You are on page 1of 60

TREINAMENTO DE RIGGER

SINALIZADOR

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO

1

























Gerência de Treinamentos
Paschoal da Silveira Nunes Filho
Carlos Dell Nery
Coordenação Editorial
Márcia Nunes
Paschoal da Silveira Nunes Filho
Carlos Dell Nery
Elaboração
Paschoal da Silveira Nunes Filho / Especialidade em Guindastes e Instrutor
Carlos Dell Nery / Técnico Segurança do Trabalho / Instrutor
Claudinei da Silveira Nunes / Técnico em Segurança do Trabalho e Meio Ambiente)
Instrutores Credenciados
Carlos Dell Nery
Paschoal da Silveira Nunes Filho
Edição
Centro de Treinamento e Consultoria CENTERCABO & GUINDASTE BRASIL
AV. Dona Francisca , 799 – Vila Rezende -Piracicaba – SP - Fone/Fax : (19) 3421-8000
www.guindastebrasil.com.br/ curso@guindastebrasil.com.br
APOIO:
CRANE INSTITUTE OF AMERICA
HAND SIGNAL COMMUNICATION
®2001 CENTERCABO & GUINDASTE BRASIL Treinamento e Consultoria – SP
É vedada a reprodução total ou parcial desta obra sem a autorização expressa da CENTERCABO.
Crime Editorial.
GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO

2

Sumário

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

Tipos e Componentes de Guindastes
Tecnologia do Guindaste
Terminologia
Conceitos: C.G. (centro de gravidade), peso, braço de alavanca, momento de carga
Cabos de Aço
Amarração de Lingadas
Acessórios – manilhas
Planejamento c/ Guindaste : força na sapata
Passadas de cabo de aço

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO

3

das condições adversas e da responsabilidade de outros condutores e pedestres.LEGISLAÇÃO • NR 6: Norma regulamentadora que Rege equipamentos de proteção individual. evitar acidentes ou diminuir as conseqüências de um acidente inevitável. transporte. GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 4 . (Ergonomia) • NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção • Direção Defensiva: Conscientizar o condutor quanto a disciplina em dirigir. • NR 12: Norma regulamentadora que Rege os tipos e características dos equipamentos adequados para esta atividade. • NR 17: Norma regulamentadora que Rege adaptar o homem de forma segura e confortável ao seu local de trabalho e lazer. • NR 11: Norma regulamentadora que Rege a movimentação. manuseio e armazenamento de cargas diversas. apesar dos erros.

É importante saber que. ocorre pelo menos uma desta três falhas humanas. em qualquer acidente. NEGLIGÊNCIA IMPRUDÊNCIA IMPERÍCIA GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 5 .

drogas ou medicamentos).RIGGER – SINALIZADOR • Requisitos para o RIGGER •     A operação do Rigger sinalizador requer perícia. Estejam devidamente qualificadas (cursos de operação. Possam provar que receberam à necessária informação para orientar o operador de guindaste aqui descrito e estejam familiarizado com o conteúdo destas instruções de operação. Trabalhem como Rigger de forma responsável e com segurança. GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 6 . certificado de de rigger ). habilidade e experiência. não sob a influência do álcool. Por isso deve ser confiada apenas a pessoas que: estejam física e mentalmente capazes de efetuar o trabalho(tranqüilos. Isto também se aplica aos acessórios utilizados.

RIGGER REQUISITOS • • • • • • • • • Serenidade nas decisões Calma em momento conturbados Maturidade nos seus atos Liderança com seus comandos Preparo intelectual Visão espacial Meticulosidade no trabalho Realização profissional Espírito de equipe GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 7 .

Modelos de Guindastes • • • • • • • GUINDASTES SOBRE CHASSI DO CAMINHÃO GUINDASTES TELESCÓPIOS RODOVIÁRIOS GUINDASTES TRELIÇADO DE ESTEIRAS GUINDASTES EMBARCADOS – BALSAS OU NAVIOS GUINDASTES DE TORRE / PORTUÁRIOS GUINDASTES AUTO-PROPELIDO GUINDASTES (GRUAS) GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 8 .

GUINDASTE 1954 GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 9 .

GUINDASTE DE ESTEIRA GUINDASTE AUTO PROPELIDO CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 10 .

GUINDASTE PORTUÁRIO ( ONSHORE) GRUA – Usado na construção civil CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 11 .

GUINDASTE TIPO RINGER GUINDASTE OFFSHORE CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 12 .

CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 13 . Único país a fabricar e utilizar este tipo de guindaste.GUINDASTES VEICULARES GUINDASTE EUROPEU – HYVA GUINDASTE NACIONAL – ARGOS Obs. Somente fabricado no Brasil .

Guindaste Telescópico Rodoviário GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 14 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 15 .SEGURANÇA NA OPERAÇÃO • Recomendamos operar sempre com a máxima prudência pois a distração e o descuido são freqüentes causas de acidentes.

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 16 .Liderança / Coordenação • Não iniciar manobra alguma. sem receber ordem daquele que coordena os trabalhos.

Sinalização da Área de Trabalho
• Isolar a área de movimentação (raio de ação da
lança e contrapeso,) com fita e placas
indicativas de advertência de movimentação de
cargas pesadas;

CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL

17

CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL

18

SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO

19

............1..........0 m • Voltagem desconhecida.4.0 m • Entre 220....1.....500V.................3.0 m • Entre 11...............5................000V..500v.....000V.....000V e 380.........0 m • Acima de 1....000V e 10..000V. aplicam-se as seguintes mínimas: • Até 1.......0 m GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 20 .......5 m • Entre 1.000 e 220........TRABALHANDO COM SEGURANÇA • Para cabos aéreos de alta tensão e cabos de contato elétricos para linhas férreas..5.....

b) Aproximação do cabo. plataformas de proteção. caçamba ou carga a menos de 1 metro de redes de alta tensão. etc. GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 21 . caçamba ou situações suspensa contra estruturas. sempre que houver obstáculos que dificultem a visibilidade do Operador . Os sinais devem ser usados conforme norma universal de instruções. • O operador de grua ou guindaste deve ser orientado para evitar: a) Choques das lanças. relacionado abaixo. torres. devido ao risco de descarga elétrica por indução. usando sinal.. • Deve ser escalado um sinaleiro.SINAIS/Comunicação • Confirmar o inicio da manobra.

• Deve ser escalado um sinaleiro. devido ao risco de descarga elétrica por indução.. Os sinais devem ser usados conforme norma universal de instruções. caçamba ou situações suspensa contra estruturas. • Rigger Sinalizador – Homem de campo CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 22 . • O operador de grua ou guindaste deve ser orientado para evitar: a) Choques das lanças. torres. plataformas de proteção. b) Aproximação do cabo. caçamba ou carga a menos de 1 metro de redes de alta tensão. relacionado abaixo.SINAIS/COMUNICAÇÕES • Confirmar o inicio da manobra. usando sinal. etc. sempre que houver obstáculos que dificultem a visibilidade do Operador .

■Barulho. o que pode interferir em uma comunicação verbal. mesmo o uso do rádio que pode sofrer interferência e chiados com isto aumentando o risco de desentendimento e movimento errados. A velocidade que viaja uma imagem é similar a velocidade da luz. para orientar um determinado movimento da máquina. ■Velocidade. O “vocabulário limitado” dos sinais padrões evita um duplo entendimento.Vantagem do uso dos sinais ■Clareza. ou uma combinação de sinais. Mais importante ainda. a mão humana pode formar um sinal complexo mais rápido do que a língua possa emitir uma única sílaba. com a prática. Em um ambiente industrial ou de construção existe muito barulho. quando utilizamos sinais este barulho não interfere em nada. enquanto a comunicação verbal pode apresentar hábitos regionais como sotaque. gírias e termos diferentes o que dificulta o entendimento. Instruções verbais se tornam mais difíceis de interpretar entre o locutor e o ouvinte. Um “Sinaleiro” só pode utilizar um sinal. ■Distância. CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 23 . Os guindastes geralmente são utilizados quando se necessita de um raio maior de alcance ou a carga deve ser manuseada sobre de obstáculos.

o operador não pode ver a carga. Muitos operadores ignoram os sinais por acreditarem que já sabem o que deve que ser feito. Existe um sentimento de que o mantendo um contato visual com o operador este estará vendo seus sinais. ■ Certifique-se que seus sinais sejam visíveis para o operador. pois um bom sinaleiro deve saber quando seus sinais estão sendo visto. pois o sinaleiro que deve orientar o operador e não o contrario. Um sinal faz com que o guindaste se mova. Muitas vezes. o operador não pode ver através dela e prever onde possa haver um obstáculo. etc. Errado … E esta é uma falsa percepção que um bom sinaleiro tem que trabalhar duro para mudar. interpretados e executados pelo operador. isto é uma prática ariscada. ■O Rigger sinalizador deve ter conhecimento de cada movimento que a carga fará a cada sinal. Um bom operador sabe que ele não pode executar nenhum movimento de seu equipamento sem que lhe seja dada uma orientação CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 24 .Sinalização manual para guindastes – NBR11436 ■O Rigger sinalizador se torna aos olhos do operador de guindaste. Os sinais para guindaste destinam-se a dizer ao operador do guindaste o que ele deve fazer e em qual direção a carga irá. gire suba e desça carga.… As vezes mesmo a carga bem a sua frente dele. seja ao longo de um telhado plano ou do outro lado de uma parede.

LIDERANÇA / COORDENAÇÃO • Não iniciar manobra alguma. sem receber ordem daquele que coordena os trabalhos. CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 25 .

CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 26 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 27 .

2. Peso e Centro de Carga . Equipamento ou peça a ser transportada movimentada ou montada. (aproximado) GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO / 28 . 6. Dimensões . Peso total a ser movimentado.GESTÃO DE RISCO • Movimentação de Carga Riscos envolvidos 1. 5. Local de operação. Velocidade do vento. Peso dos acessórios . 4. Elevação de Carga (Altura de montagem). 7. 3.

GRUA GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 29 .

GRUA CARRINHO DA LANÇA MOITÃO GANCHO TRAVA DE SEGURANÇA GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 30 .

AUSÊNCIA DE GUARDA-CORPO ESCADA INRREGULAR ATERRAMENTO ELÉTRICO – MEDIÇÃO ÔHMICA SEMESTRAL GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 31 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 32 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 33 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 34 .

ERROS DE OPERAÇÃO GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 35 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 36 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 37 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 38 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 39 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 40 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 41 .

GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 42 .

Acessórios • • • • • • Cabo de Aço Manilhas Lingas Grampo de Fixação Cintas de Cargas Laços GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 43 .

• Exemplo: Cabo 6 x 19 : compõe-se de 6 pernas de 19 fios cada. GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 44 .CABO DE AÇO • Construção de cabo de aço entende-se o número de pernas e o numero de fios de cada perna.

Estrutura de cabo de aço –ALMA • AF = Alma de fibra Naturais – Normalmente de sisal ou rami • AFA = Alma de Fibra Artificiais – Geralmente de polipropileno (vantagem contra a corrosão interna do cabo) • AA = Alma de Aço (quando formada por perna) – Maior resistência aos amassamentos e maior resistência à tração • AACI = Alma de aço com Cabo Independente GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 45 .

NORMA BRASILEIRA CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 46 .GRAMPOS : NBR11099 NBR 3 .

Substituição de cabos de Aço GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 47 .

GANCHO • Construção Forjado de aço carbono GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 48 .

• Boca curvada para fora.GANCHO Importante • Inspecionar visualmente os ganchos. Atenção : A ABERTURA DO GANCHO NÃO PODE SER SUPERIOR A 15% GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 49 . comprometem seriamente a sua resistência . desgaste visiveis. pequenas fendas.

ELEVAÇÃO DE CARGA GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 50 .

As manilhas. por serem fáceis de usar . As manilhas do tipo U são como elos de corrente e devem ser usados como corrente. assim como os ganchos. olhal e gancho .MANILHAS As manilhas com certeza é o principal acessório de ligação entre estropoestropo. ou seja . E as que tem pino roscado são as mais utilizadas no dia a dia da obra . tracionada em apenas uma direção. não devem ser utilizadas com estropos com ângulo maior de 45° na vertical. Alguns fabricantes inclui marcas estampadas na parte curva da manilha para indicar a posição do ângulo máximo de 45° para cada lado da linha CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 51 .

1 GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 52 .CINTAS DE CARGA TIPO ANEL FATOR DE SEGURANÇA 5.

CINTA DE CARGA TIPO BAG GUINDASTE BRASIL/ CENTERCABO 53 .

1 VIOLETA VERDE AMARELA CINZA 1.0 TON LARANJA 10.0 TON VERMELHA 5.0 TON AZUL 8.0TON MARROM 6.0 TON 3.0 TON 2.0 TON 4.0 TON CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 54 .CINTA DE ELEVAÇÃO DE CARGA 7.

LINGA DE CORRENTES •Sistema de Classificação em Grau A classificação do grau da corrente é conferida de acordo com a tensão de ruptura. ou seja. A corrente grau 12 é a corrente que suporta 1200N/mm2 ou mais. CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 55 . A corrente grau 8 é aquela que suporta de 800N/mm2 ou mais. a capacidade da corrente. A corrente grau 10 é a corrente que suporta 1000N/mm2 ou mais.

leia atentamente e procure observar rigorosamente todas as instruções do presente manual. CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 56 .Manual de operação • Procurar Ter um perfeito conhecimento da capacidade do equipamento: portanto.

SE Não é o grande que devora o pequeno. Obrigado por você ter acreditado na gente . Boa Sorte CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 57 .Fim LEMBRE. É o veloz que devora o lerdo ou ignorante.

• NBR 15637-2:2010 – CINTAS TÊXTEIS PARA ELEVAÇÃO DE CARGAS Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho • NR 11 – TRANSPORTE. • NBR EB2200:1991 – EXTREMIDADES DE LAÇOS DE CABO DE AÇO.16 CABOS DE AÇO E CABOS DE FIBRA SINTÉTICA o ANEXO III – PLANO DE CARGAS PARA GRUAS • • CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 58 . utilizada até hoje. • NBR-13541:1995 – MOVIMENTAÇÃO DE CARGA – LAÇO DE CABO DE AÇO – ESPECIFICAÇÃO. • NBR-15466:2007 – QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO. • NBR-13129:1994 – CÁLCULO DA CARGA DE VENTO EM GUINDASTE. • NBR-4768:2001 – GUINDASTE ARTICULADO HIDRÁULICO – REQUISITOS. • NBT-13595:1996 – CÁLCULO PARA VERIFICAÇÃO DA ESTABILIDADE DE GUINDASTES AUTOMOTORES. MANUSEIO. • NBR-7557:1982 – GUINDASTES DE PNEUS. • NBR-10852:1989 – GUINDASTE DE RODAS COM PNEUS. • NBR-1084:1987 – CÁLCULO DE ESTRUTURAS DE SUPORTE PARA EQUIPAMENTOS DE LEVANTAMENTO E MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS. • NBR-11436-1988 – SINALIZAÇÃO MANUAL PARA MOVIMENTAÇÃO DE CARGA POR MEIO DE EQUIPAMENTOS MECÂNICOS. • NBR-13545: 1999 – MOVIMENTAÇÃO DE CARGA – MANILHAS. em 1805.REFERENCIAS • O Almirante da Real Marinha Britânica Sir Francis Beaufort. MOVIMENTAÇÃO. ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE MATERIAIS. • NBR-10015:1987 – MOITÃO E CARDENAL PARA MOVIMENTAÇÃO DE CARGA EM EMBARCAÇÕES – ENSAIOS DE CARGA. organizou uma tabela de faixas de velocidade do vento. EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS DIVERSAS o 18. • NBR-10014:1987 – MOITÃO E CARDENAL PARA MOVIMENTAÇÃO DE CARGA EM EMBARCAÇÕES. • NBR-ISO2408:2008 – CABOS DE AÇO PARA USO GERAL – REQUISITOS. • NBR-8400:1984 – CÁLCULO DE EQUIPAMENTOS PARA LEVANTAMENTO E MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS. • NBR ISO 04309:1998 – GUINDASTE – CABOS DE AÇO – CRITÉRIO DE INSPEÇÃO E DESCARTE. • P-NB-153:1967 – CÓDIGO DE SEGURANÇA PARA VEÍCULOS INDUSTRIAIS AUTOMOTORES – CLASSIFICAÇÃO. • NBR-ISO3108:1998 – CABOS DE AÇO PARA USO GERAL – DETERMINAÇÃO DA CARGA DE RUPTURA REAL. CAPACIDADE DE CARGA E ESTABILIDADE. • • Normas ABNT NBR (Nacionais) • NBR7500:2007 – IDENTIFICAÇÃO PARA O TRANSPORTE TERRESTRE.22 MÁQUINAS. • NBR-10070:1987 – GANCHOS – HASTES FORJADOS PARA EQUIPAMENTOS DE LEVANTAMENTO E MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS – DIMENSÕES E PROPRIEDADES MECÂNICAS. MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAMENTOS DE PRODUTOS. criando assim a Tabela Beaufort. • NBR-5940:1996 – CONSTRUÇÃO NAVAL – AMARRAS – REQUISITOS. • NR 18 – CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO o 18. relacionando com seus efeitos visíveis.

1-2009 – JACKS. SINGLE GIRDER.11-2010 – MONORAILS AND UNDERHUNG CRANES • ASME B30.24-2008 – CONTAINER CRANES • ASME B30.16-2007 – OVERHEAD HOISTS ( UNDERHUNG) • ASME B30.26-2010 – RIGGING HARDWARE • ASME B30.TOP RUNNING TROLLEY HOIST) • ASME B30.25-2007 – SCRAP AND MATERIAL HANDLERS • ASME B30.14-2004 – SIDE BOOM TRACTORS • ASME B30.10-2009 – HOOKS • ASME B30.MOBILE AND LOCOMOTIVE CRANES • ASME B30.9-2006 – SLINGS • ASME B30.18-2004 – STACKER CRANES (TOP OR UNDER RUNNING BRIDGE.20-2006 – BELOW-THE-HOOK LIFTING DEVICES • ASME B30.4-2010 – PORTAL.6-2010 – DERRICKS • ASME B30.Normas ASME (Normas Americanas) • ASME B30. TOWER.23-2005 – PERSONNEL LIFTING SYSTEMS • ASME B30.22-2005 – ARTICULATING BOOM CRANES • ASME B30. AND PEDESTAL CRANES • ASME B30. MULTIPLE GIRDER WITH TOP OR UNDER RUNNING TROLLEY HOIST) • ASME B30.17-2006 – OVERHEAD AND GANTRY CRANES ( TOP RUNNING BRIDGE.5-2007. AIR CASTERS. INDUSTRIAL ROLLERS.12-2006 – HANDLING LOADS SUSPENDED FROM ROTORCRAFT • ASME B30. AND HYDRAULIC GANTRIES • ASME B30.7-2006 – BASE-MOUNTED DRUM HOISTS • ASME B30.19-2005 – CABLEWAYS • ASME B30. UNDERHUNG HOIST) • ASME B30.2-2005 – OVERHEAD AND GANTRY CRANES (TOP RUNNING BRIDGE. SINGLE OR MULTIPLE GIRDER.13-2003 – STORAGE/RETRIEVAL (S/R) MACHINES AND ASSOCIATED EQUIPMENT • ASME B30.27-2009 – MATERIAL PLACEMENT SYSTEMS Matéria alta tensão extraída da REVISTA CRANE BRASIL CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL .21-2005 – MANUALLY LEVER OPERATED HOISTS • ASME B30.8-2010 – FLOATING CRANES AND FLOATING DERRICKS • ASME B30.3-2009 – CONSTRUCTION TOWER CRANES • ASME B30.

Qualificação Profissional CENTERCABO/GUINDASTEBRASIL 60 .