You are on page 1of 17

Dossier do

espectáculo.

Última revisão:

outubro/2016

Dossier do espectáculo. Última revisão: outubro/2016
“Quatro tigres agora, contra quatro leões…” - profere um dos apresentadores (O Circo Printimpram)

ESQUECI-ME

COMO SE

CHAMA

POEMAS

DE DANIIL E HARMS

HISTÓRIAS

ESQUECI-ME COMO SE CHAMA, de Daniil Harms

É a primeira produção que o colectivo de teatro da Pantopeia apresenta ao

público geral e escolar. Um espectáculo criado para a infância (M/4), que põe em cena histórias e poemas do autor Daniil Harms e onde reina a imaginação e o surpreendente, o absurdo e a boa disposição

Ante-estreou em Aveiro, no Auditório do Mercado Negro em Julho de 2012, esgotando, e fez carreira para as escolas e instituições de apoio à infância no Teatro Aveirense em Dezembro de 2012, tendo sido visto por cerca de 1000 crianças e voltando a esgotar no dia dedicado ao público geral. Fez também visitas à Casa das Histórias Paula Rego, ao Festival i e ao Centro Cultural de Ancas e ao Museu Municipal da Figueira da Foz.

Neste ano que se celebram 4 anos sobre a sua estreia, apresentou-se no Estaleiro Teatral, em parceria com a Efémero - Companhia de Teatro de Aveiro, durante uma temporada.

Está também disponível para ser apresentado noutros espaços, durante o ano de 2016 e 2017, em regime de compra ou acordo bipartido, podendo ser usado igualmente noutros formatos mais pedagógicos que abordem a criação teatral ou

a dramatização de textos, para docentes e discentes. Desafie-nos!

ESQUECI-ME

COMO SE

CHAMA

POEMAS

DE DANIIL E HARMS

HISTÓRIAS

ESQUECI-ME COMO SE CHAMA POEMAS DE DANIIL E HARMS HISTÓRIAS
“Vamos neste avião aqui!” (Kolka e Petka)

ESQUECI-ME

COMO SE

CHAMA

POEMAS

DE DANIIL E HARMS

HISTÓRIAS

O TEXTO

ESQUECI-ME COMO SE CHAMA constitui um conjunto de histórias e poemas escritos para a infância por Daniil Harms, autor russo da primeira metade do séc. XX. Nestes textos encontramos um universo literário único, repleto de jogos de linguagem, narrativas insólitas e absurdas, atravessado por personagens bizarras, desafiando e convidando o leitor a percorrer um caminho sempre original e desconcertante onde não há espaço para o lugar comum e a banalidade.

Dez fragmentos narrativos são a porta de acesso a um universo literário para a infância, de liberdade e originalidade sem restrições e cedências

Recomendado pelo Plano Nacional de Leitura (PNL/Ler+), para a educação Pré-escolar, variante de leitura em voz alta, actualizado no ano lectivo 2015/16.

SINOPSE:

No circo Printimpram dois actores apresentam-nos um novo programa. Incrível, espectacular. Vamos ver como a ardilosa Macha convence o seu burro a levá-la à cidade e assistiremos a um desconcertante diálogo no jardim zoológico. Ficaremos a conhecer Vova, o rapaz condenado para sempre a beber óleo de peixe e assistiremos a uma insólita corrida de animais. Seremos testemunhas do desaparecimento misterioso de um quadro e vamos descobrir como não gritam os ouriços. Vamos concluir que todas as histórias de Igor já foram inventadas, viajaremos na imaginação de Kolka e Petka

até ao Brasil e, finalmente, descobriremos que um Inglês não consegue lembrar-se de

como se chama esta

gaulinhalalenhalinha!

“Olha que cidade toda toooooortaaaaaaa!” - (Kolka e Petka)

ESQUECI-ME

COMO SE

CHAMA

POEMAS

DE DANIIL E HARMS

HISTÓRIAS

O ESPECTÁCULO

A diversidade de fragmentos narrativos que compõem o corpo de texto integral

do espectáculo são matéria para os actores construírem os dezenas de personagens criados por Daniil Harms ao longo dos dez fragmentos narrativos. Há nos textos uma dimensão física que se procura explorar e apresentar em palco, construindo desta forma um espectáculo cuja fisicalidade e movimento, quase permanentes, são evidentes e notórias.

A riqueza e diversidade narrativa do autor, os jogos de linguagem e as

situações criadas, correspondem a um universo infantil que se apodera da desconstrução narrativa, do absurdo, da singularidade, e onde o real é estilhaçado pela capacidade de imaginação e criadora das suas personagens.

Procura-se, ainda, valorizar a dimensão pedagógica da criação artística, através da desconstrução da actividade teatral onde bastidores e palco coincidem no mesmo espaço de representação. Estamos, assim, perante um espectáculo em que alguns dos aspectos relevantes dessa mesma actividade, são “teatralmente” revelados ao público, no palco (e até fora dele). Um espectáculo transparente, sem panos e sem paredes.

Durante uma hora, almeja-se que a infinita imaginação humana transporte o público para um universo infantil de verdade, generosidade e simplicidade.

“Lá vai o burro a puxar a carriola ” (A Macha e o Burro)

ESQUECI-ME

COMO SE

CHAMA

POEMAS

DE DANIIL E HARMS

HISTÓRIAS

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA

TEXTO Daniil Harms

A partir de textos compilados em “ESQUECI-ME COMO SE CHAMA”

DIRECÇÃO, ENCENAÇÃO E ESPAÇO CÉNICO David Q

INTERPRETAÇÃO E CO-CRIAÇÃO Ivo Prata e Miriam Ferreira

OPERAÇÃO DE LUZ, SOM E EFEITOS Lúcio Ferreira

DESENHO DE LUZ João Teixeira

DESIGN GRÁFICO Cristina Fernandes

FIGURINOS Paula Mourão

MARIONETES Miriam Ferreira

CONFECÇÃO Atelier da Maris

DIRECÇÃO DE PRODUÇÃO E COMUNICAÇÃO Ivo Prata

AGRADECIMENTOS BCN, Lino Aidos, Dino Costa, Bruno Gomes, Mercado Negro, Dário Santos (vídeo), Filipe Sequeira e Mário Abreu (fotografia), Miguel Carvalho (apoio), Lisa Almeida, Joana Neves, Gonçalo Abade.

DURAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO 55min aprox. / Maiores de 4

PRODUÇÃO Colectivo de teatro da Pantopeia - 2012

“ em vez de seguir em frente, começou a correr para trás!” (A Corrida)

ESQUECI-ME

COMO SE

CHAMA

POEMAS

DE DANIIL E HARMS

HISTÓRIAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

-

Espectáculo concebido para espaços interiores e exteriores, com versões distintas;

-

Área cénica pretendida: 8 metros de largura por 6 metros de profundidade;

-

Linóleo preto ou cinzento (alternativamente, chão ou tapete escuro);

-

Duas mesas e uma cadeira em cima do palco (área cénica), para operação de luz e som;

-

É

necessário um sistema de amplificação para a música, efeitos sonoros e microfone,

sendo igualmente necessário o acesso a corrente eléctrica (220V) e sinal de áudio (para

o P.A.) em cima do palco (baixa esquerda). Material: mesa de mistura simples, cabo audio minijack para saída de computador, cabo xlr, microfone para voz.

NOTA: Rider técnico e desenho de luz disponíveis, mediante interesse.

“É isso. Eu também acho que é um pássaro!” (Jardim Zoológico)

ESQUECI-ME

COMO SE

CHAMA

POEMAS

DE DANIIL E HARMS

HISTÓRIAS

CONDIÇÕES

VENDA com DESLOCAÇÃO (até 50km)

1 espectáculo com ou sem implementação do desenho de luz (interior ou exterior):

- 400EUR (sem luz) / 700EUR (com luz) ou acordo bipartido (valor/criança, percentagem de bilheteira, etc.)

- Mediante alteração da duração do espectáculo ou do número de espectáculos, será possível atingir novos valores. Lotação das sessões a combinar entre as entidades.

- Alojamento, refeições e deslocações a cargo da entidade contratante (caso se justifique)

-O valor per diem de refeições é 20 EUR/pax.O valor quilométrico é de 0,35EUR

-Os valores totais cobrados pela Pantopeia são isentos de I.V.A.

- As questões de direitos autorais e de licenciamento de espaço deverão ser resolvidas pela entidade contratante, excepto se acordado em contrário (se justificável).

- Lotação máxima aconselhada / por sessão: 300 crianças

Cada caso é um caso, cada espaço é uma situação diferente e única.

CONSULTE-NOS, seja para estes ou outros “cenários”!

“ o bandido praguejou e voltou a saltar para cima do cavalo.” (“Uma história”)

ESQUECI-ME

COMO SE

CHAMA

POEMAS

DE DANIIL E HARMS

HISTÓRIAS

CONTACTOS, INFORMAÇÕES

Emails:

Telefones:

962556007 (Ivo Prata)

234421204 (Casa da Pantopeia)

Links:

https://vimeo.com/69207445 (vídeo promocional)

“Estou interessado apenas no nonsense. Só naquilo que não tem qualquer sentido prático. Estou interessado

“Estou interessado apenas no nonsense. Só naquilo que não tem qualquer sentido prático. Estou interessado na vida, apenas na sua manifestação absurda.

Daniil Harms