P. 1
'Shock and Awe: a Ordem Interna No Prime-time Noticioso

'Shock and Awe: a Ordem Interna No Prime-time Noticioso

|Views: 14|Likes:
Published by Pedro Pereira Neto

More info:

Categories:Types, Research, Science
Published by: Pedro Pereira Neto on Feb 24, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/06/2013

pdf

text

original

“Shock and awe”: a ordem interna no prime-time noticioso Pedro Pereira Neto

INTRODUÇÃO De entre as categorias temáticas convocáveis para a análise da substância noticiosa veiculada pelos meios de Comunicação Social, e concretamente no que diz respeito à Televisão, poucas superarão a ordem interna em potencial de noticiabilidade. Desde logo dado o impacto produzido pela criminalidade vária sobre as vidas de todos os directamente envolvidos, bem como sobre o imaginário dos cidadãos. As particularidades de que se revestem alguns tipos específicos de criminalidade – casos do crime praticado sobre crianças ou sobre idosos, e todos aqueles que envolvem nuances de acentuada violência ou brutalidade – contribuem igualmente para o interesse que esta categoria suscita, quer entre entre os profissionais da informação, quer entre o público. Também a substância noticiosa relacionada com eventos de mobilização política, social e profissional – manifestações de natureza diversa – se apresenta, pelos efeitos disruptivos que produz sobre a normal fluidez do quotidiano dos cidadãos, quer no passado, quer no futuro próximo. A este potencial de noticiabilidade não é igualmente estranho o carácter imprevisível e surpreendente assumido por muitos dos eventos noticiados neste âmbito, não sendo igualmente possível deixar de equacionar neste contexto os impactos gerados pelo conteúdo noticiado nas peças relativas a esta categoria sobre a actividade e ambiente económicos, e sobre o status quo político, qualquer que sejam os seus enquadramentos geográficos. Assim sendo, quer pelo esclarecimento das representações de senso comum produzidas a este respeito, quer pela importância reconhecida a este tipo de análise que os inúmeros trabalhos1 produzidos neste âmbito demonstram, reveste-se de incontornável interesse a observação analiticamente informada do lugar ocupado pelo contingente temático de ordem interna no prime-time noticioso televisivo em Portugal.

1

Brandão, 2006; Shoemaker, Cohen, 2006; Soares, Calado, 2008, entre outros.

TEMAS Aproximadamente um quarto (22,9%) das peças sobre ordem interna transmitidas durante os noticiários de horário nobre da RTP 1, SIC e TVI versam a criminalidade (crimes), constituindo este tipo de prática o principal referencial temático neste particular. Comparativamente, a pequena criminalidade (pequenos crimes) ascende a 9,2% do total da amostra. O segundo tema mais versado nestes serviços noticiosos – violência sobre crianças, com 12,6% das peças – durante o período analisado constitui, por seu turno, um exemplo de intensa cobertura mediática sincrónica e diacrónica concedida a um número reduzido de casos cujos contornos não apenas concentraram as atenções dos media como constituíram pretexto para paralelismos e iniciativas de pesquisa de situações análogas decorridas no passado enquanto estratégia de rentabilização de arquivos por parte dos operadores. Com valores relativos muito próximos surgem as notícias que abordam as forças policiais (11,2%) e manifestações pacíficas (9,6%), apresentando o remanescente dos temas valores de incidência iguais ou inferiores a 5%. Assim sendo, assinalam estes números uma concentração na mediatização do crime enquanto pedra-de-toque na categoria temática ordem interna, ascendendo as peças sobre crimes, pequenos crimes, e violência sobre crianças a 44,7% do total da amostra, ou seja, quase metade de todas as peças transmitidas, acentuando uma natureza marcadamente negativa a esta categoria.
Figura 11.1 – Principais temas noticiados nas peças de ordem interna para o conjunto dos três canais

25,0%

20,0%

15,0%

10,0%

5,0%

0,0%
an G ife ue st rra aç M an õe C if e s iv i pa st l aç cí fic õe as s vio le nt as Te rr Pr or is is õe m Pe o s, Cr ca qu im de en es ia os s C (r e rim Po la líc ci es on ia ad /G as Bo NR co m m Co be a rru iro in st pç itu s ão içã (n Vi o) ão ol ên po Vi ci ol lít Es a ên ic so a) pi ci Vi br on a so ol e ag ên de br em ci fic e a ie so cria nt nç br es e as fí s m ic ul os Vi he ol re ou ên s m ci en a so ta br is e id os os O ut ro

M

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE

DESVIÂNCIA Como vimos anteriormente, três dimensões podem ser articuladas para abordar o carácter desviante do conteúdo das peças transmitidas pelos três canais sob escrutínio durante os respectivos serviços noticiosos. Especificamente no que diz respeito às notícias sobre ordem interna, os dados revelam em primeiro lugar uma presença significativa de conteúdos normativamente desviantes – 55,5% dos casos –, consentânea com a forte incidência da criminalidade enquanto tema abordado nesta categoria e com a ruptura/violação do enquadramento legal do nosso país que essa criminalidade constitui. Uma presença de igual monta – 53,8% dos casos – foi observada relativamente a conteúdos estatisticamente desviantes, ou seja, cuja ocorrência assume contornos de

marcada imprevisibilidade, igualmente consentânea com a incidência já apontada da criminalidade enquanto tema. Em conjunto, estas duas dimensões de desviância apresentam dados que concorrem para a configuração de um quadro de caracterização das peças sobre ordem interna enquanto veiculadoras de conteúdos de ruptura com o normal decurso da rotina da sociedade e do respeito pelas normas que a regem. No entanto, ao nível da desviância associada a mudança social – ou seja, a transformações na configuração do exercício do poder e da autoridade – a natureza dos conteúdos noticiosos analisados é marcadamente menos matizada: apenas 9,4% das peças sobre ordem interna podem, neste particular, ser consideradas de algum impacto.
Figura 11.2 – Desviância do conteúdo das peças de ordem interna para o conjunto dos três canais

Normativa

26,0

18,5

31,9

23,6

Mud. Social

56,0

34,6

8,2

Estatística 4,3

41,9

44,7

9,1

0,0 Qualquer momento

25,0 Tempos a tempos

50,0 Raramente

75,0 Totalmente inesperado

100,0

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Estas mesmas tendências podem ser confirmadas numa análise mais fina, articulando os temas abordados com as respectivas desviâncias. Sem surpresa, e relativamente à dimensão de desviância normativa, destacam-se claramente os valores superiores à média apresentados pelas peças sobre crimes (84%) e violência sobre crianças (73,7%), em contraste com o verificado para as notícias sobre manifestações pacíficas (8,7%), sublinhando a natureza de transgressão do enquadramento legal nacional que a criminalidade constitui. Também ao nível da desviância estatística é possível confirmar o cenário geral apontado: cerca de 66,9% das peças sobre crimes revestem-se, como seria de esperar, de considerável imprevisibilidade, surpreendendo apesar de tudo o percentual de peças

sobre manifestações pacíficas com uma significativa natureza desviante – 47,5% dos casos. No que diz respeito à desviância relativa a mudança social os valores observados são, como seria de esperar face ao cenário geral desta categoria temática, de reduzida expressão: entre os cinco principais temas, 11,1% das peças que abordam violência sobre crianças apresentam um impacto potencialmente desestruturante do status quo, o mesmo acontecendo em 4,5% das notícias relativas a pequenos crimes.
Figura 11.3 – Desviância dos principais temas das peças de ordem interna para o conjunto dos três canais
90,0% 80,0% 70,0% 60,0% Manifestações pacíficas 50,0% 40,0% 30,0% 20,0% 10,0% 0,0% Estatística M. Social Normativa Crimes Pequenos Crimes Polícia / GNR Violência sobre crianças

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE

SIGNIFICÂNCIA Os dados recolhidos permitem ainda, num outro registo, colocar algumas questões relativamente ao potencial de impacto social das peças noticiosas transmitidas pelos serviços noticiosos de prime-time dos três canais. Em primeiro lugar, e dada a incidência de peças de ordem interna que abordam a criminalidade, surpreende apesar de tudo que apenas em 20% das peças transmitidas tenham sido encontrados conteúdos de moderada ou mesmo acentuada significância

pública – isto é, indiciando um potencial de transformação do bem-estar público. Significa este dado que nem toda a criminalidade será considerada pelos cidadãos potencialmente disruptiva do seu bem-estar. Em segundo lugar, apenas em 10% das notícias foram encontrados conteúdos com potencial de transformação moderado ou acentuado do sistema político português e das relações entre os seus agentes, indiciando que às questões de ordem interna pode não se encontrar associado qualquer pendor de instabilidade política. Finalmente, e sublinhando a fraca associação entre as peças sobre esta categoria temática e a transformação potencial da sociedade, resulta da análise dos dados recolhidos a presença de conteúdos sem qualquer significância cultural e significância económica em aproximadamente 9 em cada 10 notícias. Os valores e tradições culturais dos cidadãos, bem como as relações económicas, não surgem nestes conteúdos como relevantemente afectados, ainda que no âmbito da significância económica – face a determinados tipos de criminalidade – esse dado não deixe de suscitar alguma perplexidade.
Figura 11.4 – Significância do conteúdo das peças de ordem interna para o conjunto dos três canais

Pública

28,2

51,8

18,3

Cultural

89,3

9,0

Económica

89,5

7,8

Política

67,0

22,7

8,7

0,0

25,0 Nenhuma Mínima

50,0 Moderada

75,0 Acentuada

100,0

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE

A análise das noticias subordinadas a cada um dos cinco principais temas de ordem interna confirma que apenas ao nível da significância pública e política se observou alguma expressão de resultados. Destaca-se em primeiro lugar o potencial de impacto moderado ou acentuado sobre o bem-estar público encontrado em 33,2% das peças relativas a violência sobre crianças, o que desde logo traduz o impacto social gerado por este tipo específico de criminalidade junto da população. Verifica-se, paralelamente, que as peças relativas à criminalidade (crimes e pequenos crimes) constituem, entre os cinco principais temas de ordem interna, aquelas nas quais é menos frequente um impacto moderado ou acentuado deste tipo. Em segundo lugar, e na sequência do impacto de natureza política potencialmente suscitável pelos conteúdos noticiados nas peças de ordem interna, apenas naquelas que focam manifestações pacíficas – mais concretamente em 32,4% delas – surgem conteúdos com valor moderado ou acentuado neste particular, o que traduz o potencial de perturbação na relação entre os agentes políticos que os acontecimentos desta natureza possuem. Os restantes quatro temas apresentam, neste âmbito, frequência meramente marginal de presença de conteúdos com impacto politicamente significantes. Finalmente, é também nos conteúdos das peças sobre manifestações pacíficas que se observa alguma significância moderada ou acentuada de natureza económica (11,3% dos casos) e cultural (8,8%), confirmando-se nos restantes quatro temas uma tendência para a inexistência de impacto nas relações entre os agentes económicos e nas tradições das populações.
Figura 11.5 – Significância dos principais temas das peças de ordem interna para o conjunto dos três canais

35,0%

30,0%

25,0% Política Económica 15,0% Cultural Pública

20,0%

10,0%

5,0%

0,0% Manifestações pacíficas Crimes Pequenos Crimes Polícia / GNR Violência sobre crianças

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE

VALÊNCIA A índole da linguagem utilizada nas peças sobre ordem interna transmitidas pelos três canais pode ser abordada a partir de uma dupla perspectiva. Por um lado, na sua dimensão visual, verifica-se em aproximadamente 70% delas uma carga marcadamente neutra, indiciando a associação a estes conteúdos de imagens que, com alguma probabilidade, suavizam o conteúdo noticiado. Por outro lado, na sua dimensão verbal, estas notícias assumem uma carga eminentemente negativa: mais de 73% das peças recorrem a linguagem que traduz e revela com maior extensão o carácter socialmente disruptivo dos eventos noticiados. Analisando a valência verbal dos principais temas noticiados relativos a esta categoria temática observa-se uma incidência da presença de linguagem negativamente carregada na maior parte das peças, destacando-se neste particular as notícias relativas a violência sobre crianças – 78.3% dos casos.

Paralelamente, as peças sobre criminalidade recorrem com uma frequência apenas ligeiramente menor às de manifestações pacíficas a linguagem negativamente carregada.
Figura 11.6 – Valência dos principais temas das peças de ordem interna para o conjunto dos três canais
Violência sobre idosos Violência sobre mulheres Violência sobre crianças Espionagem Corrupção (não política) Prisões, cadeias (relacionadas com a instituição) Bombeiros Polícia / GNR Pequenos Crimes Crimes Terrorismo Manifestações violentas Manifestações pacíficas Guerra Civil 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Negativa Neutra Positiva

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE

PROEMINÊNCIA E COMPLEXIDADE Numa análise à proeminência das peças de ordem interna – isto é, ao timing da sua entrada no alinhamento dos serviços noticiosos – verificamos que a espionagem, a violência sobre mulheres, e as manifestações (quer pacíficas quer violentas) constituem os temas desta categoria temática mais frequentemente utilizados nas aberturas e reaberturas após intervalo dos noticiários de horário nobre dos três canais, parecendo revestir-se de uma noticiabilidade de manifesto interesse para as redacções. A contrario, as notícias subordinadas a violência sobre deficientes físicos ou mentais, a bombeiros, e a terrorismo surgem sobretudo nas “saídas” destes noticiários,

ou seja, nos períodos que antecedem o seu intervalo e o seu termo, aparentando uma noticiabilidade de menor expressão. No domínio da complexidade das mesmas peças – ou seja, a associação combinada de intensidade significante e desviante – constatamos, a partir dos dados recolhidos, serem as notícias relativas a terrorismo, a violência sobre deficientes físicos ou mentais, a espionagem, e a guerra civil a assumir um impacto simultaneamente mais significativo e mais imprevisto. A mesma intensidade de impacto parece esbater-se, a partir dos dados, no caso as peças que abordam questões relacionadas com bombeiros e com forças policiais, bem como aquelas que versam violência sobre idosos, e crimes, aparentando um menor pendor desviante e um efeito social de menor expressão disruptiva.
Figura 11.7 – Proeminência e Complexidade dos temas das peças de ordem interna para o conjunto dos três canais

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE

A consideração conjunta da proeminência e da complexidade das peças de ordem interna presentes no noticiário de horário nobre de cada um dos três canais revela algumas especificidades que importa apontar. O Telejornal da RTP 1 apresenta-se como o noticiário de horário nobre cujas peças noticiosas desta categoria temática se revestem de maior complexidade, ou seja, apresentam maior intensidade significante e desviante face ao verificado para os restantes noticiários considerados. Ao nível da proeminência destas peças, encontra-se no mesmo patamar de localização no alinhamento do noticiário verificado para o Jornal Nacional da TVI, ou seja, o mais baixo dos três. Por seu turno, o Jornal da Noite da SIC surge como o noticiário no qual estas peças assumem maior proeminência, surgindo com maior frequência na abertura e reabertura após intervalo. Em termos da sua complexidade, as mesmas encontram-se a meio caminho do verificado para a amostra considerada, isto é, de menor intensidade significante e desviante que as notícias encontradas no Telejornal mas com intensidades desta natureza superiores ao verificado no Jornal Nacional. Para além de constituir, a par do Telejornal, o noticiário no qual as peças de ordem interna apresentam a menor proeminência dos três noticiários considerados, o Jornal Nacional da TVI constitui igualmente o serviço noticioso cujas notícias desta categoria temática se revestem de menor complexidade, um dado que parece contradizer a representação de senso comum sobre esta matéria – segundo a qual este noticiário em concreto se reveste de marcado sensacionalismo na cobertura de eventos, ou seja, peças concebidas e apresentadas de modo vívido e dramático, com linguagem comum, de modo a gerar interesse ou excitação junto dos telespectadores (Franklin, B. et al, 2005: 241/242).
Figura 11.8 – Proeminência e complexidade das peças de ordem interna, por canal

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE

ESTRUTURA / MODELO DO NOTICIÁRIO Considerando uma divisão dos serviços noticiosos destes três canais em blocos de 15 minutos, constatamos em primeiro lugar que a presença das peças de ordem interna decresce continuamente ao longo do noticiário, confirmando os dados já observados relativos à proeminência desta categoria temática. Em segundo lugar, se a intensidade deste decréscimo é pouco significativa entre o segundo e o terceiro bloco de quinze minutos, já entre o primeiro e o quarto bloco esse decréscimo é superior a 50%.

Figura 11.9 – Presença das peças de ordem interna ao longo do noticiário para o conjunto dos três canais (blocos de quinze minutos)
140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 0,0 1º's 15m 2º's 15m 3º's 15m 4º 's 15m pós 60m

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Também a presença dos principais temas de ordem interna ao longo do alinhamento dos noticiários pode ser observada a partir da divisão destes últimos em blocos de quinze minutos. Neste particular os dados revelam em primeiro lugar a prevalência das peças sobre crimes como principal tema ao longo de todo o noticiário, com uma tendência de aumento da sua presença. Em segundo lugar observa-se um desaparecimento progressivo das notícias sobre manifestações pacíficas e violência sobre crianças, a que corresponde um acréscimo da presença de peças sobre pequenos crimes, e forças policiais à medida que o serviço noticioso se desenrola.
Figura 11.10 – Presença dos principais temas das peças de ordem interna ao longo do noticiário para o conjunto dos três canais

40%

35%

30%

25% Manifestações pacíficas Crimes 20% Pequenos Crimes Polícia / GNR Violência sobre crianças 15%

10%

5%

0% 1º's 15m 2º's 15m 3º's 15m 4º's 15m pós60m

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Em consonância com a sua presença nos primeiros quinze minutos está o facto de as peças de ordem interna constituírem categoria de abertura de noticiário – bem como de reabertura – com maior frequência que de saída para intervalo ou fecho de edição.
Figura 11.11 – Presença das peças de ordem interna ao longo do noticiário para o conjunto dos três canais (momentos-chave do noticiário)

20,0 18,0 16,0 14,0 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0 Abertura Reabertura Intervalo Final

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE

INTERVENIENTES A maioria (56.3%) das peças de ordem interna incluídas na amostra apresenta participação de intervenientes de alguma espécie, não deixando de ser considerável a percentagem de notícias nas quais essa participação não existe, o que pode levantar questões relativamente à audição dos envolvidos na substância noticiada. Entre as notícias nas quais foram observados intervenientes, a participação mais frequentemente encontrada foi a de cidadãos claramente identificados (13,2% das notícias), seguida de de anónimos (9,2%), assumindo estas duas categorias o parcial reunido mais elevado da amostra. Com um parcial consolidado muito próximo surgem os responsáveis, os oficiais e os membros das forças de segurança, presentes em 20,2% das notícias, ascendendo a 7,5% do total as peças com participação de advogados, e a 4% as que contêm intervenção de Ministros ou Secretários de Estado. Resulta destes valores a constatação de que nas peças de ordem interna são auscultados ou intervêm com maior frequência os cidadãos e os agentes das forças de segurança que os responsáveis políticos ou os agentes judiciários.

Figura 11.12 – Principais intervenientes das peças de ordem interna para o conjunto dos três canais
14,0

12,0

10,0

8,0

6,0

4,0

2,0

0,0
an ça an ça s se gu ra nç a pr es ár io s um o Ad vo ga do An ón im Es ta do so s t ra ba lh ad or de co m se gu r re c lu es

se gu r

s

Ci da dã o

de

em

de

de

de

s

Ar gu id os ,r éu s ;l íd er es

ec re tá rio

po rf or ça s

fo rç as

m éd io s

fo rç as

e de co m is sõ es

de

de

s, S

br os

Re sp on sá ve is

O fic ia is

in ist ro

M

Pe qu e

em

M

no s

e

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Não surpreende, pois, que ao nível institucional dos intervenientes destas peças se observe uma incidência superior da presença de agentes de terceiro nível, ou seja, de menor status social, cifrada em 41,7% do total, apresentando os intervenientes de primeiro e segundo níveis valores de presença de 25,7% e 27,8%, respectivamente.

ONDE OCORREM AS NOTÍCIAS – PROXIMIDADE E TRATAMENTO GEOGRÁFICO Os eventos noticiados nas peças de ordem interna têm lugar, na maioria dos casos (mais de 30%), nas duas principais cidades do país, sendo significativo o parcial apresentado por Lisboa (26,1%) perante o relativo à cidade do Porto (inferior a 5%). Com um valor muito próximo (29,3%) surge o parcial das notícias que abordam eventos ocorridos fora das duas principais cidades portuguesas, merecendo igualmente

O ut ro

s

di rig en te s

si nd ica is

menção a percentagem de peças desta categoria temática com localização fora de Portugal – 20,7%. Contudo, é possível observar algumas diferenças neste âmbito quanto ao conteúdo de cada um dos canais. Com efeito, o noticiário da RTP 1 parece privilegiar as peças ocorridas nas duas principais cidades do país, em particular em Lisboa (32,4%), apresentando as peças sobre o resto do país e sobre o estrangeiro valores muito próximos (22,9% e 21,4%). SIC e TVI primam sobretudo pela emissão de notícias sobre eventos decorridos fora destas duas cidades (29,4% e 38,2%, respectivamente), sendo que a SIC cobre com frequência aproximada a cidade de Lisboa e o estrangeiro (22,7% e 21,4%). No período 2002-2006 verificou-se, para o conjunto dos três canais, uma tendência de desaparecimento progressivo de peças relativas a eventos ocorridos em zonas específicas do país, sobretudo no caso de Lisboa (26,4% para 13,1%). Inversamente, aumenta o número de peças sobre eventos com impacto sobre o território nacional como um todo (8,1% para 20,1%) e sobre outros países (16,8% para 34,1%), tornando-se mesmo esta última o principal referente de proximidade em 2006 – presente em 34,1% das notícias. Significam estes dados que se assiste a uma progressiva “democratização” da origem geográfica dos eventos de ordem interna transmitidas pelos serviços noticiosos de horário nobre dos três canais considerados.
Figura 11.13 – Localização dos eventos noticiados nas peças de ordem interna para o conjunto dos três canais, por ano

40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0 2002 2003 2004 2005 2006 Lisboa Porto Resto do País Estrangeiro Nacional

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Em termos de uma análise por canal, e considerando a evolução da presença deste tipo de peças nos respectivos serviços noticiosos, observa-se uma queda superior à média dos três canais no número de peças sobre eventos ocorridos em Lisboa transmitidas pelo Telejornal, em paralelo com uma subida mais ligeira dos conteúdos sobre o país como um todo. Merece ainda menção a inexistência, neste noticiário, de peças sobre eventos ocorridos na cidade do Porto em 2005.
Figura 11.14 – Localização dos eventos noticiados nas peças de ordem interna na RTP1

60,0

50,0

40,0

Lisboa Porto Resto do País Estrangeiro Nacional

30,0

20,0

10,0

0,0 2002 2003 2004 ANO RTP 2005 2006

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE No Jornal da Noite verifica-se igualmente um protagonismo crescente por parte das peças sobre eventos ocorridos no estrangeiro, que se traduz igualmente – como no Telejornal – no facto de constituir a localização mais referenciada em 2006. Paralelamente, observa-se uma tendência para a estabilização do número de peças sobre eventos decorridos na cidade do Porto.
Figura 11.15 – Localização dos eventos noticiados nas peças de ordem interna na SIC

40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0 2002 2003 2004 ANO SIC 2005 2006 Lisboa Porto Resto do País Estrangeiro Nacional

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE No Jornal Nacional a principal nota de destaque prende-se com o facto de as peças sobre eventos ocorridos no país, excluindo Lisboa e Porto, se manterem como a localização mais frequente em 2006, ao contrário do verificado no Telejornal e no Jornal da Noite. Em simultâneo, não apenas se observa a mesma estabilização dos valores das peças sobre eventos decorridos no Porto, como o aumento do número de peças sobre o estrangeiro aumenta a uma cadência bastante inferior à dos restantes canais.
Figura 11.16 – Localização dos eventos noticiados nas peças de ordem interna na TVI

50,0 45,0 40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0 2002 2003 2004 ANO TVI 2005 2006 Lisboa Porto Resto do País Estrangeiro Nacional

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Quanto ao tratamento geográfico das peças de ordem interna, a maioria (51,4%) é abordada de um ponto de vista nacional, apresentando as perspectivas local e regional um parcial conjunto de pouco mais de um terço do total (33,8%). Em conjunto, as abordagens que transcendem a fronteira do país ascendem a menos de 15% do total de notícias. Destes dados resulta um quadro de focalização no contexto nacional em detrimento dos tratamentos de natureza internacional e comunitária, assumindo o contexto regional um parcial de expressão igualmente reduzida, face ao verificado para enquadramentos locais e nacionais. Analisando os dados relativos ao serviço noticioso de cada um dos três canais é possível verificar, em primeiro lugar, que se mantém o tratamento geográfico nacional das suas peças como notas dominante comum, com um ligeiro ascendente por parte do Telejornal face ao Jornal Nacional e ao Jornal da Noite. Em segundo lugar, o tratamento de natureza local mantém-se igualmente como o segundo mais verificado em todos os canais considerados, mas neste caso com um valor ligeiramente superior no Jornal Nacional (32,9%) ao encontrado no Telejornal (30,3%) e no Jornal da Noite (26,4%).

O tratamento geográfico internacional das notícias é, por seu turno, superior no Jornal da Noite face ao verificado no Telejornal e no Jornal Nacional.
Figura 11.17 – Tratamento geográfico dos eventos noticiados nas peças de ordem interna, por canal
60,0

50,0

40,0 Local Regional 30,0 Nacional Internacional 20,0 Comunitário

10,0

0,0 RTP SIC TVI

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Considerando de forma congregada, por um lado, o tratamento de base local e de base regional, e por outro, o de base internacional e o de base comunitária, verificamos uma cobertura de natureza comparativamente mais local/regional na TVI, mais nacional na RTP, e mais internacional na SIC.
Figura 11.18 – Tratamento geográfico agregado dos eventos noticiados nas peças de ordem interna para o conjunto dos três canais

60,0

50,0

40,0 RTP 30,0 SIC TVI 20,0

10,0

0,0 Local/Regional Nacional Internacional

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Analisando a evolução conhecida pelo tratamento geográfico das peças de ordem interna transmitidas no decurso dos serviços noticiosos destes três canais, observamos que apenas em 2002 a preponderância do tratamento nacional não se materializou, assumindo particular relevo nos anos de 2003 e 2005. A sua presença tem, com efeito, aumentado ao longo do período considerado, de 36% do total em 2002 para 50% em 2006, o mesmo se verificando (ainda que em menor escala) para as notícias de tratamento internacional (16,2% para 18,1%) e comunitário (0,2% para 3,8%), em contra-ciclo com o verificado para as de natureza Local (40,1% para 20%).
Figura 11.19 – Tratamento geográfico dos eventos noticiados nas peças de ordem interna para o conjunto dos três canais, por ano

70,0

60,0

50,0 Local 40,0 Regional Nacional 30,0 Internacional Comunitário 20,0

10,0

0,0 2002 2003 2004 2005 2006

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Relativamente à evolução observada neste particular em cada um dos três canais sob escrutínio, observamos para o Telejornal uma tendência de aumento do número de peças de tratamento nacional ao longo deste período, o mesmo ocorrendo com as de tratamento internacional e comunitário, em paralelo com uma queda acentuada no volume de peças de tratamento local e com uma ligeira redução na incidência das notícias de tratamento regional.
Figura 11.20 – Tratamento geográfico dos eventos noticiados nas peças de ordem interna na RTP1

80,0 70,0 60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 2002 2003 2004 ANO RTP 2005 2006 Local Regional Nacional Internacional Comunitário

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Também no caso do Jornal da Noite se observam as mesmas tendências de aumento do número de peças de tratamento nacional e comunitário, e de redução das de tratamento local (menos acentuada que no Telejornal) e regional, distinguindo-se mais claramente do serviço noticioso da RTP1 no que diz respeito à incidência de notícias de tratamento internacional, que na SIC diminui.
Figura 11.21 – Tratamento geográfico dos eventos noticiados nas peças de ordem interna na SIC

70,0 60,0 50,0 Local 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 2002 2003 2004 ANO SIC 2005 2006 Regional Nacional Internacional Comunitário

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE No Jornal Nacional o aumento verificado ao nível da presença de conteúdos de tratamento nacional é menos pronunciado, o que em parte se deve ao elevado valor que já se verificava, neste particular, em 2002. Paralelamente, é o único canal no qual os conteúdos de tratamento regional surgem com maior frequência nos últimos anos, em simultâneo com um decréscimo dos de tratamento internacional.
Figura 11.22 – Tratamento geográfico dos eventos noticiados nas peças de ordem interna na TVI

70,0 60,0 50,0 Local 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 2002 2003 2004 ANO TVI 2005 2006 Regional Nacional Internacional Comunitário

Fonte: Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE

CONCLUSÃO As notícias sobre ordem interna constituem, como foi possível observar a partir dos dados recolhidos, constituem o terceiro contingente temático mais noticiado nos serviços de horário nobre dos três canais considerados. No entanto, a sua presença tem seguido uma tendência de redução ao longo do período considerado neste estudo. A forte noticiabilidade desta categoria temática é igualmente ilustrada pelo facto de ser recorrentemente utilizada sobretudo no início dos serviços noticiosos, diminuindo significativamente a sua presença à medida que estes se desenrolam. Entre os cinco principais temas noticiados dentro desta categoria, três versam criminalidade: as peças sobre crimes, violência sobre crianças, e pequenos crimes ascendem, em conjunto, a 44,7% do total de peças de ordem interna. No entanto, a maior proeminência observada prendeu-se com as peças de violência sobre mulheres e de manifestações. Os seus conteúdos apresentam-se maioritariamente desviantes do ponto de vista estatístico e, sem surpresa, normativo, sobretudo nos temas que abordam a

criminalidade, primando a linguagem visual nelas utilizada pela neutralidade, e revestindo-se ao nível verbal de uma carga maioritariamente negativa. A intervenção mais frequente nestas notícias é a de cidadãos (22,4%), apresentando os elementos das forças de segurança um valor muito próximo (20,2%). No cômputo geral, imperam intervenientes do nível institucional (status) mais baixo, pelo que o conjunto destes dois dados permite concluir do carácter mais “popular” e de baixa institucionalidade dos cidadãos auscultados no decurso das peças. As peças que abordam eventos ocorridos nas duas principais cidades são em percentagem aproximada à observada para o resto do país, ainda que objecto de um tratamento redactorial nacional. Verifica-se, aliás, uma tendência de aumento da presença de peças com impacto nacional, sobretudo na RTP 1, apostando a SIC um pouco mais que as suas concorrentes na cobertura de eventos decorridos fora do país e a TVI na abordagem mais local / regional.

Bibliografia • • Belo, A., Shoemaker, P. e Silveira, J., (orgs; 2003), Análise de Telejornais Base de Dados 1, Lisboa, CIMDE Brandão, N., (2006), “Os Telejornais – encontros quotidianos com a actualidade e para a construção social da realidade”, in Actas do IX Congreso IBERCOM, Sevilla-Cádiz, 10 de Junho de 2009] • • • Franklin, B. et al, (2005), Key concepts in Journalism Studies, London, Sage Shoemaker, P., Cohen, A., (2006), News around the world – content, practitioners and the public, New York, Routledge Soares, T., Calado, V., “A Ordem Interna nos Noticiários Televisivos”, in Martins, M., Pinto, M. (Orgs.) (2008), Comunicação e Cidadania - Actas do 5º Congresso da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação, Braga, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (Universidade do Minho), disponível em disponível em http://www.hapaxmedia.net/ibercom/pdf/GoulartBrandaoNuno.pdf [consultado a

http://www.lasics.uminho.pt/ojs/index.php/5sopcom/article/viewFile/223/242 [consultado a 10 de Junho de 2009]

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->