You are on page 1of 6

Curso: Direito

Disciplina: Direito Empresarial III – Falência e Recuperação de Empresas
Professora: Silvia
* Roteiro de Aula – não substitui consulta a doutrina
RESUMO DA AULA ANTERIOR
• Falência é um estado em que o devedor é responsável por mais dívidas do que os bens que
possui.
Pode se conceituar a falência como um processo de execução coletiva contra devedor empresário
ou sociedade empresária insolventes.
• A insolvência é um estado em que o devedor tem prestações a cumprir superiores aos
rendimentos que recebe. Não cumprindo suas obrigações atempadamente. Uma pessoa ou
empresa insolvente poderá ao final de um processo ser declarada em definitivamente insolvente,
em FALÊNCIA ou em RECUPERAÇÃO.
Pressupostos do Estado Falimentar de Direito
Sujeito passivo – empresário e sociedade empresária (1º pressuposto)
APLICABILIDADE DA LEI 11..101/2005
art. 1 º da Lei 11.101/2005
DEVEDORES SUJEITOS A FALENCIA:
Se aplica a: Empresários individuais e sociedades
empresárias. (art. 966 CC).

A LEI FALIMENTAR NÃO se aplica: sociedades
simples; empresas públicas economia mista,
instituições financeiras (bancos), seguradoras,
planos de saúde etc. (ART. 2º)

No conceito do artigo 966 do CC, enquadram-se os que exploram atividade dos mais variados
segmentos:
→ Supermercado, hotel, atacadista de gêneros alimentícios, varejista de roupas, fábrica
de calçados, estacionamento, agência de publicidade, concessionária de automóveis,
construtora, restaurante, editora, livraria, indústria química, farmácia etc. (Fábio Ulhôa,
26ª ed – pag. 357).
→ Os profissionais liberais, advogados, médicos, engenheiros, economistas, contadores, artistas, o
explorador de atividade rural (agricultura,pecuária, extrativismo etc.) (CC, art. 966, parágrafo
único, e 971), entre outros, não estão sujeitos à falência e a recuperação judicial, vez que não são
considerados empresários.
Obs: (a sociedade simples (art. 982 CC) o seu objeto, firmará a sua natureza).
– art. 966, par. Único do CC – salvo se o exercício da profissão constituir elemento empresa”. (elemento
empresa: reunindo os fatores produtivos: empresários-(capital), força laboral (empregados), estabelecimento e
atividade voltada para a produção e circulação de bens ou de serviços).
UNIVAG/DIREITO

Direito Empresarial III – Falência e Recuperação Empresarial

1|Pág ina

obrigação líquida materializada em título ou títulos executivos protestados cuja soma ultrapasse o equivalente a 40 (quarenta) salários-mínimos na data do pedido de falência”. considerados falimentares Ajuizado o pedido de falência. Pelo contrário. → O protesto é imprescindível para a caracterização da impontualidade. a partir de elementos externos que seriam indicadores da situação falimentar: ● Impontualidade no adimplementos de obrigações.protesto. → 3. Com a prova formal da inadimplência . De acordo com a legislação.492/97: “Protesto é o ato formal e solene pelo qual se prova a inadimplência e o descumprimento de obrigação originada em títulos e outros documentos de dívida” O protesto é condição necessária para o pedido de falência do devedor empresário? → O que caracteriza o chamado estado de falência é a insolvência. quando a insolvência é confessada pelo devedor. A impontualidade injustificada está claramente prevista no inciso I do art. 94. Causas de pedir no processo falimentar (elementos do pedido): O Direito não espera a comprovação inequívoca da insolvência.falência. ● Verificação de execução frustrada ● Prática de determinados atos. e demais normas específicas para liquidação de determinados segmentos empresariais.O que é Elemental para a configuração do empresário? Em conformidade com o artigo 967 do CC – o arquivamento no registro próprio – ou seja: o Registro na Junta Comercial da Sede da Empresa ● Os excluídos da Incidência da Falência e Recuperação Judicial: → Para as empresas e atividades excluídas da incidência da Lei de Recuperação não há a hipótese de falência e sim dos procedimentos previstos nos artigos 711 a 713 do Código de Processo Civil.101/05. demandando quase sempre provas intrincadas. 1º. que prevê a possibilidade de decretação da falência do empresário quando o mesmo: “sem relevante razão de direito. como perícia contábil etc. 3. salvo pedido de auto . A impontualidade é apenas a exteriorização deste estado. isso seria extremamente difícil. não paga. Títulos PRÓPRIOS para o protesto com finalidade falimentar: UNIVAG/DIREITO Direito Empresarial III – Falência e Recuperação Empresarial 2|P á g i n a . no vencimento. da Lei 9. considera-se o devedor juridicamente insolvente quando ficar caracterizada uma das situações do artigo 94 da Lei 11. Obs: se num pedido de falência o autor tivesse que demonstrar a insolvência real do devedor.1 Requisitos para demonstrar a impontualidade injustificada: PROTESTO do título: Art. aceita-se que a demonstração do estado falimentar se faça por presunção relativa (iuris tantun). popularmente denominados de "concurso de credores". o autor terá que demonstrar que o réu está insolvente.

desde que o recebimento fique assegurado e comprovado através de protocolo. → A norma não traz procedimento específico para o protesto para fim falimentar. procede-se à sua liquidação. mesmo que conste do mesmo a declaração de devolução da instituição financeira). Obs: Tíulos executivos judiciais – art. 94 da LF. Neste sentido já decidiu o Superior Tribunal de Justiça que é possível o protesto especial de uma decisão judicial. o título executivo será examinado em seus caracteres formais e terá curso se não apresentar vício. Além de permitir o pedido de falência do devedor com fundamento na sua impontualidade injustificada. a duplicata não aceita.Títulos de Dívida: Líquida/Certa e Exigível ● Qualquer título executivo (que o credor possua contra o devedor). 23 da lei diz que serão anotados em um único livro.2. com os títulos executivos. ● Cheque (o protesto é indispensável. 94. contendo as anotações do tipo e do motivo do protesto. Súmula 248 . (art. 585 CPC. para fins de instruir o pedido de falência. Embora o art. 475-N do CPC. Títulos executivos extrajudicial . → Apresentado para o protesto. 14 lei 9. OBS: O Superior Tribunal de Justiça já definiu ‘SER OBRIGATÓRIA A IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR NA NOTIFICAÇÃO DO PROTESTO’. no endereço fornecido pelo apresentante do título ou do documento (art.791-MG Informativo nº 22/1999).” O Pedido de falência fundado na impontualidade do empresário ou sociedade empresária deve ser instruído. O Tabelião expedirá a “intimação” (letra da lei) ao devedor. mas protestada é título hábil para instruir o pedido de falência. A competência para protestar o título é privativa do Tabelião de Protesto de Títulos.jurisprudência dominante do STJ: “comprovada a prestação dos serviços. exibidos no original ou por cópias autenticadas se estiverem juntados em outro processo. Com efeito: UNIVAG/DIREITO Direito Empresarial III – Falência e Recuperação Empresarial 3|P á g i n a . AR ou documento equivalente. ● Duplicata (quando não aceita. Súmula 361. Considerando-se cumprida quando comprovada a sua entrega no mesmo endereço. a legislação falimentar também permite que o pedido seja baseado na INÉRCIA do devedor após sua citação em processo regular de execução (art. 3.482/97.art.492/97). Sob pena de inviabilizar o pedido de falência. (Resp 203. A intimação por um portador do Tabelião ou por qualquer outro meio. protesto + comprovação de entrega de mercadorias). por força do art. acompanhados dos respectivos instrumentos de protestos para fim falimentar nos termos da legislação específica – Lei 9. 475-A CPC). II). ● Se o título não comporta protesto (ex: sentença Judicial ou um contrato). Quando a sentença não determinar o valor devido.

depositar o valor correspondente ao total do crédito. o devedor poderá apresentar contestação no prazo de 10 dias”. o devedor poderá. Obs: (Defesa de natureza processual-antes de CPC). como na hipótese do tópico anterior. De posse da certidão.A falência não será decretada. É o disposto do artigo 98. que se caracterizam pela tríplice omissão do devedor quando citado em processo executivo. devidamente corrigido e acrescido de juros e honorários.“executado por qualquer quantia líquida. basta o credor requerer a certidão junto à vara em que a execução tramita (certidão prova a inexistência da garantia da execução). 95. no prazo da contestação. ● Nessa situação a legislação não exige valor mínimo para a dívida.. caso julgado procedente o pedido de falência”. pode o devedor argüir MATÉRIA RELEVANTE-ART.3 Requisitos (pedido com base na execução frustrada) Nesse caso. não paga. 3. julgando extinta a ação. UNIVAG/DIREITO Direito Empresarial III – Falência e Recuperação Empresarial 4|P á g i n a . pode-se ingressar em juízo a ação falimentar fundada no permissivo da norma em análise.dentro do prazo da contestação o devedor pode pleitear o pedido de recuperação judicial. parágrafo único: “nos pedidos baseados nos incisos I e II do caput do art.4 – Depósito Elisivo Citado. Ressalte-se que nesse caso a ação de falência constituirá processo autônomo. o devedor terá o prazo para apresentar sua contestação: prevista no artigo 98 : “citado. Trata-se da Execução Frustrada. assegurando-se de que o juiz não decretará de maneira alguma. OBS: ver art. 96 da LF) se provada evitara a FALÊNCIA. 3. e não mero incidente do processo de execução. acrescido de correção monetária. juros e honorários advocatícios. ● CONTESTAR SEM DEPÓSITO: A Falência será declarada. E no foro competente (Vara Especializada da Falência e Recuperação de Empresa). O juiz determinará o levantamento da quantia depositada em favor do requerente. não deposita e não nomeia bens à penhora bens suficientes dentro do prazo legal”. 94 desta lei. hipótese em que a falência não será decretada e. na eventualidade de as alegações da defesa não resultarem provadas. Soluções para o devedor na ação falimentar : ● DEPOSITAR SEM CONTESTAR . ● DEPOSITAR E CONTESTAR: A falência não será decretada. No prazo de resposta. A falência será requerida em ação própria.. o devedor pode elidir a falência. A elisão é feita com o depósito em juízo do valor da dívida reclamada no pedido falimentar.. deslocando-se a ação para discussão da legitimidade do crédito. (Na defesa de mérito.

visando alterar configurações geográfica da relação jurídica. frustrar a fiscalização ou prejudicar credores (94 III d). 95. coberto): art. → Causas de pedir no processo falimentar (elementos do pedido): Insolvência e Atos de Falência. por atos inequívocos (por ações). Hipóteses destes atos ocorrer se houver. é sua mudança de lugar. a) Liquidação precipitada: (operação apressada. (bens materiais). desde que sem o consentimento de todos os credores e sem ficar com bens suficientes para resolver seu passivo. bens suficientes para responder pelo seu passivo. ou ainda. que realizou ou tentou realizar.101/05. Se o empresário promove a liquidação do negócio de forma abrupta incorre no tipo legal. se o empresário tenta retardar pagamentos ou fraudar credores por meio simulado. Do contrário estão afastadas as condições para a decretação da falência. de que trata o art. ceder bens imateriais. desordenada). Obs: é preciso demonstrar. Atos de Falência: (Procedimento para decretação da falência): Em relação aos atos de falência. (art. Art. par único CC: A caracterização do ato falimentar. mudança de domicílio. 167. pratica ato de falência o empresário ou sociedade empresária que transfere estabelecimento (o estabelecimento ou um estabelecimento). o seu estabelecimento comercial. 94 III da LF. descontar títulos. aqui. deve-se considerar que são todos comportamentos que. b) Negócio simulado (disfarçado. III. art. fingido. exige dolo específico: A intenção consciente de criar uma situação de insolvência em prejuízo de credores. tenta alienar. em seu patrimônio. parcial ou totalmente. 94. b. 94 III c). das obrigações assumidas no desempenho das atividades empresariais. Obs: Com efeito. no comportamento descrito no artigo 94. UNIVAG/DIREITO Direito Empresarial III – Falência e Recuperação Empresarial 5|P á g i n a . da Lei 11. é dar expressão pecuniária à relação jurídica ativa: vender coisas a preços vis. Incorre em ato de falência o empresário que muda o local de seu estabelecimento com o intuito de fraudar a legislação. (Trespasse irregular. 1145 CC). o estabelecimento empresarial é garantia genérico. Liquidar.● REQUERER RECUPERAÇÃO JUDICIALl. portanto. também estará praticando ato de falência o empresário que emprega meios ruinosos (pagamentos onerosos/juros excessivos)ou fraudulentos para realizar pagamentos. d) Simulação de transferência de estabelecimento: A transferência de seu estabelecimento. 4. Impontualidade. salvo se conservar. Portanto. III b). c) Alienação/Transferência irregular de estabelecimento: o empresário que aliena o seu estabelecimento comercial sem o consentimento de seus credores. estará incorrendo em comportamento tipificado como ato de falência (art. pressupostamente. revelam a insolvência entendida como estado patrimonial do devedor empresário.

. testemunhas. sem que tenha meios de saldar seu passivo. condicionada a decretação da quebra à prova inequívoca de ausência de outros bens livres e desembaraçados. (art. 94 III f). F) Abandono do estabelecimento comercial: sem que tenha o empresário constituído procurador bastante. juntando-se as provas que houver e especificando-se as que serão produzidas. A prova. C/C art. Obs: ver. o pedido de falência descreverá os fatos que a caracterizam. inclusive a perícia. Esse ato importa a caracterização de ato de falência de responsabilidade desta. Art. Considera-se cenário presumivelmente caracterizador de insolvência empresária o afastamento físico e jurídico da empresa.e) Garantia real: dá ou reforça garantia dada a credor. abrangerá igualmente todos os meios lícitos ao alcance do credor. para quitação de suas obrigações. penhor. tais como documentos. 94 III e) Obs: constituir-se-á prova suficiente para requerer a falência a certidão de hipoteca. UNIVAG/DIREITO Direito Empresarial III – Falência e Recuperação Empresarial 6|P á g i n a . com recursos suficientes. (art. etc. RESUMO: → Quais os documentos necessários para instruir o pedido de falência do devedor que pratica atos considerados fraudulentos pela Lei falimentar? art. jurídico: a inexistência de representante com poderes suficientes para o exercício da empresa. hipótese de o requerente ser empresário. equivalentes ao passivo do devedor. → PETIÇÃO INICIAL REQUISITOS • • • • • • • Juiz que é dirigida Qualificação e endereço do autor e réu Os fatos O pedido e seu enquadramento legal Especificação das provas que pretende produzir Requerimento para citação do réu Valor da causa DOCUMENTOS • • • • Procuração Ad Judcia Título de obrigação líquida Instrumento de protesto Certidão do Registro de Empresa (Junta Comercial). 94 § 5o Na hipótese do inciso III do caput deste artigo. Obs: Tentativa de ocultar-se de seu domicílio. 94 parágrafo 2º. para comprovação de tais fatos. 5º.