Lesões traumáticas dos ossos e articulações

Prof: Enedina

. ‡ Em muitas situações os achados cínicos são duvidosos e uma radiografia é necessária para determinar se existe ou não fratura. a radiografia é necessária para a avaliação da correção da redução e na monitorização da cura. Não se pode estabelecer regras quanto a frequência dos exames de seguimento. Uma fratura tratada através de tração esquelética exigiria exames diários. as radiografias são essenciais para uma definição precisa da natureza e da gravidade da lesão. como regra geral. enquanto uma fratura com redução e engessamento satisfatório pode ser examinada apenas logo após a aplicação do gesso e ao intervalo de várias semanas até a cicatrização completa. o osso envolvido. uma radiografia será realizada se houver a menor dúvida quanto a possibilidade de uma fratura ou luxação. o método de tratamento empregado e a idade do paciente. pois as indicações variam bastante.Lesões traumáticas dos ossos e articulações ‡ Embora uma fratura possa ser óbvia ao exame clínico. de acordo com o tipo de fratura. Após a redução de uma fratura.

‡ Uma incidência oblíqua adicional é habitualmente necessária na avaliação precisa de traumatismos na região de uma articulação ‡ Devido a superposição. O exame radiológico de um osso longo deve incluir sempre todo o comprimento do osso. e se esta articulação não é incluída no exame tais lesões podem passar despercebidas .Radiografia ‡ Uma avaliação precisa exige pelo menos duas incidência tomadas em ângulos retos. não é possível a obtenção de radiografias laterais diretas tecnicamente satisfatórias do quadril ou do ombro. isto é certamente válido naquelas que envolvem a diáfise. desde que acima até abaixo da articulação. ‡ Uma fratura não pode ser excluída com base na radiografia em apenas uma incidência. ‡ As fraturas da diáfise podem estar associadas a lesões de uma articulação adjacente. Às vezes a linha de fratura é visível em apenas umas das incidências. Duas projeções também são necessárias para se obter uma perspectiva real da relação espacial dos fragmentos. habitualmente nas projeções antero-posterior e lateral. sobretudo a articulação proximal. sendo obrigatória a solicitação de uma incidência oblíqua. Embora isto nem sempre se aplique as lesões envolvendo as extremidades ósseas.

a infecção cirúrgica é possível .Tipos de fraturas ‡ As fraturas podem ser classificadas de várias maneiras. enxertos ósseos ou outros. Uma fratura expostas. Embora mais rara. previamente conhecida como fratura composta. laceração ou avulsão da pele e dos tecidos moles subjacentes. ‡ A importância de uma fratura exposta reside na possibilidade de infecções devido a contaminação. seria associadas a perfuração. Uma fratura fechada. Essa possiblidade deve ser considerada quando da avaliação radiológica do segmento de uma fratura exposta. Elas são facilmente divididas em dois grupos principais fraturas expostas e fechadas. em que a pele e os tecidos moles mostram-se íntegros pode ser convertida numa fratura aberta em virtude da necessidade da redução cirúrgica aberta e fixação de placas metálicas.

Assim. ‡ A oposição. falamos de um deslocamento posterior do fragmento distal da tíbia em relação ao fragmento proximal. este sendo a parte fixa. Uma fratura de cooles no punho é habitualmente cominutiva. sobreposição ou cavalgamento e o número de fragmentos constituem outras observações importantes. Ex: fratura de compressão também pode ser cominutiva. bem como impactada . pois apresentam aspectos mistos. Ex: todas as luxações da articulação do cotovelo são deslocamentos dos osso do antebraço sobre o úmero. ‡ Algumas fraturas não se enquadram num grupo específico. O mesmo método é utilizada na descrição de luxações. com a porção distal da extremidade sendo considerada a luxada. a linha de demarcação entre uma fratura impactada e uma de compressão não é nítida.Descrição da fratura terminologia ‡ Quando se descreve o deslocamento de fragmentos da fratura é costume referir-se ao deslocamento do fragmento distal em relação ao proximal.

como separação em dois ou mais fragmentos. Incompleta não se estende através de toda a largura do osso .Fraturas completas e incompletas ‡ O termo completo é utilizada para designar uma fratura que deu origem a uma descontinuidade ou rotura completa do osso.