You are on page 1of 63

AULA 4: Integrais

Keliny Martins de M. Sousa Soares

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

Primitivas
Denição 1: Seja f uma função denida num intervalo I. Uma
primitiva de f em I é uma função F denida em I, tal que
F 0 (x) = f (x)

para todo x em I.

Ex: F (x) = 31 x 3 é uma primitiva de f (x) = x 2 em R.
Se duas funções tem derivadas iguais num intervalo, elas diferem,
nesse intervalo, por uma constante. Assim as primitivas de f em I
são as funções da forma F (x) + k ,com k constante. Assim,
F (x) + kR, k constante, é a família das primitivas de f em I. A
notação f (x)dx será usada para representar a família das
primitivas de f:
Z
f (x)dx = F (x) + k
ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

Primitivas
Denição 1: Seja f uma função denida num intervalo I. Uma
primitiva de f em I é uma função F denida em I, tal que
F 0 (x) = f (x)

para todo x em I.

Ex: F (x) = 13 x 3 é uma primitiva de f (x) = x 2 em R.
Se duas funções tem derivadas iguais num intervalo, elas diferem,
nesse intervalo, por uma constante. Assim as primitivas de f em I
são as funções da forma F (x) + k ,com k constante. Assim,
F (x) + kR, k constante, é a família das primitivas de f em I. A
notação f (x)dx será usada para representar a família das
primitivas de f:
Z
f (x)dx = F (x) + k
ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

k constante. é a família das primitivas de f em I. Se duas funções tem derivadas iguais num intervalo.com k constante. F (x) + kR. Ex: F (x) = 13 x 3 é uma primitiva de f (x) = x 2 em R.Primitivas Denição 1: Seja f uma função denida num intervalo I. nesse intervalo. Assim. tal que F 0 (x) = f (x) para todo x em I. Uma primitiva de f em I é uma função F denida em I. por uma constante. Assim as primitivas de f em I são as funções da forma F (x) + k . A notação f (x)dx será usada para representar a família das primitivas de f: Z f (x)dx = F (x) + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . elas diferem.

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . (e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax .Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α . (sin x)0 a > 0. achar todas as primitivas. a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1.

achar todas as primitivas. a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1. (e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax . (sin x)0 a > 0. ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α .

(sin x)0 a > 0. achar todas as primitivas. (e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax . ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α . a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1.

a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1. achar todas as primitivas. (e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax . ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α . (sin x)0 a > 0.

achar todas as primitivas. (e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax .Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α . a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1. ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . (sin x)0 a > 0.

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . (e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax . (sin x)0 a > 0. a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1. achar todas as primitivas.Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α .

(e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax . ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1. achar todas as primitivas. (sin x)0 a > 0.Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α .

(e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax . ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . (sin x)0 a > 0.Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α . achar todas as primitivas. a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1.

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α . (sin x)0 a > 0. achar todas as primitivas. (e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax . a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1.

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . achar todas as primitivas. (sin x)0 a > 0. (e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax .Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α . a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1.

achar todas as primitivas. (sin x)0 a > 0.Tabela das primitivas: a) (cx)0 = c b) c) d) e) f) g) h) i) α+1 (α 6= −1) ( xα+1 )0 = x α . ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . (e x )0 = x ( lna a )0 ex = ax . a 6= 1 = cos x (cos x)0 = − sin x (tan x)0 = sec2 (sec x)0 = sec x tan x (arcsin x)0 = j) (arctan x)0 = √ 1 1−x 2 1 1+x 2 2 Ex: Seja f (x) = x 3 − sin x + cos x + sec2 x + 4x 3 − 1.

então certamente F é única nessas condições. o número a f (t)dt = F (b) se chama integral denida de f de a até b. ou o integrando. Z F = f (t)dt a e x Z f (t)dt. a Z F (x) = f (t)dt = 0 a e F 0 (x) = ( Z x f (t)dt)0 = f (x).Integral denida Denição 1: Se F é primitiva de uma função f num intervalo I tal que F (a) = 0 para um certo a de I. a e b são extremos de integração e f é a função integranda. ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . Assim. a Rb Para cada b de I. Portanto. x ∈ I F (x) = a .

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . a e b são extremos de integração e f é a função integranda. x ∈ I F (x) = a . a Rb Para cada b de I. então certamente F é única nessas condições. ou o integrando.Integral denida Denição 1: Se F é primitiva de uma função f num intervalo I tal que F (a) = 0 para um certo a de I. a Z F (x) = f (t)dt = 0 a e F 0 (x) = ( Z x f (t)dt)0 = f (x). Assim. Z F = f (t)dt a e x Z f (t)dt. Portanto. o número a f (t)dt = F (b) se chama integral denida de f de a até b.

ou o integrando. o número a f (t)dt = F (b) se chama integral denida de f de a até b. Assim. x ∈ I F (x) = a . a Rb Para cada b de I. Portanto. a e b são extremos de integração e f é a função integranda.Integral denida Denição 1: Se F é primitiva de uma função f num intervalo I tal que F (a) = 0 para um certo a de I. Z F = f (t)dt a e x Z f (t)dt. ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . a Z F (x) = f (t)dt = 0 a e F 0 (x) = ( Z x f (t)dt)0 = f (x). então certamente F é única nessas condições.

Suponha que este intervalo seja dividido em n partes iguais de largura 4x = b−a n e seja xj um número pertencente ao j-ésimo intervalo . ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . .R. 2. b]. b]. a integral denida de f em [a. . .é dada por Z b a f (x)dx = lim [Σnj=1 f (xj )]4x n→∞ se este limite existir. Neste caso. para j = 1. denotada por ab f (x)dx .Denição 2: Seja f uma função contínua no intervalo [a. n.

b].interpretação geométrica: Suponhamos que y = f (x) seja contínua e positiva em um intervalo [a. Construimos em cada um desses sub-intervalos retângulos com base 4x e altura f (xj ) conforme a gura: ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . Seja xj um sub-intervalo no ponto [ak−1 . ou seja. n. . k = 1. ak ]. . 2. . < an = b . 4x = b−a n de modo que a = a0 < a1 < . Dividimos esse intervalo em n sub-intervalos de comprimentos iguais. . . .

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

para x variando de a até b. x = a e y = b . Ex:Usar integração para calcular a área das regiões delimitadas pelo eixo x e pela função f (x) = 2x + 3 no intervalo de [1. 3] ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . isto é: Aretângulos = [Σnj=1 f (xj )]4x Intuitivamente é possível admitir que à medida que n cresce. e conseguentemente o somatório anterior converge para a área A da região limitada pelo gráco de f e pelas retas y = 0.A soma das áreas dos n retângulos construídos é dado pelo somatório de cada um deles. pelo eixo x e pelas retas x = a e x = b. fornece a área da região limitada pelo gráco de f. 4x diminue. Portanto a área dessa região é dada por A = lim [Σnj=1 f (xj )]4x n→∞ Mas esse limite é exatamente igual a denição de integral denida e com isso observamos que a integral denida de uma função contínua e positiva.

Portanto a área dessa região é dada por A = lim [Σnj=1 f (xj )]4x n→∞ Mas esse limite é exatamente igual a denição de integral denida e com isso observamos que a integral denida de uma função contínua e positiva. pelo eixo x e pelas retas x = a e x = b. para x variando de a até b. x = a e y = b . e conseguentemente o somatório anterior converge para a área A da região limitada pelo gráco de f e pelas retas y = 0. isto é: Aretângulos = [Σnj=1 f (xj )]4x Intuitivamente é possível admitir que à medida que n cresce. 3] ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .A soma das áreas dos n retângulos construídos é dado pelo somatório de cada um deles. Ex:Usar integração para calcular a área das regiões delimitadas pelo eixo x e pela função f (x) = 2x + 3 no intervalo de [1. fornece a área da região limitada pelo gráco de f. 4x diminue.

x = a e y = b . isto é: Aretângulos = [Σnj=1 f (xj )]4x Intuitivamente é possível admitir que à medida que n cresce. e conseguentemente o somatório anterior converge para a área A da região limitada pelo gráco de f e pelas retas y = 0. Portanto a área dessa região é dada por A = lim [Σnj=1 f (xj )]4x n→∞ Mas esse limite é exatamente igual a denição de integral denida e com isso observamos que a integral denida de uma função contínua e positiva.A soma das áreas dos n retângulos construídos é dado pelo somatório de cada um deles. fornece a área da região limitada pelo gráco de f. pelo eixo x e pelas retas x = a e x = b. 4x diminue. Ex:Usar integração para calcular a área das regiões delimitadas pelo eixo x e pela função f (x) = 2x + 3 no intervalo de [1. 3] ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . para x variando de a até b.

então Z b f (t)dt = F (b) − F (a). seja A a função de domínio I dada por A(x) = cx f .1o Teorema Fundamental do Cálculo Seja f uma função contínua no intervalo I. a Exemplo: a) R4 b) R4 0 (2x + 10)dx −3 (x 2 − x − 1)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . Então para todo x de I. REscolhendo c em I. tem-se dA (x) = f (x) dx Ex: 2xdx 2o Teorema Fundamental do Cálculo R Se F é uma primitiva de f em I e se a e b são números de I.

Então para todo x de I.1o Teorema Fundamental do Cálculo Seja f uma função contínua no intervalo I. então Z b f (t)dt = F (b) − F (a). tem-se dA (x) = f (x) dx Ex: 2xdx 2o Teorema Fundamental do Cálculo R Se F é uma primitiva de f em I e se a e b são números de I. REscolhendo c em I. seja A a função de domínio I dada por A(x) = cx f . a Exemplo: a) R4 b) R4 0 (2x + 10)dx −3 (x 2 − x − 1)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

REscolhendo c em I. seja A a função de domínio I dada por A(x) = cx f . então Z b f (t)dt = F (b) − F (a). a Exemplo: a) R4 b) R4 0 (2x + 10)dx −3 (x 2 − x − 1)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . Então para todo x de I.1o Teorema Fundamental do Cálculo Seja f uma função contínua no intervalo I. tem-se dA (x) = f (x) dx Ex: 2xdx 2o Teorema Fundamental do Cálculo R Se F é uma primitiva de f em I e se a e b são números de I.

seja A a função de domínio I dada por A(x) = cx f .1o Teorema Fundamental do Cálculo Seja f uma função contínua no intervalo I. a Exemplo: a) R4 b) R4 0 (2x + 10)dx −3 (x 2 − x − 1)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . Então para todo x de I. então Z b f (t)dt = F (b) − F (a). REscolhendo c em I. tem-se dA (x) = f (x) dx Ex: 2xdx 2o Teorema Fundamental do Cálculo R Se F é uma primitiva de f em I e se a e b são números de I.

Propriedades da Integral Denida Rb Rb Rb a (mf + ng )(x)dx = m a f (x)dx + n a g (x)dx Rb Rb a mf (x)dx = m a f (x)dx Rb Rb a (−f )(x)dx = − a f (x)dx Rb Rb Rb a (f + g )(x)dx = a f (x)dx + a g (x)dx Rb Rb Rb a (f − g )(x)dx = a f (x)dx − a g (x)dx Rb Rc Rb a (f )(x)dx = a f (x)dx + c f (x)dx . com a ≤ c Rb Ra a (f )(x)dx = − b f (x)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA ≤b UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

com a ≤ c Rb Ra a (f )(x)dx = − b f (x)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA ≤b UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Propriedades da Integral Denida Rb Rb Rb a (mf + ng )(x)dx = m a f (x)dx + n a g (x)dx Rb Rb a mf (x)dx = m a f (x)dx Rb Rb a (−f )(x)dx = − a f (x)dx Rb Rb Rb a (f + g )(x)dx = a f (x)dx + a g (x)dx Rb Rb Rb a (f − g )(x)dx = a f (x)dx − a g (x)dx Rb Rc Rb a (f )(x)dx = a f (x)dx + c f (x)dx .

com a ≤ c Rb Ra a (f )(x)dx = − b f (x)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA ≤b UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Propriedades da Integral Denida Rb Rb Rb a (mf + ng )(x)dx = m a f (x)dx + n a g (x)dx Rb Rb a mf (x)dx = m a f (x)dx Rb Rb a (−f )(x)dx = − a f (x)dx Rb Rb Rb a (f + g )(x)dx = a f (x)dx + a g (x)dx Rb Rb Rb a (f − g )(x)dx = a f (x)dx − a g (x)dx Rb Rc Rb a (f )(x)dx = a f (x)dx + c f (x)dx .

Propriedades da Integral Denida Rb Rb Rb a (mf + ng )(x)dx = m a f (x)dx + n a g (x)dx Rb Rb a mf (x)dx = m a f (x)dx Rb Rb a (−f )(x)dx = − a f (x)dx Rb Rb Rb a (f + g )(x)dx = a f (x)dx + a g (x)dx Rb Rb Rb a (f − g )(x)dx = a f (x)dx − a g (x)dx Rb Rc Rb a (f )(x)dx = a f (x)dx + c f (x)dx . com a ≤ c Rb Ra a (f )(x)dx = − b f (x)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA ≤b UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

Propriedades da Integral Denida Rb Rb Rb a (mf + ng )(x)dx = m a f (x)dx + n a g (x)dx Rb Rb a mf (x)dx = m a f (x)dx Rb Rb a (−f )(x)dx = − a f (x)dx Rb Rb Rb a (f + g )(x)dx = a f (x)dx + a g (x)dx Rb Rb Rb a (f − g )(x)dx = a f (x)dx − a g (x)dx Rb Rc Rb a (f )(x)dx = a f (x)dx + c f (x)dx . com a ≤ c Rb Ra a (f )(x)dx = − b f (x)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA ≤b UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

Propriedades da Integral Denida Rb Rb Rb a (mf + ng )(x)dx = m a f (x)dx + n a g (x)dx Rb Rb a mf (x)dx = m a f (x)dx Rb Rb a (−f )(x)dx = − a f (x)dx Rb Rb Rb a (f + g )(x)dx = a f (x)dx + a g (x)dx Rb Rb Rb a (f − g )(x)dx = a f (x)dx − a g (x)dx Rb Rc Rb a (f )(x)dx = a f (x)dx + c f (x)dx . com a ≤ c Rb Ra a (f )(x)dx = − b f (x)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA ≤b UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

com a ≤ c Rb Ra a (f )(x)dx = − b f (x)dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA ≤b UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Propriedades da Integral Denida Rb Rb Rb a (mf + ng )(x)dx = m a f (x)dx + n a g (x)dx Rb Rb a mf (x)dx = m a f (x)dx Rb Rb a (−f )(x)dx = − a f (x)dx Rb Rb Rb a (f + g )(x)dx = a f (x)dx + a g (x)dx Rb Rb Rb a (f − g )(x)dx = a f (x)dx − a g (x)dx Rb Rc Rb a (f )(x)dx = a f (x)dx + c f (x)dx .

Exemplos:Calcule as seguintes integrais: a) b) c) d) e) f) g) R2 2 1 x dx R3 −1 4dx R2 3 0 (x + 3x − 1)dx R2 1 1 x 2 dx R2 1 1 1 ( x + x 3 )dx π 0 sin 2xdx R 1 −x 0 e dx R 8 ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

tal que g (c) = a e g (d) = b . d] → I . Seja g : [c.Mudança de variável na integral Seja f contínua num intervalo I e sejam a e b dois reais quaisquer em I. com g' contínua em [c.d]. Nestas condições Z b Z f (x)dx = a d f (g (u))g 0 (u)du c Exemplos: a) b) c) d) e) R1 10 0 (x − 1) dx R1√ 2x − 1dx 1 2 R 1 3x 0 e dx R1 x 0 x 2 +1 dx R2 √ 2 1 x x + 1dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

tal que g (c) = a e g (d) = b .Mudança de variável na integral Seja f contínua num intervalo I e sejam a e b dois reais quaisquer em I. com g' contínua em [c. Seja g : [c. Nestas condições Z b Z f (x)dx = a d f (g (u))g 0 (u)du c Exemplos: a) b) c) d) e) R1 10 0 (x − 1) dx R1√ 2x − 1dx 1 2 R 1 3x 0 e dx R1 x 0 x 2 +1 dx R2 √ 2 1 x x + 1dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . d] → I .d].

isto é. F 0 (g (x)) é uma primitiva de f (g (x))g 0 (x). de Z f (u)du = F (u) + k segue Z f (g (x))g 0 (x)dx = F (g (x)) + k Fazendo u = g (x) e du = g 0 (x)dx temos que Z 0 f (g (x))g (x)dx = Z f (u)du = F (u) + k = F (g (x)) + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Cálculo da Integral Indenida Sejam f e g tais que Img ⊂ Df com g derivável. Suponhamos que F seja uma primitiva de f. F 0 = f . Segue que. Desse modo.

Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k. (x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . 1 dx = ln (−x) + k.

Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k. 1 dx = ln (−x) + k. (x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

(x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . 1 dx = ln (−x) + k.Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k.

(x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k. 1 dx = ln (−x) + k.

1 dx = ln (−x) + k. (x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k.

(x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k. 1 dx = ln (−x) + k.

Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k. 1 dx = ln (−x) + k. (x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

(x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k. 1 dx = ln (−x) + k.

Primitivas Imediatas
a)
b)
c)
d)
e)
f)
g)
h)
i)
j)
l)
m)
n)
o)

R

cdx = cx + k

R
R
R
R
R
R
R
R
R
R
R
R

x α dx = xα+1 + k (α 6= −1)
e x dx = e x + k
1
(x > 0)
x dx = ln x + k,
1
dx
=
ln
(−x)
+
k,
(x < 0)
x
1
x dx = ln |x| + k
cos xdx = sin x + k
sin xdx = − cos x + k
sec2 xdx = tan x + k
sec x tan xdx = sec x + k
sec xdx = ln | sec x + tan x| + k
tan xdx = − ln | cos x| + k
1
1+x 2 dx = arctan x + k

R

α+1

√ 1
dx
1−x 2

= arcsin x + k

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

Primitivas Imediatas
a)
b)
c)
d)
e)
f)
g)
h)
i)
j)
l)
m)
n)
o)

R

cdx = cx + k

R
R
R
R
R
R
R
R
R
R
R
R

x α dx = xα+1 + k (α 6= −1)
e x dx = e x + k
1
(x > 0)
x dx = ln x + k,
1
dx
=
ln
(−x)
+
k,
(x < 0)
x
1
x dx = ln |x| + k
cos xdx = sin x + k
sin xdx = − cos x + k
sec2 xdx = tan x + k
sec x tan xdx = sec x + k
sec xdx = ln | sec x + tan x| + k
tan xdx = − ln | cos x| + k
1
1+x 2 dx = arctan x + k

R

α+1

√ 1
dx
1−x 2

= arcsin x + k

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

Primitivas Imediatas
a)
b)
c)
d)
e)
f)
g)
h)
i)
j)
l)
m)
n)
o)

R

cdx = cx + k

R
R
R
R
R
R
R
R
R
R
R
R

x α dx = xα+1 + k (α 6= −1)
e x dx = e x + k
1
(x > 0)
x dx = ln x + k,
1
dx
=
ln
(−x)
+
k,
(x < 0)
x
1
x dx = ln |x| + k
cos xdx = sin x + k
sin xdx = − cos x + k
sec2 xdx = tan x + k
sec x tan xdx = sec x + k
sec xdx = ln | sec x + tan x| + k
tan xdx = − ln | cos x| + k
1
1+x 2 dx = arctan x + k

R

α+1

√ 1
dx
1−x 2

= arcsin x + k

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

1 dx = ln (−x) + k. (x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k.

Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k. 1 dx = ln (−x) + k. (x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

Primitivas Imediatas a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) l) m) n) o) R cdx = cx + k R R R R R R R R R R R R x α dx = xα+1 + k (α 6= −1) e x dx = e x + k 1 (x > 0) x dx = ln x + k. 1 dx = ln (−x) + k. (x < 0) x 1 x dx = ln |x| + k cos xdx = sin x + k sin xdx = − cos x + k sec2 xdx = tan x + k sec x tan xdx = sec x + k sec xdx = ln | sec x + tan x| + k tan xdx = − ln | cos x| + k 1 1+x 2 dx = arctan x + k R α+1 √ 1 dx 1−x 2 = arcsin x + k ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

: Não existe regra para a integral do produto e do quociente de duas funções.Regras algebricas para Integração Indenida 1) kf (x)dx = k f (x)dx . R R R 2) [f (x) ± g (x)]dx = f (x)dx ± g (x)dx R R Obs.: Calcule: R √ a) x xdx R 3 b) x x+1 dx R c) e 2x dx R d) cos2 xdx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . k uma constante qualquer. Ex1 .

Ex2 : a) x cos x 2 dx R b) e 3x dx R c) (2x + 1)3 dx R x d) 1+x 2 dx R R √ e) x 1 + x 2 R f) sin3 x cos xdx R sin x g) cos 3 x dx ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

então f (x)g 0 (x) também admitirá primitiva em I e Z Z 0 f (x)g (x)dx = f (x)g (x) − f 0 (x)g (x)dx que é a integração por partes. Temos [f (x)g (x)]0 = f 0 (x)g (x) + f (x)g 0 (x) ou f (x)g 0 (x) = [f (x)g (x)]0 − f 0 (x)g (x) Supondo então. temos que Z Z udv = uv − ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA vdu UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . Fazendo u = f (x) e v = g (x) teremos du = f 0 (x)dx e dv = g 0 (x)dx .Integração por partes Suponhamos f e g denidas e deriváveis num intervalo I. que f 0 (x)g (x) admita primitiva em I e observando que f (x)g (x) é uma primitiva de [f (x)g (x)]0 .

Fazendo u = f (x) e v = g (x) teremos du = f 0 (x)dx e dv = g 0 (x)dx . então f (x)g 0 (x) também admitirá primitiva em I e Z Z 0 f (x)g (x)dx = f (x)g (x) − f 0 (x)g (x)dx que é a integração por partes.Integração por partes Suponhamos f e g denidas e deriváveis num intervalo I. que f 0 (x)g (x) admita primitiva em I e observando que f (x)g (x) é uma primitiva de [f (x)g (x)]0 . temos que Z Z udv = uv − ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA vdu UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . Temos [f (x)g (x)]0 = f 0 (x)g (x) + f (x)g 0 (x) ou f (x)g 0 (x) = [f (x)g (x)]0 − f 0 (x)g (x) Supondo então.

Exemplos: a) x cos xdx R b) e x cos xdx R c) cos2 xdx R d) 1t x ln xdx R ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

De fato.Cálculo de Áreas Suponha que f e g sejam denidas e contínuas em [a. é dada por Z b [f (x) − g (x)]dx A= a independente de f e g serem positiva ou não. f (x) ≥ g (x). b] tais que. ∀x ∈ [a. b]. temos três possibilidades: ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ . Então a área da região R limitadas pelos grácos de f e g e pelas retas x = a e x = b.

∀x ∈ [a. Então a área da região R limitadas pelos grácos de f e g e pelas retas x = a e x = b. b] tais que. b]. é dada por Z b [f (x) − g (x)]dx A= a independente de f e g serem positiva ou não.Cálculo de Áreas Suponha que f e g sejam denidas e contínuas em [a. De fato. f (x) ≥ g (x). temos três possibilidades: ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .

ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .Exemplos: Encontre a área da região limitada: a) pelo gráco de f (x) = x 3 pelo eixo x e pelas retas x = −1 e x = 1. b) pelas curvas x = 0. √ c) do conjunto de todos os pontos (x. y ) tais que x 2 ≤ y ≤ x . y = 2 e pelo gráco de y = x 2 . x = 1.