You are on page 1of 1

CAPTULO XIII

DA CORRETAGEM
Art. 722. Pelo contrato de corretagem, uma pessoa, no ligada a outra em virtude de mandato, de prestao de servi os ou
por qualquer relao de dependncia , obriga-se a obter para a se gunda um ou mais negcios, conforme as instrues recebidas.
Art. 723. O corretor obrigado a executar a mediao com a
diligncia e prudncia que o negcio requer, prestando ao cliente,
espontaneamente, todas as informaes sobre o andamento dos
negcios; deve, ainda, sob pena de responder por perdas e danos,
prestar ao cliente todos os esclarecimentos que estiverem ao seu
alcance, acerca da segurana ou risco do negcio, das alteraes de
valores e do mais que possa influir nos resultados da incumbncia.
Art. 724. A remunerao do corretor, se no estiver fixada
em lei, nem ajustada entre as partes, ser arbitrada segundo a natureza do negcio e os usos locais.
Art. 725. A remunerao devida ao corretor uma vez que
tenha conseguido o resultado previsto no contrato de mediao, ou
ainda que este no se efetive em virtude de arrependimento das
partes.
Art. 726. Iniciado e concltdo o negcio diretamente entre
as partes, nenhuma remunerao ser devida ao corretor; mas se,
por escrito, for ajustada a corretagem com exclusividade, ter o
corretor direito remunerao integral, ainda que realizado o negcio sem a sua mediao, salvo se comprovada sua inrcia ou ociosidade.
Art. 727. Se, por no haver prazo determinado, o dono do
negcio dispensar o corretor, e o negcio se realizar posteriormente,
como fruto da sua mediao , a corretagem lhe ser devida: igual
soluo se adotar se o negcio se realizar aps a decorrncia do
prazo contratual, mas por efeito dos trabalhos do corretor.
Art. 728. Se o negcio se concluir com a intermediao de
mais de um corretor, a remunerao ser paga a todos em partes
iguais , salvo ajuste em contrrio.
Art. 729. Os preceitos sobre corretagem constantes deste
Cdigo no excluem a aplicao de outras normas da legislao
especial.