You are on page 1of 2

Movimento de Queda, na vertical,

com efeito da resistência do ar apreciável

A resistência do ar nem sempre pode ser desprezável. O efeito desta


força é tanto maior quanto maior for a velocidade com que o que o corpo
se desloca.

Movimento de um pára-quedista

• No momento do salto (início do troço A), o pára-quedista está


sujeito, apenas, à força gravitica que a Terra exerce sobre ele, move-
se praticamente em queda livre (num curto intervalo de tempo),
adquirindo movimento rectilíneo uniformemente acelerado.
Decorrido um certo intervalo de tempo, a resistência do ar ao
movimento torna-se significativa. Como a resultante das forças que
actua no sistema é diferente de zero, o movimento passa a ser
rectilíneo e acelerado, com aceleração variável;

• No troço do gráfico representado por B, a resultante das forças


que actua no sistema é nula— o efeito da resistência do ar anula o
efeito do peso do sistema. Por isso, o pára-quedista move-se com
velocidade constante. O sistema adquire movimento rectilíneo
uniforme;
• Em C, o valor da velocidade com que se move o pára-quedista
decresce acentuadamente. Isto porque, quando o pára-quedas se
abre, a resistência do ar exerce-se em toda a sua superfície interior.
A resultante das forças que actua no sistema é diferente de zero. O
sistema move-se com movimento rectilíneo retardado;

• Em D, a força resultante anula-se. O sistema move-se com


velocidade constante, que se designa por velocidade terminal. O
sistema está animado de movimento rectilíneo uniforme.