P. 1
Laurence Gardner - O legado do Maria Magdalena

Laurence Gardner - O legado do Maria Magdalena

|Views: 405|Likes:
Published by stradivarius33

More info:

Published by: stradivarius33 on Jan 23, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/17/2014

pdf

text

original

Sections

  • CAPÍTULO 2 A PERSEGUIÇÃO
  • CAPÍTULO 3 APOCALIPSE
  • CAPÍTULO 4 A OUTRA MARIA
  • CAPÍTULO 5 O SEPULCRO DE MADALENA
  • CAPÍTULO 6 Os GUARDIÕES DA RELÍQUIA
  • CAPÍTULO 7 OS TEXTOS EXCEPCIONAIS
  • CAPÍTULO 8 As MULHERES E A IGREJA
  • CAPÍTULO 9 O CASAMENTO SAGRADO
  • CAPÍTULO 10 Os HERDEIROS
  • CAPÍTULO 11 A CRIANÇA DO GRAAL
  • CAPÍTULO 12 O REINO DOS DESPOSYNI
  • CAPÍTULO 13 O BÁLSAMO SAGRADO
  • CAPÍTULO 14 REINOS E CORES
  • CAPÍTULO 15 LEONARDO DA VINCI
  • CAPÍTULO 16 A ÚLTIMA CEIA
  • CAPÍTULO 17 A ALEGORIA SAGRADA
  • CAPÍTULO 18 UM PRIORADO SECRETO

Tradução: Elaine Alves Trindade 2006 Para Rose, uma mãe querida, com muitas saudades.

ÍNDICE
Ilustrações Coloridas Mapas e Ilustrações Agradecimentos Introdução 1. SANTA OU PECADORA? A Primeira Dama Restauração Sete Demônios O Legado de Madalena Academia Medo e Temor 2. A PERSEGUIÇÃO Indo para o Esquecimento Herdeiros do Senhor A Revelação Irmãos e Irmãs O Sepulcro Proibido 3. APOCALIPSE Fruto da Videira A Alegoria Fértil Os Símbolos de Madalena Armagedom

Agonia e Tormento 4. A OUTRA MARIA A Herança do Nazareno Gabriel Regras de Matrimônio A Concepção Imaculada 5. O SEPULCRO DE MADALENA O Bálsamo Sagrado Uma Nova Ênfase O Erro de Zacarias Águas-Vivas Uma herança gótica 6. OS GUARDIÕES DA RELÍQUIA A Filha da França A Sabedoria da fé O Sopro do Universo A Inquisição O Código de Bafomé 7. OS TEXTOS EXCEPCIONAIS Marta Omitindo as Evidências A Grande Heresia O Arquivo de Madalena Os Evangelhos Esquecidos 8. AS MULHERES E A IGREJA Uma Questão de Datas O Nascimento de Jesus A Consorte do Salvador A Seleção dos Evangelhos 9. O CASAMENTO SAGRADO Aspectos de Tradução

A Mulher Escarlate O Ministério Feminino O Casamento Dinástico O Noivado 10. OS HERDEIROS O Casamento de Madalena O Reino dos Céus A Ordem dos Melquisedeque Tempo de Restituição 11. A CRIANÇA DO GRAAL Separação A Viagem de Mada1ena No Ocidente A Revelação do Cordeiro O Discípulo Amado 12. O REINO DOS DESPOSYNI Os Reis Pescadores Casa do Pão 189 Nobreza Divina A Primeira Igreja 193 O Debate dos Bispos O Segredo do Senhor 13. O BALSAMO SAGRADO O Romance do Graal Montanha da Testemunha A jarra de Alabastro Nascien e o Peixe A Grande Luz 14. REINOS E CORES As Famílias Sagradas A Dinastia Arturiana Rainhas de Avalon As Cores de Madalena

15. LEONARDO DA VINCI Mona Lisa A Virgem dos Rochedos Madona dos Rochedos Notre Dame 16. A ÚLTIMA CEIA Uma História Trágica A Disputa da Adoração O Código Da Vinci 17. A ALEGORIA SAGRADA Um Painel Misterioso A Heresia do Quarto O Tronco de Jessé A Cortesã Arrependida 18. UM PRIORADO SECRETO A Conspiração de Sião O Mistério de Saunière O Comando da Revolução Dossiês Suspeitos O Priorado Original Deus e a Madalena Quadro Genealógico Linhagem do Santo Graal APÊNDICES 1. Filho de Deus - Filho do Homem 2. Julgamento e Crucificação 3. Jesus e a Índia 4. Santa Helena 5. As Três Tábulas do Graal 6. A Queda dos Merovíngios

291

ILUSTRAÇÕES COLORIDAS
1. Na Casa de Simão, o Fariseu 2. Madalena Arrependida 3-4. Maria Madalena Renunciando às Vaidades 5. Noli me tangere 6. Madona Negra de Paris 7. A Queda de Cristo sob a Cruz 8. A Vida de Maria Madalena 9. Maria Madalena 10. Maria e o Bispo de Marselha 11. Maria Madalena Levada por Anjos 12. O Santo Graal 13. A Festa de Casamento em Caná 14. Maria e o Ovo Vermelho 15. Maria Madalena na costa da Provença 16. A Viagem de Madalena a Marselha 17. Madalena e Fra Pontano 18. Maria com os Santos Domênico e Bernardo 19-20. Estudos para Maria Madalena 21. Alegoria de Leonardo 22. Felipe, o Apóstolo - estudo de desenho 23. Cabeça de uma Menina (para a Virgem dos Rochedos) 24-25. A Última Ceia - detalhes 26. O Redentor - estudo de Jesus 27. João (restaurado) - de A Última Ceia 28. A Última Ceia - detalhe restaurado 29. A Última Ceia - detalhe variado 30-33. A Última Ceia - detalhes 34. La Gioconda (Mona Lisa) 35. La Gioconda - estudo

36. Uma Visita de Rafael - mostrando o estúdio de Leonardo com a Mona Lisa 37. Descanso na Fuga no Egito 38. Maria Madalena Lendo 39. Maria Madalena 40. Jesus e Maria Madalena 41. As Três Marias no Sepulcro 42. Madonna de Tempi 43. Madonna de Cowper 44-46. Virgem (Madona) dos Rochedos 47. O retrato duplo de Arnolfini 48. Vitral de Madalena - Igreja de Kilmore 49. Alegoria Sagrada 50. Eucaristia da Última Ceia 51. Maria Madalena Pregando em Provença 52. Pedra de Jesus Maria em Glastonbury 53. Relíquias de Madalena na St. Maximus Ia Sainte-Baume

MAPAS E ILUSTRAÇÕES
1. Mapa - As terras do Evangelho 2. Estandarte romano do século I 3. Marca d'água do Graal em Provença, século XIII 4. Escudo em prata decorado com preto de Saint Clair. 5. A Anunciação 6. O imperador Constantino recebe a aprovação messiânica 7. Mapa - França Medieval 8. Imagem templária da Bafomé-Sofia 9. O Levantamento de Lázaro 10. Fragmento do Evangelho de Maria Madalena 11. As Três Marias no Sepulcro Vazio

sou grato aos arquivistas e bibliotecários da Biblioteca Britânica. A assinatura de Jan van Eyck no "retrato duplo" 27. Anjos do Sangréal 17. da Congregation des Soeurs de Saint Thomas de Villeneuve. Leonardo da Vinci 24. Maria Madalena unge a cabeça de Jesus 15. O leão davídico de Léon d' Acqs 22.12. Aedàn. Maria Madalena unge os pés de Jesus 14. do Museu Ashmolean. da Biblioteca Bodleian. da Biblioteca Central de Birmingham. Homem Vitruviano de Leonardo 23. Mapa . Cabeçalhos do Priorado de Sião de maio de 1956 29. Samuel . Os bispos submetendo sua seleção do Evangelho 13. da Bibliotheque Nationale de France.Rota da Viagem de Madalena 16. Maria Madalena na porta de Simão. do Museu Britânico. Comandantes do Templo de Carcassonne 30. o Fariseu 20. da Biblioteca Estadual de Devon. Josefes passa a Nobreza do Graal 18. o Pendragon 21. A Última Ceia de A Grande Paixão 26. Os Retângulos da Seqüência Áurea 32. As três tábulas do Graal AGRADECIMENTOS Por sua valiosa ajuda na preparação desta obra. Detalhe de A Última Ceia (copiada em 1524) 25. Maria Madalena orando para o rei e a rainha de Marselha 31. do Palazzo Ducale de Mântua. da Bibliotheque de Bordeaux. A legenda do vitral de Madalena na igreja em Kilmore 28. Modelos de frascos (alabastron) do século I 19. do Museu da Catedral de Gerona.

Columba. cujas pesquisas foram de muito valor para este projeto. meus agradecimentos aos curadores e administradores da National Gallery em Londres. e ao editor do livro. do Museo di San Marco dell' Angelico em Florença. Além disso. da Santa Maria della Grazie em Milão e do Musée Conde em Chantilly. Minha gratidão igualmente ao meu agente literário Andrew Lownie. à Order of Knights Templars of St. aos diretores e à equipe da Thorsons and HarperCollins Publishers. Matthew Cory. do Musée des Beaux-Arts em Nantes. da Galleria degli Ufizzi em Florença. Agradecimentos especiais também à editora encarregada Katy Carrington. da Graphische Sammlung Albertina em Viena. do Brooklyn Museum of Art de Nova York. pelo privilégio de ter tido acesso aos arquivos da família. ao administrador do website. cujo apoio incansável ajudou na realização desta obra. e ao meu filho James. Germain. da Igreja de San Francesco de Assisi. do Convento Ortodoxo Russo de Santa Maria Madalena em Jerusalém. Anthony e à Noble Order of the Guard of St. do Philadelphia Museum of Art. ao Sacred Kindred of St. Colin Girsham. do Museu do Louvre em Paris. da Biblioteca Nacional de Gales. e meus respeitos para os falecidos cavaleiros David Rou Stewart e Jack Robertson. do Galleria Doria-Pamphili em Roma. do Fitzwilliam Museum em Cambridge. Um particular reconhecimento é devido a HRH Prince Michael da Albânia. . da Musée des Beaux-Arts em Caen. Pelas informações referentes às obras de arte. da Pinacoteca di Brera em Milão. da National Gallery of Art em Washington. à agente publicitária Jennifer Solignac. ao European Council of Princes. da Bridgeman Art Library. Scarlett Nunn.Courtauld Trust. merecem meu apreço pela ajuda profissional Charlotte Lorimer e Tamzin Phoenix. por seu encorajamento constante. à agente de direitos estrangeiros. da Biblioteca Nacional da Escócia e da Real Academia Irlandesa. Sou mais que grato à minha esposa Angela. Também sou grato à Royal House of Stewart.

Marcus e Robyn. a Duncan Roads. por adaptar minha obra para uma produção cinematográfica. Nancy e Mike Simms. Christina Zohs. cuja sabedoria em seus respectivos campos facilitou a cobertura de assuntos específicos.graal. AlIen da Nexus. especialmente àqueles que me escreveram com comentários e contribuições tão úteis. e também ao compositor Jaz Coleman e ao artista Andrew Jones por suas colaborações no Magdalene Oratorio. estou em grande dívida com os autores especialistas. Por esta obra ser muito mais uma síntese de assuntos interrelacionados. Também devo apreço a Candance Gosch. da Peter Robson Studio. Ruth Parnell. agradeço a sir Peter Robson pela criação das pinturas inspiradas em alegorias que acompanham meus escritos. da Living Element Pictures. da Yes News.Como sempre. e todos os hosts da mídia e editores de jornais que tanto apoio têm dado a esta série.co. da Hera. meu agradecimento especial a Eleanor e Steve Robson. Laurence Gardner The Graal Studio http://www. Adriano Forgioni. A especialidade e a proeminência das obras publicadas têm sido inestimáveis. A Linhagem do Santo Graal. Por sua contínua disposição em ajudar minha obra internacionalmente. introduziu o mais amplo quadro das famílias descendentes de Jesus . da Entropic Fina Art.uk INTRODUÇÃO Em 1996. eu devo levar minha gratidão a todos os leitores que estão acompanhando e encorajando meu trabalho durante os anos. Finalmente. JZ Knight e todos da Ramtha's School of Enlightenment. o primeiro livro desta série.

já publicado na atualidade. . rapidamente. Covent Garden. Ele resumiu a situação explicando ao apresentador que "Laurence Gardner apresentou esse assunto como um fato da história e com registros documentados. A Linhagem do Santo Graal acabou tornando-se um tipo de instituição mundial. A abrangente partitura musical para o trabalho foi designada a Jaz Coleman. Com referência ao fato. Maria Madalena. Não é possível confundir os dois. fui encarregado de escrever o libreto para um oratório gnóstico baseado em A Linhagem do Santo Graal. compositor da Orquestra Sinfônica de Praga. contrariando os ensinamentos ortodoxos. sua esposa. a situação marital de Jesus foi detalhada e. Nesse contexto. da cadeia de livradas Dillons. Como resultado. são coisas diferentes". O livro foi publicado em série por uma editora inglesa no Daily Mail britânico e.Casamento em Caná. O reconhecimento padrão do livro tornou-se ainda mais aparente em 2000. A Linhagem gradualmente foi classificado em uma tendência mais dominante. A revelação provocou manchetes chocantes nos jornais dos Estados Unidos. A primeira apresentação foi na Royal Opera House de Londres. A Igreja vê isso como uma questão de crença e fé. bispos e outros líderes religiosos foram se restaurando amigavelmente e eu descobri o motivo quando estive na televisão em 1998 com um frei dominicano. com grande número de traduções para outros idiomas e uma variedade de edições subseqüentes em língua inglesa. e começou a aparecer em bibliotecas de faculdades. foi levada à frente como uma mulher de um nível considerável. Minhas aparições na mídia com padres. entrou na lista dos best-sellers. quando houve a sugestão de que a história de Jesus e Madalena deveria ser colocada em música. Ele me proporcionou a indicação para Autor do Ano de 1997 pela Hatchard's de Londres. Tendo iniciado como um livro que abalou a instituição. e intitulamos a performance de duas horas de Marriage at Cana .

não havendo a necessidade de leitura dos livros que o antecederam. Graças ao romance de Dan Brown. Atualmente. o tema Maria Madalena e seu relacionamento nupcial com Jesus ressurgiu em um novo formato . tenho recebido um número impressionante de pedidos para expandir as informações contidas em A Linhagem do Santo Graal. compilei O Legado de Madalena com a arte renascentista como seu foco principal. Conseqüentemente. ele contém certos fatos históricos e introduz alguns temas que são relevantes à história de A Linhagem. visto que a preservação da arte foi meu campo de atuação profissional antes de eu me tornar um escritor.em dezembro de 2001. Maria Madalena está sozinha. Em seis delas. CAPÍTULO I SANTA OU PECADORA? A PRIMEIRA DAMA Nos Evangelhos do Novo Testamento.no best-seller internacional O Código Da Vinci. a mãe de Jesus está em primeiro lugar e. do autor americano Dan Brown. Na sétima citação. em outra citação. O Legado de Madalena foi produzido como edição independente. Assim como todas as obras nesta série relacionadas ao Graal. Em sua . Entretanto. Este livro não pretende apoiar nem desafiar O Código Da Vinci. O romance sedutor de Dan Brown é uma obra de ficção e deveria ser visto como tal. Maria Madalena é o primeiro nome. há um grande interesse nas imagens de Maria Madalena e. mas levantar alguns dos seus aspectos mais controversos e comentá-Ios quando for apropriado. várias companheiras de Jesus são são citadas em sete ocasiões.

que a acompanhou na crucificação. sob muitas formas. suas descrições no mundo das belasartes e sua relevância no mundo de hoje. sua vida conforme foi registrada pelos narradores. também. entretanto. suas descrições bíblicas. por que razão a Igreja de Roma virou as costas para essa mulher devotada. difamando seu nome por séculos? Será que os bispos realmente acreditam que uma pecadora deva ser necessariamente uma prostituta. no versículo seguinte do Evangelho é dito que Maria tinha sido uma mulher importante e uma das pessoas que apoiavam Jesus.relação com Jesus. Porém. Como é afirmado em alguns dos Evangelhos que foram excluídos do Novo Testamento. Posteriormente. O fato. a visão e a percepção muito mais . ou isso foi simplesmente uma desculpa para algo que eles preferiam ocultar? Nas próximas páginas. Posteriormente. suas aparições em Evangelhos não canônicos. aparentemente porque uma das referências bíblicas classifica-a como "uma pecadora". na visão do Evangelho. Na literatura do início da Era Cristã. A posição de Maria é. fica evidente que Maria Madalena ocupava um lugar especial na vida de Jesus e nos corações de seus seguidores. Maria Madalena é vista como uma pessoa próxima da mãe de Jesus. o apóstolo "favorecido com o conhecimento. ela surge como uma das principais figuras. na mente dos bispos. apesar de seu aparente papel de apoio na história cristã. ela é apresentada como uma mulher que "o servia". Foi aquela a quem "Cristo amou mais que a todos os seus discípulos" e ela foi. e aparece pela última vez no Evangelho como a primeira pessoa a falar com Jesus após sua ressurreição no sepulcro. Maria Madalena foi "a mulher que conhecia tudo" sobre Jesus. os bispos da Igreja decidiram que Maria deveria ter sido uma prostituta. Antes disso. consideraremos o abrangente legado de Maria Madalena. sua situação clerical e acadêmica. indicava uma mulher de virtude livre. Portanto. única. é dito que Jesus amou Maria.

eu estava correndo contra o tempo e escrevi os detalhes dessa restauração em particular no Guild Journal. Um quadro intitulado Penitent Magdalene (Madalena Arrependida) chegou para limpeza e reparos uma obra italiana do século XVIII de autoria de Franceschini Marcantonio. Apesar de os artistas freqüentemente assinarem ou . o quadro foi intitulado Penitent Magdalene.amplos que Pedro". por que o título? Descobri. Só mais tarde. Madalena foi retratada com jóias e um espelho. RESTAURAÇÃO Meu primeiro encontro com Maria Madalena ocorreu na década de 1980. verificando a procedência do quadro. Eu estava fazendo uma restauração e era consultor de conservação do Fine Art Trade Guild. e nada indicava que ela estivesse arrependida. Para ele. Então. Os gêneros são comuns no mundo da arte dos retratos daquela época. Penitent Magdalene. que seu título registrado. o quadro havia sido grosseiramente afixado (forrado) em uma outra tela que tinha de ser removida (veja ilustrações 3 e 4). foi que comecei a pensar sobre certas características da imagem. nesse estágio. ela parecia bastante feliz. não no tema do quadro. da escola de Bolonha. o que me pareceu bem incoerente. ainda assim. Em uma tentativa de restauração anterior. quando estava analisando as fotografias do trabalho concluído. o quadro tinha sido apenas um retrato estilizado de Maria Madalena. Como parte de um curso de preservação de pinturas. foi mais um tipo de classificação do que um título dado pelo artista. e. Mas. meus interesses estavam nos aspectos fisicos do processo de restauração. Segurando os cabelos com uma das mãos e um brinco de pérola com a outra. em Londres.

de Leonardo da Vinci. como La Gioconda. que é subdividida em temas como "A Adoração dos Pastores" e "Adoração dos Magos". mas na França (onde hoje permanece. Os quadros de Jesus caem em categorias similares e raramente o contrário. Continuam com os retratos "Madona e a Criança" e as cenas de "O Descanso na Fuga para o Egito". porém. mais tarde. é um bom exemplo. A Mona Lisa. ressurreição e subseqüente ascensão.O pisoteamento das uvas (1864). Eles começam com "A Natividade".) Um outro exemplo recente é o quadro de James AM Whistler.personalizarem suas pinturas. Também há várias pinturas românticas. de John Spencer Stanhope. mas que desde sua morte tem sido apelidado de Whistler’s Mother. como Jesus com sua lanterna em A Luz do Mundo (1853). (Voltaremos mais tarde a essa fascinante obra-prima da Renascença. Depois há descrições de Jesus. pelos proprietários. normalmente não davam títulos a elas. no Louvre) é conhecida como La Joconde e na Itália. A grande maioria das descrições cristãs está relacionada a fatos do Evangelho. Títulos românticos geralmente eram atribuídos. intitulado por ele como Arrangement in Grey and Black (arranjo em cinza e negro). o cenário é diferente. de WiIliam Holman Hunt. e The Wine Press . seguidas por várias outras cenas importantes em todo o seu mistério até a crucificação. Muitas das áreas populares descrevem-na como se não tivesse ligação com os fatos relatados no Novo Testamento e entre esses está a classificação enigmática de "Arrependida" . pelas galerias e pelos comerciantes títulos em que os artistas talvez jamais houvessem pensado. Ela é conhecida por esse nome no mundo que fala inglês. Mas essas pinturas ainda estão muito baseadas na tradição do Evangelho: "Eu sou a luz do mundo" (João 8:12) e "Eu sou a videira verdadeira" (João 15:1). com Maria Madalena. "Apresentação no Templo". A maioria dos artistas religiosos pintou ou desenhou Maria Madalena .

O item mais favorecido e constante nas obras sobre Madalena . um crânio e um livro. em vitrais e em outros tipos de arte. Há inúmeras pinturas dela na cruz e no sepulcro. Ele é pertinente. Além disso. mesmo que elas não estejam relacionadas às aparições de Maria na Bíblia. ela é uma das figuras clássicas mais descritas. Marcos 16:1 explica que. e o crânio (veja quadro 2) é sinônimo da inevitabilidade da morte. ao mais pungente de todos os acontecimentos. Os suportes recorrentes nessas cenas incluem um espelho. quando Maria Madalena chegou com os outros ao sepulcro de Jesus. Elas serão citadas no momento devido.é uma jarra de ungüento. Eles eram introduzidos para simbolizar a renúncia de Maria às vaidades terrestres. e ela freqüentemente aparece em escultura. houve duas unções diferentes.o objeto que a toma pessoalmente distinta. eles "levaram aromas para ungi-Io". a Igreja de Roma persistiu no fato de que essa Maria Madalena. com a cena especial de Madalena e Jesus sendo a Noli me tangere (Não me retenhas) de João 20:17. Na verdade. antes da crucificação. ou na solidão de uma gruta. por enquanto. principalmente quando vista em companhia de outras mulheres . Eles insistiram em que Jesus nunca teria sido ungido por uma pecadora. geralmente ela está sozinha em uma penteadeira. a vela e o livro representam a importância da luz e do conhecimento. quando Maria ungiu a cabeça e os pés de Jesus na casa de Simão na Betânia. Entretanto. há várias imagens da Madalena arrependida ou penitente. mas o jarro não está relacionado a essa cena em particular. mas. reagindo a essa . em sua essência. Nessas cenas. a pecadora. Em oposição à vaidade. Apesar de todo o costume histórico e não obstante a tradição popular desde tempos remotos. jóias. não era a mesma pessoa que fez a unção.em algum estágio. As jóias e os espelhos foram muito comuns durante o estilo barroco do século XVII e na escola italiana de Luca Giordano. uma vela.

mas na essência. nós consideramos cerca de uma dúzia ou mais de temas das milhares de representações individuais. a primeira unção (Lucas 7:37-38) é claramente declarada como feita pela "pecadora" na casa de Simão. Há algumas classificações alternativas (freqüentemente alegóricas). eram a mesma pessoa. geralmente nas pinturas de Maria com Marta de Betânia. mas o mais importante é que Maria. Também há muitas pinturas claras. por fim. o Leproso. e sempre nas representações das unções messiânicas. Ela aparece com Maria na cruz e no sepulcro. Mas há outras que. a jarra de unção de alabastro tem sido um símbolo constante do reconhecimento e é sempre usada pelos artistas. a Enciclopédia Católica reconheceu o fato em 1910. há as descrições não-bíblicas do arrependimento e da penitência. e igualmente produtivas. Simão. o Fariseu. As classificações de gênero artístico para Maria Madalena são. juntamente com várias cenas imaginárias de "Maria Madalena e Jesus". e uma outra preferida é "Jesus na Casa de Marta". juntamente com "Noli me tangere") e nos rituais anteriores de unção que estão geralmente agrupados como "Na Casa de Simão". nada têm a ver com os Evangelhos canônicos. não importando qual seja a circunstância da sua pintura. e Maria de Betânia também eram a mesma pessoa. de forma semelhante. e Simão. Além disso. o Leproso.opinião particular do clero. classificadas como "O Jarro de Alabastro". Entre esses grupos estão "Maria Madalena em Provença" e "Madalena carregada pelos Anjos". os artistas e escrivãos sempre tiveram certeza disso e. João 11:12 estipula com muita ênfase que ela foi feita pela mesma mulher de antes. o Fariseu. Quando fala da segunda unção de Jesus na casa de Simão. às vezes em sua solidão penitente. Entretanto. portanto: "Aos pés da Cruz" (incluindo a cena da "Deposição"). O Papa Gregório I (590-604) discutiu isso. . "No Sepulcro" (incluindo a "Lamentação" e a "Ressurreição". a pecadora. nas obras de arte.

Apesar disso. e há 187 igrejas antigas dedicadas a ela apenas na Inglaterra. isso ocorre especificamente por causa de uma influência de Madalena. Nesse . que de alguma forma ameaçou questionar um Cristianismo híbrido. os clérigos associaram-na a uma outra personagem do Evangelho. A reforma de 1969 para a situação canônica de Maria foi baseada na suposição do seu arrependimento . Esse dia já era reconhecido no Ocidente desde o século VIII. a companheira da mãe de Jesus. Então. e sua data de comemoração é 22 de julho. Maria Madalena fez sua aparição sagrada no calendário da Igreja apenas em 1969. mas ele apenas incomodou porque a Igreja tinha sido designada com base no celibato. mas em parte nenhuma do texto sagrado foi dito que Maria era uma prostituta. SETE DEMÔNIOS Para provar a malignidade de Maria e colocá-Ia em um aparente estado de arrependimento por devassidão.Finalmente. O único caminho aceitável para que isso ocorresse seria se Jesus tivesse perdoado Maria Madalena por seu pecado vergonhoso. para Maria. Era necessário ter uma explicação para a transição de Maria. com a qual ela nunca teve ligação. Aparentemente. Como nós descobriremos. somente no final do século XX sua situação canônica foi formalizada. nós voltamos à questão proposta anteriormente: por que a Igreja preferiu degradar Maria Madalena? Algo sobre a presença dela na vida de Jesus claramente incomodava muito os bispos. a pecadora. esse realmente foi o caso. embora o Missal Romano (que determina a liturgia no Ritual Latino) ainda rejeite o fato de que Maria Madalena e Maria de Betânia são sinônimos.uma penitência considerada longa demais. Por outro lado. ela se arrependeu por ter sido uma prostituta. uma instituição com prerrogativas masculinas.

então. Maria de Betânia e a Maria Madalena. e Maria. de Roma. é curioso que todos os ícones de Madalena da Igreja ocidental descrevem Maria segundo o vaso de alabastro com bálsamo. foi "pega em adultério". Portanto. mas a estratégia foi considerada boa. então. ao colocar o estado de "arrependimento" fabricado para Maria Madalena. a se alinhar à Igreja Ortodoxa (Bizantina) do Oriente. Mas. reconheceu que ela era Maria de Betânia. em João 8:1-11. quando a santidade de Maria Madalena foi formalizada. que há muito tempo afirmou haver três Marias. o Evangelho segundo João afirma que Maria de Betânia e a mulher que fez essa primeira unção eram a mesma pessoa. a Igreja. disse que havia se arrependido. pede a pergunta: por que Maria Madalena é. Então. e a quem Jesus não condenou. mas lhe disse: "Vá e não peques mais". o Missal determinou que havia três Marias diferentes: Maria. como vimos. quando uma pecadora ungiu os pés de Jesus na casa de Simão. Uma outra associação entre essa mulher e Maria Madalena foi feita em razão da seqüência em Lucas 7:37-49. O Evangelho relata que Jesus disse a ela: "Perdoados são os teus pecados". esse fato contraria a doutrina ocidental. em abril de 1969. é claro. considerada a santa dos pecadores arrependidos? A medida de 1969 leva a Igreja do Ocidente. visto que. O que não faz sentido nenhum é que. em todos os outros aspectos. no final da história? Isso. os bispos negaram essa associação. a pecadora. visto que ele claramente indica que Maria . na verdade. se for esse o caso. o Fariseu. a mulher que eles canonizaram não era a Madalena arrependida. convenientemente havia uma mulher desconhecida a quem Jesus perdoou por seu comportamento libertino e. Maria foi identificada com ela. Na verdade. Mas a situação deu uma virada muito estranha. Não havia a menor ligação entre Maria Madalena e essa mulher. Mas. apesar da explicação positiva em João. a suposta adúltera.aspecto. Essa era a mulher que.

chegando à conclusão de que eles representavam os sete pecados capitais (os "pecados mortais". Não há relação com adultério nem prostituição. Isso foi tudo. o que isso significava? Quem ou o que eram os sete demônios? No ano de 591. Nem pode ser ignorada. a .Madalena e Maria de Betânia eram a mesma pessoa. Apesar de todas as tentativas de ligar Maria a prostituição sem fundamento. Na realidade. como eles são mais conhecidos). e foi por isso que Gregório não a acusou dos pecados mortais. ele declara. Então. como especificado em João 11:12. luxúria. É dito que: a) Maria era uma "mulher de quem tinham saído sete demônios" e b) ela era uma "mulher de quem se haviam expulsado sete demônios". a pecadora. Isso ocorre porque Maria Madalena apresenta um problema sobre o qual não importa quais estratégias de doutrina são impostas para manipular sua posição. o papa Gregório I fez um sermão histórico que incluiu referências a Maria Madalena. ele confirmou que Maria. pois todas são autodestrutivas já que ela não pode ser enquadrada ao que não pertence. e Maria de Betânia seriam a mesma pessoa. ele também mencionou o assunto dos "sete demônios". Nesse discurso. avareza e preguiça todos os sete! É de se admirar que ela tenha se recuperado. Ele aparece na apresentação dela em Lucas 8:2 e é repetido na seqüência da ressurreição em Marcos 16:9. Observando mais atentamente o assunto dos sete demônios. Mas. gula. que agora estão mais confusos que nunca. porque os Evangelhos deixam muito claro seu envolvimento com Jesus e com sua família. E o que os cristãos protestantes pensam sobre isso? Tudo vai depender a qual dos muitos ramos da Igreja protestante você perguntar. inveja. Maria era culpada. ira. tudo isso causou uma confusão terrível entre católicos e protestantes. de soberba. há apenas um comentário nos Evangelhos com referência ao seu suposto pecado. durante o percurso.

) sua irmã. sua mãe e sua companheira. que significa "amada" e aparentemente equivalente ao hebraico Miriam). Outros nomes egípcios similares incluem Meryamon (amada de Amon) e Merytaten (amada de Aten). aparentemente. embora. "Maria" era tanto um nome como um título de louvor. do número um em diante. o que significa que as regras do celibato não . assim como na cultura greco-egípcia.assim como o Advogado do Diabo de nossos dias. sob o casamento.. Antes disso. no Novo Testamen to. Mery. As Marias eram criadas no ambiente casto dos conventos com ordens sagradas específicas e eram sujeitas a regras rígidas que se aplica vam até que fossem escolhidas para se casarem. segundo a idade. quando traduzido corretamente. Na época do Evangelho. as mulheres eram liberadas do fardo dos sete demônios (ou diabos). as Marias estavam sob a autoridade do escriba chefe. os sete Sacerdotes do Demônio foram baseados em um grupo de oposição simbólica àqueles padres considerados representantes das sete luzes do Menorá (o castiçal de sete pontas da tradição judaica). Outras variações européias de Maria são Marie e Mary. Entretanto. sendo colocado antes de seus nomes de batismo: Irmã Maria Luísa. mas. o não-canônico Evangelho de Felipe faça uma referência específica a: "Havia três que sempre caminhavam com o Senhor (. Irmã Maria Teresa. Todas se chamavam Maria". apresenta Jesus como o "filho de Maria". Marcos 6:3. O nome era um estilo conventual da época e ainda é usado por muitas freiras nos conventos hoje em dia. Era função dos Sete Sacerdotes do Demônio supervisionar e vigiar as celibatas . É por isso que havia tantas Marias ligadas a Jesus. por exemplo. que sonda a vida de candidatos em potencial para a canonização na Igreja Católica Romana. e assim por diante. lê-se: "filho da Maria". Classificado. denominado Sacerdote do Demônio Número 7..primeira coisa a se considerar é a relevância pública do nome grego "Maria" (do egípcio.

e escreveu sobre Magdala . Concluímos disso que. Geralmente há uma sugestão de que o nome Magdalena deriva de um lugar chamado Magdala. O LEGADO DE MADALENA Ainda com referência ao assunto dos nomes..seriam mais aplicadas. que significa "Torre de Peixe". apenas restos de uma rua de pedras. que significa "torre". Mas no Evangelho mais antigo de Mateus 8:10. embora em algumas edições da Bíblia seja grafada como Magadan. Magdal Nunaiya. O lugar empobrecido é conhecido hoje como el-Medjel. Mas esse fato não é suficiente para determinar que Maria tenha vindo de Magdala. a região norte da atual Haifa). às vezes. lá não há ruínas importantes.C. quando os sete demônios liberaram Maria Madalena. Magdala era um centro de comércio próspero e agitado nos tempos do Evangelho. também devemos analisar o nome de Madalena que. Magdala foi igualmente um centro de pesca e de processamento de pescado. bem ao norte de Tibérius. Atualmente. e eles realmente têm a mesma raiz em migdal. o nome do lugar Dalmanutha é usado nesse contexto. Sabemos apenas que ela se uniu à pregação de Jesus na Galiléia (ou seja. ela havia sido libertada das amarras conventuais a fim de se casar. Madeleine e Magdalen. O historiador Flavius Josephus era governador da Galiléia durante a frustrada Revolta Judia contra os romanos em 66 d. Maddalena. Conhecida também por seus tecidos de linho e mortalhas. e o Talmude judeu utiliza o nome mais correto. Ela é mencionada em Mateus 15:39. Magdala era uma cidade de pesca no Mar da Galiléia. é escrito como Magdalena e tem variantes européias como Magdalene. as ruínas de algumas casas de banho romanas e a estrutura de um edificio.

Embora as regiões palestinas da Galiléia. às vezes. enquanto que em Lucas é dado o nome de Calvário. e o grego era a língua original dos textos do Evangelho. Ele também foi chamado de Lago de Genezaré e Tiberíades (João 6:1). Samaria e Judéia estivessem sob a ocupação romana no tempo do Evangelho. onde os faraós gregos das dinastias de Ptolomeu. Mais tarde. No primeiro século da Guerra dos Judeus. Flavius Josephus era um judeu hasmoneano. Marcos e João. como em Josué 11:2. Josephus registrou que havia cerca de 40 mil pessoas vivendo lá naquela época. ou até por descrever hábitos locais. Assim como Magdal Nunaiya. da rainha Cleópatra VII. ao lado de uma versão do antigo aramaico mesopotâmico e. o local da crucificação é chamado de Gólgota. latim. é literalmente: "lugar de uma caveira".usando o alternativo nome grego de Taricheae. anteriormente tinham sido controladas pelo Egito. Entretanto.500 deles foram massacrados em bata lhas em terra e no mar contra as tropas romanas do general Tito Flávio. Gulgoleth. o hebraico. O Mar da Galiléia era originalmente chamado de Quinerote (hebraico: em forma de lira). arcebispo de Gênova no século XIII. Gulgolta. Calvária) derivam de palavras que significam "caveira". como aparece em todos os Evangelhos. mas provém de uma tradição lingüística multicultural. treinado para o sacerdócio fariseu. portanto. do qual deriva o nome moderno de Bahr TubarÎya. sírio. Quando Jacopo di Voragine. mas ele geralmente usava a terminologia grega. um idioma muito usado na época de Jesus. ele registrou que cerca de 6. por exemplo. é claro. Esse fato pode confundir. . aramaico. muitos outros locais citados no Evangelho estão com nomes diferentes. e o significado do nome do lugar. Em Mateus. tinham reinado de 305 até 30 a. com lugares batizados em hebraico. há uma pequena dúvida de que o nome de Madalena tenha sua origem (assim como Magdala) da palavra hebraica migdal (que significa torre ou castelo).C. latim. Ambos os nomes (hebraico. O grego foi. grego.

a partir dos registros da Igreja.escreveu A vida de Maria Madalena. ela seja descrita como "Maria. na apresentação de Maria em Lucas 8:2.e é a essa posição social que a distinção de Madalena se refere. Dessa forma. como em Miquéias 4:8. na verdade.ou a torre (migdal) de Betânia. chamada Madalena” .que é "Maria. não era permitido que as Marias tivessem propriedades. relacionava-se ao status pessoal. Mas nunca houve um castelo ou torre em Betânia e. é significante que. A herança descrita por Jacopo. chamada Torre da Guarda". ele afirmou que Maria possuía "heranças do castelo de Betânia" . o Magdal-eder (torre de guarda do rebanho) .uma estação comunitária (castelo/torre) da tutela da comunidade. como deveria ser traduzido. . de qualquer forma.

.

sob o general Pompeu. Jacopo depois explica que Syro era um nobre sírio. mas da sacerdotal Casa Hasmoneana dos Macabeus. intitulada La Légende de Sainte Marie . o pai de Maria Madalena chamava-se Syro (ou Syrus). Marcos 5:42 confirma o fato. A grande sinagoga de mármore em Cafamaum (que ainda existe como uma impressionante ruína) foi a província do sacerdote Jairo na dinastia de Ira de Jairite. pois tinha 12 anos.C. e Maria faz sua primeira aparição bíblica como a filha de Jairo. onde Jesus começou sua breve missão. declarando: "Imediatamente a menina se levantou e pôs-se a andar. Na seqüência da filha de Jairo. Eucharia é descrita mais detalhadamente como descendente da Casa Real de Israel. na época de Moisés. cuja esposa Eucharia (mãe de Maria) era da família real. o mais provável lar galileu de Maria Madalena ficava próximo da cidade costeira de Cafamaum. um chefe sacerdote do rei Davi. realizado aos 12 anos. que reinaram em Jerusalém de 166 a. Em um manuscrito bem mais antigo do arcebispo Rábano Mauro.C. que não era a Casa Davídica da Judéia. Essa linha sacerdotal surgiu com os filhos de Jair no Antigo Testamento. o Jairo. ele era o sacerdote chefe (subordinado ao sumo sacerdote de Jerusalém). E logo foram tomados de grande espanto". Como Syro. Ele também afirma que Madalena "nasceu de uma linhagem nobre e que seus pais eram descendentes da linhagem dos reis". até a ocupação romana de 63 a. que Jesus fez se levantar da morte em Mateus 9:18-25. Segundo Jacopo (1229-1298).Em vez de ser de Magdala. Essa forma iniciatória de elevação da "morte" (trevas) figurativa para o nível da "vida" (luz) em comunidade foi parte de um processo de instrução chamado "o caminho". ACADEMIA A obra de Jacopo di Voragine.

Apesar da questão mais geral do status na comunidade de Maria Madalena pelos bispos. é composta de 50 capítulos englobados em seis volumes com manuscritos ricamente esclarecidos. Ele continua muito do que havia nos registros sobre Maria no século IV. conde de ArundeI. Rabanus era tido como o mais sábio da época. ele era único. O erudito beneditino. esse foi um dos primeiros livros impressos em Westminster. por William Caxton. Já publicado em francês e em latim. na Inglaterra. Dois séculos após a morte do autor.hoje Faculdade Magdalen . Rabanus Maurus (776-856). na Universidade de Oxford. a obra teve leituras públicas regulares nos mosteiros medievais e em algumas igrejas. com referência ao conhecimento das escrituras. quando a Igreja de Roma foi fundada pelo imperador Constantino para substituir a antiga forma do Cristianismo nazireno. "Magdalen Hall" . a produzir uma versão inglesa traduzida dos manuscritos europeus. e diziam que. leis canônicas e liturgia. A Vida de Maria Madalena. . denominada com a maior reverência como a mais doce escolhida de Cristo e muito amada por ele. em 1447. a famosa Légenda Aurea (Lenda Dourada). Londres. Alguns anos depois. descobriram em um mosteiro uma cópia do manuscrito de Rabanus.foi fundada na universidade por William de Waynflete. O livro começa assim: A vida contemplativa da mais abençoada Maria Madalena. em 1843. É uma coleção de crônicas arquivadas detalhando a vida de figuras santificadas seIecionadas e que eram muito veneradas na sociedade religiosa. o maior local de aprendizado do Império Franco na época de Carlos Magno. era arcebispo de Mayence (Mainz) e sumo sacerdote de Fulda. contém sua grande compilação. Sua maior obra.Madalene. Caxton foi convencido por William. No início do século XV.

what Mary Mawdelyn was. Mary Eypcyan. sob o patrocínio de Henry Stafford. duque de Buckingham. a obra de Rabanus tinha sido citada em Chronica Majora de Matthew Paris (Matthaei Parisiensis). Muito conhecido do lorde Audley. ele decidiu que o Magdalene College em Cambridge deveria ser pronunciado "Maudleyn". Antes disso. e muitas outras seynts que agora estão no céu]. esse diário espiritual de um visionário de Norfolk é considerado a primeira autobiografia publicada em inglês. na época dos Tudor. estudantes e monges eram aceitos lá. Nesse cenário. Seynt Powyl. como resultado da dissolução dos mosteiros de Henrique VIII. Então. Seynt Powyl. e a tradição prevalece até hoje. e o manuscrito Magdalene existe até hoje. dedicada a Madalena. Albans e conferia os escritos de seu abade. dowter. Ao colocar seu nome na equação. o que causou muitas críticas. lorde Audley planejou uma forma de diferenciar. Posteriormente. é um registro fascinante da . John de Celia. Ele denominou a Faculdade dedicada a Maria como a Faculdade Santa Maria Madalena. Mary Mawdelyn era Mary Eypcyan. Ele foi monge no mosteiro de St. lorde Audley. em 1542. explicado que. por volta de 1190. Em termos fonéticos. foi uma das primeiras a ensinar ciências. foi reconstruido um dormitório educacional para monges beneditinos em Cambridge. Na década de 1470. em termos claros. sua faculdade da instituição irmã em Oxford. houve um precedente para a corrupção nominal na qual Maria tinha aparecido anteriormente como Maria Mawdelyn no livro The Book of Margery Kempe (1438) "Have mend. a faculdade passou a pertencer a Thomas. and many other seynts that arn now in hevyn" [Tendo corrigido. O manuscrito de Rábano também é citado no Scriptorum Ecclesiasticorum Historia literaria Basilae em Oxford.bispo de Winchester e chanceler da Inglaterra para o rei Henrique VI. para se tornar a Faculdade Buckingham. A Faculdade. Apesar do "analfabetismo" do autor. logo após a fundação de Magdalen em Oxford.

Albans. suas preocupações relacionavam-se aos registros documentados. visto que determinavam a doutrina. cujo trabalho era forçar a obediência aos . o registro histórico não era importante para eles. Na verdade. enquanto na Itália. e uma obra particularmente informativa chamada Saint Marie Madeleine foi produzida pelo monge dominicano Pere Lacordaire. apesar de lidarem com um assunto extremamente religioso. tanto na Universidade de Oxford como em Cambridge. logo depois da Revolução Francesa. até manchando totalmente seu nome. Jacopo di Voragini era dominicano.dos beneditinos de Oxford aos irmãos em St. Mesmo antes. ele instituiu seu Juramento de Lealdade a Maria Madalena. A resposta é clara: os monges eram acadêmicos e. Partindo desse histórico. E então. Os bispos. Ele fundou o Colégio de Propaganda de Cardeais. além das inúmeras igrejas dedicadas a Maria Madalena na Inglaterra. em 1662. O rei francês Luiz XI (1461-83) foi insistente sobre a posição dinástica de Maria Madalena na linhagem real da França. o país também ostenta faculdades dedicadas a ela. por outro lado. E aconteceu o mesmo na França. precisamos perguntar por que os eruditos monásticos estavam em divergência com os clérigos eclesiásticos quanto ao entusiasmo em relação a Maria Madalena. estavam apenas preocupados com a doutrina religiosa e. enquanto a Igreja de Roma fazia o máximo para afastar Maria Madalena. onde Rábano Mauro era um abade beneditino. ela era muito reverenciada nos círculos monásticos . quando o abade cisterciense francês Bernard de Clairvaux formalizou a Ordem dos Cavaleiros Templários no Conselho de Troyes em 1129. Não há dúvidas de que.turbulenta vida da Inglaterra do século XV. eles se empenhavam para forçar sua doutrina às pessoas na forma de dogma compulsório quando a Congregatio Propaganda Fide (Congregação para a Propagação da Fé) foi introduzida pelo papa Gregório XV.

e era próxima da mãe e das irmãs dele. nós concluímos que Maria era uma companhia constante de Jesus e apoiava-o. foi venerada. ou era apenas uma personagem secundária? Dos Evangelhos. Os leitores do romance best-seller de Dan Brown. Nesse aspecto. como a propagação das plantas "clonagem ou como espécimes de um reprodutor matriz" . ainda assim. por uma sociedade obscura de iniciados de confiança. mas isso não era suficiente para justificar as agressões póstumas feitas pela Igreja. apresentei e discuti o assunto do casamento e . Saberão também que eles tiveram um filho e descendentes . A mãe de Jesus também era uma mulher e. Aparentemente. E claro que ela era uma mulher. saberão que seu enredo revela Maria Madalena não só como a amada companheira de Jesus.ensinamentos da Igreja. Há alguns anos. a Igreja não só usava a propaganda. Ela o ungiu com óleo de arália em duas ocasiões. O Código da Vinci. quando foi a primeira a falar com ele após a ressurreição. MEDO E TEMOR Qual é o lugar de Maria Madalena em toda essa história? Ela foi realmente importante para a vida e a missão de Jesus.um segredo que havia sido guardado por séculos. Na verdade. mas também inventou a palavra de uma raiz latina da Igreja (propagare: multiplicar). havia muito mais em Maria Madalena do que parece . Não há nada remotamente desagradável ou controverso em tudo isso. até os dias de hoje. mas também como sua esposa. Deu apoio a elas na crucificação e acompanhou-as ao sepulcro de Jesus.algo que deixou os bispos com medo e temor referente ao seu legado. a lealdade de Maria a Jesus e à sua família pesava muito mais que essa incerteza de Pedro e de outros apóstolos aparentemente erráticos.

Sim. Os bispos sabiam disso. Igual a muitas outras. Anteriormente. na verdade. CAPÍTULO 2 A PERSEGUIÇÃO INDO PARA O ESQUECIMENTO Em 1964. O fato é que não é preciso ter acesso a arquivos de conspirações ou de sociedades secretas para des cobrir a verdade sobre Maria Madalena.da prole de Jesus em A Linhagem do Santo Graal. Se os bispos não soubessem da relação nupcial de Maria Madalena com Jesus e de sua maternidade. ele tinha estudado na Universidade de Oxford e na Universidade Hebraica em . mas muito pouco disso era segredo. É óbvio que esse aspecto do Código da Vinci não se sustenta considerado como fato. o papa Paulo VI liberou um eminente professor do Vaticano de seus votos de pobreza e de obediência na Ordem Jesuíta. os monges sabiam. o padre havia prestado serviço no Instituto Bíblico Pontifical e também no Conselho Pontifical para a Promoção da Unidade Cristã sob a presidência do cardeal Augustin Bea. e podemos aprender muito mais sobre ela lendo atentamente os Evangelhos do Novo Testamento. mas em nível secundário na história cristã. em vez de uma ficção novelística. havia grupos com suporte histórico que defendiam o legado de Madalena. Maria Madalena aparecia como uma ameaça considerável à Igreja. mas não cheguei a dizer que havia segredos desconhecidos pela Igreja. Antes disso. não teriam motivos para difamar a memória dela. além de muitas outras pessoas. ela teria permanecido como uma personagem importante. e organizações como os Templários sa biam. Sua história está sob domínio público há muito tempo.

Jerusalém.600 anos para vir à tona. existiu um conflito desde o momento de sua criação. ele servia à Santa Sé no Vaticano com o papa João XXIII. Em 1958. quando o padre Martin assumiu seu cargo no Vaticano.. A partir de 1958. revisou o código da Lei Canônica e convocou o Segundo Concílio do Vaticano para revitalizar a Igreja. convocou a primeira diocese Sínodo de Roma na história. e as amplas mudanças que ele fez foram tão profundas quanto o ato de Constantino que criou a Igreja. esperava-se que João fosse um papa de transição. Após a morte de Pio XII. Desde aquele dia em 312 d. onde morreu em 1999. ele renunciou a uma alta posição em Roma e foi morar em Nova York. e sua renúncia foi estimulada por uma discórdia que levara mais de 1. Como papa. tomou-se o bispo de Roma como o papa João XXIII. Mas. ele era a Igreja e sua mensagem soava alto e era clara. era respeitado e possuía cerca de 30 anos de leais serviços à Igreja. quando o imperador Constantino viu o sinal de uma cruz no céu e resolveu reformular o Cristianismo para uma religião romana híbrida. cardeal e patriarca de Veneza. Ele expandiu e internacionalizou o Colégio dos Cardeais. em 1964. Ele tinha reconhecimento. João voltou à antiga discórdia diretamente para a sua cabeça. sua Igreja tem vivido um dilema constante: até que ponto ela deveria servir às necessidades espirituais do povo e até que ponto estaria envolvida com o poder e a política da vida secular? A instituição estava preocupada em estar a serviço das almas ou pretendia dirigir o mundo ocidental? Desde o princípio. mas ele rapidamente passou a ser identificado como um reformador social.C. com doutorado em Línguas Semitas. Seu nome era padre Malachi Martin. Entretanto. havia aqueles na Igreja que teriam respondido sim a ambas as questões e. ao tomar tais medidas. Ele . Arqueologia e História Oriental. então. Angelo Roncalli. O papa João era um liberal e um libertador.

era tarde demais. depois de testemunhar todos esses eventos de dentro do Vaticano. como bispo de Roma. visitando hospitais. O papa João XXIII morreu em 1963. sucedeu-o em 1964 como papa Paulo VI. ar cebispo de Milão. Martin havia estado em uma posição singular durante todo o tempo. João era persistente ao atender sua diocese. ele disse: "O Diabo entrou na Igreja. foi uma das maiores viradas em toda a história das religiões. mas ele era igualmente impopular com os elementos de uma hierarquia da Igreja que estava perdendo a base de seu poder sob o comando dele. de 1958 a 1964. e ele era o . há fumaça ao redor do altar".mas. enquanto outros respiraram aliviados . Muitos ficaram desesperadamente tristes com isso. abandonaram suas crenças em conceitos como o Pecado Original e o Diabo. Os padres queriam se casar. mas não podia fazer nada para conter a pressão pública e do clero para a continuação da reforma. as mulheres queriam ser "padres". Os danos (como eles consideravam) já estavam feitos. prisões. Enquanto isso.estava interessado no serviço espiritual e não no poder secular. Ele foi. foi eleito para romper suas amarras. as medidas do papa João tinham o efeito de demolir a autoridade suprema da Igreja e de muitas das suas mais antigas doutrinas. mais popular com as pessoas. os bispos queriam se tornar papas regionais. Quando Giovanni Montini. certamente. Sua autoridade dogmática estava agora em grave declínio. escolas . Sabia que alguém tinha de escrever sobre essa era monumental para a posteridade. Nesse estágio. Ele tentou. Católicos em massa. tendo tomado parte dos debates de transição. incluindo muitos padres. O período de seu serviço no Vaticano. e a Igreja de Roma nunca mais seria a mesma. Essa foi uma notícia animadora e bem-vinda para muitos. o padre Malachi Martin. mas como garantia de maior liberdade ao povo. para eles. as pessoas clamavam pela aceitação dos direitos do controle do nascimento e do divórcio.agindo como nenhum outro papa fizera antes.

mesmo que resolvesse estudar os documentos apropriados. Como o padre Martin explicou.mas ele não poderia agir com objetividade enquanto continuasse empregado no Vaticano. pesando todas as probabilidades e conseqüências. Martin deixou claro que a hierarquia tem mantido uma posição privilegiada em termos de aquisição de conhecimento por meio de uma rede de inteligência. por meio de sua mãe. a menos que se tomasse uma exigência doutrinal.C. Por outro lado. que reinou em Jerusalém por volta de 1000 a. "era reservado apenas para os parentes consangüíneos de Jesus". Jesus. ele explicou o fato dizendo que "apenas as pessoas da linhagem de Jesus. mesmo antes de a Igreja Romana aparecer. A palavra é Desposyni. HERDEIROS DO SENHOR Com relação à história da Igreja vista do lado de fora. a Igreja como conhecemos hoje já começou sua queda em direção à obscuridade final.homem para fazê-Io . Seus trabalhos são exposições brilhantes da Igreja e de seus líderes desde os primórdios. em 1964. Por isso. Portanto. . eram qualificadas como Desposyni". era da Casa da Judéia e da linhagem real do Rei Davi. ele se aposentou e tornou-se um escritor. nada relevante à Igreja já foi um segredo para a Igreja. segundo os Evangelhos. o padre Martin libertou uma palavra grega que era empregada nos arquivos imperiais. Desposyni era a mais santificada das distinções nos primórdios do Cristianismo. Sobre isso. e ele declarou que. e até os dias de hoje quer dizer "herdeiros do Senhor". A palavra sempre esteve no domínio público desde que passou a ser usada. Mais tarde. mas não de uma forma que a maioria das pessoas pudesse entender. muitos dos seus segredos não foram divulgados. Tanto Mateus quanto Lucas apresentam a descendência de Jesus na linhagem masculina.

O item genealógico correspondente em Lucas traça a ancestralidade em reverso. No livro Os Segredos Perdidos da Arca Sagrada. Mas. visto que a palavra refere-se aos "herdeiros de" ou àqueles que "pertencem" ao Senhor. e segue por todos os ancestrais para concluir com "e a Jacó nasceu José. que era o "filho de Deus". descobrimos que ela só foi usada após a crucificação. A definição Desposyni. Portanto.. filho de Abraão". segundo as listas de Mateus e Lucas. mais relevante neste estágio específico é a nossa busca pelos herdeiros do Desposyni. a menos. Ao traçar os primeiros usos dessa palavra. voltando um pouco mais. Eu incluí esse item novamente no Apêndice I deste livro para beneficiar os novos leitores. marido de Maria. Sete de Adão e Adão de Deus". Jesus poderia ser chamado de "filho de Deus". como vimos. Entretanto. em 70 d. * eu discuti várias referências bíblicas com relação às citações de "filho de Deus" para Jesus. Isso faz sentido. da qual nasceu Jesus. Lucas afirma que o último ancestral de Jesus e Davi era Adão. com a devida licença genealógica e baseado no conceito simbólico de Mateus.de seu pai José. o que não era no sentido literal. é claro. da mesma forma. ressurreição e ascensão de Jesus. Se. que se chama Cristo". É basicamente a partir da lista de Lucas que Jesus se toma pessoalmente definido como o "filho de Deus". é justo dizer que. é especialmente usada para aqueles da linhagem de Jesus por intermédio de sua mãe. Mateus abre com: " Livro da genealogia de Jesus Cristo. Jesus era herdeiro real da Casa de Davi. indo de Abraão para terminar com: "Enos de Sete. Era uma definição simbólica para determinar sua casa de linhagem. que ele tivesse um filho. quando os romanos finalmente realizaram os quatro anos do . filho de Davi. então a sucessão da dinastia daquela casa terminaria com Jesus.C. Mateus afirma que Jesus era o "filho de Davi". Maria. Entretanto.

Isso foi cerca de 40 anos após a crucificação de Jesus. Ele define especificamente "a família" e "a dinastia real". parece que o imperador Vespasiano ainda tinha um problema com a Casa de Davi. Judas.levante israelita contra eles. Entretanto. O primeiro uso da palavra Desposyni parece ter vindo de um contemporâneo de Hegesippus . referido em Lucas 9:57 . o decreto não se refere a todos os descendentes vivos de Davi (mesmo se tivesse sido possível dizer quem eram). Africanus relatou que. . "poucas pessoas cuidadosas mantinham registros dos seus próprios. durante a vida de Jesus.C. mesmo antes de Vespasiano. fundada pelo irmão de Jesus.10:1. Ele é tido como o pai da cronografia do Cristianismo e sua fama vem da tradução para o latim de uma série de trabalhos do discípulo Abdias.o historiador Julius Africanus.. do século II. e tinham orgulho na preservação da memória de suas origens aristocráticas. conhecidas como Desposyni. lemos que Vespasiano ordenou "que a família de Davi fosse perseguida e que não deveria sobrar ninguém que fosse da dinastia real entre os judeus".. intitulado Historia Certaminis Apostolici. o Grande) tinha ordenado a destruição de todas as genealogias aristocráticas. de uma forma ou de outra. o que reduz consideravelmente o campo. seus livros foram rejeitados na inclusão do Novo Testamento do Imperador Constantino no século IV. Portanto.. continua Africanus. Isso inclui as pessoas. Nas escrituras do cronista palestino Hegesippus. a família de Davi era conhecida como ainda existente por volta de 70 d. O Livro de Abdias soma dez volumes da história apostólica em primeira mão. Herodes Antipas (filho de Herodes.. do primeiro século. Entretanto. o bispo nazareno da Babilônia. Abdias está registrado como um dos 72 discípulos de Jesus. por causa do relacionamento delas com a família do Salvador". de Edessa. Mas. como tantos outros testemunhos importantes da época.

Maria Madalena apelou por proteção ao . e foi sumariamente executado. tanto por terem sido testemunhas. Sofia (a deusa grega da sabedoria). De Patmos. autor de A Revelação.Sucedendo Vespasiano estava seu filho Tito. Hegesippus relatou em seu Hypomnenata (Memórias) que Domiciano ordenou a execução de todos os herdeiros Desposyni de Jesus. que tinha fugido para o exílio em 44 d. era representada por Maria Madalena. Ele foi pego no rio Jordão por Herodes. foi sentenciado ao confinamento na ilha grega de Patmos. os outros após tolos fugiram da Judéia naquele período. O exílio seguiu a captura de Pedro e a execução do apóstolo Tiago Boanerges pelo rei Herodes Agrippa I de Jerusalém (Atos 12:1-2). Pedro e Simão Zelote fugiram. Segundo os anais romanos. que usava a coroa das 12 estrelas descrita em A Revelação. No reinado de Domiciano. que detêm os mandamentos de Deus. Os conselheiros do rei tinham decretado que o movimento cristão era subversivo e conduziria à queda da autoridade secular e do Templo. como por serem da família do Senhor". Na tradição cristã da época. o Divino. que foi seguido por seu irmão Domiciano em 81 d. rei de Chalcis (na Síria). e testemunharam Jesus Cristo". tornaram-se líderes de igrejas. a tortura favorita de Nero era amarrar os cristãos a postes nos jardins de seu palácio e incendiá-los à noite como tochas humanas. que executara Pedro e Paulo. alguns foram soltos e "com a liberdade. Mas. Com relação à perseguição dos Desposyni. e seu regime de perseguição foi tão cruel quanto o dos dias do imperador Nero. apesar de muitos terem sido agarrados.C. São João. mas logo depois Herodes Agrippa foi morto por envenenamento. (veja página 175. mas Tadeu não teve tanta sorte.C. Domiciano detestava os cristãos bem mais que seu pai. João escreveu seu Apocalipse. Temendo retaliações (implicadas pelos assassinato). ele explicou como uma mulher que nasceu da coroa de Sofia tinha fugido para escapar do dragão imperial que "entrou em guerra com os remanescentes de sua semente.

Ele conseguiu. antes de discutir a perseguição imperial de "suas sementes. em 397 d. A REVELAÇÃO Com tantos livros excluídos do Novo Testamento quando a seleção foi feita no Concílio de Cartago. João tenha escapado do detalhado exame da época. Portanto. ao norte de Marselha. o fato é que os escritos de João (esotéricos como são em alguns assuntos) são exatamente o que diz seu título. São uma "revelação". Flavius Josephus relatou que os romanos retiraram Herodes Archelaus para casa e logo após houve a ascensão ao trono de seu sobrinho Herodes Agrippa I. com muita lentidão.C. em 39 d. ele relata que ela . é bem impressionante que. esses eventos históricos estão ligados aos que Rábano Mauro afirma sobre a vida de Maria Madalena. até a própria palavra apocalipse tomou-se símbolo de desastre. é apropriado reconhecer que. perto de Lion. Como vimos. Por meio da propaganda da Congregação de 1662 para a Propagação da Fé. A palavra apocalipse é grega e significa "revelação". Entretanto.C.. de todos os livros. que guardavam os mandamentos de Deus e tinham o testemunho de Jesus Cristo". A Igreja fez de tudo para tirar as pessoas desse livro. Escrevendo logo depois do fato. devemos considerar mais sobre o que João escreveu em seu Apocalipse enquanto estava em Patmos. o Apocalipse de S. o livro do Novo Testamento sobre o tema é conhecido em inglês como "A Revelação". por hora. que fora aluno de São Paulo).jovem Herodes Agrippa II (então com 17 anos. a passagem dela das terras de Herodes para a Gália (França). onde Herodes Archelaus (irmão de Herodes Agrippa) fora exilado. Considerando a visão de João sobre a fuga de Madalena para o exílio. Entretanto. visto que o apresentou como uma obra sinistra de mau presságio e maldição. A terra de Herodes ficava em Viena.

Maria. mas muitas têm apenas a face. Nem são as características fisicas de uma mãe e uma criança negra. Um bom exemplo é a famosa estátua da Madona Negra em Verviers. A fuga de Madalena grávida para o deserto foi pintada por vários artistas. a resposta oficial da Igreja é que seria impossível aplicá-Ia à mãe de Jesus. Com uma coroa e um cetro de ouro. porque ela nunca "sofreu no parto". Nesse caso. mas outras são apresentadas com graus variáveis de prestígio e soberania. como citado por João no livro do Apocalipse. geralmente era referida como a Madona Branca. essas figuras esculpidas são inteiramente negras. os bispos confirmam que a mulher da Revelação "devia ser uma pecadora". Em alguns casos. Na tradição medieval da França e de Flandres. De vez em quando. O Gênesis 3:16 relata que as dores do parto eram uma punição de Deus por Eva ter pecado. Contudo. Conseqüentemente.estava grávida quando fugiu: "E estando grávida. . como alguns clérigos sugeriram. ela foi associada à sabedoria de Sofia e foi retratada. usando a auréola de 12 estrelas de Sofia. perto de Liege. Maria Madalena era conhecida tradicionalmente como Notre Dame de Lumiere (Nossa Senhora da Luz). teólogos sugerem que essa visão da Revelação talvez refira-se a Maria. a mãe de Jesus. Uma estátua em Nevillysur-Siene impressiona nesse aspecto (veja ilustração 6). tais como o italiano do século XVII Giovanni Lanfranco (veja Ilustração 11). Algumas são modestamente vestidas. antes e durante o período medieval. Não é uma questão de descoloração. sofrendo tormentos para dar à luz". elas apenas eram de cor negra. ela veste vermelho e negro com uma pele e flor-de-lis para denotar sua ligação com a linhagem real francesa. gritava com as dores do parto. mãe de Jesus (em vez de Madalena). mas uma forma particular de retratar Madalena foi batizada de "negra". as mãos e os pés negros. às vezes.

e foi referida por Bernard Clairvaux no século XII. No curso do seu diálogo.C.) equiparava Maria Madalena figurativamente com a noiva real do Antigo Testamento. ele cita Maria Madalena como a "Noiva de Cristo". ó filhas de Jerusalém" (Cântico 1:5). a partir dos Ferrieres em Languedoc.A veneração da Madona Negra nasceu em 44 d. Sofia era considerada a representante do Espírito Santo que. por ter existido nas trevas do Caos antes da Criação.C. enquanto várias foram simplesmente retiradas da visão do público. região de Provença. Os Cantares de Salomão são uma série de poemas de amor referentes a uma pobre noiva e seu marido. a rainha é referida como uma sunamita. . Isso é explicado em um tratado cristão do século III intitulado Sobre a Origem do Mundo.principalmente aquela exposta em igrejas e san tuários conhecidos na Europa. também conhecido como o Cântico dos Cânticos. mas formosa. Essa associação foi amplamente sustentada até a Idade Média. segundo o Gênesis 1:1. em Cantares de Salomão. Os Cantares de Salomão recontam a disputa amorosa entre o rei Salomão e seu irmão Adonias pela nobre sunamita Abisague. o rei. era da Síria. como citado em 1 Reis 2:13-25 . Havia cerca de 200 dessas representações ornamentais na França no século XVI e mais de 450 já foram descobertas em todo o mundo. Ela afirma: "eu sou morena. Syro. Todavia. Em seu sermão 57. Algumas foram repintadas em tons pálidos. e já vimos que o pai de Maria. As imagens da Madona Negra e seu filho têm sido um constante dilema para a Igreja . "pairava sobre a face das águas" e trouxe luz ao mundo quando "havia trevas sobre a face do abismo". o que fornece uma outra semelhança com Madalena. em seus Sermões sobre os Cânticos. O pioneiro padre cristão Orígenes de Alexandria (185-254 d.uma disputa que custou a vida de Adonias. ela é negra porque a Sabedoria (Sofia) é negra. As sunamitas eram da cidade fronteiriça de Solam.

Tarquínio Prisco. então era uma Porne! Em referência à Roma Imperial.. Antióquia e Éfeso deveriam estar relacionados. Como o padre Malachi Martin deixou evidente nos arquivos do Vaticano. Ele conta uma passagem especial em 318 d. Túlio Hostílio. O Império Romano foi capturado por Alexandre.tais como Alexandria. A partir da ligação com Sofia. ele declarou. Joses. diziam que os reis eram Rômulo. e não a partir de qualquer coisa escrita sobre ela na Bíblia. Os homens foram recebidos pelo bispo Silvestre no recém-fundado Palácio de Latrão. O nome era Porne. em Constantinopla. e sete coroas".. Sérvio Túlio e Tarquínio. qualquer coisa ligada aos gregos era perversa. (também registrada por um historiador contemporâneo. Eles reivindicaram que o bispo de Jerusalém deveria ser um Desposynos verdadeiro.Os detalhes na visão do Antigo Testamento são muito importantes para compreender a cerimônia nupcial de Jesus e Maria Madalena (veja página 157). eles tinham um apelido constante para deusas como Sofia e Afrodite. Por meio de seu porta-voz. enquanto que os bispos de outros centros importantes . Para os romanos. e eles maldiziam a cultura da sabedoria grega. no Apocalipse alegórico de João aparece a expressão de "um grande dragão vermelho com sete cabeças. quando uma delegação de Desposyni dirigiu-se a Roma. Não só os romanos apresentam um dragão rubro em sua bandeira. que quer dizer prostituta ou meretriz. Se Maria Madalena era uma manifestação de Sofia. Anco Márcio.o número das cabeças coroadas antes da formação da República. mas Roma era conhecida como a Cidade dos Sete Reis . apenas aqueles que tinham a linhagem de Jesus por meio de sua mãe eram qualificados como Desposyni. Em 753 a. o bispo .C. Nesse contexto.C.. os bispos identificaram Maria Madalena como uma prostituta. eles argumentaram que a Igreja deveria estar sediada em Jerusalém e não em Roma. em 509 a.C. Eusébio de Cesaréia). Numa Pompílio. Afinal de contas.

pois Silvestre . o movimento israelita-cristão deles era uma autoridade muito mais alta que o desdobramento inventado em Roma. que foi um simples apóstolo do Senhor e não um membro de sua família. Sem surpresa. suas exigências foram em vão. com sede em São Pedro. Com referência a isso. era o "Senhor da Santa Igreja e o bispo dos bispos". Tiago (como apontado pelo bispo nazareno de Jerusalém).Clemente da Alexandria tinha escrito que o irmão de Jesus.

Augusto.. Os cristãos estiveram esperando a vinda do Segundo Messias cedo ou tarde e. Além disso. adoração ao Sol. e sim com o imperador Constantino. e até ultrapassar.. Por séculos. A missão de Jesus contra o domínio romano na Judéia tinha falhado por causa da desunião entre os judeus sectários.C. a facção hebraica não agiu da mesma forma . mais que tudo. Mas a figura de Jesus oferecia um problema real.C. Constantino descobriu uma forma para realizar. os imperadores tinham suportado uma reverência particular como divindades na Terra. e ele informou aos homens que o poder da salvação não mais estava com Jesus. Depois do encontro entre o bispo Silvestre e a delegação de Desposyni. Constantino criou uma religião híbrida que se tornou a Igreja de Roma. o imperador Constantino havia reivindicado um privilégio messiânico pessoal. visto que a multidão de nazarenos ainda era considerável no império do século IV. por uma doutrina mais condescendente às exigências imperiais. segundo ele. Constantino decidiu que ele precisava de uma estratégia para colocar-se acima dos parentes de sangue de Jesus em termos de importância cristã. então. Eles estavam . em 325 d. desde o primeiro imperador romano. e lidou com o problema de maneira bem eficaz no Concílio de Nicéia. precisava tornar-se mais relevante que Jesus. Na verdade.(aparentemente o primeiro papa) estava em uma posição dificil para contra-ordenar os decretos do imperador. Apesar de as comunidades nazarenas e essênias o terem apoiado. em 44 d.principalmente aqueles padres do Templo de Jerusalém e do Concílio do Sinédrio. Os ensinamentos de Jesus tinham sido substituídos. O imperador sabia que teria de fazer alguma coisa quanto a isso. essa expectativa. Ao unir vários atributos do antigo Cristianismo com os aspectos do Sol Invictus. Eles eram tratados como deuses e considerava-se como tais.

Eles também se opuseram fortemente ao fato de que Jesus queria compartilhar o acesso ao Deus judeu com os gentios. visto que o imperador (e não Jesus) havia realmente assegurado a liberdade para os cristãos no império.Pai. com Deus sendo considerado tanto o Pai como o Filho. então. mas não havia lugar para que esse conceito persistisse. Além disso. mas o Primeiro . Então. surgiu no Concílio de Nicéia (atual Iznik na Turquia) a disposição de que Deus seria formalmente definido como Três Pessoas em Uma: uma divindade que consistia de três com o mesmo nível . mas Constantino! Ele sabia. os cristãos receberam pouco apoio da comunidade judaica ortodoxa.uma herança considerada como destinada a ele desde o . Como resultado. do primeiro século em diante. mas que ele não era o próprio Deus. e foram muito maltratados pelas autoridades em Roma. Constantino tirou vantagens de tudo isso salientando que Jesus tinha deixado os cristãos em uma posição delicada e vulnerável. A partir desse momento. Dessa forma. E. e além disso. o verdadeiro Salvador não era Jesus. Havia alguns bispos em Nicéia que se opuseram a esse conceito teólogos da antiga escola que afirmavam que Jesus era. Sem considerar esse fato. é claro. Jesus e Deus tinham de ser unidos em uma única entidade.satisfeitos em manter o alto status em Roma. o Filho. o imperador foi considerado uma divindade messiânica. assim feito. que Jesus tinha sido venerado por Paulo como o Filho de Deus. na verdade. suas objeções foram rejeitadas e o Credo Niceno da Santíssima Trindade foi firmado como a base para a nova e reformada crença cristã. que o Filho tinha sido criado em carne por Deus. Jesus foi convenientemente considerado uma figura de significado prático. porque lidava mal com as coisas em beneficio deles. Filho e Espírito Santo (ou Alma Santa). Ele não foi apenas o Segundo Messias. para que o Filho fosse identificado com o Pai. ele semeou a semente de uma nova idéia: talvez Jesus não fosse o verdadeiro Messias.

A dificuldade com que a Igreja se confrontou por muito tempo em relação aos irmãos de Jesus foi matéria dos Desposyni e de sua definição nos arquivos do Vaticano: "Apenas as pessoas da linhagem de Jesus por meio de sua mãe eram qualificadas como Desposyni". em 692 d. os Desposyni apenas poderiam ser seus descendentes.início dos tempos. a doutrina de que Maria era virgem foi composta por uma resolução no Concílio de Trullo. sob o papa Justiniano II. Qualquer possibilidade que as autoridades da Igreja elegessem como prováveis. Entretanto. e afirmou que Maria foi virgem para sempre. acabariam com um dilema. mesmo depois de ter dado à luz o Filho . Essa definição por muito tempo causou um problema para a Igreja. IRMÃOS E IRMÃS Apesar de os irmãos e irmãs de Jesus raramente serem mencionados no ensinamento das Escrituras modernas. o irmão mais velho de Jesus. principalmente Tiago. 2 . mas não vindos de Jesus. E foi decretado que ela se mantivera virgem para sempre.Se Jesus fosse o único filho de Maria. bem como foi concebida virgem pelo nosso Senhor Abençoado. além de Jesus.C. eles foram citados no Novo Testamento. Admitir que todos os Desposyni eram descendentes de Jesus não faria sentido.Se houvesse Desposyni descendentes de Maria. porque ela só pode significar duas coisas: 1 . em virtude de sua condição de celibatário dentro da fé católica. As exatas palavras do cânone do Concílio e seus comentários são: A Igreja Católica sempre ensinou que a Virgem pariu. então Maria deve ter tido outros filhos.

como líder da Igreja Nazarena (Gálatas 2:1-10 e Atos 15:4-34). enquanto a sentença de Pôncio Pilatos (governador da Judéia) é documentada nos Anais da Roma Imperial. Essa última citação também fornece um bom exemplo de uma menção contemporânea de Jesus fora da Bíblia. São Paulo refere-se especificamente a seu encontro em Jerusalém com "Tiago. Também nas crônicas do historiador Flavius Josephus. Mateus 13:55 esclarece que Jesus tinha irmãos. Tanto Mateus 1:25 quanto Lucas 2:27 estipularam que Jesus foi o "primeiro" filho de Maria. Outras entradas referemse a Tiago presidindo um famoso debate sobre a circuncisão em Jerusalém. As irmãs de Jesus também são mencionadas no Protoevangelho de . há referências a "Tiago. do primeiro século. o irmão de Jesus.encarnado. Mas o Novo Testamento deixa totalmente claro que não foi esse o caso. que era chamado de Cristo". seus primos. Nas Epístolas do Novo Testamento. Além dos irmãos. Alguns apologistas da virgem sugeriram que talvez os irmãos e irmãs de Jesus mencionados nos Evangelhos fossem. ou talvez fossem filhos de José. Salomé e Joana. Mateus 13:56 e Marcos 6:3 afirmam que Jesus também tinha irmãs. porque os Evangelhos deixavam muito claro que a família de Maria não se resumia a Jesus. Josephus refere-se a Jesus novamente como "o Cristo". A citação romana descreve a missão de Jesus como uma "prática vergonhosa". nascidos de outra mulher que não Maria. José. Em toda parte. e que seus nomes eram Tiago. Elas são citadas no Panarion e no Ancoratus de Epifânio como sendo Maria. na verdade. Se fossem forçados a fazer uma escolha. em As Antiguidades dos Judeus. Em lugar algum é dito que ele era seu único filho. Seus nomes são repetidos novamente em Marcos 6:3. os bispos precisariam rejeitar a decisão de Trullo. Simão e Judas. o irmão do Senhor" (Gálatas 1: 19).

Os teólogos que sugeriam que os irmãos e irmãs de Jesus possam ter sido filhos de José com uma outra mulher apenas provam que não leram o que está claro nos Evangelhos . Os textos antigos em grego e aramaico (dos quais o Novo Testamento moderno foi . Maria e Salomé aparecem. por exemplo. essas irmãs aparecem na cruz e no sepulcro de Jesus. Na metade do século lI. Mas. Maria não era classificada como virgem em nenhum Evangelho original. hoje denominados os pais da Igreja. ela é definida de uma outra forma. Clemente da Alexandria e outros. enquanto no sepulcro é tida como a mãe de "Tiago e Salomé" (Marcos 16:1). Esses irmãos e irmãs são usados estrategicamente nos textos bíblicos para definir o estado físico de Jesus durante a seqüência da paixão. tornando-se bem fundamentado por volta de 383 d. em Marcos 15:47. quando Jesus reaparece depois da ressurreição. há um retorno ao estilo anterior: "mãe de Jesus" (Atos 1:14). começou a surgir um novo estilo de Cristianismo teológico. Durante esse período. Antes da crucificação. ela é citada como a "mãe de Tiago e José" (Mateus 27:56 e Marcos 15:40). (Salomé também era conhecida como Sara ou SaraSalomé. Nos Evangelhos do Novo Testamento. a partir do momento em que Jesus é considerado morto. com eruditos como Irineu de Lyon. o conceito da virgindade de Maria desenvolveu-se. no Evangelho de Filipe e nas Constituições Apostólicas da própria Igreja. Antes disso. em João 2:1). sendo que Sara é uma distinção que significava "princesa"). O fato é que os Evangelhos são bem explícitos ao esclarecer que Maria também era a mãe de Tiago. enquanto Joana e Maria aparecem em Lucas 24:10 e Maria novamente em Mateus 28:1.C. Na cruz. junto de Maria Madalena. Em seguida. José e Salomé.Tiago. Maria é citada como a "mãe de Jesus" (por exemplo. quando São Jerônimo escreveu A Virgindade Perpétua de Maria para a recémplanejada Igreja de Roma..ou talvez supõem que a maioria das outras pessoas não tenha lido.

Jerusalém. O correspondente semita denotando a virgindade física era bethulah. mas não é encontrada nos primeiros textos do Evangelho do Codex Vaticanus nos Arquivos do Vaticano. Se esse ossário realmente é do irmão de Jesus. Na tradução para o latim. ou seja. filho de José . Em 1980. Ele foi trazido à tona na Biblical Archaeological Review de novembro-dezembro de 2002. almah tornou-se virgo. usando o termo semita almah. que significa donzela. O ossário tem uma inscrição em aramaico com o nome Ya'akov bar Yohosef akhui di Yeshua (que significa Tiago. O SEPULCRO PROIBIDO Nos últimos anos. Entretanto. atribuído ao irmão de Jesus. Os ossários tinham inscrições individuais: Jesus. isso é um assunto para discussão e provavelmente nunca saberemos. um termo que nunca foi aplicado a Maria. Tiago. Para implicar a conotação moderna de "virgem". Tiago. um túmulo familiar do século I foi desenterrado durante as escavações em East Talpiot. irmão de Jesus). A idéia de Maria virgem foi inventada no início da Igreja. filho de José. um erro que tem sido perpetuado nas discussões é a afirmação de que esse foi o primeiro e único artefato do século I que menciona o nome de Jesus. tem havido muitas discussões e artigos sobre um ossário com inscrições encontrado em Jerusalém. a palavra latina tinha de ser qualificada pelo adjetivo intacta-virgo intacta.traduzido) citam Maria simplesmente como uma "jovem". "donzela intacta". Os arqueólogos levaram os ossários do túmulo para um museu em Romemma e o curador de Arqueologia e Antropologia para as Antiguidades de Israel comentou depois que o achado era "realmente impressionante".

não renovou. The Body in Question . A Igreja reprovou a BBC por ter chamado a atenção para o assunto dos irmãos e irmãs de Jesus. O aspecto importante do que ocorreu em 1996 é que a Inquisição contra qualquer discussão sobre os irmãos e irmãs de Jesus ainda está operando. No domingo de Páscoa de 7 de abril de 1996. eles também estavam preocupados com o fato de que Jesus pode até ter pensado em ter um ossário. Os bispos também foram contra. É mais provável que não. e essas coisas nunca serão confirmadas ou desmentidas. A notícia chegou à imprensa inglesa em 31 de março de 1996. mas. pelo fato de que na inscrição Jesus era referido como "filho de José" (não "filho de Maria" ou "filho de Deus"). com manchete e uma longa matéria no Sunday Times com o título The Tomb that dare not speak its Name . CBE. na verdade. apresentou o documentário muito anunciado da BBC.O Corpo em Questão.Maria José Judas (o nome de um dos irmãos de Jesus) Maria (o nome de uma das irmãs de Jesus) Esse intrigante túmulo familiar foi considerado a maior descoberta de todos os tempos relacionada ao Cristianismo. Joan Bakewell anunciou: "Nosso achado irá renovar o debate sobre a ressurreição". o guia de TV Radio Times da semana da Páscoa está agora entre as edições mais raras para colecionadores desde que a revista começou .O túmulo que não ousa dizer seu nome. Não importa se o ossário era ou não do autêntico Jesus e de sua família bíblica. Filmado na cripta em que os ossários foram encontrados. Enquanto isso. houve grande excitação quando Joan Bakewell. Na visão do dogma da ascensão.

histórias aparentemente simples. Segundo os dicionários etimológicos. no livro do Gênesis. A alegoria pode ser expressa tanto na linguagem escrita como na arte. por exemplo: "Tua mãe era como uma videira plantada junto às águas.algo além do sentido literal que é transmitido superficialmente e que nem sempre está aparente de imediato. Essa é uma descrição figurativa que se refere à divulgação de um significado fundamentado . As fábulas e parábolas são alegorias . em 1923. há referências . de Dan Brown. No Salmo 80. a soberania de Israel é expressa como uma videira em crescimento. mas nesse estágio é importante observar a arte alegórica em termos gerais e com referência a Maria Madalena em particular. o crescimento e o progresso de uma geração.a ser publicada. no Antigo Testamento. mas com implicações morais ou sociais. ela frutificou e encheu-se de ramos". Essa é uma alegoria que apela imediatamente para a imaginação visual. CAPÍTULO 3 APOCALIPSE FRUTO DA VIDEIRA As obras de arte alegóricas referentes a Maria Madalena são um assunto que atrai a fascinação pública hoje em dia. Por esse motivo. a palavra "alegoria" vem de duas palavras gregas: allos (outra) e agoria (falar alto). Além disso. Nós continuaremos considerando algumas das pinturas mencionadas no romance. Ezequiel 19:10 afirma. por terem sido trazidas à tona pelo livro O Código Da Vinci. as videiras têm sido freqüentemente usadas nas obras de arte para demonstrar a vida.

A terminologia da videira também é usada na ousada sabedoria do Santo Graal. e das uvas vem o vinho. e das suas raízes um renovo frutificará". com a repetida afirmação: "Frutificai e multiplicai".constantes a videiras para a linhagem de descendentes. Com referência a Jessé. finalmente. em Isaías 5:7. em termos de arte alegórica. Isaías 11:1 afirma: "Então brotará um rebento do toco de Jessé. os quais expandiram seu comércio em Provença seguindo seu exílio do século . diz sobre a rainha do Graal que ela "sustentou a perfeição do paraíso terrestre. o pai do rei Davi. tanto as raízes quanto os galhos. O vinho tinto da Eucaristia é o eterno símbolo cristão do sangue messiânico. Israel e a Casa Davídica de Judá são descritos como "a planta de suas delícias" do Senhor.a fruta e as sementes da videira . Maria Madalena tornou-se a mãe protetora dos vinicultores. De acordo com as visões históricas da indústria do papel. E.e alguns levam as iniciais de Madalena. do século XIII. É por esse motivo que. e é nesse con texto que a representação do Graal com um cálice de vinho coincide. em João 15:1. Provença foi a capital mundial da fabricação desse produto por muitos séculos. Jesus freqüentemente era pintado com uma prensa de lagar. Com um conceito básico do papiro dos egípcios. Entretanto. No romance Parzival. O Sacramento Sagrado está totalmente relacionado à antiga missa do Santo Graal. No Êxodo 1:7 consta: "e os filhos de Israel frutificaram e aumentaram muito". Foi algo que os homens chamavam de Graal". é de particular relevância para nós o fato de que alguns dos símbolos e marcas d'água do Graal de Provença na Idade Média descrevem um cálice ou jarro com cachos de uva . A antiga cerimônia do Graal é precisamente aquela que ainda é realizada atualmente como o ritual da comunhão nas igrejas. o papel feito de algodão fora desenvolvido pelos israelitas. Segundo esse imaginário. Jesus faz sua aclamação: "Eu sou a videira verdadeira". O fruto da videira é a uva. "MM". Antes disso. o cavaleiro bavário Wolfram von Eschenbah.

Na . o Graal e as marcas d'água MM vêm de fontes mais antigas e são relíquias de uma fraternidade obscura da Igreja. e elas constituem a própria alegoria. lançando luzes não só sobre a evolução do pensamento europeu.. uma autoridade no comércio de papel. Nesse contexto... Harold Bayley. As marcas foram descobertas há apenas cem anos nas páginas das Bíblias francesas medievais.. mas também sobre muitos problemas obscuros do passado. Elas são documentos históricos de grande importância. escreveu em 1912 que as marcas d'água de Provença são como "fósseis do pensamento nos quais descansam aspirações e tradições sagradas.I após a queda da cidade dos judeus. As primeiras marcas d'água do mundo apareceram em Provença em 1282. Elas são explicáveis por meio de um código de interpretação".

O Santo Graal foi comparado a um vaso porque diziam que levava o "sangue real" sagrado . eram uma comunhão simbólica da maternidade e da geração. Mas. a herança messiânica foi considerada como contida figurativamente dentro de uma taça. e não do próprio sangue do homem. com a graça (Charis) e a inteligência (Epinoia). como determinou Mariano em 1587 Litany de Lorito. o sangue do pacto. o cálice (Santo Graal) que contém o vinho (sangue messiânico) é a representação do útero . "Isto é o meu sangue. que em grego são palavras femininas. antes da intervenção eucarística católica. era o cálice de Maria Madalena que levava o sangue dos Desposyni in utero.500 a. Foi ela que inspirou Dompna (Grande Senhora) dos trovadores que foram . era uma marca herege do legado de Maria Madalena e do Santo Graal." (Marcos 14:24). O símbolo do cálice eterno da mulher foi identificado com um V (um receptáculo) que data de 3.. o cálice original e a cerimônia do vinho.C. Entretanto. as Bíblias são como qualquer outra produzida para o uso nas igrejas daquela época.C. associado ao símbolo do útero da Deusa Mãe. Portanto.aparência. Eles insistiam que o vinho tem qualidades femininas únicas por causa de sua associação com a sabedoria (Sofia). Assim como os vasos e os caldeirões da mitologia antiga que continham vários tesouros. Nesse sentido.o Sangréal. escondidas sob a superfície.o vas spirituale (vaso espiritual). A ALEGORIA FÉRTIL No notável comentário de Jesus sobre o vinho durante a Última Ceia. a opinião dos antigos pais do Cristianismo tinha uma ênfase mais precisa.) consideravam que o vinho era símbolo da herança materna de Jesus. Professores como Valentinus e Marcus (150 d. entalhadas secretamente nas folhas de papel e bem desconhecidas dos bispos ou monges da Inquisição..

e que a chamavam de Graal do Mundo. André. Essa marca da união dos gêneros opostos era usada desde os primórdios para identificar a união sagrada do quarto nupcial. que se . com o símbolo feminino acima do masculino. ele era colocado nas testas daqueles que clamavam por Jerusalém (Ezequiel 9:4) e foi considerado o mais alto grau de iniciação na comunidade santuária. O símbolo masculino reverso (um V ao contrário) representava uma lâmina ou um chifre.a cruz perpendicular latina da Igreja de São Pedro. X-rated. intitulado: Letania de domina nostra Dei genitrice virgine Maria: oratio valde bona: cottidie pro quacumque tribulatione recitanda est. Foi o sinal sagrado original da cruz e era usado como uma marca do batismo muito antes do tempo de Jesus. Naquela época. Apesar de a cruz da crucificação de São Pedro em 64 d. forma-se um X. Por meio de uma influência romana posterior. essa conotação herética foi perpetuada até hoje como algo associado à carne e ao demônio .como a designação em inglês para os filmes pornográficos. apesar de sua representação mais poderosa estar na fabulosa mitologia do unicórnio.. 68. Era geralmente pintado como uma espada. uma nova cruz foi planejada . foi mantida pelo X original.. No Salmo 92:10.tratados tão duramente pela Inquisição . Na verdade. o símbolo original tornouse um sinal de heresia aos olhos de Roma.C. como o do boi selvagem. seu significado de contra-indicado foi doutrinado nas escolas por meio do simples processo de se usar X para significar "errado". Como confirmado nos Manuscritos do Mar Morto. O mais antigo texto de uma oração mariana está no Codex do século XII na Mainz Library.” Quando unidos ponto a ponto. com sua barra transversal alta. ter sido latinizada para assemelhar-se ao padrão da cruz de Jesus. lê-se: "Mas tens exaltado o meu poder. Como resultado. a tradição do irmão de Pedro.

onde trabalhava entre os scitianos antes que estes começassem sua mudança para a Irlanda e para o extremo norte da Britânia. André tornou-se o santo padroeiro da Escócia e sua cruz tornou-se a cruz nacional. um anjo usa um X de fita vermelha em seu peito. Uma variação do simbolismo do V surgiu nas artes heráldicas de entalhe e gravação. vale estudar as obras de arte religiosas da época da Inquisição . da coleção italiana do príncipe Pamphili. e no Noli me tangere. Na Madona de Romã. quando a tortura. Conseqüentemente. perto do Mar Negro. a Madona usa um X vermelho em seu corpete. os bispos estavam infelizes com relação ao reaparecimento desse antigo símbolo esotérico. Uma vez que a Escócia (diferentemente da Inglaterra) não era um Estado papal.principalmente em 1252. de Sandro Botticelli. em seu Madona do Livro. com seus costumeiros cabelos avermelhado longos. Sobre isso. A gravação foi uma indicação da geração dinástica e os artistas usaram o símbolo para denotar uma linhagem da dinastia. a Madalena Contemplativa. Em seu retrato de 1595. Essas representações do Graal eram alinhadas em V ou em forma de taça. de Fra Angelico.tornou conhecida como a cruz de Santo André. os julgamentos secretos e as mortes na fogueira eram autorizados pelo papa. Apesar de o X ser considerado um símbolo herético. André foi executado em Patras. em um conjunto para formar padrões com bordas recortadas. O cenário é complementado por um cálice bem em frente de sua saia (veja . isso foi sabiamente usado em muitas pinturas. mostra sua gravidez bem aparente em uma pose simulando amamentação. há três marcas feitas com um X vermelho na relva na frente de Maria Madalena (veja ilustração 5). na cena da ressurreição. e a explanação criada foi que André deve ter sido morto em uma cruz em forma de X. Um dos quadros mais reveladores com respeito à maternidade de Maria Madalena e a ligação com o Graal é o incrível Maria Madalena de Caravaggio.

que significa Luz Sagrada. O Nascimento de Vênus. Isso é exemplificado pelo escudo escocês de Saint-Clairs (Sinclairs) de Rosslyn. os cavaleiros da Ordem do Graal tinham gravados desenhos em suas armas. Os enfeites nesse símbolo são a alegoria da geração que mais se refere ao Graal.de Maria Madalena a Afrodite. O nome Saint-Clair deriva do latim Sanctus Clarus. e o culto da fertilidade das mulheres associado ao mar . . Na Idade Média.ilustração 9). Os enfeites sempre foram relacionados às deusas do amor. Exemplos disso podem ser vistos hoje na pedra entalhada da Capela de Rosslyn. é um ícone supremo dessa tradição. com sua cruz negra gravada em prata. O quadro de Botticelli. perto de Edimburgo.

em Jerusalém. é preciso reconhecer os símbolos e entender seus significados. um tipo de estenografia artística por meio de representações regularmente identificáveis. principalmente vinda de mestres como Leonardo. Para compreender isso. substituindo-a por um dos apóstolos. OS SÍMBOLOS DE MADALENA Em O Código Da Vinci. Na igreja russa de Santa Maria Madalena. Como no exemplo do cálice de Caravaggio. Um outro exemplo da alegoria de Madalena é encontrado no "ovo vermelho" retratado em vários ícones e em outras obras. como citado em O Código Da Vinci. apesar de a capela manter a grafia tradicional "Rosslyn". ele é geralmente primitivo. a jóia e a vela da Madalena Arrependida são alegorias.um atributo familiar para Madalena nas obras de arte. referindo-se ao promontório rochoso (ross) de uma queda d'água (lynn). o espelho. A caveira. Os símbolos e emblemas têm sido usados freqüentemente na arte para representar coisas que poderiam ser escritas como as explicações descritivas em um livro. Originalmente. o livro. Apesar de essa idéia funcionar bem para o enredo de conspiração. ainda que freqüentemente esotérico. a cidade de Midlothian de Saint-Clairs era grafada como "Roslin". Rosslyn e Glastonbury não estão no mesmo meridiano nem têm ligação longitudinal.Naquela época. no período celta. A alegoria na arte nunca é bruta ou desnecessariamente clandestina. mas não tinha relação com a linha rosa que passa por Glastonbury. veremos mais tarde que esse não foi realmente o caso. o lugar era chamado de "Ross Lynn". Nessa obra. sugere-se que Leonardo da Vinci pintou Maria Madalena em seu mural de A Última Ceia. Maria usa um hábito de freira branco . principalmente . há uma pintura de Maria segurando um ovo vermelho na presença do imperador Tibério (veja ilustração 14).

Em essência. O objetivo era separar a crucificação e a ressurreição de Jesus da associação histórica com a Páscoa judaica. Sua data varia entre 22 de março e 25 de abril. na Inglaterra. os bispos romanos atingiram a primeira vitória doutrinal sobre a tradicional igreja celta. Desde os primórdios. no livro de Levítico 23:4-6. fora costume judaico reconhecer o que se tomou conhecido como sábado. Como estabelecido em Whitby no século VII. Ocorre que a festa de Eostre coincidentemente era a candidata perfeita para a substituição. e foi decidido incluir o costume da Eostre (páscoa) na estrutura cristã.nas pinturas vindas de fontes dominicanas e franciscanas. como as uvas (e. as romãs). dia do mês de Nisan (março-abril). Nisan por sete dias de pão sem levedura. Segundo o Antigo Testamento. Novamente. A apresentação do ovo é a cena original da Páscoa do movimento cristão. Apesar da colocação da primavera na data de Eostre no hemisfério norte. o seu Sabá sagrado. No Sínodo de Whitby.celebração da Páscoa no estilo . o ovo é símbolo do nascimento e de uma nova vida. E é seguida do 15º. o culto ao Sol. a festa celta não era uma. em 664. e (como um outro plano para se separarem as bases nazerena e judaica) os bispos elegeram como o dia sagrado o domingo. a data anual para a Páscoa cristã é um pouco mais complicada. Mas o Cristianismo romano foi fundado sobre muitos princípios do Sol Invictus. a Páscoa judaica (que comemora o êxodo do Egito) cai no 14º. Isso significa que uma data específica não poderia ser aplicada todos os anos. é o primeiro domingo depois da primeira lua cheia após o equinócio primaveril. a antiga deusa da primavera. às vezes. O principal debate referia-se à festa de Eostre. sendo a primeira lua cheia depois do equinócio. A exigência do chefe pontífice em 664 foi de que a Páscoa deveria sempre cair em um domingo.

uma nova história foi confeccionada pela Igreja oriental para relacionar a Páscoa à tradição do Evangelho. ela lhe contou como Jesus voltou à vida. como Eostre era uma deusa rural (pagã) do Ocidente. uma antiga tradição celta foi destruída. que se tornou. Entretanto. Um conto romântico e . Mas. A associação de Maria Madalena com o ovo vermelho evoluiu diretamente da antiga tradição de Eostre e. contra todos os costumes prevalescentes. eles eram totalmente representativos da fertilidade feminina. no livro do Apocalipse.e é por isso que os ovos de Páscoa passaram a ser uma tradição popular. Em seguida.os ovos de Eostre. Ela era. Presenteando-o com um ovo. híbrida entre cristãos-pagãos. Em termos da atividade da primavera. como em sua jarra de óleo. uma celebração da fertilidade. Principalmente porque Maria Madalena foi a primeira a descobrir a ressurreição de Jesus do sepulcro (João 20:1-17). e é a partir disso que se deriva o nome moderno para o homônio feminino "estrógeno". No Novo Testamento. Um antigo costume da festa de Eostre era presentear amigos e familiares com ovos muito coloridos . a Igreja católica obteve sucesso em sua ambição. ao mesmo tempo. o presente de Maria de um ovo vermelho para o imperador Tibério é uma lembrança de que. Ao dizer isso. Tibério advertiu que isso era tão impossível quanto um ovo se tornar vermelho. ligando-se a isso. A Páscoa judaica foi separada da ressurreição e. Agiram assim certos de que os símbolos da deusa de Eostre seriam adotados dentro de uma nova estrutura. a vida irá prevalecer e a semente é eterna.judaico nem tinha relação com Jesus. ela se tornou a equivalente cristã de Eostre. Dizem que Maria saiu da Judéia para Roma para uma audiência com o imperador Tibério. o ovo nas mãos de Maria tornou-se vermelho . tornou-se um dos ícones usados em outras obras de arte pintadas. de fato. como na ressurreição de Jesus. na prática. descreve-se a perseguição por Roma dos "remanescentes de sua semente" e.

Nas pinturas de Maria Madalena. quando os escritos de Rábano Mauro e Jacopo di Voragine tiveram destaque. como Dante Gabriel Rossetti e Frederick Sandys. Quando os artistas do Renascimento retrataram os reis. o artigo de uma professora de Teologia referiu-se a esse assunto na National Catholic Reporter. Freqüentemente (em pinturas. Os artistas vitorianos da escola pré-rafaelita. Além do cabelo avermelhado.um indicador visual de seu status real. Portanto. o cabelo avermelhado foi uma forma de introduzir um elemento aristocrático reconhecido à sua imagem. é comum o vermelho ou o cabelo avermelhado.uma forma de . A tradição começou na Renascença. O cabelo vermelho foi um atributo de certas descendências nobres proeminentes e era de conhecimento comum que a realeza dinástica euro péia tinha começado com os Syths Reais das regiões do Cáucaso. Como recentes escavações de múmias antigas confirmaram. Em fevereiro de 2001.400 quilômetros pelo Mar Mediterrâneo para dar um ovo ao imperador. mas ele não explica por que Maria viajaria 2. da insígnia e dos adornos da corte. ela é vista com cabelos extremamente longos que envolvem completa ou parcialmente sua forma nua. a melhor definição que ela pôde dar foi que a nudez e os cabelos longos resultaram de uma preocupação erótica dos artistas da Renascença . expressaram esse procedimento com Madalenas com cabelos em fogo. elas realmente tinham cabelos avermelhados. esculturas e entalhes). foi fácil transportar o status de nobreza por meio do direito do rei. mas com Maria Madalena isso foi mais problemático. Maria Madalena geralmente é retratada com cabelos longos. mesmo que no século I fosse muito mais provável que uma mulher síria-galiléia tivesse cabelos escuros. O cabelo vermelho foi uma representação alegórica do direito à progenitura de Maria . rainhas e a realeza em geral. estendendo-se da Carpathia até o Mar Cáspio.fascinante. Entretanto.

No conto de Rapunzel. física ou metaforicamente privada de suas roupas (como é simbolizado pela subordinação . ela viveu como uma eremita no deserto da Arábia. Essa história explica que. a opressão . A característica foi atribuída a Maria como uma reação à propaganda da Igreja sobre seu suposto comportamento devasso. Entretanto. uma história apócrifa intitulada Vita eremitica beatae Mariae Magdalenae surgiu na Itália. após a ascensão de Jesus. no caso de Maria. implicando a liberdade na castidade na donzela. no século IX. e o padre do século II. não quer dizer nada além de que o autor não tem a menor idéia do motivo pelo qual Maria Madalena é geralmente caracterizada dessa forma. O ponto é que é correto dizer que Maria foi realmente venerada durante os primeiros anos do Cristianismo. Ainda que. é claro. o cabelo extremamente longo atribuído à imagem de Madalena originou-se da mesma cultura que criou a romântica tradição de contos de fada carolíngios como o de Rapunzel. talvez. seu cabelo é cortado pela feiticeira. Maria. pela qual o príncipe escala a torre para resgatáIa. antes de ser libertada. seus cachos dourados são apresentados em uma grande trança. a Egípcia.ou. Isso. em uma veia mais confiável. cujas roupas aparentemente apodreceram e foram substituídas pelos cabelos. e outras supostas mulheres penitentes.explorar um tipo artístico. por 30 anos. Na verdade. a história tinha um padrão medieval. e é por esse motivo que lhe atribuíram os cabelos longos. Com referência aos cabelos de Maria Madalena. Entretanto. Hipólito. e houve histórias similares referentes a Marta. havia se referido a ela como "o apóstolo dos apóstolos". o professor analisou a razão de o legado de Madalena ser hoje invocado como simbólico de uma tendência crescente do sacerdócio das mulheres. Entretanto. A importância dos cabelos muito longos era que eles proporcionavam um véu de recato mesmo quando a mulher estava nua.

A pintura relacionada a Madalena. Sua dignidade estava preservada. A imagem oficial de Madalena na Igreja era aquela de uma meretriz leviana. Essa cena foi estranhamente pintada por Jusepe de Ribera. ela fugiu dos olhares dos seus capturadores escondendo-se em seu próprio cabelo. Um item adicional sobre a associação de Madalena com a arte é uma pomba branca que também está incluída em muitas representações do Santo Graal. artista borgonhês do século XV. Desnuda e torturada por não querer se casar aos 12 anos. ou na interpretação de sua chegada em Provença no Livro das Horas. na Catedral de Chartres. estão os afrescos de Giotto di Bondone. é uma boa ilustração sobre esse assunto (veja . que também inclui a unção de Jesus por Maria em Betânia e sua subseqüente viagem marítima para Provença. Esse quadro faz parte de uma fabulosa tela chamada Der Magdalenaltar. na Capela de Madalena da Igreja de São Francisco de Assis. Entre as mais conhecidas. Aqui. a donzela com cachos nunca estava vulnerável. no século IV. É por essa razão que Maria Madalena foi retratada com tanta freqüência com cabelos longos e envolventes .como pintada por Giotto e Botticelli. Alemanha. de Dante Gabriel Rossetti. a cobertura de cabelo de Madalena é vista com ligação com o bispo Lazarus de Marselha (veja ilustração 10). Um maravilhoso retrato desse gênero está na Basilica de Madalena em Tiefenbronn. O Santo Graal. Há várias narrativas como essas sobre a vida de Maria retratadas em numerosas pinturas nas igrejas da Europa.pela Igreja). de 1320. Cenas similares estão expostas até antes (1210) nos magníficos vitrais de Madalena. de Sforza. de Lukas Moser. nem seu corpo nem sua alma seriam totalmente expostos antes do momento apropriado. na França. Esse tema desenvolveu-se a partir do martírio de Santa Agnes de Roma. mas os artistas esclarecidos freqüentemente eram sutis ao construir a realidade de sua modesta situação social. pintor barroco do século XVII.

tudo se lhes diz por parábolas" (Marcos 4:11). não importando se os motivos ficassem aparentes imediatamente para todos. com um ramo de louro em seu bico. ARMAGEDOM Como vimos. elas foram destinadas à compreensão do mundo como um todo. mas não aparecem na obra de Botticelli por acaso. foram direcionadas a um público esclarecido em particular. A pomba branca significa principalmente a pureza feminina e.um símbolo esotérico das Três Lanças do Iluminismo. A Madona da Romã. Tudo o que foi pintado por artistas inteligentes. e não era para ser compreendidas por todos. Então. e é encontrada com freqüência nas representações de Maria. mas. Algumas vezes. no Madona do Livro. Astarte e Afrodite. ela não é unicamente de Maria Madalena.um modo simbólico e abreviado de expressão. é um símbolo da paz.. e em outras santas. disso ou daquilo. Nos tempos antigos. as inclusões alegóricas nas obras de arte foram uma forma bem eficiente de estenografia artística . tema dos alquimistas herméticos. ela é um símbolo eucarístico usado há muito tempo na arte cristã para exemplificar o Espírito Santo. e seu Madona do Magnificat. Não é por acaso que o quadro de Sandro Botticelli.. Existem muitas pinturas intituladas A Alegoria. ambos mostram o Jesus menino segurando uma romã da fertilidade aberta e madura. em sua maioria. são simplesmente pinturas sem . Como as famosas palavras de Jesus: "A vós é confiado o mistério do reino de Deus. Apesar disso. Essas coisas são totalmente alheias à Bíblia. como Botticelli. Nem é resultado de um capricho sem sentido de. a pomba era associada às deusas Ishtar. elas.ilustração 12). tinha um propósito e um significado. Jesus segurar três pequenas setas douradas . Entretanto. de Botticelli. aos de fora. mãe de Jesus. Em outras ocasiões.

títulos conhecidos que foram copiadas "alegoricamente" depois da morte dos artistas. O Apocalipse é bem diferente de qualquer outro livro da Bíblia. o Apocalipse deveria acompanhar os Atos. Na verdade. com o imperador como seu líder simbólico. difícil de se compreender. A verdadeira alegoria está sempre aparente em seu contexto. o Divino . São Pedro e algumas outras obras secundárias . Sua credibilidade tem sido obscurecida por meio de uma série de epístolas de São Paulo. às vezes. com os outros livros e as cartas. é algo mais como um "Igrejianismo" do que Cristianismo. em 1498 e 1511. No mundo da fina arte. .o livro do Apocalipse no Novo Testamento.21 livros ao todo -. ou até mais precisamente como"desvelar". sobre O Apocalipse de São João. pois o Apocalipse é de fato uma continuação cronológica dos Evangelhos e dos Atos dos Apóstolos. quase como se João estivesse sentado em um teatro assistindo aos eventos que eram representados à sua frente. mesmo que a mensagem seja. Na prática. em razão de nosso condicionamento educacional em alguma direção alternativa. porque seus conteúdos não são compreendidos. Não foi fundamentada nos ensinamentos originais sobre o Cristianismo de Jesus. O motivo para as exposições predominantes de Pedro e Paulo é que a Igreja Romana de Constantino foi fundada sobre os ensinamentos de Pedro e Paulo. a palavra grega apocalypse pode ser traduzida como revelação. Como já foi mencionado. Na verdade. Seu cenário foi montado aparentemente de uma forma visionária. o mestre da alegoria é geralmente considerado o artista de Nuremberg. formando não mais que apêndices do Novo Testamento. Albrecht Dürer (1471-1528). que estão sendo colocadas entre eles. Um dos seus projetos mais ambiciosos e mais conhecidos foi uma série de 15 esculturas em madeira e duas páginas título para impressão. foi mais ou menos isso. porque não foi recontado como uma crônica direta.

Os Manuscritos do Mar Morto. é claro. Entretanto. visto que ele acompanha as vidas de Jesus. rituais. mas para uma pessoa encontrar o caminho para a Luz. costumes. como definido por suas circunstâncias planetárias na época do nascimento. O equilíbrio de um contra o outro no Cosmos foi determinado pelo movimento celestial. parece confuso o fato de o Apocalipse ter sido incluído no Novo Testamento. Tal caminho culminava na decisão final de uma força contra a outra em um Período de Justificativas . à medida que o tempo se esgotava. foi em uma época em que a população em geral não tinha a Bíblia para ser lida. Uma crença básica era que o Universo continha dois espíritos fundamentais: o da Luz e o das Trevas. enquanto as Trevas retratavam a perversão e o mal. a Luz representava a verdade e a justiça. Pensava-se que. era exigido seguir por um longo e árduo caminho de conflitos. e as pessoas receberam porções com variações de intensidade de cada espírito. A guerra cósmica entre a Luz e as Trevas e entre uma pessoa e outra foi perpetuada dessa forma na humanidade. visto que sua natureza bem esotérica permitiu que Roma o transformasse em uma vantagem considerável. descobertos em Qumran em 1947. deram-nos muita informação referente às crenças.À primeira vista. Aqueles que seguissem o Caminho da Luz procuravam evitar os impedimentos da avaliação com a apelação: "Não nos conduza à . Em seus respectivos contextos. isso.mais tarde chamado de Dia do Julgamento. em um relato do século I. de Maria Madalena e de seus filhos após a ressurreição. as forças das Trevas reuniriam poder durante um Período de Tentação. pela deturpação de seu texto com base no púlpito. políticas. filosofias e tradições das eras pré-evangélica e evangélica na Judéia. As pessoas naturalmente seriam sujeitas a esse processo de teste. a inclusão do Apocalipse provou ser uma estratégia notável. Deus foi definido como o governador supremo desses dois espíritos fundamentais.

Aqueles que a partir de então obedecessem aos princípio revistos da Igreja Católica Romana tinham o direito de entrar no Reino dos Céus. paru que mesmo a palavra Armagedom despertasse um horrível som de terror. Isso se mostrou como a manobra política mais engenhosa de todos os tempos ou. ao sul das montanhas da Galiléia. a idéia básica por trás desse antigo conceito foi adotada e adaptada pela emergente Igreja de Roma. . A fim de prevalecer a regra dos bispos católicos. foi decretado que o Dia do Julgamento ainda não tinha chegado. As tribos de Israel ficariam de um lado. a grande batalha final entre a Luz e as Trevas (entre o bem e o mal) é prevista para acontecer no Armagedom (Har Megiddo) . Seria um violento combate mortal entre a Luz. Ela implicaria o apavorante fim de todas as coisas. A referida batalha do fiar Megiddo foi retirada de sua localização específica e reaplicada em uma escala mundial. sendo que a única rota segura para a salvação seria a submissão absoluta às regras de Roma. e as Trevas do Império de Roma. pelo menos. que era Israel. importante campo de batalha palestino onde o forte militar guardava as planícies de Jezreel. santificados pelos bispos. O Manuscrito da Guerra descreve em pormenores a luta prevista entre as Crianças da Luz e os Filhos das Trevas na grande batalha do Har Megiddo.tentação e mantenha-nos longe do mal". O forte palestino do Har Megiddo foi investido com uma dimensão sobrenatural. e os romanos com várias facções bárbaras ficariam do outro. até que os Manuscritos do Mar Morto fossem descobertos e a verdadeira história do Armagedom se tornasse conhecida. No livro do Apocalipse 16:16.que fica no cume do Megiddo. Posteriormente. com Roma (até aqui as Trevas) usurpando a Luz a seu favor a partir do dia em que o imperador Constantino colocou-se como líder do Cristianismo.

Utrillo. Cocteau e outros.O Apocalipse de São João. antes disso. que "partiu para a guerra com o remanescente de sua semente?" Quem pintou a alegoria da perseguição dos herdeiros Desposyni do Senhor? Em 1961. e vários artistas retrataram o evento histórico de sua viagem marítima para Provença em 44 d. Durante essa comissão única. Dalí foi selecionado novamente por Foret como um dos artistas para L'Apocalypse de Saint Jean. colagem. entalhe e multimídia. foi produzido pelo editor francês Joseph Foret o livro mais caro do mundo. Mas onde está a ilustração da agonia do seu tormento? Onde estão os quadros que de alguma forma retratam o cruel dragão de Roma. Dalí usou descrições de Pregos perpetuando assim o símbolo da crucificação em outras áreas da história do Apocalipse. Ele é talvez mais conhecido por sua publicação de A Divina Comédia de Dante. e produziu uma série de trabalhos em aquarela. Todo escrito à mão e pesando 210 quilos. Uma única edição. que foi vendida a um consórcio de colecionadores por um milhão de dólares e que está no cofre de um banco da Suíça. desde suas folhas de pergaminho feitas à mão. ele continha especialmente obras de arte originais encomendadas por vários dos mais importantes artistas do mundo na época. Joseph Foret era o principal editor de livros de arte. o livro foi exibido em uma bolha de plástico por todo o mundo. até a sua capa esculpida em bronze e incrustada com pedras preciosas. Salvador Dalí pintou uma figura . Entretanto.AGONIA E TORMENTO Vimos que a história do exílio de Maria Madalena e sua fuga aparece no Apocalipse 12. apresentava trabalhos de Picasso. Tudo sobre esse livro era especial. Em relação ao tema tortura e perseguição nessas pinturas. com cem impressões em blocos de madeira feitas pelo surrealista Salvador Dalí.C. Ele foi intitulado de L'Apocalypse de Saint Jean .

que os caminhos estão com lama. os saduceus e os essênios. CAPÍTULO 4 A OUTRA MARIA A HERANÇA DO NAZARENO Para apreciar as ramificações políticas e sociais da relação nupcial de Maria Madalena com Jesus.C. que as árvores estão pingando e as valas. transbordando . com bárbaros pregos romanos conduzidos cruelmente ao seu abdome. o trabalho possui forma claramente primitiva e direta em sua implicação . Os fariseus e saduceus eram rigidamente controlados pela . Ele produziu seu trabalho em 1960 e intitulou A Vida de Maria Madalena (veja ilustração 8). As culturas em comunidade dos três eram bem diferentes em muitos aspectos. Precisamos apurar as regras maritais específicas que se aplicariam a fim de propor as evidências circunstanciais para provar o casamento deles.extraordinária do ataque contra a posteridade de Maria Madalena.C.o busto exposto de Maria Madalena. religioso e político. Flavius Josephus (nascido em 37 d. No verdadeiro estilo do Apocalipse. No momento.sabemos que choveu durante a noite..) recontou que havia várias seitas e subseitas entre os judeus em sua terra natal. nossa situação investigativa parece algo como andar pela manhã e ver que a grama está molhada. Escrevendo nos anos 70 d. logo depois da era do Evangelho e após a Revolta Judia. Os três grupos filosóficos principais eram os fariseus. e Josephus explica que os essênios tinham "maior afeição entre eles que em qualquer outra seita". primeiro é necessário entender a natureza de seu ambiente social. mas não temos provas documentais para confirmar o fato.

. Na verdade. Em Mateus 16: 1-12 (e em outros lugares). e eles se dedicam totalmente à agricultura. Josephus. pois a palavra aramaica asayya significava médico e sua correspondente grega era essenoi. mas eram amplamente não-espirituais. Os saduceus tinham uma visão mais moderna. Josephus relata que os essênios eram práticos na arte da cura e recebiam seu conhecimento terapêutico das raízes e das pedras dos antigos. e Lucas 19:39 contanos que os fariseus ordenaram que os discípulos de Jesus fossem repreendidos por criarem distúrbios quando foram a Jerusalém.tradição dos hebreus. Também merecem nossa admiração pelo tanto que excedem a outros homens que se dedicam à virtude. Seu comportamento em todos os aspectos era mais semelhante ao estilo de vida dos essênios com relação à cura. os essênios foram "excluídos da corte do Templo". Foi logo após ser repreendido pelos fariseus que Jesus retaliou. à filosofia esotérica e à atitude liberal. entrando no Templo e virando as mesas dos comerciantes e dos cambistas. eles eram defensores do filósofo grego Pitágoras (570-500 a. um homem rico não aproveita mais a sua riqueza que aquele que não tem nada. como documentado em As Antiguidades dos Judeus. enquanto os essênios eram inclinados ao misticismo. Na verdade.). então. era muito amável com os essênios e escreveu: O curso de suas vidas é melhor do que o de qualquer outro homem. . Isso é demonstrado por essa instituição que não sofrerá nada para impedilos por terem todas as coisas em comum.. o termo essênio refere-se a essa especialidade. Os fariseus seguiam as antigas leis judaicas. apesar de ser fariseu.C. Influenciados pela cultura helenista. Jesus parece constantemente desafiar os regimes dos fariseus e saduceus. enquanto os essênios eram mais liberais e helenizados.

A comunidade dos essênios era citada como a Nazrie ha Brit (Guardiões do Pacto) e.C. os vasos continham cerca de 500 manuscritos em hebraico e aramaico .. a leste de Jerusalém. No início da história de Jesus.C. Com algumas das suas tradições datando de 250 a. Ao todo.e. Ficando ocultos em vasos de barro. e. a região era conhecida como a mais desértica da Judéia.O local principal dos essênios ficava em Qumran. como eram bem delicados. Infelizmente. a partir desse nome. e uma expressão árabe para eles é Nasrani. o Antigo Testamento.. e muito foi perdido. Um dos maiores erros do Novo Testamento está na tradução dessa terminologia palestina. surgiu o termo Nazareno. eles foram guardados durante o levante judeu contra os romanos (66-70 d. foram destruídos por terem sido manuseados de forma incorreta.) Toma estas escrituras (. Quase profeticamente. Ao todo.) mete-as em um vaso de barro. Outros povoados na região estavam em Murabba'at. Ain Féshkha e Mird. em uma escavação na região. Esses vários pergaminhos são agora a ajuda mais valiosa para compreender a estrutura dos essênios durante a era do Evangelho. Mateus 2:23 deixa claro que Jesus era um "nazareno".a importância deles não estava imediatamente aparente . que procurava uma cabra perdida.) e nunca haviam sido encontrados. no livro de Jeremias 32:14... na costa norte do Mar Morto. muitos dos manuscritos ficaram despedaçados após a descoberta .. para que se possam conservar muitos dias". O Alcorão islâmico refere-se aos cristãos como Nazara. mas sugere-se que isso era porque seus pais vieram de . tinha afirmado: "Assim diz o Senhor dos exércitos (. enterrados por aproximadamente 2 mil anos. escritos do Antigo Testamento e numerosos documentos do registro da comunidade.entre eles. os registros foram achados por acaso por um jovem pastor beduíno. os Manuscritos do Mar Morto do arquivo essênio foram descobertos em 1947.

Os nazarenos eram uma subseita dos essênios. a ser chamado de Jesus. Gabriel é citado simplesmente como um homem que explicou uma visão a Daniel. o Batista) nasceria de sua esposa Isabel. mapa. Em Mateus. no livro de Daniel 8:16. o Nazareno. quando São Paulo é acusado de tumulto perante o governador de Cesaréia: "Temos achado que esse homem é uma peste.Nazaré. O nome não consta nos arquivos de Roma nem nos documentos históricos de Josephus. Gabriel visita Maria. ele é simplesmente chamado de "um anjo do Senhor" (Mateus 1:20) e faz . Na prática. Na verdade. os nazarenos da era do Evangelho não tinham relação com uma cidade chamada Nazaré que foi fundada e batizada tempos depois. De fato. O nome desse personagem aparece apenas quatro vezes em toda a Bíblia. e chefe da seita dos nazarenos". Ela não é mencionada no Talmude hebraico nem nas cartas de São Paulo. no Novo Testamento. com uma continuação da seqüência em DanieI 9:21. Então. Gabriel não é citado. Nesse contexto. por todo o mundo. GABRIEL Uma outra grande pista da posição sectária de Jesus na sociedade dos judeus é dada pelo anjo Gabriel. Gabriel faz sua entrada no Antigo Testamento. Depois. Nazaré não se encontra em nenhum livro. com sua segunda citação relacionada à primeira. Além do erro de tradução nas escrituras do Novo Testamento. nunca houve um Jesus de Nazaré. com o anúncio de que ela também geraria um filho. não há registros da existência de Nazaré naquela época. crônica ou registro militar daquele período. e promotor de sedições entre todos os judeus. Ele era Jesus. e o padrão sectário deles é descrito em Atos 24:5. Gabriel aparece para Zacarias (Lucas 1:13) com a notícia de que um filho (João. a esposa de José (Lucas 1:26).

no livro apócrifo de Enoch. Na doutrina cristã. Com um intervalo de 400 anos entre o Antigo e o Novo Testamento.sua vista a José. Gabriel é citado como um Fortitudo Dei (Força de Deus). ele era a mesma figura com alguma qualidade transcendente de extrema longevidade. enquanto Miguel é mais um anjo de julgamento. É muito mais provável um terceiro cenário. Essa obra (hoje apenas existente em etíope. Gabriel (significando Homem de Deus) aparece como um intercessor e punidor do mal. e não a Maria. em vez de uma pessoa com tal nome.C. o segundo ponto de vista é favorecido. apesar de não haver evidências para provar essa idéia. 2) Alternativamente. . Ele é um anjo de encarnação e consolação. No pensamento cristão ortodoxo. era um personagem diferente do anjo Gabriel no livro de Lucas. com alguns achados de fragmentos gregos) foi compilada de partes escritas pelos judeus palestinos da escola ortodoxa hassídica entre 200 a. segundo o qual Gabriel era um título de honra. Em contrapartida. como no livro de Daniel. Portanto. Gabriel. nós precisamos descobrir se havia tradição dinástica de algum tipo na estrutura angelical. surgem algumas possibilidades: 1) O homem. e a era do Evangelho.

e parece ter servido de base para vários nomes angelicais que não estão mencionados na Bíblia.O livro de Enoch tem relação com certos aspectos dos Manuscritos do Mar Morto. no século I d. Nesse ínterim. como descrito no Antigo Testamento. aramaico e siríaco. e constituem uma relíquia interessante do cativeiro israelita sob Nabucodonosor. O Museu Britânico possui alguns vasos mágicos com inscrições em hebraico.C.C.). foram encontrados em um sítio babilônico em Hillah. os judeus da escola hassídica (os criadores do material de Enoch) fundaram um povoado em Qumran. feitiçarias nas quais aparecem as distinções angelicais de Miguel. . datando de cerca de 550 a. A importância disso é que. no Iraque. apesar de Gabriel aparecer no Antigo Testamento no livro de Daniel (escrito na Babilônia durante os 70 anos de cativeiro em 586 a..C. Esses vasos. não foi indentificado em outro lugar nos textos religiosos até que os Evangelhos fossem compilados. Rafael e Gabriel.

O segundo período de ocupação começou durante o reinado de Herodes. Suas construções começaram por volta de 130 a. como eles obtiveram sucesso contra Antióquio. as crônicas judaicas descrevem um violento terremoto judaico em 31 a. Segundo o Pergaminho do Cobre.C.). O período da ocupação formal estabilizada parece ter começado em cerca de 130 a.As escavações em Qumran produziram relíquias datadas de cerca de 3500 a. uma coleção de moedas também foi reunida nos povoados de Qumran referentes a um período do governo hasmoneano de João Hyrcanus (135-104 a.C. a antiga Qumran chamava-se Sekhakha.C. A revolta em 168 a. alguns danos sociais internos ocorreram. quando a casta sacerdotal dos macabeus hasmoneanos (ancestrais de Maria Madalena) ficou em evidência. Um centro de devotos judaicos ultra-estritos conhecidos como os hassídicos (Primeiros Religiosos) foi contra o procedimento e. estabelecido como rei da Judéia pelas autoridades romanas.) até a Revolta Judia de 66-70 a. foi amplamente estimulada pela ação do rei Antióquio IV da Síria. quando a triunfante Casa Hasmoneana determinou seu próprio rei e grande sacerdote em Jerusalém. Qumran foi . que assumiram o controle da região sob Júlio César. porém. houve um terremoto. O exército de macabeus derrotou os sírios e mais tarde reconsagrou o Templo de Jerusalém. na época em que o povoado era um acampamento beduíno. por haver uma interrupção da habitação em dois períodos diferentes. Cerca de um século depois. eles estabeleceram sua própria comunidade "pura" nas proximidades do deserto de Qumran.C. Nos tempos que se seguem. pois a campanha tinha exigido combate no Sabbath. a voz hassídica gritou sua oposição e marchou para fora da cidade.C.C. Herodes era um árabe. Além da evidência dos pergaminhos.C. Subseqüentemente.C. o Grande (37-4 a. que forçou um padrão de devoção grega sobre a comunidade judaica. e isso é confirmado em Qumran...

é necessário. em beneficio de novos leitores. Josephus afirma categoricamente que foram eles que "preservaram os nomes dos anjos". durante esse período. prima de Maria. o Nazareno foi. e produto de uma comunidade terapêutica liberal. No decorrer. José. REGRAS DE MATRIMÔNIO Agora fica totalmente possível juntar as partes das regras de matrimônio que teriam sido aplicadas a José e Maria e a Jesus e Maria Madalena. Como vimos. que não tinham lugar nas tradições hebraicas dos fariseus e saduceus em Jerusalém.destruída e depois reconstruída. os essênios desenvolveram-se em suas bases hassídicas. nesse ambiente.. Antes da intervenção de Roma em 44 a. Qumran havia se tornado o lar figurativo dos anjos. Nessa explicação sobre os essênios. cuja dinastia grega dos faraós de Ptolomeu reinou durante todo o período do povoado de Qumran. A aparição angelical de Gabriel na anunciação a Maria e José (e anteriormente na visão de Isabel. pois os costumes nazarenos eram bem diferentes das normas judéias a esse respeito. que retomemos alguns pontos citados na obra anterior. a palavra grega essenoi relaciona-se aos médicos (veja página 66). pai de Jesus. aparece nas listas genealógicas de Mateus e Lucas como um descendente da real Casa de Davi. a influência greco-egípcia havia sido forte na Judéia e. tornando-se uma comunidade de monges curadores no estilo egípcio conhecidos como Terapeutas. Mais detalhes . Esse foi o período da rainha Cleópatra VII do Egito. e seu marido Zacarias) deixa bem claro que essas histórias do Evangelho vieram da cultura dos essênios e que. a fim de nos aprofundarmos mais intensamente no assunto. Jesus. essas famílias eram da seita dos nazarenos. isso será útil para nós.C. portanto. um essênio. Entretanto. Para entrarmos nesse mundo.

Como com a palavra almah com relação a Maria. Sendo esse o caso. Mais precisamente. segundo a carne (. Na verdade. a almah (jovem). essa palavra descritiva poderia talvez ser aplicada a um negócio de artesãos. explicando que Maria daria à luz um filho "ao qual porás o nome de .sobre esse assunto serão dados no Apêndice I. Lucas 1:27 e 2:5 afirmam que Maria. isso o definiria como um homem com habilidades . Como destacado pelo estudioso semita e tradutor dos Pergaminhos. então deve ter sido Maria a descendente dessa linhagem real. rei) de seu pai. como Jesus é citado tantas vezes dizendo que "nasceu da descendência de Davi. uma tradução da palavra semitamaggar. mas os Evangelhos em lugar algum afirmam isso.. Mateus 1:18. mas não há valor algum em Lucas 1:27 citar especificamente José como sendo "da Casa de Davi".)" (por exemplo. Isso certamente não identificaria José como um carpinteiro. Geza Vermes. em um esforço para justificar o dogma da Virgem. ele nunca foi citado como tal .. têm sugerido que.um homem sábio e um mestre em sua ocupação. É afirmado nessas passagens que o anjo Gabriel apareceu tanto para José (em Mateus) quanto para Maria (em Lucas). Romanos 1:3). a melhor tradução para ho tekton seria "mestre da arte". e ela é citada nesse e em outros contextos como sua "esposa". Eles afirmam apenas que José era da dinastia davídica e que Jesus ganhou sua herança real como o Cristo (grego: Christos. O termo traduzido para o inglês como "carpinteiro" era a palavra grega antiga ho tekton. por que o aparentemente bem-nascido José seria descrito nos Evangelhos como um "carpinteiro"? De fato. mas definiria mais provavelmente um notável estudioso ou um professor. Muitos apologistas cristãos. Talvez ela fosse. dr. a tradução para o inglês do século XVII (transcrito depois do inglês para outras línguas européias) cometeu o erro.pelo menos não em nenhum dos originais do Evangelho. foi "desposada" por José.

Jesus. disse: Salve. e não a queria difamar. então. seu esposo. como é usada nas descrições do Evangelho. Esse será grande e será chamado filho do Altíssimo. sabendo-se da ligação com os essênios. Mais uma vez. neto de Abraão. agraciada. O versículo afirma: "E entrando o anjo onde ela estava. se for esse o caso. Na verdade. isso denota um arranjo contratual (ter uma esposa). o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi. do Antigo Testamento. A sugestão nesse ponto é que talvez o anjo Gabriel fosse. então Maria não seria uma virgem e Jesus não seria um descendente da Casa de Davi por intermédio de José. Estritamente em termos lingüísticos. os israelitas eram descendentes do personagem Jacó de Israel. os judeus eram os residentes regionais da Judéia (o que inclui Jerusalém e Qumran). seu pai". e ainda são. se comparado à informalidade do noivado. enquanto que os israelitas eram os habitantes de Israel. signi fica que José e Maria eram casados. na . o Senhor é contigo". era justo. na verdade. é por meio do nascimento de uma mãe judia que alguém é reconhecido por ganhar a verdadeira herança judaica. mas. isso fica muito mais fácil de se entender. Tem de haver melhor explicação para esses eventos que ocorrem em seqüência e. o pai físico de Jesus por meio de uma procuração divina. tudo é possível. Se for esse o caso. intentou deixá-Ia secretamente". a maternidade e a vida em família eram. Teoricamente. Em termos históricos. A construção da tradução das palavras de Lucas 1:28 tem levado a outras especulações teológicas no sentido de remover José da equação paternal. A palavra "desposar". Entretanto. como é dito na narrativa do Evangelho. superiores na cultura. não fica claro por que a gravidez de Maria foi um embaraço para José. Será que era alguma característica do casamento dos essênios que fazia com que a concepção e a gestação da esposa fossem algo humilhante? Nos termos das normas sociais judias. Mateus 1:19-25 relata: "E como José.

um judeu. era mantido um estilo de vida celibatário. Eles eram. antes dos tempos romanos) e era. portanto. os governantes. Os homens e as mulheres moravam em quartos separados e. isso não a impediria de ser uma nazarena. Jesus era da Judéia (anteriormente chamada de Judá. junto com um conselho profético dos anciãos chamados Isaías. os nomes dos anjos eram preservados dentro de dinastias específicas de alto posto sacerdotal. Além disso. separados dos árabes palestinos e de vários outros que os Evangelhos classificam imprecisamente de gentios. O casamento e a procriação eram perdoados em alguns casos em que os interesses hereditários fossem importantes. mas Maria Madalena só pode ser chamada de israelita. São Paulo . em termos sectários.a Casa de Judá na qual José e Jesus nasceram. havia um ramo real de descendentes da real Casa de Davi . Josephus explica que os essênios de Qumran eram monásticos e pertenciam a conventos. e em algumas pinturas ela é honrada com a túnica negra das sacerdotisas nazarenas (obra da Renascença de Jan Provost. por exemplo). Nos termos da estrutura hierárquica dos essênios. para a lllaior parte. um Rafael.prática. visto que ela era uma galiléia (Galiléia sendo a região ao norte da Judéia e da Samária). mas eram aplicadas regras restritas que não tinham semelhança com as normas da família judaica. os samaritanos e os galileus. No contexto dessa estrutura. na essência. eles eram os judeus. A Alegoria Sagrada. Zacarias e outros. Sempre havia um Miguel. eram os mais altos embaixadores da comunidade. Entretanto. Esse foi um outro motivo para o status da Madona Negra. um Gabriel. no sentido estrito do termo "anjo" (significa "mensageiro"). um Uriel e um Sariel dentro de cada instituição. Esses homens. Também havia uma estrutura patriarcal mantida com base na hierarquia da família abraâmica (com nomes como Isaac e Jacó).

O Zadoque/Miguel era conhecido como o "Senhor" (como para Deus). em virtude dos estilos relativos aos títulos. Esse sistema angelical é detalhado no Livro 1 de Enoch. o rei e o profeta) levou o título simbólico de poder. José e Maria. tempos depois. enquanto o padre Abiatar (segundo no comando) era tido como Gabriel. para os essênios. podemos ver que a pessoa definida angelicalmente que deu seu consentimento para os nascimentos de seus respectivos filhos era o sacerdote Abiatar. e o Pergaminho da Guerra de Qumran 9:15-17 identifica a ordem do sacerdócio dos anjos durante a era do Evangelho. os termos Senhor e Pai tinham um significado reverenciado. A triarquia (correspondendo o padre. assim como o papa é o Pai da comunidade católica hoje em dia. presume-se geralmente que eles sempre se refiram a Deus. Em respeito a essas distinções hierárquicas é que Jesus (como Davi) fez sua aparição na montanha com Moisés e Elias (Marcos 9:2-4). foi o pai de Maria Madalena. e seus dois representantes imediatos foram designados seu Filho e seu Espírito. afirmando que. Onde aparecem na narrativa do Novo Testamento e dialogam.fez uma menção especial desse fato em sua carta aos hebreus. e Abiatar/Gabriel era designado o "anjo do Senhor". Mas por que esses partos exigiam a aprovação e a permissão . Também no alinhamento davídico (como dado em 2 Samuel 20:26) estava o padre Jairo. Na comunidade patriarcal. apesar de ter uma herança real. mas mundano. o "Pai" (Abraão) foi supremo. Entretanto. Essas distinções sacerdotais foram firmadas na época do rei Davi (2 SamueI 20:25). Na estrutura angelical paralela. Retornando às visitas de Gabriel a Zacarias. cujo sucessor. Deduz-se de tudo isso que. Deus era representado na Terra por figuras aristocráticas que criavam essas denominações. o sumo sacerdote Zadoque mantinha o título de Miguel. Jesus não tinha direito de primogenitura para o sacerdócio. reino e glória.

ele estava impedido de falar em sua tradicional capacidade ordenada. não estamos necessariamente no domínio de um casal apaixonado. não Ihes podia falar (. No caso de Zacarias e Isabel.em outras palavras. dispensando-o de suas obrigações sacerdotais . Segundo o costume essênio. Então. Portanto.sacerdotal? A resposta é que os filhos tanto de Zacarias quanto de José tinham descendência da herança dinástica . José. como uma demonstração de que eles não se casaram pelo prazer. a fim de continuar importantes linhagens das dinastias.. e havia linhas de orientação restritas governando as relações necessárias. No caso de José e Maria. era imperativo que tanto Maria como José recebessem instruções e autorizações de Abiatar Gabriel. porém. Isso se refere ao período autorizado para a procriação.. a procriação física era vital quando havia preocupação na sucessão dinástica. Mas isso tinha de ser aprovado. vemos em Lucas 1:22 que. é declarado em Lucas 1:24 que. esse é o domínio de núpcias arranjadas e com casais estrategicamente selecionados. Josephus explica que dentro da ordem dinástica não era apropriado que os homens "acompanhassem suas esposas quando elas estavam com crianças. e José. e acolherem crianças abandonadas e ilegítimas de outros lugares para perpetuar sua comunidade. Isabel escondeu-se. Os primeiros três meses de gestação eram cruciais para determinar .) E falava por acenos. na sucessão real davídica. mas permanecia mudo". da mesma forma. de José e Maria ou de Jesus e Maria Madalena. Isso deixa claro que. depois da concepção.Zacarias na sucessão do sumo sacerdote Zadoque. não importa se estamos falando de Zacarias e Isabel. na preparação para o parto de sua esposa. mas pelo bem da posteridade". Em vez disso. refere-se à possibilidade de Maria ter de ser isolada. Zacarias foi submetido ao silêncio no templo: "Quando saiu. Apesar de os essênios apreciarem seu celibato.

Entretanto. a história de Maria e José é retratada corretamente com Maria concebendo como uma almah apesar de o termo ter sido mal traduzido para "virgem". um casal estaria casado por um período de provação. e nesse momento ela receberia o direito de ser chamada de "esposa". quando ocorriam. Portanto. ela seria referida como "irmã". e nesse caso ela era vista como inadequada e uma outra era eleita em seu lugar. em Guerras dos Judeus do século I é explicado que os primeiros três anos de matrimônio na ordem dinástica eram vistos como um período de provação. havia dois estágios nesses casamentos. o sacerdote Abiatar (o Gabriel) intervinha para permitir a gestação e legalizar totalmente o matrimônio. houve ainda um elemento de risco e possível causa para um constrangimento. Antes disso. até que os três meses de seu confinamento terminassem. Sempre era possível que uma esposa abortasse. pois havia outras na casta da nobreza que poderiam ser igualmente apropriadas. a esposa ficava muito vulnerável nesse período. Ela. em todos os estágios de sua situação almah (como concedido por sua origem do convento). Com o nascimento do filho. caso Maria abortasse. E então. na preparação para . então. Apenas então o segundo estágio da cerimônia matrimonial era realizado. Nesse estágio. mesmo que concebesse. Seguindo o período de noivado. Gabriel. a esposa tornava-se reconhecida como "mãe". Os abortos geralmente ocorriam. mas o contrato matrimonial não estaria totalmente firmado no início. Durante esse período experimental. Também havia possibilidade de que uma esposa pudesse ser infértil e. para resolver isso. receberia o consentimento do sumo sacerdote (o sacerdote Zadoque) por meio de seu representante angelical. ela ainda seria considerada lima "donzela" (uma almah ou virgo). nos três primeiros meses de gestação e. portanto.se um marido da dinastia manteria ou não a esposa selecionada. Sob esse ponto de vista.

mas apesar de ele ter sido difamado e banido. Esses textos canônicos lidam apenas com a linhagem de José. . e não a queria infamar. intentou deixá-Ia secretamente". era justo. que havia começado no Concílio de Nicéia com o imperador Constantino. Eles eram totalmente enfáticos sobre isso e repudiavam qualquer idéia de que Maria Abençoada fosse uma virgem. seu esposo. e a concepção imaculada que se refere especificamente ao nascimento de Maria.) A CONCEPÇÃO IMACULADA É importante fazer uma distinção entre o nascimento de Jesus pela Vir gem. Apesar de ter sido decretado pelos bispos de Constantino que Deus era "três pessoas em uma" . e coeterno: o Pai.uma divindade consistindo de três partes em um mesmo nível. Apesar da enorme veneração da Maria Abençoada na teologia cristã. (Também há mais um motivo para a preocupação de José com referência a esse assunto. da hereditariedade do Messias da sucessão davídica. ainda havia cristãos da escola pré-românica que insistiam que Deus era Deus. mais tarde. Por meio de muita interpretação clerical. e Jesus era um homem. e isso ocorreu como resultado do andamento da Disputa da Trindade.isso e segundo o costume. Mateus 1:19 explica que: "E como José. seus sentimentos ainda estavam sendo expressos. como é definido pelo dogma da Igreja. mãe de Jesus. Veja página 152. foi colocada em uma posição de destaque pela Igreja Católica. e voltaremos a ele quando falarmos sobre o casamento de Maria Madalena. pai de Jesus. Maria. o Filho e o Espírito Santo -. não há informações referentes ao histórico dela nos Evangelhos do Novo Testamento. A visão deles era semelhante àquela expressa anteriormente pelo padre libanês Ário em Nicéia.

O tempo passou. seu único Filho.C. e ela foi venerada a partir de então como uma mediadora (ou intercessora) entre Deus e o mundo mortal. Em 390 d. mas em poucos anos. ele era Nestor. Nesse aspecto. último imperador que reuniu o Concílio de Constantinopla em 381 d. mas os argumentos da Trindade persistiram. o Credo dos Apóstolos fora desenvolvido como uma alternativa para o Credo Niceno. pois era claro para todos que Jesus era um homem que nasceu naturalmente de um pai e de uma mãe. Ele declarou que o Espírito Santo vinha "do Pai e do Filho (em latim: filioque)". o mandamento nestoriano de que Maria era uma mulher como qualquer outra foi condenado pelo Concílio de Éfeso em 431 d.. que estavam referindo-se a Maria como a Teotokas (grego: a portadora de Deus). Essa . a Igreja cedeu à autoridade suprema dos papas e um novo protagonista surgiu na disputa da Trindade. com a intenção de terminar a disputa. ele ficou contra seus colegas católicos. apresentado pelo Concílio de Toledo em 598. Como resultado. nosso Senhor". com Maria cravada neles. mas sua posição eclesiástica era governada pela visível relação entre Deus. Ela não fazia parte da Santíssima Trindade. patriarca de Constantinopla. ou Dei Genitrix (latim: concebedora de Deus). Desse ponto de vista. uma alternativa da Igreja oriental estava evoluindo de uma base bizantina.C. A partir desse ponto. Nestor sustentava que o argumento sobre se Jesus era Deus ou o Filho de Deus era totalmente irrelevante.Isso tornou a vida muito dificil para Teodósio.C.. sem os imperadores no controle. Entretanto. Jesus e o Espírito Santo. Roma foi excluída pelos godos e o império ocidental entrou em declínio. Ele começava: "Eu creio em Deus Pai Todo-poderoso e em Jesus Cristo. Essa reintrodução de Jesus em primeiro plano (posto em segundo plano por Constantino) mal levava ao status messiânico do imperador. os católicos romanos da cristandade ocidental decidiram ratificar o que era chamado de Artigo de Filioque.

pelas Cruzadas. O Concílio do Vaticano discordou e. Muitas das grandes descrições artísticas da vida e da família de Maria são baseadas neles . As principais fontes biográficas referentes a Maria não estão nos Evangelhos canônicos. de Albrecht Deirer. a festa de Santa Ana foi criada no século XIV e o papa Urbano VI levoua para a Inglaterra a pedido do rei Ricardo II. Na verdade. Apenas em 1584 a festa tomou-se universal.pinturas como O Encontro de Ana e Joaquim. foi determinado que. Ela foi o veículo por meio do qual o Espírito Santo tinha passado. em 1378. Maria não era mais considerada a mãe de Deus. quando o papa Gregório XIII indicou-a para toda a Igreja. Na França. mas que dividiu ao meio o Cristianismo formal. então. mas nas escrituras apócrifas. Durante o desenrolar da lenda de Maria. Essa visão sobre a vida de Maria foi levada à Europa ocidental proveniente dos bizantinos. o Evangelho de Maria e o Protoevangelho. De uma forma ou de outra. patriarca de Constantinopla. como . quando esta anunciou que isso sustentava a verdadeira sucessão apostólica. de agora em diante.alternativa afirmava que o Espírito vinha "do Pai por meio do Filho (grego: dia tou huiou)". Foi um ponto inatingível e muito extraordinário da disputa teológica. mãe da Abençoada Virgem Maria. o debate de Filioque foi simplesmente uma controvérsia banal em uma batalha mais ampla sobre se a Igreja deveria ser administrada politicamente por Roma ou por Constantinopla. Ela era. a mãe do filho. e sua popularidade espalhou-se por todo o mundo cristão. A separação final do Vaticano da Igreja Ortodoxa Oriental ocorreu em 867. pais de Maria. e de São Joaquim). excomungou o papa Nicolau I de Roma. Photius. A obra mais completa sobre o assunto é considerada La Leggenda di Sant Anna Madre della Gloriosa Vergine Marie e di San Gioacchino (A lenda de Santa Ana. Nenhum dos lados ganhou e o resultado foi a formação de duas Igrejas derivadas do mesmo original.

e afirmava: "O papa é incapaz de errar quando define assuntos dos ensinamentos e moralidade de seu trono na Igreja!” Ignorando. A ascensão de Maria ao Céu só foi definida em novembro de 1950. retratando uma Maria adulta e vestida em formação dentro de sua mãe. Ana. Maria não teria uma criança comum. foi definido que Joaquim. até aqui. apenas implícito) foram determinados como itens explícitos da fé. como a Ultima Ceia de . pelo papa Pio XII. mas agora precisa ser separada totalmente da história documentada da vida na Judéia. fora concebida livre do pecado original. de Jean Bellagambe (1500). as opiniões. que também descreve o ritual da prática do banquete messiânico anual. mãe de Jesus. quando o papa Pio IX decretou que Maria. evento que se tomou tão famoso em 33 d. A doutrina da Imaculada Concepção só foi formalmente expressa em 1854. Tais decretos tornaram-se possíveis pela declaração de autoridade . Até as obrigações do Messias de Israel e seu Conselho de 12 apóstolos estão detalhadas no Pergaminho da Regra dos essênios. na tradição das Escrituras. Esse dogma foi proclamado no Concílio do Vaticano em 1870.C. ela deve ter sido única. não era diretamente responsável e que Maria fora o produto de uma concepção imaculada de sua mãe.ela era tão especial a ponto de conceber e de dar à luz sendo virgem. A fé nas crenças doutrinais continua. Isso deu origem a algumas obras extraordinárias como A Concepção lmaculada de Santa Ana. os dogmas e decretos. seu pai. enquanto o papa Paulo VI somente a proclamou como mãe da Igreja em 1964. Então. e deve ter emanado livre da intervenção masculina. 108 Tão surpreendente quanto possa parecer. da abordagem da era do Evangelho. as interpretações. foi apenas nos últimos tempos que certos aspectos do credo católico (até aqui.aquela da infalibilidade do papa. quando os Manuscritos do Mar Morto apareceram em uma tradução publicada. a década de 1960 viu o início de uma nova era iluminada.

Jesus.

CAPÍTULO 5 O SEPULCRO DE MADALENA O BÁLSAMO SAGRADO
Ao lado dos imperadores, que tinham declarado uma situação messiânica na era de Constantino, os bispos de Roma (ou papas, como são mais conhecidos) estabeleceram o magnífico Palácio de Latrão como o segundo lugar no comando da Igreja. Eles clamavam seus privilégios por meio de uma descendência apostólica de São Pedro, que tinha sido executado pelo imperador Nero em 64 d.C. A sucessão de um papa por outro era formalizada como uma transmissão para a próxima geração da autoridade episcopal, uma bênção. Entretanto, o problema era que a premissa na qual isso foi baseado era totalmente inválida. O apóstolo Pedro (o promotor do Cristianismo em Roma junto com São Paulo no século I) jamais teve qualquer oficio formal. O primeiro líder apontado do movimento da Igreja em Roma foi o príncipe britânico Linus (filho de Caractacus, o Pendragon) e, como registrado na própria Constituição Apostólica da Igreja, Linus recebeu a posse de São Paulo durante o período em que São Pedro estava vivo, em 58 d.C. Mesmo que as pessoas em geral não soubessem disso, os líderes e missionários das igrejas dos Desposyni certamente sabiam, como também outros dos movimentos celtas e gnósticos. Em um tratado do século IV intitulado O Apocalipse de Pedro, eles se referiam à hierarquia da Igreja de Roma como "canais secos". O documento diz: Eles se autodenominavam bispos e diáconos como se tivessem

recebido a autoridade diretamente de Deus... Apesar de não compreenderem o mistério, eles se vangloriavam de que o segredo da Verdade é apenas deles. Desde os primórdios do príncipe Linus, era costume do líder da Igreja cristã nomear seu sucessor antes de sua morte, mas sua tradição tinha sido mudada quando Constantino proclamou-se "Apóstolo de Deus na Terra". Então, tornou-se direito do imperador nomear e ratificar indicações, e os vários candidatos freqüentemente caíam em socos, causando derramamento de sangue pelas ruas. Entretanto, uma vez apossado, era direito dele reforçar o novo dogma tão amplamente quanto possível dentro do império. O primeiro bispo imperial (314-335 d.C.) foi Silvestre, coroado com grande pompa e cerimônia. Isso diferia muito dos procedimentos sombrios dos bastidores de períodos anteriores. Os cristãos não eram mais acorrentados e enviados para trabalhar em pedreiras e minas; podiam movimentar-se abertamente na sociedade, com sua hierarquia guarnecida em ouro, peles e jóias. Muitas pessoas ficaram ofendidas por isso e viram o fato como uma profanação de seus ideais, mas não tinham outra escolha. Sua religião, antes perseguida, agora se tornava a Igreja oficial de Roma. As principais regiões de dificuldades para os papas eram a Britânia e a França. A Igreja celta britânica tinha sua própria tradição de Desposyni e não poderia ser ameaçada. Os eminentes padres da Igreja pré-romana, tais como Eusébio de Cesaréia (260-340 d.C.), que estava no Concílio de Nicéia, e Santo Hilário de Poitiers (300-367), falaram sobre a primeira visita apostólica à Britânia. Isso corresponde ao período logo depois da crucificação - antes de Pedro e Paulo chegarem a Roma e antes de os primeiros textos do Evangelho chegarem ao domínio público. Em seu De Demonstratione Evangelii, Eusébio escreveu: "Os

apóstolos saltaram o oceano para as ilhas conhecidas por Britânia". Outros historiadores mais tarde confirmaram isso. O cronista galês Gildas II Badonicus (516-570) afirmou em seu De Excidio Britanniae que os mandamentos do Cristianismo nazareno foram levados à Britânia nos últimos dias do imperador Tibério, que morreu em 37 d.C. Tempos depois, até mes mo o bibliotecário do Vaticano, cardeal Cesare Baronius, registrou em seu Annales Ecclesiastici de 1601 que os ensinamentos cristãos chegaram ao Ocidente em 35 d.C. Hugh Cressy, monge beneditino que viveu logo depois da Reforma, escreveu em seu Church History of Brittany (História da Igreja da Britânia): No quadragésimo primeiro ano de Cristo, São Tiago voltou da Espanha, visitou a Gália, a Britânia e as cidades dos venezianos, onde pregou o Evangelho, e depois voltou para Jerusalém para consultar a Virgem Abençoada e São Pedro sobre assuntos de grande peso e importância. O peso dos assuntos citados por Cressy referia-se à necessidade de uma decisão sobre receber ou não os gentios não-circuncidados na Igreja nazarena. Como líder da delegação dos Desposyni em Jerusalém, Tiago, irmão de Jesus, presidia o Conselho que tratou do debate (essa reunião é citada no Novo Testamento, Atos 15:4-34). Em 303 d.C., o historiador fenício Dorotheus de Tire escreveu em sua Synopsis de Apostole (Sinopse de Apóstolo) que "o apóstolo Simão Zelote pregou Cristo por toda a Mauritânia... Por fim, ele foi crucificado na Grã-Bretanha". Isso foi confirmado por Nicéforo, patriarca de Constantinopla (758-829), que afirmou: São Simão, dos Zelotes... viajou pelo Egito e pela África, depois pela Mauritânia e por toda a Líbia, pregando o Evangelho. E a mesma

doutrina ele ensinava às pessoas do Mar Ocidental e das ilhas chamadas Grã-Bretanha. Escritos bem anteriores, do padre romano Hipólito (nascido em 160 d.C.), listam Aristóbulo como o bispo dos bretões. Cressy sustentou que Aristóbulo foi ordenado pelo próprio São Paulo. O grego Martiriologia da Igreja afirma que Aristóbulo foi martirizado na GrãBretanha "depois que ele construíra igrejas e ordenara diáconos e padres para a ilha". São Doroteu escreveu que Aristóbulo estava na Grã-Bretanha quando São Paulo enviou bênçãos para sua família em Roma: "Saudações a eles, que são da família de Aristóbulo". Além disso, o Jesuit Regia Fides afirma: "Está perfeitamente certo que antes de São Paulo chegar a Roma, Aristóbulo estava longe da Grã-Bretanha". Ele foi, na verdade, executado pelos romanos em Verulamium (St. Albans) em 59 d.C. Isso foi confirmado mais tarde por Santo Ado (800-874), arcebispo de Vienne, no Adonis Martyrologia (Martiriologia de Adonis). Aristóbulo era irmão do rei Herodes Agripa I (também de Herodes de Chalcis e de Herodias, mãe da mortal dançarina Salomé). Em colaboração com o jovem Herodes Agripa II, Aristóbulos tinha sido aliado de Maria Madalena quando ela foi protegida pelos governantes herodianos em Vienne. Na Britânia, ele era chamado de Arwystli Hen (Aristóbulo, o Velho) para diferenciar-se do Aristóbulo mais novo que se casou com Salomé. A cidade galesa de Arwystli em Powys recebeu o nome por causa dele. Ao recontar o martírio de Simão Zelote na Britânia, o Annales Ecc/esiastici do Vaticano de Cesare Baronius confirma (segundo Doroteus e Nicéforo) que ele fora crucificado pelos romanos por ordem de Catus Decianus em Caistor, Lincolnshire. O texto também afirma que, a pedido do próprio santo, seus restos mortais foram enviados para serem enterrados com os de Maria Madalena em

Provença. A herança de Maria Madalena e dos herdeiros Desposyni do Senhor no sul da França causou muitos problemas para a Roma imperial. Na tentativa de abafar os fiéis nazarenos, o imperador Severiano VII concentrou seus ataques em Lion e na região das propriedades de Viena. Em um curto período, a partir de 28 de junho de 208 d.C., ele havia levado 19 mil cristãos à morte nessa área. De uma forma similar, o assunto não era mais fácil para Constantino e seus sucessores, apesar de eles tomarem conta da Igreja. Santuários foram erguidos por toda a França para Santa Maria de Madalena, incluindo seu sepulcro na Abadia de St. Maximus Ia Sainte-Baume, onde seu sepulcro e o túmulo de alabastro foram guardados, dia e noite, por monges da Ordem dos Cassianos. O local recebeu o nome de Bálsamo Sagrado (Ia Sainte Baume), com o qual Maria ungiu Jesus em Betânia. A Ordem dos Cassianos foi fundada por João Cassiano em cerca de 410 d.C., e foi o primeiro mosteiro a manter a independência da Igreja episcopal. Em comentários sobre a Igreja de Roma, Cassiano denunciou a aceitação das ordens sagradas como "uma prática perigosa" e declarou que seus monges "deveriam evitar a todo custo os bispos". Inicialmente um eremita asceta em Belém, João Cassiano fundou duas escolas conventuais em Marselha - uma para homens e outra para mulheres. Depois disso, Marselha tornou-se um reconhecido centro monástico e foi o local de nascimento do ritual da Candelária, que sucedeu a antiga procissão de luz de tochas de Perséfone do Mundo dos Mortos. Culminando no porto, perto da abadia de São Vitor em estilo de fortaleza, o evento (com suas longas velas verdes de fertilidade) ainda acontece no dia 2 de fevereiro de cada ano. Ele coincide com o festival da primavera de Imbolc do calendário pagão e, em reconhecimento da viagem marítima de Maria Madalena, a padaria da abadia produz biscoitos com sabor de laranja em formato de barco,

chamados navettes. São Vitor contém o sarcófago de João Cassiano, uma Madona Negra medieval (Notre Dame de Confession) e um antigo altar na cripta com a inscrição do nome de Maria Madalena.

UMA NOVA ÊNFASE
No século V, a Igreja de Roma foi posta sob o controle de uma administração da cidade, os membros do que foi citado como os cardeais (um título derivado do latim cardo: eixo), e havia 28 nomeados situados no Vaticano. Enquanto isso, havia forte competição da Igreja bizantina que crescia rapidamente, com seus centros principais em Constantinopla, Alexandria, Antióquia e Jerusalém. Durante os anos de conflito entre as facções da cristandade do Ocidente e do Oriente, antes de as Igrejas finalmente se separarem, cada uma competia pela supremacia. Depois da queda do Império Romano, os bispos de Roma eram dominantes no Ocidente, com o patriarca de Constantinopla liderando a Igreja em Bizâncio. O debate não solucionado sobre a Trindade tinha levado a um triângulo permanente entre as facções, e cada uma clamava representar a fé verdadeira. Enquanto a igreja de Roma estava sendo estruturada, o Império ocidental entrou em colapso - foi demolido pelos visigodos e vândalos. O último imperador, Rômulo Augústulo, foi deposto pelo líder Odoacro, que se tomou rei da Itália em 476 d.C. Entretanto, no Oriente, o império bizantino estava destinado a florescer por mais mil anos. Na ausência de um imperador romano, Leão, o bispo superior prevalecente, ganhou o título de Pontifex Maximus (Chefe Pontífice ou o Líder do Pontificado), e tornou-se o papa Leão I. Em 452 d.C., com uma corporação de monges desarmados, Leão confrontou o temido Átila dos Hunos e seu exército no rio Pó, no norte

da Itália. Naquela época, o império de Átila estendia-se do Reno cruzando a Ásia Central. Seus soldados bem equipados estavam prontos com carroças, escadas, catapultas e todos os apetrechos marciais para varrer tudo no caminho de Roma. A conversa durou poucos minutos, mas o resultado foi que Atila ordenou que seus homens esvaziassem os acampamentos e se retirassem para o norte. O que realmente transcorreu entre os homens nunca foi revelado, mas Leão, o Grande, estava destinado a exercer o poder supremo. Algum tempo antes, em 434 d.C., um mensageiro enviado pelo imperador bizantino Teodósio II encontrara o temido Huno em circunstâncias similares no rio Morava (sul da atual Belgrado). Ele dera a Átila o equivalente hoje a milhões de dólares como uma oferta pela paz no Oriente. O acordo do bispo Leão provavelmente foi muito parecido. Apesar disso, no Ocidente, enquanto o poder da Roma imperial desmoronava, o mesmo ocorria com o declínio da cristandade romana. Os imperadores tinham sido identificados com o Deus cristão, mas eles falharam. A supremacia religiosa fora trocada pelo chefe pontífice, mas a sua religião agora era minoria em um ambiente de gnósticos, arianos, nazarenos e da Igreja Celta, que se desenvolvia rapidamente. Segundo o Sínodo de Whitby e o seqüestro da Páscoa em 664 (veja p. 57), a Igreja Católica aumentou seu poder, porém, quando a nova supremacia papal foi testada em Dianothus, o abade de Bangor em Northwales respondeu que nem ele nem seus colegas reconheciam tal autoridade. Eles estavam preparados para reconhecer a Igreja de Deus, "mas, quanto a outras obediências, não consideramos que ninguém que seja denominado de papa, ou bispo dos bispos, possa fazer exigências". Uma carta anterior, escrita para o abade de lona em 634, referia inequivocamente a São Patrício da Irlanda como "nosso papa".

foi realizado um grande feito em 751 pelo papa Zacarias. O clero medieval produziu explicações dos manuscritos dos imperadores e papas do passado na companhia de Cristo .mesmo de Constantino. os bispos resolveram ligar Jesus ainda mais à sua instituição. O ERRO DE ZACARIAS Sem revelar sua fonte.Em um esforço para engrandecer o perfil da Igreja. Antes disso. que garantiu pessoalmente seu privilégio como o Salvador da humanidade. Zacarias produziu um documento previamente . para dar a tal imaginário seu ímpeto necessário.

eles eram os reis representantes dos francos. e .. toda a natureza e estrutura da monarquia mudou. com um palácio que se situava acima de todos os palácios do mundo. referem-se à visita do rei merovíngio Clóvis ao sepulcro de Maria Madalena em 480 d. O documento ficou conhecido como a Doação de Constantino e suas cláusulas foram introduzidas pelo Vaticano em 751. A primeira iniciativa do papa Zacarias. tinha o poder e a autoridade para criar reis e rainhas como seus subordinados. A carta de direitos deixava claro que o papa tinha o cargo de representante escolhido por Cristo. mas agora isso não ajudaria. Ele proclamava que o papa era eleito pessoalmente o representante de Cristo na Terra. Nos dias do rei Clóvis. em vez de servidores do povo.os merovíngios da Gália. eles tinham cabelos longos na tradição dos nazireados. Números 6:5. foi depor a antiga Casa Real da França . Ostentando uma descendência genealógica do rei Davi de Israel. e modelaram sua instituição na corte a partir do rei Salomão. As autorizações de patente de Luís XI.C. essa dinastia enigmática foi composta pelos lordes dos francos por 300 anos.desconhecido que tinha aparentemente 400 anos e levava a assinatura do imperador Constantino. Segundo o Antigo Testamento. e concedia a ele o estilo Vicarius Filii Dei (vigário do Filho de Deus). Sua dignidade garantida divinamente estava acima de qualquer outro govemante terrestre e apenas ele. o papa. No antigo estilo da tutela da nobreza. Em virtude disso. A partir desse momento. e Clóvis casara-se com a princesa borgonhesa Clotilde no centro de Ferrieres da Madona Negra. datadas de 1482. sob os termos dessa carta de direitos imperiais. os monarcas europeus eram coroados pelo papa. tornando-se servidores da Igreja. os merovíngios formaram uma aliança pacífica com a Igreja de Roma. deixando de ser o monar ca um representante da comunidade para ser apenas um govemante.

o único rei de destaque fora o avô de Martel. Os cavaleiros papais seqüestraram Childeric e encarceraram-no nas masmorras de um mosteiro. e carregavam o Leão de Judá em seus escudos. representavam grave ameaça ao regime papal.e na . no lugar dele. portanto. durante os 236 anos da monarquia carolíngia. onde ele morreu quatro anos depois. como apresentada nas antigas moedas de Jerusalém) para denotar sua linhagem. Ao todo. mas Zacarias tinha um novo conceito . que ninguém que tivesse dinastia real poderia ser deixado entre os judeus". o lendário Carlos Magno. Alinhado com o decreto do imperador Vespasiano do século I. sem falar que nunca deveriam ter se tornado uma dinastia dominante. uma nova tradição nascera. bispo de Reims. os merovíngios. e o Império Sagrado havia começado. a uma família de prefeitos regionais. depostos pelo comando papal sob a autoridade da Doação de Constantino.um império romano sagrado controlado pelo Vaticano. Todavia. sendo que seu último rei foi Childeric III. visto que eles eram Desposyni e. ao garantir domínio territorial para futuros reis. que revertera uma invasão moura perto de Poitiers em 732.não os reis territoriais da França. eles foram depois denominados carolíngios. De agora em diante. Deram posse. O plano de Zacarias era mudar essa tradição. O defunto Império Romano era uma relíquia na história. mas seus descendentes ainda ostentavam o trevo judaico da fleur-de-lis (flor-de-lis. apesar de sua proeminência como fundadores da monarquia francesa. nunca deveriam ter existido. que governariam (em vez de reinar) sob sua autoridade suprema. segundo Zacarias. Em seu esforço para manter as boas relações. os reis europeus eram coroados pelo papa . Descendentes do renomado Carlos Martel. Não havia lugar para os merovíngios. que tinha ordenado que "a família de Davi seria perseguida. Os merovíngios foram. Clóvis fora batizado por São Remy.

sua mãe era uma romana bem ciente de que esse mesmo medo existira no fim da era merovíngia.. com seus inúmeros anacronismos. por seu nomeado arcebispo de Canterbury. na época em que a Doação de Constantino fora implementada. Suas referências ao Novo Testamento referem-se à Bíblia Vulgata em latim . É tão diferente quanto o inglês moderno e o inglês de William Shakespeare (com uma quantidade de tempo similar entre elas). apesar de ser um doutor da lei canônica e de dizer que o papa estava. O pronunciamento de ato chegou como uma notícia bem-vinda para o governo do papa Silvestre II. tornando-se um forte . surgiram provas de que. que só nasceu em 340 d. na verdade. 26 anos antes de Constantino supostamente assinar e datar o documento. a linguagem usada na Doação. intimidado pelos bispos e assumiu uma posição de cardeal em 1448. Apesar de ato ser alemão.Inglaterra. em oposição aos bispos imperiais. a Doação de Constantino era uma total falsificação. A Escócia sustentou-se sozinha na resistência da invasão católica e seus monarcas continuaram sempre sendo reis dos escoceses. na realidade. Nicolau foi. de alguma forma. Intrigado pelo fato de que Constantino tivesse mudado sua capital de Roma para Constantinopla. Além disso.uma edição traduzida e compilada por São Jerônimo. Mas. e nunca reis da Escócia. mas o assunto foi ignorado e não se apresentou novamente até que o teólogo e filósofo alemão Nicolau de Cusa (1401-64) anunciasse que Constantino nunca escrevera a Doação. subordinado aos membros do movimento da Igreja. Cerca de 500 anos atrás. A Doação foi declarada fraudulenta pelo imperador saxão Oto III em 1001.C. ato reconheceu que isso era um estratagema para acabar com qualquer ambição merovíngia de centralizar seu reinado em Roma. no período da Renascença. tanto na forma quanto no conteúdo. refere-se ao século VIII e não chega nem perto do estilo de escrita da época de Constantino.

e a Igreja conseguiu sobreviver ao período do Iluminismo da . Isso levou outros eruditos da Renascença. em 1516. Como resultado. Ainda assim. Valla (1407-57) foi escolhido pelo papa Nicolau V para traduzir as obras de Heródoto e Tucídides do grego para o latim. escreveu: "Eu sei que por muito tempo os ouvidos dos homens estão esperando para ouvir a ofensa com a qual eu acuso os pontífices romanos. ele criticava duramente a Bíblia vulgata da Igreja e seus erros estratégicos na tradução dos antigos textos em grego. a reverter seus estudos da Bíblia para os textos mais originais. no século XV. Apesar disso. O resultado da investigação de Lorenzo Valias sobre a Doação de Constantino foi que ele a denunciou como uma farsa do século VIII. bem grande". Erasmo lançou a sua própria tradução para o latim do Novo Testamento em grego. que ele chamou de "uma visão de segunda mão". na verdade. Irritado pelo fato de que a elegância do latim clássico dera lugar a uma língua medieval deselegante (como exemplificado pelo corrompido e muito incompreensível estilo do latim da Igreja). Foi o artificio pelo qual a Igreja romana reverteu o poder político para si e obscureceu os Desposyni de Jesus e Maria Madalena após o colapso do império. Em seu relatório. como o humanista holandês Desidério Erasmo (1466-1536). e acreditava firmemente que o espírito da Antiguidade greco-romana fora perdido durante a Idade Média.defensor do papado! A Doação não foi mencionada publicamente até que sua autenticidade foi duramente atacada pelo lingüista italiano Lorenzo Valla. Mas ele não foi apenas um excelente erudito. Ela é. os debates surgiram a partir dos achados de Valla em 1450. e com isso expôs a vulgata como um documento habilmente mal traduzido. foi esse documento que facilitou um completo estilo inovador de realeza papal. foi também um ardente porta-voz da reforma da educação.

Mais tarde. Depois. ao investir neles uma grande. mas ele foi influenciado pela Igreja da Inglaterra e. seguindo os passos de Nicolau de Cusa. não há referências oficiais adicionais . a Sé Romana após a queda do império ocidental. a documentação mais importante daquela época apenas se refere ao legado do imperador do Palácio de Latrão. De sua implementação. Foi descoberto mais de cem anos depois pelo padre Murator. Coleman. Disseram que o documento fora apresentado por Constantino ao papa Silvestre I. A tarefa de expor a fraude foi assumida nos Estados Unidos por Christopher B. A decepção notável do papa Zacarias (em latim. a qualidade falsificada de Doação foi discutida de novo pelo ministro anglicano Henry Edward Manning (1808-92). isso representou mal a situação territorial dos papas. diretor da Comissão Histórica e do Bureau Histórico na Biblioteca Estadual de Indiana. mas em termos históricos. porém falsa. Portanto. tornou-se um membro do Conselho do Vaticano e cardeal arcebispo de Westminster. Ele produziu um comentário atualizado intitulado The Treatise of Lorenzo Valla on the Donation of Constantine (O Tratado de Lorenzo Valla sobre a Doação de Constantino). Apesar de a carta de direitos ter como objetivo ser uma garantia imperial do imperador Constantino do poder temporal no Ocidente para o papado. em particular. que trabalhava na biblioteca do Vaticano. em 751. denominando de hereges muitos dos grandes pensadores. o Constitutum Constantini) foi planejada especificamente para fortalecer o poder da Igreja e.Renascença. antiguidade. hoje principal obra autorizada sobre o assunto. o relatório de Valla (conhecido como o Declamatio) foi convenientemente perdido dentro do Arquivo do Vaticano. ele publicou seu livro The Temporal Power of The Vicar of Jesus Christ (O Poder Temporal do Vigário de Jesus Cristo) em 1862. outros beneficios e prédios para a recémplanejada Igreja de Roma. em 1924.

ÁGUAS-VIVAS Apesar de toda essa trapaça do Vaticano. uma reverência pública para Maria Madalena foi impossível de se conter. e um forte em Nimes.. com a viagem marítima de Maria representando a fonte dos Desposyni. Languedoc. Os espanhóis chamaram-nos de mouros. até que ela foi mencionada em uma carta escrita pelo papa Leão IX a Miguel Cerulario. os monges em La Sainte-Baume ficaram com muito medo. no século XII..à Doação. Esses muçulmanos de pele escura do califado de Bagdá logo assumiram o controle de toda a Península Ibérica e dominaram por cerca de 300 anos.C. Por causa disso. Entretanto. Foi profetizado em Zacarias 14:8 que "águas-vivas. devem sair de Jerusalém metade delas na direção do mar oriental.)" Os monges consideraram que era o manifesto em dois aspectos do Cristianismo. O conceito da herança dos Desposyni era muito importante para algumas famílias nobres e o legado de Maria foi confirmado de forma similar nos círculos monásticos. os cassianos guardaram as relíquias de La Sainte-Baume. e metade delas para o mar ocidental (. e na França ficaram conhecidos como sarracenos. em referência aos Cânticos de Salomão do Antigo Testamento (4:15). na costa da Marselha. o patriarca de Constantinopla em 1054. Por mais de mil anos. No início do século VIII. ela foi chamada de Ia Dompna del Aquae: a Senhora das Águas. Com a capital sarracena em Narbonne. . os árabes e bárbaros do noroeste da África fizeram várias incursões em Provença e no norte da Espanha. ele se tornou o principal documento da nobreza papal sobre toda a cristandade e seus monarcas. com os quais Madalena ficara totalmente associada. Eles até se referiram à origem de seu isolamento como "a fonte das águas-vivas". até a Renascença. de 411 d.

tendo Guilherme como líder. Havia uma importante base de Desposyni na cidade. na época em que o sul da França e a Espanha estavam sob o controle islâmico sarraceno. .Conseqüentemente. Guilherme cumpriu prontamente. era o recém-instaurado rei carolíngio da França e ele decidiu agir pedindo ajuda aos judeus de Narbonne. o monge inglês Teobaldo de Cambridge escreveu: Os líderes e rabinos dos judeus que moravam na Espanha reuniramse também em Narbonne. em estabelecer um império judeu no sul da França. Carlos. Ele ratificou o direito de Guilherme à soberania dinástica em Septimânia e obteve aceitação do califa de Bagdá e do papa Estevão em Roma. eles transferiram os restos de Maria de seu sepulcro de alabastro para um outro na mesma cripta: uma sepultura de mármore de São Sidônio. a casa davídica ainda existia na Septimânia e na Espanha. Em 1144. Mais de 300 anos depois. portanto. onde reside a Semente Real e onde são tidos na mais alta estima. surgiu a Doação de Constantino. Pepino concordou. liderada por Guilherme de Toulouse. que era o soberano reconhecido da Casa Real de Davi. Todos reconheceram Guilherme da Casa de Judá como o verdadeiro descendente do rei Davi na sucessão dos Desposyni. tornou-se o rei Carlos Magno dos francos em 771. Apenas 40 anos depois. e imperador romano sagrado em 800. O sacerdote de Carlos Magno. apesar de o reinado ter parado de atuar como um Estado autônomo. eles também puseram uma observação inscrita do que fizeram no túmulo. bispo de Aix. Como uma medida de precaução. Pepino. caso Guilherme ajudasse-o a expulsar os sarracenos da Espanha. e em 768 o império Septimânia foi fundado. O filho de Pepino.

Ele até conseguiu que a antiga igreja da abadia fosse transformada em uma magnífica basílica em 1096. à luz dessa falsa história.. mas quando. fez circular uma bula papal em 1103 para proclamar o novo local. Entretanto. Ele possui heranças e outras propriedades em terras dos governantes do país e ninguém pode desapropriá-lo. Maximus La Sainte-Baume. a notícia de que o túmulo de Maria estava vazio espalhou-se. o papa Pascoal II ficou pessoalmente entusiasmado com a perspectiva de um novo centro de peregrinação. um descendente da Casa de Davi.Em 1166. no século XI. os monges cassianos continuavam sua vigília em St. Felipe Augusto e . para sua surpresa. O bispo diocesano de Autun e Vézelay ficou preocupado com que. filho do grande Príncipe Todros.) Quanto a isso. são sábios. magnatas e princesas. como afirmado em sua árvore da família. Naquela época. O local obteve tanta fama que o rei Luís VII. na liderança deles está Calônimo.. Enquanto isso. debaixo do altar-mor. levara os ossos de Maria para um novo lar na abadia de Vézelay. sua adorada abadia do século IX pudesse tornar-se uma atração turística sem motivo. Então. convidando todos os católicos a se reunirem em Vézelay. a veneração a Maria Madalena estava intimamente associada à campanha das Cruzadas e. governador de Provença. ele solicitou à Santa Sé em Roma um decreto para evitar essa possibilidade. o cronista Benjamim de Tudela reportou que ainda havia propriedades importantes com os herdeiros davídicos: Narbonne é uma antiga cidade do Torá (. em 1190. onde eles os mantiveram na capela-mor. de memória abençoada. um falso rumor foi instigado. Foi dito que Gerard de Roussillon. a rainha Eleanor e São Bernardo de Clairvaux estiveram lá em 1147 para pedir a Segunda Cruzada na basílica. com a nobreza francesa e flamenga e um público de cerca de cem mil pessoas. Portanto.

para homenagear Madalena Abençoada. Apenas em 1254. O senhor de Joinville escreveu em suas memórias: Fomos para a cidade de Aix. junto com o Senhor de Joinville. até o estágio final. o rei Luís IX começou a imaginar qual seria a prova de que as relíquias de Maria estavam em Vézelay. ele se dirigiu para St.haviam sido muito enganados inconscientemente. Da investigação inicial de Carlos. Os arquivos dominicanos contam como Luís decidiu resolver o problema. em uma rocha muito íngreme e escarpada. é relatado: Ele chegou até St. da Inglaterra. junto com os membros das Cruzadas da Terra Santa e São Bernardo. Afinal de contas. Maximus sem nenhuma barricada. na qual dizem que a Sagrada Madalena morou muito tempo em isolamento. Maximus La Sainte-Baume. que fica cerca de um dia de viagem. UMA HERANÇA GÓTICA O rei Luís estava bastante irritado com o fato de que seus predecessores reais.Ricardo Coração de Leão. onde eles conseguiram obter um entusiasmo similar. na Provença. É claro que Luís descobriu que não havia verdades nesse boato e. o bispo de Autun (que estava no comando na época) negava veementemente que tal recebimento acontecera. Ele embarcou em uma aventura com seu sobrinho Carlos. onde os monges ainda resistiam. abade de Clairvaux . príncipe de Salermo e conde de Provença. anunciaram a Terceira Cruzada em Vézelay. que mais tarde se tornou o rei Carlos II de Nápoles e conde de Anjou. Fomos a um lugar chamado Baume.patrono e protetor dos cavaleiros do Templo de Salomão . acompanhado .

Foi registrado depois que. foi realizada uma assembléia com os prelados. cavaleiros e magistrados de Provença e cercanias. a noite e posto neste. condes. com vários prelados e outros. Carlos entrou no túmulo de S.por poucos cavalheiros de sua comitiva e. Uma cópia autorizada da inscrição e sua descoberta foi redigida pelo príncipe Carlos e assinada pelos arcebispos e bispos presentes. lugar de onde o corpo de S. ele removeu um registro de cortiça despedaçado. abriu uma trincheira na antiga basílica de Cassiano em 9 de dezembro de 1279. Havia apenas um pequeno . sob o conselho dos monges. enquanto outras partes do corpo eram apenas ossos". Na presença do rei Luís. Na frente de todas as testemunhas. dos bispos de Arles e Aix. Os detalhes da fraude de Vézelay tomaram-se conhecidos nessa convenção e. barões. Sidônia fora previamente retirado. Foi relatado que "a cabeça da santa estava perfeita. do qual fez uma cobertura para o pergaminho que foi posto no túmulo tempos depois pelos cassianos. Quando os sarracenos destruíram essa nação. o mais piedoso da França. o príncipe rompeu o lacre do sarcófago e o abriu. tendo interrogado os monges e os velhos. a fim de que as relíquias de nossa sagrada santa ficassem mais seguras contra o ultrajante sacrilégio dos pérfidos muçulmanos. Em 5 de maio do ano seguinte. em 18 de dezembro. no reinado de Eudes. no sexto dia do mês de dezembro. em 12 de maio de 1280. que é de mármore. Ele leu o documento: No ano de Nosso Senhor 710. os representantes foram levados para ver as relíquias de Madalena em La Sainte-Baume. o corpo de nossa adorada e venerada Maria Madalena foi removido de seu sepulcro de alabastro muito secretamente durante. Sidônia nove dias depois.

Carlos I de Anjou. foi posto em um relicário de prata recoberto por ouro sobre um pedestal. na cadeira de São Pedro. depois. o papa Bonifácio fez circular uma bula papal declarando que as relíquias eram os restos verdadeiros e autênticos de Santa Maria Madalena. Os outros ossos de Maria foram postos em descanso em um caixão de prata e. com o pergaminho original dos monges cassianos do século VIII. Eles se referiram ao fato como o lugar Noli me tangere . o solicitador geral e dois cônsules) assinou um ato para testemunhar o ocorrido. Entretanto. enviou sua própria coroa a Nápoles para que seu ouro e suas jóias pudessem ser usados. as declarações em juramento de todas as testemunhas nobres e eclesiásticas de Sainte-Baume forma apresentadas ao papa. como a Igreja de Roma fora responsável por perpetuar o mito de Vézelay. e uma comitiva do Tribunal de Cassação de Aix (incluindo o presidente. e somente cerca de cinco anos depois ele conseguiu uma audiência com Bonifácio VIII.fragmento de carne do lado direito de sua testa. sustentado por quatro leões. Então. nesse estágio.um lugar merecedor para exibir as relíquias. Antes disso. o úmero. o papa consagraria as relíquias para que fossem registradas. o príncipe Carlos separou os ossos de Maria em três partes. Ele autorizou Carlos (então rei de Nápoles e conde de Provença) a transferir o mosteiro de St. Máximo para a recém-constituída Ordem dos Dominicanos.uma alusão romântica ao local em que Jesus deve ter tocado Maria quando pediu que ela não se apegasse a ele após a ressurreição. Ele fez seu crânio envolvido em um magnífico busto de ouro. Em 6 de abril de 1295. Então. Seu pai. o osso superior do braço. Houve um financiamento para tornar possível a construção de uma grande basílica no local do antigo oratório cassiano . Carlos foi chamado para outras obrigações após a morte de seu pai. foi determinado que. com um vidro moldado cobrindo sua face. .

Maria foi escolhida como a padroeira da Ordem.fossem declarados excomungados. CAPÍTULO 6 Os GUARDIÕES DA RELÍQUIA A FILHA DA FRANÇA Os registros que temos estudado a respeito dos restos de Maria Madalena são os da Ordem Dominicana dos Pregadores. o papa Bonifácio recusou o apelo de Felipe sobre as relíquias de Madalena. Clerics laicos. ele fez outros acordos. Enquanto isso. Maximus La Sainte-Baume. em 24 de vereiro de 1296. e também que os príncipes que impusessem tais impostos principalmente o rei Felipe . que também era responsável pelo convento das Irmãs de Santa . na qual ele proibia ao sacerdócio de abrir mão dos rendientos eclesiásticos ou de propriedades sem a permissão da Sé Apostólica. Naquela época. mas levou diretamente a um dos episódios mais brutais e trágicos da história européia na Idade Média. o rei capetiano da França era Felipe IV (1285-1314). e a obra não foi totalmente concluída por cerca de 200 anos. o papa Bonifácio não era amigo desse voluntarioso monarca. Em tal ambiente conflitante. Parecia lógico e apropriado na época. Em vez disso. como instigado pelo papa Bonifácio VIII. e ele prontamente sustentou sua reivindicação real. A partir de 1295. que estava cobrando impostos ilegais contra o sacerdócio. um dos principais objetivos constitucionais era o projeto da basílica em St. Isso levou à bula papal de Bonifácio.Levou muito tempo além do período em que Carlos vivia para projetar e construir o majestoso edifício gótico. havia uma questão sobre o que fazer com o ouro e a prata que envolviam os tesouros. Entretanto.

Dos primeiros dias monásticos dos Santos Cassiano. eles foram um conveniente bode expiatório para os papas. havia uma contínua rivalidade . dissolveu e destruiu os mosteiros na Inglaterra. É bastante comum.freqüentemente uma inimizade entre os monges e o clero ortodoxo. que incluíam a conferência e a escrita dos registros históricos. Os sacerdotes gostando ou não. em particular). Martin. cardeais e bispos. os monges registravam os fatos até onde fossem capazes. França e Espanha. e não eram motivados pela propaganda ou pelo dogma eclesiástico estimulados politicamente. Benedito. Em contraste. E o abade beneditino Rábano registrou a fuga de Maria Madalena para a França.Madalena na Alemanha. Nos últimos tempos (junto com os franciscanos. quando ele autorizou o bispo Teófilo a saquear e queimar a antiga biblioteca de Alexandria. os dominicanos assumirem a culpa por muitas das atrocidades da Inquisição católica. Henrique VIII. com referência ao estilo de vida esbanjador dos clérigos episcopais. os verdadeiros responsáveis pelas abomináveis perseguições. O regime monástico foi cruel e rigoroso. dos Tudor. Os monges eram disciplinados ao extremo e isso ficava aparente em suas responsabilidades. e eles geralmente compreendiam as diferenças entre a história e a desilusão dogmática. Foi precisamente a mesma tática que havia sido empregada pelo imperador Teodósio em 391 d. enquanto que o monge dominicano Pere Lacordaire publicou os arquivos do . nos trabalhos teológicos acadêmicos modernos. os monges haviam se empenhado em compilar e relatar fatos históricos..C. O erudito beneditino Cressy e o monge celta Gildas escreveram sobre as visitas apostólicas à Britânia. Como João Cassiano dissera: "Os monges deviam evitar os bispos a todo custo". na tentativa de anular a educação histórica em favor de suas próprias idéias e conceitos. Por esse motivo. Columba e Patrício. Sua ambição era libertar seu reino das bibliotecas e das obras de arte monásticas.

um frei dominicano trouxe isso a mim com base em uma matéria da televisão alguns anos atrás (veja página 36).Sainte-Baume dos dominicanos. Ninguém. Esses são exemplos de como os eruditos monásticos discordavam nos assuntos de prática educacional do clero ortodoxo. ele se tornou um defensor da liberdade religiosa e da imprensa livre. ele foi editor do diário L'Ere Nouvelle . em 1848. hinos e leituras das Escrituras. mas passou a maior parte dos seus últimos anos escrevendo uma série de trabalhos baseados em . ele entrou na Ordem Dominicana e foi convidado para a principal arena literária da Académie Française. O padre Jean-Baptiste-Henri Dominique Lacordaire (1802-61) é descrito na Enciclopédia Católica como o "maior orador de púlpito do século XIX". os monges estavam mantendo sua virtude e protegendo seu esconderijo. Subseqüentemente. Lacordaire foi muito respeitado e. Ele continuou com isso em conferências similares em Metz e Toulouse. ofereceram a ele o púlpito da catedral de Notre Dame de Paris. Antes de se tornar um frei dominicano. caso ele percebesse qualquer tipo de manipulação política ou religiosa. e seu estilo aberto de oratória tornou-se famoso. em 1835. depois da revolução da Segunda República. ele foi educado como um advogado e atuou com sucesso em tribunal por vários anos. Apesar disso. onde proferiu uma série de conferências espantosamente controversas. ele falou sobre assuntos nunca antes ouvidos nos limites de uma igreja. como mencionado na Introdução deste livro. no curso disso. e estava especialmente preocupado com os assuntos da história religiosa que não eram discutidos. Por um tempo. Na verdade. ordenado arcebispo de Paris.A Nova Era -. Enquanto os bispos da Igreja estavam ocupados denunciando Maria como prostituta e ocultando seu legado. Mas. estava a salvo do ataque de sua caneta ou de suas palestras críticas. advogado ou clérigo. monarquista ou liberal. Abrindo mão de rezas.

seguiram esse exemplo. no século XIII.Santa Maria Madalena -.aspectos desconhecidos dos registros da Igreja. O rei Luís XI (1461-83) via Maria como "uma filha da França pertencente à monarquia". Entre estes. Anne da . Maximus Ia Sainte-Baume. Carlos VIII e Luís XII. Seus sucessores. no qual ele recontou a escavação do sepulcro de Maria em St. estava seu livro Sainte Marie Madeleine . Os anais dominicanos falam de muitas pessoas famosas que fizeram peregrinações para La Sainte-Baume.

Construída no estilo clássico de um templo ateniense. Luís XIV chegou com sua mãe Anne da Áustria. Dentro dessa igreja há uma pequena relíquia de Madalena - . nada menos que oito papas tiveram registro de passagem no local. Com vista para a Praça de Ia Concorde. em 4 de fevereiro de 1660. François I (1515-47) fez amplas adições para o Hospital para Estrangeiros de Sainte-Baume. Na segunda-feira de Pentecostes em 1822. Nunca antes um santuário santificado atraíra tanta atenção promissora. Em um único dia. com exceção a urna de cristal. por uma urna de cristal de alabastro. Eles presidiram a substituição do caixão de prata de Maria com as pequenas relíquias. os reparos necessários tinham sido concluídos e cerca de 40 mil pessoas reuniram-se para testemunhar o arcebispo de Aix devolver as relíquias de Maria. La Saint-Baume sofreu alguns danos durante a Revolução Francesa (1789-99). rezando dentro do santuário. em 1842. durante a construção da basílica. Mais tarde.Britânia (sucessivamente a esposa dos dois monarcas) teve um figurino com pouco ouro. feita especialmente para isso e enviada de Roma pelo chefe dos dominicanos. além do obelisco de Luxor. no curso de apenas um século. onde a "Madame Ia Guillotine" tinha feito seu trabalho na Revolução. que se perdeu. Em 1622. cobertas por ouro e prata. quando cidadãos incontroláveis tentaram demolir tudo que era considerado sagrado em sua terra. a fachada da igreja refletia o prédio da Assembléia Nacional. e seu sucessor Carlos IX deixou mais heranças para a fundação. esse monumento napoleônico autorizado por Lucien Bonaparte refletia a febre Madalena que varria todo o país. a imponente igreja de La Madeleine foi concluída perto do rio Sena. em Paris. cinco reis chegaram de diferentes partes da Europa e. Luís XIII prestou homenagem a todo o local sagrado e. do outro lado da praça. Mas as principais relíquias foram preservadas. para seu local de direito.

. Ele foi escrito na linguagem copta do Alto Egito durante os primeiros tempos do Cristianismo. embora seu título seja geralmente usado no todo. Anthony Askew. Ele foi. em 1785. com palavras e terminologia que deixavam claro ter sido composto originalmente em grego . O manuscrito consiste de 178 folhas (356 páginas) de pergaminho e é apresentado em duas colunas com. Comprado dos herdeiros do dr. Em essência. O texto em copta de Pistis Sophia preserva muitos aspectos da Antiguidade. A cena ocorre em 44 d. ele também é conhecido como o Askew Codex. o Pistis Sophia é um diálogo entre Jesus e seus apóstolos.como os Evangelhos do Novo Testamento. Maria Madalena foi associada à sabedoria da imortal Sofia (veja página 41). 32 linhas por coluna. O título mais correto para a completa compilação é Books of the Saviour (Livros do Salvador). A SABEDORIA DA FÉ Nos círculos gnósticos. em média. adquirido pelo Museu Britânico de Londres em 1785. Esse antigo tratado é um amálgama de seis obras. ao lado de sua mãe. mas sim o alfabeto grego suplementado por símbolos que repre sentavam certos sons vocálicos. mas em vista da subseqüente perda da uma e a execução de Luís na Revolução. mas não foi escolhido para fazer parte do Novo Testamento. de Maria Madalena e de Marta.C. onze anos após a . ele foi passado para o arcebispo de Paris em 1810. originalmente. das quais apenas a segunda está corretamente denominada de Pistis Sophia. O copta era uma forma vemácula dos egípcios que não usavam mais os hieróglifos. um presente para o Duque de Parma.um pedaço do osso removido da uma de alabastro a pedido de Luís XVI. Um documento que deixa isso bem claro é o Pistis Sophia (A sabedoria da fé). de sua irmã Salomé.

pois ela fala muitas vezes". respondendo mais tarde. Jesus diz a ela: "Tu és ela. que é citado apenas 14 vezes. por exemplo. com seu nome sendo citado mais de 150 vezes. mas quando Maria Madalena dá sua primeira resposta. dizendo: "Meu Senhor. Maria surge como aquela com a maior empatia com a imortal Sofia. porque é no mesmo ano que Maria Madalena parte para seu exílio em Provença. associada a ela. e não deixa que nenhum de nós fale. A fim de desenvolver a compreensão de seus companheiros acerca dos elevados mistérios da salvação. Essa é uma data particularmente importante. O texto começa assim: Mas aconteceu que. Um por um. cujo coração está mais dirigido para o Reino dos Céus do que todos os teus irmãos". . passou 11 anos falando com seus discípulos. As séries de conversas do tipo perguntas e respostas se referem "às palavras que Pistis Sojhia disse". Maria Madalena tem grande destaque. para sempre. eles obedecem. Maria diz: "Eu temo Pedro. e Jesus pede a cada um deles que dêem as suas interpretações sobre os mistérios da sabedoria. porque ele me ameaça e odeia a nossa raça". mas. não somos capa zes de tolerar essa mulher que tira a nossa oportunidade. Na verdade. e foi. E ele os ensinou apenas até os lugares da primeira ordenança e até os lugares do primeiro mistério. comparando-se a Pedro. após Jesus ter ressurgido da morte. onde eles participaram de uma sessão de perguntas e respostas. Jesus refere-se a Maria Madalena como "sua pureza da luz". Jesus censura Pedro por isso. Jesus levou-os até o Monte das Olivei ras. Pedro fica irritado pelo fato de que Maria esteja assumindo o controle e desafia Jesus.crucificação e ressurreição de Jesus.

Subseqüentemente. a fraternidade mais poderosa e de prestígio na Idade Média foi a Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e o Templo de Salomão. Com isso. feita pelo artista espanhol do século XVI Nicolas Borras (veja ilustração 18). Hugues é formalmente apontado como Grão Mestre. em janeiro de 1129. os Templários escavaram o Templo de Jerusalém. Sob a direção de Hugues de Payens (um primo do Conde de Champagne).O SOPRO DO UNIVERSO Desconsiderando a Igreja e sua variedade de monarquias criadas (coroadas segundo a Doação de Constantino). São Bernardo é pintado recebendo Maria em Provença na pintura simbólica Santa Maria Madalena com São Domingos e São Bernardo. o castelo de Maria e Marta". recuperando a riqueza dos manuscritos e itens preciosos do tesouro em 1127. onde todas as precauções puderam ser tomadas. Em uma forma abreviada. ele especificou uma condição para a "Obediência de Betânia. essa ordem de cavaleiros franceses e flamengos era uma unidade de monges guerreiros dedicada a Cristo comparável à Ordem dos Cavaleiros do Hospital de São João de Jerusalém. no histórico Templário do Conselho de Troyes. No seu retorno para a França. as duas tornaram-se conhecidas com os nomes Templários e Hospitalários. Criada durante a primeira Cruzada. sob a proteção do conde de Champagne. que era centrada nos batistas. Alguns dos tesouros de Jerusalém foram escondidos antes da . seu patrono e protetor São Bernardo de Clairvaux escreveu: O ato foi concluído com sua ajuda e os Cavaleiros foram enviados em uma jornada pela França e Borgonha. e São Bernardo fundou a Constituição e os Regulamentos da Ordem. evitando toda a interferência pública ou da autoridade eclesiástica.

e então abriu túneis laterais entre eles para identificar as paredes mais baixas e todas as fundações do Templo. havia grandes espaços para armazenamento e uma série de cavernas e cisternas habilmente projetadas. Suas paredes inferiores ainda estavam intactas. eles foram conselheiros e banqueiros para monarquias e parlamentos em toda a Europa e o Levante. as relíquias de Madalena foram postas lá e ali permanecem até hoje (veja Ilustração 53). os Templários tornaram-se a organização de maior sucesso financeiro que o mundo já conheceu. quando a basílica de St. onde descobriram um impressionante labirinto subterrâneo de corredores e passagens espiraladas. Com esse tesouro ressuscitado para formar uma base de garantia.. Eles então avançaram ainda mais fundo para as rochas de calcário. Na ramificação deles. Na verdade. em um curto espaço de tempo. Na década de 1860. em 1894. contra o domínio da Roma imperial.invasão de Nabucodonosor da Babilônia em 584 a. a fundação quadrangular do Templo original do rei Salomão foi descoberta. A documentação referente às relíquias de Madalena explica que. e uma recompensa particularmente interessante desse empreendimento da construção de túneis foi a descoberta de uma cruz templária.C. o explorador britânico Charles Warren realizou extensas escavações debaixo do Templo do Monte de Jerusalém para a Fundação de Exploração da Palestina. Mas onde elas estiveram antes disso e a quem o papa . e suas técnicas de construção eram bem diferentes daquelas do Segundo Templo e de suas extensões hasmoneanas e herodianas. e os registros da Fundação sobre o projeto são muito reveladores. e alguns durante a Revolta Judaica no século I. Maximus Ia Sainte-Baume foi consagrada e aberta no fim de 1400. o complexo subterrâneo foi totalmente mapeado pelos engenheiros militares britânicos. Logo depois. A equipe escavou um número de poços dentro da rocha. Durante o curso disso. uma espada templária quebrada e outros itens do século XII.

é claro. para serem protegidas. Ele já possuía uma fortuna em empréstimos da Ordem e. Isso. usado na fabricação dos brilhantes vitrais góticos. estando praticamente falido. após sua expedição a Jerusalém. que explicou que seu método de produção de vidro incorporava o Spiritus Mundi o sopro . sem dúvida.foi. e seria justo que os Templários fossem honrados com a custódia das relíquias como uma forma de reparação. o cisterciense abade de Clairvaux. Conseqüentemente. os Templários pareciam estar bem interessados na produção do ouro da quintessência.citado por Nicolau Flamel e outros químicos como a Pedra Filosofal . Eles foram projetados pelos filósofos persas da escola de Ornar Khayyam.Bonifácio VIII as confiou enquanto a obra do prédio estava sendo realizada. o busto de ouro contendo seu crânio. Outro motivo para agir assim foi seu horror ao que aconteceu durante a fraude de Vézelay. ele embarcou em uma campanha de ódio contra os Templários e contra o papa Bonifácio. cuja solicitação fora negada. viu o fato com grande temor. tinha sido totalmente ludibriado pelo falso boato. vindo de St. e agora eles também tinham as relíquias de Madalena . Maximus Ia Sainte-Baume. enfureceu o rei Felipe IV. a partir de 1295? Em razão da situação suprema dos Templários e da segurança de suas instalações bancárias. que ele sabia ser muito maior que o seu. Parece que as propriedades antigravitacionais desse exótico material eram de valor significativo na construção da notável catedral gótica de Notre Dame da França. Também temia o poder político e esotérico. São Bernardo. Como foi dito em Os Segredos Perdidos da Arca Sagrada. e Felipe temia o conhecimento científico dos Templários. em 1295 Bonifácio passou as relíquias para a Ordem. Esse poder monoatômico . Junto com o rei Luís VII e alguns outros.incluindo o prêmio maior. Felipe foi convencido de que eles tinham levado a Arca da Aliança de volta para Jerusalém.

e foi mais tarde gratificado Grão-Mestre. Bertrand de Blanchefort. Para facilitar o acesso à propriedade. os Templários precisavam de um suprimento de acesso fácil de ouro aluvial. Não é insignificante observar que a fraternidade Templária da época rcferia-se a esse ramo de atividades como Ormus. que transmite todos os tipos de cores interiores.folhas de pergaminhos em uma maleta de couro de porco . A terra ao redor de Bézu era rica em ouro quase à superfície nas antigas minas . o hermetista Sancelrien Tourangeau escreveu: Nossa pedra tem duas vezes mais qualidades surpreendentes.exatamente o que eles precisavam para o processo de transmutação. em 1153. como nas janelas da Saint-Chapelle em Paris e nas de suas igrejas de Saint-Gatien e Saint-Martin na cidade de Tours. foi trazido para a Ordem.cósmico do Universo.foi depositado na Bibliotheque Nationale em 1795 pelo mosteiro de . arquiteto e alquimista cujo Album de croquis . Quando discutia os vidros dos cistercienses Templários no século XVI. na região do Languedoc. e eles o encontraram em Bézu. Nós retornaremos a esse assunto mais tarde em nossa investigação (veja p. o seu dono. A INQUISIÇÃO O clérigo conselheiro dos cistercienses Vilars Dehoncort de Picardy estava associado com as atividades herméticas dos Templários no início de 1200. 189). Hoje (desde a redescoberta dessa ciência oculta. com referência ao vidro. Primeiro. Ele era o geômetra. há apenas algumas décadas) a substância misteriosa é classificada pelos fisicos como orme (elementos monoatômicos reorganizados orbitalmente). Para fabricar o exótico material Ormus.

Avalia-se que seja um dos mais sagrados projetos da Terra. jamais ousou tentar qualquer profanação em Chartres. ele era Mestre do Palácio Sagrado em Roma. filósofo. James em Paris. Ela estava lá desde a Idade Média. o Grande . Notre Dame de Lumiere (Nossa Senhora da Luz). O clero católico do século XVII temia tanto os labirintos Templários que destruiu muitos deles . incluindo o projeto do famoso labirinto de Chartres. Sens em 1768. hermético e químico experimental Albertus Magnus (Alberto. Germain. onde ele era Mestre de estudantes na universidade. junto com seu colega São Tomás de Aquino (também um filósofo nato). Ela também representa o pigmento vermelho-arroxeado de óxido de ferro que foi usado no início da Renascença e ainda pode ser obtido atualmente como Caput Mortuum com fornecedores de artigos para arte. Alberto escreveu muito sobre a natureza do Ormus. Reims em 1778 e Arras em 1795. O padrão foi obtido de um manuscrito alquímico grego do século II e era dedicado à deusa padroeira da França.1206-08) também foi associado aos Templários no período Bézu. cônego de Chartres. Membro da Ordem de 1223. Saudado como o "Leonardo gótico". ensinando no Capítulo Geral em Valenciennes e também na Faculdade de St.não porque ele era uma "cabeça morta" (como diz o termo em latim). Mas Jean-Baptiste Souchet. mais preservado e mais mágico de todos os labirintos do período medieval. a pedra dos filósofos. mas por causa da técnica alquímica usada para a preservação.Paris de St. Caput Mortuum era o termo para uma substância roxa encontrada no processo de fazer o pó Ormus. Ela permanece até hoje como o maior. Dehoncourt referiu-se ao crânio envolto em ouro de Maria Madalena como o Caput Mortuum .em Auxerre em 1690. que morreu em 1654. O renomado teólogo. Esse valioso artefato contém muitos dos desenhos arquitetônicos dos principais pontos das catedrais góticas. confirmando . Albertus ainda tinha uma outra ligação com os dominicanos.

armou o assassinato de Bonifácio VIII. deixando-os sem apoio. Maio e Bézu. Felipe suspeitava que a Arca e as relíquias de Madalena eram mantidas nesse local. os escudeiros de Felipe atacaram. Conseqüentemente. o Grão-Mestre da Ordem era Jacques de Molay. na sexta-feira 13. em outubro de 1307. William de Nogaret. foi envenenado pelo advogado de Felipe. o plano de Felipe era isolar totalmente a fraternidade de Bézu. O que ele precisava era de um papa que pudesse ser manipulado para garantir a ele a liberdade necessária. Portanto. Henri de Montfort. arcebispo de Bordeaux. Sete cavaleiros foram encarregados de levar a notícias às posiçõeschave. que foi alertado para impedir a Inquisição. Bento foi então substituído. sem superiores com exceção do papa. as atividades Templárias antes espalhadas em Bézu concentraram-se em uma importante preceptoria que se tornou um local importante nas proximidades de Campagne-sur-Aude. As suas intenções chegaram ao lorde de Chaplain de Lu Buzadiere. incluindo Paris. Naquela época. mas ele não contava com a rede de inteligência dos Templários. St. mas visto que os Templários tinham garantido a própria autonomia de Estado. Em 1296. Bertrand de Got. Guidon de Montanor. cujo sucessor. Gentilis de Foligno. Pièrre Yorick de Rivault e Cesare Minvielle. em 1305. A maior parte dos tesouros dos Templários estava nas catacumbas da . não havia muito o que fazer em termos de um ataque direto em Bézu. que se tornou o papa Clemente V. Bento XI.que as buscas da Alquimia eram as mais importantes dentro das fraternidades interligadas na época. os cavaleiros foram levados para Aragon para fornecer guarda permanente como sentinelas. pelo próprio candidato de Felipe. Eles eram Gaston de Ia Pierre Phoebus. Com um novo papa sob seu controle pessoal. Louis de Grimoard.

Quando seus homens chegaram ao preceptório e às oficinas alquímicas em Bézu. do lado de fora. sob qualquer circunstância de suborno ou coação. Jacques arrumou tudo a tempo para que o tesouro de Paris fosse removido por uma frota galesa de La Rochelle. As testemunhas eram pagas para fornecer provas contra eles. interrogados. Na prática. também era tarde demais para o rei Felipe.um aspecto básico disso era obter o compromisso daqueles cavaleiros ao que não estavam cientes do ataque de Felipe. mas nenhuma era a que Felipe queria ouvir. e algumas declarações muito esquisitas foram obtidas. uma das acusações de Felipe era que os cavaleiros tinham posse de uma cabeça que era venerada em cerimônias. uma vez que a prova fosse dada. enquanto. que hoje está no Château de Versailles. as . torturados e queimados. No curso disso. mas obteve pouco sucesso. naquela época. A maioria dos barcos foi para a Escócia e outros para Portugal. William de Nogaret instituiu procedimentos torturantes de interrogatório para tentar descobrir onde ela era mantida. Um por um. estava sob a autoridade da corte espanhola de Aragão. para serem aprisionados. Mensageiros iam rapidamente a toda parte com a mensagem de alerta. Ele e alguns oficiais importantes permaneceram na França para dar continuidade ao trabalho . muitas das testemunhas desapareciam sem deixar vestígios. o lugar estava deserto. mas em muitos casos era tarde demais. os Templários de Paris surgiram com histórias diferentes. o rei francês não tinha o direito de estar lá. Mas.cenário do famoso quadro dos Templários com a Arca da Aliança em 1147. Os Templários foram seqüestrados por toda a França. Em sua tentativa de encontrar o crânio de Madalena. Entretanto.Casa do Capítulo de Paris . visto que Bézu. Felipe fez uma lista de acusações contra a Ordem. com a primeira acusação sendo de heresia.

o véu de Verônica. O que ele queria saber era onde estava. Era barbado. Então Guillaume mudou de idéia e disse que era uma bela cabeça de mulher. de madeira. era João Batista. Rainer de Larchant confessou que realmente havia uma cabeça. o Pergaminho de Cobre faz um inventário e dá a localização dos tesouros de Jerusalém e do cemitério do Vale Kedron. O fascinante Habakkuk Pesher faz um comentário sobre as personalidades contemporâneas e sobre os importantes .era tudo que fosse possível imaginar! Mas tudo isso era inútil para Felipe. três rostos. O Manual da Disciplina detalha leis e práticas legais juntamente com seus rituais. era Hugues de Payens. Entretanto. outros diziam que era um galinho. Dentre os textos mais importantes. calvo. um bode ou um demônio terrível demais para se descrever. Guillaume d'Arbley disse que era um homem barbado. Hugues de Piraud disse que a cabeça também tinha quatro pernas. um fator constante era que os cavaleiros que sabiam sobre o que era a discussão estavam de comum acordo. uma virgem pura. era Santa Úrsula. Alguns diziam que era a cabeça de um gato. Ele sabia exatamente o que era."testemunhas" e aqueles que tinham tentado infiltrar-se não tinham uma pista sobre o que era. O ídolo tinha um rosto. O CÓDIGO DE BAFOMÉ Os Manuscritos do Mar Morto são hoje a ajuda mais efetiva para compreender a cultura judaica da era pré-Evangelho.O Pergaminho da Guerra contém completa visão de táticas e estratégias militares. todos a chamavam de "Bafomé". de prata. dois rostos. era uma pintura . e descreve a importância de um Conselho de Doze. escolhidos para preservar a fé da Terra. Quando questionados sobre a misteriosa cabeça.

As cidades Sodoma e Gomorra. onde os Manuscritos do Mar Morto foram encontrados. incorporando tradições da época dos Evangelhos. dois anos antes. uma enorme cisterna e um labirinto de condutores de água. Eles ficaram conhecidos como a "Biblioteca de Nag Hammadi"*. dois irmãos camponeses estavam cavando em um cemitério perto da cidade de Nag Hammadi. foi descoberto que alguns dos textos tinham originais bem antigos. quando encontraram um grande vaso selado contendo 13 livros amarrados com couro. com mais de nove metros de comprimento. Também há na c. mas como cidades de grande sabedoria e aprendizado. um outro achado significante da era pósEvangelho foi feito no Egito. escritas em copta na tradição gnóstica cristã. Eles tendem a retratar um ambiente bem diferente daquele descrito na Bíblia. Em dezembro de 1945. Com referência ao nosso objetivo. não são apresentadas como centros de perversidade e sensualidade. Incluídos em 52 tratados separados. estão vários textos religiosos e Evangelhos desconhecidos. com salas de reunião. Na verdade.desenvolvimentos da época. é o mais longo pergaminho e alguns séculos mais antigo que qualquer outra cópia conhecida dessa obra do Antigo Testamento. bancos de gesso. As folhas de papiros continham um sortimento de escrituras. Um vasto complexo monástico de segunda habitação também foi revelado. O Museu copta no Cairo certificou-se de que os escritos santos eram. Além dessas descobertas. Durante a década de 1950. de fato.oleção um esboço completo do livro de Isaías que. cópias muito mais antigas escritas originalmente em grego. por exemplo. Na sala do . mais de mil sepulturas foram desenterradas em Qumran. eles descrevem um mundo no qual Jesus dá a sua própria visão da crucificação e em que a verdadeira natureza de sua relação com Maria Madalena é revelada de maneira impressionante.

eles foram amplamente feitos com duas camadas de significado (a escritura evangélica na superficie e a informação política embaixo). estavam tinteiros e restos de mesas nas quais os pergaminhos haviam sido planejados . Essa correlação é especialmente manifestada nos comentários dos escribas sobre os Salmos e sobre os livros proféticos tais como Nahum. Êxodo. antecedendo qualquer coisa a partir da qual a Bíblia tradicional tenha sido traduzida.escriba. sendo atribuídos significados especiais relevantes para a compreensão contemporânea. Deuteroriômio e Jó. que ocorre nos textos do Evangelho especialmente com relação às parábolas anunciadas com as palavras "para aqueles com ouvidos para ouvir". eles se referem a livros como o Gênesis. Os essênios eram treinados no uso desse código alegórico. estão algumas das escrituras mais antigas já descobertas. A técnica aplicada para ligar tais escritos do Antigo Testamento com o Novo Testamento foi baseada no uso do Conhecimento Escatológico . De interesse particular estão os comentários bíblicos compilados pelos escribas.alguns com mais de cinco metros de comprimento. e as mensagens cuidadosamente dirigidas eram geralmente baseadas na substituição dos códigos estabelecidos pelos escribas de Qumran. uma obra para o conhecimento do código não estava disponível até que alguns dos Manuscritos do Mar Morto fossem publicados. Esses significados eram feitos para serem entendidos apenas por aqueles que conheciam o código. Assim como Isaías. Muitos dos manuscritos bíblicos do Antigo Testamento foram encontrados em Qumran. Habakkuk e Hosea. Dentre esses livros. Apenas depois deles . Para que os Evangelhos estivessem além da compreensão dos romanos. de forma que relatam os textos do Antigo Testamento para os eventos históricos de seu próprio tempo.uma forma de representação codificada que usava palavras e frases tradicionais. Entretanto.

mas muito simples. Ao estudar os códigos dos escribas dos Manuscritos com relação aos aspectos do Antigo Testamento. Ele foi o primeiro judeu a fazer uma tradução histórica e objetiva do Novo Testamento do grego para o inglês . e o código trocava as primeiras 11 letras pelas últimas 11 em ordem inversa. Assim (como ATBSh) era chamado de Atbash. Hugh Schonfield chegou a um código específico que era muito usado. o dr. ele imaginou que talvez os Templários também tivessem adquirido um documento dos essênios para a explicação. ele . O motivo de ele ter feito isso foi porque a palavra apareceu primeiramente nos registros do século XIV da Inquisição dos Templários. Um especialista em estudos do Oriente Médio e ex-presidente da Sociedade dos Cidadãos do Mundo (Commonwealth of World Citizens) e da Liga de Arbitragem Internacional (International Arbitration League). Um dos estudiosos que trabalharam para decifrar os Manuscritos do Mar Morto foi o dr. e ele sabia que os Templários tinham trazido muitos dos antigos manuscritos de Jerusalém em 1127. Schonfield aplicou-o para a estranha palavra usada pelos Templários: "Bafomé".houve um conhecimento da técnica oculta. O alfabeto hebreu tem 22 letras. Assim como os Manuscritos do Mar Morto tinham trazido o código Atbash para iluminar os tempos modernos. e bet = shin.uma obra que recebeu os maiores elogios pela sua exatidão. Com o nosso alfabeto. Transcrevendo a palavra "Bafomé" para o hebreu. o Y pelo B. o X pelo C e assim sucessivamente. facilitando uma consciência muito maior da inteligência política que estava velada nos textos do Evangelho. Em hebreu isso ficaria aleph = tau. Schonfield foi indicado para o Prêmio Nobel da Paz em 1959. Hugh Schonfield. O código foi usado para colher grande quantidade de informação escondida dentro dos textos das Escrituras. mas a grande surpresa veio quando o dr. isso significaria que o Z seria substituído pelo A.

Parece que. no fim dos anos de 1400? A resposta para isso será revelada mais tarde em nossa história. que era definido em hebreu como Chokmah. surge a questão: quem ficou com a relíquia. e converteu-o imediatamente para "Sofia". O dr.o próprio significado do nome Sofia em grego. fica aparente que a relíquia de Madalena tinha estado com os Cavaleiros Templários na época em que o papa Bonifácio VIII fundou o prédio da basílica de St. Schonfield tentou uma outra abordagem. nem estavam em desacordo entre eles quando faziam a descrição da relíquia. o símbolo do homem barbado representa o Homem Cósmico. ao darem essas provas aos inquisidores. com a qual os Templários estavam bem familiarizados.aplicou o código Atbash. usando Bafomé = Sofia = Sabedoria = Madalena. Chokmah significa Sabedoria . os Templários não estavam dizendo inverdades. Mas. Na cultura judaica medieval da Cabala. de 1307 até que a nova basílica fosse aberta. Maximus. e outras disseram ser um homem barbado. Nesse estágio. . Em uma tradução direta. Como algumas das vítimas entre os Templários admitiram que sua relíquia era de uma bela cabeça dourada de mulher. visto que os Templários saíram da França em 1307. Schonfield concluiu seu relatório com o comentário: "Parecem haver poucas dúvidas de que a cabeça da bela mulher dos Templários representa a Sofia em seu aspecto feminino de Ísis. e ela era ligada a Maria Madalena na interpretação cristã". então o dr. em 1295.

CAPÍTULO 7 OS TEXTOS EXCEPCIONAIS MARTA No Evangelho de João. Porém. Apesar de o Evangelho de João estar sozinho em muitos aspectos. os . Marcos ou Lucas. Esse é reconhecido como um dos primeiros milagres e declara-se ter sido o motivo de o sumo sacerdote José Caifás e os fariseus terem ficado com medo de Jesus e "tomarem o conselho para o matar" (João 11:47-53). a história não aparece em Mateus. com toda a sua aparente importância como um dos motivos do julgamento e da crucificação de Jesus. há uma citação de Jesus levantando um tal de Lázaro de Betânia do seu túmulo.

Foi no decorrer dessa revolução que o cronista histórico Flavius Josephus tornou-se o comandante militar da Galiléia. Apesar de tomado público depois dos outros três. a palavra gospel é uma tradução anglo-saxônica do grego.C. os Manuscritos do Mar Morto indicam que ele foi composto por volta de 37 d. Com isso. . ele tem seus próprios enfoques que preservam sua diferenciação dos Evangelhos Sinóticos. Johannis Marcus. Pedro e Paulo tinham sido executados pouco antes pelo imperador Nero e os cristãos eram tratados com brutalidade em Roma. quando os judeus da Judéia estavam em revolta contra seus soberanos romanos. Marcos é o Evangelho mais importante. e significa exatamente a mesma coisa. haveria grande chance de também estar em Mateus e Lucas. Em inglês. Nesse contexto. que os escritores de Mateus e Lucas usaram como referência. O Evangelho original de Marcos foi escrito em Roma pelo colega de São Paulo. Além do conflito na Judéia.C.."trazer boas notícias"). sendo muito influenciado pelas tradições dos essênios da era herodiana. O objetivo dos Evangelhos era levar a mensagem evangélica (grego: eu-aggelos . no estilo e no conceito.para levar um elemento de esperança em tempos dificeis. O sacerdote do século II Clemente de Alexandria confirmou que ele foi promulgado em 66 d. Se a história do retorno de Lázaro estivesse em Marcos. Isso vem do grego syn-optikos: "(vendo) com o mesmo olho". que apareceram pouco depois naquele século. João incluiu numerosos pequenos detalhes que não aparecem em toda parte um fator que tem levado muitos estudiosos a concluir que ele é um testemunho mais preciso. A Revolta Judaica foi o principal motivo de o Evangelho de Marcos ter sido aberto para domínio público no Império Romano .outros três geralmente referem-se aos Evangelhos Sinóticos. O Evangelho de João difere dos outros no conteúdo. referido nos Atos 12:25 e 15:37 como João Marcos.

Rubens. não há muito em Marcos que também não apareça nos outros Evangelhos Sinóticos. Há também um mural em homenagem à visita do rei Clóvis à antiga capela em 500 d. ela aparece no documento Pistis Sophia junto de Maria Madalena. Entretanto. Brueghel. e não aparece na cruz nem no sepulcro com a mãe de Jesus e suas acompanhantes. Construída sob a fonna de um barco invertido.Há alguns itens em Mateus e Lucas que não aparecem em Marcos. a mãe Maria e Salomé. Marta fica irritada por ter de fazer todo o serviço. os pilares simulam mastros e as obras de arte que retratam a viagem de Madalena adornam a nave. ela está igualmente envolvida nas discussões da Sabedoria com Jesus. Maria Madalena e Marta são tidas como irmãs de Lázaro. Tintoretto e Velázquez. . conversando. por exemplo. e foi mais tarde citada como estando com Madalena em Provença.C. 11 anos depois de sua ressurreição. Ela não é citada em lugar nenhum como uma discípula constante de Jesus. Nessa curta história. Com referência a isso. enquanto Maria senta-se aos pés de Jesus. Os restos de Marta estão em uma igreja dedicada a ela em Tarascon. Essa passagem e a de Lázaro são as únicas ocasiões em que Marta aparece no Novo Testamento. Entretanto. na província francesa de Vienne. mas ele inspirou vários quadros de artistas importantes como Venneer. Elas também são vistas como irmãs na visão de Lucas sobre a visita de Jesus à casa de Marta. A Natividade. é totalmente ignorada em Marcos e João. Há apenas cinco versículos registrando esse rápido episódio (Lucas 10:38-42). Por que então o escritor de Marcos não incluiu algo tão importante quanto o fato de Lázaro ter voltado dos mortos? Por que João é o único Evangelho a trazer essa história? Na visão de João. enquanto em Mateus e Lucas contêm elementos que em Marcos não tem.

as vésperas da igreja incluem as palavras" Veni. quando ela tomou sua lamparina. levou óleo com ela. até hoje. Com referência a Marta. Sponsa Christi. vá encontrar-se com ele. quam tihi Dominus prreparavit in reternum" (Venha. . ela foi com ele para o casamento. o Noivo chegou... E à meia-noite houve um grito: Vejam.C. pois. E quando o Senhor chegou.Segundo o testamento de São Cesário de Artes (470-542 d.). o Colegiado da Igreja de Santa Marta foi chamado originalmente de Saneta Mariae de Ratis (Santa Maria do Barco) e. noiva de Cristo. é adicionado esse Capítulo: Essa é uma das sábias virgens de quem o Senhor cuidou. receba a coroa que o Senhor preparou para ti para sempre). aecipe eoronam.

levando o título de almah (donzela) como discutido no Capítulo 4. de fato. ela era a irmã do sacerdote Simão-Lázaro. o Evangelho de Marcos terminava no atual Capítulo 16. Marta não era uma irmã de Maria Madalena. é aceito que os 12 versículos finais de Marcos 16. Marta e Lázaro eram. foram anexados como uma adição recém-escrita pelos bispos do conselho de seleção do Novo Testamento depois de 397 d. Marcos 16:8 concluía o Evangelho com Maria Madalena e outras mulheres deixando o sepulcro vazio de Jesus. em grande extensão. 291). o Evangelho guia para os outros três sinóticos.Como a nobre distinção de "Maria". é importante verificar que há duas irregularidades muito grosseiras em sua estrutura. Por conseguinte. Marta significava "Senhora" e a diferença entre Martas e Marias era que às Martas era permitido terem propriedades. versículo 8. quando o Novo Testamento foi conferido. OMITINDO AS EVIDÊNCIAS Considerando que Marcos foi. A segunda é que ele não inclui uma parte que estava na versão original. No século IV. Maria Madalena era a irmã de devoção. enquanto às Marias não. a casa de Betânia em Lucas 10:38 é citada especificamente como sendo a casa de Marta. antes da narração dos fatos pós-ressurreição.C. Os versículos extras foram adicionados com duas funções . A primeira é que a versão divulgada inclui itens que não estão disponíveis nos antigos manuscritos gregos. com seu diferente estilo literário. tios de Maria por parte de mãe (veja o quadro "Linhagem do Santo Graal" p. Esses manuscritos menores são parte do Codex Vaticanus e do Codex Sinaiticus do Arquivo do Vaticano. Como foi originalmente firmado. a designação de "Marta" também era referente a um título. Atualmente.

C. Dentro de um livro das obras do século I de Santo Inácio de Antióquia estava a transcrição de uma carta escrita pelo sacerdote Clemente de Alexandria (150-215 d. descobriu um intrigante manuscrito do patriarca ecumênico de Constantinopla. Jesus ressuscitado instrui seus apóstolos homens: "Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura". Na explicação . Ele decretou que alguns dos conteúdos originais de Marcos tinham de ser omitidos porque eles não estavam de acordo com as exigências ortodoxas. essa é a outra Única referência bíblica sobre esse tema.específicas. na Biblioteca da Torre do monastério de Mar Saba. Smith tinha sido encarregado de catalogar a coleção da biblioteca. Na verdade. não a irmã de Jesus Sara-Salomé). Morton Smith. no igualmente falso Marcos 16:15. como foi referenciado em Lucas 8:2. professor falecido de História Antiga na Universidade de Colúmbia. é um dos prédios mais espetaculares construídos na Judéia. Esse mosteiro. foi revelado recentemente que uma parte importante com referência a Maria Madalena. A carta de Clemente tratava de um grupo não-ortodoxo chamado Carprocrations. que se inspirava nos ensinamentos de Marta e Salomé (que é Helena-Salomé. Mais uma vez. O falso Marcos 16:9 é uma lembrança estratégica dos sete demônios de Maria. essa manobra tira com êxito Maria Madalena e outras mulheres da imagem evangélica e retoma a prerrogativa masculina do movimento. Teodoro. Em 1958. com terraços descendo um penhasco para o Vale Kedron. e acabou fazendo uma descoberta extraordinária. perto de Qumran.) Ela estava endereçada a seu colega. a esposa de Simão-Lázaro. e incluía uma pequena parte desconhecida do Evangelho de Marcos. mas tem o efeito de desvalorizar a situação de Maria nesse estágio crucial dos procedimentos. Em contraste direto com essa narrativa adicional. Marta e o retorno de Lázaro tinha sido removida do Evangelho de Marcos antes de sua inclusão no Novo Testamento. Sobre isso.

A parte retirada de Marcos tem Lázaro chamando Jesus de dentro de seu túmulo. assim que soube que Jesus estava chegando. levantou-se rapidamente e foi até ele. entretanto. mas deve negá-Io sob juramento. alguém deve conceder que o Evangelho secreto é de Marcos. nem quando eles passam para a frente suas falsificações. Com a volta de Lázaro tendo sido retirada de Marcos por São Clemente. a passagem parece ser direta o suficiente . sua irmã. Para eles.. pois nem todas as coisas verdadeiras são Verdades. quem ama a Verdade não deveria concordar com eles. (Marta) chamou Maria. uma pessoa nunca deve ceder. mesmo antes de a pedra ser colocada. João 11:20-29 descreve: Então Marta..apenas agora em João. e que o ato de Jesus "fazendo-o levantar-se" não foi um milagre sobrenatural da forma que normalmente é retratado. relata o comportamento de Maria Madalena durante esse evento. secretamente dizendo: O Mestre está chegando e chama por ti. foi e encontrou-se com ele.Marta .para o motivo dessa exclusão. mas além disso. Nenhuma razão é arriscada para o comportamento indeciso de Maria. ela não aparece em Mateus nem em Lucas . nem deve essa verdade que parece verdade segundo as opiniões do homem ser preferida à verdadeira Verdade que está de acordo com a fé. Assim que ela ouviu isso. Mas Maria ficou sentada em casa. Pois nem todas as coisas verdadeiras podem ser ditas para todos os homens. A principal diferença entre João e a visão secreta de Marcos. Clemente escreveu: Pois. mesmo que eles (os Carprocrations) dissessem alguma verdade. Isso deixa bem claro que o homem não estava morto no sentido físico.

Ele explica que Maria realmente saiu da casa com Marta na primeira ocasião. o Leproso.. o Fariseu. Em 32 d. Também é necessário compreender o uso biblico da palavra "morte" nesse contexto. O fato é que. Nas próprias palavras de Clemente.algumas vezes chamados de Kananites (fanático. precisamos olhar para uma descrição maior que a desse episódio. como esposa de Jesus. em grego). fazendo parte de uma revolta mal-sucedida contra o governador romano Pôncio Pilatos. em vez de a casa de Lázaro em João. a Verdade foi exposta em vez de conduzir à alternativa "a verdade segundo a fé". mas então foi punida pelos discípulos e mandada para dentro para esperar as instruções de Jesus. mais detalhado. foi expressamente evitado por deixar a realidade marital aparente demais. Ela não foi autorizada a deixar a casa e cumprimentar seu marido até que recebesse seu consentimento expresso para fazê-lo. nos Evangelhos de Marcos e Mateus (o homem chamado Simão. O . A omissão da história de Lázaro se deu porque a explicação da posterior unção em Betânia de Jesus por Maria Madalena ocorreu na casa de Simão. o cananeu. em Lucas). Na lista apostólica de Mateus 10:4 e de Marcos 3:18. o incidente foi descrito com mais detalhes na parte omitida de Marcos. Maria estava presa a um código rígido da prática nupcial. o Zelote). antigo fariseu. mas Maria ficou nela até ser chamada por Jesus.C. Simão foi contra as autoridades. mas o texto de Marcos.deixou a casa. Para compreender a relevância disso. A visão de João deixa Maria em seu lugar de direito sem explicação. enquanto em Lucas 6:15 e Atos 1:13 ele é chamado de Simão Zelote (Simão. como determinada pelos códigos dos escribas dos Manuscritos do Mar Morto. Entretanto. O homem citado como Lázaro era o amigo e apóstolo de Jesus. ele nos é apresentado como Simão. Simão. Os zelotes eram combatentes da liberdade e defensores da guerra com Roma .

disseram a Jesus que Simão estava "doente" (João 11:3). e chamou-o sob esse nome diferente. os soldados de Pilatos mataram os reclamantes conhecidos. foi que Pilatos tinha usado fundos públicos para melhorar o suprimento pessoal de água. liderada por Simão Zelote. Aproveitando essa oportunidade. Jesus não tinha poderes para tal ato. Jesus resolveu assumir um direito sacerdotal e fez a libertação no evento. Em princípio. que apoiara Zelote na ação contra Pilatos. Herodes-Agripa caiu em uma discussão com as autoridades romanas. No caso de Lázaro. Apesar de o período da morte espiritual (o quarto dia após a excomunhão) de Simão ter chegado. Antipas contrariou a ordem de condenação e instruiu que Simão deveria ser ressuscitado. a revolta tenha fracassado e Simão foi considerado fora-da-lei por um decreto do rei Herodes Agripa I. E foi assim que Lázaro (Simão . como relatado por Josephus em As Antiguidades dos Judeus. Entretanto. Uma revolta armada seguiu-se imediatamente. Entretanto. Talvez. pois apenas o sumo sacerdote ou o padre da comunidade poderia realizar a ação de levantar (a ressurreição). Uma reclamação formal foi feita contra ele na corte e. a condenação era uma forma de morte por decreto a execução espiritual de um excomungado social (semelhante à excomunhão). para aparecer no seio de Abraão. ele confirmou a morte espiritual de Simão na lista como a do camareiro de Abraão. Marta e Maria sabiam que sua alma estaria condenada para sempre se ele não fosse aliviado (erguido) no terceiro dia. isso levava quatro dias para a aplicação completa. enrolado em uma mortalha. Enquanto isso. e Jesus não podia fazê-lo. e era figurativamente referida como "morte". inevitavelmente. Eliezer (Lázaro). como conseqüência. e então. preso e "deixado para adoecer até a morte". perdendo sua jurisdição por um curto período para seu tio Herodes Antipas. o excomungado ficava despido. Sob a lei judaica.motivo para o levante. Dessa forma.

De acordo com as crenças de Madalena. Na linguagem da antiga Provença. a esposa de Cristo". Na discussão dos registros históricos da Idade Média sobre os sectários cátaros no sul da França. um elfo fêmea era um albi (elbe ou ylbi) e albi era . A descrição de "Simão. Conseqüentemente isso explica a estranha situação de um leproso receber amigos de prestígio em sua fina casa (Mateus 26:6 e Marcos 14:3). um panfleto controverso referente a Jesus e Maria Madalena foi editado pelo frei dominicano Antoine Dondaine. a matéria foi compilada do diário Archivum Fratrum Praedicatorum . Intitulado Durand de Huesca et Ia polémique anti-cathare (Durando d'Osca e a polêmica anticátaros). Foi então que (como em João 11:47-53) o sumo sacerdote cananeu e os fariseus "tomavam o conselho para o matarem". na verdade. Um século antes da Inquisição dos Templários. mas Herodes Antipas então obrigou a hierarquia a anuir na fait accompli . Dondaine relatou que eles acreditavam que "Maria Madalena era.Zelote) levantou-se dos mortos sem a sanção oficial do sumo sacerdote."os hereges". os cátaros de Languedoc (noroeste de Marselha no Golfo de Lion) foram as maiores vítimas entre os cristãos heterodoxos . A GRANDE HERESIA Em 1959.uma revisão anual do Instituto Histórico Dominicano em Roma. do padre ou do Tribunal Supremo dos Sábios (Sinédrio). eles eram defensores da herança dos Desposyni e referiam-se à linhagem messiânica como os albi-gens.e. o Leproso" aplica-se porque ele era considerado um leproso pela comunidade. esse evento politicamente sem precedentes foi realmente um milagre. e era visto como horrivelmente sujo por sua excomunhão. para as pessoas em geral. como eram chamados. Jesus tinha zombado grosseiramente das regras da sociedade do Templo.

o nome dado ao principal centro dos cátaros em Languedoc. Diziam que eles eram os guardiões de um grande e sagrado tesouro associado a um conhecimento fantástico e antigo . Em 1208. que transcendia o Cristianismo. mais de 200 reféns foram presos a estacas e queimados vivos. Isso foi em homenagem à herança materna da dinastia do Graal do sangue real davídico conhecido como o Sangréal. na verdade. no ano seguinte. mas seu propósito era totalmente diferente. (Apesar do uso mitológico anglo-saxão da palavra "elf” [semita: elef]. Foram enviados para exterminar a seita ascética dos cátaros (os puros) que. a doutrina dos cátaros era essencialmente gnóstica. na terminologia do Antigo Testamento ela está relacionada ao líder de uma tribo do rei). levando dezenas de milhares de vidas e culminando em um massacre repugnante no seminário de Montségur. Em termos religiosos. Na verdade. O massacre durou 35 anos. Como os Templários. os cátaros eram explicitamente tolerantes com as culturas judaicas e muçulmanas. eram pessoas incrivelmente espirituais. A região de Languedoc era aquela que formara o reino judeu da Septimânia no século VIII e foi infiltrada nas tradições de Lázaro e Maria Madalena. Apesar de suas convicções não serem ortodoxas em comparação com as buscas pelo poder de Roma. em 1244. os cátaros foram muito advertidos pelo papa Inocêncio III por comportamento não-cristão. os condes de Toulouse eram censurados pelo papado por permitirem o . que acreditavam que o espírito era puro. segundo o papa e o rei Felipe II da França. mas que a matéria física era suja. Então. eram hereges abomináveis. Eles estavam enganosamente adornados com a cruz vermelha da Cruzada da Terra Santa. um exército papal de 30 mil soldados foi para a região sob o comando de Simão de Montfort. onde. considerada por eles a Mãe do Graal do mundo cristão. o temor do papa com referência aos cátaros era provocado por algo bem mais ameaçador.uma sabedoria unicamente esotérica chamada de Sapientia.

as testemunhas traziam provas em declarações falando da "Igreja do amor" dos cátaros e da persistente devoção à missão de Jesus. um centro importante da poesia lírica trovadoresca e das "Cantigas de Amor". sendo agredidos com várias acusações de blasIemia e de desvio sexual. por tudo isso. como seus vizinhos católicos.o que incluía a maioria das pessoas em Languedoc. a região era um Estado semi-independente. Os cátaros também apoiavam a igualdade dos sexos. pregando sem licença e sem impor condições para nomear os padres. Naquela época. apesar de geograficamente fazer parte da França. O decreto de aniquilação referia-se não só aos cátaros místicos. Tinham até uma tradução da Bíblia para sua própria língua. Politicamente. e. tendo o Conde de Toulouse como seu soberano. estava mais Iigada com a fronteira norte da Espanha. Além disso. Ainda assim. de fato. a sociedade de Languedoc era notadamente mais tolerante e mais cosmopolita. não possuíam as igrejas ricamente adornadas. e a moral é pura". Eles acreditavam em Deus e no Espírito Santo. recitavam a Oração do Senhor e tinham uma sociedade exemplar com seu próprio sistema de auxílio para escolas e hospitais de caridade. Toulouse e Provença. eram condenados e violentamente contidos pela Inquisição católica (formalmente instituída em 1233). São Bernardo de Clairvaux dissera: "Nenhum sennão é mais cristão que os deles. A região era. Contrariando as acusações. Em termos práticos. o exército papal chegou disfarçado de uma missão santa para erradicar a comunidade da região. Foix.trabalho de judeus em cargos públicos. que floresceram sob o patrocínio dos condes de Béziers. Em contraste com o clima de submissão predominante na Europa Ocidental. e a população que não fazia parte dos cátaros beneficiava-se igualmente de seus esforços altruístas. mas a todos que os apoiassem . As línguas clássicas . a langue d'oc (vem daí o nome da região). os cátaros eram simplesmente não conformistas.

De todos os cultos religiosos que surgiram nos tempos medievais. em 1691. os bispos romanos temiam que os cátaros estivessem em posição de derrubar as doutrinas da Igreja ortodoxa. a cruel campanha foi chamada de Cruzada Albigense. um reformista ativo na época de sua eleição como Superior de St. O ARQUIVO DE MADALENA Anteriormente. foi recusado.eram ensinadas junto com a Literatura. o Catarismo foi o menos ameaçador. rei da Septimânia. há outros textos antigos que diferenciam Maria em um aspecto menos comum. Anteriormente. quc citava Maria Madalena e os apóstolos em uma aula com Jesus em 44 d. e havia apenas uma solução para um regime fanático e desesperado. mas tudo isso mudou em 1209. quando as tropas do papa chegaram aos pés dos Pireneus. Entretanto. Guilherme de Toulouse de Gellone. e o fato de os cátaros terem sido associados com um conhecimento antigo em especial não era uma novidade. Filosofia e Matemática. Essa é a Madalena que Hipólito e os pré-cristãos romanos referem-se como Apostola Apostolorum (Apóstola dos Apóstolos). assim como no secreto Evangelho de Marcos. Conseqüentemente. estabelecera sua Academia Judaica em Languedoc mais de quatro séculos antes. A região era relativamente rica e comercialmente estável. o historiador . falamos sobre o tratado Pistis Sophia do Codex Askew.C. feito pelo convento dominicano em La Sainte-Baume. Em 1969. Entretanto. (veja p. Maria foi formalmente santificada pela Igreja Católica (comemorada no dia 22 de julho). Maximus Ia Sainte-Baume. Esse movimento por parte dos dominicanos franceses foi instigado por Fra Michaelis de Provença. 98). a frase usada foi "matem a todos". Em alusão ao apoio dos cátaros dos albi-gens dinásticos (a linhagem real). mas é interessante notar que no século XVII um pedido para isso.

honrado". escreveu (quando ele chegou em 22 de julho): "Maria Madalena. Depois da obra em St. ele adicionou um aparte pessoal para Maria: "Tu és boa o suficiente para nos dar a honra de nos tratar como filhos e irmãos. Também na década de 1320. que foi artisticamente retratada com São Domingos. O mosteiro foi então entregue às freiras. Esse afresco. A mãe de Jesus. que tinham fundado seu convento em 1872. que fez as entradas santas para cada dia do Ano Dominicano. Por volta de 1320.. Testemunhos disso são encontrados na iconografia geral de Maria Madalena. Contente-se. o dia de Maria Madalena foi comemorado em toda a Ordem Dominicana em 1297. o bispo dominicano de Savona patrocinou uma representação de si mesmo com Maria Madalena ao artista italiano Simone Martini. tomou posse do santuário de Sainte-Baime dos cassianos em 20 de junho de 1295 e. autor de A liturgia dominicana. Maximus Ia Sainte-Baume do rei Carlos II de Nápoles. dando às duas Marias a situação de igualdade. Guilherme de Tonneins. Como Fra Mortier. O primeiro superior dominicano. e o lugar de sua penitência. a mãe protetora da Ordem dos Pregadores". os monges permaneceram lá até 1957. juntamente com seu conselheiro e confessor Pierre de Lamanon. além de um curto período durante a Revolução Francesa. como recomendado pelo Capítulo Geral de Bolonha. pois os preciosos restos de seu corpo serão guardados. o franciscano Teobaldo Pontano patrocinou um retrato extraordinário dele com Maria Madalena a Giotto di Bondone. também com a afiliada dominicana Santa Catarina de Siena. na Capela de Madalena . a Ordem dos Pregadores é guardada por Madalena".Thomas Souéges. colocou com tanto talento: "O corpo de Madalena está guardado pelos Pregadores. Então. mas Maria Madalena foi colocada como paralelo na Mãe Protetora. Maria. que visitou La Sainte-Baume em 1376. tinha sido sempre a Mãe Protetora da Ordem Dominicana.. Sicília e Provença.

Isso está. Entretanto. e não deveria ser atribuído a uma pecadora (voltaremos a esse assunto das regras para a arte no momento certo).da Igreja de São Francisco de Assis. como vimos no retrato do ovo vermelho (ilustração 14).C. Para uma mulher. com a revelação do Pistis Sophia. retrata um subordinado de Pontano na companhia de uma Madalena de capa vermelha proporcionalmente gigante (veja ilustração 17). O mentor dominicano de Pere Lacordaire. usar um manto vermelho era não só uma blasfêmia. esses últimos só . Nos círculos dos conventos. Seu fundador. com os monges cassianos de Marselha. de acordo com a opinião da Igreja ortodoxa. Como resultado disso. Naquela época. afirmando que "vermelho é a cor da fé". visto que o vermelho é a cor dos cardeais. mas só no século XVIII. morou em Belém quando os bispos católicos do Imperador Constantino estavam compilando o Novo Testamento no Concílio de Cartago. os Evangelhos. e mais recentemente. Isso novamente era inaceitável para a Igreja romana. João Cassiano. Na verdade. as cópias eram queimadas e escondidas em várias partes do Império. em 397 d. também era comum pintarem Maria Madalena usando um hábito branco. com as descobertas em 1945 dos 52 textos de Nag Hammadi. significava luxúria e devassidão das Mulheres Escarlates. é que alguns desses documentos secretos vieram à luz. de certa forma.C. as epístolas e outros textos não selecionados para a inclusão canônica eram sentenciados à destruição. fez um sermão importante sobre os retratos de Madalena em 1787. a diferença era que o Vaticano não reconhecia isso com referência à mulher. Cassiano sabia exatamente o que havia nesses manuscritos com referência a Maria Madalena. Um detalhe importante para se ter em mente com referência ao persistente envolvimento monástico com Maria Madalena é que tudo isso começou em 410 d. São Tomás de Aquino. visto que o branco era a cor da pureza.

junto com dezenas de milhares de outros documentos agora desenterrados da época do Antigo Testamento. Para facilitar esse processo. cenários diferentes são apresentados. que significa "escolha". mas ele não pode atuar em um ambiente de livre-arbítrio e escolhas. e em que os Freis Pregadores Dominicanos sempre confiavam. O que temos agora são as alternativas . A fé cega não é mais uma opção viável. Em alguns exemplos. mas deve ser uma escolha informada. em outros casos.500 anos o Novo Testamento canônico da Igreja era a única fonte disponível da escritura cristã.foram publicados em tradução na década de 1970 e por mais de 1. mas. Assim. pois agora há novos pesos a serem considerados. os temas são outros. é impossível para o dogma da Igreja carregar o peso que tem sido a sua tradição há tanto tempo. a escolha deve prevalecer.opções para basear os julgamentos. uma acusação de heresia era a negação da escolha. O dogma é um sistema obrigatório de aceitação. énecessário estudar tanto o material não . No período da Inquisição. OS EVANGELHOS ESQUECIDOS Com base nas descobertas recentes. tais como as coleções do Mar Morto e Nag Hammadi. É claro que as pessoas estão no direito de acreditar no que escolhem. ou as ignoramos para continuar no antigo caminho. Não é possível desafiar um dogma de um lado e introduzir um novo dogma do outro. serve como base para o que se acreditava há muito tempo. A palavra "heresia" deriva do grego hairesis. Apenas muito recentemente ficamos cientes do que João Cassiano sabia. Ou vamos fundo nas provas. Hoje. mas a documentação recémdescoberta lança uma nova luz sobre muitos aspectos da história da religião. era uma ofensa desobedecer à regra de Roma e às opiniões dogmáticas dos bispos.

mas sem nosso consentimento) por aqueles investidos de interesses particulares muitos séculos atrás. O aspecto importante de O Diálogo do Salvador. apesar de eles estarem em qualquer lugar no contexto de "Q". é uma outra sessão de perguntas e respostas. vamos considerar alguns dos livros que não foram escolhidos para o cânone . Os outros discípulos ficavam ofendidos com isso e expressavam a desaprovação. A discussão é. Mateus. mas outros não.obras selecionadas como contrárias por um motivo ou outro. há uma venda aparente sobre a intimidade deles no Novo Testamento. levemente cabalística e semelhante à doutrina do Graal no sentido de que sua mensagem concentra-se na salvação e na realização pessoal da Luz. com Jesus. Tadeu e Maria Madalena. no qual a relação entre Jesus e Madalena é discutida abertamente: E a consorte do Salvador é Maria Madalena. é que o texto retrata Maria Madalena como uma visionária criteriosa. Daremos uma olhada rápida em como foi feita a seleção do Evangelho do Novo Testamento. não é esse o caso do Evangelho de Felipe. Mas. conhecidos como "Q" (de quelle. em alguns aspectos. Ela é baseada em uma ampla coleção de ditados de Jesus.e conhecido como O Diálogo do Salvador. Muitos desses ditados aparecem em João e nos Evangelhos Sinóticos. a apóstola que está acima dos outros e "a mulher que sabia tudo". Diziam a ele: por que a amas mais que a nós? O Salvador respondeu e disse a eles: por que não os amo . Entretanto. no sentido de "origem"). com referência ao nosso tema.canônico quanto os documentos selecionados (em nosso nome. mas em um ambiente mais limitado. teria sido familiar a João Cassiano . antes. Além do fato de dizerem que Jesus amava Maria Madalena. junto com o Pistis Sophia. Um dos textos que. Mas Cristo amava-a mais que a todos os discípulos e costumava beijá-Ia freqüentemente na boca.

o Evangelho não fala de sua mãe nem de nenhuma outra pessoa citando nome . ele tem uma ênfase diferente em muitos aspectos e dá um destaque especial ao papel de Maria Madalena. do funeral e da ressurreição de Jesus. Grande é o mistério do casamento. Ao relatar a visão da mulher no sepulcro de Jesus. a menção do beijo na boca é especialmente relevante. no Alto Egito. o texto refere-se apenas a "Maria Madalena e à outra Maria". em um outro versículo. Como muitos outros desses pergaminhos. Entretanto. o beijo é o assunto da primeira entrada de Cânticos de Salomào no Antigo Testamento.diz apenas que Maria Madalena "levou suas companheiras com ela e foram para a sepultura em que ele estava". um conteúdo fascinante foi preservado de uma tradição que data do século lI dos cristãos anatólios de Rhossus. Apesar da referência específica "consorte" (esposa real) e a importância do casamento nessa passagem. Talvez o livro mais importante de todos seja o Evangelho de Maria . Ele foi encontrado em 1886 pela Missão Arqueológica Francesa do Cairo no túmulo de um monge em um antigo cemitério em Akhmim (Panópolis). pois sem ele o mundo não existiria. Fazendo parte do processo nupcial. Fora isso. porque melhor é o seu amor do que o vinho". Outro texto intrigante está no Evangelho de Pedro. as folhas estão bem despedaçadas e muito foi perdido. do casamento. O Evangelho de Pedro segue as linhas dos Evangelhos do Novo Testamento ao contar a história da crucificação. que começa: "Deixe que ele me beije com os beijos de sua boca. Agora a existência do mundo depende do homem e a existência do homem.. Então. Ele se retaciona especificamente aos sagrados oficios da noiva e do noivo e não era o marco do amor extramarital ou da amizade na sociedade judaica.igual a ela?.

ela só foi traduzida e publicada em 1955. Ambos eram textos cópticos. mas uma cópia anterior fora descoberta no Cairo por um estudioso alemão. em 1896. Em virtude das duas Guerras Mundiais. uma grande parte se perdeu . . ao todo. O Evangelho. alguns dos apóstolos não tinham conhecimento do ocorrido. Apesar de ter sido possível juntar muitos textos do que foi encontrado. declarando que. depois.Madalena. mas. Esse texto fazia parte do achado de Nag Hammadi. dois fragmentos mais antigos em grego foram descobertos. Carl Reinhardt. dr. por um curto período.dez páginas. como está. começa no Capítulo 4 do original. na época em que a segunda cópia foi encontrada. Ele relata o período imediatamente após a ressurreição de Jesus.

Em vez disso. Não há necessidade de pesar. dizendo: como poderemos ir até os gentios e pregar o Evangelho do reino do Filho do Homem? Se foram cruéis com ele. diz a Maria: "Irmã. e irá protegê-Ios". tenham coragem. sabemos que o Salvador a amava mais que a qualquer outra mulher. não serão cruéis conosco?" Tendo conversado com Jesus no sepulcro. Maria Madalena foi capaz de replicar: "Parem de chorar.A descrição mostra que os apóstolos "choravam copiosamente. pois a graça dele estará com vocês e ao redor de vocês. então. Diga-nos tudo o que possa lembrar que o Salvador disse quando estavam sozinhos . Pedro.tudo o que sabe .

concordando com André. mas também que ela foi aceita no mundo de dominação masculina e parece ter tido muitas vantagens sobre Pedro.) Tu sempre foste de temperamento quente. esses documentos.. não é de se admirar que os bispos do imperador Constantino tenham resolvido excluir esses e outros Evangelhos semelhantes. mas que nós não sabemos". onde está a mente. se o Salvador a considerou valiosa. adicionou: "Ele realmente teria falado em particular com uma mulher e não abertamente conosco?" Assim: Maria chorou e disse a Pedro (. apesar dos constantes decretos de perseguição e assassinato dos imperadores.. estavam no mesmo caldeirão. Os herdeiros Desposyni de Jesus e Maria Madalena foram as maiores ameaças para a máquina imperial. na verdade. Mas. André respondeu e disse para os irmãos: "Diga o que quiser dizer que tenham dito. para rejeitá-Ia? O Salvador com certeza a conhece o suficiente. Eu não acreditarei que o Salvador tenha dito isso".. há o tesouro". Nessa seleção textual.dele. Levando em consideração esses comentários. Agora te vejo discutindo com a mulher como se ela fosse inimiga. vimos . Quando nos deparamos com dezenas de Evangelhos e textos para considerar no Concílio de Cartago. Pedro. pois. em cujo nome a Igreja romana baseou sua fundação. e outros como eles.) Achas que eu pensei tudo isso sozinha. ou que não estou dizendo a verdade sobre o Salvador? Levi respondeu e disse para Pedro (. Eles não só mostravam Maria Madalena como muito mais importante historicamente.. a família dos herdeiros e a Igreja nazarena ainda exerciam grande influência dentro do império. Maria contou que Jesus lhe dissera: "Abençoada seja você por não tremer com a minha visão. quem és tu. Então.

apesar de basicamente contarem a mesma história. a história básica de vida e da missão destinada a Jesus é comum a todos. que é comum a dois deles. porém. E. Um bom exemplo de como os Evangelhos diferem entre eles aparece logo no início. há muitas discrepâncias na forma pela qual essa explicação biográfica é conduzida. uma visionária que ia além dos outros. com a Natividade. quando questionados sobre a posição favorecida que ela recebia no decorrer das coisas pelos apóstolos enciumados. Jesus respondeu com uma lição sobre a importância do casamento! Havia apenas uma forma para a Igreja imperial excluir tais manuscrilos. como muitos podem imaginar. trechos que explicam que ele a beijava freqüentemente e a amava mais que aos outros. eles nem sempre estão de acordo. a mulher que sabia de Tudo e aquela cujo coração estava mais dirigido para o Reino dos Céus do que todos os seus irmãos. Ela foi chamada de Apóstola dos Apóstolos.referências a Maria Madalena como consorte de Jesus. Os bispos tinham de inventar um novo documento para o consumo Pllblico . nasceu o Novo Testamento. . que não os incluísse. CAPÍTULO 8 As MULHERES E A IGREJA UMA QUESTÃO DE DATAS Um fato curioso sobre os Evangelhos do Novo Testamento é que.um livro da Fé estrategicamente organizado. então. Entretanto. oficial e compulsório. tais como o casamento em Caná e o caso de Lázaro. Há algumas características únicas. desde que eles sejam excluídos da equação. Acima de tudo.

que morreu no ano hoje classificado como 4 a.C. nós sabemos que o Herodes em questão era Herodes I. Mateus 2:22 detalha o filho do rei como Arquelau. Herodes Agripa II e Herodes de Chalcis são também chamados de "rei Herodes". quando a criança era enrolada em um tecido de linho (enfaixada) e figurativamente . Primeiro houve o nascimento fisico.Marcos não se refere a esse fato. sem o acesso aos registros dos Manuscritos do Mar Morto. Com referência ao nascimento de Jesus. e Herodes Arquelau simplesmente como "Herodes". o Grande. como se eles fossem a mesma pessoa. Herodes Arquelau. o Grande. temos a informação de que ele ocorreu antes de 4 a. seria impossível compreender por que existe essa aparente discrepância. Isso constituiu um intervalo de pelo menos nove anos e. É o único censo registrado na região. Os Evangelhos referem-se a Herodes. O segundo foi um ritual simbólico de renascimento. quando Quirínio era governador da Síria. realizado pelo senador romano Quirínio a pedido de César Augusto. Em Mateus 2:3.C. a Natividade é posta durante o reinado de Herodes da Judéia. depois.C. (Mateus) e em 6 d. que foi deposto em 6 d. para ter uma perspectiva cronológica do Evangelho. Está relatado em As Antiguidades dos Judeus do século I que realmente houve um censo de impostos na Judéia. o nascimento para a comunidade. saber qual Herodes está sendo discutido em cada período. Subseqüentemente. O assunto só é totalmente coberto em Mateus e em Lucas. enquanto João faz uma breve alusão. Então. então. mas seus períodos de tempo são completamente diferentes. dizendo que Jesus nasceu no ano do censo judaico do imperador Augusto. Lucas 2:1-2 dá uma cronologia alternativa. e ele ocorreu no último ano do reinado do filho de Herodes. Herodes Agripa I da Judéia. Entretanto.C. lá é dito que o "nascimento" foi um evento duplo. o Grande. (Lucas). é essencial. Herodes Antipas da Galiléia.

era na época o padre Eleazer A nnas. mas 12 anos após o nascimento para a comunidade. calculada pelo monge Dionysius Exiguus. por exemplo).C. Jesus . significava ser membro da congregação judaica no início dos 13 anos.C. e o que faremos com a nossa convenção Antes e Depois de Cristo (a. O fato é relatado como se Jesus tivesse 12 anos. Segundo ele. O nascimento para a comunidade foi o precursor da tradição do Bar Mitzvah (Filho do Pacto) que. Historicamente.mas. dizendo: "Sabem que eu sou obrigado a estar ocupado com os afazeres de meu Pai?" Seu pai espiritual.) nessa estrutura de datas? A primeira seqüência de datas bíblicas publicada surgiu em 526. que não são 12 anos após o nascimento no mundo.C. na tradição dos essênios. Na Páscoa Judaica daquele ano. quando fala da "iniciação à idade adulta" de Jesus. esses eventos de nascimento ocorriam 12 anos depois. Isso está apenas dois anos fora da realidade . Jesus teria na verdade 24 anos .C. o Pai da Comunidade. (na Oxford Concordance Bible.C. na Idade Média. que foi realmente durante o reinado de Herodes. ele ficou no Templo para discutir sua situação de formando com os professores. Em vez de acompanhar seus pais nas celebrações.levada à sociedade. Esse é o evento relatado em Lucas. podemos certificar que Jesus realmente nasceu em 7 a. Lucas explica que o segundo evento ocorreu em 6 d. o Grande.a idade da maioridade social. Na cronologia bíblica. a Natividade é geralmente dada como ocorrida no ano 5 a. mas na verdade refere-se ao denominado "décimo segundo ano".. enquanto Mateus fala sobre o nascimento fisico de Jesus. e d. O mal-entendido desse costume dos 12 anos levou a um subseqüente erro de tradução de Lucas. A história é contada em Lucas 2:41-50. Então. de como Jesus perdeu-se no Templo quando estava em Jerusalém com seus pais. (no ano de Quirínio e do censo imperial).

Essa é a data hoje geralmente dada como referência nos livros. George Pardow e William Denman.C. as recentes festividades do milênio podem ter celebrado 2 mil anos de um calendário romano arbitrariamente introduzido. mas estavam sete anos atrasadas para ter qualquer relação com o nascimento de Jesus. é decisivo que saibamos a natureza de certas tradições contemporâneas. Em nossa investigação sobre a vida de Maria Madalena. 754 AUC era equivalente ao 1 d. ver que. no século VIII. e d.C. a menos que saibamos os costumes e a terminologia da era do Evangelho. significando "Anos depois da fundação da Cidade [de Roma]") Nesse contexto. determinando os milênios que usamos hoje. enquanto nem Mateus nem Lucas estão errados. um ano antes da morte de Herodes. que já tinha sido designado como 4 a. junto com seus colegas de Nova York.C. depois foi decidido que. Eles restabeleceram a data do nascimento de Jesus com mais precisão. podemos.C. mas toma completamente sem sentido a definição da classificação a. A partir disso. (749 AUC).C. o Grande. então. como tendo sido em 5 a. Conseqüentemente. Sem esse conhecimento. a leitura do Novo Testamento pode facilmente ser mal-interpretada. visto que Jesus nasceu durante o reinado do Rei Herodes. O primeiro governador cristão a empregar o calendário dionísico foi o imperador Carlos Magno.nascera no ano romano de 754 AUC (Anno Urbis Conditae. eles parecem divergir na superficie. e seu uso espalhou-se gradualmente por toda a Europa e ao longo dela. o calendário do monge foi ajustado pelo editor inglês William Eusebius Andrew de Norwich (1773-183 7). ele deve ter nascido antes da morte de Herodes em 750 AUC. do calendário modificado. Em virtude da confusão dessa seqüência de datas e de redação. o que dá sentido à classificação de Anno Domini (Ano do Nosso Senhor). . Entretanto. a fim de apurar os detalhes precisos do casamento de Maria com Jesus como são descritos no Novo Testamento.

) e obteve sua graduação com os doutores do Templo na Páscoa.C.o mês usado historicamente para contar o reinado dos reis. em uma data anterior ao dia 14 que é dada pelo Levítico como a Páscoa. visto que Jesus completou seu "décimo segundo ano" (idade de 24 anos) em 759 AUC (6 d.O NASCIMENTO DE JESUS O evento em Jerusalém sobre a formatura de Jesus aos 24 anos é de grande importância porque determina o mês exato. enquanto a frase en tais . a frase en ekenais tais hemerais (naqueles dias) refere-se ao mês do equinócio de Tishri (setembro). Inicia-se determinando os equinócios e os solstícios. De qualquer forma. Na prática. No Novo Testamento em grego. aos catorze dias do mês". e a Páscoa em março. podemos afirmar que seu aniversário foi em Nisan (março). há uma diferença entre os termos do ano novo e do primeiro mês. e ainda é dito em Lucas que era a época da Páscoa judaica. por alguma confusão. Ao calcular a data precisa. as festas caem no equinócio dos meses de março e setembro. firma-se uma lei sobre isso. O ano-novo judeu é celebrado em setembro. ocorre nos primeiro e segundo dias do Tishri (setembrooutubro). Entretanto. o "primeiro mês" do calendário judaico não é o Tishri. O ano-novo Judeu. declarando que a Páscoa do Senhor é na noite do "mês primeiro. podemos voltar para a fraseologia das datas do Novo Testamento como é estabelecido nos termos das datas dos essênios segundo os Manuscritos do Mar Morto. enquanto o Levítico refere-se ao Dia da Lembrança. Yom Ha-Zikkaron. Apesar disso. apesar de nenhum deles seguir o ciclo janeirodezembro do calendário gregoriano. mas o Nisan . No livro do Antigo Testamento no Levítico 23:5. no mês de Nisan (março-abril). conhecido como Rosh Hashanah (Cabeça do Ano).

Sobre o nascimento de Jesus.. introduzido em 46 a. Quando uma definição como hemerai okto (dia 8) é usada. que afirma que ela deve ser feita quando o menino tem 8 dias. como quando é citado como dia 1º. com uma terminologia como "este dia".podemos dizer que é o oitavo dia após um particular evento de domingo (ou seja.C. específico. um termo que também identificava a data do ano-novo romano segundo o calendário juliano. o termo é bem específico: "É que vos nasceu hoje (. Isso é corroborado no Levíticos 12:3. Revertendo agora para os dias do mês. treis hemerais (três dias) referese ao dia 3 (terça-feira). o que deve ter sido em um domingo. O pacto da circuncisão é descrito no Gênesis 17:11-12. sabemos que foi um domingo depois da Páscoa em 14 de Nisan (março). e assim por diante. em um outro ciclo semanal. Isso é importante quando consideramos a explicação de Lucas sobre a circuncisão de Jesus. Com relação a Jesus. ele afirma hemerai okto (dia 8). Adicionalmente. o que estreita o campo para apenas um dos dois domingos.hemerais ekenais (nos dias aqueles) refere-se ao equinócio do mês de Nisan (março).)" (Lucas .)" Mas o original em grego não afirma okto hemerais (8 dias). O fator importante é a posição da palavra hemerais (dias). O primeiro dia do mês era identificado com "este dia".. A frase en tais hemerais tautais (nos dias nesses) significa Tamuz (junho) e en tautais tais hemerais (nesses dias) é Tebeth (dezembro). . Nós sabemos a partir do Levítico que isso também era oito dias após o nascimento de Jesus. "o dia seguinte". o domingo seguinte). com o domingo sendo o dia 1º.. mais especificamente. denotando um domingo após um domingo dia 1º. o "último dia". encontramos que havia definições específicas para as datas importantes.. "aquele dia". Lucas 2:21 relata: "Quando se completaram os oito dias para ser circuncidado (. ela é posicionada com referência ao dia 1º. Continuando.

C. No curso da crucificação de Jesus. segundo o calendário juliano. para ter o corpo de Jesus removido da cruz apenas algumas horas após ser pendurado. o aniversário dinástico oficial de Jesus foi atribuído a 15 de setembro para regularizar sua situação. Ele tinha dois motivos.C. Só em 314 d. a data de nascimento de Jesus parece ter sido domingo.C. essa data era realmente um domingo. Em algumas tradições estritamente ortodoxas. a data separou a comemoração cristã de qualquer associação judaica. Isso foi feito para facilitar a mudança do procedimento da pena de execução segundo uma antiga lei que está . E. José de Arimatéia negociou com o governador romano. Uma dessas. o imperador Constantino mudou arbitrariamente a data do nascimento de Jesus para 25 de dezembro. Pôncio Pilatos. o mês da expiação (Yom Kippur). segundo o Finigan’s Handbook of Biblical Chronology. a data de nascimento de Jesus ainda é tida como setembro (Tishri). Segundo. há diferenças significativas na apresentação. Ele foi oficialmente indicado como o mês do nascimento dos herdeiros dinásticos. sem se relacionar com o mês em que realmente nasceram. A CONSORTE DO SALVADOR Em alguns casos em que os Evangelhos lidam unicamente com um evento em particular. Segundo a convenção messiânica. 1º. Em conclusão. foi planejado para coincidir com o festival do sol pagão depois do solstício de inverno uma data com a qual os cidadãos de Roma estavam familiarizados.a cena que define a ressurreição.. de março.2:11) e o calendário romano começa em 1º. é o cenário do sepulcro de Jesus após a crucificação . sugerindo que Jesus era cristão e não um judeu. Primeiramente. de março em 7 d.. que envolve Maria Madalena em particular. na sexta-feira da Páscoa de 33 d.

Quando as mulheres chegaram. Os Evangelhos estão. mãe de José (irmão mais novo de Jesus) observaram onde fora posto". Impensável era que a pedra fora removida no Sabá. o seu cadáver não permanecerá toda a noite no madeiro. ficaram surpresas ao encontrar a pedra da entrada do sepulcro fora de seu lugar. sobre o qual os Evangelhos têm pouco a dizer. mas refere-se apenas a uma conversa entre Pilatos e os judeus mais velhos em Jerusalém. e Marcos 15:47 confirma: "E Maria Madalena e Maria. não havia nada de impressionante sobre isso qualquer um poderia ter mexido. Pilatos sancionou a mudança de procedimento do enforcamento (como declarado na crucificação romana) para a alternativa do costume judaico de enterrar vivo. em geral. mas certamente o enterrarás no mesmo dia. Pilatos arrumou dois guardas para vigiar o sepulcro de Jesus. mas no dia de sua remoção.no Antigo Testamento. Na verdade. O dia seguinte era o Sabá. Em termos práticos. as próprias mulheres a teriam rolado. Apenas Mateus 27:62-66 faz menção a esse sábado. ao amanhecer. Então. e o tiveres pendurado em um madeiro. Jesus foi então colocado em um sepulcro pertencente a José. pois elas não tinham motivo para antever o impedimento ao acesso. em . Fora isso. O mistério não estava no ato da remoção da pedra. o grande mistério está em quem estava presente com Maria Madalena naquela ocasião. no livro do Deuteronômio 21:22-23. um dia sagrado no qual era totalmente proibido qualquer esforço. os quatro Evangelhos continuam sua história a partir da manhã de domingo. Entretanto. e depois. e confirmada no Pergaminho do Templo de Qumran: Se um homem tiver cometido um pecado digno de morte e for morto.

Marcos. Maria.. Salomé.. quando a/as mulher/mulheres chegou/chegaram. enquanto Marcos 16:1 também inclui a irmã de Jesus.desacordo sobre esse assunto. . Lucas 24:10 apresenta sua outra irmã. "o anjo do Senhor desceu (. Entretanto. mas omite Salomé. a pedra já tinha sido deslocada. Joana. e o quadro geral é muito confuso. Então.) e rolou a pedra". Lucas e João afirmam que. enquanto João 20:1 tem Maria Madalena chegando sozinha. os dois sentinelas estavam em guarda e a pedra ainda estava em posição. e Maria Madalena percorreram o caminho até o sepulcro. para a surpresa das mulheres e dos sentinelas. em Mateus. Mateus 28:1 diz que a mãe de Jesus.

elas foram sozinhas e . ficou aparente que Jesus não estava no sepulcro em que tinha sido posto.Depois. Segundo Mateus 28:5-6. Em Marcos 16:4-5. o anjo guiou as mulheres para o sepulcro.

) sua irmã. no mesmo Evangelho é afirmado: "E a consorte do Salvador é Maria Mada1ena" (Em termos claros. dizendo: "Não me retenhas" (João 20: 17). havia dois anjos dentro. ou talvez não estivesse. não está claro se os guardas existiram ou não. Por causa disso. se é que alguma o é em sua totalidade.. Talvez Pedro estivesse lá.mas até isso não está certo. Na análise final. séculos de discussões têm se seguido sobre se foi Maria Madalena ou Pedro quem viu Cristo elevando-se. Então. O Evangelho de Felipe mantém que: "Havia três que sempre andavam com o Senhor (. Entretanto. cada . Em outro lugar. Ela se moveu em direção a ele. mas. Maria Madalena afastou-se dos anjos para se encontrar com Jesus em pé no jardim. sua mãe e sua consorte. Maria descobriu dois anjos sentados no sepulcro. João 20:2-12 relata que Maria Madalena foi buscar Pedro e um outro discípulo antes de entrar na caverna. isso não importa. cada uma delas. Havia um anjo fora ou um rapaz dentro. as chances estão certamente a seu favor. por outro lado. Se o número de mulheres era um. Essas são as quatro visões nas quais toda a tradição da ressurreição é baseada. elas são conflitantes em quase todos os detalhes. que podiam estar sentados ou podiam estar em pé. mas Jesus evitou seu abraço. Lucas 24:3-4 descreve dois homens parados lá dentro. Em termos reais. Quanto à pedra. ela ainda estava no lugar ao amanhecer ou talvez tivesse sido removida. visto que os Evangelhos não-canônicos de Pedro e Maria Madalena garantem o privilégio a Maria. Há um único denominador comum em potencial em tudo isso: Jesus não estava mais lá . uma Maria".encontraram-se com um rapaz que usava uma túnica branca. dois ou três. depois que seus companheiros partiram. e ainda assim. As três estavam na cruz e provavelmente no sepulcro. Segundo João 20:14-15.. Não há como saber qual das explicações é a correta.

"uma esposa real. . segundo o dicionário. que foi fundada como a Igreja Apostólica de São Pedro. Estivessem uma mulher. popularidade em várias partes do Império Romano. como conhecemos. A SELEÇÃO DOS EVANGELHOS O Novo Testamento. A parte inicial do processo foi conduzida pelo bispo Atanásio de Alexandria. o cenário causou um problema importante para a Igreja de Roma. não havia um livro formalmente compilado sobre a fé.uma das irmãs de Jesus foi chamada de Maria). apenas uma série de textos cristãos individuais que tinham muita. duas ou três no túmulo.. Isso foi feito por meio das Constituições Apostólicas e os Mandamentos da Disciplina Eclesiástica. que inventou o termo "cânone" (lei aprovada) e depois ficou conhecido com o Pai da Ortodoxia. A "consorte" é. alguém que tem o título em comum" e a palavra usada no Evangelho de Felipe nesse sentido é koinonôs (consorte). ou pouca. a relevância de seus herdeiros Desposyni e seu movimento nazareno. quando a biblioteca dos escritos foi separada e conferi da para a seleção. a situação de Maria Madalena foi diminuída e. começou a tomar forma em 367 d. com ela.C. O segredo para a situação de Maria Madalena está na palavra grega da qual essas traduções foram feitas. Antes disso. Por essa estratégia. Tudo o que restou serviu para os bispos redigirem um plano que menosprezasse a condição das mulheres em geral. Foi por essa razão que os 12 versículos falsos foram adicionados ao Evangelho de Marcos no século IV. Essa palavra é totalmente explícita no significado: ela tem conotação conjugal positiva e refere-se especificamente a um parceiro sexual casado. com uma adição similar feita nos Evangelhos Sinóticos de Mateus e Lucas.

Mateus e João foram realmente apóstolos de Jesus. Mas Marcos e Lucas não. e os quatro Evangelhos que foram aprovados para o uso canônico foram os de Mateus. F elipe e Pedro foram listados entre os 12 originais e. Por outro lado. os Evangelhos em seus nomes foram excluídos. as pessoas enterraram e esconderam cópias dessas obras. e pelo Concílio de Cartago em 397 d.C.o primeiro era que os Evangelhos escolhidos para o Novo Testamento deviam ser escritos em nome (ou atribuídos) dos próprios apóstolos de Jesus. Não só isso. em todo o mundo Mediterrâneo. Mas essa decisão parece ter sido indiferente no início. Eles foram apresentados nos Atos como colegas de São Paulo. havia vários critérios que controlavam a seleção . Lucas e João. Segundo a lista de apóstolos dada no Novo Testamento. No entanto. .Da classificação de Atanásio.C. mas eles foram sentenciados à destruição e. de repente. certas obras foram aprovadas e ratificadas pelo Concílio de Hipo em 393 d. mesmo assim. que haviam. sido declarados hereges. junto com o Evangelho de Maria e inúmeros outros textos. Marcos. Tomé.

como Clemente de Alexandria. ainda em 1547. o Evangelho dos Egípcios e o Evangelho da Verdade. no norte da Itália. incluindo o Evangelho de Tomé. mas a existência desses livros não era segredo para os historiadores religiosos. até chegar à versão que conhecemos. Alguns deles. Então. o Novo Testamento estrategicamente compilado foi assunto de vários editais e emendas. sob qual critério real foi feita a seleção dos Evangelhos? Foi um regulamento totalmente sexista que evitou qualquer coisa que . foram citados nos escritos de antigos sacerdotes. que foi aprovada pelo Concílio de Trento.Seguindo isso. Apenas recentemente. Irineu de Lion e Orígenes de Alexandria. alguns dos antigos manuscritos foram desenterrados.

a que geralmente eram associados. Apesar de Constantino ter manipulado o Cristianismo. ele não pode ser responsável por toda a extensão da corrupção. tornando-se depois a religião oficial do Estado dos imperadores. Felipe. centralizada em Roma. Tomé e Tadeu. transformandoo em um híbrido com o culto do Sol e de outras crenças pagãs no século IV. que afirma que Pedro se opunha fortemente à presença de Maria Madalena no séquito de Jesus. Pedro reclama da participação de Maria e pede a Jesus que a reprima por questionar sua supremacia. e a visão de Pedro ficou muito clara no Evangelho de Tomé. Além disso. O texto afirma. Clemente de Alexandria retirou a história de Lázaro do Evangelho de Marcos em . Os primeiros protagonistas do que se tornou a Igreja ortodoxa moldaram a religião para se adaptar às suas próprias ambições muito antes da época de Constantino. com Simão Zelote.desse apoio ao status das mulheres na Igreja ou na sociedade da comunidade. No Evangelho de Maria. Com o tempo. Tiago. Depois havia a escola evangélica de Pedro e Paulo (geralmente chamada de movimento paulino). já testemunhamos o aparente desagrado de Pedro com respeito ao envolvimento de Maria em outras ocasiões. no século I. Salomé. voltando-se para os outros apóstolos: "Simão Pedro disse para eles: Permita que Maria nos deixe. dizendo: "Ele teria falado em particular com uma mulher e não abertamente conosco? Por que devemos mudar de idéia e ouvi-Ia?" De novo. junto com Judas. no tratado cóptico de Pistis Sophia. surgiram duas facções distintas. Maria Madalena e a família dos Desposyni. Na posição principal estava o movimento nazareno do irmão de Jesus. Pedro contesta a relação dela com Jesus. ela se tornou um "Igrejanismo" em vez do Cristianismo em sua forma original e por fim se sobrepôs à fraternidade nazarena. Desde o início da sociedade cristã. pois as mulheres não são dignas da vida". A Igreja de Roma era a Igreja Apostólica de São Pedro.

porque eles enfraqueciam o domínio do sacerdócio exclusivamente masculino. junto de outros pronunciamentos similares. a Constituição Apostólica realmente foi tão longe a ponto de especificar . seu ensinamento foi exposto: Que a mulher aprenda em silêncio com toda a submissão. Pois não permito que a mulher ensine nem tenha domínio sobre o homem. No Evangelho de Felipe. Tertuliano (um pai da Igreja de Cartago) estava expressando um sentimento geral do movimento paulino . Editais impositivos como esses citados tiveram sucesso na supressão do legado de Maria Madalena. Maria Madalena é vista como símbolo da sabedoria divina. declarando em Mandamentos da Disciplina Eclesiástica: Não é permitido para uma mulher falar na igreja. (1 Timóteo 2:11-12) Tais diretrizes. e Quintus Tertuliano já tinha definido o cenário contra o envolvimento feminino na mesma época. principalmente de Pedro e Paulo. apenas para ter certeza. Entretanto.cerca de 195 d.reiterando e destacando as opiniões documentadas de seus predecessores. mas que esteja em silêncio. principalmente no oficio sacerdotal. nem que se ofereça à Eucaristia. Eles são chamados de "os mais sagrados de todos os livros canônicos e das leis cristãs". De acordo com as epístolas de São Paulo. mas todos esses textos foram extirpados pelos bispos da Igreja em desenvolvimento. nem que reivindique para si uma parte de qualquer função masculina.um longo e abrangente conjunto de regras da Igreja Católica que foi iniciado por São Clemente e concluído pclos bispos constantinos. não é permitido que ela seja batizada. Nesse aspecto.C. foram encontradas na Constituição Apostólica .

dentro da comunidade nazarena. que a virgem que é violada na cidade deveria ser sentenciada à morte porque ela poderia facilmente ter gritado por ajuda! É com referência a esses assuntos que as idéias socialmente mais . diz: "Pois. que. por exemplo. as muIheres nunca eram contadas em menos de dez exigidas para realizar o serviço da sinagoga. se a cabeça da mulher é o homem. "como são audaciosas! Elas não são modestas. é preciso ser mencionado que essa forma do Cristianismo da Igreja pré-romana era muito similar à instituição ao estilo judeu. o documento vai muito além na advertência contra a prática. E as mulheres eram. Elas são ousadas demais para ensinar. com menos privilégios que os homens. Na discussão sobre o batismo. em particular. a partir do texto da Constituição. não enviou a lugar algum mulheres para rezar". citando São Paulo novamente (de 1 Coríntios 11:3). certamente Nosso Senhor teria sido batizado por sua mãe e não por João". a Constituição Apostólica afirma que é "perigoso e herético" para uma mulher atuar nessa ou em qualquer outra função sacerdotal. O Talmud Palestinian declara: "As palavras do Torá serão destruídas no fogo assim que sejam ensinadas pelas mulheres". Para justificar isso. "Essas mulheres hereges" escreveu Tertuliano. em prática. o próprio Jesus. Deuteronômio 22:23-27 declara. não é lógico que o resto do corpo deva governar a cabeça"! É perceptível. Para termos uma perspectiva geral disso. adicionando: "Nosso Mestre e Senhor. tratadas como mortais inferiores. para se envolver em discussões". é explicado que: "se o batismo fosse para ser administrado por mulheres. Portanto. Então. as mulheres estavam muito envolvidas no clero. judeus-cristãos e mantinham muitas idéias tradicionais. Na sociedade dos hebreus. quando nos enviou os 12 para serem discípulos das pessoas e das nações. afirmando que "não há o menor perigo para aqueles que assegurarem isso".seu nome. em temos gerais. Os seguidores eram.

enquanto a forma romana do Cristianismo era muito materialista e os ensinamentos místicos eram vistos como uma enorme ameaça. mas. caiu em transgressão". como era regido pela nova Fé. que escreveu (em 1 Timóteo 2:13-14): "Porque primeiro foi formado Adão. até esse nível de envolvimento tinha desapare cido e a participação das mulheres no culto religioso foi totalmente proibida. Esses ensinamentos eram voltados para uma base espiritual. mas a mulher. Naquela época. infelizmente. ele até declarou que Jesus tinha praticado a religião errada. Por volta do século II d. os nazarenos eram impopulares não só com as autoridades romanas. e que ele mesmo errava em suas crenças! Irineu escreveu sobre os nazarenos.equilibradas e tolerantes da fraternidade nazarena sobre Jesus diferenciavam-se tanto. Na verdade. Qualquer mulher que participasse das práticas religiosas era denunciada como meretriz e bruxa.C. depois Eva. sendo enganada. foi iniciado um processo de segregação nas Igrejas cristãs: os homens realizavam o ritual. E. E Adão não foi enganado. que ele chamou de ebionites (pobres): . Ele as condenou como hereges por afirmarem que Jesus era um homem e não uma origem divina. além de muito perturbadas pelos cristãos paulinos principalmente por Irineu. promovendo um ensinamento baseado na instrução do terapeuta ascético em Qumran. no fim do século. Muitas das mulheres que seguiam os grupos do estilo nazareno foram formalmente declaradas hereges. bispo de Lion (nascido em 120 d. A estratégia de Roma contra as professoras foi que elas deveriam ser consideradas pecadoras e sujeitas à autoridade de São Paulo. as mulheres oravam em silêncio.C. o Cristianismo romano herdou a perspectiva intolerante daqueles como Tertuliano.).. Havia um grau demarcado de igualdade não encontrado na sociedade rígida judaica ou da posterior judaico-cristã.

chamando-o de um apóstata da lei. como o próprio Jesus.Eles. e declarava (o que os Evangelhos não fazem) que tanto Maria como Marta estavam presentes na Última Ceia. afirmando que seus escritos de idolatria deveriam ser todos rejeitados.600 anos depois. Com base nesse diálogo imaginário.mas ele tinha um objetivo destrutivo bem diferente. então. ele de certa forma destrói parte de seu próprio objetivo ao permitir às mulheres tal prerrogativa . ele foi transcrito de uma presumida discussão entre os apóstolos. Ele registra qual seria a posição que os bispos davam a Maria dentro do esquema das coisas. explicam os livros proféticos do Antigo Testamento. Intitulado A Ordem da Igreja Apostólica. Em um trecho do suposto debate. a partir de então. Marta disse: "Ele não os ofereceu à Maria. bem como os essênios e os zadoques de dois séculos antes. e Maria Madalena foi. Na visão do temor particular da Igreja sobre Maria Madalena. lê-se: João disse: Quando o Mestre abençoou o pão e a taça e designou-os com as palavras: Isso é meu corpo e meu sangue. declarada uma descrente desobediente. Mais de 1. adotada como uma doutrina formal da Igreja. foi produzido um documento extraordinário para ser distribuído entre os ortodoxos. ele não os ofereceu às mulheres que estavam conosco. Em retaliação. porque ele a viu rindo". os nazarenos do movimento dos Desposyni denunciaram Paulo como um "renegado e falso apóstolo". Eles rejeitam as epístolas paulinas e rejeitam o apóstolo Paulo. a Igreja decretou que os primeiros apóstolos tinham decidido que às mulheres não era permitido se tornarem sacerdotisas porque elas não eram sérias! A essência dessa conversa fabricada foi. . A esse respeito.

a Mártir (16:3-4). a aparente antipatia de Pedro e Paulo pelas mulheres foi taticamente utilizada para estabelecer um ambiente dominado pelos homens. em sua segunda epístola a Timóteo 3:2-5. E mesmo que os bispos preferissem confirmar as opiniões de Paulo em vez dos ensinamentos de Jesus. que um bispo deveria se casar e ter filhos. A hierarquia da Igreja tinha tanto medo. São Paulo tinha dito. Na verdade. nem mesmo a atividade sexual em termos gerais. por exemplo. o que realmente incomodava os bispos não eram as mulheres como tais. a qualquer custo. tinha de ser separado da imagem básica de Jesus. Isso foi um assunto tabu que. Na verdade. que a regra do celibato foi implementada para seus sacerdotes . o Novo Testamento (mesmo em sua forma editada estrategicamente) está repleto de mulheres discípulas. o papa Paulo VI decretou que uma mulher não poderia ser sacerdotisa "porque Nosso Senhor era um homem"! Por toda a determinação da Constituição Apostólica. em 1977. junto com Júlia (16:15) e Prisca. mas os bispos da Igreja romana preferiram ignorar todas elas. que ele chamava de "serva da Igreja" (Romanos 16:1-2). mas as declarações citadas desses homens foram escolhidas com muito cuidado e algumas vezes fora de contexto.nada tinha mudado muito e. suas cartas faziam menções em particular às mulheres que o auxiliavam: Febe. e a própria natureza da maternidade é a perpetuação das linhagens. Apesar do aparente desejo do domínio masculino de São Paulo. eles optaram por ignorar completamente essa diretriz . Mas não foi como se a Bíblia sugerisse tal fato. Ele explicou que um homem com experiência em sua própria casa está mais qualificado para cuidar da Igreja.regra que se tornou lei em 1138 e que persiste até hoje. foi exatamente o contrário. Entretanto. Por quê? Porque as mulheres podem se tornar mães. era a possibilidade da familiaridade sacerdotal com as mulheres.

Mas não era como se todos tivessem uma cópia da Vulgata. E por haver numerosas diferenças nos quatro Evangelhos. CAPÍTULO 9 O CASAMENTO SAGRADO ASPECTOS DE TRADUÇÃO Por todo o período de 397 d. eles poderiam pregar qualquer coisa que quisessem. então..específica. De uma base de trabalho dos manuscritos gregos. Na essência. transcritos de seus originais por Clemente. tais como o Codex Dinaiticus e o Codex Vaticanus. como resultado. e outros no século II.uma edição na forma de escrituras sagradas para o uso comum (trivial). foram completadas logo depois do Concílio de Cartago. de forma geral. os padres eram deixados com suas próprias interpretações do texto e ensinavam a partir delas. o papa Damásio I tinha encarregado o erudito da Igreja romana.C. de forma que até a situação marital de Jesus pudesse ser ignorada. a maior parte das obras não canônicas foi esquecida de uma geração para outra e o Novo Testamento prevaleceu. O uso comum era para que se tornasse o padrão do púlpito. Jerônimo removeu uma série de trabalhos que ele via como apócrifos (no sentido de "coisas escondidas") e.C. em 383 d. um novo . até o século XVII. Pouco antes disso. a Igreja estava em uma forte posição tanto quanto sua literatura. as edições do Novo Testamento. São Jerônimo. A biblioteca de Alexandria tinha sido destruída. construiu a Vulgate Editio . de traduzir os vários textos para o latim.

Wycliffe criticou abertamente a prática eclesiástica. por exemplo. a supremacia bíblica latina foi desafiada com sucesso pelo reformista alemão Martinho Lutero. Na Inglaterra. a confissão e submissão.do grego "Segundo os Quatro". junto com John Purvey e Nicholas de Hereford. mas elas não foram divulgadas. a absolvição sacerdotal.Evangelho foi inventado . Ao mesmo tempo. em 1526. em . produzindo uma edição que as pessoas poderiam ter e ler sozinhas.juntamente com um conto encoberto que extraía as características mais divertidas de cada. Os protestantes suíços produziram a famosa Bíblia de Genebra em 1560. e unidas em uma simples história romântica que nunca foi escrita de forma autêntica por ninguém. Miles Coverdale) foi aprovada pela Rainha Elizabeth I para sua nova Igreja Anglicana. chamada de Bíblia de Douai. apareceu entre 1582 e 1610 para os católicos na França. e uma obra em inglês chamada A Grande Bíblia (editada pelo discípulo de Tyndale. O clérigo universitário William Tyndale produziu em inglês o Novo Testamento dos textos gregos. ela foi excomungada por Roma. Como resultado. Depois. o mestre John Wycliffe de Oxford. Havia poucas traduções vernaculares dos trechos selecionados do Novo Testamento preparados nos tempos medievais. Isso se tornou conhecido como The Diatessaron . A história do Evangelho ainda é ensinada de forma bem semelhante nas escolas e igreja atualmente.mas o trabalho deles foi condenado pelo Vaticano. Enquanto isso. produziram em inglês uma tradução da Vulgata em 1382 .C. Seu trabalho passou por muitas igrejas. uma nova versão mais acessível da Vulgata. Uma versão dessa narrativa persistente foi compilada em 175 d. por Taitan. um teólogo sírio. para depois ser banido pela rainha católica Mary Tudor. Ele fez uma ampla tradução dos textos gregos. No auge da Reforma Protestante do século XVI. ele foi considerado herege e seus livros foram queimados. Como resultado.

na verdade. Nós consideramos dois deles. Um erro particularmente relevante desse tipo é encontrado em Lucas 7:37. segundo os quais almah (mulher jovem) tornou-se "virgem". contra as maiores dominações cristãs da Britânia e da Europa. suas interpretações diferentes e regionais das Escrituras fizeram surgir vários pequenos movimentos de igrejas (freqüentemente competitivos). e ho tekton (mestre artesão) tornou-se "carpinteiro". do aramaico e do semita não encontraram equivalência no inglês jacobeano. em 1663. ela se refere a estar "fora do alvo". então.1611. depois de chegarem e se instalarem em vários lugares da costa leste americana. Foi esse texto impresso que os Pais Peregrinos ingleses e seus seguidores levaram para os Estados Unidos em 1620. a tradução de King James era tão precisa que permanece como modelo até hoje? Ela foi. ele produziu uma versão do idioma regional para um idioma local hoje extinto. tinha sido traduzida dos textos gregos. quando ela ungiu os pés de Jesus (antes da segunda unção de Maria em Betânia. por sua vez. surge a versão paralela em inglês. Portanto. com a edição autorizada King James. João 11:2 explica que ela ungiu Jesus na ocasião anterior). era um termo do esporte que significava "aquele que perde o alvo". uma tradução infeliz. harmatolos. A palavra original em grego. Em Massachusetts. no qual Maria Madalena é identificada como uma "pecadora". ela estava ligada àquele que talvez não . Conseqüentemente. ela não sofre das mesmas imprecisões da Vulgata em latim. o missionário protestante John Elliot não estava contente com sua bíblia em inglês. transcrita da Bíblia grega que. mas há muitos exemplos em que as palavras e frases do grego. certos erros foram cometidos. No uso diário. Uma vez lá. Usada na arte do arco-e-flecha e em coisas similares. mas isso é. Então. em sua maior parte. A entrada em Lucas é a única em que Maria é classificada como uma pecadora.

e era visto como um dever religioso fornecer acomodações ao hospedeiro. crença de que Jesus nasceu em um estábulo. Os viajantes eram convidados para as casas das pessoas. mas porque Lucas 2:7 afirma que Jesus nasceu em uma manjedoura "porque não havia lugar para eles na estalagem". o que denota que não havia lugar (ou provisões) na sala. Lucas é o único outro Evangelho que fala da natividade.observasse certas doutrinas. o termo "pecadora" surgiu na tradução porque não havia uma palavra que correspondesse ao harmatolos na língua inglesa. Em Lucas 5:8. da mesma forma. não havia estalagens na Judéia do século I. prostrando-se. Na verdade. nem é a palavra ou o termo parecido usado na Bíblia King James. Nenhum estábulo é mencionado em qualquer Evangelho original. mas errônea. adoraram-no". Como vimos. Em resumo. o apóstolo Pedro refere-se a si mesmo como um aner (um homem casado) harmatolos. O grego original (do qual a tradução foi feita) na verdade afirma que não havia topos em kataluma. viram o menino com Maria. Na verdade. alguém que se desviava da prática convencional. Jesus estava em uma manjedoura porque não havia berço na sala. não havia base nenhuma para essa idéia. De fato. A manjedoura era (e ainda é) uma caixa para alimentar os animais. mas ela nada tinha a ver com pecado. e aqui surge a confusão da tradução . traduzido como "Eu sou um pecador". Como ho tekton (carpinteiro) no caso de José. . Um erro tradutório que se refere aos pais de Jesus e à natividade levou à hoje comum. que é. Mateus 2:11 afirma bem claramente que o menino Jesus nasceu em uma casa: "E entrando na casa.não da menção a um estábulo. sua mãe e. e não era comum ela ser usada para emergências ou para substituir berços.

que afirma: "Disse-Ihes .A MULHER ESCARLATE Outro mal-entendido tradutório ocorre com as identificações nas Escrituras nas quais o uso da língua mudou durante os anos. Um bom exemplo é encontrado em Mateus 21:31.

dono de estalagem. mais importante para nossa investigação. por volta de 2500 a. uma termo para o sexo masculino até o século XV. Ela presidia a Casa Grande de E-gal. e era. (antes da época do Antigo Testamento de Abraão). é desse nome que a palavra Madalena deriva. como em relação a \rhorelet. de fato. a palavra significava "vagabundo" ou "errante". Os reis era citados como "pastores". Quando o termo atingiu conotação feminina. . antes disso. Nos tempos bíblicos. Entretanto. que se relaciona ao adultério em vez de à prostituição.C. A palavra inglesa harlot nada tem a ver com isso.uma gíria para as meninas das flores ciganas). Entretanto. Essa palavra entrou na língua inglesa a partir do alemão da Idade Média hõre. como já vimos. o publicano era um coletor de impostos. como o termo passou a ser entendido mais tarde. E. Essa Canção erótica era referente ao casamento sagrado da deusa que tomou como seu noivo o pastor Dumuzi (ou Tamuz. considerávamos que a definição de "whore" (meretriz) em inglês era aplicada para aquelas como Sofia e Maria Madalena. passou a ser usado como uma forma de traduzir a palavra antiga e obscura hierodule. um publicano é "o dono de um negócio público (um bar)" . Essa palavra aparece já na Canção de Inanna em sumério. quando Maria é apresentada em Lucas 8:2 (sua mais antiga referência cronológica). tão freqüentemente traduzida de forma errada a partir dos textos antigos. a Torre da Guarda do rebanho. eles eram os guardiões de seus rebanhos. e a deusa (Inanna ou Ishtar) era a Magdal-eder.Jesus: Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes vos procedem no reino de Deus". Antigamente. Ela atingiu uma conotação feminina quando foi usada como uma corruptela de whorelet (pequena meretriz . Na língua inglesa de hoje. naquela época. por quem as mulheres de Israel choravam em Ezequiel 8:14). é a palavra "meretriz". É de particular importância que.

ela é tida como "Maria chamada Madalena", e é geralmente identificada como a Madalena. Essas citações de sua situação Magdal-eder são de grande importância; Madalena era um título, não um sobrenome nem nada relacionado com o lugar. Na Suméria da Mesopotâmia (a terra de Abraão: Gênesis 11:28-31), o sacerdote-rei era chamado de Sanga-lugal - de onde veio a palavra francesa sang (sangue), como no Sangréal, o Sangue Real - e seu bastão de comando era um cajado de pastor (um bastão com um arco). Só muito mais larde a Igreja Cristã abusou disso, empregando o bastão real como um instrumento de autoridade para seus bispos. Inanna, a deusa-rainha, foi levada a ser a "portadora da taça", cuja essência sagrada - o "nectar da excelência suprema" - foi chamado de Gra-al. Nos tempos vitorianos, o Santo Graal ficou associado à taça usada por Jesus na Última Ceia, mas isso nunca teve relação com a história original. O conceito do Graal existia muito antes da época de Jesus. No contexto de tudo isso, o hierodule (representado por Inanna) era o aspecto mais sagrado do ritual nupcial. Inanna, a deusa da luz e do fogo, foi mais tarde identificada como Diana dos Nove Fogos (sendo que an-na era uma palavra acadiana que significa "fogo de pedra"). Seu símbolo, como visto nas moedas da época, era a Rosi-crucis - A Taça de Orvalho uma cruz com um círculo, o emblema original do Santo Graal. Em termos conventuais, o hierodulai (plural) eram "as mulheres sagradas", unidas na época do Novo Testamento com a grande sacerdotisa da Ordem de Diana de Éfeso. As túnicas das hierodulai eram vermelhas. Elas representavam a ritu (verdade), de onde vem a palavra "ritual". Em sua posição sacerdotal como uma hierodule simbólica, os artistas muito freqüentemente retratavam Maria Madalena usando vermelho (veja as ilustrações 17 e 18). Por meio da distorção lingüística de hierodule para “harlot" pouco antes de a Bíblia

ser traduzida para o inglês, Inanna, a Grande, ficou relacionada com a Prostituta da Babilônia no livro do Apocalipse 17:1-5, e o vermelho ficou diretamente associado com a prostituição. Na verdade, as prostitutas ainda usam o imaginário pervertido da Igreja ao usarem o vermelho ou se mostrarem sob uma luz vermelha. Apesar disso, a hierodule foi a raiz do Matrimônio Sagrado, citada como Hieros Gamos. A Canção de Inanna estava em uma antiga versão do Antigo Testamento nos Cânticos de Salomão, e é lá que a cerimônia nupcial de Hieros Gamos é explicada - um ritual sagrado que é repetido nas cenas de casamento de Jesus e Maria Madalena no Novo Testamento.

O MINISTÉRIO FEMININO
Quando consideramos os comentários feitos por São Paulo com referência às mulheres e ao ministério, parece ser uma irregularidade persistente. Às vezes, ele chama muita atenção para as mulheres que o ajudam, elogiando-as por seu trabalho, enquanto em outras situações proíbe as mulheres de ter qualquer atividade no culto, sem falar nas obrigações ministeriais. Esse parece ser o caso daqueles como Clemente, Tertuliano e outros que mais tarde compilaram a Constituição Apostólica, selecionando as passagens dos escritos de Paulo que mais se adaptavam aos interesses particulares e ignorando o restante. Mas isso ainda não explica os padrões contrários de Paulo nesse particular, o que tem levado muitos teólogos a suspeitarem que talvez as epístolas de São Paulo tenham sido manuseadas antes da publicação, para que ficassem adequadas às exigências. Outros têm sugerido que talvez ele não tenha escrito pessoalmente as epístolas da forma como elas são apresentadas. Realmente, não há como provar isso, visto que as cartas originais não existem mais, mas fica aparente que houve um

intervalo de tempo entre Paulo e aqueles que usaram seu trabalho para dar apoio a uma nova ramificação da fé cristã. Paulo divulgou seu Novo Testamento em 40 d.C. e foi torturado em 64 d.C.. Tertúlio nasceu em 160 d.C., Clemente foi seu contemporâneo e morreu em 215 d.C., e o primeiro Concílio de Nicéia de Constantino foi em 325 d.C.. Apesar dos 261 anos entre São Paulo e a fundação da Igreja romana, houve mais de cem anos da morte de Paulo para as atividades dos pais da Igreja. Nesse período, os cristãos foram perseguidos no Império, principalmente em Roma, onde Pedro e Paulo foram executados. Não há dúvidas de que Paulo teve de fazer um duro trabalho. Enquanto os próprios apóstolos de Jesus estavam operando no território natal, a missão de Paulo foi muito diferente. Sua tarefa era divulgar a mensagem cristã nos países de língua grega da costa do Mediterrâneo. Nesse ambiente, ele teve de competir com uma variedade de crenças pagãs. Havia muitas religiões cujos deuses e profetas eram supostamente nascidos de virgens e desafiavam a morte de uma forma ou de outra. Todos eles eram de origem sobrenatural e tinham poderes impressionantes sobre os simples mortais. Para sermos justos com Paulo, certamente ele encontrou problemas que os apóstolos originais nunca enfrentaram em seus ambientes natais. Mas sua rota para o sucesso contra tais adversidades foi apresentar Jesus de uma forma que transcenderia até aqueles ídolos paranormais. Entretanto, durante esse fato, foi o Jesus transcendente da invenção de Paulo que mais tande tornou-se o Jesus divino do Cristianismo ortodoxo. Originalmente, Paulo (Saulo de Tarso) era um hebreu devoto e tutor do filho do rei Herodes Agripa I. Sua conversão para um nazareno mais liberal pode ter ocorrido quando ele visitou Damasco para prender os discípulos de Jesus cujas doutrinas helenísticas eram contrárias às leis hebraicas. Em Atos 9:12, afirma que essa comissão

foi executada por um mandato do sumo sacerdote em Jerusalém, mas isso não pode ser possível. O Concílio do Templo dos Sinédrios judeus dos anciãos não tinha jurisdição na Síria. É mais provável que Paulo estivesse vinculado à administração de Herodes, e ele teria agido pelos romanos como parte de suas tentativas para conter os nazarenos. Exceto isso, o aspecto importante da história de Paulo está em sua conversão e no fato de que, quando ele mais tarde provocou uma acusação de incitamento perante o governador da Cesaréia, seu acusador afirmou: "Temos achado que esse homem é uma peste, e promotor de sedições entre todos os judeus, por todo o mundo, e chefe da seita dos nazarenos" (Atos 24:5). Depois de sua experiência com os apóstolos em Damasco, Paulo tornara-se um nazareno, e é nesse contexto que mais tarde o encontramos trabalhando com as mulheres no ministério de Jesus. Se olharmos novamcnte para as referências da epístola às suas ajudantes mulheres, descobriremos que há um erro repetitivo na tradução dessas cartas a partir das cópias em grego. Quando Paulo discute essas coisas com Febe, por exemplo, lemos que ela era uma "serva da Igreja" (Romanos 16:1) Entretanto, quando corretamente traduzido, a palavra encontrada não é "serva", mas "diácona". Tendo verificado isso, torna-se claro que havia uma diferença entre a prática nazarena e os ideais da "nova Igreja", e aqueles de Tertúlio, mais de um século depois. Disseram que no início do ministério de Jesus, ele tinha mulheres como ajudantes, além de sua mãe e irmãs. Havia Maria Madalena e Marta, é claro, mas Lucas 8:3 também menciona "Joana, mulher de Cuza (...) Susana, e muitas outras que o serviam com os seus bens". O movimento cristão nazareno de Jesus, dos apóstolos, de São Paulo e de outros fundadores do Novo Testamento não foi o posterior Cristianismo de Clemente e Tertúlio, não era nada parecido. Na verdade, era, vemos, o concorrente mais ameaçador dessas

instituições - a fraternidade que Eusébio confirmou como foi feita pelos herdeiros Desposyni em uma "progrcssão dinástica rígida". À medida que São Paulo possa ter exagerado na imagem de Jesus em beneficio de seu público pagão, não há dúvida de que os padres que vieram depois na nova Igreja manipularam os escritos de Paulo para satisfazer aos seus empenhos, assim como São Clemente, de forma ousada, corrompeu o Evangelho de Marcos. Mesmo durante sua vida, Paulo alertou as pessoas sobre cartas falsas supostamente feitas por ele, e era comum que as epístolas fossem produzidas com objetivos de propaganda. As cartas de Paulo para Timóteo, Titos e Filemon foram temas de análise lingüística específica, e é duvidoso que elas representem cartas autênticas de suas próprias mãos. Essas correspondências enviadas individualmente (conhecidas como Cartas Pastorais) são muito diferentes em estilo e vocabulário daquelas endereçadas às congregações de comunidades, como aos Coríntios, Gálatas e Tessalonicenses. É na epístola de I Timóteo que são encontrados os supostos comentários de Paulo sobre a repressão às mulheres, mas os estudiosos hoje acreditam que eles foram falsamente escritos um bom tempo depois da morte de Paulo. Em consideração a esse fato, devemos observar alguns outros documentos antigos sobre isso, para ver o que os escritos não oficiais têm a dizer sobre as mulheres e o ministério. É com surpresa que descobrimos que Clemente de Alexandria, em seu Comentário sobre 1 Coríntios, escreveu que os apóstolos trabalhavam na companhia das mulheres que eram "irmãs" e "co-ministras". Orígenes de Alexandria (185-255 d.C.), quando escreveu sobre a auxiliar de Paulo, Febe, afirmou que as mulheres eram "instituídas como diáconas na Igreja". O senador romano, Plínio, o Jovem, escreveu em 112 d.C. sobre as diáconas. Uma transcrição do Concílio de Nicéia discute o papel eclesiástico das diáconas, como fizeram Epifânio de Salamina

(315-403 d.C.), São Basílio de Cesaréia (329-379 d.C.) e vários outros. Talvez o mais surpreendente, apesar de todos os conteúdos antifeministas mencionados no Capítulo anterior (veja p. 137), e em contraste com termos gerais do documento, até a Constituição Apostólica faz diferenças de oficio entre os diáconos e as diáconas. Portanto, é ilógico e totalmente falso para a hierarquia da Igreja dizer que "Nosso Mestre e Senhor, o próprio Jesus, quando nos enviou os 12 para serem discípulos das pessoas e das nações, não enviou a lugar algum mulheres para rezar". A evidência documental prova, sem deixar dúvidas, que isso é falso. A prática da ordenação das mulheres para o oficio clérigo existia muito antes da época do Novo Testamento. Talvez a mais conhecida dessas mulheres tenha sido Santa Olímpia de Constantinopla, do século IV. Tendo recebido uma imensa fortuna de seus pais, Olímpia casou-se com Nebridius, prefeito de Constantinopla. Ele morreu logo depois e Olímpia, uma jovem viúva rica e sem filhos, construiu a Hagia Sophia a principal igreja da cidade, onde foi consagrada como diácona pelo Alto Bispo Nectarius. Depois, trabalhou com seu sucessor, o famoso São João Crisóstomo. A Igreja Bizantina deve muito de seu sucesso histórico e seu prestígio a Olímpia, bem como o Império Oriental como um todo, que se beneficiou muito com sua filantropia para os pobres do reino.

O CASAMENTO DINÁSTICO
As almahs bíblicas do Novo Testamento (incluindo Maria, a mãe de Jesus, e Maria Madalena) eram o equivalente às freiras, criadas e educadas para a possibilidade de um casamento dinástico. Elas eram sacerdotisas de sangue puro em seus próprios direitos, designadas a várias ordens tribais, tais como as de Dã, Aser e Manassés, e estavam ligadas à comunidade dos terapeutas ascetas em

Qumran. Os essênios de Qumran e do deserto da Judéia sempre foram considerados celibatários, e a maior parte deles de fato o era. Entretanto, eles governaram por muitas gerações e eram necessariamente procriadores, apesar de auto-regulados por leis bem restritas. A atividade sexual não era uma busca de lazer ou prazer, nem era relacionada à afeição. As linhas de atuação eram rígidas e muito controladas pelos sacerdotes angélicos, tais como Gabriel, que nós já abordamos. Josephus tinha muito a dizer desse seu conhecimento da seita dos essênios em seu Antiguidades e Guerras dos Judeus. Com referência a Maria, mãe de Jesus, tanto Mateus 1:18 quanto Lucas 2:5 afirmam que ela foi desposada por José e ela é, a partir de então, referida como sua "esposa". Aqui, a palavra "desposada" não significa namoro ou noivado; refere-se a um casamento contratual. Mateus 1:1-17 e Lucas 3:23-38 também dão listas referentes à geração dos descendentes ancestrais homens até Jesus, por intermédio de seu pai José, na linha da Casa Real de Davi. A ancestralidade davídica é confirmada em Hebreus 7:14, que afirma que Jesus era o descendente real de Judá. Como esposa de um marido dinástico, a esposa de José, Maria, teria sido dominada pelas regras aplicáveis às linhas messiânicas (ungidas) como as do rei Davi e de Zadoque, o Sacerdote. Essas regras dinásticas não eram algo comum e eram bem diferentes das normas maritais dos judeus. Os parâmetros de operação foram explicitamente definidos, ditando uma vida de celibato exceto para a procriação e, apenas então, em intervalos fixados. Três meses após a cerimônia de noivado, um primeiro casamento era formalizado para começar o matrimônio no mês equivalente a setembro. Relações fisicas eram permitidas depois disso, mas apenas em dezembro. Isso servia para garantir (tão efetivamente quanto possível) que qualquer nascimento dinástico ocorresse seguindo a expiação no mês de

parece que as regras do casamento dinástico foram desrespeitadas. ele seria o primeiro descendente de José na sucessão davídica. onde a criança seria criada pelos padres. Se a esposa em período probatório concebesse. antes do segundo casamento. O motivo de esse casamento completo não ocorrer antes da gravidez fora bem determinado para acomodar a mudança legal de esposa do marido dinástico caso a primeira fosse estéril.C. .C. Para evitar o embaraço. deixando um possível irmão mais novo tornar-se seu substituto na linha real.). Uma vez que a gravidez não autorizada de Maria fora confirmada. cerca de três meses antes do primeiro casamento. era celebrado quando ela estivesse com três meses de gestação. a noiva ainda era vista como uma almah até a finalização do segundo casamento que. 7 a. A união sexual deve. as relações íntimas eram suspensas até dezembro seguinte. em setembro. 12 de março. e assim sucessivamente. ter ocorrido seis meses antes do mês de dezembro. Mas se a criança fosse um menino. Se a noiva não concebesse. visto que Maria deu à luz Jesus no tempo errado do ano (domingo. ele teria posto Maria na custódia monástica (intentou deixá-Ia secretamente. O filho de José e Maria era claramente uma possibilidade importante e exigia um tratamento especial como uma . Maria não só concebeu como uma almah (donzela/irmã). Teria tido pouco sentido criá-Io como um órfão não identificado.na época do noivado inicial -. No caso de José e Maria. O segundo casamento ocorreria no mês de março. portanto. como qualificado por Flavius Josephus. como em Mateus 1:19). O objetivo desse prolongamento era permitir a possibilidade de um aborto. José teria tido como garantia a opção de não passar pela cerimônia do segundo casamento. Entretanto.setembro. mas também deu à luz como uma almah (virgem nos textos traduzidos). em junho de 8 a. um segundo casamento era realizado para legalizar o matrimônio.

a primeira existência não teria contato fisico entre o marido e a esposa até algum tempo depois que a criança viesse a nascer "E José. poucos ficariam surpresos. se ele aparecesse como tal. O levantamento de Lázaro foi o último milagre de Jesus. a água e o vinho foi o primeiro. O NOIVADO Uma rápida olhada nos Evangelhos do Novo Testamento revela um casamento em particular em que Jesus fora participante ativo. ele se reconhecia qualificado para ser esse messias e. ele foi revolucionário na visão de . como o levantamento de Lázaro. Ele também estava ciente de que um messias salvador fora muito anunciado . O Gabriel angélico (o sacerdote Abiatar) teria aconselhado que. Entretanto.exceção à regra. uma vez que o legado sagrado estava em risco. José deveria prosseguir com a cerimônia do segundo casamento. Este é o casamento em Caná. onde ele realizou a transformação da água em vinho.um redentor profetizado que era esperado para introduzir uma nova era de libertação. e recebeu sua mulher. as regras normais teriam sido aplicadas apenas mais uma vez . (Mateus 1:24-25). "pois o que nela se gerou é do Espírito Santo" (Mateus 1:20). e ele sabia que as pessoas da Judéia não seriam libertadas da opressão romana até que abandonassem seu próprio sectarismo inflexível. e não a conheceu enquanto ela não deu à luz um filho. é estranho que esse evento aparentemente importante só seja mencionado no Evangelho de João. e pôs-lhe o nome de Jesus". tendo despertado do sono. Seguindo essa dispensa. Jesus tinha pouca paciência com os credos rigorosos dos grupos judeus como os fariseus. Com isso em mente. mas isso está da mesma forma confinado na visão de apenas um Evangelho. Sendo o herdeiro da casa real davídica. fez como o anjo do Senhor lhe ordenara.

tendo acabado o vinho.mundo e posicionou-se distanciado das práticas comuns. em mesas de tais comunidades. Mas ele prestou atenção a essas tecnicalidades e procedeu para implementar mudanças dos rituais. por sua própria natureza. Como identificado em Hebreus 7:14. o que Jesus fez não teve nenhuma autoridade social designada. De qualquer forma. sem levar em consideração sua deficiência de titulação. então. os . às vezes acompanhada por leras (um assombro) e semeion (um sinal). que se refere a uma ação "de poder". o Evangelho explica: "E. Jesus hesitou. Isso incluía os homens casados. Ao descrever a festa de casamento. ele nem era um rei em atividade nem um sumo sacerdote. A relevância da seqüência é que apenas aos levitas totalmente iniciados era permitido beber o vinho cerimonial. Os milagres não são necessariamente eventos sobrenaturais. Isso. qualquer intervenção de sua parte com referência ao vinho seria vista como uma quebra da Regra. desprezando muitas das tradições hebraicas. a palavra usada nos Evangelhos (traduzida como milagre) foi dunameis. a mãe de Jesus disse: Eles não têm vinho". Mas sua mãe rejeitou sua falta de poder e dirigiu-se aos servos. dizendo: "Fazei tudo quanto ele vos disser" (João 2:4-5). Todos os outros presentes eram vistos como não santificados e ficavam restritos ao ritual de purificação com a água. Na verdade. afirmando: "ainda não é chegada a minha hora". então continua com uma visão de Jesus aparentemente transformando jarras de água em jarras de vinho. Em sua primeira oportunidade de romper abertamente com a convenção no casamento em Caná. mas são. extraordinários e sem precedentes. o serviço do vinho era prerrogativa do sacerdote que presidia. O Manuscrito da Regra de Qumran define que. e ainda assim ele claramente interveio. Jesus não tinha autoridade sacerdotal.

Alguns dos discípulos estavam lá. pois quando o assunto da comunhão do vinho surgiu. e isso é muito relevante. E como a mãe. a mãe de Jesus disse aos servos: "Fazei tudo quanto ele vos disser". não era uma cerimônia de casamento. então. e ele estaria à frente dos procedimentos como o Soberano da Festa. os gentios e todos os judeus. apenas fala de uma festa de casamento e da água e do vinho. que afirma: "Estavam ali postas seis talhas de pedra. como muitos teólogos comentaram. Isso é confinnado em João 2:6. mas simplesmente observou que estava surpreso que o bom vinho tivesse aparecido dessa forma. Assim como a discussão sobre o casamento em Caná. Muito importante nesse aspecto é o bispo John Shelby Spong de Newark. Maria. Essa. Nenhum convidado teria tido esse direito de comando e.novos. Ele não comentou sobre a maravilhosa transformação. mas um banquete de noivado. o bispo Spong faz algumas observações interessantes sobre outras entradas do Novo Testamento. para as purificações dos judeus". declarou ter instruido os servos a obedecerem Jesus. assim como v'ários outros convidados. à medida que o pensamento da Igreja moderna é referido. cujo tratado sobre Maria Madalena é muito revelador. Ele chama a atenção particulannente . O significado da atitude de Jesus é que ele tomou para si o rompimento da tradição quando abandonou a água da purificação e pennitiu que os convidados não iniciados tomassem o vinho sagrado. incluindo os gentios e outros que eram tecnicamente impuros. Jesus e o noivo pareciam ser a mesma pessoa. o episódio "manifestou sua glória e seus discípulos acreditaram nele". O costume pedia convidados formais (como é descrito). Não há nada no Evangelho de João sobre o casamento em Caná. O Soberano da Festa (grego: architriclinos) "não sabia nada sobre isso (mas os servos que puxaram a água sabiam)". A autoridade secundária ficava com o noivo e sua mãe.

os quais contêm menos de 50% do total? Em todos os lugares do Novo Testamento. se não fosse sua esposa? À luz desses e de outros exemplos igualmente intrigantes. sobre seus apóstolos mas por que limitar o Novo Testamento aos Evangelhos. Ele escreve: "O registro foi omitido.. ocorreu em junho de 30 d. a festa do casamento em Caná. é dito que eles eram casados. os Evangelhos (todos os quatro) afinnam com certeza que Jesus era casado. o que é .para 1 Coríntios 1:5 com referência às esposas e irmãs dos apóstolos que acompanhavam Jesus e pergunta: Como Maria Madalena se tornaria a líder do grupo das esposas (a Apóstola dos Apóstolos) .se ela não fosse a consorte de Jesus? Como ela teria o direito de reivindicar o corpo de Jesus (como em João 20:15) se não fosse da família? Por que ela assume a obrigação de esposa de ungir Jesus para o funeral. quando há tantos pontos positivos a considerar? E.C. O mesmo poderia ser dito. fala-se sobre as esposas dos apóstolos. Nos termos da cronologia do Evangelho.seu nome sempre está em primeiro nas listas . na Galiléia. Em resposta aos apelos dos apologistas. como vamos descobrir.). Mas o que é um pequeno ponto de oposição negativa em uma negativa. é claro. pois esse relacionamento era tão verdadeiro que as pistas dele estão espalhadas em todos os Evangelhos". Muitos apologistas da Igreja favoráveis à desumanização de Jesus afinnam que em nenhum lugar nos Evangelhos. o bispo Spong sugere que a discussão crescente é muito favorável a que Jesus e Maria fossem marido e mulher.. mas não destruido.. muitos outros observaram que em nenhum lugar nos Evangelhos é dito que Jesus não era casado. pela Igreja cristã (.

CAPÍTULO 10 Os HERDEIROS O CASAMENTO DE MADALENA O termo Messias. deriva do hebraico mãsach (ungido). em dezembro.C. ocupa a posição da mesa à esquerda de Jesus. Entre os Manuscritos do Mar Morto. Maria Madalena ungiu Jesus na casa de Simão (Lucas 7:37-38). Um Messias era "Aquele Ungido". como uma almah no noivado. ela teria sido considerada uma mulher enfraquecida até que o casal fosse permitido ficar junto para a união fisica. como é aplicado a Jesus. enquanto na pintura do século XV de Gerard David. Jesus não era único. no afresco de Giotto. sobre isso. Seguindo essa mesma cronologia. Um outro . Depois. No mundo das obras de arte. o primeiro casamento. Ele era um Messias. ela está sentada entre Jesus e seu pai. Maria está colocada entre Jesus e sua mãe (veja ilustração 13). Portanto. mas haveria outros "ungidos" na linhagem real antes dele. No século V.absolutamente correto com a dinastia de noivado de três meses antes de setembro. descobrimos que em setembro de 30 d. de onde vem a designação real de "Cristo". ela também teria chorado por causa de seu marido (como Lucas 7:38 realmente relata que ela chorou). antes que eles fossem separados pela lei durante outubro e novembro. quando retratada. o texto conhecido como Regras da Guerra (escrito muito antes da época de Jesus) fala de uma estratégia de batalha para a guerra contra opressores sombrios e de nomes de Messias como o comandante militar supremo de Israel. sempre ficou claro que Maria Madalena estava presente na festa de casamento de Caná. por exemplo. O equivalente em grego era Christos. e. E nessa situação.

os reis eram ungidos com óleo de crocodilo porque ele era associado com destreza sexual. Salomão e sua dinastia eram de Messias (Os Ungidos). é apresentada nos Evangelhos de Mateus. ou as rainhas da Síria e de outras terras além do domínio hebreu. os zadoques têm a prerrogativa do sumo sacerdócio por toda a sucessão davídica . No antigo Egito. Marcos e João. intitulado Regras Messiânicas. houve diferenças na prática. nesse caso. mirra. Não foi uma unção para o trono nem envolvia o sacerdote Zadoque. A descrição dessa unção. a unção real chegou até Israel. fala do oficio messiânico e do Concílio da Congregação da comunidade. Mas Jesus nunca teve uma posição real e não atingiu sua posição de Messias até que Maria Madalena fizesse a unção em Betânia. então. ungido (2 Samuel 5:3). na Mesopotâmia. Isso foi mais semelhante às unções de casamentos tradicionais feitas pelas irmãs-noivas dos faraós. Quando reconta o evento de Lázaro. Davi. Portanto. a intrépida besta real (um lagarto de quatro patas) era chamada de Mûs-hûs.pergaminho de Qumran. uma raiz cara extraída do Himalaia (João 12:3). que corresponde ao israelita Messiah. Maria usou o "bálsamo de nardo". Isso se .tanto quanto mais tarde os monarcas europeus foram instalados pelo papa ou pelo arcebispo de Canterbury. uma semana antes da crucificação. A partir dessas tradições. quando o reino foi fundado pelo rei Saul (1 Samuel 10:1). Também. João 11:1-2 explica que Maria tinha ungido Jesus em uma outra ocasião. assim como seu filho Salomão (1 Reis 1:39). A partir de então. cálamo e cássia (como esse estabelecido para o óleo sagrado de unção em Êxodo 30:23-25). O rei Davi foi. Essa unção real determinava a situação de um Messias. com o qual o ritual legou Zadoque a sacerdote. Entretanto. O crocodilo sagrado dos egípcios era o Messeh. que seguiu o levantamento de Lázaro e aconteceu em sua casa. em vez do azeite de oliva misturado a canela. Antes disso.

celebrada em março para legalizar o matrimônio.. Visto que a segunda fase (a consolidação do contrato) só era realizada após o terceiro mês de gestação. muito precioso. quando Maria ungiu os pés de Jesus e os secou com seu cabelo. é uma adesão precisa a essa regra ..a primeira unção em setembro seguida à festa de noivado em Caná em junho e uma segunda unção em março. Como vimos. estando grávida ou não. exceto para a procriação em intervalos regulamentados. depois do qual a relação fisica era permitida em dezembro. .C. ficou com seu contexto um pouco confuso. as regras do casamento dinástico não eram simples. com Jesus e Maria Madalena. então. e.C. a noiva era vista pela lei como uma almah. e derramou-o sobre a cabeça dele". portanto. enquanto Mateus e Marcos adicionam que Maria também pegou sua "caixa de alabastro de bálsamo de nardo. A primeira unção (Lucas) ocorreu em setembro de 30 d. A Segunda unção foi em março de 33 d. João confirma que esse mesmo ritual foi repetido.C. Caso a concepção ocorresse.refere a uma unção anterior como dada no Evangelho de Lucas.C. isso quer dizer que Maria deve ter concebido em dezembro de 32 d. Parâmetros definidos explicitamente ditavam uma vida de celibato.. com respeito ao "cabelo dela". daria à luz no mês da Expiação em setembro de 33 d. A palavra foi thrix (um tipo de véu descrito como "um cabelo") e relaciona-se a um turbante usado pelas mulheres da época. Nessa ocasião. uma cerimônia de segundo casamento era. A tradução dessa passagem. Um prolongado período de noivado era seguido pelo primeiro casamento em setembro. Durante o período experimental e até o segundo casamento. O que temos aqui.

Na verdade. foi usado o óleo de nardo em vez da mistura normal? Judas Iscariotes aparentemente reclamou que era muito caro para ser usado para tal propósito (João 12:4-5).Mas por que. é o nardo que determina especificamente a unção messiânica. independentemente de um evento de noivado. como . nessa ocasião.

não havia regras de primogenitura.. (Cânticos 1:12) Essa cena é repetida em Betânia. Dentre os livros mais românticos do Antigo Testamento está o chamado Os Cânticos de Salomão . unges com óleo a minha cabeça.. Em tempos anteriores. Apenas como a esposa de Jesus e uma sacerdotisa em seu próprio direito é que Maria poderia ungir tanto sua cabeça como seus pés com a unção sagrada. os reis não eram automaticamente sucedidos por seus filhos. e João 12:3 acrescenta que: "encheu-se a casa do cheiro do bálsamo". onde o ofício também foi realizado por Maria enquanto Jesus sentava-se à mesa. O imaginário também está descrito no Antigo Testamento no Salmo 23: "O Senhor é meu pastor. como é explicado nas idéias de Rábano e Jacapo sobre a família dela. A . dava o meu nardo o seu cheiro". Realizar o ritual nupcial da unção era privilégio claro de uma noiva messiânica e era realizado apenas nas cerimônias do primeiro e segundo casamentos. onde se fala sobre o aspecto feminino da divindade: "Preparas uma mesa perante mim. Todos os Evangelhos destacam que o bálsamo era precioso e caro. Isso fora diretamente herdado da tradição Inanna-Dumuzi do Hieros Gamos (Sagrado Matrimônio) do pastor-rei. O Cântico identifica a parte simbólica do matrimônio real como a unção aromática do nardo: "Enquanto o rei se assentava à sua mesa.distinção de uma investidura real como havia sido realizada pelo sacerdote Zadoque..". Ele faz referência a um antigo ritual pelo qual a noiva real santificava a refeição de seu noivo. o meu cálice transborda".. O ritual era predominante na mais antiga cultura aristocrática da Suméria Mesopotâmica como uma representação do prazer da en trega da Deusa e realeza do seu noivo escolhido. O segredo para tudo isso e o motivo para o nardo ficam claro pelo fato de que Maria Madalena era de descendência síria.uma série de cânticos de amor entre uma noiva soberana e seu noivo.

quando um fracassava. As relações pessoais e a terra eram consideradas ligadas de modo insolúvel. Seus cavaleiros. Samuel Noah Kramer. Uma mesa e um trono eram feitos para o rei a partir de madeira tirada do campo e. Eles se originam de um antigo ritual de fertilidade baseado no Hieros Gamos de Inanna e Dumuzi. identificou corretamente que "isso não tem relação com a história do povo hebreu". o outro fracassava. No Capítulo 2 (veja p. No romance arturiano. Em seu comentário sobre esse assunto. procuraram restaurar a matrilinearidade do Sangréal (Santo Graal). O Cântico reconta a competição pelo amor de Abishag entre o rei Salomão e seu irmão Adonias. e da contínua aceitação sexual do pastor-rei dependia a fertilidade da terra. são ambos a mesma tradição síria. com sua essência erótica do nardo e a unção paralela de Madalena na Betânia. e diziam que a devastação árida não retornaria à fertilidade até que a ferida do rei estivesse curada. era uma Abishag (Abgail) nobre da fronteira da Síria. como é citada em 1 Reis 2:13-25. a descendência síria dos ancestrais da família de Maria Madalena deu o direito ao uso do nardo na Betânia.realeza dependia das escolhas das princesas. mas aquela rainha tinha de ter sangue reaI. da cidade de Solam (Shulam). e era parte dos rituais da Eira da semana de festas do casamento do rei de Sölam. Essa tradição foi registrada como uma festividade rural até 1873. no mesmo contexto dos Cânticos em Cânticos de Salomão. Não só um homem não poderia ser rei sem uma rainha. vimos que a noiva real do Cântico de Salomão referia-se a Sulamita. enquanto os amigos e a família faziam as . a terra de Camelot caiu em ruínas quando o rei Arthur perdeu a afeição de Guinevere para Lancelot. Tel Aviv). subseqüentemente. Com referência a isso. Os Cânticos de Salomão (Shirath Shiram). 42). do Instituto de Assiriologia e Estudos do Oriente Próximo Antigo (filiado à Universidade Bar-Ilan.

ela cantava uma música na noite do casamento que correspondia exatamente à seção de cânticos dos Cânticos de Salomão e. ele. a noiva realizava seu ritual de rainha. Abishag e Madalena. ungia-o. Portanto. em relação ao mesmo. a Senhora da Luz. no Sermão 57 do seu Sermão dos Cânticos. estava abaixo da dignidade de Jesus. O conhecimento da instituição nupcial messiânica não está restrito aos arquivos de conspiração. É por isso que as catedrais de Notre Dame dos Templários da França foram originalmente consagradas a Maria Madalena. descreve a unção de Betânia em seus magníficos vitrais de Madalena.homenagens. enquanto o casamento é um estado honrado para o resto de nós. às sociedades secretas ou à compreensão de códigos enigmáticos. referia-se a Abigail de Shulam. Maria Madalena é vista como uma presença constante na vida dele. Desde o início da missão de Jesus. de alguma forma. Dessa forma. Ela o patrocinava. estava bem ciente dessa associação simbólica entre Salomão e Jesus. patrono dos Cavaleiros Templários do século XII. e era companhia para sua mãe e . contava segredos a ele. por meio de uma associação arrogante. ele permanece abaixo da dignidade de uma instituição sacerdotal que parece preocupar-se pouco com sua reputação em outros aspectos.uma tentativa dos bispos de insinuar que. Os detalhes do ritual da cerimônia estão apresentados em todo o Evangelho do Novo Testamento. o fato nunca foi um segredo. São Bernardo de Clairvaux. E é por isso que. Por isso. É por isso que a mais importante das catedrais. Apesar de tudo o que foi escrito em trabalhos de ficção e nãoficção sobre o relacionamento nupcial secreto de Maria com Jesus. Bernard menciona Maria Madalena como "Noiva de Cristo". Notre Dame de Chartres. Eles foram simplesmente velados por uma agressão persistente da Igreja ao legado de Madalena . viajava com ele. ele exigiu a obediência da Ordem à torre de vigia de Madalena.

uma prostituta! .a mulher que sabia de Tudo e a mulher que Jesus amava. sua personagem foi brutalmente assassinada por uma instituição temerosa e invejosa. Rebaixada dessa forma. de sua sabedoria à sua incerteza. Por que não amaria? Ela foi chamada de Deusa nos Evangelhos. No curso disso. Em resumo. enquanto sua mãe tornou-se uma maravilha assexual que representava ninguém. É claro que Jesus a amava. mas há um romance de uma mulher sagrada na herança de Sofia de Maria Madalena.sua pessoa foi deixada historicamente sem salvação.irmãs. E com relação a Jesus . Ela estava aos pés da cruz. Mas ela foi a mãe dos herdeiros Desposyni e. nós teríamos preferido acreditar que Jesus optou por uma relação não obrigatória com uma prostituta. tem presença sexual e sua história incorpora uma riqueza de experiência aventureira. e é por isso que tantos agora olham para Maria Madalena. cujas esposas também viajavam com eles). ela nunca teria sido um modelo para a condição da mulher. Maria Madalena foi mais próxima de Jesus que qualquer outra pessoa. por causa disso. a própria humanidade de Jesus foi violada substancialmente. De sua irritação ao seu choro. a mulher que Jesus beijou e chamou de A Abençoada . em vez de ter uma esposa? A reputarão de Maria Madalena foi dizimada por uma campanha de propaganda que não tinha fundamentação bíblica nenhuma. Não é possível encontrar nada em conseqüência de uma imagem de mãe virgem. ela tem todos os atributos da realidade e sua lealdade nunca foi vista em desequilíbrio. cuidou de Jesus com especiarias no sepulcro e foi a primeira a falar com ele no jardim. e isso traz uma questão intrigante: ao aceitar que Jesus era casado (como os apóstolos. com sua mãe sendo uma virgt'm e sua amada. Ela é considerada em documentos a consorte de Jesus e Apóstola dos Apóstolos.

os números masculino e feminino totalizam 1. Portanto. em Gênesis 17:19 .080 anos do rei Davi até Jesus. Isso foi baseado no Gênesis 25:20 . Ela e Jesus realizaram seu segundo casamento no ritual de Betânia em março de 33 d. Além de ser capaz de colher essa informação diretamente dos Evangelhos. isso também é um assunto de avaliações diretas. O significado disso até que Jesus seja o Salvador esperado (profetizado em Zacarias 9:9) é que 1. uma vez o reinado iniciado.080 é visto como um número mágico lunar do eterno feminino . A linhagem real de Israel tinha sido prometida ao filho de Abraão. Seu oposto polar na força solar era o número masculino 666."E Isaque tinha quarenta anos quando tomou por mulher Rebeca". Ela atravessa 1.a eneria espiritual das fontes e correntezas. "O tempo que Salomão reinou em Jerusalém sobre todo o Israel foi 40 anos" (1 Reis 11:42).C. e contém 27 gerações de 40 anos cada."Com ele estabelecerei meu pacto como pacto perpétuo para sua descendência depois dele". o padrão de 40 anos foi usado em todos os registros. (2 Reis 12:1).746. e "Joás começou a reinar. na época em que a cabeça de Jesus foi ungida e ele obteve a condição messiânica.O REINO DOS CÉUS Pela aplicação das regras dinásticas da comunidade. Era exigido de um herdeiro homem à sucessão real que tivesse seu primeiro filho perto ou no seu aniversário de 40 anos."Davi reinou sobre Israel 40 anos" (1 Reis 2:11). Juntos. Como é dado no Apocalipse 13:18. Quarenta anos era o período reconhecido de uma geração real. Maria Madalena estava grávida de três meses na época da crucificação. Ao detalhar a linha messiânica. sem considerar o que possa ter sido na realidade . que Platão chamou de . "É o número de um homem".. a geração de 40 anos é aparente na lista genealógica de Mateus 1:6-16. Isaque. e reinou 40 anos em Jerusalém".

o período de celibato era limitado a três anos. O retorno para o estado de matrimônio era chamado de Tempo de Restituição. Durante a gestação.o Hieros Gamos. essa restrição era mantida por seis anos. e seriam teoricamente marcados para o 39º. Se um filho nascesse. se a criança fosse uma menina. Maria concebeu e ungiu a cabeça e os pés de Jesus em Betânia. uma criança poderia nascer em setembro seguinte. apesar de ainda ser vista como uma almah (donzela) até que ela se tornasse "mãe". pois um filho nascido por volta do 40º. Mas.. Entretanto.C. setembro. o primeiro casamento de Jesus aconteceu em setembro de 30 d. não houve concepção naquele dezembro nem no dezembro do ano seguinte. Com a atividade sexual permitida em dezembro. até seu segundo casamento.C. . na prática. e ela seria elevada novamente ao título de "irmã".e assim por diante. quando Maria Madalena ungiu seus pés pela primeira vez e chorou (Lucas 7:37-38). e no sistema numérico da Gematria grega esse era o número do Sagrado Matrimônio . Nesse ponto. Por outro lado. Aparentemente. setembro). O choro simbólico significava a redução temporária da noiva da posição de "irmã" para "mulher enfraquecida" (o mesmo que "viúva"). setembro do noivo. santificando formalmente seu segundo casamento em março de 33 d. o casal não tinha permissão para manter contato fisico. aniversário do homem em setembro. o casal tentaria novamente um ano mais tarde . Os primeiros casamentos dinásticos aconteciam no mês da Expiação de setembro. ano do marido era totalmente aceitável dentro dos padrões de gerações. eles estavam legalmente unidos. (em seu 36º."fusão". em dezembro de 32 d. Se não houvesse concepção no primeiro dezembro. com a primeira chance de uma criança nascer em seu 37º. sempre havia a chance de que o primeiro filho fosse uma filha.C. Segundo essas regras. então a provisão da contingência era feita levando a cerimônia do primeiro casamento para o 36º.

a Sarah".C. seis meses depois da ressurreição. Maria é referida como "mãe de Jesus". Damaris em grego. Um ponto que vale ser mencionado agora é a forma com que os Evangelhos se referem à mãe de Jesus. desde o princípio. . era seu título.C. há uma reversão para a antiga situação de Maria como "mãe de Jesus" (Atos 1:14). Em hebraico. que já dantes vos foi indicado.. No ponto em que Jesus é considerado morto na cruz. mas está parcialmente incluída como Apêndice II neste livro. Ela recebeu o nome de Tamar (Palmeira). Sarah significa "princesa". então. Maria é referida (no local da execução e no sepulcro) como a "mãe de Tiago e José" (Mateus 27:58 e Marcos 15:40) e como a "mãe de Tiago e Salomé" (Marcos 16:1).O 39º. As citações relacionadas a ela deixam a situação preocupante do estado de Jesus totalmente clara. Tamar foi a matriarca da Casa Real de Judá (Gênesis 37-38) e o nome da filha do rei Davi (2 Samuel 13:1). o nome da filha é dado como Sarah. setembro de Jesus foí em 33 d. Em O Código Da Vinci. o Cristo. para o beneficio de novos leitores. das quais Deus falou pela boca dos seus santos profetas. A seqüência dos eventos com referência ao julgamento. entrou em um estado de celibato por três anos até o Tempo da Restituição. Maria.. Entretanto. mais tarde. como é detalhado em Atos 3:20-21: E enviei ele. Jesus. Jesus. mas Sarah não era seu nome. quando Jesus aparece novamente. Ela era "Tamar. Antes da crucificação. Em setembro de 33 d. à sentença e à crucificação de Jesus e suas conseqüências foi amplamente discutida em A Linhagem do Santo Graal. nasceu uma filha de Maria Madalena. tanto na crucificação como na ressurreição. ao qual convém que o céu receba até os tempos da restauração de todas as coisas.

Não só Jesus falava em parábolas.um ritual em que ele figurativamente "subia aos céus". Apesar de reconhecido por muitos como o Messias davídico. A elevação de Jesus para o sacerdócio é registrada no Novo Testamento por um evento geralmente conhecido como a Ascensão. vejam. Jesus procurava há muito tempo entrar no lugar sagrado dos sacerdotes anciãos de Qumran .O mês de setembro de 33 d. conhecido como o Reino dos Céus. e ouvindo. o termo Nuvem era mantido como uma designação simbólica dentro da fraternidade de Qumran. Conseqüentemente. Uma nuvem tinha conduzido os antigos israelitas para a Terra Prometida (Êxodo 13:21-22) e a aparição de Deus para Moisés no Monte Sinai tinha sido acompanhada por uma nuvem (Êxodo 19:16). mas aos de fora tudo se lhes diz por parábolas. ouçam. para que vendo. Assim. o desejo de Jesus estava garantido. designado como a Nuvem. as passagens dos textos do Evangelho que parecem ser narrativas diretas (não importa o quanto aparentemente sobrenaturais em seus contextos) também são parábolas.C. e não percebam. na qual Jesus foi admitido para o sacerdócio . aplicando alegorias e paralelos que eram significativos para "aqueles com ouvidos para ouvir" . Ele foi ordenado e conduzido ao Céu pelo Líder dos Peregrinos que foi. com respeito à comunicação sacerdotal com Deus. . Como Jesus disse aos discípulos (Marcos 4: 11-12): A vós é confiado o mistério do Reino de Deus. coincidiu com Simão Zelote (Lázaro) sendo formalmente instaurado como o Pai da comunidade dos essênios. por meio de um imaginário do Antigo Testamento. e não entendam.aqueles que conheciam os códigos dos escribas. Com Simão na função. mas os escritores do Evangelho fizeram o mesmo.o alto monastério em Mird.

Tendo em mente que isso ocorreu seis meses depois da ressurreição. a mãe de sua filha. É simplesmente afirmado: "Tendo ele dito essas coisas. os quais lhe disseram: Varões galileus. em que suas viagens e suas reuniões foram registradas. é totalmente aparente que Jesus ainda estivesse vivo e. por que ficais aí olhando para o céu? Esse Jesus que dentre vós foi levado.C. O verdadeiro Melquisedeque.. Jesus partiu do mundo comum por três anos. foi levado para cima. ocultando-o a seus olhos". (Atos 1 :9) Enquanto Jesus partia para o reino sagrado dos Céus.. e seu imediato. durante o período em que Maria Madalena. aparece no Gênesis 14:18-20. o sumo sacerdote Zadoque. o termo Ascensão não é usado em Atos. A ORDEM DE MELQUISEDEQUE Segundo Hebreus 3:1 e 5:6. como é detalhado nos Manuscritos do Mar Morto e nas obras de Josephus. O sacerdote Abiatar era o designado Gabriel.Apesar de ter se tornado uma descrição normalmente usada para a elevação sacerdotal de Jesus. Nós já encontramos o fato de que. há de vir. enquanto ele subia. enquanto eles olhavam.o Miguel-Zadoque (Melquisedeque). sacerdote-rei de Salem. e uma nuvem o recebeu. permaneceu por todo o período dos Atos dos Apóstolos.) como sacerdote da Ordem de Melquisedeque. quando ele presenteou Abraão com pão e vinho da . a estrutura angelical era mantida dentro da hierarquia sacerdotal de Qumran. dois sacerdotes angelicais anunciaram que ele finalmente retornaria para o estado terrestre: "Estando eles com os olhos fitos no céu. assim como para o céu o vistes ir". E então foi que. depois de seis meses de sua ressurreição. (Atos 1:10-11). na verdade. eis que junto deles apareceram dois varões vestidos de branco. Jesus foi iniciado naquela época (setembro de 33 d. não teria contato físico com ele. era designado Miguel .

Rei da Virtude.. ele era o rei da Paz (como é descrito no Gênesis). entrou por nós. Fragmentos do Documento do Príncipe Melquisedeque encontrados entre os Manuscritos do Mar Morto indicam que Melquisedeque e o arcanjo Miguel eram o mesmo. onde é retratado com seu cálice e o pão diário do alimento espiritual. ele foi ordenado como sacerdote-rei para entrar no Reino dos Céus: "Onde Jesus. Por outro lado. Também é explicado que a lei referente ao sacerdócio tinha sido mudada para acomodar a nova distinção arcangélica de Jesus (Hebreus 7:12). Isso era de muita importância para Jesus. Em hebraico. é claro que Melquisedeque era o indicativo do sacerdote da realeza. o Documento de Damasco de Qumran confirma que os estilos de Zadoque e de Melquesedeque eram equivalentes e apoiavam-se mutuamente. segundo a ordem de Melquesedeque” (Hebreus 6:20). e visto que Melchi (ou Malchus) relacionava-se com a realeza. o nome deriva de Melek (rei) e Tsedeq (virtude) . que tinha . Mas nesse ponto.comunhão do Graal. Em suma. Da mesma forma. descendendo de Judá e Tamar. Nesses antigos pergaminhos. Para explicar o significado histórico disso. O motivo por que esse sacerdócio de Zadoque era tão importante para a lei receber uma emenda era que havia um vazio a preencher no mais alto nível da comunidade. tribo da qual Moisés nada falou acerca de sacerdotes". Sua estátua encontra-se na porta norte da Catedral de Chartres .C.às vezes Melchi-zaddiq .o Portão dos Iniciados -. Ele afirma: "Visto ser manifestado que Nosso Senhor procedeu de Judá. visto que Zadoque era a última distinção sumo-sacerdotal. Hebreus 7:14 livra-se totalmente da idéia interpretada do Evangelho do Nascimento da Virgem. porque ele não tinha titulação sacerdotal. como rei de Salem. em 33 d. feito sacerdote para sempre. A linha zadoque. a fim de confirmar que o verdadeiro pai de Jesus era José. como precursor. Melquisedeque é chamado de Aquele Divino e Príncipe da Luz.

havia expirado. com a chegada do governador romano. Mesmo assim. ele "confessou e não negou. Entretanto. Mas ele também percebeu que os judeus não podiam concluir sua missão se continuassem separados dos nativos não judeus. João tornou-se conhecido em 26 d. era muito solitário socialmente para desempenhar esse papel. que eles chamavam de Professor da Virtude. mas havia muitas especulações sobre se Jesus ou João eram o esperado Messias.prevalecido por mais de miI anos. o Batista. o Batista. o Zadoque governante. era esperado que Jesus pudesse assumir a responsabilidade. que incluíam João. mas ele tinha uma visão muito limitada da persuasão oriental. enquanto Jesus era mais helenista. o Batista. com uma visão ocidental mais liberal. confessou: Eu não sou o Cristo" (João 1:20). o outro seria um príncipe da linha de Davi . Jesus sabia que a tradição tinha profetizado um Messias que levaria o povo para a salvação. João. sim. Pôncio Pilatos. Sendo o parente mais próximo dessa dinastia.um guerreiro que . A ambição de Jesus por Israel e pela Judéia era de uma sociedade harmoniosa e inte grada. apesar de tudo. João reconheceu Jesus como um legítimo herdeiro real e batizou-o no Jordão.C. A visão de Jesus era mais direta e baseada na lógica de que uma sepa ração da nação judaica nunca derrotaria o poder de Roma. João foi. A persuasão social de João era de não integrar os gentios. Um deles tinha de ser da casta sacerdotal. Em termos políticos. mas ele ficou mais que frustrado pelos judeus inflexíveis quanto aos rígidos princípios hebraicos. mas quando perguntado diretamente se era o Messias Salvador. os Pergaminhos de Qumran indicam que a comunidade vivia na expectativa de dois importantes Messias. João. a participação apostólica de Jesus e Simão Zelote tinha ocorrido em paralelo com o primo mais velho de Jesus. e ele sabia o quanto esse Messias era desejado. o filho de Zacarias e Isabel (tia materna de Jesus).

C. a tradição popular presumiu que fosse ela. portanto. João. a cabeça de Batista).devolveria o reino de seu povo.. Em um curto período. e Herodes Antipas obedeceu em setembro de 31 d. Aparentemente. mas fui enviado como seu precursor". o Batista. a esposa divorciada de seu meio-irmão Herodes Felipe. Antipas casou-se com Herodias. essa filha pediu que João fosse despojado de seu título. na verdade. que era na época um membro do Concílio Sinédrio. Lucas 3:1 afirma que isso ocorreu em 29 d. ano de Tibério César. ele reuniu seus discípulos. o 15º. Tiago. e o Batista condenou repetidas vezes o casamento. e tinha dito aos discípulos: "É necessário que ele cresça e que eu diminua" (João 3:30). João deixou bem claro que ele não era o Messias real: "eu disse: Não sou o Cristo.C. O Evangelho não identifica essa filha pelo nome. mas várias de suas profecias não aconteceram e. (Mateus 14:10). Alguns pensaram que João fosse o esperado Messias Salvador. Depois. mas As Antiguidades dos Judeus relata que Herodias tinha uma filha chamada Salomé. esse foi o fim da dinastia zadoque. Jesus então se apresentou para o domínio público. João. presumiu-se ter sido. o que deixou o campo messiânico livre para Jesus e seus herdeiros. (João 3:28) De uma posição até agora reservada. apontou seus 12 apóstolos e começou seu ministério. foi desacreditado e muitos dos seus seguidores voltaram sua lealdade para Jesus. Entretanto. declarando que isso era pecaminoso. Visto que João morreu solteiro e sem filhos. Tetrarca da Galiléia. João tinha reconhecido a importância dessa possibilidade. então. mas Tiago não estava nem um pouco interessado na . o Batista. uma filha de Herodias exigiu que João fosse executado. um ano depois. foi detido e aprisionado por Herodes Antipas. ele ficou reduzido em qualquer fato. Alguns dos hebreus do Templo apoiavam o irmão mais novo de Jesus. Sobre sua morte desprezível. e que sua tiara de Zadoque (kephale) fosse dada a ela (por causa da tradução pobre sobre isso.

do Conselho de Estudos em Divindades 1973-1991. o Pergaminho de Cobre de Qumran identifica-o como a Casa da Rainha. e as relações fisicas com sua esposa eram permitidas mais uma vez em dezembro. Mateus 2:4-5 afirma que Jesus nasceu em "Belém da Judéia". mas são usados sempre que o mesmo significado é exigido. Em alguns casos. que define os códigos dos escribas da comunidade dos essênios. o estudo mais abrangente para datar nesse campo de pesquisa foi conduzido pela dra.competição messiânica. membro da Universida de de Sydney. TEMPO DE RESTITUIÇÃO As crianças dinásticas eram criadas e educadas em um centro monástico. tão pouco é dito sobre sua infância nos Evangelhos. Esse complexo residencial. Uma propriedade muito clara da linguagem usada no Novo Testamento é que essas palavras. nomes e títulos que têm um significado oculto são usados com o mesmo significado em toda a parte. Eles não têm apenas o mesmo significado sempre que são usados. Barbara Thiering. no qual suas mães também viviam.C. Sua pesquisa é baseada na informação contida nos comentários de Manuscritos do Mar Morto. as derivações individuais dos nomes ou dos títulos . Originalmente um palácio para a realeza hasmoneana. nas cercanias de Qumran. O período de três anos da separação monástica de Jesus expirou em setembro de 36 d. era referido como "Belém da Judéia" (como oposição para separar o povoado de Belém ao sul de Jerusalém). Esses comentários dos Pergaminhos guardam os segredos de Pesharim (as rotas para as pistas importantes) e foram produzidos em uma época préEvangelhos pelos cultos escribas de Qumran. no Tempo da Restituição.. Sem dúvida. Assim. Jesus fora criado em um convento fechado na região e. por isso.

Isso é afirmado desde o início do Evangelho de João: "No princípio era a Palavra.. como é simbolizado pelo pesher na parábola do Semeador e da Semente (Marcos 4:8): "Mas outras (sementes) caíram em boa terra e. E a Palavra se fez carne. tendo ouvido que os da Samaria haviam recebido a palavra de Deus" (Atos 8:14). pois. e vimos sua glória" (João 1:1.. como em Lucas 5:1. e habitou entre nós. Sempre que a frase "palavra de Deus" é usada.sendo a frase precursora inevitável de uma passagem com significado oculto para aqueles que conhecem o código.codificados podem ser complexas e obscuras. nós podemos imediatamente entender que Jesus estava na Samaria. quando a palavra de Deus estava perto do lago. quando lemos que "os apóstolos. quando lemos "a palavra de Deus multiplicava-se" (Atos 6:7).. davam fruto". Então. mas de forma geral são mais diretas. a informação oculta nos Evangelhos é anunciada pela afirmação de que é programada "pum aqueles com ouvidos para ouvir" . A frase também foi usada em Atos para identificar o lugar de Jesus depois da ascensão. . isso significa que Jesus estava presente ou era o assunto da narrativa. vingando e crescendo. Por meio do bíblico inerente pesher (singular de pesharim que significa "explanação" ou "solução"). Em resumo.. como no caso do próprio Jesus. e a Palavra estava com Deus. segue-se que. apesar de raramente óbvias. quando abandonou a competição da dinastia: "É necessário que ele cresça e que eu diminua". tinha falado sobre Jesus. o Batista. Não há variáveis nos textos do Evangelho. As regras que governam o código são fixadas e o simbolismo se mantém constante.14). que estavam em Jerusalém. como João. Freqüentemente. Jesus é definido como a Palavra de Deus. devemos compreender que "Jesus se elevava". Portanto.

como tal. seis anos depois do . Então. Jesus agora estava destinado. Talvez não seja surpresa que o primeiro filho também tenha sido chamado de Jesus (Yeshua).C. Jesus e Maria mais uma vez retomaram seu estado marital em dezembro de 43 d..a referência dos Atos significa que Jesus dava frutos e multiplicava isso quer dizer que ele teve um filho. uma divisão mais adiante nas posições ficou aparente quando Simão Zelote firmou uma base separada para sua seita em Chipre. ele teria se tornado o guardião de Maria Madalena durante os anos da separação marital.C. enquanto o irmão de Jesus. Entretanto. CAPÍTULO 11 A CRIANÇA DO GRAAL SEPARAÇÃO Durante o início da década de 40 d. . Síria.o ano depois que Jesus retomou para seu casamento. no Tempo da Restituição. o nascimento aconteceu em 37 d. Durante esse período. Portanto.. ele excluiu Maria de qualquer posição no movimento de Antióquia. apesar de Pedro ter se casado. Mas. Como exigido pelas regras messiânicas. Tiago e seus nazarenos permaneciam influentes em Jerusalém.C. a mais seis anos de celibato monástico. o apóstolo Pedro uniu forças com o recém-convertido Paulo em Antióquia. tinha uma baixa opinião sobre as mulheres e não estava preparado para estar ao lado dc uma sacerdotisa que ameaçava sua autoridade. e lá a nova religião começou a se desenvolver antes de seguir para Roma.C. Pedro tinha sido o braço direito de Jesus e. O termo cristão foi primeiramente usado em Antióquia em 44 d. Até esse momento.. depois do nascimento de um filho.

Isso colocou Maria. Mas. Como resultado. Como resultado direto. Tiago e seus nazarenos tornaram-se uma ameaça crescente para a autoridade de Roma em Jerusalém. o apóstolo Tiago Boanerges foi executado por Herodes de Chalcis em 44 d.. Nessa fase. Ambos foram importantes no julgamento e na sentença de Jesus. Jesus não parecia estar muito preocupado com as atitudes de Pedro com relação a Maria. Maria Madalena foi uma irmã devota e ligada a Simão (Lázaro).C.C. Simão Zelote.ela teria sido classificada como uma desafiante da lei harmartölos: a palavra que foi erroneamente traduzida em Lucas 7:37 como "pecadora". ela apelou pela proteção de um antigo aluno de Paulo. na Ásia Central Menor. 116). Nessa época.C. O apóstolo Tadeu foi pego em sua tentativa de fuga e executado por Herodes de Chalcis. Seus seguidores eram vistos com grande suspeita pelos anciãos sinédrios e pelas autoridades romanas. em 32 d..C. Nós vimos que uma década antes. embora seja um apóstolo de Jesus. Simão era responsável por liderar uma revolta zelote contra Pôncio Pilatos em Jerusalém (veja p. em dezembro de 43 d. pois Chalcis sabia que ela era ligada a Simão. Maria concebeu pela terceira vez. Jesus embarcou em uma missão na Gália. ela também tinha um papel . ele foi declarado fora-da-lei por Herodes Agripa I. Portanto. ficou conhecido como um kananite (fanático).. e era constantemente suspeita de ser uma zelote . que conseguiu sua partida para o Estado herodiano em Gaul. em uma situação muito precária. e parecia estar contente que ela tivesse bons amigos em Simão Zelote e sua consorte Helena-Salomé.nascimento de seu filho. cujo assassinato ele havia agora planejado. Visto que Jesus dissera que amava Maria. grávida. na primavera de 44 d. (Atos 12:1-2). com o chefe prosélito. o jovem Herodes Agripa lI. Simão Zelote promoveu imediatamente uma ação retaliatória e envenenou o rei Herodes Agripa. mas depois foi obrigado a fugir. João Marcos.

eles chegaram à cidade de Marselha. no século XVII. na época dos reis pescadores da Gália. A VIAGEM DE MADALENA O maravilhoso manuscrito ilustrado de A Vida de Maria Madalena. Ela também era uma peça-chave na rede apostólica. a fim de preservar a linha davídica. Os documentos individuais contêm aspectos que voltam a história para o século IV. que foi republicado nos arquivos do Acta Sanctorum pelo jesuíta Jean Bollan. tendo Simão e Maria partido da Judéia. A história é mencionada em um hino dos anos 600 d. Independentemente da relação pessoal de Jesus com Maria. na província gálica de Vienne. Então. Marta. do arcebispo Rábano Mauro.duplo para desempenhar na campanha dos Desposyni. era dar à luz um filho e herdeiro de Jesus . possivelmente .C. Sua primeira tarefa. felizmente mudando o curso para a direita. conta como Maria. deixando a cidade de Roma e toda a terra da Itália ao lado direito. O manuscrito do século IX intitulado Vita emeritica beatae Maria Madgalenae é considerado cópia de um original grego do século II. As bibliotecas de Paris contêm vários manuscritos até mais antigos que os de Rábano Mauro. chegou o tempo de os dois atuarem separados e. eles viajaram cruzando o mar entre a Europa e a África. Simão-Lázaro e seus companheiros deixaram a costa de sua terra natal: E favorecidos por um vento oriental.uma tarefa que ela completou com sucesso. que agora estava ampliando seu campo de operação em outras terras. e um século antes que os cassianos fundassem La Sainte-Baume. Maria foi confiada à proteção de Simão. antes do período merovíngio. que testemunham a missão de Maria na Provença.

Maximus em 63 d. onde sua estátua foi erguida na Igreja de São Vítor. Ele se estabeleceu em Marselha. pinturas dela com Lázaro e Marta. há numerosos retratos de Maria Madalena em Provença.escrito por Hegesipo. Marcela. No mundo das obras de arte religiosas. o apóstolo. Ele finalmente levou Madalena para descansar em seu sepulcro de alabastro na Capela de St. o Grande (Máximo). . Os registros são unânimes em determinar que o líder da missão provençal era Simão Zelote. e seu companheiro Trófimo (São Trófimo de Arles). que ficou conhecido como Lázaro. seu encontro com a rainha de Marselha (veja ilustração 15). acompanhada de Felipe. imagens de meditação em sua gruta.C. Eles mostram a chegada de seu barco. e cenas em que prega para o povo de Languedoc (ilustração 51). perto do porto. Outros na comitiva original eram a serva de Marta.

Roma cuida de uma peregrinação de todo o mundo para levar seu relicário em uma procissão no mar. originalmente. a jovem viúva de Clopas (João 19:25). Maria Jacó. teve um acompanhamento extraordinário na Inglaterra. e sua memória foi preservada em Lady Marian e nos homens da lenda de Robin Hood. O De Sancto Joseph ab Arimathea afirma que "José veio a Felipe. uma sacerdotisa nazarena vestida de negro. Às vezes chamada de Maria. escreveu que São Felipe enviou a missão da Gália para a Inglaterra. tornou-se a santa padroeira reverenciada pelos ciganos. (As irmãs Maria Jacó e Sara Salomé foram apelidadas popularmente de "gypsies" por causa de suas visitas da França para o Egito. Helena Salomé foi uma sacerdotisa da Ordem do Éfeso. que a chamam de Sarah-la-Kali. Freculphus.) Nos . Marie em Paris. seu Voto de Casamento foi citado como a Merrie. que foi bem predominante na Idade Média. o apóstolo entre os gauleses". e foi designada a usar a túnica vermelha de hierodulai. Até hoje. Ela está retratada com Maria Madalena em um vitral da Igreja de St. bispo de Lisieux no século IX. como está na marca medieval adotada para Merrie Englande. foi-lhe atribuído o nome de Marina na Idade Média. Como uma sacerdotisa nazarena. em 24 de maio de todos os anos. a consorte de Simão Lázaro. ou Sara de Negro.) como a inspiração por trás da missão de José na Inglaterra. Sara Salomé. com Helena Salomé. Maria Jacó era uma sereia e.Felipe foi descrito pelo historiador Gildas I Albanicus (425-512 d. em Camargue. ela está descrita nos Atos de Madalena e no antigo manuscrito História da Inglaterra do Arquivo do Vaticano. Eles estão enterrados na cripta de Les Saintes Maries de Ia Mer. a Cigana. Ligada com o mar.C." Também na viagem estavam as irmãs de Jesus. de onde deriva o verbo inglês "to marry" (casar). Sara-Salomé e Maria Jacó Clopas. Uma antiga forma da palavra Egyptian que deu origem ao termo gypsy-cigano. "para levar as boas novas da vida no mundo e pregar a encarnação de Jesus Cristo.

primeiros dias do Cristianismo, o imperador Constantino baniu a veneração de Maria, a Cigana, mas seu culto persistiu e ela foi identificada com a amada deusa Afrodite, que diziam ter "surgido das espumas do mar". Seu símbolo mais significativo foi a concha de vieira, pintada com freqüência, junto com sua posição de Afrodite, no famoso O Nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli e Adolphe Bouguereau. Maria Jacó foi ritualmente retratada pelos anglo-saxões como May Queen, enquanto em Comwall (Cornuália) eles a chamavam de Merrow (sereia), e seus dançarinos (Merrow's Men Homens da Sereia) ainda fazem rituais sob o nome de "Morris Men" nas festividades rurais inglesas. A viagem de Maria Madalena pelo mar para a Gália foi retratada por vários artistas. Um exemplo, que está exibido na igreja de Les Saintes Maries, é uma pintura de Henri de Guadermaris. Ele retrata a chegada de Maria em um barco na costa de Provença e foi exibido no Salão de Paris em 1886. Uma outra famosa pintura com linhas semelhantes é The Sea Voyage - Viagem pelo Mar -, de Lukas Moser, que faz parte do altar do século XV, Der Magdalenenaltar, em Katholisches Pfarramt St. Maria Magdalena, Tiefenbronn, no sul da Alemanha. Do século XIV há Viagem para Marselha de Giotto di Bondone, um afresco na Capela de Maria Madalena na Igreja de São Francisco de Assis (veja ilustração 16). Em Marselha e na região provençal, até o século V, a língua oficial era o grego. Um fato não muito compreendido, mas que talvez devesse ser destacado é que o estilo aramaico da língua de Jesus e daqueles preocupados com o Judaísmo helênico foi muito influenciado pelos gregos. Os hebreus usaram sua própria língua semita, mas, estando sob a ocupação romana por tanto tempo, a cultura latina foi incorporada. Os ajustes lingüísticos também foram feitos com referência aos gentios (não judeus), de forma que, dentro de todas as variáveis lingüísticas, houvesse uma compreensão

mútua. A língua greco-romana da Gália era muito familiar para Maria e seus companheiros.

NO OCIDENTE
Em 44 d.C., Maria deu à luz seu segundo filho, e há uma referência específica a isso no Novo Testamento: "A palavra de Deus crescia e multiplicava-se" (Atos 12:24). Esse filho era criança do Graal e, em homenagem a seu avô, ele foi chamado de José. Após cumprir sua obrigação dinástica de gerar dois filhos, Jesus estava liberado de suas restrições e era capaz de levar uma vida normal mais uma vez. Em 46 d.C., seu filho mais velho, Jesus II (então, com nove anos), foi estudar em Cesaréia. Três anos depois, ele passou pela cerimônia do nascimento para a comunidade em Provença. Segundo esse costume, ele teria simbolicamente nascido novamente do útero de sua mãe, aos 12 anos. Em 53 d.C., Jesus Filho foi oficialmente proclamado príncipe da Coroa na sinagoga em Corinto e recebeu o título de Justus, o Correto (em grego: dikaios) do príncipe da Coroa Davídica. Por meio disso, ele sucedeu formalmente a seu tio, Tiago, o Justo, como herdeiro real. Tendo atingido a maioridade de 16 anos, Jesus Justus também se tornou o chefe nazareno, recebendo o direito à túnica preta desse oficio - como a usada pelos sacerdotes de Ísis, a Deusa Mãe Universal. Seu pai, Jesus, o Cristo, foi via Creta para Malta em 61 d.C. com Lucas e Paulo (Atos 27:7-44, 28:1); depois disso, Paulo retornou a Jerusalém. Entretanto, uma vez lá, ele foi acusado de conspiração contra o sumo sacerdote saduceu Jônatas Annas, que fora assassinado por Félix, governador romano de Jerusalém. Félix foi enviado a julgamento perante o imperador Nero, em Roma, e Paulo foi obrigado a acompanhá-lo. Depois de alguém tempo, Félix foi

absolvido, mas Paulo permaneceu em custódia por causa da associação com seu ex-pupilo Herodes Agripa II, que Nero detestava. Por volta da mesma época, mas longe dos perigos de Roma, o irmão mais novo de Jesus II, José, terminara sua educação em um colégio druídico e foi para Provença com sua mãe, Maria Madalena. Depois, eles se juntaram ao tio Tiago, que voltou permanentemente para o Ocidente, tendo sido perseguido em Jerusalém em 62 d.C. Seus nazarenos se haviam sujeitado a uma perseguição brutal pelos romanos, e o Concílio Sinédrio acusara Tiago de ensinamentos ilegais. Ele foi, conseqüentemente, sentenciado a apedrejamento público e declarado espiritualmente "morto" (excomungado) pelos anciãos judeus. O antes honrado conselheiro de Sinédrio caiu do próprio pináculo da graça civil e religiosa. Tendo perdido toda sua credibilidade espiritual aos olhos da lei, Tiago foi para o Ocidente para se unir a Maria Madalena e seus companheiros na Gália. De volta à Roma do imperador Nero, Pedro chegou para assumir a responsabilidade da seita paulina, que era então conhecida como cristã. Então, em 64 d.C., Roma foi consumida pelo fogo. O desequilibrado imperador foi suspeito do incêndio, mas ele culpou os cristãos e levou tanto Pedro quanto Paulo à morte. O regime de Nero causara uma grande tensão política, e as temperaturas chegaram a alturas perigosas na Terra Santa. No início de 66 d.C., uma luta esporádica aconteceu em Cesaréia entre os zelotes e os romanos. A hostilidade rapidamente foi para Jerusalém, onde os zelotes ganharam várias posições estratégicas. Eles dominaram a cidade por quatro anos até que um forte exército romano liderado pelo general Flavius Titus chegou em 70 d.C., deixando Jerusalém em ruínas. O Templo caiu e tudo caiu com ele. A maioria dos habitantes foi massacrada; os sobreviventes foram vendidos como escravos e a Cidade Santa foi deixada vazia em ruínas pelas seis décadas seguintes.

Na trilha dessa destruição, a nação judaica estava em um estado de tumulto. Não caiu apenas Jerusalém, mas também Qumran e o famoso último bastião era a fortaleza na montanha de Masada, a sudoeste do Mar Morto. Lá, menos de mil judeus resistiram a repetidos cercos de um poderoso exército romano, mas eles foram gradualmente ficando sem suprimentos e provisões. Em 74 d.C. não tinham mais esperança e o comandante da guarnição militar, Eleazar Ben Jair, organizou um programa de suicídio em massa. Apenas duas mulheres e cinco crianças sobreviveram. Grupos de refugiados nazarenos fugiram da Terra Santa para perpetuar sua tradição no norte, chegando a Mesopotâmia, Síria, sul da Turquia e partes da Europa. O último cronista, Julius Africanus de Edessa, registrou detalhes do êxodo, afirmando (como vimos no Capítulo 2) que as autoridades romanas fizeram com que todos os registros públicos em Jerusalém fossem queimados, para evitar futuros acessos aos detalhes da genealogia da família de Jesus. Ele descreveu esses herdeiros reais como Desposyni.

A REVELAÇÃO DO CORDEIRO
Além de algumas referências incidentais sobre José como pai de Jesus, ele não aparece pessoalmente no Novo Testamento depois da elevação introdutória de Jesus em Lucas. Antes disso, José estava presente quando Simão, o Essênio (Gabriel) legitimou Jesus sob a lei em vista de seu nascimento não ortodoxo (Lucas 2:25-33). E essa foi a extensão da narrativa com relação a José. Nós sabemos, por causa do evento do Templo, da graduação de Jesus na comunidade, que José estava vivo em 18 d.C., mas não estava por perto na crucificação do filho, 15 anos depois. É dito que ele morreu antes do início do ministério de Jesus, em 29 d.C. Um aspecto infeliz da forma que o Novo Testamento foi construído é

que os pais de Jesus são mais ou menos esquecidos. Não é dito nada sobre a vida de Maria, a mãe, a não ser quando diretamente relacionada a Jesus. Conseqüentemente, a data de sua morte também é desconhecida, apesar de a festa de sua assunção ser celebrada anualmente em 15 de agosto. A Enciclopédia Católica afirma que essa data foi arbitrária, em vez de um fato histórico confirmado. A sua morte é presumida para muitos anos, indo de 36 a 48 d.C. Entretanto, o que nós sabemos dos Evangelhos é que Jesus passou sua mãe aos cuidados de seu "amado discípulo" na crucificação: "E desde aquela hora, o discípulo a recebeu em sua casa" (João 19:27). Nesse aspecto, a palavra usada para descrever a obrigação do discípulo foi paranymphos, que se refere a um servo pessoal ou um guardião. Em resumo, nós devemos considerar a identidade do misterioso "discípulo que Jesus amava". Depois de sua visita a Malta, em 61 d.C., é dificil traçar as atividades de Jesus. Foi dito por alguns que ele seguiu os passos do apóstolo Tomé para a Índia e que morreu em Srinagar, Kashmir, onde existe um túmulo atribuído a ele. Mas isso surgiu de uma proposição em Kashmiri, em 1894, de que Jesus era parecido com um profeta chamado Yuza Asaf, para quem o túmulo foi originalmente dedicado. Apesar de um conceito intrigante, a prova desse fato está longe de ser conclusiva (veja Apêndice III). Apesar disso, está claro que Jesus morreu em 73 d.C. ou antes disso. Naquele ano, seu filho mais velho, Jesus II Justus, recebeu o título davídico: "Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas a favor das igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã". (Apocalipse 22:16). Os padres e os clérigos geralmente ensinam que os casamentos sucessivos no Novo Testamento, no livro do Apocalipse, são simbólicos do casamento de Jesus Cristo com a Igreja cristã. Entretanto, o fato é que quando João, o Divino (o apóstolo João

Boanerges), escreveu seu intrigante Apocalipse na ilha grega de Patmos, não havia Igreja. Ele não sabia absolutamente nada sobre uma fundação que se iria desenvolver depois de sua morte. Os casamentos discutidos em seu estilo muito esotérico de escrita foram registros da história da família messiânica. A filha de Jesus e de Maria Madalena, Tamar (Damaris), aparentemente casou-se com São Paulo em Atenas em 53 d.C., e o casamento de Jesus Justus é recontado como o Casamento do Cordeiro em Apocalipse 19:7-9. Assim como João referia-se a Jesus como a Palavra de Deus (João 1:1,14), João, o Batista, chamava-o de Cordeiro de Deus (João 1:29). Esses títulos - palavra e cordeiro tornaram-se sinônimos dos herdeiros de Jesus no Apocalipse de João. Jesus Justus (nascido em 33 d.C.) estava com 36 anos em 73 d.C., quando disseram que sua noiva tinha de "vestir-se de linho fino, resplandecente e puro" na ceia do casamento. "Ele me disse (...) sou servo teu e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus (...) e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus" (Apocalipse 19:1013). Seu filho, Jesus III, nasceu em 77 d.C., e tornou-se o Alfa e o Ômega (Apocalipse 21:6). Esse era um título saduceu da Casa de Herodes, que foi transferido para a Casa de Davi em 102 d.C., quando a instituição herodiana terminou. Jesus III casou-se em 113 d.C. (novamente com 36 anos, segundo o costume dinástico), pronunciando: "Eu sou a raiz e geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã" (Apocalipse 22:16).

O DISCÍPULO AMADO
O "discípulo que Jesus amava" é uma personagem cuja identidade misteriosa tem sido discutida e debatida há séculos. A idéia favorita

nessa ligação tem sido o apóstolo João Boanerges, filho de Zebedeu e irmão de Tiago. Um outro concorrente é, sem dúvida, Maria Madalena, que Jesus disse amar no Novo Testamento e no Evangelho de Felipe. O terceiro na lista das possibilidades é João Marcos, conhecido como São Marcos. A única referência bíblica desse discípulo amado aparece no Evangelho de João. Uma das aparições relata a cena da crucificação, quando Jesus apontou o amado discípulo como o guardião de sua mãe - referência que imediatamente exclui Maria Madalena, visto que a palavra denota claramente um contexto masculino: Ora, Jesus, vendo ali a sua mãe, e ao lado dela o discípulo a quem ele amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho (...) E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa. (João 19:26-27) Além do "amado discípulo" que é citado em João, apenas as parentes mulheres de Jesus são citadas como estando na cruz. Isso ocorre em todos os Evangelhos. Não há referência a Pedro ou a nenhum dos apóstolos na cena. Antes desse fato, Mateus 26:56 e Marcos 14:50 relatam que, depois da prisão de Jesus, os discípulos, "deixando-o, fugiram". Entretanto, fica claro que um deles não fugiu. O discípulo anônimo aparece depois na seqüência da ressurreição, que novamente exclui Maria Madalena, que conversa com ele na cena. Isso também exclui Pedro, visto que ele é citado: Correu, pois, e foi ter com Simão Pedro e com o outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: Tiraram do sepulcro o Senhor, e não sabemos onde o puseram. (João 20:2) Depois, em uma conversa entre Pedro e Jesus, há mais duas referências ao "discípulo que Jesus amava", mas seu nome não é

ele não estava na ceia. Entretanto. que os outros Evangelhos não incluem. (Marcos 14:17) E. chegou ele com os doze. portanto. reclinou-se à mesa com os doze discípulos. parece restar apenas João Boanerges. chegada a hora. era a mesma mulher que já o havia ungido anteriormente. Ele inclui itens importantes como o casamento em Caná e o levantamento de Lázaro. que ungiu Jesus em Betânia. Diante do fato. e é por esse motivo que ele tem sido o principal candidato. há uma . e eles são unânimes em afirmar que a comemoração tinha apenas Jesus e seus 12 apóstolos: Ao anoitecer. Então. Apesar de o Evangelho de João não especificar precisamente quem estava na Última Ceia. pois a primeira menção ao homem misterioso no Evangelho diz que ele esteve na Última Ceia: "Achava-se reclinado sobre o peito de Jesus um de seus discípulos. e com ele os doze apóstolos. De todos os Evangelhos. Examinar um discípulo em particular de uma forma misteriosa e clandestina é. os outros três Evangelhos especificam. aquele a quem Jesus amava". e não pode ter sido aquele que se reclinou sobre o peito de Jesus. (João 13:23). (Lucas 22: 14) Visto que João Marcos (que aparece na primeira vez nos Atos) não está listado em nenhum Evangelho como sendo do grupo dos 12 apóstolos. (Mateus 26:20) Ao anoitecer. é possível esperar que o discípulo enigmático tenha sido identificado em algum outro estágio anterior.dado. pôs-se Jesus à mesa. bem contrário à forma que o autor meticuloso aparentemente trabalhou. O problema é que é bem improvável que o autor do Evangelho de João deixasse algo tão importante em aberto. Então. João Marcos pode ser excluído da equação. logo. É o único Evangelho a explicar que Maria. o de João é o menos ambíguo.

Tendo definido isso. João 11:36 confirma mais uma vez a relação: "Disseram então os judeus: Vede como o amava!” Tendo afirmado isso duas vezes. Jesus amava Marta. o Divino) realmente dá seu nome como João. O escritor do Evangelho parece conhecer muitos pequenos detalhes que não estão nos Evangelhos Sinóticos. João 11:5 afirma: "Ora. o Evangelho é anônimo. e a Lázaro". O motivo de o discípulo amado não ser citado como tal nos Evangelhos Sinóticos é porque sua referência original nesse contexto ficou perdida para eles. Ele era o mais ancião dos apóstolos de Jesus. ele era membro da família de Jesus. nem pelo autor das epístolas João 2 e João 3.citação anterior em João que confirma o afeto de Jesus por algum discípulo em particular? Na verdade. Helena Salomé. Um pouco depois. o cenário está formado para as futuras referências do "amado" na Última Ceia. Simão Lázaro não era apenas um apóstolo e um patriarca da comunidade de Qumran. Ela foi removida por São Clemente em seu desejo de velar a relação de Jesus com Maria Madalena no fato do levantamento de Lázaro. Portanto. cujo autor (João Boanerges. há duas citações relacionadas ao mesmo indivíduo. O "discípulo que Jesus amava" era Lázaro. O autor de João não negligenciou o nome do discípulo amado. na crucificação e na ressurreição. havia um bom motivo para Jesus nomeá-lo como o servidor de sua mãe. Ele não foi escrito pela mesma mão. nem pelo autor do tratado do Novo Testamento João 1. e a sua irmã. De fato. cujo título abraâmico de Eleazar foi substituído no texto de João por seu antigo nome. e escreve com uma capacidade intelectual maior. há. O texto também indica uma significante consciência das práticas sacerdotais e da . a pergunta que permanece é: quem escreveu o Evangelho de João? Diferentemente do Apocalipse. o homem de quem Maria Madalena tinha sido irmã de devoção e que se casara com a tia de Jesus. Simão Zelote. na seqüência do levantamento de seu amigo excomungado Lázaro.

intimidade com Jesus. ela é aquela que precisaria estar lá para ungir Jesus como sua esposa. todos concordam que Maria Madalena estava presente. Isso levou à conversa Noli me tangere.)" (João 20: 10-11). João 20:2 relata que. A importância de João é que ele é o único Evangelho que tem Maria Madalena sozinha no sepulcro. Maria. ele declara uma narrativa obscura: "Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e as escreveu. Portanto. dá as pistas e prova quem realmente escreveu o texto. entretanto. Depois de algumas palavras rápidas com dois anjos na caverna. A própria narrativa. somos esclarecidos que a fonte da informação contida no Evangelho era do discípulo amado. Já vimos como os quatro Evangelhos se diferem em suas explicações sobre as mulheres que estavam no sepulcro de Jesus. Maria saiu para buscar Pedro e Lázaro. Maria então se encontrou com Jesus no jardim. Na prática. diante do sepulcro. Entretanto.. Eles estavam sozinhos. (O motivo para isso era que Maria estava grávida. estava em pé. há apenas duas pessoas que poderiam ter escrito o Evangelho de João. pois. Com o material de apoio e os detalhes do amigo próximo de .. o discípulo amado. que forneceu algum material para o autor do Evangelho. tendo encontrado o sepulcro vazio. eles partiram: "Tornaram. entre Jesus e Maria Madalena. No final de João. e o contato fisico era proibido entre eles. "seu testemunho" refere-se ao testemunho de Simão Lázaro. a chorar (. e ele não foi escrito por Jesus. mas ele não foi o autor da obra.) João é o único Evangelho que reconta esse episódio . com um diálogo registrado. e sabemos que seu testemunho é verdadeiro". Acompanhando uma conversa entre Jesus e Pedro sobre o discípulo amado. (João 21:24) Portanto.uma conversa particular. Depois de terem olhado o túmulo vazio. porém. quando Maria tentou abraçar Jesus. os discípulos para casa. mas foi impedida por ele de fazê-lo.

a partir do momento em que Jesus foi admitido ao . Na tradição Languedoc. as mulheres veneradas nas religiões eram freqüentemente associadas a lagos. vimos que as mulheres que acompanhavam Jesus são citadas em sete ocasiões e. a mãe de Jesus está em primeiro na lista. Os sacerdotes batismais da época do Evangelho eram descritos como "pescadores" e. teria sido uma cortesia natural colocar a mãe de Jesus antes dela nessa ocasião.. Ninguém mais estava presente para ouvir. Na sétima lista.Maria. o único Evangelho que deixa totalmente claro que as duas unções foram feitas pela mesma mulher deve ter sido escrito pela própria mulher. Para os gnósticos (bem como para os celtas). os autores do Evangelho davam à Maria Madalena o seu direito. mas.C. Apenas ela teria conhecimento da conversa íntima no jardim com Jesus. em seis dessas. era a antiga cidade de Acquae Sextiae. Esse é o grupo citado como o que esteve na cruz no Evangelho de João. No começo do Capítulo 1.acqs sendo um derivado medieval da antiga palavra latina aquae (águas). Maria Madalena é o primeiro nome. CAPÍTULO 12 O REINO DOS DESPOSYNI OS REIS PESCADORES Aix-en-Provence. Maria é lembrada como Ia Dompna dei Aquae: a Senhora das Águas. fontes e nascentes. onde Maria Madalena morreu em 63 d. Simão Lázaro (que a acompanhou a Provença). O autor de João só pode ter sido Maria Madalena. As fontes quentes em Aix (Acqs) deram o nome à cidade . se ela realmente escreveu o Evangelho de João. Em todos os outros casos.

Disse-lhes: Vinde após mim. Apesar de se unirem aos candidatos judeus do batismo nas terras próximas ao mar. andando ao longo do mar da Galiléia. porque eram pescadores. mas não eram batizados na água. Eles eram membros importantes da comunidade. os sacerdotes que faziam esses batismos eram chamados de "pescadores".no Mar Morto ou no Mar da Galiléia -. viu dois irmãos Simão. os quais lançavam a rede ao mar. Por exemplo: E Jesus. Os batismos em massa aconteciam na água . cujas verdadeiras funções foram perdidas pela má compreensão do jargão da época. Os gentios que buscavam afiliação com as tribos judaicas podiam participar do batismo. Assim como Jesus fora incorretamente retratado como o filho de um carpinteiro por meio de uma terminologia não compreendida do século I. juntamente com os três padres levíticos. é claro que os apóstolos não eram um grupo comum do povo de devotos "cordeirinhos" que abandonavam toda a responsabilidade familiar para seguir um curandeiro da fé carismática. Apesar do imaginário romântico do púlpito. enquanto alguns eventos individuais ou de menor escala podiam ser feitos no rio Jordão. chamado Pedro. e eu vos farei pescadores dos homens. (Mateus 4:18-19) O Manual da Disciplina de Qumran descreve que. Os . nós também temos sido seduzidos por imagens marítimas dos trabalhos dos apóstolos com suas redes e barcos de pesca. havia o breve pontificio do Concílio dos 12 homens da Comunidade (os apóstolos delegados do Messias) para "preservar a fé e a terra".sacerdócio na Ordem de Melquisedeque. A pesca simbólica era uma parte tradicional do ritual do batismo. também se tornou um pescador. eles só podiam receber as bênçãos sacerdotais depois que fossem puxados para dentro dos barcos com grandes redes. e seu irmão André. Portanto.

candidatos ao batismo eram os "peixes". a linha dinástica da Casa de Judá foi instituída unicamente como a dinastia dos Padres-Reis ou. ele fez sua concessão para os representantes dos não-judeus da fraternidade Ham (conhecida figurativamente como Os Cinco Mil). Nesse aspecto. Por meio de uma transferência paralela do imaginário. Por meio da aceitação de Jesus no sacerdócio Melquisedeque. sobre pegar um grande número de peíxes depois que Jesus "ensinava do barco as multidões". os sacerdotes levitas serviriam sete pães aos sacerdotes. Havia um importante simbolismo legal nisso. As linhas de descendência de Jesus e Maria Madalena. A importância disso se torna clara no evento do milagre conhecido como a Multiplicação dos Pães. Assim. que surgiram por meio dos Reis Pescadores. ele garantiu a essa multidão (o Conselho do Governo) o acesso simbólico ao ministério. Jesus resolveu desconsiderar a convenção e permitir que gentios impuros participassem do que era normalmente reservado aos judeus candidatos ao sacerdócio. os oficiais levitas do santuário eram chamados de "pães". No episódio conhecido como a Multiplicação dos Pães. enquanto os gentios podiam receber o batismo como "peixes". A história em Lucas 5:1-10. como os descendentes de Jesus ficaram conhecidos. Uma pescaria semelhante é recontada em João 21:1-11. os sete pães dos sumos sacerdotes foram ofertados por Jesus ao Conselho de Shem não circuncidado (Marcos 8:1-10). ao servir a eles os cinco pães e os dois peixes dos candidatos judeus ao sacerdócio (Marcos 6:34-44). Assim como a água e o vinho em Caná. os Reis Pescadores. No ritual da ordenação (a cerimônia de admissão ao ministério). é a explicação de um evento de conversão particularmente bem-sucedido. pois. a lei era bem rígida quanto ao fato de que apenas os judeus poderiam tornar-se "pães". . enquanto os candidatos ao celibato davam cinco pães e dois peixes.

a ferida do Rei Pescador será curada e a Terra Desolada retornará à fertilidade". Essa história.preservaram o espírito maternal de Aix para se tornar a Família das Águas: a Casa del Acqs. afirmando que o Sangréal é o repositório da herança real. O mais antigo relato escrito de le Seynt Graal vem do ano de 717. é muito específica a respeito da importância da linhagem do Graal.. em que o rei Pescador Messiânico é chamado de Messios. quando o eremita britânico Waleran teve uma visão de Jesus e do . a filosofia do Graal determina: "Apenas por perguntar 'A quem o Graal serve?'. também conhecida como Perlesvaus. Nesse contexto da imagem da Noiva Perdida. uma obra franco-belga escrita por volta de 1200 d. Isso vem de A Grande História do Santo Graal.C.

entre a França e a Espanha. cujo legado é comemorado na franco-maçonaria moderna. também por John de Glastonbury em Cronica sive Antiquitates Glastoniensis Ecclesie. e mais tarde por Vincent de Beauvais. também os reis da Septimânia Midi. Esse foi um título simbólico corrompido do In fortis (latim: em força). a oeste de Toulouse. por volta de 1200. garantiu a . Um outro ramo da família. O Manuscrito de Waleran foi mencionado por Heliand. Ele foi identificado com o nome hebraico Boaz. O ramo nobre dos merovíngios que se desenvolveu aqui vindo dos Reis Pescadores tornou-se os condes de Toulouse e Narbonne. A família de Maria Madalena descendente dos Acqs era importante em Aquitaine . mostram Jesus menino com uma romã madura aberta. em sua Speculum Historiale. como o nome da cidade de Dax. como identificado em Cânticos de Salomão 4:13. de 1604. O nome Boaz foi dado à coluna da esquerda do Templo do rei Salomão (1 Reis 7:21 e 2 Crônicas 3:17). Não é por acaso que os famosos quadros de Sandro Botticelli.área com um nome que também tem sua raiz em acquae (águas) ou acqs. monge francês da abadia de Fromund. que deriva de d'Acqs.GraaI. junto com os da coluna direita. a linhagem soberana davídica foi representada pelos Reis Pescadores da Família do Graal e a linha patriarcal foi denominada pelo nome de Anfortas. Jaquim. A Madona da Romã e A Madona do Magnificat. Aqui começa o livro do Sangréal” Na sabedoria arturiana. o bisavô de Davi (que significa "em força"). Cada um desses textos conta que Jesus deixou um livro nas mãos de Waleran. relacionado à linha feminina. foram decorados com romãs de bronze (1 Reis 7:41-42) um símbolo da fertilidade masculina. Seus capitéis. que começava assim: "Eis o Livro de Tua Descendência.

que dizem ter fornecido a ela . Uma delas fornece um bom veículo para a figura nua de pintores como Lefebvre. Nessas. e que levou ao que geralmente é classificado como as pinturas do êxtase. surgiram várias lendas apócrifas. estava sempre diretamente relacionado às águas sagradas e ligado a Maria Madalena. Entretanto. aliado a isso. Outros. que permanece no centro do tema do Graal. Na época em que Chrétien de Troyes escreveu seu romance Ywain and the Lady of the Fountain (no qual a Lady corresponde a La Dompna del Aquae). Depois. Maria é vista na companhia dos anjos. o correspondente do ramo masculino da Casa Provençal del Acqs tornou-se o Conde de Léon d'Acqs. Por outro lado. que ficou conhecida como a Senhora do Lago. sendo um pigmento vermelho do dragoeiro do Oriente como na cor pintada no Lago Escarlate). está um outro aspecto que também é aparente em visões provençais mais acadêmicas.herança da Igreja Celta de Avalon em Burgundy. mostravam-na um pouco modesta com retratos de busto e vários ornamentos de tecidos. pois foi dito que Maria viveu nua em uma caverna por um período. como Ticiano. CASA DO PÃO Além das explicações da Vida de Maria Madalena em Provença. ou "lago". Etty e Dubois para mostrar seus talentos. na Britânía. Morte d'Arthur de Sir Thomas usou esse título para Viviane II (a Senhora da Fonte e a mãe de Lancelot du Lac). com Viviane del Acqs reconhecida como a Grande Rainha no início do século VI. Guercino e Correggio. em descendência da bisneta de Viviane I. O legado da família del Acqs. a herança dos Acqs prosseguiu na literatura arturiana. Morgana. o nome du Lac foi usado para representar a relação da linhagem dos Desposyni (lac. Em 1484.

que ele misturou à água e deu aos israelitas. o fascinante sobre esse "pão" é que diziam que ele era feito de ouro. . incluindo Lorenzo di Credi. e caracteriza no Gênesis o ritual de comunhão de Melquisedeque. Entretanto. A história completa disso. Domenichino e Peter Strub. Diziam que esse alimento celestial aumentava os poderes de percepção. José Antolínez. No início da dinastia messiânica. e era responsável por uma transcendência completa de personalidade para um estado angelical. Entretanto. ele explicou no Êxodo. Jusepe di Ribera. se refere ao "pão nosso de cada dia nos dá hoje". Traçando a terminologia da "casa do pão" de volta ao antigo Egito.alimento com uma forma mística de pão. Essa foi a raiz do tema na Oração do Senhor. Entretanto. com várias inscrições relacionadas na montanha Horeb. tinha sido um monge em Belém antes de fundar sua célula em Marselha. isso não é tão estranho quanto possa parecer. e há várias descrições de pães enigmáticos sendo presenteados aos reis. que ficou de vigília no túmulo de Maria Madalena. em Os Segredos Perdidos da Arca Sagrada. é relatada. e o ponto mencionado no Novo Testamento é que ele então era Jesus: "Não diz a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi. "pó de projeção". Vários artistas retrataram essa cena. Belém (Beth-Ie-hem) significa "Casa de Pão". o templo de Moisés no Sinai. no Antigo Testamento 32:20. como definida em Mateus 6:9-13. dos tempos antigos para o moderno. Foi listado nos tesouros de ouro de Karnak. o rei Davi tinha nascido em Belém. que Moisés queimou o bezerro dourado no Sinai e transformou-o em pó. e de Belém. descobrimos que o simbolismo do pão era preponderante na cultura dos faraós das primeiras dinastias do Antigo Império. Há referências a um pão místico nas elevações do templo de Karnak e Abydos. que. a aldeia donde era Davi?" (João 7:42) Também vale notar que João Cassiano. a consciência e a intuição dos faraós. Além disso.

Na época do Evangelho. Há grande quantidade de provas para sugerir que a dinastia davídica foi fundada na cultura desse pão feito de ouro.o termo que foi erroneamente traduzido por "carpinteiro". e que é exatamente do que o pai de Jesus. apesar de toda a riqueza de Salomão. que a ciência moderna agora classifica como um Elemento Monoatômico Reorganizado Orbitalmente. Vimos no Capítulo 6 que os reis Templários estavam ativos em Bézu. jordanianos. Mas. Outro ho tekton da época foi José de Arimatéia. os reis egípcios. os médicos judeus e egípcios da arte de produzir ouro eram chamados de Mestres Artesãos. onde eles usavam o ouro de aluvião da região para produzir seu fabuloso pó de Ormus. carruagens e outros serviços caros. na região de Languedoc.sua importância em nossa atual investigação é que os sacerdotes de Karnak aos cuidados dessa produção eram as mesmas pessoas que depois instalaram os Terapeutas na comunidade dos essênios em Qumran. era chamado . que foi . Hoje. sírios e fenícios forneceram suas frotas de navios. A bíblia grega Septuagint chama-o de "pão da presença" e Davi exigiu lei do sacerdote a fim de adotá-Io. A corte do rei Salomão era abastecida com grandes quantidades de ouro das minas árabes. O rei fenício Hiram de Tiro explicou que sua única exigência como retomo de todos os favores era que Salomão deveria "dar o pão para a minha família". Análises recentes em Qumran revelam que o precipitado do Mar Morto contém 70% de ouro no estado monoatômico. cavalos.ho tekton: "mestre da arte" . também se sabe que esse exótico ouro em pó branco tem exatamente as qualidades atribuídas a ele pelos sacerdotes terapeutas e interferiram no DNA humano para estimular a produção hormonal e aumentar o sistema imimológico. José. proteção militar. sem falar de todos os suprimentos para seu palácio e templo. no mínimo de Ophir e Sheba (Saba).

Considerando que. então. Nem era surpresa o nível de envolvimento de José com a mãe de Jesus. os livros de referência geralmente sugerem. Pôncio Pilatos. . sua relação não era surpresa para o governador romano. não há motivo para supor que as missionárias de Madalena não fizessem o mesmo. como algumas pessoas hoje em dia estão usando o ouro monoatômico como um suplemento alimentar. O decurion era um administrador das minas e o termo originou-se na Espanha. que José de Arimatéia talvez tenha vindo de Ramleh ou Ramathaim. como era um ho tekton. que também esperava o reino de Deus" (Marcos 15:43). que aceitou o envolvimento do homem nos assuntos sobre Jesus sem questionar.C. Todas estavam ao lado de José nos preparativos. Quando José solicitou que Jesus devesse ser retirado da cruz e colocado em um sepulcro no jardim. Então. desde o século VI a. Gildas II. de forma bem insatisfatória. com Maria Madalena. onde os judeus que trabalhavam com metais tinham sido importantes nas famosas fundições de Toledo. apesar de a aliança política de José com Jesus ser um segredo para os judeus anciãos.citado como estando em Provença com a comitiva de Madalena. Rábano Mauro também se referia a José como um noblis decurion. NOBREZA DIVINA Visto que nunca houve um lugar chamado Arimatéia. também o descrevia como no noble decurio. embora oculto por medo dos judeus" (João 19:38). José é descrito como "ilustre membro do sinédrio. no norte da Judéia. E. quem era exatamente José de Arimatéia? E. Mas. igual ao pai de Jesus. aceitando sua autoridade sem fazer comentários ou objeções. a que a palavra se refere? Nos Evangelhos. Pilatos cumpriu sem restrições. se Arimatéia não era um lugar. Ele foi também "discípulo de Jesus. O cronista galês do século VI. Maria Jacó e Sara Salomé.

o título patriarcal de José foi aplicado para a sucessão seguinte. assim como João. A esse respeito. Ele representava especificamente um alto status. Mas. significando "Ele acrescentará"). ele era o José ha Rama Theo. nem que as mulheres da família de Jesus devessem aceitar os preparativos feitos por José(Tiago) sem questionar. Mas por que esse José da crucificação geralmente é retratado nas . Quando o filho dinástico da Casa de Judá (não importando qual seja o nome) sucedeu e tornou-se Davi (o rei). como um título pessoal. Assim como o apóstolo Mateus Annas tinha o título sacerdotal "Levi de Alfeu" (Levi da Sucessão). como o irmão de Jesus. Jesus foi o herdeiro do trono de Davi. isso quer dizer que havia vários Josés de Arimatéia em várias épocas. José era "de Arimatéia". Claramente. que ficou corrompido lingüisticamente para José de Arimatéia. Sendo assim. Nem é surpresa que Pilatos permitiria que o irmão de Jesus cuidasse dos procedimentos pós-crucificação. Tiago (o mais novo dos três irmãos de Jesus . como Madalena e vários outros no Novo Testamento. Portanto. Nobreza Divina. do topo) e o grego: Theo (relativo a Deus) . José não era seu verdadeiro nome de batismo. ele era "o Davi". seu filho mais velho (o príncipe coroado) tornou-se o José.juntos significa "do mais alto de Deus" (ha Rama Theo) e. foi "o Zadoque". Tiago.C. Entretanto (assim como o nome Levi de Mateus). o Batista. Na linha real.nascido em 1 d. então. Isso seria abandonado pela linhagem. um título. Seus componentes eram o hebraico: ha ram ou ha rama (do alto.) foi denominado José (hebraico: Yosef. e Arimatéia derivava de uma combinação de elementos hebraicos e gregos. José de Arimatéia surge. então o irmão mais velho de Davi receberia a distinção de José. de fato.Arimatéia era. não é surpresa que Jesus seja sepultado em um sepulcro que pertencia à sua própria família. se não houvesse filho na época da acessão davídica (ou se o filho tivesse menos de 16 anos). se e quando um filho tivesse idade. Portanto.

Se a mãe de Jesus. ele sempre é assumido como o tio da mãe de Jesus. nas outras Escrituras. History. E os Evangelhos nem mencionam sua idade.levando-o a ter algo por volta de 70 anos naquela época. ela estaria com cinqüenta e poucos anos. ele teria.. Como resultado.C. Entretanto. afirma que José de Arimatéia morreu em 27 de julho de 82 d.C. digamos.obras de arte como um homem velho? Além das poucas referências de sua condição de conselheiro rico. nasceu por volta de 26 a. o Novo Testamento não dá pistas óbvias de que José de Arimatéia tinha relação com a família de Jesus. de Hugh Cressy (que incorpora os registros do mosteiro de Glastonbury). Entretanto. vários escritos de várias fontes registram José na França e na Inglaterra 30 anos depois.C. como é presumido. ele teria morrido com cerca de 125 anos. . Além disso. ela teria cerca de 19 anos quando Jesus nasceu. Nesse caso. em 63 d. as pinturas e os retratos dos livros retratam-no como uma pessoa idosa na década de 30 d. Na época da crucificação. Então. Maria.C. se José fosse seu tio. 20 anos a mais que Maria .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

sua descendência real não poderia preocupar a pretensa estrutura apostólica dos bispos romanos.Nada disso faz sentido. ele e sua comitiva cruzaram a Britânia.C. Por meio do conceito bizantino do século IX. O conceito surgiu na época em que o cuidadoso e temeroso conselho da Igreja debatia o conteúdo aprovado do Novo Testamento. Visto que José de Arimatéia pudesse fazer parte como uma personagem secundária. logo depois da crucificação.. Cesare Baronius registrou que José de Arimatéia chegou a Marselha em 35 d. Ele morreu em 82 d. A PRIMEIRA IGREJA Em seu Annales Eeclesiastici de 1601. e visto que ele não era associado com a linha messiânica. De lá. Portanto.. e o aspecto hereditário do título de José de Arimatéia tem de ser usado. Como os descendentes de Jesus eram herdeiros Desposyni. o José da crucificação era o irmão de Jesus. na prática. o Justo. Não há referência a ele nesse papel em nenhuma literatura anterior. o plano falhou e as linhas reais documentadas de Tiago/José estão entre os mais importantes achados da genealogia real dos domínios celtas. Os anos de 35 a 37 d. nascido em 1 d. com referências anteriores de Eusébio de Cesaréia (260-340 d. Isso foi confirmado muito antes por Gildas Badonicus no De Excidio Britanniae. como estabelecido. também o eram os descendentes de Tiago e de outros irmãos de Jesus. ocultando Tiago por trás do título José de Arimatéia. Tiago. . tendo sido formalmente excomungado em Jerusalém.C. sua posteridade foi considerada alterada dos registros históricos. na biblioteca do Vaticano. Porém. 20 anos antes.).C.C.C. Então. a Igreja definiu José como tio de Maria.C. nove anos antes da viagem de Madalena.) e Hilário de Poitiers (300-367 d.

quando a capela de Santa Maria foi construída em Glastonbury. mas foram recebidos com cordialidade pelo rei Arviragus da Silúria. e morreu em Hierápolis. Uma outra personagem importante do século I galês foi São Felipe. a Britânia pôde se gabar de ter a primeira igreja cristã de ..) até a luz do conhecimento (.440 acres (582 hectares). entre as datas mais antigas registradas pelo evangelismo nazareno. Existe a possibilidade de o Evangelho de Felipe do Nag Hammadi ter sido escrito pelo próprio Felipe durante esse período. mas.C. escreveu: Felipe da cidade de Betsaida. eles construíram uma rica e pequena igreja.. Aqui.. irmão de Caractacis.. Como confirmado por Freculphus. em 63-64 d. ele foi apedrejado e crucificado.) Mais tarde.cerca de 1. Arviragus concedeu a José 12 medidas de terra (hides) de Glastonbury . o bispo de Lisieux no século IX. Na chegada ao oeste da Inglaterra. arcebispo Isidoro de Sevilha (600-636 d. Em consulta com outros chefes locais. Ele talvez também tenha sido o autor do Evangelho de Maria Madalena. descrito no De Saneto Joseph ab Arimathea e nos registros monásticos como um colega de José e de Maria Madalena no Ocidente. Na época das execuções de Pedro e Paulo. no século I. uma escala do antigo Tabernáculo de Moisés. de onde também veio Pedro..estão. as capelas cristãs ficavam escondidas no subterrâneo. e foi confirmado no Livro Domesday de 1086: "A Igreja de Glastonbury tem sua propria vila de 12 medidas de terra e nunca pagará impostos". uma cidade da Frígia. Isso concedeu a José o direito de isenção pela terra por muitos séculos.C. José e seus 12 missionários foram aparentemente vistos com ceticismo pelos bretões.). Pendragon. nas catacumbas de Roma. pregou Cristo para os galeses e levou as nações bárbaras e seus vizinhos (. portanto.

ele conta como José foi aprisionado pelos anciãos judeus depois da crucificação. . fundado pelos próprios discípulos de Nosso Senhor". Após um terrível incêndio em 1184. uma parte do Evangelho de Nicodemus. Um mosteiro foi posteriormente adicionado à capela e os saxões reconstruíram o complexo no século VIII. outros falam de sua associação com a Gália e o comércio de metal do Mediterrâneo.C. O abade John de Glastonbury (século XIV. A Magna Glastoniensis Tabula e outros manuscritos incluem que José acabou escapando e foi perdoado. em Londres. O historiador Gregório de Tours (544-595 d. ele estava na Gália com seu sobrinho José. Esse fato também é descrito em Atos de Pilatos. Intitulado De Sancto Joseph ab Arimathea. superada em tamanho e importância apenas pela Abadia de Westminster. Uma Capela à Senhora foi construída em pedra naquela época e o complexo cresceu para se tornar lima ampla abadia beneditina. 1392-1464) citam um livro encontrado pelo imperador Teodósio (375-395) no pretório de Jerusalém. que fora batizado pelo apóstolo Felipe. na qual Glastonbury era citada como "a mãe e o local de sepultamento dos santos. Patrick (o primeiro abade no século V) e St. Duncan (abade de 940 a 946). Henrique II da Inglaterra concedeu à comunidade uma Carta de Renovação. Figuras prestigiosas associadas a Glastonbury incluem St.superfície do mundo. que escrevia sobre o Graal no século XII. ela foi citada nas cartas de direitos reais do rei Ina em 704 e do rei Cnut em 1032. Mais tarde chamada de Vetusta Eccesia (A Velha Igreja). Alguns anos depois. compilador da Cronica sive Antiquitates Glastoniensis Ecclesie) e John Capgrave (superior dos frades agostinianos na Inglaterra. Além dos relatos de José de Arimatéia em Glastonbury.) também mencionou o aprisionamento de José em seu História dos Francos e o episódio foi novamente recontado em Joseph d'Arimathie pelo cronista borgonhês Sire Robert de Boron.

assim como seu pai.. O De Sancto Joseph afirma que a igreja de José de Arimatéia foi dedicada "ao 31º. na França e Espanha.ou seja. Lewis (vigário de Glastonbury na década de 1920) também relatou em seus anais que São Tiago estava em Glastonbury em 35 d. ele erà um renomado artesão e mercador de metais: um "mestre artesão" (ho tekton). como sua data de inauguração.C. A primeira (como descrita pelo cardeal Barônio) aconteceu após a captura inicial de José pelo Concilio Sinédrio. em 35 d.C.C. Isso não é uma surpresa. o Justo. Mas. apesar de há muito tempo haver uma semelhança de um culto à Virgem Maria.C. conforme nos diz o historiador medieval William de Malmesbury.Maria Madalena . na tradição de outros personagens do Antigo Testamento.C. o Justo. O reverendo Lionel S. aniversário depois da Paixão de Nosso Senhor" . 63 d. Tal visita. duas foram de grande importância para a Igreja. tem sido um ponto de muito debate o fato de que a igreja deveria ter sido consagrada para ele tantos anos após sua morte. tem relação com o relato do irmão de Jesus.morreu em La Sainte Baume.C em Jerusalém. em 62 d. O DEBATE DOS BISPOS Entre as visitas que José fez à Britânia. São Tiago. Tubal-Caim e Bezaleel. A segunda visita de José foi após o apedrejamento e a excomunhão de Tiago. e foram mais tarde citadas por vários clérigos e correspondentes religiosos. visto que a dedicação destinava-se à Santa Maria (considerada a mãe de Jesus). foi o ano em que a outra Maria . visto que eles eram a . Isso bate com o ano de 63 d. Afinal de contas. Entretanto. 64 d.É provável que o interesse pela mineração de José de Arimatéia fosse o principal motivo para a generosa concessão de terras pelo rei Arviragus. como confirmado em Chronica Majora de Matthew Paris no século XII. depois da crucificação.

dificil de separar as histórias de Tiago.. seus discípulos levaram seu corpo de volta para a Espanha. Mal-entendidos.147 quilômetros para peregrinos . em 1434. Se as relíquias espanholas realmente se referem a São Tiago. Durante o período de 33-44 d. Tiago de Alfeu (conhecido como Tiago. é provável que se refiram ao outro apóstolo. o santuário majestoso atrai visitantes de todas as partes do mundo. mas reconstruído em 1078. mas ele foi executado por Herodes de Chalcis ao retornar à Judéia (Atos 12:2). não há nada no Novo Testamento que sugira que Tiago Boanerges tenha feito uma visita antes de sua execução. mas. Ele foi destruído pelos mouros em 997. o Justo. surge o santuário de Sant lago (São Tiago) e torna-se uma grande catedral. de uma forma ou de outra. o apóstolo. provocaram muitas discussões entre os bispos no Concílio da Basiléia. Entretanto. e Tiago. e a Corte Real em Londres . as autoridades inglesas comprometeram-se quando o relacionaram à monarquia. que poderia muito bem ter feito a jornada pós-crucificação. Espanha.C. Santiago de Compostela ainda é o destino final de um caminho medieval de 1. depois disso. o Menor). o Grande) tinham sido desenterrados em Compostela. mas elas referem-se ao apóstolo Tiago Boanerges (o irmão de João). o Justo. o bispo Teodósio forjou uma ligação apostólica quando anunciou que os restos de Tiago Boanerges (conhecido como Tiago. o Justo.mesma pessoa. os países optaram por seguir suas diferentes tradições. Na Espanha era . Em 899.e ainda é . José de Arimatéia é mais lembrado na ligação da história da Igreja na Britânia. Há muitas tradições de São Tiago na Sardenha e na Espanha. Em 820.o Camino de Santiago (Caminho de Santiago). causados por aparentes entradas duplicadas e irregularidades com referência a José de Arimatéia e São Tiago. apesar de ser reverenciado na Espanha como São Tiago. Hoje um Patrimônio do Mundo da Unesco. Mesmo assim. disseram que Tiago tinha visitado a Espanha.

Registros do debate . o título extremamente disputado de Sua Santíssima Majestade foi reservado para o rei da Inglaterra. que se infiltrou no sudoeste da Britânia. realmente. James. O debate dos bispos na Basiléia seguiu uma disputa anterior no Concilio de Pisa em 1409 sobre o tema da antiguidade cronológica das Igrejas nacionais na Europa. a monarquia da França foi intitulada Sua Cristianíssima Majestade.afirmam que a Inglaterra ganhou o caso porque o santo não só recebeu terras no oeste da Inglaterra do rei Arviragus. na Escócia. Os principais antagonistas eram Inglaterra. enquanto o extremo norte era chamado de Caledônia. As áreas colonizadas a oeste do país pelos primeiros escoceses eram chamadas de Escócia (terra dos escoceses . França e Espanha. que significa "rio" ou "riacho". Portanto. A palavra glais (não comum nos antigos nomes escoceses) vem do dialeto irlandêsgoidelic. os escoceses gaélicos ainda não haviam se estabelecido nas Terras Altas a oeste (Dalriada). na verdade referia-se à . mas constituíam uma população tribal na Irlanda do Norte (Ulster). Em um contraste a isso. A antiga Glastonbury foi criada em meio a terras pantanosas e chamada de Ilha de Glais. o local do sepulcro de José na Abadia de Glais. em I 'Estoire dei Saint Graal.Disputatio super Dignitatem Angliae et Galliae in Concilio Constantino . No entanto. mas também foi. O nome Douglas.Scotland). deriva de dubh glais (rio escuro).ainda é referida como o Palácio de St. por exemplo. Na mesma época da morte de José. o romance cisterciense l'Estoire del Saint Graal (1220) afirma que José foi enterrado na abadia de Glais. no norte da Britânia. O caso foi finalmente decidido a favor da Inglaterra porque a igreja em Glastonbury tinha sido fundada por José/Tiago "statim post passionem Christi" (logo depois da Paixão de Cristo). enterrado em Glastonbury. Daquela época em diante. enquanto na Espanha o título era Sua Digníssima Majestade Católica. mas isso não é tão contraditório quanto parece.

Quando ele se tornou Davi. Seu filho. o homem que ajudou José de Arimatéia no sepultamento de Jesus (João 19:30).. O legado real davídico (que era para se tornar representado como o Senhor do Graal) foi prometido para Galains e foi. algumas lendas do Graal classificam Josefes como o filho mais velho de José. José/Tiago era seu padrasto e guardião legal no Ocidente. Ela foi herdada por seu filho Josué. do qual os Reis Pescadores da Gália descendem. Por isso. o príncipe Alfa e Ômega do Apocalipse. . no momento certo. José .C. em 73 d. O SEGREDO DO SENHOR Na tradição literária do Graal. Jesus Justus casou-se com a filha de Nicodemos. seu irmão mais novo. foi citado na França como Galains (ou Alain). Era freqüentemente retratado como o sobrinho do José de Arimatéia da Bíblia. e éclaro que o era. Mas Galains. e a herança messiânica reverteu-se para a linha mais jovem de Josefes. Jesus II Justus (o primeiro filho de Jesus e Maria Madalena) era chamado de Gais ou Gésu. tornou-se o novo Josefes ha Rama Theo (Josephes d'Arimathie). formalmente transmitido a ele por seu tio e guardião.então com 29 anos -. morreu sem prole. Josefes. Na verdade. Jesus III.Abadia de Glastonbury.

Como aqueles pés reais realmente "andaram sobre as verdes montanhas da Inglaterra" (apesar de serem os pés do filho e não do pai). tornou-se uma das relíquias mais veneradas da abadia . José de Arimatéia estivera na Inglaterra com Jesus Justus. Essa pedra. no local da igreja de José do século I..De volta a 49 d. . Esse fato é bem lembrado na tradição do oeste do país e é citado no famoso canto de William Blake.C. foi posto um marco de pedra em memória de seus pais. na parede sul da Capela Santa Maria. Jerusalém.um local medieval de oração que ainda hoje pode ser visto. em Glastonbury. Jesus e Maria Madalena. As histórias contam como o jovem Jesus andou pela costa de Exmoor e foi para a vila Mendip de Priddy. de 12 anos.

C. em 64 d. tendo fundado nas pfoximidades a escola missionária de Caer Eurgain. consagrou a capela em honra de sua mãe. e afirma: "O mesmo Ilid era chamado de José nas aulas de sua vida". em Gwent. pessoalmente. o Iolo Manuscripts reconta que "Ilid da terra de Israel" foi chamado para a Britânia por Eurgain. o abençoado de Roma para a Britânia. Arwystli Hen. o que tem relação com os escritos de Gildas Badonicus. São Tiago. e os anais afirmam que o jovem Jesus. Além disso. a esposa do rei Caractacus de Camulod. e dizem ser o patrono de Llan Ilid (hoje Llantwit). e foi chamada de Secretum Domini . Cyndaf . Portanto. Jesus Justus. como é considerada) a capela de Glastonbury foi dedicada por seu filho mais velho.C. logo depois da morte de Maria Madalena. .C. José é citado como Ilid na ode poética Cwydd to Saint Mary Magdalene. Ilid. Acredita-se que o nome seja uma variação do hebraico EU (que significa erguido) ou do mesopotâmico Ilu (referente a "senhor"). Maria. filho de Cyndaf.homens de Israel . CAPÍTULO 13 O BÁLSAMO SAGRADO O ROMANCE DO GRAAL Além de ser conhecido como José de Arimatéia. A capela original foi iniciada em 63 d. à Maria Madalena (não à mãe de Jesus Cristo. era chamado de Ilid pelos cronistas de Gales...Lá está inscrito "Jesus Maria" (veja ilustração 52). o Justo. As Llandaff Charters relatam esses fatos em 37 d. Também o Acham Saint Prydain (Genealogias dos Santos da Britânia) mantém: "Lá chegaram com Bran. mas a verdadeira origem de Ilid é algo obscuro.e Maw ou Mawan.o Segredo do Senhor.

o Pendragon. junto com Caractacus. o filho de Caractacus. e Aristóbulos. Nós encontramos anteriormente com Arwystli Hen (Aristóbulo) nos escritos de Hipólito. Essa visita é confirmada nas Escrituras de S. Se um morresse. tornou-se o primeiro indicado bispo de Roma. que era um de seus nomes. Enquanto lá. o príncipe Lino. casou-se com o senador romano Rufus Pudente. naquela época.C. Portanto. a filha de Caractacus (o rei dos reis). ele seria substituído por outro. Paulo no Novo Testamento: "Saúdam-te Áubulo.C. Entretanto. Gladys. não é surpresa encontrá-lo nos registros dos anais galeses junto com José. Esses monges eremitas irlandeses foram citados como os "Irmãos de Alain". Em 51 d. eles eram filhos simbólicos de Bran (o pai da Velha Igreja. Então. o projeto de José de Arimatéia era mantido na tradição apostólica por um círculo fechado de 12 eremitas (devotos). chama a atenção. Ao mesmo tempo. em 82 d. em oposição ao mais recente título de Papa em Roma).que afirmou em seu De Excidio Britanniae que os mandamentos do Cristianismo nazareno foram levados para a Britânia nos últimos dias do imperador Tibério. visto que ele é citado nos manuscritos do Museu Britânico como sendo casado com Ana (Enygeus). a ligação com Bran..principalmente porque. Pudente. cronista do século lI. depois da morte de José de Arimatéia. O nome Áubulo (euboulos: "bem cauteloso") era uma variação de Aristóbulos (aristo-boulos: "mais cauteloso"). o grupo desintegrou-se . Maria. o arquidruida siluriano Bran estava em Roma.. e então se tornou Claudia Rufina Britannica. Cláudia e todos os irmãos" (2 Timóteo 4:21). Lino. Entretanto. como é confirmado pelo poeta romano Martial. a filha de José de Arimatéia. Enquanto na Britânia. Ana é citada como a consabrina (parente mais nova) da mãe de Jesus. o Abençoado. que falou da exploração do ho mem na Britânia. em 68 d.C. a invasão romana e o controle tinham mudado para sempre a .

afirmando que Percival (um sectário do rei Arthur no século VI) era o sobrinho-neto de José de Arimatéia do século I. como resultado. quer queira quer não. Nas obras. mas esses contos têm uma construção romântica e. incluem Bruts. "Bom cavaleiro era ele por certo. Galahad. Em Morte d'Arthur. e então se lembram de um conflito entre o . Todavia.C. Eles conversam sobre o escudo e mudam para uma discussão sobre José de Arimatéia. Os romances do Graal também são construídos com vários níveis de licença literária . No mundo da mitologia popular. O High History of the Holy Grai l.1220 d. o Mabinogion e os Ciclos dos Reis. Josué. com cavaleiros espalhados. (A Grande História do Santo Graal) dá um bom exemplo. Na época da morte de Maria Madalena. e é mencionado na história do filho de Lancelot. muitos historiadores os têm atacado cruelmente. eles são documentos importantes porque não são totalmente fictícios.prestando pouca atenção à cronologia correta. de Sir Thomas Malory. em 63 d. há vários níveis de confusão com referência aos descendentes de Anna e Bran. pelos textos de aventura. Historicamente. Ele mostra muito claramente como o fato histórico foi ultilizado para dar apoio a uma narrativa romântica. e esse José era o tio de sua mãe". Saraz aparece como o reino do rei Evelake. Um outro exemplo de como tais lendas foram estruturadas pode ser encontrado no conto arturiano do Cavaleiro Branco. seu filho Josefes havia se tornado o bispo de Saraz. e não a imagem superficial. a Tríade. que acaba sendo o filho de Josefes. O conto começa quando Galahlld herda um escudo sobrenatural e encontra-se com um misterioso Cavakirn Branco. pois ele era da linhagem de José de Arimatéia. a importância desse fato é fazer uma pontuação clara sobre a descendência da linhagem sem a restrição do detalhe do período. Isso funciona da mesma forma que as obras de arte alegóricas com referência ao fato de que é a mensagem fundamental que importa..personalidade da Inglaterra.C.

MONTANHA DA TESTEMUNHA Os nomes dos personagens nas histórias da Busca do Graal são uma característica particularmente interessante na sua composição. A partir disso. Não há registro de um rei Evelake. Elas foram escritas "para aqueles com ouvidos para ouvir". Ele era um arquiladrão.procurador ou chefe do magistrado. Além disso. ou nos códigos pesher dos Manuscritos do Mar Morto. o Falso) foi um personagem real no século I. o Avallach da Judéia. Portanto. na raiz da história do Cavaleiro Branco. No evento. citado por Josephus em As Antiguidades dos Judeus.rei Evelake e um incômodo sarraceno chamado Tolleme le Feintes. o escudo ficou com Sir Galahad. o Cavaleiro Branco relatou que. e foi levado a Cúspio Fado. em muitos aspectos. sob instruções de seu pai Josefes (filho de Maria Madalena). de forma que se preservou a história dinástica dos herdeiros Desposyni da linhagem messiânica. . semelhantes às parábolas contadas por Jesus. pode ser visto que as lendas medievais do Graal foram.o centro dos filisteus no qual Sansão encontrou seu destino (Juízes 16). mas o nome é uma variação literária do título governa. Esse ato foi acompanhado pela profecia de Josefes dl' que um cavaleiro de sua linhagem finalmente pegaria o escudo e "operaria maravilhosas façanhas". mas todas foram corruptelas do título greco-egípcio Alabarch . Ele foi objeto de muitas variações (tais como Abalech. o escudo tinha sido posto com o eremita sagrado Nascien. Tolleme le Feintes (Tolômio.C. Saraz era Sahr-Azzah na costa do Mediterrâneo . que o executou por volta de 45 d. Arabach e Amalach). mental Avallach. Tolleme e Evelake eram sinônimos para Tolômio e o Avallach. há algum fato.

C. o abade de Lincolnshire. Nos passos cistercienses do patrono dos Templários. refere-se a Galahad como sendo diretamente ligado à família de Jesus em seu Sermão sobre os Cânticos. aparentemente um puro descendente dos cavaleiros franceses. Durante os anos. Bron. quando um venerável homem de branco dirige-se ao rei Arthur levando Galahad para a Corte de Camelot. O Gileade original era um filho de Miguel. ele diz: "Trago a ti o cavaleiro esperado (le chevalier desiré). irmão de Abraão (1 Crônicas 5: 14). e nunca houve dúvidas sobre a natureza que envolvia os Desposyni nas idéias românticas. Hebrom. O termo hebraico Gilead significa "Monte da Testemunha"..) é visto como o "melhor cavaleiro de sua fé entre todos (. Além dos nomes mencionados. Até Judas Maccabaeus de Jerusalém (que morreu em 161 a.) e o mais sábio". Pelles. Mesmo Galahad. à Senhora do Lago e aos Reis Pescadores também adicionam a natureza Desposyni dos contos. que é descendente da alta linhagem do rei Davi". o Monte da Testemunha (Gênesis 31:46-48). Bernardo de Clairvaux. junto com inúmeras referências ao rei Salomão e à casa real davídica. Elinant. muitos acharam estranho que esse herói . a montanha chamada Gileade era a Montanha da Testemunha (Gênesis 31:21-25). Mas poucas pessoas param para imaginar por que há tanta proliferação de nomes judeus ou com aparência de nomes judeus no que são consideradas geralmente histórias cristãs. e Galeed foi o túmulo de Jacó. Gilbert da Holanda. Jonas e Ban. Elyeser. e a família messiânica à qual pertencem as lendas do Graal era originalmente judaica.Mantendo a herança du Lac (do sangue) e del Acqs (das águas) junto com Josué e Josefes. tataraneto de Naor.. Referências a José de Arimatéia. era chamado de Gileade ou Galeed no início. Urien. No Queste del Saint Graal. o legado de Madalena está aparente constantemente. há outros como Lot. E claro que o motivo para tantos nomes judeus é que o Cristianismo veio do Judaísmo helenista.

na quarta linhagem feminina do irmão de Benjamim. Ainda assim. cavaleiros e reis locais. Judá. de Chrétien de Troyes. Eles eram descendentes do filho de Arão. (Os hasmoneanos nada tinham a ver com a tribo de Benjamim. tais como Josefes. Os autores cristãos não exaltariam os homens de linhagem judaica para os altos cargos da cavalaria se eles estivessem apenas escrevendo uma ficção. Dispersados da Palestina. Esse foi o auge da influência dos Templários na Europa.C. Além dessas reminiscências de Waleran em 717 d. porém.) Na Idade Média. e sua mulher Eliseba. e então o empréstimo de dinheiro foi proibido pela Igreja de Roma. eles se transformaram em comerciantes e banqueiros.Roman de Perceval. até o último Galahad. Eleazar. o ancestral da linha masculina da Casa de Davi. o Graalliterário apareceu em 1180 como Le Conte del Graal . como ancestral de Maria Madalena. como foi erroneamente sugerido na linhagem de Maria Madalena em O Código Da Vinci. exceto os médicos reconhecidos. Então. e não foi coincidência o fato de Chrétien dedicar seu trabalho .. Isso não era bem recebido pelos bispos. seu destaque estava assegurado. muitos haviam se instalado em regiões no Ocidente. havia pouca afeição aos judeus na Europa. Ela tratava da preservação de um legado dentro do ambiente de Igreja que havia excluído a história da família do Graal em termos acadêmicos. quando a maioria dos romances do Graal foi escrita.hasmoneano bem-nascido da antiga Judéia fosse tratado com tamanha estima em uma história aparentemente cristã. Nessa atmosfera. os nomes persistiram para os primeiros protagonistas. Com referência a isso. não tendo terras para cultivo. mas. os escritores (britânicos ou da Europa continental) não achariam normal nem politicamente correto usar uma linha de nomes judeus para os heróis. eles foram incluídos porque a doutrina do Graal não era apenas uma aventura para entreter. o rei Edward I expulsou todos os judeus da Inglaterra em 1209.

essa obra contém Estoire del Graal. A High History of the Holy Grall (A Grande História do Santo Graal) retratava os cavaleiros como guardiões de um "grande segredo sagrado". de um cavaleiro bavário. Um outro relato do Graal que surgiu dos círculos Templários quase na mesma época foi a cisterciense Vulgate Cycle (Ciclo da Vulgata). Mais como um pote com tampa do que propriamente uma jarra.38. Sendo lisa ou decorada. de Robert de Boron. entalhes e vitrais. Em Joseph d'Arimathie. ícones. Bernardo de Clairvaux. Nem foi por acaso que Chrétien foi patrocinado e encorajado em sua tarefa pela condessa Marie e pela Corte de Champagne. A JARRA DE ALABASTRO Nós já falamos como Maria Madalena é freqüentemente retratada com uma jarra de bálsamo (ilustrações 15. e Josefes é identificado como o líder da fratemidade do Graal. No Estoire. a história de José de Arimatéia é contada novamente.o Corpo Abençoado (cors benicon). esculturas. é a forma mais importante de identificação dela na obra de arte. ela aparece com Madalena em inúmeras pinturas. Champagne e Léon. descreve os Cavaleiros Templários como os Guardiões da Família do Graal. 18. Escrito pelos monges da ordem de S. enquanto o romance do século XIII. conde de Flandres. Tanto no Estoire como no Queste. o Castelo do Graal é simbolicamente chamado de Le Corbenic . e mais uma vez o Queste identifica Galahad como um descendente da alta linhagem do rei Davi. apesar de aparentemente não haver bases textuais . Wolfram von Eschenbach. o Santo Graal é chamado de "o cálice do sangue sagrado".a Felipe da Alsácia. Parzival. Queste dei Saint Graal e Livres de Lancelot. A doutrina do Graal surgiu diretamente dos primórdios da instituição dos Templários e dos afiliados da Ordem nas Cortes da Alsácia.39).

então ela deve ter uma jarra. e não traduções. é incorreta. reclinado à mesa em casa de Simão. Mas nem a palavra "vaso" tem relação com o tipo de recipiente que levaria um bálsamo. Um vaso de alabastro com bálsamo (Lucas 7:37) Todos os Evangelhos detalham que Maria tinha um "vaso de alabastro". Uma tradução direta de Marcos 14:3 do texto grego no Arquivo do Vatican0386 resulta em: Estando ele [Jesus] em Betânia.para essa imagem específica. e principalmente depois da Segunda Guerra Mundial. mas isso foi resultado de uma consciência comum em vez de uma precisão na tradução. baseadas na premissa de que. Elas são interpretações. o Leproso. veio uma mulher que trazia um alabastro cheio de bálsamo . de grande preço (Marcos 14:3) . Na verdade. os outros três Evangelhos descrevem: . a palavra inglesa ointment (pomada). que não faz referências a um recipiente de qualquer tipo. que denota uma preparação oleosa. O grego traduz para um líquido. por que tantos artistas aparentemente entenderam errado? Quando consideramos a linguagem original desses Evangelhos. Então. se as pessoas imaginavam que Maria tinha uma jarra. Um vaso de alabastro cheio de bálsamo de nardo. "atar" (óleo essencial) ou "bálsamo" . Um vaso de alabastro de um bálsamo muito preciso. mas.por isso o francês Ia Sainte-Baume: O Bálsamo Sagrado. (Mateus 26:7) . várias revisões da Bíblia usaram a palavra "jarra" em vez de "vaso". Durante o século XX. a jarra refere-se à unção de Jesus em Betânia feita por Maria. além do Evangelho de João. apesar de as referências serem quase precisas na tradução.

de grande preço. depois do sepultamento de Jesus. Quer dizer que ela tinha uma garrafinha ou frasco. . a esposa dizia que o ungia para um funeral . ela usaria um outro pequeno frasco de bálsamo em seu próprio pescoço. com o qual (presumindo que ela ainda estivesse viva) ela o ungiria novamente em sua morte. até de metais preciosos. E foi por esse motivo que Maria tinha de ir ao sepulcro. Os alabastrons eram pequenos recipientes para óleos aromáticos. ou tinham pequenos furos para usar com uma haste. e eles não tinham tampas como um pote. Eles eram selados e tinham de ser quebrados (como parece ter sido o caso com Maria).de nardo puro. O prefixo alas refere se a pequenas asas projetadas em suas laterais. Quando ungia um marido dinástico no casamento. Eles não eram necessariamente feitos de alabastro como o nome leva a pensar. como de fato ocorreu. fê-lo a fim de preparar-me para a minha sepultura" (Mateus 26:12). e. Quando corretamente traduzido. mas freqüentemente de vidro. quebrando o vaso.como em um compromisso até a morte: "derramando ela este bálsamo sobre meu corpo. Maria tinha um alabastron (do grego alabastros). às vezes. porcelana ou um tipo de cerâmica. Então. derramou-lhe sobre a cabeça o bálsamo.

Na verdade. é provável que os artistas estivessem simplesmente seguindo uma tradição da ilustração. o vaso tinha dois propósitos. No estilo de um cibório (um vaso fechado contendo a Eucaristia). Mas. A jarra.A jarra dada a Maria Madalena por séculos pelos artistas é aparentemente uma representação dessa unção em Betânia e da unção no sepulcro (veja ilustração 41). e diziam que Maria . Para os primeiros artistas do gênero. então por que ela é retratada levando-o para a França mais de uma década depois? (veja ilustrações 15 e 18). como as taças e os caldeirões antigos. Nos últimos tempos. Ela surge em vários tamanhos e feita em diversos materiais. Ele era realmente simbólico do alabastro de Betânia. como está nas cenas judias. se essas fossem as únicas razões. mas também se referia ao Saint Graa/ (Santo Graal) que diziam conter o sangue de Jesus. mas esse não era o caso no início da Renascença. em vez de um objeto com usos práticos. aparecendo como uma forma de relíquia cristã. o vaso é um símbolo totalmente feminino. também faz parte das retrações de sua Chegada a Provença. quando começou a tradição da "jarra". junto com a coroa de espinhos de Jesus. é simbólico do útero.

o lorde Tennyson. telas. Em termos artísticos. lançando mão de uma imagem direta do Graal de um cálice dourado. Entretanto. Sir Edward Coley Burne-Jones e vários membros da irmandade. Isso aconteceu graças ao Holy Grail de Alfred. o . publicado em 1859. uma caixa de jóias. desprezando as perseguições feitas contra eles: "o acusador de nossos irmãos. ele foi reconhecido. Nos contos originais da Idade Média. tapeçaria e vitrais. como é descrito na história de Lancelot do Vulgate Cycle (veja ilustração 12). a irmandade pré-rafaelita vitoriana e seus seguidores eram ávidos proponentes do Graal. A representação do Graal era de muita importância para Rossetti. A sua pintura Maria Nazarena é de especial importância. ele abandonou o costumeiro simbolismo velado da jarra de bálsamo. a salvação dos Desposyni estava na perpetuação de sua linhagem. uma jóia e uma vinha. E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho" (Apocalipse 12:10-11). o Graal foi simbolizado por muitas coisas . Sir Thomas Malory referiu-se ao Santo Graal como "O corpo abençoado de Cristo" e. Imagens famosas de Maria Madalena foram pintadas por Frederick Sandys. uma aura. um cálice. Anteriormente. Em 1484. acima de tudo.um prato. uma pedra. o Graal era relacionado a um prato esceule da Eucaristia ou a uma taça que dizem ter sido usada por José de Arimatéia para guardar o sangue de Jesus. no retrato de Madalena. E. o conceito do Graal como uma taça usada por Jesus na Última Ceia não era tão popular até a época vitoriana. cujo altar Sementes de Davi adorna a catedral em Llandaff. como citado no Apocalipse. o qual diante de nosso Deus os acusava dia e noite. passando sua imagem para papéis. com uma Madalena solitária vestida de verde e olhando o jardim da vinha.Madalena tinha levado o sangue real do Sangréal para Provença. como pante Gabriel Rossetti. Em ambos os sentidos (seja contendo o corpo ou o sangue de Cristo). como o "Vaso Sagrado".

A obra magistral de Rossetti com referência a Madalena é. Ele retrata a chegada de Madalena para a unção de Jesus. para acompanhar a obra de arte: .mas Maria está cercada pelos menestréis e os jovens casais enfeitados com flores e guirlandas. descrito por Sir Thomas Malory como o San gréal. o qual é visto dentro da casa . para garantir que a mensagem do casamento reprovado foi totalmente passada. Não há dúvida de que a cena é um simbolismo nupcial e. é uma das representações mais significativas de Madalena de todos os tempos. Produzido em 1858. Rossetti até escreveu um soneto. Na verdade Uunto com A Vida de Maria Madalena de Dalí).vas uterus. citando Jesus como o “noivo”. o desenho no Museu Fitzwilliam Maria Madalena na Porta de Simão. esse retrato extraordinário está repleto de reminiscências de um casamento pagão do festival de maio. sem dúvida. o Fariseu.

Por que tu lançarás as rosas de teu cabelo? .

minhas lágrimas Ele deseja hoje . contemporâneo dos Meroveus dos Francos. esse banquete que almejamos. como detalhado nas obras de arte. quando eu beijo teus pés. Isso inclui os merovíngios da França. Ó. como citado na história do Cavaleiro Branco (veja p. Veja como eles beijam e entram. não essa casa.Não. grinalda. é uma importante personagem histórica. a nobreza Stewart da Escócia. livre-me! Vejas tu não a face de meu noivo Que me puxas para Ele? Pois Seus pés meu beijo. Meu cabelo. Nasceu na famosa Casa de Faramund. Um Desposyni do século V. Isso estava de acordo com sua linhagem e denotava sua . Não. além da nobreza francesa dos Toulouse e Rousillon. lábios e face. me chama. Até em nosso sussurro noturno de amor falarás. venhas tu. O símbolo de Nascien. ele era um descendente direto e principal sucessor dos Reis Pescadores da Gália. da qual muitas das famílias reais européias têm ancestralidade. me ama: deixe-me ir! Mary Magdalene de Dante Gabriel Rossetti NASCIEN E O PEIXE O rei Nascien dos medas (Nascien II de Septimânia). eles deixarão a escada. era um peixe. Este delicado dia de amor que nós dois partilharemos. Que doçura retém teu calar o tolo capricho? Não.e ó! Que palavras podem dizer que outro dia e lugar Ver-me-ão abraçar os pés d'Ele manchados de sangue? Ele precisa de mim. sejas tu toda uma rosa. 203).

tendo origem antes disso na Scythia. Meroveus. foram anteriormente ligados à Arcádia grega. que se tornara simbólica nos primórdios da era cristã pelo Iosous Christos Theou Yios Soter (Jesus Cristo. A casa recebeu o nome graças ao avô de Clóvis. Apesar dessas genealogias cuidadosamente listadas. cuja linhagem feminina deu origem aos merovíngios. Sua cultura de navegação estivera muito ligada a Pallas. a tataraneta de Bran. Clotilde de Borgonha. dos francos . ele foi considerado pelo historiador do século V. filho de Faramund. o simbolismo do peixe de Bistea Neptunis fazia parte de sua tradição mesmo antes da ligação com os Reis Pescadores da Gália. Os sicambros. Priscus de Thrace. filho de uma criatura misteriosa do mar. a herança de Meroveus foi estranhamente obscurecida nos anais documentais.um outro descendente do Rei Pescador Faramund. Com referência à herança arcadiana. perto do Mar Negro. A palavra grega para peixe era ichthys. e também de Meroveus. e variações de seu nome (como o rei Pelles) foram recuperadas no final dos tempos arturianos. Josefes) casara-se com Eurgen. Na época de seus reinados.C. Embora fosse filho legal de Clodion. o Bistea Neptunis. o senhor do mar arcadiano.. casou-se com o rei Clóvis . Algumas gerações antes de Nascien. e eram chamados de o povo Newmagc (A Nova Aliança). na França. e Ana (veja quadro em A Linhagem do Santo Graal). Esse casamento historicamente importante fortaleceu as linhas fraternas de Jesus e Tiago.condição sacerdotal. o Abençoado. seu ancestral do século III. exatamente como os essênios de Qumran eram conhecidos. A neta de Nascien. cujo símbolo também era um peixe. uma rainha tribal. o Rei Pescador Aminadab (neto do filho de Maria Madalena. Filho de Deus. Nascien e os reis merovíngios eram duplamente Desposyni.e deles descendeu a dinastia merovíngia. o legado de Madalena estava individualmente concretizado . no século VI. Salvador). Eles tomaram seus nomes de Cambra. por volta de 380 a.

Segundo o simbolismo das fontes eternas. a Igreja condenava abertamente o Graal como uma instituição pagã de blasfêmia e mistérios não sagrados. Madalena e o mito da água. ela está no Espírito Santo. a relutância da Igreja em aceitar a tradição do Sangréal derivar da família do Graal especificamente definida como uma linhagem messiânica. pois nunca alguém será capaz de beber o suficiente dela. Apesar de. esposa e rainha de Aminadab. Além disso. em uma maior extensão. contrariando a doutrina católica. Constantino baseou seu apelo à condição messiânica como uma descendência da linha feminina de São Tiago. As idéias românticas da cavalaria e as canções dos trovadores eram desprezadas pelos bispos porque colocavam o sexo feminino em um pedestal de veneração. Com a herança de Arimatéia de sua mãe. o Grande. como é representado por Viviane. estava a linha materna de sua tia-avó Eurgen e de Aminadab. Uma das melhores representações do Santo Graal vem de Nascien no Queste del Saint Graal. Essa era a Casa deI Acqs da rainha Viviane de Avalon. o Justo. Apesar do fundo tanto romântico quanto sagrado.por meio de uma dinastia matriarcal separada na Borgonha. era tia de Coel II de Colchester. Seu problema foi que ao longo dele. A dinastia dos Reis Pescadores reivindica a descendência tanto de Jesus como de . Ela está no Santo Graal. cuja filha Helena casou-se com Constantino de Roma e tornou-se a famosa mãe do imperador Constantino. ele explica: A fonte é tão grande que ninguém poderá exauri-Ia. Eurgen. a doutrina do Graal permanece como uma heresia não declarada por causa de sua forte associação feminina. principalmente com o etos do amor nobre (Anour Courtois) na Idade Média.

portanto. a herança de Colchester de Helena era de grande importância. Em conseqüência disso. e.do celta camulôt. A GRANDE LUZ O rei Lúcio era bisneto do benfeitor de São Tiago. ele inventou o conceito da Sucessão Apostólica para seu recém-criado ramo da Igreja Cristã. O pai de Eurgen (matriarca dos Reis Pescadores) foi o mais importante rei na história do Cristianismo na Britânia. o Pendragon. Posteriormente.C. filha de Ana . Corte de Camelot no romance arturiano (uma biografia sobre Santa Helena é fornecida no Apêndice IV). mas Lúcio decidiu reviver o movimento nazareno.Tiago. Lúcio confirmou seu Cristianismo em Winchester em 156 d. os eremitas dos Irmãos de Alain (neto de Maria Madalena) tinham interrompido as operações na Inglaterra. Entretanto. ela se tornou um modelo para o nome. O quarto na descendência de Tiago (José de Arimatéia).. Ao fazê-Io. o Abençoado. Ela era chamada de Camulod naquela época (romanizada para Camulodunum) . Arviragus. e sua causa foi elevada em 177 por uma perseguição romana em massa aos cristãos na Gália. Originalmente estabelecido de Caractacus. Depois da morte de Tiago/José. Colchester foi a cidade fortificada mais impressionante da Britânia. disseram que ele "aumentou a luz" dos primeiros missionários e tornou-se conhecido como Lleiffer Mawr (A Grande Luz). Isso foi reforçado principalmente nas antigas . que significa "luz curvada". visto que o imperador não podia competir em termos de igualdade.que era filha de Tiago e do arquidruida Bran. foi chamado de Lúcio e construiu a primeira torre em Glastonbury Tor. punha Constantino à sombra até onde a herança dos Desposyni possuía relação. no século II. aparentemente provisório. cujo filho Mário casou-se com Penardun.

Isso foi bom até o Cristianismo tornar-se a religião de Roma. Eleutério sugeriu que um bom rei tinha sempre a liberdade de rejeitar as leis de Roma. em Roma. e o imperador Marco Aurélio estava perseguindo cristãos.) Um rei é conhecido por seu governo. Abaixo. muitos cristãos gauleses fugiram para a Britânia. como todas as pessoas do reino. principalmente para Glnstonbbury. em seu De Brittanicarum Ecclesiarum Primordiis do século XVII. A carta em resposta a Eleutério ainda existe no Sacrorum Conciliorum Collectio. onde Santo lrineu e 19 mil cristãos foram mortos 30 anos depois. você será um rei. mas não as leis de Deus. Em razão de sua responsabilidade para com os refugiados e. onde procuravam a proteção do rei Lúcio. com o povo de seu reino. Eles estão sob sua proteção (. Durante a perseguição. o mais conhecido dos frades augustinianos e o arcebispo Usher de Armagh.. na tradição de seus antecessores. e o Venerável Bede de Jarrow (673-735) também escreveu sobre o apelo do rei. . na verdade. não pelo fato de ele reter seu poder sobre a terra. que é mencionado na AngloSaxon Chronicle (crônica anglo-saxônica). um trecho traduzido: Os fiéis cristãos. Enquanto você governar bem. devem ser considerados filhos do rei. A missão deles foi citada novamente no século VI por Gildas Badonicus. Todavia.. Eles finalmente voltaram com os agentes de Eleutério. A menos que aja assim.regiões herodianas de Lion e Vienne. Lúcio decidiu entrar em contato com Eleutério. Faganus e Duvanus (que os anais galeses denominam como Fagan e Dyfan). o líder cristão em Roma naquela época. Lúcio queria saber como o reino cristão funcionava. o nome do rei não resistirá e você perderá o nome de rei. John Capgrave (1393-1464). recontou que Lúcio enviou os missionários Medway e Elfan para levar seu pedido de conselho a Roma.

Pedro questionou a atitude de Jesus. Lúcio foi o responsável pela fundação do primeiro arcebispado cristão na Britânia. o maravilhoso altar de Rossetti. Ele era conhecido como o construtor da torre de Glastonbury na Torre de St. Lá. Cornhill. na antiga Cidade de Londres. Jesus replicou: "Eu lhe dei um exemplo. o Grande. que você deve fazer como eu fiz a você". e agora a igreja em Llandaff é dedicada a ele como Lleurwgg. A placa de latim acima da lareira da sacristia na Igreja de São Pedro. Então. o primeiro rei cristão da ilha hoje chamada de Britânia. O conselho dado pelo bispo Eleutério em resposta ao apelo do rei Lúcio é fascinante e completo. Depois disso. Michael em 167 d. Ela registra o tempo em que a Igreja Católica assumiu a Inglaterra e mudou o arcebispado do país para o que permanece até hoje. conhecida como a Igreja de São Pedro em Cornhill. Ainda mais impressionante. a fama de Lúcio espalhou-se por toda a parte. Isso foi estabelecido por Jesus quando este lavou os pés dos seus apóstolos na Última Ceia (João 13:5-15). hoje chamada de Canterbury. Agostinho. na verdade.Fagan e Dyfan reintegraram a antiga ordem dos eremitas em Glastonbury e credita-se a eles a segunda fundação do Cristianismo na Britânia. fundou a primeira igreja em Londres. Então.C. Lúcio. esse permaneceu pelo período de 400 anos até a chegada de S. expressando surpresa com o fato de o Mestre lavar os pés dos seus servos. ao manter o princípio fundamental do serviço que permeia o Código Messiânico do Graal... em Canterbury: No ano de Nosso Senhor de 179. e a tomou a primeira igreja metropolitana e a igreja principado de seu reinado. o assento e a capa do arcebispado foram trazidos da dita igreja de S. fundou lá o arcebispado. As Sementes de Davi. é um artefato importante.. . Pedro em Cornhill para Dorobernia. em seguida. pode ser visto hoje.

85). Elas estão sob sua proteção". o rei Llyr (Lear). Outro descendente de Beli Mawr foi o rei Llud.Os reis da dinastia original do Graal na Britânia e na França sempre operaram nessas bases. A realeza territorial era um conceito feudal e imperial que questionava totalmente o código. os Avallachs da herança de Arimatéia tomavam seus lugares em Gales.C. Os descendentes de Ana e Bran. e a descendência do rei Lúcio reinava na Inglaterra. continuavam a tradição do pai de Bran. na Doação de Constantino (veja p. Os reis do Graal eram definidos como Guardiões do Reino e. . uma região franca anteriormente chamada de Armorica. nunca governadores das terras. o conselho do bispo Eleutério para Lúcio foi tanto profundo quanto esclarecedor: "Todas as pessoas do reino devem ser consideradas filhas do rei. filho do soberano supremo Beli Mawr. Dentre os príncipes galeses na sucessão dos Desposyni surgiram os fundadores dos governantes locais da Britânia (Pequena Britânia). Silúria e Strathclyde. e sua família celebrava casamentos-chave na família da linhagem de Arimatéia. Houve padres comuns para as pessoas. a esse respeito. o Abençoado. Os primeiros monarcas compreenderam a diferença entre serem reis dos francos e serem reis da França. CAPÍTULO 14 REINOS E CORES AS FAMÍLIAS SAGRADAS Enquanto os Reis Pescadores da linha dos Desposyni de Jesus e Maria Madalena governavam na Gália. Ele foi o progenitor das casas reais de Colchester. reforçado na Europa depois da fraude de 751 d. ou entre serem reis dos escoceses e serem reis da Escócia.

em Norfolk. um dos reis mais proeminentes na descendência de Ana e Bran foi Cunedda. Imediatamente (um pouco antes da Revolta Judaica de 66 d. contra os romanos na Judéia) depois disso..C. foi o Rei dos Reis e o Guardião da Ilha Celta. cuja esposa era filha do antigo governador romano Magno Maximus. foi o Pendragon das terras da Britânia durante a vida de Jesus. De sua base em Dumbarton. governador de Manau pelo Estuário de Forth. os Pendragons eram apontados como descendência dos celtas reais por um conselho druida dos anciãos. o poderoso Cymbeline (pai de Caractacus). Tendo assumido total controle dos Powys em 418 d. em Carlisle. ele governou as regiões de Clydesdale. Esses reis eram os mais poderosos soberanos britânicos do século V e. dando seu famoso grito de guerra Y gwir erbyn y Bud (A Verdade Contra o Mundo). Seguindo a retirada romana da Britânia em 410 d. O Pendragon. o Velho).C.. as tribos Icenis eram governadas pelo rei Prasutagus. em razão de sua . que conduziu os "Homens do Norte" (os Gwyr-y-Gogledd).. ou Cabeça de Dragão da Ilha (Pen Draco Insularis). Carinhosamente lembrado em uma rima infantil como o Velho Rei Cole (Old King Cole).C. O título não era dinástico. José da Arimatéia veio da Gália para fundar sua capela de Glastonbury. Ela comandou a grande.O neto do rei Llud. Na época. Outro líder conhecido foi Ceretic. Cymbeline governou as tribos belgas de Catuvellauni e Trinovantes de seu trono em Colchester (Camulodunum). a liderança regional reverteu-se para os líderes tribais.C. Em um ramo paralelo da família estava o sábio CoeI Hen (CoeI. revolta contra a dominação romana em 60 d. Vortigern foi eleito Pendragon da Ilha em 425 d. Domínio norte de Cymbeline. cuja esposa era a famosa Boudicca (ou Boadicea). Um desses foi Vortigern de Powys em Gales.C. porém mal-sucedida. um descendente do rei Lúcio. ele governou as regiões de Rheged de seu trono de Cumberland.

C. o neto de Vortigern. Quando Cunedda morreu. Ao fazer isso. Aurelius foi designado Príncipe do Santuário de Ambrius . ficaram atraídos pelo extremo sul e dominaram o reino de Kent. ao obterem sucesso. Mercia e East Anglia. Enquanto isso. foi imediatamente chamado para repelir os invasores. Cunedda e seus filhos lideraram seus exércitos para o norte de Gales para expulsar os indesejados colonizadores irlandeses. O detentor desse último posto foi chamado de Guletic. Um exército de mercenários juto-germânicos.. mas.distante herança. eles eram conhecidos como as Famílias Sagradas da Britânia.. compreendendo Nortúmbria. Em sua aptidão como sacerdote druida. tornou-se Pendragon. também se tomando o comandante militar supremo dos bretões. a pedido de Vortigern.C. que significa "estrangeiros"). Essex. depois da morte de Vortigern em 464 d.uma sala sagrada -. em Gales. simbolicamente inspirado em um antigo tabernáculo hebreu (Êxodos . Aurelius . liderados por Hengest e Horsa. ele substituiu como Pendragon. O conjunto ficou conhecido como England (terra de anglos) e os novos ocupantes chamaram a península oeste celta de Gales (Wales weallas. enquanto os anglos ocuparam o resto da terra do estuário de Severn até as Muralhas de Hadrian. desenvolvendo os reinos de Wessex. o genro de Vortigern.um homem de considerável experiência militar -. Os saxões tomaram o sul. Brychan de Brecknock. Em meados do anos 400 d. Os pictos da Caledônia no extremo norte da Britânia aproveitaram a ausência de Cunedda e iniciaram uma série de ataques surpresa nas Muralhas de Hadrian. Middlesex e Sussex. Cunedda fundou a Casa Real de Gwynedd na região costeira a oeste de Powys. e Ceretic de Strathc1yde tomou-se o Guletic. retomou da Britânica para emprestar sua força contra a penetração saxônica. Cunedda permaneceu no norte de Gales e. Outras tribos anglo-germânicas e anglo-saxônicas depois invadiram pela Europa.

Em vez de tentarem retirar os irlandeses de Manau. As forças de Guletic foram vitoriosas e Dun Baedàn caiu. os galeses irlandeses estavam em disputa com a casa de Brychan e. Em 560. com o povo galês sendo chamado de Breichniog do Norte. as frotas escocesas de Gabran partiram de Sound de Jura com as tropas de Guletic de Aurelius. o cronista Gildas II escreveu sobre essa batalha em seu De Excidio Conquestu Britanniae (A Queda e a Conquista da Britânia). O trono de seu pai ficava em Brecon. Brychan pediu ajuda de seu genro. Em 516 d. Gabran tomou-se o lorde de Forth. herdando um castelo em Aberfoyle. com sua corte West Highland (Terras Altas do Oeste) em Dunadd perto de Loch Crinan (loch significa lago). Seu objetivo era o castelo do rei Cairill. na Batalha de Dun Baedan. eles atacaram Manau dos escoceses em 514. A invasão foi bem-sucedida e a área do Forth ficou sob o governo irlandês. Aurelius. Lá. um formidável forte na encosta em Dun Baedàn (Encosta de Badon). De seu forte em Snowdonia.. e do comandante Guletic. Os guardiões de Ambrius eram denominados Ambrosius e usavam mantos escarlate. Nessa época. a fortaleza ao norte foi igualmente chamada de Brechin. em Gales e então.C. o filho de Brychan (também chamado Forth como o Príncipe de Manau. o príncipe Gabran. ele fundou outra região de Brecknock em Forfarshire. com isso. manteve a defesa militar do oeste e assumiu como Guletic quando Brychan morreu. sob o comando do rei Cairill de Antrim. os líderes decidiram lançar uma ofensiva direta por mar contra Antrim.25:8). e o grande conflito figurou em crônicas tanto escocesas como irlandesas. Gabran tornou-se o rei dos escoceses em 537. A filha de Brychan II casou-se com o príncipe Gabran398 dos escoceses de Dalriada (o oeste das Terras Altas). No início dos anos 500 d. Aurelius.C. . Alguns anos depois. no norte da Irlanda.. o Ambrosius.

Logo depois da ordenação real de Aedan. o Pendragon era o bisneto de Cunedda. que se tornou o rei dos escoceses em 574 e foi o primeiro rei britânico a ser instituído pela ordenação sacerdotal quando ungido por São Columba.Depois dessa época. Aedan de Dalriada. Maelgwyn de Gwynedd. Ele foi bem-sucedido em sua indicação pelo filho do rei Gabran. o rei galês. o rei Rhydderch de .

era uma das cinco capitais provincianas. em 369 d. que havia tomado de Colchester como o principal Camu-Iôt do soberano Guletic. com a morte de Gwenddolay. o filho de Aurelius. que também aparece no francês Suit de Merlin e nos contos britânicos Sir Gawain and the Carl of Carlisle e The Avowing of King Arthur. estão as ruínas do Castelo de Pendragon. aquele do conto arturiano de Fergus and the Black Knight . o respeitável Bede de Jarrow refere-se à comunidade cristã em Carlisle muito antes da entrada dos anglo-saxões na região.C. escrito por volta dos anos 600 d. Ela havia sido uma importante cidade militar romana e. Ele também é citado no poema celta Gododdin. na Cúmbria. Columba em 574. Um pouco ao sul de Carlisle. Em sua Life of St Cuthbert.. . acima das muralhas de Hadrian (lá. no século VII. Naqueles dias. em Life of St. Carlisle também era chamada de Cardeol ou Caruele nos tempos arturianos.) O chefe conselheiro de Gwenddolau (Merlin da Britânia) era Emrys de Powys. em Dunadd. Columba. Quando o rei Aedan da Dalriada foi instituído por S.Fergus e o Cavaleiro Negro -. o Fosso de Liddel.Strathclyde matou o rei Gwenddolau em uma batalha perto de Carlisle. Entretanto. na Floresta da Caledônia. cuja Historia Brittonun o coloca em várias batalhas identificáveis. perto de Kirkby Stephen. e então buscou refúgio na corte do rei Aedan. foi consituído. o centro urbano mais importante no norte da Britânia era Carlisle. do monge galês Nennius. The High History of the Holy Grail refere-se especificamente à corte de Arthur em Carlisle. A DINASTIA ARTURIANA É sempre dito que a primeira citação referente ao rei Arthur vem do século IX. Mas Arthur era citado bem antes de Nennius. o Merlin fugiu para Hart Fell Spa.C. O campo de batalha ficava entre o rio Esk e Liddel Water.

Historicamente.seu filho mais velho e herdeiro (nascido em 559) era Arthur. ele era falsamente incluído nos quadros ingleses da época dos Tudor no século XVI. Arthur tornou-se soberano Guletic. Sua própria mãe (na linhagem hereditária de Jesus e Maria Madalena) era a rainha Viviane I de Avalon de Borgonha. em 597. seguindo a ordenação de seu pai como rei dos escoceses. O pai de Arthur. onde Ben Arthur se localiza acima de Arrochar. a Senhora do Lago. Nennius listou várias batalhas nas quais Arthur foi vitorioso. em 575. Portanto. ao norte de Dumbarton. a alta sacerdotisa dos reinos celtas. Outro nome de campo de batalha arturiano foi a Cidade da Legion (Carlisle) e o distrito de Linnuis . Em seu 16º. e a Igreja celta proclamou sua mãe. houve apenas um Arthur nascido para ser um Pendragon: ele era Arthur mac Aedan da Dalriada. Columba. Em 858. o abade Adamnan de lona (627-704) relatou como o santo havia profetizado que Arthur morreria antes que ele pudesse suceder seu pai como o rei dos escoceses.o forte de Bremenium nos Cheviots. e o local fortificado foi o centro das operações em meados dos anos 500. A batalha de Arthur no rio Glein em Nortúmbria também foi descrita. Ygerna .a antiga região da tribo de Novantae. As localizações incluíam a Floresta da Caledônia ao norte de Carlisle (Cat Coit Celidon) e no Monte Agned . Nunca houve um Uther Pendragon. aniversário. A mãe de Aedan. dos quais os anglo-saxões foram expulsos. Adamnan depois confirmou que a profecia era precisa. Lluan de Brecknock. era descendente de José de Arimatéia. na base do Lago Long. mesmo assim. pois Arthur foi morto em uma batalha poucos anos depois da morte de Columba. Em Life of St. como é descrito nas lendas arturianas. Rei Aedan mac Gabran dos Escoceses. tornou-se Pendragon por ser neto do príncipe Brychan. os sacerdotes ungiram Arthur como o rei dos bretões. Ygerna deI Acqs. Na época da concepção de Arthur por Aedan.

os irlandeses ainda estavam resistindo em Manau. A campanha foi mencionada por Nennius. no distrito de Manau no rio Forth. Conseqüentemente. com a morte de Gwyr-Llew. a linha de Jesus e Maria Madalena foi relacionada à linha de Tiago/José de Arimatéia (veja quadro em A Linhagem do Santo Graal. foi obrigado a se submeter ao príncipe Baedàn mac Cairill em Ros-na- . ye Brytannismaid him king be ye delvirie of Merlynge. Entretanto. e é por isso que ele se tomou tão importante para a tradição do Graal. Em Life of Saint Columba. pois nessa segunda ocasião os escoceses foram derrotados e o pai de Arthur. Miathi era uma tribo de bretões que foi empurrada para o norte pelos anglos em 574 e fixouse na fronteira escocesa. and yis Arthure was gottynonn aneoyir manniswiffe. 351). as forças Guletic fizeram um segundo ataque em Dun Baedàn. A antiga Chronicle ofthe Scots (Crônicas dos Escoceses) registra o fato como segue: Becaus at ye heire of Brytan was maryit wy tane Scottis man quen ye Kinrik wakit. assim legitimando Arthur antes que seus títulos fossem entregues. Sua principal fortaleza ficava em Dunmyat. enquanto a visão de Gildas relata uma batalha em 516 com Ambrosius Aurelius como o comandante. rei Aedan. Arthur foi o primeiro produto de uma união marital de Desposyni em 350 anos. Ygerna casou-se com Aedan da Dariada. p. Apesar da derrota do rei irlandês Cairill em 516 no Monte Badon.(Igraine) era casada com Gwyr-Llew. Por meio dessa união. o abade Adamnan relata que o rei Arthur mac Aedan foi morto na batalha de miathi. duque de Carlisle. Nennius dá a Arthur mais crédito do que ele merece. ye Dux of Caruele. que descreveu a presença de Arthur. and Arthure was XV yere ald. Entretanto. onde ela se ligou aos colonizadores irlandeses.

as tropas Guletic também tinham enfrentado os bretões de miathi. em 596. ao norte das Muralhas de Antonine. mas os irmãos mais novos de Arthur. Eles tiveram sucesso ao conduzir muitos de volta ao território deles no sul. Em 603. Eochaid Find. foram mortos em Brechin em 595. também foram citados na batalha de Circinn. Depois da morte do rei Baedàn mac Cairill em 581. Arthur e seu terceiro irmão.o segundo conflito sendo o resultado de um curto período de retirada dos escoceses após a primeira batalha. uma antiga fortaleza das Muralhas de Hadrian.Rig. na Laguna de Belfast. Aedan dos escoceses finalmente conseguiu expulsar os irlandeses de Manau e do rio Forth. os escoceses foram vitoriosos e os pictos foram levados para o norte. Mais uma vez. Entretanto. Ela foi uma atração que durou muito tempo e só foi demolida durante a Revolução Industrial do século XVIII. mas aqueles que permaneceram quando os escoceses partiram tiveram de lutar com os pictos. Posteriormente. O rei Aedan estava presente nas batalhas. a batalha de Camlanna foi um total fiasco para os escoceses. Ao confrontar os irlandeses em Manau. os quais foram empurrados para o norte em direção a Galloway e . Mais tarde. os pictos e os miathi estava unidos contra a cavalaria de Arthur e se encontraram na batalha de Camelyn. apenas três anos depois de Camelyn. os escoceses enfrentaram os miathi do sul e os anglo-nortumbrianos. As forças inicialmente encontraram-se em Camlanna. a cavalaria de Arthur levou os irlandeses para fora do Brecknock dos escoceses. ao contrário do primeiro encontro em Camelyn. No final do século. Bran e Domingart. uma fundição nas proximidades foi chamada de Furnus Arthuri (Fogo de Arthur) para marcar o evento. Caindo por uma diversidade tática dos miathi. que rapidamente avançaram para os seus domínios. os escoceses permitiram que os anglos se movessem atrás deles. Esse confronto era um evento prolongado acontecido em dois campos de batalha .

Nesse momento. atraídos pelos postos dos príncipes galeses. Naquela época. O tumulto em Camlanna teve vida curta e as tropas celtas foram obrigadas a perseguir os anglos. adquirindo assim um novo território chegando até Solway. príncipe e soberano Guletic dos bretões. portanto. o filho de seu antigo inimigo. Seus irmãos Theobald e Eanfrith foram mortos. que os haviam atacado. RAINHAS DE AVALON A batalha de Dawston foi uma das mais bárbaras em toda a história celta. Os Tigernach Annals chamam-na de "o dia em que metade dos homens da Escócia morreu". Modred. Columba. Também foi morto em Dawston o filho de Arthur. Aethelfrith também teve pesadas perdas. Arthur. e eles ainda receberam a ajuda de Maeluma mac Baedàn de Antrim. Apenas alguns meses antes. arcebispo do Família Sagrada de S. sob alguma pressão para interceptar e interromper o avanço em direção ao norte dos anglos. Disseram que eles haviam reunido uma imensa força. em 603.Strathclyde. foi forçado a fugir. filho dos reis escoceses). e então os irlandeses uniram forças com os escoceses. enquanto seu oponente. Apesar de ser vitorioso. Eles os alcançaram novamente em Dawston-on-Solway (depois. chamado de Degsastan em Liddesdale). . caiu (aos 44 anos) ao lado de Maeluma mac Baedàn. o rei Aedan. o rei anglo Aethelfrith de Bemicia tinha derrotado o rei Rhydderch em Carlisle. os próprios irlandeses estavam assustados pela possibilidade de uma invasão anglo-saxônica. As Chronicles of Holyrood e Chronicles of Melrose referem-se ao local da batalha em Dexa Stone. As forças da Dalriada sob o comando de Aedan e Arthur estavam. A infeliz definição Cath Camlanna passou a ser usada em muitas batalhas perdidas a partir de então. descrito nos anais como Modredus filius Regis Scotti (Modred.

Na época. ficaram totalmente isoladas uma das outras. Cadwaladr de Gales (o 26º. Seu pai. e a Família Sagrada de S. Isso ocorreu em 844. Na trilha das derrotas de Arthur em Camlanna e em Dawston (chamadas em conjunto por di Bellum Miathorum: A Batalha de miathi).uma . A dinastia avaloniana . forçando os galeses para o outro lado do que finalmente seria a linha do dique de Offa.Aethelfrith nunca chegou em Atrathclyde. Os anglos da Mercia foram para o oeste. ao referir-se a ele como um descendente das rainhas de Avalon. o rei Kenneth MacAlpin. Ele falhara em suas obrigações como Guletic e como Grande Rei. enquanto os saxões de Wessex invadiram Exeter. mas seu sucesso em Dawston possibilitou que o território dos nortumbrianos fosse estendido em direção ao norte para o Estuário do Forth. fato que dizem ter aberto a porta para a conquista final da Britânia pelos anglo-saxões. Strathclyde e Dumnonia (Devon e Comwall). anexando a península sudoeste. em 613. Os registros da investi dura de Kenneth dão apoio à sua importante posição na linha da família. o rei Aedan de Dalriada. Isso levou a uma divisão geográfica permanente entre os galeses e os bretões de Strathclyde. depois de mais de seis séculos de tradição. que estavam separados fisicamente dos seus antigos aliados em Gales. Aethelfrith sitiou Chester e deixou a Cúmbria totalmente sob o controle anglo. os antigos reinos do norte deixaram de existir. Os dias da nobreza celta acabaram e. morreu cinco anos após o desastre em Camlanna. uniu-se aos pictos e escoceses como uma única nação. as anteriormente unidas terras dos celtas de Gales. incorporando os Lothians. na linha de José de Arimatéia) foi o último Pendragon. Columba responsabilizou Arthur. quando o famoso descendente de Aedan. Os escoceses. Dez anos mais tarde. perceberam que o único caminho para salvar as terras de Alba (Escócia) era tornarem-se aliados dos pictos da Caledônia.

O filho de Morgana. a Fada. Ele era descendente galês de Arimatéia. A província foi chamada de léon pois era o nome dos septimânios para "leão". o lorde Lyon da Escócia. com as filhas das rainhas mantendo posições importantes. era esposa de Ywain. mas Morgana é historicamente citada nos textos da Real Academia Irlandesa como "Muirgein. Ygerna de Avalon deI Acqs teve uma filha com seu ex-marido Gwyr-Llew de Carlisle. sem presas nem garras. No romance do Graal. As Terras de Léon foram instituídas por volta de 530. e sua innã. na época do rei bretão Hoel I. enquanto um outro ramo importante foi a sucessão real da Septimânia no Midi Franco-Espanhol. o Rei das Annas. em um escudo de ouro (em tennos heráldicos: "ar. O nome da filha era Morgana. ela é conhecida como Morgana. Ywain (Eogan).herança direta de Maria Madalena foi perpetuada na linha feminina. em vez dos seus filhos. ainda era chamado de Léon Héraud. ou Morgana. filha de Aedan em Belach Gabráin". Alienor (Elaine). . As rainhas com o título de Avalon da Borgonha surgiram ao lado dos reis merovíngios dos francos. um exuberante leão negro). Até o século XIV. fundou a casa nobre de Léon d' Acqs na Britânia e o último exército de Léon criou o Leão negro davídico. e ela era a meia-innã de Arthur. Antes de se casar com o rei Aedan mac Gabran da Dalriada.

Naquela época. mas não era um reino verdadeiro. Lá surgiu uma linha de reis como Hoel. havia dois níveis de autoridade na Britânia. Os ascendentes de Chonomore eram os prefeitos do Palácio de Neustria e ele era . o Breton Dumnonia foi fundado em 520. No curso de uma imigração prolongada da Britânia. e sim dos imigrantes bretões. mas eles não eram reis da Britânia. um franco com autoridade merovíngia para inspecionar o desenvolvimento da Britânia com os colonizadores. e os reis locais eram subordinados à autoridade dos francos pelos condes nomeados Comites non regis. Durante esse período. a região permaneceu como uma província merovíngia. O lorde franco supremo da Britânia em 540-544 era Chonomore.

tomaram-se condes da Britânia. Ela aparece em um mural colorido que descreve sua chegada ao sepulcro de Jesus. e é citado que cerca de 6 milhões de pessoas estão enterradas no complexo. Também é encontrada a fonte mágica de Barenton e o Jardim da Alegria do Merlim. apesar de a maioria das histórias de Broceliande ter sido na verdade transposta para épocas anteriores do histórico Merlim. A arte cristã começou a evoluir para o domínio público a partir do Édito de Milão em 313 d. em Dura-Europos. os descendentes da tia de Ywain. onde Morgana confinou seus amores. na floresta da Caledônia da Escócia. por volta de 240 d.C. na Síria.herdeiro do conde de Pohor. A Enciclopédia Católica confirma que o tema mais recorrente é a videira.C. mas não há nada sobre a crucificação. A Britânia tem destaque no romance arturiano. essa rede de passagens e salões tem cerca de 880 quilômetros. e foi descoberto em 1929. Estendendo-se em uma única linha. AS CORES DE MADALENA Os primeiros exemplos de arte usada com propósitos cristãos foram encontrados nas catacumbas de Roma. fica a floresta encantada de Broceliande. Intitulada de Myrrophore (Portadora de . Peixes e pombas eram os símbolos comuns da fé. Viviane II del Acqs. Em Paimpont. exceto talvez em termos ocultos. o retrato mais antigo de Maria Madalena vem de antes disso. no rio Eufrates. Na época. Ela estava embaixo das ruas da cidade em que os primeiros cristãos se abrigavam da perseguição imperial. nem sobre a Virgem Maria. de onde se alcança o Vale Sem Volta. a cerca de 48 quilômetros do Reno. Entretanto. e há algumas cenas bíblicas cruéis.. Mesmo as câmaras usadas para o enterro nos séculos I e II tinham algum tipo de decoração.. quando o imperador Constantino proclamou a nova religião do Estado de Roma.

quando a folha de ouro era usada para representar o que realmente seria uma auréola. Um brilho de nimbo ao redor da cabeça é classificado como auréola e.um grande campo de energia de luz radiada (vários estilos de nimbos são mostrados nas ilustrações coloridas).um jovem sem barba ensinando e curando. No século V. é uma glória. e os temas eram consolidados na forma da . Seus retratos eram geralmente os de "bom pastor" . O nimbo é geralmente de ouro e pode ter um esboço bem definido ou a luz pode ser difusa. se cercar o corpo ou não tiver uma forma específica. que pode ou não ter raios. Portanto. mas foram poucas. A partir do século VI. Enquanto as igrejas e catedrais eram construídas. mas de Maria Madalena. a auréola é na verdade um anel (como o anel em volta da lua). um nimbo/auréola é uma aura iluminada . Cristo e outros ficaram com uma aparência mais sagrada. é de alguma importância que. Os discos colocados por trás eram mais comuns nas obras mais antigas. e está hoje na Galeria de Arte da Universidade de Yale. uma das relíquias ilustradas mais antigas na superficie não é de Jesus. as imagens da Virgem Maria começaram a aparecer. e a auréol'a foi introduzida nas figuras santas. O primeiro crucifixo de marfim vem do século V. em New Haven. Sendo assim. ou com seus apóstolos. visto que o sagrado tinha uma aura chamada de nimbo. Cientificamente. durante os primeiros séculos do Cristianismo.Mirra). o nascimento e a crucificação de Jesus tinham pouca prioridade. mas só no século VI a crucificação apareceu na arte ilustrada. Por volta da mesma época. a pintura foi removida da capela no início da década de 1930. Um nimbo pode ser uma auréola acima ou atrás da cabeça ou um disco achatado sobre ou atrás dela. em termos cristãos. a arte cristã progrediu em várias direções e numerosos temas favoritos foram estabelecidos. Apesar de hoje ser um termo comum. arte ilustrada ou esculturas tornaram-se exigência em toda a parte.

como era presumido pela interpretação de Lucas? Enquanto o culto da "virgem mãe" crescia em importância. ou em um estábulo. bem como O Descanso na Fuga para o Egito. de Alessandro Moretto. também teve pouca relevância porque foi dito que Maria fora concebida de . Às vezes José parecia estar senil. era considerado sem importância nas obras de arte. mas os artistas não podiam fugir das diretrizes dos Evangelhos. Raramente era permitido que ele fizesse parte de qualquer ato importante e. Os bispos adorariam ter negado que Maria nunca se casara. Por exemplo. José. Na verdade. ele foi freqüentemente mostrado como um doente. deveriam ser uma. de Hans Memling (1470). enquanto Maria permanecia jovem. ao mostrá-Io como um velho com um grupo para apoiá-Io. como em A Adoração dos Pastores. A necessidade de sua presença no nascimento de Jesus era uma causa particular da dificuldade.preferência doutrinal. o pai de Maria. e os comissionários da Igreja exigiam que ele fosse confinado a posições inferiores ou que ficasse ao fundo. bonita e serena. de Van Dyck (1630). José também foi retratado com pouco interesse em sua família. mas havia diferenças nos Evangelhos que levaram a confusões nessas pinturas. raramente era visto como sendo capaz de qualquer ação. de Ghirlandaio (1485). de Caravaggio (1597). em pinturas como Repouso no Egito. duas ou três mulheres no sepulcro de Jesus? A natividade seria pintada em uma casa. o melhor que eles podiam fazer era retratar José muito mais velho que sua esposa. No esforço de não sugerir nenhuma ligação fisica entre José e Maria. como em A Adoração dos Magos. bem como o conteúdo de seu trabalho. dormindo ou reduzido a um observador su pérfluo. como diz Mateus. mas isso foi superado em pinturas como A Natividade. o pai de Jesus. Os artistas geralmente eram instruídos. Joaquim. O famoso Tondo Doni de Michelangelo (1504) caracteriza um José muito calvo com barba branca. inclinando-se desconfortável em uma bengala.

No auge da Inqtiisição. é claramente planejado para posicionar a Maria adulta aos joelhos de sua mãe. de San Gallo (1526). Da mesma forma. porque sua presença desacreditaria a condição divina de Maria. Regras de códigos de cores foram. desde que não estivesse extremamente aparente. a cor do céu. de Bartolommeo Cesi (1600). Sua Expulsão do Templo foi um tema usado por outros como Giotto e Ghirlandaio.forma imaculada. tendo presumido oferecer uma festa do cordeiro quando ele não era um pai. portanto. ela era colocada em uma posição subordinada. de Leonardo da Vinci (1510). introduzidas. Se a aparição de Ana era essencial. ao ser mostrado menos digno sendo expulso do Templo pelo sumo sacerdote Issacar. mas mantém a Madona à frente. de forma que Maria e Maria Madalena pudessem ser diferenciadas. de Pietro Perugino (1502). O principal problema em tudo isso era a identificação pessoal da Virgem Maria quando ela era retratada em grupos de mulheres. tais como as mulheres na cruz ou no sepulcro de Jesus. dá um bom exemplo de como a mãe está sentada atrás da filha. Ela poderia usar uma túnica vermelha. A mãe de Maria também passou por normas rígidas. não era permitido mostrar os pés ou o peito de Maria. Já nos afrescos de Taddeo Gaddi. Ana está atrás de sua filha em A Família da Virgem. mas isso foi expressamente proibido porque essa era a cor . mas a roupa deveria ser azul. e usar o dourado. mostra Ana ajoelhada frente a visão de Maria. para significar sua condição de rainha. O Visão de Santa Ana. ele foi posto de forma secundária. e era raramente apresentada nas pinturas com a filha. O Santa Ana e a Madona. Foi determinado que a cabeça da Virgem Maria deveria sempre ter um véu e seus braços deveriam estar sempre cobertos. A Virgem e a Criança com Santa Ana. Algumas das primeiras pinturas mostram Maria em um manto vermelho. do século XIV.

dos cardeais e possuía uma prerrogativa eclesiástica masculina. definia a luxúria e a malícia. O esquema de Madalena tornou-se a principal coloração para as obras relacionadas ao Graal. Quando usada por uma mulher. em uma mulher. mas sua cor predominante era o azul . Por isso. 38. O verde também denotava a fertilidade sexual. 40). assim como o vermelho. As três Marias no sepulcro vazio (ilustração 41). sendo a cor das mulheres escarlates hierodulai. verde e dourado. Por meio disso. o vermelho e o dourado para Maria Madalena. a roupa vermelha denotava uma pecadora e herege. Maria Madalena vermelho. as cores que separavam as duas mulheres nos desenhos foram de forma predominante o azul. o verde foi rebaixado em termos eclesiásticos para a cor da terra. Essa cor possuía fortes implicações pagãs e era considerada a cor da natureza. Maria podia usar apenas o branco da pureza por sua Concepção Imaculada. Maria Madalena poderia ser retratada usando um hábito. 39. o vermelho e o verde tornaram-se as cores ligadas a Maria Madalena como simbologia de seu desejo exacerbado. elas se tomaram rapidamente identificáveis (veja ilustrações 37. enquanto que Maria estava acima da natureza. enquanto o céu foi definido com uma condição celestial. de Giovanni Battista Gaulli (II Baciccio). o violeta e o cinza para a Virgem Maria e o verde. e poderia usar violeta ou cinza na crucificação e no sepultamento. exemplifica o esquema de cores em operação Maria usa azul. Portanto. A única cor que não era permitida para Maria era o verde. mudando para azul-real e azul-claro nos últimos tempos. enquanto a importância da linha da própria fertilidade de Jesus tinha de ser mais . A partir de 1649. Na tradição conventual das ordens monásticas. a Inquisição insistiu que Maria devia ser apresentada em azul e branco. Em termos gerais. indicando para a Ordem uma marca de piedade e reparação.azul-marinho no início. como na ilustração 12.

Em termos gerais. se eles tivessem fugido demais. às vezes quase chegando à heresia. Até esse ponto. Entre os notáveis artistas estava o jovem "príncipe dos pintores" Raffaello Sanzio. Ele fez muitas pinturas da Madona em um formato reconhecidamente mariano. surgiram várias imagens não convencionais da Madona . Eles não teriam. como transmitido em O Sonho do Cavaleiro (1504) e Sposalizio (O Casamento de Maria e José. retratado Jesus pendurado em uma árvore (como é descrito em Atos 5:30. as obras sobre Madalena tinham sido principalmente um produto de ordens monásticas. 10:39 e 13:29) porque a imagem familiar era a de que Jesus fora pregado em uma cruz. Um mestre da alegoria. Durante esse período do romantismo italiano e em um ambiente de Madalena mais iluminada. com artistas como Fra Angelico e Giotto di Bondone. mais conhecido como Raphael. em razão do apoio de famílias dos duques Médici e Sforza. muito contraditório a tudo o que já havia sido feito. suas personagens teriam ficado irreconhecíveis ou inaceitáveis. por exemplo. enquanto os mestres flamengos e alemães estavam divulgando a imagem de Maria na Provença. eles tiveram mais liberdade em seus temas. eles pintavam as imagens familiares. Mas . os artistas italianos das escolas de Florença e de Milão atingiram um nível social reconhecido em seu próprio direito. Mas. mas também se enganou em um domínio que era totalmente desconhecido.pinturas que aparentemente desconsideravam as regras eclesiásticas. Houve também muitos ícones de Madalena da escola bizantina. Durante a Alta Renascença. Não dependendo necessariamente das comissões da Igreja. Um bom exemplo disso é o cacho de uvas introduzido por Gerard David em seu O Descanso na Fuga do Egito (ilustração 37). de Rafael.clandestinamente conduzida por meio de uma iconografia mais sutil. Era raro que os artistas fugissem às regras aqui e ali para terem um pouco de individualidade em seu trabalho.

CAPÍTULO 15 LEONARDO DA VINCI MONA LISA No Capítulo 1. De seu estúdio surgiram algumas pinturas da Madona com a criança bem incomuns e totalmente indiferentes às convenções do semblante e da coloração das vestes. Apesar de ser popularmente conhecida pelo nome de origem inglesa.sempre preciso em suas representações não rompeu o código de cores mariano. se essas pinturas. Rafael retrucou dizendo que não eram dela. em cada pintura. Então. ele o aplicou precisamente e de forma inequívoca. Dois desses quadros são mostrados nas Ilustrações 42 e 43. ela é . Quando contestado pelo emissário papal. então quem elas representam? Em tennos artísticos. vimos que muitas pinturas são conhecidas hoje por nomes e títulos desconhecidos de seus criadores (veja pp. o conde Baldassare Castiglione. não são retratos da Virgem Maria. Rafael .Rafael foi acusado de fugir demais das regras. e a Mona Lisa foi citada como exemplo. têm auréolas douradas. ele escreveu ao conde afirmando que eram apenas retratos imaginários ("mi servo d'una certa idea che mi viene in mente "). Essa Madona usa as tradicionais cores vermelha e verde de Maria Madalena.um tradicional símbolo cristão. que disse que esses retratos da Madona com a criança não representavam a Virgem Maria. Apesar de ser difícil de ver nessas pequenas reproduções. Quando foi mais pressionado sobre o assunto. 2022). nas próprias palavras de Rafael. tanto a mãe quanto a criança. A auréola da criança possui uma cruz dentro dela .

sendo mais baixa à esquerda que à direita. esse cenário é totalmente impossível. mas na . é simbólica da mensagem de dois gêneros da pintura. prova que o retrato é andrógino. e é o motivo para o sorriso astuto da senhora.conhecida na França (onde está exposta no Louvre) como La Joconde.como La Gioconda. e de alguma forma surge Mona Lisa. Tais idéias fantasiosas são boas para um romance. Langdon afirma que a paisagem. Em um ponto. A discussão sobre essa pintura é muito relevante. o romance do professor Robert Langdon (um simbologista de Harvard) afirma que o nome Mona Lisa deriva das antigas divindades egípcias Amon e Ísis . por exemplo. há uma tendência que força O Código Da Vinci a ter esse efeito. a base da história é real. porque define a cena para alguns dos conceitos de arte relacionados a Madalena no romance de Dan Brown. mas uma união divina de ambos. Visto que Leonardo jamais conheceu sua pintura pelo título de Mona Lisa. Os romancistas geralmente não esperam que seus leitores acreditem em histórias construídas. Em conseqüência. e antes disso Madonna Lisa (Minha Senhora Lisa). referente ao legado dos Desposyni de Jesus e Maria Madalena. Mona Lisa é uma corruptela do que era M'onna Lisa.uma corruptela de Amon I 'Isa. Enquanto lembramos que ele é uma obra de ficção e inclui o tema do enredo construído com a licença novelística nonnal. O Código Da Vinci. ele afirma. ele provavelmente nunca ouviu seu quadro ser chamado de La Joconde ou La Gioconda. mas nesta época de uma realidade planejada com personagens de televisão. Todos os registros antigos da pintura chamam-na de Courtisane au voile de gaze (Cortesã do véu transparente). Isso. nem masculino nem feminino.seu local de origem . Na verdade. muitas pessoas consideram as palavras dessa ficção como se elas tivessem sido ouvidas como fato em um programa jornalístico em rede nacional. Depois. e na Itália .

contrariando o ponto central no olho direito dos outros retratos de Leonardo.realidade trata-se de simplesmente procurar uma alegoria onde não existe nada. a linha vertical central da pintura cai no olho esquerdo de Lisa. Isso faz o olho do observador oscilar para a frente e para trás o tema dos olhos. o retrato perderia imediatamente parte de sua qualidade de mestre. Usar o olho do lado da face predominante como uma imagem central era algo comum entre os retratistas da Renascença. Conseqüentemente. e ainda é. Ginevra de'Benci e Cecilia Gallerani (conhecido como A Dama com o arminho). A manipulação do cenário de fundo tem o efeito de que foi artisticamente duplicado "um truque de Leonardo". aumentando o peso do lado esquerdo das pinturas . criando uma ilusão de animação. É bem conhecido que o foco visual empurra para baixo e para a direita. cujas cabeças estão viradas na direção oposta. essa relação trabalha de 0. Fazer esses ajustes calculados em uma pintura não é um exercício aleatório. O que Leonardo fez foi descer a paisagem um pouco à esquerda e. Se ele não tivesse feito isso. ele segue linhas arquiteturais específicas baseadas em um princípio matemático chamado de Razão Áurea. Em qualquer projeto que eu já tenha feito que ficou bom. foi usada a Razão Áurea". algum objeto sólido ou talvez com tons mais escuros. pode haver facilmente uma queda não vista por trás da cabeça da mulher. Quando feito corretamente. e novamente quando se decora o passe-partout com linhas planas ou coloridas em distâncias precisas. com a água correndo da direita. Quando um passe-partout é usado (mesmo em uma obra equilibrada . Para citar o autor de um manual para enquadrar: "A Razão Áurea está aproximadamente na proporção de 5 para 8. A mesma forma euclidiana é usada quando se faz a moldura ou usa-se aquarela para enquadrar.618 para 1.freqüentemente com uma árvore. De forma interessante. isso era. uma prática comum de compensação de forma pictórica. Numericamente.

Trabalhando de forma independente na Inglaterra. Isso levou.e para atingir esse equilíbrio perfeito. Por esses motivos. do topo de sua cabeça descendo para o alto do seu corpete. O princípio desses retângulos é o que confina a área da face de Lisa. o fator visual puxado para baixo será aplicado. mas o posicionamento das características chegava próximo ao idêntico. caso contrário. Sites da web têm até demonstrado isso em animação. As características masculinas eram mais pesadas. Digby Quested chegou à mesma conclusão. os dois se encaixavam. Ela descobriu que. a pioneira na computação gráfica Lillian Schwartz (consultora da Bell Labs da AT &T e co-autora de The Computer Artist’ s Handbook) realizou uma experiência no computador com a imagem de Mona Lisa. Leonardo aplicou isso em cada aspecto da imagem. um ajuste tem de ser feito de forma que o passepartout equalize a compensação na pintura. E dentro do quadrado superior da seção maior há um outro. da linha do cabelo de Lisa até o seu queixo. É idêntico ao que foi usado para Ginevra de Benci e Cecilia Gallerani. Em 1987. em uma superposição. Há mais retângulos áureos na face da senhora que na totalidade de muitas pinturas bem mais complexas. A característica notável do retrato de Mona Lisa é que ele é conhecido no mundo da arte por sua abundância de Razões Áureas divididas em partes (às vezes chamadas de Geometria Sagrada). em O Código Da . é claro. Se o artista não for tão astuto quanto Leonardo e não compensar dentro do desenho. a relação da Razão Áurea é usada como cálculo. e é um outro motivo de essa pintura ser reconhecida como uma das maiores já feitas. o dr. então um ajuste adicional deve ser feito na montagem. como se ele estivesse construindo uma catedral gótica. ao posicionar o auto-retrato de Leonardo ao lado.como a Mona Lisa). os quadros corretamente montados possuem passe-partout que são mais profundos na base do que acima da imagem .

o ponto de partida da base anatômica de Leonardo foi seu famoso Homem Vitruviano. a distância encontrada será igual à altura. Um quadrado também será encontrado dentro dessa figura (. Em seu tratado De Architecture. o fato éque a obra apresenta isso porque Leonardo aplicou as mesmas estruturas da Razão Áurea em ambos os retratos.. Pois se um homem deitar de costas com as mãos e os pés estendidos. As relações e proporções de.. mas certamente era um engenheiro e construiu suas imagens com padrões de engenharia como alguém constrói pontes.) Pois se medirmos da sola do pé até o topo da cabeça e aplicarmos a medida para as mãos estendidas. Em conseqüência disso. mas que ele é na verdade a representação feminina do próprio Leonardo. e identifica-se que são quadriculados por uma regra. Langdon afirma que "Da Vinci era um brincalhão". Leonardo tinha feito um estudo detalhado da figura humana e de como os padrões geométricos atuavam em seu esboço. Como o arquiteto romano Vitruvius.um posto que ele assumiu quando se mudou para Florença. o que é um elemento necessário do enredo para levar a outras coisas mais à frente na história. à idéia do professor Langdon de que não só a Mona Lisa é um retrato andrógino. Aluno ávido e expoente da matemática na arte. e o centro de um círculo for colocado no seu umbigo. . e entre. Entretanto. cada característica facial (sua própria e a de Lisa) são as mesmas. mas como um engenheiro militar e da corte .Vinci. do século I. Sua carta para o duque Ludovicio Sforza de Milão pedia emprego não como um artista. Vitruvius afirmou: O umbigo é naturalmente o centro exato do corpo. em 1482. Leonardo pode não ter sido um brincalhão. seus dedos da mão e dos pés serão tocados pela circunferência.

Com isso como uma base para suas figuras. . a Relação Áurea é referida como phi. Leonardo então aplicou a geometria das Razões Áureas de uma proporção arquitetônica exata. a relação da parte curta para a parte longa é a mesma que a relação da parte longa para o todo". que é alcançado por meio de uma "avaliação áurea" (veja Apêndice V). Na matemática grega. como contra o pitagoriano pi. Em termos mais simples. a regra é: "Se uma dada linha está marcada em duas partes desiguais.

Daí derivou o título do retrato como La Gioconda. Em 1550. mas é comum os retratistas colocá-Ios acima do centro porque parece que fica melhor. Isso foi endossado mais tarde por Cassiano dai Pozzo. Em um retrato de cabeça (do topo da cabeça ao queixo). a Courtisane? Ela foi citada pela primeira vez enquanto estava sendo pintada no diário de Antonio de Beatis (meio-irmão do rei Alfonso II de Nápoles). por outro lado. o pintor e biógrafo italiano Giorgio Vasari escreveu que o modelo florentino de Leonardo era a senhora Lisa di Anton Maria di Noldo Gheradini. uma posição de sustentação. depois. O mesmo é freqüentem ente realizado em estudos de nus ao levantar o peito da mulher no que seria. Ministro da Cultura e promotor de muitos dos grandes artistas da Renascença. Exemplos disso são geralmente encontrados na posição dos olhos. está provavelmente mais próximo de sua aparência que a pintura final. Isso não foi diferente com a senhora Lisa (veja Ilustração 35). com todos os seus refinamentos e suas precisões geométricas (Ilustração 34).Então. Ela era filha de Antonio Gheradini. contrariando a forma que realmente têm na verdade. os olhos estão no equador da cabeça. Lisa já era mãe (seu filho Andrea nasceu em . para que reconciliasse a composição anatômica antes de vesti-Ias para suas pinturas. quem era a Senhora Lisa.referindo-se. Seu esboço em guache e carvão. e fora a terceira esposa do abastado comerciante de sedas Francesco di Bartolommeo di Zanobi Giocondo desde 1495. Ele visitou Leonardo na mansão Cloux e viu o trabalho em execução . Na época da comissão. ao modelo como "A senhora florentina". refinar a geometria "exata" para ter a forma de uma geometria "preferida". agora no Museu Conde em Chantilly. Seguir tais rotas de exatidão freqüentemente levaria ao que podem pensar sobre aparência de uma pessoa. É possível ver a partir dos vários desenhos de estudo de Leonardo que ele preferia posicionar suas figuras estando nuas.

os anéis e as jóias de Lisa nunca foram colocados. Escultores e Arquitetos Italianos. não tendo outro dono além do próprio artista. era o filho mais novo de Lorenzo e parecia ser amante da senhora Lisa. e ainda possuía o retrato. e Leonardo ficou com uma pintura não terminada. Pouco tempo depois. que governou Florença até sua morte. Vasari foi o primeiro . Giuliano era filho de Lorenzo Médici. a principal peculiaridade é que a senhora passou cinco séculos sem cílios nem sobrancelhas. o que é um dos motivos para sua curiosa expressão. Entretanto. Ele não podia passá-Ia para os Giocondo por temer que sua origem pudesse ser descoberta. O problema foi que. poucos meses antes de sua morte. Giuliano morreu inesperadamente. Então. Na verdade. o Magnífico. aos 37 anos. a pintura está inacabada até hoje. Alguns anos depois. e eles estavam envolvidos com a Universidade de Pisa. sul de Paris. Vários itens e toques finais estão faltando no retrato . que denota a "amante de um homem abastado" em vez de uma esposa? Porque seu marido não fazia parte da equação. Quando produziu seu famoso livro A Vida dos Mais Eminentes Pintores. Lorenzo tinha sido o principal patrocinador de Leonardo antes de ele ir para Milão. Nem poderia enviar aos Médici porque. por que ela representou uma Courtisalle. Leonardo morreu em Amboise. Leonardo mudou-se para a França e levou a pintura com ele. Giuliano fez um acordo matrimonial com Philiberta de Savoy. durante a execução da obra. duque de Nemours. em 1516. A pintura que acabou tomando-se a mais famosa do mundo ficou sem salvação. em 1492. Giuliano.por exemplo. Trinta e seis anos depois da morte de Leonardo. Antonio de Beatis confirmou que o retrato foi "feito a pedido do magnífico Giuliano Lorenzo di Médici". Vasari escreveu que Leonardo "trabalhou nessa pintura por quatro anos e deixou-a inacabada".1503). Nenhum outro artista intrometeu-se para completar a obra por causa de sua sensível natureza.

Uma cena de estúdio usando esse aspecto. que significa "Filho do inocente"). apesar de toda a geometria sagrada e da manipulação pictórica. em conjunto com uma amostra da obra para o artista Rafael. Portanto. cunhou a descrição nominal de "Leonardo da Vinci". Nesse contexto. o verdadeiro enigma da senhora Lisa está em seu sorriso místico. Houve várias tentativas de comparar isso em termos artísticos. mas sua obra de arte foi mais tarde creditada a "Leonardo". Por fim. levando a inúmeras sugestões. músicos e bobos da corte para manter a alegria dela".. Leonardo da Pisa (1170-1240) chamava-se Fibonacci (abreviação de Filus bonacci.1.21.2. Durante sua vida. está na pintura de Aimée Pages (veja Ilustração 36). Leonardo é considerado pelo amplo uso (e até pela invenção) de uma técnica de manchar a imagem chamada sfumato. Leonardo era conhecido como "Il Fiorentino" (O Florentino).. ele usou cantores. em 1550.5.13. Seu nome era Leonardo. Muito usada como uma forma de Proporção Divina. Também foi Vasari que.1. que era uma mulher muito bonita. Ele registrou que "enquanto (Leonardo) estava pintando Milady Lisa. e referir-se a ele simplesmente como "Da Vinci" é como chamar Jesus de "De Nazaré". até 1519. E é como Fibonacci que ele é lembrado atualmente. Vasari usou o "da Vinci" para distingui-lo na literatura do Leonardo da Pisa.3. Durante sua vida. a seqüência é baseada no princípio de somar sempre os últimos dois números para produzir o próximo . "da Vinci" nunca foi um nome como é usado de forma incorreta no título e em todo o romance O Código Da Vinci.8. a esse respeito. O nome vem de "s + fumare" (esfumaçar) e é uma forma velada de pintura que reduz a informação .a usar o termo Madonna Lisa. com sua famosa seqüência numérica definida como Seqüência de Fibonacci. cuja matemática Leonardo da Vinci tinha empregado de forma tão liberal em sua obra. (veja Apêndice V).

Seu sorriso não é diferente daqueles das várias estátuas gregas nas quais uma tradição de esculturas italianas do século XV foi baseada a Madona de mármore de Antonio Rossellino no Convento em São Petersburgo é um bom exemplo. com isso. A aplicação de mais sombra para voltar o topo do lábio para cima exagera a ilusão. ele construiu sua face com uma série de vernizes coloridos translúcidos. Dessa forma. Entretanto. antes da Mona Lisa. o princípio é prolongar e aumentar levemente apenas um lado da extremidade da boca. em vez de em direção à sua posição. La Belle Ferronniere. Uma parte da qualidade hipnótica de Lisa é causada pelo efeito de ela não ter nem cílios nem sobrancelhas. Em outro retrato de Leonardo. enquanto o habilmente composto retrato Escola de Leonardo.apresentada e. enquanto deixa o outro lado mais curto e comparativamente mais reto. chamando a atenção desde o início. Há uma boa prova disso ao redor das laterais dos olhos de Lisa. tem o modelo olhando sobre os ombros dos observadores. Aquelas coisas já mencionadas dão a estrutura para o semblante fascinante. o olhar de Lisa é direto e específico. Usado originalmente para dar o olhar divertido dos joviais deuses gregos. os olhos da modelo não focalizam um ponto em particular. Um dos grandes atributos do retrato de Mona Lisa é o excepcional tratamento de Leonardo na pele de Lisa. Reconhecendo que a pele consiste de camadas semitransparentes. Ginevra de Benci. O sorriso foi muito bem usado pelos alunos de Leonardo da escola milanesa. estimula os mecanismos de projeção. que dá um efeito semelhante ao de animação mas isso corresponde a apenas uma parte do sorriso ambíguo de Mona Lisa. e está sem dúvida alguma na caricatura de Leonardo de Santa Ana da Casa Burlington. como em A Dama com o Arminho. Acresce-se o fato de que seus olhos estão voltados diretamente .para o observador. e o resultado é . ele conseguiu o seu sfumato dos contornos em leves transições entre luz e sombra.

Lisa voltou para o Louvre. Logo depois da morte de Leonardo. Vincenzo Peruggia. em 1963 ela foi para os Estados Unidos e em 1974 para o Japão. durante a qual muitas pessoas foram consideradas suspeitas. incluindo o poeta Guillaume Apollinaire (que um dia gritou dizendo que "o Louvre devia ser queimado"). vários restauros ruins foram feitos. houve retoques que mudaram a cor e um verniz ruim que foi aplicado sem remover o revestimento escurecido. o duque de Buckingham da Inglaterra tentou comprar o retrato. Depois de uma investigação de dois anos. Desesperadas na necessidade de limpar e restaurar de forma apropriada. Nos últimos diaS de Luís XIII (1610-43). mas o rei não aceitou. ela foi cortada com uma faca. Em 21 de agosto de 1911. Voltando ao Louvre. roubou o retrato para levá-lo para seu país de origem. a pintura foi descoberta na Itália. um excêntrico pintor italiano. Leonardo não ficaria muito feliz ao ver La Joconde da forma que ela está hoje. Ela foi para o Louvre depois da Revolução Francesa. na década de 1960. destruindo as proporções de Leonardo para a imagem. Durante todo esse tempo. As recepções foram extraordinárias em ambos os lugares e Lisa foi recebida e tratada como uma estrela de Hollywood. Versailles e Paris.uma expressão tanto cômica quanto sábia. Entretanto. A pintura está catalogada como tendo estado nos palácios de Fontainebleau. mas Napoleão Bonaparte depois exigiu pendurá-Ia sobre sua cama. Eram colunas laterais que davam a impressão de que a Lisa estava sentada em um terraço. o rei Francisco I da França (151547) comprou a Mona Lisa por 4 mil coroas de ouro para o palácio de Fontainebleau. mas passou por algumas situações dificeis. Quando ele foi exilado. no lado bom. em 1815. as sugestões . Lisa passou por vandalismo e foi danificada com ácido em 1956. Mais tarde. Ela permanece lá desde então. cerca de 7 centímetros de cada lado foram cortados. Em um determinado momento.

onde construíram uma pequena capela. ela continua sendo a amante com o semblante mais famoso do mundo. Em vez disso. O professor Langdon e a heroína do livro. Era uma pequena irmandade de monges franciscanos. A Virgem dos Rochedos de Leonardo pintada para a "igreja" de São Francisco era diferente. Uriel e o menino Jesus abrigados em uma caverna". visto que seu painel de madeira está ficando muito frágil. eleitos por autoridade canônica para promover a recém-proclamada doutrina do Vaticano da lmaculada Concepção da Virgem Maria. a M"ona Lisa hoje é mantida atrás de um grosso vidro a prova de balas . Ela é descrita como uma representação da "Virgem Maria sentada com o menino Jesus. Entretanto. A VIRGEM DOS ROCHEDOS Uma outra imagem discutida em O Código Da Vinci é a Virgem do Rochedo . . Eles estavam fixados na diocese de Milão de São Francisco. Isso é seguido por uma explicação de Langdon de que Leonardo tinha pintado o quadro para as freiras da igreja de São Francisco em Milão. é preciso ser dito que na verdade não houve freiras envolvidas nessa encomenda.um destino que tal obra de arte não agüentaria. o menino João Batista.especialmente a versão que está no Louvre. Leonardo recebeu suas instruções em 24 de abril de 1483 da Irmandade da Imaculada Conceição. um outro trabalho que iremos comentar. Indo mais além. Sophie Neveu. encontraram essa pintura logo depois do estudo de Madonna Lisa. portanto. por tudo isso. as quais deram instruções precisas para essa solicitação: "A Virgem Maria.para trazer a vida e a vitalidade a ela têm sido rejeitadas. João Batista e o anjo Uriel em um perigoso rochedo".

lê-se: Nossa Senhora. Ele ia pintar o painel central. bem específicas. ocupará exatamente o centro da pintura. "um anjo em vermelho com alaúde". Nos termos do próprio contrato. enquanto Ambrogio e Evangelista de Predis pintariam os painéis laterais . que contêm várias páginas tanto em latim quanto em italiano.Leonardo (chamado de Il Fiorentino. Em parte. Leonardo di Ser Piero) foi um dos três artistas contratados pela irmandade para pintar um altar tríptico para a capela. ao lado de dois profetas.um deles. mas nada tinham a ver com os três sagrados e um anjo em uma caverna. O manto de Nossa Senhora ao centro será de brocado de ouro e azul-marinho. e até as formas e tamanhos das pinturas estavam no contrato e nas instruções. Os modelos já tinham sido feitos pelos irmãos. as instruções eram. na verdade. "um anjo em verde com uma viola". e o outro. Também o hábito de brocado de .

Também no local da criança.. e as outras figuras serão em estilo grego. a pintura teria 199 x 122 centímetros (pouco maior do que é dado em O Código Da Vinci). como Leonardo. Portanto. en quanto a própria formação rochosa foi inspirada nas rochas do Madona e Criança com Dois Anjos.. terá um manto em brocado de ouro e azulmarinho.. Nossa Senhora com seu filho e os quatro anjos serão feitos em óleo com os dois profetas pintados em superficies planas em cores de excelente qualidade. os anjos acima deles serão decorados e com suas roupas feitas com o estilo grego. Eles deveriam saber desde o início que o projeto era impossível para tal .. Também Deus..todos sentados em uma gruta de pedra e nenhuma auréola aparente (veja Ilustração 44). o artista florentino Fra Filippo Lippi (1406-69) que. com suas roupas e enfeites muito bem definidos... Com o mesmo período de tempo.. que devia estar pronta para a Festa da Imaculada Concepção em 8 de dezembro de 1483... e um único anjo . Também o serafim feito em sgrafitto.. será feito um trabalho com ouro para parecer spinnchristi.. Com o topo da abóboda. quatro anjos e Jesus. com as roupas diferenciando uns dos outros. o menino Jesus nu e João. O misterioso surrealismo da gruta estranha de Leonardo vem da Madona na Floresta de Lippi. os irmãos Predis pintariam os painéis laterais e dourariam e pintariam a ancona (uma mesa de altar talhada em madeira). o Pai.. Deus. e tudo deve ser feito com perfeição. O problema enfrentado por Leonardo foi que ele teve menos de oito meses para projetar e completar a obra.. enfeitadas com várias cores. em óleo. o que o prior obteve foi Maria. O cenário foi uma combinação inspirada nas características das obras do mestre Botticelli. Entretanto. esta foi a exigência: Maria. recebeu o patrocínio dos Médici. Nossa Senhora será enfeitada como aquela no centro.ouro e vermelho.

no quadro de Leonardo. foram feitos certos cortes.apenas uma depressão rochosa com montanhas além. atrás do qual uma chave está escondida. seu filho João e o anjo Uriel. isso é um desvio ficcional. Leonardo tinha concordado com o preço de cem ducados. A Virgem dos Rochedos está. intitulado Cabeça de uma menina. Isabel. Entretanto. e é uma surpresa terem concordado. (Em O Código Da Vinci.) Foi sugerido que talvez a Virgem dos Rochedos de Leonardo seja uma representação de um conto popular do século XIV sobre Maria no deserto. o retrato terminado foi um total mistério para a irmandade. mas foram pagos apenas 25. Foi dito como eles se encontraram no deserto com a prima de Maria. Leonardo decidiu ignorar completamente o contrato e usou uma composição que ele já havia preparado para um outro propósito. Entretanto. Michel sur Orge para a Academia de Versalhes como "Etude de Ia tête de l'ange pour La vierge aux rochers" (Estudo da cabeça de um anjo para a virgem do rochedo). Isabel não é vista. Entretanto. Uriel (sempre representado como um homem) não está presente. Isso está catalogado pelo College Léonard de Vinci de St. Em vez disso. na verdade. em virtude desse fato. pode ser visto na Ilustração 23.prazo. O estudo original de Leonardo para o anjo. há uma menina cujas asas são mal percebidas contra as rochas. A história relacionava a fuga de José e Maria para o Egito com o menino Jesus para evitar o assassinato das crianças pelo rei Herodes. (Para os propósitos do enredo de conspiração de O Código . nem José. mas Leonardo nunca disse isso e o retrato é bem diferente do conto em questão. Além disso.449 O irmão Agostino recusou-se a pagar o acordo de 800 liras para as despesas gerais da decoração do altar e mais tarde negou o reconhecimento da quantia de 300 ducados do contrato. essa pintura é descrita como estando em tela com um cavalete. pintada em um painel de madeira sólido. Portanto. não há deserto .

que ficou conhecida como Vierge aux Rochers (Virgem com Rochedos e não Madona dos Rochedos). em 1506. Isso levou à segunda pintura Vierge aux Rochers . apesar de não ter gerado pagamento. O destino de La Nostra Signora era. MADONA DOS ROCHEDOS É com essa segunda pintura (finalizada em 1508) que aconteceu a . Em 1490 (sete anos depois do contrato). mais uma vez. mas. está registrada na época com o título de La Nostra Signora (Nossa Senhora). os oficiais da Igreja de São Francisco il Grand (totalmente separada da irmandade) entraram em cena. A segunda pintura ainda tinha de se encaixar entre os dois painéis laterais dos irmãos Predis. é sugerido que a pintura foi rejeitada por conter "detalhes explosivos e perturbadores". As autoridades da igreja de São Francisco concordaram em fazer uso delas se Leonardo pintasse um outro altar central.) A pintura. Parece que Leonardo ainda tinha seus esboços originais. mas. incerto. em 1503. Ela permaneceu com Leonardo por um tempo. Então. não foram apropriados por causa do tamanho incorreto. ele se uniu a Ludovicio Sforza para que ela fosse enviada ao rei Luís XII da França para a coleção real de Fontainebleau. naquela época. Evangelista di Predis morreu. e a Nostra Signora foi entregue a ele. foi instaurado o caso da corte contra a irmandade em favor de Leonardo. mas Ambrogio de Predis ainda tinha as partes das asas angelicais. mas nada disso é mencionado por nenhuma das partes citadas nos documentos referentes a esse caso. Enquanto isso.aquela (para diferenciar da primeira) que é conhecida como Madona dos Rochedos. com o peso do caso da corte. mas depois se tornou matéria de um caso da corte sobre impostos não pagos e foi levada em custódia legal. Atento ao fato de que a obra tinha um prestígio histórico.Da Vinci. os irmãos Predis ainda estavam trabalhando em seus painéis laterais. durante aquele ano.

ela foi examinada e avaliada de fevereiro a março de 1948. "era impossível saber se as flores eram brancas ou se elas tinham centros amarelos". Madona dos Rochedos (189. convidou o renomado restaurador alemão Helmut Ruhemann. em 1781. entrou na National Gallery em 1880 (veja Ilustração 45). disse Ruhemann. depois. em 1961. Indo em seguida para a cole ção do marquês de Lansdowne. limpa e finalizada de maio de 1948 a janeiro de 1949. a Madona dos Rochedos de Leonardo foi restaurada. e mais tarde vendida para o pintor inglês Gavin Hamilton. ela foi para os arquivistas do hospital de Santa Caterina em Milão. Essa é uma situação bem semelhante à da Vierge aux Rochers no Louvre. em 1785. que . Em 1947. Um ano mais tarde. para dirigir o novo Departamento Científico seguindo suas pales tras e cursos sobre conservação no Courtauld Institute. Portanto. eu conheci a pintura muito bem. Primeiro. em 1948.minha apresentação a Leonardo da Vinci. Antes. conde de Suffolk. várias obras de arte importantes tinham sido limpas e foi feita uma exposição que impressionou curadores de museus em todo o mundo. no início da década de 1960. da Galeria Estadual de Berlim. Então na National Gallery em Londres (onde ela permanece até hoje com as asas laterais).5 x 120 cm) primeiro foi para a Inglaterra. e foi uma das primeiras pinturas que eu fui obrigado a estudar quando comecei meus estudos em conservação de pinturas. O dossiê da National Gallery sobre essa restauração contém sete volu mes de descrições. Depois que a igreja de San Francisco Il Grand foi fechada. depois para Henry Howard. diretor da National Gallery. Ainda há alguns pequenos centímetros quadrados não limpos por causa da estrutura da borda para registrar a superficie antes da restauração. As asas laterais para completar o tríptico foram adquiridas em 1898. com 144 fotografias de 30 x 25 centímetros. sir Kenneth Clarke. Em 1934.

Uma área limpa bem estreita pode ser vista na ponta do terceiro e quarto dedos para revelar o original bem mais claro de Leonardo. a Madona dos Rochedos da National Gallery. Quando as pinturas ficavam sombrias e o verniz escurecia. junto de um pequeno pergaminho relacionando a outra criança.mas não era isso que as pessoas esperavam ver e elas não entendiam por que o menino com Maria parecia o mais velho dos dois. que foi totalmente de Leonardo. os artistas simplesmente pintavam por cima de determinadas áreas para iluminá-Ias. descobriram que a Madona dos Rochedos tinha elementos importantes de sobrepinturas de outros artistas. Mesmo hoje. Essa tinha sido uma prática comum antes que as técnicas de limpeza fossem aperfeiçoadas. e Jesus com o anjo . e A Última Ceia de Leonardo foi muito repintada antes de recuperar sua base em uma recente restauração. em comparação. Essas são pressuposições baseadas na premissa de que Leonardo tinha descrito o encontro de Maria e Isabel no . Antes da restauração. que foi deixada intencionalmente a título de interesse educacional. Mas como o artista sabia que o menino com Maria era João? E por que ele presumiu que o outro era Jesus? Leonardo nunca disse isso. Nas duas pinturas. João está aparentemente com Maria. que declara em latim. Entretanto. Ela foi incluída depois porque os observadores não distinguiam quem eram os meninos. A Mona Lisa ainda sofre com isso. a mão direita de Maria (com exceção de seu dedão) é uma repintura. Um outro item repintado que foi mantido é a cruz de junco de São João. antes de aplicar uma outra camada de verniz. Diferentemente da versão do Louvre. A cruz de junco foi inserida. a segunda foi um trabalho conjunto de Leonardo e Ambrogio de Predis. e permanece turva e sombria.foi timidamente limpa. "contemple o Cordeiro de Deus". a cruz de junco não era de nenhum dos dois.

A menina. Então. Os registros não confirmam nada disso. mas as pinturas não foram para Florença. elas devem ser desconsideradas juntamente com a cruz e o pergaminho. ela usou verde e vermelho."uma versão diluída" para a irmandade . e a diferença é elevada na segunda pintura. mas João Batista. e essas coisas. com a criança menor aparentemente abençoando a criança maior. e que Maria está ameaçando-o com uma mão "como as garras de uma águia pegando uma cabeça invisível". mas na segunda pintura (que está sendo totalmente limpa) as cores da roupa. Em cada pintura.e uma mudança maior foi feita em suas roupas. são surpreendentemente falsas e obscuras. Em ambas as pinturas. novamente. que aponta para o menino maior na primeira pintura. Então. foram para Milão. não está apontando na segunda . o agrupamento piramidal é o mesmo. certamente. Nas referências à pintura de Paris. os . Na segunda pintura. não havia José. foram feitas na pintura. porque João era um santo popular em Florença. Voltemos agora para O Código Da Vinci. Maria ou (para se referir à descrição de Leonardo) La Nostra Signora está usando azul e dourado. pintadas por Ambrogio.porque o original era muito hostil com referência a Jesus. que revelou após a limpeza que as rochas estavam nas margens de um lago glacial azul. Mas não havia Isabel. não havia Uriel. Essa cena era totalmente diferente. e Leonardo com certeza não descreveu o conto do deserto. Além disso. Em ambas as pinturas. foram obras de uma outra mão. Alguns sugeriram que o menino maior devia ser João. as cores de Madalena. apesar de um azul mais claro na segunda obra. quando pintada por Leonardo. Originalmente.deserto. ele afirma que Leonardo tinho produzido um segundo quadro (a Madona de Londres) . e o anjo está afastando "com um gesto sarcástico". sua mão esquerda está posicionada de modo protetor sobre a criança menor. o professor Langdon explica que a criança menor não é Jesus. as auréolas que foram omitidas na primeira obra agora aparecem mas.

Mas esta última não é em si uma cópia da anterior. La Nostra Signora. O menino maior está sem a cruz. não um livro de historiador. NOTRE DAME Vimos que parece que Leonardo inspirou-se na composição de Lippi. Nesse caso. é preciso lembrar que O Código Da Vinci é um romance de ficção. antes de receber a incumbência da irmandade em 1483. Portanto. Caso contrário. apesar de descrever a mesma cena. de volta com as cores da Madalena. novamente. os biógrafos de Leonardo mencionaram uma terceira Virgem dos Rochedos. Na verdade. de forma bem aparente. ela lembra a pintura original do Louvre. ele pode ter resolvido terminar seu trabalho. essa pintura no Musée des Beaux Arts de Caen (veja Ilustração 46). ela é agora uma representação perfeita da tradicional figura de Madalena. .e há. verde e vermelho. Naquele momento. e seu cabelo está muito mais avermelhado. mas dizem que é dificil saber se ela existe porque há algumas cópias muito boas. seja sozinho ou com um outro artista. as cópias conhecidas são tanto a da pintura do Louvre quanto a da National Gallery. pela própria natureza. Então. porque elas são bem diferentes em certos aspectos.contratos eram de duas instituições diferentes. realmente. Maria agora está usando vermelho e verde também. junto com o dourado. Mas. Ela está também. Na verdade. a terceira Virgem dos Rochedos legítima seria diferente em alguns pontos em comparação às outras duas . Entretanto. a caracteristica comum das cópias é que. as auréolas novamente não existem e a menina angelical voltou à sua pose apontando. Na construção básica. elas são réplicas de um original. de forma mais surpreendente. é aceitável que a Escola de Leonardo possa tê-Io finalizado depois de sua morte. Nessa versão há uma diferença óbvia.

Ele a chamou de La Nostra Signora Nossa Senhora (Notre Dame). que se toma mais intrigante na segunda e terceira pinturas. minha formosa. ela é há muito tempo a flor tradicional do buquê de noiva. nós ficamos com um cenário intrigante. que não são nada além de um gesto na pintura do Louvre porque a irmandade queria "anjos".um único copo-de-Ieite. Também é importante destacar que Leonardo foi influenciado no cenário rochoso pelo Cântico de Salomão 2:13-14 do Antigo Testamento. Atualmente.Na versão anterior da National Gallery. que (traduzido a partir do texto grego de sua época) diz: "As vinhas começam a dar suas primeiras uvas. e na América ela aparece assumindo uma conotação funerária. Tu és a minha pomba no abrigo rochoso". ela é corretamente denominada de Zantedeschia em homenagem ao botânico italiano Giovanni Zantedeschi (1773-1846). que é exatamente como Maria Madalena fora chamada pelos Templários e pelos trovadores. o copo-de-leite é uma peste declarada (uma erva daninha). o copo-de-Ieite é uma iconografia pura de Madalena. Essa é a flor com uma única espata pura e branca e um espádice amarelo longo e em forma de cone. vem. uma flor foi adicionada na base do vestido de Maria . na África do Sul e na Grã-Bretanha. Muito foi feito ao pintarem um espádice de forma exagerada. Entretanto. Sob esse aspecto. Isso foi presumido por outros. que deriva do grego para "palmeira".. Em algumas partes da Austrália. Aceitando que as asas da menina. Levanta-te. na Europa Mediterrânea. Leonardo nunca afirmou que sua figura central fosse a Virgem Maria... Leonardo também não afirmou que os meninos eram Jesus e João.. a figura angelical fora retratada como uma menina em todas as pinturas desde o início. Temos uma figura maternal. a equivalência semita do que era a Tamar (o nome da filha de Maria Madalena). Além disso. simplesmente presumiram que fosse. provavelente . Da mesma forma. minha consorte.

duque de Milão. esse mural sofreu como nenhum outro nas mãos de seus proprietários. parece muito mais européia que qualquer cenário da Terra Sagrada ou do Egito. surge uma possibilidade. assim como ocorreu com outras pinturas. Sendo assim. Temos dois meninos. Ludovico Sforza (1452-1508).Maria Madalena. apesar de se aproximar do irreal.a pintura de Leonardo que está no coração de O Código Da Vinci. A Mona Lisa foi atacada com uma faca e com ácido. Maria Madalena teve três filhos . Considerando tudo isso. costumava rezar em uma igreja mais perto do Castelo Sforzeco . Temos uma menina. com uma menina apontando e chamando a nossa atenção para o menino mais velho em duas das três pinturas. claramente mais velha que os meninos.a igreja de Santa . mas a porta se estende do quarto inferior da pintura. E temos uma paisagem que. CAPÍTULO 16 A ÚLTIMA CEIA UMA HISTÓRIA TRÁGICA Devemos agora observar A Última Ceia . com alguns anos de intervalo. um maior e mais velho que o outro. mas foi aberta uma passagem em A Última Ceia! Isso geralmente não é mostrado nas reproduções. que são muito mais superficiais que o original.uma filha e dois filhos. com sua curva superior bem na toalha da mesa logo abaixo do prato de Jesus. e é bem possível que esse cenário rochoso fosse um retrato romântico da família de Madalena. Leonardo da Vinci estava envolvido com a fraternidade esotérica Rosa-Cruz dos sectários de Madalena. como veremos mais adiante. Apesar de ter sido criado por um dos grandes mestres da Renascença.

em 1495. ele pode ter sido um grande trabalho. ele usou pigmentos misturados com ovos. Não gostando do austero prédio. ele demoliu a capela principal e o coro. Então. Também foram feitos planos para o mosteiro dominicano ao lado e. visto que a pintura de Leonardo permaneceria em uma posição fixa. e Leonardo realizou sua composição com base nisso.uma combinação não convencional que não foi absorvida. Suas longas mesas foram dispostas de forma longitudinal de cada lado da sala. de forma que ele ficaria de frente para Jesus e os apóstolos. óleo ou verniz em uma parede de argamassa seca . a ligação desse mural foi apenas superficial. Entretanto. por exemplo foi pintado de forma que sua face completa jamais fosse apresentada "para que os olhares dos observadores não vissem os olhos do mal". abaixo de onde era a entrada dos monges. com apenas um olho aparecendo. com Jesus presidindo de um lado e o prior no outro. O projeto era para que a mesa do prior fosse colocada no lado oposto da sala (onde havia outro mural). mas em termos de método de engenharia foi um desastre (incomum . Mas. Havia boa iluminação natural pelas janelas do lado esquerdo. em vez de ir direto para o afresco e aplicar a têmpera de cores em uma superficie úmida de gesso. de forma que a luz e as sombras de seu trabalho levassem em conta essa característica natural. e proclamou que a nova capela teria afrescos maravilhosos para clarear suas paredes. Em seu entusiasmo. que iluminavam o lado direito da área da pintura. Judas. De forma pictórica.Maria delle Grazie. como se houvesse uma refeição conjunta. e o trabalho logo começou a soltar quando a umidade subia nas paredes com os sais consumindo a camada atrás da pintura. Leonardo da Vinci foi contratado para pintar um mural da Última Ceia na parede de fundo do novo refeitório. infelizmente Leonardo usou seu trabalho para experimentar algumas técnicas perigosas. ele planejou o Judas em um local estratégico que estava sempre à sombra.

Não só cortaram os pés de Jesus e dos apóstolos de seu lado. . Logo em 1540. as coisas só pioraram: dezenove pintores sucessivos colocaram seus pincéis no mural de Leonardo.para Leonardo). Durante os séculos seguintes. Em 1568. Atualmente. que foi varrida junto com os escombros dos trabalhadores. e em 1560 foi registrado que a maioria das cores tinha desaparecido. Porém. à medida que as semanas passavam. o historiador Paolo Lomazzo escreveu: "Hoje a pintura está no estado de total ruína". era onde ela tinha de ficar. ninguém ousava olhar para o que estava acontecendo. Giorgio Vasari lamentou: "Não passa de um borrão". obscurecendo-o totalmente por trás de uma grande confusão de cores e colas. Em 1726. a pintura não era considerada. Eles levaram um artista de segunda categoria chamado Michelangelo Bellotti. "A Última Ceia de Leonardo da Vinci é a maior obra de arte sem nunca o ter sido". Eles permitiram que ele erguesse uma cortina em sua área de trabalho com lençóis de lona. e ele desaparecia por trás do tecido para trabalhar em sua mágica. Enquanto isso. que dizia ter um grande segredo para levar a pintura de volta à vida. porque todos foram alertados para não fazer isso. deixando os remendos da pintura e a parte inferior bem visíveis. decidiu-se que uma atitude deveria ser tomada. Uma década depois. a pintura foi descrita como estando "meio apagada". sem o conhecimento dos monges. Em 1624. mesmo que os sais estivessem matando-a ao romper a adesão. um mural superficial nos primeiros estágios de tal decadência seria salvo facilmente. Como foi recentemente declarado pelo historiador de arte Leo Steinberg. e os frades não tiveram receio de cortar uma porta maior para um melhor acesso. Soaram os sinos da morte com essa decisão. após visitar o mosteiro. se a pintura estivesse em uma parede com parasitas. mas usaram o martelo livremente na pintura. naquela época.

surge um piano de Stefano Berazzi: remover a pintura da parede. depois de perder um pedaço da toalha da mesa nos estágios iniciais. chegou o dia em que Bellotti removeu o tecido para revelar uma imagem completa. e assim permanece até hoje. ainda viria mais! Em 1800. e nessa época o refeitório estava seco. e a pintura soltou ainda mais. Então. Eles imaginaram que o grande refeitório daria um maravilhoso estábulo e um bom lugar para guardar rações.Finalmente. viajante e escritor francês Henri Stendhal registrou que os soldados se divertiam com uma brincadeira de jogar tijolos na cabeça dos apóstolos. o mosteiro de Santa Maria dei Grazie foi convertido em um alojamento militar. um outro grande reparo foi contratado. mas. Como se tudo isso não bastasse. Uma grande obra de restauração foi feita pelo especialista em afrescos Luigi Cavenaghi em 1906-08. Mas ele logo desistiu. Poucos anos depois. deixando o refeitório encharcado do teto ao chão. Não demorou muito para que as cores brutas de Bellotti desbotassem com a luz da janela. em 1807. Eles ficaram contentes e Bellotti saiu com um belo pagamento. Mas logo depois o salão foi inundado. Então. em 1770. mas. ventilado. visto que o mural não era . Então chega 1796. em 1821. Mãos diferentes fizeram várias tentativas para afixar a obra com destempero. A Última Ceia não melhorou. E chega Giuseppe Mazza com uma pá! Sua técnica era raspar toda a superfície para se livrar de qualquer pintura ou argamassa solta. Na verdade. mas ao menos ela estava finalmente sendo tratada com algum carinho. O biógrafo. e com ele o exército de Napoleão Bonaparte. e os pedaços se soltassem novamente. a grande porta sob o mural de Leonardo foi lacrada. limpo e renovado. brilhantemente colorida como os monges nunca teriam imaginado. de forma que ela parecia completa a distância. ele preencheu os buracos resultantes e atenuou as cores em tons aleatórios. tudo o que ele fez foi pintar a sua própria figura totalmente nova sobre a obra de Leonardo.

ele consertou a superfície e reviveu as cores. a maior parte do original de Leonardo fora perdida. Mas teve de competir com os elementos: a areia ficou úmida e. desde a infeliz escolha do método feita pelo artista até as destruições da Segunda Guerra Mundial. o que poucos sabem é que dificilmente em qualquer lugar na figura que estivessem olhando havia algo pintado por Leonardo da Vinci. Felizmente.um afresco. ele restaurou apenas as áreas mais feias. foram tiradas fotografias e A Última Ceia juntou-se à Mona Lisa como uma das impressões mais clássicas do fim do século XX. Trabalhando até 1954. Sua tarefa era estabilizar a pintura de forma permanente e reverter os danos causados por séculos de sujeira. Mas chegou o momento de não poupar esforços nem custos em um empenho para recuperar o pouco que restou. Pinin Brambilla Barcilon foi contratada para ser a responsável pelo mais assustador dos projetos. deixando as outras como estavam. que ainda estava se deteriorando. Ele foi seguido pelo restaurador Oreste Silvestri em 1924. Nenhuma outra pintura sofrera tantos maus tratos. e tratou-a contra o mofo mais grave. por mais de um ano. o refeitório foi atingido por uma bomba de guerra e ficou muito destruído. Razoavelmente apresentável para a época. e a parede norte da Última Ceia permaneceu intacta. Entretanto. e o que ficou por trás de todas as colas e pinturas foi cerca de um quinto da obra original. Dos borrões que Vasari registrou em 1560. mas não removeu nenhuma das camadas repintadas anteriormente. . Em 1978. Mauro Pelliccioli fez uma limpeza na pintura. em 15 de agosto de 1943. a pintura sofreu com condições mais duras. Quando o refeitório foi finalmente reconstruído. ancorando-a onde pôde com um fixador de goma-laca. Então. uma estrutura feita de aço cheia de sacos de areia fora erguida para proteger a pintura. a renomada restauradora de obras de arte dra. que selou as partes de maior risco com estuque tingido de preto.

quando a obra inacabada foi levada para o estúdio de restauração de Uffizi para os procedimentos de conservação. e esboços relacionados no Musée des Beaux-Arts em Paris. Pelo menos seria a pintura de Leonardo.poluição. Grande quantidade de trabalho foi planejada para essa pintura. que assim fosse. vibrações e todas as tentativas malfeitas de renovação do passado. e no Museu Fitzwilliam em Cambridge. junto com estudos de figuras no Louvre. apenas recentemente uma descoberta importante foi feita. Ele a levou consigo de Florença para Milão no ano seguinte. possivelmente um século depois de sua morte. há um projeto de composição para a pintura no Louvre. Para horror de todos. Em resumo. Kunsthalle em Hamburgo e no Museu Metropolitan de Nova York. Entretanto. água. mas as disputas contratuais e. Além do principal trabalho preparatório. a perda de interesse de Leonardo fizeram com que ele abandonasse o projeto. A obra foi originalmente contratada pelos monges de San Donato a Scopeto. esta mostra um cenário maior. e iniciada por Leonardo em 1481. esse painel está agora confinado a um depósito esperando tratamento. foi revelado que o desenho original de Leonardo fora repintado. Adicionalmente. Se restasse apenas um quinto da pintura. com uma multidão incorporando várias atividades individuais. por fim. mas nunca foi além do estágio do desenho. ela deveria se livrar de todo o material velho que não fora colocado na parede de Leonardo. Bem diferente das traduções comuns da Natividade. há um estudo de perspectiva no Uffizi em Florença. por um artista de um talento mais . Antes o orgulho do Uffuzi. a céu aberto. A DISPUTA DA ADORAÇÃO Uma outra obra de Leonardo conhecida por ter sido repintada de forma falsa é A Adoração dos Magos.

O romance afirma que "o avaliador de arte Maurizio Seracini havia desvelado a preocupante verdade. Portanto. houve realmente um artigo.A venda de Leonardo". com a tradicional licença literária. sugeriu que. mas não prosseguiu no ato. O New York Times foi avisado pelo ArtWatch. Oficiais preocupados na Galeria Uffizi de Florença imediatamente exilaram a pintura para um armazém do outro lado da rua. que não está de forma nenhuma destruído e está totalmente visível em toda parte. Na prática. Ele não passa de uma camada transparente de marrom alaranjado sobre o desenho de Leonardo. que a pintura "estava escondendo um segredo obscuro por trás de suas camadas de pintura". A descoberta preocupante era simplesmente que sua obra estava incrustada sob uma cobertura transparente de um outro artista. e provas documentais foram fornecidas para mostrar que certos aspectos pictóricos que a revista tinha anunciado de forma . Um segundo artista pode ter pretendido terminar a pintura depois de preparar sua base. como o painel era tão frágil. o que anteriormente pensava-se ter sido feito por Leonardo. O que ocorreu foi que a organização ArtWatch International. É sugerido em O Código Da Vinci. Ele ocorreu por causa de uma importante discórdia de opinião no mundo da arte. não houve nenhum nova descoberta de qualquer tipo em termos do que Leonardo desenhara. o item ofensivo não consiste de "camadas de pintura". que seu artigo estava equivocado. nem com uma "verdade preocupante". publicado em 21 de abril de 2001. É verdade. a obra com certeza mereceria uma análise adicional para determinar a viabilidade de tal exercício. Depois de mais de meio milênio nesse estado. não deveria haver pressa para limpar a camada falsa de forma descuidada. que o New York Times Magazine tornou pública em uma história chamada 'The Leonardo Cover-up' . em janeiro de 2002. mas o exílio nada teve a ver com qualquer "segredo obscuro".modesto. com amplo apoio.

a empresa de equipamentos de escritório Olivetti concordou em financiar todo o custo do projeto. A personagem era mais fina que os outros apóstolos. foi um conceito intrigante e. mas a dra. de que. A obra foi concluída depois de 20 anos e. para preencher as áreas que faltavam. com cores laváveis para deixar a obra de Leonardo aparente. Tradicionalmente considerado João Boanerges. e foi sugerida a possibilidade de não ser João. baseada nos esboços preparatórios de Leonardo. que atingiu a quantia de 7 bilhões de liras. a restauração de A Última Ceia começou em 1979 e.sensacionalista como sendo uma "nova descoberta" já eram conhecidos e já estavam registrados desde 1951. agora protegida por um sofisticado sistema de filtragem de ar. Não foi uma tentativa parecida com os padrões de repintagem que são indistinguíveis do original. Barcilon usou aquarelas misturadas. a figura realmente parecia um pouco feminina. mas . enquanto ao mesmo tempo dá uma idéia geral da imagem completa. chamou-se a atenção para o apóstolo à direita de Jesus (à esquerda do observador). se foi possível em uma pintura muito deteriorada de 500 anos descobrir que uma das personagens não é um homem. Na época. Em oposição a essa especulação. a personagem tinha aparência feminina. apesar de improvável por inúmeras razões. cinco anos antes de a restauração de A Última Ceia ser revelada. O CÓDIGO DA VINCI Em Santa Maria delle Grazie. com cabelos mais longos que os demais. surge um cenário validado desde o início. mas Maria Madalena. e há o que parece ser um colar. Em 1994. O que restou foi cerca de 20% do original. Eles foram feitos de forma simples. em 1982. junto de algo semelhante a um leve peito. o mural voltou a ser exposto em 28 de maio de 1999.

então isso certamente estaria muito mais aparente quando a pintura foi terminada e se teria tornado parte da história da pintura. Ao descrever as atividades individuais quando se preparava para o trabalho. podemos dizer que isso constitui a própria essência de "o Código". mas que. Um outro aperta os dedos com suas mãos e volta-se. deixa seu copo em seu lugar e volta sua cabeça em direção o orador. com Jesus no centro e seis apóstolos de cada lado. hoje temos a vantagem das fotografias em close em alta resolução da dra. desde 1999. .. a idéia de que Maria Madalena estava presente em A Última Ceia de Leonardo é a principal. e o efeito do peito foi causado por uma fenda na parede. é preciso dizer que. enquanto que agora podemos ver a figura como foi originalmente pintada por Leonardo.uma mulher. apesar de O Código Da Vinci ter uma base factual nos termos dos Desposyni. ele escreveu notas referentes a cada um deles.. tais como: Aquele que estava bebendo. também sabemos que as hipóteses de 1994 foram baseadas em uma personagem repintada por outros artistas. Leonardo fez várias anotações e alguns desenhos preparatórios. Quando planejava seu projeto para A Última Ceia. Em uma inspeção detalhada. O infeliz aspecto sobre isso não é que um conceito muito intrigante foi invalidado hoje. podemos ver que não há colar. Hoje. Ele dividiu seus apóstolos na mesa em quatro grupos de três. Barcilon. franzindo as sobrancelhas para seu companheiro. Mesmo que a idéia esteja baseada em uma teoria da prérestauração. com a pintura trazida de volta à base de Leonardo. Na verdade. pode ser visto que essas coisas não são como apareciam nos impressos pré-restauração. Entretanto. de todas as importantes revelações novelísticas de O Código Da Vinci. seus comentários e conjecturas relativos à obra de Leonardo são muito imprecisos.

Leonardo escolheu retratar o momento em João 13:21. João e Felipe mais jovens que os outros. e é apenas um menino em várias delas. Voltando ao Código Da Vinci. Os apóstolos são assim descritos e. No mundo das obras de arte. sir Leigh Teabing. o apaixonado pelo Graal. que explica a Sophie Neveu que a figura de João é realmente Maria Madalena. faça os cabelos brincarem no vento ao redor das faces joviais. e aquele que ouve volta seu corpo para ele. como em A Última Ceia. Apesar de não serem descritos como bem jovens no Novo Testamento. quando Jesus anunciou que um dos apóstolos iria traí-lo. tomou-se uma tradição artística retratar Tiago. encontramos uma outra personagem do livro. é mostrado na Ilustração 27. ao determinar como retratár as personagens mais jovens (como os irmãos Tiago e João) diferentes dos mais velhos.Um outro fala no ouvido do vizinho. Um outro estudo para Tiago é exatamente igual. é bem jovem na maior parte das representações da Última Ceia. em particular. Ele chama a atenção para o fato de Pedro (sentado próximo) estar voltando sua lâmina em direção ao pescoço de Maria. homens mais escuros e com barbas. O texto é o seguinte: "Os discípulos se . João. Leonardo escreveu: Portanto. A descrição de Leonardo não é diferente. emprestando o ouvido enquanto segura uma faca em uma mão. Bons exemplos dos jovens de Leonardo são os desenhos de Felipe (veja Ilustração 22) e seu retrato em aquarela de Jesus (Ilustração 26). há várias cenas associadas à Última Ceia como é detalhada nos Evangelhos. e adorne-os com graça com muitas ondulações em caracóis. O seu João é jovem e corresponde à descrição de seu caderno. Um close do João restaurado.

uma mão sem corpo "segurando uma adaga" é mencionada. sem saber de quem ele falava". Seu dono. Não há algo parecido com lâmina nas mãos de Pedro. O retrato de Leonardo mostra Pedro fazendo essa pergunta. como podia parecer nas impressões pré-restauração de 1994. agora está mais aparente. Na mesma seqüência de O Código Da Vinci. Todos deixam claro que Pedro tinha seu braço direito torcido quando ele se curva atrás de Judas para falar com João. e o apóstolo preocupado volta-se em direção a ele. antes que a decadência se instalasse. mais uma vez. Felizmente. mais atraente e com o cabelo mais longo que o idoso Pedro. era dificil determinar a quem ela pertencia. Ela aparece na pintura entre André e Judas e. (João 13:24). não é uma adaga. com a ironia estando no fato de que Judas é o homem que está entre eles e se vira para ouvir a conversa. Foi Pedro que depois puxou sua espada e cortou a orelha de Malco quando Jesus foi preso em Getsêmani (João 18:10). e o quadro de Leonardo dá o caminho para esse fato. João é mais jovem. e lhe pediu: "Pergunta-lhe de quem é que fala". Essa mesma cena foi pintada por vários outros artistas Hans Holbein por exemplo (Ilustração 25) -.entreolhavam. perplexos. Não há sinal de qualquer perigo entre ele e seu vizinho. . é simplesmente uma inclinação gentil ao ombro do apóstolo (veja Ilustração 24). é uma faca. e é explicado que Pedro consultou um outro (geralmente considerado João). ouvindo. na qual. entretanto. O cenário é que Pedro oculta a faca atrás dele enquanto pergunta a João o nome do traidor de Jesus. houve várias cópias individuais da pintura feita pelos alunos de Leonardo nos primeiros 30 anos da vida da obra. antes da restauração de 1979-99. Pedro.

Mas o fato é que a Bíblia não faz tal citação. O Código Da Vinci aponta que Jesus deve ter um cálice do Graal para o seu vinho. Em todos os aspectos. como sugerido pela Bíblia. e elas também descrevem a taça de Jesus. O texto refere-se especificamente à pintura de A Última Ceia como ela aparece depois da limpeza de 1954 de Mauro . As três entradas do Evangelho referentes à comunhão à mesa referem-se apenas a "uma taça".As mesmas cópias antigas (feitas por volta de 1520) também servem para identificar a mão esquerda de Pedro descansando gentilmente nos ombros de João. O Código Da Vinci é infeliz quanto a esta pintura porque parte de uma premissa ultrapassada. e o Evangelho de João (cuja idéia Leonardo retratou) não menciona a comunhão do vinho e do sangue em nenhum momento.

O anfitrião do banquete era o sumo sacerdote e o Messias de Israel. E. como é comum supor. e misturam o vinho para beberem. pois o Banquete Messiânico tinha um significado diferente. que eram chamados de o Conselho da Comunidade. A Regra da Comunidade (um dos mais antigos registros dos essênios. As pessoas da comunidade eram representadas pelos 12 apóstolos delegados. e o Código Da Vinci não leva isso em consideração.Pelliccioli. o afresco foi limpo. Em uma nota estritamente histórica.. O fato de ela ter ocorrido na mesma época da celebração da páscoa judaica em Jerusalém é apenas uma coincidência. quando os detalhes ainda estavam escondidos por trás das camadas de sujeira e de várias repinturas feitas por mãos desajeitadas. ninguém pode estender a mão para o pão ou o vinho antes do Sacerdote.. o Messias de Israel levará . Ele conclui: E quando eles se reúnem à mesa da comunidade. trazendo a camada de pintura original de Da Vinci... nas palavras de Teabing: ". Isso só ocorreu com a restauração de 1979-99. muitas das gravuras nos livros de arte foram feitas antes de 1954. e perpetua a antiga teoria de Madalena que hoje foi superada pelos resultados reveladores do projeto de Barcilon. a verdade é que Pelliccioli não removeu nenhuma repintura anterior e. finalmente. ainda nenhuma parte da obra original de Leonardo podia ser vista. depois de sua limpeza superficial. é importante destacar que a Última Ceia de Jesus e dos Apóstolos não era uma refeição da Páscoa Judaica. de fato. E Jesus não iniciou o ritual da comunhão do vinho." Entretanto. a um Banquete Messiânico (A Ceia do Senhor). pois é ele quem irá abençoar os primeiros frutos do pão e do vinho. a Última Ceia corresponde. Agora. Como é provado pela Regra da Comunidade dos Manuscritos do Mar Morto... depois disso. e afirma... às vezes chamado de Manual da Disciplina) dá a ordem correta de preferência para sentar-se à mesa e os detalhes do ritual que devem ser observados na refeição.

Ele é reconhecido por ter pintado Maria Madalena na França. sentado no colo de Jesus. uma vez estabelecida em suas mentes . na qual as posições dos braços dão um outro M menor dentro de um maior . 31. A principal questão que sempre surge com relação à teoria de . Na verdade. na pintura de Philippe de Champaigne. Ele não é feminino. e é relatado que o quadro foi para Burgos.sua mão para o pão. E é ainda mais claro em A Última Ceia de Philippe de Champaigne (1602-74). em alguns casos (quando ele é visto como um menino). Mas isso não constitui um código para Maria Madalena (Ilustração 29). a maioria dos artistas ficou bem perto de uma caracterização ideal. Entretanto. toda a congregação da comunidade dará as bênçãos.um M duplo (MM).32.e não há motivo para supor que Leonardo fosse diferente. cada um de acordo com seu cargo. há dois desenhos de Madalena feitos por Leonardo. O assim chamado aspecto feminino está inserido em sua imagem popular. Novamente. e eles não mostram semelhanças com a Madalena. mas eu nunca consegui encontrá-Io. como sugerido em A Última Ceia. João é freqüentemente visto inclinando-se para Jesus ou até mesmo. isso não é único nas pinturas da Última Ceia. Um deles está na Galeria degli Uffizi em Florença e o outro . na Espanha.um esboço de Maria com seu jarro de alabastro está no Courtauld Institute em Londres (ilustrações 19 e 20). João parece mais jovem se comparado aos outros. Novamente. e depois disso. ele é simplesmente uma interpretação da juventude da Renascença. essa fisionomia em particular (como na obra de Leonardo) exemplifica João Boanerges como ele é geralmente apresentado nos agrupamentos apostólicos (veja exemplos nas Ilustrações 30. Uma outra sugestão em O Código Da Vinci é que uma pista para a identificação positiva de Madalena é encontrada em um M formado pelos corpos de Jesus e o apóstolo em questão (veja ilustração 28). De imagem para imagem.33).

Mas Leonardo certamente não se esqueceria de ninguém. André. quem está faltando? Há apenas 12 apóstolos. Em 1810.um de cada par inclina-se para o outro. há dez anos. Tomé. Lendo-se da esquerda para a direita (nem todos os apóstolos são mostrados em detalhe na nossa ilustração 28). os Evangelhos são explícitos em afirmar que Jesus e "os 12" estavam na ceia. Jesus. Felipe. é que.Madalena desde a época que essa teoria apareceu. a disposição à mesa é: Bartolomeu. perto do Lago Lugano. Tadeu e Simão Zelote. . Tiago Boanerges. principalmente de João. Mateus. na verdade. Tiago de Alfeu. Com base nisso. Em dois exemplos . se ela está na mesa de Leonardo. João. Pedro. Judas. e Tiago e Tomé . o apóstolo que Maria Madalena supostamente substitui é. João.Pedro e Judas. de forma que suas cabeças invertem a ordem de seus lugares. as notas para o alinhamento de Leonardo foram descobertas pelo artista milanês Guiseppe Bossi (Secretário da Academia de Brera) na igreja de Ponte Capriasca.

.

Além disso. sua pintura em óleo sobre um painel de carvalho com 82 x 60 centímetros encontra-se na National Gallery. é uma obra familiar mesmo para quem nunca estudou arte. se Leonardo quisesse introduzir Maria Madalena. Albrecht Dürer pôs 13 apóstolos no entalhe em madeira da Última Ceia para a sua série Grand Passion. A escolha era de Leonardo. CAPÍTULO 17 A ALEGORIA SAGRADA UM PAINEL MISTERIOSO No mundo das obras de arte pictóricas. Vestindo Maria no estilo apropriado do convento (como no retrato do ovo vermelho que vimos anteriormente). Certamente. o frade dominicano. como já vimos. apesar de sua procedência estar registrada. Leonardo teria feito. Das mãos do artista flamengo Jan van Eyck. A Virgem dos Rochedos vem em primeiro lugar. . ele não a incluiria furtivamente. e não teria sido o único. algumas das mais conhecidas e mais populares obras são freqüentemente aquelas das quais se sabe muito pouco. Uma das pinturas mais conhecidas no mundo e artisticamente uma das melhores. o tema continua um mistério e é constantemente debatido. Santa Maria delle Grazie era um mosteiro dominicano e. e pintada em 1434. Afinal de contas. como O Código Da Vinci sugere. Fra Angelico. em Londres. ele também poderia tê-Io feito. mesmo que não fosse canonicamente correto. visto que.Se quisesse ter 13 apóstolos nesta cena em vez de 12. não teve problemas ao incluí-Ia em seu afresco de A Última Ceia no Muséo Di San Marco em Florença (veja Ilustração 50). Maria Madalena era a Mãe Protetora e a santa padroeira da Ordem.

A mulher está grávida. foi declarado que a pesquisa de W. A partir disso. e estava originalmente catalogada como Um Cavalheiro e sua Dama.Classificada como um "retrato duplo". A pintura foi adquirida pela galeria em 1842 do coronel Hay. Mas. ela tem como cenário um quarto estranhamente enfeitado e é conhecida como O Casamento de Arnolfini (veja Ilustração 47). sua esposa". Mas. criando uma forma de taça em um espelho convexo mais ao longe. James Weale (consultor de arte holandês) provou que "as personagens representadas nessa imagem eram Giovanni Arnolfini e Jeanne de Chenamy. Os temas principais da descrição são um homem alto com uma capa de pele vermelha e um grande chapéu preto. em um catálogo posterior de 1862 da National Gallery. a obra é cheia de ambigüidades questionáveis. e o homem apóia a mão aberta da mulher. apesar de essas coisas serem superficialmente óbvias. com detalhes em branco e uma touca branca. a pintura foi chamada de O . junto de uma jovem em um vestido longo verde.H. que a comprara em Bruxelas.

mas com aparência de pessoas comuns. os artistas holandeses e flamengos logo exigiram seu próprio nicho com interiores domésticos. o Retábulo de Ghent. O cenário dessa pintura era notável e. Mas por que ele e sua senhora foram pintados de uma forma tão incomum? Historicamente. o fato é que ninguém tem a menor idéia sobre o que fala essa imagem esotérica única. eles constituíram o movimento conhecido como a Renascença do Norte que. e a arte pictórica estava. essa é a primeira pintura de um casal contemporâneo em um interior contemporâneo. príncipe de Liege. temos uma cena doméstica com duas pessoas presumivelmente abastadas. Jan van Eyck foi apontado como o pintor da corte para John. baseada na religiosidade ou preocupada com a realeza e com a alta nobreza. Ele não registrou comentários sobre a obra e certamente não usou o título pelo qual se tornou conhecido. Sua principal obra. Mas aqui. apareceu em .Casamento de Arnolfini . Quando foi pintada em 1434. Entretanto. quem era Giovanni Arnolfini? Dizem que ele era um banqueiro italiano e um comerciante que se mudou para Bruges em 1420. e representa um marco na arte da Renascença. A atribuição do título de "Arnolfini" não tem nada a ver com qualquer coisa que Jan van Eyck tenha dito ou escrito sobre a pintura. de forma geral.e ainda é chamada assim atualmente. Leonardo da Vinci nem tinha nascido. em uma obra que se mantém em excelentes condições e tecnicamente muito à frente de seu tempo. cenas de vilas e representações de natureza morta. Junto com alguns artistas da Alemanha. Não é parecida com nada que existia antes. Então. paisagens rurais. duque da Bavária. e também foi contratado pelo duque de Borgonha. produziu obras com os mais finos detalhes intricados e sutis. apesar de ser menos ardente e vivo que o movimento italiano. junto com o movimento de arte com bases religiosas e aristocráticas conduzido pelos italianos.

e foi pintado por Jan para a Catedral de St. que podia ser um escultor) foi falsamente apresentado como o irmão de Jan. estava catalogada na Exposição de Bruges em 1867. e uma outra Madona feita por ela foi catalogada pela National Gallery logo após sua abertura. A troca das pessoas começou quando a Adoração do Cordeiro foi elogiada na Catedral em uma reunião da Assembléia da Ordem do Golden Fleece. todo o altar. em 1824. Em 1568. foi inventado um irmão para o artista e. Seu nome não aparece em lugar nenhum em 1432. Esse prestigioso prêmio chamou a atenção do grande público para o altar. mas. Mas. Esse magnífico e muito esotérico conjunto de painéis em duas fileiras. Os livros de arte citam que Jan tinha um irmão mais velho chamado Hubert. Bavo. Na verdade.mas Hubert é um mito. Entretanto. de Adão e Eva a Jesus. com seus 24 painéis. assim que a lenda de Hubert surgiu. principalmente no painel maior.1432. . Mais ou menos na mesma época. as autoridades da Catedral tinham algum problema em admitir que uma mulher pudesse estar envolvida. em 23 de julho de 1559. A mentira durou até 1616. está imbuído com um significado intelectual e representa "o novo céu e a nova terra" do livro do Apocalipse 21:1. que o ajudou em algumas das pinturas . apesar de a inscrição do túmulo ter sido aparentemente perdida! Uma pintura assinada por Margaretta van Eyck.um retrato místico em céu aberto sobre o Apocalipse. chamado de Adoração do Cordeiro . Hubert (na verdade um irmão de Margaretta. descrevia personagens bíblicas. Ele foi ajudado por sua esposa e artista Margaretta. por alguma razão. um falso túmulo também foi relacionado a ele na Catedral. chamada Madona e Maria Madalena com um Doador. nem durante mais de um século depois da instalação do altar. visto que os autores estavam mortos. quando o nome de Hubert era mencionado em referência a um verso recentemente escrito que estava pintado em uma veneziana do famoso altar de Ghent. Margaretta foi substituída em favor da lenda.

que não chegou a uma conclusão real. seu nome foi removido do catálogo e. professor de História da Arte da Universidade de Massachusetts. o ponto levantado foi que "essa pintura guarda um segredo". Jan van Eyckjá estava morto havia seis anos. abaixo do espelho convexo (com a adição da data de 1434). Giovanni Amolfini realmente se casou com Jeanne Cenani em Bruges.H. chegando a ponto de. há várias anomalias e ela está carregada com um simbolismo esotérico. nos últimos tempos. Na verdade. No relatório final da investigação. a Madona foi reassinada por um artista desconhecido."Jan van Eyck esteve aqui". a conclusão do estudo foi: "Tudo o que parece ser nesta pintura. . mas. professor de História em Sorbonne. um amplo debate foi desenvolvido. James Weale dissera.e. Os investigadores da Universidade Livre foram Craig Harbison. em 1997. uma investigação ter sido feita como parte de um curso de arte da Universidade Livre da Grã-Bretanha. Eles discutiram o fato de que. não é". Evelyn Welch. pelo menos no que diz respeito a essa pintura em particular. foi provado que a informação de Weale estava incorreta. sem justificativas ou explicações. da Escola de Estudos Europeus da Universidade de Sussex.nos últimos tempos. apesar de não haver um erro para ser visto nessa obra de arte quase fotográfica.13 anos após a data da pintura . O arquivo estadual de Borgonha do século XV data o casamento dos Arnolfini em 1447 . ela é única. na época. Escrita em latim. professor de História da Arte da Universidade de Oxford. visto que forma uma parte integrante da própria pintura. Paris. Hoje. e Jacques Piviot. o fictício Hubert vive como o suposto colaborador de Jan. Como W. e Margaretta foi expurgada com sucesso dos registros artísticos. Martin Kemp. na parede do fundo. está: Johannes de eyck fuit hic . Transmitida pela BBC2. E a assinatura de Jan no quadro está além de qualquer questionamento.

um retrato de meio-corpo não assinado de um homem parecido. se o retrato duplo for realmente um retrato de noivado. na Inglaterra. Na verdade. encontram-se as palavras "Hernoul le fin" (aparentemente "[?] o fim"). Junto com essa obra. definitivamente ela não é uma pintura de Giovanni e Jeanne Amolfini. ele havia estado em Alton Towers. então é improvável que seja de Jan e Margaretta. O homem usando um turbante vermelho não foi identificado antes de sua chegada em Berlim. em . que era comum no período. sabe-se agora que Weale fez essa suposição a partir da nota em um arquivo datada de 1516. É de comum acordo. que Jan van Eyck era um mestre (se não foi o criador) da sofisticada alegoria pictórica. quem são essas pessoas? Foi sugerido que talvez fosse uma imagem de Jan e Margaretta van Eyck. A pintura do quarto representa um marco artístico da Renascença. uma vez lá (em vista do novo título dado para o casal da National Gallery). em virtude do altar de Ghent. quando a obra pertencia a Margaret da Áustria. regente da Holanda. mas a mulher não se parece em nada com o retrato que Jan pintou de sua esposa pouco depois da cena do quarto.Uma coisa que se tornou aparente desde a descoberta do casamento de Amolfini foi que. Então. Escrito em sou inventário com referência à pintura. foi adquirido pelo Museu de Berlim. como se supôs. em 1886. Mas. Várias tentativas frustradas têm sido feitas para apurar o significado de Hernoul. se não são os Arnolfini. em 1425. Originalmente. mas foi vendido para o Conde de Shrewsbury pela casa de leilões Christies. quando as primeiras pinturas a óleo foram introduzidas. Também. o retrato foi catalogado como Giovanni Arnolfini e creditado a Jan van Eyck. apesar da decisão da National Gallery de mudar o titulo da pintura em 1862. Eles se casaram nove anos antes. A única semelhança é a touca. mas o que Weale resolveu usar como sua "prova" em 1862 foi que Hernoul le fin era foneticamente similar a Arnolfini.

Por seu papel pioneiro. mais ao fundo. Apesar de ser dia. Jan surge como um dos mais importantes artistas de sua época. Tanto o homem quanto a mulher estão formalmente vestidos e o homem está usando roupas para sair . ao fundo. Para completar a cena.ainda que estejam no ambiente do quarto. Dentro de um cômodo calmo. como o professor Harbison afirma no filme da Universidade Livre: "Há tantas coisas que parecem estar tramadas nesta pintura que pode ser um desafio para uma vida inteira conseguir explicar tudo".uma mensagem de base ou significado de algum tipo: "Apesar de terem sido escritas mais coisas sobre esta pintura do que de obras de arte mais famosas. denotando presumivelmente seus dois ocupantes. há uma vela queimando no candelabro. a colcha da cama e as cortinas são vermelhas. a mão do homem está erguida em um gesto díctico como uma marca de seu status principal. Por todo o século XX. Como nos painéis de Ghent. As bases do candelabro de bronze brilhante são enfeitadas com flor-delis. cruzes e coroas. com a parte superior entalhada representando uma mulher vencendo um dragão. Há três laran jas sobre a mesa e uma sobre o peitoril da janela. Do lado direito. há algo faltando . e há uma cadeira de espaldar alto perto da cama. há um pequeno cachorro e. apesar de a mulher estar grávida. o simbolismo e a iconografia são abundantes no retrato duplo e. As laranjas são geral mente simbólicas da inocência. assim como a capa e a almofada de um assento próximo. . Dois pares de sapatos usados em casa estão separados no fundo e na frente do quarto. Através da janela aberta há uma árvore com uma fruta vermelha madura. várias pesquisas concluíram que. um fio de contas de âmbar com franjas verdes pendurado em um prego na parede. Ali está pendurado um espanador.comparação a uma têmpera de ovo ou óleo e os métodos de têmpera. por tudo o que pode ser visto na figura.

O Casamento de Maria. Alguns exemplos incluem A Contagem em Belém. houve a tendência de colocar cenas bíblicas em um ambiente contemporâneo. há uma possibilidade a esse respeito. Seja por projeto artístico ou por uma simples ignorância do passado. é visto com enfeites da arquitetura gótica. Mas. Um homem em uma cruz com três mulheres mais abaixo é visto como Jesus. pode ser o vestido verde da mulher com a touca branca . de fazendeiro holandês e um par de óculos. como Maria Madalena lendo. de Togier van der Weiden . Os artistas holandeses do período sempre descreveram as cenas bíblicas em seu próprio ambiente . A arte religiosa holandesa e flamenga ganhou destaque na época da Renascença.ficamos com a sensação de que ainda há algo escondido". em seguida há São Lucas desenhando a Madona. e as roupas são todos da época em que foi pintado. de Rogier van der Weiden (ilustração 38)? Os móveis. mesmo que houvesse um cavaleiro em armadura e um moinho de vento.um interior flamengo com costumes do século Xv. tem um José com chapéu. de Joos van Cleve. . não seria possível dizer quem era retratado. enquanto outras cenas do Evangelho apresentam esses temas com moinhos de ventos e cavaleiros com armaduras e elmos brilhantes da Idade Média. Talvez devéssemos olhar novamente para ver o que podemos ter perdido.mas a maioria deles é reconhecível por causa do tema. o livro. de Pieter Bruegel. Entretanto. Sem a inclusão do jarro de bálsamo.que é exatamente o que a mulher no retrato duplo de Jan van Eyck está usando em uma cena também estranha. Uma outra pista. bem diferente da italiana. do Mestre de Flémalle (novamente com costumes do século XV). é claro. que a precedeu.uma cena de José e Maria e o censo pré-natividade colocado entre casas de tijolos vermelhos e igrejas com evidentes telhados holandeses. o pai . e sobre as cenas estranhas. Ela possuía uma visão diferente. A Natividade da Família Sagrada.

mas impressões maiores dessa obra são facilmente encontradas). enquanto a mulher entalhada na cadeira é vista como vencedora contra um dragão reminiscência da cena do Apocalipse com referência à perseguição dos Desposyni. e . Entretanto. (Infelizmente. 4) Levando a cruz para o Calvário. A pintura nesse espelho é extraordinariamente detalhada. especialmente da realeza francesa.A HERESIA DO QUARTO O casal do quarto está cercado por símbolos de fertilidade e realeza. 2) Jesus diante de Caifás. fica clara uma ocasião sagrada. Com a vela queimando. Sendo convexo. incluindo uma porta em frente ao casal pela qual duas outras pessoas estão entrando no quarto. ele mostra toda a cena do desenho em reverso.os cães são sinal de fidelidade. 6) A deposição'. Dentro do que parece ser a simples cena de um interior. nós descobrimos que há mais dez miniaturas completas pintadas em medalhões ao redor do espelho. Mas as coroas do candelabro estão de ponta-cabeça para denotar a finalização do reinado. em sentido horário no inferior esquerdo. mesmo durante o dia. A fruta vermelha está madura na árvore e a mulher está grávida. nossa pequena reprodução não ajuda para uma observação mais próxima. mas o espelho na parede atrás deles. temos: 1) A traição em Getsêmani. mais intrigante é a moldura do espelho. 7) O sepultamento e a . há a grande heresia da cama vermelha. Em contraste com a aparente solenidade da cena. pois é ali que encontramos uma discordante ligação com o Evangelho. Vamos agora nos aprofundar nesse cenário. com a flor-de-lis no candelabro. 3) Seu espancamento pelos soldados romanos. visto que o foco central dessa obra não é tanto o casal.um simbolismo pictórico . Eles descrevem a história da Paixão de Cristo e. 5) A crucificação. emoldurado com o V de seus braços.

lamentação, 8) A descida para o limbo, 9) A ressurreição e 10) O jardim do sepulcro. O último, estando exatamente na parte inferior central, é a cena fora do sepulcro, levando ao encontro do Noli me tangere entre Jesus e Maria Madalena. Esse encontro entre Jesus e Madalena é uma imagem comum da Paixão que não está mostrada nesses medalhões. Na tradição barroca, era comum Jesus ser retratado com um chapéu de aba larga para essa cena como nas pinturas da Renascença de Lavinia Fontana, Giovanni Caracciolo, Rembrandt van Rijn, Bartholomeus Spranger e o entalhe de Albrecht Dürer, entre outros. Muitos livros de arte descrevem o casal do retrato duplo de mãos dadas, mas na verdade eles não estão dessa forma. A mão da mulher é vista aberta, com a palma para cima e vazia. O homem está apenas apoiando a mão dela e apresentando-a ao observador. As mãos retratadas abertas são sinal de abertura - sem ameaças, sem segredos. O gesto díctico da outra mão do homem está em um padrão artístico denotando uma influência de "demora" na situação - um controle sem palavras. Nesse estágio, vale a pena olhar algumas outras pinturas de Jan van Eyck - o mestre da alegoria pictórica e da iconografia, como é demonstrado pelo Relábulo de Ghent. Há apenas duas imagens a serem consideradas aqui: A Crucificação (no Museu Metropolitan de Nova York) e As Três Marias no Sepulcro de Jesus (no Museu Boijmans van Beuningen em Roterdan). As características de Maria Madalena aparecem de forma destacada em cada uma dessas, e em ambos os retratos ela está novamente usando um vestido verde com o mesmo enfeite branco. Tudo isso considerado, há motivos suficientes para postular que o retrato duplo de Jan van Eyck, que "guarda um segredo" nunca descoberto, pode bem ser uma alegoria mostrando Madalena. A flor-de-lis e as coroas invertidas do fim da dinastia (como

caracterizado no candelabro com sua única vela de lembrança) relacionam-se aos reis merovíngios dos francos. Assim, Hernoul fica identificado como Hernoul dos Francos (580-640). Ele é descrito em um manuscrito medieval francês na biblioteca do Queen's College, na Universidade de Oxford. As variações do nome de Hernoul são Hernault, Arnault, Arnaud, Arnou, Arnould, Arnoud, Arnaux, Arnold e Arnulf. Ele foi um oficial graduado da corte dos reis Theodebert II da Austrásia e de Clotaire II da Neustria (ver mapa medieval francês, p. 97), e tornou-se bispo de Metz em 626. Antes disso, foi tutor do filho de Clotaire, o príncipe Dagobert, mas não foi um defensor de sua eventual realeza. Na verdade, Remoul comandou o que se tomou a queda (le fin) dos merovíngios, instituindo uma corrente de conspiração de eventos que levaram à Doação de Constantino e à nomeação papal de seu descendente, o rei Pepino, o pai de Carlos Magno. (Detalhes desse afastamento merovíngio são dados no Apêndice 6, p. 321). A invenção da Margaret da Áustria, Hernoul le fin, não foi, portanto, um título para a pintura, nem tinha algo a ver com as personagens retratadas. Foi sua nota de reconhecimento do significado alegórico da pintura. Ela marcou o fim do reinado dos Reis Pescadores na Gália e a finalização do legado de Madalena dos impérios dos Desposyni.

Em termos estritamente pictóricos, há uma notável semelhança entre a pintura do quarto e o vitral na Igreja Kilmore, Dervaig, na ilha escocesa de Mull. O vitral retrata Jesus e Maria Madalena de mãos dadas em uma pose de intimidade (veja Ilustração 48). A mulher grávida na pintura usa um cinto acima da cintura, enquanto a Maria Madalena do vitral deixa sua faixa cair bem abaixo do abdome, indicando a mesma condição. A lenda por trás desse vitral vem diretamente de Lucas 10:42, quando Jesus fala com Marta sobre Maria ao visitar a casa de Marta: "Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada". Nesse estágio, a pergunta continua: Jan van Eyck possui uma ligação pessoal com o legado de Madalena? Será que ele se associou de alguma forma com o movimento de Madalena? A resposta, como veremos no próximo Capítulo, é "sim, com certeza ele possuía".

O TRONCO DE JESSÉ

Algumas pinturas são alegóricas de uma forma muito óbvia, por possuírem títulos que transportam o fato. A Alegoria Sagrada, do pintor da Renascença flamenga do norte Jan Provost (às vezes chamado de Christian Allegoria), é um bom exemplo em um contexto de Madalena. Essa pintura esotérica do século XV mostra Jesus com uma espada, junto com Maria Madalena, que usa uma coroa dourada, enquanto segura uma caixa aberta com uvas negras, na qual há a pomba do Espírito Santo. No centro do retrato está o Globo Universal azul, com a Terra, o Sol e a luz em posições separadas na superficie. O artista italiano Ventura Salimbeni usou um globo parecido em seu Exaltação da Eucaristia, na igreja de San Pietro, em Montalcino, assim como fizeram Johann Heinrich Schonfeld em seu L'Adoration de Ia Sainte Trinité (1640) e o pintor espanhol Juan Carreiio de Miranda em La mese de fondation de I'ordre des Trinitaires (1666), ambos agora guardados no Louvre. Esse tipo de simbolismo é um exemplo de como os artistas iluministas da Renascença (Renascimento) realmente trabalhavam porque, embora muitas dessas imagens fossem adornos de igrejas, elas eram contrárias ao dogma ortodoxo de que a Terra era o centro do Universo. A pequena caixa que Provost introduziu para Maria Madalena foi um rompimento verdadeiro da convenção. Embora o significado do Graal dessas uvas seja nítido, sua caixa de alabastro (como mencionado nos Evangelhos) foi geralmente substituída por uma jarra. De qualquer forma, como vimos, a aprensentação correta na tradução deveria ter sido um alabastron, mas, em todo o caso, a Igreja foi inflexível em não gostar de uma mulher santificada com caixas. A conotação estava muito próxima da lenda de Pandora. Na antiga tradição grega (ou pelo menos na tradição como ela é contada), Pandora foi a primeira mulher da Terra, e ela veio com uma caixa que continha todo o mal do mundo. Mas, quando ela abriu a tampa para olhar dentro da caixa, todo o mal escapou para assaltar a

humanidade tudo, exceto a Esperança, que continuou presa na caixa. Na verdade, essa versão cristianizada da história é bem ilógica, porque a Esperança não é um mal e, portanto, ela não estaria na caixa. A história original era diferente: enviada para o mundo por Júpiter, Pandora chegou não com uma caixa do mal, mas com uma jarra que estava cheia de todas as bênçãos, que ela libertaria para o mundo. O problema com isso é que ela interferia na história clerical de Eva que, como mulher, foi dito que introduziu o pecado no Jardim do Éden. Não só Pandora tomaria o lugar de Eva como a primeira mulher (o que já era uma grande heresia), mas, contrariando a condição eclesiástica, ela seria a portadora de coisas boas, o que era impossível paraluma mulher! E então sua história foi alterada e sua jarra de bênçãos se transformou em uma caixa do mal, com os artistas religiosos obrigados a não retratar mulheres santificadas com caixas. O artista francês Jean Cousin quebrou, de certa maneira, a tradição em 1550, ao pintar a grega Eva Prima Pandora (hoje no Louvre), mas mesmo assim ela não tinha uma caixa. Revertendo a história original, Cousin deu a ela uma jarra - na verdade, duas jarras - junto com uma caveira. Apesar de ele ter pintado o nome dela na pintura, essa Pandora escapou de qualquer crítica direta porque ela olhava para o mundo como a outra Madalena em sua gruta, e ficou conhecida como o primeiro grande nu reclinado da França. Só nos anos de 1800 Pandora ganhou destaque artístico. Isso surgiu de um movimento inglês no período romântico vitoriano, com algumas contribuições da França e dos Estados Unidos. Há uma outra pintura com o título de Sacred Allegory, que é, junto com o Casamento de Arnolfini, um dos grandes enigmas da arte no mundo. Entretanto, diferentemente do retrato duplo de Jan van Eyck, este é abertamente óbvio em sua retratação. O motivo pelo qual ele

ainda continua confuso é que, para entendê-lo, é preciso reconhecer a posição de Maria Madalena no esquema das coisas. Ele foi pintado em um painel por volta de 1500 pelo artista veneziano Giovanni Bellini, contemporâneo de Leonardo. No mundo da arte cristã há, na verdade, apenas uma alegoria verdadeira. Como no caso da interpretação de Jan Provost, ela é a relação entre Jesus e Maria Madalena. Outras representações cristãs podem ser retratadas alegoricamente e as imagens, cheias de iconografia simbólica, mas a base do tema sempre é reconhecível. Entretanto, a alegoria relacionada a Madalena aparece sempre como uma parábola: isso fica totalmente nítido para aqueles com olhos para ver, mas, se alguém não está familiarizado com o assunto, os retratos permanecerão confusos para sempre. A história da vinha da linhagem real, que fez parte da tradição do Graal, começa no Antigo Testamento, no livro de Isaías 11:1 - "E então brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará". Jessé, o pai do rei Davi de Israel, era o neto de Boaz e sua esposa, Rute, a Moabita. Dessa raiz de Jessé surgiu a Casa Real da Judéia, descendendo como uma vinha ao longo de gerações e progredindo, em termos bíblicos, para a afirmação de Jesus: "Eu sou a videira verdadeira" (João 15:1). A Sacred Allegory de Bellini (veja ilustração 49) transporta esse tema da descendência dentro de uma simples pintura, enquanto também expressa sua continuação via Maria Madalena. Jessé é visto usando vermelho com uma espada (símbolo da realeza, como na pintura de Provost) e a raiz da linha é mostrada, como descrita em Isaías, por meio de um novo ramo crescendo de seu braço ("fora da origem de Jessé"). À esquerda da pintura, Rute (a dama viúva da tradição) observa, enquanto a mãe de Jesus, Maria, senta-se em um trono erguido em pedra. Nossa ilustração da reprodução é apenas um detalhe de toda a obra na qual, à esquerda atrás de Maria, Jesus em

pé olha do outro lado do lago, enquanto à direita, mais longe de Jessé, o marido de Maria, José, curva-se sobre a balaustrada, vendo algumas crianças brincando. Entretanto, na parte central da ação sendo honrada por Maria e Jessé -, há uma modesta e contemplativa Maria Madalena usando sua coroa do serviço nupcial messiânico.

A CORTESÃ ARREPENDIDA
As galerias e os museus de arte estão atualmente repletos de retratos de Maria Madalena. Ela é uma das figuras clássicas mais pintadas, mas os artistas em questão não pintaram seus quadros para galerias e museus. Claramente houve alguns projetos teóricos, mas a maioria das obras era especificamente contratada. Os patronos e patrocinadores da época da Renascença eram a nobreza abastada e as casas reais, junto com a Igreja, de onde surgiu a maior parte dos patrocínios italianos. Mas há um tipo de paradoxo aqui. Por que as autoridades da Igreja solicitam e pagam por pinturas e esculturas de uma mulher cujo legado eles procuravam esconder a todo custo? Os bispos diziam que Maria era uma pecadora e uma prostituta; então, por que eles iriam querer que ela adornasse as paredes santificadas? Nos últimos tempos, o professor Christopher Witcombe, do Departamento de História da Arte do Sweet Briar College, na Virgínia, acompanhou o curso de um patrocínio específico do século XVI e depois publicou um fascinante relatório de como a Igreja e Maria Madalena estavam ligadas no mundo da arte. Seu artigo "The Chapel of the Courtesan" - A Capela da Cortesã - foi publicado no The Art Bulletin em junho de 2002, e referia-se ao estúdio do grande artista da Renascença, Rafael. Estudante de Leonardo e de Michelangelo, Rafael produziu um volume extraordinário de obras em sua curta vida - principalmente durante seus últimos dez anos, a partir de 1510. Ele foi chamado a

e foram muito encorajadas pela Igreja. eles receberam uma proposta para decorar uma capela dedicada a Maria Madalena na Igreja de Trinita dei Monti. Entretanto. Parece inconcebível hoje que. Pierre-Jean Marriette (1694-1774). desde que elas se arrependessem! Nessas bases. alguns dos trabalhos sobreviveram. Antes de a capela ser redecorada.descartadas como uma mudança de móveis em uma sala de estar. o artista Perino deI Vaga foi chamado para pintar mais imagens de Madalena na capela. durante esse período. se uma prostituta rica pagou a conta pela Trinita dei Monti. O altar Noli me tangere está hoje no Museu DeI Prado. A encomenda era para pintar um altar em óleo da cena Noli me tangere e quatro afrescos ligados a Madalena. em Madri. Giorgio Vasari confirmou que os artistas foram contratados por uma "prostituta" (una meretrice) e que. as obras do estúdio de Rafael tenham sido tratadas simplesmente como decorações . Parece que. Felizmente. escreveu que outros afrescos na capela referiam-se à unção dos pés de Jesus por Maria na casa de Simão. quando a capela foi redecorada. e toda a coleção sobreviveu até o século XIX. e ficou conhecido como "o príncipe dos pintores". a capela continha o mármore esculpido semelhante a "uma famosíssima cortesã de Roma" (una famosissima cortigiana di Roma). Em 1537. na época em que escreveu. Giulio Romano e Gianfrancesco Penni. Nessa época. Logo depois. e um dos afrescos retratando Maria carregada por anjos está na National Gallery.Roma no fim de 1508 pelo papa Júlio II como sugestão do arquiteto Donato Bramante. editor da enciclopédia L'architecture a Ia mode. os . seu estúdio foi herdado por seus dois melhores alunos. Maria e Jesus. Rafael morreu aos 37 anos em 1520. as cortesãs profissionais estavam em várias partes da alta sociedade romana. em Roma. Escrevendo sobre esse projeto em 1568. e uma cena de Maria no deserto. junto com Marta. não muito tempo atrás. em Londres.

por isso. E a prova do arrependimento foi ainda uma outra pintura da Maria Madalena Arrependida! A amante do papa Alexandre VI (Rodrigo Bórgia) era a reconhecida e especialmente famosa Vannozza dei Cattanei. Elas davam à Igreja e às mulheres cortigiana uma absolvição formal. apesar de definir uma prostituta cara. um estilo sexualmente extravagante prevalecia. que deu a ele quatro crianças. As cortesãs papais de Roma desfrutavam de uma extraordinária . era o equivalente feminino para cortigiano . Essas mulheres poderiam ficar muito ricas e.bispos ficaram contentes em aceitar que as cenas da vida de Maria Madalena fossem decorações apropriadas para a capela. Apesar de todas as regras de celibato. Apesar de a regra do celibato ser aplicada dentro da Igreja. o papa Júlio II (Giuliano della Rovere) manteve uma amante também chamada Lucrécia. vinhas e com toda a abundância de riqueza. eram capazes de patrocinar várias obras de arte sobre Madalena nas igrejas. a corte papal garantiria a hereditariedade do sacerdócio de sua prole. Os papas. Essas mulheres viveram no maior luxo papal. que deu a ele três filhas. e era totalmente absolvido pelos contratos das pinturas da Madalena arrependida. bispos ou quem quer que seja eram automaticamente perdoados por manter suas amantes por tanto tempo como arrependi das. com casas. Depois. sob tais circunstâncias. os papas eram homens bem mais vigorosos do que as idosas personagens dos últimos anos.um cortesão. O motivo para tantas descrições não bíblicas da MadaIena Arrependida agora fica evidente. Foi registrado até mesmo no século XI que. Vannozza foi seguida. A palavra cortigiana (cortesã) surgiu dentro da corte do século XV e. Naquela época. por Giulia Farnese. junto com uma outra cortesã profissional chamada Masina. incluindo a famosa Lucrécia Bórgia. havia vantagens para padres com filhos porque eles tinham uma razão aparente para mostrar uma penitência aberta. como concubina do papa.

e nessa época seus executores compraram uma casa na Ponte. filosofia e música. fizeram importantes contribuições para a poesia do período.posição social. Vasari não deu o nome da cortesã que contratou às pinturas da capela de Madalena na Igreja de Trinita dei Monti. Outro nome de cortigiana. por ter sua face e corpo preservados nas telas. a porta estava aberta para ela e não estava disponível para aquelas mulheres cujas atividades eram coagidas . a cortesã tinha de seguir os passos da sociedade aristocrática que a apoiava. Fiammetta .ela poderia tornar-se uma deusa para a posteridade. Gaspara Stampa (1523-54).doara anteriormente uma capela dedicada a Maria Madalena na Igreja de S. cujo nome aparece nos registros do convento e da igreja. na verdade. Ela estava junto às mulheres da nobreza. Ela morreu algum tempo antes de 14 de fevereiro de 1522. agindo publicamente como uma dama e transformando sua casa em uma miniatura de Urbino. por exemplo. e artistas da sociedade tais como Rafael conseguiam os melhores modelos para suas pinturas religiosas e mitológicas. um bairro de Roma que ficou conhecido como La Maddalena.a cortesã de Cesare Bórgia . e é claro que muitas delas usavam suas posições para exercer suas próprias habilidades intelectuais e mostrar os atributos que em outras situações seriam negados por serem mulheres. Um grande número de retratos de Maria Madalena da Renascença italiana são. Para ser uma protagonista em um ambiente de elite. Agostinho. A identificação com ninfas e divindades polia o verniz do sucesso . Entretanto. Veronica Franco (1546-91) e Tullia d'Aragona (1510-56). socio-econômico da cortesã. em que ela discutia arte. representações no estúdio de belas cortesãs pseudo-aristocráticas do palácio papal. é provável que ela tenha sido Lucrécia Scanatoria. e deu . Ela se tornava desejável ao imitar o comportamento da corte. Entretanto. mas ainda era uma prostituta até onde essas mulheres tinham conhecimento.

CAPÍTULO 18 UM PRIORADO SECRETO A CONSPIRAÇÃO DE SIÃO Há referências. e a irregularidade de seu ambíguo legado é revelada. Durante essa época.instruções para que ela fosse enterrada lá. Pierry Plantard. ao criar seu arrependimento pelos pecados que ela nem cometeu. em O Código Da Vinci. Novamente. no século VI. e Justiniano. demitiu-se. A prostituição dentro da corte papal não era uma novidade da Renascença. sobre uma sociedade secreta dos sectários de Madalena. é preciso lembrar que O Código Da Vinci é uma história de ficção que incorpora alguns elementos factuais. Maria Madalena foi primeiro definida em seu papel não bíblico como uma prostituta. Sempre houve uma organização chamada Priorado de Sião (Prieuré de Sion). mas. no século V. os bispos planejaram sua própria fonte perpétua de defesa. E dito no romance que ele existe hoje. não da forma em que é apresentado. e os Pais da Igreja eram nccessariamente ambivalentes sobre a situação legal das cortesãs nas leis civis romanas do imperador Teodósio. quando seu cofundador e secretário. Ele foi fundado e registrado como uma sociedade na França em 7 de maio de 1956. Maria foi um bode expiatório. e encerrado em 1984. Mas esse não é um deles . O presidente da . Era um legado da cultura imperial romana. e agora se percebe que isso foi uma manobra estratégica do sacerdócio para justificar suas próprias atividades. chamada Priorado de Sião. Ela foi difamada pela Igreja por um lado. e existe desde a época das Cruzadas. como codificado no Corpus Juris Civilis.pelo menos.

Segundo Bonhomme. instituiu uma falsa Ordem de um título de nobreza chamada Alpha Galates. e a demissão formal de Bonhomme. em 7 de agosto de 1973. não havia membros de fora. não passava de um clube instituído para discutir assuntos como acomodações miseráveis para alugar e moradias de baixo custo. em auxílio às atividades anti-semitas. e a proposta do Prieuré nada tinha a ver com Maria Madalena. em 1953. aparentemente o modus operandi logo mudou. fora estimulada por um artigo do Le Charivari. ela recebeu o nome do Monte Sião nos arredores da cidade de St-Julien-en-Genovoise. foi preso novamente por fraude e apropriação indébita. Bonhomme e um punhado de colegas. Além de Plantard.sociedade. deixou claro que ele e outros dois co-fundadores (Jean Deleaval e Armand Defago) estiveram juntos com Plantard em 1957. Os artigos explicavam que Plantard era um sectário do regime de Vichy durante a guerra na França e. A carta de Bonhomme. Ele foi criado como uma pseudo-Ordem Católica. Ele fora preso por isso e. que levantou aspectos das dúbias atividades do passado de Pierre Plantard. Isso foi depois relatado em uma edição de Montpellier do Midi Libre. André Bonhomme. em 1942. mas. Entretanto. como é detalhado nos estatutos do registro e confirmado no boletim da sociedade Circuit. onde o Prieuré foi registrado. . endereçada à subprefeitura de St-Julien-en-Genevoise. já havia confirmado seu afastamento por escrito 11 anos antes.

Esse anúncio foi. Clair e reivindicando uma descendência da realeza merovíngia dos tempos medievais. Diante de tudo isso. Enquanto isso. ninguém . Philippe de Chérisey. ligando-a erroneamente à Casa de St. Isso tudo e detalhes de suas buscas de extrema-direita chegaram ao conhecimento do pesquisador Jean-Luc Chaumeil em 1984. E não foi apenas isso: Chérisey realmente admitiu ter forjado os pergaminhos. como resultado. certos pergaminhos supostamente históricos mantidos pelo Priorado foram considerados falsificações do sócio de Plantard. porque Chérisey não recebera sua parte dos direitos autorais de um livro que publicara os detalhes desses documentos extremamente codificados.A informação vazada foi que Plantard usou o Priorado de Sião como um veículo para publicar uma genealogia falsa de sua família. o que restou do Priorado desintegrou-se. principalmente. um ato de retribuição.

porque Sauniere tinha sido padre da igreja de Rennes-IeChâteau .A História de um Mistério -. que dizia ter a posse do segredo de Sauniere e. The History of a Mystery . da BBC2. A partir desse dia. Depois de 1895. Ele fala de uma misteriosa descoberta da década de 1890 feita por Bérenger Sauniere. e depois distribuiu instruções oficiais de que as atividades relacionadas ao Prieuré deviam ser encerradas imediatamente. Nesse estágio. em Languedoc. o juiz Thierry Jean-Pierre fez uma busca na casa de Plantard. um padre da pequena vila de Rennesle-Château. Por causa dessa descoberta. apesar de ninguém entender por que e como. Esse local misterioso foi uma boa munição para Pierre Plantard. E foi por isso que a presumida ligação de Madalena com o Priorado foi levantada. ele gastou o equivalente a milhões de libras para restaurar sua igreja. ele se empenhou para reviver o Priorado de Sião comum outro conjunto de documentos inventados. ele acrescentou. o documentário Timewatch. produzido em 1967 por Gérard de Sede. junto com provas materiais de Jean-Iuc Chaumeil e de . que foi fundada em 1059. Mais uma vez. porque na época ele estava anunciando publicamente que era o rei da França! Ao investigar um escândalo financeiro associado ao fato. a sociedade passou para a total obscuridade. em 1989. confiscando papéis. ninguém sabia se acreditava nele ou não. em 1993. ele também confirmou que os pergaminhos de Rennes-Ie-Château eram realmente falsos. usou um filme de Philippe de Chérisey. de Santa Maria Madalena. Em 1996. Os verdadeiros existiam. Sauniere ficou extremamente rico. apesar de estarem inacessíveis. mas o mistério de Bérenger Sauniere continuou. além de financiar projetos de obras públicas para melhorar sua paróquia para a comunidade.tinha certeza sobre a verdade: será que Chérisey forjou os pergaminhos ou ele apenas disse isso para irritar o autor? O livro em questão foi chamado de L'Or de Rennes.

como regra. Os livros da paróquia que têm livre acesso provam que ele realmente pegou contribuições para as missas. tendo uma média de três vezes essa quantia. suas contas não chegavam nem perto do antigo padrão conciso. Essa era uma prática comum. entrando e saindo de esconderijos. Entretanto. A única forma de acumular riqueza dessa maneira seria conseguindo mais dinheiro por dia do que era . não era possível tornar-se rico por meio disso. uma competitiva caça ao tesouro continua.várias outras fontes. acumulou uma grande quantidade de dinheiro. e. anotando até os menores itens da renda pessoal e dos gastos. como resultado disso. ele foi um arquivista meticuloso. Levava cerca de duas horas e meia para celebrar uma missa. e o número permitido era de três por dia. Entretanto. Mas. para desacreditar Pierre Plantard e expor toda a charada do Priorado de Sião. pois os padres receberiam cerca de 50 centavos por missa. apesar de. Plantard manteve-se discreto depois disso. ainda está enterrada nos confins da igreja. há aqueles que se contrapõem. Inicialmente. na verdade. Algumas sugerem que. de alguma forma. O MISTÉRIO DE SAUNIERE Nos últimos tempos. Sauniere começou seu ministério em Rennes-le-Château em 1885. Sauniere parece ter feito algo melhor que isso. a partir de 1894. insistindo que Sauniere não fez uma descoberta e ficou rico simplesmente sendo um traficante de missas. haver menos. bem no período em que ele. em um vilarejo com uma população de cerca de 200 pessoas. e morreu em 3 de fevereiro de 2000 em Paris. como é possível esperar. houve um excesso de livros referentes ao mistério revelado de Sauniere e várias possibilidades foram levantadas. qualquer que seja a descoberta de Sauniere.

mas fica claro que. Tendo acusado Sauniere de tráfico na missa. para conseguir fundos suficientes com o tráfico de missas para restaurar e manter Rennes-le-Château. Sauniere não era influente. parece que há um tipo de intriga na base de tudo isso. nada é possível provar. aconteceu que. E. havia as doações benevolentes comuns para os reparos da igreja e coisas afins.4 milhão de missas em dez anos. Na audição de 1911 de Sauniere com o bispo da Corte de Carcassonne. .e fazer isso durante um longo período. parece haver poucas dúvidas de que Sauniere realmente caiu nas mãos dessa prática lucrativa. Sobre esse assunto. em vez de reduzir seus pedidos de missa.possível . mas não foi preciso muito esforço do padre para conseguir do Vaticano a anula ção da decisão e o restabelecimento da função. Em face disso. Sauniere precisaria ter recebido dinheiro de cerca de 1. mas de alguma forma possuía alguma influência no nível mais alto para reverter a decisão do bispo da Corte. para esquentar o debate. A discussão sobre isso começou na audição de 1911 e continua até hoje. o bispo de Carcassonne suspendeu-o de seu dever. Entretanto. Sendo assim. quase um século depois. ele passaria as missas e o dinheiro para companheiros de outras igrejas que não eram tão afortunadas em suas receitas. e há registros de mais solicitações e vales postais sendo recebidos todos os dias do que era possível fornecer. Também é fato que. é claro. Sauniere fez propaganda das missas em vários jornais. estando descontente com a administração financeira da Diocese de Carcassonne.

vimos como o comando dos Templários e os centros alquímicos em Bézu ficaram vagos rapidamente. como resultado da .No Capítulo 6.

Naquela época. quando documentos arquivados sobre Bézu. Ele chegou a essa função depois de sua nomeação como agente secreto dez anos antes pelo Committee of Secret Correspondence . o abade Henri Boudet. quantias regulares durante um longo período. em 1307. Os primeiros achados de Sauniere na igreja eram dois documentos de registros genealógicos datados de 1244 e de 1644. na época. que acompanhava de perto os processos. Benjamin Franklin que. isso não era ouvido na França por cerca de 600 anos. era o embaixador dos Estados Unidos na França. Uma vez que o esperado tesouro dos Templários nunca foi encontrado em Bézu. Com certeza. mas não se sabe se ele encontrou mais alguma coisa. Eles tinham um emissário local. os oficiais do Vaticano suspeitavam que os cavaleiros pudessem tê-Io enterrado perto de Rennes-Ie-Château. Ele era o responsável pelo envio de fundos do Vaticano para Sauniere. a hierarquia do Vaticano estava observando os eventos em Languedoc com muito cuidado e. os cardeais ficaram muito interessados. RennesIe-Bains. Essa teoria cresce desde junho de 1786. quando a notícia de que Sauniere havia feito uma descoberta interessante ao fazer alguns reparos chegou a Roma.das proximidades de. Durante esse período. sobre Rousillon e outros mestres templários foram conferidos pelo recém-instituído Comando do Templo de Carcassonne. de Thomas Jefferson.perseguição da Ordem por Felipe IV da França. a fim de encorajá-Io a continuar o trabalho. em 1776. .Comitê de Correspondência Secreta -. Talvez os cardeais até pensassem que haveria uma possibilidade de encontrar a Arca da Aliança. O cardinalato adquiriu esses documentos e depois enviou grandes somas de dinheiro para Sauniere. respectivamente. Essa Ordem fora formalmente constituída pelo dr. Franklin reuniu o grupo que acabou se tornando oficialmente o Comando de Carcassonne.

o Bruce. Para isso. o atual conde de St. o Chefe da Casa Real era Charles Edward Stuart (Bonnie Prince Charles). Charles Edward. um elemento dentro da Society (originalmente criada pelo rei Charles II em 1662) ainda operava como um conselho Rosa-Cruz com grande ligação com a Casa Real dos Stuart. Benjamin Franklin tornara-se membro da científica e filosófica Royal Society. antes de sua formalização. O chanceler da Rosa-Cruz. era o marquês de Montferrat. fundou a Assembléia Rosa-Cruz na França logo depois. Franklin ofereceu a Charles Edward uma outra chance contra a Casa Georgiana de Hanover. e era essencialmente uma unidade política que. Charles instalou-se na abadia de Hollyrood como Grão-Mestre dos Templários jacobitas e. e por isso dezenas de milhares de escoceses fugiram para os Estados Unidos para escapar da brutal Highland Clearances (Limpeza das Terras Altas) na Escócia. eles usaram o modelo de 1317 de Robert. Germain-en-Laye. em Paris. junto com o conde. da antiga irmandade Rosa-Cruz. Quando Franklin chegou à França em 1776. Em setembro de 1745. Antes de sua visita à França. cujo avô. Germain. os oficiais do Vaticano nunca precisaram preocupar-se com o restabelecimento do Comando dos Templários em Carcassonne. em Londres. se ele permitisse que os franceses e os Templários escoceses ajudassem na . Apesar de ter o controle de Hanover. O interesse de Franklin nesses homens era que o atentado jacobita contra o rei George II fracassou na Batalha de Culloden em 1746. James VII dos escoceses (lames 11 da Inglaterra).O COMANDO DA REVOLUÇÃO Em termos práticos. que mais tarde evoluiu para a Royal Society. estava Iigada à Guerra da Independência dos Estados Unidos. Isso nada tinha a ver com qualquer tesouro fisico. foi deposto em 1688 e exilado no palácio de St.

supostamente de três autores. Uma obra de compilação.Revolução Americana contra a mesma casa real. uma genealogia merovíngia. Vários grupos históricos diferentes e suas ramificações estão realmente representados aqui. O segundo documento chama-se Le Serpent Rouge (A Serpente Vermelha). em Rennes-Ie- . DOSSIÊS SUSPEITOS Voltando aos documentos do Priorado como proposto por Pierre Plantard. Os planos foram feitos.o antigo preceptor templário em Bézu. mas não na forma que tem sido tão convenientemente relacionado a uma seqüência de direção de uma única organização. Languedoc. uma planta do seminário de Saint Sulpice em Paris e 13 poemas em prosa relacionados ao zodíaco. Apesar de ser falsificado na forma que descreve. junto com os membros da Royal Society jacobita em Londres e com os sectários da Académie Française. a Guerra da Independência dos Estados Unidos teve sua estratégia feita em Bézu. lista uma série de Grãos-Mestres do Priorado. Germain . como o marquês de Lafayette. de 1188 até 1918. O resultado da armadilha foi que. Os registros detalham o conde como sendo o presidente do Parlamento do Templo. ele tem algumas bases reais. O primeiro. inclui alguns mapas medievais franceses. trazendo notáveis Templários franceses. Evidentemente em estilo criptografado. conhecido como Les Dossiers Secrets (Os Dossiês Secretos). e a França uniu-se à Revolução de 1778. além dos pergaminhos codificados que têm causado um interesse significativo e investigações nos últimos tempos. há dois itens em particular. e instalaram quartéis-generais de conspiração em uma das instalações do conde de St. Philippe de Chérisey e amigos. os versos contêm referências a vários aspectos do mistério de Sauniere e à igreja de Madalena.

Iniciada em 1646. As interessantes características internas incluem os afrescos do Antigo Testamento (pintados sob supervisão de Eugene Delacroix) na Capela dos Santos Anjos. duas semanas depois da morte dos autores. Mas.Château.5 milímetros incrustada . visto que o depósito no arquivo foi realmente feito em 20 de março. Teria sido muito fácil encontrar três suicídios misteriosos semelhantes. que tem repercutido em O Código Da Vinci. A herança do Saint Sulpice data da época dos merovíngios quando Sulpice era bispo de Bourges (624-47). e seria de se esperar que em francês fosse croix no sentido cruciforme. A grafia de cross é incomum. Qualquer que seja a verdade de sua autoria. a planta da igreja e o tamanho são bem parecidos com a Catedral de Notre Dame de Paris. Mas o verdadeiro enigma de Le Serpent Rouge está no fato de que seus três supostos autores foram encontrados enforcados em março de 1967 . a suspeita está garantida. Há claras referências nominais nessa obra a Maria Madalena. nas colunas de obituário e relacionar os nomes do grupo morto aos documentos enviados para o arquivo nacional. ligando-a à rainha Ísis e definindo-a como Notre Dame des Cross (Nossa Senhora da Cruz). Há um maravilhoso órgão datado de 1781. foi assassinado no Louvre. Jacques Sauniere (um nome estrategicamente colocado).o mesmo mês que Le Serpent Rouge foi para a Bibliotheque Nationale de Paris. De todos os documentos do Priorado. Le Serpent Rouge é o mais fascinante. porém não relacionados. na verdade. e ao mesmo tempo a associação do documento enigmático com as sinistras mortes. O problema é que o Priorado de Sião (sob o controle de Plantard em 1967) não era confiável. e uma linha de cobre de 4. Foi um cenário muito poderoso e convincente. com a data da primeira página de 17 de janeiro. Le Serpent Rouge teve sucesso em postular uma ligação entre Maria Madalena e o Priorado de Sião. no qual o curador do museu e guardião dos segredos do Priorado.

supostamente na Saint Sulpice. ocorreu um rompimento seguido de uma disputa interna. foi afiliada à Ordem dos Cavaleiros do Templo de Salomão e.nas faixas de mármore do piso do coro identifica o meridiano zero da Rose Line de Paris. mas não há provas para confirmar nem a mais leve ligação. estava operando na França sob a autorização do rei Luís VII em Orleans. fosse a base para o Priorado de Sião. de volta a Jerusalém. a irmandade de cavaleiros à qual Dan Brown aparentemente se refere em O Código Da Vinci foi fundada em 1099 por Godefroi de Bouillon. a Compagnie du Saint-Sacrement (da qual o construtor de Saint Sulpice. Ao ser denunciada por Luís XIV. em 1188. e a Ordré de Notre Dame francesa buscava a independência dos Templários. os registros da Compagnie foram escondidos. Por volta de 1118. Mais tarde no mesmo século. Em . em 1152. Enquanto isso. A ordem foi inicialmente alocada na nova abadia de Monte Sião de Godefroi. a Ordré de Notre Dame original era usada como área para acomodar a ligação dos muçulmanos e judeus à Ordem dos Templários. teve uma associação a Madalena nos últimos tempos. Ela foi chamada de Ordré de Notre Dame de Sion (Ordem de Nossa Senhora de Sião) e. e isso criou um ar de mistério da "sociedade secreta" que certamente chamou a atenção de Plantard. Ele foi instituído como o rei de Jerusalém e defensor do Sepulcro Sagrado depois da Primeira Cruzada. Mas. O PRIORADO ORIGINAL Deixando de lado o errôneo conceito de um moderno Priorado de Sião. sua parente cristã. apesar de não ter uma ligação inicial com Maria Madalena. Jean-Jacques Olier. Foi sugerido que talvez um movimento político do século XVII. ela deixou de ser uma Ordem reconhecida sob a autorização real. ao forçar isso. perto de Jerusalém. era membro).

Estavam especialmente preocupados com o ouro monoatômico e a química do Ormus (veja Capítulo 6. o Priorado mantinha sua ligação com os Templários na França. a se unir ao Priorado. durante o início da era da Royal Society. não é uma surpresa que personagens como Nicolas Flamel. ela se tornou simplesmente um priorado (um ramo externo). Ficou conhecida como a Prieuré Notre Dame de Sion.102). Em termos práticos. Seus membros estavam particularmente interessados em assuntos da Filosofia natural e da Alquimia. com referência à natureza da Pedra Filosofal e do mágico pó branco de ouro. Esse documento. Robert Boyle e Isaac Newton estivessem envolvidos com essa fraternidade esotérica. Leonardo da Vinci. Isso levou Charles Radclyffe de Derwentwater. Depois veio a Revolução Americana e o envolvimento de Benjamin Franklin em Carcassonne. em uma época que o Nautonnier do Priorado era o protagonista jacobita Charles. Isso parece ter ocorrido porque a irmandade original estava politicamente envolvida nos assuntos na França e atuava em conjunto com a Académie Française. e seus principais líderes foram chamados de Nautonniers (timoneiros). levando a um outro rompimento.vez disso. p. Erenaeus Philalethes. Foi ele quem escreveu o tratado Segredos Revelados. e tornou-se um tipo de academia. mas o Nautonnier que . houve uma outra mudança de direção dentro do Priorado Notre Dame. junto com o mentor ai químico do século XVII da Royal Society. O que está claro é que. era o motivo para seu estabelecimento original da fundação de Bézu. A ligação dos Stuart com o Priorado e os casos nos Estados Unidos se tornaram mais importantes nesse estágio. duque de Lorraine. que estava em uma competição científica com a Royal Society de Boyle e Newton na Inglaterra. e não tinha mais o privilégio de um soberano Grão-Mestre. que os Templários tinham levado de Jerusalém. um nobre Stuart na França. Portanto.

a partir daí.sucedeu. a Order of the Sangréal (A Ordem Nobre do Santo Graal) era uma exclusiva Ordem Familiar da Casa Real dos Stuart. seu ramo foi inaugurado como uma Ordem Real (em vez de apenas um Priorado). principalmente da música e da literatura. bispo de Rodes (liIho mais novo do lorde de Castlehill). Mais tarde.Registro do sangue real da Britânia. Em um momento posterior. não tinha interesse na política nem na ciência . o marquês de Ruvigny e Raineval. Em virtude de ter novamente uma cabeça real. levando-a para a total obscuridade depois da Primeira Guerra Mundial. em 1919. o quinto conde de Ashburnham (18401913). essas Ordens combinadas estão dentro do protetorado da Ordem Nobre da Guarda . Bertram. Victor Hugo. que produziu The Jacobite Peerage . e foi sucedido em 1908 por Melville Henri Massue. Hoje.e o Register of The Blood Royal of Britain . Os assuntos diários eram. e sujeita às condições do Mandato Britânico em nome da Liga das Nações.Ordem do Sangréal . sir Robert Strange foi regente e. mas por Regentes indicados por mãos reais. E então. Claude Debussy e Jean Cocteau tomaram o timão. e foi reconstituída como a Order of the Realm of Sion (Ordem do Reino de Sião). George Keith.ele era um patrono das artes. Germain. Como dado no Registro de 1921 de The Jacobite Peerage.na Europa. conde de Mariscal da Escócia (1692-1778). Depois disso. o braço científico da instituição passou para o Grão-Mestre dos Stuart. durante o curso do rompimento.A nobreza jacobita . com o Priorado sob o comando de Robert Boyle. lorde de Elphinstone. o exilado rei James VII dos escoceses no Palácio de St. em 1848. Enquanto isso. Maximillien de Lorraine. a fundação uniu-se com a Order of the Sangreal . administrados não por um Timoneiro. então. tornou-se o Regente Grão-Mestre. foi regente aé que transferiu a função para Seignelay de Colbert Traill. homens como Charles Nodier.

E o que isso tem a ver com Maria Madalena? Também nada . como sugerido em O Código Da Vinci? Absolutamente nada. Germain. o legado de Madalena teve grandes ligações com o Prieuré Notre Dame de Sion na França. O que tem a ver com a devoção da deusa. em 1780. no Centro de Exposições de Florença em 1986. Ele era o conde de Provença. principalmente a ligação com a extraordinária campanha militar de Joana d'Arc no século XV. em 1988.Uma identidade velada e profanada. nada. O que toda essa história de 1099 tem a ver com a sociedade particular chamada Prieuré de Sion.de St. O que ela tem a ver com o enredo secreto para restabelecer a monarquia merovíngia na França. no Petrarch Museum. veio Maria Madalena . com a fuga de 1307 da Inquisição dos Templários. . conde de Bar e Guise e rei da Hungria.com respeito a isso. A última fez com que a ligação de Maria com a realeza da França voltasse à tona. porque essa organização em particular deixou de existir quando Maximillien de Lorraine levou-a para um rumo diferente. Mas. e então a informação em O Código Da Vinci é parcialmente correta. como foi suposto? Novamente. contituída pelo rei James VII (lI) dos Stuart em 1692. Sicília. em Fontaine-de-Vaucluse. registrada na França em 1956? Absolutamente nada. também duque da Calábria e Lorraine. um beco sem saída.um rei cuja própria história foi uma inspiração para qualquer aventureiro do Graal. DEUS E A MADALENA Nos últimos tempos. Mas não é a ligação que existe até hoje. houve duas grandes exposições de arte dedicadas a Maria Madalena.Uma sedutora do desejo. O homem por trás dessa campanha foi um dos personagens mais surpreendentes dos registros históricos . Logo depois. duque de Anjou e rei de Nápoles. A primeira. foi chamada Madalena entre o Sagrado e o Profano .

que se tornou o símbolo da França Livre e foi o emblema da Resistência Francesa durante a Segunda Guerra Mundial. o Divino (autor do Apocalipse) foi muito reverenciado por René e pelos sectários do Graal dos Albi-gens. A capa do livro de carvalho com couro tem os nomes Jhesus-Maria-Johannes (Jesus-Maria-João). o manuscrito de Rosslyn simboliza São João por meio de uma serpente gnóstica da sabedoria e um recortado símbolo do Graal.Aragão. mas ele não foi um personagem das páginas de um romance mítico. como na inscrição maçom na abadia de Melrose. na Escócia. mas não foi dominado por causa de sua dignidade. e é retratado com freqüência com um cálice contendo uma serpente. Credenciais tão impressionantes seriam uma ótima apresentação para qualquer herói romântico. Sardenha e Jerusalém. agriculturalista e nobre campeão das Arenas. na Escócia. Ele era o rei René d'Anjou (nascido em 1408). arquiteto. cuja irmã Maria casara-se com o rei Charles VI da França. conhecido como Rosslyn-Hay Manuscript. Valência. João era considerado o guardião "do vinho da ira de Deus". legislador. Com respeito a isso. Grão-Mestre da Ordem dos Crescentes. Disseram que João bebeu dessa taça. Isso se refere ao Apocalipse 14:10 e à taça da indignação de Deus. A tradução deste último. E deu a Cristóvão Colombo o patrocínio do seu primeiro navio. está na biblioteca do lorde William Sinclair na Capela Rosslyn do século XV. lingüista. São João. . músico. Foi um renomado artista. perto de Edimburgo. junto com Batalhas e a Ordem dos Cavaleiros e o Governo do Príncipe. escritor. René d' Anjou introduziu a famosa cruz dupla de Lorraine. Maiorca. Junto com Maria Madalena. e cuja filha Margaret foi a esposa do rei Henrique VI da Inglaterra. Ele foi o autor e o ilustrador do Manual para a Perfeita Organização de Torneios. e é a obra mais conhecida em prosa em escocês.

Filippo Lippi e Paolo Uccello. e sua colorida pintura Maria Madalena Pregando para o Rei e a Rainha de Marselha está no Museu Cluny. incluindo o famoso tríptico da Catedral de Aix. estavam os grandes líderes das casas da Itália . Fra Angelico.as famílias de Sforza e Médici -. que também tem obras de Nicolas Froment. em Paris. Ele trabalhou em vários altares.A carreira artística de René d'Anjou envolveu-o com os notáveis do início da Renascença. tais como Jan van Eyck. Entre os companheiros de René. Portanto. o rei René dá a ligação que faltava para o misterioso retrato do quarto da National Gallery de Jan van Eych. com sua visível sugestão de Madalena. Jan e René eram mais que apenas sócios. .

cujo vice parece ter sido o químico francês Nicolas Flamel. Então. a casa de Anjou e Bar do rei René foi importante nas atividades do Priorado. no qual ainda se encontra até hoje. e foi ele quem pôs as três cruzes vermelhas no afreso Noli me tangere (Ilustração 5). Maximus Ia SainteBaume aberta no fim dos anos de 1400. em 1428. O artista dominicano Fra Angelico era outro em seu círculo. a função caiu para o cardeal Louis de Bar. antes que a nova basílica de St. e.eles eram amigos com interesses e conhecimentos comuns. agora nós podemos responder à pergunta (feita no fim do Capítulo 6) sobre com quem ficaram as relíquias de Madalena depois da queda dos Templários franceses em 1307. Botticelli tinha sido aluno do amigo artista de René. conde de Bar. Jeanne de Bar. A irmã de Edouard. visto que ele tinha acesso . que era o tutor de Leonardo. e. Por todo esse período. até a consagração da nova basílica de St. em virtude de toda essa informação. René organizou peregrinações de Madalena e colocou o osso do braço direito de Madalena em um estojo de prata e ouro. em 1480. cujos sucessores são considerados Sandro Filipepi (Botticelli) e Leonardo da Vinci. René d'Anjou e Bar tomou o timão do Nautonnier. Algumas gerações depois (depois de um período de envolvimento de Sinclair por meio do matrimônio). por sua filha Yolande. Em 1307. Filippo Lippi. Nessa posição ele foi sucedido. e foi Jan van Eyck que ensinou René d'Anjou a pintar. o Timoneiro do Priorado Notre Dame de Sion é citado como Edouard de Bar. enquanto também apresentou Maria Madalena em sua pintura da Última Ceia (Ilustração 50). e seu tio Jean. Junto com sua rainha-consorte. como seu vice. Maximus Ia Sainte-Baume fosse aberta. O patrocínio comum em tudo isso veio da Casa Florentina dos Médici. René desenhou e fez esse estojo em 1473. e também trabalhou com o ourives/artista Andrea deI Verrocchio. depois tomou posse até 1351. Jehanne de Laval.

que depois ficou conhecida como O Nascimento da Vênus. Baumette. No ano seguinte. Durante sua era do Priorado. Nascida em 1412. René d'Anjou ficou totalmente imerso na herança de Maria Madalena e Les Saintes Maries de Ia Mer. Ele fez isso com base no fato de que a mãe de Eduardo. o homem que perseguiu os . apesar de a propaganda histórica ter conferido a ele o manto de um herói patriótico. e foi o presidente das celebrações de Les Saintes Maries.às relíquias de Madalena em 1473. a guerra plantageneta contra a França tinha se acalmado. Notre Dame de Sion (Nossa Senhora de Sião) surge como a própria Maria Madalena . Ele projetou e construiu a igreja do colegiado em forma de navio para os restos de Santa Marta em Tarascon. no ducado de Bar.descrito por um dos seus nobres como um frio e cruel instigador de guerras. de quase um século antes. parece que elas foram mantidas em segurança de 1307 até a abertura da basílica de St. Na época de sua ascensão. era a filha do rei Felipe IV. Jehanne d'Arc (Joana d'Arc). Tarascon e Aix. mas também se tornou o principal benfeitor de sua tradição em Provença e deu o seu nome a uma de suas filhas. Dentre seus companheiros mais próximos estava a intrépida Virgem de Orléans. Botticelli colocou as romãs maduras e abertas na mão de Jesus para denotar a fertilidade de sua linha. ele fundou o convento-santuário de La Madeleine de St. uma alegoria de Maria Jacó. era filha de um fazendeiro de Dornrémy. e pintou a obra magistral da concha de vieira. Maximus pelos Templários do Priorado Notre Dame de Sião. Ele organizou as populares festas de Betânia em Marselha. enquanto em Reculée. mas Henrique decidiu reviver a reivindicação de seu ancestral Eduardo III para o reino da França.a mesma La Nostra Signora pintada por Leonardo em seu Madona dos Rochedos. O rei René não só reverenciou e pintou Maria Madalena. Na verdade. enquanto seu amigo Botticelli era Nautonnier do Priorado. Henrique V torna-se rei da Inglaterra . perto de Angers.

Em princípio.os duques de Bedford e Gloucester . junto com o cunhado do príncipe herdeiro. Em poucas semanas. varreu a Normandia e Rouen. Junto com ele. Descrito em detalhes em seu julgamento . mas ela ganhou apoio de Yolande d'Aragon. incluindo a prestigiosa Guarda Real Escocesa dos Gendarmes Ecossais e os capitães mais importantes da época. que era casado com a irmã de René d'Anjou. a corte resistiu às ambições militares de Joana. as tropas de Joana destruíram os bloqueios em Orléans e derrotaram as forças militares inglesas. ela proclamou sua missão divina para salvar a França de seus invasores.tornaram-se senhores supremos da França. Joana d'Arc apareceu na fortaleza de Vaucouleurs. derrotando os nanceses em Agincourt em 1415. Joana recebeu o comando de mais de 7 mil homens. Henrique casou-se com a filha do rei francês. Mary. o príncipe herdeiro. cujos tios . Mas Ilcnrique V morreu dois anos depois. Uma vez em Chinon. Com René d'Anjou ao seu lado. René d'Anjou. no Loire. perto de Domrémy. bem como o rei Charles VI da França. Com 17 anos. Na Inglaterra. o príncipe herdeiro. Henrique V. estava a brava pastora de Lorraine com seu famoso estandarte. com 2 mil soldados e 6 mil arqueiros. o Vale do Loire estava novamente nas mãos dos franceses. Katherine de Valois. que era a sogra do príncipe herdeiro e mãe de René d'Anjou. Com a ajuda da desleal rainha francesa Isabau. Charles. Então ele foi em direção da queda do irmão dela. O povo francês estava preocupado com seu futuro. foi coroado na Catedral de Reims pelo arcebispo Regnault de Chartres. mas. Joana partiu para a Corte Real do Château du Milieu em Chinon. anunciando que ela fora comandada pelos santos para sitiar os ingleses em Orléans. Ele foi depois proclamado Regente da França no Tratado de Troyes. em 1429. Em 17 de julho de 1429. o herdeiro ao trono era o filho pequeno de Henrique. naquela ocasião promissora.Cavaleiros Templários em 1307.

ela disse: "Não há mais ninguém aqui que eu conheça a quem eu possa entregar toda a minha verdade (. condenou-a à prisão perpétua a pão e água. ) Vamos cruzar a França juntos". exatamente os mesmos da pedra sagrada Jesus Maria na capela de Glastonbury. René tornou-se a vítima de uma intencional inquisição literária. como também canonizada! Como Maria Madalena antes dele.. A grande ironia disso é que. o bispo pronunciou-a uma bruxa mal-agradecida e.. em 1920. Para ele. e durante os meses seguintes o par era totalmente inseparáveI. A rainha Jehanne colocou a jóia . ele usa os nomes "Jhesus Maria". e é raramente mencionado nas escolas atualmente. ela não só foi perdoada. o rei René d'Anjou morreu em Aix en Provence em 10 de julho de 1480. Le Livre du Coeur d 'Amours Esprits. Apesar de toda a fama e importância durante sua vida. sem outro julgamento. Menos de um ano depois de seu sucesso. em conseqüência disso. a reputação de René d'Anjou sofreu o mesmo golpe que viu o fim de sua amada Joana. Joana selecionou seu comandante-chefe com a solicitação: "Dê-me o duque René de Bar". em 30 de maio de 1431. por meio de uma visão retrospectiva hipócrita. Quando embarcou na campanha de Orléans. designado para seu julgamento por Pierre Cauchon. Ela fora desacreditada pelo poderoso sacerdócio da França e. René foi mais ou menos apagado dos registros acadêmicos. a Virgem de Orléans foi capturada enquanto sitiava Paris. ela foi queimada viva na antiga praça do Mercado em Rouen. a Igreja reconsiderou o caso de Joana d'Arc e. Quando Joana recusouse a se submeter ao estupro por seus captores. A Igreja viu-o como a epítome de tudo o que ela detestava em termos da tradição do Graal. bispo de Beauvais. e o duque de Bedford.e pintado pelo escocês Hamish Power. Apesar de ser lembrado hoje por seu maravilhoso manuscrito do Cavaleiro do Amor.

Jehanne. Maria Madalena. incluindo colares de diamantes e rubis.pois. Deus verá. A suposição da inscrição de René é que aspectos desconectados do aprendizado são suficientes para apresentar uma imagem de Jesus como é determinada pela doutrina convencional. . Mas. Verá Deus e Madalena. mas abriu mão deles quando foram reivindicados por Luís XI da França. mas seu bálsamo espiritual era a verdadeira natureza do Sangréal . apesar de ele ter tido filhas. não havia herdeiro homem legítimo para a linhagem de Anjou de Bar. caixas de jóias de prata e taças de pouco valor.sem falar de alabastros e nardo -. Sua filha mais velha.real ao redor do pescoço de seu marido no caixão . quando os registros das escrituras são adotados como um todo. Quem esvaziar em um único gole. foi o próprio Bálsamo Sagrado do qual La Sainte-Baume recebeu o nome. Yolande. Seu bálsamo fisico foi manifestado na herança dinástica dos Desposyni. Mas havia uma taça de vinho em cristal de rocha que René havia entalhado: Quem beber de forma correta. a Padroeira de Provença. assumiu seus títulos por um período. René sustentou que a rota para essa iluminação estava realmente na Busca do Santo Graal e que o segredo de sua realização constitui o eterno legado de Maria Madalena.a Luz eterna do vaso sagrado. As coisas pessoais de René ficaram com sua esposa. Do ponto de vista de René . Maria Madalena aparece igualmente na Imagem.

.

.

.

.

.

APÊNDICE 1 FILHO DE DEUS FILHO DO HOMEM .

em Marcos 10:47 e em Mateus 22:42. e que com o poder foi declarado Filho de Deus". tribo da qual Moisés nada falou acerca dos sacerdotes" (Hebreus 7:14). São Paulo escreveu que Jesus foi "declarado" filho de Deus. Novamente. que nasceu da descendência de Davi segundo a carne. apenas a tribo de Levi tinha qualquer direito automático ao sacerdócio israelita.Como a figura mortal de Jesus (o filho de Maria e José) concilia-se com sua descrição da Igreja cristã comd o filho divino de Deus? Apenas os Evangelhos de Mateus e Lucas discutem a concepção de Maria e o nascimento de Jesus. que relata seu encontro com o sumo sacerdócio da Ordem de Melquisedeque. havia "necessariamente se faz também mudança da lei". A descendência paterna davídica de Jesus está ainda mais aparente em Hebreus 7:14. segundo sua carne": Essas citações. que incluía Davi e sua dinastia até José e Jesus. para acomodar essa divergência de costume. . tinha o privilégio da nobreza. e de Belém. João 7:42 faz comentários sobre a ancestralidade de Jesus: "Não diz a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi. Ao escrever sua epístola para os hebreus. enquanto na seqüência da Anunciação de Lucas 1:35 está declarado que Jesus seria "chamado" de filho de Deus. Em Atos 2:30. mas não do sacerdócio. junto com as listas genealógicas da linha masculina de Mateus e Lucas. Pedro (referindo-se ao rei Davi) chama Jesus de "fruto de seu corpo. a aldeia donde era Davi?" Além disso. A tribo de Judá. São Paulo esclareceu a questão da condição sacerdotal de Jesus com o seguinte: "visto ser manifestado que nosso Senhor procedeu de Judá. Apesar de não discutir a natividade. Marcos e João ignoram o fato. deixam bastante claro que Jesus era um descendente humano direto do rei Davi. Da época de Moisés e Arão. Pouco antes disso. Acima de tudo. em Hebreus 7:12. Jesus é chamado de "filho de Davi". a Epístola de São Paulo aos Romanos: "Acerca de seu Filho.

há 90 citações de ele ser o "filho do homem". Em Mateus 26:63-64. Da mesma forma em Atos 9:20."Falarei do decreto do Senhor. As referências bíblicas do grego para "filho do homem" são: huios ho anthropos. Há 45 entradas no Novo Testamento que afirmam que Jesus era "declarado ser". Jesus geralmente evitava o assunto. Por exemplo. o filho de Deus. "pregado como". João 20:31 afirma: "Porém. sendo que a maioria dessas referências foram feitas pelo próprio Jesus. bar nasha. o sentimento de Jesus como filho de Deus emana das coisas ditas sobre ele pelos outros no texto. quando foi perguntado pelo sumo sacerdote se ele era. Os equivalentes lingüísticos são: aramaico. "era chamado" o filho de Deus. que ele era o "filho do homem" (como em Mateus 26:63-64). Em outra ocasião. és tu o Filho de Deus? Respondeu-Ihes: Vós dizeis que eu sou". não ele. Em Lucas 22:70.passando a idéia de que o sacerdote disse. está escrito para que creiais que Jesus é o Cristo. . Em cada caso. Relacionado a isso está o Coronation Psalm. que se refere ao trono davídico . quando Paulo disse ter pregado que Cristo era o filho de Deus. Além da referência do salmo davídico.apenas que a lei tinha de ser corrigida por causa de seu nascimento na linha davídica de Judá. a frase significa simplesmente "um homem . como conseqüência. Jesus respondeu. Por outro lado. Jesus respondeu com palavras idênticas: "Ao que perguntaram todos: Logo. o Filho de Deus". na verdade. ele me disse: Tu és meu filho.Não é mencionada aqui a capacidade de Jesus ser o que ele quisesse porque ele era o filho de Deus . Jesus replicou: "Tu o dizes" . e hebraico. Quando confrontado por outros se ele era o filho de Deus. Marcos 1:11 e Lucas 3:22 afirmam que a voz do céu disse: "Este é meu Filho amado". Mateus 3:17. hoje te gerei" (Salmo 2:7).um ser humano". Tal Salmo é dito quando Jesus é batizado no Jordão por João. ben adam. "acreditava ser".

foi crucificado no reino do imperador Tibério pelo governador da Judéia. APÊNDICE 2 JULGAMENTO E CRUCIFICAÇÃO Os Annals of Imperial Rome. compilados pelo senador Cornelius Tacitus. como no caso de Jesus. O Novo Testamento é a única fonte de informação conhecida sobre esse assunto. Eu lhe serei pai. o criador dos "cristãos notoriamente depravados". iniciando no Novo Testamento com as próprias palavras de Jesus em Mateus 5:9: "Bem-aventurados os pacificadores. afirmam que o homem chamado Cristo. o termo "filho de Deus". não Jesus individualmente. Essa premissa é dada em II Samuel 7:13-14. como é aplicável a Jesus. O fato é tema de registro oficial. Com essas considerações. era uma descrição figurativa e simbólica. Mais uma vez. nem Flavius Josephus detalha os procedimentos em seu Antiguidades e Guerras dos Judeus. enquanto sua linhagem físíca do rei Davi é dada em várias ocasiões como a realidade humana de sua posição. Mais importante para a imagem é que a Bíblia cita que certas pessoas merecem ser os "filhos de Deus". porque eles serão chamados filhos de Deus". e eu estabelecerei para sempre o trono do seu reino.Lucas 3:38 esclarece que Adão foi o primeiro da linha a ser chamado de filho de Deus. do século I. . A coisa mais importante aqui é que era a linhagem nobre de Davi que estava especialmente considerada descendência de Deus. a palavra importante é "chamado". e ele me será filho". Nenhum detalhe do julgamento é dado. Pôncio Pilatos. entretanto. em que Deus é registrado proclamando a respeito do rei Davi: "Este edificará uma casa ao meu nome.

. Ora. Mas isso ainda seria ilegal.. e o cenário está cheio de ambigüidades. conforme previsto. Pilatos: "Tomai-o vós outros e julgai-o segundo a vossa lei". o Sinédrio só se reuniu quando amanheceu. e poderem comer a Páscoa. Lucas 22:66 indica que. pois.. Era cedo e de manhã. Pilatos saiu para lhes falar e lhes disse: "Que acusação trazeis contra este homem?" Responderam-lhe: "Se este não fosse malfeitor. escrivãos e anciãos estivessem de alguma forma convenientemente reunidos nas primeiras horas do dia. Então. levaram Jesus da casa de Caifás para o pretório. Os Evangelhos afirmam que Pedro seguiu Jesus até a casa onde estava Caifás. embora Jesus fosse levado primeiramente a Caifás. Eles não entraram no pretório para não se contaminar.Como é apresentado nos Evangelhos. onde os escribas e os anciãos estavam reunidos. Pôncio Pilatos. Todos os relatos concordam que Caifás entregou Jesus ao governador romano. não to entregaríamos". cuja presença facilitava o interrogatório imediato. Replicou-lhes. Responderam-lhe os judeus: "A nós não nos é lícito matar ninguém". pois esse não podia reunir-se durante a Páscoa. fazendo surgir ainda outra anomalia: Depois.” Ainda que todos esses sacerdotes. os principais sacerdotes e todo o sinédrio buscavam falso testemunho contra Jesus. o julgamento de Jesus dificilmente foi um julgamento. permanece o fato de que era contrário à lei que o Conselho se reunisse à noite. Mateus 26:57-59 afirma: "Aqueles que prenderam Jesus levaram-no à presença do sumo sacerdote Caifás.. então ele negou o mestre três vezes. . Isso é confirmado em João 18:28-31.

em Lucas 23:19 como um homem que "estava no cárcere por causa de uma sedição na cidade e também por homicídio". e em João 18:40 como "um salteador". Barrabás é descrito em Mateus 27:16 como um "preso muito conhecido". pois todos os dias os ladrões eram sentenciados à crucificação. e sim "contra a lei". em Marcos 15:7 como alguém que "em um motim havia cometido homicídio". As palavras de Marcos apontam mais especificamente para o papel de insurgente por parte de Barrabás na recente revolta. Por outro lado. De fato. parece que Tadeu (o terceiro mais importante na revolta contra Pilatos) não é mencionado após a Última Ceia. no julgamento. se necessário. Nunca existiu esse costume. a expressão "filho do pai" incorporaria os elementos bar (filho) e abba (pai) então Tadeu poderia ser descrito como Bar-abba. A descrição de João é um tanto vaga. isso não é verdade. Embora os zelotes Simão-Lázaro e Judas apareçam em eventos que levaram à prisão de Jesus. Novamente. mas também de decretar e implementar a sentença de morte. Jesus .Entretanto. Pilatos achava extremamente difícil provar a acusação contra Jesus. Em hebraico. os casos dos dois primeiros eram simples. a verdade é que o Sinédrio tinha plenos poderes não só de condenar criminosos. Entretanto. porque léstés não significa "ladrão". Mas ele entra na história. O que parece ter acontecido é que. eram líderes zelotes conhecidos e tinham sido condenados desde a insurgência. Simão. Os Evangelhos também afirmam que Pilatos ofereceu suspender a sentença de Jesus porque "É comum que o governante solte o prisioneiro por ocasião da Páscoa". e há um homem chamado Barrabás intimamente ligado à possibilidade da suspensão de Jesus por Pôncio Pilatos. a palavra traduzida não reflete verdadeiramente a implicação grega original. Tadeu era um assistente da Sucessão de Alfeu e um filho devotado ao Pai da Comunidade. quando os três prisioneiros. Tadeus e Jesus foram levados a Pilatos.

acrescentando: "julgai-o segundo a vossa lei". Pilatos voltou-se para o próprio Jesus: "És tu o rei dos judeus?". após castigá-lo. Ele não era amigo dos sacerdotes Anás e seu propósito era que Jesus fosse libertado para provocar seu sobrinho. Assim.só estava ali porque o contingente judeu o tinha passado para Pilatos para sentenciá-lo junto aos outros. Nesse ponto. o rei Herodes Agripa. Pilatos continuou: "A tua própria gente e os principais sacerdotes é que te entregaram a mim. claro que nada contra ele se verificou digno de morte. sem envolvê-Ios.este homem?" Mas não recebeu resposta satisfatória. Judas perdeu qualquer chance de perdão pelas atividades zelotes e seus dias estavam contados. Antipas fez um acordo com Pilatos para garantir a libertação de Jesus. soltá-lo-ei. pois no-lo tornou a enviar. O pacto entre Judas Iscariotes e Jônatas Anás foi. ao que os judeus responderam com a falsa desculpa de "A nós não nos é lícito matar ninguém". Assim. mas. É. Pilatos pediu à hierarquia que lhe fornecesse ao menos um pretexto . Pilatos disse aos anciãos judeus: Apresentastes-me este homem como agitador do povo."Que acusação trazeis contra. por meio de um acordo entre o tetrarca herodiano e o governador romano. substituído. pois. No desespero. Portanto. nada verifiquei contra ele dos crimes de que o acusais. A partir daquele momento. tendo-o interrogado na vossa presença. Nem tampouco Herodes. portanto. Que fizeste?" O interrogatório prosseguiu até que finalmente Pilatos voltou aos judeus e Ihes disse: "Eu não acho nele crime algum" (João 18:38). Pilatos sugeriu que o levassem. De acordo com o novo arranjo. Herodes Antipas da Galiléia entrou em cena (Lucas 23:7-12). ao que Jesus replicou: "Vem de ti mesmo esta pergunta ou to disseram outros a meu respeito?" Confuso. (Lucas 23: 14-16) .

quando um misterioso personagem chamado Simão. Os solda dos romanos colocaram uma coroa de espinhos sobre a cabeça de Jesus e envolveram-no com um manto púrpura. toda a multidão. Pilatos libertou Barrabás (Tadeu). porque sabiam que não havia uma acusação real para ser substanciada. abriu a porta para uma escolha por parte dos judeus: Jesus ou Barrabás? Nesse momento. (João 19:4) Naquele momento. estrategicamente. no caminho até a crucificação no Gólgota. Mas Pilatos conseguira derrotar seu próprio objetivo. eles passaram a responsabilidade para Pilatos. gritava: "Fora com este! Solta-nos Barrabás!" (Lucas 23:18) Pilatos insistiu a favor de Jesus.Se os membros do Sinédrio esperassem até depois da Páscoa. seu plano tinha dado certo. mas Simão e Jesus estavam em custódia. Mas. Mas. Pilatos o devolveu aos sacerdotes. Pilatos perguntou: "Que mal fez este? De fato. As três cruzes foram devidamente erguidas no Lugar da Caveira. ofereceu-se para . mas os judeus gritavam: "Crucificao!" Novamente. o cal vário (Gólgota). poderiam ter conduzido seu próprio julgamento em perfeita legalidade. ocorreu um evento significativo. Ele tentou conciliar sua decisão de libertar Jesus com a noção de que o gesto poderia ser considerado uma concessão de Páscoa e. ao fazê-lo. e preparadas para receber Jesus e os líderes zelotes da guerrilha. para que saibas que não acho nele crime algum". Simão Zelote e Judas Iscariotes. nada achei' contra ele para condená-lo à morte". bem como Judas Iscariotes. mal orientado. Certamente não tinham barganhado o senso de justiça de Pilatos nem a intervenção de Herodes Antipas. porém. as coisas estavam indo bem para os anciãos de Jerusalém. Mas. finalmente cedendo ao senso de compromisso. o Cireneu. O idoso Tadeu pode ter sido libertado. dizendo: "Eis que eu vo-lo apresento.

eles não o mataram nem o crucificaram. porém. No Gólgota. usado como substituto. com Simão. porém. mas sua identidade verdadeira não é muito importante. parece que Simão. líder dos Magos Samaritanos e reconhecido como o maior mago de sua época.) Na verdade.eles -. as coisas eram muito diferentes: Simão estava sob guarda e a . o Cireneu. A execução de dois homens proeminentes como Jesus e Simão não passaria ignorada. parecera-Ihes real por causa de sua falta de compreensão e de sua cegueira". também o historia dor Basilides de Alexandria escreveu que a crucificação foi encenada.. eles não o mataram". afirmando: "Contudo. não Jesus. Há uma interessante referência a ele em um antigo tratado copta chamado O Segundo Tratado do Grande Seth. No século II.carregar a cruz de Jesus (Mateus 27:32). uma estratégia foi implementada para ludibriar as autoridades judaicas. que contou com o uso de um veneno indutor de coma e a representação de um logro físico. nesse contexto. O importante é que ele estava lá. A substituição aparentemente ocorreu de fato. substituiu Simão Zelote. pois o tratado declara que Jesus não morreu na cruz.. o tratado menciona o cireneu. como se presumia. O Alcorão islâmico (Capítulo 4. descoberto entre os livros de Nag Hammadi. por isso. O próprio Jesus teria dito: "Quanto à minha morte suficientemente real para . Muitas teorias tentam explicar quem teria sido esse cireneu. alguns anos depois. Simão levitou até ficar acima do fórum romano. intitulado "Mulheres") especifica que Jesus não morreu na cruz. o Cireneu. Em meio à explicação de que houve uma substituição pelo menos para uma das vítimas da crucificação. Se havia um homem capaz de arquitetar essa ilusão. Tanto os Atos de Pedro como as Constituições Apostólicas da Igreja contam a história de como. É bem possível que os homens de Pilatos tenham participado do subterfúgio. ele era Simão Zelote. mas ele foi representado por alguém que lhe era semelhante (. No evento.

então. Embora a crucificação geralmente seja descrita como um evento relativamente público.caminho de ser crucificado. De acordo com João 19:41. E assim a encenação estava montada: Simão Zelote conseguira sua liberdade e pôde lidar com sucesso com o restante dos procedimentos. o cireneu aparentemente sumira. seria necessário livrar Simão de seu destino .um tema sobre o qual muitos artistas produziram várias versões. em Lucas 23:49) que os observadores foram obrigados a ver tudo "de longe". aceitando a cruz de Jesus. os Evangelhos afirmam (por exemplo. de fato. o local era um "jardim" no qual havia um sepulcro particular que pertencia a José de Arimatéia (Mateus 27:5960). com enormes cruzes projetadas contra o horizonte e uma multidão épica de espectadores. Em meio à balbúrdia de erguerem as cruzes. Entretanto.um jardim exclusivo que era. vemos que a crucificação não foi um espetáculo no alto de uma colina. Aparentemente. A troca em si foi feita no local da crucificação. foi um evento modesto. o cireneu conseguiu imiscuir-se no meio da multidão. que estaria mancomunado com o já libertado Tadeu (Barrabás). o "Lugar da Caveira" (João 19:17). pois pouquíssimos detalhes são dados sobre os homens crucificados com Jesus. foi organizada uma substituição na pessoa do cireneu. de uma forma ou de outra. facilitada pela confusão preparatória geral. mas na verdade estava no lugar de Simão. A tradição ocidental romantizou o lugar como "uma colina verdejante e distante" . em um terreno controlado . Pelo contrário. a seqüência seguinte de eventos é cuidadosamente velada. eles apenas são descritos como "ladrões". Considerando a evidência dos Evangelhos. mas em Hebreus 13: . apesar de todo esse idealismo fantasioso. Nos Evangelhos. nenhum dos Evangelhos faz menção a uma colina. Os Evangelhos dizem muito pouco sobre o assunto. O logro começou a caminho de Gólgota quando. em vez do folclore popular.

Isso positivamente identifica o local do cemitério como Qumran. "fora da porta" definia vários outros locais impuros. incluindo cemitérios comuns. os Pergaminhos do Mar Morto deixam claro que. se chama Sodoma e Egito". José de Arimatéia (o patriarca José ha Rama Theo) era o próprio irmão de Jesus.um jardim sepulcral restrito que continha um sepulcro vazio sob os cuidados de José de Arimatéia. Portanto. que diz que Jesus foi crucificado na "praça da grande cidade que. deduzimos que Jesus sofreu "fora da porta" ou "fora do acampamento". têm o corpo queimado fora do acampamento. lugares que eram tanto fisica como ritualmente impuros. não é nenhuma surpresa que Jesus tenha sido colocado em um sepulcro que pertencia à sua família verdadeira. naturalmente. espiritualmente. como oblação pelo pecado. pelo sumo sacerdote. levando a sua repreensão. Essa referência é particularmente importante porque os lugares onde se queimavam os restos dos animais eram considerados impuros. que foi designado Egito pelo Terapeutato. Também há certa associação com o lugar onde os corpos dos animais sacrificados eram queimados. por constituir um ato de profanação andar por cima dos mortos. o "local de um crânio" (Gólgota/ Calvário) era um cemitério . Tiago. No mesmo sentido.11-13 encontramos algumas pistas importantes acerca do local: Pois aqueles animais cujo sangue é trazido para dentro do Santo dos Santos. . sofreu fora da porta. Por isso. Como detalhado na seção "Alteza Divina" do Capítulo 11. Outra pista está em Apocalipse 11:8. Com isso. "rora do acampamento" era uma expressão para descrever áreas como rossas e latrinas públicas. Portanto. De acordo com Deuteronômio 23:10-14. os cemitérios humanos eram identificados com o sinal de uma caveira. Além disso. também Jesus. fora do arraial. para santificar o povo pelo seu próprio sangue. Saiamos pois com ele.

no Antigo Testamento. as escavações prosseguiram até os anos de 1950. a uma viga. De acordo com o Pergaminho de Cobre.Desde a descoberta dos Manuscritos do Mar Morto em Qumran. O acesso à câmara principal se dava por meio de um buraco no caminho do telhado. mas estes. Às vezes. Os arqueólogos descobriram que uma caverna. em particular. sendo crucificado. a pressão ao peito era aliviada quando os pés da vítima também eram . A profecia de que o Messias entraria em Jerusalém montado em um jumento não era a única feita a respeito do Messias no livro de Zacarias. em 1947. enquanto a cavidade adjacente era acessível pelo lado. Suspenso com todo o peso nos braços. uma grande pedra fora rolada para cobrir a abertura. Jesus percebera que.diziam que ele seria esfaqueado. os braços estendidos da vítima eram amarrados. Da entrada no telhado.Zacarias 12: 10 e 13:6 . seriam inúteis. pelos pulsos. para impedir a entrada de água de chuva. Duas outras profecias . sendo assim chamado de Caverna do Homem Rico. tinha duas câmaras e duas entradas separadas. e que seria ferido nas mãos por causa de seus amigos. seria qualificado em todos esses aspectos. foram construídos degraus que desciam até a câmara e. A crucificação era ao mesmo tempo punição e execução: a morte por martírio se prolongava por muitos dias. e sua morte lamentada por toda a Jerusalém. importantes descobertas foram feitas em várias cavernas. Primeiro. Para prolongar a agonia. sozinhos. as mãos eram transpassadas por pregos também. um homem teria seus pulmões comprimidos e acabaria morrendo rapidamente sufocado. Nesse período. que em seguida era encaixada horizontalmente a um poste de madeira colocado na vertical. Esse sepulcro do príncipe da coroa davídica estava localizado no lado oposto de uma outra caverna chamada Seio de Abraão. Assim como vemos em João 19:36 a respeito de Zacarias: "E isso aconteceu para se cumprir a Escritura". esse sepulcro era usado como um depósito de tesouro.

transpassados e presos ao poste. possivelmente uma semana ou mais. Nesse caso. Judas e o cireneu estavam bem vivos. Presa assim. segundo uma regra judaica baseada em Deuteronômio 21:22-23 e confirmada no Pergaminho do Templo de Qumran: "Se alguém houver pecado. que também deveria estar em uma cruz. não havia motivo para que qualquer um dos homens crucificados morresse no decorrer do dia. o sangramento vascular indica que um corpo está vivo. é dito que a poção era "vinho com fel" (Mateus 27:34) .. Naquela sexta-feira. ele "entregou o espírito" (João 19:30). José de Arimatéia estava negociando com Pilatos para remover o corpo de Jesus antes do Sabá e colocá-lo em seu sepulcro. Dependendo das proporções. tendo-o tomado. sem dúvida. Depois de algum tempo. a vítima poderia permanecer viva por vários dias. Enquanto isso. para liberar as cruzes.C. e o fato de ele sangrar (o que se identificou como sangue e água) parecia indicar que ele estava morto (João 19:34). e o pendurares em um madeiro. o seu cadáver não permanecerá no . No entanto. um centurião espetou o flanco de Jesus com uma lança. não morto. na mesma seqüência. Naquele momento. Pouco depois. Simão Zelote. equivalente a 20 de março de 33 d. deram vinagre a Jesus e. Na verdade. esse tipo de mistura pode induzir à inconsciência ou até causar morte. mas João 19:29 especifica que o recipiente estava pronto e esperando para ser usado. por isso lhes quebraram as pernas. mas em uma esponja e em doses medidas. passível de pena de morte.que é vinho azedo misturado com veneno de cobra. os carrascos às vezes quebravam as pernas dos prisioneiros para aumentar o peso do corpo pendurado e acelerar a morte. o sangue não sai de uma ferida a faca se for feita após a morte. e tiver sido morto. o veneno não foi dado a Jesus em uma caneca. A pessoa que o administrou foi. Os Evangelhos não dizem quem deu o vinagre a Jesus na cruz. Um pouco antes.

o cireneu e Judas Iscariotes tinham sido colocados na segunda câmara da tumba. sobre o qual os Evangelhos pouco falam. corpos vivos e não cadáveres. Pilatos. em Atos 5:30. Nicodemos chegou. O corpo de Jesus ocupava a câmara principal. Esse respeitado dia de descanso e adoração era a chave do segredo de tudo o que aconteceu . O relato não diz que os homens estavam mortos. entretanto. ele voltou a Jerusalém deixando José no controle de tudo. depois de menos da metade de um dia. Então. os três foram retirados das cruzes. era justamente o sábado: o Sabá do qual pouco ouvimos falar. as referências à tortura de Jesus sempre se relacionam ao fato de ele estar "pendurado em uma árvore").10:39 e 13:29. mas se refere simplesmente a uma conversa entre Pilatos e os anciãos judeus em Jerusalém. (Um detalhe interessante: havia uma lâmpada entre os objetos encontrados dentro do sepulcro na década de 1950. mas certamente o enterrarás no mesmo dia". segundo João 19:39. (Talvez seja interessante verificar que. Dentro dos confins da câmara dupla. Aparentemente. os quatro Evangelhos continuam sua história a partir da manhã do domingo.um dia sagrado no qual era totalmente proibido trabalhar. "levando cerca de cem libras de um composto de mirra e aloés". Só Mateus 27:62-66 menciona esse sábado. se algum dia foi importante para o desenrolar dos eventos seguintes. O extrato de mirra era . e Judas e o cireneu com as pernas quebradas. Fora isso. Simão Zelote já estava em seu posto.) Então. simplesmente faz referência à remoção de seus corpos. aparentemente sem vida.madeiro durante a noite. isto é. Estando Jesus em um estado de coma. após o que Pilatos enviou dois guardas para vigiar a tumba de Jesus. com lâmpadas e tudo de que precisaria para a operação. O dia seguinte era o Sabá. sancionou a mudança do procedimento de pendurar (como se manifestava na crucificação) para o velho costume de enterrá-lo vivo. No entanto.

O registro e a medida do tempo eram algumas das funções oficiais dos levitas. Naqueles dias. Na verdade. É um fato muito significativo que o dia após a crucificação era o Sabá. já se usavam os relógios de sol. não havia um conceito para a duração fixa de horas e minutos. do mesmo modo. nem as marcas no chão nem os relógios de sol tinham utilidade quando não havia sombra. a atual oração Angeluz . Além disso. o tempo para toda a operação de "ressuscitar Jesus dentre os mortos" (libertá-lo da excomunhão . à medida que os dias e noites ficavam mais longos ou mais curtos. Essa anomalia ocorre porque o Evangelho de Marcos usa a contagem de tempo helenista (solar). era que. por causa disso. Marcos 15:24 diz que Jesus foi crucificado na terceira hora. Na verdade. havia 12 "horas do dia" determinadas (luz) e. enquanto João 19:14-16 afirma que Jesus foi preparado para a crucificação por volta da sexta hora. eram necessários ajustes nos momentos em que as horas se sobrepunham. como explica a moderna farmacopéia. é um purgativo forte e de rápido efeito . O suco de aloé.deriva da prática dos antigos anjos levitas)."morte por decreto") dependia da hora precisa em que se considerava ter o início do Sabá. As últimas eram medidas por sessões de oração levíticas (como as horas canônicas da Igreja Católica de hoje. seria necessário um ajuste adiantado de três horas completas e. Naquela sexta-feira específica da crucificação.uma forma de sedativo de uso comum na prática medicinal da época. Assim. O problema. 12 "horas da noite" (escuridão). porém. há uma discrepância notável entre os relatos de Marcos e João quanto à cronologia dos eventos naquele dia. ao meio-dia e no pôr-do-sol . O resultado da mudança de tempo (como descreve Marcos 15:33) foi .feita pela manhã. desde cerca de 6 a. enquanto o de João usa a hebraica (lunar).C. Entretanto.exatamente o que seria necessário para Simão expelir o fel (veneno) do corpo de Jesus. que programavam o curso das horas pelas sombras no chão em áreas medidas.

que "chegada a hora sexta. o que lhe causou a morte (como relatado em Atos 1:16-18). A chave para a história da Ressurreição encontra-se nessas três horas perdidas (as horas do dia que se tornaram horas da noite). naquele momento. hora original. Hora . ele montou a cena para a sua ruína. Isso significava que. os magos samaritanos de Simão Zelote trabalhavam com uma estrutura de tempo astronômica e não implementaram formalmente a mudança de três horas até a 12ª. APÊNDICE 3 JESUS E A ÍNDIA .ou seja. Por outro lado. ocorreram dentro de uma fração de segundo (como acontece com as mudanças de tempo hoje quando atravessamos diferentes fusos horários ou quando avançamos ou atrasamos os relógios para o horário de verão). A referência anterior em Mateus 27:5. sendo atirado de um penhasco. houve trevas sobre a terra até a hora nona". a nona hora. aplica-se meramente ao fato de que. hora. Era tempo suficiente para administrar os medicamentos a Jesus e cuidar das fraturas ósseas do cireneu. Assim. que foi redefinida como 12ª. Judas Iscariotes não recebeu o mesmo tratamento misericordioso. o fim da quinta hora foi imediatamente seguido pela nona hora. Simão tinha três horas completas para realizar o que deveria. indicando que Judas se enforcou. Essas três horas de escuridão eram apenas simbólicas. pois o novo começo estabelecido para o Sabá era três horas antes da velha 12ª. sem quebrar as regras de não trabalhar no Sabá. embora os outros já tivessem começado o sagrado período de descanso. nessa ocasião.

A explicação de Notovich surgiu quando um diário dos missionários. Esse diário mencionou Hemis e recontou a história de Isa segundo Notovich. Dizem que ele obteve informações sobre isso no manuscrito descoberto em um mosteiro tibetano em Hemis. havia cerca de 84 mil pergaminhos biográficos em Lhasa. e foi levado à morte em Mylapore. Bath. Visto que Notavich não viu o pergaminho original escrito em pali em Lhasa. Sabe-se que Tomé. O lama explicou a ele que a biografia de Hemis do profeta Isa (supostamente Jesus) fora traduzida de um manuscrito original na antiga língua pali. O problema é que muitos dos pergaminhos de Lhasa estavam em idiomas antigos que os alunos visitantes não sabiam ler. que era usada em Lhasa. Islamic & Sanscrit Sources. foi descoberto pelo professor Fida Hassnain (antigo diretor dos Arquivos. onde havia um local de ensino no mosteiro e um dos costumes antigos era que cada aluno devia copiar uma das biografias para ter em seu mosteiro. pregou na Síria. Aparentemente. O livro do professor Hassnain sobre esse assunto é A Searche for the Historical Jesus from Apocryphal. Arqueologia. Marx e Francke. 1994. nem mesmo o manuseou. realmente houve uma antiga ligação cristã que adicionou algum valor à possibilidade de Jesus ter seguido seus passos. Pesquisa e Museus em Kashmir) nas proximidades do mosteiro em Leh. . Gateway Books. Notovich não leu o manuscrito. a tradução de Hemis não tem procedência confirmada. Pérsia e na Índia. perto de Madras. Mas. enquanto um intérprete tomava notas em russo. Foi assim que a cópia do documento de Isa chegou a Hemis. o apóstolo. A história foi contada a ele por um lama em 1887. na verdade. Buddhist. Então. e é bem conhecido que a maioria dos textos que eles levaram não era de traduções precisas dos originais.As explicações publicadas com referência a Jesus na Índia começaram com o erudito russo do século XIX Nicolai Notovich.

e transmitiram para o Ocidente que Isa e Jesus eram a mesma pessoa. Marx e Francke descobriram uma antiga tumba dedicada ao profeta chamado Yuze Asaf. Depois disso. O estranho de tudo isso era que essa estratégia ia contra a doutrina convencional cristã da Crucificação e Ascensão. Mas o Dalai Lama foi veementemente contra e a rainha Vitória não queria se opor a ele.A história de Marx e Francke é interessante por si só. Todos os esforços foram feitos para converter ao Cristianismo os hindus e os muçulmanos. Eles eram missionários cristãos que visitaram Kashmir em 1894 para estudar a vida dos profetas do País. Em Srinagar. O que eles realmente precisavam era de um túmulo (não apenas um nome) em que houvesse a marca cristã. em uma escala mundial. e a política imperial tentou questionar essas religiões ao convencer o povo de que a Índia tinha uma história cristã. A rainha Vitória (da casa alemã de Hanover) planejou isso por intermédio de seus colegas missionários na Alemanha. e isso motivou sua visita ao mosteiro de Hemis. então a ligação com Isa foi esquecida.um budista do Tibete que estava em Kashmir por volta da época de Jesus. um profeta budista pouco importante não seria útil para a estratégia imperial. Mas. Eles relataram que Notovich soube de Isa por um lama em Moulbeck. onde o lama leu a história de Isa a partir da cópia traduzida de um aluno. Marx e Francke descobriram a explicação de Notovich sobre o profeta Isa . Ou seja. Mas a missão deles ocorreu em um tempo em que grande parte da Índia (externamente à nobreza estatal) era controlada pela Grã-Bretanha vitoriana no auge do Império. Marx e Francke imaginavam que os nomes Isa e Jesus eram muito parecidos (visto que Notavich os associou segundo sua história de Hemis). Esse nome novamente foi . e ninguém discutiu. a rainha Vitória era bem mais poderosa que o papa naquela época.

os habitantes de Kashmirnão eram muito versados em história. onde um outro profeta muçulmano estava enterrado em Pindi Point. o professor Hassnain continuou sua pesquisa e está atualmente escrevendo um livro sobre o assunto. anunciando que a mãe de Jesus rora enterrada lá. Hoje em dia. Sob o controle das autoridades imperiais britânicas. a tumba de Srinagar foi definida como a tumba de Jesus. e. o Dalai Lama não fazia objeção ao fato. portanto. Depois da restauração da independência hindu da Índia em 1947 e o estabelecimento do Estado muçulmano do Paquistão. e divulgaram ser o sepulcro de Moisés. a região da fronteira de Kashmir permaneceu na condição de uma agitação hindumuçulmana a partir de então. visto que Yuza era um muçulmano. Desde a descoberta do diário de Marx e Francke. cujos milagres e ensinamentos não eram diferentes dos de Jesus. APÊNDICE 4 . Então. uma outra equipe vitoriana descobriu um local em uma montanha em Kashmir chamada Muqam-i-Musa.considerado parecido com o de Jesus. A cidade tinha o nome de Muree. que era bem parecido com Maria. acredita-se que na cripta muçulmana de Yuza Asaf pode conter um outro corpo enterrado debaixo daquele Yuza do século VI no prédio Roza Bal em Srinagar (rauza bal = tumba de um profeta). na rronteira de Kashmir. em 1898. foi anunciado que Jesus era Yuza Asaf. não um budista. Na Turquia e na Pérsia. e os peregrinos começaram a visitá-Ia. há histórias tradicionais do homem santo Yuza Asaf. então. o governo colonial britânico também confiscou esse local. Depois disso. Todavia. mas a falha dos missionários nessa explicação foi que não havia muçulmanos no século I. e. foi feito o mesmo na cidade de Murree.

por meio de seus professores e historiadores aprovados. No que tange à Inglaterra. Segundo Gibbon. Todos os registros anteriores a Gibbon na Grã-Bretanha dizem que a princesa Elaine (greco-romano: Helen. somente em 1776 o historiador inglês Edward Gibbon promoveu a ficção romana de 1662 com referência ao nascimento de Helena. sempre que tais dogmas discordassem dos fatos tradicionais e registrados. foi proclamado imperador de York (Caer Evroc). ao lançar sua obra História do Declínio e Queda do Império Romano. Constâncio. ele tinha ampliado o arcebispado de York a pedido de Helena. e foi depois sepultado em York.C.SANTA HELENA Em 1662. Esse colégio de propaganda dos cardeais foi estabelecido para incutir a todo custo dogmas da Igreja. A isso se seguiu uma reclamação em 1779. romano: Helena) nasceu e foi criada em Colchester e ficou famosa por sua capacidade políticoadministrativa. Em reconhecimento à peregrinação de Helena à Terra Santa em 326 . Seu marido. ele confessou que esse detalhe era apenas uma conjectura. depois que seus relatos espúrios dos primeiros anos do Cristianismo foram criticados por estudiosos acadêmicos. Antes dessa data. mas mesmo assim suas afirmações originais são aceitas literalmente por historiadores e autores de enciclopédias.. o Congregatio Propaganda Fide foi instituído pelo papa Gregório XV. Mais tarde. Em 290 d. as informações publicadas a respeito do direito inato da imperatriz Helena eram obtidas a partir de registros britânicos. Mas Gibbon convertera-se ao Catolicismo em 1753 e não hesitou em representar Helena de acordo com a doutrina oficial. Helena nasceu em uma família de estalajadeiros na cidade de Naissus. nos Bálcãs.

) realmente desapareceram. do qual as informações originais a respeito de Helena (248-328 d. onde o brasão da cidade foi estabelecido como sua cruz. que prosseguiu com intensidade cada vez maior. Entretanto. Por tudo isso. Independentemente dos registros britânicos. o . Desde a época da Reforma. O documento romano mais citado para apoiar a mensagem antibritânica é um manuscrito do fim do século IV (após a morte de Helena).sendo Santa Helena a única filha do rei Coilus".d. Dentre eles. a visão romana reestruturada de Helena é extremamente vaga. bem como outros escritos na Europa.. Muitos clérigos defendem a teoria dos Bálcãs.C. Os registros dos jesuítas (até do livro jesuíta Pilgrin Walks in Rome) afirmam. alguns dizem que Helena teria nascido na Nicomédia e outros dizem que ela era natural de Roma. Roma assumiu um programa estruturado de desinformação sobre muitos aspectos da história da Igreja.C. e principalmente depois que o Colégio de Propaganda foi instituído. como a divulgada por Gibbon. do escritor alemão Melancthon. com três coroas de prata no lugar das armas. com vários relatos se contradizendo. dos anos de 1600. que escreveu: "Sem dúvida. as informações de Roma anteriores a 1662 também defendem a herança britânica de Helena. há a Epístola. a única pessoa que a Igreja e seus diligentes eruditos preferiram ignorar foi o próprio cardeal de Roma. Helena foi uma princesa britânica". a igreja de Helena da Cruz foi construída em Colchester. há uma espúria nota de margem. na prática. do século XVI. Barônio. Porém. ao detalhar o nascimento de Constantino na GrãBretanha: "Uma das maiores glórias da Inglaterra católica é contar com Santa Helena e Constantino entre seus filhos . de autoria de Amiano Marcelino. que cita os detalhes recém aprovados pela Igreja nos quais os seguidores de Gibbon e outros basei am suas opiniões.

Um retângulo raiz quadrada de 3 é produzido a . A Razão Aurea tem sido usada como um padrão arquitetônico para proporção. elas eram redonda.bibliotecário do Vaticano que compilou os Annales Ecclesiasticae de 1601. ela data de antes da época de Euclides indo para a época de Platão. APÊNDICE 5 AS TRÊS TÁBULAS DO GRAAL A tradição diz que "Três Tábulas sustentam o Graal. nascidos na Grã-Bretanha". diante da antiguidade universal. e o número da Três era Dois-Um". é uma proporção de 5:8. e não precisa de forma de medida. A Razão Aurea é uma progressão geométrica empregada pelo matemático grego Euclides no século I a. mas a relação matemática precisa é 0. Entretanto. molduras e projetos. do Castelo do Graal e da Última Ceia. Um retângulo raiz quadrada de 2 é produzido a partir de um quadrado colocando-se o compasso na diagonal e estendendo a linha de base para encontrar o arco. a especificação 2-1 é uma proporção tabular inerente à Razão Aurea. Um quadrado é simplesmente um retângulo raiz quadrada de 1. recusa-se a acreditar que Constantino e sua mãe eram bretões. e hoje em dia é utilizada em sofisticadas obras de arte.618:1. Os retângulos podem ser produzidos a partir de um quadrado apenas com um compasso. quadrada e retangular. Superficialmente falando. As Três Tábulas foram relacionadas às do rei Arthur. Todas tinham o mesmo perímetro.C. na prática. Nessa obra. Entretanto. ele diz claramente: "Deve ser louco o homem que. que tem pouco a ver com as tábuas no sentido de utilidade. A Razão Aurea é baseada na divisão do espaço pela raiz derivada do retângulo.

Portanto. Por exemplo. a área de um quadrado raiz quadrada de 1 é exatamente um quinto da área de um quadrado na lateral de seu retângulo raiz quadrada de 5 estendida. tais retângulos não são irracionais porque podem ser medidos pelos quadrados produzidos a partir deles.partir dá diagonal do segundo e assim sucessivamente. mas os retângulos de . Um retângulo raiz quadrada de 5 (quadrado duplo) tem a proporção do Graal de 2:1. podem ser definidos como Estáticos. etc.. Apesar de não serem medidos com números. O cálculo em termos de área em vez de comprimento era a base da antiga Geometria. tais como 3:2. 5:4. a relação entre o fim e a lateral do retângulo raiz quadrada de 5 pode ser usada como uma expressão da área. O Teorema de Pitágoras é compreensível apenas em termos de medidas quadradas. Os retângulos com relações estritamente numéricas.

Como uma conseqüência do cálculo áureo.21.618 é simbolizado matematicamente pela letra grega Phi.2 = 1. Esse é o fator constante que facilita o cálculo da circunferência de um diâmetro conhecido. 13.618. com cada figura sucessiva sendo a soma dos dois anteriores .5.raiz são Dinâmicos. Ela se relaciona à Razão Áurea de (raiz quadrada de 5 + 1) -:.618) = (1 + 1.1.89. A diagonal do quadrado duplo (que é em si raiz quadrada de 5) é muito usada na construção dos templos e de locais sagrados. O número áureo 1.2.618 = (1 + 1. Logo. ele possui propriedades matemáticas excepcionais: 1. Numericamente. etc.34. Essa seqüência não é só significativa em termos práticos. todos os outros podem ser definidos pelo uso do compasso.1. Eles estabelecem uma harmonia particular em virtude de sua proporção relacionada. Phi ao quadrado = 2. Portanto. veja p. 237). A Razão Áurea existe quando a relação entre a maior e a menor quantidade é igual à relação entre a soma de dois com a mais larga. Os atributos Estáticos e Dinâmicos estão ambos inerentes no quadrado (1 = 1:1 = raiz quadrada de 1:1) e no quadrado duplo (2 = 2:1 = raiz quadrada de 4:1). A singularidade proporciona o cálculo simples de uma seqüência.1416 = pi.0. A metade do .618) = (1.8. cada termo é igual à soma dos dois anteriores.618 -:. Essa seqüência aditiva foi a primeira racionalizada em termos aritméticos por Leonardo de Pisa do século XII (mais conhecido como Fibonacci. Ele é geralmente conhecido como Seqüência de Fibonacci.3.618. a figura irracional de pi é atingida: 2.618) = 2. Em qualquer progressão crescente em que Phi é a razão entre os termos sucessivos. a Tábula Redonda do Graal pode ser calculada a partir do perímetro das partes quadrada e retangular.618.55. A partir de dois termos sucessivos quaisquer.618 [Phi ao quadrado] x (12/10) = 3. mas é reconhecida há muito tempo como um princípio fundamental na estrutura dos organismos das plantas e dos animais.618 x 1.

Sendo assim. (raio x 2) x pi = ao perímetro. A partir disso. é possível derivar todas as outras figuras geométricas.a antiga representação do todo. Desde os primórdios. anéis de fadas e templos megalíticos eram todos Tábulas Redondas de uma unidade cósmica. A famosa figura do Homem Vitruviano é aquela de um círculo em volta de um homem simbólico.lado do quadrado x phi1. .618 = raio. cada uma em uma relação precisa com as outras. com um quadrado e um compasso. como uma estrela de cinco pontas. círculos mágicos. A simbólica Tábula Redonda do Graal tem sua origem no círculo .

Então. ele seqüestrou Dagoberto e o levou para a Irlanda. a Tábula Redonda é a tábula da Intuição. sem esperar ver seu jovem herdeiro novamente. Aquitânia e Borgonha) estavam sob a supervisão dos prefeitos indicados. a Igreja de Roma estava na posição de começar a desmanchar a sucessão merovíngia e. as províncias importantes do reinado merovíngio (Austrásia. Em 655. os prefeitos do Palácio da Austrásia (semelhantes aos primeiros-ministros de hoje) estavam totalmente sob o controle papal. da Casa dos Merovíngios na França. da qual a dinastia carolíngia de Carlos Magno descendeu. Nêustria. APÊNDICE 6 A QUEDA DOS MEROVÍNGIOS Antes da deposição. lord de Brabante. e a Tábula Retangular é aquela do Misticismo. O prefeito naquela época era Grimoaldo. no século VIII. o filho de Dagoberto I. Ansegis.De forma alegórica. Grimoaldo disse à rainha Immachilde que seu filho havia morrido. O rei merovíngio da Austrásia era Sigeberto lI. a Tábula Quadrada é aquela do Intelecto. cunhado do filho de Hernoul. Quando o rei Sigeberto morreu. O príncipe Dagoberto foi educado no Mosteiro de Slane. naquela época. aliados aos bispos católicos. seu filho Dagoberto tinha apenas 5 anos e o prefeito Grimoaldo deu o primeiro passo no plano dos bispos para usurpar a casa reinante. Os prefeitos do Palácio da Austrásia eram a família de Hernoul (Arnulf) de Metz (veja Capítulo 17). perto de . onde viveu em exílio entre os galeses escoceses. Para começar.

O Vaticano foi rápido para aprovar o assassinato e imediatamente passou a administração merovíngia na Austrásia para o ambicioso Pepino.mas não por muito tempo. e casou-se com a princesa gaélica Matilde quando tinha 15 anos. com sua sucessão hereditária considerada um direito sagrado automático . em aliança com o papa Zacarias. 85) Em 751. depois de uma ausência de cerca de 20 anos. mas Wilfred de York e outros espalharam a notícia da traição do prefeito e a Casa de Groimoaldo foi desacreditada. Grimoaldo tinha posto seu próprio filho no trono da Austrásia. sob o patrocínio de St. Dagoberto foi restabelecido em 674. Pepino. p.um assunto sobre o qual a Igreja nada tinha a dizer. o prefeito Pepino. Depois. Enquanto isso. foi para York. .Dublin. Dagoberto estava caçando perto de Stenay em Ardennes quando foi confrontado na floresta e levado à morte: foi empalado em uma árvore por um escudeiro de seu poderoso prefeito. o filho de Martel. o Baixo. mas então Matilde morreu e Dagoberto voltou à França. o gordo de Herstal (neto de Hernoul). era o prefeito de Nêustria. e a intriga romana foi frustrada . Mas essa tradição estava fadada a ser superada quando Roma agarrou a oportunidade para "criar" reis por meio de uma falsa autoridade papal que foi possível graças à Doação de Constantino (veja Capítulo 5. Wilfred. Pepino. Childeric III. em 741. Vale lembrar que ele foi sucedido por seu filho ilegítimo Carlos Martel. Casando-se pela segunda vez com Gizelle de Razès (sobrinha do rei visigodo). que manteve o empenho romano obtendo o controle de outros territórios merovíngios. a monarquia merovíngia tinha sido estritamente dinástica. o Baixo. Enquanto isso. Nesse momento (exceto pelo caso de Grimoaldo). onde causou assombro em sua mãe. Dois dias antes do Natal de 679. Quando Martel morreu. a única autoridade merovíngia era o sobrinho de Dagoberto.

conseguiu a aprovação da Igreja para sua coroação como rei dos francos no lugar de Childeric. dando início. . Pepino tornou-se o rei dos francos e Childeric foi deposto. Foi humilhado publicamente pelos bispos e seus cabelos (longos. onde morreu quatro anos depois. os reis eram confirmados e coroados apenas por uma prerrogativa romana. então. a uma nova dinastia dos reis franceses. E. os Carolíngios . Ele foi encarcerado em um mosteiro. e. sendo assim. com toda a bênção do papa. O desejo da Igreja há muito esperado dera frutos. daquele momento em diante. segundo a tradição nazarena do Antigo Testamento) foram brutalmente cortados. Carlos (Carolus) Martel.denominados assim em homenagem ao pai de Pepino.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->