You are on page 1of 251

Curso de Graduação em Engenharia Mecânica

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5
Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia
Departamento de Engenharia Mecânica

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

Este material foi desenvolvido pelo Prof. João Pimenta,
para aulas na disciplina obrigatória de graduação em
engenharia mecânica Instalações Termomecânicas I (Ar
condicionado).

Para fazer referência a este material, por favor utilize o
seguinte :
PIMENTA, João. Ar Condicionado: Cálculo de Carga Térmica.
Julho a Dezembro de 2009. 237 slides. Notas de Aula.
Apresentação MS PowerPoint.

Críticas, comentários, sugestões, etc. para
pimenta@unb.br
Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia
ENM - Departamento de Engenharia Mecânica
Brasília, Setembro-2009

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

Conteúdo
1. Introdução
2. Métodos de Cálculo de Carga Térmica
3. Noções de Radiação Solar
4. Ganho de Calor por Superfícies Transparentes
5. Ganho de Calor por Superfícies Opacas
6. Ganho de Calor Devido a Geração Interna
7. Ganho de Calor Devido a Ventilação e Infiltração
8. Exemplo de Cálculo
Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

1

Introdução

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

1. Introdução

Como dimensionar a
capacidade de refrigeração
necessária do sistema de ar
condicionado 

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

alibaba.uk/napierlife/accommodation/PublishingImages/Bedroom%20with%20PC.168050 . 9000.jpg http://www.com/photo/11779623/Window_Air_Conditioner.. BTU/h http://www. Cálculo de Carga Térmica Prof. 12000..com/blog/wp-content/uploads/q-man-thinking-41.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Introdução 6000.napier.ac.jpg 1.gif ??? Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.mattwardman. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.. João Pimenta http://img.unb..br .

. 500.gif ??? Universidade de Brasília.br .html 1.com/photos/architecture/building-sky. TR http://www.. Cálculo de Carga Térmica Prof.ristfrost.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . Introdução 100.. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.mattwardman. João Pimenta http://www.unb. 1000.com/blog/wp-content/uploads/q-man-thinking-41. 2000.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.jpg http://paularmstrongdesigns. 250.com/img/chiller.

Introdução As condições climáticas externas e a radiação solar se combinam para produzir uma carga térmica de resfriamento (ou aquecimento) que é transferida através da envoltória/envelope da edificação. http://www. cargas internas. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.gsa.gov/cic_text/housing/coolyourhome/solargains.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof. Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 . ar de ventilação e infiltrações contribuem para definir uma carga térmica de resfriamento.unb.br . João Pimenta 1.gif Além disso.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.pueblo.

O cálculo de carga térmica provê a informação básica para a seleção de um sistema de ar condicionado e seus componentes.. móveis. teto. decoração. João Pimenta 1.br . Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. piso.  Do potencial resultante da diferença entre condições internas e externas. Introdução A grandeza dessa carga térmica depende basicamente. infiltração.  Das características de paredes.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb. etc.

168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof. Introdução A análise da carga térmica quando do projeto de uma edificação pode ser útil na obtenção de uma solução construtiva ótima que minimize a carga térmica e por conseguinte o consumo de energia. João Pimenta 1. Projeto Arquitetônico Cálculo de Carga Térmica Análise Melhoramentos possíveis Universidade de Brasília.unb.br .laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 1. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .unb. Introdução Que tipos de ganhos de calor devemos distinguir  Universidade de Brasília.

Carga Térmica Extração de Calor Convecção (com atraso)  Swing Universidade de Brasília. • Carga térmica de resfriamento (ou aquecimento).br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb. • Extração (ou adição) de calor. Estrutura. etc. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 . Ganho de Calor Convecção Radiação Mobília. 3 taxas distintas de transferência de calor inter-relacionadas estão em jogo: • Ganho (ou perda) de calor. Introdução No projeto de uma aplicação de ar condicionado. João Pimenta 1. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

ocupantes.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .br .unb. Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 1. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. A “entrada” de calor se dá a partir das superfícies expostas ao meio externo. etc. equipamentos e infiltração. Ganho de Calor Convecção Radiação Mobília. Esse ganho pode ser tanto sensível quanto latente.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Introdução • Ganho de calor: Taxa instantânea segundo a qual o “entra” ou é gerado no espaço. Estrutura. iluminação. Carga Térmica Extração de Calor Convecção (com atraso)  Swing Universidade de Brasília.

laar. etc. João Pimenta 1. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof. Ganho de Calor Convecção Radiação Mobília.br .168050 . Introdução • Carga Térmica: Taxa segundo a qual calor deve ser removido do espaço para manter a temperatura do ar constante.unb. A carga térmica total de resfriamento sensível é geralmente menor que o ganho de calor instantâneo → a capacidade do equipamento de AC é menor que a indicada pelo ganho de calor. Carga Térmica Extração de Calor Convecção (com atraso)  Swing Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Estrutura.

laar. Ganho de Calor Convecção Radiação Mobília.br . Carga Térmica Extração de Calor Convecção (com atraso)  Swing Universidade de Brasília. etc.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Introdução • Taxa de Extração de Calor: Taxa segundo a qual o calor é removido do espaço condicionado → iguala a carga térmica apenas se a temperatura do ar é mantida constante. Em conjunto com a operação intermitente do equipamento o sistema de controle usualmente permite uma pequena variação cíclica (ou swing) na temperatura do ar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 1. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb. Estrutura.

João Pimenta 2 Métodos de Cálculo de Carga Térmica Universidade de Brasília.unb.168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof. Tal procedimento é por vezes denominado “a solução exata” Universidade de Brasília.unb. convecção e radiação superfície-por-superfície para cada local bem como um balanço de calor convectivo para o ar.br . João Pimenta 2. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Fundamentos do Balanço de Calor (Heat Balance Fundamentals) A estimativa da carga térmica para um recinto envolve o cálculo do balanço de calor na condução. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar.

com ar de infiltração e ventilação e fontes internas normais. paredes e janelas vizinhas.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Fundamentos do Balanço de Calor (Heat Balance Fundamentals) O cálculo da carga térmica dessa forma é laborioso e envolve equações de balanço para o ar. Universidade de Brasília. João Pimenta 2. ar de infiltração e ventilação e fontes de energia interna.168050 . vamos considerar uma sala simples com quatro paredes. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb.br . um teto. Para demonstrar o principio de cálculo. um piso.laar.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb.br . Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta Universidade de Brasília.168050 .

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.br .  Ai  RS i .  ti . João Pimenta 2.  RE i .  RLi . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. m    hci t a .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. j 1.  ti .unb.    g ij t j .168050 . Métodos de Cálculo de Carga Térmica Fundamentos do Balanço de Calor (Heat Balance Fundamentals) A equação que governa a troca instantânea de calor em cada face interna é. j  i   (1) Universidade de Brasília. qi .

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. absorvido pela superf.5.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. interna j Ai  área da superficie i RS i .unb.laar.  taxa de radiação solar de janelas.  ti . j  i   (1) qi . absorv.  temperatur a interna do ar no instante  t i .  tempertura média da superf.br . i no instante  RE i . m    hci t a .  RLi .168050 .  ti . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.4. i no instante  m  número de superficie s da sala (6 neste caso) i  1. radiante entre a superf. interna i e a superf.6 m  Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Fundamentos do Balanço de Calor (Heat Balance Fundamentals) qi . j 1.  Ai  RS i . interna j no instante  g ij  fator de transf.  taxa de calor conduzido no tempo  na face da superficie i hci  coeficient e convectivo na face interna da parede i t a . João Pimenta 2.  temperatur a média da superf. i no instante  t j . absorvida pela superf.  taxa de rdiação de lampadas. e ocupantes.  taxa de radiação de equip.3.  RE i .    g ij t j .2. pela superf. i no instante  RL i .

João Pimenta 2.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.  m 1   Z k . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração m 1 www.  m m 1 m 1 Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof.   Yk . Métodos de Cálculo de Carga Térmica Fundamentos do Balanço de Calor (Heat Balance Fundamentals) As trocas de calor no interior do recinto afetam a condução de calor através de suas paredes.unb. as seis equações formadas a partir da Eq. m tin.168050 . m to . Tipicamente tais equações são formuladas em termos de funções de transferência da condução (conduction transfer functions) na forma: M M M qin.br (2) . (1) tem de ser resolvidas simultaneamente com a equação governante da condução nas 6 paredes.  m 1   Fm qin. Assim.

laar.168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof. m tin. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. m to . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.  m m 1 m 1 (2) m 1 q  taxa de calor conduzidop ara uma superficie num instante  in  superficie interna k  ordem da CTF (cooling transfer function) m  índice da variável temporal M  número de valores não nulos da CTF o  lado externo   tempo x  valores exteriores de CTF Y  valores transvers ais de CTF Z  valores interiores de CTF Fm  coeficient es históricos de fluxo (taxa de fluxo de calor) Universidade de Brasília. João Pimenta 2.  m 1   Fm qin. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Fundamentos do Balanço de Calor (Heat Balance Fundamentals) M M M qin.unb.br .   Yk .  m 1   Z k .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

é necessário representar um balanço de energia para o ar no recinto.  t a . Métodos de Cálculo de Carga Térmica Fundamentos do Balanço de Calor (Heat Balance Fundamentals) As temperatura internas ti .i ti .  t a .  Ai  CVL . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração (3) www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.  RL a . João Pimenta 2.    i 1   RS a .  RE a .   hc . na Eq. to .br . resolvendo simultaneamente a seguinte equação m    QL . Universidade de Brasília.168050 . (1) e uma solução simultânea. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.  t a .laar. tin. tV .   CVV .unb. na Eq. (2) requerem Além disso.

  vzão volumétri ca de ar infiltrado na sala no instante  t o . e ocupantes.  RE a .  t a .  RL a . Cálculo de Carga Térmica Prof.  temperatur a externa do ar no instante  VV . convectada ao ar no instante  RL i .168050 .i ti .  vazão volumétri ca de ar de ventilaçã o no instante  tV . to . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. tV . convectada ao ar no instante  RE i . (3)   densidade do ar C  calor específico do ar VL .laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.  t a .  Ai  CVL . Métodos de Cálculo de Carga Térmica Fundamentos do Balanço de Calor (Heat Balance Fundamentals) m  QL .  t a .  taxa de radiação de lampadas.  temperatur a do ar de ventilaçã o no instante  RS i .   CVV .   hc .    i 1   RS a . convectada ao ar no instante  Universidade de Brasília.  taxa de radiação solar de janelas. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.  taxa de radiação de equip.br .unb. João Pimenta 2.

laar. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Metodologias de Cálculo As seguintes metodologias de cálculo podem ser usadas no cálculo da carga térmica: Método da TFM (da função de transferência) TFM → Transfer Function Method. João Pimenta 2.unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.br . TFM Método TETD/TA TETD → Total Equivalent Temperature Difference TA → Time Averaging Método CLTD/SCL/CLF CLTD → Cooling Load Temperature Difference SCL → Solar Cooling Load CLF → Cooling Load Factor Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

168050 . Métodos de Cálculo de Carga Térmica Metodologias de Cálculo: Método da Função de Transferência É o procedimento de cálculo que mais se aproxima do conceito do balanço de calor. Desenvolve-se num cálculo hora-a-hora par simular o uso anual de energia. João Pimenta 2.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Requer uma aplicação computacional em dois passos: 1) estabelecer o ganho de calor de todas as fontes. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.unb. Cálculo de Carga Térmica Prof.br . e 2) determinar a conversão desse ganho de calor em carga térmica. Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

A necessidade de alternativa mais simples que o balanço de calor. RTS) para converter o ganho de calor por radiação em carga térmica de resfriamento (ASHRAE.168050 . 2) carga térmica. conduziu ao estudo de coeficientes de séries radiantes temporais (Radiant Time Series. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof. usando valores totais equivalentes diferenciais de temperatura e uma média temporal para calcular cargas térmicas. João Pimenta 2.laar.unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. 1997) Universidade de Brasília. A falta de validação científica do processo de média temporal nesse método levou a suspensão de um maior desenvolvimento.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Requer uma solução computacional em dois passos: 1) definição do ganho de calor e. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Metodologias de Cálculo: TETD/TA Alternativa mais simples ao balanço de calor.

laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof. Faz uso dos seguintes fatores: CLTD (cooling load temperature differences). Universidade de Brasília.168050 . aplicável a certos tipos de edifícios. João Pimenta 2.br . SCL (solar cooling load) e CLF (cooling load factor) para calcular cargas de resfriamento aproximadas ao TFM. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Metodologias de Cálculo: CLTD/SCL/CLF Trata-se de uma versão simplificada do TFM.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

br .168050 . Métodos de Cálculo de Carga Térmica Metodologias de Cálculo: CLTD/SCL/CLF Os valores de CLTD. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Universidade de Brasília.laar. SCL e CLF incluem o efeito da (1) defasagem temporal no ganho condutivo através de paredes e (2) defasagem temporal devido a acumulação térmica na conversão do ganho radiante para a carga térmica. João Pimenta 2.unb. tornando este método popular. Tal simplificação permite o cálculo manual da carga térmica com resultados consistentes com o TFM.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br . João Pimenta 2. Cálculo de Carga Térmica Prof. Estrutura. por condução) Ganho de Calor Convecção Radiação Mobília. CLTD/SCL/CLF TETD Função de transf.168050 .unb. do espaço de ar TA TFM (Função de transf. Carga Térmica Extração de Calor Convecção (com atraso)  Swing Universidade de Brasília. Métodos de Cálculo de Carga Térmica A abordagem dos métodos descritos pode agora ser apreciada em relação aos distintos ganhos de calor conforme a figura abaixo.laar. etc.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

unb. Métodos de Cálculo de Carga Térmica ABNT/CB-55 Projeto 55. João Pimenta 2.002. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 2. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.unb. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Qual a informação básica requerida para iniciar um cálculo de carga térmica Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br .

unb. cores e formas de superfícies externas.br . velocidade e direção dos ventos. Condições externas de projeto Temperaturas. materiais.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. dimensões. ventos predominantes. A adequação de tal estimativa será tão melhor quanto mais completas e precisas forem as informações obtidas. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Informação necessária para o cálculo de carga térmica Para uma estimativa adequada de carga térmica é antes necessário reunir uma série de informações sobre o edifício.168050 . cortinas. vedações (→ afeta infiltração) etc. Características do edifício Localização. umidade. sombreamento de elementos adjacentes. Cálculo de Carga Térmica Prof. construção de paredes.laar. João Pimenta 2. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Universidade de Brasília. brises. tipos de vidros. etc. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. orientação.

Cálculo de Carga Térmica Prof.br .. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Informação necessária para o cálculo de carga térmica Condições internas de projeto Variáveis de conforto a manter nos ambientes. Períodos de funcionamento. etc.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. diferentes dias e horas devem ser considerados para determinar a carga térmica de pico. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Variações permissíveis e limites. ocupantes.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 . Agendamento Programação de uso da iluminação. dia e mes do ano para o cálculo de carga térmica. Com frequencia.laar. equipamentos internos. contribuindo para a carga interna. Universidade de Brasília. João Pimenta 2. Taxas de ventilação. Data e Hora Selecionar a hora.

João Pimenta 2.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Que resultados são obtidos do cálculo de carga térmica Universidade de Brasília.unb.br . Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

zona ou grupo de zonas. As cargas térmicas calculadas devem ser separadas em seus componentes sensível e latente para cada sala ou espaço de tal forma que espaços com resultados similares sejam agrupados numa mesma zona.unb. Tal resultado deve ser preciso o suficiente para permitir uma seleção adequada do equipamento de ar condicionado. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br . Universidade de Brasília.168050 .laar. João Pimenta 2. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Métodos de Cálculo de Carga Térmica Resultados do cálculo de carga térmica O resultado do cálculo de carga térmica baseado nos dados de entrada descritos é a carga térmica total (resfriamento ou aquecimento) para um recinto.

Métodos de Cálculo de Carga Térmica ABNT/CB-55 Projeto 55.002.br . Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 2.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar.03-001/1 (Fev 2008) Próximo slide Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb.

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

2. Métodos de Cálculo de Carga Térmica

ABNT/CB-55 Projeto 55.002.03-001/1 (Fev 2008)

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

2. Métodos de Cálculo de Carga Térmica

Resultados do cálculo de carga térmica

Exemplo de Resultado

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

3

Noções sobre o Cálculo da
Radiação Solar Incidente

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

3. Noções de Radiação Solar

Noções sobre o cálculo da radiação solar.
Entre os ganhos de calor externos a radiação solar tem influencia
significativa para a carga térmica, segundo dois componentes:
Radiação solar sobre superfícies transparentes
Radiação solar sobre superfícies opacas

A irradiação solar (It, ) que incide sobre uma superfície na Terra,
segundo um ângulo , pode ser calculada por,

I t ,  I DN cos   I d  I r
I DN  componente direto
I DN  componente difuso

(4)

W/m2

I r  componente refletido de ondas curtas
Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

3. Noções de Radiação Solar

Noções sobre o cálculo da radiação solar.

I≈1200 W/m2

IDN

Id+Ir
Terra
Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

Como vemos.laar. Universidade de Brasília.br . Cálculo de Carga Térmica Prof. . Constante solar: Valor de referência = 1367 W/m2 (1224 kcal/hm2) I t . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Id e Ir. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 3.  I DN cos   I d  I r Na superfície da Terra It.unb.168050 . Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar. para calcular o fluxo de calor total incidindo sobre uma superfície na Terra é necessário obter os componentes IDN. raramente excede 950 W/m2.

br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 3. é definida em termos do ângulo de altitude solar () e do ângulo de azimute solar ().Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Universidade de Brasília. Orientação da superfície. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. O conhecimento preciso de  depende basicamente de: Posição aparente do sol no céu.laar.unb. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 . A posição aparente do Sol no céu.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. juntamente com a orientação da superfície. Cálculo de Carga Térmica Prof. que. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Universidade de Brasília.laar. João Pimenta 3. e.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb. Dia do ano. Os valores de  e  por sua vez variam de acordo com: Hora do dia.168050 . devem ser computadas para finalmente obter o ângulo de incidência.br . Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. Latitude (localização geográfica).

47º Solstício de Inverno  = -23.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 3. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. Equinócio de Primavera  = 0º Solstício de Verão  = 23. Cálculo de Carga Térmica Prof.unb.168050 .47º Equinócio deOutono  = 0º Universidade de Brasília.br . A influência do dia do ano deve-se ao movimento de translação da Terra em torno do Sol que causa a variação do ângulo de declinação  diariamente.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof.25 Em radianos →   23. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 . João Pimenta 3.25  (5) (5b) onde “n” é o dia do ano (1/Jan → n=1.unb.br . 31/Dez → n=365) Universidade de Brasília. A variação diária do ângulo de declinação  pode ser obtida de. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.45 sin 360284  n  365.   23.45   284  n   sin 2   180   365.

Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 3.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. Universidade de Brasília.laar.168050 .unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br .

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. apparent solar time) dado por. João Pimenta 3. AST  LST  EoT  4 min LSTMeridiano  Long local  Universidade de Brasília. A influência da hora do dia é expressa em termos do ângulo horário (H) definido como.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof. Diferença de horas entre o meio dia solar H= ( ( ) ) X 15º Diferença de minutos /4 entre o meio dia solar (6) 1 rotação da Terra → 24 horas → 360º  360º / 24 horas  15º /hora 1 rotação da Terra → 24 x 60 minutos → 360º  360º / 24x60  1º / 4 min No cálculo do ângulo horário (H) deve-se empregar o temo solar aparente (AST.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração (7) www.168050 .unb.

João Pimenta 3.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. AST  LST  EoT  4 min LSTMeridiano  Long local  (7) onde. LST  tempo padrão local EoT  Equação de tempo (equation of time) LSTMeridiano  longitude do meridiano que afeta a zona de fuso horário local Long local  longitude precisa do local de observação Valor em minutos que representa o montante segundo o qual o tempo solar (relógio de sol) transcorre mais rápido ou mais devagar que o LST (tabelas 1 e 2) Universidade de Brasília. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência.br .unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.

Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 3.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .laar. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

976  sin t   595.25  cos3t  onde. (8) t  279.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Essa variação pode ser calculada de acordo com Carruthers.6858  sin 3t   12. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.985647 * DiaAno  Universidade de Brasília.847  cost    12.laar.0323-100.5024  cos2t   18.134  0.unb.275  sin 2t    3. A Equação de Tempo (EoT.47  sin 4t   430. fazendo com que o tempo solar aparente (tal como seria indicado num relógio solar) varie ligeiramente com respeito ao tempo médio obtido de um relógio funcionando numa taxa constante. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. Eot  5.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 3. Cálculo de Carga Térmica Prof. Equation of time) tem em conta que a velocidade orbital da Terra varia ao longo do ano.

laar.br . Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 3. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. EoT Universidade de Brasília.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta Zonas de Tempo Padrão (Fusos Horarios) Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .unb.laar.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta Universidade de Brasília.168050 .

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .unb. João Pimenta Universidade de Brasília.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.

unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. temos.3 min  12 min   10 : 00  13..laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.22 h Finalmente. temos. H  12. Da equação (7). da carta de fusos horários é: LSTMeridiano.. Então. BSB  450 A longitude de Brasília fornece. AST  LST  EoT  4 min LSTMeridiano  Long local  Dia 12/Abril é o dia N=102. o valor de H será.3 min  4 min 45  48  10 : 00  1.3 min O valor de LSTMeridino para Brasília. Noções de Radiação Solar Exemplo: Determine AST e H em Brasília as 10:00 LST do dia 12/Abril. Cálculo de Carga Térmica Prof.3 min  10 : 13.7 0 leste Universidade de Brasília.22  15 0  26.3  10.0  10. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . AST  10 : 00  1. João Pimenta 3. Long local  47 055'  48 0 Então. da equação (7). EoT  1.168050 .

168050 . e.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. cos . Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. Os ângulos que definem a posição aparente do sol no céu podem então ser calculados por. sin   cosLat . João Pimenta 3.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. sin   (9) sin   cos . sin H  cos  (10) Universidade de Brasília.unb. cosH   sin LAT . Cálculo de Carga Térmica Prof.

Para tal precisamos definir Lat.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.30 Assim. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.   23.30 .7 0  sin 16 0 .           sin   cos 16 0 . cos 26. João Pimenta 3.70 Leste) A latitude de Brasília é 15052’. Noções de Radiação Solar Exemplo: Determine a posição aparente do Sol no céu de Brasília às 10:00 LST do dia 12/Abril. sin H  cos  Universidade de Brasília.45 sin 360284  111 365  8.168050 . da Eq (5) a declinação vale. Cálculo de Carga Térmica Prof. sin 8.laar.unb.  e H (do exemplo anterior H=26. Devemos calcular os ângulos  e  segundo as Eqs (9) e (10). Dia 12/Abril é o dia N=111 então.br . cos 8.30 sin   cos . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

laar. João Pimenta 3.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. temos simplesmente.   90 o   (11)  Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof.br . Uma vez conhecida a posição relativa do Sol no céu. a determinação do ângulo de incidência da radiação solar () depende apenas do posicionamento da superfície. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Para uma superfície horizontal.168050 . Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

br . Cálculo de Carga Térmica Prof.  V  cos  .  Azimute superfície-sol.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 3.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração E www. é necessário conhecer a orientação da mesma de acordo com os seguintes ângulos: Azimute de superfície. Para uma superfície vertical porém. cos   W (12) N    S  Universidade de Brasília. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência.laar.

Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. a tarde =+ Se a superfície está voltada para SO. João Pimenta 3.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. =0 e = Se a superfície está voltada para SE. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. a tarde =-  varia com  Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br .168050 . pela manhã =+ Se a superfície está voltada para SO.unb.laar. pela manhã =- Se a superfície está voltada para SE. Deve-se notar que: Se a superfície está voltada para o sul.

br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 3. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 . a tarde =+ Norte Oeste      Leste Sul Universidade de Brasília. Noções de Radiação Solar Superfície vertical voltada para SE.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb.

Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Ângulo de incidência. João Pimenta 3.br .unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração (12) www.laar. cos  Universidade de Brasília. cos  sin    sin  .168050 . Para uma superfície inclinada de um ângulo  temos. cos   cos . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

ao nível do mar.laar.br . difusa (Id) e refletida (Ir). sobre a superfície da Terra é dada por (Stephenson. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Radiação direta (IDN) Conhecido o ângulo de incidência resta determinar os valores da intensidade da radiação direta (IDN). a irradiação solar direta (IDN). 1967) I DN  B    A. Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. exp   sin    (12) A e B  constantes da tabela 1 (variação sazonal da distancia Terra-Sol e o vapor d’água na atmosfera. João Pimenta 3. Para céu limpo.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . A seguir é apresentado um gráfico da variação de IDN e Id em função da época do ano (hemisfério norte) e da altitude solar.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Irradiação [W/m2] Prof.unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta Universidade de Brasília.168050 .laar.br .

I DN . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração (15) www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .br . I d  C .unb.laar. I d  C .FSS (13) onde C representa um índice de limpidez do céu (clearness number – Tabela 1) dado pela razão entre a radiação difusa e a radiação normal direta sobre uma superfície horizontal e radiação. pode ser calculada através de.I DN . Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Radiação difusa (Id) A radiação difusa (Id) por sua vez. João Pimenta 3. Cálculo de Carga Térmica Prof.FSS (14) e FSS é um fator angular entre a superfície e o céu FSS  1  cos   2 Universidade de Brasília.

33 Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.21 ~ 0.unb.87  função de  → =0.168050 . I TH  irradiação horizontal total  g  refletivid ade do solo Fsg  fator angular entre a superfície e o solo  1  cos   2 Neve fresca Concreto → =0.br .laar. Noções de Radiação Solar Noções sobre o cálculo da radiação solar: Radiação refletida (Ir) A irradiação refletida (Ir) por fim. I r  I TH .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. g Fsg (16) onde. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 3. pode ser calculada pela seguinte equação.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. João Pimenta Universidade de Brasília.168050 .

João Pimenta 4 Ganho de Calor por Superfícies Transparentes Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br .laar.

Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar.168050 . João Pimenta 4.unb. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Como calcular o ganho de calor através de superfícies transparentes Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração ti www. através de uma janela 4.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb. João Pimenta Que fatores afetam o ganho de calor para o ambiente. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes qvidro = ? to Universidade de Brasília.168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes qRCi qS qR to qT ti Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração ti www.unb. João Pimenta Et qRCo  to 4. Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar.br .168050 .

laar. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes qRCo qRCi to Et  ti qS qR qT Universidade de Brasília. João Pimenta 4.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .unb.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 4. absorvida () e refletida ().168050 .     1 (17) sendo os valores de .unb. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes A radiação solar incidente sobre uma superfície transparente é parcialmente transmitida (). Cálculo de Carga Térmica Prof.  e  dependentes do comprimento de onda e direção da radiação incidente. difusa e total para atmosfera padrão com massa de ar = 1.br .laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.5 Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Radiação direta.

br .au/theory.laar.168050 .com. Cálculo de Carga Térmica Prof.shtml Universidade de Brasília. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes http://www. João Pimenta 4. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.diydoubleglaze.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . João Pimenta 4.168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Variação de .laar.  e  com o ângulo de incidência (direção) Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb.

laar.br . Universidade de Brasília. João Pimenta 4.unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Variação de  com o comprimento de onda. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .unb. Cálculo de Carga Térmica Prof. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Variação de  com o comprimento de onda. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 4.br .

168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. um balanço de energia por unidade de área fornece.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br . Et  U t 0  ti   q R  q S  qT  q RCo  q RCi Et qRCo  to (18) qRCi qS qR Universidade de Brasília. João Pimenta 4. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Num dado instante. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração qT ti www.

Et  U t 0  ti   q R  q S  qT  q RCo  q RCi (18) onde. respect. Et  irradiação solar incidente U  coeficient e global de transf. respect. ti  temperatur as do ar externo e interno.laar. Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. um balanço de energia por unidade de área fornece. q R .168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Observa-se em geral que qS é relativamente reduzido e pode ser desprezado. q RCo . João Pimenta 4. q S . q RCi  fluxos de calor externo e interno devido a radiação e convecção. de calor entre ar exterior e interior t 0 . Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Num dado instante.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. qT  calor refletido. Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. arazenado e transmiti do.br . respect.

laar. João Pimenta 4.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. q A  E DD  E dd  q RCi Calor total admitido através do vidro Radiação transmitida através do vidro (18) Calor transmitido por convecção e radiação entre a face interna e o ar interior onde.unb. Cálculo de Carga Térmica Prof. a taxa total instantânea de ganho de calor através do vidro pode também ser expressa como.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. D  radiação direta   porção transmiti da d  radiação difusa Universidade de Brasília. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Por outro lado.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Para uma janela de vitragem simples (1 placa de vidro) temos. João Pimenta 4. Universidade de Brasília.unb. q A  Et  N i  Et   U t 0  ti  (19) onde Ni é a fração da radiação absorvida.168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. transferida ao ambiente.

br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 4. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Para uma vitragem dupla. uma transmissividade média é definida por.168050 . i 1   2  3  Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.    0 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração (20) www.unb.

(19) e (20) temos. João Pimenta 4. Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Combinando as Eqs. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. q A  SHGC .168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br . q A  Et  N j 0  E 0   N i  Ei   U t 0  ti  (21) que é reescrita na forma.laar.unb.Et  U t 0  ti  Taxa instantânea de calor admitido [W/m2] (22) Solar Heat Gain Coefficient Razão entre ganhos solares e radiação incidente Universidade de Brasília.

Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes q A  SHGC .br . SHGC    U 0 h0  U 0 h0   U hs  i Universidade de Brasília.168050 .Et  U t 0  ti  (22) O coeficiente de ganho solar SHGC é característico de cada tipo de sistema e varia com o ângulo de incidência  pois  e  dependem de . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração (24) www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar.unb. SHGC    U h0 (23) Para uma vitragem dupla. João Pimenta 4. Cálculo de Carga Térmica Prof. Para uma vitragem simples.

laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .br .unb. João Pimenta 4. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes http://buildingindustry. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.org/web/solar-heat-gain-coefficient Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.

Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar.unb. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Universidade de Brasília. João Pimenta 4.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

etc. O ganho do sistema é medido nas mesmas condições. João Pimenta 4.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. SC  SHGC  test ganho de calor solar do sistema  ganho de calor solar de referência SHGC  ref (23) O ganho de referencia diz respeito a uma placa de vidro com =0. definimos ainda um coeficiente de sombreamento (Shading Coefficient. Cálculo de Carga Térmica Prof. A tabela a seguir fornece valores típicos para SC. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.08 com =0. em condições bem definidas. SC) é definido como.86 =0.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Além disso. cortinas. Os valores de SC devem ainda considerar a influencia de dispositivos de sombreamento internos como persianas.br .168050 . Universidade de Brasília.laar.06 e =0.

. João Pimenta 4.168050 . Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Valores típicos para SC (Stoecker e Jones.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.).Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. 198. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.unb.. Universidade de Brasília.

168050 . João Pimenta 4. Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. q A  SC.br .. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Universidade de Brasília. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Finalmente.unb. calculando-se o ganho instantâneo através do vidro por. 198. um fator de ganho solar direto-difuso combinado SHGC é obtido..laar.SHGC  U t0  ti  (24) A tabela a seguir apresenta valores máximos de SHGF para vidro ao sol (Stoecker e Jones.).

.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. 198.). Cálculo de Carga Térmica Prof.unb.br . Universidade de Brasília.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. João Pimenta 4.. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes Valores máximos de SHGF para vidro ao sol (Stoecker e Jones.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.br .unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 5 Ganho de Calor por Superfícies Opacas Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

4. Ganhos de Calor por Superfícies Transparentes

Como calcular o ganho
de calor através de uma
parede
http://gmethod.blogspot.com/2007_01_01_archive.html

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas

Neste caso, a transmissividade é nula (=0) assim, temos,

   1

(25)

Desprezando então a parcela refletida, com base na Eq.(20),
temos,

U w
qw 
Et  U w t0  ti 
h0

Parcela
Absorvida

(26)
Parcela
Transmitida

que pode ser re-escrita como,


E
qw  U w A t0  t
h0


 
  ti 
 

(26)

Temperatura ar-sol, Te

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas


E
qw  U w A t0  t
h0


 
  ti 
 

(26)

Temperatura ar-sol, Te

q w  U w At e  ti 

(27)

Temperatura ar-sol: Definição

Temperatura do ar exterior que, na ausência de qualquer carga
radiante, fornece a mesma taxa de transferência de calor para o
ambiente que seria resultante da combinação da radiação solar
incidente, trocas radiantes com céu/superfícies e trocas convectivas.

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas

Temperatura oC

O efeito do armazenamento térmico em uma parede pode ser
significativo, resultando numa estimativa exagerada da carga
térmica se considerarmos simplesmente a diferença de
temperatura (te-ti)

Temperatura Externa

Fluxo de Calor W/m2

Parede Estrutural
(Massa Menor)

Parede de Tijolo
(Massa Maior)

0

4

8

12

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

16

20

24

www.laar.unb.br

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 5.laar.unb. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Universidade de Brasília.br .168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

a CLTD deve ser corrigida fazendo.br . Com isso. q w  U w . t o  29 o C . faz-se uso de uma “diferença de temperatura de carga térmica”. t o . A. CLTDcorr  CLTD  25  ti   t o  29  Universidade de Brasília.unb. to . João Pimenta 5. CLTD. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração (28b) www. a Eq. Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar.168050 .max  35o C .dia  12 o C Se ti e to diferem desses valores. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Para ter em conta a inércia térmica da parede. (27) é re-escrita como. CLTD (28) Os valores de CLTD são obtidos de tabelas como as mostradas a seguir. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. que são válidas nas seguintes condições gerais: ti  25o C .

Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Universidade de Brasília.br . Ganhos de Calor por Superfícies Opacas CLTD para telhados planos com e sem forro.laar.unb.

168050 . João Pimenta 5.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas CLTD para paredes.

. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas CLTD para paredes.168050 .br . Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.unb. Universidade de Brasília. Algumas análises desses valores .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

br . João Pimenta 5.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas CLTD para paredes. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Conforme a massa da parede aumenta CLTD diminui e ocorre mais tarde. Cálculo de Carga Térmica Prof. Universidade de Brasília.

Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb.br . Ganhos de Calor por Superfícies Opacas CLTD para paredes.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 5. que parede Leste. Universidade de Brasília. Orientação da parede: Parede Oeste tem valores maiores de CLTD que ocorrem mais tarde.

laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br . João Pimenta 5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas 45 45 N N 40 40 NE NE L L 35 35 SE SE S S 30 30 SO SO O 25 CLTD CLTD O NO 20 25 NO 20 15 15 10 10 5 5 0 0 0 5 10 15 Hora solar 20 0 25 45 10 15 Hora solar 20 25 5 10 15 Hora solar 20 25 45 N 40 N 40 NE NE L 35 L 35 SE SE S 30 S 30 SO SO 25 O CLTD O CLTD 5 NO 20 25 20 15 15 10 10 5 5 0 NO 0 0 5 10 15 Hora solar 20 25 Universidade de Brasília.unb.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração 0 www.

unb. 230kJ/m2.laar. 350kJ/m2. João Pimenta 5.168050 .K P arede F. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.K CLTD 30 P arede D.br .K 25 20 15 10 5 0 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Hora solar Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof. 130kJ/m2. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas CLTD para paredes orientadas para Oeste. 45 40 35 P arede G.K P arede E. 15kJ/m2.

Ganhos de Calor por Superfícies Opacas O Projeto Europeu PASSYS http://www.laar. João Pimenta 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof.JPG Universidade de Brasília.de/ITWHomepage/Literatur/Passys3.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.jpg http://www.br .es/MATERIALES/DOCUMENT/DOCUMEN/G05/d05211/imagenes/psa_fig8.uni-stuttgart. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.itw.gem.168050 .unb.

O ti Universidade de Brasília.br .O qRAD. Cálculo de Carga Térmica Prof. radiantes e convectivas (figura). é necessário conhecer o coeficiente global de transferência de calor para a parede Uw.O qCONV.laar. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Nas equações anteriores.unb. João Pimenta 5.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. to qCONV. A transferência de calor através de uma parede envolve parcelas condutivas. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.O qCOND qRAD.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.c ti.O qCONV.168050 . Ganhos de Calor por Superfícies Opacas to qCONV.w T=to-ti ti Ri.R to.laar.O Lei de Ohm i V R T q'  Rtermica ti Ro. João Pimenta 5.O qRAD.O qRAD. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.c RTOTAL Universidade de Brasília.w to Ro.br .R Ri.

Uw  1 RTotal Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração 1  Ri (28) www.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 5.168050 .unb.br . Ganhos de Calor por Superfícies Opacas O valor do coeficiente global Uw é então dado por. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas

http://www.plymouthfoam.com/building_products/duraspec/multi_purpose_insulation.shtml

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas

Divisórias tipo “DryWall”

http://manual.knaufdrywall.co.uk/themanual/home.html

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

6

Sombreamento
Externo

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas

Sombreamento Externo

http://wiki.naturalfrequency.com/files/wiki/ChurchHouseSunPath.png

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

fsec.laar. João Pimenta 5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo Um objeto posicionado entre os raios solares e uma superfície coletora projetará uma sombra sobre esta última. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. http://www. O sombreamento causa redução da carga térmica sendo essencial considerar seu efeito.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.edu/en/consumer/buildings/homes/windows/images/ShadeOptions. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.ucf.unb.168050 .gif Universidade de Brasília.br . Cálculo de Carga Térmica Prof.

jpg Universidade de Brasília.laar.br .168050 . Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo http://drama16. Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 5.info/wordpress/wp-content/uploads/2011/03/instanttiger. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb.

br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb.us/wp-content/uploads/2009/10/imagesshadow_small. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo http://bitsandpieces.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 5.jpg Universidade de Brasília.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.jpg Universidade de Brasília.br .unb. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 . João Pimenta 5.jokeslab. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo http://www.com/mag/local/cache-vignettes/L520xH377/shadows-001-c61b4.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

Cálculo de Carga Térmica Prof.gangiteach. João Pimenta 5.com/practice%20tests/celestial01a.168050 .unb. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo http://www.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br .jpg Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.jpg Universidade de Brasília.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb.com.br/especiais/fotos/42/sede-dner-1974. João Pimenta 5.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Brasilia/DF http://www. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo Edifico DNIT.arcoweb.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.unb.html Universidade de Brasília. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo Biblioteca Central UnB.br . Brasilia/DF http://cacom.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.blogspot. João Pimenta 5.168050 .com/2007/05/explorando-bce. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .unb.co.com.uk/portfolio/sunbreakers/vertical. Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. http://www.jpg http://www.) uma parcela da radiação direta incidirá sobre a superfície. João Pimenta 5. etc.com/L_Images/case_studies/bexley1. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo Se o objeto for completamente opaco. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.jpg http://www.br .br/?link=produtos&cd_produto=1 Universidade de Brasília.levolux. Se o objeto for parcialmente opaco (plástico translúcido.louvresandsolarshading. nenhuma radiação direta será recebida pela superfície → apenas a radiação difusa ou celeste.damasiotoldosepaineis.

com/html/features/0804_carpenter.artseditor.168050 .shtml Sombreamento Externo y x h w d Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br . Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas   Sul http://www. João Pimenta 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo d  x   Sul d y x h w  d Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração d tan     x  d tan   x www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.unb. João Pimenta 5.br .

br .unb. João Pimenta 5. Cálculo de Carga Térmica Prof. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo d  y    Sul y x h w d Universidade de Brasília.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração tan    y  y  d tan   d www.168050 .

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Se desejarmos que a janela fique completamente a sombra ao meio-dia de 21/Abril e completamente ao sol em 21/Dez. qual deve ser o valor das cotas x e y ? x=? y=? 1.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 .20 Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 5. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo .br .unb.EXEMPLO A fachada abaixo mostrada em corte está voltada para o Sul na latitude 40º N.laar.

unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.90 0  21 Abril   0   23.50  21 Abril   0   26.895 m e y  0. 21/Abr 21/Dez sin   cos40 .168050 .laar. Ganhos de Calor por Superfícies Opacas Sombreamento Externo O ângulo de altitude solar  é.84 x x Resolvendo simultaneamente.br .5  21 Dezembro Para 21/Dez. Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 5. vem.2   1. temos: tan   y  1.447 m Universidade de Brasília.499 x x Para 21/Abril. temos: tan   y y   0.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.2 y  1. sin    11. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. x  0.45  21 Dezembro  61. cos0   sin 40 . cos .

Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb.br . João Pimenta 6 Ganho de Calor devido a Geração Interna Universidade de Brasília.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

002. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br . e.unb. João Pimenta 6. dos Handbooks ASHRAE ou de outra fonte credível de reputação reconhecida. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Em relação a geração interna de calor as seguintes 3 parcelas devem ser consideradas: Iluminação. Ocupação. Informações necessárias par o cálculo podem ser obtidas da Norma ABNT NBR 6401(1980)*. * Revisada e substituída pelo Projeto 55. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração ABNT/CB-55. www. Os conceitos relativos a quantificação desses elementos de carga térmica são apresentados a seguir. Equipamentos.03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.FR . a Eq..laar. pode ser calculada pela seguinte equação: q L  P.F .FCR (29) P  potência nominal da lâmpada F  fator de utilização . João Pimenta 6. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 .unb.br .e. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos A carga térmica devido a iluminação. (29) pode ser usada com FCR=1 Universidade de Brasília. i.2 para lâmpadas fluorescen tes FCR  fator de carga térmica (tabela) Para equipamentos. fração das lampadas existentes que é usada FR  fator do reator  1.

168050 . João Pimenta 6.laar.unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .

(29) leva em conta efeito transiente da radiação emitida pela iluminação que é armazenada na estrutura.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Universidade de Brasília.unb. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos O fator FCR na Eq. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. A tabela a seguir apresenta valores para FCR. João Pimenta 6. A figura abaixo ilustra tal efeito.

Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos Universidade de Brasília.br . João Pimenta 6.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.

168050 .03-001/1 (Fev 2008) ABNT/CB-55. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. devendo ser substituída pelo Projeto 55.br . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: NBR 6401 (1980)* * Em fase final de revisão. João Pimenta 6. Universidade de Brasília.002.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb.

br . Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Universidade de Brasília.03-001/1 (Fev 2008) ABNT/CB-55. devendo ser substituída pelo Projeto 55.unb. João Pimenta 6. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: NBR 6401 (1980)* * Em fase final de revisão.laar.002.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.002. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 6.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .unb. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.

João Pimenta 6.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof.03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.002.168050 . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .002.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.unb. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília. João Pimenta 6.br .

002. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.br .168050 .unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.03001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar. João Pimenta 6. Cálculo de Carga Térmica Prof.

unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 6. Cálculo de Carga Térmica Prof. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.br .03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .002. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. João Pimenta 6. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.br .002. Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .unb.

laar.03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.br . Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb.002. João Pimenta 6.168050 . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

br . Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.002.unb.laar. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.168050 . João Pimenta 6. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

unb. Cálculo de Carga Térmica Prof.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.168050 . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.002. João Pimenta 6.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

laar.br . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ASHRAE Handbook Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 . João Pimenta 6.

Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ASHRAE Handbook Universidade de Brasília.168050 .laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 6.unb. Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br .

unb.laar. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ASHRAE Handbook Universidade de Brasília. João Pimenta 6. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br .168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.

168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ASHRAE Handbook Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.br . João Pimenta 6.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ASHRAE Handbook Universidade de Brasília. João Pimenta 6.br .unb.168050 .

unb.laar.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Ocupantes Universidade de Brasília. João Pimenta 6. Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

unb.laar. podem ser usadas.168050 . ou a tabela simplificada abaixo (ASHRAE). Cálculo de Carga Térmica Prof.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Ocupantes Na estimativa da carga térmica devido a ocupantes. João Pimenta 6. Universidade de Brasília. as informações do capítulo sobre “conforto térmico”.

João Pimenta 6. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Ocupantes: NBR 6401 (1980)* * Em fase final de revisão. devendo ser substituída pelo Projeto 55.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.03-001/1 (Fev 2008) ABNT/CB-55.laar.168050 . Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.002.

03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* ? *ABNT/CB-55 Projeto 55. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.002.168050 .br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 6. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 6.002.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Iluminação e Equipamentos: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.unb.03001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.

Cálculo de Carga Térmica Prof. Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Ocupantes Se o número de ocupantes não é conhecido.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Universidade de Brasília.br . João Pimenta 6.unb. pode-se usar a tabela abaixo. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. da NBR6401 que apresenta taxas de ocupação usuais.168050 .

ocup.168050 .ocup (30) ql  ql .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. A estimativa simplificada das cargas sensível (qs) e latente (ql) devidas a ocupação é então dada por.N ocup (31) A tabela a seguir apresenta fatores de correção FCR. Cálculo de Carga Térmica Prof.ocup . o que requer a aplicação de um fator de correção FCR. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.ocup (similar ao FCR para iluminação).br . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Ocupantes Uma parcela do componente sensível da carga térmica é transmitido por radiação.laar. q s  q s .unb. João Pimenta 6.FCR .N ocup .ocup . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Universidade de Brasília.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb. João Pimenta 6. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .br . Ganhos de Calor Devido a Geração Interna Ocupantes Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

João Pimenta 7 Ganho de Calor devido a Ventilação e Infiltração Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .laar.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

c p . as cargas latente e sensível devido ao ar externo podem ser obtidas por.20. Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.w  3010.c p .w (33) Universidade de Brasília.unb.2500. Em qualquer caso. Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração A penetração de ar externo no ambiente climatizado representa uma carga térmica adicional a ser removida.laar. .T (32) q L  1.V .br .168050 .T  m . Carga Sensível Carga Latente q S  V . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 7.V . Tal componente de ar externo pode ser intencional (ventilação de renovação) ou involuntária (infiltrações).Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

c p .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.01 kg/kg.br .w. q S  1.2 kg/m3 e cp=1.T  m . com w=0.K ] T  diferença de temperatu ra ar externo . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.23.T (32) q S  carga sensível devido ao ar externo V  vazão volumétri ca de ar externo [ m 3 s ]   densidade do ar externo [ kg m 3 ] c p  calor específico do ar externo [ kJ kg.(32) é re-escrita como.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração (34) www. Cálculo de Carga Térmica Prof.T Universidade de Brasília. .cp1.84. para condições típicas assume-se =1.23 e a Eq. Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração Calor Sensível do Ar Externo q S  V . João Pimenta 7.laar.006+1.unb.c p . Então .ar interno [K] m  vazão mássica de ar externo [ kg s] Em geral.V .

menos o calor latente da água a 10 ºC. João Pimenta 7.V .20.2500. Universidade de Brasília.interno Na Eq.br . Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .V .w  3010.w (33) w  variação de umidade absoluta do ar externo . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. (33) o valor 2500 representa o calor latente padrão do vapor d’água a =50% e TBS=24 ºC.laar. Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração Calor Latente do Ar Externo q L  1.

br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Devemos então considerar. A necessidade de ar de renovação será estudada no próximo capítulo. (32) e (33) não distinguem no valor de V as parcelas devido ao ar externo de renovação (ventilação) e devido ao ar infiltrado. Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração Vazão de Renovação e Infiltração As Eqs. A vazão de ar infiltrado por outro lado está sujeita a uma certa incerteza e requer uma abordagem diferenciada.laar. Universidade de Brasília. João Pimenta 7.168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. V  Vrenovação  Vinfiltração (35) A vazão de ar de renovação é mais facilmente determinada a partir de exigências relativas a diluição de poluentes para manutenção da qualidade do ar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração Vazão de Infiltração Abaixo a apresentamos um extrato da ABNT/CB-55 Projeto 55. Cálculo de Carga Térmica Prof. Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 7.unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.002. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. relacionado as infiltrações.laar.03-001/1 (Fev 2008).br .168050 .

João Pimenta 7. b.interna Universidade de Brasília. pode ser obtido por. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.V  c. de forma simplificada. c  constantes experiment ais (tabela) V  velocidade do vento [ m s] to  ti   diferença de temperatu ra externa .168050 . Em todo caso é recomendável efetuar uma estimativa da vazão de infiltração o qual. ACH infiltração  a  b. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração Vazão de Infiltração As infiltrações serão em geral reduzidas sendo que um projeto construtivo cuidadoso minimizará sua ocorrência.laar. ACH infiltração  número de trocas de ar por hora a .unb.t o  ti  (33) onde.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.

ACH infiltração  120 m 3 .5 h Universidade de Brasília.015.unb.0225  0.14 ACH infiltração  0. to = 30 ºC e ti= 25 ºC e velocidade do vento de 1.014. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.5 m/s. Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração Vazão de Infiltração Exemplo: Sala de aula com 8m x 5m x 3m com qualidade media de vedação.0. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .2  0.3635h 1 Vinfiltração m3  43.2  0.1. Cálculo de Carga Térmica Prof. ACH infiltração  0. João Pimenta 7.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.5  0.35  25   0.3635 trocas de ar por hora Volsala  8  5  3  120 m 3 Vinfiltração  Volsala .laar.

maverickinspection.maverickinspection. João Pimenta 7. Universidade de Brasília.laar.unb. http://www. Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração http://www.html Portas e janelas nesta termografia indicam falhas na envoltória do edifício devido a isolamento / vedação precária.com/buildingsapp.html Termografia mostrando vazamentos de ar através de esquadrias de madeira dos ambientes com pressão positiva.html http://www. www. Cálculo de Carga Térmica Prof.com/buildingsapp. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br .com/HeatLoss.greengarnetconsulting.com/buildingsapp. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração http://www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .html Termografia de fachada externa de ambiente climatizado mostrando isolamento deficiente de parede. Termografia mostrando exfiltração de ar em ambiente com pressão positiva de edifpicio público.maverickinspection.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. para a condição de pico no dia de projeto de verão.e. João Pimenta 7.168050 . podemos obter um valor de carga térmica total que nos permite selecionar a capacidade do sistema. internas e externas.unb.br . Em relação aos ganhos para o ar ambiente.h   . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.. Universidade de Brasília. qtotal. Cálculo de Carga Térmica Prof. observamos que.h (34) que representa o ganho total de calor pelo ar que atravessa o ambiente.laar. i.ar  m ar . Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração Carga Térmica Total Após computar todas as cargas sensíveis e latentes.Var . entre o insuflamento e o retorno. É relevante observar que esse valor de carga térmica total representa os ganhos de calor para o ar ambiente + o ganho de calor devido ao ar externo de renovação.

João Pimenta 7. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração Carga Térmica Total: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.002. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 .03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br .laar.

laar. Cálculo de Carga Térmica Prof.03-001/1 (Fev 2008) Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .br .unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 7. Ganhos de Calor de Ventilação e Infiltração Carga Térmica Total: ABNT/CB-55* *ABNT/CB-55 Projeto 55.002.

168050 .br . João Pimenta 8 Exemplo de Cálculo Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof.

unb.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . João Pimenta Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof.

br . João Pimenta Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .unb.

Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 .br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta Universidade de Brasília.unb.

br .unb.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .laar. Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta Universidade de Brasília.

Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta Universidade de Brasília.br .laar.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

Cálculo de Carga Térmica Prof.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb. João Pimenta Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .

Cálculo de Carga Térmica Prof.laar. João Pimenta Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. João Pimenta Universidade de Brasília.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof.

168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar.br . João Pimenta Universidade de Brasília.unb. Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br .laar.unb.168050 . João Pimenta Universidade de Brasília.

unb. Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta Universidade de Brasília.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

laar.168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta Universidade de Brasília.unb.

unb. João Pimenta Universidade de Brasília.168050 .br .laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta Universidade de Brasília.br .unb.

168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta Universidade de Brasília.br .

168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta Universidade de Brasília.unb.br .

João Pimenta Universidade de Brasília.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 . João Pimenta Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica Prof.unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

João Pimenta Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .laar.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta Universidade de Brasília.unb.br .laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 .unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br .laar. João Pimenta Universidade de Brasília.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta Universidade de Brasília.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta Universidade de Brasília.laar.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

Mostramos o cálculo para a laje (roof).
Para portas e paredes exteriores
procedimento é o mesmo.

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

o

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

168050 - Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado)

Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica
Prof. João Pimenta

x CLF

Universidade de Brasília, Departmento de Engenharia Mecânica
LaAR, Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração

www.laar.unb.br

Cálculo de Carga Térmica Prof.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 . João Pimenta Universidade de Brasília.br .

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. João Pimenta Universidade de Brasília.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.br . João Pimenta Universidade de Brasília.unb.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 1 TR=3.unb.br .052 TR/m2 Universidade de Brasília.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.51 kW  19.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar.5 TR  0. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

br .unb. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. Cálculo de Carga Térmica Prof. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 . João Pimenta Universidade de Brasília.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . João Pimenta EXEMPLO 2 Universidade de Brasília.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 .

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb.168050 .br .laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.

br . Exemplo de Cálculo 2 1) Informações preliminares 1.87 S Longitude = 47.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. 1.21 kPa Universidade de Brasília. = 89. João Pimenta 8.1) Objetivo Projeto de climatização de conforto térmico para escritório em prédio comercial.unb.93 W Altitude = 1061 m P atmosf. Cálculo de Carga Térmica Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar.2) Localização Cidade: Brasília Latitude = 15.

168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof. com freqüência de 1% temos: TBS=31. de Goulart et al.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.5 m/s Direção predominante=NE Universidade de Brasília.5% W = 0.unb.br . para projeto de resfriamento e desumidificação.5 ºC Amplitude = 11.3) Condições climáticas externas Da norma ABNT (nova NBR 6401) para Brasília. João Pimenta 8.1 ºC TBU=21. UR = 44. Exemplo de Cálculo 2 1) Informações preliminares 1. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. (1998) para freqüência de 1% temos: Velocidade=2.01441 Em relação aos ventos para Brasília.3 ºC Desses valores deduzimos.

5 ºC para UR = 65 % TBS = 23. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar.4) Condições internas Para ambiente de trabalho sedentário.unb. Universidade de Brasília. Exemplo de Cálculo 2 1) Informações preliminares 1.br .5 clo) temos os seguintes limites: TBS = 22.0 ºC para UR = 35 % Dentro desses limites adotaremos como condição de projeto o seguinte: TBS=25 º C e UR=50% Wi = Notas: 1) ver limitações na norma ABNT para velocidade média do ar no local.168050 .0 a 26. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof. da ABNT. para conforto e verão (roupa típica 0.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.5 a 25. João Pimenta 8.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br . Exemplo de Cálculo 2 2) Coeficientes Globais U Universidade de Brasília. João Pimenta 8.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof.168050 .unb.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Exemplo de Cálculo 2 2) Coeficientes Globais U Universidade de Brasília. João Pimenta 8. Cálculo de Carga Térmica Prof.unb.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br .168050 .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

059 m2K/W A6 Finish = 0.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Exemplo de Cálculo 2 2) Coeficientes Globais U Paredes externas Tem construção convencional (revest.160 m2K/W B16 4 mm isnulation = 0.140 m2K/W B1 Air space resist. Adotaremos a aproximação abaixo: A0 Resist.121 m2K/W www. Convect. João Pimenta 8.031 m2K/W Uw  1 RTotal  1 Ri 1 Uw   1.088 m2K/W A6 Finish = 0.393W m 2 K 0.br . Interna = 0. externo-reboco-tijolo-rebocoacabamento interno). Cálculo de Carga Térmica Prof.718 Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. = 0. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração B16 4 mm isnulation = 0. Externa = 0.088 m2K/W C4 100 mm common brick = 0.168050 . Convect.unb.031 m2K/W E1 Resist.

Cálculo de Carga Térmica Prof.390 Universidade de Brasília.067 m2K/W C15 150 mm low density concrete = 0.176 m2K/W Uw  1 RTotal  1 1   2. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. A0 Resist. Convect. João Pimenta 8.unb. Então. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.059 m2K/W A4 12 mm Slag = 0.088 m2K/W E4 Ceiling air space = 0. Externa = 0. Neste caso assumiremos ainda a existência de uma impermeabilização.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br .564 W m 2 .K Ri 0.laar.168050 . Exemplo de Cálculo 2 2) Coeficientes Globais U Laje da cobertura Tem construção simples de concreto leve de 150 mm e possui um forro de PVC formando um espaço de ar acima do ambiente.

088 m2K/W E4 Ceiling air space = 0. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.176 m2K/W Uw  1 RTotal  1 1   2.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 8.404 W m 2 .121 m2K/W A6 Finish = 0. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Universidade de Brasília.416 Assumiremos também que o pavimento inferior não é climatizado. Então.K Ri 0.unb.031 m2K/W C15 150 mm low density concrete = 0. E1 Resist. estando a temperatura TBS igual a do ar externo. Exemplo de Cálculo 2 2) Coeficientes Globais U Laje do Piso Entre pavimentos menciona-se o uso de laje pré-fabricada de 15 cm de espessura. Interna = 0.laar. Convect. Neste caso assumiremos a existência de carpete e de forro nos andares inferiores. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .168050 .

388 W m 2 .br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.K 2. Universidade de Brasília. João Pimenta 8.unb.laar.168050 .58 As divisórias internas do próprio ambiente não contribuem para o ganho de calor. Apenas as divisórias internas com ambientes adjacentes serão computadas assumindo-se neste caso que tais ambientes não são climatisados e encontram-se a temperatura TBS do ar externo. Exemplo de Cálculo 2 2) Coeficientes Globais U Divisórias Para as divisórias internas assumiremos informação de catálogo de fabricante (Knauf) onde consta. 1 U divisória   0. Cálculo de Carga Térmica Prof.

etc.unb. Os valores de U para janelas leva em conta não apenas o vidro mas também outras características (tipo de operação. Exemplo de Cálculo 2 2) Coeficientes Globais U Janelas Para calcular a transmissão de calor através das janelas podemos empregar os valores de U tabelados da ASHRAE ou de outras fontes.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.). esquadria.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . João Pimenta 8.laar. Universidade de Brasília.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração 8. Exemplo de Cálculo 2 www. Cálculo de Carga Térmica Prof.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br .168050 .unb. João Pimenta Universidade de Brasília.

168050 .laar. João Pimenta Universidade de Brasília.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração 8.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Exemplo de Cálculo 2 www. Cálculo de Carga Térmica Prof.br .

Convect.207 m2K/W B1 Air space resist.br .K Portas Neste caso. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração E1 Resist. apenas a porta de acesso ao local contribui pois está submetida a diferença de temperatura. U Janela  7. De maneira conservativa assumiremos. Uw  Uw  1 RTotal 1  Ri 1  1.24 W m 2 .160 m2K/W E1 Resist.168050 .121 m2K/W www.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.121 m2K/W B7 25 mm wood = 0. Interna = 0. Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 2) Coeficientes Globais U Janelas cont . = 0.642 W m 2 K 0. Convect. Interna = 0. Exemplo de Cálculo 2 Capitulo 5..unb.609 Universidade de Brasília. Com a informação dada assumiremos..Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) 8.

laar.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) 8.168050 . Cálculo de Carga Térmica Prof.404 Divisórias 0.unb.Resumo U [W/m2. Exemplo de Cálculo 2 Capitulo 5.388 Janelas 7. João Pimenta 2) Coeficientes Globais U .642 Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.393 Laje cobertura 2. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.564 Laje piso 2.240 Portas 1.K Paredes externas 1.

Universidade de Brasília...laar.... 8. o valor da CLTD é obtido de tabela adequada.... 10. 4.. João Pimenta 3) CLTD’s A determinação das CLTD’s se aplica a laje de cobertura e paredes externas e vidros. em função do tipo de laje.......Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5... Para a laje de cobertura.87º S  15º S hora do dia = ....... 2.. 5.br . Cálculo de Carga Térmica 8.. mês do ano = ... latitude.unb.168050 .. hora do dia e mês do ano.. tipo de laje = 1.... Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Exemplo de Cálculo 2 Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR..... 3. 9. 13 e 14 Latitude = 15.

unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração S 21 Junho Hemisfério Sul Solstício de Inverno www.br . Exemplo de Cálculo 2 Prof.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . João Pimenta 3) CLTD’s N N 15º N 15º N 0º 15º S 0º 15º S S 21 Dezembro Hemisfério Sul Solstício de Verão Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica 8.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.laar. João Pimenta 3) CLTD’s – Correspondência hemisfério norte-sul Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica 8.unb.168050 . Exemplo de Cálculo 2 Prof.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 . Exemplo de Cálculo 2 Prof.br . João Pimenta 3) CLTD’s Universidade de Brasília.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica 8.unb.laar.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 3) CLTD’s 15º N July  15º S Janeiro Tipo de laje afeta a hora de pico 10 tipos de lajes (construções distintas) Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br .168050 .unb.laar. Cálculo de Carga Térmica 8. Exemplo de Cálculo 2 Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

Cálculo de Carga Térmica 8.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 3) CLTD’s Universidade de Brasília.unb.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Exemplo de Cálculo 2 Prof.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.

Cálculo de Carga Térmica 8.laar.9º C correção Universidade de Brasília.unb.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 3) CLTD’s CLTDLAJE = 70 ºF 1.8↓ CLTDLAJE = 38. Exemplo de Cálculo 2 Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

Exemplo de Cálculo 2 Prof. devemos ainda levar em conta a orientação.br .laar.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 3) CLTD’s Para as paredes.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Universidade de Brasília. Cálculo de Carga Térmica 8.

br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb. Exemplo de Cálculo 2 Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 3) CLTD’s Universidade de Brasília.laar. Cálculo de Carga Térmica 8.168050 .

br .laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica 8.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb. João Pimenta 3) CLTD’s Universidade de Brasília. Exemplo de Cálculo 2 Prof.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 3) CLTD’s Para o objeto de estudo temos paredes externas orientadas a Sul e a Oeste.unb.laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Cálculo de Carga Térmica 8.br .168050 . Na tabela para o hemisfério norte a parede sul corresponde a norte e a parede oeste corresponde a oeste. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Exemplo de Cálculo 2 Prof. Universidade de Brasília.

3 ºC CLTDParede Oeste = 15 ºC correção 1.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 3) CLTD’s CLTDParede Sul = 13.br . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Exemplo de Cálculo 2 Prof.8↓ Universidade de Brasília.unb. Cálculo de Carga Térmica 8.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 .

unb.laar. João Pimenta 3) CLTD’s CLTDVidro = 8 ºC Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Cálculo de Carga Térmica 8.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.168050 .br . Exemplo de Cálculo 2 Prof.

Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.laar.br .168050 .unb. Cálculo de Carga Térmica Prof. João Pimenta 4) SCL’s Universidade de Brasília.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .unb. Cálculo de Carga Térmica 8. Exemplo de Cálculo 2 Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br .laar. João Pimenta 4) SCL’s Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

168050 . Exemplo de Cálculo 2 Prof.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br .5 Universidade de Brasília. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.1 SCLVidro Oeste = 472. João Pimenta 4) SCL’s BTU/ft2 x 3.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.15 = W/m2 SCLVidro Sul = 148. Cálculo de Carga Térmica 8.laar.

Exemplo de Cálculo 2 Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 4) SC – Shading Coefficient SCVidro = 0.unb.laar.95 Universidade de Brasília.br . Cálculo de Carga Térmica 8.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

laar.91 Universidade de Brasília.168050 . Cálculo de Carga Térmica 8.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.79 CLFEuipamentos= 0. Exemplo de Cálculo 2 Prof. João Pimenta 5) CLF – Cooling Load Factors CLFOcupantes = 0.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.

Exemplo de Cálculo 2 Prof.89 Universidade de Brasília.168050 . João Pimenta 5) CLF – Cooling Load Factors CLFIluminação = 0.laar. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br .unb. Cálculo de Carga Térmica 8.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.

Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.9 ºC = 8.br .1 SCLVidro Oeste = 472.240 Portas 1.5 SCVidro = 0. tetos e pisos q  U .388 Janelas 7.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) 8.3 ºC = 15. Cálculo de Carga Térmica Prof. A.95 Universidade de Brasília.Text  Tint  U [W/m2.168050 .393 Laje cobertura 2. A.unb.SC . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração Paredes externas 1.564 Laje piso 2.SCL ► Carga de resfriamento através de divisórias. Exemplo de Cálculo 2 Capitulo 5.laar. CLTD ► Carga solar através de vidros q  A.404 Divisórias 0.642 www.0 ºC = 38.K CLTDParede Sul CLTDParede Oeste CLTDLAJE CLTDVidro = 13. paredes e condução através de janelas q  U . João Pimenta 6) Resumo Geral Cargas de Resfriamento Externas ►Lajes.0 ºC SCLVidro Sul = 148.

ocup .ocup ► Iluminação q  W . Exemplo de Cálculo 2 Capitulo 5.laar.CLF ou q  qinput. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração Ful = 1.168050 .CLF CLFOcupantes = 0.br .ql . Cálculo de Carga Térmica Prof.CLF ql  N .Ful .ocup =70 W Ql.00 qs.79 CLFEuipamentos= 0.91 CLFIluminação = 0.unb.20 FL = 1.FL . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.ocup= 45 W www.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) 8.89 Universidade de Brasília. João Pimenta 6) Resumo Geral Cargas Internas ► Ocupantes q s  N .00 Fsa= 1.FR .FU .q s .FsaCLF ► Equipamentos q  qinput.

168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. João Pimenta 6) Resumo Geral Cargas de Ventilação e Infiltração ► Calor sensível q s  1.unb.23.Q. Cálculo de Carga Térmica 8.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.Text  Tint  ► Calor latente q s  3010.br .wext  wint  Universidade de Brasília.Q. Exemplo de Cálculo 2 Prof.laar.

Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.br . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.unb. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.Direção Universidade de Brasília. João Pimenta 3) Carga Térmica .168050 .laar. Cálculo de Carga Térmica 8. Exemplo de Cálculo 2 Prof.

João Pimenta 3) Carga Térmica – Sala de Projeto Universidade de Brasília. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar.unb.168050 . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.br . Cálculo de Carga Térmica 8.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Exemplo de Cálculo 2 Prof.

Exemplo de Cálculo 2 Prof. Cálculo de Carga Térmica 8.unb. João Pimenta 3) Carga Térmica – Sala de Reuniões Universidade de Brasília.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.laar. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .

unb. João Pimenta 3) Carga Térmica . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.br . Cálculo de Carga Térmica 8.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Exemplo de Cálculo 2 Prof.168050 .Recepção Universidade de Brasília.laar.

Exemplo de Cálculo 2 Prof. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. João Pimenta 3) Carga Térmica .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5.168050 . Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Cálculo de Carga Térmica 8.unb.Geral Universidade de Brasília.br .laar.

br .laar.Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 3) Carga Térmica . Departmento de Engenharia Mecânica LaAR. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www.unb. Cálculo de Carga Térmica 8.Geral SETEMBRO AS 16h00 as 17h00 Pico de Verão Para BSB Universidade de Brasília.168050 . Exemplo de Cálculo 2 Prof.

Exemplo de Cálculo 2 Prof.Direção Universidade de Brasília.laar.unb.br .Instalações Termomecânicas II (Ar Condicionado) Capitulo 5. João Pimenta 3) Carga Térmica . Cálculo de Carga Térmica 8. Laboratorio de Ar Condicionado e Refrigeração www. Departmento de Engenharia Mecânica LaAR.168050 .