ANÁLISE COMPARATIVA DAS TEORIAS DE DESCARTES E DE HUME

DESCARTES

HUME
Todo o conhecimento procede da experiência e todas as ideias acabam por ter uma origem empírica – empirismo. Deste modo, também as ideias que conduzem a proposições evidentes e necessárias (relações de ideias) derivam, em última análise da experiência. Não existem ideias inatas. Todas as ideias derivam das impressões. As diversas operações da mente baseiamse nos princípios da associação de ideias: a causalidade.

ORIGEM DO CONHECIMENTO

A razão é a fonte do conhecimento verdadeiro – racionalismo. Devidamente guiada pelo método, a razão poderá alcançar conhecimentos evidentes, claros e distintos, independentes da experiência.

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

Para além das ideias factícias e adventícias, existem as ideias inatas. A partir destas últimas, é possível obter o verdadeiro conhecimento, mediante as operações fundamentais da mente: a intuição e a dedução.

POSSIBILIDADE DO CONHECIMENTO

A realidade a que temos acesso Usando a dúvida, Descartes reduz-se ao âmbito das adoptou um cepticismo percepções. A capacidade metódico. cognitiva do entendimento Mas, uma vez que depositava humano limita-se ao âmbito do inteira confiança na razão, provável, pelo que nos podemos, de certo modo, inseripodemos nos encontrar no lo no quadro do dogmatismo. campo do “cepticismo mitigado”. Dado que é construído com base na indução, o conhecimento universal é uma mera probabilidade. É pouco provável, mas não impossível, que de premissas verdadeiras resulte uma conclusão falsa. Não pode ser afirmada como realmente existente qualquer realidade que não tenha uma impressão correspondente.

VALIDADE DO CONHECIMENTO

O conhecimento é necessário e universal desde que seja intuitivo e dedutivo. Só é real, a ideia ou o conhecimento que dela for deduzido.