P. 1
RM-TensãoDeformação02

RM-TensãoDeformação02

|Views: 41|Likes:
Published by escoladoprofessor
Hooke's Law
Hooke's Law

More info:

Published by: escoladoprofessor on Feb 22, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

02/22/2011

TENSÃO E DEFORMAÇÃO

Um estudo da Lei de Hooke para a formação de arquitetos contemporâneos

IDV: da idéia ao IDV concreto
• Hemisfério do planejamento
– Política – Desenho (projeto)

• Hemisfério da execução
– Serviço – Controle (Conferência / Checking)

Mudança de paradigma
• Capacitação para mudanças (Change powering) • Mudança da política / novo paradigma (Paradigm changing) • A política tem a ver com as tensões
– Força das idéias atuando sobre as circunstâncias, sobre as possibilidades (recursos H, M, F). F

Política para aplicar a idéia
• Tensões baixas induzem a políticas flexíveis • Tensões mais elevadas impõem mudanças permanentes • Tensões extremas impõem mudanças radicais
– paradigmas

Tensões: idéia sobre circunstâncias
• Idéias atuando mobilizam e modificam
– Espantam e incomodam – Fadigam – Causam ruptura com o status quo – Geram outras situações para consideração

Fases
• Cessada a tensão, tudo volta a ser como antes: isto é como um elástico • Cessada a tensão, nada mais será como antes: isto é como numa massa de pão • Cessada a tensão, tudo já mudou, já é outra coisa

Robert Hooke (*1635 / +1703)
• Arquitetos se surpreendem positivamente ao conhecer sua biografia e fazer uma introspecção sobre seus ensinamentos. A elasticidade é uma dessas “surpresas”. • Antes de “todo mundo” na Civilização Ocidental, Hooke pensou nas tensões e suas conseqüências
– No Século XVII, o mundo material renascia – Para cada grau de tensão, um grau de deformação – A elasticidade dos corpos

Elasticidade
• Propriedade física de um material que o faz recuperar seu tamanho e sua forma originais depois de ser comprimido ou esticado por causa da atuação de uma força externa.
– A regra geral para os materiais é: a deformação é diretamente proporcional à tensão (e ao esforço). – Esta relação é a conhecida Lei de Hooke. – O máximo esforço que um material pode suportar antes de ficar permanentemente deformado denomina-se limite elástico.

A elasticidade e a Arquitetura
• A rigidez dos sistemas estruturais é uma abstração. • Submetidos a esforços, os sistemas estruturais modificam sua geometria, sua forma.
– Isto é importante para o arquiteto saber porque pode auxiliar a composição de boas obras, a partir do projeto, até sua finalização e uso.

Tensão = pressão?

F σ = A

• Tensão para tração e pressão para compressão • Um nome ou outro denomina fenômeno físico, estudado pela Mecânica Newtoniana • Depende da manifestação de uma força aplicada numa seção de material.

Vamos usar Kgf
• Força exercida pela massa de um Kg sujeita à gravidade terrestre • O Kgf nunca fez parte das unidades do SI (1960)
– N, newton – 1Kgf = 9,80665 newtons.

• Kgf ainda é amplamente utilizada e é mais apropriado por enquanto...

Megapascal: MPa
• A do SI para medir tensão/pressão: pascal (Pa).
– equivalente a uma força de 1 newton por uma área de 1 metro quadrado: 1 N/m2 = 1 MPa. – A pressão exercida pela atmosfera ao nível do mar corresponde a 101 325 Pa, e esse valor é normalmente associado a uma unidade chamada atmosfera padrão.

• Porém, neste curso, para ensejar maior aproximação de escala com a vivência do trabalho do arquiteto, usaremos a unidade Kgf/cm2.

Notações e unidades
• Quando necessário, grandezas serão expressas em notação de engenharia ou em notação científica, com 2 casas decimais • Neste curso, as pequenas áreas geralmente serão expressas em cm2.

N 2,10 × 10
6

cm

2

Deformação
• Para este curso:
– Efeito de modificação da forma primitiva de um elemento estrutural, criando uma alteração elástica ou plástica. – Deformação elástica é a que desaparece com a cessação da causa. – Deformação plástica permanece, mesmo quando a causa cessa

Tensão X Deformação
σ
σm
Fase à qual se aplica a Lei de Hooke

σe

σr

σp

Fase de fadiga

ε
Fase plástica Fase de ruptura ou de extricção

Fase elástica

Tensões Admissível e de Trabalho
σ
Fase elástica

σEM σa σt εt ε1

σ ElásticaMáxima σa = γ ∴ γ 〉1
•Nos metais, 2>γ≥4 •Nas madeiras e argamassas, bem como na maioria dos outros materiais, γ assume valores bem maiores.

ε

Alongamento
• Alongamento específico é a medida da variação de dimensão no sentido de um determinado eixo. • Alongamento relativo é a proporção dessa variação.

ε =

Δι

ι0

⇒ δ = ε% =

Δι

ι0

× 100

Lei de Hooke
σ
Fase à qual se aplica a Lei de Hooke

Deformação proporcional:

ε1 ÷ ε 2 = σ 1 ÷ σ 2
σ 2 −σ1 α= ε 2 − ε1

σ2 σ1

α
ε1 ε 2
Fase elástica

Coeficiente de elasticidade:

ε

ε = α ×σ

Módulo de elasticidade
• O coeficiente de elasticidade “α” é um número muito pequeno.
– Por isso, emprega-se uma constante derivada de “α”, o Módulo de elasticidade: “Ε”.

Ε=

1

α
6

Ε aço = 2,10 ×10 Kgf / cm2

Deformação: demonstrações de equações
σ ε ε
= F A a

F ×ι0 Δι = A×Ε

ε
a

= Ε

Δ ι

ι

a 1

ε

= α × σ

0

= α × σ

=

α
× σ = Ε × ε = σ

= α × σ 1 ⇒ × ε = α ×

1

α

α

⇒ ⇒

ε

=

σ
Ε
0

Δ ι = ε × ι

=

σ
Ε

× ι

0

=

F × ι0 A × Ε

Problema prático 1
• Determinar se a tensão de trabalho de uma barra de aço de seção circular solicitada a tração satisfaz a segurança.
A=
σ a = 1.200 Kgf / cm2 φ = 0,3cm
F = 80 Kgf

π ×φ 2
4

=

π × 0,09cm 2
4

3,14cm 2 = = 0,0706cm 2 4

80 Kgf F σt = = = 1.133Kgf / cm2 A 0,0706cm2

Problema prático 2
Calcular uma força de tração eventualmente capaz de fazer um tirante de aço de 1m alongar 1/2 milímetro. Determinar se isto é tecnicamente plausível. A = 5,00cm 2
Δι = F × ι0 A× Ε

σ a = 1.200kgf / cm 2
Ε = 2,10 ×10 6 Kgf / cm2

F ×100cm 0,50cm = 5,00cm 2 × 2,10 × 106 Kgf / cm2 evidênciando( F ) :

5,00cm 2 × 2,10 ×10 6 Kgf / cm2 × 0,50cm F= = 5.250 Kgf 100cm

5.250 Kgf σt = = 1.050 Kgf / cm2 2 5,00cm

Fixação e avaliação
• Exercícios de fixação no site:
– Problemas resolvidos – Exercícios propostos – Exercícios com outras unidades para transformação (newton, MPa, metro, etc.) – Optativos:
• Desafios para demonstração presencial (incremento de nota)

• Avaliação sempre baseada nos exercícios propostos

Rogério C. de Mello Franco Arquiteto rogerio.mkt@inei.com.br

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->