You are on page 1of 16

9/27/2009

2

Oitava Edição

MECÂNICA VECTORIAL PARA

Capítulo

ENGENHEIROS:

Ferdinand P. Beer
E. Russell Johnston, Jr.

ESTÁTICA
Estática das Partículas

Notas da palestra:
J. Walt Oler
Texas Tech University

© 2007 The McGraw-Hill Companies, Inc. All rights reserved.

Oitava
Edição

Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática
Contents
• Introdução

• Resultante de duas forças

• Vectores

• Adição de vectores

•Resultante de diversas forças concorrentes •
• Exemplo - Problema 2.1

• Exemplo - Problema 2.2

•Componentes rectangulares de uma força:
Vectores unitários
•Adição de forças através da soma das suas
componentes

© 2007 The McGraw-Hill Companies, Inc. All rights reserved.

Exemplo - Problema 2.3
Equilibrio de uma particula
Diagramas de corpo livre
Exemplo - Problema 2.4
Exemplo - Problema 2.6
Componentes rectangulares no espaço
Exemplo - Problem 2.7

2-2

1

All rights reserved. All rights reserved. © 2007 The McGraw-Hill Companies. e sentido. Inc. • A força é um vector quantitativo.Relações entre forças actuantes numa partícula que se encontra num estado de equilíbrio. magnitude. Pelo contrário. 2-4 2 . © 2007 The McGraw-Hill Companies. 2-3 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Resultante de duas forças • Força: Acção de um corpo sobre outro. caracterizada pelo seu ponto de aplicação. • Evidências experimentais mostram que a efectiva combinação de duas forças pode ser representada através de uma única força resultante. • O foco nas partículas não implica uma restrição a corpos minúsculos. linha de acção. • A resultante é equivalente à diagonal do paralelogramo que contém nas suas arestas as duas forças adjacentes. . Inc. este estudo está restringido a análises nas quais o tamanho e a forma dos corpos não são significativos.Substituir múltiplas forças que actuam numa partícula por uma única força equivalente ou força resultante.9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Introdução • O objectivo do presente capítulo é investigar os efeitos das forças nas partículas: . Será por isso assumido que todas as forças serão aplicadas num único ponto.

sin A sin B sin C = = Q R A • A adição de vectores é comutativa. . • Escalar: Parametro que representa a magnitude mas não a direcção. • Vectores semelhante tem a mesma magnitude e direcção.Vectores deslizantes podem ser aplicados em qualquer local dentro da sua linha de acção sem afectar a sua análise. • Os vectores Negativos de um dado vector têm a mesma magnitude mas uma direcção oposta.     P+Q = Q+ P • Subtracção de vectores © 2007 The McGraw-Hill Companies. Exemplos: deslocamentos. C B C B R 2 = P 2 + Q 2 − 2 PQ cos B    R = P+Q • Lei dos Senos. Inc. Inc.Vectores fixos têm pontos de aplicação bem definidos que não podem ser alterados sem afectar a análise. • Classificação de vectores: . temperatura. acelerações. velocidades. volume. Exemplos: massa. 2-6 3 . All rights reserved.Vectores Livres podem ser movimentados no espaço sem alterarem o seu efeito na análise. © 2007 The McGraw-Hill Companies. All rights reserved. 2-5 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Adição de vectores • Regra do Trapézio para a adição de vectores • Regra do Triângulo para a adição de vectores • Lei dos Cosenos. .9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Vectores • Vector: Parametro que representa a magnitude e a direcção cuja soma está de acordo com a Lei do Paralelogramo.

All rights reserved. • A adicção de vectores é associativa.          P + Q + S = (P + Q ) + S = P + (Q + S ) • Multiplicação de um vector por um escalar © 2007 The McGraw-Hill Companies. Inc. têm o mesmo efeito que um único vector força. Inc. em conjunto. All rights reserved. Um conjunto de forças concorrentes aplicadas a uma partícula pode ser substituído por uma única força resultante: o vector que resulta da soma das forças aplicadas. • Componente do vector força: dois ou mais vectores força que. 2-7 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Resultante de diversas forças concorrentes • Forças concorrentes: conjunto de forças em que todas elas passam pelo mesmo ponto.9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Adição de vectores • A adição de três ou mais vectores através da aplicação sucessiva da Regra do Triângulo • A Regra do Poligono para a adição de três ou mais vectores. 2-8 4 . © 2007 The McGraw-Hill Companies.

R = 98 N α = 35° • Solução trigonométrica – É desenhado um triângulo com P e Q à escala de forma a que no fim da cada vector se inicie outro. Determine a sua resultante. • Solução trigonometrica – use a Regra do Triângulo para o vector soma em conjunto com a Lei dos Cosenos e a Lei dos Senos para encontrar a resultante. A magnitude e a direcção da resultante ou do terceiro lado do triângulo é medida.Problema 2. All rights reserved. • Solução gráfica – construir um paralelogramo cujos lados têm as mesmas direcções de P e Q e comprimentos proporcionais. All rights reserved.Problema 2.1 SOLUÇÃO: As duas forças actuam no parafuso no ponto A. 2-9 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . A magnitude e a direcção da resultante ou da diagonal do paralelogramo é medida.9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . Avaliar graficamenete a resultante que é equivalente em direcção e proporcional em magnitude em relação à diagonal. Inc. R = 98 N α = 35° © 2007 The McGraw-Hill Companies. © 2007 The McGraw-Hill Companies.10 5 .1 • Solução gráfica – O paralelogramo com os lados iguais a P e Q é desenhado à escala. Inc. 2 .

Inc.04° α = 20° + A α = 35.9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . All rights reserved.04° © 2007 The McGraw-Hill Companies.2 SOLUÇÃO: • Encontrar uma solução gráfica por aplicação da Regra do Paralelogramo para a adição de vectores. Uma jangada é puxada por dois • Encontrar a solução trigonométrica por barcos. 2 . © 2007 The McGraw-Hill Companies. em α.1 • Solução trigonometrica – Aplica-se a Regra do Triângulo.Problema 2. Inc.11 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . Conhecidas a 5000N com a direcção ao longo magnitude e a direcção da resultante e do eixo da jangada.Problema 2.73N 2 . All rights reserved.73N A partir da Lei dos Senos. Se a resultante da força aplicação da Regra do Triângulo para exercida pelos barcos for de adição de vectores. O paralelogramo tem arestas nas direcções das duas cordas e uma diagonal na direcção do eixo da jangada e um comprimento proporcional a 5000N. R 2 = P 2 + Q 2 − 2 PQ cos B = (40 N )2 + (60 N )2 − 2(40 N )(60 N ) cos155° R = 97. A partir da Lei dos Cosenos. • O ângulo para a tensão mínima na corda 2 é b) O valor de α para o qual a tensão determinado pela aplicação da Regra do Triângulo e observando o efeito de variações na corda 2 é mínima. 60 N 97. sin A sin B = Q R sin A = sin B Q R = sin 155° A = 15.12 6 . determine: dadas as direcções dos outros dois lados paralelos às cordas. aplica-se a Lei do a) A tensão em cada uma das cordas Senos para encontrar a tensão nas cordas para α = 45o.

α = 60° 2 . Inc. T2 = (5000 N ) sin 30° T2 = 2500 N T1 = (5000 N ) cos 30° T1 = 4330 N α = 90° − 30° © 2007 The McGraw-Hill Companies.Problema 2.Problema 2. direcção para os lados do paralelogramo conhecida. All rights reserved. Inc. All rights reserved.2 • O ângulo para a tensão miníma na corda 2 é determinada através da aplicação da Regra do Triângulo e pela observação do efeito de variação do ângulo α.Regra do Triângulo com a Lei dos Senos T1 T2 5000 N = = sin 45° sin 30° sin 105° T1 = 3660 N T2 = 2590 N © 2007 The McGraw-Hill Companies.14 7 . • A tensão miníma na corda 2 ocorre quando T1 e T2 são perpendiculares.13 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo .9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . 2 . T1 = 3700 N T2 = 2600 N • Solução trigonométrica .2 • Solução gráfica – Regra do Paralelogramo com a direcção e magnitude da resultante conhecida.

Inc. 2 . All rights reserved. Fx e Fy São designados como os componentes rectangulares do vector e    F = Fx + Fy   • Definir vectores unitários perpendiculares i e j paralelos aos eixos x e y. All rights reserved.15 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Adição de forças através da soma das suas componentes • Para encontrar a resultante de 3 ou mais forças concorrentes.16 8 . • As componentes do vector podem ser expressas como produtos dos vectores unitários com os escalares das magnitudes dos componentes vectoriais. Ry R = R x2 + R y2 θ = tan −1 Rx © 2007 The McGraw-Hill Companies.    F = Fx i + Fy j Fx eFy são designados como os componentes escalares de F © 2007 The McGraw-Hill Companies. 2 . ( Rx = Px + Q x + S x = ∑ Fx ) R y = Py + Q y + S y = ∑ Fy • Para encontrar a magnitude e a direcção da resultante.9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Componentes rectangulares de uma força: Vectores unitários • Um vector força pode ser transformado em componentes perpendiculares de forma a que o paralelogramo seja um   rectângulo. Inc.     R = P+Q+ S • Transformar cada força em componentes rectangulares         Rx i + R y j = Px i + Py j + Q x i + Q y j + S x i + S y j   = ( Px + Q x + S x )i + Py + Q y + S y j • Os componentes escalares da resultante são iguais à soma dos componentes escalares correspondentes de cada força.

Quatro forças actuam no parafuso A como se mostra na figura.17 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . • Determinar as componentes da resultante adicionando as correspondentes componentes de força.0  F2 80 − 27.9 + 75.3 • Determinar as componentes da resultante adicionando as correspondentes componentes de força. force mag x − comp y − comp  F1 150 + 129. All rights reserved. • Calcular a magnitude e direcção da resultante.3 SOLUÇÃO: • Transformar cada força em componentes rectangulares.1° 199. 2 .1 N © 2007 The McGraw-Hill Companies.2  F3 110 0 − 110. Inc.32 14.Problema 2.18 9 .9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . 2 .0  F4 100 + 96. R = 199.1 R y = +14. • Calcular a magnitude e direcção da resultante.6 N R = 199.4 + 75.3 N tan α = α = 4.9 Rx = +199. Inc. Determine a resultante da força no parafuso. All rights reserved.12 + 14. © 2007 The McGraw-Hill Companies.3 SOLUÇÃO: • Transformar cada força em componentes rectangulares.Problema 2.6 − 25.

Mesma linha de acção . ∑ Fy = 0 2 . • Primeira Lei de Newton: Se a força resultante numa partícula é zero. Diagrama de corpo livre: A figura mostra apenas as forças que actuam na partícula.9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Equilibrio de uma partícula • Quando a resultante de todas as forças actuantes numa partícula é zero. • Partícula onde actuam duas forças: . a partícula vai contínuar em repouso ou com uma velocidade rectilinea constante.Sentido oposto • Partícula onde actuam três ou mais forças: .A solução gráfica consiste num polígono fechado   . All rights reserved. Inc.20 10 . Inc.Igual magnitude . a partícula está em equilíbrio. © 2007 The McGraw-Hill Companies. 2 . All rights reserved.Solução algébrica R = ∑ F = 0 ∑ Fx = 0 © 2007 The McGraw-Hill Companies.19 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Diagrama de corpo-livre Diagrama espacial: A figura mostra as condições físicas do problema.

Problema 2.21 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . Inc. • Aplicar as condições para o equilíbrio construíndo um polígono fechado a partir das forças aplicadas à partícula. Inc. © 2007 The McGraw-Hill Companies. All rights reserved. • Aplicar as condições para o equilíbrio. Qual é a tensão na corda? • Aplicar as relações trigonométricas para determinar as magnitudes de força desconhecidas. TAB T 3500 N = AC = sin 120° sin 2° sin 58° TAB = 3570 N TAC = 144 N © 2007 The McGraw-Hill Companies. um automóvel de 3500N está suspenso por um cabo. • Resolver a equação para as magnitudes de força desconhecidas.Problema 2. 2 . Numa operação de descarga de um navio. 2 .22 11 .9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . All rights reserved.4 SOLUÇÃO: • Construír um diagrama de corpo livre para a partícula na junção entre a corda e o cabo.4 SOLUÇÃO: • Construír o diagrama de corpo livre para a partícula no ponto A. Uma corda está atada ao cabo e é puxada para o centro do automóvel por cima da posição desejada.

All rights reserved.24 12 . All rights reserved. É necessário determinar a força de arraste que o protótipo de um casco de um barco tem a uma dada velocidade. • Resolver a equação de equlíbrio do vector em duas equações. Resolver em função das duas tensões desconhecidas. Determine a força de arraste exercída no casco do barco e no cabo AC.75 4m 4m β = 20.Problema 2. Inc.Problema 2. Inc.      R = T AB + T AC + T AE + FD = 0 © 2007 The McGraw-Hill Companies. e desenhar o diagrama de corpo livre.23 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . e desenhar o diagrama de corpo livre. a tensão é 40N no cabo AB e 60N no cabo AE.9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . uma para cada componente.56° α = 60.5 m 7m tan β = = 0.25° • Escrever a condição para o equilíbrio para o casco do barco de forma a que o somatório de todas as forças seja zero. Um modelo é colocado num canal de teste e são utilizados 3 cabos para alinhar a proa do barco no centro do canal.6 SOLUÇÃO: • Escolher o casco do barco como corpo livre. 2 .375 tan α = = 1. 2 .6 SOLUÇÃO: • Escolher o casco do barco como corpo livre. • Escrever a condição para o equilíbrio para o casco do barco de forma a que o somatório de todas as forças seja zero. 1. Para uma dada velocidade. © 2007 The McGraw-Hill Companies.

6 • Resolver a equação de equlíbrio do vector em duas equações.Problema 2.25 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo .9363TAC − 60 TAC = +42.56° j   = 0.73 N )i + (19.    T AB = −(40 N )sin 60. All rights reserved.56° i + T AC cos 20.Problema 2.3512 TAC + FD (∑ Fy = 0) 0 = 19.6  R=0  = (− 34.9 N FD = +19.73 + 0.3512 T AC + FD ) i  + (19. All rights reserved.73 + 0. 2 .84 + 0. (∑ Fx = 0) 0 = −34.3512 T AC i + 0.9363T AC j   T = −(60 N )i   FD = FD i  R=0  = (− 34.84 + 0.9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo . uma para cada componente.84 + 0.26° j   = −(34. Resolver em função das duas tensões desconhecidas.9363T AC − 60) j © 2007 The McGraw-Hill Companies.73 + 0. 2 . Inc.26 13 .26° i + (40 N )cos 60. Inc.84 N ) j    T AC = T AC sin 20.9363T AC − 60) j Esta equaçõe é satisfeita apenas se cada componente da resultante for igual a zero.66 N © 2007 The McGraw-Hill Companies.3512 T AC + FD )i  + (19.

Inc. F y = F cosθ y Fh = F sin θ y • Transformar F h nas suas componentes rectangulares. All rights reserved.27 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Componentes recatngulares no espaço  • Com os ângulos entre F e os eixos. = F sin θ y sin φ 2 .  • Transformar F nas suas componentes horizontal e vertical. ) 2 .9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Componentes recatngulares no espaço  • O vector F está contido no plano OBAC. cos θ y e cos θ z são os cosenos directores de F ( © 2007 The McGraw-Hill Companies. Fx = Fh cos φ = F sin θ y cos φ Fy = Fh sin φ © 2007 The McGraw-Hill Companies. Fx = F cosθ x Fy = F cosθ y Fz = F cosθ z     F = Fx i + Fy j + Fz k    = F cos θ x i + cosθ y j + cosθ z k  = Fλ     λ = cosθ x i + cosθ y j + cosθ z k  • λ é um vector unitário ao longo da linha de  acção de F e cos θ x . All rights reserved.28 14 . Inc.

) 2 .9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Componentes recatngulares no espaço A direcção da força é definida pela localização de dois pontos. Inc.30 15 . © 2007 The McGraw-Hill Companies. 2 .29 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo .z1 ) e N ( x2 .Problema 2. Fy. Fz da força actuante no apoio em A. A tensão no tirante é de 2500 N. determine o vector unitário que aponta de A para B. Inc. All rights reserved. y2 . All rights reserved.7 SOLUÇÃO: • Com base nas localizações relativas A e B. θy. a) As componentes Fx. Determine: • Ao reparar que os componentes do vector unitário são os cosenos directores para o vector.z2 )  d = vector que junta M e N    = dxi + d y j + dz k d x = x2 − x1 d y = y2 − y1 d z = z2 − z1   F = Fλ   1   λ = dxi + d y j + dz k d Fd y Fd x Fd z Fx = Fy = Fz = d d d ( © 2007 The McGraw-Hill Companies. • Aplique o vector unitário para determinar as componentes da força actuante em A. b) Os ângulos θx. θz que definem a direcção da força. M ( x1 . calcule os ângulos correspndentes. y1 .

3     = −0. Inc.9/27/2009 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo .32 16 .   F = Fλ    = (2500 N )(− 0.848 j + 0.424 i + 0.    AB = (− 40 m ) i + (80 m ) j + (30 m )k AB = (− 40 m )2 + (80 m )2 + (30 m )2 = 94.3 m   − 40    80    30   λ = i +   j + k  94.     λ = cos θ x i + cos θ y j + cos θ z k    = −0.424 i + 0. calcule os ângulos correspndentes.31 Oitava Edição Mecânica Vectorial para Engenheiros: Estática Exemplo .3   94.848 j + 0. Inc.318k )    = (− 1060 N )i + (2120 N ) j + (795 N )k © 2007 The McGraw-Hill Companies.318k • Determinar as componentes da força. All rights reserved. 2 . 2 .7 SOLUÇÃO: • Determinar o vector unitário que aponta de A para B.Problema 2.1 θ y = 32. All rights reserved.5 © 2007 The McGraw-Hill Companies.7 • Ao reparar que os componentes do vector unitário são os cosenos directores para o vector.0 θ z = 71.848 j + 0.Problema 2.318k θ x = 115.3   94.424 i + 0.