P. 1
Atividade Met Bacterias Orais

Atividade Met Bacterias Orais

|Views: 668|Likes:

More info:

Published by: Bruno De Carvalho Ramos on Dec 14, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/04/2013

pdf

text

original

INTRODUÇÃO  

O metabolismo dos carboidratos através das bactérias orais, com a geração de produtos finais ácidos, se constitui no evento central do processo de desmineralização do dente. O processo carioso é complexo e requer, além do consumo freqüente de açúcar refinado, o acúmulo de um grupo relativamente pequeno de bactérias acidogênicas na microbiota da placa natural.



De especial importância na etiologia das lesões de cárie é a competição por açúcar efetuada pela bactéria oral sacarolítica. Mesmo durante o dia, quando a saliva é a principal fonte de nutrientes, a quantidade disponível de açúcar é baixa e os microrganismos serão favorecidos com baixos valores de constante de saturação(Ks) para substratos de açúcar e a microbiota da placa possui grande capacidade de utilizar as baixas concentrações de açúcar disponíveis nas secreções salivares.

Biofilme aderido na superfície de dentes incisivos .

também referida como placa dental. A placa bacteriana. ou biofilme. . é o acúmulo de bactérias da flora/ microbiota bucal sobre a superfície dos dentes e é o fator determinante para que ocorra a cárie e a doença periodontal.

 Dentre os vários tipos de microrganismos presentes na placa. O Streptococcus mutans metaboliza o açúcar que consumimos e produz ácidos que agem na estrutura mineral do dente. destaca-se o Streptococcus mutans. o que a favorece em uma competição com as demais bactérias que vivem na placa. destruindo-a e formando cavidades que são as cáries. . comum na boca de quem consome açúcar com muita freqüência. Este grupo de bactérias é capaz de resistir a um ambiente ácido.

a técnica da tartarectomia. tornando-se um cálculo dentário. . mas com o decorrer do tempo. também chamado de tártaro. Enquanto placa bacteriana. A placa bacteriana é um meio biofilme ainda não mineralizado. este biofilme se mineraliza aos poucos. mas ao estar mineralizada. é possível removê-la com uma técnica de escovação adequada e freqüente. somente com instrumentos afiados para removê-la. do metabolismo microbiano e alguns fatores ligados a gás carbônico.

METABOLISMO DOS CARBOIDRATOS .

aminoácidos ou peptídeos ao invés de açúcar.  O açúcar é a principal fonte de energia da microbiota na placa dental Entretanto.para garantir a atividade celular . algumas das populações microbianas dos dentes podem utilizar ácidos carboxílicos.

Muitos microorganismos também são capazes de utilizar diversos outros açúcares ou alcóois de açúcares para obter energia. Os açúcares da dieta como sacarose. lactose e frutose.   Grande parte das bactérias orais degradam glicose atrávés da via glicolítica de Embdem-Meyerhof. .requerem a síntese de enzimas indutíveis para que esses substratos sejam utilizados como fonte de energia por muitas da bactérias da cavidade oral.maltose.e os alcóois de açúcar como sorbitol e manitol.

e esse transporte contra o gradiente de concentração requer energia. Nutrientes essenciais .como os açúcares. .geralmente são necessários dentro das células em concentrações superiores ao meio externo.Transporte do açúcar   O transporte de solutos do ambiente externo para o interior da célula normalmente requer proteínas carreadoras específicas para facilitar o processo de captação.

Actinomyces e Lactobacillus. é o fosfoenolpiruvato(PEP):sistema de fosfotransferase do açúcar. . O principal sistema e transporte ativo de açúcar em importantes bactérias orais acidogênicas.tais como Streptococus.

que. .  Começando com o PEP.o PTS cataliza a fosforilação sequencial das enzimas com proteínas solúveis como a enzima I(EI) e HPr. Na maioria dos casos.a HPr-P gerada da EIP transfere o grupo fosforil diretamente para a enzima II(EII).que está ligada à membrana e é açúcar específica .por sua vez.não açúcar-específicas.que são necessárias para o transporte de todas as PTS dos açúcares.fosforiliza o açúcar que está entrando.

Os seguintes açúcares ou alcóois de açúcar são conhecidos por serem transportados pelo PTS nas bactérias orais: .

.

 O sistema PTS possui muita influência no metabolismo global das células.uma vez que a molécula de açúcar é fosforilada durante o transporte e o produto da reação geralmente é um intermediário da via glicolítica. .

( [glicose]. .REGULAÇÃO DO PTS   O ambiente exerce grande influência na síntese das enzimas do PTS. Ph.) A fosforilização do HPr é dependente de ATP.

Mutans indicou que a glicose também é transportada por uma permease e fosforilada por um processo dependente de ATP. . Pesquisa efetuada com S.

com intuito de gerar energia e precursores para a síntese do material celular Muito microorganismos também possuem a via pentose-fosfato com objetivo de produzir precursores celulares(ribose 5-P).bem como o poder redutor para as reações biossintéticas(NADPH).degradarão a glicose 6-P formada após o transporte através da bem conhecida via glicolítica de EmbdenMeyerhof.dentre elas os estreptococos. .VIA GLICOLÍTICA   Muitas bactérias orais.

.

e geram ácido láctico. EX: L. pantarum . salivarius Os microorganismos que degradam os açúcares pela via pentose-fosfato. casei e L.acético e CO2. devido ao principal produto final do metabolismo ser o ácido láctico.acético.resultando na formação de ácido láctico.ácido fórmico e etanol. brevis Os microorganismos equipados com as duas vias são chamados de heterofermentadores facultativos.são chamados heterofermentadores. EX: o L.fermentum e L.   Os microorganismos que possuem a via glicolítica são chamados de homofermentadores. EX: L. acidophilus e L.

A energia conservada.pode ser utilizada não apenas para a geração do ATP.  A degradação da glicose na via glicolítica ocorre uma série de eventos que conservam a energia na forma de um gradiente eletromecânico de próton através da membrana celular. .mas também para o movimento flagelar e para fornecer energia para vários processos de transporte da célula.chamada de força motriz do próton.

em um processo chama ³efluxo do produto final´.a força motriz do próton pode ser gerada pela expulsão de prótons através do associado a membrana H+/ATPase. Em bactérias que não possuem um sistema de transporte de elétron em sua membrana celular.ou também junto com produtos metabólicos finais. .como o ácido láctico.

bem como a presença de oxigênio e dióxido de carbono.que podem variar de acordo com o tipo de microoganismo e com a quantidade e tipo de açúcar disponível.PRODUTOS FINAIS METABÓLICOS  Os microorganismos possuem vários sistemas para conversão de piruvato. .

 Em níveis altos de açúcar. lactobacilos.a formação de ácido láctico a partir do piruvato é uma via importante nos estreptococos. . actinomicetos e bifidobactérias.

são preferidas outras vias de conversão de piruvato. . Com baixos níveis de açúcar.

.

formados durante o metabolismo do açúcar por algumas bactérias.DESTRUIÇÃO OS PRODUTOS FINAIS METABÓLICOS   Os produtos finais ácidos. (Ex: Veillonella.podem ser posteriormente degradados por outros membros da microbiota oral. .) A contribuição das diferentes espécies de bactérias para a acidez do ambiente dentário varia.Propionibacterium e Eubacterium.

. porque os açúcares entram rapidamente nas células bacterianas e níveis tóxicos de compostos intermediários da glicólise se acumulam.ATIVIDADE METABÓLICA E NÍVEIS DE AÇÚCAR  As altas concentrações de açúcar na dieta podem representar um perigo para as bactérias orais.

    . Os estreptococos orais e possivelmente outras bactérias orais se protegem: Regulando o índice da glicólise Efetuando a conversão eficaz de piruvato em produtos finais metabólicos Sintetizando os polissacarídeos intracelulares Inibindo o transporte de açúcar através do sistema PEP fosfotransferase pela formação de HPr dependente do ATP.

Equipe Luana Bruno Izidio Pablo Cristiano .

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->