You are on page 1of 4

Gabriela Schiller da Cruz

AULA 1 – atividade financeira do estado e despesa pública

Determinado Município indeferiu pedido de pagamento de precatório de um
contribuinte que por possuir 70 anos alegou ter privilégios com base no Estatuto do
Idoso. O Município alegou que não se aplica o Estatuto do idoso em matéria tributária e
que o precatório por não ser de caráter alimentar, tampouco requisição de pequeno
valor não poderia preterir a ordem cronológica de apresentação dos precatórios.
Responda de forma fundamentada se a alegação do Município está correta.
Sim, está correta, pois o município não pode indeferir o precatório, mas sim a
prioridade para receber os precatórios. Não poderia negar o pagamento por meio
da habilitação em precatório, desde que tal crédito tenha origem em decisão
judicial transitada e julgada. O contribuinte no entanto não tem direito a
prioridade de recebimento exclusivamente por possuir 70 anos de idade. A
preferencia prevista no art 100, §2º da CF. pressupõe a concordância de duas
situações.
1º - possuir o credor 60 anos ou mais, portador de doença grave que deverá estar
associado a um crédito de natureza alimentar, é importante lembrar que essa
preferencia esta limitada ao valor equivalente a 3 vezes o valor estipulado como
teto fixado de pequeno valor. Por estas razões é possível identificar que o
município tinha razão em parte, já que o credor que era idoso, não se encaixava
exatamente na hipótese de prioridade prevista na CF, mas nem por isso poderia
ter o seu direito de recebimento do crédito por precatório negado.

Questão objetiva
Constituem elementos da atividade financeira do Estado:
a) originária e derivada;
b) receita e ingresso público;
c) receita, despesa e orçamento;
d) receita pública, despesa pública, orçamento público e crédito público.

AULA 2 – Receita pública e lei de responsabilidade
O Prefeito do Município X constatando que a despesa com pessoal chegou a 60% da
receita corrente líquida solicita Parecer a Porcuradoria Geral do Município indagando se
tal percentual é legal ou se viola a lei de responsabilidade fiscal. O Prefeito pede que a
Procuradoria invoque todos os fundamentos contidos na Constituição e na LC 101/00
que autorizem ou vedem tal procedimento. Na qualidade de Procurador desse Município
emita o Parecer.
A lei complementar 101/2000 em seu art. 19, fixa os percentuais de receita
corrente liquida que poderão ser comprometidos com gasto pessoal ativo e

em seu artigo 167. AULA 3 – Orçamento Público e crédito público O projeto de lei orçamentária do Estado X estabeleceu a vinculação de 10% da receita proveniente de impostos estaduais para realização de atividades da administração tributária. cabível tal previsão no projeto de lei orçamentária do Estado X. A CRFB/88. conforme determinação do artigo 37.O princípio da exclusividade determina. Questão objetiva Quanto aos princípios orçamentários. embora ambos não mais sejam vigentes no ordenamento jurídico brasileiro.O princípio da não-afetação da receita à despesa é aplicável apenas aos impostos.O princípio da anualidade tributária não se confunde com o princípio da anualidade orçamentária. III . II . c) Os tributos constituem receita derivada cobrada mediante atividade administrativa vinculada ou discricionária. e) Receita derivada é aquela em que o Estado atua como particular e receita originária é aquela em que o Estado atua através do seu poder de império. b) Ingresso e receita constituem sinônimos. Emita Parecer jurídico no sentido da viabilidade de tal previsão no projeto de lei orçamentária. sem ressalvas. 2º. IV da referida lei. faz ressalvas quanto à vinculação da receita de impostos. 169 da CF. vide informativo 485 do STF. d) Receita originária é aquela em que o Estado atua como particular e receita derivada é aquela em que o Estado atua através do seu poder de império. 19.inativo. a) Todo tributo advém da Receita Originária. . Sobre o tema existe ADI 2238 do DF que suspendeu liminarmente alguns dispositivos da lei de responsabilidade fiscal relativo a distribuição destes percentuais previstos no mencionado Art. regulamentando o art. dentre essas ressalvas temos a autorização de tal medida para a realização de atividades da administração tributária. inciso IV. sem qualquer exceção quanto a outras espécies tributárias. dentro da sua estrutura de poder. da CRFB/88. inciso XXII. Questão objetiva Julgue os seguintes itens relativos à receita pública e marque a opção correta. que a lei orçamentária limitese à disciplina da previsão de receitas e da fixação de despesas. A definição de receita corrente liquida encontra-se no Art. que garante às administrações tributárias dos entes federados. recursos prioritários para realização de suas atividades. portanto. percentual para o legislativo e para o judiciário. julgue as seguintes afirmativas: I .

b) podem ser instituídos por Medida Provisória. Comente se procede a alegação do Estado. portanto. ( ) b. moralidade e sossego públicos. de existência do plano plurianual e da lei de diretrizes orçamentárias. O Estado alega ilegitimidade passiva tendo em vista que a competência tributária para legislar sobre o imposto de renda é da União. excepcionado o princípio da anterioridade. saúde. Apenas três das afirmativas acima estão incorretas. Nenhuma das afirmativas acima está correta. AULA 4 – Espécies Tributárias Caso Concreto Determinado Município institui taxa de fiscalização de anúncios usando como base de cálculo o valor do anúncio. Apenas duas das afirmativas acima estão incorretas. colide com a previsão constitucional do art. ( ) c. que determina que a lei orçamentária anual deve ser única.O princípio da unidade orçamentária. Comente a constitucionalidade da taxa. que presta serviço de vigilância de posturas municipais relativa à segurança. 165. ( ) a. ( ) e. CF. exceto: a) a competência para sua instituição é exclusiva da União Federal. Justifica-se. AULA 5 – constituição tributária Caso Concreto Servidor estadual ingressa com ação de repetição de indébito contra o Estado respectivo em função de uma retenção na fonte de imposto de renda retido na fonte pelo órgão ao qual pertencia a servidora. a criação da respectiva taxa. A taxa pode ter como fato gerador um serviço público ou o exercício do poder de polícia. . que são de inegável interesse da coletividade.IV . 148. d) o empréstimo compulsório de caráter emergencial pode ser instituído em caso de guerra externa. A questionada Taxa de Fiscalização de Anúncios refere-se ao exercício desse poder. ( x) d. Entende o STF que a cobrança é justificada pelo custeio do próprio aparelho estatal fiscal. > lei complementar c) são restituíveis. mas sim como fonte de custeio para a manutenção do próprio serviço fiscalizatório. pode-se afirmar. Todas as afirmativas acima estão corretas. Sua cobrança independe da realização da efetiva fiscalização individual. Apenas uma das afirmativas acima está incorreta. não como forma de contraprestação do serviço de fiscalização. desde que haja relevância e urgência. art. Questão objetiva Relativamente a empréstimos compulsórios.

. Compete à Justiça comum estadual processar e julgar as causas em que se discute a repetição do indébito. O Estado-Membro é parte legítima para figurar no polo de ação de restituição de imposto de renda. incidente na fonte.A alegação do Estado é improcedente.5% do IPI e do IR para Fundo de Participação. sobre pagamentos feitos a servidores. (1 ) 25% do ICMS. de transferências intergovernamentais de receitas tributárias. pois. as da União para os Municípios (2) e as dos Estados/DF para os Municípios (3): ( 1) 50% do IPVA. por pertencer a ele o produto da arrecadação do imposto da União sobre a renda e os proventos de qualquer natureza. MARQUE as da União para os Estados/DF (1). de acordo com a Súmula 447 do STJ. ( 3) 22. Os Estados e o Distrito Federal são partes legítimas na ação de restituição de imposto de renda retido na fonte proposta por seus servidores. ( 3) 50% do ITR. ( 2) 20% dos impostos de competência residual. Objetiva: Na relação abaixo. (1 ) 21. ( 1) 70%do IOF sobre o ouro ativo financeiro ou instrumento cambial.5% do IPI e do IR para Fundo de Participação.