You are on page 1of 40

Índice

Nota Introdutória .................................................................................. 5  

A Receita para um prato de sucesso ...................................................... 6 

Conhecer a Receita ................................................................................. 6  

Seleccionam-se as ervas aromáticas… ................................................ 11 

Tendências ....................................................................................... 11  

Recuar a idade (Down Aging) ......................................................... 11 

Media em Mudança (Media Changing) ........................................... 11 

Imediato (Now) .............................................................................. 12  

… que dão sempre um toque especial ................................................. 13 

Influência das Tendências no Grupo Renascença .............................. 13 

Recuar a idade (Down Aging) ......................................................... 14 

Media em Mudança (Media Changing) ........................................... 14 

Imediato (Now) .............................................................................. 14  

Quando o refogado está no ponto, damos asas à imaginação ............. 15 

Marketing Lateral ............................................................................. 15  

6 Chapéus do Pensamento ............................................................... 17 

Deixa-se cozinhar, apurando bem! ..................................................... 18 

Aplicando as técnicas ....................................................................... 18  

Recuar a idade (Down Aging) ......................................................... 18 


Media em Mudança (Media Changing) ........................................... 20 

Imediato (Now) .............................................................................. 22  

Que cheirinho maravilhoso. O prato está pronto a ser servido. ............ 24 

Conclusões Finais ............................................................................. 24  

Como Servir: ....................................................................................... 24  

E agora!............................................................................................... 28  

Em que prato vamos servir isto? .......................................................... 28 

Ora nem mais, é mesmo neste! ........................................................... 29 

E que bem que ficam todos na mesa! .................................................. 30 

O projecto Geração FM ........................................................................ 30  

Target................................................................................................ 30  

A Imagem Geração FM ...................................................................... 31  

E agora a sobremesa. .......................................................................... 32  

Proposta para a imagem do site da Geração FM ............................. 32 

Anexo A .............................................................................................. 33  

Estudo Kaiser Family Foundation ...................................................... 33 

Anexo B .............................................................................................. 38  

Os media e os adolescentes(Estudo Morgan Stanley) ........................... 38 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
AVISO:

Este trabalho não visa rivalizar com qualquer sugestão culinária da

fantástica Maria de Lurdes Modesto. Trata-se sim de uma receita de

autor com toda a componente criativa para satisfação dos gostos mais

apurados de qualquer ávido consumidor de ideias novas.

Ao caro Leitor deste trabalho lançamos a nossa sugestão: recoste-se,

leia e aprecie. Certamente ficará deliciado.


Nota Introdutória

Mais uma vez temos objectivo de deliciar os nossos colegas, docentes e

demais leitores, com uma apetitosa experiência, neste caso em

Marketing Lateral.

O Grupo de Trabalho NNGC optou mais uma vez por desenvolver uma

abordagem a uma empresa pouco convencional neste tipo de

explorações académicas e após o excelente resultado obtido em

trabalhos anteriores, seguimos a máxima “ em equipa que vence não se

fazem alterações” e mais uma vez, agora com um enfoque totalmente

diferente debruçamo-nos sobre o Grupo Renascença, desta feita no seu

todo.

Direccionámos então os focos ao Grupo Renascença para responder aos

quatro desafios propostos, nomeadamente:

1. Identificar os benefícios do relacionamento com clientes

explorando três tendências distintas;

2. Aplicar o marketing lateral para explorar beneficamente cada uma

das tendências;

3. Aplicar os “Six Thinking Hats” para as soluções encontradas;

4. Criar plano para a exploração das soluções;

Bom apetite!
A Receita para um prato de sucesso  

Conhecer a Receita1

O Grupo Renascença, cujo capital pertence 60% ao Patriarcado de Lisboa

e 40% à Conferência Episcopal Portuguesa é hoje uma referência do

panorama radiofónico português, não carecendo de grandes

apresentações.

Em Junho de 1936 tiveram início as primeiras experiências regulares

com um emissor instalado na Charneca (Lisboa). Um mês depois do

início das emissões diárias, os estúdios da Rua Capelo ficaram prontos e

a RR instalou-se nesse local onde ainda hoje permanece.

Os estatutos da RR, num dos seus parágrafos, referiam, como acção

prioritária, a montagem de postos emissores de radiodifusão e, quando

possível, de televisão, com a finalidade de atingir todo o território

nacional. Este documento, onde já se falava de televisão, data de Março

de 1938.

Desde aí a RR não parou de crescer.

Fonte: Grupo Renascença in: http://www.rr.pt/grupoRR/historial.aspx


1
No final da década de 70 têm início as emissões diárias experimentais

em Onda Curta para os emigrantes portugueses, primeiro na Europa

Central e, mais tarde, no Brasil.

E o projecto da RR não fica por aqui.

Na década de 80, tendo alcançado a liderança absoluta de audiências

de rádio, a RR passa a enfrentar novos desafios. Coincidindo com o

início das comemorações dos seus 50 anos de existência, em 1987, a

Renascença passa a emitir duas programações distintas - ambas 24

horas por dia -: a da Rádio Renascença (OM e FM nacionais) e a da RFM

(FM estéreo nacional).

Além destes canais, a RR emite também programação de âmbito

regional em OM e FM a partir de estúdios próprios, instalados

sucessivamente em diversas cidades, na sua maioria sedes de Dioceses,

como Évora, Braga, Lisboa, Chaves, Porto, Viseu, Leiria e Elvas.

Os anos 90 confirmam a RR como "a mais ouvida em Portugal" e a

decisão de utilizar a transmissão via satélite faz com que os horizontes

de expansão se alarguem tendo o céu como limite.

Em Portugal Continental, na Madeira, nos Açores, no resto da Europa,

em África, na América, na Ásia, enfim, um pouco por todo o mundo

ecoa a Voz da Emissora Católica, acompanhando os portugueses que

estão dentro e fora da nação, estreitando laços de amizade, defendendo


a língua e a cultura portuguesas, lançando um olhar cristão sobre a

actualidade.

Chegados a 2000, o Grupo Renascença, através dos seus 3 canais (Rádio

Renascença, RFM e MEGA FM), detém a liderança absoluta da audiência

nacional de rádio. A Emissora Católica Portuguesa continua a ser a

preferida pelos portugueses com mais de 45 anos, enquanto a RFM

lidera as audiências junto das pessoas entre os 15 e os 44 anos. Por seu

lado, a MEGA FM, detém na região da Grande Lisboa a liderança do

grupo etário dos 15 aos 24 anos, e também entre os estudantes. No seu

conjunto, o Grupo Renascença tem mais audiência do que o total das

restantes rádios nacionais e regionais. Mais de 3 milhões de

portugueses escutam regularmente as suas emissões, que se distribuem

por mais de 122 horas diárias de programação, dos 2 canais nacionais

(RR e RFM), cada um deles emitindo 24 horas por dia, dos seus sete

Estúdios Regionais (Braga, Porto, Viseu, Fátima, Leiria, Elvas e Évora) e

das 3 rádios da MEGA FM (Lisboa, Porto e Coimbra), para o que dispõe

de 60 emissores, espalhados por todo o território continental

português.

Tirando proveito das novas tecnologias da comunicação, em

desenvolvimento, abriu uma nova via para a sua mensagem: a Internet.

Conservando a perenidade dos preceitos do Humanismo Cristão, este é

mais um meio, através do qual a Emissora Católica Portuguesa não só

transmite para todo o mundo as emissões dos seus 3 canais em directo


(RR - www.rr.pt; RFM - www.rfm.pt; MEGA FM - www.mega.fm), como

proporciona um serviço noticioso próprio e outras informações úteis.

Está claramente identificado através do target etário para o qual cada

rádio está orientada, que o Grupo Renascença acompanha o ouvinte

desde a adolescência até à idade sénior, dotando-se assim de uma

oferta que cobre todo o ciclo de vida dos seus ouvintes.

Dado que se inserirem num grupo de ideologia Cristã, todas as rádios

pertencentes ao Grupo Renascença pautam-se pelos valores da isenção,

equidade e rigor. São estes os valores transmitidos a cada emissão de

qualquer um dos programas, o que faz de cada uma das rádios, líder no

seu segmento. Todas apostam no poder de cada programa para cativar

a sua audiência, mantendo os ouvintes fiéis aos locutores, estilos de

música ou até mesmo passatempos ao longo de toda a emissão.


O sucesso das várias rádios nos seus segmentos é derivado

essencialmente da correcta aplicação dos valores intrínsecos do grupo

que se caracterizam pela forma positiva com que cada locutor aborda

cada tema e informação e segundo a própria equipa da RFM, cada

locutor não entra no ar sem saber exactamente o que vai dizer e de que

forma o vai fazer, a originalidade dos locutores e a frequente

participação dos ouvintes vão conquistando quotidianamente mais

ouvintes.

No que respeita a audiências, e segundo dados do Bareme-Rádio da

Marktest2, o Grupo Renascença tem no conjunto das rádios RFM e RR

um total de 36,7% do share, sendo correspondente a 23,5% na RFM e

13,2% na RR.

Fonte: Marktest in: ”Bareme Rádio”


2
Seleccionam-se as ervas aromáticas…

Tendências3

Recuar a idade (Down Aging)

E que tal voltar a ter 6, 8 ou 10 anos? Que bom que era!

Pois esta é efectivamente uma das actuais tendências de mercado, os

consumidores revelam uma apetência por produtos e serviços que

proporcionem momentos e experiências que permitam revisitar a

infância e transmitam a sensação de juventude

Media em Mudança (Media Changing)

O mundo dos media está em constante mudança, estudos recentes

revelam que cada vez mais usamos os dispositivos móveis e internet é

um meio preferencial em detrimento da TV, imprensa e rádio cujas

audiências e investimentos em publicidade baixaram nos últimos anos.

3
Documentação de suporte ás aulas
Imediato (Now)

Uma das grandes tendências de consumo actuais é o IMEDIATO. Tudo é

para hoje, para agora, já! Vive-se a um ritmo demasiado rápido e

acelerado, sem tempo ou espaço para reflexão, onde cada indivíduo

representa uma série de papéis: o de Pai, profissional ambicioso, colega,

amigo, consumidor, etc, potenciando-se como o melhor em cada um

desses cenários, com o adicional do conceito de estrutura familiar ser

cada vez mais o monoparental.


… que dão sempre um toque especial

Influência das Tendências no Grupo Renascença  


 
Uma maneira de reconhecer as tendências actuais do consumo é

observar as mudanças experimentadas no comportamento do

consumidor, conhecendo assim as suas necessidades.

É importante reconhecer e entender este comportamento que

determinará a compra e o consumo, e portanto, assim poder saber se

um determinado produto ou serviço com certas e determinadas

características, terá êxito nesse contexto.

Foram seleccionadas para este estudo três tendências que no entender

do Grupo de Trabalho têm um forte influência sobre uma empresa de

media de massas como é um grupo radiofónico, influências que

passamos a apresentar.
Recuar a idade (Down Aging)

Os ouvintes querem viver momentos de nostalgia, recordar tempos

passados, adolescência e infância, e por momentos voltarem a ser

crianças ou jovens adolescentes quer seja através de produtos físicos

como um brinquedo de madeira antigo, ao serviços e experiências

menos tangíveis com escutar uma música, por exemplo.

Media em Mudança (Media Changing)

O mercado dos media está em plena curva ascendente no que diz

respeito à mudança! Os canais tradicionais com a Rádio, TV ou jorais

estão em declínio e é o advento da Internet e da mobilidade.

Uma empresa cujo único produto é comunicação de massas precisa

estar atenta e sensível a esta tendência, fazendo dela uma

oportunidade, explorando por exemplo os canais de comunicação

emergentes como a internet.

Imediato (Now)

A sociedade vive a uma velocidade alucinante, tudo é para ontem!

São fundamentais todas as ajudas possíveis no sentido de desempenhar

mais e melhor as tarefas do dia-a-dia.

Contribuir com a difusão de conteúdos úteis neste sentido poderá ser

um factor positivo na exploração desta tendência pelo Grupo

Renascença.
Quando o refogado está no ponto,
damos asas à imaginação

Marketing Lateral4

As estratégias fundamentais do marketing começam não ser capazes de

gerar vantagens competitivas.

Isto é, existe enorme saturação de novidades a surgirem dia a dia

nos mercados e a segmentação, o targeting, e o posicionamento já não

são por si ferramentas capazes de criar oportunidades de negócio e

novos produtos.

Neste contexto, Philip Kotler e Fernando Trias de Bes fazem surgir o

conceito de Marketing Lateral. Aplicando esta nova metodologia de

marketing conseguimos assim criar a partir de produtos ou serviços

existentes, novas ideias e inovar, dando resposta a necessidades,

utilidades ou objectivos que não estavam cobertos anteriormente.

É um processo metódico, que pode ser dividido em três passos:

1. Identificar o produto ou serviço ao qual pretendemos aplicar a

técnica de Marketing Lateral e subdividi-lo no que respeita à sua

4
Fonte: Portal Gestão in “http://www.portal-gestao.com/gestao/1420-use-o-marketing-lateral-e-crie-
novas-ideias.html”
utilização, target, Marketing Mix, etc., criando assim vários focos

possíveis para a aplicação das técnicas.

2. Seleccionar qual a subdivisão onde se pretende actuar

identificando uma verdade lógica e criar um desvio ilógico. Por

exemplo, um telemóvel sem bateria, um barco com rodas ou pão

vende-se cru. Embora pareçam absurdos os desvios anteriores, é

neste desvio ilógico que reside a essência do Marketing Lateral,

sendo responsáveis por inúmeras inovações no mercado.

3. Cabe nesta fase a tarefa de fechar o desvio ilógico. Um telemóvel

sem bateria pode gerar um telemóvel a energia solar por

exemplo, e vender pão cru pode dar origem à venda de massas

preparadas prontas a cozer pão em casa.


6 Chapéus do Pensamento5

Uma ferramenta para a exploração do Marketing Lateral é o método de

Edward de Bono designado como – Os Seis Chapéus do Pensamento “

The Six Thinking Hats”. Esta metodologia caracterizada por tornar mais

clarividentes e lúcidos os pensamentos necessários e mais focados os

intervenientes numa tomada de decisão é composta pela atribuição de

cores (Branco, Vermelho, Amarelo, Preto, Verde e Azul) e respectivas

linhas de orientação de pensamento (Factual, Emotivo, Positivo,

Negativo, Criativo e Organizador) a cada um dos seis chapéus.

Para cada um dos deslocamentos laterais associados às tendências que

analisámos, iremos aplicar este método de pensamento sobre o fecho

de cada deslocamento.

5
Edward de Bono in Six Thinking Hats
Deixa-se cozinhar, apurando bem!
Aplicando as técnicas

Recuar a idade (Down Aging)

Centrando atenção agora no público-alvo do nosso produto, aplicamos

a técnica de Substituir.

Deslocamento Lateral

FOCO: Público‐Alvo • > de 15 anos

• O Grupo Renascença tem conteúdos 
SEQUÊNCIA LÓGICA modernos para ouvintes > 15 anos

DESLOCAMENTO  • O Grupo Renascença tem conteúdos 
ILÓGICO COM A  modernos para ouvintes > 0 e <15 anos e 
TÉCNICA DE MUDAR modernos e revivalistas para adultos

• O Grupo Renascença  vai criar programação 
FECHO OU OUTPUT infanto‐juvenil e revivalista

Aplicando a técnica dos seis chapéus de pensamento:


Factual
•Não existe nenhuma rádio para este segmento.
•Ouvir música desde a gestação é benéfico para o desenvolvimento da
criança.
•Os jovens consumem muita música.
•Já temos programas revivalistas

Emotivo
•Boa! Já não preciso de andar com cd’s de música infantil/juvenil no
carro.
•Não me parece grande ideia
•Excelente! Não existe tal coisa

Positivo
•Entretenimento em viagem para toda a família
•É um novo produto
•Concorrência não tem esta oferta
•Conceito inovador e explora a tendência

Negativo
•Nenhum dos actuais canais encaixaria esta programação
•Os adultos não vão suportar ouvir essa rádio
•Programação com pouca audiência

Criativo
•Pode ter um espaço publicitário que divulga as promoções nos artigos
de puericultura
•Vai ser um sucesso logo desde a gravidez!
•Programas que aproximem diferentes idades e estimulem a união
familiar
•Pode ter muitos conteúdos na Web

Organizador
•Deverá criar-se programação com música e outros conteúdos actuais
direccionados a uma faixa etária infanto-juvenil e revivalistas
destinados aos adultos explorando a tendência de promover sensações
Media em Mudança (Media Changing)

Neste processo tivemos em conta a forma como o produto é distribuído,

hoje em dia através de ondas de rádio ou pela internet

Deslocamento Lateral

FOCO: DISTRIBUIÇÃO • Via rádio ou Internet

• Temos de estar ligados via rádio ou Web 
SEQUÊNCIA LÓGICA
para ouvir

DESLOCAMENTO 
• Não  Temos de estar ligados via rádio ou 
ILÓGICO COM A 
Web para ouvir
TÉCNICA DE INVERTER

• Distribuição de conteúdos off‐line  em 
FECHO OU OUTPUT formato MP3 que permitam seguir a 
programação.

Aplicando a técnica dos seis chapéus de pensamento:


Factual
•Jovens consomem muita música
•Formas limitadas de ouvir rádio
•Necessário consultar dados ou estudos de mercado
•Mercado crescente dos MP3

Emotivo
•Porreiro! Posso ouvir programas de rádio em qualquer hora e local
•Que simpáticos, vão dar-me musica de borla

Positivo
•Vai ligar os jovens ao site da rádio
•Possibilidade de ouvir a programação preferida.
•É um método inovador que a concorrência não explora
•TV já explora este conceito

Negativo
•Tem de se pagar Direitos de Autor
•O auditório está desligado da emissão
•Custos da estrutura informática

Criativo
•Permite estudar as preferências em função dos conteúdos mais
descarregados.
•O serviço de gravação pode ser pago, gerando receitas.
•Vai abrir possibilidades no mercado da publicidade.
•Parcerias com editoras

Organizador
•Dever-se-á analisar o estudo sobre os jovens e os media, caso se
confirme a tendência trabalhar-se-ão os conteúdos para que possam
disponibilizar-se off-line.
Imediato (Now)

Considerando como produto a difusão de programas de rádio, partimos

de uma sequência lógica sobre uma necessidade à qual o produto

responde, informar o cliente (ouvinte).

Deslocamento Lateral

FOCO: NECESSIDADE • Informar

SEQUÊNCIA LÓGICA • Recebo informação enquanto escuto rádio

DESLOCAMENTO 
• Recebo informação e formação enquanto 
ILÓGICO COM A  escuto rádio
TÉCNICA DE COMBINAR

• Difusão de conteúdos e passatempos didácticos 
FECHO OU OUTPUT ajudando na optimização do tempo dos adultos 
e ocupação dos tempos livres dos jovens 

Aplicando a técnica dos seis chapéus de pensamento:


Factual
•Existe actualmente pouca informação na rádio relativa à divulgação de
eventos e actividades para toda a família;
•Formação contínua é importante;
•Deve apoiar-se o sucesso escolar dos jovens.

Emotivo
•“Perfeito! Sempre preferi aprender a ouvir do que ler.”
•Que seca de programas!!
•Excelente para ocupar os miúdos

Positivo
•Com pouco tempo livre é bom aprender enquanto conduzo;
•As crianças divertem-se enquanto aprendem;
•Ocupo tempo aos miúdos.

Negativo
•As pessoas vão mudar de rádio
•As audiências vão baixar
•Custos, precisamos de professores

Criativo
•“Com esta vida frenética que levo, é bom poder aprender/ser informado
enquanto conduzo”

Organizador
•Com a necessidade de aprender e gerir o tempo do dia a dia, chega-se
à conclusão que se deverão difundir conteúdos didácticos para jovens e
adultos e ocupacionais para jovens.
Que cheirinho maravilhoso. O prato
está pronto a ser servido.

Conclusões Finais

Cozinhámos a análise das tendências, temperámos com estudos

complementares (anexos), aplicámos uma forte dose criatividade…

Êt voilá:

Atrevemo-nos agora a apresentar aquilo que poderá ser o resultado

deste elaborado cozinhado, a difusão de conteúdos radiofónicos pelo

Grupo Renascença, via rádio ou via Internet que explorem as tendências

abordadas neste trabalho.

Como Servir:

1. Para jovens entre os 6 e os 18 anos: Nicho dos 6 – 12 anos

Qual a necessidade?

Satisfazer a crescente necessidade de transmitir conceitos pedagógicos

e de entretenimento a crianças, cuja educação e acompanhamento pelos

Pais é por vezes descurada dada a multiplicidade interpretação de

papéis e ritmo de vida acelerado.


Quais as acções?

a. Programas de entretenimento pedagógico em horário de

deslocação até aos estabelecimentos de ensino:

Permitirá que os jovens possam adquirir/consolidar

conhecimentos de alguns assuntos de interesse, com

competências para o desenvolvimento cognitivo;

b. Músicas tendo em conta os gostos e preferências:

Dispensa de utilização de CD’s de música infanto-juvenil por

parte dos Pais;

c. Animadores com vozes que apelem a séries televisivas de

desenhos animados:

Para que as crianças possam prestar mais atenção à emissão.

2. Para jovens entre os 6 e os 18 anos: Sub-Target 12 – 18 anos

Qual a necessidade?

A crescente utilização de equipamentos reprodutores de música (i.e.

MP3), bem como a necessidade de estar permanentemente on-line, são

factores consideráveis para que se possa abordar este tipo nicho.

Quais as acções?
a. Programas de entretenimento focados em conhecimentos mais

avançados, de acordo com o grau de escolaridade focado, com

transmissão on-line e em horário escolar, sendo que o grande

enfoque será na altura dos intervalos das aulas:

Fomentar a competição com finalidade psicológica, com ofertas

aos vencedores (i.e. download de músicas do site da Geração FM)

b. Convívio chat com os animadores de rádio:

Satisfação das necessidades de Imediato, da permanência on-line,

da interacção com os meios de media;

c. Possibilidade de download das emissões de programas:

Descarregar um ficheiro para o leitor MP3 para ouvir

posteriormente, em ocasião mais conveniente.

3. Para Pais e Encarregados de Educação

Qual a necessidade?

O que fazer com os filhos ao final de semana ou um revivalismo do

passado, são factores fundamentais para escutar a emissão.

Quais as acções?

a. No horário de deslocações no trânsito, trajecto casa-trabalho-

casa, em alternância com a programação infanto-juvenil, passarão

ideias de actividades que poderão ser feitas entre Pais e Filhos:


Ideias de fins-de-semana, eventos ou até mesmo passeios

temáticos;

b. Passagem de algumas músicas que apelam ao revivalismo e

memórias de infância:

Não só o facto de “mostrar aos filhos como era no seu tempo”,

mas também a recordação de tempos passados.


E agora!
Em que prato vamos servir isto?

Não cabe neste! Este quase que dava…

Hum… Muito grande! Este é para outras sopas!


Ora nem mais, é mesmo neste!
E que bem que ficam todos na mesa!

Target
6 -18 Anos

O projecto Geração FM

Geração FM será a nova rádio do Grupo Renascença, dirigida a um target

entre os 6 e os 18 anos, que visa não só corresponder às actuais

necessidades do mesmo, visto que não é abrangido por qualquer

emissora, mas também a Pais e Encarregados de Educação preocupados

com o entretenimento e desenvolvimento pedagógico dos seus filhos.

Focada nas actuais tendências de mercado, tendo o nosso enfoque sido

no Imediato (Now), Mudança de Media (Media Changing) e Regressão à

Infância (Down-Aging), a Geração FM terá o desafio de superar as

expectativas de um target exigente e de um outro, que de forma


implícita, está presente: os Pais dos ouvintes, que também se

transformarão em ouvintes.

Será um rádio com uma programação e abordagem diferenciada, a qual

passamos a apresentar:

Em suma, a Geração FM tem um target perfeitamente identificado, uma

oferta diferenciadora no mercado, com uma clara aposta na inovação e

exploração de conceitos e tendências actuais e de futuro. A nosso ver,

pode ser perfeitamente encarada como uma “porta de entrada” de

ouvintes para o Grupo Renascença, encarando os mesmos como parte

integrante de um lifetime value adaptado a este tipo de serviço, ou seja,

o mesmo ouvinte permanecerá fidelizado ao Grupo em todas as fases da

sua vida, mudando de estação emissora conforme o avanço etário.

A Imagem Geração FM

Pretendeu-se com o esboço de uma possível imagem e mais uma vez

após analisar alguns estudos, criar uma imagem com que o público alvo

se identificasse, dinâmica, positiva, forte mas acima de tudo muito

jovem, que criasse interacção não apenas com o público alvo directo

mas também com os que pretendem reviver a juventude. Verde e Preto

são as cores que transmitem aos jovens mais Positivismo e Confiança

respectivamente, segundo os estudos analisados.


E agora a sobremesa.
Proposta para a imagem do site da Geração FM
Anexo A

Estudo Kaiser Family Foundation6

6
Kaiser Family Foundation in “Generation M2: Media in the Lives of 8- to 18-Year-Olds”
Total de exposição aos media num dia típico

Uso efectivo dos media e multitasking


Meios de media mais utilizados enquanto em multitasking

Utilização do telemóvel VS outros media


Distribuição do tempo consumido em cada tipo de media em

cada dia

Percentagem do tempo utilizado a ouvir musica em:


Percentagem que declara ter regras dos pais quanto à

utilização de:
Anexo B

Os media e os adolescentes7(Estudo Morgan Stanley)

Matthew Robson aos 15 anos tornou-se tema de conversa e estudo para

muitos gestores e investidores no Reino Unido. O motivo foi um estudo

da autoria de Morgan Stanley sobre a relação dos adolescentes com os

media e as novas tecnologias, em que o jovem Matthew foi

protagonista. Um facto ressalta neste estudo (que não deveria

surpreender ninguém), os adolescentes consomem mais do que podem

pagar ou querem pagar e, grande revelação (esta sim), não gostam do

Twitter:

7
Fonte: Morgan Stanley Research Europe in “Media & Internet How Teenagers Consume Media”
Principais conclusões do estudo agrupadas por canal:

1) Televisão

O futebol e as séries são os programas mais procurados. No entanto,

são muito selectivos e apenas seguem na televisão as principais.

Mostram-se adeptos da TV sem anúncios.

2) Imprensa

Não têm tempo nem paciência para ler jornais devido à sua dimensão e

preço. Preferem optar pelos resumos na internet. Os jornais gratuitos

são a única excepção.

3) Rádio

Os jovens afastam-se cada vez mais das rádios devido às playlists

escolhidas por outros e bastante repetitivas. Preferem optar pelos sites

de internet que permitem a criação de um perfil único para cada

utilizador.

4) Jogos

Segundo este estudo, os jogos para PC perdem claramente para as

consolas. Dificuldades de instalação e facilidades em piratear são os

principais argumentos.
5) Marketing

Pop-ups e banners nos sites e formatos tradicionais como os outdoors

são quase sempre ignorados. Apenas o marketing viral é bem acolhido,

graças ao humor que normalmente é a base destas campanhas.

6) Música

A maioria dos adolescentes recusam-se a pagar pela música. A

esmagadora maioria faz downloads ilegais e considera excessivo o

preço praticado por sites como o iTunes (0,99 euros por uma música).

7) Cinema

Têm o hábito de ir ao cinema não pelo filme em si, mas pela experiência

de ir com os amigos. Ao contrário da música, o download ilegal de

filmes não acolhe muitos adeptos, visto a sua qualidade ser

normalmente muito duvidosa.

8) Internet

O autor do estudo considera que o Twitter é apenas uma moda, uma vez

que os jovens criam as suas contas mas não as actualizam. Não vêem

nenhuma mais-valia na sua utilização. Preferem os telemóveis para

escrever mensagens curtas e dá-las a conhecer aos seus amigos. Por

outro lado, o Facebook tem uma maior importância, uma vez que quase

todos os jovens têm a sua própria página que é visitada cerca de quatro

vezes por semana.