitrato de sódio é.Tipos de Explosivos Dinamite simples • Resultante da mistura: Nitroglicerina + Serragem + Oxidante + Estabilizante. . em geral. A dinamite simples produz boa fragmentação. apresenta um alto custo e gera gases tóxicos. Como estabilizante. Como se vê. usa-se o carbonato de cálcio. Em contrapartida. com cerca de 1%. ou antiácido.

.

Diagrama da dinamite: A. D. Material absorvente poroso misturado à nitroglicerina B. Cabo elétrico que se concecta a ponta do detonador . Capa cilíndrica que envolve o material explosivo C. Ponta do detonador.

mas a nitroglicerina e o nitrato de sódio são parcialmente substituídos por nitrato de amônio. As dinamites amoniacais são similares em composição. . às dinamites simples.Tipos de Explosivos Dinamites amoniacais • O alto custo da dinamite simples e as qualidades indesejáveis já citadas permitiram o desenvolvimento das dinamites amoniacais.

em 1875. constituída de nitroglicerina + nitrocelulose + nitrato de sódio. Geram gases nocivos. parecendo uma goma de mascar. Tem grande velocidade de detonação. São utilizadas apenas em casos especiais. produz boa fragmentação e ótimo adensamento no furo. .Tipos de Explosivos Gelatinas • A gelatina também foi descoberta por Alfred Nobel. A gelatina é um explosivo bastante denso de textura plástica.

.

com maior segurança no manuseio e custo menor de produção. porém menos resistentes à água.Tipos de Explosivos Gelatinas amoniacais • As gelatinas amoniacais têm formulações semelhantes àquelas das gelatinas. Essas gelatinas foram desenvolvidas para substituir as gelatinas. . porém o nitrato de amônio substitui. parcialmente. a nitroglicerina e o nitrato de sódio.

em grau mais atenuado. Os gases variam de excelentes a pouco tóxicos.Tipos de Explosivos Semigelatinas  • Constituem um tipo intermediário entre as gelatinas e as dinamites amoniacais. . As composições são semelhantes àquelas das gelatinas amoniacais. combinando a baixa densidade das amoniacais com a resistência à água e a coesão das gelatinas. nitrato de sódio e nitrato de amônio. este em porcentagens mais altas. com variações nas proporções de nitroglicerina. Existem diversas variantes comerciais.

.

Porcentagem dos ingredientes dos altos explosivos .

em 1955. consideradas ideais.Tipos de Explosivos AGENTES DETONANTES 2) Agentes Explosivos Secos a) ANFO (Ammonium Nitrate e Fuel Oil) Entre os explosivos secos ou granulados.5%) e óleo diesel (5. As proporções acima. há um universalmente conhecido. foram determinadas pelos americanos Lee e Akre. A figura 5 mostra os explosivos granulados ensacados.5%) denominado ANFO. formado pela mistura pura e simples de nitrato de amônio (94. sigla esta resultante dos vocábulos ingleses Ammonium Nitrate e Fuel Oil. .

.

40/kg). . grande insensibilidade aos choques. As maiores desvantagens: falta de resistência à água.85 g/cm3) e necessidade de um iniciador especial. poucos gases tóxicos e redução do preço global do explosivo (US$ 0.Tipos de Explosivos ANFO (Ammonium Nitrate e Fuel Oil) As maiores vantagens do ANFO são: ocupar inteiramente o volume do furo. baixa densidade (0.

palha de arroz etc. palha de arroz e nitrato de amônio. fabricados por diferentes produtores. explosivo granulado constituído de óleo queimado. Minas Gerais. nada mais são do que formulações similares à do ANFO.) oxidantes e absorventes. com adição de outros ingredientes. combustíveis (óleo queimado. A Vale fabrica. . explosivos ou sensibilizantes.Tipos de Explosivos Outros explosivos granulados. serragem. em Itabira.

Tipos de Explosivos • Condições de armazenamento Os explosivos secos devem ser armazenados. durante um ano. . em paios com boa ventilação e umidade adequada para que não tenham os seus desempenhos comprometidos.

Tipos de Explosivos
AGENTES EXPLOSIVOS ÚMIDOS
Emulsões
O interesse em explosivos em emulsão deu-se
no início da década de 60. Explosivos em
emulsão são do tipo “água-em-óleo” (water-inoil). Eles consistem de microgotículas de
solução oxidante supersaturada dentro de uma
matriz de óleo.

Tipos de Explosivos
AGENTES EXPLOSIVOS ÚMIDOS
Emulsões
Para maximizar o rendimento energético,
enquanto minimiza custos de produção e preço
de venda, o oxidante dentro das microgotículas
consiste principalmente de nitrato de amônio.

.

.

.Tipos de Explosivos AGENTES EXPLOSIVOS ÚMIDOS ANFO pesado É a blendagem da emulsão com o ANFO ou Nitrato de amônio.

. A resistência à água do ANFO pesado é moderada.Tipos de Explosivos AGENTES EXPLOSIVOS ÚMIDOS ANFO pesado A densidade do ANFO Pesado resultante situase na faixa de 1.33 g/cm3.00 a 1.

a uma densidade de 1.33 g/cm3. o ANFO pesado passa a apresentar resistência à água.Tipos de Explosivos AGENTES EXPLOSIVOS ÚMIDOS ANFO pesado Para uma blendagem de ANFO/Emulsão: 60/40. porém a escorva mínima de iniciação deve apresentar uma massa acima de 450 g. .

.

na Mina Nob Lake. A lama explosiva foi detonada com sucesso. Cook e H. Melvin A. pela primeira vez em dezembro de 1956. .Tipos de Explosivos Lamas (Slurries) e Pastas Detonantes Desenvolvidas e patenteadas nos Estados Unidos da América. em Labrador. representam vários anos de pesquisa de Mr. Canadá. Forman. E.

Com a introdução das emulsões no mercado internacional. o consumo de lama vem decaindo.Tipos de Explosivos As pastas são superiores ao ANFO. todavia são bem mais caras. apresentam boa resistência à água. .

Composição básica da lama .

conduz chama com velocidade uniforme a um tempo de queima constante de 140 s (± 10 s) por metro. ou estopim. .Acessórios de Iniciação Mais Comuns Estopim O estopim de segurança. para ignição direta de uma carga de pólvora ou detonação de uma espoleta simples.

.

. visando sua proteção e impermeabilização. são envolvidos por material plástico ou outro.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Estopim Constituída de um núcleo de pólvora negra. por sua vez. envolvida por materiais têxteis que.

cujo explosivo é a azida de chumbo Pb (N3)2. contendo em seu interior uma carga detonante constituída por uma carga chama primária. e uma carga básica de PETN . . ou de ignição.Tetranitrato de pentaeritritol (C2H4N2O6). com uma extremidade aberta e outra fechada. de alumínio ou cobre.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Espoleta A espoleta simples consta de um tubo.

.

.

Acessórios de Iniciação Mais Comuns Espoleta A razão destas duas cargas é devido ao fato de que a azida de chumbo é um explosivo fulminante que pode ser iniciado à custa de uma fagulha. A azida de chumbo. faz detonar a carga de PETN. . uma vez iniciada pela faísca do estopim.

5 g de PETN e 0. a azida de chumbo pode se transformar em azida de cobre.º 6 (massa de 0.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Espoleta Os tipos mais comuns das espoletas encontradas no mercado são do tipo n.325 g de PETN e 0.º 8 (massa de 0.3 g de misto iniciador). mais perigosa.3 g de misto iniciador) e a n. A cápsula de cobre só é usada para casos particulares. . que é muito mais sensível e. portanto. porque a presença de umidade contendo gás carbônico.

Tem como principal benefício o ganho de tempo. por eliminar os inconvenientes do corte imperfeito do estopim e do amolgamento inadequado da espoleta simples.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Espoletado Tem como finalidade de facilitar os trabalhos de detonação. .

.

e de materiais diversos que lhe dão confinamento e resistência mecânica. . essencialmente. de um tubo de plástico com um núcleo de explosivo de alta velocidade nitropenta (C5H8N4O12) .Acessórios de Iniciação Mais Comuns Cordel Detonante O cordel detonante é um acessório de detonação consistindo.

.

. o cordel detonante é muito seguro no manuseio e impermeável.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Cordel Detonante O cordel detonante é usado para iniciar cargas explosivas simultaneamente. ou com retardos em lavra a céu aberto e/ou subsolo. 7000 m/s. aproximadamente. Muito embora a alta velocidade e violência de explosão. A sua velocidade de detonação é de.

.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Cordel Detonante Vantagens do cordel detonante em relação às espoletas elétricas: a) As correntes elétricas não o afetam. pois. ao longo dos quais está em contato. d) Detona todos os cartuchos. não detona por atrito. choques naturais ou faíscas. c) É muito seguro. calor. b) Permite o carregamento das minas em regime descontínuo. com o uso de espaçadores.

isto é. . firmemente fixadas ao lado do cordel detonante com fita adesiva. e com sua parte ativa.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Cordel Detonante A iniciação do cordel se faz com espoletas simples ou instantâneas. o fundo. voltado para a direção de detonação.

• NP-3 (3 g/m de Nitropenta ± 10%). . • NP-5 (5 g/m de Nitropenta ± 10%).Acessórios de Iniciação Mais Comuns Cordel Detonante Exemplos de gramaturas dos cordeis detonantes mais utilizadas: • NP-10 (10 g/m de Nitropenta ± 10%).

.

A utilização de retardos numa detonação proporciona os seguintes efeitos: . originando uma seqüência de detonação dos furos em um plano de fogo.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Retardos O retardo é um dispositivo criado para fornecer uma diferença de tempo entre dois segmentos de uma ligação detonada simultaneamente.

.

. melhora o arranque do fundo do furo. • O alívio criado entre a linha da frente e a linha de trás. dispersada no maciço rochoso.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Retardos Retardos entre linhas: • O uso de retardos entre linhas facilita o lançamento do material. • A diferença de tempos entre os furos provoca uma diminuição na onda de choque. propiciando uma pilha de material mais baixa e espalhada. diminuindo o surgimento de repé e problemas de ultraquebra. diminuindo a vibração do terreno.

Acessórios de Iniciação Mais Comuns Retardos Retardos entre furos de uma mesma linha: • Melhora da fragmentação. • Diminuição do lançamento horizontal . • Diminuição da vibração do terreno.

Acessórios de Iniciação Mais Comuns Retardo O retardo de cordel é um tubo metálico. enquanto queima o misto de retardo. sofre uma queda de velocidade. iniciado em um dos extremos pelo cordel. . revestido de plástico. ao passar pelo dispositivo.

Retardos Bidirecionais .

10 ms. 30 ms. denominados “osso de cachorro”. são fabricados com os seguintes tempos de retardos: 5 ms. 300 ms. Os retardos de cordel. ele detona o cordel na sua extremidade. . 50 ms.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Retardo Terminada esta queima. 20 ms. 75 ms. 100 ms e 200.

tipo osso de cachorro. . devido a sua facilidade na amarração dos furos.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Retardo Os conectores de superfície de milisegundos (MS Conectors) vem substituindo o retardo de superfície.

.

.

5 mm. entre 1967 e 1968.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Tubo de choque – tipo nonel O sistema não elétrico de iniciação. com diâmetro externo e interno de 3 mm e 1. A. Consiste basicamente de uma espoleta comum. conectada a um tubo de plástico transparente. nos laboratórios da empresa Nitro Nobel. na Suécia. . não elétrica. respectivamente. altamente resistente. com linha silenciosa foi desenvolvido por P. Person.

que. aproximadamente. em média.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Tubo de choque – tipo nonel O tubo plástico contém. . uma película de PETN pulverizada de 20 mg/m de tubo ou 20 g/km. causada pelo calor e expansão dos gases dentro do tubo. ao ser iniciada. que se propaga com uma velocidade. gera uma onda de choque. de 2000 m/s.

porém.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Tubo de choque – tipo nonel Essa reduzida carga explosiva. não chega a afetar o lado externo do mesmo. . inicia a espoleta instantânea ou de retardo. geradora da onda de choque. que se desloca através do tubo.

contribuindo para diminuir a carga por espera. diferentemente do cordel. Entre elas. permite a iniciação pontual.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Tubo de choque – tipo nonel O sistema oferece inúmeras vantagens quando comparado a outros acessórios. é insensível à corrente elétricas e parasitas. não destrói parte da coluna de explosivo dentro do furo. baixo ruído. seu tubo não detona nenhum tipo de explosivo comercial. .

.

a depender do “Air Gap”.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Tubo de choque – tipo nonel Esse sistema apresenta a seguinte desvantagem em relação ao cordel detonante: quando a coluna de explosivos encartuchados perde o contato. alguns cartuchos podem não ser iniciados. .

.

.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Booster (Reforçador) Carga explosiva destinada a iniciar explosivos bombeados de baixa sensibilidade (Granulados. O Booster possui carga pirotécnica constituída de Nitro Penta e TNT (50/50 e 60/40). Emulsões e ANFO Pesado) ou furos contendo explosivos encartuchados com diâmetro superior a 3”.

.

para todo tipo de desmonte em mineração e na construção civil.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Detonador Eletrônico Acompanhando a evolução tecnológica. podendo ser usado tanto em obras a céu aberto como subterrâneas. o mercado desenvolveu o Sistema de Retardo Eletrônico que consiste de uma espoleta de retardo eletrônico. . programável. fácil de usar.

.

.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Detonador Eletrônico O detonador eletrônico apresenta o mesmo layout e diâmetro de uma espoleta elétrica de retardo convencional. A grande diferença reside em que cada espoleta pode ter seu tempo de retardo programado individualmente.

.

ponte de fio de alta resistência (inflamador) e um circuito eletrônico que contém um microchip inteligente e dois capacitores eletrônicos . em média.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Detonador Eletrônico Contém. 790 mg de PETN (Tetra Nitrato de Penta Eritritol).um para assegurar a autonomia do detonador e o segundo para iniciar o inflamador. . como carga de base. e 90 mg de azida de chumbo. como carga primária.

Acessórios de Iniciação Mais Comuns Detonador Eletrônico Ideal para uso nos altos explosivos comerciais sensíveis à espoleta. a sinais de rádio e à detonação pré-matura. O detonador eletrônico é imune à eletricidade estática. . podendo também. ser usado para a detonação de boosters.

podendo os tempos de retardo serem programados livremente e a qualquer instante. • todos detonadores são idênticos.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Detonador Eletrônico Os detonadores eletrônicos apresentam os seguintes benefícios aos desmontes de rochas: • alta precisão no tempo de retardo (± 3 ms). sugerindo medidas de correção. . • o sistema permite a detecção de possíveis falhas nas ligações.

Acessórios de Iniciação Mais Comuns Detonador Eletrônico • por não ser necessária a utilização de retardos de superfície. ocorre uma redução considerável nos custos com acessórios de iniciação. • redução do nível de ruído e pulso de ar. . pela iniciação ser elétrica. • redução do nível de vibração e ultralançamento dos fragmentos rochosos. • melhor fragmentação da rocha em função da precisão e da grande faixa de tempo de retardo (de 1 até 6000 ms) e da possibilidade de escolha do tempo de retardo pelo usuário. em função da grande precisão que evita a sobreposição dos tempos de retardo.

A programação do tempo de retardo é feita durante o carregamento dos furos. . por ser insensível a cargas estáticas e eletromagnéticas. • aumento da eficiência do explosivo. pela iniciação ser pontual. • redução da necessidade de estoque de espoletas.Acessórios de Iniciação Mais Comuns Detonador Eletrônico • seguro. visto que todas são idênticas.

Escorvar a espoleta é o ato de colocá-la dentro do cartucho de explosivo.Usando espoletas elétricas ESCORVA • O primeiro passo para o uso adequado de uma espoleta elétrica é o seu escorvamento. de maneira que este possa ser detonado pela espoleta. . Uma boa escorva exige que a cápsula seja introduzida no cartucho de maneira que não possa sair.

.

.Usando espoletas elétricas •O cartucho escorvado está pronto para o carregamento. É aconselhável que a escorva seja carregada no fundo do furo e tal procedimento é indispensável quando se usa espoletas de retardo.

• Tipo gerador e tipo condensador. • A corrente gerada á contínua. .Ativando espoletas elétricas Explosores São aparelhos destinados a gerar a energia destinada a explodir as espoletas elétricas inseridas em um circuito. • alta voltagem e baixa intensidade.