You are on page 1of 2

Informativo mensal do Solar Bezerra de Menezes – Agosto de 2008

HOMENAGEADO DO MÊS

doados para distribuir anonimamente, nos sábados, à noite, aos necessitados da ponte. Houve, porém, um dia em que ele, Luíza e suas auxiliares não tinham absolutamente nada; decidiu-se então, não irem, pois aquela gente estava com fome e nada teriam para oferecer. Eles também estavam vivendo com extremas dificuldades. Foi quando apareceu-lhe o espírito do Dr. Bezerra de Menezes, que sugeriu colocassem algumas bilhas com água, que ele iriam magnetizá-las para ser distribuída, havendo, ao menos, alguma coisa para dar. Ele assim o fez, e o benfeitor, utilizando-se do seu ectoplasma bem como o das demais pessoas presentes, fluidificou o líquido.

Bezerra de Menezes
O nosso homenageado do mês de agosto tornou-se presença única nesse período em nosso jornalzinho. Não obstante haverem muitos espíritas e espíritos nascidos no mês de agosto e que com total mérito mereceriam estar nessa coluna, nosso Bezerra, por tudo que significa para nós, seus “filhos queridos do coração” como ele próprio costuma se referir a nós que tanto o amamos, torna-se presença obrigatória não somente em nossa coluna, mas igualmente em nossos corações e nas homenagens que lhe prestamos nesse mês que consideramos o mês de Bezerra de Menezes. Fácil seria aqui narrarmos, dados biográficos da vida desse grande discípulo de Maria e que não são poucos, bem sabemos, mas hoje, excepcionalmente, vamos ilustrar nossa coluna com uma história que bem fala sobre esse espírito amoroso, ocorrida com nosso não menos querido Chico Xavier. Estamos certos que a historinha por si só há de nos mostrar com todas as cores, a grandiosidade desse espírito que nos acompanha e nos ilumina a caminhada. Vamos então a ela: O mais bonito não eram apenas as visitas que o Chico fazia com os grupos, mas aquelas anônimas que ele realizava pela madrugada, quando saía sozinho para levar seu conforto moral às famílias doentes, a pessoas moribundas, às vezes acompanhado por um amigo para assessorá-lo, ajudá-lo, pois já portava alguns problemas de saúde, mas sem que ninguém o soubesse. Ali estava a maior antena paranormal da humanidade nos últimos séculos, apagando este potencial para chorar com um família que tinha fome. Ele contou-me que tinha o hábito, em Pedro Leopoldo, de visitar pessoas que ficavam embaixo de uma velha ponte numa estrada abandonada, e que ruíra. Ia ele, sua irmã Luiza e mais duas ou três pessoas muito pobres de sua comunidade. À medida que eles aumentavam a freqüência de visitas, os necessitados foram se avolumando, e mal conseguiam víveres para o grupo, pois que os seus salários eram insuficientes, e todos eram pessoas de escassos recursos. O esposo de Luíza, que era fiscal da prefeitura, recolhia, quando nas feiras-livres havia excedente, legumes e outros alimentos, e que eram

Enquanto ela estava dizendo isso, apareceu um caminhão carregado, e alguém, lá de dentro, interrogou: – Quem é Chico Xavier? Quando ele atendeu, o motorista perguntou se ele se lembrava de um certo Dr. Fulano de Tal. Chico recordava-se de um certo senhor de grandes posses materiais que vivia em São Paulo, que um ano antes estivera em Pedro Leopoldo, e lhe contara o drama de que era objecto. Seu filho querido desencarnara, ele e a esposa estavam desesperados – ainda não havia o denominado Correio de Luz, eram comunicações mais esporádicas – e Chico compadeceu-se muito da angústia do casal. Durante a reunião, o filhinho veio trazido pelo Dr. Bezerra de Menezes e escreveu uma consoladora mensagem. Então o cavalheiro disse-lhe: – Um dia Chico, eu hei de retribuir-lhe de alguma forma. Mas como é que meu filho deu esta comunicação?’ Chico explicou-lhe: – É natural esse fenômeno, graças ao venerando Espírito Dr. Bezerra de Menezes, que trouxe o jovem desencarnado para este fim – e deu-lhe uma idéia muito rápida do que eram as comunicações mediúnicas. O casal ficou muito grato ao Dr. Bezerra de Menezes, e repetiu que um dia haveria de retribuir a graça recebida. Foi quando o motorista lhe narrou: – Estou trazendo este caminhão de alimentos mandado pelo Sr Fulano de Tal, que me deu o endereço do Centro onde deveria entregar a carga, mas tive um problema na estrada, e atrasei-me; quando cheguei, estava tudo fechado. Olhei para os lados e apareceu-me um senhor de idade com barbas brancas, e perguntou o que eu desejava. ‘ Estou procurando o Sr Chico Xavier’, respondi. ‘– Pois olhe: dobre ali, vá até uma ponte caída, e diga que fui eu quem o orientou’ – respondeu-me. ‘ – E qual o seu nome?’ – indaguei, e ele respondeu ‘ – Bezerra de Menezes’.’ (Trecho “As Visitas de Chico Xavier”, do livro “Mediunidade”, de Divaldo Pereira Franco) Pedimos assim à Maria e Jesus que iluminem sempre esse grande espírito missionário das falanges de Ismael e que para todos nós sempre será um grande exemplo a ser seguido. Muita paz!

“vamos ilustrar nossa coluna com uma história que bem fala sobre esse espírito amoroso, ocorrida com nosso não menos querido Chico Xavier.”
Esse adquiriu um suave perfume, e então o Chico tomou as moringas e, com suas amigas, após a reunião convencional do sábado, dirigiram-se à ponte. Quando lá chegaram encontraram umas 200 pessoas, entre crianças, adultos, enfermos em geral, pessoas com graves problemas espirituais, necessitados. ‘Lá vem o Chico, dona Luíza’ – gritaram e ele, constrangido e angustiado, por ter levado apenas água (o povo nem sabia o que seria água magnetizada, fluidificada), pretendeu explicar a ocorrência. Levantou-se e falou: – Meus irmãos, hoje nós não temos nada – e narrou a dificuldade. As pessoas ficaram logo ofendidas, tomando atitudes de desrespeito, e ele começou a chorar. Neste momento, uma das assistidas levantou-se e disse: – Alto lá! Este homem e estas mulheres vêm sempre aqui nos ajudar, e hoje, que eles não têm nada para nos dar, cabe-nos dar-lhes alguma coisa. Vamos dar-lhes a nossa alegria, vamos cantar, vamos agradecer a Deus.

RELATO | UMA OPERAÇÃO INVISÍVEL
A doente dormia para acordar daí a minutos gritando emocionadíssima: Fui curada por um velhinho vestido de branco... Este caso contou-nos o prezado amigo e irmão Manoel Epaminondas, residente em TrêsRios, no Estado do Rio: – Minha sobrinha Luzia achava-se atacada, há quase dois anos, de uma sinusite crônica, segundo o diagnóstico de seu médico assistente. Em meados do ano passado, 1941, a doença agravou-se, complicando-se com velhas outras enfermidades. Seu médico, depois de lançar mãos de todos os recursos de sus ciência, desenganou-a tanto mais que a operação, que lhe poderia salvar, era contra-indicada, dada a sua fraqueza orgânica, que progredia diariamente. Foi quando, à residência de minha irmã, que residia no Rio, nesta época, na qual estava minha sobrinha, chega uma senhora espírita.Observa a doente desenganada e aconselha: – Porque não levam a Luzia a um grupo espírita e não a tratam pelo espiritismo? Tenho a intuição de que ficará boa, tanto mais que a medicina da Terra se mostra impotente para curá-la...Minha irmã e meu cunhado são católicos, se bem que sejam simpáticos à Doutrina Espírita. E ficaram indecisos... Mais tarde, aparecem outras visitas e aconselham a terapêutica espírita. Dormiram, pois, todos apreensivos com as recomendações. Pela manhã, minha irmã, meu cunhado e a própria doente contam seus sonhos. Eram idênticos. Sonharam os três: que o Dr. Bezerra de Menezes lhes havia aparecido e dito: – O caso é de operação. E, amanhã, no fim da tarde, às 18:00 horas, concentrem-se porque vou operá-la. Tenham fé em Jesus. A perplexidade era geral. Então o caso era mesmo sério e haveria de dar bom resultado. Confiaram e esperaram.Neste ínterim entra a senhora espírita que, na véspera, os visitara e os aconselhara a procurar um grupo espírita e conta-lhes: – Esta noite, sonhei com a Luzia e o Dr. Bezerra. Ouvi, nitidamente, ele dizer que vai operá-la hoje à tarde... Era demais. A comoção invadiu a todos. A graça se lhes parecia além de seus merecimentos... E, à tarde, às 18:00 horas, de acordo com as recomendações do Dr. Bezerra nos quatro sonhos, concentraram-se. Oraram com respeito e emoção.A doente foi colocada na cama. e esperaram todos, temerosos, apreensivos... Daí em diante, a enferma dormiu para acordar minutos depois gritando, emocionadíssima: – Fui operada por um velhinho de branco que aqui esteve, me fez dormir e, depois, senti que me operava, que abria minha testa e limpava...despediu-se abraçando-me e ouvi que dizia:Vãolhe a aparecer na testa algumas feridinhas, mas não se incomode. Depressa desaparecerão.E, depois, você ficará completamente curada.Dê graças a Deus! Eleve seu coração para Jesus, o divino médico do corpo e da alma que, por intercessão de Deus, permitiu a operação! E partiu... Isto se deu, concluiu nosso caro amigo Nonda, há 17 anos e minha sobrinha Luzia se acha, hoje, completamente curada. Tudo se realizou como o Dr. Bezerra lhe disse e pequenas feridas pareceram-lhe na testa. Depois desapareceram como por encanto...

DICA DE LEITURA

Bezerra, Chico e Você
Chico Xavier (Ed.Geem) Além dos traços bibliográficos de Bezerra de Menezes, esta obra estruturada com instruções e respostas do venerável orientador evangélico, pelo veículo mediúnico, em ocasiões diversas

Solar na Internet
www.

solarbezerrademenezes.
blogspot.com
Aqui você terá acesso às edições anteriores do Informativo Amigo Espírita, distribuído nas reuniões públicas do Solar, e também a links e vídeos que tenham o Espiritismo Cristão como tema principal.

CALENDÁRIO DAS REUNIÕES PÚBLICAS

Filme sobre a vida de Dr. Bezerra estréia dia 29 de agosto

Quarta-Feira – 20 hs
06/08 – O Evangelho Segundo o Espiritismo
Palestrante: Sandra Lemos Azeredo

13/08 – Boa Nova
Palestrante: Inês Catarina

20/08 – Nosso Lar (parte 8)
Palestrantes: Sônia Amâncio e Rosângela Mariano

27/08 – O pensamento de Bezerra de Menezes
Palestrante: Marcus Mazza

Carlos Vereza literalmente incorporou seu personagem de forma quase espiritual no filme “Bezerra de Menezes – O médico dos pobres”, de Glauber Filho e Joe Pimentel. Vereza protagoniza a vida do Dr. Bezerra. O tempo da história é o século XIX, por volta do ano 1831. As filmagens começaram em junho, em Guaramiranga, no Ceará, e terão locações também em Pernambuco e no Rio de Janeiro.

Sexta-Feira – 15 hs
01/08 – O Livro dos Espíritos – Q. 924 a 927
Palestrante: Silvio Diniz

08/08 – Nascer de novo: conceito,limites e necessidade
Palestrante: Luis Pereira

EXPEDIENTE
Informativo do Solar Bezerra de Menezes|Campo de São Cristóvão, 402 | (21) 2580-4445/2580-8478 Vice-Presidente: Fernando Pires da Silva Diagramação: Camila Simas Aceitamos contribuições compatíveis com a doutrina espírita

15/08 – Brasil, Coração do Mundo
Palestrante: Luis Fernando Paulo

22/08 – O Livro dos Espíritos – Q. 932, 933 e CAK
Palestrante: Adriano Barros de Almeida

Entre em contato, dê sua opinião!|amigo.espirita@yahoo.com.br

29/08 – Repensando Bezerra de Menezes
Palestrante: Wilta Corrêa da Silva