P. 1
Abi 1

Abi 1

|Views: 8|Likes:
Published by Sandra Bastos

More info:

Published by: Sandra Bastos on Oct 06, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/29/2013

pdf

text

original

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LOUSADA

Auto: Termo que no século XVI (nomeadamente na edição do teatro vicentino) se aplicava a peças de teatro ao gosto tradicional. Os assuntos poderiam ser religiosos ou profanos, sérios ou cómicos. Os autos, ao mesmo tempo que divertiam, moralizavam pela sátira de costumes e inculcavam de modo vivo e acessível as verdades da fé. In Dicionário da Literatura, Livraria figueirinhas, Porto

A cena, efectivamente, representa a margem de um rio ± ³o rio do outro mundo´ com duas barcas prestes a partir: uma delas, conduzida por um anjo, leva ao Paraíso, a outra, conduzida por um diabo, leva ao Inferno. Uma série de personagens vão chegando à praia: são os mortos que acabam de deixar o mundo.
Paul Teyssier, Gil Vicente ± o Autor e a Obra

Há um porto, um rio e duas barcas. Forçoso é que as almas ao demandarem o porto embarquem num dos dois batéis. O mesmo rio levará as embarcações a destinos opostos: o paraíso e o inferno. De um lado, um anjo; do outro, um diabo. Apresentam-se as almas no porto para fazerem a travessia do rio. Obrigados a terem que entrar num dos batéis, as almas não têm a possibilidade de escolha. O percurso que fizeram na Terra, a vida de cada um, é o sinal absoluto de que dependerá o último destino. A autoridade para esta decisão é presente quer no Diabo, quer no Anjo. A justiça é, por isto mesmo, precisa e sumária, e a eloquência das argumentações feitas pelos condenados de nada vale porque a evidência dos pecados determina a travessia do rio na barca infernal. COMUNA, TEATRO DE PESQUISA, Para onde is? (texto adaptado pelo professor)

Quem quiser ler peças de Gil Vicente e entender por que razão sãotantas vezes constituídas por desfiles de personagens, deverá saber que este autor não escreveu de acordo com convenções dramáticas prévias. As suas peças eram apresentadas num salão, integradas em festas ou entremeadas com danças e música. Tendo isto em consideração, será mais fácil entender por que razão as personagens entram em cena como se trouxessem um letreiro a dizer quem são. A sua identificação é feita através dos objectos e ferramentas que transportam em palco (símbolos cénicos) e através daquiloque dizem (linguagem).
Luís Miguel Cintra, O Texto Dramático, in ³Palavras´, n.º 4/5/6 (texto adaptado pelo professor)

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->