You are on page 1of 2

2

CONTEÚDO

E-07 ESCRAVIDÃO NO BRASIL I. (CONT.)


PROFº: CHÁRCHAR
A Certeza de Vencer JACKY29/04/08

01. (Chárchar 2008) – “Sem duvida a produção açucareira marcou um


dos maiores momentos econômicos do Brasil colonial, pois os
Fale conosco www.portalimpacto.com.br

portugueses já apresentavam bastante experiência nesta produção


bem antes de sua chegada no território brasileiro”.(Julio charchar)
Tomando como base o texto acima marque a alternativa correta:

a) Os portugueses tinham uma vasta experiência na produção deste


produto no continente europeu.
b) Na produção açucareira portuguesa realizada nas chamadas ilhas
Atlânticas o trabalho livre era predominante.
c) A industria açucareira foi introduzida no Brasil pelos lusitanos como
um mecanismo para realizar a colonização.
d) A produção do açúcar no Brasil não obteve êxito, devido a escassez de terras férteis e a baixa quantidade de mão-de-
obra.
e) O cultivo do açúcar no Brasil colonial do inicio ao fim foi realizado predominantemente através do trabalho indígena.

02. (Chárchar 2008) – A lavoura açucareira foi implantada na colônia brasileira, por vários motivos exceto:

a) A experiência portuguesa na produção.


b) O Brasil possuía terras em abundância e aqui o produto era produzido em larga escala.
c) Os portugueses já possuíam muitos mercados internacionais para a venda do açúcar.
d) O negro era a única e principal mão-de-obra disponível nas lavouras
e) Promover o projeto colonizador.

03. (Chárchar 2008) – “A escravidão foi o principal mecanismo pensado pelos


europeus para a realização da produção açucareira em larga escala, pois
necessitava-se introduzir na colônia uma atividade com rentabilidade imediata que
justificava-se os investimentos metropolitanos”.(Julio charchar)
Tomando como base o texto acima e seus conhecimentos sobre a formação do
mercado de trabalho no periodo açucareiro, marque a alternativa correta.

a) A escravidão indígena foi facilitada pela grande disponibilidade de nativos, sobretudo


nas regiões de várzeas, para a utilização no trabalho compulsório.
b) A acentuada docilidade do gentil garantiu a manutenção do trabalho escravo
indígena do inicio ao fim do ciclo açucareiro.
c) A realização das chamadas bandeiras ou entradas foi fundamental para aquisição de
indígenas, devido a escassez desta força de trabalho no litoral.
d) As bandeiras e entradas como mecanismos do projeto colonizador lusitano,
provocaram o aumento considerável de indígenas na região litorânea, devido a
perseguição dos bandeirantes ao índio do interior do território.
e) O apresamento indígena como forma de estruturar o mercado de trabalho escravo na colônia foi irrelevante, pois os
portugueses baseados nas suas experiências nas ilhas atlânticas primeiramente utilizaram o negro africano como mão-
de-obra.

04. (Chárchar 2008) – “O cotidiano dos engenhos no Brasil colonial era marcado por
um intenso e árduo trabalho realizado pelos escravos que desempenhavam as mais
variadas funções no processo de produção do açúcar”.(Julio charchar)
Em relação à vida e ao trabalho dos escravos negros no engenho brasileiro não é
válido afirmar:

a) O trabalho dos escravos nos engenhos dividia-se em período de plantio, momento


VESTIBULAR – 2009

em que efetivava-se a plantação de novos canaviais, e periodo de safra, momento em


que a cana era cortada e levada ao engenho para ser moída.
b) A vida nos engenhos era marcada por um intenso ritmo de trabalho, principalmente
na época da safra, momento em que os escravos trabalhavam 24 horas por dia,
levando o engenho a ser comparado como uma espécie de inferno na terra.
c) Durante os séculos XVI, XVII e XVIII a produção do açúcar representou o que havia

FAÇO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!


Fale conosco www.portalimpacto.com.br

de mais moderno em tecnologia no mundo, o que contribuiu para que o trabalho escravo durante todo esse período
fosse associado a tecnologia das atividades industriais.
d) A produção da indústria açucareira era realizada através de uma grande diversidade de atividades realizadas pelos
escravos, havendo assim a necessidade de um numero considerável de trabalhadores bastantes habilidosos.
e) Os escravos no engenho apresentavam funções como: mestres de açúcar, caldeireiros, escudeiros e portadores.

05. (Chárchar 2008) – No contexto do escravismo indígena no Brasil colonial observa-se as relações de poder entre as
elites coloniais na disputa pelo monopólio sobre os negros da terra.
Sobre esse tema não podemos afirmar:

a) A chegada na colônia dos missionários representantes das mais


diversas ordens religiosas ligadas a igreja católica, acentuou a
disputa pelos nativos entre colonos e padres.
b) Para os colonos a catequização tiraria os indígenas do inferno em
que viviam para salvá-los.
c) Segundo os missionários a escravização tornaria o índio cada vez
mais indócil e selvagem.
d) Seja pela escravização ou pela evangelização tanto o colono
como os religiosos objetivavam beneficiar-se com o trabalho
indígena e com status que a aquisição de bugres proporcionava.
e) Os jesuítas realizavam os chamados descimentos de índios para as reduções ou aldeamentos, onde eram realizados
os trabalhos catequéticos que era proibido pela coroa portuguesa

06. (Chárchar 2008) – Em 1570 o estado português juntamente com a igreja católica confeccionou a primeira legislação
indigenista, através da qual a escravidão indígena foi proibida e a catequização foi oficializada, o que atiçou ainda mais
os conflitos entre padres e cólons, para amenizá-los o estado português criou:

a) Uma espécie de divisão igualitária de nativos entre missionários e colonos.


b) Um sistema de parceria entre jesuítas e colonos na exploração da mão-de-obra indígena.
c) Uma lei que punia com rigor a todos os colonos que efetivassem a escravidão indígena.
d) Dois decretos que permitiam a escravidão indígena somente em casos de guerra justa ou resgate.
e) A seleção e escolha de comunidades indígenas que poderiam ser escravizados.

07. (Chárchar 2008) – No inicio do século XVIII teve inicio na colônia brasileira o chamado período da mineração. Sobre
este periodo podemos afirmar que:

a) Prevalecia a mão-de-obra como única força


produtiva.
b) Ocorreu um acentuado processo de ruralização,
devido a procura por ouro e diamante.
c) Ocorreu uma grande concentração de
trabalhadores livres e escravos que apresentavam
os mais variados ofícios na região das minas.
d) A sociedade mineira era composta
exclusivamente por mineradores e escravos.
e) O trabalho na região das minas era totalmente
voltado para o trabalho na mineração.

COMENTÁRIOS:
__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________
VESTIBULAR – 2009

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

FAÇO IMPACTO – A CERTEZA DE VENCER!!!