You are on page 1of 2

UM SONHO DE LIBERDADE

Amanda Kataoka1

O objetivo deste trabalho é analisar as ações jurídico-sociais no
filme “Um Sonho de Liberdade”, com título original “The Shawshank
Redemption”, produzido em 1994 com direção de Frank Darabont. A análise
será feita com foco em três personagens principais, que são: Andy Dufresne
(um presidiário, ex-banqueiro, representado por Tim Robbins), Ellis Boyd "Red"
Redding (um prisioneiro, representado por Morgan Freeman) e Brooks Hatlen
(detendo repretentado por James Whitmor) . Será também efetuada uma
abordagem em relação ao convívio dos detentos dentro do daquele sistema
prisional.
Em 1946, Andy Dufresne (Tim Robbins), um jovem e bem
sucedido banqueiro, tem a sua vida radicalmente modificada quando mandado,
inocentemente, para uma penitenciária para cumprir prisão perpétua por ter
assassinado sua mulher e o amante dela. No presídio, faz amizade com Ellis
Boyd Redding (Morgan Freeman), um prisioneiro que cumpre pena há 20 anos
e controla o mercado negro do presídio, assim então inicia-se a tragetória dos
20 anos de injusto cumprimento de pena de Andy Dufresne.
Segundo pudemos observar, os detentos passam por uma série
de transformações, desde a entrada na prisão, à saída desta, e a entrada em
uma prisão com muros invisíveis, à sociedade. O começo na prisão se dá de
forma constrangedora, logo de primeira o individuo caminha entre os veteranos
na passarela da humilhação. Logo depois são dadas às ordens básicas, as leis
a seguir. São lavados, cabelos raspados, e mais uma vez caminham despidos,
só que dentro da prisão. As celas são fechadas, as roupas pessoais são dadas
e o detento cai na realidade, de que a partir daquele momento sua vida será
transformada, sua liberdade tirada, seus comportamentos manipulados. Logo
após, todos os medos se tornam realidade, ao presenciarem o espancamento
efetuado pelos policiais, em um detento, que posteiormente veio a óbito.
Apesar de estar preso, Andy nunca deixou de ter esperança, e foi
esta que o fez fugir da cadeia, cavar um túnel com um pequeno martelo,
atravessar um cano cheio de excrementos e ir ao México. Foi também com
essa esperança e persistência que Andy conseguiu dinheiro para montar uma
biblioteca na prisão. Andy caminhava diferente, falava diferente, andava como
se fosse invisível, sem problemas, sem preocupações, utilizava de sua capa
invisível, seus pensamentos como escudo para não se entregar ao desespero.
Tal comportamento, era percebido principalmente por seu amigo “Red”, que
acima de tudo, admirava a personalidade e visão, e logo após a fuga de Andy
do estabelecimento prisional, os demais detentos também passaram a
comentar sua ousadia e diferenciação dos demais.
O filme também aborda a separação dos “dois mundos”, por uma
simples camada de concreto, onde Brooks, detento há mais de cinquenta anos,
após receber sua “condicional” preferiu estar na cadeia, onde tinha uma
ocupação, um determinado status, possuía um cargo entre os presos os quais
1
Aluna do 5º período do curso de Direito da Faculdade Dom Bosco/ Cornélio
Procópio.

O final de Red só é diferente do de Broks (que cometeu suicídio). narrador em primeira pessoa do filme. Sair da acomodação e se adaptar ao novo parece ser um suicídio para os dois. Neste mesmo sentido. como a íntima ligação entre a vida e o sofrimento de Jesus Cristo. Ainda em tremenda referência á vida de Jesus.. tendo passado por grandes martírios. em tremenda simbologia ao batismo de Cristo. sua ocupação. mas mesmo assim o lugar onde vivemos fica mais vazio e sem vida sem ele. onde ele se lançou pelos caminhos escuros e horrendos do esgoto para. possibilitanto a retirada do diretor por lavagem de dinheiro e os demais guardas por tantos crimes horrendos ali dentro efetuados. quem sabia que prendê-los é pecado. suas penas brilham demais. o qual. vale ainda ressaltar as palavras do personagem “Red”.em sua maioria o respeitavam e onde se acostumou. fica feliz. Enfim." REFERÊNCIAS http://www. o qual leva este a ser respeitado pelos detentos. fora desta. tendo permanecido calado e na esperança do porvir. seu poder de conseguir as coisas ilegalmente na prisão lhe concede um prestigio. O contrabando na prisão também faz Red ter um determinado status na prisão. possuía grande influência para aquela sociedade prisional. Como sustentado também em debate posterior ao filme. Dufresne mesmo não estando materialmente presente ao lado de seu amigo “Red”. se purificando e tomando sua liberdade. insignificante.. e quando eles fogem. momento posterior á fuga de Dufresne ele prefala que: "Alguns pássaros não nascem para gaiola. Na prisão ele era tido como um intelectual.adorocinema. deu-lhe um sentido de viver. ele era um velho descartável. porque prometeu ao Andy que procuraria um presente quando fosse liberto. já que ele mudara drasticamente toda situação ali naquele presídio. pois buscava sempre mudar a maneira de pensar dos detentos e chegou ao seu ápice no momento da fuga. Dufresne foi condenado a cumprir uma pena a qual não devia. Andy também mostrou aos demais detentos uma esperança e um caminho novo a ser seguido.com/filmes/sonho-de-liberdade. . pudemos observar as simbologias nele empregadas. sair pelas limpas águas de um rio. onde ele seguiu os “passos para sua salvação” que lhe foram mostrados por Andy vindo ao final do enredo se encontrar com aquele que salvou sua vida. com a vida de Andy. Sua posição.

Related Interests