Diabetes Mellitus Tipo 1

Introdução
DM1 : destruição das células beta do pâncreas. DM1 DM1A (devido à uma agressão auto-imune). DM1B (idiopática)

Etiopatogenia
Conceito DM1: doença crônica, onde uma interação entre fatores genéticos e ambientais levam a destruição quase total das células beta pancreáticas e uma preservação das células E (glucagon) e H(somastatina). H(somastatina). Se desenvolve mais freqüentemente em crianças e adolescentes, mas também pode acometer qualquer faixa etária.

Prevalência do DM no Brasil julho de 1986 a julho de 1988 - 30-69 30anos
Brasília Fortaleza Belem Salvador São Paulo 0 2 4 6 8 10 12

Etiopatogenese
Existem os fatores genéticos e os ambientais que podem desencadear o DM1.

Fatores Genéticos
na população geral é de 0,4%  O risco para indivíduos que já tenham antecedentes familiares aumenta muito, ainda mais se existirem dois casos na família (Ex:pais, irmãos,etc) Nestes casos o risco sobe para 30% 

O risco para o desenvolvimento do DM1

Fatores Genéticos 
Existem 15 locis situados em diferentes
cromossomos que são responsáveis pela suscetibilidade do DM1. Estes locis são denominados de IDDM1 a IDDM15.  Os maiores responsáveis pela predisposição do DM1 são os locis IDDM1 e IDDM2.

Fatores Genéticos
localizado no braço curto do cromossomo 6.  Foi o primeiro locus a ser descrito e é o mais estudado.  Pacientes que possuem antígenos de classe II HLA DR3 ou DR4 estão mais propensos a desenvolverem DM1. O DR4 tem caráter dominante enquanto o DR3 tem caráter recessivo. 

O IDDM1 é o locus do sistema HLA e está

Fatores Genéticos 
Pacientes que apresentam antígenos de
classe II HLA DR2 estão negativamente associados a desenvolverem o DM1. Essa negatividade é dominante pois o halótipo DQB1*0602 protege o organismo do DM, mesmo na presença de alelos do sistema HLA.

Fatores Genéticos
suscetibilidade do DM1.  Corresponde a porção 5 (fim) do gene da insulina (VNTR), e esta localizado no braço curto do cromossomo 11.  VNTR influencia na transcrição da insulina no timo, onde se produzem auto-antígenos e autodesencadeia uma auto-tolerância à insulina. auto- 

O IDDM2 tambem esta relacionado cm a

Fatores Ambientais 
Em gêmeos homozigóticos 50% dos

casos são concomitantes, o que mostra que existem fatores ambientais que interferem no surgimento do DM1.

Fatores Ambientais 
Infecções virais (Hipóteses)
Maior incidência DM1 no outono e uma distribuição equilibrada nos outros meses. DM1 logo após ou concomitantemente à infecções virais. Isolamento de vírus no pâncreas.

Fatores Ambientais 
Infecções virais (Mecanismos)
Infectam e destroem as células beta pancreáticas. Contribuem para acelerar o processo crônico contra as células beta pancreáticas, que já vinha evoluindo.

Fatores Ambientais 
Vírus associados com o desenvolvimento do
DM1 em humanos (atuam como desencadeadores do sistema auto-imune) autoVírus rubeola CMV ( citomegalovírus) Caxumba Epsteein-Baar EpsteeinCoxsackie B4 Coxsackie A

Fatores Ambientais
alimentares como o da proteína do leite de vaca e as nitrosaminas.  O leite de vaca quando introduzido precocemente em recémrecém-nascidos geram uma reação cruzada, pois a albumina sérica bovina contem uma sequencia de aa semelhante às células beta pancreáticas. Se o leite é introduzido quando ainda a barreira gástrica estiver imatura esta reação pode acontecer. Foi observada uma grande incidência na Finlândia e na Sardenha (Itália) 

Outros fatores ambientais são alguns grupos

Fatores Ambientais 
As nitrosaminas contem componentes
tóxicos para as células beta pancreáticas. Podem ser evitados com o uso de nicotinamida

Incidência do DM 11casos/100.000
Japão Cuba Kwait Israel França Polonia Alemanha Nova Zelândia Dinamarca Inglaterra EUA Noruega Escócia Suécia Canadá Finlândia

0

10

20

30

40

AutoAuto-imunidade 
Foi comprovado quando se encontrou um infiltrado
mononuclear em torno das ilhotas de Langerhans no pâncreas, em necrópsias.  Estão envolvidas tanto a resposta humoral quanto a celular.  Estas respostas imunes causam insulite, que é um infiltrado linfocitário na ilhotas, sendo a maioria destes linfócitos do tipo CD8 (citotóxico)  À medida que esta doença se torna crônica as células beta são destruídas completamente. Estas células possuem alvos específicos para receptores das células T, imunoglobulinas entre outros.

AutoAuto-imunidade 
Outra hipótese é que haja uma apoptose nas
células beta do pâncreas no período neonatal, o que levaria à exposição antigênica necessária para desencadear uma resposta auto-imune. auto É questionado se todos que iniciam um processo auto-imune o completem. auto O processo auto-imune ocorre gradualmente e automúltiplos fatores genéticos e ambientais podem ou não contribuir para a evolução do DM1.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful