Hipóteses de escrita

FICA O RECADO: DEVEMOS RESPEITAR CADA FASE E CONTRIBUIR PARA OS AVANÇOS. EXERCÍCIOS DE CÓPIAS E ESCRITA DE PALAVRAS VÁRIAS VEZES NÃO DEVEM SER USADOS, SE NÃO:

NOS 1º E 2º ANOS, DEVERÍAMOS ESCREVER NA LOUSA COM LETRA DE FORMA ATÉ O 100% DOS ALUNOS ESTAREM NA FASE ALFABÉTICA

 SÃO PAULO, 3 DE MARÇO DE 2010  NOME  PROFESSORA:  HOJE O DIA ESTÁ:  AGENDA:  

COMO ORGANIZAR MINHA SALA Não se esqueça de planejar duplas/grupos de trabalho para que os alunos se ajudem mutuamente, trocando informações entre si.
Fique mais próximo(a) daqueles alunos que têm hipóteses muito iniciais sobre o sistema de escrita, atuando como “escriba” deles.

Que hipótese é essa?

:
HIPÓTESE PRÉ-SILÁBICA
 Características:  Não estabelece vínculo entre fala e escrita;  Demonstra intenção de escrever através de

com formas diferentes;  Usa letras do próprio nome ou letras e números da ou na mesma palavra;  Caracteriza uma palavra como letra inicial;  Tem leitura global, individual e instável do que escreve: só ela sabe o que quis escrever;  Supõe que a palavra representa o objeto e não seu nome (realismo nominal);  Não aceita que seja possível escrever com menos de 3 letras;

traçado linear

AVANÇOS:

-

Diferenciar o desenho da escrita; Perceber as letras e seus sons; Identificar e escrever o próprio nome; Identificar o nome dos colegas; Perceber que usamos letras diferentes em diferentes posições

Que hipótese é essa?

Hipótese silábica sem valor
 

Características:

Começa a ter consciência de que existe alguma relação entre pronuncia e a escrita; Começa a desvincular a escrita das imagens e os números das letras; Conserva as hipóteses da quantidade mínima e da variedade de caracteres.

Que hipótese é essa?

Silábica com valor

Já supõe que a escrita representa a fala; Tenta fonetizar a escrita e dar valor sonoro às letras; Já supõe que a menor unidade de língua seja a sílaba; Em frases, pode escrever uma letra para cada palavra.

AVANÇOS:
- Atribuir valor sonoro para as letras; -Aceitar que não é preciso muitas letras para se escrever, apenas o necessário para representar a fala; -Perceber que palavras diferentes são escritas com letras em ordens diferentes

Que hipótese é essa?

SILÁBICO-ALFABÉTICO Características:
Inicia a superação da hipótese silábica; Compreende que a escrita representa o som da fala; Passa a fazer uma leitura termo a termo; (não global) consegue combinar vogais e consoantes numa mesma palavra, numa tentativa de combinar sons, sem tornar, ainda, sua escrita socializável. Por exemplo, CAL para cavalo.

AVANÇOS:

Usar mais de uma letra para representar o fonema quando necessário;


Atribuir o valor sonoro das letras;

Que hipótese é essa?

ALFABÉTICO:
 Características:  Compreende a função social da escrita: COMUNICAÇÃO;  Compreende o valor sonoro de todas ou quase todas as

letras;  Apresenta estabilidade na escrita das palavras;  Compreende que cada letra corresponde aos menores valores sonoros das sílabas;  Procura adequar a escrita a fala;  Faz leitura com ou sem imagem;  Inicia preocupação com as questões ortográficas;  Separa as palavras quando escreve frases;  Produz textos de forma convencional.

AVANÇOS:
-Preocupação com as questões ortográficas e

textuais (parágrafo e pontuação); -Usar a letra cursiva

Considerar o “erro” como construtivo e parte do processo de aprendizagem

O QUE VOCÊ VÊ NA FIGURA?

Resposta:uma flor

Devemos trabalhar do todo para a parte

Atividades favoráveis para quais hipóteses?

Leitura realizada pelo(a) professor(a)
 LEIA EM VOZ ALTA TODOS OS DIAS...Textos

literários: contos tradicionais, histórias contemporâneas, lendas.

LEIA COM ELES, EM VOZ ALTA, TODOS OS DIAS... Parlendas, quadrinhas, trava-línguas, cantigas, poemas, adivinhas e outros textos memorizáveis. Os textos podem estar num cartaz no mural, em um papel, com cópia para cada aluno, ou mesmo escritos na lousa.

PROPONHA TAMBÉM MOMENTOS DE LEITURA NOS QUAIS... Possam explorar livros, revistas e jornais livremente, como nos cantos de leitura.

Possam ler, ajudados por você, com diferentes propósitos. Possam ler, com sua ajuda, informações presentes no ambiente escolar, ampliando o conhecimento que já possuem sobre a função da escrita.

LEIA EM VOZ ALTA PELO MENOS UMA VEZ POR SEMANA... Um texto informativo: artigos e notícias de jornal, textos  informativos sobre temas científicos (sobre animais, plantas, corpo humano, planetas etc.).  E TAMBÉM (pelo menos duas vezes no mês) Um texto instrucional: regras de jogos, receitas culinárias...

CONVIDE OS ALUNOS A LER TODOS OS DIAS... Os nomes dos colegas, as atividades do dia, o nome da escola, títulos das histórias conhecidas, títulos das cantigas e outros textos disponíveis na escola

Análise e reflexão sobre o sistema de escrita

Leitura e escrita dos nomes dos alunos da sala.

MARIA KAREN JOYCE LETHICIA MANUELA FELIPE DEBORA CAROLINE

Leitura do abecedário exposto na sala. ( Sem desenhos)

   A B C D E F G H I J K L M N O...

Leitura e escrita de textos conhecidos de memória.

ATIREI O PAU NO GATO
ATIREI O PAU NO GATO TÔ TÔ MAS O GATO TÔ TÔ NÃO MORREU REU REU DONA CHICA CÁ ADMIROU-SE SE DO BERRO, DO BERRO QUE O GATO DEU MIAU !!!!!!


Leitura e escrita de títulos de livros, de listas diversas (nomes dos ajudantes da semana, brincadeiras preferidas, professores e funcionários), ingredientes de uma receita, leitura de rótulos etc.

DATA DE ANIVERSÁRIO
                  

JANEIRO 4- MARIA JOEL 13- JOYCE 14- MARIO 19- FELIPE 22- CAROLINE

FEVEREIRO

MARÇO ABRIL 13- RENAN 11- KAREN

MAIO JUNHO 7- JULIANA 05- SIDNEY

11-

25- DIEGO 13- LETHICIA 27-BRUNA

24- BRUNO 22- CHRISTOPHER 26- MANUELA 30- DEBORA

JULHO 1- VICTORIA 05- AMANDA 24-ADRIANO

SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO 6- DANIEL 12-CLAUDINEI 2- MATEUS 03- GABRIELA 10- GABRIELLA 21- ISABELLA 11- PALOMA 11-DAVI 22- KELVIN 23- DIÓGENES

GRÁFICO

Identificar o próprio nome e depois o de cada colega, percebendo que nomes maiores podem pertencer às crianças menores e vice-versa;

JOÃO HENRIQUE ANA FRANCISCA DANIELA PEDRO

Criar jogos com os nomes: “lá vai a barquinha”, dominó, memória, boliche, bingo;

Uma lista de palavras cujo tema tenha significado  no  contexto do trabalho realizado até o momento.

AMEIXA BANANA CAJU COCO FIGO FRAMBOESA GOIABA JABUTICABA
 

JACA KIWI LARANJA LIMÃO MAÇÃ NECTARINA PÊRA PÊSSEGO PITANGA TOMATE

- Desenhar e escrever o que desenhou;

Usar o nome em situações significativas: marcar atividades, objetos, utilizá-lo em jogos, bilhetes, etc...
 AUTÓGRAFO PARA OS COLEGAS  CRACHÁ

Freqüentar a biblioteca, banca de jornais, LER PLACAS etc...

Reconhecer e ler o próprio nome em situações significativas, chamadas, jogos,...
  NOME
LETTICIA ALEGRIA QUEM ESCOLHEU O MEU NOME? MAMÃE POR QUE ESCOLHEU O MEU NOME? PORQUE SIGNIFICA QUEM TRAZ

Utilizar letras móveis para pesquisar nomes, reproduzir o próprio nome ou dos amigos; 

A M A N D A  A N A 

Conversar sobre a função da escrita;

Bingo de letras, sílabas e palavras;

Escrita espontânea;

CAÇA-PALAVRAS

Caça-palavras;

Produzir textos mesmo que ainda de forma não convencional;

Recitar textos memorizados: poemas, parlendas, músicas,...
REI, CAPITÃO,

SOLDADO, LADRÃO. MOÇA BONITA DO MEU CORAÇÃO

JOGO DA MEMÓRIA

Associar palavras e objetos;

Confeccionar gráficos de colunas com os nomes seriados em ordem de tamanho(número de letras).
GRÁFICO: A PRIMEIRA LETRA DO NOME

A

P

B

Reconto de histórias conhecidas ou pessoais, de filmes etc.

Apreciar o momento das histórias, acompanhando com atenção crescente as leituras feitas por você

.

Situações que permitam emitir opiniões sobre acontecimentos, curiosidades etc.

Produção coletiva, em dupla e individual – de um bilhete, de um texto instrucional etc.

Reescrita de textos conhecidos – coletiva, em dupla, individual.

Roda de biblioteca com diversas finalidades: apreciar a qualidade literária dos textos, conhecer diferentes suportes de texto.

Ampliar a compreensão leitora: leitura de textos que os alunos ainda não lêem com autonomia mas que pode ser mediada pelo(a) professor(a) (leitura de textos informativos, instrucionais, entre outros).

Ter contato com diferentes portadores de texto;
Lendo textos: informativos (jornais, obras de referência,

cartas, contas etc.), deles extraindo informações; instrucionais (receitas, jogos, montagem de objetos), executando as ações aí solicitadas; de convencimento (propaganda, cartaz, anúncio), reconhecendo sua intencionalidade; e de enredamento (narrativas, poemas, contos etc.), por prazer lúdico e estético;

Ler sem saber ler convencionalmente utilizando índices fornecidos pelos textos.

Escrever pequenos textos memorizados: parlendas, poemas, músicas, trava-línguas..

ATEIOPUNAOTT AOKOOAOOEUEUEU OAIAKK IOUCC OBOU QOATODU IAU IAU

Jogos

MEU DIÁRIO

Cruzadinhas;

• Pintar intervalos entre as palavras;
IARA  ELAÉUMASEREIA,METADEMULHER(DA CINTURAPRACIMA)EMETADEPEIXE(DA CINTURAPRABAIXO). POSSUILONGOSELINDOSCABELOS,AL GUNS DIZEMQUEPARECEUMAÍNDIACOMCABE LOSNEGROS,OUTROSDIZEMQUEPOSSUI CABELOSLOIROSOUATÉRUIVOS. ELAHIPNOTIZAOSHOMENSCOMOSEU CANTOECOMOSEUOLHAR.

Produção coletiva de diversos tipos de textos.
São Paulo, 12 de setembro de 2008 

Iara Gostaríamos da saber se você é metade mulher e metade peixe?  Beijos  3ºG

• Investir em conversas, debates diários, leituras diárias, projeto didático, atividades permanentes e sequência didática.

Atividades elaboradas a partir de:
Alfabeto e nomes próprios; Acontecimentos marcantes; Cantigas populares Textos de memória; Receitas; Escritas e leitura de listas; Poemas; Cruzadinhas; Adivinhas; Textos científicos; Textos instrucionais.

Orientações para elaborar uma sondagem

 As palavras devem fazer parte do vocabulário cotidiano dos alunos, mesmo que eles ainda não

tenham tido a oportunidade de refl etir sobre a representação escrita dessas palavras. Mas não devem ser palavras cuja escrita tenham memorizado.  A lista deve contemplar palavras que variam na quantidade de letras, abrangendo palavras monossílabas, dissílabas etc.  O ditado deve ser iniciado pela palavra polissílaba, depois pela trissílaba, pela dissílaba e, por último, pela monossílaba. Esse cuidado deve ser tomado porque, no caso de as crianças escreverem segundo a hipótese do  número mínimo de letras, poderão recusar-se a escrever se tiverem de começar pelo monossílabo.  Evite palavras que repitam as vogais, pois isso também pode fazer com que as crianças entrem em conflito – por causa da hipótese da variedade – e também se recusem a escrever.  Após o ditado da lista, dite uma frase que envolva pelo menos uma das palavras da lista, para poder observar se os alunos voltam a escrever essa palavra de forma semelhante, ou seja, se a escrita dessa palavra permanece estável mesmo no contexto de uma frase.  Por isso, sugerimos que seja organizada uma lista de alimentos que se compram na padaria: MORTADELA PRESUNTO QUEIJO PÃO O MENINO COMEU QUEIJO


 Dicas para o encaminhamento da sondagem  As sondagens deverão ser feitas no início das aulas (em fevereiro)  Ofereça papel sem pauta para as crianças, pois assim será possível observar o alinhamento e

a direção da escrita dos alunos.  j Se possível, faça a sondagem com poucos alunos por vez, deixando o restante da turma envolvido com outras atividades que não solicitem tanto sua presença (a cópia de uma cantiga, a produção de um desenho etc.). Se necessário, peça ajuda ao diretor ou a outra pessoa que possa lhe dar esse suporte.

Portfólio

VIDEO 
 http://www.youtube.com/watch?v=K8RHXK0eTQQ

  

Habilidade com a leitura e a escrita

O conceito de letramento, muito divulgado no

Brasil, nas pesquisas da área de educação pela professora Magda Soares (entre outras), deixou de lado o contraste entre pessoas que sabem e que não sabem ler. O letramento considera graus de intimidade do indivíduo com materiais de escrita e de leitura. Para não assustar ninguém, é bom deixar claro que o letramento é algo que está em nosso dia-a-dia. Nada mais é do que parte de nossa necessidade diária de ação pela linguagem, especialmente lendo e escrevendo.

Quando alguém sabe ler, mas não consegue

compreender sequer textos curtos, essa pessoa pode ser alfabetizada, mas tem um nível de letramento muito baixo. Esse nível pode aumentar à medida que o indivíduo aprende a lidar com mais e diferentes materiais de leitura e de escrita. Quanto mais textos alguém é capaz de ler e entender, mais letrado é. Assim também funciona com a escrita. Quanto mais material escrito alguém é capaz de produzir, mais letramento tem. E não adianta produzir apenas em quantidade. É preciso ampliar o leque de possibilidades, ou seja, ler muitas coisas diferentes e saber o que fazer com elas.

Por exemplo: você é capaz de ler bem uma tirinha? Sabe lidar com o texto do rótulo de uma lata de ervilhas? Consegue produzir um bom bilhete para um familiar? Pode se mover na cidade lendo as placas de rua? Sabe como procurar informações numa bula de remédio? Então você tem letramento suficiente para o dia-a-dia. O caixa eletrônico do banco é mais uma possibilidade de letramento. Já que está numa máquina, ficou sendo chamado de letramento digital. As pessoas que entraram nesse tipo de letramento podem atuar na linguagem por meio da leitura e da escrita de textos produzidos no e para o computador, estejam eles na internet ou nos programas de produção e leitura de material textual.

O professor deve tomar alguns cuidados para envolver o aluno no processo de construção da escrita, tais como:
 Criar um ambiente letrado, em que à leitura e a escrita estejam presentes mesmo

antes que a criança saiba ler e escrever convencionalmente.  Considerar o conhecimento prévio das crianças, pois, embora pequenas, elas levam para a escola o conhecimento que advém da vida.  Participar com as crianças de práticas de letramento, ou seja, ler e escrever com função social.  Utilizar textos significativos, pois é mais interessante interagir com a escrita que possui um sentido, constitui um desafio e dá prazer.
 Utilizar textos reais, que circulam na sociedade.  Utilizar a leitura e a escrita como forma de interação, por exemplo, para informar,

convencer, solicitar ou emocionar.  Quando se considera a importância do letramento, ficam de lado os exercícios mecânicos e repetitivos, baseados em palavras e frases descontextualizadas. O enfoque está no aluno que constrói seu conhecimento sobre a língua escrita e não no professor que ensina. Na escola, a criança deve prosseguir a construção do conhecimento iniciada em casa e interagir constantemente com os usos sociais da escrita. O importante não é simplesmente codificar e decodificar, mas ler e escrever textos significativos.

Alfabetizado é aquele indivíduo que sabe ler e escrever; já o indivíduo letrado, o indivíduo que vive em estado de letramento, é não só aquele que sabe ler e escrever, mas aquele que usa socialmente a leitura e a escrita, pratica a leitura e a escrita, responde adequadamente às demandas sociais de leitura e de escrita (SOARES, 1998, p. 22).

 Poema: O que é Letramento?  O que é Letramento?

Kate M. Chong

Letramento não é um gancho em que se pendura cada som enunciado, não é treinamento repetitivo de uma habilidade, nem um martelo quebrando blocos de gramática. Letramento é diversão é leitura à luz de vela, ou lá fora, à luz do sol. São notícias sobre o presidente, o tempo, os artistas da TV e mesmo Mônica e Cebolinha nos jornais de domingo. É uma receita de biscoito, uma lista de compras, recados colados na geladeira, um bilhete de amor, telegramas de parabéns e cartas de velhos amigos. É viajar para países desconhecidos, sem deixar sua cama, é rir e chorar com personagens heróis e grandes amigos. É um atlas do mundo, sinais de trânsito, caças ao tesouro, manuais, instruções, guias e orientações em bulas de remédios, para que você não fique perdido. Letramento é, sobretudo, um mapa do coração do homem, um mapa de quem você é, e de tudo que você pode ser.

Fonte: imagens retiradas no Google, material do

Ler e Escrever, Escola Arte de Conhecer, Revista Nova Escola

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful