Epistemologia da ciência agron.

e agroecológica – História da Agricultura –Valtair Verissimo

1

ATIVIDADES AGRÍCOLAS E COMERCIAIS DAS CIVILIZAÇÕES AMERICANAS PRÉ-COLOMBIANAS
De todas as civilizações ameríndias, as três que deixaram traços mais importantes de sua organização social, política, religiosa e econômica e do seu brilho, ainda hoje vislumbrado através das ruínas de seus monumentos e cidades, foram os maias, os astecas e os incas. Essas civilizações alcançaram o mais alto estágio de evolução no período da História Universal ou Idade Média. Os astecas e os incas ainda estavam nesse elevado nível cultural quando foram descobertos e aniquilados pelos espanhóis, a partir de 1520. Neste período os maias já tinham praticamente desaparecido, deles os europeus só encontraram as ruínas, inexplicavelmente eles tinham abandonado suas cidades e templos há muito tempo. Essas três grandes civilizações desenvolveram técnicas próprias de cultivo agrícola. Por exemplo, classificavam o solo de acordo com as plantas e a matéria orgânica (areia e argila, por exemplo). Além das plantas alimentícias, cultivavam plantas medicinais.

MAIAS
O povo Maia habitou a região das florestas tropicais da atual Guatemala, Honduras, e península do Yucatan (região sul do México) na América Central. Já viviam nessas regiões por volta de 1000 a.C. Entre 250 d.C. o período de maior progresso, que foi até o ano 900 d.C.
Hoje, os maias e seus descendentes formam populações consideráveis em toda a área antiga maia. Muitas línguas maias continuam a ser faladas como línguas primárias ainda hoje.

A base da economia era a agricultura primitiva praticada nas Milpas, unidades de produção agrária. O trato da terra era comunal (uso coletivo), em sistema rotativo de culturas, sem adubação ou técnica elaborada. As áreas de florestas eram desmatadas para o plantio. Utilizavam o fogo (queimadas) para limpar as áreas de cultivo. As cinzas serviam como o único adubo. Com um bastão faziam buracos no solo para colocar as sementes. Desconheciam ferramentas metálicas. Da forma como se dava os cultivos, a produção se mantinha por dois ou três anos consecutivos. Quando esgotavam os recursos agrícolas de uma área, os maias escolhiam outro local para retomar o cultivo; pois não sabiam como reaproveitar o terreno cultivado. Pouco a pouco, os campos se tornavam cada vez mais distantes das habitações. Então, se estabeleciam em novas terras e construíam nova cidade. Cultivavam milho, feijão, abóbora, cacau, batata, algodão, tomate, pimenta e frutas. Domesticaram o peru e a abelha. Também viviam da caça e pesca.
Não tinham animais de tração; construções e agricultura se desenvolveram à base da força humana – mais especificamente escrava.

A cerimônia da colheita era a mais importante. uma agricultura regida pelas divindades. pimenta. animais de carga ou ferramentas de ferro. e o comércio. Havia o deus do milho. entre os séculos XIV e XVI. . eles drenavam algumas partes do terreno e formavam montes de terras. Como essa era uma região pantanosa. sal. a hipótese mais provável para o declínio desta civilização foi uma explosão demográfica. “A agricultura se tornou predatória e foi destruindo as bases que permitiam a própria sobrevivência”.Epistemologia da ciência agron. ASTECAS Os Astecas foram um povo guerreiro que habitaram a região do atual México. em parte de subsistência. e agroecológica – História da Agricultura –Valtair Verissimo 2 Por falta de matéria-prima no local. galhos e ramos recoberta por terra. Hoje. A base da economia era a lavoura. eles desenvolveram a indústria lítica (trabalho em pedra) para a confecção de armas. o que permitia melhores colheitas. Os Maias comercializavam com outros povos produtos como jade. aliada à erosão do solo. abóbora. Os pilares econômicos dos astecas eram a agricultura. Eram construídas com uma armação de caniços. peles. As observações astronômicas davam aos Maias o domínio sobre o fenômeno da mudança das estações. da fertilidade entre outros. que acabava por fixar-se no Fundo dos lagos. tornando-o incapaz de atender ao crescimento vertiginoso de uma civilização tão próspera. da chuva. Cultivavam o solo com pás de madeiras. cacau e tomate. onde realizavam os plantios. tecidos. etc. pois não possuíam arados. Suas técnicas de irrigação do solo eram muito avançadas para a época. As sementes de cacau eram utilizadas como moeda. A camada superior do solo das chinampas era periodicamente renovada com o lodo ou lama fértil retirado do fundo do lago. Parte do sucesso na lavoura veio com a habilidade que eles possuíam em cultivar terras totalmente circundadas de água dos lagos. Fundaram no século XIV a importante cidade de Tenochtitlán (atual cidade do México). como terraços para superar os problemas com a erosão do solo. Também consumiam peixes e crustáceos. A economia Asteca foi um exemplo pré-capitalista. enfeites e instrumentos de trabalho. baunilha. Como os recursos naturais eram escassos não havia excedente de produção o que demandava maior desenvolvimento das técnicas agrícolas. Na alimentação utilizavam milho. feijão. abacate. O milho era a cultura vegetal mais importante. chamadas de chinampas (semelhante a ilhas artificiais ou canteiros flutuantes).

Técnicos do governo dirigiam-se com frequência a essas aldeias para ensinar os processos de criação de animais e orienta-los a respeito do preparo da terra e outros afazeres como o plantio. pimentas. com cultivo de grãos comestíveis da planície litorânea do Pacífico. irrigação. algodão. mas o interesse estava aumentando. a variação culinária era bem menor do que a existente na América Central. Os Incas utilizavam varas afiadas e arados para revolver o solo. Foram dominados pelos espanhóis e seu imperador executado em 1533. Os camponeses criavam alpaca. amendoim. A chave do sucesso da agricultura Inca era a existência de estradas e trilhas que facilitavam a distribuição das colheitas numa vasta região. Os produtos têxteis e cerâmicos eram de qualidade extraordinária. desde a Colômbia até o Chile. couro e carne e seus resíduos (esterco) para adubação do solo. até porque. Produziam belas peças de artesanato com ouro e prata. Estima-se que os Incas cultivavam cerca de 700 espécies vegetais. mandioca e um grão chamado quinua. tomate.Epistemologia da ciência agron. passando pelos altiplanos andinos e adentrando na planície amazônica oriental. Parte da colheita era para pagamento de impostos. e agroecológica – História da Agricultura –Valtair Verissimo 3 INCAS No apogeu da civilização Inca. O plantio era feito em terraços e já usavam a adiantada técnica de curva de nível e também utilizavam a irrigação. cerca de 1400. lã. a agricultura organizada espalhou-se por todo o império. A agricultura era a base da economia da época. os alimentos eram desidratados e estocados. . As principais culturas vegetais eram batata. As folhas de coca eram reservadas para a elite. O milho apareceu tardiamente e era de menor utilidade alimentar que a batata ou a quinua. Haviam funcionários do império que fiscalizavam a produção agrícola. Utilizavam a lhama para transporte. batata doce. Também plantavam ervas aromáticas e medicinais. O milho era a matéria prima de uma bebida sagrada e embriagante (denominada de chicha). Para garantir a alimentação. milho. Também foram os únicos a criarem gado. Ao casar cada lavrador ganhava do recolhedor de impostos de sua aldeia um lote de terra. um tipo de mamífero do qual se obtinha lã. Fundaram no séc. colheita e conservação de alimentos. XIII a capital do império: a cidade sagrada de Cusco.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful