You are on page 1of 11

COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR – ANÍSIO TEIXEIRA

DISCIPLINA
BIOLOGIA
PROFESSOR: MARCOS

TRABALHO DE BIOLOGIA
CORDADOS PRIMITIVOS E TETRÁPODES RECENTES

MATHEUS BANDEIRA, FERNANDO PIRES e TOMÁS HENRIQUE.


2º ANO/ TURMA B

Teixeira de Freitas - BA
Setembro de 2010
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ............................................................................................................02

2 CORDADOS PRIMITIVOS........................................................................................03
2.1 Urocordados..................................................................................................................03
2.2 Cefalocordados..............................................................................................................03

3 TETRÁPODES............................................................................................................04

4 COMPARAÇÃO...........................................................................................................04

5 CONCLUSÃO ...............................................................................................................07

REFERÊNCIAS ....................................................................................................................08

ANEXO A – Imagens.............................................................................................................09

2
INTRODUÇÃO
Neste trabalho, apresentaremos sob a orientação do professor Marcos o conceito de
cordados primitivos (Protocordados) e tetrápodes mais recentes, posteriormente,
estabeleceremos comparações entre as classes citadas. Por fim, imagens referentes
ao tema serão anexadas no trabalho.

3
• CORDADOS PRIMITIVOS

Os cordados primitivos ou protocordados são um grupo possivelmente


parafilético de animais invertebrados que sendo uma subdivisão dos cordados,
obviamente, apresenta representantes do mesmo. São pequenos animais marinhos
destituídos de crânio e de coluna vertebral, cuja única estrutura esquelética de
sustentação é a notocorda, que pode ou não persistir em certas espécies adultas.
Todos eles apresentam clivagem radial do zigoto, são deuterostômios e possuem
fendas faríngeas.
Os protocordados se dividem basicamente em dois grupos: Os urocordados e os
cefalocordados.

• UROCORDADOS
Os urocordados são animais filtradores que apresentam notocorda na cauda,
pelo menos na fase larval. O termo tunicado refere-se ao fato de todos os
representantes deste táxon terem o corpo recoberto por uma túnica composta
essencialmente por tunicina, um isômero da celulose. São subdivididos em três
classes: Ascidiacea, Thaliacea e Larvacea.

Os urocordados da Classe Ascidiacea - as ascídias - são representados por


cerca de 2.000 espécies, solitárias ou coloniais, sésseis na fase adulta e livre-
natantes na fase larval. São monóicos, mas a autofecundação é evitada devido ao
amadurecimento de ovários e testículos em épocas diferentes. Algumas espécies
reproduzem-se assexuadamente, por brotamento.
A Classe Thaliacea inclui três famílias de organismos plantônicos: Salpidae,
Doliolidae e Pyrosomatidae. Os representantes dos gêneros Salpa e Doliolum - as
salpas e os dolíolos - somam aproximadamente 100 espécies que vivem em mares
de águas quentes. Um aspecto interessante do seu ciclo de vida é a alternância de
gerações. Os Pyrosomatidae são tunicados coloniais, bioluminescentes.
Os organismos da Classe Larvacea são tunicados neotênicos, plantônicos, que
apresentam uma "capa" muito elaborada, relacionada não somente com a proteção
do organismo, mas também com a captura de alimento.

• CEFALOCORDADOS

Os cefalocordados, vulgarmente denominados anfioxos, são representados por


cerca de 25 espécies, agrupadas nos gêneros Branchiostoma e Epigonichthys. Os
anfioxos ocorrem em todos os oceanos, próximo à praias arenosas. São organismos
alongado, comprimidos lateralmente, livre-natantes, que medem cerca de 5 cm de
comprimento. São mais ativos à noite, e passam a maior parte do tempo com a
região caudal do corpo enterrada no substrato, mantendo, desse modo, o corpo em
posição vertical (ou oblíqua) em relação ao fundo, e a região rostral exposta à

4
coluna de água. Nessa posição podem filtrar a água ao seu redor e capturar as
partículas alimentícias em suspensão. Quando perturbados, enterram-se por inteiro
no substrato. Em algumas localidades do hemisfério norte são muito abundantes e
servem de alimento para seres humanos, a despeito de seu pequeno tamanho.
Os anfioxos são dióicos e as gônadas, saculiformes, não apresentam ductos
genitais. Os gametas são liberados no interior da cavidade atrial pela ruptura da
parede interna do átrio e, a seguir, para o meio externo, via atrioporo. A fecundação
é assim externa, havendo grande produção de ovos. Após o desenvolvimento
embrionário, eclode uma larva livre-natante que, após a metamorfose, adota os
hábitos de vida do adulto.

• TETRÁPODES

Os tetrápodes formam uma grande classe de animais vertebrados terrestres do


filo dos cordados. São vertebrados com quatro patas. Em relação aos mamíferos,
usa-se este termo (ou a expressão vulgar "quadrúpedes") para designar os animais
que apoiam os 4 membros no solo, ao deslocarem-se, em contraposição aos
animais que normalmente apoiam apenas dois, como o homem, e que são
chamados bípedes. Os tetrápodes são descendentes de peixes de nadadeiras
lombadas, os sarcopterígeos. Todos os animais que descendem deles são
considerados tetrápodes, pois possuem 4 membros. As serpentes, apesar de não
possuírem membros são tetrápodes, pois seus membros sofreram um processo
denominado regressão e foram perdidos, mas como pertencem ao grupo dos
Lepidossauros, são descendentes de um ancestral Tetrapoda. Note-se, no entanto
que existe uma nuance de significado entre tetrápode (do grego) e quadrúpede (do
latim), com o mesmo significado etimológico. O conceito de tetrápode inclui todas as
aves (as asas são membros), enquanto que quadrúpede neste caso não se aplica
(as asas não são "patas"). Note-se ainda que embora os seres humanos possam em
teoria deslocarem-se sobre quatro membros, eles estão adaptados à marcha bípede
dado que as pernas são razoavelmente mais longas que os braços. No entanto os
seres humanos são considerados tetrápodes.

• COMPARAÇÃO

Os tetrápodes tipicamente possuem dois pares de membros de cinco dedos, que


se apresentam diversamente modificados, reduzidos ou ausentes. O esqueleto é
ósseo e as cavidades nasais ligam-se com a cavidade bucal. Alguns têm canais
auditivos externos. Os protocordados são invertebrados.
Os tetrápodes têm circulação sanguínea dupla e o coração com duas aurículas.
Os protocordados têm a circulação realizada por lentas ondas de contração de
alguns vasos, junto com a contração de numerosos pequenos bulbos pulsáteis,
localizados ao longo das artérias. Não existem células sanguíneas.

5
A respiração dos tetrápodes é dada pela inspiração e expiração de ar, sendo os
órgãos responsáveis por esta tarefa os pulmões, as fossas nasais, a boca, a faringe,
a laringe, a traquéia, os bronquíolos e os alvéolos pulmonares. Nos protocordados, a
respiração se dá principalmente pela superfície externa do corpo e um pouco pela
faringe.
A reprodução dos tetrápodes acontece de forma sexuada, com a introdução do
sêmen no óvulo por meio da penetração do órgão sexual do macho no órgão sexual
da fêmea. Nos protocordados, a reprodução se dá por numerosas gônadas com
disposição segmentar. Sexos separados, larvas plantônicas, algumas pelágicas.
O sistema digestivo dos tetrápodes é formado por um tubo musculoso, ao qual
estão associados órgãos e glândulas que participam da digestão. Apresenta as
seguintes regiões; boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino
grosso e ânus. O sistema digestivo dos protocordados é filtrador. Cavidade bucal,
cirros, órgão rotatório, velum, faringe suportada por uma estrutura rígida. O endóstilo
produz muco que é levado a revestir a parede interna da faringe. Quando a água
com plâncton passa através das fendas o alimento fica retido no muco. A goteira
epibranquial, na parte dorsal da faringe, empurra o muco com alimento para o
intestino. No intestino, parte do alimento vai para o ceco intestinal, onde é fagocitado
e sofre digestão intracelular. Outra parte do alimento permanece na luz do intestino
e é digerida na sua porção proximal e absorvida na porção distal. Ao contrário do
que se pensava anteriormente, os anfioxos não pertencem à linha evolutiva dos
vertebrados (não são vertebrados altamente degenerados), pois existe uma
ausência de cefalização forte; eles possuem a notocorda desde o rostro; não há
órgãos homólogos para os olhos, ouvidos, narinas ou outro órgão cefálico de
sentido; existe ausência de cérebro; e o seu sistema excretor é completamente
diferente daquele encontrado nos vertebrados.
O sistema muscular dos tetrápodes é formado por três tipos de músculo: cardíaco,
estriado e liso. Os músculos estriados são controlados pela vontade do homem, e
por serem ligados aos ossos permitem a movimentação do corpo. Os músculos lisos
são involuntários e trabalham para movimentar os órgãos internos (exemplo:
movimentos do esôfago). O músculo cardíaco é um músculo estriado, que move o
coração; no entanto, possui como característica não estar sob qualquer controle
voluntário, sendo por isso colocado a parte.O movimento dos músculos é controlado
pelo sistema nervoso. Existem mais de 650 músculos no corpo humano. O sistema
nervoso recebe as informações do corpo e reage de acordo com elas. Facilmente se
percebe que qualquer problema ou alteração existente no corpo afeta o sistema
nervoso.Da mesma forma se queremos um corpo saudável temos de ter um sistema
nervoso saudável. E para que o nosso sistema nervoso seja saudável, há que ter um
sistema craniossacral saudável e em bom funcionamento. Desta forma quando o
sistema craniossacral funciona bem, também o sistema nervoso funciona melhor e
dessa forma todo o nosso sistema muscular funciona melhor. A musculatura dos
protocordados é em miômeros (pacotes musculares em forma de “v” deitado),
separados pelos mioseptos. Agem junto com a notocorda na locomoção.
O sistema nervoso dos tetrápodes é frequentemente dividido em Sistema
nervoso central (SNC) e Sistema nervoso periférico (SNP). O SNC consiste do
encéfalo e da medula espinhal. O SNP consiste de todos os outros neurônios que
não estão no SNC. A maioria do que comumente se denomina nervos (que são

6
realmente os apêndices dos axônios de células nervosas) são considerados como
constituintes do SNP. O sistema nervoso periférico é dividido em sistema nervoso
somático e sistema nervoso autônomo.
O sistema nervoso somático é o responsável pela coordenação dos movimentos do
corpo e também por receber estímulos externos. Este é o sistema que regula as
atividades que estão sob controle consciente.
O sistema nervoso autônomo é dividido em sistema nervoso simpático, sistema
nervoso parassimpático e sistema nervoso entérico. O sistema nervoso simpático
responde ao perigo iminente ou stress, e é responsável pelo incremento do
batimento cardíaco e da pressão arterial, entre outras mudanças fisiológicas,
juntamente com a sensação de excitação que se sente devido ao incremento de
adrenalina no sistema. O sistema nervoso parassimpático, por outro lado, torna-se
evidente quando a pessoa está descansando e sente-se relaxada, e é responsável
por coisas tais como a constrição pupilar, a redução dos batimentos cardíacos, a
dilatação dos vasos sangüíneos e a estimulação dos sistemas digestivo e
geniturinário. O papel do sistema nervoso entérico é gerenciar todos os aspectos da
digestão, do esôfago ao estômago, intestino delgado e cólon.
O sistema nervoso central é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal. Todas
as partes do encéfalo e da medula estão envolvidas por três membranas de tecido
conjuntivo - as meninges. O encéfalo, principal centro de controle, é constituído por
cérebro, cerebelo, tálamo, hipotálamo e bulbo. No sistema nervoso dos
protocordados não existe encéfalo verdadeiro. O tubo nervoso é um pouco dilatado
na região anterior (vesícula cerebral). Deste tubo saem nervos dispostos em séries,
dorsal e ventralmente.

7
• CONCLUSÃO

No decorrer deste trabalho, foi possível notar a enorme diferença que existe
entre as classes dos protocordados e os tetrápodes mais recentes. A
superclasse dos tetrápodes é muito mais evoluída biologicamente do que os
protocordados, mesmo levando em conta que ambas as classes constituem o
mesmo filo, o Chordata, no cladograma do filo nota-se a diferença entre as
classes pela distância entre uma e outra, sendo os protocordados apresentados
no início do cladograma e os tetrápodes no fim, sugerindo assim o alto nível de
evolução dos tetrápodes.

8
• REFERÊNCIAS

Sites:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cordados#Protocordados
http://www.pucrs.br/fabio/reis/protocordados.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tetr%C3%A1podes
http://tolweb.org/Chordata/2499
http://www.thebigger.com/section/biology/phylum-chordata/

9
• ANEXO – IMAGENS

Ascídias comuns no litoral sul do Brasil. Fotos Profa. Rosana (UFPR)

Ascídia

10
Anfioxo

11