You are on page 1of 193
a ay iY} ne Mmecanica een) VAs e ue PAU Ore y, PPT IL en ee NRE e eT LL LLLL Automotive Informagao profissional ae Astra 2.0 Flexnower Neco Eee ero ute enema on ke ean ace ea aes i d Ce Cece mere Risin eRe ee ence ore Piece ete eae Oe eaten Teese es ES RCA ORS MC OnE RC RUT OTe et rcs dentro de suas instalagdes, para trazer até vocé o detalhamento de seus sistemas elétricos, eletrénicos ¢ mecénicos. Mecanica 2000 desenvolveu testes especificos para proporcionar diagnésticos confidveis de forma simples e pratica. Diversos procedimentos de desmontagem ¢ Pe cn SOR OM CUM Mic ia te nM Oc tence? identificagao dos conectores elétricos. O sistema de injego eletronica do Astra foi estudado e testado de diversas formas. Os resultados PO eee eae eee eRe een Oe ee mune nn selene oe O sistema elétrico do veiculo foi integralmente conferido pela equipe técnica e esta apresentado Ronee INU MeN Teen Semen eeM ON eet test dts Agradecemos pela confianga de nossos leitores, parceiros, patrocinadores e de todo aquele que direta ou indiretamente contribui para 0 sucesso da Mecénica 2000. Desejando que nossos esforgos possam ser convertidos em beneficios para os nossos clientes - profissionais da Ree Re een Ce Cen Oe ren nen emcee nT Real en ee eRe ee ree re en cE) Compe eettorial Diregao geral: Marcley Lazarini Desenvolvimento técnico: Barbara Brier / Paulo Diniz/ Rodrigo Bekerman/ Thiago Tavares Programagdo Visual: Fabiana Bomtempo Capa: Pedro Bonneau Realizacao Parceria ' ott Automotive CENTRO DE PE ea " DE TECNOLOGIA MECANICA © serie ae @ BOSCH '31280-000 - Belo Horizonte - MG Televendas - (31) 3123-0700 www.mecanica2000.com.br Apoio LSPA. & i ax Gp i | REL a rE Lj P£TROBRAS RODAVELE SCHADEK (MTE-THOMSON: Ficha técnica Ficha técnica do velculo % Manutengao periddica J Sistemas Mecdnicos Andlise de gases 8 ‘Substituigao da correia dentada n Cabegote do motor 16 Embreagem 23 Diregao Hidréulica a ‘Suspensao al Freios 2 47 ‘Sistema de arrefecimento_ 52 Substituicdo da bomba d'égua t 85 ‘Substituigaio da bomba de dleo 58 ‘Sistema de alimentacao de combustivel e recuperagdo de vapor 63 Torques de aperto = 68 Sistemas elétricos Central de relés e fusiveis 73 Conectores auxiliares 78 Pontos de aterramento 85 ‘Quadro de instrumentos 88 Mostrador de informagdes tripio TID 90 Diagramas elétricos ‘Comutador de igni¢ao 90 ‘Tomada de diagnéstico 90 Imobilizador 91 Motor de partida/alternador 91 Faroletes e luzes de placa 3 92 Farol baixo 93 Farol alto 94 Luz de nebiina traseira 95 Luzes de freio 96 Luz de ré 97 Selas 98 Tomada de 12V 100 Luzes de cortesia 401 Buzinas 102 Limpador e lavador do para-brisa 103 Desembagador do vidro traseiro 104 Retrovisores elétricos 104 Ventilador intemo e sistema de ar-condicionado 405 Eletroventilador do radiador e ar-condicionado 106 Travas elétricas 107 Vidros elétricos 109 Teste de baterias 3 amt Injegao eletrénica Osciloscépio digital 12 ‘do médulo de comando 115 KTS 160 BOSCH 116 Localizagao dos componentes da injego eletrénica 118 Recursos do scanner 122 Testes passo a passo ‘Item 01 - Médulo de comando (MC) 129 Item 02 - Sensor de oxigénio (HEGO) 134 tem 03 - Sensor de temperatura do liquido de arrefecimento (ECT) 137 item 04 - Conjunto medidor de densidade (CMD) 140 tem 05 - Sensor de posicao do pedal do acelerador (SPA) 145 Item 06 - Borboleta motorizada (ETC) 150 tem 07 - Sensor de posicao da arvore de manivelas (CKP) 155 Item 08 - Eletroinjetores (INJ) 158 ‘tem 09 - Sistema de alimentacao de combustivel (SAC) 161 ltem 10 - Eletrovélvula de purga do canister (GANP) 165 Item 11 - Bobina de ignigao (DIS) 169 Item 12 - Sensor de velocidade (VSS) 173 Item 13 - Sensor de detonacao (KS) 176 Item 14 - Sistema de partida a frio (SPF) 178 Item 15 - Interruptor do pedal da embreagem (CPP) = 181 Item 16 - Interruptor do pedal do freio (IPF) 183 ‘Tabela de valores ideais 186 Diagrama elétrico da injegao eletronica_ 188 Avaliagao Teste seus conhecimentos 193, Tempos Aspiragao Numero e disposi¢ao dos cilindros ‘Ordem de ignigao Diametro do cilindro Curso do émbolo Cilindrada total Cilindrada unitaria Razo de compressao Numero de valvulas por cilindro Acionamento da distribuicao Poténcia do motor Torque maximo Rotagao da marcha lenta Rotagdo de corte de combustivel Material do cabegote Material do bloco do motor 4 Natural = 4emlinha 1-3-4-2 86 mm 86mm 1,998 cm? 499,5 cm* Anse 2 _ Por correia 121 ev a $200 rpm (gasolina) 127,6 cv a 5200 rpm (Alco!) 179 cv a 2600 rpm (gasolina) 192,3 cv a 2400 rpm (Alcool) 850 + 50 rpm 6400 rpm Liga de aluminio * Ferro fundido Tipo de lubrificante leo de especificacao API-SJ ou superior e viscosidade ‘SAE 5W30, 5W40, 15W40, 20W40 ou 20W50_ Bomba de dleo Bomba de engrenagens 2 bar (1400 rpm) Pressao de lubrificagao. 4,8 bar (3000 rpm) E 4,5 L (com filtro) 2 Capacidade do sistema 428 come) Injegdo eletrénca de combustivel Motronic ME7.9.6 Tipo de bomba de combustivel Elelétrica Reservatério de partida a frio OSL Tanque de combustivel 52L Reserva do tanque de combustivel 6L Pressao da bomba de combustivel 3,8 bar Bateria (capacidade) 12 V, S5Ah Alternador 120A Velas NGK BPRGEY Folga dentre os eletrodos das velas 0,80 mm - Tipo da bomba d’égua Centrifuga Tipo da valvula termostatica Restritor de fluxo por desvio / by pass Presso de alivio da tampa do radiador 120 a 150 Kpa Inicio de abertura da valvula termostatica 922°C Capacidade do sistema Proporgao do fluido de arrefecimento 7L (com ar condicionado) 40% de aditivo para radiador e 60% de agua tem z Valor Nominal Caster oe e 2°30" ate 4°30" Camber () 2° 20' até (-) 1° Camber. : ()0,9mmate1.3mm (-)19 55' até 1° 20° = = ~ ()1,0 mm até 3,0 mm eS 195/60 R15 33 Ibs/pol (2,3 Bar) 43 Ibs/pot (3,0 Bar) - com carga Tipo de lubrificante leo sintético para transmissdo SAE 75W Relago de transmissao do diferencial : aaa awe ae Hidraulico, com duplo circuitos independentes ee, ; distribuidos em diagonal e auxiliar a vacuo Diametro do servofreio . er 254 mm : Fluido de freio Fluido sintético, classe DOT 4 Intervalo de troca do fluido de freio o ‘A cada dois anos ou 30.000Km Capacidade do fluido de freio 0,50 L in Sa a Sistema Disco sdlidos ventilados, com pinga flutuante Espessura nominal do disco de freio 24mm NN Sistema ‘Tambor simplex Diametro nominal do tambor Be 230 mm Largura nominal do tambor 40 mm Diametro do tambor de freio(freio disco na traseira) : 160 mm ee ‘Com comando mec&nico, acionado por cabos, ees Aenea Ce 4,5 L (com filtro) ah ‘ sapere 4,25 (sem filtro) : Caixa de mudangas 1.6L Diregao hidréulica O7atL Tanque de combustivel (inclusive reserva) 58L Reserva do tanque de combustivel 6L Fluido de freio 0,50L Lavador de para-brisa z 23L és reftigerante do ar-condicionado 700g Tipo de éleo lubrificante do compressor do A/C Fluido sintético Tipo do gas reftigerante do ar-condicionado R 134A ‘Oleo do compressor do ar-condicionado 072L ‘Sistema de arrefecimento 7L (com ar-condicionado) fl ~ Wye cane? 2000, com. OF Teste de rodagem: verificar 0 veiculc quanto a eventuais irregularidades. Fazer antes e depois da revisio. Motor e transmissio: verificar quanto a eventuais vazamento: Velas de igni¢ao: inspecionar. Velas de Igni¢ao: substituir. Correia dentada da distribuigao: verificar o estado @ 0 funcionamento do tensionador automético, Correia dentada da distribulgao: substituir. Correias de agregados (acessérios): verificar estado, e Correias de agregados (acessérios): substituir. 8 Filtro de ar: verificar 0 estado, se necessério efetuar a troca. ee Filtro de ar: substituir 0 elemento. Filtro de combustivel (externo ao tanque): substituir. e Pré-filtro de combustivel (gargalo de abastecimento): substituir. Pré-filtro de combustivel (pescador da bomba de combustivel): verificar e efetuar a limpeza. leo da transmissao: verificar o nivel e completar, se necessario. e Teste de emissio de poluentes: efetuar 0 teste verificando os valores: de funcionamento do motor eo estado dos componentes relacionados 4s @ ‘emissdes de poluentes. Frelos: verificar quanto ao desgaste das pastilhas e discos. e Frlos: verificar quanto ao desgaste das lonas e tambores, Frolos: verificar o estado das tubulacbes e mangueiras e corrigir * eventuais vazamentos. Freios de estacionamento: verificar @ regular, se necessario. = Lubrificar as articulagées dos liames e cabos. Frelos: substituir 0 fluido. Amortecedores: verificar quanto a fixagdo e eventuais vazamentos. @ ‘Sistema de diregdo: verificar quanto a folga e torque nos parafusos. Verificar os protetores de po da cremalheira da caixa de direg3o quanto a vazamentos. GuarnigSes e protetores de pé: verificar 0 estado, posicionamento © eventuais vazamentos. Preus: verificar a pressio de enchimento, desgaste e eventuais avarias. Efetuar rodizio, se necessario. ‘Sistema condicionador de ar ou sistema de ventilagao: substituir 0 filtro de impeza de ar. Sistema condicionador de ar: verificar 0 ‘mangueiras © corrigir eventuais vazamentos. Dobradicas, limitadores e fechaduras das portas e capé do motor: lubrificar. Drenos da parte inferior das portas: desobstruir se estiverem entupidos. Portas: aplicar grafite nas fechaduras. Carrogaria @ parte inferior do veiculo: verificar quanto a eventuais avarias, danos na pintura e na protegao contra corrosdo. Cintos de ranga: verificar cadarcos, fivelas e parafuscs de fixacao quanto ao estado de conservacde e funcionamento. stado das tubulagSes © eeceeeee @ eeeeeeee @ eeoeeseev ee @ eeeeevoev e808 @ @eeeeeee @ @eeeseeoeeee @eeeeeoee@ @eececseeoeeese @ee0eee ee @ eeoeeseev eee @ Sistema elétrico: verificar a ocorrancia de falhas nos sistemas existentes através dos cédigos de falhas registrados na memoria do MC, painel de instrumentos. Huminagao e sinalizagao: verificar os equipamentos quanto a0 funcionamento. Lavadores @ limpadores dos vidros: verificar o nivel do reservatorio, ‘estado das palhetas © 0 funcionamento do sistema. Stim ris 2 ee oF Faris: verificar a regulagem do foco. eoeoeceecoeeece ‘Acada 7.500 km ou 6 meses, para condigdes severas de uso. Acada 15,000 km ou 12 meses, para condigoes amenas de uso. Trocar 0 filtro de leo de motor na 1" troca de leo. As sequintes, a cada duas trocas de dleo do motor. D a Sistemas Mecanico © Analisador de Gases ¢ um equipamento muito eficiente que agiliza e facilita 0 diagnéstico de falhas no motor ¢ nos seus sistemas auxiliares. Ele € capaz de quantificar os gases que compdem o produto da Abaixo estiio apresentados os grificos que representam as emissGes dos quatro gases residuais identificados pelo Analisador de Gases, em porcentagem volumétrica e em partes por milho. combustio dos motores. co, Emissio de CO, co Emissio de CO } HC Emissao de HC 0,8 1 1,2 a combinagdo quimicamente correta para a perfeita queima dentro da _cdmara de combustio (Lambda = 1). Mistura pobre - ocorre quando a quantidade de oxigénio é superior & necesséria para a combustio (Lambda> 1). Mistura rica - ocorre quando a quantidade de oxigénio é inferior & necesséria para a combustio (Lambda< 1). : HC - sio os Hidrocarbonetos (hidrogénio + carbono) presentes nos combustiveis que nao foram queimados na camara de combustio. Pode estar associado tanto na mistura pobre como na rica. Quanto menor o valor de HC melhor aeficiéncia da combustio. , - quando a mistura é estequiométrica, todo oxigénio que participa da combustdo reage com 0 combustivel. Sendo assim, quanto menor ovalordeO, melhora eficiéncia da combustiio. CO, - éum gis residual da queima da mistura ar/combustivel. Seu valor deve estar proximo de 15%, indicando uma excelente combustao. CO - é um gis indesejado (téxico) residual da reago quimica da mistura ar/combustivel. Geralmente associado mistura rica, onde a falta de oxigénio impede a formagao completa do CO, Valores elevados podem estar associados ao mau funcionamento do catalisador. Quanto menor sua concentrago melhor. fitstan las) 2000 aS Analisador de gases BEA 724 O BEA - 724 possibilita 0 monitoramento dos gases de escape, rotagao do motor, temperatura ¢ io atmosférica e temperatura do motor. A partir desses dados, pode-se avaliar o nivel de emissio eis falhas no sistema de injegao eletronica ou desgaste no motor. CO corrigido Diluigéo Oxidos de Nitrogénio Fator Lambda (A) Tnterface do programa deanilise de pases, stema de analise de emissoes =A 734 _ sistema de andlise de emiss6es totalmente em conformidade com a BOSCH a¢4o brasileira, para veiculos a gasolina, alcool, GNV e diesel. Tecnologia paraa vida = PRmOMOEAD INFOTEC GATES DIAGRAMAS DE MONTAGEM DE CORREIAS SINCRONIEADORAS JA FORAM 4 FASCICULOS: 5° Faseiculo CONTINUE ae SANDO! Motores Honda / Toyota 1.6/20/200/24D/30D as eau EECA + Esta promogao tora duracto de 6 meses ea cada mie vook poderd trocar os 18 cédigos de barra por colecionar. . + Para receber gratuitamente os tasziculos, recorte ce junte 15 cédigos de barras das embalagens de Correia Sineronizadoras, “V" @ "Micro-V" ou A substituigdo da.correia dentada do motor GM OHC 2.0 do Astra Flexpower é um procedimento relativamente simples, que no exige o uso de ferramentas especificas e pode ser realizado sem maiores dificuldades. E necessaria a remogo do suporte frontal do motor, que ¢ instalado internamente ao perimetro da correia dentada, mas no internamente ao perimetro da correia de acionamento de acessérios (Micro-V"). Acorreia dentada deve ser substituida a cada 60,000 km ou sempre que apresentar sinais de desgaste ou ressecamento. Todavia, o correto procedimento de desmontagem e montagem deve ser conhecido, uma vez que para a execugdo de servigos como remogio do cabegote, substituigéo da valvula termostatica, substituigao da bomba d’agua, ou quaisquer servigos que exijam a abertura do motor, seré necessirio remover e instalar a correia dentada. (Correia dentada Gates 40802x20HNBR V® Gates KOG0745 Remogao da correia dentada 1-Posicione 0 veiculo no elevador; 2-Removaaroda dianteira direita; 3-Remova o protetor da polia da arvore de manivelas; 4-Removao filtro de ar do motor e amangueira de admissio de ar (F1); 5-Utilize uma ferramenta especifica para aliviar o peso do motor sobre os coxins; 6-Solte 0s parafusos do protetor do carter. Remova o protetor do carter; 7-Solte os parafusos que fixam o coxim do motor 4 longarina do veiculo (F2); FLcFiliro de ar removido F2-Coxim do motor 8-Solte os parafusos que fixam o suporte do coxim ao motor; 9-Remova © coxim juntamente com seu suporte, com cuidado para nio danificar nenhum componente; 10-Solte os trés parafusos de ‘aco da cobertura superior da correia dentada; Fale RS a or 11-Com uma chave 15 mm, gire o rolete tensor da correia poli-V no sentido horario para eliminar a tensio na correia. Gire o rolete tensor até seu curso final, de forma que os furos existentes na carcaga do tensionador fiquem alinhados; 12-Insira um pino de 4 mm no furo, travando 0 tensionador na posigao recuada; 13-Removaacorreia Micro-V": 14-Solte os parafusos de fixagao da polia da correia Micro-V" da arvore de manivelas. Remova a polia; 15-Solte os dois parafusos inferiores de fixago da cobertura anterior da correia dentada; 16-Remova acobertura anterior da correia dentada; 17-Com uma chave 17 mm, gire a arvore de manivelas no sentido horario, até que a marcago de referéncia na polia dentada do eixo comando de valvulas de fique alinhada com a marca existente na cobertura posterior da correia dentada. Neste instante a marcacdo de referéncia da engrenagem da arvore de manivelas deve estar alinhada com a marca existente na aba da carcaga da bomba de leo. Este procedimento facilitara a montagem e permite a visualizag3o de eventual perda de sincronismo (F3 eF4) -Referéncia de sincronismo do [Repmeteetc de sineronimo da —somando de vilvulas _irvore de manivelas 18-Com uma chave 13 mm, afrouxe o parafuso de fixagiio do rolete tensor da correia dentada; Se necessério, utilize uma chave Allen 5 mm e gire o rolete tensor no sentido anti-hordrio para aliviara tensao da correia, 19-Remova a correia dentada (F5); 20-Inspecione atentamente as condigdes de todos os componentes, em especial, Arvore de manivelas eo rolete tensor. Substitua aqueles que julgarnecesséri polia dentada da “F5-Correia dentada removida PaletsT lay 2000 Instalacao da correia dentada SS => (Correia dentada Gates 40802x20HNBR Micro-V" Gates K060745 Antes de instalar a correia dentada, observe a fixagéo da bomba d'égua. O ressalto existente na aba da parte superior da bomba deverd coincidir com o ressalto no bloco do motor. Caso este alinhamento néo coincida, afrouxe os trés parafusos de fixago, ajuste o posicionamento da bomba e aperte-os novamente com 8 N.m (F6). F6-Referéncia da bomba d’gua I-Inspecione o alinhamento da polia dentada do eixo comando de valvulas com a marcagio de referéncia na cobertura posterior da correia dentada. Inspecione também a marca na engrenagem da arvore de manivelas com a marcagio de referéncia na aba da carcaga da bomba de dleo. Ambas as marcagdes devem estar alinhadas com suas respectivas referéncias, indicando 0 correto sincronismo do motor no tempo de combustao do primeiro cilindro (F7 e F8); a 3 F7-Referéncia de sincronismo do F8-Referéncia de sincronismo da comando de vélvulas rvore de manivelas 2-Instale a nova correia dentada (Gates GS 40802 x 20 HNBR) inicialmente em torno da polia dentada da arvore de manivelas ¢ em seguida em torno da polia dentada da érvore do comando de valvulas, de forma a manter esticado o segmento da correia entre estas duas polias. Instale, por fim, em torno da bomba d'égua e do rolete tensor. Assim, o lado oposto ao da bomba d'gua (onde o tensionador no atua) ficard esticado e garantiré 0 correto sincronismo do motor (F9); dentada Gates 3-Com a chave allen 5 mm, gire o rolete tensor no sentido anti-horério até obter a maxima tensdo na correia dentada. Simultaneamente, aperte o parafuso de fixagdo do rolete tensor com uma chave 13mm, mas nio aplique ainda o torque final 4-Gire a polia dentada da arvore de manivelas por duas voltas completas no sentido hordrio ¢ verifique se as referéncias de posicionamento do comando de valvulas e da arvore de manivelas nio sairam de suas posi¢des. Caso tenham saido, refaga o procedimento de sincronismo do motor (F10 e FIl); Fl0-Referéncia do comando PUI -Referéncia da drvore de manivelas 5-Efetue 0 ajuste da tensio da correia, com 0 tensionador ainda na posigdo de maxima tensfio da correia (0 ponteiro deslocado, ao maximo, para a direita) afrouxe seu parafuso de fixagdo (13 mm) e, com uma chave allen 5, gire o tensionador no sentido hordrio até que 0 ponteiro coincida com o centro da cavidade em “U" da sua base. Ao obter este ajuste de tensio, aplique, simultaneamente, um torque de 20 N.m no parafiuso de fixagao do tensor (F12); fensionamento da correia dentada 6-Gire novamente a arvore de manivelas por duas voltas no sentido horirio e inspecione o sincronismo do motor; 7-Examine a tensiio da correia observando novamente se © ponteiro do rolete tensor coincide com a cavidade em “U” de sua base; 8-Instale a cobertura anterior da correia dentada e aperte seus parafusos com 8 N.m; 9-Instale a polia da correia micro-V da arvore de manivelase aperte seus 4 parafusos de fixagao com 20N.m; 10-Instale a correia Micro-V* (Gates K060745), Para esta operacaio, posicione a correia Micro-V* corretamente, gire levemente o tensor no sentido horario com uma chave 15 mm e retire 0 pino-trava instalado previamente. Solte lentamente o parafuso do tensor. A correia ser tencionada automaticamente (F 13 F13-Correia Micro-V" Gates (a) Inspecione o correto assentamento da correia em todas as polias envolvidas. 11-Instale cuidadosamente o suporte do coxim no motor com seus parafusos de fixagaio; 12-Abaixe lentamente o motor até que seja possivel instalar o parafuso do coxim na longarina; 13-Aperte 0 parafuso de fixagdo do coxim ao motor com 55 N.m; 14-Aperte os parafusos de fixagaio do suporte do coxim a longarina com 35 N.m; 15-Instale o protetor da polia da arvore de manivelas; 16-Instale o protetor do carter e aperte seus parafusos; 17-Instale aroda dianteira direita e os parafusos; 18-Abaixe 0 veiculo e aperte os parafusos da rodacom 100 N.m. F-ERRAMENTAS F"ROF TENSIOMETRO KRIKIT TENSIOMETRO STT-1 VERIFICADOR DE ALINHAMENTO A LASER pmCrNI SUR uhels Os procedimentos de remogio e instalag’o do cabegote do motor GM OHC Flexpower serio necessirios sempre que houver necessidade de servicos como substituigao da junta do cabegote, remogao da carcaga do eixo comando de valvulas e desmembramento de seus componentes internos para substituigao ou retifica. do cabecote Este procedimento deve ser realizado com 0 motor frio. 1-Posicione o veiculono clevador; 2-Inicialmente ser necessario despressurizar a linha de alimentagaio de combustivel. Desconecte 0 terminal elétrico da bomba de combustivel, dé partida no motor e aguarde seu desligamento por falta de combustivel. Dé mais duas partidas no motor apenas para terminar de despressurizar a linha de alimentagao de combustivel. Reconecte o terminal da bomba de combustivel, feche a tampa plastica e abaixe o assento do banco traseiro; 3-Prepare um recipiente para recolher o fluido dearrefecimento; 4-A frouxe os parafusos da roda dianteira direita; 5-Removaaa tampa do reservatério de expansiio do sistema de arrefecimento; 6-Levante o veiculo; 7-Removaa roda dianteira direita; 8-Com um alicate adequado, solte a mangueira inf arrefecimento em um recipiente; 9-Solte a mangueira do servofreio do coletor de admissio (F1); rior do radiador e drene o liquido de _Fl-Mangueira do servo-freio 10-Solte os terminais elétricos do ETC, da CANP, do CMD, do ECT, dos eletroinjetores, da DIS, da | HEGO,edoCKP; 11-Remova os cabos das velas; 12-Desconecte a mangueira superior do radiador de seu alojamento na carcaga da valvula | termostatica; 13-Desconecte a mangucira de alimentagiio de combustivel do tubo distribuidor; 14-Com umalicate, solte a bracadeira da mangueira do respiro do carter e solte a mangueira; 15-Solte as mangueiras do sistema de partida a frio do coletor de admissao; 16-Removaa borboleta motorizada (ETC); 17-Removao protetor do carter; 18-Solte os parafusos que fixam o tubo de escapamento ao coletor de escapamento; 19-Removaa correia dentada, conforme indicado na segao “Substituigao da correia dentada”; 20-Solicite a um auxiliar para que pise firmemente no pedal de freio com a quinta marcha engatada. Simultaneamente, solte 0 parafuso de fixagaio da engrenagem da arvore de manivelas; US) 21-Remova o parafuso ea arruela da engrenagem da arvore de manivelas; 22-Removaaengrenagem da drvore de manivelas; 23-Com uma chave 13 mm, removao tensionador da correia dentada; 24-Remova.asmangueiras de ventilagdo do cérter (respiro); 25-Solte os parafusos de fixagio da tampa de valvulas, obedecendo uma seqiiéncia em espiral, da extremidade parao centro; 26-Removaa tampa de valvulas; 27-Com uma chave fixa 22 mm, trave 0 eixo comando de valvulas, fixando o sextavado existente entre os cames que acionam as valvulas do quarto cilindro do motor. Este procedimento permitira a remogao do parafuso da polia dentada do comando de valvulas. Simultaneamente solte, com uma chave 17 mm, o parafuso de fixagao da polia dentada do eixo comando de valvulas (F2, F3 e F4); F2-Sextavado do comando F3-Travamento do comando de vilvulas __F4-Remosio da polia do comando 28-Solte os trés parafusos do adaptador do suporte ao coxim, lado direito; 29-Solte os parafusos de fixacao da cobertura posterior da correia dentada; 30-Remova a cobertura posterior da correia dentada; 31-Removao parafuso, aarruela ea polia do comando de vilvulas (F5); 32-Solte os parafusos de fixagaio da cobertura posterior da correia dentada; 33-Remova a cobertura posterior da correia dentada (F6); F5-Polia do comando removids F6-Cobertura posterior removida 34-Solte os parafusos de fixagdo do cabegote. Este procedimento consiste de trés etapas: inicialmente afrouxe cada parafuso em apenas % de volta, seguindo rigorosamente a seq indicada. Em seguida, afrouxe cada parafuso em %4 volta, mais uma vez obedecendo a seqiiéncia de desaperto. Por fim remova todos os parafuusos, de acordo coma seqiiéncia demonstrada; Observe que a carcaga do cixo comando de valvulas ird se deslocar ligeiramente para cima, quando os parafusos do cabecote forem afrouxados, devido 4 agao das molas das valvulas. e 35-Remova os parafuusos do cabegotes 36-Removaa carcaca do eixo comando de valvulas (F7); 37-Remova os balancins, os encostos das valvulas ¢ os tuchos hidréulicos. Posicione-os de forma a nao permitir a inversio de nenhuma das posigdes para que, na montagem, eles mantenham suas posigdes originais. Se julgar necessério, enumere estes componentes (F8,F9 ¢ F10) F7-Careaga do comando de valvulas F8-Balancins| F9.Encostos F10-Tuxos hidriulicos 38-Remova cuidadosamente o cabegote (F11 39-Removaa junta do cabegote. FII-Cabegote removido Cuidados especiais com o cabegote Limpe as cdmaras de combusto, com uma escova adequada adaptada a uma furadeira. Lave ¢ limpe todas as pecas possiveis, com cuidado para ndo danificar a superficie das cdmaras. Cimaras de combustio Verifique a rugosidade do bloco ¢ do cabegote ¢ também a planicidade. Qualquer sinal de problema, recorra a uma retificadora de sua confianga. Com o cabegote limpo e isento de qualquer tipo de residuos, verifique sua planicidade (empenamento), utilizando uma régua de ago adequada, sobre as posigdes longitudinal e diagonal, O cabecote deveri ser substituido se apresentar trincas, altura inferior 4 especificada ou empenamento excessivo. Inspecione também 0 estado do bloco do motor, dos émbolos ¢ do brunimento dos cilindros. Se necessirio, encaminhe 0 motor para retifica ou desmonte e inspecione minuciosamente seus componenies intemos. Consulte “Mecinica 2000 Motores” Bloco do motor Bloco do motor Inspecione o estado da junta do cabegote. Juntas queimadas indicam deficiéncia no sistema de arrefecimento. Juntas com problemas de vedagaio sio indicios de desvios de planicidade nas superficies do cabegote e/ou do bloco. Jamais tente reaproveitar uma junta de cabegote usada, pois no instante em que ¢ aplicado torque nos parafusos do cabegote a junta se deforma; moldando-se aquela posicao especifica € no mais aceitaré uma reinstalagdio. Por esta razio, é recomendavel também substituir a junta mesmo se houver necessidade de remogao de um cabecote que acabou de ser instalado e torqueado, ainda que o motor nao tenha funcionado. A junta nova somente deve ser retirada da embalagem no momento da instalacaio. Nao instale juntas que estejam vincadas, dobradas ou com qualquer dano em suas superficies. Instalagao do cabecote 1-Gire 0 parafuso da arvore de manivelas até que todos os émbolos fiquem alinhados préximo a metade de seus cursos; 2-Com a superficie do bloco devidamente limpa e isenta de qualquer tipo de contaminagao, instale a nova junta do cabegote com a inscrigao “OBEN/TOP” voltada para cima e para a frente do motor (primeiro cilindro) (F12eF 13); F12-Junta do cabecote F13-Inscrigdo OBEN/TOP 3-Instale cuidadosamente 0 cabegote; 4-Instale os tuchos, os encostos ¢ os balancins em suas devidas posicdes. Mantenha as posi¢des originais das quais estes componentes foram removidos; 5-Aplique um cordio de junta liquida na superficie de assentamento da carcaga do eixo comando de vlvulas (na parte externa da face superior do cabegote). Nao aplique excessivamente o produto, para evitar o risco de obstruir galerias internas de lubrificagdo do comando de valvulas. Nao ha necessidade de aplicar junta liquida nos contomnos dos parafusos nem das galerias. Aplique somente nas superficies externas; 6-Posicione o eixo comando de valvulas com os cames do primeira cilindro no tempo de combustao, ou seja, voltados para cima (F14): F14-Cames do I° cilindro no tempo ‘de combustio 7-Lubrifique os cames (apenas os cames) do eixo comando de vilvulas com uma pequena pelicula de dleo de especificagdo SAE 90 (utilizado em transmissdes); 8:Instale a carcaga do eixo comando de valvulas; 9-Instale novos parafusos de fixagao do cabegote; 10-Aperte os novos parafusos de fixagzio do cabecote obedecendo a seqiiéncia indicada, O torque nominal, segundo 0 fabricante, ¢ de 25 N.m +3 etapas de 60° + 10°, Portanto, o procedimento consiste decinco etapas: 1)Inicialmente aplique 25 N.m em cada um dos parafi \s, seguindo a seqiiéncia; 2)Na segunda etapa aplique torque angular de 60° em cada parafuso, sempre seguindo a mesma seqiiéncia; 60° 3)Em seguida aperte novamente cada parafuso do cabegote com 60°, obedecendo a seqiiéncia de aperto; BS aT 4)Mais uma vez, siga a seqiiéncia de aperto e aplique 60° de aperto em cada parafuuso. Estio concluidas as 3 etapas de 60°; 10° 1 1-Instale a cobertura posterior da correia dentada e aperte seus parafusos de fixagao; 12-Instale a polia dentada do eixo comando de vilvulas, com sua arruelae seu parafuso de fixagao; 13-Trave o eixo comando de valvulas com uma chave fixa 22 mm e simultaneamente aperte 0 parafuso de fixagdo da polia do comando com 45 N.m; 14-Instale a engrenagem da arvore de manivelas, seu parafuso de fixagiio e sua arruela; 15-Solicite a um auxiliar para que pise firmemente no pedal de freio com a quinta marcha engatada. Simultaneamente aperte o parafuuso de fixacdo da engrenagem da arvore de manivelas com 130 N.m+ 45°+5°; 16-Instale o tensionador da correia dentada; 17-Instale os trés parafusos do adaptador do suporte ao coxim, lado direito, aperte-os com 20 N.m; 18-Instale a correia dentada, conforme indicado na se¢ao “Correia dentada”, deste manual; 19-Instale a tampa de villvulas com uma nova junta; 20-Instale os parafusos da tampa de valvulas e aperte-os com 8 N.m, obedecendo a uma seqiiéncia espiral, iniciando do centro para as extremidades; 21-Instale as mangueiras de ventilagao do carter (respiro); 22-Conecte a mangueira de alimentagao de combustivel do tubo distribuidor; 23-Conecte a mangueira do respiro do carter; 24-Instale a borboleta motorizada (ETC); 25-Conecte a mangueira superior do radiador de seu alojamento na carcaga da valvula termostatica; 26-Instale os cabos das velas; 27-Reconecte os terminais elétricos do a da CANP, do CMD, do ECT, dos eletroinjetores, da DIS, da HEGO edo CKP; 28-Conecte a mangueira do servofreio do coletor de admissao; 29-Instale as mangueiras do sistema de partida a frio do coletor de admissao; 30-Instale os parafusos que fixam o tubo de escapamento ao coletor de escapamento e aperte-os com 22N.m; 31-Instale 0 protetor do carter e aperte seus parafusos; 32-Abastega o sistema de arrefecimento, conforme indicado na segaio “Sistema de arrefecimento”; 33-Instale a roda dianteira direita e os parafusos; 34-Abaixe 0 veiculo e aperte os parafusos da roda com 100 N.m. 2D RepSet Pro LuK. U O dinico que deixa o Chevrolet Astra 2.0 Flexpower usado, novo de novo. Nao deixe que problemas aparecam na hora de repor a embreagem do Chevrolet Astra 2.0 Flexpower. 0 RepSet Pro da marca LuK € 0 Gnico que oferece a qualidade original utilizada pelas principais montadoras. Assim, vocé economiza tempo de montagem e evita preocupacao. = Confiabilidade é Tudo. SCHAEFFLER GROUP AUTOMOTIVE Aftermarket Service ‘0800 11 10 29 | sac.br@schaeffler.com | www.schaeffler.com.br Os componeniés do sistema de embreagem cuja substituigao é devido ao desgaste natural sao: plato, disco, rolamento e cabo. A substituig&o do conjunto de embreagem deve ser realizada quando houver indicios de desgaste, perda da capacidade de transmissio (“embreagem patinando”) excessivo endurecimento do pedal ou outras anomalias. Para remover o conjunto de embreagem, ¢ recomendada a remogao do quadro da suspensio. Aembreagem do Chevrolet Astra 2.0 Flexpower possui dispositivo auto ajustavel, que a difere da embreagem do modelo anterior. Recomendamos a utilizagdo de um suporte especial, que juntamente a um macaco hidraulico telescépico, permitira a remogdo da transmissao sem que o reparador tenha maiores dificuldades. Mecanica 2000 fornece o cédigo original das ferramentas envolvidas, mas o reparador pode utilizar quaisquer dispositivos adequados. Remogao do conjunto de embreagem 1-Posicioneo veiculo no elevador; 2-Afrouxe os parafusos das rodas diantei 3-Levante o veiculo e removaas rodas dianteiras; 4-Solte o terminal elétrico da bateria; 5-Removaa bateria e seu suporte: 6-Removaa trava da tubulagao da mangueira de acionamento da embreageme desconecte-a; Utilize um tampiio adequado na mangueira para preservar o fluido de freio, que aciona a embreagem. 7-Solte o terminal elétrico do interruptor de ré; 8-Solte o terminal elétrico do sensor de velocidade: 9-Solte os terminais do cabo de mudanga de marchas e do cabo seletor das alavancas de marchas (Fl); Nao solte a porea do terminal preto. 10-Com a ferramenta especifica (T-0307001F, solte os terminais do cabo de mudanga de marchas do cabo seletor o suporte da transmissio (F2); F1-Cabos de mudanga I1-Solte os trés parafuusos superiores que fixam o motor transmissio; WK’ 12-Soltea conexiio da mangueira do servo-freio no coletor de admissao (F3); 13-Solte o parafuso que fixa o tubo rigido de agua ao bloco do motor; 14-Posicione um recipiente sob o veiculo, adequado para coletaro fluido da diregao hidraulica; 15-Solte 0 parafuso de fixacdio do acoplamento da arvore de direg4o (coluna de direcfio) com pinhao da caixa de diregao, localizado sob o painel, no interior do veiculo (F4): 16-Soltea conexiio da tubulagaio de press’iona bomba de diregao hidraulica (F5); F4-Acoplamento da eoluna de dirego F5-Tubulacio de pressio da bombs F3-Mangueia do servo-frio 17-Levante o veiculo; 18-Removao protetor do carter; 19-Instale a ferramenta especifica (T-0207924 ou similar) no quadro da suspensio dianteira. Rosqueie 0 fuso da ferramenta até que o pino se encaixe no suporte do bloco do motor. Ajuste corretamente a ferramenta e suas hastes, de forma que todos os seus pinos-guia fiquem corretamente encaixados nos respectivos orificios existentes no quadro da suspensao e apoiados no coxim dianteiro e no suporte do coxim traseiro do motor; 20-Solte o conector elétrico da HEGO ¢ o parafuso de fixago do suporte do seu chicote; 21-Solte 0 conjunto do escapamento a partir do coletor de escapamento, e deixe-o apoiado no brago doelevador; 22-Removaos defletores de lama de ambos os lados; 23-Removao pira-choque dianteiro; 24-Remova manualmente a tubulago de presso da bomba de diregao hidraulica de seu suporte na parte inferior do radiador; 25-Abaixeo veiculo; 26-Instale a ferramenta especifica (X-0206951 ou similar) e ajuste-a corretamente, para promover a sustentacdo do conjunto motor-transmissao; 27-Alivie ligeiramente o peso do motor sobre os coxins, por meio da atuagdo na ferramenta de sustentagao; 28-Fixe adequadamente com pinos o radiador em seus suport 29-Levante o veiculo; 30-Solte as porcas dos terminais de direcao; 3 1-Desencaixe os terminais de direcdio de ambos os lados das suas fixagdes nas mangas de eixo; 32-Solte os parafusos que fixam as bicletas nas barras estabilizadoras ¢ desencaixe-as de suas fixagdes em ambos os lados (F6); uperiores de ambos os lados; F6-Bieleta da barra estabilizadora WK 33-Com duas chaves 18 mm, solte os parafusos de fixagiio dos pivés as mangas de eixo de ambos os lados (F7); 34-Com uma alavanca, desencaixe o pivo da manga de eixo, em ambos os lados do veiculo: 35-Solte os 3 parafusos de fixagiio do suporte do coxim traseiro do motor transmissao (F8); 36-Solte o parafuso de fixagao do suporte do coxim dianteiro do motor ao quadro de suspensio; 37-Com um soquete 18 mm, solte os dois parafusos dianteiros que fixam o quadro da suspensio a carrogaria (F9); F7-Parafuso da piv F8-Coxim taseiro ianteta do quadro da suspe 38-Instale as ferramentas especificas (J-9703386 e J-9703392) no quadro da suspensio, ou outra ferramenta similar que permita a remogao segura do quadro da suspensio; 39-Com um soquete 18 mm solte os seis parafusos traseiros que fixam o quadro da suspensdo a carrogaria(F10); 40-Com um soquete 18 mm solte os carrogaria (F11); fio a s dois parafusos centrais que fixam o quadro da suspet 5 do quadro da suspensao da suspensio 41-Abaixe um pouco 0 macaco hidraulico; 42-Com a ferramenta especifica (X-0206951 ou similar) de sustentago do conjunto motor- transmissao instalada, solte os parafusos de fixagdo do suporte do motor, abaixo do suporte da bateria; 43-Atue gradualmente na ferramenta de sustentago do conjunto motor-transmissao para permitir que 0 conjunto abaixe somente até que a transmissao tenha espaco livre para ser removida, no sentido transversal do veiculo. Atente para que chicotes e mangueiras néio sejam tensionados e deformados nesta operagio. Solte aqueles que se fizerem necessirios, 44-Com uma alavanca, solte os semi-eixos da transmissio, deslocando-os para fora; 45-Tampe adequadamente os alojamentos dos semi-eixos na transmissao, para evitar perda de 6leo; 46-Solte apenas os parafusos que fixam 0 motor a transmissio necessirios instalagdo da ferramenta especifica (S-0007763), utilizada para remogao da transmissio; 47-Solte os dois parafusos que fixam o suporte dianteiro do motor e da transmissao; IER) 48-Instale a ferramenta especifica (S-0007763) na ferramenta (R-0006747) sobre o macaco hidrdulico telescdpico. Eleve 0 macaco e posicione o conjunto de forma a prover a sustentagao da transmisso, que sera removida no procedimento seguinte; 49-Com uma chave 19 mm, solte os parafusos restantes que fixam a transmissao ao motor (F12, F13 eF14); F12-Fixagio da transmissio F13-Fixagdo da transmissio Fi4-Fixacio da transmissio 50-Puxe cuidadosamente a transmissao, desencaixando sua arvore primaria (eixo piloto) das estrias do disco de embreagem; 51-Remova cuidadosamente a transmissio: 52-A frouxe uma volta 0s parafusos de fixa¢o do platé forma cruzada ealtemada; 53-Remova os parafuusos de fixago do plato; 54-Remova oplat6 eo disco de embreagem; $5-Soltea linha de pressio do atuador da embreagem hidréulica; 56-Solte os parafusos do atuador da embreagem hidraulica e remova-o da transmissao. Inspecione 0 compartimento de embreagem quanto a impregnagio de dleo. Caso haja contaminagao, identifique 0 tipo de dleo existente, limpe o compartimento ¢ substitua 0 vedador da 4rvore de manivelas (em caso de vazamento de dleo de motor) ou o vedador da arvore primaria da transmissao (em caso de vazamento de dleo de transmissao). J) Insiale 0 disco de embreagem no cixo piloto ¢ verifique se o ele se desloca com uma pequena folga. (BB) Limpe demas estras da rvore primaria (cio piloto) Instalagao do conjunto de embreagem &e- Kit de embreagem LUK 621303533 Plato da embreagem auto-ajustavel Sistemas Mecanicos. ua —Plat6 da embreagem auto-ajustivel _Atuador hidrdulico da embreagem Instalacdio de um novo platé ou de um platé ja utilizado: Umnovo platé de embreagem auto ajustavel j4 vem pré-ajustado pelo fabricante. Porém, em caso de reutilizacdo, proceda como se segue: Observe que o platé da embreagem LUK possui molas que nao devem ser pressionadas além dos pontos de referéncia. _Referéncia das molas do platé i 1-Posicione o platé em uma prensa e sobre a ferramenta (T-0306005); 2-Com um eixo de dimensdes adequadas, pressione lentamente as molas do platé até que anel de ajuste fique livre; (GB) A ferramenta especifiea (0306005) possui um eixo central que impede que a pressto exercida Ir danifique o plat6. 3-Com duas chaves de fenda, gire simultaneamente o anel de ajuste do platd no sentido horario, até atingir sua posigio inicial; 4-Removao platé ea ferramenta (T-0306005) da prensa; Instalacao do conjunto: 1-Posicione disco de embreagem apoiado no platé ¢ instale-os no volante do motor, utilizando um centralizador apropriado (S-9407183); Observe que o disco de embreagem possui lado para instalacao. tl i e eS Race do disco volta para o volante Race do disco voliada para a transmissio — = Fresher} 2000 Sistemas Mec 2-Instale novos parafusos no platé e aperte-os de forma alternada e em seqiiéncia diagonalmente oposta com 15N.m; 3-Remova a ferramenta de centralizacdo do disco; 4-Lubrifique onovo anel de vedagaio do atuador de embreagem com fluido para transmissaio; 5-Instale 0 novo atuador de embreagem hidréulica (LUK n° 510 0073 10) em seu alojamento, e aperte seus 3 parafusos de fixago com 5 N.m; 6-Instale manualmente 0 adaptador de aluminio de cima para baixo. Pressione-o até perceber 0 barulho da presilha encaixando ; O lado mais comprido do adaptador deve ficar voltado para o atuador. 7-Unte levemente as estrias do eixo piloto com graxan® 2a base de sabio de tio; 8-Instale a ferramenta especifica (S-0007763) ¢ a ferramenta (R-0006747) sobre 0 macaco hidréulico telescépico; 9-Posicione a transmissao de forma que fique alinhada com o motor. Guie cautelosamente 0 conjunto de transmissio, até quea extremidade da arvore primatia (eixo piloto) se alinhe com 0 cubo do disco deembreagem; Nessa operagiio, certifique-se de que a transmissio esteja bem alinhada (nivelada) com o motor, pois caso contrario a extremidade da arvore primaria (eixo piloto) poderd provocar esforgos de flexiio no cubo do disco de embreagem, danificando-o e provocando empenamentos. Da mesma forma, evite que a transmissiio se apéie, pela arvore primaria, no cubo do disco de embreagem. 10-Empurre manualmente a transmisstio em diregio ao motor, acoplando-a com o motor. Encaixe 0 eixo piloto da transmisséo nas estrias do cubo do disco de embreagem. Se necessério, gire cautelosamente a transmissio em tomo do eixo piloto para possibilitar o encaixe, com cuidado para ndio forcar, torcer ou empenar nem o disco de embreagem e nem tampouco 0 cixo piloto; 11-Com uma chave 19 mm, instale os parafusos inferiores frontal e traseiro que fixam a transmissi0 a0 motore aperte-os com 70 N.m: 12-Com uma chave 15 mm, instale os parafusos inferiores frontal ¢ traseiro que fixam a transmissaio a0 motor e aperte-os com40 N.m; 13-Remova a ferramenta especifica; 14-Instale o suporte do coxim dianteiro do motor na transmissio e aperte seus parafusos com 65 Nom; 15-Com uma chave 15 mm, instale o parafuso inferior central que fixa a transmissio a0 motor € aperte-o com40N.m; 16-Com uma chave 19 mm, instale o parafuso dianteiro que fixa a transmissiio ao motor ¢ aperte-o com70N.m; 17-Comum pano limpo, limpe os vedadores de 6leo da transmissao localizados nos alojamentos dos semi-cixos. Unte-os levemente com dleo de transmissio; 18-Instale manualmente as semi-drvores na transmissao; 19-Abaixe o veiculo; fitsecnteay 2000 eae sd 20-Atue na ferramenta de sustentacio do conjunto motor-transmissao e eleve o conjunto até que seja possivel instalar os parafusos de fixagio do suporte esquerdo do conjunto, localizado abaixo do suporte _ dabateria; 21-Instale os trés parafusos de fixagdio deste suporte e aperte-os com 50N.m; 22-Instale os parafusos que fixam o quadro da suspensio a carrogaria! Inicialmente instale os dois parafusos centrais e os seis parafusos traseiros. Com um soquete 18 mm, encoste-os, mas nao aplique 0 torque final ainda; 23-Removaa ferramenta especifica eo macaco; 24-Instale os dois parafusos dianteiros que fixam o quadro da suspensio A carrogaria. Encoste-os ‘com um soquete 18 mm; 25-Abaixe 0 veiculo; 26-Abaixe a ferramenta especifica (X0206951) de sustenta¢ao do conjunto motor-transmissao até que o pino-guia da ferramenta especifica (T0207924) encaixe no bloco e nos suportes dos coxins _ dianteiroe traseiro; 27-Levante novamente 0 veiculo; 28-Aplique trava quimica nos parafusos do suporte do coxim traseiro do motor/transmissio e instale-os. Aperte-os com 65 N.m; 29-Instale o parafuso de fixagao do suporte do coxim dianteiro do motor ao quadro de suspensio. Instale uma nova porca e aperte-a com 65 N.m; 30-Removaa ferramenta especifica (T0207924); 31-Verifique e alinhe o quadro da suspensiio em relagdo a carrogaria, da seguinte forma: instale o gabarito de alinhamento (T0001851) sobre o macaco hidraulico telesc6pico com os pinos-guia corretamente encaixados. Aloje-os sob 0 veiculo e sabre o macaco hidraulico telescépico. Eleve 0 macaco até que 0 gabarito encoste levemente no quadro da suspenstio, sem permitir que o quadro da suspensio se apéie sobre o gabarito. Confira todos os pontos de alinhamento que 0 gabarito dispoe. Se necessdrio, movimente o quadro da suspens&o com uma alavanca, de forma que o alinhamento com 0 gabarito seja obedecido. Aperte os parafusos 18 mm que fixam 0 quadro da suspenso a carrogaria, iniciando pelos parafusos centrais, depois os traseiros e por iltimo os dianteiros; 32-Abaixe o macaco e removao gabarito; 33-Aplique agora o torque final de 90 N.m + 45° + 15° nos parafusos de fixagao do quadro da suspensao 4 carrogaria, novamente obedecendo a ordem: dois parafusos centrais, em seguida os seis parafuusos traseirose por fim os dois parafusos dianteiros; 34-Conecte as presilhas de fixagao das tubulagées de diregao hidrdulica no quadro da suspensdio _ dianteira; 35-Instale novamente o escapamento e aperte suas porcas com 20 N.m; 36-Instale a tubulagdo de pressao da bomba de diregao hidraulica de seu suporte na parte inferior do radiador; 37-Abaixeo veiculo; 38-Instale os defletores de lama de ambos os lados ¢ o para-choque dianteiro; 39-Instale o protetor do carter e aperte seus parafiusos com 20 N.m; 40-Encaixe manualmente os pivds nas mangas de eixo; 41-Instale os parafuusos que fixam os pivés nas mangas de eixo e utilizenovas porcas. Aperte-os com 100N.m; 42-Instale as bieletas nas barras estabilizadoras de ambos os lados. Utilize novas porcas de fixagaoe aperte-as com 65 N.m:; 43-Instale os terminais de diregao da nova caixa de diregao nas mangas de cixo. Utilize novas porcas de fixagaoe aperte-as; 44-Instale as rodas e seus parafusos; 45-Abaixeo veiculo; 46-Aperte os parafusos das rodas com 110'N.m; 47-Instale a conexao da tubulagao de presso na bomba de direcao hidraulica e aperte-a com 30 N.m; 48-Removaa ferramenta especifica (X 0206951) de sustentagao superior do motor; 49-Instale os parafuusos de fixacdio do tubo rigido de gua e aperte-os com 10N.m; 50-Instale a conexao da mangueira do servo-freio ao coletor de admissao; fire nitasy 2000 WK 51 -Instale os dois parafusos superiores de fixagaio da transmissio ao motor e aperte-os com 70 N.m; 52-Instale o cabo seletor e o cabo de mudanga no suporte da transmissio; Ao instalar a porca do cabo seletor (branco) posicione a extremidade do cabo seletor no furo oblongo da haste da alavanca, sem exercer tensio para nenhum lado. Instale a porea de fixagaio na extremidade do cabo eaperte-acom 12 N.m. 53-Instalea mangucira da linha de pressio no mecanismo de acionamento da embreagem; 54-Instale o terminal elétrico do interruptor de ré; 55-Instale o terminal elétrico do sensor de velocidade; 56-Instale o suporte da bateria, a bateria ea capa protetora; 57-Instale os terminais da bateria; 58-Instale as rodas dianteiras e seus parafusos; 59-Abaixe o veiculo e aperte os parafusos das rodas com 110N.m. 60-Verifique o nivel do fluido da transmissao e complete-o se necessario; 61-Efetue a sangria do fluido de acionamento da embreagem e abasteca 0 reservat “MAX”; 62-Acioneo pedal de embreagem por 5 vezes antes de dar partida no motor. jo até a marca m uma divida na mao? WK & FAG gente resolve para vocé! rupo Schaeffler disponibiliza para voc® um ico altamente qualificado e pronto para iver aquelas possivels dividas que possam irna hora da troca da embreagem. isou, ligue: 0800 11 10 29 ou mande um ail para: sac.br@schaeffler.com 0800 11 10 29 SCHAEFFLER GROUP a AUTOMOTIVE Aftermarket Service 210 29 | sac br@schaeffer.com I www schaeffer.com.br ormativo écnico A grande diferenga da SAC, em comparacéo 4 em- breagem convencional, esta na forma de fixagao do diafragma que, ao invés de rigidamente preso por meio de anéis e rebites, é fixado sobre uma mola sensora. E essa mola sensora que reconhece o desgaste do disco, em virtude do aumento da forca que o rolamento exerce. O ponto de contato das molas se movimenta 1 Baixa forga de acionamento, que permanece cons- tante durante vida da embreagem. © Aumento da capacidade de uso, com maior vida util = Sistemas de acionamento mais simples. 10 Ellminagdo do sistema de servico assistido em vei- culos comerciais. Embreagem SAC LuK no Astra - GM 11 1029 | sac.br@schaeffler.com yschaeffler.com.br BK <> Fat SCHAEFFLER GROU Embreagem SAC Luk: maior durabilidade e mais conforto ao motorista Aembreagem auto-ajustavel tem a capacidade de reconhecer o desgaste do disco e compensé-lo. Isto porque, a embreagem SAC Lu possui um sistema compensador de desgaste, que mantém a mola diafragma sempre na mesma posigao de trabalho. Em conseqiléncia, a forca do pedal da embreagem permanece inalterada — desde quando 0 disco esta novo (com espessura total) até totalmente desgastado. O motorista usufrui de maior conforto ao dirigir, uma vez que o esforgo do pedal se mantém constante e suave por toda a vida da embreagem, aumentando a durabilidade do conjunto. a 7 Platé 3 Disco ae Atuador hidraulico em dirego a0 volante. Quando isso acontece, 6 formado um espaco entre o diafragma e a carcaca, permitindo assim que as molas helicoidais localizadas no sistema de auto-ajuste se descomprimam e realo- quem as rampas, quando entao o diafragma assume novamente a posicao plana, mantendo a mesma forca de embreagem. As vantagens da embreagem auto-ajustavel Luk 1 Curso de pedal pequeno, com baixo esforgo. co Novas opgdes para reduziro diametro da embreagem. © Forca de pedal constante para toda a série de motores. © Menores cursos de acionamento do rolamento duran- teavidadaembreagem. Caracteristicas do Produto Auto-ajustével-SAC. 9210mm-14est = Confiabilidade é tud (roo ie reli lelicod Seja qual for o caminho a DHB i Yat ie MUNI LL Ktz= Lo ‘a em sistemas dora de produtos do mundo. No mercado de reposicao, a DHB presta suporte técnico e comercial aos seus produtos. Ela conta com uma rede de mecAnicos especializados e distribuidores prontos para atender a demanda dos clientes. www.dhb.com.br Pen ee) Ee Po East yemunu. } prncusto | _ prOoe bie eed ws mt) oe wilh MANUAL Ere a om coy Mg Saree LE EOE ea Sistemas M =—=——_ Sas Ht For=—ainy en D | R. a HIDRAULICA Remocio: 1-Posicione o veiculo no elevador; 2-Solte a mangueira do filtro dear do coletor de admissio; 3-Remova o filtro de ar do motor (F1); 4-Removao protetor do carter; 5-Solte o conjunto do escapamento,na jungio do coletor de escapamento; 6-Com uma chave 15 mm, gire o tensor da correia micro-V no sentido horirio paraa eremovaa correia micro-V (F2); iar sua tensao EEG de acremovico EBETeGEUR Coes mieso-V Em caso de reutilizagao da correia antes uma seta indicando seu sentido de rotagao, que deve ser respeitado na instalai 7-Com 0 motor frio, drene o liquido de arrefecimento e recolha-o em um recipiente adequado. Para esta operagdo, remova a tampa do reservatério de expansdo, e remova o sensor ECT; 8-Drene 0 fluido da direco hidraulica e recolha-o emum recipiente adequado; 9-Solte a conexiio da mangueira de pressio da bomba de diregao (F3): 10-Solte a mangueira de alimentagiio do reservatério do fluido (F4); (EEEDUDENAEAG He alimentacdo da bombs 11-Solte o parafuso de fixagao do brago de reforgo da bomba no bloco do motor, abaixo do coletor de escapamento; 12-Solte o parafuso que fixa o brago de reforgo da bomba de direcao hidraulica ao seu suporte; Sistemas Mecanicos 13-Solte por fim os dois parafusos Torx E-12 que fixam a bomba ao suporte (F'5); 14-Remova a bomba de diregao hidraulica. 1-Posicione a bomba de diregao hidraulica (DHB 1989800r) em seu alojamento; 2-Instale seus parafusos de fixacdio e aperte-os com 25 N.m; 3-Instale 0 braco de reforgo com seus parafusos de fixagdo. Aperte os parafusos com 25 N.m; 4-Instale o tubo de saida de pressio do fluido da diregdo hidraulica ¢ aperte sua porca com 27 N.m; 5-Instale a mangueira de entrada do fluido do reservatério; 6-Instale o parafuso de fixagao da tubulagao de ar condicionado a caixa de roda; 7-Instale a correia micro-V. Para isto, com uma chave 15 mm, gire 0 tensor no sentido hordrio para aliviara tensao da mola. Instale corretamente a correia ¢ solte 0 tensor; 8-Instale o filtro de ar do motor; 9-Instale a mangueira do filtro de ar do motor; 10-Abastega o reservatério da bomba de diregao hidrdulica com o fluido especificado. Com o veiculo suspenso esterce as rodas varias vezes para ambos os lado, até o fim de curso, para que seja preenchido completamente o circuito antes de ligar o motor. Ligue e desligue o motor por trés vezes, fazendo uma pausa entre cada partida do motor. Verifique novamente 0 nivel e complete-o, se necessario, Dé partida no motor e, em marcha lenta, esterce o volante de diregdo aproximadamente 45° em ambos 0s sentidos, por trés vezes. Esterce novamente o volante de diregao de batente a batente (gire- © totalmente) duas vezes. Desligue o motor ¢ verifique novamente o nivel do fluido de diregao hidréulica. Complete-o se necessario; 11-Inspecione novamente o nivel do liquido de arrefecimento. Senecessério, complete-o; 12-Instale novamente o sensor ECT e seu conector elétrico; 13-Instale novamente o escapamento e aperte as porcas com 20N.m; 14-Instale o protetor do carter e aperte seus parafusos com 20 N.m. fiteachiay 2000 SE Loo) O procedimento recomendado pela montadora para a substituigdo da caixa de diregao hidraulica do Chevrolet Astra é realizado por meio da remogao do quadro da suspensao. Entretanto, ¢ possivel executar a remogao ¢ instalagao da caixa de diregao abaixando ligeiramente o quadro da suspensio, apenas 0 suficiente para que haja espaco para a remogiio da caixa, Recomendamos a utilizagao de um suporte especial, para escorar 0 quadro da suspensao, que juntamente a um macaco hidriulico telescépico, permitira a remogao segura de parafiusos que fixam 0 quadro da suspensao a carrogaria do veiculo. Mecénica 2000 fornece o codigo original das ferramentas envolvidas, mas o reparador pode utilizar quaisquer dispositivos adequados. Remoca 1-Posicione 0 veiculo no elevador; 2-Solte o terminal negativo da bateria; Este procedimento € especialmente importante em veiculos com Airbag. Neste caso, ainda é necessirio travar o volante de dirego com as rodas retas e removera chave de ignigdo. 3-A frouxe os parafusos das rodas dianteiras; 4-Levante o veiculo e remova as rodas dianteiras; 5-Posicione um recipiente sob 0 veiculo, adequado para coletaro fluido da dire 6-Solte o parafuuso de fixagao do acoplamento da rvore de direco (coluna de dire¢0) com o pinhio dacaixa de direcdo, localizado sob o painel, no interior do veiculo (F6); 7-Vede adequadamente o suspiro da tampa do reservatério a fim de evitar derramamento de dleo; 8-Solteaconexdo da tubulaciio de pressio na bomba de diregiio hidraulica (F7); (EESEARSPLAEHHETUA Solana de direio 9-Levanteo veiculo; 10-Fixe o radiador para que nao se solte no carro no momento do deslocamento do quadro de suspensio; 11-Removao protetor do carter; 12-Instale a ferramenta especifica (T-0207924 ou similar) no quadro da suspensio dianteira. Rosqueie 0 fuso da ferramenta até que o pino se encaixe no suporte do bloco do motor. Ajuste corretamente a ferramenta e suas hastes, de forma que todos os seus pinos-guia fiquem corretamente encaixados nos respectivos orificios existentes no quadro da suspensio e apoiados no coxim dianteiro e no suporte do coxim traseiro do motor; 13-Solte o conjunto do escapamento a partir do coletor de escapamento, ¢ deixe-o apoiado no brago doelevador; 14-Remova manualmente a tubula¢ao de pressio da bomba de dire parte inferior do radiador; 15-Solte a chapas de fixagdo do radiador; 16-Solte as porcas dos terminais de diregao; io hidraulica de seu suporte na 17-Desencaixe os terminais de diregiio de ambos os lados das suas fixagdes nas mangas de eixo; ‘olte os parafusos que fixam as bieletas nas barras estabilizadoras e desencaixe-as de suas fixagdes em ambos os lados (F8); 19-Com um soquete 18 mm afrouxe os dois parafusos dianteiros que fixam 0 quadro da suspensiio & carrogaria (F9); ‘BBB Patafinso da barra estabilizadon 20-Instale as ferramentas especificas (J-9703386 ¢ J-9703392) no quadro da suspensio, ou outra ferramenta similar que permita a sustenitagaio segura do quadro da suspensio; 21-Com um soquete 18 mm solte os seis parafusos traseiros que fixam 0 quadro da suspensio carrogaria (F10); 22-Com um soquete 18 mm solte os dois parafusos centrais que fixam 0 quadro da suspensao a carrogaria (F 11); LE do quadro. Abaixe cuidadosamente 0 macaco hidréulico apenas © suficiente para que o quadro da suspensio permita a remociio lateral da caixa de diregao; 24-Solte o suporte das linhas de retorno ¢ de presstio do 25-Posicione o recipiente para coletaro fluido de diregai hidrdulica e solte a linha de pressio e a linha de retorno do mecanismo de diregao (F12) 26-Solte as porcas que fixam a caixa de direcio ao quadro da suspensio dianteira; 27-Remova a caixa de diregdo pelo lado esquerdo do fees z= veiculo, Patent} 2000 RSTn (lel Instalacdo: hia _ 1-Instale a nova caixa de diregao (Codigo DHB 1575700) no quadro da suspensio dianteira e fixe-a em ambos os lados com seus parafusos e aperte-os com 45 N.m+45° + 15°; 2-Instale as linhas de pressio e retorno da caixa de diregao hidréulica com novos anéis de vedagao (o'rings) (F13); (BIBS BHA Ae pressio € retomo da ais: DIU 3-Aperteas conexdes das linhas de alimentagdo eretorno com 4N.m; 4-Aproveitando a ferramenta especifica ¢ 0 macaco hidriulico telescdpico, cleve 0 conjunto e posicione o quadro da suspensaono veiculo, deixando 0 quadro alinhado rente aos pontos de fixaga 5-Instale os parafiusos que fixam 0 quadro da suspensio a carrogaria. Inicialmente instale os dois parafuusos centrais e os seis parafuusos traseiros. Com um soquete 18 mm, encoste-os, mas nao aplique o torque final ainda; 6-Removaa ferramenta especifica eo macaco; 7-Aperte 0s dois parafusos dianteiros que fixam o quadro da suspensdo 4 carrogaria. Encoste-os com um soquete 18 mm; 8-Aperte os parafusos 18 mm que fixam © quadro da suspensio a carrogaria, iniciando pelos parafusos centrais, depois os traseiros e por ltimo os dianteiros; 9-Removaa ferramenta especifica (T0207924) e abaixe o macaco. 10-Aplique agora o torque final de 90 N.m + 45° + 15° nos parafusos de fixagao do quadro da suspensio a carrogaria, novamente obedecendo a ordem: dois parafusos centrais, em seguida os seis parafusos traseiros e por fim os dois parafuusos dianteiros: 11-Conecte as presilhas de fixagao das tubulagdes de diego hidréulica no quadro da suspensio dianteira; 12-Instale novamente 0 escapamento e aperte suas porcas com 20 N.m; 13-Recoloque os parafusos de fixagao do radiador e aplique um torque de 15N.m, 14-Instale a tubulagio de pressio da bomba de direcaio hidréulica de seu suporte na parte inferiordo radiador; 15-Abaixe o vefculo; 16-Instale 0 protetor do carter e aperte seus parafusos com 20N.m; 17-Instale as bieletas nas barras estabilizadoras de ambos os lados. Utilize novas poreas de fixagao aperte-as com 65 N.m; Bum esa 18-Instale os terminais de diregio da nova caixa de diregdo nas mangas de eixo. Utilize novas poreas de fixagdo e aperte-as com 3 19-Instale as rodas e seus parafusos; 20-Abaixe o veiculo: 21-Aperte os parafusos das rodas com 100N.m; 22-Instale a conexio da mangueira de pressio na bomba de dire¢3o hidréulica e aperte-a com 30N.m; 23-Soltea fixagiio do radiador; 24-Reconecte o terminal negativo da bateria; 25-Instale acoplamento da drvore (coluna) de diregao com o pinhio da caixade diregao; 26-Instale o parafuso de fixac&o do acoplamento da Arvore de dirego (coluna de direg’o) com 0 pinhio da caixa de direc. Aplique travante quimico no parafuuso e aperte-o com 22 N.m; 27-Abastega o reservatorio da bomba de diregdo hidrdulica com o fluido especificado. Com as rodas rodas do veiculo algumas vezes até o batente, para ambos os lados, a fim de preencher 0 circuito hidraulico antes de ligar o motor. Ligue ¢ desligue o motor por trés vezes, fazendo uma pausa entre cada partida do motor. Verifique novamente o nivel ¢ complete-o, se necessario. Dé partida no motor e, em marcha lenta, esterce o volante de diregao aproximadamente 45° em ambos os sentidos, por és vezes. Esterce novamente o volante de dirego de batente a batente (gire-o totalmente) duas vezes. Desligue 0 motor e verifique novamente o nivel do fluido de direcao hidriulica. Complete-o, se ssario. 28-Verifique se a posigdo centralizada do volante de diregio condiz com a posigdo da caixa de bos os guarda-pés estejam com o mesmo comprimento. Nesta condigao, as rodas do veiculo devem estar alinhadas para frente. Se necessario, solte a arvore intermediaria da coluna de novamente, defasada em 360° para obter a melhor centralizagao possivel; Pee eeu et ee eae a Pee eer a Ul eks Ride Meare een ae Teme ee ieee a montadoras. Adquira as mesmas pecas que vém de fabrica e mantenha produtos DHB. Pee nets amma Fones: +55 (51) 2124.1427 SCSI se reer) Fax: +55 (51) 2124.1430 SSS pnt enn rn OC : fitsntis] ») rai eet 1575700 Mecanismo de Direcao Hidraulica 1808040 Kit Vedagdes da Cremalheira 1804486 Kit VedagGes da Valvula 1989800R Bomba de Diregao Hidraulica 1804304 Kit Vedagées 1804323 Kit Conjunto Rotativo Consulte 0 catalogo completo em nossa pagina eletrénica: Wwww.dhb.com.br E Troque 0 dleo do sistema Faga a manutencao de direcao hidrdulico a cada preventiva! 40.000Km ou 4 ano de uso do veiculo. Video de Treinamento para Instalagao Um guia completo de Bomba Hidrdulica. de instalagao Faga jé 0 download ou solicite 4ulicas 0 CD pelo site: www.dhb.com.br. de bombas hidraulk Dicas: > Verifique regularmente o alinhamento das rodas e o desgaste dos pneus. Dessa forma, vocé evita danos prematuros nos componentes do sistema de direcao e suspensao; > Nao fique mais do que 5 segundos com a direcao posicionada em final de curso para nao comprometer a performance do sistema; > Vazamentos sao detectados visualmente. Verifique periodicamente o estado de conservagao das mangueiras e do reservatorio de dleo. Utilize produtos e servigos recomendados pela DHB! > As bombas DHB sao equipadas com buchas que reduzem os niveis de ruido e ao mesmo tempo suportam maiores cargas; > Por serem mancalizadas por buchas, as bombas DHB se tornam mais silenciosas e robustas. SJ PI oh e3 h 4 COMO A NATUREZA BORFLEX - IN OM. DE ARTEFATOS DE BORRACHA LTDA P. PABX: (11) 406 X) BORFLEX_ A suspensio dianteira do Astra utiliza estrutura McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidréulicos teleseépicos pressurizados de dupla ago e bragos de controle fixados ao quadro por meio de buchas eliisticas de borracha. A barra estabilizadora € fixada ao quadro de suspensio por meio de buchas e presa a torre de suspensiio através de um brago de ligagao (bieleta) A uniio do brago de controle com a manga de eixo é feita por junta esférica (pivd), fixada por trés rebites. ‘A Suspensio traseira utiliza eixo de torgio, fixado em suas extremidades por buchas elasticas Possui molas tipo barril e amortecedores hidraulicos telesc6picos pressurizados de dupla agao. O fabricante nao estipula prazo para substituigaio dos amortecedores, buchas ou juntas esféricas Portanto, recomendados a inspegao destes componentes sempre que possivel Stispensio dianteira Suispensio traseira Substituicao dos amortecedores dianteiros Osamortecedores devem ser substituidos aos pares, e nfo individualmente Para a substituigéo dos amortecedores dianteiros é necessiria a remogao da torre (coluna) de suspensio, Procedimentos a seguir Remogio: 1-Posicione 0 veiculo no elevador; 2-Afrouxe os parafuusos das rodas dianteiras; 3-Levanteo veiculo; 4-Removaas rodas dianteiras; 5-Com uma chave fixa 18 mm ¢ uma’chave de estria 18 mm, remova a porea da fixagéio superior da bieleta ao tubo da torre de suspensio (F1); 6-Desloque o flexivel de freio; 7-Com uma chave 18 mm eum soquete 18 mm, remova as poreas € 0s parafusos de fixa joda manga de eixo a torre de suspensio (F2); 8-Fixe 0 eixo do amortecedor e com uma chave 18 mm afrouxe, em poucas voltas, a porca que fixa a torre de suspensio carrocaria (F3). Recomendamos a utilizagiio de ferramenta especifica para facilitar aoperacdio, Segure a torre de suspensio e remova-a do veiculo: Fl-Porea de fixa F2-Parafisos da torre de suspensio FF3-Porca de fixaglo da torre de suspensto 9-Posicione a torre de suspensfio em uma morsa, usando mordentes para evitar danos a torre; 10-Com um encolhedor de mola, comprima a mola de forma gradual e uniforme; I1-Soltea porca de fixacdo do amortecedor com uma ferramenta especifica; 12-Remova a porca superior; 13-Remova o assento da mola (coxim), a mola, o amortecedor do conjunto ¢ 6 anel isolador inferior damola; | . | | | (EGalgo'da mola diantcira Borflex 389 __Calgo superior da mola dianteira Borflex #53 am) [ie Para remover 0 rolamento de encosto da mola, utilize um pino ¢ um martelo plastico. Bata levemente na parte inferior do rolamento. -— Instalaga Antes de instalar 0 amortecedor, faga o procedimento de desaeragao, para evitar a presenga de bolhas ~ dear em seu interior, capazes de comprometer seu bom funcionamento. Com o amortecedot na posigao vertical, estenda-o e comprima-o algumas vezes, até sentir sua resisténcia ao movimento _ completamente uniforme. Apés esse procedimento, instale-o sem permitir que 0 amortecedor atinja, ‘em nenhum momento, a posigao horizontal. Caso 0 amortecedor atinja a posicao horizontal, refaga 0 procedimento de desaeragiio. 1-Instaleo anel isolador inferior damola e o amortecedor em seu alojamento; 2-Instale a mola, devidamente encolhida pelo encolhedor, o assento da mola (coxim) ¢ a porca ‘superior; air as ferramentas especificas (S-9503270 e S-9403176), aperte a nova porca superior com m; 4-Solte gradualmente o encolhedor de mola e remova a ferramenta; 5-Posicione a torre de suspensao em seu local de trabalho, sem permitir, que no trajeto entre a morsa eo veiculo, a coluna atinja a posigao horizontal; 6-Instale a nova porca de fixagdo da parte superior da torre da suspensiio ao chassi e aperte-a com S5N.m; 7-Desloqueo flexivel de freio, para sua posi¢ao ideal de trabalho; 8-Instalea parte inferior da torre de suspensto na manga de eixo; 9-Instale os novos parafiusos e porcas que fixam a torre de suspensdo & manga de eixo e aperte-os. A cabega do parafuso deve ficar voltada para a parte dianteira do veiculo; 10- Com duas chaves 18 mm, boca e sextavada, instale a nova porca de fixacdo superior da bieleta ao tubo da torre de suspensiio e aperte-o com 65 N.m; 11-Instale as rodas dianteiras e seus parafusos; 12-Abaixe o veiculo e aperte os parafusos das rodas com 100N.m. Confira 0 alinhamento da geometria do conjunto diregdo/suspensio. Se necessirio, faga o ajuste doalinhamento. _Substituigo do braco de controle 1-Posicioneo veiculo no elevador; 2-A frouxe os parafusos das rodas dianteiras; 3-Levante o veiculo; 4-Removaas rodas dianteiras; 5-Com uma chave e um soquete 18 mm, remova a porca ¢ 0 parafuso de fixagdo do pivé a manga de eixo(F4); 6-Com o auxilio de uma alavanca adequada desloque o pivé esuasede; 7-Com uma chave ¢ um soquete 18 mm, remova as poreas € os parafuusos de fixagao do brago de controle ao quadro da suspensio. 8-Removao bragode controle. sma ——— = ee as I-Instaleo braco de controle em seu alojamento; 2-Instale as novas porcas ¢ parafusos de fixagio do brago de controle ao quadro da suspensio e aperte-os manualmente; 3-Instale o pivé com nova porea e parafuso de fixago, e aperte o.com 100N.m; 4-Instaleas rodas dianteiras e seus parafusos; 5-Abaixeo veiculo e aperte os parafusos das rodas com 100.N.m; 6-Carregue ambos os bancos dianteiros com 70 kg cada e aperte as porcas e os parafusos de fixagio do brago de controle ao quadro da suspensiio dianteira com 90 N.m+75°+15°, Para a substituigao da junta esférica (piv6), remova os rebites que o fixam ao brago de controle € instale trés parafusos e porcas de fixago, aperte-os com 35 N.m. @) Confira o alinhamento da geometria do conjunto diregdo/suspensao. Se necessario, faga 0 ajuste doalinhamento. Sistemas Mecanicos fabricante recomenda a utilizagao de equipamento alinhador computadorizado. Ajuste de Caster: O Astra nio dispde de um dispositivo especitfico para ajuste de caster. Entretanto, os valores de easter sealteram devido ao ajuste de convergéncia. Ajuste de Camber: O camber s6 pode ser ajustado dentro de uma faixa limitada. Procedimentos: I-Levantea parte dianteira do veiculo, deixando as rodas livres; 2-Remova os parafusos e porcas que fixam a torre da suspensdo & manga de eixo. Instale novos parafusos e porcas, apertando-os manualmente; 3-Puxe manualmente as partes superiores de ambas as rodas para fora, provocando 0 aumento do valor do camber; 6 = | 4-Aperte os parafusos do item 2 com 10N.m; 5-Abaixe lentamente o veiculo e permita que este se apéie gradativamente sobre as rodas. Simultaneamente, observe o valor da cambagem, que deverd diminuir, atingindo scus valores negativos; 6-Ao serem atingidos os valores nominais (- 1° 40' + 0° 40’), aperte os mesmos parafusos de fixagao da torre de suspensiio & manga de eixo com SON.m e depois com 90N.m; 7-Caso os valores nominais nao sejam atingidos ao baixar o veiculo, force manualmente as partes superiores de ambas as rodas para dentro até obter estes valores e proceda como no item 6; = Cu 8-Balance o veiculo varias vezes na direcao vertical e verifique novamente os valores de cambagem. Ajuste de Convergénci: Obs: efetue 0 ajuste em ambos os tirantes. Os dois tirantes devem apresentar diferenga maxima de 5 mm em comprimento apés o ajuste. 0) BORFLEX. Procedimentos: 1-Coloque a diregao na posigao reta; 2-Solte as porcas-travas dos tirantes esquerdo e direito com uma chave fixa, fixando 0s tirantes com outra chave (F5); 3-Gire cada um dos tiranfes e efetue o ajuste da convergéncia (F6). Os valores nominais de convergéncia devem estar situados entre (-) 0,9 mm até 1,3 mm. Procure evitar que a convergéncia fique muito pr6xima dos limites aceitaveis e que exista diferenga entre os comprimentos dos tirantes das barras de diregao; 4-Aperte as porcas-travas de ambos os tirantes com 60 N.m, fixando o tirante da barra de diregdo com uma chave fixa, para que o guarda-p6 da caixa de diregdo nao seja torcido; 5-Verifique novamente os valores de convergéncia, que nao devem ter sido alterados com 0 aperto das contra-porcas. Se necessario, refaga o procedimento: 6-Inspecione a correta centralizagao do volante de diregao; Apés estes procedimentos, submeta o veiculo a um teste de rodagem, observando a correta centralizagio do volante de diregao ea existéncia da tendéncia de “puxar” para um dos lados. FS-Porca-trava do tirante Fé-Regulagem de converpéncia Valores de alinhamento: Valores verificados com 2 pessoas nos bancos e abastecido com Agua, dleo e meio tanque de combustivel Caster 2° 30' até 4°30 camber ()2°20' até (-)1° (1° 58° até 1° 20 Convergancia (10,9 mim até 1,3 mm (2) 4.0 mm até 3,0 mm Nesta hora é bom seu cliente ter Fras-le. Fras-le, lider em produca0, tecnologia FRASH E e- desenvolvimento de pastilhase fonas para freio, garantindo.a sua 4 total seguranca nas estraas. —— <> www.fras-le.com Sistemas Mecanicos, O sistema de freios do Astra utiliza discos ventilados nas rodas dianteiras e tambores nas rodas traseiras, opcionalmente pode vir equipado com disco na traseira. Possui 2 circuitos hidréulicos independentes: um é responsavel pelo acionamento dos freios das rodas dianteira esquerda ¢ traseira direita e 0 outro pelo acionamento dos freios das rodas dianteira direita e traseira esquerda. Utiliza também servo-freio, com assisténcia a vacuo. O fluido de freios possui especificago DOT-4, O freio de estacionamento, popularmente conhecido como “freio de mao”, no possui acionamento hidréulico, mas mecinico, através de cabos. Sua atuagao é restrita aos tambores das rodas traseiras, ‘As pastilhas devem ser substituidas sempre que seu material de atrito estiver trincado, excessivamente contaminado, irregular ou apresentar espessura inferior a 2,0 mm, Observe a condigao das pastilhas antes da desmontagem. As pastilhas nao devem ser substituidas individualmente, mas 0 conjunto completo. Remoci 1-Posicione o veiculo no elevador; 2-Afrouxe os parafusos das rodas dianteiras; 3-Levante o veiculo eremova as rodas dianteiras; 4-Com o auxilio deuma chave de fenda, solte a mola de retengao da pinga de freio; 5-Com uma chave Allen 7 mm, remova os parafusos de fixago da pinga de freio ao cavalete (F1); 6-Removaapinga (F2); 7-Removaas pastilhas. EEEERemogaio dos parafusos da pines Limpe adequadamente a regitio das pastilhas antes de instalar um novo jogo Fitri) es Instalacio: 1-Recueo émbolo da pinga até o fim de seu curso; 2- Instale as novas pastilhas de freio (Fras-Le PD/72 FF): 3- Instale apingano cavalete ¢ aperte seu parafuuso Allen 7mm com 27 N.m; 4-Instalea mola de retengao, posicionando-a com o auxilio de uma chave de fenda; 5- Instale as rodas e os parafusos; 6-Abaixe 0 veiculo e aperte os parafusos das rodas com 100 N.m. @ Apés esta operacio, pise firmemente no pedal do freio diversas vezes, até que o pedal oferega firmeza. Inspecione o nivel do fluido de freio no reservatorio. Complete-o se necessario. mg Inspecione os discos de freio da seguinte forma: com um relogio comparador de base magnética, examine empenamentos no disco de freio. Fixe a base magnética em um ponto no veiculo ¢ posicione o apalpador nas partes interna, central e externa da superficie do disco. Gire 0 disco uma volta completa em cada posigio. O desvio nao deve ultrapassar 0,04 mm. Caso contrario, submeta o disco a uma retifica ou substitua-o. Com um micrémetro, examine a espessura dos discos de fireio (F3), Faga a medig&o em quatro. pontos distintos, Se for encontrado pelo menos um ponto cuja espessura estiver inferior a 23,97 mm, substitua o disco de freio, conforme indicado a seguir: Remocio: 1-Posicione o veiculo no elevador; 2-Afrouxe os parafuusos das rodas dianteiras; 3-Levante 0 veiculo eremovaas rodas dianteirai 4-Remova as pastilhas de freio ¢ a pinga, indicado em Substituigao das pastilhas de freio” 5-Remova os parafusos que fixam o cavalete da pinga de freio Amanga de eixo, com umachave Allen 10mm (F4); conforme @ Nao deixe a pinga pendurada pelo flexivel. Utilize um arame para sustenté-la adequadamente. ) de fixacao do disco de freio ao cubo 7-Removao disco de freio. @ Limpe a superficie entre o disco de freio eo cubo deroda. BS Tua [ler Instalagao: 1-Posicione o disco de freio em seu alojamento; 2-Instale o parafuso (Philips) que fixa o disco ao cubo derodae aperte-o com 7N.m; 3-Instale a pinga de freio em seu alojamento; 4-Instale os parafusos que fixam o cavalete de freio a manga de eixo e aperte-os com 27 N.m; 5-Instale as pastilhas de freio e a pinga, conforme indicado em “Instalagao das pastilhas de freio”; 6-Instale as rodas ¢ os parafusos; 7-Abaixe 0 veiculo c aperte os parafusos das rodas com 100N.m. ‘Apés essas operagdes, serd necessirio “assentar” as pastilhas. Faga um teste de rodagem no veiculo e acione os freios diversas vezes de forma gradual. Procure usar bastante os freios continuamente, mas evite freadas bruscas. Lembre-se de advertir o cliente que a melhor performance dos freios nfo serd obtida nas primeiras frenagens. Remoca 1-Posicione 0 veiculono elevador; 2-Afrouxe os parafusos das rodas traseiras; 3-Levante o veiculo eremovaas rodas traseiras; 4-Deixe o freio de estacionamento desaplicado (solte o “freio de mao”); 5-Remova o parafuso (Philips) de fixago do tambor de freio; 6-Removao tambor de freio; Limpe o tambor de freio ¢ inspecione a espessura dos tambores (F5) € das guamigdes de freio (F6). Instalagio: I-Inspecione o tambor de freio quanto a fissuras ou ranhuras na area de contato com as sapatas de freio; 2-Instale o tambor de freio; 3-Instale o parafuso (Philips) de fixaco do tambor de freio; 4-Aperte o parafuso de fixagaio do tambor; S-Instaleas rodas eos parafusos; 6-Abaixeo veiculo e aperte os parafusos das rodas com 100.N.m. ae SCE So) A recuperagio da folga do cabo de acionamento € automitica conforme o desgaste das lonas dos freios traseiros. Portanto, 0 procedimento descrito a seguir, deve ser executado, somente, apés a substituigdio das sapatas, dos cilindros de roda traseiros ou do cabo completo 1 -Posicione o veiculono elevador; 2-Remova o guarda-pé da alavanca do freio de estacionamento; 3-Solte completamente a porca de regulagem do freio de estacionamento (F7); 4-Pressione o pedal de freio por 3 vezes seguidas; 5-Levante 0 veiculo parcialmente; 6-Puxe a alavanca do freio de estacionamento até o terceiro dente € gire a porca de regulagem do freio até que as rodas traseiras possam ser giradas com 0 esforgo manual; 7-Aperte a porca de regulagem do freio de estacionamento; 8-Puxe a alavanea do freio de estacionamento até seu fim de curso e verifique se as rodas traseiras io devidamente travadas; 9-Solte totalmente a alavanca do freio de estacionamento; 10-Gire as rodas traseiras e certifique-se de que nao oferecem resisténcia devido ao freio de estacionamento. Se necessirio, refaga o procedimento de ajus 11-Abaixeo veiculo; 12-Aplique o freio de estacionamento (puxe a alavanea do freio de mao). 13-Instale o guarda-po daalavanca do freio de estacionamento. Verifique ses rodas traseiras estao devidamente travadas. Tecnologia Fras-le, evolucao constante. Maior empresa da América Latina, uma das lideres mundiais em seu segmento. 1° fabricante da América Latina, em materisis de friccao, com pistas especiais para testes em campo. ‘Avangado Centro de Pesquisa & Desenvolvimento, Mais de 9 mil referéncies das marcas Fras-e e Lonafiex gerantem seguranca e qualidade &s montadoras € 80 mercado de reposicso e FRASLE © S SS wwwtrac com Plugs Eletrénicos Valvulas Termostéticas Interruptores Sensores de Térmicos Temperatura www.thomson-net.com.br SUbetui0Wo Hqudo de arefecient Drenage Esta operagiio deve serrealizada com o motor frio. 1-Posicione o veiculonoelevador; 2-Removaa tampa do reservatério de expansio; 3-Prepare um vasilhame para armazenar 0 liquido de arrefecimento; 4-Eleve o veiculo; 5-Com um alicate, solte a abragadeira da mangueira inferior do radiador (F.1) e desloque a mangueira de sua sede para permitir o escoamento do liquido de arrefecimento; 6-Ao terminar a operacao reinstale a mangueira inferior e reapertea sua abragadeira. Abastecimento: 1-Removaa tampa do reservatorio de expansio; 2-Desconecte o terminal elétrico do ECT (F.2); 3-Removao ECT; 4-Abasteca o sistema com uma solu¢do composta por 40% de aditivo ¢ 60% de agua potdvel, até observar a saida continua de agua, isenta de bolhas de ar, pelo alojamento do ECT. A capacidade do sistema é de aproximadamente 6,2 litros (sem ar-condicionado) e 7 litros (com at-condicionado); 5-Reinstale o ECT e aperte-o com 20 N.m; 6-Conecte o terminal elétrico do ECT; 7-Reinstale a tampa do reservatorio de expansi 8-Ligue o motor e aguarde até que o eletroventilador do radiador seja acionado por duas vezes. Caso 0 eletroventilador permanega acionado, continuamente, realize novamente o procedimento de drenagem; 9-Desligue 0 motor e aguarde até o seu completo esfriamento; 10-Verifique novamente o nivel do liquido de arrefecimento. Complete-o senecessario. Reservatério de expansdo Radiador Radiador de aquecimento interno Mangueira superior do radiador Mangueira inferior do radiador Id Sensor de temperatura ECT E] Eletroventilador E] Vaivula termostatica F.J-Mangueira inferior do radiador Sistemas Mecanico: Remociio: 1-Drene o liquido de arrefecimento, conforme recomendado no item “Substitui¢&o do liquido de arrefecimento” 2-Desconecte o terminal elétrico do ECT; 3-Com um alicate, removaamangueira superior do radiador junto ao motor (F.3); 4-Com uma chave 10 mm, solte os parafusos de fixac3o da carcaga da valvula termostatica remova- F3-Mangucira superior do motor “Walvala Thomson VT361.87 (completa) Walvula Thomson VT211.87 (refil) Instalacao: 1-Limpe a superficie de assentamento da carcaga da valvula termostitica; 2-Instale anova valvula termostatica (Thomson VT211.87)com o seu novo anel de vedagao; 3-Instale os trés parafusos da carcaca e aperte-os com 10 N.m; 4-Reinstale a mangueira superior do radiador junto ao motor ¢ o terminal elétrico do ECT; 5-Abasteca o sistema de arrefecimento e inspecione-o, conforme recomendado no item ‘Substituigdo do liquido de arrefecimento”. -posteres nica 2000. SCHADEK Remogao da bomba d'agua Esta operago deve ser realizada com 0 motor frio. 1-Posicione o veiculono elevador; 2-Prepareum recipiente para recolher o fluido dearrefecimento; 3-Afrouxe os parafusos da roda dianteira direi 4-Removaa tampa do reservatério de expansio do sistema de arrefecimento; 5-Levante o veiculo; 6-Removaa roda dianteira direita; 7-Removaa correia dentada, conforme a segéio “Correia dentada” deste manual. 8-Solicite a um auxiliar para que pise firmemente no pedal de freio com a quinta marcha engatada. Simultaneamente, solte o parafuuso de fixagdo da engrenagem da arvore de manivelas; 9-Removaoo parafuso e a arruela da engrenagem da érvore de manivelas; 10-Remova a engrenagem da érvore de manivelas; 11-Remova o tensionador da correia dentada; 12-Solte os parafiusos de fixagiio da tampa de valvulas, obedecendo uma seqiiéncia em espiral, da extremidade para o centro; 13-Removaa tampa de valvulas; 14-Com uma chave fixa 22 mm, trave 0 eixo comando de valvulas, fixando 0 sextavado existente entre os cames que acionam as valvulas do quarto cilindro do motor. Simultaneamente, solte, com uma chave 17 mm, o parafuso de fixagiio da polia dentada do eixo comando de valvulas (Fl e F2); EjsTravamento do comando F2-Polia do comando 15-Remova o parafuso, a arruela ea polia do comando de valvulas; 16-Solteos trés parafusos do adaptador do suporte ao coxim, lado direitos 17-Solteos parafusos de fixagdo da cobertura posterior da correia dentada; 18-Remova a cobertura posterior da correia dentada (F3); 19-Dreneo liquido de arrefecimento, soltando a mangueira inferior do radiador 20-Com uma chave Allen, solte os trés parafusos de fixacao da bomba d'égua (F4); 21-Remova a bomba d ‘agua e seu anel de vedagao; 22-Limpe o alojamento da bomba d'agua e remova residuos de oxidacio. F3:Cobertufa posterior removida F4-Parafusos da bomba d'égua BT a [re Torok 1-Unte levemente com vaselina o novo anel de vedagiio e posicione-o na bomba d'agua (F5); 2-Instale a nova bomba d'agua (Schadek NR. 20.036) com seu anel de vedago(F6); __BS-Anel de vedagio 3-Posicione a bomba de forma que o ressalto de sua aba fique alinhado com o ressalto do bloco do motor(F7); 4-Aperte os trés parafusos de fixacdio da bomba d'igua com 8 N.m; 5-Instalea cobertura posterior da correia dentada e aperte seus parafusos de fixagao; 6-Instalea polia dentada do eixo comando de viilvulas, com sua arruela e seu parafuuso de fixaco; 7-Trave o eixo comando de valvulas com uma chave fixa 22 mm e simultaneamente aperte 0 parafuuso de fixacdo da polia do comando com 45 N.m; 8-Instalea tampa de valvulas com uma nova junta; 9-Instale os parafusos da tampa de vilvulas e aperte-os com 8 N.m, obedecendo a uma seqiiéneia espiral, iniciando do centro paraas extremidades; 10-Instale a engrenagem da arvore de manivelas, seu parafuso de fixagaio e sua arruela; 11-Solicite a um auxiliar para que pise firmemente no pedal de freio com a quinta marcha engatada. Simultaneamente aperte o parafuso de fixagao da engrenagem da arvore de manivelas com 130 Nam+ ate, 12-Instale o tensionador da correia dentada; 13-Instale os trés parafusos do adaptador do suporte ao coxim, lado direito, e aperte-os com 20 N.m: 14-Instale a correia dentada, conforme indicado na seco “Correia dentada”; 15-Instale a roda dianteira direita e seus parafusos; 16-Abaixe o veiculo e aperte os parafusos da rodacom 100 N.m; 17-Abastega_o sistema de arrefecimento, conforme recomendando na segio “Sistema de arrefecimento” deste manual. WW: SCHADEK‘COM.-BR — » 4 ee SCHADEK| ee SUBSTITUICAO (Dy WSS SIF Fe Talla 1-Posicione o vefculo no elevador; 2-Prepare um recipiente para recolher 0 dleo do motor; 3-Afrouxe os parafusos da roda dianteira direita; 4-Levante o vefculo; '-Remova a roda dianteira direita; 6-Solte 0 bujdo do carter edrene 0 dleo do motor; 7-Depois de escoado todo 0 dleo, instale o bujao do carter com um novo anel de vedagao; 8-Aperte 0 bujao do carter com 10N.m.; 9-Solte os parafusos que fixam o tubo primario de escapamento ao coletor de admissao. Desloque 0 escapament 10-Remova a correia dentada, conforme demonstrado na se¢do “Correia dentada”’; 11-Solicite a um auxiliar para que pise firmemente no pedal de freio com a quinta marcha engatada. Simultaneamente, solte o parafuso de fixagdo da engrenagem da érvore de manivelas; 12-Remova o parafuso e a arruela da engrenagem da arvore de manivelas; 13-Remova a engrenagem da arvore de manivelas; 14-Removao tensionador da correia dentada; 15-Solte os parafuusos de fixago da tampa de valvulas, obedecendo uma seqiiéncia em espiral, da extremidade para o centro; 16-Removaa tampa de valvulas; 17-Com uma chave fixa 22 mm, trave o eixo comando de valvulas, fixando 0 sextavado existente entre 08 cames que acionam as vilvulas do quarto cilindro do motor. Simultaneamente, solte, com uma chave 17 mm, o parafuso de fixagiio da polia dentada do eixo comando de valvulas (Fl e F2); ga Fl-Travamento do comando F2-Polia do comando 18-Remova o parafuso, a arruela ea polia do comando de valvulas; 19-Solte os trés parafusos do adaptador do suporte ao coxim, lado direito; 20-Solte os parafusos de fixagao da cobertura posterior da correia dentada; 21-Remova a cobertura posterior da correia dentada (F3); 22-Solte o conector do interruptor de pressao de 6leo da bomba; 23-Remova o filtro de dleo; 24-Solte os parafusos de fixagiio do cérter (F4); re ah F3.Gobertra porterior removida F&-Parafusos do atta |SCHADEK a 25-Remova o carter domotor; 26-Solte os parafusos de fixagiio do tubo de sucgio de dleo (FS e F6); ES &. S-Parafusos do tubo de succio F6-Tubo de sucgio 27-Removao tubo de sucgao de dleo (F7); 28-Removaa placa defletora de dleo (F8); 29-Solte os parafuusos de fixagaio da bomba de 6leo (F9); 30-Remova a bomba de dleo e sua junta de vedagao; E7-Tubo removido F-Defletor de 6leo F9_Parafisos da bomba de dleo f§) Na remogio da bomba de dleo o vedador frontal da arvore demanivelas deve sair junto coma bomba. 31-Limpe a regifo de alojamento da bomba de éleo e remova eventuais resquicios de junta (F10); 32-Inspecione o estado da frvore de manivelas. Observe se no hé sinais de desgaste nos cantos de arraste da drvore de mani. FIO-Algjamento da bomba Instalagao da bomba de éleo f Bomba de éleo Schadek Boinba de 6le0 Schadek NR. 10.173 eas SCHADEK| a 1-Instale a nova junta de vedagiio da nova bomba de dlco, alojando-a no bloco; 2-Abasteca a bomba de 6leo com um pouco de dleo novo para motor; 3-Lubrifique a parte interna do vedador de dleo da nova bomba de dleo com dleo novo para motor; 4-Instale cuidadosamente a bomba de dleo (Schadek NR. 10.173) no bloco do motor ; Bomba Schadek instalads Bomba Schadek Atente para que o vedador de éleo existente na nova bomba néo seja danificado na instalagao da bomba. 5-Aperte os parafuusos de fixagdo da bomba de 6leo com 10 N.m; 6-Instale aplaca defletora de 6leo; 7-Instale o tubo de sucgao de dleo eaperte seus parafusos com 8 N.m; 8-Abastega a bomba com mais leo novo para motor através do orificio do interruptor de pressio de éleo; 9-Instale o interruptor de pressdio de dleo da bombae seu conector elétrico; 10-Abastega onovo filtro de 6leo com dleo novo para motor ¢ instale-o na bomba de dleo; L1-Instale 0 carter com uma nova junta; 12-Aperte os parafusos de fixagao do cértercom 10N.m; 13-Instale a cobertura posterior da correia dentada e aperte seus parafusos de fixagao; 14-Instale a polia dentada do eixo: comando de valvulas, com sua arruela e seu parafuso de fixagao; 15-Trave o eixo comando de valvulas com uma chave fixa 22 mm ¢ simultaneamente aperte 0 parafuso de fixagaio da polia do comando com 45.N.m; 16-Instalea tampa de valvulas com uma nova junta; 17-Instale os parafuusos da tampa de vilvulas e aperte-os com 8 N.m, obedecendo a uma seqiiéncia espiral, iniciando do centro para as extremidades; 18-Instalea engrenagem da drvore de manivelas, seu parafuso de fixagao esua arruela; 19-Solicite a um auxiliar para que pise firmemente no pedal de freio com a quinta marcha engatada Simultaneamente, aperte o parafuso de fixagao da engrenagem da arvore de manivelas com 130 N.m + 45°+5°; 20-Instale o tensionador da correia dentada; 2-Instale os trés parafusos do adaptador do suporte ao coxim, lado direito, e aperte-os com 20 N.m; 22-Instale a correia dentada, conforme indicado na segao “Correia dentada”; fle o tubo de escapamento no coletor de descarga com uma nova junta e aperte seus parafusos io com 25 N.m; 24-Instalea roda dianteira direita e seus parafusos; 25-Abaixe o veiculo e aperte 0s parafiusos da roda com 100N.m; 26-Abasteca o motor com o leo especificado eno volume indicado em “Ficha técnica”, na pigina4. Acesse nosso site; Wine caiied2 000, cou OF PROBLEMAS MAIS COMUNS RELACIONADOS A QUEDA DE PRESSAO DE OLEO SCHADEK NOS MOTORES 8V E PRINCIPALMENTE 16V [ESCGERO Valvula de Retengdo ou de Seguranga Substituir o Filtro de dleo do filtro de dleo com defeito Entradas de ar pelo sistema Valvula de Retengao do cabecote Viscosidade do leo incorreta Carbonizagées no sistema Impurezas no interior do tubo de succao Folga dos mancais incorreta Desgastes do cabegote Desgastes dos Tuchos Hidraulicos Nao utilizar cola Observar pela vareta do dleo, com o motor em funcionamento e com 0 dleo quente, se o dleo esta espumando. Se estiver, significa que esta tendo entrada de ar. Verificar entéo se a base do pescador esta empenada ou com uso de cola, se existem possiveis fissuras no bloco ou cabegote. Verificar se ha valvula de retengao no cabegote e se esta em perfeito funcionamento, caso contrario substitua-a. Substituir 0 dleo e utilizar o especificado pelo fabricante. Efetuar a limpeza completa e detalhada no sistema. Recomenda-se trocar o tubo de sucgao sempre que trocar a bomba de dleo. Ajustar as folgas corretamente dentro do especificado. Fazer a retifica completa do cabecote. Efetuar a troca dos tuchos gastos (é recomendado que todos sejam trocados). Nao se deve usar cola na aplicagao da bomba de dleo ou do tubo de sucgao, utilizar somente a junta que acompanha o produto. 29-2 SCHADEK eee ne: (15) 3262 3112 Mi sewwwsschadek.com.br_ += =sac@schadek.com.br Gasolina Podium: vocé pergunta, a Petrobras e o motor respondem. 1—Uma gasolina com maior octanagem pode ser mais-econémica? ‘Nos testes realizados antes do lancamento da gasolina Petrobras Podium, foi observado que nao hia diferenca de consumo entre as diferentes gasolinas: Comum, Premium e a Podium. A diferenca de consumo que se observa entre dois motoristas pode ser de até 15% e a observada entre situagdes de transito diferentes pode chegar até a 20%. Portanto, o que menos influencia 0 consumo é a octanagem da gasolina, no caso de automéveis. ‘No caso de motos, onde a relacao poténcia/peso é muito grande, jé recebemos manifestagdes de consumidores que afirmam notar diferenca entre 0 consumo quando usam uma gasolina ou outra, sendo menor 0 consumo quando utilizam a Petrobras Podium. 2—A gasolina Petrobras Podium tem alcool? Qual é o teor utilizado hoje? Sim. Todas as gasolinas automotivas comercializadas no Pais, por forca de lei federal (aprovada pelo Congreso), recebem a adic de alcool anidro. 3—E possivel se misturar a gasolina Podium com outras gasolinas? Sim, porém os beneficios obtidos seréo menores proporcionalmente 4 quantidade de outras gasolinas misturadas (0 desempenho, por exemplo, nao serd o mesmo quando se mistura a gasolina Podium com outras gasolinas). De uma forma geral, ndo se recomenda o uso intermitente de gasolina comum (sem aditivo) com gasolinas aditivadas. 4 — Deve ser adicionado algum aditivo extra na Podium para a limpeza dos bicos injetores? Agasolina Petrobras Podium contém os aditivos necessdrios para manter 0 motor limpo, nao sendo, portanto, necessério o uso de nenhum produto a mais. Pela sua formulagao de componentes e aditivos, a gasolina Petrobras Podium tem a capacidade de manter o motor limpo de modo mais eficaz do que qualquer gasolina disponivel no mercado. BR) PETROBRAS 0 DESAFIO € A NOSSA ENERGIA SAC (sistema de alimentagao de combustivel) € a nomenclatura adotada por Mecinica 2000 para designar todo 0 conjunto dos componentes que armazenam © conduzem o combustivel, desde a sua entrada no bocal de abastecimento do tanque até o interior do motor. Bomba de combustivel Todos os procedimentos para a manutengdo podem ser executados sem a me necessidade de remocdo do tanque de combustivel, Para remover oconjuntodabomba, aap ¥, basta soltar as conexdes da linha de envio e de retorno, o terminal elétrico e, em seguida, desaperte o anel roscado que fixa 0 conjunto ao tanque. acesso ao conjunto é feito por um vio localizado embaixo do assento do banco traseiro. ES" da |[[Stida’e retomo de combustivel vel a = Regulador de pressiio LP 47215/245 Bome 25 quo de instrument Boba ge abate Lj P£TRosRAs Sistemas Mecanicos -Tubo distribuidor e eletroinjetores de combustivel O eletroinjetor de combustivel é responsavel pela injegao pulverizada de combustivel no coletor de admissiio. Os quatro eletroinjetores esto montados no tubo distribuidor de combustivel Lee [Mubo distribuidor e eletroinjetores sistema de recuperacao de vapor | circuito tem a fungdo de recuperar o vapor proveniente do tanque de combustivel, para minimizar seus efeitos poluentes na atmosfera, O combustivel contido no tanque evapora continuamente, em razio de sua alta volatilidade. O vapor formado flui, devido ao seu baixo peso especifico, para o separador de vapor, depois prossegue para o cnister, onde é retido e liberado | no instante em que a eletrovalvula CANP se abre, fluindo até o coletor de admissio para ser queimado na camara de combustao. eee Saeed Ta Sere acc ete = ee Ease : Se Emborao sistema de combustivel seja classificado como Return-less (sem retorno de combustivel), existe uma pequena linha de retorno, que vai da saida do filtro de combustivel até o tanque. Return-less € 4 terminologia utilizada para descrever o sistema de combustivel cujo tubo distribuidor nao possui retorno, mas existe retorno para a eletrobomba. O filtro de combustivel deve ser trocado a cada 15.000 km. > 2000 Reguladores de pressao Exclusivo tratamento para linha Alcool e Gasolina A |iEP)° mantém o mesmo padrao interno para todos os modelos: 1 Conexao p/ 0 coletor de admissao 2 Mola de pressao 3 Diafragma 4 Anel oring de vedagao 5 Filtro tela da admissao 6 Entrada de combustivel 7 Oring de vedagao retorno 8 Retorno de combustivel - O regulador de pressdo é responsavel por mantera pressdo do circuito de combustivel de forma compativel com a pressao ideal para o funcionamento dos bicos injetores. - Internamente os reguladores de pressao possuem duas camaras isoladas entre si por um diafragma onde uma fica em contato com combustivel ea outra como vacuo do coletor de admissao; em sistemas onde o regulador esteja montado junto a bomba, nao se utiliza este recurso. - Os reguladores LP sao construidos em ago inox zamak aco carbono beneficiados por processo de tratamento térmico e quimico conferindo-Ihe altissima resisténcia‘a corrosao. - Com diafragma e anéis em Viton aliado ao sistema de Visite nosso site: vdlvula lapidada garante o funcionamento perfeito e du- Ip.ind bi radouro com gasolina ou lcool. www.ip.ind.dr ® LP INDUSTRIA E COMERCIO DE PEGAS PARA CARBURADORES LTDA wow.ip.ind.br email: Ip@Ip.ind.br LIDER PELA RE) Fabrica Rua Vicentina M. Fidélis, 275 CEP 93025-340 - Sao Leopoldo - RS Fone: (51)3589.9200 - Fax: (51) 3589.9222 CDs - Centros de Distribuigao So Paulo - SP: (11) 6955.9677 Uberiandia - MG: (34) 3212.5404/5550 gedore@gedore.com.br www.gedore.com.br Parafusos de fixago da valvula da marcha lenta ‘Sensor de oxigénio ‘Sensor de temperatura do liquido do arrefecimento Parafusos de fixacdo do alojamento da valvula termostatica Parafusos de fixacao da placa defletora de dleo do carter Parafusos de fixago do tubo de sucgao da bomba de dleo Parafusos de fixacdo do carter Parafusos de fixagao do bujao do carter Parafusos de fixacdo do tubo de escapamento Velas de ignigao Porcas de fixagao do coletor de escapamento Parafusos de fixagao do defletor do calor do coletor de escapamento Parafusos de fixag8o do sensor de posicdo da arvore de manivelas Parafusos de fixagdo do suporte do coxim traseiro & caixa de mudancas Parafusos de fixag&o do coxim dianteiro ao quadro da suspensao dianteira Parafusos do suporte do coxim direito do motor Parafusos do suporte do coxim esquerdo & caixa de mudangas Conexio da mangueira de alta presséio do condicionador de ar ao condensador Parafuso de fixacSo do pivé da suspenséo dianteira Porcas da fixag&o do brago oscilante a torre de suspensio Porcas de fixac&o do terminal de diregao Parafusos de fixagao da cobertura posterior da correla dentada Porcas de fixagaio do coletor de admiss8o Parafusos da placa da reten¢ao da arvore de comando de valvulas Parafuso de fixagdo da engrenagem da arvore de comando de valvulas Parafusos de fixagdo do cabegote Parafusos de fixagdo da bomba d’agua Parafusos de fixagdo da engrenagem da arvore de manivelas Parafusos de fixago da polia da arvore da manivelas Porca (8 mm) da conexéo elétrica do alternador Porea (5 mm) da conexaio elétrica do alternador ‘Tampa traseira da carcaca da arvore de comando de vélvulas 8Nm 8Nm 8Nm 20N.m 45N.m 3Nm 8Nm 8N.m 3Nm 42N.m 20N.m 410 Nm 20N.m 8Nm 10 N.m 10 N.m 25N.m 27,5N.m 20N.m 9Nm 8Nm 20N.m 8Nm 6.5N.m 6,5N.m 5,5N.m 5,5N.m 20N.m 100 N.m 65N.m 60 N.m 4Nm 20N.m 85N.m 45N.m 25Nm-+3etapas de 60° + 10° 8Nm 130 N.m + 45° + 5° 20N.m SN.m 3.5N.m 9Nm weal Descrigao Parafusos de fixagao do protetor de carter Parafusos de fixacao do amortecedor de vibragbes da semi-arvore Parafusos de fixaco das bracadeiras da barra estabilizadora Porca de fixacao da barra estabilizadora Porca de fixagao da junta esférica Parafusos de fixacdo do brago de controle no quadro da suspensao Porca de fixagao do braco da barra estabilizadora a barra Parafusos de fixagao do cubo da roda D Valores 20.N.m 40N.m 20N.m 65N.m 100 N.m 90. N.m 65N.m 90 N.m + 30°+ 15° ( GEDORE ) SS Trea Sa A ISAS RE cae Porca de fixagao do terminal de diregdo no munhao Parafusos de fixacao do munhao ao tubo da torre da suspensdo Porca de fixagao da torre da suspensdo na cipula da torre orca de fixagao do mancal da torre & haste do émbolo do amortecedor Parafusos de fixagao da roda Porca de fixagao do suporte dianteiro Porca de fixagao do suporte traseiro Parafuso de fixagao do suporte (quadro) da suspensao Porcas de fixacao do escapamento ao coletor Parafusos de fixagao do suporte da bateria Parafusos de fixacdo da placa de suporte da bateria Parafuso de fixacao no acoplamento da arvore da dirego com pinhao da caixa de diregao Parafuso fixador do amortecedor ao eixo traseiro Parafuso fixador do amortecedor ao assoalho do veiculo Parafuso fixador do suporte do eixo na carrogaria Porca fixadora do tubo rigido na mangueira de freio Parafuso fixador das presilhas dos tubos de freio no eixo traseiro Parafuso fixador das presilhas do cabo do freio de estacionamento no eixo traseiro Parafuso fixador do suporte no eixo traseiro Porcas de fixagao do conjunto do rolamento da roda ao eixo traseiro Porea fixadora do pedal do freio ao servofreio Parafusos fixadores da pinga de freio traseiro Parafuso fixador da mangueira flexivel na pinga de freio traseiro Parafuso fixador do disco de freio traseiro Porea fixadora do tubo rigido no cilindro da roda Parafusos fixadores do multiconector Parafuso fixador do médulo do ABS a unidade hidraulica Porcas fixadoras dos tubos rigidos ao cilindro-mestre Porcas fixadoras da unidade hidrdulica orca fixadora do tubo de freio na extremidade da mangueira flexivel do freio traseiro Porca fixadora do tubo de freio ao tubo central Conexées dos tubos a unidade hidraulica Parafusos fixadores da pinga do freio dianteiro Parafuso fixador da mangueira flexivel na pinga de freio dianteiro Parafuso fixador do disco de freio dianteiro Parafuso fixador do cilindro da rada no espelho do freio Parafusos fixadores da alavanca do freio de estacionamento a carrogaria Parafusos fixadores do defletor de calor do escapamento Parafuso fixador do interruptor da luz indicadora do freio de estacionamento orcas fixadoras do cilindro-mestre no servofreio Poreas fixadoras do servofreio ao painel dash Porca fixadora do suporte do pedal do freio. Porca fixadora do tubo de freio na extremidade da mangueira flexivel do freio dianteiro Porea fixadora do tubo de freio ao tubo de freio traseiro Valvula de sangria nas rodas Parafuso fixador do tambor de freio : TES ete ae eee) 60.N.m 50.N.m 55N.m 50.N.m 100 N.m 65.N.m 65.N.m 90 N.m + 45° + 15° 20N.m 145N.m 40Nm 22N.m 110N.m 90 N.m 90 N.m + 30° + 15° 16N.m 8Nm 8Nm 90 N.m + 60° + 15° 50 N.m + 30° + 15° tee ad Sa SS 20N.m 65N.m 40 Num 7Nm 16 Nm 5Nm 2,6N.m 16 Nm 20 N.m 16N.m 11,5N.m 11,5.N.m 27N.m 40. Num 7N.m oNm 10N.m 2Nm 2,5N.m 25Nm 20N.m 20N.m 11,5N.m 11,5N.m 6N.m 4Nm Patan tery rai GEDORE mre er ina SS Ts Ae a Fe a i i — Valores Porca de retencéo do rolamento inferior do pinh&o 40 Nm Parafusos de ajuste do apoio do tampao de ajuste da cremalheira 60 Nm Porcas de conexéo dos tubos 20Nm Junta esférica da barra de diego 90 Nm Parafuso de fixagao do volante do motor 25Nm Parafusos de fixagao do braco de reforo 25Nm Porca de fixagao do tubo de salda de pressao 27Nm Parafusos de fixago do conjunto da coluna de diregao na travessa 22Nm Parafusos da bragadeira no suporte da coluna de diregao 22Nm Parafuso de fixacdo da bragadeira inferior da arvore intermediaria 22Nm Parafuso de fixago da bragadeira superior da arvore intermediaria 22Nm Conexéio da mangueira de retorno a tubulacao de saida da caixa 27Nm ‘Conexdo da mangueira de pressdo na bomba 27Nm Porca da barra de direcdo 90 Nm Porca de fixago do terminal de diregéo ao munhao 60 Nm Parafusos de fixagdo da unidade de alimentagdo eletro-hidraulica 7Nm Parafusos de fixagdo do suporte da unidade de alimentacdo eletro-hidraulica 22Nm Parafusos de fixagao da caixa de direcio ao suporte (quadro) da suspensao 45 Num + 45% 15° Conexées das linhas de presséo e de retomo da caixa de diregao 27Nm Parafuso de fixagao do suporte traseiro do motor 55N.m nee ee Cintas de fixagao do tanque de combustivel 20N.m Tubo de abastecimento de combustivel 13N.m Parafuso de fixa¢ao no tubo de abastecimento de combustivel 3Nm Parafusos de fixagdo do reservatorio de partida a frio 5Nm Linha de combustivel dianteira no tubo distribuidor 15N.m Parafusos de fixago do tubo dianteiro do escapamento ao coletor 21 Nm Bragadeira de fixagao do silencioso central ao tubo do escapamento 18N.m Parafusos de fixagao do protetor de carter 20N.m Parafusos de fixagdo do silencloso do escapamento. 15N.m Bracadeira de fixagdo do silencioso central ao tubo do escapamento diantelro 18Nm Porcas do defletor de calor 4Nm Parafusos de fixagdo do silencioso do escapamento traseiro ao silencioso central 15Nm SC keene Pee OoOFRY es @levadores eutomotivos * Colunas fechadas ( clientes e mecanicos nao se sujam) * Correntes e engrenagens de transmissao com lubrificagéo automatica + Sistema de elevagao construido com dois fusos, tipo rosca sem fim, em ago trefilado de alta resisténcla com acabamento super polido + Bragos rebalxados de construgéo robusta * R ty D r,) H - rl RV NY f (41) 3584.1176 Financiamento em até 24 vezes Sujeito a aprovacdo de crédito Finasa Empresa cadastrada paraFinanciamento pelo Bndes Monofésico ou trifasico. Opcional com prancha, para troca de dleo. A UETA - Industria e Comércio de Aparelhos Eletrénicos Ltda, vem produzindo desde 1966 0 Sere eR Tree eer een Po ue Ree OR oe es eae ee Utilizando tecnologia SOLID-STATE, POWER-MOSFET Pee ea ele se ae eee DeWeese aCe Lod eM eZ el Ree 4 Pee nwa 2 7 UL ee eaC aaa tN www.uetai Nosso processo de montagem é totalmente automatizado, com tecnologia em SMT (Surface Mounted Technology), Rea ea ee eae a ecu com controle de processo computadorizado, o qual garante as condigdes ideais de uma moderna fabrica para a nova geracao de produtos mais confiaveis. Cee oe Oke oe mae bobinadeiras de ultima geracao, totalmente programaveis Cen eer ue Ree aed Pree PM aoe ae Molt Cayo) Dea OSC nC Rtn eee Ld Cee Rou Re ee re rey ee ee wc vol enor Ne Pa Re ce ee ee) IER eG ieee eee ee ec ee ma BO eon Pre rene aan) Dre eT cn Do eRe eT Cre et ce aaa cea de Maxis [a ds Miss A central de Maxifusiveis esta localizada no lado esquerdo do vio do motor, entre a central de relés do vao do motor (C.M.) e a torre do amortecedor dianteiro esquerdo. GU Tn a MFT 60.—_—Protege os circuitos da chave de ignicao (pés-chiave - linha 15) que compreendem os fusiveis: F2,F13,F14,F15,F21,F23,F27,F:29,F95,F36 @ F38. MF2 60 Protege os circuitos de alimenta¢Ao direto da bateria (linha 30) que compreendem os fusiveis: F4,F6,F7,F8,F10,F11,F12,F 16,F22,F24,F25,F26,F32 © F7. MF3 60. Protege os circuitos de alimentagao direto da bateria (linha 30) que compreendem os fusiveis: F3,F17,F18,F20,F28,F30 e F34. MF4 40 _Eletroventilador do sistema de arrefecimento do motor e do ar-condicionado MF6 ——30._—_Sistema de injegdo eletronica que compreende os fusiveis F19 © F33 MF7 .40__Eletroventilador do sistema de arrefecimento do motor e do ar-condicionado (ena Me FlES 5 V0 do moror-CM A central de Relés do vio do motor (C.M.) esta localizada no lado esquerdo do vao do motor, entre o reservatorio do fluido de freio e a central de Maxifusiveis do vio do motor RS er ee) 5 a a a a BS R2 Principal u-302 R3__Primeira velocidade dos eletroventiladores u-310 4 _Primeira @ segunda velocidades dos eletroventiladores u-300 5. Prote¢do do motor de partida v.216 6 Bomba de combustivel u-302 R7__Relé 1 da segunda velocidade dos eletroventiladores u310 8 Relé 2 da segunda velocidade dos eletroventiladores ust0 ee Telés fusiveis (BGBiteRIEFEIES € siveis do painel - CP. Acentral de relés e fusiveis do painel C.P. esta localizada na regiao inferior esquerda do painel. R2 Farol alto ute 6 Lantema retroneblina ute RT Luzde direcdo (seta) lado direito u-364 8 Luz de diecdo (seta) lado esquerdo u-364 RO Sistema de partida a frio SPF u-202 R10" Embreagem do ar-condicionado uso R11 Limpador e lavador para-brisa -066 R12 Protegao da bateria u.st0 Desembagador vidro traselro v.30 Fi = F2 30 Fa 40 F4 20 FS - F6 10 F7 10 Fa 10 Fo = F10 15 Fit 20 12 16 F375 14 30 F675. F168 10 FI7 30 Fie 75 F19 15 F20 30 F21 75 F22 15 F23 10 Py ae nee eas sy a eee, rs ‘Nao ullizado| Ventilador interno Desembagador vidro traseio Tomada 12V Nao utilizado Farol baixo (lado direito) Faroletes (lado direito), luzes de placa © médulo temporizador (Multimer) Farol alto (lado direito) Nao utilizado Buzinas Travas elétricas e vidros elétricos Farol de nebiina ‘Quadro de instrumentos e TID Limpador e lavador do para-brisa Vidtos elétricas e retrovisores elétricos Luz de nebiina traseira Vidros elétricas Nao utiizado Bomba de combustivel Vidros elétricos Travas elétricas @ médulo temporizador (Multitimer) Luzes de adverténcia, médulo temporizador (Multtimer) e quadro de instrumentos. ABS. TELEVENDAS: 4003-6700) F24 10 Farol baixo (lado esquerdo) F25 10 Faroletes (lado esquerdo) F26 10 Farol alto (lado esquerdo) F27 = NSo.utilizado F28 7,5 __Luzes de cortesia, relé de protegdo da bateria e tomada de diagnose F29 10 Luzes de r6, luzes de direcdo (setas), médulo temporizador (Multitimer) € VSS 30 30 Teto solar F31 = Néo.utiizado F32 = Nao utiizado 33 10 Sistema de partida a frio SPF Fa4 20 71D 35 10 Embreagem do compressor do ar-condicionado F36 - —_Néoutiizado 37 = Naoutlizado F38 10 Luzes de freio F39 = Naoutlizado F40 - —_ Naoutiizado Fat = Naoutiizado (Mipeatiaagio da central de els ausiiar (lOentalderelésausiliar A central de relés auxiliar fica localizada atrés do porta-luvas, fixada na viga estrutural do painel Ri Relé auxiliar tomada 12V u-s10 Vi) 2000 Sistemas ElétricoS> TAMédulo travas / atuadores das portas GI chow “G) Pp CEEEDED—« 84 Module travas / atuadores das portas Tw, Gil so trav ae gl 414A Médulo treves GED —«2 inieruptores portas DDTOITE / 218 Médulo vidros 168 Modulo travas [= >— 2 Interuptor porta DE / 158 Méduiotravas wR om = —_—_ G3 1 Interuptor tampa compartimento bagagens we CXB C2 =) ee 4 luz de cortesia diantera /1 luzes cortesia traseira LE/LD ie [zZp-2 85 Relé R12 - Protegdo da bateria B= 7 -Comand farbis, J 5 Comando fardis [> 3 Comando fartis 15) 11. Comando fardis p= 4AIMF / 7 Farol LE / sup F24 ra 1B IMF > 38 IMF /1 Bomba lavador péra-brisa TB IMF 12 Bomba lavador para-brisa — 98 IMF Faye BAIMF — SAIMF a> ee 1B Médulo ar-condicionado, desembacador,ventilagéo intema fp— 4 Comando luzes de adverténcia B 2 Comando luzes de adverténcia [58 « 118 Médulo ar-condicionado,desembacador ventilaggo interna | ‘4 TID/1 Tomada 12V/4 Comando indicador marchas Médulo Multitimer C.A.01 macho AZIBR Conector auxiliar C.A.01 C.A.01 fémea [Ay—“" 3 BHD 2 —»v 33 quadro de instrumentos B+o—22_—§-~» sup F29 {D2 —-» 27 auadro de instrumentos / am TID / 6B Médulo Travas, B4p>—_——> wazio 16 Quadro de Instrumentos 87 do Relé 5 - protegao do motor de partida C.A.02 macho Ricz, x 5 76 MC2——=__(B} 56 mc »—HEAM_¢] 3 MRIAZ HE ! 73MC 50 MC mene 77Mc»—=*"*_¢et 58 MC »—PRMR_] 62MC x2. 7 samc»—"2*_¢] 30 wc» 272 ai Localizagio do conector auxiliar 02 ¢ OF di Ez AF é BHD == —» Pré-disposicao {2 + 3 comando Mudanga de Marchas B—*—-» 2cee BD —» 14 auadro de instrumentos BID —-» pri-disposicao Bp Pré-disposicio Bt ‘VAZIO BD—— wazio (CA. 02) Coneetor auxiliar C.A.02 BYD—*S 2 pF Tp ‘30 Quadro de Instrumentos 86 do relé 9 - sistema de partida a frio 25 Quadro de Instrumentos Conector auxiliar 03 (C.A. 03) ce Localizagio do conector auxiliar 03 C.A.03 macho 2. Comutador ‘de Ignicso B= 7 mobitzador D2»: imoitizador RUAN 5» 85 do Relé 7 cm 85 do Rolé 3/ Sombustivel 41PF 85 do Relé 10 - ied ‘arcondicionado 85 do Rolé 4/ 28 Quadro ie 85 do Rolé 8 ‘de Instrumentos Pré-disposicao Dir MF2 es BD» s Pressostato 185 do Relé 2(C.M) - principal 1 SPA/ '2 Prossostato 2.Comando do oleea6, Be inst de partida 87 do Relé2(C.M)- principal Conector auxiliar 04 (C.A. 04) Localizagio do conector auxiliar 04 1 aero SUP ra Shere! 1 kuz ean cane AZO STR 12 Tomacs Wpetaire WAZ. vaz10 (C.A. Locilizagfio do conector auxiliar 05 C.A.05 macho azo $0.Comando ‘ Desembacador wo sani snr LEE Feet, Sasi a 278 Médil Vide UP FIs * aM Te ronald waz03 05) Conestor auxiliar C.A.05 C.A.05 fEmea 87 do Relé 7 -Ida 2" velocidade [5)—“°O __» 87 do Relé 5 - ar-condicionado ~ 87 do Relé 3 - 1" velocidade € Eletroventilador Anterior 2 Embreagem compressor: do ar-condicionado € Eletroventilador Posterior Conector auxiliar 06 (C.A. 06) C.A.06 macho C.A.06 fémea 8 Eletroventitador» =" —{A-G] | | [B- {A} MP" a7 do Rete 8 - da 2" velocidade ‘Anterior A Eletroventiiador>——""=" BEG | | [-{E)>—“"" _—» 30 do Role 4- 1" © 2" volocidade ‘Anterior ‘este anuncio, 10.000.000 de carros ‘com as Baterias Moura nas estradas . E por isso que a Moura é lider de mercado. Inteligente Moura. Inteligente porque dura mais. www.moura.com.br Os pontos de aterramento atendem a diferentes componentes. Junto das fotos de cada ponto de aterramento encontra-se a referéncia a quais componentes ele se destina. Aterramento T1: Localizado sob o para-choque dianteiro, fixado na regiao inferior da longarina dianteira esquerda Localizagto do T1 ‘ome A eletrovenilador posterior ‘Bome 1 embreagem do compressor ar-condicionado AterramentoT2: O ponto de aterramento T2 esta fixadono olhal do terminal negativo da bateria, Ele deriva para um ponto de fixagao no bloco do motor Localizagio derivagio T2 [Ateramento motor de patida Aterramento T: Localizagio do T3 Bormes3/81/83/61 ¢ 80 MC Borne 2 VSS Bome 2 BPF Bome VCC Borne 87 rel 4 primeira e segunda veloidades eletroventilador Bomes 5 e 8 do grupo dpticodianteroesquerdo Bomes 5 e 8 do grupo dpticodianteir direito Aterramento T4: O ponto de aterramento T4 esta localizado na base da colut y Localizacio do T4 omme 2 bomb de combustvel Bore 3 bomba de combustvel Borne 12 commando dos fardis Bornes 2 luzes de placa ome 85 relé2(C.P) - fro alto Bomes 85 reiéauiliartomada 12V ores ? tomas 12 Borne 2 ha porta-Havas itersptor compartments de hagagens Bom : O ponto deaterramento T3 esti fixado na torre do amortecedor dianteiro esquerdo, ‘Borne 2lantema lateral esquerda Bore 2 lanterns lateral direta Borne 2 buzinas Borne 4 motor impador pira-brisa Borne 2 quadro de insrumentos Borne 4 imobilieador , lado esquerdo. ie 14 Bore 2 luz de cortesia taser LD ome 2 luz de cortesia esquerda LE Borne 6B IME Borne SB comando ar-condicionadoventiin./desembagador'ecire ores 2 comand retrovisores ome 3 resistores do ventilador interno Home I stuadortrava elética porta DE ome 3 comando videos elétrcos poras DDTETD ome 10 comando vidro elético porta DE Aterramento TS: O ponto de aterramento TS esta localizado atras do quadro de instrumentos, fixad¢ na vigaestrutural. lomes 1 CPP ome 2 botio de ravamento dss ports central Bome 32 Mukitimer Bore 61D Bome 7 comands luzes edverténcia Bomes 4 5 tomada de diagnstico ‘Bome | interuptor buzina no volante Bome 24 qundeo de insrumentos ‘Bom 1 botio aberture tampa compartimento de bagagens Aterramento T6: O ponto de aterramento T6 esta localizado na base da coluna A, lado direito. Localizagio do 16 Borne 11 mdulo tavaselricas Bornes IA/2A/3A © 4A midlo videos eltrcos Aterramento T” lado direito, O ponto de aterramento T7 esta localizado sob o painel de acabamento da coluna C, Localizagio do T7 Bore 2 rsisténcia eltica do vidro traseiro Aterramento T8: O ponto de aterramento T8 esté localizado no compartimento de bagagens, fixado no painel traseiro, sob sua cobertura de acabamento. ~N © Localizagio do TS 18 Bore 4 lantern tascitadieita ome 3 lantems traseira esquerda Borne A brake light QUADRO DE Se ea ener 87 Relé R6 -lanterna neblina 50MC De Alterador MC 30MC 1 Bomba de combustivel 11VS8/9TID soc omc 4 Interruptor de pressdo de dleo 87 Relé R7 - Luzes de diego (setas) lado direto 87 Relé RB - Luzes de diregdo(sotas) lado esquerdo Pré-cisposicao Pré-tisposigao ‘Sup FB aro alto 12 Tomada de diagndstco Pré-disposicao 2 imobilzador 1 Freio de estacionamento / 1 Inleruptor nivel ido reio 34 Multtimer Quadro de instrumentos Mostrador de informacées triplo TID Conector elétrico doTID 12 Tomada de diagnéstico 1/VSS [21 Quadro de instrumentos 34 Multtimer 4 Sensor de temperatura ar externo 2 Sensor de temperatura ar externo Sistema de som Sistema de som ‘Sistema de som TID Comutador de ignicao Comutador de ignigo Conector do comutador de ig Diagrama elétrico do comutador de ignicao HAN INF F2t INF F13/F14/F 15IF23/F27/F291F35/F38, 7 imobilizador, 1B C.A.03 fémea INF F2 30 Relé R5 - Protego motor de partida COMUTADOR Tomada de diagnéstico ‘Conector da tomada de diagndstico Diagrama elétrico da tomada de diagnéstico 8 TID / 19 Quadro de instrumentos >>MC Sa 21B Médulo travas / 208 Médulo vidros 6 Imobilizador Pré-disposigao ABS Tomada de diagndstico Imobilizador ‘Conector da médulo do imobilizador Médulo do imobilizador Diagrama elétrico do imobilizador 31 MC 34 Quadeo de instumentos 71Mc Tomada de dagnéstieo Médulo do imobilizador Motor de Partida / Alternador Alternador iS “Terminal eléricn D¥ altemador “Terminal eléico $0 motor de paris Terminal eltrico B+ do motor de arta Diagrama elétrico do Motor de Partida / Alternador (ne) 7 7 Ral Prd R2-CM oir de patti ‘Aternador Faroletes (Luzes de posicao) e luzes de placa (Luzes de licen¢a) Posigio de acionamento dos faroletes Faroletes Conectores dos faroletes e luzes de placa CConector das lantemas traseiras ‘Conector do comando dos fardis Diagrama elétrico dos faroletes e luzes de placa Farol baixo Farol baixo Posigio de acionamento do farol baixo Conectores do farol baixo Conector do comando dos fardis Conector do grupo éptico dianteiro ‘Conector do multitimer Diagrama elétrico do farol baixo 27 Mutter Farolbao 7 tomer esquerde 2M ze ndoner Farol alto Farol alto Posigio de acionamento do farol alto Conectores do farol alto Conector do grupo 6ptico dianteiro —_ Conector do comutador de ignigo___ Conector IMF A Diagrama elétrico do farol alto Relé2-CP. Farplbabo ‘ro Relé Farol ato TMF Luz de neblina traseira (Si Luz de neblina traseira Interruptor da luz de neblina traseira Conectores da luz de neblina traseira ‘Conector das lantemas trasciras ‘Conector do comando dos fardis Conector do multitimer Diagrama elétrico da luz de neblina traseira 1 Quad de insrunentos Bae Reléretronebina ae OO FAROIS ~ at) SSCOMANDO FAROSS carn S.COMANDD FARES ep 11 COMANDO FAROIS [5 $$$ amennacio bap uenagho = ‘ALIMENTAGA By ALIMENTAGAO =e, ALMENTAGAO D— 75 Multitimer Luzes de freio Interruptor do pedal de freio - IPF a’ \ Tnterruptor do pedal de freio Localizacao do interruptor do pedal de freio Luzes de freio Conectores das luzes de freio Conector do comutador de ignigaio Diagrama elétrico das luzes de freio = 7) cep Localizagio do interruptor de ré Interruptor de ré Marcha a ré engatada Luz de ré Diagrama elétrico da luz de ré Be"4 ‘Coneetor do interruptor da luz de ré Conector do comutador de ignico _Conector do grupo dptico dianteiro i CHAVE Setas Setas Setas ome sigs de acionamento das setas Interruptor das luzes de emergéncia Conectores das setas ‘Conector das lantemas trasciras ee Conector do grupo éptico dianteiro a Conector IMF A Conector do multitimer Conector do comando das luzes de adverténcia Diagramas elétricos das setas Muttitimer Tomada de 12V e diagrama elétrico da tomada 12V 4 Conector elétrico da tomada 12V —_Conector iluminagio da tomada 12V Relé Protect Relé aunliar tomadet2V pra Luzes de cortesia Luz de cortesia dianteira _— Luz do porta-luvas Luz do compartimento de bagagens Conectores das luzes de cortesia ‘Coneetor luz do porta-luvas Conectores luz de cortesia dianteira —) ‘Conectores luzes de cortesia traseiras ‘Conector luz do compartimento de bagagens vA Conector do multitimer Diagrama elétrico das luzes de cortesia 22 Multiimer Rel potest dina 24 Muitiimer 188 Médulo tava 218 modulo vidro 38 Muittimer 168 Médulo tava 15 Mulitimer Buzinas Localizagiio das buzinas, sob a cobertura do pira-choque dianteiro, lado direito igs Pino de contato com a pista do volante Diagrama elétrico das buzinas Buzinas Pista de contato na parte de ‘ras do volante CConector do interruptor das buzinas 3 ‘Conectores das buzinas Limpador e lavador do para-brisa Tnierruptores do Timpador e do lavador 4 para-brisa ‘Limpador e lavador do para-brisa Diagrama elétrico do limpador e lavador do para-brisa ‘Conector do motor do limpador Relé 11 Limpador Motor do impador "¥ [aad Molgr da ‘vader INE ce rmulipiingo Multttimer Desembagador do vidro traseiro Resisténcia elétrica do vidro traseiro ‘Comando de acionamento do desembacador Diagrama elétrico do desembagador do vidro traseiro (Conector de resisténcia do vidro trasciro Coneetor do multitimer Mutttimer ‘Comando desembagador Retrovisores elétricos Retrovisor elétrico Comando retrovisores elétricos Diagrama elétrico dos retrovisores elétricos Conector do comando dos retrovisores _Conector dos retrovisores Ventilador interno e sistema de ar-condicionado a Localizagio do ventilador interno ResistGncia do ventiladorintemo Seletor de controle do ventilador interno o.com 0 interruptor do AVC ‘Coneetor B do médulo de controle é do A/Cidesembagador /recirculador —_Pressostato do sistema de ar-condicionado Conector do controle do ventilador — Canector A do médulo de controle intemo do A/C/desembacador /recirculador Conectores do motor ventilador interno Diagrama elétrico do ventilador interno e sistema de ar-condicionado 87 Rel principal Re Four Eletroventilador do radiador e ar-condicionado Resisténcia do eletroventilador Eletroventilador do sistema de arrefecimento Diagrama elétrico do eletroventilador do radiador e ar-condicionado Braiis « Conecior elétrico do motor do cletroventilador anterior Diagrama elétrico do eletroventilador do radiador e ar-condicionado Localizagio do médulo das travas eltricas _Localizagio do médulo das travas elétricas__Médulo das travaselétricas Conectores das travas ‘Conector das travas das portastrasciras CConector das travas das portas dianteiras —_Cnectit da trava do bocal do tangue de combustive! ‘Conector trava da tampa comp, bagagens ‘Conector A do médullo das travas CConector do comutador de ignigo Conector do mukitimer ‘Conector B do médulo das travas, Diagrama elétrico das travas elétricas fo « 2 miorupor pre DE 15 Muttiner fo —2 «2 interupor porta DD TED - 14 Multimer- 218 Méovidr eco pren_(CAU) p—-aaap~« 13 Maaitimer agers Vidros elétricos ‘Conector comando vidros porta DE ‘Conector comando vidos portas DD/TETD ‘Coneetor motor vidros portas DD/TD/TE CConector trava da tampa comp ‘Conector do comntador de ignigio CConector B do médulo dos vidros Conector do multiimer eee Uso) toe Wy mecanicyZ00U, couLOr Rue aes Diagrama elétrico dos vidros elétricos _ 12 Tomada dagesteo ra Modul, oa Sar convo Vidros eletioos © alto nivel de seguranga, conforto ¢ conveniéncia disponibilizados nos veiculos atuais tem, cada vez mais, exigido a instalagao de equipamentos elétricos. Isso gera alta demanda tanto do alternador quanto da bateria. Para garantir 0 seguro funcionamento de todo 0 sistema, a BOSCH disponibiliza novos equipamentos de testes, como o Testador Digital de Bateria BAT 121. © Testador BAT 121 é um versatil equipamento que permite o teste rapido e preciso em baterias de veiculos leves, pesados, motos, entre outros. O teste de carga de bateria pode ser realizado em 10 segundos pelo método da condutancia (nao requer corrente da bateria). Tem seqiiéncia automatica de testes e fornece anilise dos resultados de facil compreensio, informando se a bateria esta em boas condigdes de operagio ou se necessita de. manutenga0 ou ainda substituigdo. Pode ser equipado com impressora (equipamento opcional especifico), permitindo fornecer aos clientes uma cépia do resultado dos testes. ‘Testador de baterias Monitoramento com o Testador Digital de Bateria BAT 121 Bosch (No en principal do BAT 121 tem ‘opgies de teste de bateria, teste de ‘alternador, voltimetro, configuracao BoscH Bosch Bosc Na opgo Teste de Bateria, iniciam-se os pardmetros para a realizagao ‘dos testes, como a corrente de arranque a frio, a norma (na qual o teste seri realizado - EN, SAE, IEC, JIS e DIN) ¢ a faixa de temperatura de ‘operacdo da bateria, | Ee] |Nalopeio Teste do Gerador, avalia-se a carga de partida do motor e os consumidores, ¢ obtém-se oresultado do teste Boscit Monitoramento da tensio da bateria, rat Injegao Eletronica 0 osciloscépio é uma ferramenta muito iitil no diagnéstico de circuitos cletroeletrénicos. Com ele & possivel visualizara variagaio da tensdono tempo. Para utilizar um osciloscépio com destreza € preciso compreender as variaveis de ajuste da visualizagio da onda de sinal. Foi utilizado para captura de dados 0 ZIPTEC, osciloscépio digital TECNOMOTOR. Modo de captura: stp captura um certo intervalo do sinal con -captura continuamente o sinal ‘aut - ponta de prova inteligente Base de tempo: Ajusta o intervalo de tempo entre as divisdes das barras verticais. Escala de tensao: Ajusta o intervalo de tensao entre as divisdes das barras horizontais. Merete Gian ultsndoses acento Tipos de triger: Eomomento em que osinal comecarda ser capturado. Borda de subida: quando o sinal passa de um valor menor para um maior. Borda de descida: quando o sinal passa de um valor maior para um menor. Manual: o sinal comegaa ser capturado com o acionamento de uma tecla. Sensor de oxigénio (HEGO) O motor esté aquecido ¢ em marcha lenta. 1. ' - Beco Flos [J EGO FIOA £ possivel ver a variagao da tensio entre 0,1 € 0,9 [V] (mistura pobre e mistura rica). Conjunto medidor de densidade (CMD) (] © motor esté aquecido e primeiramente em marcha lenta Logo apés, omotoré aceleradoe retornaa marcha lenta. ‘.e_ .—_ Bo ocm> ss Fios =f cmp Fio1 JZ) Durante 0 periodo de marcha lenta o sinal varia de forma suave entre 1,0 ¢ 2,0 [V], quando o motor é acelerado o sinal sobe para aproximadamente 4,0 [V], 0 que corresponde a pressio atmosférica. Quando é desacelerado, a tensio caie anna estabiliza novamente na faixa entre 1,0 ¢2,0[V]. ola either Sensor de posicao da arvore de manivelas (CKP) O motor deve estar em marcha lenta e aquecido. Db Bo ocwe Fioz2) ff cKp-Fio1 O motor, em marcha lenta, tem freqiiéncia igual a 15 Hz (900 RPM =900 rot /60s = 15Hz). Como aroda dentada do CKP possui 58 dentes mais o espaco de dois dentes faltantes, a freqiiéncia em que o CKP é estimulado pela passagem de cada dente ou espago, acontece 60 vezes a cada volta da” Sinalda sensor de posigdo da drvore rvore de manivelas, ou seja, 60x 1SHz =900HZ. Se manivelas (CK) em marcha lenta Isso significa que cada dente passa pelo CKP em um tempo correspondente a I,1 ms, ou seja, 1 dente/900 HZ = 1,1 ms, Eletroinjetor (INJ) Omotor deve estarem marcha lenta eaq\ .—_ o—_— bw Fio1 (—f BAT TRM() A amplitude do sinal é de 12 [V] até o MC aterrar o fio 2, fazendo com que 0 injetor abra. Quando o MC retira o sinal de terra, acontece um pico de tensao, depois o sinal volta para 12[V].O tempo de injegao é 0 tempo em que o MC mantémo fio 2 aterrado. E preciso lembrar que o tempo de injeg%io varia | inal do pulso de acionamento em fungao do combustivel utilizado. Sesser esta ices Sensor de velocidade (VSS) i) O motor deve estar ligado, eo veiculo em 2" marcha a 20km/h. [Y) I —— | ee Bo vss Fio1 ff vss Fio2 (YF) Cada pulso significa a passagem por um dente da roda dentada. A freqiiéncia do sinal é aproximadamente 83[Hz] "Seargeaeeorgevelocdade vss (&1/T= 10,012). Aamplitude do sinal é de6 [V] tipo Half para a velocdade 20 kmh Bobina de igni¢ao (DIS) (FH) © motor deve estarem marcha lenta e aquecido. i —— | ie Boos Flot ff Bar TRMG) Este é 0 sinal que o MC envia para o circuito primério da bobina de ignicio. O tempo marcado de = aproximadamente 12 ms é o periodo de carregamento da bobina (angulo de permanéncia), Sinal do pulso de acionamento da bobina de ignigdo em mare Tena Sensor de posicao do pedal do acelerador (SPA) .—_— i — Bosra Flos) ff sPA Fio4 Osinal esta estavel em 0,9 [V]. Quando o pedal do acelerador é acionado, nota-se que o sinal sobe até 3,7 [V] sem descontinuidade. Quando o pedal é liberado, 0 sinal desce sem descontinuidade até 0,9[V] tl —— i —— Bosra Fioe =f sPA Flos Osinal esta estavel em 0,5 [V]. Quando o pedal do acelerador ¢ acionado, nota-se que o sinal sobe até 1,9 [V] sem nenhuma descontinuidade. Quando o pedal ¢ liberado, o sinal torna a descer sem descontinuidade até 0,5 [V] Sinal do potencidmetto I anos 0 ‘ecionamento total do pedal do a Sinal do potenciémetro 2 apis 0 sdor acionamento total do pedal do acelerador Borboleta motorizada (ETC) i —— I i= Bo etc Flos Qf Etc Flos Osinal esti estdvel em 4,2 [V]. Quando a borboleta é aberta, nota-se que o sinal desce até 0,79 [V] sem nenhuma descontinuidade. Ao fechara borboleta, 0 sinal toraa subiraté 4,2[V]. — a Bo etc Fio1 ff etc Flos O sinal esti estavel em 0,76 [V]. Quando a borboleta é aberta, nota-se que o sinal sobe até 4,2 [V] sem nenhuma descontinuidade. Ao fechar a borboleta, o sinal desce até 0,76 [V] _ —_ bo Bo etc Fos ff etc Flos O MC alimenta o motor CC com freqiiéncia constante de 2 [kHz] (f= 1 /T= 1/0,0005). A tensao positiva indica o fechamento da borboleta durante a marcha lenta. Sinal do potenciémetro 2 apés 0 ‘inal do potencidmetro 1 apis 0 Sinal de freqaéneia de acionamento do Aacionamente fotal_do pedal do acelerador__acionamento total do pedal do aceleraéor —__motot CC em marcin-lenta aXe Oe ‘Conector elitica Borne componente - Dascrigao Bome Mie Vazio 38 3 - Bobina de ignicéo DIS 33 ‘Aterramento T3 40 Vario a 1 - Bobina de ignicéo DIS 42 2 Blatoinjtorelindro 2 NJ 3 2--Eletroinjotorclndro 3 ING “8 20- Quadro de instrumentos. 6 30 - Quadro de instrumentos 46 28 - Quadro de instrumentos az Vazio 48 Fusivel MF2 49 2 Comutador de ignicd0 60 85 - Relé principal R21 - st ‘Sensor de rtagdes CKP 82 3 - Sensor de posicdo pedal acelerador SPA 53 4 Sensor de posico pedal acelerador SPA 4 B - Sensor de oxigénio aquecido HEGO 55 1-Sensor de detonaglo KS 56 2 Sensor de detonacio KS 57 4 Interruptor do pedal de frelo IPF 58 Vazio 53 Vaio 0 3 - Pressosiato AIC 6 Vazio e 85 - Relés oletoventiadores RRA 6 2- Eletroinjetor clindro 1 INS ea Sensor de oxigénio aquecido HEGO 65 85 - Reléeletroventlador R7 6 25 - Quadro de instrumenios er 2 - Imobizador 6 2-- Borboleta motoreada ETC 12 - Sensor pedal acserador SPA 69 3-CMD/1-SPA 12-Pressostato 70 2 Sensor de rotapses CKP n 6 Borboleta motorizada ETC /2- Sensor de temperatura ECT 72 1-CMD/5-SPA/A-HEGO/1 - Pressostato cc 4 Conjunto medidor de densidade CMD 7% 78 78 7 % rm 80 at Terminal elétrico do MC MU) 2 ‘Borne componente - Descrigdo 4 Borboleta acelerago motorzada ETC {= Sensor de tomperatura iquido de arefesimento ECT 6 - Sensor de posigdo pedal acelerador SPA ‘vazio 2 Conjunto medidor de densidade CMO. Vazio 87 - Relé principal R2 87--Relé principal R2 2 Eletrovalvula de purge do canister CANP. 2 Eletoinjetor indo 4 IN £86 - Relé sistema de parti a fio SPF RO Vezio 14 - Quadro de instrumentos Aterramento TS Prédisposioao Alorramento T3 11 - Borboleta aceloracdo motorizada ETC Vazio 3 - Comando indicador de roca de marches Prévdispocigio Predisposicto 27 - Quadro d Vazio Aerramento T3 Pré-disposigao 87 - Relé principal R2 3 - Borboleta acelezago motorizada ETC 3 Borboleta acelera¢éo motorizada ETC 5 - Borboleta acelera¢do motorizada ETC 5- Borboleta acelerac&o mototizada ETC {86 - Relé protocio motor de partida RS {85 -Relé ombroagem compressor ar-condicionado R10 £85 - Relé bomba de combustvel RE 7 Imobilizador Vario 2 Intorruptor do pedal da emibreagem CPP 2-Intorruptor do pedal de feio IPF 2 - Comando do ar-concicionado Pré-disposiogo Pré-disposigao Pré-disposigdo Vazio Aterramento T3 Vazio Terminal elétrico do MC © Bosch KTS 160 6 um scanner de Ultima gerago. Esse instrumento permite 0 monitoramento de pardmetros operacionais do motor, com acompanhamento das fungdes dos sensores do sistema de injegiio eletrénica ecoma possibilidade de verificagao do funcionamento dos atuadores. De formato avancado e facil manuseio 0 KTS 160 é uma ferramenta importante ¢ pritica para a execugio de servigos em injecdo eletrénica. Ele permite o diagnéstico dos sistemas cletrdnicos dos veiculos nacionais ¢ importados das principais montadoras. Mecanica 2000 usa erecomendaoKTS 160 Bosch. ido conector de diagndstico Localizagio| IKTS/160-conesiado eo veiculo do Astra 2.0 Flex Principais fun¢oes do KTS 160 Bosch para o sistema de injecao Para acessar o sistema de injegdo com o KTS 160 é necessirio utilizar o conector CII. Montadora® GMP Veiculo? Astra 2.0 ‘Tet nial de opgdes “Funes da ops teste Principais fungdes do KTS 160 Bosch para o sistema imobilizador Para acessar o sistema de imobilizador com 0 KTS 160 énecessério utilizar o conector CIII. >) BOSCH Injegao Eletronica Montadora® GMP Veiculo® Astra 2.0% “Te inca de opps _Fungdes da oppo teste is fur do KTS 160 Bosch para o quadro de instrumentos Para acessar o sistema do quadro de instrumento com o KTS 160 é necessario utilizar 0 conector CII/S.1. Montadora® GMP VeiculoD Astra 2.0 soscH Manutengao preven’ Encare essa ide! IETORIES, ZVIR es GLEANER LIQUIDO e SPRAY Veja as caracteristicas que o seu veiculo pode apresentar sem fazer una MANUTENGAO PREVENTIVA. Repare bem as fotos ANTES e DEPOIS da aplicacgado do produtos ISO TECH para limpeza de injetores e descarbonizagéo, elaborados com ANTES Com a sujeira e carvdo nas camaras de | combustao, as valvulas sujas e os bicos injetores entupidos, seu veiculo pode apresentar: ePerda de poténcia, principalmente pela _ falta de estanqueidade na camara de combustao. eDificuldade nas partidas. Injetor com pulverizagao [deficiente Vaivutas com vedagso Seficiente DEPOIS Com o corpo de borboleta, os bicos injetores, as valvulas de admissao e camara de combust@o livres de crostas e sujeiras, seu veiculo agora vai apresentar: eMenor consumo de combutivel Melhor retomada na aceleracay ePartidas faceis, mesmo a frio. Marcha lenta regulada. Injotor com pulverizagso. normal Bp Vaivuias. com vedagaio eficiente Localizagio do Médulo de Localizagio do MC ‘Comando - MC Sensor de oxigénio aquecido - HEGO Localizaglo do sensor de Localizagio do HEGO ‘oxig@nio aquecido - HEGO Conjunto medidor de densidade - CMD HEGO Localizagio do sensor de densidade-CMD —__Loealizayio do CMD Sensor de detonacao - KS LLocalizagio do sensor de Localizagio do KS detonagdo - KS Sensor de temperatura do liquido de arrefecimento - ECT LLocalizaglo do sensor de temperatura Localizagio do ECT ECT do liquido de arrefecimento - ECT Sensor de posicao da arvore de manivelas - CKP Localizagdo do sensor de posigio Localizagio do CKP cKP dda Arvore de manivelas - CKP Eletroinjetores - INJ Localizagio dos eletroinjetores-INJ Localizagio do INI IND Eletrovalvula de purga do canister - CANP A Localizagio da eletrovilvula Localizagio da CANP ‘CANP de purga do canister - CANP Conjunto de bobinas de igni¢ao - DIS Localizagio da DIS Localizagao| bobinas de ign Sensor de velocidade - VSS Localizagio de Localizagio do VSS velocidade Conjunto da bomba de combustivel - SAC Loealizagio do conjunto dx Localizasio da SAC bbomba de combustivel - SAC Sensor de posicao do pedal do acelerador - SPA SPA Localizagio do sensor de posigdo do Localizagio do SPA pedal do acelerador - SPA Interruptor do pedal de freio - IPF Localizagio do interruptor do peda Localizagio do IPF IP de fro “I Interruptor do pedal de embreagem - CPP § od y Localizagio do interruptor do pedal Localizagio do CPP cee de embreagem - CPI Borboleta motorizada - ETC Localizagio da borboleta Localizagio da ETC ETC motorizada - ETC Valvula de corte de combustivel - VCC Localizagio da eletrovalvula de corte Localizagio da VCC vec de combustivel - VCC Bomba de partida a frio - BPF Ary = Localizagdo da bomba de partida a fio Localizagio do BPF DPF trais de comando existentes no veiculo, Esta ferramenta possibilita uma revisdo rapida dos parémetros operacionais do veiculo, além de proporcionar um diagndstico rapido e preciso, no caso de falhas Localizagio do conector de diagnéstico Rasther conectado ao veiculo Diagrama elétrico do conector de diagndéstico TID 19 Quadro doinstrumantos >MC 1208 Médulo vidos Présisposicac ABS diagnostic Navegagao pelas principais fun¢6es do Rasther para o sistema de injegao Para acessaro sistema deinjegao com o Rasther énecessério utilizar oconectorC III. Montadora > GM Veiculo > Astra 2.0 Escotha do sistema ‘Modelo do sistema de injegto ‘ela incial de opgdes Fungdes da opeao Teste Tabela de cddigos de defeito do sistema de injecdo P0105 ‘Sensor de pressdo absoluta no coletor (MAP) voltagem alta P0105 Sensor de pressao absoluta no coletor (MAP) voltagem baixa P0105 Falha no circuito do sensor de pressao absoluta no coletor P0110 Circuito do sensor de temperatura do ar da admissao ~ entra alta Porto Circuito do sensor de temperatura do ar da admissao — entra baixa Pons Circuito de temperatura do liquido de arrefecimento do motor entrada alta PONS Circuito de temperatura do liquido de arrefecimento do motor entrada baixa Pots Faixaldesempenho do circuito do sensor de temp. do de arref. do motor P0120 Circuito “A” do interruptor/sensor de posigao da borboleta de aceleragSo-entrada alta P0120 Circuito “A” do interruptor/sensor de posic&o da borboleta de aceleracao-entrada baixa P0120 Circuito “A” - faixaldesempenho do interruptor/sensor de pos. da borboleta de aceleracao P0130 Circuito do sensor de oxigénio 02 voltagem alta (fileira 1. sensor 1) P0130 Circuito do sensor de oxigénio 02 voltagem baixa (fleira 1. sensor 1) P0130 Falha no circuito do sensor 02 - (Fileira 1. sensor 1) P0130 Faixa/desempenho do circuito do sensor de 02 (fileira 1 sensor 1) P0135 Circuito do aquecedor do sensor 02 - voltagem alta (fileira 1 sensor 1) P0135 Circuito do aquecedor do sensor 02 - voltagem baixa (fileira 1 sensor 1) P0135 Falha no circuito do aquecedor do sensor 02 (fileira 1. sensor 1) P0170 (Fileira 1) Falha de ajuste de combustivel P0201 Cilindro 1 do injetor - entrada alta P0201 Cilindro 1 do injetor - entrada baixa P0201 Cllindro 1 ~ interrupgao no circuito do injetor P0202 Cilindro 2 do injetor - entrada alta P0202 Cilindro 2 do injetor - entrada baixa P0202 Cilindro 2 - interrupgao no circuito do injetor P0203 Cilindro 3 do injetor - entrada alta P0203 Cilindro 3 do injetor - entrada baixa P0203 Cilindro 3 - Interrupeao no circuito do injetor P0204 Cilindro 4 do injetor - entrada alta P0204 Cilindro 4 do injetor - entrada baixa P0204 Cilindro 4 - Interrupgao no circuito do injetor P0219 Condigao de excesso de rotacao no motor P0220 Circuito “B" do interruptor! sensor de pos. da borboleta de aceleragao - entrada alta P0220 Circuito “B" do interruptor/sensor de pos. da borboleta de aceleracdo - entrada baixa P0220 Circuito “B' - faixaldesempenho do interruptorisensor de pos. da borboleta de aceleracao P0230 Bomba de combustivel priméria - circuito alto P0230 Bomba de combustivel priméiria - circuito baixo P0230 Falha no circuito primario da bomba de combustive! P0325 Circuito 1 - sensor de detonagao - entrada baixa (fileira 1 ou sensor Unico) P0325 Circuito 1 - falha do sensor de detonacao (fileira 1 ou sensor tinico) P0335 P0340 P0340 P0340 P0340 P0340 P0443 Po4a3 P0443 P0460 P0460 P0480 P0480 P0480 P0481 Past P0481 P0500 P0560 P0560 P0565 P0565 P0571 P0571 P0602 P0602 P0602 P0607 P0615 P0650 P0650 P0650 P0704 P1120 P1120 P1120 P1122 P1122 P1500 P1512 P1512 P1512 P1523 P1526 P1530 P1530 P1530 P1540 P1540 P1600 P1600 P1610 P1611 P1612 P1613 Falha no circuito “A’- sensor de posigo da vore de manivelas Circuito do sensor de posigao da drvore de comando - entrada alta Circuito do sensor de posicio da arvore de comando - entrada baixa Interrup¢ao no circuito do sensor da arvore de comando Circuito do sensor de posioao da arvore de comando faixa/desempenho Falha no circuito do sensor de posig&o da arvore de comando \Valvula de ventilacdo do tanque de combustivel - voltagem alta Valvula de ventilagiio do tanque de combustivel - voltagem baixa \Ventilacdio do tanque de combustivel interrupgao de circuito Circuito de sensor de nivel de combustivel - entrada alta Circuito de sensor de nivel de combustivel - entrada baixa Circuito 1 do controle do ventilador - voltagem alta Circuito 1 do controle do ventilador - voltagem baixa Interrupgao no circuitot de controle do ventilador Circuito 2 de controle do ventilador - voltagem alta Circuito 2 de controle do ventilador - voltagem baixa Interrupgao no circuito 2 de controle do ventilador Falhia no sensor de velocidade do veiculo Voltagem do sistema - entrada alta \Voltagem do sistema - entrada baixa Falha no sistema de voltagem Falhia no relé principal Falha no interruptor do sistema de controle de velocidade Falha no circuito da lAmpada indicadora do sistema de controle de velocidade Circuito do interruptor da lantema de freio - sinal incorreto Falha no circuito do interruptor da lanterna de freio Erro na programacao do modulo de controle Numero de identificagao do veiculo ndo programado Condigao de variaveis no programada ‘Médulo eletronico de controle (ECU) - falha Falha no circuito do relé do motor de partida Circuito do indicador de falhas (MI) - voltagem alta Circuito da lampada indicadora (Ml) - voltagem baixa Falhia no circuito da lampada indicadora (Ml) Falha no circuito de entrada do interruptor de embreagem ‘Sensor de posigo do pedal do acelerador 1 - sinal incorreto Sensor de posigo do pedal do acelerador 1 - voltagem alta ‘Sensor de posi¢do do pedal do acelerador 1 - voltagem baixa ‘Sensor de posi¢ao do pedal do acelerador 2 - entrada alta ‘Sensor de posigo do pedal do acelerador 2 - entrada baixa Falha no motor de controle da aceleragao Relé de partida a frio - voltagem alta Relé de partida a frio - voltagem baixa Nenhum sinal no circuito de partida a frio Falha no controle da aceleragao Falta de valor de posigao inferior de controle da aceleragao Relé do ar-condicionado - voltagem alta Relé do ar-condicionado - voltagem baixa Interrupeaio no circuito do relé do ar-condicionador Sinal de pressao do ar-condicionador - entrada alta Sinal de presséo do ar-condicionador - entrada baixa Torque do motor nao aceitével Médulo EletrOnico de Controle (ECU) defeituoso Fungao do imobilizador ndo programada Entrada de cédigo de seguranca incorreto Imobilizador - nenhum sinal ou sinal incorreto Imobilizador - nenhum sinal ou sinal incorreto eye Hatta P1614 Chave transponder incorreta P1614 Recebimento de sinal incorreto do imobilizador P1700 Solicitacdo manutengao do veiculo pelo TCM (Médulo de Controle da Transmissa0) P1705 Dados invalidos do TCM (Médulo de Controle da Transmissa0) P1845 Falha no sinal de torque do motor u2100 Falha CAN-BUS u2101 Configuragao Maxima CAN-BUS lista nao programada 2104 Node CAN-BUS sem comunicagao 2106 ‘Sem Comunicagéo CAN-BUS com TCM (Médulo de Controle da Transmiss8o) 2108 CAN-BUS sem comunicagao com ABS Navegacao pelas principais funcdes do Rasther para o sistema do quadro de instrumentos Para acessar 0 sistema imobilizador com o Rasther é necessario utilizar 0 conector C III/5.1 Montadora > GM > Veiculo > Astra 2.0 Escolha do sistema Modelo do sistema do quaciro de instruments Tela inicial de opges FungSes da opgie Te Tabela de codigos de defeito do quadro de instrumentos 21 Reset do hédometro parcial - tecla emperrada 51 Reprograme ou substitua o médulo da ECU 52 Reprograme a meméria do programa 55 Substitua o médulo da ECU 164 Temperatura do liquido de arrefecimento do motor - sinal incorreto 165 Circuito de temperatura do liquido de arrefecimento do motor - entrada baixa 166 Circuito de temperatura do liquido de arrefecimento do motor - entrada alta 167 Medidor do tanque - voltagem baixa 168 Medidor do tanque - voltagem alta Navegacao pelas principais func6es do rasther para o sistema imobilizador Para acessar o sistema imobilizador com 0 Rasther é necessério utilizar 0 conector C II Montadora ® GM ® Veiculo ® Astra 2.0 Escolha do sistema Modelo do sistema imobitizador FungGes da opeo Teste Tela inicial de opgies| Tabela de cédigos de defeito do imobilizador/body computer 1000 Substitua 0 Médulo Eletrénico de Controle (ECU) B3040 Falha de comunicagao na linha W 3042 ‘Comunicago na linha W - voltagem baixa 83043 Comunicacao na linha W - voltagem alta 3045 Sinal do sistema de alarme antifurto - voltagem baixa 3048 Sinal do sistema de alarme antifurto - voltagem alta B3055 Problema na chave transponder 83056 Nenhuma chave transponder programada B3057 Imobilizador nao programado 3059 Nenhum sinal de solicitagdo do motor recebido 83060 Chave transponder desconhecida 83061 ‘Chave transponder incorreta B3077 Detecoao da chave transponder incorreta A CHIPTRONIC — Tecnologia Automotiva, desenvolve equipamentos e temologia para os reparadores automotivos, atualmente é fornecedora de solugdes para mais de 5000 clientes e parceiros em todo o Brasil e América Latina, propordonando o servico de apoio témico e treinamento em todas as solugdes fornedidas.Visite nosso site e conhega nossa linha inteira de produtos. = // a Rae esi cline) apd Se ad Rao CN Ay Rata Ne Ree 0 elon Rac ECU-TEST Smee a aa en pig per pr OC , EQUIPAMENTO E TREINAMENTO PARA REPAROS EM CENTRAIS © Tecnologia e Equipamentos para Oficinas era eee ae set ea But Rael Ree Ld ei CCRC See Cet ae es www.chiptronic.com.b Monitora as condigdes de operagdo do motor através das informagSes fornecidas pelos diversos | sensores e gerencia seu funcionamento por meio do comando dos atuadores. Controla os sistemas de alimentagao de combustivel, ignigdo, arrefecimento,ar condicionado e sistema de partida a frio . Esté localizado na regio frontal esquerda do vao do motor, fixado ao lado da bateria. Ele possui um tinico conector elétrico. Sintomas em caso de falhas © Médulo de Comando pode apresentar falhas internas de fungdes especificas, tais como niio comandar corretamente algum atuador ou no fornecer alimentagio elétrica para algum componente. Isto no faré necessariamente com que o motor nfo funcione. Porém, pode ocasionar 0 nao funcionamento de componentes comandados ou alimentados pelo MC, como eletroinjetores, CANP, bobina, relé principal, borboleta motorizada, entre outros, gerando alteragées nem sempre perceptiveis no funcionamento do motor. Uma vez detectada falha no Médulo de Comando, o componente deve ser substituido, pois nao admite intervengdes. para manutencao — O diagnéstico de falhas do MC é feito por exclusao, descrito nos testes individuais de cada componente. Certifique-se, antes, de que os sinais do sensor CKP esto chegando perfeitamente a0 MC. O Médulo de Comando utiliza estes sinais para iniciar a estratégia de envio dos pulsos de aterramento para a bobina de igni¢do e para os eletroinjetores. Portanto, se houver a presenga desses pulsos, nao é o MC 0 causador do nao funcionamento do motor. Caso 0 motor nao funcione, teste inicialmente a alimentagao elétrica do MC (teste 1). Injegao Eletrénica O MC esté perfeitamente alimentado pela bateria, pela chave de ignigAo e pelo relé principal (Teste 1)? Sim, esta alimentado em todos os chicotes testados. Verifique ent&o seu aterramento (teste 2). = {9} Nao. Existem falhas de alimentago. Verifique a continuidade do chicote de alimentago 0 perfeito encaixe dos conectores do circuito, a serene do relé R2 ¢ dos fusiveis L, MF2 eMF6. Scos fusiveis estiverem queimados, substitua-os e verifique a curto-circuito no chicote de alimentagaio do MC. Oriente-se pelo diagrama elétri Oaterramento do MC esta correto (teste 2)? ——— Sim, esta correto. Conclui-se que todas as condigdes para operagiio do MC estio atendidas, Suspeite do préprio MC apenas se nenhum dos componentes da injegaio funcionamento e se as condigées mecfinicas do motor estiverem OK. | conclusio s6 pode ser atingida apés a eliminagao de todas as possibilidades MC — Nao, esta incorreto. Verifique entio a continuidade do chicote de pelo diagrama elétrico apresentado no final desta edigao. Teste 1-Tensdodealimentacgado Antes de iniciar o teste, certifique-se das condigdes a seguir: a- Chave de ignigfo: desligada b-Terminal elétrico do MC: desconectado, ‘Atengiio ao desconectar 0 MC. Podem ser gerados cédigos de falhas que somente serio removidos por meio de Scanner. Comachave de ignigio desligada, mega. tensio direta da bateria (F.1.1). Aproximadamente 12,0 [V] (tensio da bateria). A alimentagdo direta da bateria para o MC esté correta. Realize o proximo procedimento para verificar a alimentagdo pés-chave. Ligue a chave de ignigiioe _ megaa tenso conforme demonstragiio abaixo (F.1.2). F.1.2-Medigao da alimentagdo do MC Aproximadamente 12,0 [V] (tensdo da bateria). A alimentagdo pés-chave para o MC esté correta. Realize o préximo procedimento para verificar a alimentagao do MC via telé principal. Remova o relé de sua sede e faga um curto-circuito entre os bornes 30 e 87 do seu soquete. Mega a tenso como demonstrado no esquema abaixo. Aproximadamente 12,0 [V] (tensio da bateria). A alimentaco via relé principal para o MC esti correta. ero eed Teste 2 - Aterramento Antes de iniciar 0 te: fique-se das condigdes a seguir: -Chave de ignico: desligada; b-Terminal elétrico do MC: desconectado; c-Terminal negativo da bateria: desconectado. ncia conforme indicado (F.2.1). MMD-149 fs FY +4 Z 7 F.2.1-Medigio da resistencia do -alerramento do MC Aproximadamente 0,0 [Q] (continuidade). O aterramento do MC esta em boa condi¢ao, Apis realizar todos os testes, ndo se esquega de: a-Desligar achave de igni¢ao; b-Reconectaro terminal elétrico do MC; c-Reconectar o terminal negativo da bateria. Cor Ren ee Cuidados com o Sensor Lambda! foky-svogtoluscoMe-(hieieke tem cee] o ope ceelcea ake etlem al alelo se) foros cane hesneKel ech ulecielte Mit anlees -Menee SMe kee eve eieey quimicas encontradas nos gases de escape. Estas substancias podem contaminar o Sensor Lambda, exigindo sua troca. Tipos de contaminagoes: Verifique antes a causa destas contaminacoes e sempre substitua o Sensor Lambda. Outros cuidados sao importantes: * Nos veiculos com Sensor Lambda de 071 fio (GM) verifique sempre o aterramento da OT Tle lore oral Te lao Oe Me eRe MU elm en kM Re hero Re Rot ket Md ore Re lok colts) Loo + Nos veiculos ASTRA e VECTRA 01 fio verifique sempre a junta de vedagdo entre o coletor Rt ere Tele aod * Nas Lambdas Universais utilize sempre o kit incluido na embalagem e nao soide os fios. OT ord Keli ol Me hse ato eR Mere tM Me ere Bn a og MHOMESON ae Crary TUDO PARAINJECAO! www.thomson-carcom.br Injegao Eletrénica Informa ao Médulo de Comando a concentragdo de oxigénio existente nos gases de escapamento. Possui resisténcia interna alimentada pelo relé principal e aterrada pelo MC, para aquecimento rapido. Envia continuamente tens&io que oscila entre 0,1 [V] a 0,9 [V] para o MC, de acordo com o teor de oxigénio resultante da combustio: valores inferiores a 450 [mV] indicam mistura pobre; valores superiores a 450 [mV] indicam mistura rica em combustivel. O valor de 450 [mV] corresponde a concentragdo de oxigénio liberada na combustdo da mistura estequiometricamente balanceada. 67 Relé Principal -R2 slsoealizagio|do\terminal elétrico do sensor REGO. fixado na carcaca da trasmissio Apresenta sintomas pouco perceptiveis em caso de perda do sinal, podendo haver ligeiro aumento no consumo de combustivel ena emissdo de CO no escapamento, Em caso de perda de sinal do sensor, 0 sistema armazena o tiltimo valor de tensio recebido pelo MC e o mantém fixo. Neste caso, a limpada de anomalia do sistema de injegio cletrénica se acede no painel de instrumentos. Ao ser restabelecido 0 sinal do sensor, a limpada permanecerd acesa e somente ser apagada com 0 uso do Scanner, apés a climinagao da falha armazenada. Injegao Eletrénica 0 teste complementar com osciloscépio é a melhor maneira de verificar o tempo de resposta do sensor e concluir sobre as suas reais condigdes. Quanto maior o tempo de resposta da sonda, maior 0 atraso na correcio da relagio ar/combustivel pelo MC, o que influenciara diretamente no consumo e emissdes de poluentes. Na tela do osciloscépio é possivel verificar o sinal, semelhante a uma onda senoidal. Verifique, na rampa de subida, o intervalo de tempo entre os pontos de 300 [mV] e 600 [mV]. Este tempo de resposta deve ser menor que aproximadamente 300 ms. Para tempos superiores a 300 ms, substitua o sensor por outro novo e verifique se houve melhoria na emissio de poluentes. Estes testes so conclusivos, porém exigem 0 uso de oscilosc6pio e analisador de gases. Entretanto, apenas com 0 uso do multimetro é possivel verificar seu sinal de resposta e atestar se est respondendo ou nao. Umteste conclusivo se o sensor niio estiver respondendo, mas nao conclusivo se estiver. Osinal de resposta do sensor HEGO esté correto (1 Sim osical Cie assegurar-se de que o sinal esta chegando ao MC. Se estiver em ordem, conclui-se que o sensor es em. bos veriique as cones de sua resistencia de: (XK) Nao hi alimentacdo paraa resistencia deaq circuito de alimentagao do sensor, os fusiveis! de alimentagao elétrica e efetue os reparos ne ‘Nao ha sinal do sensor HEGO, ou 0 sinal sensor, pois nd esté ativo. Antes de comegar o teste, certifique-se da condi¢ao a seguir: a-Motor: marcha lenta funcionando na temperatura ideal de operagao. Megaa tensao conforme figura (F.1.1). Entre 100,0 e 900,0 [mV]. O valor do sinal deve oscilar continuamente dentro dessa faixa. eee aa) Antes de comegar 0 teste, certifique-se das condigdes a seguir: a-Terminal elétrico do sensor HEGO: desconectado; b-Chave de ignigo: desligada. Ligue a chave de ignigaio e mega a tensio, conforme figura (F.2.1) Antes de comecar o teste, certifique-se das condigdes a seguir: a-Chave de ignigao: desligada; b-Terminal elétrico do sensor HEGO: desconectado; Motor: frio. Mecaaresisténcia entre os bornes indicados na figura (F.3.1). Com 0 motor fio. (MEGUEeResisténcia elétrica de aquecimento Aproximadamente 10,0 [ ] (motor frio) . Apis realizar todas os testes, no se esquega de: a-Desligar a chave de ignicao; b-Reconectar 0 terminal elétrico do sensor HEGO. teste ee) 0 de arrefecimento Informa ao MC a temperatura do liquido de arrefecimento do motor, E um resistor tipo NTC, que reduz sua resisténcia interna na medida em que a temperatura aumenta. E alimentado diretamente pelo TABELAT3.1 Falhas do ECT fazem com que o MC calcule inadequadamente o tempo de abertura dos eletroinjetores e 0 avango da igni¢ao. O eletroventilador pode entrar em funcionamento sem que sua real temperatura de acionamento seja atingida Em caso de interrupcao em seu circuito elétrico o MC adotara o valor de emergéncia de -40°C ¢ 0 cletroventilador do radiador serd acionado permanentemente em sua segunda velocidade (velocidade maxima), Nesse caso, a kimpada de anomalia do sistema de injego cletrnica permanecera acesa no painel de instrumentos. Ao ser restabelecido o sinal do sensor, esses sintomas permanecerdo até que seja dada nova partida no motor. TD ese agg) 7) Sim, esta correto. Conclui-se: real valor de temperatura do liq resisténcia (teste 3) para yeceSoEta Nio, o sinal esté incorreto ou nao alimentagao do sensor (teste 2). Atensdo de alimentagao esta correta (teste 2)? Sim, esté correta. Nesse caso, o sensor ECT envia sinal de resposta incorreto. Substitua Nao ha tensao de alimentagio. Verifique Acompanhe o diagrama elétrico ¢ ident chicote esteja perfeito endo haja ali x Antes de iniciaro teste, certifique-se das condigdes a seguir: Chave de ignicao: ligada. b-Motor: frio. Megaa temperatura do motor com termopar (F.1.1). Em seguida mega a tensio de resposta do sensor (F. 1.2). Tensdo esperada para 24,5°C cad “eng. do olen Tensio de aproximadamente 3,47[V] para uma temperatura de 24,5°C. Ligue 0 motor e mega alguns valores de temperatura, conforme ocorre o seu gradual aquecimento, e meca a tensio deresposta correspondente a estas temperaturas. Compare os valores encontrados coma tabela de referéncia (T.3.1). Nee Rn eee asd Perera Sut Nee sateen reo ana Saar eepreeeienrenanannirey Injegao Eletrénica Antes de iniciar o teste, certifique-se das condigdes a-Terminal elétrico do sensor ECT: desconectado b-Chave de ignicao: ligada. Mega a tensdo conforme figura (F.2.1), Tampa. araomeat ‘Aproximadamente 5,0 [V]. Antes de iniciar o teste, certifique-se das condigdes a seguir: a-Chave de ignigao: desligada. b-Motor: frio. c-Terminal elétrico do sensor ECT: desconectado. Mega a temperatura do motor e, em seguida, a resisténcia elétrica do sensor, conforme figura (F.3.1). Resisténcia esperada para 24,5° C EBEEResisténcia do sensor ECT Resisténcia de aproximadamente 2, | [kQ] para uma temperatura de 24,5°C. Reconecte o terminal elétrico do ECT, ligue o motor ¢ aguarde até seu pleno aquecimento, Mega a temperatura . A seguir, desligue 0 motor desconecte o terminal elétrico do ECT, para realizar a medigio da resisténcia. Resisténcia de aproximadamente 0,18[kQ] para uma temperatura de 96°C. Compare outros valores de temperatura do motor e seus respectivos valores de tensiio de resposta, com os encontrados coma tabela de referéncia (T:3.2) Apés realizar todos os testes, nai a-Desligarachave de igni¢ao. b-Reconectaro terminal elétrico do sensor ECT. ose esquega de: ukxciili-a:y 2000 LT Conjunto Medidor c de Densidade Informa ao MC a temperatura do ar admitido pelo motor e a presstio interna do coletor, possibilitando 0 calculo da massa de ar admitida ¢ 0 controle exato da quantidade de combustivel introduzida por ciclo. O sensor altera suas caracteristicas elétricas quando sujeito As variagdes de pressio, e diminui sua resisténcia interna 4 medida que a temperatura aumenta. 30 30 32 -200 a7 50 50 23 400 16 60. 60 19 -500 ome TABELATA.1 TABELAT4.2 TABELATA3 Circuito elétrico Terminal elétrico do sensor CMD Sintomas em caso de falhas O mau funcionamento do CMD gera erros na determinago do tempo de abertura dos eletroinjetores enoavango da ignicao. Caso ocorra perda da informagio fornecida pelo CMD sera observada queda instantnea de rotagao no momento exato da perda do sinal, que sera restabelecida logo em seguida. Seré notada também alguma perda de poténcia, mas o motor ainda funcionar4 a contento. A kampada de anomalia se acende no painel de instrumentos ¢ o MC adotar4, como valores de emergéncia, a temperatura do ar no coletor de admissao fixa em - 40 °C e a pressio no coletor fixa em 1010 [mbar]. Estes sintomas permanecem mesmo que o sinal do sensor seja restabelecido. Os sintomas somente desaparecem apés serem apagadas as memorias de falhas (falhas passadas) com o Scanner. 140> Injecao El Raciocinio para manuten¢gao Antes de iniciar 0s testes, verifique a existéncia de entrada falsa de ar pelo coletor de admissio ou no proprio alojamento do CMD. Inspecione também as condigdes do filtro de ar. Embora os testes néo identifiquem falhas no sensor, a alimentago do motor pode se tornar comprometida em conseqiiéncia de sua ineficécia, pois a restricdo ao enchimento dos cilindros se eleva conforme a saturagao do elemento filtrante, causando queda do rendimento do motor. Quando isto ocorre, o MC detecta a redugio da massa de ar admitida e comanda novos parimetros para compensar a perda de eficiéncia volumétrica. Portanto, verifique o filtro e seu elemento quanto a saturagdo, sujeira, substituigio dentro do prazo determinado, danos e uniformidade entre as dobras do papel fibroso. Os sinais de resposta do CMD para temperatura e pressiio estdo corretos (teste teste 2)? Sim, os sinais esto corretos. Significa que 0 CMD esta atuante € adequadamente nas temperaturas e presses aqui avaliadas. No entanto, puntuais (isolados). Como o CMD opera de forma continua para quaisquer temperaturs pressdes, se houver indicios de mau funcionamento, para maior seguranca, teste sua condicao em pressdes variadas (teste 5). @ Oresultado do teste do sensor em pressdes variadas esto corretos (teste 5)? I Sim, esto corretos. O sensor esta funcionando normalmente. Apenas certifique-se de que nao haja entradas falsas de ar no alojamento do sensor ¢ tampouco em qualquer outro ponto do coletor de admissio ou do corpo de borboleta. Verifique a continuidade do chicote entre o sensor e 0 médulo de comando. Assegure-se de que seus sinais chegando ao MC. a |) Nao. Foram verificadas falhas nesta aferigdo. Entio o sensor esté defeituoso. Substitua-o. ‘Nao. O sinal de temperatura ou presso (ou ambos) est incorreto, Verifique a alimentagio elétrica do sensor (teste 3). (@Q) Aalimentagio esta correta (teste 3)? Sim, estd correta. O sensor esta alimentado, mas nao envia sinal de aoM aso, a falha esta no proprio sensor. Verifique os fios de sinal do CMD ao terminais. Se estiverem perfeitos, substitua 0 sensor. Se o sinal de temperatura. | incorreto, realize o teste de resisténcia elétrica (teste 4). A resisténcia interna esta perfeita (teste 4)? Sim, esté, Nesse caso, procure por danos nos terminais do sensor ou ma chicote. Aplique um produto limpa-contatos nos terminais do chicote e Repita o teste de resposta de tensio de temperatura (teste 1) e verifique correta. Nao, a resisténcia est incorreta. Substitua o sensor, pois esté danificado. LSbet ) Nao. A alimentagao do sensor esté incorreta. Verifique entao a continuidade do icote do isténcia de curto-circuito neste chicote. Caso o chicote esteja perfeito, inspecione os terminais do MC quanto 4 integridade e mau contato, ¢ descubra se o MC e: alimentando 0 CMD. Suspeite do MC na hipétese, pouco provavel, de nfo estar alimentando o sensor. : Teste 1 - Resposta dinamica da temperatura Antes de iniciaro teste, certifique-se das condicdes a seguir a-Chave de ignigao: ligada; b-Motor: frio e desligado; c-Mangueira do blow-by removida. Utilizando 0 termopar, mega a temperatura do ar no interior do coletor deadmissao (F.1.1) Em seguida, reinstale a mangu indicado na figura (F.1.2). a € mega a tenso como -Medigio da temperatura do Terao oper pare 25C SS" Cog medor asec Tensdo de aproximadamente 3,3[V] para uma temperatura de 25°C. F.1.2-Tensio de resposta do sensor de temperatura, Ligue o motor e aguarde até seupleno aquecimento. Essa operagao eleva a temperatura do ar na regio do CMD, possibilitando a medida de tensdo de resposta em outra temperatura. Mega novamente a temperatura no coletor de admissio do motor, no mesmo local realizado anteriormente. Megaa tensio e compare os valores encontrados com os da tabela de referéncia (T.4.2). Teste 2 - Resposta de tensao da pressao @ A tensfio de resposta pode variar em fungao da altitude da cidade onde est sendo realizado o teste, (BH) Artesdeiniciaroteste verfiquea condigao a seguir a-Motor: em marcha lenta ea temperatura normal de operagao. Megaa tensiio de resposta conformea figura (F.2.1). Nolr om rea era ¢ aquest a a - F.2.1-Tensio de resposta do sensor Tenso de aproximadamente 1,30 [V] de pressio Teste 3 - Tensdo de alimentagao Antes de iniciar o teste, certifique-se das condigdes a seguir: a-Terminal elétrico do sensor CMD: desconectado; b-Chave de ignigio: ligada. Mega a tenso para as duas situagdes demonstradas na figura (F.3.1). Br) "4 (a “eh Seni Tensao de aproximadamente 5,0 [V] F3,1-Tensio de alimentagio do sensor Teste 4 - Resisténcia elétrica Antes de iniciar 0 teste, certifique-se das condigdes a seguir: a-Chave de ignico: desligada; b-Terminal elétrico do sensor CMD: desconectado; c-Sensor CMD: removido. Posicione o termopar ao lado do sensor CMD e mega a temperatura ambiente e a resisténcia correspondente (F.4.1). Resultado esperac a2 Fa4.1-Medicao da temperatura ambiente ¢ Compare 0 valor medido com a tabela de referéncia : aresisténcia elétrica para esta temperatura (74.1), No teste realizado, o valor da resisténcia medido para a temperatura ambiente de 25°C foi de aprox. 2,0[KQ] Aqueca a regitio em tomo do sensor CMD, com auxilio do soprador térmico e mega diferentes valores de temperaturas e suas resisténcias corespondentes (F.4.2). ‘Compare os valores medidos com a tabela de referéncia (74.1). F.4.2-Medicio de outros valores de temperatura ¢ resisténcia elétrica Atensdo de resposta pode variar em fungao da altitude da cidade onde esté sendo realizado o teste. Antes de iniciar o teste, certifique-se das condigdes a seguir: a-Chave de ignigao: ligada; b-Sensor CMD: removido, mas conectado a seu chicote elétrico. | Conecte a bomba de vacuo ao sensor CMD, aplique uma pressdo de -200[mmHg] e mega a tensio conforme figura (F.5.1). Resposta esperada para uma depressio de 200 [mmHg] ‘Aproximadamente 2,7 [V]. Verifique na tabela de referencia (T.4.3) 0 valor encontrado. | Aplique outras pressdes, mega suas tensdes de resposta e compare os valores obtidos com os da tabela | (74.3), Apés realizar todos os testes, ndo se esquega de: a-Desligarachave de ignigao; b-Reinstalaro sensor CMD; c-Reconectaro terminal elétrico do sensor CMD; d-Reconectaramangueira do blow-by. Compre pela internet: www.mecanica2000.com.br 144 Sensor de posicao do pedal do acelerador Localizado junto ao pedal do acelerador, informa ao MC a posig&o instantinea do pedal do acelerador. Consiste de dois potenciémetros distintos, que possuem alimentag&o e aterramento independentes. Circuito elétrico (spa Sangor ge pope do Terminal elétrico do sensor SPA dal do dcelerodor Sintomas em caso de falhas Em caso de falhas em um dos potencidmetros do SPA, o sistema continuard operando com base na informagao fornecida pelo outro potenciémetro ¢ pelo CMD. Caso ocorra a perda total da informagio fornecida pelo SPA, nenhum comando sobre o pedal do acelerador tera efeito ¢ o motor nao ird sair da condigao de marcha lenta. A limpada indicadora de anomalia se acende no quadro de instrumentos ¢ 0 scanner identifica a falha. Ao ser restabelecido o sinal, o sintoma somente desapareceré apos a proxima partida do motor. Fae ES GRERID ODI One MTT EI ampliar seus negocios em motores diesel. TELEVENDAS: 4003-8700) Injecao Eletrénica Raciocinio para manutencao Realize inicialmente o teste de resposta dinamica de tensao dos potenciémetros (teste 1). A resposta dindimica de tensfio esté correta (teste 1)? Devido ao acesso incémodo para realizagao deste teste e também para evitar componentes do chicote elétrico, Mecdnica 2000 recomenda que este realizado com pontas de provas especiais para este fim. A foto do teste de ilustrativa. Para a realizado deste teste, o CDTM utiliza pontas de prova Bosch/Tecnomotor. ‘Sim, seu sinal de resposta esté correto. Significa que o sensor de posigiio do funcionando perfeitamente. Ainda assim énecessério verificar se seu sinal esta: MC. Confira o chicote elétrico entre o SPAe o MC. Oriente-se pelo diagr ]] Ochicote elétrico esté em boas condigdes? Sim, esté perfeito, Neste caso, o circuito do SPA est em ordem ea falha: veiculo tem outra origem. & Nao. Foi observado curto-circuito ou algum ponto de interrupgao do contato). Efetue os reparos necessarios, ou substitua 0 chicote. oe x) Nao. O sinal do SPA esta incorreto. Realize o teste de alimentagao elétrica para i a falha esta na alimentacao ou no sensor (teste 2). Atensao de alimentagao esta correta (teste 2)? |_(J Sim, o sensor esta devidamente alimentado, Entao o defeito pode estarno proprio sensor ot no fio de sinal do chicote, Para localizar o problema, faga o teste de resisténcia interna do sensor. Esse teste garantiré a operacionalidade do sensor (teste 3). ae @) Aresisténcia do sensor esté correta (teste3)? |} Sim, esta correta ¢ o sensor esta em ordem. Entao verifique 0 chicote e faga um continuidade e curto-circuito, orientando-se sempre pelo diagrama elétrico, Se diagnosticado nada anormal no chicote, inspecione o ETC, que pode nao estar atu corretamente. ae ‘Nao. A resisténcia esta incorreta. Substitua o sensor de posigao do ac danificado internamente. ‘No hd tensao de alimentagao. Inspecione o chicote elétrico ¢ sut estiver perfeito endo houver alimentacao no SPA, suspeite do MC. possibilidade de o MC nao estar alimentando o sensor SPA. aio Teste 1 - Resposta de tensao ® Antes de iniciar 0 teste, certifique-se das condigées a seguir: a-Chave de ignicdo: ligada. Mega a tensdo como indicado na figura (F.1.1). Pedal ndo pressionado 0,98 [V] potencidmetro 4 0,49 (V potenciémetro 2 Filil-Medigio da tensio de resposta dos poteneidimetros do sensor SPA * Seteerepoeiode —-Polencidmetro 1 (Bornes 2/3/4) Peta do ol Potenciémetro 2 (Bornes 1/6/5) (A © valor encontrado, foi, de aproximadamente 0.98[V] para 0 potencidmetro 1 © de aproximadamente 0,49 [V] para o potenciémetro 2, ambos com o pedal na posigao de repouso. Repita o teste para a condigdio do pedal totalmente pressionado. Pedal pressionado 3,69 [V] potenciémetro 1 4,94 [VJ potenciémetro 2 Potenciémetro 1 (Bornes 2/3/4) Potenciémetro 2 (Bornes 1/6/5) © valor encontrado foi de aproximadamente 3,69[V] para o potenciémetro 1 © de aproximadamente 1,94 [V] para o potencidmetro 2, ambos com o pedal totalmente pressionado. i lve=len 1] Teste 2 - Tensdo de alimentagao_ ® Antes de iniciar 0 teste, certifique-se das condigées a seguir: a-Terminal elétrico do sensor SPA: desconectado; b-Chave de ignicZo: ligada. ‘Mega. tensio conforme figura (F.2.1). ‘Soa ds hans? Aproximadamente 5,0[V]. ore de alimentagao do sensor SI Teste 3 - Resisténcia elétrica Antes de iniciar o teste, certifique-se das condigdes a seguir: a-Chave de igni¢do: desligada; b-Terminal elétrico do sensor SPA: desconectado; c-Sensor SPA: removido. Mega a resisténcia conforme figura (F.3.1). _. 1,12 [KO] potenciometro 1 a 113 [RC] potencidmetro 2 Pedal nao pressionado F3.[-Medigdo da resisténcia elétrica - da pista dos potenciémetros: Sad cs eases Potenciémetro 1 (Bornes 2/3/4) ee Potenciémetro 2 (Bomes 1/6/5) @ © valor encontrado foi de aproximadamente 1,12 [kQ] para o potenciémetro 1 e de aproximadamente 1,13 [kQ] para o potenciémetro 2, ambos com o pedal na posigao de repouso. Repita o teste para a condigaio do pedal totalmente pressionado (F.3.2) _. 1,68 [2] potenciémetro 1 4,62 [KO] potenciémetro 2 Pedal pressionado E F.3.2-Medigio da resisténcia elétrica Sees ,-” Potencidmetro 1 (Bornes 2/3/4) __dapista dos potenciémetros Potenciémetro 2 (Bornes 1/6/5) © valor encontrado foi de aproximadamente 1,68 [kQ] para o potenciémetro I e de aproximadamente 1,62 [kQ] para o potenciémetro 2, ambos com o pedal totalmente pressionado. Apis realizar todos os testes, no se esquega de: a-Desligar a chave de igniga b-Reinstalar o sensor SPA: c-Reconectar o terminal elétrico do sensor SPA =ANELAMENTO ot os) PN Se) CORREIAS MICRO-V* X