Universidade Federal de São Carlos

Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade

A Pedagogia de Projetos e a construção do conhecimento científico.
Autor: Marcio R. G. de Vazzi

Trabalho apresentado como requisito de finalização da Disciplina Compreensão Publica da Ciência e Tecnologia, ministrada pelo professor Dr. Danilo Ruthberg.

São Carlos, agosto de 2009

portaleducação. Decroly. Para que estas ações sejam concretas é necessário usar bem os verbos: criar – renovar – construir. o sujeito (aluno) é um ser ativo que estabelece relação de troca com o ambiente ou objeto (físico. e outros. A fim de melhor entender o significado da expressão “pedagogia de Projetos”. -us que significa objeto projetado. A Pedagogia de Projeto não é um modelo pedagógico ou uma metodologia de ensino e sim um movimento que foi foi resultado de pesquisas de educadores europeus como Montessori. o alunado. há apenas a indicação da bibliografia consultada na página 88. Foram eles que criaram o chamado "Método de Projetos" e suas propostas pedagógicas foram introduzidas e disseminadas no Brasil por Anísio Teixeira e Lourenço Filho.com. Este conceito assemelha-se muito à teoria construtivista de Piaget onde ele afirma que o indivíduo constrói e produz o conhecimento através da interação com o ambiente em que ele vive e que esta interação propicia o desenvolvimento da aprendizagem.br (2009). criativo. A aprendizagem desse sujeito ativo exige sempre uma atividade 1 Retirado do material do curso de Pedagogia de Projetos cursado através do Portal Educação. Deriva do grego paidagogikos. Já a palavra projeto vem do latin projectus. disponível em http://www. pessoa. flexível e que traga à vivência escolar a aprendizagem significativa através da apropriação do conhecimento. O referido material não possui indicação de autores nem notas tipográficas. a interdisciplinaridade entre as áreas e a revisão constante do projeto curricular2. e na América do Norte seus representantes foram John Dewey e William Kilpatrick. 2 Idem 1. participe com mais afinco de todo este processo de construção do conhecimento. Propondo-se a aderir a um planejamento coletivo. Segundo a teoria piagetiana.INTRODUÇÃO 1. pode-se afirmar que se constitui de ações sucessivas as quais são direcionadas ao alunado em efetivo e contínuo planejamento1. O termo Pedagogia de Projetos passou a ser conhecido no Brasil com a divulgação do movimento chamado Escola Nova. A idéia principal da Pedagogia de Projetos ou também conhecida como Pedagogia por Projetos é fazer com que o ator principal do processo ensino/aprendizagem. Este movimento veio contrapor o sistema de escola tradicionalista e até hoje gera muita controvérsia no meio educacional. conhecimento) num sistema de relações vivenciadas e significativas. adquirindo significação ao ser humano quando o conhecimento é inserido em uma estrutura – isto é o que denomina assimilação. cujo significado é “criança”. A Pedagogia de Projetos Pedagogia é vocábulo que vem do grego: paedo-. uma vez que este é resultado de ações do indivíduo sobre o meio em que vive. .

técnicas. comprovando a eficácia do método.cpscetec. orientando o processo de ensino/aprendizagem. em qualquer área de atuação.mspx . A defesa da proposta e classificação final ocorre dia 25/08 em São Paulo.” (GAMA.br/feteps “Robótica Educacional à luz da Pedagogia de Projetos” é o título do projeto elaborado pelo autor deste artigo e classificado entre os três finalistas ao prêmio Microsoft Educadores Inovadores 2009.microsoft.) Seymour Papert. 3 4 FETEPS – Feira Tecnológica do Centro Paula Souza . Desde 2008 já foram apresentados quatro trabalhos de conclusão de curso (TCC) orientados com o conceito da Pedagogia de Projetos onde o primeiro trabalho feito pelos alunos com esta metodologia. que focalizam sobretudo as habilidades importantes para o sucesso escolar. quando o indivíduo através do fazer. educador do MIT (Massachusetts Institute of Tecnology). levou Gardner a redefinir inteligência à luz das origens biológicas da habilidade para resolver problemas. Sua insatisfação com a idéia de QI e com visões unitárias de inteligência. e do repertório de habilidades dos seres humanos na busca de soluções. constrói objetos de seu interesse. apontando a cooperação como fator destacado para a promoção da aprendizagem. correntes de pensamento e teorias são percebidos em vários casos reais de sua aplicação norteados pela Pedagogia de Projetos na Escola Técnica Dr. Outro indicador que deve ser considerado e comprova a relação entre as idéias apresentadas é a defesa do projeto intitulado “Robótica educacional à luz da Pedagogia de Projetos” no prêmio Microsoft Educadores Inovadores4 2009. OLIVEIRA 2008).. Outra teoria intrínseca a idéia de se trabalhar a educação através de projetos foi escrita por Howard Gardner. Através da avaliação das atuações de diferentes profissionais em diversas culturas. Podemos afirmar também que o conceito de Pedagogia de Projetos baseia-se na construção de ambientes dinâmicos de aprendizagem que também é base da teoria sócio-interacionista de Vigotsky.http://www. Adail Nunes da Silva em Taquaritinga/SP. A eficiência destes conceitos.S.com/brasil/educacao/parceiro/finalistas.. intitulado Guindaste MAX (VOLANTE. Maria C. que podem ser um relato de uma experiência ou um desenvolvimento de um programa para computador (Construção com liberdade de criação)”. intitulando-se a “Teoria das Inteligências Múltiplas” onde destaca: “A Teoria das Inteligências Múltiplas. culturalmente apropriadas. para os seus problemas. obteve o primeiro lugar na FETEPS3 2008. quando utilizou o termo construcionismo baseado nas idéias de Piaget sobre o processo de aprendizagem também afirmou que “a construção de um conhecimento se dá.com.S. maior ou menor. OLIVEIRA.organizadora na interação estabelecida entre ele e o conteúdo a ser aprendido e é neste contexto que se enquadra a pedagogia de projetos. de Howard Gardner (1985) é uma alternativa para o conceito de inteligência como uma capacidade inata. Mais informações acesse http://www. geral e única. que permite aos indivíduos uma performance.

transformar as ações em sala de aula em uma obra onde o alunado possa construir seu próprio conhecimento não deve ser responsabilidade que pode ser implicada a um livro ou a um simples modelo educacional.M. estabelecendo entre professor e aluno a troca das muitas possibilidades do pensamento. Alonso e Souza C. comparar. a construção do conhecimento está ligada diretamente ao educador/mediador da aprendizagem que é o professor e cabe à ele tornar a sala de aula um ambiente saudável que estimule o estabelecimento de relações e encaminham à pesquisa. está diretamente relacionado à atuação do professor. valorizar. DESENVOLVIMENTO 5 6 Modelos de percepção segundo Lewenstein: Déficit Cognitivo. etc. O educador que segue a linha do construtivismo deve acreditar na informação como uma maneira de multiplicar os conhecimentos já existentes do alunado. Isto implica em acreditar que o conhecimento não é simplesmente transmitido ou “passado” de uma pessoa para outra. Expertise Leiga e Participação pública. caminhos e soluções variadas e criativas. levantar hipóteses. concluir. pesquisar. discriminar. Contextual. Construção do Conhecimento Dentre as várias correntes que definem a construção do conhecimento está o construtivismo piagetiano já citado anteriormente. Construir ou não conhecimentos. explorar e se constituir coadjuvante em todo o processo de construção do conhecimento. colaborando assim para a construção e apropriação6 do conhecimento científico. Percepção. Estes conceitos oferecem ao alunado as oportunidades de respostas. Compreensão e Apropriação do conhecimento são termos citados nos artigos de Vogt. relacionar. estabelecendo objetivos que resultem em uma ampliação de seu conhecimento inicial. Essa atuação consiste em explorar. . posicionar-se. Além destes conceitos deve-se levar em conta a expertise leiga5 onde o aluno já vivenciou e já conhece sobre determinado conteúdo. É com base nestas perspectivas que as reflexões são aqui apresentadas e a Pedagogia de Projetos é colocada como uma ferramenta que pode maximizar o processo de ensino/aprendizagem. mas deve construído através da atuação do próprio indivíduo sobre o que deve ser conhecido. na prática educativa. observar. Portanto. Como estamos falando em educação. É com esta base de conhecimento que o professor deve trabalhar. buscando sempre por desafios que norteiem o alunado a conquistar mais informações e soluções que ultrapassem as que ele próprio conhece. estando próximo ao aluno para orientá-lo em todo este conjunto de saberes.2.

ocorrendo. Segundo ele. a educação é vista como o único meio efetivo para a construção de uma sociedade democrática. os alunos que não são inseridos no mercado de trabalho têm pouco interesse em permanecer na escola.pdf 8 ministro-educacao-fernando-haddad. mas também com o futuro da humanidade. a inserção no grupo social com respeito à unicidade. gerentegeral de Notícias. sendo cada indivíduo visto como parte integrante e participativa de um todo. Baseado nestas afirmações e lembrando ainda que no ano de 2008 o mundo foi assolado por uma forte crise econômica. como invadiu os arraiais do ensino secundário e superior e estendeu pelo país uma rede de ginásios e universidades cuja falta de padrões e seriedade atingiria as raias do ridículo.” Viana Filho ainda revela como os últimos anos de vida de Anísio Teixeira estiveram cercados de angústias e pessimismo.” O próprio ministro da Educação.com. Luis Viana Filho em seu livro Anísio Teixeira: A Polêmica da Educação (Editora: Edufba e Unesp) diz o seguinte: “Aqui. e por Karina Yamamoto. porém fica a pergunta: Por quê este investimento não ocorreu compulsoriamente nos anos anteriores? Será que o governo vai continuar investindo? Como. cerca de R$ 9 bilhões. pode significar um incremento de 15% na renda. no Brasil. por ocasião da inauguração do Centro Educacional Carneiro Ribeiro.riseu.br/ultnot/entrevista- http://www.unam. já não têm vigor para o riso ou a sátira. em 1950. Fernando Haddad afirma que de 2008 à 2009 houve o maior incremento no orçamento da educação da história do país.mx/documentos/acervo_documental/txtid0033.jhtm . que os nossos olhos. Hélgio Trindade7 cita em um de seus artigos o discurso de Anísio Teixeira. na qual sejam respeitadas as características individuais. Ainda segundo Haddad. um ano de escolaridade. em 7 Artigo publicado por Hélgio Trindade na rede RISEU – Red de Investigadores sobre Educación Superior – disponível em A entrevista pode ser assistida na íntegra no seguinte endereço eletrônico: http://educacao. que não só liquidou a escola primária. assim. em entrevista ao jornal Folha de São Paulo em 23 de março de 2008 reconheceu que somente um sexto dos estudantes brasileiros no ensino médio deve chegar à universidade. “Os brasileiros depois do 30 são todos filhos da improvisação nacional.uol.A educação no Brasil é assunto de muita polêmica. cheios de apreensão e de susto. penso que este investimento do governo veio de encontro às necessidades já conhecidas. se não vivêssemos em época tão crítica e tão trágica. editora de UOL Educação. Em 16 de fevereiro de 2009. em entrevista ao UOL8 conduzida por Rodrigo Flores. Fernando Haddad. o que é muito. A decepção com o cenário político brasileiro e com os conflitos políticos e militares dos Estados Unidos despertavam não apenas a preocupação com a educação.

o aumento significativo na quantidade de materiais encontrados e principalmente as inúmeras opiniões e pontos de vista encontrados na rede. . os discursos são muitos mas as ações nem sempre seguem por caminhos que resultem em efetivo benefício para todos. Desta forma o aluno torna-se o agente da aprendizagem. Embora haja “luz no fim do túnel”. cabe a cada um fazer a sua parte. A população precisa acreditar que a educação de qualidade pode ser a chave para o desenvolvimento do país e ter a consciência de que este processo levará tempo e por isso deve ser constante a fim de efetivar a construção do conhecimento. Mesmo antes do surgimento da rede mundial de computadores. não cabem mais a escola e ao professor as funções de transmissão deste conhecimento. O conhecimento é construído com informações pertinentes. Este processo experimental e individual de cada aluno o faz seguir em direção a outras formas de saber. todos nós. já que existem outros meios muito mais eficientes como a Internet por exemplo. o professor deve ser o orientador do estudo ou mesmo aquele que deve conduzir todo o processo da aprendizagem. de certa maneira. tínhamos acesso às informações. Uma coisa é certa. sendo um estudioso autônomo. Levando isto em conta. Neste cenário. haja vista com um simples clique nós visitamos os museus mais famosos do mundo. Falar em construção do conhecimento em um mundo onde tudo é on-line e o acesso as informações são instantâneas é mais complexo do que parece. ou deveria ter o papel de possibilitar a construção do conhecimento utilizando as várias informações e recursos disponíveis pois mesmo antes da internet.meio à crise. mas só velocidade e quantidade de informação não bastam. o governo consegue recursos para investir em educação? Será que o pleito de 2010 tem alguma coisa a ver com isso? Se isto for realmente o que acontece neste país. capaz de buscar por si mesmo os conhecimentos necessários à resolução de seus problemas sempre partindo de seus próprios conhecimentos. a facilidade e quantidade de informações conseguidas hoje pelos alunos ao invés de contribuir fazem com que o sentido de “pesquisa” seja futilizado e a baixa qualidade dos trabalhos oriundos deste processo continuam inundando a rede e contaminando as informações que serão futuramente utilizadas. O grande problema continua sendo a orientação à pesquisa e a busca e construção de bases sólidas do conhecimento. a necessidade de orientação para a construção do conhecimento se fazia necessária e nos dias de hoje continua imprescindível e com um agravante. estamos fadados a crescer segundo as vontades políticas e infelizmente este crescimento só ocorre de quatro em quatro anos. estimulando a pesquisa a crítica e o saber. a escola tem. o que ocorreu com o advento das novas tecnologias foi a aceleração no acesso às informações. o governo precisa investir mais em educação e desenvolver políticas públicas consistentes. Não podemos negar a velocidade que a Internet implica no processo de construção do conhecimento.

que apenas transmite o suposto conhecimento “enlatado” nos livros. onde estão estas disciplinas/conhecimentos para subsidiar o processo de cidadania? Uma coisa é certa. Motorista? Dizer que o aluno entra na escola para se tornar um cidadão é genérico demais pois o conceito mais simples de cidadão é o indivíduo no gozo dos direitos civis e políticos de um estado livre. este trecho extraído do documento elaborado por José Fernando Kieling e Maria da Graça Souza traduz muito bem esta questão. Como já foi dito. se o papel da escola é formar cidadãos.O professor em questão deve ser o indivíduo que fornece as condições para que o aluno aprenda por si só e através de suas experiências. Quem vivenciou o período escolar entre 1980 e 1985 (que é o meu caso) teve o privilégio de “estudar” disciplinas como EMC – Educação Moral e Cívica e também OSPB – Organização Social e Política Brasileira. Se pensarmos no modelo militar. Este professor. algo precisa ser feito e é nesta propositura que coloco os conceitos de Pedagogia de Projeto. Então a escola deveria construir no alunado os conceitos e noções de direito pois só com o estes conhecimentos é que o indivíduo poderia então desfrutar sua cidadania. Então pergunto novamente. Neste sentido. favorecendo a intenção educativa e construindo uma escola centrada no aluno e em suas individualidades. desenvolvendo o trabalho coletivo. E na Escola? O aluno entra para sair ou ser o quê? Médico. A Pedagogia de Projetos pode oferecer uma estratégia de construção de identidades. deixando transparecer a idéia de que os conhecimentos são estanques aos conteúdos dos livros ou mesmo que os livros tem o saber absoluto. a Pedagogia por Projetos produz uma aprendizagem mais significativa. o indivíduo entra na instituição com o propósito de sair soldado e durante os anos em que ele permanece na instituição tudo é direcionado e preparado para isto. . Este educador deve fazer parte da construção dos conhecimentos do aluno como um orientador na busca por resultados satisfatórios. não como uma solução definitiva à todos os problemas mas sim como uma ferramenta de apoio ao processo educativo e ao desenvolvimento da ciência. Cozinheiro. não deve ser o modelo de educador que vemos nos dias de hoje. Esta forma de “ensinar” limita a capacidade criativa e coloca um fim na pesquisa e na busca por novos conhecimentos pois já ouvi por diversas vezes o discurso: “no livro tem tudo que você precisa” Refletindo nestas afirmações podemos então levantar a questão: “Qual é o papel da escola e dos professores nos dias de hoje?”. Engenheiro. o que afeta positivamente sua identidade e conceito de cidadania. uma vez que o aluno perceba que o projeto será uma ocasião de conquistar um maior reconhecimento social. A crítica feita a bibliografia utilizada nas escolas não é no sentido do conteúdo nem tampouco da qualidade mas sim da maneira como é utilizada pelos educadores.

levará os seus educandos a uma nova postura (. da leitura e da escrita.).. vivendo as suas circunstâncias. Educar pela pesquisa é aqui defendido como participar do processo da ciência. o educando estaria vivendo a democracia na sua educação (BEISIEGEL. os conceitos que norteiam a Pedagogia de Projetos estão fortemente ligados a educação científica não só por incitar a criatividade e a busca por novos conhecimentos mas também por fazer com que o alunado aproprie-se deste conhecimento através das aplicações práticas em seu dia a dia. A governar-se. pode ser uma atitude do professor de Química....] Dialogando. Neste sentido. com capacidade para intervir nas transformações sociais dos contextos em que vivem..” CONSIDERAÇÕES FINAIS . Segundo Moraes (2007): “o conceito de educar pela pesquisa é uma abordagem que exige mudanças radicais na organização das atividades de aula. A enfrentar dificuldades. faça com que aquelas aprendam sobretudo a aprender. A resolver questões. debatendo problemas. assim como dos professores das demais áreas. argumenta-se que pesquisar na sala de aula propicia espaços para a emergência de sujeitos históricos. envolvendo perguntas e respostas capazes de desafiar continuamente conhecimentos já construídos. em vez da mera. E que. na abordagem deste texto. A identificar-se com sua realidade. pelo ingerência nos seus destinos. Assumindo-se as verdades como em permanente movimento de reconstrução. favorecendo a compreensão dos conceitos científicos e metodológicos que nos rodeiam. Escola que se faça uma verdadeira comunidade de trabalho e de estudo. em vez de escravizar crianças e mestras a programas rígidos e ‘nocionalizados’. plástica e dinâmica. com intenso envolvimento da fala. p.. à pesquisa. integrada nos seus problemas.Somente uma escola centrada democraticamente no seu educando e na sua comunidade local. A trabalhar em grupo [. 100-101) José Fernando Kieling Outro fator importante que merece destaque no conceito da Pedagogia por Projetos é a questão da pesquisa científica. A pesquisa na sala de aula. O que é um pesquisador ou um cientista se não um indivíduo que busca por si só o conhecimento para a resolução de diversos problemas do seu dia a dia. perigosa e enfadonha repetição de trechos e de afirmações desconectadas das suas condições de vida . conjunto de ações concretizado na linguagem.

Baseado nos conceitos da Pedagogia de Projetos e na teoria construtivista de Piaget.fes. A busca permanente dos alunos por novos conhecimentos incitará “o aluno que vive dentro do Professor” e uma vez que este processo tenha sido iniciado. considerando o que foi exposto sobre a construção do conhecimento. Uma definição simplificada de professor que pode ser encontrada nos dicionários é a seguinte: “professor pro. 3 O que professa publicamente as verdades religiosas. Por ser um processo dinâmico. catedrático: professor titular de curso secundário ou superior. não há fronteiras para as descobertas e desenvolvimento de novos conceitos e idéias. o conceito de Pedagogia de Projetos pode ser o caminho para a resolução de diversos problemas na educação. mestre. régio. P. Este Professor deve permanecer em constante busca pelo novo e desconhecido.”[MICHAELIS – Moderno dicionário da língua portuguesa on-line] Esta figura do Professor que trabalha com a Pedagogia de Projetos pode resgatar este conceito de professar ensinamentos e trabalhar com as ciências de um modo geral. uma vez que seu alunado não ficará estanque aos livros didáticos e aos conhecimentos findos aos limites da escola. P. 2 Aquele que é perito ou muito versado em qualquer das belas-artes. é envolvimento entre pessoas buscando e transformando o ambiente em que vivem através da construção do conhecimento. ant: professor nomeado pelo Governo para reger uma cadeira de instrução primária ou de liceu. Isto é participação social.sor sm (lat professore) 1 Homem que professa ou ensina uma ciência. a Pedagogia de Projetos pode resgatar o conceito e as virtudes da figura do Professor. REFERÊNCIAS . e tomando como verdade que devido ao modelo educacional atual os professores que lecionam aos nossos jovens não possuem o preparo adequado para lidar com nossa realidade em sala de aula. Isto é ciência. uma arte ou uma língua.

2003 KIELING José Fernando . UFPEL/FAE.° Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire. OLIVEIRA Arthur Ramos.Models of Public Communication of Science & Technology. DIAS Márcia Gladis Cantelli . Universidad de Oviedo. vol.Reflexões sobre a Construção do Conhecimento em Ambientes de Pesquisa e de Autoria Multimídia: Uma Tarefa Compartilhada por Alunos e Professores. . 9.Jean Piaget e o Construtivismo. OLIVEIRA Claic Assunção – Guindaste Max: 2008 (s. Setembro. Departamento de Filosofía. Disponível em: http://www. 2007.4.br/30ra/Workshop%20PUC%20URG.La apropiación social de la ciencia: nuevas formas.ALONSO Cipriano Barrio . Trabalho n 83 LEWENSTEIN. Bruce V. Jean .Educação científica e movimento CTS no quadro das tendências pedagógicas no Brasil.com. Espana. (2009).Curso de Pedagogia de Projetos – Módulo I (s. SOUZA Maria da Graça. Notas de aula. 1 MICHAELIS – Moderno dicionário da língua portuguesa on-line (2009) – disponível em: http://michaelis. Quando o método pode comprometer a intenção educativa. GALIAZZI Maria do Carmo. TEIXEIRA.pdf PIAGET.Apropriação Social do Conhecimento Científico e Tecnológico. Revista CTS. (2003) DCB Departamento de Ciências Biológicas Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia VOLANTE Ari.uol.n. 1 Nº 2. 213225) KAMPFF Adriana Justin Cerveira. nº10.n. Educação do Campo. Enero de 2008 (pág.t) . Portal Educação . O processo de fazer ciência para a reconstrução do conhecimento em Química: a linguagem na sala de aula com pesquisa.org. p.a. CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação V.Edição 139 Janeiro/ Fevereiro de 2001 s.sbq. Artigo publicado na Sociedade Brasileira de Química.br MORAES Roque. RAMOS Maurivam Güntzel. Version: 16 June 2003.t) SOUZA Cidoval Moraes . Revista Nova Escola . Paulo Marcelo Marini .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful