You are on page 1of 14

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

TECNOLOGIA DA PARAÍBA – IFPB


CAMPUS JOÃO PESSOA
DIRETORIA DE ENSINO
COORDENAÇÃO DE ELETROTÉCNICA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Nome do Aluno

Trabalho Final apresentado por _____________________________

para obtenção do grau de Técnico em Eletrotécnica

João Pessoa, Paraíba

_________ de 200_
IDENTIFICAÇÃO

Na página de identificação o estagiário apresenta todas as informações a


respeito do estágio para fins de arquivo no acervo da Escola. Um modelo de apresentação é
apresentado abaixo.

MODALIDADE DE ESTÁGIO...................

ESTAGIÁRIO(A).........................................

ENDEREÇO.................................................

TELEFONE..................................................

MATRÍCULA...............................................

CURSO.........................................................

EMPRESA....................................................

ÁREA DE ATUAÇÃO.................................

SETOR..........................................................

ENDEREÇO.................................................

INÍCIO DO ESTÁGIO.................................

TÉRMINO DO ESTÁGIO...........................

CARGA HORÁRIA TOTAL.......................

SUPERVISOR TÉCNICO............................

PROFESSOR ORIENTADOR.....................

i
AGRADECIMENTOS

Na página de agradecimentos o estagiário reverencia as pessoas e/ou


entidades que julga terem contribuído para o êxito de seu trabalho. É de elaboração bastante
pessoal. Um exemplo típico é mostrado a seguir.

Meus sinceros agradecimentos a todos aqueles que fizeram do ambiente de


estudo e trabalho um lugar de reconhecimento e elevação dos valores humanos e espirituais,
desejo meus sinceros agradecimentos.

À Deus.

À minha família por terem, a todo momento, me incentivado a alcançar mais


conquista.

Aos professores do curso de Eletrotécnica do CEFET-AL, que souberam


transmitir conhecimentos valiosos.

A todos os colegas de trabalho, com quem aprendi bastante.

Aos meus amigos XXX, YYY e ZZZ, da turma ______ de aos demais
colegas pelo clima de camaradagem existentes e que, espero jamais deixem de existir.

ii
RESUMO

O resumo deve descrever de forma bastante sintética todo o relatório, ou seja, descrever
o que será apresentado nos próximos capítulos. Um exemplo bastante elementar é mostrado a
seguir.

Este relatório tem o objetivo de apresentar, de forma sucinta, o trabalho


desenvolvido durante o estágio supervisionado, realizado na ____________________, no
período de __ de _______ de 199_ a __ de _______ de 199_, no Setor de _______.

iii
SUMÁRIO

O sumário ou índice, apresenta a numeração dos capítulos e sub–capítulos do relatório,


com suas respectivas páginas. Um exemplo comum é mostrado abaixo.

IDENTIFICAÇÃO..........................................................................................................................................i

AGRADECIMENTOS...................................................................................................................................ii

RESUMO.......................................................................................................................................................iii

CAPÍTULO 1. INTRODUÇÃO....................................................................................................................2

CAPÍTULO 2. A EMPRESA........................................................................................................................3

CAPÍTULO 3. INTRODUÇÃO TEÓRICA................................................................................................5

3.1 MANUTENÇÃO PREVENTIVA..................................................................................................................5


3.2 MANUTENÇÃO CORRETIVA...................................................................................................................5
3.3 MOTOR DE INDUÇÃO (DESCREVER TAMBÉM OUTROS EQUIPAMENTOS , MÁQUINAS ESPECÍFICAS , INSTRUMENTOS , ETC .)

..........................................................................................................................................................................6

CAPÍTULO 4. DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES...................................................................7

CAPÍTULO 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS............................................................................................10

1
CAPÍTULO 1. INTRODUÇÃO

Neste capítulo é feita a apresentação resumida do relatório, destacando a empresa onde


foi realizado o estágio e os pontos fundamentais desenvolvidos durante o mesmo. Deve ter
apresentação bastante resumida. Um exemplo simples é mostrado abaixo.

O trabalho realizado durante o estágio foi desenvolvido no __(Setor, órgão ou


departamento)___ da ___(Empresa)___, sob a supervisão do Sr. ___(Nome do supervisor e
cargo)____.

Esse setor é responsável por __(descrever de forma geral as principais atividades do


setor)__, dentre as atividades desenvolvidas durante o período do estágio e que serão descritas
neste relatório destacam-se: ____________________.

2
CAPÍTULO 2. A EMPRESA

Neste capítulo deve-se realizar uma apresentação completa sobre a empresa onde foi
realizado o estágio, descrevendo sua organização e, principalmente, suas atividades, de forma
lógica, destacando principalmente a ordem dos serviços que executa normalmente. A seguir um
exemplo, baseado numa usina de açúcar:

A __(Empresa)__ pertence ao setor de ____________, e está instalada na cidade de


________/__, __(endereço)__.

A Usina dispõe de três hidro-geradores, cada um com capacidade de 1500 VA/ 380 V,
para alimentação do seu sistema elétrico, dispensando assim o fornecimento de energia elétrica
por parte da concessionária local.

Seu processo de fabricação está representado no fluxograma abaixo.

Turbinas Armazenamento
de açúcar do açúcar
Recepção da Moagem da Fabricação
Cana Cana do Caldo

Destilaria Armazenamento
do álcool

A Usina possui cerca de 250 (duzentos e cinqüenta ) funcionários distribuídos em cinco


setores:

− Setor Administrativo

− Setor Agrícola

− Setor de Controle de Qualidade

− Setor de Manutenção Mecânica

− Setor de Manutenção Elétrica

• Setor de Manutenção

Esse setor é responsável pela manutenção geral da fábrica. Consta de cerca de 60


(sessenta) funcionários distribuídos de acordo com o fluxograma abaixo:

3
GERÊNCIA

Encarregado Encarregado
Manutenção Manutenção
Mecânica Elétrica

Serralheira Caldeiraria Solda Geradores Industrial Hdrelétrica

• Manutenção Elétrica

Este setor é responsável pela manutenção elétrica de todos os equipamentos e instalações


da fábrica, consta de 08 (oito) funcionários sendo 04(quatro) técnicos de nível médio e o restante
eletricistas e operadores de subestação. Ocupando o cargo de chefia encontra-se o Sr.
_________________ e na supervisão o Sr. _______________.

O regime de funcionamento se dá através de turnos, distribuídos em dois horários, sendo


o primeiro das 07 às 19 horas e o seguinte das 19 às 07 horas do dia seguinte, permanecendo de
plantão em cada turno um técnico, um eletricista e um operador.

4
CAPÍTULO 3. INTRODUÇÃO TEÓRICA

Neste capítulo devem ser conceituados os principais tópicos que serão relatados no
capítulo do desenvolvimento do estágio e que fizeram parte da rotina do técnico no seu estágio.
A seguir um exemplo de um técnico que atua num setor de manutenção.

Neste capítulo apresentam-se alguns conceitos teóricos que foram explorados com maior
intensidade durante o desenvolvimento do estágio, por fazerem parte da rotina diária de trabalho.

3.1 Manutenção Preventiva

Chamamos de manutenção preventiva todo serviço programado de controle, conservação


e restauração de equipamentos executado com a finalidade de mantê-los em condições
satisfatórias de operação, bem como prevenir possíveis ocorrências que possam acarretar a sua
indisponibilidade.

Esse tipo de manutenção é caracterizada por ser programada, isto é, requer um


planejamento criterioso, como também por ser periódica, pois, se aplica em períodos pré-
determinados forçando paradas parciais ou desativando toda a unidade fabril quando se tratar de
uma manutenção geral.

Consiste inicialmente na inspeção e posteriormente na execução através de intervenções


nos equipamentos. O fluxograma abaixo mostra a seqüência utilizada quando da realização da
manutenção.

TESTE MEDIÇÃO AFERIÇÃO DESMONTAGEM

RETIRADA CORREÇÃO RECUPERAÇÃO REPOSIÇÃO

MONTAGEM AJUSTE TESTE MEDIÇÃO

3.2 Manutenção Corretiva

Chamamos de manutenção corretiva a todo serviço efetuado em equipamentos, obras e


instalações com a finalidade de corrigir as causas e efeitos motivados por ocorrências
constatadas que acarretem ou possam acarretar sua indisponibilidade em condições quase sempre
não programadas.

Na maioria das vezes, há necessidade de se aplicar a manutenção corretiva de


emergência. Este tipo de trabalho é realizado, geralmente, através de comunicação interna, onde

5
o técnico se desloca ao local da ocorrência realizando se possível o serviço, para que não
ocasione prejuízos à produção fabril.

3.3 Motor de Indução (Descrever também outros equipamentos, máquinas específicas,


instrumentos, etc.)

Os motores de indução são máquinas dinâmicas que transformam energia elétrica em


mecânica pela rotação do seu eixo.

São os motores de corrente alternada mais utilizados pela indústria atualmente, devido à
sua simplicidade de construção, robustez e boas características de funcionamento.

No seu funcionamento as correntes produzem um campo magnético rotativo no estator


que corta os condutores do rotor, induzindo tensões neste e ocasionando o aparecimento de
correntes alternadas nestes condutores. Estas correntes interagem com o campo do estator
forçando o rotor a acompanhá-lo, o motor então parte. Assim, a velocidade do rotor deve ser
menor que a do campo do estator.

Assim os rotores de motores em gaiola possuem um núcleo cilíndrico de aço laminado


com ranhuras na superfície. Nestas ranhuras são colocadas barras de cobre paralelas ao eixo,
unidas nas extremidades por anéis de cobre e bronze.

Nos variadores a bobina do taco-gerador pode ser ligado a um reostato externo para
controlar a corrente de partida e a velocidade do motor.

6
CAPÍTULO 4. DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES

No capítulo do desenvolvimento do estágio deve-se descrever, com os devidos detalhes e


explicações técnicas, as atividades tarefas desenvolvidas durante o período de estágio. Observe
que não é necessário explicitar todas as atividades, devendo-se enfatizar aquelas de maior
importância e que demandam maior conhecimento técnico. Pode-se descrever serviços
administrativos executados, seja no comando de equipes de trabalho, ou de organização no
serviço da empresa. Merece destaque as modificações ou melhorias que você tenha
implementado em procedimentos ou tarefas na empresa, como, por exemplo, modificações em
procedimentos, materiais ou ferramentas, implementação de algum software específico, etc. É
interessante apresentar as características técnicas, diagramas, esquemas, fotografias ou mesmo
esboço de máquinas e ferramentas, realização de procedimentos, principalmente daqueles que
não sejam comuns, ou que devidos aos avanços tecnológicos. A seguir, um exemplo de um
técnico que atuou num setor de manutenção.

As principais atividades desenvolvidas durante o estágio foram:

4.1. Manutenção Elétrica em motores de indução

Esta tarefa consistiu basicamente de:

− Vistoria das placas de identificação dos motores de indução da fábrica;

− medição da resistência de isolamento utilizando-se um megômetro


(INSULATION TESTER) do tipo digital modelo MI-1100, fabricante ICEL ;

Para a realização da medição da resistência de isolamento, os motores devem estar


desligados e desconectados de sua alimentação para uma maior precisão. Neste teste, a
resistência mínima considerada é 1,5 MΩ , resistências abaixo deste valor o motor é
rejuvenescido, através de um banho de óleo isolante e secagem em estufa.

− Medição de corrente

Nas medições de corrente foi utilizado um alicate amperimétrico, fabricante HYOKI do


tipo 3266 série 1031451.

Esse teste é realizado com motor em funcionamento, mesmo que esteja trabalhando em
vazio ou com carga. Para tanto, coloca-se as garras envolvendo o condutor a qual se deseja
medir a corrente.

− Medição de temperatura

7
Neste teste foi utilizado um medidor de temperatura óptico a laser do tipo direcional.
Este emite um raio infravermelho para que durante a realização do teste o ponto possa ser
diretamente focalizado. Este medidor é do tipo OPTEX TERMO HUNTER, fabricante CE
modelo PT-3LF.

Estas leituras eram realizadas nas chaves de partida dos motores a partir dos fusíveis de
força, contator e relés, com a finalidade de se obter a temperatura a qual estavam submetidos
tais elementos.

Durante estas tarefas foram submetidos à medição e identificação cerca de 300


(trezentos) motores, de potências variando de 01 a 250 cv.

4.2. Manutenção em Painéis

A Usina Cachoeira dispõe de 03 (três) compressores de 150 libras, acionados por motores
elétricos de indução de 04 polos, 10 cv, 380 V. Esses equipamentos geram o ar comprimido
utilizado na borracharia.

A manutenção no painel dos compressores foi basicamente devido contatos colados no


contator de partida direta, evitando a queima dos mesmos devido à falta de fase.

O contator substituído era do tipo 3TB44 fabricante SIEMENS, por um outro do tipo
3TB46 do mesmo fabricante. Este contator é dimensionado para motores de 10 cv, 04 polos, 380
V, suportando o funcionamento intermitente do compressor.

4.3. Inversores de Frequência

Esses equipamentos têm a finalidade de controlar a velocidade do motor de indução pela


variação da frequência.

Durante o período do estágio, foram instalados 04 (quatro) inversores do tipo CFW-07,


para motores com potência de até 07 cv, 220/380 V, 06 polos e programado para uma frequência
de 0 a 60Hz. Estes equipamentos foram instalados em bombas de 01(um) e 1,5(um e meio) cv, 6
polos, 220/380 V, utilizadas para manter o nível no tanque de solda cáustica.

Foi instalado também um inversor do tipo CFW-05, potência de até 40cv, 04 polos,
380/440V programado para uma frequência de 0 a 60Hz, rampa de tempo para controle de
velocidade. Essa programação foi realizada para um motor de 30cv, 04 pólos, 380V,
substituindo dessa forma o variador da esteira de borracha.

4.4. Controlador Lógico Programável (CLP)

Durante o período do estágio foi realizado acompanhamento das instalações de dois


CLPs, fabricante SMAR, instalados na moenda e destilaria. Estas instalações foram realizadas no

8
interior do painel, de acordo com seu projeto, com o objetivo de se obter um melhor rendimento
nas áreas de moenda e destilaria, bem como, uma melhor inspeção dos equipamentos onde foram
instalados sensores.

Os sensores têm a função de sinalização e alarme, na da tela do computador, para


condições extremas de temperatura elevada, de baixa rotação e de rotação elevada.

No sistema das moendas foram utilizados sensores do tipo PT 100, que detectam
temperatura, bem como detetores de velocidade do tipo pick-up.

No sistema da destilaria foram instalados sensores para o processo de anti-espumante das


dornas, na parte superior e inferior, com o objetivo de manter o nível da espuma, além de
detetores de temperatura. Para tanto instalou-se 12 (doze) sensores, sendo 02(dois) em cada
dorna, do tipo capacitivo além de 25 (vinte e cinco) sensores de temperatura do tipo PT 100.

9
CAPÍTULO 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Nas considerações finais o aluno deve fazer as observações que achar


necessário sobre a validade do estágio, as dificuldades encontradas, apontar as falhas no
sistema de estágio (dando em contrapartida as sugestões ou modificações que julgar
necessárias), em relação à empresa, a escola, aos professores, aos métodos de ensino, à
orientação de estágio (professor e CIE-E). A seguir apresentamos uma conclusão interessante,
produzida por um de nossos alunos.

É chegada a reta final do estágio com a percepção de que a experiência


adquirida foi válida, não só em relação a um provável vínculo empregatício, mas, principalmente
para a aquisição de conhecimentos que não puderam ser repassados em sala de aula.

Percebeu-se que o estágio deve ser encarado como uma chance única para
conquistar, a cada dia, um espaço no ambiente de trabalho que é merecido, enfrentando as
barreiras postas à sua frente, e assim, abrindo novos caminhos.

Também é preciso que o aluno, antes mesmo de sair da Escola para enfrentar
o estágio ou o trabalho, deva ser bem orientado em relação às atividades e situações as quais ele
provavelmente deverá ser submetido, levando dessa forma a uma melhor preparação e
conscientização de como é o verdadeiro campo de trabalho.

Após as considerações finais, deve constar no relatório:

• Bibliografia - utilizada ou referenciada na confecção do relatório.

• Anexos - Desenhos, esquemas, figuras, etc. que foram referenciados no


relatório.

10