You are on page 1of 1
nar que ovo de formar o opiniéo p do mov E © que fiz nha vide foi procurar Jilio Mesquita Rodrigo Lare Mesquite 4 diretor do ‘Agancia Est | | 90 B55 MAGAZINE Persona Ambiente ou meio de comunicacao? Por Rodrigo Lara Mesquita €poca, inicio do rnais recebiam a das informagdes sobre © mundo através dos navios que chegavam aos portos. A rede telegrifica mundial ainda as primeiras agencias de formacio estavam mais preo- cupadas com negécios do que com © piblico. Os jor- nis, por sua ve muito mais préximos das co- munidades em que estavam inseridos do que hoje em dia nas megacidades em que vie vemos, Mas a afirmagaio do fundador desta casa continua verdadeira tanto para os jor- nais que se pretendem legiti: como a da Agéncia Estado, que, gragas 20 avango do rio humano no campo da in- formitica € das telecomuni- cagoes, que a con para enfrentar o presente © era restrta € para estruturas re servigos para unidade se articule fazer valer 0 seu direito, 10 ainda servicos ditigi- dos para os setores mais or- ganizaclos da sociedade, que estes tempos de mudanca abertura da economia tém nos sistemas de informagio ‘on line” um dos seus princi mercado com eficiéncia © competitividade. Nao interes- sa qual seja 0 campo de atuagio: mercado fi mercado de age mercado empresarial em ral; a informa business, rigida para necessidades es- pecificas passou a ser a mais preciosa das “commodities Se na época em que Jie lio Mesquita proferiu a sua se ela significava a consci- a de um velho jornalista, que havia levado seu jornal uma posicao de inequivoca li- deranga no mercado, hoje ela significa a certeza de que mos um permanente desafio pela frente: constantemente com 0 nosso piiblico para apurarmos me- Ihor nossos servigos e assim articularmos de fato. nossos clientes para enfrentar de for- ‘ma mais eficiente os turbulen- tos tempos em que vivemos, Ha dez anos, quando dificuldades fugiam do cam- po do contetdo, sempre a questo central. O Brasil, gra- aliados aos interagirmos 4 miopia dos politicos, ‘Gersons” da so- nicio da revolugio das tele comunicagoes se que, com a Inter net € sua nova Linguagem, che- gas nossas ca- sis com as por tas escancarada tamos fora do jogo. Em menos de cinco anos, a rede est sivel a boa parte da sociedade bra- sileira em condi- © cidadao co- pensaveis: mum. poderé pular de um servigo cultural da Europa para um servigo comercial nos Fstados Unidos, por exemplo, num piscar de olhos. E, quando fago esta elucubracao, fago-a conscien- te de que a rede das redes € um novo ambiente e nfo um meio de comunicagio. E isso faz uma grande diferenga Pretender prever 0 que vai ocorrer no nosso mundo fem conseqiéncia disso, um novo ambiente no qual todos 1 tipos de relacdes humanas vio ocorrer em tempo real € de forma interativa, € uma completa loucura. Estar cons- ciente de que € isso que vai ocorrer € a condigio primei- fa para no ser tragado por uma onda avassaladora, que se estd formando e vai estou- rar, E por isso que a Agéncia detém hoje a maior rede pri- vada de informagdes para o mercado e se utiliza de todos 108 meios disponiveis, do pa- pel a0 computador, para ser- vir 0 seu piiblico com infor- mages. E isso de forma ndo aleatéria;sondando e res- sondando as necessidades de cada mercado para poder- mos evoluir € crescer com eles para um novo tempo que se desenha para a huma- nidade,

Related Interests