You are on page 1of 28

Acesse o site: http://docentes.puc-campinas.edu.

br/clc/arturaraujo/

jornalismo impresso
Professor mestre Artur Araujo
(artur.araujo@puc-campinas.edu.br)

A coluna jornalística

Acesse o FTP: ftp://ftp-acd.puc-campinas.edu.br/pub/professores/clc/artur.araujo/

vieses .Tema do exercício de argumentação da próxima quarta (29 de abril) • Vamos fazer na próxima quartafeira um exercício de argumentação. • No dia sortearemos quem fará a defesa e quem fará a crítica. Como será aleatória. O tema do exercício será a lei de imprensa. preparem-se para os dois vieses.

Estamos a 17 dias do início dos seminários. • A nota para a tarefa é até 3. • O sorteio das apresentações será segunda-feira. .Seminários sobre reportagens • Serão nos dias 11 e 15 de maio. • Os estudantes devem se organizar em duplas (haverá um trio já definido) • A meta é fazer uma “engenharia reversa” da apuração jornalística.

• Cada um terá duas perguntas para dissertar. Estamos a 28 dias da prova. • Será uma prova com consulta.A prova • A prova será 22 de maio (sexta-feira). • A nota máxima será 4. .

A coluna jornalística 9. Quality papers e jornais populares 11. A crônica 10.Os temas da prova serão: 1. Categorias do jornalismo . O dilema web X papel. A reportagem narrativa A reportagem descritiva A resenha e a crítica A coluna jornalística O jornal como modelo de negócio 6. 5. Edição e viés ideológico 8. 3. 2. 7. 4.

a crônica e até mesmo a resenha. a coluna abrange. Há uma tendência geral para chamar de coluna toda seção fixa. segundo essa noção. o comentário.José Marques de Melo A coluna • A caracterização do colunismo na imprensa brasileira dá margem a ambigüidades. Assim sendo. .

Por isso. . • Historicamente.José Marques de Melo Colunas verticais. com a diagramação horizontal. se necessário. à coluna vizinha.. passando. horizontais. é comum o uso da palavra seção para denominar a coluna. a coluna já não mais ocupa o espaço disposto verticalmente e se alarga pelo espaço fronteiriço. em que as matérias eram dispostas de cima para baixo. Hoje.. a coluna originou-se dentro da antiga diagramação vertical.

José Marques de Melo Características gráficas • As colunas mantêm um título ou cabeçalho constante. . e são diagramadas geralmente numa posição fixa e sempre na mesma página o que facilita a sua localização imediata pelos leitores".

idéias e julgamentos em primeira mão. quando não funciona como fonte de informação. antecipando-se à sua apropriação pelas outras seções dos jornais. . diferencial das colunas • Na verdade. Procura trazer fatos.José Marques de Melo Furo. a coluna cumpre hoje uma função que foi peculiar ao jornalismo impresso antes do aparecimento do rádio e da televisão: o furo.

descobrindo fatos que estão por acontecer. ou exercendo um trabalho sutil de orientação da opinião pública. .José Marques de Melo Os bastidores da notícia • A coluna tem como espaço privilegiado os bastidores da notícia. pinçando opiniões que ainda não se expressaram.

quando os jornais deixaram de ser doutrinários e adquiriam feição informativa. e originando espaços dotados de valor informativo e de vigor pessoal. em meados do século XIX.José Marques de Melo Espaço da subjetividade • A coluna surgiu na imprensa norte-americana. superando a frieza e a impessoalidade do corpo do jornal. O público começou a desejar matérias que escapassem do anonimato redatorial e tivessem personalidade. . Isso deu lugar ao aparecimento de seções sob a responsabilidade de jornalistas conhecidos.

• • • • José Marques de Melo Quatro tipos de coluna Coluna padrão Coluna miscelânea Coluna de mexericos Coluna sobre os bastidores da política .

reservando a cada um pouco mais de um parágrafo. o que implica um tratamento superficial.José Marques de Melo Coluna padrão • Dedicada aos assuntos editoriais de menor importância. apenas sugerindo tendências ou propondo padrões de julgamento. .

misturando tipos. incluindo uma grande variedade de temas e atribuindo uma certa dose de humor e sarcasmo aos assuntos tratados.José Marques de Melo Coluna miscelânea • Combinação de prosa e verso. foge ao padrão tipográfico convencional. . não se prende a nenhum assunto.

indiscrições. música. as personalidades famosas. ou mesmo.José Marques de Melo Coluna de mexericos • Centralizada em pessoas. economia. faz elogios. no caso dos pequenos jornais. principalmente as figuras da alta sociedade. . impõe sanções comportamentais. Inicialmente voltado para o high society. teatro. Divulga confidências. às pessoas de destaque na comunidade. esporte. esse tipo de coluna subdivide-se depois por ramos de atividades: cinema.

José Marques de Melo Coluna sobre os bastidores da política . mas sem adotar a sua "tagarelice". mostrando-o na sua intimidade.• Variante da coluna de mexericos. situa o leitor no mundo do poder.

.José Marques de Melo A coluna. Ponto de vista apreendido de personalidades do mundo noticioso. Fatos relatados com muita brevidade. a coluna é um complexo de miniinformações. Comentários rápidos sobre situações emergentes. sob o viés estrutural • Do ponto de vista estrutural. Trata-se de uma colcha de retalhos. com unidades informativas e opinativas que se articulam.

O próprio ato de selecionar os fatos e os personagens a merecerem registro já revela o seu caráter opinativo. com sutileza ou de modo ostensivo. na prática. .José Marques de Melo Você só “vale” se sair na coluna • Aparentemente a coluna tem caráter informativo. é uma seção que emite juízos de valor. registrando apenas o que está ocorrendo na sociedade. Mas.

• Vaidade • Balão de ensaio • Modelo de comportamento José Marques de Melo Como se explica o colunismo na imprensa? .

Participam sem fazer parte. dá-se-lhe a sensação de participar desse mundo.José Marques de Melo Vaidade • O colunismo atende a uma necessidade de satisfação substitutiva existente no público leitor. Já que a maioria das pessoas está excluída do círculo reduzido dos colunáveis (poder/estrelato). Acompanham à distância. . abstrata. Trata-se de uma forma de participação artificial. através dos colunistas.

Da reação do público. . em linguagem jornalística. depende muitas vezes a tomada de decisões empresariais. com a finalidade de avaliar as repercussões. o público as aceita com tranqüilidade. estimulada por essas informações sutis. sugere situações. fortemente. Isso se chama. é o caso de adiá-las. Passado o impacto. políticas. Insinua fatos.José Marques de Melo Balão de ensaio • O colunismo tem a função de "balão de ensaio". lança idéias. Ou se as rejeita. transferi-las para ocasião mais oportuna. “plantar notícia”. refeito o susto.

do espetáculo e da política). Estimula o modismo. o colunismo oferece ao mesmo tempo "modelos" de comportamento. alimenta a esperança dos que pretendem ingressar no "paraíso burguês". incrementa o consumo. .José Marques de Melo Modelo de comportamento • Alimentando a vaidade das pessoas importantes (do mundo da arte.

os grandes colunistas deixaram de ser profissionais assalariados por uma determinada empresa e criaram seus próprios escritórios de informação (espécies de agências noticiosas de futilidades). que vendem as colunas para jornais e revistas de diferentes cidades e regiões onde são produzidas simultaneamente.José Marques de Melo Colunismo S/A • No jornalismo norte-americano. .

que atualizou a cobertura da vida mundana dando-lhe uma certa sofisticação. . • A figura dinamizadora do colunismo social brasileiro foi sem dúvida Ibrahim Sued.José Marques de Melo Ibrahim Sued • O colunismo floresce no Brasil na década de 50.

política .é o que mais agrada seus leitores. sociedade. literatura. • O assunto ameno .mulher moda. . artes.José Marques de Melo O estilo Sued • Daí o modelo do colunismo de Ibrahim Sued. que fez escola e continua a influenciar tantos seguidores que o reproduzem nos grandes e pequenos jornais de todo o país.

Ibrahim Sued • Vamos ver o vídeo. ... é de 1978.

o colunismo se estrutura e atua. hoje ele se alastra para todas as áreas cobertas pelos jornais diários. coluna de música etc. Onde há setores que projetam personalidades e instituições. coluna de cinema. coluna esportiva. coluna econômica. • Os tipos de colunas mais comuns na imprensa brasileira são: coluna social. coluna policial.José Marques de Melo O colunismo se espraia • Se no princípio o colunismo restringia-se ao ambiente da alta sociedade. coluna de livros. coluna de televisão. coluna política. .