You are on page 1of 6

IMUNOLOGIA

Antígenos e Anticorpos

• ANTÍGENOS

Os antígenos são proteínas. Podendo-se dizer que, qualquer partícula que esteja no
nosso organismo, ou que venha de fora, pode ser classificada como antígeno.
Antígenos são moléculas grandes, e as células do nosso sistema imune não são
capazes de reconhecer moléculas de tamanha dimensão de uma só vez, por isso, a saída
que o organismo achou foi reconhecer pequenas moléculas deste antígeno. Essas
pequenas porções são chamadas de ‘determinantes antigênicos ou epítopos’.

Epítopo → região do antígeno que é reconhecida pelas células do sistema imune.

*cada molécula de antígeno tem vários e diferentes epítopos!

Haptenos → móleculas tão pequenas que sozinhas não conseguem desencadear uma
resposta imunológica.
Para poder ser percebido, o hapteno se liga a proteínas do nosso organismo,
tornando-se maior, para que o sistema imunológico consiga enxergar e montar uma
resposta imunológica contra ele.
Antigenicidade: capacidade
o Características dos antígenos de o antígeno ser reconhecido
pelo sistema imunológico
 São essencialmente protéicos;
 Todo imunogênico é um antígeno, mas nem todo antígeno é
imunogênico;

É uma molécula que A imunogenicidade é relacionada com a complexidade do


consegue desencadear bem antígeno: quanto mais epítopos ele tiver, melhor vai ser a resposta
uma resposta imunológica. imunológica.
Um antígeno só é
imunogênico se consegue Quanto mais tempo esse patógeno permanecer em contato com o
desencadear uma reposta sistema imune, melhor vai ser a resposta imune.
imunológica!
• Virais
• Bacterianos
→ Os tipos mais comuns de antígeno são os: • Fungos
• Antígenos solúveis (que
estão livres no organismo)
o Atuação do sistema imune

→ MHC: (ou Proteínas do complexo principal de histocompatibilidade) permite as


células do sistema imune enxergar os antígenos nas células infectadas.
Se não tivéssemos o MHC não conseguiríamos fazer com que as células do
sistema imune vissem os antígenos e consequentemente pudessem desencadear uma
resposta imunológica.
*Todas as células do nosso organismo tem vários MHC’s
O MHC trabalha da seguinte forma: pega um pedacinho do antígeno que está dentro da
célula, leva esse epítopo para fora, para a superfície desta célula, exibindo para as
células do sistema imune que a célula está infectada.
*Se não fosse a molécula de MHC o nosso organismo não conseguiria formular uma
resposta imunológica.

As células do sistema imune só conseguem enxergar esse antígeno, apresentado pelo


MHC, e formular uma reposta imune graças ao TCR (receptores de células T) que fica
grudado na superfície das células de defesa. Ou seja, para desencadear ou uma reposta
imune, o TCR precisa visualizar o epítopo na célula infectada e quem mostra isso para
ele é o MHC.
APC → célula apresentadora de antígeno: é quem mostra o antígeno para o sistema
imune, a que está com a molécula de MHC + antígeno.
*Toda célula do nosso organismo pode ser considerada uma APC!

Temos 2 tipos de MHC na superfície das nossas células:


• MHC classe 1 → presente em todas as células nucleadas (menos nas
hemácias)

• MHC classe 2 → só quem tem são as Células Apresentadoras de Antígenos


Profissionais (APCs profissionais) No caso, tem os dois
Ex:. Linfócito B, macrófago e célula dendrítica. MHCs: o de classe1 e
o de classe 2!

Existem dois tipos de moléculas de MHC porque a diferença vai estar no TCR que vai
reconhecer essa determinada molécula: Entra na célula e
• Célula T CD4 = só reconhece os antígenos apresentados pelo MHC de prolifera no
classe 2. citoplasma. Mas
- defesa extracelular; Ex:. bactérias. a nossa célula
não está sendo
• Célula T CD8 = só reconhece especificamente os antígenos que são comandada pela
apresentados pelo MHC de classe 1. bactéria!
- defesa intracelular; Ex:. vírus.
Integra seu DNA com o da
célula. Usa a maquinaria
dela para produzir proteínas
virais.

→Diferença entre MHC de classe 1 e MHC de classe 2, que fazem com que um
apresente antígenos de dentro da célula e outro apresente antígenos que a célula produz:
“A defesa de linfócitos T CD8 acontece contra antígenos produzidos pela célula;
a defesa mediada pelos linfócitos T CD4 é feita para antígenos que proliferam dentro
da célula, mas que não são produzidos por ela.”

→Diferença de ação intracelular (T CD8) e extracelular (T CD4)


T CD8 = destrói a célula infectada e ponto final, pois, o DNA da célula já está
comprometido e não tem mais jeito.
T CD4 = a defesa é feita por outros meios. Um deles é a produção de anticorpos.
Quando o T CD4 vê uma célula infectada, estimula a produção de anticorpos
Ex:. Bactérias entram no organismo e infectam um macrófago e se proliferam nessa
célula. Chega uma hora que tem tantas bactérias que a célula se rompe e essas bactérias
vão para o meio extracelular. Os anticorpos soltos no sangue ou tecidos vão ser os
responsáveis por deter essas bactérias.

Obs:. O anticorpo não entra nas células. Só conseguem combater antígenos que saiam da
célula. É por isso que o T CD4 é relacionado com defesa extracelular.

O linfócito B é produzido pela medula, e já sai pronto para o combate. O precursor do


linfócito T é gerado também na medula óssea, depois vai para o timo onde matura e se
torna uma célula imunocompetente (que pode promover uma defesa imunológica).

“Qualquer célula T que saia do timo e qualquer célula B que saia da medula óssea, só é
capaz de responder a um antígeno específico.”
Ex:. a célula T que defende a gente contra o HIV só defende contra o HIV.
*todas as células do nosso sistema imune são especificas: defendem a gente contra um
determinado patógeno.
*cada patógeno tem vários epítopos, e cada célula imune só reconhece aquele
determinado epítopo.

→ Auto antígeno = antígeno produzido pelo próprio organismo;


→ Aloantígeno = antígeno estranho ao nosso organismo;
Só produz ex:. transplante de medula óssea, transfusão de sangue de outra pessoa.
anticorpo
quando é
completamen • ANTICORPOS (ou imunoglobulinas: Ig)
te ativada!
→ Moléculas que defendem o nosso corpo contra patógenos extracelulares.
→ Produzidos pela célula B.
→ Liberados nos líquidos corporais. diferentemente do TCR
→ É um mecanismo de defesa específico. que fica preso na célula!
→ BCR = receptores de células B

o Função dos anticorpos

 Neutralização: quando os anticorpos vêem a bactéria ‘boiando’ tratam de


encontrar os epitópos que eles reconhecem, se ligam a eles cercando a bactéria.
Com isso a bactéria não consegue mais infectar nenhuma célula, pois, para
infectar ela precisa entrar em contato com a membrana da célula.

 Opsonização: macrófagos se ligam aos anticorpos que estão neutralizando a


bactéria e puxam esse complexo todo para dentro, destruindo o patógeno por
fagocitose.
 Ativação do Sistema Complemento: produz furos na membrana do patógeno,
provocando extravasamento do material intracelular dele, ocasionando a morte
do patógeno.

o Estrutura do anticorpo

Fab

Chama-se assim porque é


Fc variável: a resposta imune
é específica e precisa ter
uma legião diferente para
combater cada patógeno,
já que este tem vários
epítopos.
→ Fab - localizada na pontinha!
- região usada para produção de vacinas;
- parte do anticorpo que neutraliza o patógeno;
- região do anticorpo que reconhece o epítopo, também chamada de região variável.
→ Fc (ou fração constante)
- parte do anticorpo que se liga ao macrófago na opsonização
Cada antígeno possui diferente epítopos, assim, cada célula imune vai reconhecer apenas
1 deles e se ligar a ele para desencadear a resposta imune.

o Tipos (isotipos) de anticopos

Pequenas variações
na cadeia!

IgD → cadeia pesada delta;


- localizado no plasma e membrana de células B (funcionando como receptor de
antígenos na sua superfície)
IgA → cadeia pesada alfa;
- proteção de mucosas e superfície externa (ex:. presente na saliva e no suor)
- imunoglobulina neutralizadora e opsonizante.

- Monomérica → oferece imunidade a recém-nascidos (através do leite)

- Dimérica → secretora, presente no sistema digestivo

IgE → cadeia pesada épsilon;


- está na superfície dos mastócitos, mas, não é produzido por ele. (todo anticorpo
é produzido por células B!!)
- respostas alérgicas
IgM → cadeia pesada mu;
- é a melhor ativadora do Complemento (por isso tantos braços);
- resposta imune de fase aguda (assim que a gente fica doente ela já começa a ser
produzida)
IgG → cadeia pesada gama;
- ativa o Complemento;
- resposta imune da fase crônica;
- está em grande quantidade no organismo (altos níveis séricos no sangue)
- oferece imunidade a recém-nascidos (através da placenta)
- imunoglobulina neutralizadora e opsonizante.

Anticorpo tem:
• Afinidade: capacidade de interação entre 1 anticorpo e seu epítopo especifico.
• Avidez: conjunto de afinidades, conjunto de ligações entre anticorpos ou TCR
reconhecendo seu epítopo especifico naquela célula.

→ Auto-Imunidade: é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma série


de antígenos próprios, ou seja, respostas imunes contra as células e tecidos do próprio
organismo. Qualquer doença que resulte deste tipo de resposta é chamada de doença
auto-imune. Exemplos famosos incluem a diabetes mellitus tipo 1, lúpus eritematoso
sistêmico, síndrome de Sjögren, tireoidite de Hashimoto, doença de Graves e artrite
reumatóide.