Ano 1 | Nº 6 | Distribuição gratuita São Sebastião - 1 a 15 de julho de 2010

Obra da escola do Topo é alvo de ação judicial por suspeita de superfaturamento
Em nova licitação feita pela atual administração, custo da obra subiu mais de 150%. Ação popular denuncia prefeito por crime de improbidade administrativa
O JORNAL

A obra da nova escola da Topolândia é alvo de uma ação popular impetrada recentemente na Justiça, devido a fortes suspeitas de superfaturamento. Entre as solicitações estão a suspensão imediata da obra e dos pagamentos à empresa Luxor, bem como a denúncia de crime de improbidade administrativa dos envolvidos. A ação popular foi proposta pelo engenheiro Thales Carlini, que foi secretário de obras na gestão do ex-prefeito Juan Garcia. “Estou entrando com a ação popular, pois estava à frente da Secretaria de Obras, autora e responsável pelo projeto anterior, idêntico ao atual, mas agora com valores muito superiores. Queremos que a Justiça se manifeste sobre a lisura do processo e dos valores apresentados, pois os prejuízos aos cofres públicos podem ser grandes”. A obra idêntica, com a mesma área construída, foi licitada na administração anterior pelo valor de R$ 3.234.688,14 e chega agora a inexplicáveis R$ 7,7 milhões. Págs. 6 e 7

Câmara aprova Lei do Corredor Comercial, que beneficia apoiador de campanha de Ernane
A Câmara Municipal de São Sebastião aprovou, por maioria de votos, na última sessão antes do recesso parlamentar, o Projeto de Lei Complementar 02/10, de autoria do prefeito Ernane Primazzi (PSC), que estabelece o “Corredor Comercial Especial”, definido por uma faixa de terra, de cada lado das Avenidas Guarda Mor Lobo Viana, Manoel Hipólito do Rego e Manoel Teixeira, com 50 metros de largura. Um projeto com interesses pessoais: beneficiar um dos colaboradores de campanha do prefeito Ernane Primazzi, que é dono de um posto de gasolina embargado no Pontal da Cruz, e liberar a construção de mais um supermercado na cidade. Pág. 9

Cidade pode perder de uma só vez dois campos de futebol
O município de São Sebastião pode perder de uma só vez dois campos de futebol, um em Barra do Una, na Costa Sul, e outro no Porto Grande, região central. Na região sul, a comunidade está se mobilizando para evitar a perda do campo, fato motivado pela decisão da Prefeitura de São Sebastião de desistir da ação de desapropriação de sete lotes que estão na principal área de lazer da comunidade. Pág. 8

Ernane faz ‘tour’ com secretários e tenta mostrar ‘obras’

Pág. 5

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

EDITORIAL
Acabou o sonho. A seleção brasileira do técnico Dunga caiu diante da Holanda nas quartas de final da Copa do Mundo. Agora, as esperanças ficam para 2014 e olha que são muitas, desde quem será o novo técnico à renovação da equipe além do trabalho intenso para organizar a Copa em nosso país. Mas quais são as semelhanças entre futebol e política? São muitas e as diferenças também. Vamos fazer algumas comparações entre a seleção e a Prefeitura de São Sebastião. Vamos comparar o time do Dunga com o time do Ernane, o atual prefeito. Primeiramente, como chegaram aos seus respectivos cargos. Dunga foi indicado pelo presidente da CBF, Ricardo Teixeira, coube a ele a decisão de escolher quem dirigiria a seleção, alguém que não tinha qualquer experiência como treinador. Arriscou. Ernane foi eleito pelo povo, fez um amplo arco de alianças e prometeu muito, de dois hospitais à usina térmica de lixo e muitos, muitos empregos. O povo arriscou. Dunga terminou seu ciclo de quatro anos, Ernane está chegando à metade e fez quase nada do que prometeu. Ambos ocupam cargos que consideram desgastantes e reclamam de seus críticos. Algo extremamente comum nos cargos em que estão, guardadas a importância e as diferenças. Deveriam saber disso e mais – nenhum dos dois foi obrigado a ocupar o cargo. Dunga aceitou ser técnico da seleção e Ernane aceitou disputar a Prefeitura por que quis, ninguém o obrigou. Outra semelhança. Não conseguem assumir seus erros. Sempre procuram culpados e responsáveis, como se não os fossem. Dunga culpa a Imprensa, para variar. Ernane deposita na conta da administração passada e da oposição a inércia de sua administração, mesmo estando no cargo há mais de um ano e meio. Até o fato de não ter iniciado o tão prometido Hospital da Costa Sul ele tenta atribuir à oposição. Existem mais semelhanças. Dunga convocou uma seleção que deixou a população preocupada e não conseguiu trocar nomes porque há vários interesses envolvidos. Em São Sebastião, o time montado por Ernane também deixou a população preocupada e também não consegue mudar os nomes por causa dos muitos interesses e compromissos assumidos. E, é claro, o time de Dunga parou o país e o time do Ernane está parando a cidade. Ao final da era Dunga, mais uma semelhança com o prefeito. A seleção faz viagens para jogar amistosos com seleções de baixo nível. Já Ernane, recentemente, fez “um tour” com sua equipe de governo para tentar mostrar as obras que está fazendo no Município. O “tour”, como era de se esperar, não foi tão demorado e fica difícil de aceitar que assessores de primeiro e segundo escalões não saibam o que está sendo feito ou não no Município. O ciclo de Dunga terminou. O de Ernane está chegando à metade. Portanto, está na hora de o prefeito deixar os discursos de campanha de lado e começar a trabalhar para tentar cumprir todas as promessas que fez na campanha. Afinal, foram muitas e se não for rápido e eficiente, ao final do seu ciclo, terá de dar muitas desculpas e “achar” culpados para justificar a sua falta de ação e de resultados práticos.

OPINIÃO
RAFAEL MENDES*
Parabéns pela iniciativa da Associação de Vela de São Sebastião em relação à visita realizada recentemente ao projeto Grael. O relatório ficou muito bom e esperamos que todo esse material seja aproveitado pela nossa divisão competente. Vamos aguardar que a nossa administração dê andamento às respectivas ações e lembrar que se fez uma excelente mídia com essa matéria e o seu conteúdo deverá ser aproveitado para melhorias e acréscimos cursos profissionalizantes ligados à área náutica. Partindo para outra área esportiva, quando se iniciaram as plenárias esportivas, as comunidades de bairros de São Sebastião e os instrutores esportivos acreditaram que a Prefeitura e os membros da Secretaria de Esportes estavam resolvendo um grande impasse de atividades esportivas que não havia mais nesses bairros. Mas depois de várias faixas, conversas e muitas promessas, o que se vê é a letargia e a inércia das ações. A falta de respeito com as comunidades e com os instrutores que estão aguardando é de tamanha proporção que deveríamos nos mobilizar para um manifesto. Outro fato é a questão do esquecimento do nosso potencial canal de São Sebastião. Estive recentemente pesquisando o calendário da Federação de Vela do Estado de São Paulo e o que constato nenhum evento homologado em nosso município, de novo a inércia, a letargia e a falta de planejamento. Bom, para os situacionistas que reclamam que estão sempre sendo atacados por todos os lados vão aí alguns apontamentos sobre calendário: - Como a AVSS é uma parceira, ela deve participar da elaboração das datas e potenciais patrocinadores ou apoiadores do calendário; - Uma melhor sintonia entre o secretário de esportes, diretor de eventos e responsável pela divisão náutica; - Estudo das possibilidades de campeonatos brasileiros por meio de diálogos com os respectivos coordenadores de classe, isso com um tempo hábil para a preparação do evento; - Procurar articular com os capitães de flotilha o apoio necessário para as votações em assembleias nacionais de classe; - Cumprir o cronograma de ações de exigências mínimas para a realização dos eventos das classes pan=americanas e olímpicas; São questões básicas, porém necessárias para viabilizar um calendário de eventos de médio e grande porte. No entanto, não devemos esquecer os eventos de pequeno porte que preparam a mão-de-obra local e dão oportunidade de simulação para os nossos futuros velejadores, podendo inclusive trazer nossos vizinhos ilhabelenses para nossa excelente raia. Só para efeito de comparação, os nossos vizinhos farão mais de 10 eventos no segundo semestre! Quando me perguntam sobre responsáveis, na minha cabeça só tem um, o excelentíssimo Sr. Prefeito de São Sebastião, quem nomeou e confiou em toda a sua equipe, por isso tem a obrigação de acompanhar diretamente ou indiretamente fazendo valer seus secretários, diretores e chefes de divisão todas as ações ligadas ao desenvolvimento náutico, justamente para não ficar a ver navios como aconteceu com a Volvo Ocean Race. O esporte, tanto de base quanto de alto rendimento nos ensina muita coisa. Farei uma comparação entre a vela oceânica e a nossa prefeitura, o comando apurado de um barco é de grande importância para o ritmo do velejo, a sintonia entre capitão e tripulação deve estar em perfeita harmonia com as adversidades vivenciadas, no esporte quando não estamos preparados não assumimos a responsabilidade, pois nesse caso podemos colocar em risco vidas. Na política, infelizmente entram os incapazes, graças a Deus que temos os funcionários de carreira que salvam os prefeitos aventureiros. Nosso povo deve começar a buscar históricos de trabalhos políticos, trajetórias de vidas e comparativos de evolução profissional e administrativa. Toda essa reflexão é importante para não ficarmos lamentando, porém entendemos bem o imediatismo do povo, enganado pelas promessas de emprego e melhorias na saúde.

Dunga e Ernane e as suas semelhanças Procura-se um responsável

*Rafael Mendes é Professor de Educação Física e Velejador

CHARGE

EXPEDIENTE
O JORNAL é uma publicação da Imagem Assessoria de Comunicação e Eventos Ltda - ME Editor e Jornalista Responsável: Júlio Buzi (MTB 17.221) Colaboradores: Gleivison Gaspar, João Bombeiro, Marquinho Souza Impressão: Atlântica Gráfica e Editora Ltda. Tiragem: 5 mil exemplares Distribuição: São Sebastião, Ilhabela, Caraguatatuba e Ubatuba Redação: ojornal.redacao@gmail.com Publicidade: imagem-assessoria@uol.com.br

Enquanto isso na Terra do Nunca...

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

Comunidade protesta contra administração do prefeito Ernane
A grande quantidade de promessas não cumpridas especialmente à comunidade da Topolândia, Itatinga e Olaria, tem gerado protestos
A atual administração tem sido alvo de cobranças e protestos dos mais variados tipos. As mais recentes foram duas pichações na região da Topolândia, uma delas na Praça da Bíblia, em que são citados prefeito Ernane Primazzi, o seu filho, o vereador Ernaninho e o seu locutor de campanha Jerson. O morador J.L.S, que não quis se identificar por medo de represálias, afirmou que a “população tem de cobrá-los sim. Prometeram muita coisa e não cumpriram nada. Estes aí estiveram na minha casa na campanha e disseram que me arrumariam um emprego, agora nem olham na minha cara”. A dona de casa S.R.M. disse que nunca viu a região tão parada. “Esta administração não está fazendo nada. E pior, sequer fazem manutenção do que já existia. Hoje meus filhos mal conseguem brincar no parquinho da área de lazer”, desabafou a moradora. O auxiliar de enfermagem L.S.M. se disse indignado com a situação. “O pior é que votei no atual prefeito. Mas onde está o dinheiro da nossa cidade?”, indagou. O prefeito fez várias promessas à comunidade, a maioria durante a campanha, mas não consegue atendê-las, como a construção de ciclovia, melhorias nas áreas de lazer, terminal de ônibus no Itatinga, construção de dois hospitais e ainda tenta explicar os fortes indícios de superfaturamento de 150% na escola da Topolândia. O JORNAL não concorda com pichações de bens públicos, mas entende a revolta da população, também repudia e discorda de forma veemente o estado de abandono e a falta de manutenção dos equipamentos públicos.
FOTOS: DIVULGAÇÃO

Com orçamento comprometido, Prefeitura corta horas extras de servidores
Servidores da Prefeitura de São Sebastião, que preferiram não se identificar por medo de retaliação, procuraram a reportagem de O JORNAL para relatar o anúncio de corte de horas extras no funcionalismo público. Conforme informaram, a medida vem sendo repassada em todos os setores da administração municipal, sob a alegação de “necessidade de redução de despesas”. O governo já teria ultrapassado o limite de gastos, de maneira que hoje existe dificuldade no pagamento dos servidores. Contudo, para os funcionários municipais que procuraram a reportagem, a economia poderia ocorrer de outra maneira em vez de sacrificar o funcionalismo podiam reduzir os gastos com publicidade. Com o orçamento de 2010 comprometido, a Prefeitura tem encontrado dificuldade para honrar seus compromissos. Até mesmo obras previstas e anunciadas não estão sendo realizadas.

Perseguição

Servidores de carreira também têm alertado para perseguição política por parte de comissionados. Alguns já foram transferidos de setor sem qualquer justificativa, inclusive para regiões distantes de suas residências. “Isso porque o atual prefeito dizia que no seu governo não haveria perseguição, imagina se houvesse”, afirmou um servidor.

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

Comunidade de Barra do Una se une para não perder campo de futebol
Diretores do Barra do Una F.C. e da Sociedade Amigos se reúnem para buscar solução contra decisão da Prefeitura de desistir de desapropriação
A comunidade de Barra do Una está se mobilizando para evitar a perda do campo de futebol, fato motivado pela decisão da Prefeitura de São Sebastião de desistir da ação de desapropriação de sete lotes que estão na principal área de lazer da comunidade. A falta de dinheiro da Prefeitura é o provável motivo para a desistência no processo. Na última semana, diretores da SABU (Sociedade Amigos de Barra do Una) e do Barra do Una F.C. reuniram-se com o ex-prefeito Juan Garcia, que tinha assinado o decreto de desapropriação, que garantia a existência do campo. A reunião foi proposta a partir de declarações de membros da atual administração de que a desapropriação não se efetivaria pelo fato de o então prefeito Dr. Juan não ter pago os valores. O presidente do clube, Belmiro dos Santos Rodrigues, ressaltou a importância da área de lazer, exisO JORNAL

tente desde 1947, citando que hoje ocorre um jogo de empurra. O exprefeito informou todas as fases que ocorrem em uma desapropriação. “A Prefeitura emite o decreto de desapropriação e então tem início um processo em que há uma peritagem que vai definir o valor a ser pago. Chegou-se ao valor de R$ 1,3 milhão, onde na época recorremos e o valor foi mantido. O pagamento tem de ser feito agora, no

término do processo”. Dr. Juan afirmou ainda que é mentira se dizem que vão perder o campo porque ele não teria pago. “Quando a ação termina é que se faz o pagamento. Na verdade, a administração atual desistiu da ação de desapropriação”, afirmou, apresentando o ofício encaminhado ao juiz pelo procurador da Prefeitura em que se desistia do processo. O presidente do Barra do Una

disse que recebeu a informação de que a Prefeitura desistiu da ação porque não teria dinheiro. O fato foi confirmado pelo diretor da regional de Juqueí, Jorge Paulo, mas que alegou que a Prefeitura retomaria o processo de desapropriação. O presidente da SABU, Raoul Cardinalli Júnior, afirmou que o incomodam muito as justificativas da falta de dinheiro, “pois nós pagamos nossos impostos em dia”. Dr. Juan confirmou que os números realmente mostram que a Prefeitura está sem dinheiro, apesar do recorde de arrecadação registrado nos quatro primeiros meses do ano. Os presentes agradeceram a participação do ex-prefeito, que deixou os documentos que comprovam as suas informações. Agora, a diretoria das duas entidades vai cobrar uma ação da Prefeitura no sentido de que Barra do Una não perca seu campo de futebol.

Porto Grande pode ficar sem campo de futebol com decisão de Ernane em entregar área ao Estado
A comunidade do bairro Porto Grande, região central de São Sebastião, pode ficar sem seu campo de futebol por conta de uma decisão do prefeito Ernane Primazzi em repassar a área para o Governo do Estado. Na semana passada, a Prefeitura de São Sebastião anunciou que irá “devolver à Fatec/Etec a área que foi separada do prédio da antiga Escola Estadual Maysa Teodoro da Silva (ex-Cene)”. A atual administração alega que a área que corresponde ao campo de futebol do estabelecimento de ensino foi irregularmente desmembrada no governo anterior quando da celebração do convênio que trouxe a Etec. Contudo, a alegação não procede. Somente o prédio do antigo Cene estava incluído na parceria que culminou com a vinda da Fatec/Etec. Isso porque, atendendo a reivindicação da própria comunidade, principalmente, os atletas que utilizam o campo de futebol, o então prefeito Dr. Juan Garcia não abriu mão da área. Já havia inclusive projeto de construção de uma área de lazer para o bairro, incluindo nova quadra, pista de skate e revitalização do campo de futebol. Sob a alegação de falta de verba, o governo Ernane Primazzi desistiu do projeto e preferiu passar a área ao Estado. Agora, esportistas e moradores correm o risco de perder o campo que existe no bairro desde a década de 70. “É um absurdo isso que pode ocorrer. Jogamos neste campo desde criança e é um lugar querido pelos

O JORNAL

Campo de futebol que pode deixar de existir no bairro Porto Grande; ao fundo, o prédio da Etec (antigo Cene)

esportistas. Ao invés de melhorarem a área de lazer, simplesmente querem acabar com o que existe”, disse Adriano Cezar, 25 anos. “Parece alguém que ganha uma Ferrari num concurso e recusa o carro porque não tem garagem.

Voltamos à estaca zero. É inacreditável”, desabafa a moradora Maria Adelaide Costa de Paula, 45 anos. Conforme o press release divulgado pela Prefeitura o prefeito Ernane considerou “absolutamente justo” repassar a área ao Estado.

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

Ernane tenta mostrar existência de obras no Município
Prefeito faz tour com equipe de governo e apenas quatro vereadores participam
FOTOS: DIVULGAÇÃO

O prefeito Ernane Primazzi reuniu, no último dia 1 de julho, sua equipe de governo e quatro dos 10 vereadores da Câmara Municipal para fazer um “tour” pelas obras do Município. A visita ocorreu após a divulgação na última edição de O JORNAL de que algumas poucas obras foram iniciadas do “pacotão” de R$ 35 milhões anunciado pelo prefeito há mais de um ano. Participaram do “tour” secretários, diretores, assessores e apenas quatro dos 10 vereadores, sendo que dois deles – Marcos Tenório e Coringa – desistiram da visita, respectivamente, na Enseada e no Centro. Foram até o fim apenas os vereadores Ernaninho, filho do

prefeito, e Paulo Henrique Santana. A Imprensa foi proibida de acompanhar a visita. Mesmo assim, O JORNAL registrou flagrantes da visita à Escola da Enseada e às obras da Escola da Topolândia. A comitiva saiu de frente à Prefeitura por volta das 9 horas, dirigindose ao Bairro de São Francisco e Costa Norte. Na sequência, ocorreu a visita às obras da Escola do Topo, que está sendo investigada por denúncia de superfaturamento. Ali, o grupo permaneceu por quatro minutos, das 11h12 às 11h16, seguindo para a Costa Sul. No transporte da comitiva foram utilizados também microônibus da Ecopav, empresa que possui vários contratos com a Prefeitura de São Sebastião.

Candidatos questionam concurso de agente de monitoramento
10% das questões foram anuladas e vários parentes de ocupantes de cargos de confiança estão entre os 20 primeiros colocados
O JORNAL foi procurado por diversos candidatos que fizeram o concurso para Agente de Monitoramento da Prefeitura de São Sebastião. Foram apresentadas diversas reclamações e supostas irregularidades, colocando em dúvida a classificação e qualidade do concurso, organizado pela Meritum Concursos. Um dos principais questionamentos diz respeito à anulação de quatro das 40 questões. “A anulação de 10% das questões altera o resultado do concurso. A empresa demonstrou não ter capacidade técnica para realizá-lo”, declarou um candidato. Além da prova em si, muitos candidatos estão questionando o fato de entre os 20 primeiros colocados estarem filho de secretário e outros parentes de apoiadores políticos e de ocupantes de cargos de confiança da atual administração, além de pessoas que já têm cargo. “È no mínimo suspeito”, afirmou um dos participantes. Uma candidata do concurso encaminhou cópia da prova, apontando que em duas questões, as de números 23 e 30, havia duas respostas iguais. Além disso, ela cita que a questão 10 foi copiada da internet. Outra suposta irregularidade apontada está na questão 35, em que uma das alternativas estava em negrito, justamente a correta. “A empresa deixou a desejar para os sebastianenses que tentavam uma vaga. Nas Faculdades São Sebastião a prova se iniciou com 30 minutos de atraso. Não dá pra acreditar que esta empresa seja idônea”, disse a candidata. Outro participante citou que ocorreu algo incomum em concursos, “normalmente, quando ficam apenas três candidatos, todos são liberados somente quando o último termina a prova.

Mas isso não aconteceu, o que é muito estranho”. Por medo de perseguição, os candidatos ouvidos pela reportagem não quiseram se identificar.

O JORNAL entrou em contato com a Meritum Concurso e não obteve qualquer esclarecimento a respeito do Concurso Público realizado em São Sebastião.

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

Ação popular pede paralisação de obras da Escola por suspeita de superfaturamento
Com a mesma área construída, obra subiu mais de 150% em nova licitação feita pela atual administração. Ação denuncia prefeito por crime de improbidade administrativa
O JORNAL

As obras da nova Escola do Bairro da Topolândia são alvo de uma ação popular impetrada recentemente na Justiça, devido a fortes suspeitas de superfaturamento. Entre as solicitações, estão a suspensão imediata das obras e dos pagamentos à empresa Luxor bem como a denúncia de crime de improbidade administrativa dos envolvidos. A ação popular foi proposta pelo engenheiro Thales Carlini, que foi secretário de obras na gestão do ex-prefeito Juan Garcia. “Estou entrando com a ação popular, pois estava à frente da Secreta-

ria de Obras, autora e responsável pelo projeto anterior, idêntico ao atual, mas agora com valores muito superiores. Queremos que a Justiça se manifeste sobre a lisura do processo e dos valores apresentados, pois os prejuízos aos cofres públicos podem ser grandes”. Além da suspensão da obra e dos pagamentos, é solicitada ao Ministério Público a investigação de prática de crime de improbidade administrativa por parte de membros da atual administração, entre eles, o prefeito Ernane Primazzi, o secretário de Admi-

nistração, Urandy Rocha Leite; a secretária de Educação, Ângela Couto; o secretário de Obras, Pérsio Mendes; o secretário de Habitação e Planejamento, Roberto Alves dos Santos, todos os integrantes da comissão de Licitação e a empresa Luxor Engenharia. A obra idêntica, com a mesma área construída, foi licitada na administração anterior pelo valor de R$ 3.234.688,14. Vale ressaltar que a licitação e contrato foram considerados regulares pelo Tribunal de Contas do Estado. Mas, em \janeiro de 2009, o pre-

feito Ernane Primazzi cancelou co contrato e fez nova licitação, em agosto do mesmo ano. A empresa vencedora foi a Luxor Engenharia, que apresentou proposta de R$ 7.749,619,01, valor 150% maior do que a licitação cancelada. Causa estranheza que esta mesma empresa tenha participado da licitação feita em 2008, apresentando proposta de R$ 3.831.539,34, portanto, bem inferior ao apresentado na atual licitação. Além disso, a Luxor venceu outras concorrências na área de Educação, com vários contratos que somam mais de R$ 30 milhões.

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

Valores

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Na ação popular, são apresentados diversos números que apontam superfaturamento da obra. Os valores orçados pela Prefeitura de São Sebastião são muito superiores aos índices oficiais de preços, entre eles, o FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), órgão oficial ligado à Secretaria da Educação do Estado, que regula o custo da construção de prédios escolares. O valor do metro quadrado pelo FDE, acrescentando o percentual de 35% referente a encargos, atingiria R$ 1.271,23, ou seja, a obra deveria ser orçada no máximo em R$ 4.108.615,36, muito inferior ao valor orçado pela Prefeitura. Curiosamente, em junho de 2009, a Secretaria de Obras da Prefeitura de São Sebastião, havia elaborado planilha orçamentária para a construção da Escola Municipal da Topolândia no valor estimado de R$ 4.283.925,41, novamente um valor inferior ao previsto e publicado na Concorrência Pública n. 003/09. Outra demonstração de superfaturamento apontada na ação popular é o valor orçado para limpeza do terreno que é de R$ 43.217,71, sendo que na tabela FDE o valor máximo é de R$ 16.387,49. Outro item é a movimentação de terras, que chega a um valor de R$ 535.872,86, com mais de 8.400 m³ de aterro. O detalhe é que o terreno já havia sido aterrado anteriormente, conforme fotos anexadas à denúncia.

TCe Considera
ConTraTo ilegal

Por outro lado, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) já está analisando a concorrência e o contrato para as obras da Escola Municipal da Topolândia. A manifestação do TCE foi pela irregularidade da licitação e do contrato firmado pela Prefeitura com a empresa Luxor, “com proposta de aplicação de penalidade por desatendimento às instruções vigentes”.

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

Prefeitura retira grama do Estádio Municipal e coloca em área particular
FOTOS: O JORNAL

OPINIÃO

INVASÃO DE MSN
O RACKER
Marinho diz: - Rapaz, tô fechando o jornal de novo. Preciso de umas fotos de obras de São Sebastião. Manda pra mim algumas. J. Larápio diz: - PÔ, você pede cada coisa difícil, cara. Marinho diz: - Manda da Rua da Praia. J. Larápio diz: - Não dá. Tá sem o parquinho, tá cheia de mato, lâmpada quebrada, sem grade nos canteiros, é um abandono só... Marinho diz: - Que sacanagem! A Rua da praia era a coisa mais linda, um cartão postal. Então manda da praia do Arrastão. J. Larápio diz: - Não dá. Tá sem o deck. Marinho diz: - Vocês estão de brincadeira??? Manda uma da pista de Skate. J. Larápio diz: - Não dá. Tá toda pichada. Tem umas partes detonadas. NEM VOU FALAR DA ILUMINAÇÃO!!! Marinho diz: - Puxa! Manda do Espaço de lazer lá do Itatinga, o campo, os brinquedos, as quadras. O CAE do Pontal da Cruz, o CAE da Vila Amélia, o CAE de Barra do Una. J. Larápio diz: - Obras do outro prefeito? VC tá louco??? Não pode. Mas a gente tá pintando tudo pro povo esquecer dele. Marinho diz: - Na boa, não sei o que pensar. Vocês fazem isso de propósito? Só porque são obras do prefeito anterior? Vou fechar o jornal e não vou pôr fotos de São Sebastião. Já sei, manda das crianças com os uniformes verdinhos. J. Larápio diz: - Hiiiiiiiiiii... A gente só fez uma pressãozinha. Não tem uniforme não. Tinha o do peixinho, mas já demos sumiço nele. Marinho diz: - Uma hora vcs vão se entender com a justiça! Já sei: manda as fotos das casas que seu prefeito prometeu na campanha. J. Larápio diz: - shushusshuashuashua que casas ? Não tem nenhuma. Vou fotografar o quê? Marinho diz: - Caramba, Larápio! Então tira uma foto aérea da Rua da Praia, mostra o movimento, o astral da cidade. O que acha? J. Larápio diz: - Vai ter gente lá, só se eu combinar com os quase seiscentos cargos de confiança pra fazer figuração. Num vai dá. Marinho diz: - Eu não acredito! Vocês estão destruindo a cidade??? Já tem o alicerce dos dois hospitais pelo menos? Manda isso. J. Larápio diz: - Você tá zoando com a minha cara??? Que hospitais? Nosso prefeito aos poucos vai dando um jeito de dizer que não foi ele que prometeu isso. Opa, tive uma ideia: vou fotografar os 26 médicos prometidos para o dia primeiro de janeiro de 2009!!! Marinho diz: - FINALMENTE!!! Agora vc mandou bem. Eles já estão trabalhando? J. Larápio diz: - Não. Não veio médico nenhum não. Eu vou alugar uns jalecos brancos, uns estetoscópios e fantasiar uns amigos que estão vindo de Bauru. Tem que improvisar, rapaz. Marinho diz: - Mas isso não é mentir pra população? J. Larápio diz: - E vc acha que a gente além de pintar, fez o que até agora?

A Prefeitura de São Sebastião está retirando grama do Estádio Municipal Otoniel Santos e colocando em área particular no Bairro Reserva Du Moulin, onde mora o prefeito Ernane Primazzi. A grama está sendo retirada de uma área atrás de um dos gols do Estádio Municipal, que era usada para treinamento de atletas, evitando, com isso, o desgaste do gramado do campo de futebol. O material está sendo levado para “uma praça” que está sendo feita no loteamento Reserva Du Moulin, ocupando uma área pública e três terrenos particulares.

O local, inclusive a área particular, além da grama, já recebeu melhorias como guia, sarjeta, terraplanagem e aterro da Prefeitura, sendo que seus proprietários têm vários imóveis alugados para a Prefeitura. Enquanto isso, para o Estádio Municipal ficaram os buracos e o estado de abandono, com o matagal que se verifica nas fotos. Alguns esportistas ouvidos pela reportagem informaram que a área que foi destruída era importante, pois era utilizada para aquecimento e para pequenos treinamentos, visando preservar o gramado do campo de futebol.

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

CORREDOR COMERCIAL ESPECIAL

Vereadores aprovam lei que beneficia apoiador de campanha de Ernane
Mudança na lei de zoneamento tem o objetivo de liberar posto de gasolina no Pontal da Cruz e novo supermercado
A Câmara Municipal de São Sebastião aprovou, por maioria de votos, na última sessão antes do recesso parlamentar, o Projeto de Lei Complementar 02/10, de autoria do prefeito Ernane Primazzi (PSC), que estabelece o “Corredor Comercial Especial”, definido por uma faixa de terra, de cada lado das Avenidas Guarda Mor Lobo Viana, Manoel Hipólito do Rego e Manoel Teixeira, com 50 metros de largura. Um projeto com endereços certos: beneficiar um dos apoiadores de campanha do prefeito Ernane Primazzi, o qual é dono de um posto de gasolina embargado no Pontal da Cruz, e liberar a construção de mais um supermercado na cidade. Somente o vereador Amilton Pacheco (PSB) votou contra o projeto de lei. Para ele, o município não tem estrutura para comportar mais estabelecimentos. “Não tem estacionamento e no Pontal da Cruz, bairro próximo, não tem esgoto. O meu voto contra pode não resolver nada, mas ainda pretendo apresentar um requerimento”, disse Amilton na sessão que culminou com a aprovação do projeto. Na segunda edição de O JORNAL, publicada no mês de maio, a reportagem mostrou a proposta do “Corredor Comercial Especial”. Com pouca divulgação e sem publicação de edital, foi realizada uma audiência pública em plena quarta-feira à tarde, como forma de minar a participação popular e de todos os interessados no assunto. O detalhe que mais chamou a atenção foi de que o encontro havia sido marcado pela Câmara, e não pela Prefeitura, autora do projeto. O posto de gasolina citado, embargado pela Justiça, é de propriedade de um dos colaboradores de campanha do atual prefeito. Já o supermercado pertence a um grupo que apóia o presidente da Câmara, Luiz Santana Barroso, o Coringa (DEM). A reportagem de maio lembrou ainda que foi Coringa que tentou em 2005 aprovar projeto semelhante, porém foi barrado pela Justiça, após ação movida pela Federação Facenorte, que representa as associações de bairro do Centro-Norte, impedindo a aplicação da lei. Em recentes entrevistas, o prefeito de São Sebastião disse que qualquer alteração na lei de zoneamento seria feita somente
O JORNAL

“O que tem já está falido”, alerta presidente da Facenorte, que pode ir à Justiça
No mês de maio, a própria presidente da Facenorte, Rosely Santaela, já havia alertado sobre a nova tentativa. “É abrir a porteira para a boiada. É um corredor inexplicável. Incentivar o comércio? O que tem já tá falido”, declarou Rosely. Para ela, falta planejamento. “No Centro, por exemplo, onde há presença forte do comércio, não tem lugar para parar o automóvel. Agora, quer expandir o comércio para lugares residenciais, onde não há espaço. Se for para beneficiar comércio irregular, vou para a Justiça”. A presidente da associação sugere que a expansão do comércio seja feita em bairros onde moradores dependam do Centro. “Enseada e Canto do Mar não têm sequer banco, a população depende diretamente do Centro. Por que não amplia o comércio nesses locais, onde há espaço?”, concluiu.

na revisão do Plano Diretor da cidade, o que não ocorreu. Em defesa do projeto, o presidente da Câmara, disse que “a cidade vai ganhar e muito com a criação do corredor comercial. Hoje temos filhos que cuidam do comércio dos seus pais e merecem a legalização dos seus comércios. Qualquer geração de emprego é bem vinda”. Em mensagem anexa ao projeto, o prefeito Ernane foi ‘filosófico’ ao pedir regime de urgência na tramitação e usou como argumento de defesa a afirmação de que “o planejamento urbano é um processo dinâmico, e aberto que deve ser continuamente reavaliado e readequado às novas realidades que surgem”. Conforme o projeto ficam permitidas no referido corredor as seguintes atividades: Residências

Uni-familiares e multi-familiares. Consta ainda que, após aprovação prévia do Serviço do Patrimônio da União – SPU e respeitada à legislação municipal pertinente, também serão permitidos no corredor comercial: lavanderias, tinturarias, barbeiros, salões de beleza, atividade econômica do lar, oficinas para reparação de pequenos aparelhos (exceto aquelas relacionadas com veículos automotores e outros similares), escritórios em geral, bancos, igrejas, comércios de diversões, hotéis, pousadas, bares, restaurantes e lanchonetes, além de postos de abastecimentos e lavagem de veículos, estacionamentos, quitandas, empórios, farmácias, açougues, peixarias, padarias, conjunto de lojas, comércio varejista em geral, supermercados e shoppings.

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

REGIÃO

Ilhabela espera mais de 250 barcos na Semana de Vela
A Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação – Diretoria Náutica, já divulgou o Aviso de Regata da Semana Internacional de Vela de Monotipos de Ilhabela 2010, que este ano será realizada entre os dias 14 e 17 de julho de 2010. A expectativa é receber cerca de 250 barcos. Para o evento estão convidadas as classes Star, Laser – Standard e Radial Feminino, 470, Finn, Ligthining, Snipe, Hobie Cat 16, Optimist, Laser - 4.7, Radial Masculino, 420, Byte, Oday 12, Fórmula Experience, Fórmula Windsurf, Kite Surf, Tornado, Nacra 20, Dingue, A Cat, Hobie Cat 14, Holder e Escaler. Além disso, o evento será válido também para o Campeonato Paulista da classe Hobie Cat 16, Campeonato Brasileiro da Classe Tornado e Campeonato Brasileiro da classe Holder. De acordo com o Aviso de Regata, os barcos e competidores elegíveis poderão se inscrever preenchendo o formulário de inscrição, devendo enviá-lo pelo email nautica@ilhabela.sp.gov.br ou pelo fax (12) 3896-6737 ou entregando pessoalmente no local até às 11h do primeiro dia do evento. Haverá premiação especial para projetos sociais de vela.

“Quadrilha Roller” encerra semestre de Projeto de Patinação
DIVULGAÇÃO

Vela oCeâniCa

De 17 a 24 de julho será realizada a 37ª Rolex Ilhabela Sailing Week – Semana Internacional de Vela Oceânica de Ilhabela. O evento é promovido pelo Yacht Clube de Ilhabela, em parceria com a Prefeitura. Além das regatas, o público poderá conferir mais uma edição do Espaço Veja SP, com shows, exposições, cinema, entre outras atrações, na Vila. A expectativa é a Semana de Vela de Ilhabela injete cerca de R$ 5 milhões na economia local.

O projeto de patinação voluntária “Rodas em Ação” realizou sua atividade de encerramento do semestre no último dia 29 de junho, no CAE do Pontal da Cruz. Ocorreram apresentações da “Quadrilha Roller” e também solos de patinação artística. O “Rodas em Ação” é desenvolvido de forma voluntária, desde abril de 2007, com aulas ministradas pela professora Sandra Emília Melocchi, que divide a coordenação com Ivan Luiz Mazara. Atualmente, o projeto atende cerca de 45 alunos por semestre, entre crianças e adultos. “O nosso objetivo é ensinar a patinação de

lazer de forma segura, buscando o bem-estar físico e mental. Além do lazer, procuramos desenvolver nos alunos o interesse pela patinação artística. As duas modalidades caminham juntas”, afirmou Sandra. Ela acrescentou que para os adultos há um tratamento diferenciado, com aulas praticamente individuais, de acordo com a idade e disponibilidade das pessoas. As aulas gratuitas ocorrem às terças e quintas-feiras, das 18 horas às 20h30, no CAE do Pontal da Cruz, onde devem ser feitas as inscrições para crianças a partir de 7 anos. Os equipamentos são disponibilizados aos interessados.

Campeonato de Capoeira em Maresias
DIVULGAÇÃO

O grupo Mandinga, do bairro de Maresias, promoveu no final de junho o 2º Campeonato de Capoeira Infanto-Juvenil, sob o comando do professor Gustavo de Souza Leite, o Simba. O evento contou com a presença do Mestre Maurão (Grupo de Capoeira Mandinga-SP), Mestre Rã ( Jundiaí), Professores Pavão e Idalina(SP),

instrutor Juruna( Jundiaí) e formandos Curisco(SP) e Rafael (Maeco de Maresias).Também estiveram presentes alunos de São Paulo, Jundiaí, e Vila Sahy (grupo Raízes Negras). Na foto, as vencedoras da categoria de 9 a 12 anos. Da esquerda para a direita, Erica (3º lugar), Mestre Rã, Laura (2º lugar), Milene (1º lugar) e Mestre Maurão.

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

ARRELÁ
Tour do ernane 1
Nosso alcaide levou secretários, diretores e poucos vereadores para fazer um Tour pelas obras da administração ao longo do Município, fato que causou grande surpresa aos nossos munícipes, não pelo tour em si, mas sim pela pergunta: “Em que obras eles vão passar?”. Apesar de parecer estranho, talvez tenha sido uma ótima para alguns conhecerem o Município e de integração do pessoal, tipo “meu nome é fulano, vim de tal lugar e sou secretário de...” Dizem que determinados secretários ficaram boquiabertos ao visitar nossa cidade, não imaginavam que São Sebastião fosse tão grande, alguns até reclamaram que o passeio deveria ocorrer em dois dias, afinal de contas visitar tantas e tão grandiosas obras cansa... “mas na verdade é gratificante ver o fruto de nosso trabalho”, disse um deles. Nós da imprensa, vetados no passeio esperamos que no mínimo quando da inauguração de tão importantes obras, sejamos aí sim convidados. Ficaremos no aguardo.

regime de urgênCia i

Já esta se tornando rotina o ingresso na Câmara de projetos de lei de autoria do executivo sebastianense em regime de urgência, a tal ponto que a pauta é sempre uma grande cartola de mágico, nunca se sabe o que vamos ter na sessão. O fato é que tal prática ocorreu mais uma vez na ultima sessão antes do recesso parlamentar, com nada menos que cinco projetos em regime de urgência. Isso que é planejamento!

blog http://digite.blogspot.com/, de responsabilidade do munícipe Vitório Papini:

Troféu aBoBrinha Verde e amarela

apresentação artística de grande expressão. O que houve com o superávit e o recorde de arrecadação do primeiro quadrimestre? Onde está o dinheiro? Como diria Cid Moreira “Mistério.....”

Bye Bye hosPiTais

Tour do ernane 2

regime de urgênCia ii

Tour do ernane 3

Algumas questões, no mínimo curiosas, precisam ser levantadas. Primeiramente, a decisão de proibir a presença da Imprensa, talvez porque seja estranho levar assessores para conhecer o que já deveriam conhecer. Estranha a baixa participação dos vereadores – apenas quatro dos 10 – e, mesmo assim, o líder do prefeito na Câmara, Marcos Tenório e o presidente da Câmara, o Coringa, não foram até o final do tour. E, por fim, a utilização de ônibus da Ecopav- a mesma empresa responsável pela coleta de lixo e por obras no Município. Não é estranho?

Um dos projetos que saiu rapidamente da cartola foi o da criação do novo e não menos famoso corredor comercial de São Sebastião, que muda o zoneamento ao longo de nossa única Avenida, do Topo a Cigarras. Mas por que a pressa? A quem de fato essa medida vai atender? Uns dizem que é a um Supermercado, que já foi objeto de propositura do vereador Coringa em sua primeira gestão, outros dizem que não é apenas um supermercado, mas também o comércio do próprio alcaide e isso sem falar nos possíveis postos de combustíveis. Serão apenas estes de fato os beneficiados? É esperar pra ver...

regime de urgênCia iii

CamPo do Barra do una

Ainda vai dar muito pano para manga a decisão da Prefeitura de desistir da ação de desapropriação de parte do campo do Barra do Una. O motivo real seria a falta de recursos – R$ 1,3 milhão – para pagar a desapropriação. Qual será a reação da Justiça se a Prefeitura emitir novo decreto de desapropriação com o claro objetivo de ganhar tempo? Ou seja, o processo já estava em fase final, a Prefeitura desiste e depois começa tudo de novo!

Outro projeto que tramitou em regime de urgência nesta mesma sessão é o que trata do plano de água e esgoto do Município, que tem prazo estabelecido pelo Governo do Estado para sanção até 03 de julho, e que não traz grandes novidades, a não ser pelo tempo inicial estabelecido para concessão à SABESP de 30 anos. E o pior, com isenção total de tributos e impostos à companhia. Bom negócio para SABESP. E o Município, o que ganha por destinar tal serviço à companhia? Aliás, recentemente a mesma Sabesp foi alvo de uma moção de repúdio aprovada pelos mesmos vereadores que hoje votam a favor dela. Cabe a pergunta: os serviços melhoraram ou os edis mudaram? Coisas da política.....

Pesquisadores da Embrapa Hortaliças criaram recentemente um produto singular, a Abobrinha Verde e Amarela. É única, não há dessa variedade em nenhum outro lugar do planeta Terra. O fruto é rústico, de cultivo fácil, rico em carotenóides e, em breve, será comercializado também em sementes. Maravilha! Enquanto isso, um vereador de São Sebastião, após o que os americanos chamam de brain storm, juntamente com seus assessores, imagino, resolveu introduzir mais uma data comemorativa no calendário sebastianense, através do Projeto de Lei nº 0024/2010: a “Semana do Debate Descontraído”. O autor da proposta é o vereador Ernane Primazzi Filho. O projeto foi aprovado na sessão de Câmara realizada no dia 29 de junho de 2010. Segue agora para sanção do prefeito. Diante disso, resolvi instituir o Troféu Abobrinha Verde e Amarela, em reconhecimento a iniciativas dessa magnitude, como a que o vereador tenta assegurar aos munícipes. Agora, além de nas panelas dos lares brasileiros e feiras-livres, a abobrinha verde e amarela poderá ser encontrada também na sala de troféus de figuras notáveis da vida pública. Tomara que os pesquisadores da Embrapa não fiquem aborrecidos.

O prefeito Ernane reconheceu publicamente, na cerimônia de posse do HC de São Sebastião, que provavelmente as suas duas grandes obras e promessas de campanha, leia-se Hospital da Costa Sul e Hospital da Costa Norte, só deverão ser entregues pelo próximo Prefeito, em virtude da complexidade das obras e dificuldades encontradas. Com esta declaração, o alcaide reconhece que prometeu o que não podia cumprir, em resumo, mentiu para a população. Mente.... nossos leitores devem estar lembrados do poema publicado em edição anterior.

radares 1

O JORNAL está muito satisfeito com o papel cidadão que vem desempenhando, pois bastou divulgar matéria sobre os radares quebrados, que a Prefeitura publicou licitação para manutenção e operação dos radares do Município. Valeu equipe!!

radares 2

O curioso é que com isso descobrimos o porquê não se arrumavam os radares defeituosos. Na verdade, os radares não estavam funcionando já há algum tempo por falta de contrato entre a Prefeitura e a empresa detentora dos serviços. Resumindo, a placa “Equipamento em Manutenção” era mais uma mentira. Na verdade, a Prefeitura não tem como consertar. Mais uma do Governo que mente... veementemente......mente.....

radares 3

arraiá

Troféu aBoBrinha

Está repercutindo muito na cidade o “projeto” de autoria do vereador Ernaninho que cria a semana do Debate Descontraído. Veja o que foi publicado no

O Arraiá Caiçara, grande festa julina já tradicional na Rua da Praia, e diga-se de passagem, iniciativa da administração Juan Garcia, viverá este ano sua edição mais pobre. O número de barracas encolheu e não teremos nenhuma

O pior de toda esta história é que os motoristas já descubriram que os equipamentos não estão funcionando e o limite de velocidade estabelecido nos locais dos radares vem sendo desrespeitado de forma habitual. Sem falar, é claro, na imagem negativa que passa aos nossos moradores e visitantes, que se deparam com a faixinha “Equipamento em Manutenção” há meses. Por que mentem?

O JORNAL | São Sebastião, 1 a 15 de julho de 2010

ESTAMOS DE OLHO!
UM OBJETO ESTRANHO NA PRAIA DESERTA
O JORNAL

Obra na Rua Júlio Prestes causa preocupação aos moradores
O JORNAL

Desde o último verão, um objeto estranho encontra-se “nas areias” da Praia Deserta, região central de São Sebastião. O mato (jundu) predomina na praia, mas não esconde parte do objeto. “Aparenta ser um armário de cozinha”, disse um senhor que pratica esportes e caminha diariamente pela orla. Ele ainda criticou o fato de o mato (jundu) já ter ultrapassado um metro de altura. “É uma verdadeira vergonha, um descaso”. desabafou.

AGORA SIM!

O JORNAL

Depois de O JORNAL ter flagrado o veículo do chefe de gabinete da Prefeitura estacionado na faixa amarela, nos fundos do Paço Municipal, parece que a situação se resolveu, ou seja, passou a crise de abuso de autoridade. Faixa amarela deve ficar livre ou ser utilizada apenas por carros oficiais. Agora sim!

Após O JORNAL publicar reclamação de moradores da Rua Júlio Prestes de Albuquerque, sobre o acúmulo de água num terreno onde passa uma galeria de águas pluviais, causando problemas em imóveis, a Prefeitura de São Sebastião iniciou uma obra no local. Os serviços já duram quase um mês e estão longe do final. Foi feita uma tubulação dentro do terreno, saindo para a rua e descendo para uma galeria em um ponto mais baixo da rua. O detalhe é que, segundo alguns cons-

trutores da própria região ouvidos por O JORNAL afirmaram que a obra está sendo feita de maneira incorreta. Deveria ter começado de baixo para cima e não o contrário, como está sendo feita. “A tubulação vai ficar mais alta que a rua e terão de refazer o serviço”, afirmou um deles. Enquanto isso, os moradores sofrem com a interdição da rua e com o esgoto que vai sendo jogado a céu aberto. A reportagem questionou a Prefeitura, mas não teve qualquer resposta.

SERVIDORES TRABALHAM SEM EPI

O JORNAL

Tem sido comum verificar servidores da Prefeitura de São Sebastião trabalharem sem EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). Leitores flagraram mais uma situação dessas, durante trabalho de rebaixamento de guias nas esquinas da Avenida Guarda Mor Lobo Viana e Rua Prefeito Mansueto Pierotti. Onde está o Sindicato dos Servidores que não toma uma atitude para auxiliar os seus filiados?