You are on page 1of 21

Saúde no espaço escolar: avaliando a relação da avaliação postural com a

sobrecarga das mochilas escolares

Margareth de Fátima Piazzetta Antunes1
Carlos Ricardo Maneck Malfatti2
Resumo
O estudo objetivou introduzir ferramentas de diagnóstico e acompanhamento de
problemas posturais no ambiente escolar relacionando-os com a sobre carga
suportada nas mochilas. A proposta surge da necessidade de reorientar os escolares
sobre a sobrecarga da mochila e postura nas atividades escolares, protegendo-os
de futuras doenças crônico-degenerativas. Os desvios posturais tais como
hiperlordose, hipercifose e escoliose podem levar ao uso incorreto de outras
articulações como as dos ombros, braços, quadris, joelhos e pés. É durante a idade
escolar que o corpo da criança e do adolescente cresce e se define para a vida
adulta e dada velocidade desse crescimento, inúmeros vícios de postura que
prejudicam o desenvolvimento físico e a produtividade escolar podem ser gerados.
Nesta fase é muito importante a vigilância especializada e estímulos adequados.
Foram avaliados 140 alunos, sendo 66 do sexo feminino e 74 do sexo masculino,
com 10 à 17anos de idade. Os escolares foram orientados sobre as disfunções
posturais e posteriormente realizaram trabalho de pesquisa em grupo sobre
hipercifose, hiperlordose e escoliose finalizando com a exposição oral para a turma.
Realizou-se a avaliação biométrica e a pesagem das mochilas. Avaliou-se a postura
na posição de vista anterior, posterior, lateral com o auxílio do simetrógrafo.
Verificou-se a flexibilidade através do banco de Wells. O resultado do IMC das
meninas revelou que a média de altura das meninas não difere dos 14 aos 17 anos
de idade, o percentual do peso corporal é de 68% peso normal.

______________________
1

Profª. da Rede Pública Estadual , Colégio Estadual São Vicente de Paulo, Irati-PR,
e-mail marga-pantunes@hotmail.com
2
Prof. Dr. do Departamento de Educação Física da UNICENTRO - Irati-PR.
Orientador do PDE na área de Educação Física, e-mail ricardo.malfatti@bol.com.br

Nos meninos verifica-se que altura e peso têm elevação dos 14 aos 17 anos de
idade e o percentual do peso corporal é de 80% peso normal. O peso carregado na
mochila escolar pelas meninas resultou em 17% acima do normal e 83% peso
permitido e abaixo do peso normal. Dos meninos 16% carregam peso acima do
normal e 84% peso permitido e abaixo do normal. O desvio postural que prevalece
nas meninas é a escoliose que se acentua dos 14 aos 15 anos de idade. Nos
meninos prevalece a escoliose e a hipercifose que se acentua dos 14 aos 17 anos.O
teste de flexibilidade resultou em 56% normal nas meninas e 59% normal nos
meninos.

Conclusão: O peso carregado na mochila dos escolares contribui para

que os escolares adquiram má postura mais a maneira como elas são carregadas é
que aumentam a incidência de desvios posturais.
Palavras – Chave: Educação, saúde, postura.
Abstract
The study aimed to introduce tools for diagnosis and monitoring of postural problems
in the school environment relating them with the burden born in backpacks. The
proposal arises from the need to reorient the students about the burden of the
backpacks and posture in school activities, protecting them from future chronic
diseases. The postural deviations, like concavity, kyphosis and scoliosis can drive to
the incorrect use of other joints like the shoulders, arms, hips, knees and feet. It is
during school age that the body of the child and adolescent grow and sets to
adulthood and because of the speed of that growth, numerous defects in posture that
harm the physical and academic productivity can be generated. At this stage it is very
important a special surveillance and right stimuli. There were evaluated 140 students,
in this number 66 are female and 74 male, mean age of 10 to 17 years. The students
were instructed about postural dysfunctions and after they did a research in group
about concavity, kyphosis and scoliosis, ending with the oral presentation to the
class. Carried out the biometric assessment and weighing of backpacks. We
evaluated the posture in the position of the previous view, posterior, lateral. Flexion of
the trunk with help of squared. We noticed the flexibility through the bank by Wells.
The results of the girls BMI revealed that their height usually is not different from 14
to 17 years old and the percentage of body weight is 68% normal weight. In the boys
is noticed that the height and weight grow from 14 to 17 years old, the body weight
percentage is 80% normal weight. The weight of the girls backpacks was 17% above

a faltas de atividade física e seu impacto na saúde pública é um grande problema para a sociedade moderna. dizer que a melhor postura a ser adotada por um indivíduo é aquela que preenche todas as necessidades mecânicas do seu corpo e também possibilita ao indivíduo manter uma posição ereta com o mínimo esforço muscular. Saúde também é uma qualidade de vida. e a coluna que antes se encontrava na posição horizontal passou a assumir a posição vertical. . The flexibility test resulted in 56% normal to the girls and 59% normal to the boy. No entanto. 2008). The postural deviation prevalent in the girls is scoliosis witch increases from 14 to 15 years old. A postura ereta não cedeu de forma tão simples e rápida. posture and health. os desequilíbrios posturais aumentam significativamente a cada ano nas nossas crianças (VERDERI. É neste contexto que o educador físico tem sua atuação: como instrutor na profilaxia dos desequilíbrios posturais. devido ao fato de a inatividade física estar relacionada a diversas patologias. então. os membros posteriores foram assumindo a função locomotora. alterados de acordo com o relacionamento indivíduo versus meio. Soames (2000) explicam que logo quando os membros posteriores foram evoluindo e os seres humanos foram adquirindo a postura bípede. Conclusion: The weight carried in the backpack helps the students acquire bad posture but is the way they are taken is that increases the incidence of postural deviations. na ausência de informações preventivas. condição ou estado de bem-estar que apresenta um componente biológico e um comportamental. De acordo com esta autora. Keywords: Education. Introdução Burgos et al (2009) apud (KERESZTES. Somos seres biologicamente diferentes. 2008).normal and 83% permitted weight and below normal. não existe uma “postura correta” para todas as pessoas. The 16% of the boys backpacks was above normal and 84% permitted weight and below normal. que usamos até os dias de hoje. Poderíamos. Palastanga. In the boys prevalent scoliosis and kyphosis witch increases from 14 to 17 years old. A postura adequada varia de uma pessoa para a outra. Field.

pelo seu papel na gênese de alterações biomecânicas.O presente estudo teve como proposta central. em última instância. se faz necessário realizar uma triagem e encaminhamento das crianças e jovens que apresentam desvios patológicos para um tratamento multidisciplinar adequado. situação que pode se transformar em deformidade (CONTI. as quais podem ser geradas por demandas diárias do corpo como utilização inadequada de mobiliários. 1983). comprometendo o ser humano por toda vida. comportamental. Diante do exposto. nervoso e muscular bem como. quando a criança está em fase de seu desenvolvimento e seu corpo está na fase de grandes mudanças. nutricionais. Por isso torna-se primordial o trabalho corporal com as crianças na escola. Assim. de maneira a desenvolver não só . Pantanali. contribuindo. Existem alterações estruturais que caracterizam assimetria. A preocupação com a postura justifica-se plenamente quando vemos que. podendo-se evitar a prescrição de atividades e exercícios que venham a acentuá-los. excesso de peso. acarretando uma série de mudanças e perturbações de origem funcional na postura. de atitudes e comportamentos psico-sociais em geral (HURTADO. a realização de avaliação postural deve constituir rotina nas escolas devido ao seu caráter preventivo. na mobilidade articular e no sistema circulatório. denotando problemas posturais. O excesso de peso da mochila leva o escolar a ter uma postura errada. que podem presumir a existência de patologia e acarretar desconforto e incapacidades funcionais. do ponto de vista postural e por causas congênitas. desgastes articulares e distúrbios da marcha. em nível de aprendizagem. O conhecimento deve-se iniciar na infância. que rotineiramente podem tornar-se sintomáticas. possibilitando identificar os desvios comumente encontrados. para a qualidade de vida e saúde dos escolares. porque depois quando chegam à fase adulta sem conhecimento necessário os indivíduos vão ter maiores dificuldades de se adaptar a uma boa postura. Rosa Neto e Caon (2005). patológicas. a criança pode apresentar desvios posturais. 2005). afirmam que o diagnóstico precoce de alterações posturais ainda na infância é de importância fundamental. respiratório. avaliar possíveis alterações na coluna vertebral e segmentos corporais em escolares de ambos os sexos e sua relação com o excesso de peso conduzido nas mochilas. vícios posturais. traumáticas e psicológicas entre outras.

A postura correta é a posição na qual um mínimo de estresse é aplicado em cada articulação” (MAGEE. para baixo com o sacro e este com o cóccix. que são as vértebras. “não existe uma postura normal. O sacro resulta da fusão de 5 vértebras. exige pequeno esforço da musculatura e dos ligamentos para se manter nessa posição” (CARNAVAL. É dividida em três regiões: cervical. Tem a forma de uma pirâmide quadrangular de base voltada para cima. “Postura é um composto das posições das diferentes articulações do corpo num dado momento. mas sim diversas posturas normais. Para cima ela se articula com o osso occipital da cabeça. em posição ortostástica. “A boa postura é aquela em que um indivíduo. “A postura é uma composição das posições de todas as articulações do corpo em qualquer momento dado” (KENDALL. articulando-se com o cóccix. cada uma de acordo com as características do seu portador”. De acordo com Mello (1986).habilidades corporais. 2005). não exigindo dele além do necessário (VERDERI. mas também uma educação postural que as oriente para um trabalho corporal em que saibam respeitar o próprio corpo. Apresenta uma base que se articula com o ápice do sacro e um ápice que é livre. articulando-se com a 5ª vértebra lombar e ápice para baixo. a coluna vertebral (ou ráquis) é constituída pela superposição de 24 ossos isolados. torácica e lombar. a coluna vertebral é formada por quatro curvas fisiológicas que se apresentam da seguinte maneira: Coluna cervical – côncava na altura de C6 e C7. 12 torácicas e 5 lombares. 2002). Para Carnaval (2005). 2008). COLUNA VERTEBRAL Segundo Sebastião (1980). . São 7 vértebras cervicais. POSTURA A definição de postura é diversificada entre os autores e muito controvertida na conceituação de postura ideal. Às vezes de 5 e outras somente de 3. 1987). O cóccix resulta da fusão de 4 vértebras rudimentares. Tem a forma aproximada de uma cunha.

elas se ajustam ao centro de gravidade.infantil. juvenil e . A hiperlordose cervical. cada curva tem sua descrição. Coluna sacra – convexa na altura de S3 e S4. associada a uma anteversão da pelve. Estudos comprovam que a anteversão da pelve está associada a um desequilíbrio dos músculos abdominais e glúteos. 2008). promove alterações anatômicas ocasionando o dorso curvo. ou seja. Coluna lombar – Côncava na altura de L3 e L4. gibosidade posterior. De acordo com Cailliet (2001 apud Moraes. Possui várias classificações. caracterizando um pescoço mais alongado à frente. que estão enfraquecidos e na musculatura lombar que se apresentará encurtados. com diminuição da mobilidade cervical (VERDERI. podendo ser flexível ou estrutural O aumento da curvatura cifótica. A retificação da lordose cervical caracteriza-se pela diminuição da lordose e conseqüentemente um pescoço reto. é o aumento da convexidade posterior no plano sagital.Coluna dorsal ou toráxica – Convexa na altura de T5 e T6. é caracterizada pela proeminência da cabeça associada à hipercifose. acentuação da concavidade cervical e/ou lombar no plano sagital. por reduzir a capacidade de sustentação da coluna vertebral e também a diminuição da expansibilidade torácica (VERDERI. A acentuação dessas curvaturas que geram patologias denomina-se: HIPERCIFOSE É aumento da curvatura da região dorsal. Qualquer desvio dessas curvaturas e dos acidentes anatômicos em relação à linha de gravidade. 2005). as curvas cervical e lombar são lordóticas e as outras duas são cifóticas. encurtamento vertebral e pode ocorrer déficit respiratório. ou seja. ESCOLIOSE É um desvio assimétrico. resultado da ação de um conjunto de forças assimétricas que incidem sobre a coluna. são elas: Idiopática (causa desconhecida) . lateral da coluna vertebral. 2007). caracteriza o que chamamos de desvio postural (CARNAVAL. 2008 ). HIPERLORDOSE É aumento da curva na região cervical ou na região lombar.

2005). As mochilas não poderiam exceder 10% do peso dos estudantes. cirurgias e queimaduras.De proteção: a medula nervosa é um prolongamento do cérebro e se constitui numa parte nobre do sistema nervoso central. pode-se perceber a relação importante que a coluna vertebral exerce sobre o corpo humano. Neuromuscular .poliomielite. De acordo com as definições citadas.adolescente. situação que pode se transformar em deformidade. Portanto torna-se primordial ao escolar o acesso às orientações e avaliações preventivas.falha na formação dos ossos e na segmentação. apontando maior tendência de problemas na coluna para os meninos. pois o eixo e o centro de gravidade do corpo. Para Conti (2003). cerca de 44% para 59% no quinto ano. Fenômenos irritativos . .tumores medulares. presente e futura e não simplesmente uma questão de estética. GATTI. paralisia cerebral. Quando houver uma preocupação em fornecer conhecimento para as crianças e adolescentes. principalmente pela musculatura.De movimento do corpo: é realizada pelas articulações existentes entre a parte posterior das vértebras e. Eles registraram. 2008).De sustentação do organismo: que é desempenhada através dos ossos. Tem três funções: . o excesso de peso pode levar a criança a ter uma postura errada. contribuindo para a conscientização de que uma boa postura é questão de saúde. hérnia de disco e posturais -“falsa escoliose (VERDERI. (1996) relataram que a dor na coluna lombar pode evoluir com a passar dos anos. Traumas fraturas. Achour (1999) apud (TURNER. Assim como os ossos do crânio protegem o cérebro. principalmente no período de transformações do corpo. Para Knoplich (1995) a Coluna Vertebral é o centro de suporte do organismo humano. mas de alta significância. no futuro terse-á adultos e idosos com menor índice de doença da coluna vertebral (GRACIOLI. calcula-se que 2% das crianças sentem dor de coluna. em 96 crianças com dor na coluna lombar. que essas dores aumentaram entre as idades de 11 aos 15 anos. que são as vértebras e pelos discos intervertebrais. distrofia muscular e outros. 1988). “Peso em excesso agrava os problemas de coluna o aumento de peso nas costas altera o eixo de gravidade. Burton et al. impondo uma carga excessiva na coluna causando má postura”. Congênita . não sendo isso considerado um problema comum. sendo. . a coluna vertebral protege a medula nervosa. .

a avaliação postural refletirá na corporeidade dos escolares. . servindo como meio de orientação e incentivo. dificultando o envelhecimento normal (ACHOUR. Estudos anteriores relatam que a grande maioria dos casos de dores nas costas não está relacionada a problemas estruturais. autorizando a utilização da ficha de resultados dos escolares. 2005). músculos das costas e posteriores da coxa. O diagnóstico precoce dos desvios da coluna vertebral é fundamental. 26 meninas e 32 meninos. avaliação postural consiste em determinar e registrar os desvios posturais ou atitudes posturais erradas dos indivíduos. da má postura. incrementar-se de maneira saliente com o avançar dos anos. nos bairros e localidades rurais pertencentes ao município de Irati – Pr. Liposcki et al (2007) apud (MAINE E BERESFORD. E por se tratar de escolares menores. mas resultam da debilidade e pouca elasticidade dos músculos abdominais. bengala. Todas as crianças e adolescentes deveriam ser examinados periodicamente na escola. da tensão nervosa e do excesso de peso (ACHOUR. 15 meninas e 21 meninos. composto por escolares residentes no centro. As faixas de idade são: 10 a 13 anos. O estudo foi submetido à aceitação da direção e equipe pedagógica do colégio. de 14 a 15 anos. andadores e outros aparelhos de apoio. 1999).O estudo foi realizado de fevereiro/2009 a novembro/2009. 1999). Método Participaram do estudo 140 escolares de 5ª série do ensino fundamental e do 1º e 3º ano do ensino médio do Colégio Estadual São Vicente de Paulo que conta com um público alvo heterogêneo.O problema na coluna pode manifestar-se desde a infância. 25 meninas e 21 meninos e de 16 à 17 anos. como muletas. pois se isso não acontecer terão cada vez mais que recorrer na fase adulta para instrumentos de auxílio. os pais assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. contribuindo na prevenção de distúrbios posturais que afetam o desempenho motriz e consequentemente a qualidade de vida. AVALIAÇÃO POSTURAL Segundo Carnaval (2005). Os escolares foram divididos em três faixas de idade e sexo.

que deverá fornecer oscilações em torno de 100 gramas ( CARNAVAL. procurando estabelecer o PESO IDEAL – peso que possibilita ao indivíduo obter máximo rendimento em qualquer atividade e mostrar os desvios da normalidade. Para a avaliação postural foi utilizado um simetrógrafo desenhado na parede da sala de jogos e para o teste de flexibilidade o Banco de Wells. vários estudos foram desenvolvidos com o objetivo de determinar com mais precisão a composição corporal dos indivíduos. O peso é uma das medidas mais utilizadas em Educação Física. 1995).Para a apresentação do trabalho de pesquisa em grupo foi utilizada a TV multimídia. Para a avaliação postural utilizou-se a ficha de avaliação do IAPInstrumento de Avaliação Postural. e para altura a régua de medidas de uma balança antropométrica da marca FILIZOLA. Neste estudo foi utilizado o cálculo abaixo: PESO (Kg) IMC = ---------------------ESTATURA (M)2 A avaliação foi realizada de acordo com a tabela da OMS (Organização Mundial da Saúde). modelo: EB9009. escalonada em quilos e intervalos de 100 gramas. Para a verificação do peso dos escolares com e sem mochila foi utilizada uma balança digital da marca Cauduro. segundo os critérios abaixo descritos: . O peso é medido pelo instrumento chamado balança. De acordo com este autor. Quando se fala em medida de massa. surge logo a idéia da medida de peso.

da análise comparativa constata-se que o percentual maior é de meninas com peso normal e que o índice de obesos é baixo e se concentra na idade de 14 aos 17 anos.25 2.1 – 25.1 Abaixo de 15 anos MASC 17.3 Abaixo de 14 anos MASC 17.1 – 24.07 11.2 Acima de 24.09 23.05 57.2 Acima de 24.7 14.7 – 26. Tabela 1 – Resultado do IMC das meninas Nº de sujeitos Idade Altura Peso IMC 15 10 – 13 anos X DP 1.1 – 24.5 21.1 24.0 21. No gráfico1.30 3.39 10.2 Acima de 26.3 Abaixo de 17 anos MASC 18.2 23.054 57.0 17. verifica-se que a média de altura das meninas quase não difere na idade dos 14 aos 17 anos.7 17.5 – 24.8 FEM Abaixo de 18.8 – 23.3 Abaixo de 12 anos MASC 15.9 – 26.0 Acima de 19.3 – 21.85 22.1 17.8 24.6 22.5 18.5 – 23.5 17.9 FEM Abaixo de 17.9 25.63 18.01 .2 FEM Abaixo de 16.60 0.7 – 26.4 16.4 18.8 – 25.5 – 20.4 Acima de 22.7 – 21.8 15.2 24.5 Abaixo de 11 anos MASC 15.45 0.3 – 23.4 – 22.8 Acima de 25.1 25.5 – 22.0 – 23.8 16.1 FEM Abaixo de 17.6 Acima de 23.4 21.3 – 25.9 Fonte: OMS (Organização Mundial da Saúde) Sobrepeso Obeso 18.1 – 24.2 Na tabela 1.69 2.9 – 25.1 15.5 Acima de 23.6 – 23.2 Acima de 26.0 23.7 – 23.2 – 24.7 23.1 15.5 – 24.85 26 16 – 17 anos X DP 1.1 – 21.8 20.8 Acima de 22.5 – 19.7 17.7 18.6 23.1 Acima de 25.8 – 25.9 Acima de 26.5 FEM Abaixo de 15.0 15.7 – 26.6 Acima de 24.0 Acima de 25.1 Acima de 26.8 FEM Abaixo de 14.60 0.7 FEM Abaixo de 15.7 15.7 – 22.5 Abaixo de 16 anos MASC 18.6 Abaixo de 13 anos MASC 16.Idade Sexo Baixo peso Normal Abaixo de 10 anos MAS 15.082 40.7 Acima de 24.4 FEM Abaixo de 17.2 27.4 – 24.4 – 24.78 Meninas 25 14 – 15 anos X DP 1.11 4.8 – 19.

061 73.88 32 16 – 17 anos X DP 1.74 0.07 39.27 2.Gráfico 1 – Análise comparativa: 80% 60% Meninas 10 13 anos 40% 20% Meninas 14 15 anos O be so Ba ixo pe so No rm al So br ep es o 0% Meninas 16 17 anos Na tabela 2.6 3. Meninos 10 13 anos Meninos 14 15 anos O be so Ba ixo pe so No rm al So br ep es o 100% 80% 60% 40% 20% 0% Meninos 16 17 anos Fonte: OMS (Organização Mundial da Saúde) O baixo índice de obesidade e sobre peso constatado através dos dados acima contribui para a qualidade de vida dos escolares.32 Meninos 21 14 – 15 anos X DP 1.05 8. verifica-se que tanto a altura quanto o peso dos meninos se acentua dos 14 para os 17 anos e no gráfico2. de análise comparativa.64 2.79 21.30 9.88 10.95 Gráfico 2 – Análise comparativa.06 61.26 19. Tabela 2 – Resultado do IMC dos meninos Nº de sujeitos Idade Altura Peso IMC 21 10 – 13 anos X DP 1.87 23.71 0. constata-se que em todas as faixas etárias do estudo prevalece o peso normal. visto que o excesso de peso .41 0.

4. no total de 66 meninas apenas 11 carregam peso acima do normal que não deve ultrapassar 10% do peso corporal.2.9 kg 10 . Por isso.5 0.6.9 kg Idade 3 . 4 e 5.9 quilos.15 anos 5 .1 0 24% 24% Peso da 1 .4.2 0.4 0.9 mochila kg Idade 3 .6.9 kg peso 5 . Gráfico 3 – Percentual do peso da Mochila das meninas peso 66% 0. é importante manter-se dentro dos limites normais de variação de peso e gordura corporal.6 0.2. as demais carregam peso permitido ou abaixo.9 kg peso .4 0.6 0.corporal aumenta o esforço sobre muitas das articulações do corpo e também pode dificultar a manutenção da postura adequada com implicações desfavoráveis nas demais partes do corpo.2 0 20% 14% Peso da mochila 1 .3 0.9 kg 14 . Os gráficos 3.13 anos Gráfico 4 – Percentual do peso da mochila das meninas peso 52% 0. Em todos eles o peso com a porcentagem maior é o de 3 a 4. correspondem a porcentagem do peso que as meninas carregam na mochila escolar.8 0.

2. 7 e 8 correspondem a porcentagem do peso que os meninos carregam na mochila escolar.6.9 kg 10 .9 mochila kg Idade 3 .4.13 anos 5 . no total de 74 meninos apenas 12 carregam peso acima do normal que não deve ultrapassar 10% do peso corporal.17 anos Os gráficos 6.4 0.2 0 58% 23% 19% Peso da 1 .8 0.6.9 kg peso 5 . Gráfico 6 – Percentual do peso da mochila dos meninos peso 76% 0. Em todos eles o peso com a porcentagem maior é o de 3 a 4. os demais carregam peso permitido ou abaixo.4 0.9 kg 16 .6 0.9 quilos.8 0.Gráfico 5 – Percentual do peso da mochila das meninas peso 0.9 mochila kg Idade 3 .2 0 14% 10% Peso da 1 . o índice mais alto de porcentagem 76 % verificou-se na faixa etária de 10 a 13 anos.9 kg peso .6 0.4.2.

15 anos 16 .6 0.9 mochila kg Idade 22% 3 . O observador ficou situado a 3 metros de distância em alinhamento central.2 0.3 0.6. com 2 metros de altura e 0.6.2.9 kg peso 5 .4 0.Instrumento de Avaliação Postural.9 kg Idade 3 .9 kg 16 -17 anos Avaliação Postural Para a avaliação postural foi utilizado um simetrógrafo desenhado na parede da sala de jogos.2 0.17 anos .3 0. E o protocolo utilizado foi o do IAP.2.5 0.5 0.13 anos 14 .9 kg peso 5 .9 kg 14 -15 anos Gráfico 8 – Percentual do peso da mochila dos meninos peso 47% 0.4. Gráfico 9 – Resultado da avaliação postural das meninas 15 Hipercifose 10 Hiperlordose Escoliose 5 Normal 0 10 .4.1 0 24% Peso da mochila 24% 1 .Gráfico 7 – Percentual do peso da mochila dos meninos peso 52% 0. Os escolares ficaram em posição ortostástica. 90 cm de largura.4 0.1 0 31% Peso da 1 .

Gráfico 10 – Resultado da avaliação postural dos meninos 20 Hipercifose 15 Hiperlordose 10 Escoliose 5 Normal 0 10 -13 anos 14 -15 anos 16 -17 anos O gráfico 10 mostra que nos meninos avaliados os desvios da coluna vertebral que prevalecem são a escoliose e a hipercifose e são mais acentuados nos meninos com faixa etária de 14 a 17 anos. Ficha de avaliação postural .O gráfico 9 mostra que nas meninas avaliadas o desvio da coluna vertebral que prevalece é a escoliose que se acentua mais nas meninas de 14 e 15 anos.

Fonte: http://www.efedeportes.com/efd109/validacao-do-conteudo-do-instrumento-de-avaliacaopostural.htm .

com a sola dos pés tocando a caixa. a flexibilidade aumenta na infância até o princípio da adolescência e diminui ao longo da vida. O avaliado flexionava o tronco para frente procurando tocar à maior distância possível. neste ponto coincide o valor 23. sendo considerado o melhor valor alcançado os resultados foram avaliados da seguinte maneira: .Abaixo= valor abaixo de 23 cm Gráfico 11 – Resultado do Teste de Flexibilidade nas meninas 20 15 10 . sendo que para cada uma delas foi mantido o tempo por pelo menos 01 (um) segundo. realizando o movimento de modo lento e sem solavancos.Flexibilidade Segundo Abdallah Achour Júnior (1999).17 anos 5 0 Acima Abaixo Normal O resultado do teste de flexibilidade das meninas mostra que o nível acima é de 56%.15 anos 16 . abaixo 29% e normal 15%. os pés e joelhos completamente estendidos e com os pés encostados. O avaliador observou e assegurou que o avaliado não flexionasse os joelhos. Para avaliar a flexibilidade foi utilizado o teste de “sentar e alcançar” de Wells. Foram realizadas 03 (três) tentativas.Acima = valor acima de 23 cm . O avaliado estava descalço e assumiu uma posição sentada de frente para o aparelho. . Os braços ficaram estendidos sobre a superfície da caixa com as mãos colocadas uma sobre a outra (com os dedos coincidindo) e em contato com o marcador deslizante.13 anos 10 14 .Normal = 23 cm .

pois apesar do fato de uma boa postura ser fundamental para o crescimento e desenvolvimento sadio. fadiga muscular e dores nas costas. A pouca importância dada nesta questão deve-se. respeitando-se suas limitações anatômicas e fisiológicas.Gráfico 12 – Resultado do Teste de Flexibilidade nos meninos. impondo uma carga excessiva na coluna e causando má postura. O presente estudo mostrou que o peso carregado na mochila dos escolares contribui para que os escolares adquiram má postura mais a maneira como elas são carregadas é que aumenta a incidência de desvios posturais. Discussão Para Panosso (1999).15 anos 10 16 . 1997). As alterações posturais raramente são identificadas em seus estágios iniciais. ao motivo de que a maioria dos currículos dos cursos de Educação Física não oferece uma disciplina orientando futuros profissionais no sentido de capacitá-los para observar. salientando que o aumento do peso nas costas altera o eixo de gravidade. A coluna vertebral deve ser desenvolvida como uma unidade. Peso em excesso agrava os problemas na coluna (CONTI).13 anos 15 14 . tanto em casa quanto na escola. . abaixo 31% e normal 10%.é preciso equacionar o desenvolvimento da força de resistência e da flexibilidade à postura na realização das atividades diárias (ACHOUR. 25 20 10 . pouca atenção lhe é dada. conceituar e classificar essas alterações estruturais funcionais.17 anos 5 0 Acima Abaixo Normal O resultado do teste de flexibilidade dos meninos mostra que o nível acima é de 59%. Além disso. dentre outras.

5ª edição.E. Curitiba: Educa/Editer. D. CARNAVAL. Síndrome da dor lombar. A. Universidade Gama Filho.G. 1986. 2005. Validação do conteúdo do instrumento de avaliação postural – IAP. LK.. D. 3ª edição. L. O ensino da educação física: uma abordagem pedagógica. Curitiba. 2001. 1999.. 4ª edição.A. São Paulo: Editora Manole. São Paulo: Ibrasa. 1987. São Paulo: Editora Saraiva. A Influência do peso do material escolar sobre os desvios posturais em escolares de 09 a 17 anos na cidade de Porto Alegre. 1983.. 2ª edição. São Paulo: Editora Manole. P. Endireite as costas. KNOPLICH.M. de. CAILLIET. 4ª edição. Matéria do jornal O Estado do Paraná: Suplemento Estado + Saúde. Rio de Janeiro: Editora Sprint. LEHMKUHL. 2005. R... J. CONTI. HURTADO. José. KENDALL. 1995. Londrina: Editora Phorte. Bases para exercícios de alongamento.B.. J. A.Referências ACHOUR. Mochilas levam peso demais. . Cinesiologia clínica de Brunnstrom. F. desvios da coluna e exercícios de prevenção.. Porto Alegre: Artmed editora.G. SMITH.. LIPOSCKI.1994. Estatística fácil. CRESPO. Músculos provas e funções. A S. 8ª edição. Medidas e avaliação em ciências do esporte. GRACIOLI.P. D. 1991.

Proposta de uma ficha de avaliação postural direcionada a professores de educação física. Alterações posturais de alunos de 5ª e 6ª séries do ensino fundamental. http://www. Revisão bibliografia. 7(1):10-15.http://programapostural.com/efd109/validacao-do-conteudo-do-instrumento-deavaliacao-postural..F.Fitness and performance.. http://www. da S. MORAES.1986.1991. São Paulo: Editora Manole. Atuação do educador físico no ambiente escolar perante a postura da coluna vertebral de crianças e adolescente. N. P.Revista digital. SOAMES.SCARTONI. Editora Manole. . MAGEE.B. D. Rio Grande do Sul.br/artigos/gama_filho. V de C.Buenos Aires – Ano 12 nº 109 . Avaliação postural em escolares de 1ª a 4ª série de 1º grau. 1980. Anatomia e movimento humano: estrutura e função.html PALASTANGA.efedeportes.FIELD. 2002.htm Acesso em 23/09/2009. PANOSSO. ROSA.J. SEBASTIÃO. São Paulo. São Paulo: McGraw -Hill do Brasil.pdf Acesso em 14/09/2009 ____National Center for Health Statistic (NCHS).. 1998. Introdução ao estudo da ginástica escolar especial.R..net/tabela-peso-ideal-imc. journal. EUA.2008. nº 22. Volume 05. 3ª edição. 2002. D.N. 3ª edição.. MELLO. 2ª edição. L.R. . Anatomia fundamental.com.de. São Paulo: Manole. Avaliação músculo esquelética. 2007. Roberta Ricardo de. In Revista brasileira da ciência e do movimento. REGO. OMS – Organização Mundial da Saúde.copacabanarunners.

5ª edição. Programa da Educação postural: São Paulo: Phorte. São Paulo.ensino médio. Matemática . VERDERI. E. Editora Saraiva. Volume 2 – 2ª série. kátia Cristina Stocco.SMOLE. 2008. 2005.. .