Brasil: Possibilidades e Desafios

André Luís Forti Scherer FEE/PUCRS
24/11/2010

Economia Brasileira: contexto atual
‡ Retomada do crescimento em 2010, puxado pelo dinamismo do mercado interno; ‡ Agravamento do déficit externo; ‡ Pressões inflacionárias controladas; localizadas mas

‡ Situação fiscal relativamente tranquila.

Economia Mundial: tensão aumenta
‡ Ameaça de uma crise monetária internacional aberta; ‡ EUA tentam combater a ameaça deflacionista e a estagnação com uma política de monetização parcial da dívida pública; ‡ Nova elevação nos preços das commodities; ‡ Países emergentes reforçam os controles sobre os fluxos de capitais e ameaça protecionista.

Europa em Crise
‡ Estratégia de contenção da crise do sistema financeiro montada em maio começa a fracassar com a crise irlandesa; ‡ Respiradouros , garantias estatais e supranacionais não evitam ataques especulativos contra países mais fragilizados; ‡ Aumento expressivo do risco de contágio generalizado e das ameaças sobre o euro.

Dollar Index últimos 5 anos

Preços ao Consumidor na China

Índice CRB (1967=100)

Índice CRB Metais e Alimentos

Cenário Externo - Resumo
‡ Incerteza absoluta, década de transição; ‡ Desdobramentos políticos da crise econômica são imprevisíveis. ‡ Acirramento da luta de classes, com especificidades e configurações nacionais marcadas; ‡ Aumento da tensão bélica internacional.

Brasil de Dilma: linha de ação
‡ Aposta em um neo-desenvolvimentismo explícito como orientação geral do governo; ‡ Tentativa de criar um projeto nacional uno em torno da idéia desenvolvimentista; ‡ Isso envolve um maior controle governamental sobre a atuação do Banco Central; ‡ Tentativa de viabilizar uma política industrial ativa.

Dificuldades na implementação da política econômica
‡ Necessidade de reduzir juros em um contexto de aquecimento econômico; ‡ Interesse do governo em zerar o déficit público nominal a médio prazo; ‡ Quase impossibilidade de desvalorização cambial no curto prazo dada a atuação dos EUA; ‡ Sino-dependência para evitar a elevação do déficit externo.

Gráfico no. 07 - Brasil: câmbio, inflação, metas de inflação e juros
36,0 Taxa nominal de juros ao ano - SELIC Taxa de inflação anual medido pelo IPCA Limite inferior da banda de metas para a inflação Meta para a inflação Limite isuperior da banda de metas para a inflação Taxas nominais de câmbio 4,0

31,5

3,5

Taxas anuais de juros pelo SELIC, Metas de Inflação e Inflação Efetiva - % a.a.)

27,0

3,0

22,5

2,5

18,0

2,0

13,5

1,5

9,0

1,0

4,5

0,5

0,0 dez/98 dez/99 dez/00 dez/01 dez/02 dez/03 dez/04 dez/05 dez/06 dez/07 dez/08

0,0 dez/09

Taxas nominais de câmbio - R$/US$

Política Industrial Ativa
‡ Existe uma política industrial normativa de caráter schumpeteriano; ‡ Sua eficiência foi limitada pela política macroeconômica implementada; ‡ Governo Dilma: ‡ a) centralidade da Petrobrás como aglutinador da política industrial; ‡ b) ampliação dos projetos em infra-estrutura e habitação.

Brasil de Dilma: considerações finais
‡ Política econômica somente será efetiva com a remontagem de um arcabouço institucional intervencionista; ‡ Aumento do protecionismo seletivo e temporário; ‡ Uso de elementos discricionários de intervenção interna; ‡ Necessidade de um plano B para o caso de desaquecimento da China.