OVERVIEW

MANUAL LSMW

1

ÍNDICE

1. Introdução.....................................................................3 2. Arquitetura....................................................................4 3. Funcionalidades............................................................5 4. LSMW via Batch input.................................................21 5. LSMW via Bapi / IDOC................................................56 6. LSMW via Direct input.................................................63 7. Dicas............................................................................68 8. Perguntas freqüentes..................................................72

2

1 - INTRODUÇÃO

A ferramenta LSMW (Legacy System Migration Workbench) é disponibilizada pela SAP sem custo adicional e com o objetivo de transferir dados de sistemas legados (Não SAP – Legacy System) para o R/3. Existem outros recursos que também podem ser utilizados para migração/atualização de dados como, SHDB(Batch Input Record), DX Workbench (Data Transfer Workbench), CATT (Computer Aided Testing Tool) entre outros, mas algumas diferenças importantes devem ser consideradas:  SHDB X LSMW => O LSMW não depende de programação ABAP e disponibiliza outros recursos (translation, defined routines etc.). Também é possível via LSMW escolher o tipo de processamento Ex.: Direct Input, BAPI, IDOC; DX Workbench x LSMW=> O DX Workbench seria uma extensão do LSMW, tanto que depende de funcionalidades do LSMW para conversão de dados. CATT x LSMW => O tempo de execução do CATT para migrar/atualizar dados é muito lento e o LSMW oferece mais recursos para cargas de dados mais complexas.

Importante: Antes de utilizar o LSMW verificar os itens abaixo :
Assegure-se que a customização foi finalizada; Identifique a(s) transação(s) que será utilizada na importação dos dados e simule com dados de teste para mapear os campos obrigatórios e valores fixos; Associar os dados de origem (sistema legado) com os dados de destino (R/3); Eliminar caracteres especiais, ficar atento com a formatação de datas, e em alguns casos (BAPI) os materiais precisam ser exportados com “zeros” à esquerda; Utilizar o bom senso quando executar muitos registros, o ideal seria dividir os registros em “N” arquivos para serem processados separadamente; Garantir o nível de qualidade dos dados a serem migrados ao R/3, porque dependendo do tipo de atualização os dados não poderão mais ser alterados.

-

-

-

Obs. A ferramenta LSMW não é utilizada para extração / migração de dados e do R/3 para sistemas legados.

3

ARQUITETURA 4 .2 .

Funcionalidades: Parte I      Welcome: o Mensagem explicando o objetivo da transação. Continue: o Iniciar as etapas para preparação do LSMW. Subprojeto. All objects: o Lista de todos os LSMWs criados por Projeto. 5 .FUNCIONALIDADES a. Executar transação:  Informar: o Transação: LSMW o <> ENTER b. Descrição. ou seja. deve ser utilizada para migração de dados de sistemas (Não SAP) para o R/3.FUNCIONALIDADES 3 .3 . All objects of the project: o Lista de todos os objetos criados para o Projeto. My objects: o Lista somente os LSMWs criados pelo seu usuário. Subprojeto e Objeto selecionado na tela. Usuário. Objeto.

isto porque somente estes projetos utilizam recording.  6 . Objetos. Translations. Somente os Projetos executados via Batch Input terão conteúdo nesta opção.FUNCIONALIDADES  Create entry: o Criar um nome de Projeto. User Defined Routines.  Administration: o Lista de todos os Projetos (LSMW) e suas respectivas ligações com Subprojetos.A. Recordings: o Direciona para o(s) recording(s) do Projeto(LSMW) correspondente. seguindo estrutura “modelo” abaixo : o o o o o o o o o  Projeto: IDES S. Subprojeto e Objeto para o seu LSMW. Subprojeto: MM Objeto: Material Objeto: Fornecedor Objeto: Pedido de compra Etc. Subprojeto: SD Objeto: Clientes Objeto: Pedido de Vendas Documentation: o Documentar o LSMW com informações adicionais.3 . Fixed Values.

 o Informar o projeto que deseja exportar. o para selecionar todo o conteúdo o No menu “Export conversion rules” clicar em Export. o <>ENTER o Posicionar o cursor sobre a linha “Subprojects”. o Clicar no botão do LSMW. via request ou via (export/import):  Create change request (via request): o Recurso utilizado para transportar o conteúdo do LSMW entre ambientes.FUNCIONALIDADES Existem duas formas de exportar o LSMW entre ambientes.3 . Normalmente é criado o LSMW em ambientes com massa de testes (QAS). Utilizar este recurso no ambiente “origem”. 7 . e depois transportado para PRD. Export project (via export/import): o Recurso utilizado para exportar o conteúdo do LSMW para outro ambiente via arquivo.

o Informar o local do arquivo que foi SALVO no processo de “export”. o Clicar na opção “Import project”.FUNCIONALIDADES o Informar o local e nome do arquivo onde deseja salvar o conteúdo do LSMW.3 . o Clicar no botão “transfer”. o <> Enter. 8 . Utilizar este recurso no ambiente “destino”.  Import project: o Recurso utilizado para Importar o conteúdo do LSMW via arquivo.

9 . o Clicar no botão do LSMW.FUNCIONALIDADES o Clicar na opção “Transfer”.3 . o Posicionar o cursor sobre a linha “Subprojects”. o <> Enter. para selecionar todo o conteúdo o No menu “Edit” clicar em Import.

caso contrário seguir os passos abaixo para configurar.  Configurar “Maintain ports”: o Clicar no botão “Maintain ports”. 3 . Obs. somente preencher com estas informações na mesma seqüência os campos File port. isto se faz necessário quando o LSMW é processado via BAPI ou IDOC o No menu Settings clicar na opção “IDoc inbound processing”.3 . Maintain partner types = US e Maintain partner numbers = LSMW. Depois clicar na opção Activate IDoc inbound processing. .FUNCIONALIDADES 10 . Partn..FUNCIONALIDADES o Importação efetuada !  IDoc inbound processing: o Esta opção é responsável pela configuração do IDOC.type e Partn...number.: Se estiver configurada “conforme recomendações SAP” as opções Maintain ports = LSMW.

x. Porta = LSMW.3 . filelsmw. Description = Legacy System Migration Workbench. o Clicar no botão criar. o o o o o o Clicar no botão criar. Version = 3 Idoc record types SAP release 4. Physical directory = informar um diretório.FUNCIONALIDADES o Posicionar o cursor na pasta “File”. Outbound file : Informar um nome de arquivo ex. 11 .

Voltar. 12 .FUNCIONALIDADES o Inbound file : Informar um nome de arquivo ex. filelsmw.3 . o o o Resultado : Salvar. Voltar.

conforme recomendações SAP.3 . 13 . caso contrário. o Utilizar opção “US”. Esta configuração é standard e em muitos casos já está configurada.FUNCIONALIDADES  Configurar “Maintain partner types”: o Clicar no botão “Maintain ports”. deve ser criada com as características da linha circulada. Obs.

o Clicar no botão “Criar”. 14 .3 .FUNCIONALIDADES  Configurar “Maintain partner numbers”: o Clicar no botão “Maintain portner numbers”.

number = LSMW. <> ENTER. Typ = US.3 .FUNCIONALIDADES o o o o o o Partn.type = US. Salvar. Agent = Código do Usuário. Partn. 15 .

3 . o Clicar no botão “Activate IDoc inbound processing. 16 .FUNCIONALIDADES o Resultado : o Voltar.

3 . o Resultado.FUNCIONALIDADES o Clicar no botão “Yes”. o Clicar no botão “Executar”. o Voltar. o Clicar no botão executar. O procedimento a seguir será necessário para criar automaticamente o “Partner Agreemnet”. 17 . o Marcar a opção “1 Maintain object attributes”. Obs.

o Resultado : o Configuração do IDOC finalizada ! 18 . o Salvar.FUNCIONALIDADES o Clicar no botão “Display <-> Change” para ativar alteração.3 .

: Com base no tipo de execução (Bapi. Funcionalidades : parte 2  Personal menu: o Recurso utilizado para habilitar/desabilitar etapas referente a seqüência de execução do LSMW. automaticamente as etapas necessárias são marcadas. 19 . Ex. Batch Input ou Idoc).FUNCIONALIDADES c. Obs. A seguir somente “Display conversion program” não estará ativo para ser executado pela tela principal. Direct Input.3 . Isto não significa que necessariamente essas etapas precisam ser executas.

Se estiver habilitado “Edit” a etapa será executada em modo edição automaticamente. sempre que executar a etapa será necessário clicar no botão para ativar o modo de edição. podendo ser visualizado através de lista ou tabela.  Object overview : o Mostra o conteúdo de todas as etapas do LSMW.3 . Action log : o Mostra o histórico de data e horário que cada etapa foi executada. Ou seja.  20 .FUNCIONALIDADES  Numbers on/off : o Mostra a seqüência de execução do LSMW por “números”. se estiver habilitado “Display”. Ex. Ativado: Desativado :  Doubleclick=Edit/Display : o Acessar as etapas de execução em modo editado ou exibição.

o <>ENTER. Executar transação :  Informar: o Transação : LSMW o <> ENTER b. o Informar nome do projeto. o <>ENTER. 21 .4 . o Informar nome de Subprojeto. o Informar descrição. Criar . o Informar descrição.LSMW via BATCH INPUT a.

22 . o Executar o Clicar em “recordings overview”. o Informar descrição.4 – LSMW via BATCH INPUT o Informar nome de Objeto. o Executar : Objetivo : Definir e mapear o tipo de processamento: Batch input. o <>ENTER. Bapi ou IDOC. Direct Input. o Clicar em “criar”.

4 - LSMW via BATCH INPUT

o Informar um nome de recording; o Informar descrição; o <> ENTER. Obs.: Antes de executar a transação, precisa conhecer exatamente quais etapas e campos serão executados. Neste exemplo estaremos atualizando a descrição do material.

o Informar código de transação que deseja executar para simular o batch input. Neste momento será mapeado/gravado todos os campos que contém conteúdo na tela. o <> ENTER (neste momento começa executar a transação) :

o Informar material; o <> ENTER.

23

4 - LSMW via BATCH INPUT

o Selecionar visão; o <> ENTER.

o Alterar descrição do material. o Salvar (Não finalizar a gravação com <>ENTER) (Neste momento finaliza a gravação do batch input. Todos os campos que existiam valor na tela simulada serão carregados a seguir.)

24

4 - LSMW via BATCH INPUT

   

Default : o Atualizar automaticamente campo a campo (Azul escuro) com nome e descrição standard (Marrom). Default all : o Atualizar automaticamente todos os campos (Azul escuro) com nome e descrição standard (Marrom). Reset : o Limpar o conteúdo preenchido pelos botões (Default e Default all). Screen field : o Incluir campos, ou seja, se por algum motivo não foi mapeado o campo no batch input. Screen field : o Excluir campos. Este botão é bastante usado, porque após a gravação do batch input o sistema além de listar os campos mapeados na tela, também lista os campos que existiam valor e estas “sujeiras” podem ser eliminadas. Documentation: o Documentar informações importantes desta etapa. Repet recording : o Repetir a gravação do batch input, caso tenha ocorrido algum problema da primeira vez. Maintain attributes : o Alterar a descrição do recording.

  

25

caso contrário os campos serão atualizados indevidamente com estes valores.LSMW via BATCH INPUT Importante : Neste momento todos os campos que existiam valor na tela simulada pelo batch input serão listados. Ex.4 .Manter os campos que não foram mapeados pelo batch input e obrigatoriamente “clicar duas vezes nestes campos (conforme a seguir) e limpar os valores defaut”. : 26 . Existe duas maneiras para executar esta etapa : 1.

4 .LSMW via BATCH INPUT 2. 27 . o o o Savar. o Manter em “branco” o default value. Voltar. Este procedimento deverá se repetir da mesma forma para todos os campos mapeados em tela e que estão ligados a cor azul claro.Utilizar o botão “Screen field ” para eliminar os campos (somente os campos que estão ligados a cor azul clara) que não foram mapeados e não serão necessários para a execução do batch input. TXT). Voltar. o Informar o nome do campo (sem espaços e caracteres especiais). deverão ser atualizados da seguinte forma : o Clicar duas vezes sobre o campo “cor azul escuro”. Obs.: Todos os campos que foram mapeados e são fundamentais para a execução do batch input. o Informar descrição do campo. Este nome pode ser o próprio nome utilizado como cabeçalho dos registros (arq. Obs.

Ex. Voltar. 28 . : Objetivo : Criar estrutura para os campos (sistema legado) a serem exportados. o Executar o Clicar no botão “Criar”.4 . o <> ENTER o o Salvar. Material.LSMW via BATCH INPUT o Informar o nome do Recording criado ou utilizar o botão F4 que atualizará automaticamente com o nome criado.

Ex. Ex. 29 .LSMW via BATCH INPUT o Informar um nome para “Source structure”. o Informar uma descrição. “MM02”. Excluir os campos. “Atualização da descrição do material”. não pode ser o mesmo nome informado no “Recording”. o o Salvar Voltar. o Executar o A seguir. segue explicação de recurso dos botões : o o o o Ativar/desativar modo de alteração. : Objetivo : Incluir os campos a serem importados na estrutura criada pela etapa anterior.4 . Criar campos. Alterar os campos. o <>ENTER.

 Descrição do campo. “C” caracter.  Tipo do campo Ex. tabela ou objeto.  Upload (Tab delimited text) :  Recurso utilizado para importar layout via arquivo.  Nome do campo. Ex.  Tamanho do campo. Obs.LSMW via BATCH INPUT o Importar os campos/layout via arquivo.4 .: O arquivo deverá seguir o formato :  Número de campos (seqüencial). Layout do arquivo a importar : 30 . etc.

4 . Informar “Source structure”. Informar Subprojeto.LSMW via BATCH INPUT   Clicar no botão “Transfer”.      Informar Projeto. 31 . <>ENTER. Informar Objeto. Resultado:  Copy from other object :  Recurso utilizado para copiar o layout dos campos de outro objeto/LSMW.

Descrição : Chapa de aço teste (18 caracteres) = 9 + 18 = 27. 32 .LSMW via BATCH INPUT  Copy from data Repository :  Recurso utilizado para copier layout via estrutura tabela standard (SE16). From data file (field names in 1st line)  Recurso utilizado para importar layout via arquivo.   Informar o número de campos que serão importados o Ex.   Informar tabela SAP para copiar os campos. 2 campos (Material e descrição) Informar a quantidade total de caracteres que cada registro terá.4 . Ex. Ex. Material : 480007468 (9 caracteres). o Ex. Layout do arquivo a importar : o Abrir a opção de inclusão de campos por planilha.

para selecionar Recurso utilizado para identificar quais são os campos chaves de um objeto para outro.LSMW via BATCH INPUT o o Recurso utilizado em conjunto com o botão o campo e mover/trocar de seqüência. Exemplo de outro LSMW (Pedido) que depende de 2 objetos : o Explicação dos botões finalizada ! 33 . desde que o campo de um objeto esteja com o mesmo de outro objeto o sistema identifica com a cor “marrom” estes campos chaves. Ou seja.4 .

o o Salvar Voltar.4 . o Clicar no botão “Change field” (incluir os campos manualmente). Voltar. Eles terão o seu valor atribuído na etapa 6 “Maintain Fixed Values. Material” criado na etapa 1: o Executar o Posicionar o cursor sobre a linha “marrom” e clicar no botão “Relationship”. o o Salvar. : Objetivo : Relacionar a estrutura “Source structure – ex.LSMW via BATCH INPUT o Posicionar o cursor sobre a linha “amarela”. Translations. Obs. MM02” criada na etapa 2. com o “Recording – ex. : 34 . User-Defined Routines”.: Os campos de valor fixo no R/3 não precisam constar na estrutura do arquivo texto e nem nesta etapa.

Obs. não precisa conhecer a linguagem ABAP para utiliza-las. segue explicação de recurso dos botões :    Source field : o Recurso utilizado para associar/mover os campos criados na “source field – campo origem” com os campos do “batch input . 35 .4 .  Auto-fieldmapping: o Recurso utilizado para relacionar automaticamente os campos mapeados pelo batch input etapa1 com os campos do source field etapa 3 através da regra pré-definida. Ex. Estas regras já estão pré-definidas.: MOVE.campos destino” Source field : o Recurso utilizado para remover as associações/regras feitas no passo anterior.LSMW via BATCH INPUT Objetivo : Associar os campos origem aos campos destino e definir as regras de como o conteúdo será convertido: o Executar o A seguir. FIXED VALUE. etc. CONSTANT. Rule: o Recurso utilizado para criar regra(ABAP) para importar conteúdo do campo.

o Explicação dos botões finalizada. desde que atenda as regras de “Match fields with identical names” ou “Match fields with similar names names”. Also apply reusable rules: o Esta opção habilita outras regras de importação para serem utilizadas. Match fields with similar names names Minimum matching probability in percent = 50%: o Esta opção só atualiza os campos que estiverem com pelo menos 50% aproximado ao conteúdo entre target field (mapeados pelo Bach input – etapa1) com o source field (campos referente ao sistema legado – Etapa 3).LSMW via BATCH INPUT       Match fields with identical names: o Esta opção só atualiza os campos que estiverem com o mesmo conteúdo entre target field (mapeados pelo Bach input – etapa1) com o source field (campos referente ao sistema legado – Etapa 3). Only apply rule “Transfer (MOVE)”: o Esta opção atualiza automaticamente a regra MOVE. 36 .4 . Without confirmation: o Esta opção atualiza automaticamente a relação entre os campos target field e source field. With confirmation: o Esta opção aguarda a sua confirmação para fazer a relação entre os campos target field e source field.

37 . o Clicar no botão “Source field”. o Será listado todos os campos “origem” que foram criados no Source field (Etapa 3).LSMW via BATCH INPUT o Posicionar o cursor sobre o campo (Azul escuro).4 . o Clicar 2 vezes sobre o campo correspondente.  Neste momento a regra “MOVE” será utilizada automaticamente. (Esta opção deve ser utilizada somente para a regra MOVE).

utilizar o procedimento a seguir : o Posicionar o cursor sobre o campo que deseja adicionar a regra . o Clicar no botão “Rule” o Marcar (por exemplo) a regra “Constant”.LSMW via BATCH INPUT o Seguir este procedimento para todos os campos que utilizarem a regra MOVE. 38 . Para os campos que precisam de outras regras.4 .

para isso posicionar o cursor sobre a opção desejada. segue explicação de recurso dos botões :  : o Criar nova entrada para Fixed Values. o o Salvar. Voltar.LSMW via BATCH INPUT o <>ENTER.4 . o <ENTER>. o Por ser constante o sistema abre a opção Match code. : Objetivo : Definir valores fixos. traduções e rotinas de ABAP. o Executar o A seguir. portanto será preenchido com o valor “X”. Translations ou User Definedroutines. 39 . esta etapa é muito importante porque é possível exportar estas regras para outros Projetos/LSMW. neste caso o campo KZSEL se referencia a marcar a visão no mestre de materiais.

para isso posicionar o cursor sobre a opção desejada. Translations ou User Defined-routines. Translations ou User Definedroutines.:    o Informar Projeto/LSMW destino. Para isso posicionar o cursor sobre a opção desejada. Ex. Translations ou User Definedroutines.4 . Este procedimento é igual para as opções Translations e Userdefined routines. Translations ou User Definedroutines. Obs.: Neste momento as regras foram copiadas para outro projeto/LSMW.LSMW via BATCH INPUT  : o Alterar umas das opções Fixed Values. : o Copiar uma das opções Fixed Values. para isso posicionar o cursor sobre a opção desejada. : o Excluir uma das opções Fixed Values. : o Exibir uma das opções Fixed Values. para isso posicionar o cursor sobre a opção desejada. 40 . o <>ENTER. para outro LSMW.

41 . o <>ENTER. o Posicionar o cursor sobre a opção “Fixed values”. : o Listar todos os projetos/LSMW que utilizam estas regras. o Explicação dos botões finalizada. o Clicar na opção criar o Informar nome.4 .  Fixed values : o Manter valores fixos nos campos. o Informar descrição. Não será necessário informar este campo na etapa 3 “Maintain source field”.LSMW via BATCH INPUT   : o Renomear o nome do projeto/LSMW.

Obs. o Clicar no botão o Informar tamanho do campo. Ex. o Informar valor do campo.LSMW via BATCH INPUT o Posicionar o cursor sobre a linha (Visão_Material) linha verde. o <>ENTER. : Material-KZSEL_01 = FV_VISÃO_MATERIAL.: Será necessário voltar para a etapa 5 “Maintain field mapping and conversion rules” e colocar no campo correspondente a regra (campo da estrutura = “FV_” + nome do fixed value). 42 .4 .

: Neste exemplo foi criado um código ABAP para mover “zeros” a esquerda no código do material. o Posicionar o cursor sobre a opção “User-defined routines”.4 . Obs. o Informar a quantidade de parâmetros de saída. o Informar descrição. o <> ENTER.LSMW via BATCH INPUT  User-defined routines : o Recurso utilizado para desenvolver códigos ABAP. 43 .: Neste exemplo foi utilizado um único parâmetro de entrada e saída. o Clicar na opção criar o Informar nome. o Informar a quantidade de parâmetros de entrada. Obs.

o o Salvar Voltar. 44 . o Clicar no botão o Informar o código ABAP no local indicado (circulado).LSMW via BATCH INPUT o Posicionar o cursor sobre a linha (Material) linha verde.4 .

LSMW via BATCH INPUT o Voltar. o Clicar na opção 45 .4 .: Para executar esta “Call Function” será necessário utilizar um comando ABAP na etapa 5 “Maintain field mapping and conversion rules” no campo correspondente. o Executar o Posicionar o cursor sobre “Legacy data” cor laranja. como informado a seguir : : Objetivo : Selecionar e definir algumas regras para o arquivo que será migrado. Obs.

TXT”). Data for one source structure (table): o Este recurso é utilizado para 100% dos casos. geralmente é informado o mesmo nome do arquivo. Separator: o É responsável por definir o tipo de delimitador do arquivo. É comum utilizar “Tabulator”. Description: o Colocar uma “descrição qualquer”. porque atende também LSMWs com mais de uma estrutura.LSMW via BATCH INPUT     File: o Localizar o arquivo a ser migrado (o arquivo obrigatoriamente precisa ser “.4 . 46 .

Order of fields as in source structure definition : o Recurso utilizado para manter a mesma ordem das colunas do arquivo com os campos da etapa 3 “Maintain source fields”. Portanto. ou seja com esta opção pode manter a descrição de cada coluna do arquivo. Fixed record length : o É possível definir como fixo a posição final do arquivo (Não é muito utilizado). o Executar o Posicionar o cursor sobre a estrutura. Voltar. quando executar a etapa 9 “Read data” não considera a primeira linha do arquivo. Record end indicator (text file) : o Considera. o término dos registros. Se não estiver marcado obrigatoriamente o arquivo não poderá ter as descrições das colunas. o o Salvar. com base no arquivo. 47 .LSMW via BATCH INPUT  Field names at the beginning of the file: o Se estiver marcado. o Clicar no botão “Assignment”. o ideal é sempre manter esta opção marcada.4 .    : Objetivo : Relacionar o arquivo com a estrutura da etapa 2.

LSMW via BATCH INPUT : Objetivo : Ler o arquivo “. o Executar Obs.4 . o Executar   Transaction number: o É possível ler somente parte do arquivo. isto é muito comum quando o arquivo é grande e precisa fazer um teste somente com um registro. Se estiver em branco automaticamente será lido todos os registros. Voltar. 48 .TXT” e grava o conteúdo dos registros na estrutura que foi criada na etapa 3 “Maintain source fields”. Date values -> YYYYMMDD o Será considerado o conteúdo do campo data nesta máscara AAAAMMDD. o o Voltar. portanto ocorreu um erro.: Quando a coluna “Not written” for diferente de 0 “zero” é que algum dos registros não foi lido. Ex. 20070208.

o <>ENTER.4 . Voltar.LSMW via BATCH INPUT : Objetivo : Mostra os registros lidos na estrutura definida na etapa 3 “Maintain source fields”. Se manter em branco todos os registros lidos serão mostrados. o o Voltar. 49 . o Executar o Informar se necessário o range de registros que deseja verificar. o Clicar sobre a linha amarela para mostrar em forma de tabela o conteúdo do arquivo que foi lido.

LSMW via BATCH INPUT : Objetivo : Converter os registros lidos para a estrutura SAP definida na etapa 1 “Mapeamento do batch input”. : Objetivo : Mostra os registros convertidos na estrutura definida na etapa 1 “Maintain object attributes”.4 . o Executar o Informar se necessário o range de registros que deseja converter. o Executar 50 . se manter em branco todos os registros lidos serão convertidos. o Executar o o Voltar. Voltar.

o <>ENTER.4 . : Objetivo : Criar pasta com o conteúdo dos registros lidos/convertidos nas etapas 9 e 11 respectivamente. o Executar 51 . se manter em branco todos os registros convertidos serão mostrados. o o Voltar. Voltar. o Clicar sobre a linha verde para mostrar em forma de tabela o conteúdo do arquivo que foi convertido.LSMW via BATCH INPUT o Informar se necessário o range de registros que deseja verificar.

LSMW via BATCH INPUT  Keep batch input session(s)? o Se estiver marcado. o Clicar no botão “Process”. : Objetivo : Executar a transação SM35 para atualizar via batch input os registros do arquivos “.4 .TXT”. o Executar o Marcar a pasta a ser executada. 52 . o Executar o <>ENTER. após a execução do batch input na etapa 14 “Run batch input session” será mantida a pasta no histórico.

o processamento não é visível e armazena os erros em logs após o término da execução. Obs. ficando a escolha do usuário.: Para identificar os erros que ocorreram. verificar procedimento a seguir :  53 . DICA : . o processamento somente para se houver algum erro. :  Número de transações/registros que ocorreu erro.Se precisa encerrar a execução utilizar o comando “/NEND”. Display erros only : o Se estiver marcado. o processamento será visível. o o o : Número de transações/registros a serem processados. :  Número de transações/registros processados com êxito. .: A pasta pode ser executada pela própria transação LSMW ou pela transação SM35.Se precisa pular o registro utilizar o comando “/N”.LSMW via BATCH INPUT    Process/foreground : o Se estiver marcado.4 . Background : o Se estiver marcado. Obs.

o Marcar a linha que foi processada.LSMW via BATCH INPUT o Marcar a pasta. o Message : Neste exemplo “0” zero transações com erro.4 . o Clicar no botão “Log”. o Clicar no botão “Display”. 54 .

4 . Quando importar no excel fazer um filtro pela coluna “T” e filtrar tudo que seja = “E” error. Voltar. o o o Voltar. DICA : Exportar este log para o excel clicando no botão depois no menu System / List / Save / Local file. portanto não foi processado corretamente. Executar transação : 55 .LSMW via BATCH INPUT A seguir um exemplo que ocorreu erro : o Message : Neste exemplo o erro que ocorreu é porque não existe um código de material ativo. Voltar. a.

56 .LSMW via BAPI / IDOC INPUT  Informar: o Transação : LSMW o <> ENTER b. o Informar descrição.5 . o Informar nome de Subprojeto. o <>ENTER. o Informar descrição. o <>ENTER. o Informar nome do projeto. Criar .

Bapi ou IDOC. Method / Basic Type: o Listar as opções de atualização da Bapi. Direct Input. o Executar Ex.  Configurar IDOC : o Seguir as instruções de configuração de IDOC contidas na opção “3 – Funcionalidades”.: BAPI Ex. Neste exemplo estamos utilizando “SAVEDATA – Cria e modifica dados mestre do material” / IDOC “MATMAS_BAPI01” 57 .: IDOC   Business Object Method (BAPI) / Message Type: o Listar as Bapis disponíveis para serem executadas via LSMW. : Objetivo : Definir e mapear o tipo de processamento: Batch input.LSMW via BAPI / IDOC o Informar nome de Objeto. o <>ENTER. Neste exemplo estamos utilizando a Bapi “BUS1001006 – Material standard” / IDOC “MATMAS_BAPI”.5 . o Informar descrição.

58 . com o “Recording – ex. E1BP_MARAX dependendo do campo precisam ser preenchidas com “X”. nestes casos se o material não estiver desta maneira ocorre a mensagem de erro solicitando conteúdo no campo “tipo de material”. Obs. caso contrário o modo “MM01 – criar”. o <> ENTER. o Voltar. utilizando o seguinte critério : verifica o código do material importado com a tabela standard MARA. isto significa que a Bapi entrou no modo “MM01 – criar” por não ter encontrado o material na tabela MARA. MM02” criada na etapa 2.5 .LSMW via BAPI / IDOC Obs. Voltar. o o Salvar. Objetivo : Relacionar a estrutura “Source structure – ex.: As estruturas de Bapis que terminam com “X” ex. Existem BAPIs que só identificam o material se estiver preenchido com “zeros” a esquerda. Material” criado na etapa 1: o Executar o Posicionar o cursor sobre a linha “marrom” e clicar no botão “Relationship”. se existir.  Seguir as explicações das etapas 2 e 3 contidas nas páginas 28 à 34 opção “4 – LSMW via Batch input”. automaticamente executa o modo “MM02 modificar”. o Salvar.: A Bapi identifica se deve modificar ou criar o material.

o Executar 59 . : Objetivo : Criar IDOC.LSMW via BAPI / IDOC  Seguir as explicações entre as etapas 5 e 12 contidas nas páginas 35 à 51 .5 .na opção “4 – LSMW via Batch input”. Para cada registro do arquivo será criado um IDOC. o Executar o Executar Objetivo : Executar IDOC.

LSMW via BAPI / IDOC o Informar o número(s) do(s) IDOC(s) gerado(s).: o Executar 60 .Através da transação BD87.: É possível identificar estes números de IDOCs de duas formas: 1. Obs.5 . 2 – Executando a etapa 15 “Create IDOC overview” Ex.

Obs.: Clicando duas vezes sobre a mensagem mostrará o conteúdo explicativo do erro. como identificar o problema : o Posicionar o cursor sobre a linha azul. o Clicar no botão o Clicar na pasta “Regs. Voltar. o o o Voltar.5 . Voltar. 61 .LSMW via BAPI / IDOC Resultado :  Quando ocorrer erro. Objetivo : Mostra os números dos IDOCs gerados e o conteúdo dos registros nas estruturas dos IDOCs.status” o Abrir o status que estiver com erro.

Obs. abaixo. o Clicar sobre a estrutura desejada. : Objetivo : Reprocessar o IDOC para alguns dos status pré-definidos. o o Voltar.5 .: Neste momento no canto direito aparecerá o conteúdo dos registros dentro da estrutura SAP.LSMW via BAPI / IDOC o Clicar na pasta “Registros de dados”. Voltar. 62 .

6 . o <>ENTER. Criar . o <>ENTER. 63 . o Informar descrição. o Informar descrição. o Informar nome do projeto.LSMW via DIRECT INPUT Executar transação :  Informar: o Transação : LSMW o <> ENTER b. o Informar nome de Subprojeto.

Neste exemplo estamos utilizando o direct input “0020 – Mestre de materiais”. 64 . o o Salvar. Neste exemplo estamos utilizando “0000” o <> ENTER.6 . Method: o Listar as opções de atualização da Bapi. Direct Input. Voltar. : Objetivo : Definir e mapear o tipo de processamento: Batch input. Bapi ou IDOC. o <>ENTER.LSMW via DIRECT INPUT o Informar nome de Objeto. o Executar   Object: o Listar os Direct Inputs disponíveis para serem executados via LSMW. o Informar descrição.

Obs.: A opção “Transaction BMV0” é o processamento via JOB.opção “4 – LSMW via Batch input”. conforme explicação da etapa 5 contida na opção “4 – LSMW via Batch input”. :  Informar no campo “TCODE” a regra “Constante” com o valor = “Código de transação”. : Objetivo : Executar a atualização dos dados via direct input.  Seguir as explicações entre as etapas 2 até 4 contidas nas páginas 39 à 51 . 65 . Seguir regras para os outros campos. o Executar o Marcar opção “Program RMDATIND”.LSMW via DIRECT INPUT  Seguir as explicações entre as etapas 2 até 4 contidas nas páginas 28 à 34 da opção “4 – LSMW via Batch input”. o <> ENTER.6 .

6 .LSMW via DIRECT INPUT o Executar o <>ENTER 66 .

67 .LSMW via DIRECT INPUT o <>ENTER o <>ENTER o <>ENTER o o Voltar. Voltar.6 .

DICAS  Criar LSMW com cópia de outro LSMW: o Clicar no botão “All Project Objects”. 68 .7 . o Clicar no botão o Clicar no botão o Informar o nome do novo Projeto/LSMW. o Posicionar o cursor sobre a linha do Projeto.

DICAS  Copiar Batch input recordings entre Projetos / LSMW: : o Executar o Clicar em “recordings overview”.7 . 69 .

o Informar o Projeto/LSMW aonde deseja copiar o novo “recording” . o Informar o nome do recording que será criado. “Atualiza” o Clicar no botão .7 . 70 . o <> ENTER.DICAS o Posicionar o cursor sobre o “Recording” Ex.

o Posicionar o cursor sobre a linha do Projeto. o Clicar no botão 71 .DICAS  Apagar Projetos / LSMW não utilizados : o Clicar no botão “All Project Objects”.7 .

só é possível fazer estes tipos de atualizações por LSMW via Bapi/ IDOC. o Bapi / Idoc : Praticamente tem as mesma funções. Quais são as principais funções do LSMW ? o Importar dados de sistemas legados. porém com muito mais recursos de verificação de erros do que Direct input. preciso cadastrar pedidos de compras que a quantidade de codigos de materiais variam. converter dados de sistemas legados para formato R/3 e importar dados usando interfaces standards R/3 (IDOC. É necessário conhecimento de programação ABAP para utilizar o LSMW ? o Não. ou seja a execução é feita via IDOC e o tempo de execução para atualizar os dados estaria em 2º lugar. Direc input). É possível utilizar a ferramenta LSMW em português ? o Sim. Batch input. Desses quatro tipos de processamento o batch input é o mais lento. Bapi e Idoc ? o Direct input : É o método mais rápido de atualização de dados porque acessa direto a tabela. porém é a forma mais lenta de atualização de dados. o Não. porque os dados são executados por transações standards seguindo o mesmo critério de verificação.sap. mas pode ser instalado sem custo pelo site : http://service.com/lsmw Quais autorizações no perfil preciso ter para acessar o LSMW ? o Perfil de exibição : B_LSMW_SHOW o Perfil de execução : B_LSMW_EXEC o Perfil de alteração : B_LSMW_CHG o Perfil de administrador : B_LSMW_ALL Qual é a diferença entre Direct Input. Batch Input.7 – Perguntas freqüentes  Qual ferramenta de migração de dados é mais rápida LSMW ou CATT ? o O LSMW (Legacy System Migration Workbench). para isso seguir as instruções da nota 761911. Carga de pedido de compra. É possível utilizar LSMW via batch input para fazer carga de dados com informações dinâmica ? Ex. mas é muito limitado para verificação dos logs de erros. Bapi e IDOC.         72 . Batch Input. O LSMW faz parte do sistema R/3 standard ? o Não. e existe 4 tipos de processamento no LSMW : Direct Input. As informações importadas serão consistidas ? o Sim. o Batch Input : É um dos métodos mais utilizados porque pode mapear qualquer transação standard e identifica o ponto exato do erro.