You are on page 1of 17
Simulado 1 - Prova1 Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Simulado 1 - Prova1

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Simulado 1 - Prova1 Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
Simulado 1 - Prova1 Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

QUESTÃO 03

 
   
  • A) Emprega linguagem informal e mais especula do que expõe os fatos.

De acordo com a leitura do texto, pode-se afirmar:

(Diário do Nordeste, 7/2/2010)

Microempresas impulsionam a economia no País As micro e pequenas empresas (MEPs) constituem o motor da economia do País. Estudo nacional disponibilizado pelo Sebrae e pelo Dieese revela que as MPEs somam quase seis milhões de estabelecimentos; respondem por mais de 50% da força de trabalho urbana empregada no setor privado.

Ler o que se segue:

  • E) Acelerar o andamento dos processos e, além disso, evi- tar que esses pudessem sofrer algum extravio.

  • D) Propiciar aos funcionários um mecanismo seguro, atra- vés do qual a sua privacidade fosse preservada.

  • C) Evitar que os funcionários preenchessem, de próprio pu- nho, os documentos, para que não houvesse fraudes.

  • B) Garantir a inclusão de todos os servidores no processo.

QUESTÃO 01

 
   

O governo de nosso Estado, até o fim desse mês, concluirá o recadastramento de todos os funcionários públicos em ativi- dade ou não; para tanto, serviu-se de um programa de compu- tação no qual o servidor, via internet, poderia preencher todos os seus dados. Com isso, o governo visou:

  • E) A subjetividade da informação tem a função de comover o leitor.

QUESTÃO 02

 
   
  • A) Acompanhar, concomitantemente, os cadastros de to- dos os funcionários, para melhor avaliá-los.

  • B) Aproxima-se da linguagem oral, muito comum a esse tipo de informação.

  • C) Tratando-se de uma notícia, serve-se da norma culta da língua.

  • D) As marcas da linguagem falada permitem que a informa- ção possa ser via internet.

Ler o que se segue:

ABC DO SERTÃO Lá pro meu sertão pros cabôco lê Têm que aprendê um outro ABC:

O jota é ji, o ele é lê O esse é si, mas o erre Tem o nome de rê Até o Ypsílon lá é psilone O eme é mê, o ene é nê, O efe é fê, o gê chama-se guê Na escola é engraçado ouvir-se tanto ê A, bê, cê, dê, fê, guê, lê, mê, nê, pê, quê, rê, tê, vê e zê. (Zé Dantas e Luiz Gonzaga)

A leitura dessa letra de música nos aponta que:

  • A) No sertão, é adotado um alfabeto completamente distin- to do restante do país.

3
3
  • B) Os nordestinos pronunciam "psilone", pois desconhecem a norma culta.

  • C) A grafia do alfabeto obedece, por certo, a uma norma mais remota.

  • D) No Brasil, o alfabeto sofre mudanças, conforme a origem do falante.

  • E) Os autores reproduzem, de modo irônico e preconceituoso, a fala nordestina.

Observar as criações artísticas a seguir:

  • I. Leonardo Da Vinci

II.

Botero

III.

Maurício de Souza

QUESTÃO 04

 
   
B) Os nordestinos pronunciam "psilone", pois desconhecem a norma culta. C) A grafia do alfabeto obedece,
B) Os nordestinos pronunciam "psilone", pois desconhecem a norma culta. C) A grafia do alfabeto obedece,
B) Os nordestinos pronunciam "psilone", pois desconhecem a norma culta. C) A grafia do alfabeto obedece,
1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO
1 o
SIMULADO ENEM 2010 - 3
o
ANO

QUESTÃO 05

 
   
  • E) Ironia dos traços.

Ler o que se segue:

TEXTO I

Não se entende a postura do Secretário de Segurança Pública do nosso Estado em impedir que a imprensa mostre o rosto dos assaltantes, sequestradores, criminosos, enfim. Quer di- zer que, aqui, bandido tem que ser tratado a pão e vinho? (RODRIGO SALES)

TEXTO II

A atitude do Secretário de Segurança Pública é apenas um

(LEANDRO DIAS)

Os dois leitores de um jornal exprimem opiniões distintas acerca de um mesmo assunto. Para a defesa de seu ponto de vista o:

  • A) Autor do Texto I discorda da postura do Secretário de Segurança, principalmente por permitir que os presos tenham acesso a bebidas alcoólicas.

  • B) Autor do Texto II apoia as determinações do Secretário de Segurança, pois este só permite a exibição do rosto dos presos após a condenação destes.

cumprimento da Constituição de nosso País: nenhum cida- dão pode ser exposto à execração pública, bem como todos são, a princípio, inocentes – ninguém pode ser condenado antes de um julgamento.

João Gostoso era carregador de feira-livre e morava no morro [da Babilônia num barracão sem número Uma noite chegou no bar Vinte de Novembro Bebeu Cantou Dançou Depois se atirou na lagoa Rodrigo de Freitas e morreu afogado.

QUESTÃO 06

 
   
  • D) Reordenação das formas.

Botero e Maurício de Souza estabelecem intertextualidade, em relação a Da Vinci, por:

  • A) Oposição de ideias.

  • B) Ausência de humor.

  • C) Reiteração de imagens.

  • C) Autor do Texto II constrói o seu discurso a partir de ele- mentos puramente especulativos; com isso, sua argu- mentação é insustentável.

  • D) Autor do Texto I exprime uma opinião inteiramente pes- soal: condena a postura do Secretário de Segurança e reforça o argumento com uma ironia.

  • E) Autor do Texto I, ao contrário do Autor do Texto II, ridicu- lariza a postura do Secretário de Segurança, além de apontar uma solução para esse impasse.

Manuel Bandeira é um poeta que colhe ao cotidiano boa parte de seus motivos, conforme o texto a seguir:

POEMA TIRADO DE UMA NOTÍCIA DE JORNAL

4 1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO
4
1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO

arquitetônicos de épocas diferentes: a figura I é uma casa-gran- de de engenho, típica do século XIX; a figura II corresponde a um apartamento de luxo na zona urbana, é correto afirmar que:

QUESTÃO 07

 
   
arquitetônicos de épocas diferentes: a figura I é uma casa-gran- de de engenho, típica do século
arquitetônicos de épocas diferentes: a figura I é uma casa-gran- de de engenho, típica do século
  • C) III apenas.

  • D) I e II apenas.

  • E) I e III apenas.

Observar o que se segue:

FIGURA I

Comparando as duas construções, que apresentam conceitos

  • B) II apenas.

  • A) Tanto em I quanto em II, há índices de poder econômico e distinção social, e a estética de cada um atende às ne- cessidades de cada época.

  • B) Em I, destacam-se, sobretudo, as portas e as janelas, implicando hospitalidade; ao contrário da figura em II, pois esta, tendo as portas de vidro, aponta reclusão.

  • C) Apenas em II há elementos referentes a símbolos de po- der econômico: a pintura na parede, a elegância dos mo- biliários, os tapetes ao longo da sala ...

FIGURA II

Observar o que se segue:

  • I. O título justifica, de certa forma, o texto, uma vez que focaliza um fato rotineiro nas páginas dos noticiários po- liciais. II. O poeta trabalhou o fato trágico, dividindo-o em versos, por isso mesmo ele teve que abandonar a linguagem co- loquial. III. Os elementos poéticos do texto estão no que não seria valorizado por um jornalista: as emoções da personagem e a ausência de informações precisas sobre ela.

Marcar a opção correta:

  • A) I apenas.

arquitetônicos de épocas diferentes: a figura I é uma casa-gran- de de engenho, típica do século
  • B) "Meu caminho é de pedras, como posso sonhar?" (Mil- ton Nascimento / Fernando Brant)

QUESTÃO 08

 
   
  • A) "Vi, claramente visto, o lume vivo que a marítima gente tem por santo." (Camões)

Metáfora é uma comparação implícita, isto é, sem a presença de conectivos, um termo é associado a outro, como em: "Meu coração é um barco lançado aos temporais". Há metáfora em:

  • E) Na figura I, o que mais se destaca é a forma arrojada da planta: as curvas, nas janelas, e os detalhes da constru- ção, a imensidão do edifício.

  • D) Apenas em I é possível constatar a presença de elemen- tos configuradores de poder econômico e social, pois a casa tem a forma de uma fortaleza.

B) "Meu caminho é de pedras, como posso sonhar?" (Mil- ton Nascimento / Fernando Brant) QUESTÃO
B) "Meu caminho é de pedras, como posso sonhar?" (Mil- ton Nascimento / Fernando Brant) QUESTÃO

QUESTÃO 09

 
 
  • C) "Segue o seco sem secar que o caminho é seco" (Carlinhos Brown / Marisa Monte)

  • B) Debret

  • A) Almeida Júnior

Marcar a opção cuja concepção de arte entra em harmonia com a defendida pelo poeta:

Quero antes o lirismo dos loucos O lirismo dos bêbedos O lirismo difícil e pungente dos bêbedos O lirismo dos clowns de Shakespeare – Não quero mais saber do lirismo que não é libertação.

Ler o fragmento do poema "Poética", de Manuel Bandeira:

  • E) "Coube-me a boa fortuna de não ganhar o pão com o suor do meu rosto" (Machado de Assis)

  • D) "De sangue quente, não foi capaz de ouvir-lhe as doces palavras" (Airton Monte)

5
5
  • C) Victor Meireles

  • D) Courbet

  • E) Picasso

As ilustrações a seguir sugerem gestos e diferentes movi- mentos. Observá-las atentamente:

I.

QUESTÃO 10

 
 
C) Victor Meireles D) Courbet E) Picasso As ilustrações a seguir sugerem gestos e diferentes movi-
C) Victor Meireles D) Courbet E) Picasso As ilustrações a seguir sugerem gestos e diferentes movi-
C) Victor Meireles D) Courbet E) Picasso As ilustrações a seguir sugerem gestos e diferentes movi-
C) Victor Meireles D) Courbet E) Picasso As ilustrações a seguir sugerem gestos e diferentes movi-
o 1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 ANO
o
1 o
SIMULADO ENEM 2010 - 3
ANO

(

QUESTÃO 11

 
 

(sentido próprio, objetivo) ou uma conotação (sentido figura- do, subjetivo). A partir de tais considerações, observar o que se segue:

As palavras, num texto, podem compreender uma denotação

  • E) V – F – V

  • D) F – F – V

  • C) V – V – F

  • B) F – V – V

  • A) V – V – V

    • I. "Ainda que tentasse muito, não conseguiu quebrar o gelo daquele encontro"

(

) Em I, há sugestões sonoras e também de deslocamen- tos. ) Em II, os movimentos da dança sugerem a representa- ção de uma luta.

(

III.

II.

( QUESTÃO 11 (sentido próprio, objetivo) ou uma conotação (sentido figura- do, subjetivo). A partir de
( QUESTÃO 11 (sentido próprio, objetivo) ou uma conotação (sentido figura- do, subjetivo). A partir de

) Em III, a presença das coroas indica uma dança aristo- crática, com gestos de cortesia. Marcar a opção que apresenta a sequência correta:

1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO 6
1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO
6
  • B) As pessoas sentadas no primeiro e no quarto banco aju- dam na composição, embora não tenham maior signifi- cação.

B) As pessoas sentadas no primeiro e no quarto banco aju- dam na composição, embora não

QUESTÃO 13

 
   

QUESTÃO 12

 
 
  • I. Beiramarávamos em auto pelo espelho de aluguel arborizado das avenidas marinhas sem sol. Losangos tênues de ouro bandeiranacionalizavam o verde dos mon- tes interiores. No outro lado da baía a serra dos Órgãos serrava. Barcos. E o passado voltava na brisa de bafora- das gostosas. Rolah ia vinha derrapava entrava em tú- neis. Copacabana era um veludo arrepiado na luminosa noite varada pelas frestas da cidade.

fragmentos a seguir.

Os principais nomes da primeira fase modernista empreende- ram uma revisão e uma atualização da literatura brasileira à luz das vanguardas europeias. Além disso, buscaram encon- trar formas de expressão genuinamente brasileiras, o que implicou a utilização de temáticas nacionais e a ruptura com a sintaxe tradicional. À luz dessas informações, considere os

  • E) Os bancos do centro da composição são responsáveis pela tradução visual do trabalho da entidade.

  • D) Não há nenhuma alusão visual ao nome da entidade res- ponsável pelo anúncio.

  • C) As pessoas que aparecem no anúncio são responsáveis pela tradução visual do trabalho da entidade.

  • A) Há uma oposição entre a imagem e o sentido.

II. "Com um pouco mais de gelo, o suco poderia ficar mais delicioso" III. "Depois do ocorrido, deu-lhe um gelo, para que apren- desse a lição"

O termo sublinhado está empregado em sentido conotativo em:

  • A) I apenas.

  • B) II apenas.

  • C) III apenas.

  • D) I e II apenas.

  • E) I e III apenas.

Observe a figura abaixo:

O anúncio acima foi divulgado pelos Alcoólicos Anônimos. Assinale a afirmativa correta sobre ele.

B) As pessoas sentadas no primeiro e no quarto banco aju- dam na composição, embora não
  • A) Trata-se de um texto descritivo, uma vez que a ausência de verbos impede a compreensão da ação.

  • B) Apenas I e II.

  • C) Apenas II e III.

  • D) Apenas I e III.

QUESTÃO 14

 
 

Circuito Fechado

Ricardo Ramos

Chinelos, vaso, descarga. Pia, sabonete. Água. Escova, creme dental, água, espuma, creme de barbear, pincel, espu- ma, gilete, água, cortina, sabonete, água fria, água quente, toalha. Creme para cabelo, pente. Cueca, camisa, abotoadu- ras, calça, meias, sapatos, telefone, agenda, copo com lápis, caneta, blocos de notas, espátula, pastas, caixa de entrada, de saída, vaso com plantas, quadros, papéis, cigarro, fósforo. Bandeja, xícara pequena. Cigarro e fósforo. Papéis, telefone, relatórios, cartas, notas, vales, cheques, memorandos, bilhe- tes, telefone, papéis. Relógio. Mesa, cavalete, cinzeiros, ca- deiras, esboços de anúncios, fotos, cigarro, fósforo, bloco de papel, caneta, projetos de filmes, xícara, cartaz, lápis, cigar- ro, fósforo, quadro-negro, giz, papel. Mictório, pia, água. Táxi. Mesa, toalha, cadeiras, copos, pratos, talheres, garrafa, guar- danapo. Xícara. Maço de cigarros, caixa de fósforos. Escova de dentes, pasta, água. Mesa e poltrona, papéis, telefone, revista, copo de papel, cigarro, fósforo, telefone interno, grava- ta, paletó. Carteira, níqueis, documentos, caneta, chaves, len- ço, relógio, maço de cigarros, caixa de fósforos. Jornal. Mesa, cadeiras, xícara e pires, prato, bule, talheres, guardanapos.

Quadros. Pasta, carro. Cigarro, fósforo. Mesa e poltrona, ca- deira, cinzeiro, papéis, externo, papéis, prova de anúncio, caneta e papel, relógio, papel, pasta, cigarro, fósforo, papel e caneta, telefone, caneta e papel, telefone, papéis, folheto, xí- cara, jornal, cigarro, fósforo, papel e caneta. Carro. Maço de cigarros, caixa de fósforos. Paletó, gravata. Poltrona, copo, revista. Quadros. Mesa, cadeiras, pratos, talheres, copos, guardanapos. Xícaras, cigarro e fósforo. Poltrona, livro. Cigar- ro e fósforo. Televisor, poltrona. Cigarro e fósforo. Abotoadu- ras, camisa, sapatos, meias, calça, cueca, pijama, espuma, água. Chinelos. Coberta, cama, travesseiro. Sobre o texto acima, é correta a seguinte afirmativa:

Pertencem ao período em questão:

  • E) Todos.

  • A) Apenas I.

II.

Nossos pais diziam que para nos tornarmos seres com- pletos era preciso escrever um livro, plantar uma árvore e ter um filho. Meu pai, que era engenheiro, acrescentava:

construir uma casa. Escrevi livros, até demais, tenho um filho e plantei uma árvore, no jardim da casa onde cresci, uma muda de pau-rosa, ou flor-do-paraíso, que havia sido esquecida ao lado de uma cova estreita e funda, uma muda frágil, com poucas folhas, mais alta do que a meni- ninha que a salvou. A muda cresceu, transformou-se em um majestoso flamboyant, coberto de flores vermelhas.

III.

O Zé Pereira chegou de caravela E preguntou pro guarani da mata virgem – Sois cristão? – Não. Sou bravo, sou forte, sou filho da Morte

7
7
  • B) É um texto sobretudo descritivo, uma vez que se organi- za de modo a oferecer a visão detalhada de uma cena.

QUESTÃO 15

 
   

QUESTÃO 16

 
   
B) É um texto sobretudo descritivo, uma vez que se organi- za de modo a oferecer

que consiste na repetição do início das frases. Parte do geral, apresenta exemplos e, ao final, retoma a ideia inicial. Apresenta uma gradação ascendente, caracterizada pela intensificação crescente de uma ideia. Apresenta uma gradação descendente, caracterizada pela diluição ininterrupta da ideia inicial.

II.

III.

IV.

São corretas apenas:

  • A) I e II.

  • B) II e III.

  • C) III e IV.

  • D) II e IV.

  • E) I e III.

Mentira

  • C) Funde narração e descrição, com ênfase na primeira, uma vez que a sequência de substantivos sugere ações.

  • D) Não há progressão temporal, devido à ausência de tem- pos verbais que permitam a contextualização da ação.

  • E) O caráter extático do texto se comprova uma vez que o início e o final são idênticos.

    • I. O autor utiliza a figura de linguagem chamada anáfora,

Rui Barbosa

Mentira de tudo, em tudo e por tudo. Mentira na terra, no ar, no céu. Mentira nos protestos. Mentira nas promessas. Mentira nos progressos. Mentira nos projetos. Mentira nas reformas. Mentira nas convicções. Mentira nas soluções. Mentira nos homens, nos atos e nas coisas. Mentira no ros- to, na voz, na postura, no gesto, na palavra, na escrita. Men-

)

Mentira

tira nos partidos, nas coligações e nos blocos. (

... nas instituições, mentira nas eleições. Mentira nas apurações. Mentira nas mensagens. Mentira nos relatórios. Mentira nos

inquéritos. Mentira nos concursos. Mentira nas embaixadas. Mentira nas candidaturas. Mentira nas garantias. Mentira nas responsabilidades. Mentira nos desmentidos. A mentira ge- ral. O monopólio da mentira.

Considere as seguintes afirmações sobre o texto acima:

ANO o SIMULADO ENEM 2010 - 3 1 o
ANO
o
SIMULADO ENEM 2010 - 3
1 o
  • B) II e III.

  • E) Explora o sentido denotativo da palavra “onda” e o senti- do conotativo do nome da marca.

Leia os quadrinhos:

Considere as seguintes afirmações sobre o texto acima:

  • I. O diálogo parece, a princípio, sem sentido, mas o tercei- ro quadro prova o contrário. Os dois interlocutores compreendem a ironia que o diálo- go explicita. O último quadro sugere que um dos interlocutores de- senvolve uma visão crítica do conteúdo do diálogo. O sentido do diálogo só se deixa perceber no último qua- dro.

II.

III.

IV.

QUESTÃO 17

 
 
  • A) I e II.

  • E) I e III.

  • C) III e IV.

  • D) I e IV.

São corretas apenas:

Minha mãe amassa. Amassa só? Sim, amassa só e salga a massa. A massa se amassa
Minha mãe
amassa.
Amassa
só?
Sim, amassa só
e salga a massa.
A massa se
amassa na mesa.
A massa é
sã.
Sim, essa
massa é sã.
O BOM DE IR PARA A
ESCOLA É QUE A GENTE
PODE TER CONVERSAS
LITERÁRIAS

Sobre o título do anúncio anterior, é correto afirmar que:

  • A) Busca aproximar-se do leitor através de uma argumenta- ção objetiva sobre as vantagens do produto.

  • B) Visa fazer com que o leitor reconheça no produto uma vantagem objetiva em relação a produtos concorrentes.

  • C) Aproveita a semelhança de som e de escrita entre o nome da marca e o conceito que se procura transmitir ao leitor.

  • D) Busca aproveitar o efeito de contraste entre as imagens apresentadas e o universo do público leitor.

8 1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO
8
1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO

Olavo Bilac

QUESTÃO 18

 
 

QUESTÃO 19

 
   
Olavo Bilac QUESTÃO 18 QUESTÃO 19 E) O texto reconhece na língua um patrimônio nacional, uma
  • E) O texto reconhece na língua um patrimônio nacional, uma vez que ela é um dos principais elementos de transmis- são cultural.

Analise as seguintes afirmativas sobre o anúncio acima:

  • I. Busca influenciar o comportamento do leitor. Funda-se numa antítese, também traduzida no plano vi- sual. Faz uma crítica direta à política de desarmamento. Tem como público-alvo as autoridades responsáveis pelo desarmamento.

II.

III.

IV.

Língua portuguesa

E o arrolo da saudade e da ternura!

Última flor do Lácio, inculta e bela, És, a um tempo, esplendor e sepultura:

Ouro nativo, que na ganga impura A bruta mina entre os cascalhos vela ...

Amo-te assim, desconhecida e obscura. Tuba de alto clangor, lira singela, Que tens o trom e o silvo da procela,

  • D) O poeta afirma desconhecer seu próprio idioma, embora esse desconhecimento lhe traga, ironicamente, algum pra- zer.

Amo o teu viço agreste e o teu aroma De virgens selvas e de oceano largo! Amo-te, ó rude e doloroso idioma,

em que da voz materna ouvi: "meu filho!", E em que Camões chorou, no exílio amargo, O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

A partir da leitura do poema acima, é correto afirmar que:

  • A) O poeta valoriza o patrimônio cultural herdado de Portu- gal em detrimento da produção cultural nativa do Brasil.

  • B) A sofisticação é o aspecto que o poeta mais admira na língua portuguesa.

  • C) O poeta emprega o recurso da ironia, uma vez que, de fato, a língua natal lhe traz lembranças dolorosas.

Olavo Bilac QUESTÃO 18 QUESTÃO 19 E) O texto reconhece na língua um patrimônio nacional, uma
  • E) O conhecimento produzido pelas redes não pode ser con- siderado autêntico, uma vez que não é corroborado pelo meio acadêmico.

  • D) I e IV.

  • E) I e III.

"Rede Social é uma das formas de representação dos

rela-

cionamentos afetivos ou profissionais dos seres entre si ou entre seus agrupamentos de interesses mútuos. A rede é res- ponsável pelo compartilhamento de ideias entre pessoas que possuem interesses e objetivo em comum e também valores a serem compartilhados. Assim, um grupo de discussão é composto por indivíduos que possuem identidades semelhan- tes. Essas redes sociais estão hoje instaladas principalmen-

te na Internet devido ao fato desta possibilitar uma aceleração e ampla maneira das ideias serem divulgadas e da absorção de novos elementos em busca de algo em comum." (Wikipédia) Sobre as redes sociais, assinale a alternativa correta:

QUESTÃO 20

 
 
  • B) A velocidade da informação e a variedade de fontes pos- síveis faz da internet um meio semelhante ao da mídia impressa.

  • C) A linguagem empregada varia em função do grupo social que representa, assim não é possível falar em uma só linguagem nas redes.

  • D) Para garantir a absorção da informação, os usuários em- pregam uma linguagem formal e, por isso mesmo, univer- sal.

II.

  • A) O compartilhamento de ideias e valores produz uma lin- guagem hermética, via de regra ininteligível para os não iniciados.

QUESTÃO 21

 
 

São corretas apenas:

  • A) I e II.

  • B) II e III.

  • C) III e IV.

No Brasil, são raros os espaços na mídia com o propósito de construir uma ponte entre a ciência e o público infantil. O único periódico integralmente voltado à divulgação científica para crianças é a revista Ciência Hoje das Crianças, objeto de análise deste artigo. Editada pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a publicação nasceu em maio de 1986, como encarte da revista Ciência Hoje. A linguagem inovadora com que os mais diversos temas da ciência eram tratados no encarte, totalmente diferenciada dos livros didáti- cos, foi bem recebida pelos filhos dos leitores de Ciência Hoje e também pelos professores apresentados à publicação. Em setembro de 1990, Ciência Hoje das Crianças foi transforma- da em uma revista independente.

(Bianca Encarnação: Criança & Ciência. In: www.comciencia.br/reportagens)

Analise as seguintes afirmativas sobre o texto acima.

  • I. A autora mistifica a importância da mídia brasileira no desenvolvimento sociocultural da criança. Para a autora, a mídia brasileira pouco se tem preocupa- do em apresentar a ciência à criança.

9
9
  • C) As obras exigem uma postura passiva do espectador, pois este deve aceitar o conceito proposto pelo artista.

QUESTÃO 22

 
 
C) As obras exigem uma postura passiva do espectador, pois este deve aceitar o conceito proposto
C) As obras exigem uma postura passiva do espectador, pois este deve aceitar o conceito proposto
  • D) II, III e IV.

  • E) III e IV.

Figura I

Figura II

A figura I mostra uma obra do artista contemporâneo Damien Hirst, famoso por expor, em conceituadas galerias, animais mortos e, muitas vezes, dissecados. A figura II traz uma das mais famosas obras de Marcel Duchamps, um dos expoen- tes das vanguardas europeias da virada do século XX, conhe-

cido por sua irreverência e por sua iconoclastia. Sobre as duas imagens é correto afirmar que:

  • B) Inserem, no ambiente das artes, objetos que aparente- mente nada têm de artísticos.

III.

  • D) Opõem-se tanto no plano formal quanto no das ideias, uma vez que a primeira traz um elemento natural e a segunda, um elemento industrial.

  • E) Testemunham o espírito de ruptura que marca a suces- são dos movimentos na arte, pois a primeira imagem é uma paródia da segunda.

  • Um dos fatores que levaram ao sucesso do encarte de Ciência Hoje, voltado para o público infantil, foi a forma inovadora da linguagem nos diferentes artigos que ele apresentou sobre ciências. Pelo fragmento pode-se deduzir que, para a autora, os livros didáticos não empregam linguagem inovadora, ao tratar de temas sobre ciência.
    A) Não apresentam procedimento(s) artístico(s) em comum.

IV.

São verdadeiras apenas as afirmativas:

  • A) II e IV.

  • B) I e III.

  • C) I e IV.

ANO o SIMULADO ENEM 2010 - 3 1 o
ANO
o
SIMULADO ENEM 2010 - 3
1 o

Assinale a alternativa que traduz visualmente as ideias sugeridas pelos dois textos.

A)

B)

QUESTÃO 23

 
   
Assinale a alternativa que traduz visualmente as ideias sugeridas pelos dois textos. A) B) QUESTÃO 23
Assinale a alternativa que traduz visualmente as ideias sugeridas pelos dois textos. A) B) QUESTÃO 23

"O termo Renascimento é comumente aplicado à civilização europeia que se desenvolveu entre 1300 e 1650. Além de reviver a antiga cultura greco-romana, ocorreram, nesse período, mui- tos progressos e incontáveis realizações no campo das ar- tes, da literatura e das ciências, que superaram a herança clássica. O ideal do humanismo foi sem dúvida o móvel desse progresso e tornou-se o próprio espírito do Renascimento. Trata-se de uma volta deliberada, que propunha a ressurrei- ção consciente (o re-nascimento) do passado, considerado agora como fonte de inspiração e modelo de civilização. Num sentido amplo, esse ideal pode ser entendido como a valori- zação do homem (Humanismo) e da natureza, em oposição ao divino e ao sobrenatural, conceitos que haviam impregna- do a cultura da Idade Média. Características gerais: racionalidade, dignidade do ser huma- no, rigor científico, ideal humanista, reutilização das artes greco-romanas." (http://www.historiadaarte.com.br/renascimento.html)

Considere os dois textos a seguir.

TEXTO 1

"Verifica-se que o padrão de beleza mudou muito nos últimos tempos. Na época da Renascença o padrão "gordinha" era sinônimo de beleza pois demonstrava que a família da referida mulher era abastada." (http://padrao.debeleza.com.br/)

TEXTO 2

1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO

... Que das luzernas avermelha o brilho.

C)

D)

E)

Navio Negreiro ) ( ... Era um sonho dantesco

QUESTÃO 24

 
 

o tombadilho

Em sangue a se banhar.

estalar de açoite

Tinir de ferros

...

... Legiões de homens negros como a noite,

Horrendos a dançar ... Negras mulheres, suspendendo às tetas Magras crianças, cujas bocas pretas

... Que das luzernas avermelha o brilho. C) D) E) Navio Negreiro ) ( ... Era
... Que das luzernas avermelha o brilho. C) D) E) Navio Negreiro ) ( ... Era
... Que das luzernas avermelha o brilho. C) D) E) Navio Negreiro ) ( ... Era
10
10

Sobre o texto acima, é correto afirmar que:

  • A) elaborar uma narrativa com elementos descritivos.

O gênero textual construído acima objetivou:

"Haja o que houver Há sempre um homem para uma mulher E há sempre de haver Para esquecer um falso amor E uma vontade de morrer Seja como for Há de vencer o grande amor Que há de ser no coração Como um perdão pra quem chorou."

O GRANDE AMOR Tom Jobim e Vinícius de Moraes

  • E) O drama humano se sobrepõe às circunstâncias, geran- do uma impressão viva e profunda que se sobrepõe ao contexto histórico retratado.

  • D) O texto explora os recursos sensoriais sobre os quais recai a ênfase do texto, de modo a atenuar o horror do drama que retrata.

  • C) A escravidão, como instituição, pertence a um período específico de nossa história, o que reduz o impacto mo- derno da obra.

  • B) A "multidão faminta", de fato, é uma metáfora e como tal deve ser analisada, ou seja, fora de seu contexto históri- co-social.

  • A) O texto retrata um drama humano de uma época especí- fica, o que leva, hoje, a uma leitura exclusivamente de chave histórica.

QUESTÃO 25

 
   
  • E) apresentar um narrador que expõe seu ponto de vista sobre o amor, usando o procedimento de autorreferência.

Rega o sangue das mães:

Outras moças, mas nuas e espantadas, No turbilhão de espectros arrastadas, Em ânsia e mágoa vãs! E ri-se a orquestra irônica, estridente ... E da ronda fantástica a serpente Faz doudas espirais ...

Se o velho arqueja, se no chão resvala,

... E voam mais e mais ... Presa nos elos de uma só cadeia, A multidão faminta cambaleia, E chora e dança ali! Um de raiva delira, outro enlouquece, Outro, que martírios embrutece, Cantando, geme e ri!

Ouvem-se gritos

o chicote estala.

  • B) expressar a ideia, numa linguagem poético-argumentativa, de que o verdadeiro amor sempre vence.

  • C) construir uma apreciação irônica do amor.

  • D) expor conhecimentos sobre o relacionamento amoroso.

11
11

O efeito de humor foi um recurso utilizado pelo autor da tirinha para mostrar que Mafalda:

  • D) valoriza sobremaneira a obtenção de cultura.

  • C) não suporta ser vencida numa discussão argumentativa.

  • B) jamais consegue estabelecer um diálogo pacífico.

  • A) sempre resolve suas desavenças pela força.

  • E) não gosta de pessoas que põem a cultura em segundo lugar.

  • B) narrativo, já que há um narrador que conta como cons- truir o homem das grandes metrópoles.

  • A) argumentativo, pois expressa opinião acerca do caráter do ser humano.

O fragmento acima é parte da música "Os anjos" da famosa banda Legião Urbana, liderada pelo saudoso Renato Russo. Analisando os elementos característicos do gênero textual empregado na composição, pode-se dizer que se trata de um texto:

Adicione a seguir o ódio e a inveja Às dez colheres cheias de burrice Mexa tudo e misture bem E não se esqueça: antes de levar ao forno Temperar com essência de espírito de porco, Duas xícaras de indiferença E um tablete e meio de preguiça." Legião Urbana

"Pegue duas medidas de estupidez Junte trinta e quatro partes de mentira Coloque tudo numa forma Untada previamente Com promessas não cumpridas

QUANDO EU CRESCER QUERO TER MUITOS VESTIDOS! E EU MUITA CULTURA! SE VOCÊ SAIR NA RUA
QUANDO EU CRESCER
QUERO TER MUITOS
VESTIDOS! E EU MUITA
CULTURA!
SE VOCÊ SAIR NA
RUA SEM CULTURA, A
POLÍCIA TE PRENDE?
NÃO
EXPERIMENTA SAIR SEM
VESTIDO
É TRISTE TER QUE
BATER EM ALGUÉM QUE
TEM RAZÃO!

QUESTÃO 27

 
 

QUESTÃO 26

 
   
ANO o SIMULADO ENEM 2010 - 3 1 o
ANO
o
SIMULADO ENEM 2010 - 3
1 o
  • E) II e III = denotação em ambos.

  • C) A linguística há de considerar, dentre outros fatores, to- dos os processos imigratórios e migratórios que consti- tuíram e continuam constituindo a história de um povo.

  • D) Politicamente pertencemos a diferentes estruturas soci- ais, que nos inserem em distintos contextos, acabando por construir formas desiguais de linguagem dentro de uma mesma língua.

  • E) A norma culta é a única que assegura a unidade da lín- gua nacional. É justamente em nome dessa unidade, tão importante do ponto de vista político-cultural, que só se devem considerar elementos de comunicação as estru- turas difundidas pelas gramáticas.

A variação linguística não torna a língua melhor ou pior nem mais bonita. Simplesmente aproxima o indivíduo de uma mai- or compreensão do mundo e sua relação no meio em que vive. Assinale a alternativa que classifica corretamente o tipo de linguagem apresentada nos exemplos abaixo.

  • I. Estou preocupado. Tô preocupado. Tô grilado.

II.

  • A) I = norma culta e conotação;

  • B) II = gíria e denotação;

  • C) III = linguagem popular e denotação;

  • D) I, II e III = norma culta, linguagem popular e gíria, respec- tivamente;

  • B) Perceber o português falado em toda a extensão do terri- tório brasileiro como único é o mesmo que fechar os olhos para todas as culturas existentes em nosso país.

III.

QUESTÃO 28

 
   

QUESTÃO 29

 
   
  • C) expositivo, uma vez que apresenta diferentes formas de conhecimento sobre as relações humanas.

  • D) instrutivo, porque orienta como proceder para obter um resultado.

  • E) apelativo, visto que leva o leitor a adotar determinado com- portamento ou assumir determinada orientação.

Leia o comentário a seguir:

"A variação linguística é um fenômeno estudado pela Linguística, mais especificamente pela Sociolinguística, que atua no limiar entre língua e sociedade, buscando a heterogeneidade encontrada nos diversos falares."

Assinale a alternativa que vai de encontro ao que foi exposto:

  • A) Vários pesquisadores se dedicam a estudar as variantes encontradas em nossa língua materna que somam uma quantia incalculável, desmistificando a unidade linguística no português falado pelo povo brasileiro.

1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO

O volume assombroso de significação, aprendizagem, emo- ção e sabedoria que pode ser expresso em poucas linhas é de grande relevância. Um verso, às vezes menos que um ver- so, é capaz de transmitir uma mensagem, uma lição de vida, uma experiência sensível, que vão além do tempo de leitura da poesia, ensinando, na prática, que um grande texto não

QUESTÃO 31

 
 
  • B) 02-A, 03-D, 04-B, 05-C, 06-E;

  • C) 02-E, 03-B, 04-D, 05-C, 06-A;

  • D) 02-D, 03-A, 04-B, 05-E, 06-C;

  • E) 02-D, 03-A, 04-C, 05-B, 06-E.

Considerando as relações que as palavras exercem entre si ou os elementos que as retomam, os termos e seus referen- tes estão devidamente representados, no texto a seguir, em:

"Não se devem confundir os conceitos de linguagem e de lín- gua. Enquanto aquela diz respeito à capacidade ou faculda- de de exercitar a comunicação (latente, em ação ou exercí- cio), esta última se refere a um conjunto de palavras e ex- pressões usadas por um povo, por uma nação, munido de regras próprias (sua gramática).”

  • A) 02-A, 03-B, 04-C, 05-D, 06-E;

  • A) aquela - língua; latente - linguagem; esta última - língua;

  • B) aquela - linguagem; latente - comunicação; esta última - língua;

  • C) aquela - língua; latente - língua; esta última - linguagem;

  • D) aquela - língua; latente - linguagem; esta última - comuni- cação;

  • E) aquela - linguagem; latente - língua; esta última - comuni- cação.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Linguagem

QUESTÃO 30

 
   

América do Sol. América do suco, América do saco, América do soco!"

precisa ser um texto grande, que poucas palavras podem ex- primir uma mensagem intensa, vívida, indelével. Veja os dois gêneros textuais exemplificados a seguir:

TEXTO 01

"América do Sul, América do sal

01

02

03

04

05

06

www.filologia.org.br

TEXTO 02

"A América do Sul é cheia de praias banhadas pelo Atlântico

e pelo Pacífico (A), quente e ensolarada (B), mas, numa antí- tese cruel, o continente das banana-republics, países pobres e ditatoriais, fornecedores de frutas para os países ricos (C), é eternamente rural e desgostoso (D), sofrendo dupla violên- cia e exploração, tanto de seus próprios governos tirânicos e desonestos quanto das nações mais poderosas (E)."

www.filologia.org.br

Fazendo a análise comparativa entre os dois textos, relacio- ne o número de cada verso do texto 01 com as letras entre parênteses do texto 02. A devida correspondência está repre- sentada em:

12
12

II. Noiva havia quase cinco anos, Ismênia já se sentia meio casada. Esse sentimento junto à sua natureza pobre fê- -la não sentir um pouco mais de alegria. Ficou no mes- mo. Casar, para ela, não era negócio de paixão, nem se inseria no sentimento ou nos sentidos; era uma ideia, uma pura ideia. Aquela sua inteligência rudimentar tinha separado da ideia de casar o amor, o prazer dos senti- dos, uma tal ou qual liberdade, a maternidade, até o noi- vo. Desde menina, ouvia a mãe dizer: "Aprenda a fazer

QUESTÃO 32

 
   

Monteiro Lobato e Lima Barreto foram relevantes autores do Pré-Modernismo brasileiro. De acordo com os textos:

(BARRETO, Lima. TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA)

instrução, as satisfações íntimas, a alegria, tudo isso era inútil; a vida se resumia numa coisa: casar.

quando você se casar"

– e a menina foi se convencen-

... do de que toda a existência só tendia ao casamento. A

A todo instante e a toda hora, lá vinha aquele – "porque,

casar ” ...

ou senão: "Você

isso, porque quando você se casar"

... precisa aprender a pregar botões, porque quando você se

  • B) A destoante concepção quanto ao casamento ocorre por- que, no primeiro texto, há predomínio do tom dissertativo, corroborando com o grau incisivo na abordagem temática, e no segundo, tom narrativo, permitindo distanciamento da criticidade.

  • boneca o supremo enlevo. Dá a natureza dois momentos divinos à vida da mulher: o momento da boneca – prepa- ratório –, e o momento dos filhos – definitivo. Depois dis- so, está extinta a mulher.
    A) No painel ideológico, ambos se assemelham por apre- sentar o matrimônio como evento obsoleto, visto assim comumente naquela época.

    • I. Varia a pele, a condição, mas a alma da criança é a mes- ma – na princesinha e na mendiga. E para ambas é a

Leia os seguintes textos:

QUESTÃO 33

 
 

(LOBATO, Monteiro. Negrinha)

"O Mateus Souza é de Viçosa, interior de Minas Gerais, e manda para o blog um convite bem divertido que ele criou. A história em quadrinhos foi bolada para a irmã e o resultado agradou todo mundo. Fica a dica para noivos que adoram qua- drinhos." (extraído de Noiva.com)

Leia trecho do blog criado por um mineiro em que é divulgado um inusitado convite de casamento:

  • E) A valoração dada ao matrimônio é evidente nos dois frag- mentos textuais, em que há o triunfo da reciprocidade amorosa.

  • D) O casamento, segundo a visão dos autores, era o resul- tado considerado satisfatório da educação dada às mu- lheres naquela época.

  • C) Ambos os autores revelam o casamento como o escapismo dos problemas financeiros.

II. Noiva havia quase cinco anos, Ismênia já se sentia meio casada. Esse sentimento junto à

O blog é um "diário pessoal e público" divulgado na internet, atingindo pessoas de variadas idades e pretensões. No to- cante ao blog acima:

  • A) Contribuiu com a divulgação do Romantismo, enquanto estética literária.

  • B) Colaborou com a divulgação do romantismo, enquanto sentimento e postura inerentes ao ser humano.

  • C) Corroborou com o Romantismo, mesmo sem apresentar exagero algum no envolvimento amoroso.

  • D) Conscientizou acerca da importância do casamento nos dias atuais.

  • E) Abordou a temática do casamento como um evento isen- to de espontaneidade.

Leia os seguintes textos:

Texto I - AMOR E SEXO

(Rita Lee / Roberto de Carvalho / Arnaldo Jabor) Amor é um livro - Sexo é esporte Sexo é escolha - Amor é sorte

Amor é pensamento, teorema Amor é novela - Sexo é cinema Sexo é imaginação, fantasia Amor é prosa - Sexo é poesia O amor nos torna patéticos Sexo é uma selva de epiléticos Amor é cristão - Sexo é pagão Amor é latifúndio - Sexo é invasão Amor é divino - Sexo é animal Amor é bossa nova - Sexo é carnaval

JULIANA & RODRIGO

QUESTÃO 34

 
 
O blog é um "diário pessoal e público" divulgado na internet, atingindo pessoas de variadas idades
1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO 13
1 o
SIMULADO ENEM 2010 - 3
o
ANO
13
  • C) a mesma, pois constroem raciocínio semelhante através da definição do amor.

QUESTÃO 35

 
   

É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer.

Amor é fogo que arde sem se ver;

Texto 2

Como morreu quem nunca amar Se fez pela coisa que mais amou E quanto dela receou Sofreu, morrendo de pesar, Ai, minha senhora, assim morro eu. (Paio Soares de Taveirós, séc. XII)

Texto 1

Compare os textos a seguir:

  • E) a mesma , uma vez que em ambos o amor é apresentado de forma paradoxal.

  • D) diferente, porque a visão de sexo no primeiro é concreta e no segundo é abstrata.

(Luís de Camões, séc. XVI)

  • B) diferente, já que só o texto II define o amor como um sentimento complexo, paradoxal.

  • A) a mesma, através da projeção contraditória do amor.

Podemos afirmar que a abordagem do amor nos textos é:

Mas como causar pode seu favor nos corações humanos amizade, se tão contrário a si é o mesmo Amor?

É querer estar preso por vontade; é servir a quem vence, o vencedor; é ter com quem nos mata, lealdade.

É um não querer mais que bem querer; é um andar solitário entre a gente; é nunca contentar-se de contente; é um cuidar que ganha em se perder.

Texto II - Amor é fogo que arde sem se ver (Luís Vaz de Camões) Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói, e não se sente; é um contentamento descontente, é dor que desatina sem doer.

Amor é para sempre - Sexo também Sexo é do bom - Amor é do bem Amor sem sexo é amizade Sexo sem amor é vontade Amor é um - Sexo é dois Sexo antes - Amor depois Sexo vem dos outros e vai embora Amor vem de nós e demora.

1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO

  • B) A identificação da temática de um texto nem sempre de- fine sua filiação estética.

RODRIGO LEÃO - NOISNATIRA.COM SEDUÇÃO MODOS DE SÉCULO XXI SÉCULO XIX SÉCULO XV
RODRIGO LEÃO - NOISNATIRA.COM
SEDUÇÃO
MODOS DE
SÉCULO XXI
SÉCULO XIX
SÉCULO XV

QUESTÃO 36

 
   
  • I. O primeiro quadrinho corresponde ao trovadorismo, o que fica evidente pelo uso do vocábulo "fermosa". II. No trovadorismo, o homem postava-se como um vassalo da Dama, tratando-a por "Senhora" e declarando sua sub- missão a ela. III. O segundo quadrinho corresponde ao Romantismo, em que a mulher era vista de modo idealizado, e o adjetivo "intocável" retrata bem a ideia de que o amor, para se manter puro, não poderia se realizar de modo carnal.

humano, mudando apenas a perspectiva com que o tema é trabalhado, dependendo da época e da escola literária. Como bem ilustra a tirinha, a maneira como se desenvolve a relação homem/mulher mudou com o passar do tempo, e essa mudança foi refletida na literatura. Assim, aliando as informa- ções transmitidas pela tirinha e seus conhecimentos acerca das escolas literárias, julgue os itens abaixo:

A literatura, desde os seus primórdios, trabalha com alguns temas considerados universais, por serem inerentes ao ser

  • E) A idealização positiva que caracteriza o Texto 3 não está presente no Texto 4.

  • D) O sofrimento afirmado no Texto 1 apresenta-se mais abs- trato no Texto 2.

  • C) Algumas temáticas estão presentes em diferentes épo- cas artísticas.

Texto 3

  • A) A temática dos textos é exclusiva do movimento românti- co.

Assinale a alternativa incorreta sobre os textos acima.

(João Cabral de Melo Neto, séc. XX)

O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato. O amor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço. O amor comeu meus cartões de visita. O amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome.

Texto 4

(Casimiro de Abreu, séc. XIX)

Tu és senhora de mim; Tu matas todos d'amores, Faceira, vendendo as flores Que colhes no teu jardim.

Moreninha, Moreninha, Tu és do campo a rainha,

14
14

LUXO

IV. A ideia contida no terceiro quadrinho, transposta para a literatura, poderia representar as conquistas da literatura contemporânea, principalmente no que diz respeito ao coloquialismo empregado na linguagem. Estão corretos os itens:

II, III e IV.

LUXO LUXO

LUXO

LUXO

LUXO

LUXO

LUXOLUXOLUXO

LUXO LUXO

  • A) Apenas II e III. LUXO

LUXO LUXOLUXOLUXO

LUXO

  • B) LUXO

  • A) "Meu blusão traz lembrete de bebida Que jamais pus na boca, nessa vida, Em minha camiseta, a marca de cigarro Que não fumo, até hoje não fumei." (Drummond - Eu, Etiqueta)

bro de 2008, com a queda do banco de investimentos Lehman Brothers, trouxe um grande desafio para a sociedade de con- sumo, que passou a sofrer inúmeras críticas. Porém, Artis- tas e Intelectuais de todas as áreas sempre desfecharam crí- ticas ao Capitalismo e aos seus métodos. Indique o trecho que não apresenta um exemplo de crítica ao Capitalismo:

A crise econômica mundial, desencadeada em 15 de setem-

  • E) I, II, III e IV.

LUXO

  • E) "De fato, como podia Um operário em construção Compreender por que um tijolo Valia mais do que um pão? Tijolos ele empilhava Com pá, cimento e esquadria Quanto ao pão, ele o comia ... Mas fosse comer tijolo! E assim o operário ia Com suor e com cimento Erguendo uma casa aqui Adiante um apartamento" (Vinícius de Moraes - Operário em Construção)

(João Cabral de Melo Neto)

  • D) Pelo Sertão não se tem como não se viver sempre enlutado; lá o luto não é de vestir, é de nascer com, luto nato.

  • C) "Corrida pra vender cigarro cigarro pra vender remédio remédio pra curar a tosse tossir, cuspir, jogar pra fora corrida pra vender os carros pneu, cerveja e gasolina cabeça pra usar boné e professar a fé de quem patrocina" (Engenheiros do Hawaii - 3ª do Plural)

LUXO LUXOLUXOLUXO (Décio Pgnatari)

LUXOLUXO LUXO

LUXOLUXO LUXO

LUXOLUXO

LUXOLUXOLUXO

LUXO

LUXO

LUXO

LUXO

LUXO

  • D) Apenas

QUESTÃO 37

 
   
  • C) Apenas I, II e IV.

  • B) Apenas I, II e III.

LUXO IV. A ideia contida no terceiro quadrinho, transposta para a literatura, poderia representar as conquistas

"Some people balk at the idea of sending money to help animals over humans in this kind of circumstance, but it's nothing like that," says Ross. "Imagine trying to fend off hungry, potentially rabid dogs when you have no shelter and are weak from lack of food."

  • E) incapacidade dos humanos de manterem seus animais após a catástrofe.

  • D) busca de animais perdidos.

  • C) desinteresse humano de ajudar seus animais após uma catástrofe.

  • B) dificuldade de destinar alguma parcela do dinheiro arre- cadado para os animais vitimados.

  • A) dificuldade que os humanos têm de ajudar financeiramente vítimas animais.

INGLÊS

Após o terremoto, a miséria se alastrou pelo Haiti. O texto acima apresenta um problema relacionado à(ao):

IFAW (International Fund for Animal Welfare) and WSPA (World Society for the Protection of Animals) have marshaled their forces to create a new entity called ARCH (Animal Relief Coalition for Haiti) to bring aid to Haiti's animals as quickly as possible. They have a team on the ground already, working in co-operation with the Dominican SPCA (SODOPRECA), providing medicine, vaccinations and food via a mobile clinic.

"CAAT recognizes the important role companion and agricultural animals play in human lives," says Chris Robinson, CAAT's Executive Director. "Pets left without food or appropriate care can become a strain on society, spreading diseases such as rabies or parasitic infections. Loss of livestock results in a shortage of essential food sources and transportation and cripples the livelihood of those in agricultural production, hindering the rebuilding process."

Organized in 2005 to provide support to other animal aid organizations in New Orleans after Hurricane Katrina, CAAT is committed to being a part of the Haiti animal recovery efforts.

Read on to learn about organizations that are providing relief efforts for animals in Haiti, and in turn, for the human victims of the earthquake.

contracting rabies is greatly needed, and other diseases are capable of spreading from animals to humans like anthrax and cholera. Donating to help the animals definitely also helps humans in the long run."

According to Ross, Haiti currently has an estimated 500,000 feral dogs running the streets and they will instinctively form packs to survive. "Medicine to vaccinate the animals from

QUESTÃO 38

 
   
15 ANO o SIMULADO ENEM 2010 - 3 1 o
15
ANO
o
SIMULADO ENEM 2010 - 3
1 o
  • C) controlar o avanço da raiva, do cólera e do antrax.

QUESTÃO 42

 
 

QUESTÃO 41

 
 

QUESTÃO 40

 
   
  • A) difusão de doenças.

sua organização reconhece a importância que os animais de estimação e os animais que são usados na agricultura têm para a vida do homem. Além disso, Chris Robinson fala das causas e consequências dos maus-tratos sofridos por ani- mais. São consequências de maus-tratos, exceto:

De acordo com Chris Robinson, diretor executivo da CAAT,

  • E) produzir vacinas contra a raiva.

  • D) auxiliar no sacrifício de animais infectados.

QUESTÃO 43

 
   
  • B) evitar que enfermidades atinjam os humanos.

QUESTÃO 39

 
   
  • A) proporcionar uma vida digna aos animais.

De acordo com o texto, o principal destino das doações finan- ceiras à causa animal seria:

  • E) costumava viver com humanos.

  • D) é bravo como uma fera.

  • C) caça como um animal selvagem.

  • B) possui uma doença letal.

  • B) diminuição na produção de alimentos.

  • D) lembra o nome da Arca de Noé.

  • C) refere-se a um arco de ajuda aos animais.

  • B) faz uso de uma palavra já existente na língua inglesa.

  • A) é uma palavra fácil de ser lida e memorizada.

Duas entidades, IFAW e WSPA, se uniram e criaram uma chamada ARCH. O leitor pode inferir que o nome da nova en- tidade adequa-se ao contexto de sua atuação, pois:

  • E) mutilação de animais.

  • D) problemas com o transporte de gêneros alimentícios.

  • C) dificuldade na reconstrução de um país devastado.

  • E) faz uso do nome do Haiti no acrônimo.

O pronome YOU, em destaque no primeiro parágrafo, se refe- re a:

De acordo com o texto, 500 mil FERAL DOGS são estimados perambulando nas ruas haitianas. Usando a temática apre- sentada pela reportagem, pode-se concluir que um FERAL DOG é um cão que:

  • E) uma pessoa faminta lutando por comida com cães doen- tes.

  • D) um cão que perdeu seu dono na catástrofe.

  • C) alguém que foi atacado por um cão nas ruas do Haiti.

  • B) algum veterinário sem recursos cuidando de cães.

  • A) uma pessoa vítima do terremoto.

  • A) foi mutilado pela catástrofe.

1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO

The text above illustrates:

QUESTÃO 44

 
 

QUESTÃO 45

 
   
The text above illustrates: QUESTÃO 44 QUESTÃO 45 Amnestic Immune Response Primary Immune Response C) Because
Amnestic Immune Response Primary Immune Response
Amnestic Immune Response
Primary Immune Response
  • C) Because of their agility, it is harder to catch the cats for inoculations.

  • D) Due to their immunological system, cats are more susceptible to be infected by rabies.

  • E) Since they are friendlier, people care much more the dogs.

In this example, a puppy was vaccinated at 7, 10, 13 and 16 weeks of age. The puppy did not respond to the 7 and 10 week vaccinations. At 13 weeks, it responded fairly well with moderate amounts of antibody. Had we stopped here, minimally protective amounts of antibody would remain for a short time in this pup's system. Notice the response at 16 weeks, however. The booster at 16 weeks illustrates what happens when an antigen is recognized a second time-much more antibody is produced, it is produced faster, and it remains for a

longer time in the pup's system.

  • A) For inhabiting the streets alone and careless more than dogs, cats' rabies figures are higher.

  • A) The moments when a dog is more susceptible to get

  • B) When a dog has to start being vaccinated.

  • C) The importance of a prophylactic treatment to avoid diseases.

  • D) How useless the very first inoculations in a dog are.

  • rabies.
    E) The importance of being breastfed.

  • B) For having an easier reproduction, cats are more infected than dogs.

It can be concluded from the data above:

16
16
  • B) Depende directamente de la calidad del producto que es vendido.

  • E) El empleo del artículo indefinido "un" y del artículo defini- do "el" en la misma frase.

Nuestro pasado de incultura literaria y de relativo desprecio por el libro creó, para el presente, una ambigua predisposición sicológica, que se traduce ora por el inmoderado desánimo frente nuestra cantidad gigantesca de analfabetos, ora por el ciego optimismo frente la saudable expansión del parque edi- torial. De acuerdo con el texto:

  • A) No hay equilíbrio en la manera como se encara la situación del libro.

  • B) El gran número de analfabetos explica la poca importancia que se da al libro.

  • C) La expansión del parque editorial despierta el interés del lector por el hábito de la lectura.

QUESTÃO 38

 
   
  • D) La cultura literaria del pasado no se compara con la del presente.

  • E) Es ambigua la predisposición sicológica en lo que atañe al problema de la adquisición del libro.

La propaganda puede ser definida como divulgación intencio- nal y constante de mensajes destinadas a una determinada audiencia visando crear una imagen positiva o negativa de determinados fenómenos. La propaganda puede estar muchas veces relacionada a la idea de manipulación de grandes gru- pos de personas por parte de pequeños grupos. Algunos

principios de la propaganda son: el principio de la simplificación, de la saturación, de la deformación y de la parcialidad. Según en texto, muchas veces la propaganda:

  • A) No permite que minorías impongnan ideas a la mayoría.

  • E) Invita el comprador a la reflexión sobre la naturaleza de lo que se propone vender.

QUESTÃO 39

 
   

QUESTÃO 40

 
   
  • D) La proximidad no usual del agente presentado y de la acción de olfatear

ESPANHOL

Yo empezaría diciendo que poesia es una cuestión de lenguaje. La importancia del poeta es que él vuelve más vivo en lenguaje. Carlos Drummond de Andrade escribió uno de los más bellos versos de la lengua portuguesa con dos palabras comunes:

perro y olfateando.

Un perro olfateando el futuro. Lo que dio al verso de Drummod el carácter de inovador de la lengua fue:

  • A) El modo raro como fue tratado el "futuro"

  • B) La referencia al perro como "una mascota"

  • C) El empleo del verbo en el gerundio

  • C) Favorece el control de los grupos difundiendo las contradicciones del producto.

  • D) Se vuelve especialmente para los intereses de quien ven- de el producto.

B) Depende directamente de la calidad del producto que es vendido. E) El empleo del artículo

Brasil, como un país subdesarrolado, pese al acelarado proceso de industrialización no consiguió todavía se librar del

QUESTÃO 41

 
 

QUESTÃO 42

 
 

QUESTÃO 43

 
   

"Esa atrocidad (el atentado del 11 de septiembre, en Nueva York) fue un ataque contra todos nosotros, contra personas de todas y ninguna religión. Sabemos que la Al-Qaeda amenaza

Europa, incluyendo a Inglaterra, y cualquier nación que no

comparta de su fanatismo. Fue un ataque a la vida y a los medios de vida. Las empresas aéreas, el turismo y otras industrias fueron afectadas y la confianza económica sufrió, afectando empleos y negocios británicos. Nuestra prosperidad y patrón de vida requieren una respuesta a los ataques terro- ristas" (El País, 18-10-2001) En esa declaración, se destacaron principalmente los intereses de carácter:

  • A) moral

  • B) militar

  • C) jurídico

  • E) De la saturación y de la deformación

  • D) religioso

  • E) económico

TEXTO 1

Dicha afirmación se relacio-

hambre. Los bajos índices de productividad agrícola se constituyeron como factores de base en el condicionamiento de un abastecimiento alimentario insuficiente e inadecuado a las necesidades alimentarias de nuestro pueblo. (Adaptado de Geografía del Hambre 1947)

TEXTO 2

Una de las evidencias contenidas en el mapa del hambre con- siste en la constatación de que el problema alimentario en Brasil no reside en la disponibilidad y producción interna de granos y de los productos tradicionalmente consumidos en el país, pero antes en el descompaso entre el poder adquisitivo de ampla parcela de la población y el costo de adquisición de una cantidad de alimentos compatible con las necesidades del trabajador y de su familia.

El texto afirma "La propaganda puede ser definida como

divulgación intencional y constante de mensajes destinadas "

a una determinada audiencia

El texto abajo es un trozo del discurso del primer ministro británico, Tony Blair, pronunciado cuando de la declaración de guerra al régimen talibán:

...

na más directamente con los principios:

  • A) De la simplificación y de la parcialidad

  • B) De la parcialidad y de la simplificación

  • C) De la parcialidad y de la saturación

  • D) De la deformación y de la parcialidad

17 ANO o SIMULADO ENEM 2010 - 3 1 o
17
ANO
o
SIMULADO ENEM 2010 - 3
1 o

QUESTÃO 45

 
 

QUESTÃO 44

 
 
  • B) no conseguir evitar su rápido crecimiento urbano, por ser un país con gran extensión de fronteras terrestres y de cuesta.

  • A) hacer parte del mundo tropical, pero tener un crecimiento urbano semejante al de los países de clima frío.

Brasil es calificado como una " tierra de contrastes" por

"El Brasil, quinto país del mundo en extensión territorial, es el más vasto del hemisfério sur. Él hace parte esencialmente del mundo tropical, a excepción de sus provincias más meridionales, al sur de San Pablo. Brasil dispone de vastos territorios subpoblados, como el de la Amazonia, conoce también un crecimiento urbano extremamente rápido, índices de pobreza que no disminuyen y una de las sociedades más desiguales del mundo. Calificado de "Tierra de contrastes", Brasil es un país moderno del tercer mundo, con todas las contradicciones que ello tiene por consecuencia" (Droulers, Martine. Dictionnaire Geopolítico que des estais)

Una pesquisadora francesa produjo el siguiente texto para caracterizar el Brasil:

  • E) de la pesqueña producción de granos

  • D) del proceso de industrialización

  • C) de la carencia de tierras productivas

  • B) de una red de transporte insuficiente

  • A) de la renta insuficiente de los trabajadores

Comparando los textos I y II, se puede concluir que la persistencia del hambre en Brasil resulta principalmente

  • D) poseer vastos territorios subpoblados, pese a no tener recursos económicos y tecnológicos para explotarlos.

  • C) poseer grandes diferencias sociales y regionales y ser considerado un país moderno del tercer mundo.

conjuntural, o sea, provocada por crisis ubicadas y temporales. Está asociada a cambios estruturales en la economía, por eso el nombre de desempleo estructural. El desempleo se manifiesta hoy en la mayoría de las economías, incluyendo a dos países ricos. La OIT estima en un mil millones - un tercio de la fuerza laboral del mundo - el número de desempleados en todo el mundo en 1998. De ese total, 150 millones se encuentran abiertamente desempleados y en 750 y 900 millones están subempleados.

La ola de desempleo reciente no

todo el mundo

[

]

es

...

"El desempleo es hoy un fenómeno que afecta y preocupa

Uno de los más grandes problemas de la actualidad es el aumento desenfrenado del desempleo. El texto puesto abajo destaca esta situación.

  • E) tener elevados índices de pobreza, por ser un país con gran extensión territorial y predominio de actividades campesinas.

1 o SIMULADO ENEM 2010 - 3 o ANO

Por el texto se percibe que el desempleo es considerado estructural a causa de

  • A) ser provocado por una crisis temporal

  • B) ser provocado por una crisis ubicada

  • C) estar asociado a mudanzas estructurales en la economía

  • D) solo afectar a los países pobres

  • E) solo afectar a los países ricos

18
18