You are on page 1of 3

LISTA I - ÁLGEBRA LINEAR - CO

Prof. Msc. Leidy Diane Wolmuth wolmuth@gmail.com


Depto de Matemática, ICET, UFMT
Cuiabá, MT, 08/10/2010

1. Verifique se a aplicação T : R2 → R2 definida por T (x, y) = (x2 + y 2 , x) é uma


transformação linear.

2. Quais das seguintes aplicações de R3 em R3 são operadores lineares?

a) T (x, y, z) = (x − y, x + y, 0)
b) T (x, y, z) = (2x − y + z, 0, 0)
c) T (x, y, z) = (x, x, x)
d) T (x, y, z) = (2x2 + 3y, x, z)

3. Existe um operador linear T : R3 → R3 tal que T (1, 1, 1) = (1, 2, 3), T (1, 2, 3) =


(1, 4, 9) e T (2, 3, 4) = (1, 8, 27)? Justifique sua resposta.

4. Seja T o operador linear do R2 tal que T (1, 0) = (2, 1) e T (0, 1) = (1, 4).

a) Determinar T (2, 4)
b) Determine (x, y) ∈ R2 tal que T (x, y) = (2, 3)

5. Sabendo que T : R2 → R2 é um operador linear e que T (1, 2) = (3, −1) e T (0, 1) =


(1, 2), encontre T (x, y).

6. Determine uma base e a dimensão do núcleo e da imagem das seguintes trans-


formações lineares:

a) T : R3 → R2 dada por T (x, y, z) = (x + y, 2x − y + z).


b) T : R3 → R dada por T (x, y, z) = x + y − z.
c) T : R2 → R2 dada por T (x, y) = (2x, x + y).
d) T : R3 → R4 definida por
T (x, y, z) = (x − y − z, x + y + z, 2x − y + z, −y).
2 (R) → )
e) T : M( M2 (R) dada por T (X) = M X + X, onde
1 1
M= .
0 0

7. Determine uma aplicação linear T : R3 → R4 tal que Im(T ) = [(1, 1, 2, 1), (2, 1, 0, 1)].

8. Mostre que o operador linear T do R3 dado por T (x, y, z) = (x + z, x − z, y) é um


isomorfismo. Determine T −1 .

9. A aplicação linear T : R3 → R3 dada por T (1, 0, 0) = (1, 1, 0),


T (0, 1, 0) = (0, 0, 1) e T (0, 0, 1) = (1, −1, 6), é um isomorfismo?
10. Mostre que T : R3 → R4 dada por T (x, y, z) = (x, x − y, y − z, z) é injetora mas não
é isomorfismo de R3 → R4 .

11. Determinar um operador linear T : R3 → R3 cuja imagem é gerada por (2, 1, 1) e


(1, −1, 2).

12. Determinar um operador linear do R4 cujo núcleo é gerado por (1, 1, 0, 0) e (0, 0, 1, 0).

13. Determine um operador linear do R3 cujo núcleo tenha dimensão 1.

14. Encontre T : R3 → R2 linear cujo núcleo seja gerado por (1, 1, 0).

15. Seja T : R3 → R3 definida por T (1, 0, 0) = (1, 1, 0) , T (0, 0, 1) = (0, 0, 2) e


T (0, 1, 0) = (1, 1, 2). Determine uma base de cada um dos seguintes subespaços
vetoriais

a) N (T )
b) Im(T )
c) N (T ) ∩ Im(T )
d) N (T ) + Im(T ).

16. Dado o operador linear T : R2 → R2 que produz uma rotação do plano sobre um
ângulo de π3 , calcule T (−2, 4) e T (x, y).

17. Em um triângulo ABC, os ângulos B e C medem 75◦ cada um. Sendo A(1, 1) e
B(−1, 5), calcule as coordenadas do vértice C.

18. Os pontos A(2, −1) e B(−1, 4) são vértices consecutivos de um quadrado ABCD.
Determine os vértices C e D, utilizando a matriz de rotação do plano.

19. Considere o operador linear do R3 definido por T (1, 0, 0) = (1, 1, 1),


T (0, 1, 0) = (1, 0, 1) e T (0, 1, 2) = (0, 0, 4). T é inversı́vel? Se for, determine o
isomorfimo inverso.

20. Seja T : R3 → R2 linear tal que T (0, 1, 0) = (1, −2), T (1, 0, 1) = (3, 1) e T (1, 1, 0) =
(0, 2) determine:

a) T (5, 3, −2)
b) T (x, y, z)

21. Seja o operador linear do R3 definido por


T (x, y, z) = (x + 2y + 2z, x + 2y − z, −x + y + 4z). Determine:

a) o vetor u ∈ R3 tal que T (u) = (−1, 8, −11)


b) o vetor v ∈ R3 tal que T (v) = v.

22. Seja T : R3 → R2 definida por T (x, y, z) = (x + z, y − 2z). Determine [T ]B,C sendo


B = {(1, 2, 1), (0, 1, 1), (0, 3, −1)} e C = {(1, 5), (2, −1)}.

23. Seja T : R3 → R2 definida por T (x, y, z) = (z, x + y).Determine a matriz de T em


relação às bases B = {(1, 1, 1), (1, 1, 0), (1, 0, 0)} de R3 e C =base canônica do R2 .

24. Considere a transformação do exercı́cio anterior. Determine a matriz de T em


relação às bases B = {(1, 1, 1), (1, 1, 0), (1, 0, 0)} de R3 e
C = {(1, 3), (2, 5)} do R2 .
25. Determine a matriz T de cada um dos seguintes operadores do R2 em relação às
bases indicadas:

a) T (x, y) = (2x, 3y − x) e base canônica.


b) T (x, y) = (3x − 4y, x + 5y) e base B = {(1, 2), (2, 3)}.

26. Determine o operador (T do R2)cuja matriz em relação à base


1 0
B = {(1, 1), (1, 2)} é: .
1 2
27. Determine, em cada item, a matriz de T na base A e, utilizando a relação entre
matrizes semelhantes, calcule a matriz de T na base B.

a) T : R2 → R2 ; T (x, y) = (x + 2y, −x + y), A = {(−1, 1), (1, 2)}.


b) T : R3 → R3 ; T (x, y, z) = (x − 2y − 2z, y, 2y + 3z), A é a base canônica e
B = {(0, 1, −1), (1, 0, 0), (−1, 0, 1)}.

28. Seja T : R2 → R2 . Dadas


( as)bases A = {(1, 0), (0, 1)} e B = {(4, 1), (−11, −3)}
3 5
e sabendo que TB = ,determine TA , utilizando a relação entre matrizes
1 2
semelhantes.

29. Seja T o operador linear do R2 cuja( matriz


) em relação à base
1 0
B = {(−1, 1), (1, −1)} é: [T ]B = . Determine a matriz de T em relação à
0 5
base canônica, usando a fórmula de mudança de base.
Obs: Fazer os exercı́cios do Boldrini.