You are on page 1of 5

(e-STJ Fl.

1152)

1(

CUNHA JORGE
SUTANA DIAS

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE
JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - SÃO PAULO - CAPITAL DO ESTADO.

PROTOCOLO SE

HORAS2S2L

Documento digitalizado juntado ao processo em 26/12/2014 às 08:03:41 pelo usuário: JULIANE SIQUEIRA ALVES

Processo n0 91 38297-87.2007.8.26OUUO00
Recurso Especial (EMBARGOS DE DECLARAÇÃO>)

MARIANA CARVALHO e OUTROS, já qualificados á fia., por sua
advogada e bastante procuradora que esta subscreve, nos moldes do instrumento particular de mandato
já acostado, com os poderes da cláusula ad judicia et extra, com escritório profissional na Rua Santa
r ntimaçães e notU ções,
vencionia re
Catarina, 1.283, Sobreloja, Sala 01, em AvaréISP, onde
léncia, para
vem, com o máximo respeito e o devid acatam o, à honrosa presença de ossa
ofertar suas CONTRA-RAZÕES ao Reurso special inte.rposto por NILZE G UGLI SANCHEZ e
ARMEN YEGLIA ASDOURIAN, consubstan adas em anexo.

Ava

2

osto de 2014.

Rua Santa CatrLna, 1.283- Piso Superior- Sela 01 - AvaSP -Telefoem (14> 3732,1141 1373348021
z@avoa6sp.org br
o-mai: ~

TF b) aplicaçãio da Súmula n'28=tT.2.2007. de 341. a saber: CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA.br (e-STJ Fl.~ relativamente ao acórdão prolatado em 2* Grau. colacionando simples ementas de decisões que não podem ser utilizadas comno paradigmas. . cópia autenticadaou pela citação do repositório na disoível julgado de reprodução pela ainda ou divergente.OOO Recurso Especial Emérito Senhor Ministro. sombra de dúvidas.oabsp. Internet. este Colendo STJ já se pronunciou acerca do tema. o qual não deverá ser conhecido. 0 2006).T. desta Casa. haja vista que deixou o agravantede demonstrarcomo os artigos de lei~ra divergência Parágrafoúnico. Incidindo as Súmulas t*282 e 35~. pois. o prequestionamento. de mediante certidão. Tribunal Superior. ao não conhecimento da pretensão. dissidiojurisprudencial1 o recorrentefará a prova da em inclusive credenciado. RAZÕES DE AGRAVO INTERNVO QUE NÃO INFIRMAM OS FUDAMENTOS DA DECISÃO AGRAVADA. em que tiver sido publicada ou identifiuem que circunstâncias as em qualquer caso. não há como se determinar processamento do presente recurso especial. 11. pois contam com base tática diversa daquela dos presentes autos.Piso Supom1or . APLICA ÇÃO POR ANALOGIA. o § 2<1 do artigo 255 do Regimento Interno deste C. deixando ainda de proceder ao necessário cotejo analítico. os recorrentes não atenderam ao disposto no parágrafo único'. mencionando. A propósito. decisão a mídia eletrônica. não foram prequestionados.DF. com indicação da respectiva fonte. Ausente. Reconrente. 1. o que leva. PROFISSIONAIS DE NÍVEL MÉDIO. não atendidas as exigências legais o para seu processamento. posto que.c. nos seguintes termos.1153) .Saia 01 .Iefon.AvarélP . o que é expressamente vedado pela Súmula de nõ 07. e não permitido o reexame de matéria fática. ou oficial jurisprudência. n Ul nea dada assemelhem os casos confrontados. 1 .s (14) 3732A1141 fr1al: cda~ad. Redacâo 13733-4902 Rua Santa catadmna. Quando o recurso fuindar-se em.org.. O recurso ora interposto não reúne qualquer condição para ser conhecido por este Tribunal. Além disso. do artigo 5411 do CPC c.A decislfo agravada nego seguimento ao recurso especial com base nos seguintesfundamentos: aj ausncia de veaetonamento dos dWIsolilvos de ei tdos como volados. NILZE GUIDUGUI SANCHEZ e ARMEN VEGLIA ASDOURIAN Recorrido: MARIANA CARVALHO e OUTROS Embargos de Declaração nO 913829747.ÁKVÁ CUNHA JORGE SUTANA DIAS EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE BRASILIA .283 . os elementos contra os quais se insurgem os recorrentes. Documento digitalizado juntado ao processo em 26/12/2014 às 08:03:41 pelo usuário: JULIANE SIQUEIRA ALVES O recurso interposto também não merece guarida por pretender trazer à sem baila questão tática. -INSCRIÇÃO NO SÚMULA 182/STJ.

SUMULA 2821¶TF ~ DISSIDIO NÃO DEMONSTRADO . do Código de Processo Civil). Relator o Ministro HLAMILTON C4RVALHZIDO. 1. recurso especial Interposto com fundamento na alínea 'e' do perm~ivo constiucionaL 3.INDENIZAÇÃO . O Documento digitalizado juntado ao processo em 26/12/2014 às 08:03:41 pelo usuário: JULIANE SIQUEIRA ALVES conhecimento do recurso especial fundado na alínea 'e' do permissivo constitucional requisita a QEMONSTRAÃAO ANALÍTICA da dIvrgncIa Jurisprudencial Invocada.e e) aplicação da Súmula 071S TI. AUSÊNCIA PRÁTICA COMPROVAÇÃO DA DIVERGÊNCIA JURISPRUDENCIAL.oabsp. parágrafos1P e 2". 2 Em ínexistindo a prova da alegada divergência nãio se conhece do jurisprudencial (artigo 255. do RIS TW)9. -Recursoespecial não conhecida"1 (STJ ..Agravo regimentalnão conhecida. o agravantelimta-e apenas a defender a tese de que deveria ser afastada a Incidência do enunciado sumular n" O7ZYTJ.br .283 .RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO AUSÊNCIA DE PREQUESTIONAMENTO . valeu-se do substrato fáticoprobatóriodos autos.Piso Superior .(STJ .tenham dado Interpretação discrepante constitui óbice ao exame do recurso especial fundado no permissiva constitucional da alínea 'c'.REVISÃO DO QUANTUM FIXADO - IMPOSSIBILIDADE - MATÉRIA DE PROVA Rum Santa Catarina. III . deixando Incólumes os outros óbices apontados. a simples transcrição de ementas (artigo 541.AgRg no REsp 1069900XVP AGRA4 VO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL 2~0'139551-9 .do enunciado sumular no 182 deste STJ IV.Sala 01 .REsp no 46&. Julgamento23/09/2008 Data da Publicaçã7o/FonteDJe 06/1012008) FALCÃO "RECURSO ESPECIAL ADMINISTRATIVO. por Intermédio da transcrição dos trechos dos acórdãos que configuram o dissdi e da Indicação das circunstâncias que identificam ou assemtelham os casos confrontao. não se oferecendo.recorridoe paradigma. Afalia de particularIzaçãodo dispositivo de leifederal aque os acórdãos .944/R4. I. E DE DEMONSTRAÇÃO FORENSE. 1. CONCURSO PÚBLICO. visto qu e nãdo foi rebatidoo argumento utilizadopela Conte a qua parafundamentar a ausência de direito líquido e certo à sua inscriçãono Conselho Regional de Farmácia. os quais são suficientes para manter o deelsum ora vergastado. visto que o Cole~ld de origem.Tolefoneam (14) 3732-11411/3733-M92 . como bastante.(e-STJ Fl.Relator(a) Ministro FRANCISCO (1116) órgão Julgador TI .mim cda@adv.Aplicação. DIU de 12/5/003)""PROCESSUAL CIVIL . 4) IncIdéMncia do óbice su mular n' 2831STF. por analogia.Avur~S . parágrafoúnico.or. para expressar a ausência de direito do agravante. Inteligência do enunciado no 284 da SúnmIa do Supremo Tribunal Federal 4.1154) ÁVÁ 3t CUNHA JORGE SUTÃNA DIASi violao pelo Tribunal de origem.PRIMEIRA TURMA Data do.Em seu agravo Interno. c) dissídIo jursprudencild não demonstrado.

nenhuma razão assiste aos recorrentes. pois se baseia em argumentos aleatórios. pois. Emérito Senhor Ministro. O respeitável acórdão preferido foi muito bem lançado. pois. Incidência da Súmula 2824STF. Não há como esta Cone analisartese que não foi discutidapelo Tribunal de origem. Impõe-se a divisão do Onus da sucumbência. nesta parte. ser-lhe negado seguimento. Portanto. denotam-se meramente procrastinatórios os argumentos expendidos. 4 Caracterizada a sucumbêncla recíproca. Emérito Ministro.PIso Superior . são mendazes. Inviável o recurso especial se o exame da questão suscitada exige revolvimento de aspectos fátlcos-probatórlot 4plicaçelo da Súmula 7iSTJ.org. Na realidade. no mérito melhor sorte não está reservada aos recorrentes. Se superadas tais teses. o que se admite tão-somente como argumento. 541 do CPC e 255 do RISTJ. razão pela Rua Santa Catarina. em que pese os argumentos dos recorrentes.4902 e-mali: cda®adwoab~p.(e-STJ Fl. as matérias aduzidas pelos recorrentes. 5. decisão de 20 Grau não merece reforma alguma.Telefones: (14)3732-1141 13733. nenhum direito lhes socorre. 3. mediante a realizapio do devido cotejo analítico. devendo. enfrentadas todas as questões que levaram a formar o convencimento do Nobre Desembargador prolator deste. em percentual a ser definido na fase de execução. como se demonstrará. não provida (REsp 993702/ PE RECURSO ESPECIAL 2007/0234361-9 Relator(a) Ministra ELLINÃ CALMON (1114) Órgão Julgador 12 SEGUNDA TURMA Data do - Julgamento 02/09/2008 Data da Publicação/Fonte DJe 13/10/2008)" Por essas razões. maxima venia concesse. Ainda. além do que visam protelar o normal andamento do feito. 2 Não havendo a recorrente demonstrado. vez que. que contrariam escancaradamente o ordenamento juridico vigente.1155) flui ÁVÁ CUNHA JORGE SUTANA DIAS & flflVOSADOS SUCUMBENCL4 RECÍPROCA 1. o recurso especial interposto não refine condições mínimas á sua admissibilidade. sendo suas assertivas desprovidas de lógica elou fundamento legal. pois que agiu acertadamente não acolhendo a apelação Interposta pelos requeridos. resta desatendido o comando dos arts. Documento digitalizado juntado ao processo em 26/12/2014 às 08:03:41 pelo usuário: JULIANE SIQUEIRA ALVES A r.hr 4 . por todos os ângulos que se possa analisar o presente caso. a exlstõncla de similitude das (SÚMULA 7XS Ti) - circunstâncias fáticas e do direito aplicado nos acórdãos recorrido e paradigmas. 1.Avarê/SP . Recurso especial parcialmente conhecido e.Sala 01 . o recurso apresentado é absolutamente infundado e inoportuno. Assim.283.

pelos fatos e fundamentos exortados no preâmbulo destas contra-razões (ausência manutenção da de admissibilidade do recurso).253 . Pela condut Documento digitalizado juntado ao processo em 26/12/2014 às 08:03:41 pelo usuário: JULIANE SIQUEIRA ALVES S De rigor.(e-STJ Fl. não houve em momento algum negativa de vigência a qualquer o preceito legislativo federal. pois.AvmréI5 . ou ainda. sorte. recurso especial interposto pela parte ex-adversa não merece ser conhecido e quiçá. Rguer. oes§ual. e-mai: cda@adl&oa. decisão prolatada pelo Tribunal a <pio.Piso Superio . o não conhecimento do apelo ndições extremo.Tel~mon.orgbr (14> 3732-1141 /373>4902 5 . para a hipótese remota de seu processament de tal r. Destarte. devem ser desconsideradas por Vossa Excelência. e muito menos. a tão decantada e conclamada J U S T 1Ç A 1 Rua Santa Catarina.1156) z CUNHA JORGE SUTANÁ DIAS qual.Sal 01 . razão pela qual. 1.realizando-se. por seus próprios e jurídicos fundamen . comprovação do dissídio jurisprudencial. provido. bala vista a InterDos!Cão de recurso manífestamrente e desprovido de fundamento. sojam os recorrentes condenados protelatórl nas penas-pela litipáncia de má-fé. num primeiro momento.