You are on page 1of 76

|  

 
|  

Tlm.: 96 803 31 70; e-mail: chcrebocho@sapo.pt

  



¦

 .

  0 |onceitos básicos 0 |apitalização. Actualização e taxas de juros 0 Operações financeiras 0 Rendas 0 Empréstimos: 0 Bancários 0 Obrigacionistas .

|  .

 .

.

0 O tempo 0 O capital 0 A taxa de juro .

|    ¦      .

  .

|   ¦      .

  0 |onsumo 0 Aforro (ou Poupança) 0 Entesouramento (|apital monetário) 0 Improdutivo 0 Investimento (|apital financeiro) 0 Juro .

|   ¦      .

  0 | .

 .

  |o |n 0 |o = |apital inicial 0 |n = |apital futuro .

|   ¦      .

  Regime de capitalização (Lei de formação do juro) Regime juro composto Regime juro simples Regime puro simples Regime dito simples .

|   ¦      .

  0 › rmula Geral de |apitalização |0 |1 | |3 | |t-1 |t À      À       À À  À.

À      .

  À.

 À .

      .

  À.

 À .

 .

       .

  À.

 À .

 .

 .

 .

|   ¦      .

  0 › rmula Geral de |apitalização      .

  À

 
À



 .

   À A .

  À .

|   ¦      .

  .

 .

  0 Ëip tese: i0 it = 1 + i0.1] t = n.t em que : it = Taxa de capitalização i0 = Taxa Juro do período [0.º períodos .

|   ¦      .

  .

 .

  à à à à  .

à           à  à  à  à  à  à  à  à   .

à      à  à  à  à   .

à  .

|   ¦      .

  .

 .

  i0 0 Taxa de |apitalização it = i0.t .t Juro peri dico = |0 x i0 = |t x it Juro = |t ± |0 Juro = |0 x i0.

|   ¦      .

  Exemplo : 0 O Sr. Joaquim depositou a quantia de 1.000 ¼ durante 3 anos à taxa de juro inicial de 10% ao ano. a) Determine o juro vencido em cada ano b) Determine o total de juros vencidos c) Determine o valor acumulado .

|   ¦      .

100 x 0.000 x 0.  Resolução: 0 Regime Juro Simples a) Determine o juro vencido em cada ano : Juro peri dico = |0 x i0 = |t x it Juro 1 = 1.1 = 1.000 x 0.0833 Juro 3 = 100 .00 x 0.1 Juro 1 = 100 Juro  = 1.0909 Juro  = 100 Juro 3 = 1.1 = 1.000 x 0.

|   ¦      .

t Juro = 1.000 x 0.t) b) Determine o total de juros vencidos : Juro = |0 x i0.  Resolução: 0 Regime Juro Simples |t = |0 1 i0.1 x 3 Juro = 300 .

|   ¦      .

t ) |t = 1.000 x ( 1 + 0.300 .  Resolução: 0 Regime Juro Simples c) Determine o valor acumulado : |t = |0 x ( 1 + i0.1 x 3) |t = 1.

|   ¦      .

  .

 |  0 Ë À         |t = |0 (1+i) (1+i) (1+i) (1+i) « (1+i)    .

|   ¦      .

  .

º períodos . |  0 |apitalização |t = |0 ( 1 + i ) t em que : |t = |apital ›uturo (valor acumulado) |0 = |apital Inicial (valor actual) i = Taxa de Juro t = n.

|   ¦      .

  .

 |  |apitalização t 0 |t = |0 (1+ i) Juro do período t = |t-1 x i = |0 (1+i)t-1 x i Juro = |t ± |0 .

|   ¦      .

a) Determine o juro vencido em cada ano b) Determine o valor acumulado c) Determine o total de juros vencidos .  Exemplo : 0 O Sr.000 ¼ durante 3 anos à taxa de juro de 10% ao ano. Joaquim depositou a quantia de 1.

|   ¦      .

1 Juro 3 = 11 .100 * 0.10 * 0.000 * 0.  Resolução: 0 Regime Juro |omposto a) Determine o juro vencido em cada ano : Juro t = |t-1 x i Juro 1 = 1.1 Juro 1 = 100 Juro  = 1.1 Juro  = 110 Juro 3 = 1.

|   ¦      .

  Resolução: 0 Regime Juro |omposto b) Determine o valor acumulado : |t = |0 ( 1 + i ) t |t = 1.000 x ( 1 + 0.331 .1 ) 3 |t = 1.

|   ¦      .

331 ± 1.  Resolução: 0 Regime Juro |omposto c) Determine o total de juros vencidos : Juro = |t ± |0 Juro = 1.000 Juro = 331 .

|   ¦      .

  |onclusão: 0 Regime Juro Simples |t = 1.300 0 Regime Juro |omposto |t = 1.331 .

|   ¦      .

com uma taxa de capitalização constante e igual à taxa de juro inicial. enquanto no regime de juro composto. .  0 Porquê a diferença ? No regime de juro simples a taxa de capitalização é decrescente. o juro peri dico cresce de forma exponencial. daí resultando um juro peri dico constante.

|   ¦      .

  Regime Juro Simples Regime Juro |omposto Período |apital |apital Juro Vencido Juro Vencido Acumulado Acumulado 1 100 1.100 100 1.300 11 1.10 3 100 1.00 110 1.100  100 1.331 .

|   ¦      .

   .

  .

|   ¦      .

  0 Actualização |0 |t 0 |0 = |apital inicial 0 |t = |apital futuro .

|   ¦      .

  Regime Juro |omposto 0 Actualização |0 = |t ( 1 + i ) -t em que : |t = |apital ›uturo |o = |apital Inicial i = Taxa de Juro t = n.º períodos .

|   ¦      .

face aos excedentes de tesouraria apurados. ao fornecedor do equipamento. Ap s um ano. o Sr. propôs. Joaquim pagou 1. liquidar a sua dívida.000 ¼ e comprometeu-se a pagar os restantes 500 ¼ passados 3 anos. Sabendo que a taxa de juro é de 15% anual.  Exemplo : 0 Na aquisição de um computador. quanto deve pagar ? .

|   ¦      .

15 ) - |0 = 378.  Resolução: 0 Regime Juro |omposto 500 0 1  3 0 |0 = |t ( 1 + i ) -t |0 = 500 x ( 1 + 0.07 .

|   ¦      .

  |apitalização ou Acumulação |0 Actualização |t ou Desconto 0 |0 = |apital inicial 0 |t = |apital futuro .

|   ¦      .

      .

|   ¦      .

  Taxa juro nominal Regime proporcionalidade i (m) ! ! "#$% &'   ( &'   ! .

! Taxa juro efectiva Regime equivalência   ! .

    .

     .

|   ¦      .

em que i ± taxa maior i¶ ± taxa menor período taxa maior ! período taxa menor .  0 Proporcionalidade i¶ = i (m) / m . em que período taxa referência ± i (m) ! período taxa pretendida ± i¶ 0 Equivalência ( 1 + i ) = ( 1 + i¶ ) m .

|   ¦      .

  › rmula Actualização |0 = |t ( 1 + i ) -t › rmula |apitalização |t = |0 ( 1 + i ) t Tanto na Actualização como na |apitalização i e t têm que ter o mesmo horizonte temporal .

|   ¦      .

0 Taxa real é a constante de proporcionalidade entre o valor real de um capital acumulado e o valor do capital inicial quando aplicado durante a unidade de tempo.         0 Taxa corrente é a taxa convencionada utilizada no cálculo do valor acumulado de um capital durante um determinado período de tempo. . é o capital acumulado à taxa de juro corrente deflacionado à taxa de inflação. ou seja.

|   ¦      .

[(1 + I). em que: i ± Taxa corrente I ± Taxa de Inflação r ± Taxa real  ) & )&   i   .         Juro: 0 |ompensação da erosão monetária 0 Remuneração do capital |0 . (1 + i) = |0 .(1 + r)].

|   ¦      .

  Taxas de Rendimento/|usto Efectivas *+4.

3 *%+&1 +-4 ( .3 2 .6.5.

&7   %! *+ .

32.5.À.8 *+. .

&7 (9& *%+-.'$%.

.  &&%& / 0 &%12 ..3 .

|   ¦      .

É o momento em que a tx. Nominal é igual á tx. Efectiva. como se resolve ? Encontramos o 1º momento de convertibilidade.  Se i # n. .

|   ¦      .

...... &  ! & 0&'  <%& 0 |onvertível xxx vezes 0 Periodicidade dos juros 0 Pagamento de juros 0 .... ...........  +&:$%-!%!.........

|   ¦      .

convertível mensalmente.  0 Exemplo : Dada a taxa anual nominal de 1 %. calcular a taxa efectiva anual. .

|   ¦      .

Taxa Nominal Anual .1 / (1/1) i¶ = 0.01) i = 0.  0 Resolução : 0 i (m) = 0.1 e m = 1/1 0 i¶ = i (m) / m i¶ = 0.01 ± Taxa Efectiva Mensal 0 ( 1 + i ) = ( 1 + i¶ ) m 1 ( 1 + i ) = ( 1 + 0.68% .Taxa Efectiva Anual i (m) = 1% .168 i = 1.

|   ¦      .

& .  )&  .

|   ¦      .

&&!!&2  !%!1&%&!%  2 %! .  0 O que é a Interpolação Linear ? 0 )&  .%! & -&2   &%  $%-% ! % !%! ! &! & &  &&!   .  .

|   ¦      .

  0 Exemplo : Sabendo que o Sr. . Joaquim pediu um empréstimo de 10.000 ¼. determine qual a taxa de juro utilizada nesta operação.000 ¼ e que se comprometeu a liquidar essa dívida através do pagamento de 3 anuidades de .

|   ¦      .

  0 Resolução : +10.000 -.000 -.000 -.000 0 1  3  |   |0 = |t ( 1 + i ) -t .

|   ¦      .

000 = .000 -.000(1+i) .000 0 1  3  -1 - -3 10.000 -.000(1+i) + .000(1+i) + .  0 Resolução : +10.000 -.

|   ¦      .

  0 À  = >.

À =  .

 =  ?..

$%%(%'$%  &1%! .)4+)@*A+"+ %& &À 0   .$%%(%'$%  &1%! . =  2!$%  0 À & 0 À  $% 0   .)4+)@*A+"+-& & À .

|   ¦      .

  0 |omo se utiliza ? ÀÀÀÀ ÀÀÀ.

  ÀÀÀ.

  ÀÀÀ.

| = |0 .    0 i0 = ? 0 |0 = 10.|1 = |0 0 i = ? .000 0 i1 = ? .

|   ¦      .

  0 |omo se utiliza ? ÀÀÀÀ ÀÀÀ.

  ÀÀÀ.

  ÀÀÀ.

i1 = 9% -1 .000.18 |0 .09) - + (1+0.15.[(1+0.   0 Por exemplo.09) + (1+0.09) -3] = 10.

|   ¦      .

  0 |omo se utiliza ? ÀÀÀÀ ÀÀÀ.

  ÀÀÀ.

  ÀÀÀ.

i = 10% ÀÀÀ>.   0 Por exemplo.

À2  .

À2  .

97.1 |0 . À2 ? = 9.

|   ¦      .

  À  = >.

À =  .

 =  ?..

 =  2 !$% 0 À & 0 À  ÀÀÀÀ 0  3B  À 62 8 0   ÀB 33C2 .

|   ¦      .

  À  = >.

À =  .

. =  ?.

 =  À À2 = >.

ÀÀÀÀ= 33C2 .

À2 = À2À3 ? .

À 62 8= 33C2 0 À À2À3C 0 À 32CB .

|   ¦      .

000.00% ! 9.00% "#$%& .00% Tx 10.00% 10.97.00%      10.12 .000.18   10.1 ! 9.  10.1 ! 10.97.12 .00 x ! 9.1 10.15.00 9.1  9.

º  .

   .

  .

º  .

   .

0 O que é uma letra ? 0 š!&7%!'% &7 D &! $% &&!  &   .

&  & &&&1 %!&& 2$%1 &    0 š!&7%! &!1!  ! & &.

 & $%&9 &1!  % 1'!  & &.

1&!  &2 %   ! &=  $%!- &= %    = 1&!%!( 0 *%&  .

  -&!  & & .

º  .

   .

0 |omo funciona ? 0 $%  1'!  % &%! &&   1! .

&!D ! & : (  % &(! ! 2    <%&  !:   &(! 2 %<2 & : (  %   .

º  .

   .

- &. 0 O que é o desconto ? 0 5-&&  & !.

1'! = ! !    &&( $%   &  & .

! ! % %! ! &  5  = À .

º  .

   .

0 Tipos de desconto: 0 @1!E%&  !   5    !  0 @1!E%& F! 5   & & 2)&  %@  0 5   &- &2+&  %  !& .

º  .

   .

0 .

' 0 5  = À 0 5  =  . |  Desconto |omposto .

   = 0 5  > = .

  = ? .

º  .

   .

0 .

 .

i0/(1 + i0.n) = |n.n)] Dd = |n.n.n.in .n) -1 Dd = |n [1 ± 1/(1 + i0.'( Dd = |n ± |0 Dd = |n ± |n (1 + i0. Interno ou Racional .  Desconto por dentro.

º  .

   .

') À  À 0 5. Externo ou |omercial .   0 = "# 0 = 9& . 0 Desconto por fora.

º  .

   .

 !  (& )!  F   0 & 5- G &H *% !. 5  /9&  5/ 5/ 5."#  .

  0 0& (&%!9&* %  7%!  ! 0   #$%-!&  ! & 0 I %   1!7 &'   .

º  .

   .

5  /9&  5/ 0  !  (&  (  ( G &H.

  B ( .

*B% 9%  !  (&&( & ( 0 )!  F  )!F  )!F  .

 (  B)!F .5.

*%! )!  F 7B 0 0 &= G &&! 1  .

G&9( &( 5/ .

 (  .5.

 B)!F  0 & .

º  .

   .

 5/ 5/ . 5  /9&  5/ 0 5  (    %       %!&2  &!& !   & -!&( 2 %<2  & %  %0@I5šI.J$š)5I5I 5+FI"I  ! K 0 F !!   % 2 (  5+FI"I/*"L@)II*.

5.  ( .

 B)!F   0 &    5/ .

º  .

   .

0 I%  &7       %!&7&!  &  !   *+4 .

*%+&1 +-4 (  0 **+47%-     -% 2 %    &1  % &  0  ! &!K 0 *&7H&!%   &1!<%&  !   .

º  .

   .

   &À . À  À 0  ! &!*+4K 0  .

0& % .'$% .

G &" ! 2%-&!%  <%&  !  & &!&*+4 0   .

    +!$% 79& "# *  .

º  .

   .

0 š! %&$% $%   &  9% &7*+ .

*%+-  0 $%-&&*+4 %*+ K 0 *M")*-&&*+4 *+7$%N! &!   ! )!  F %  & 7 0 1%  ! *+7%!% -   &  )!  F = $%7%!& + =  &-%! $% % &7  (9&  .

º  .

   .

0 9% *+ 0 5 &!  (     %      %! &2 ! &!&  &. < &( 2 %<2 ! &!&  À.

'$%   ! K 0 F !!   %  (7! 5+FI"I/*"L@)II*.0& % ..

5/ 0 5/ 5.  ( )!F  0 & À   5/ .

º  .

   .

   &À 2 %-&!%  <%&  !  &&!& *+  0  À . À  À 0  ! &!*+K 0  .

    +!$% 79& "# *  .

ÿ ¦ºº¦º 0 F%(% %! <%   !& !  &%!N  .

IAšA  !%! !  !%! | | | | |        &   <%  &! !$% ! !  !%!  * &  & (  .*0)*.

+$š)G*.ÿ ¦ºº¦º :*%:     |     |          0 0&%!2 !!   & 2 *0)*.+"+ 2  ! ! 2!   .

    .

  F  >. efectua-se a respectiva soma e obtém-se o |APITAL |OMšM (|) com VEN|IMENTO |OMšM (n).ÿ ¦ºº¦º 0 šma vez obtido o conjunto de capitais equivalentes com igual vencimento.

I@    .      ? 0 +$š*OPI5IG*.

  .

    F .

qual o vencimento comum? . Escolhido o capital comum (|). qual o capital comum? .ÿ ¦ºº¦º 0 Determinada a Equação do Valor duas questões se colocam. Escolhido o vencimento comum (). depois da definição da taxa de avaliação : 1.

ÿ ¦ºº¦º 0 V .

     n=0     F  .

      0 V .

*(.

1 F    = . 1  F  .   F     . 1 ®  .

    .