P. 1
História do MRP

História do MRP

|Views: 473|Likes:
Published by Ronaldo Moreno

More info:

Published by: Ronaldo Moreno on Apr 05, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/29/2012

pdf

text

original

MRP

MRP/ERP
Universidade de São Paulo – Escola Politécnica PCC 5302 – Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil Profºs Francisco F. Cardoso,Silvio B. Melhado e Ubiraci E. Lemes de Souza Aluna: Paula M. Aoki Bissolotti – 2º trim 2008

Material Requirements Planning ou Planejamento de Necessidades de Materiais O MRP é um sistema que ajuda as empresas a fazer cálculos de volume (quantidade) e tempo (quando) serão utilizados. Surgiu nos anos 60 agora chamado de MRP I.

MRP - Conciliação do fornecimento e da demanda de recursos
MRP Fornecimento de produtos e serviços Recursos de produção Decisão de quantidade e momento do fluxo de materiais em condições de demanda e serviços Demanda de produtos e serviços Consumidores da operação produtiva

Esquema do MRP
Carteira de pedidos Programa-mestre de produção Planejamento das necessidades de materiais Planos de materiais Previsão de vendas

Listas de materiais

Registros de estoque

Ordens de compra

Ordens de trabalho

são fundamentais os registros do que exatamente cada cliente pediu. Essas informações são fornecidas pela carteira de pedidos.Carteira de Pedidos Para o processo de cálculo das necessidades de materiais do MRP I. . PMP O PMP estabelece quais produtos serão feitos e em que datas. demanda de armazéns de distribuição. etc. Além da demanda determinada por previsão. em que quantidade e em que momento. constituindo-se na principal entrada para o planejamento das necessidades de materiais. Programa-mestre de Produção Carteira de pedidos Previsão de vendas Demanda de empresa coligada Restrições-chave de capacidade Níveis de estoque Programa-mestre de produção Demanda de P&D Necessidades de exibições e promoções Demanda de peças de reposição Necessidades de estoque de segurança PMP O Programa-Mestre de Produção é a fase mais importante do planejamento e controle de uma empresa. necessidades de estoques de segurança. o PMP também incorpora demanda de outras fontes: carteira de pedidos de clientes.

. Estrutura dentada de componentes de uma caneta. Lista de Materiais Carteira de pedidos Programa-mestre de produção Planejamento das necessidades de materiais Planos de materiais Previsão de vendas Listas de materiais Registros de estoque Ordens de compra Ordens de trabalho Lista de Materiais A lista de Materiais de um produto final é uma lista estruturada de todos os componentes desse produto.PMP O Plano Mestre de Produção é fundamental para que o MRP possa determinar quanto de cada parte ou componente deve ser adquirido e quando programar a produção. Ela mostra a relação hierárquica entre o produto e os componentes (quanto de cada componente é preciso para se ter uma unidade do produto final).

com a devida defasagem de tempo. de forma que. Listas de materiais Registros de estoque Ordens de compra Ordens de trabalho Registros de Estoque Contém informações como: O código de identificação do componente A quantidade atual do estoque As quantidades eventualmente já encomendadas O tempo de espera O tamanho do lote de compra. A partir daí. . o sistema de controle deve ser hábil para se atualizar. fabricação ou montagem Etc.Registros de Estoque Carteira de pedidos Programa-mestre de produção Planejamento das necessidades de materiais Planos de materiais Previsão de vendas Registros de Estoque O último insumo básico de que se vale o MRP são os relatórios de controle de estoques. informações essas fornecidas pelo PMP. saiba-se exatamente quanto se precisa adquirir desse item. Cada item ou componente da lista de materiais deve ter seu estoque rigorosamente controlado. faz-se a “explosão” do produto nas necessidades dos componentes. estabelecida uma certa quantidade necessária. A cada nova transação. On-Line. Dinâmica de Processamento do MRP A dinâmica de processamento do MRP parte da quantidade desejada de um produto final numa data especificada.

descontando o estoque já disponível em mãos e os recebimentos programados.Dinâmica de Processamento do MRP Ao se “explodir” o produto em seus componentes. o MRP calcula as Necessidades Líquidas. Dinâmica de Processamento do MRP Após obter as Necessidades Brutas. o que se obtém são as Necessidades Brutas de cada componente. usando as informações do PMP e da Lista de Materiais. item por item: Uma escala de tempos. geralmente semanal A identificação do item As Necessidades Brutas e suas datas O Estoque Disponível Os Recebimentos Programados e suas datas As Necessidades Líquidas e suas datas As datas e quantidades de cada Liberação de Ordem Tabela de Informações do MRP Semana Necessidades Brutas Estoque Disponível Recebimentos Programados Necessidades Líquidas Liberação de Ordem 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 . Necessidades Líquidas = Necessidades Brutas - Estoque disponível - Recebimentos programados Dinâmica de Processamento do MRP A programação fornecida pelo MRP geralmente traz as seguintes informações.

desenvolvido.Exemplo Mesa de Cozinha Semana Necessidades Brutas 1 2 3 4 5 40 6 7 8 9 10 11 60 12 Combinando Carteira de Pedidos e Previsões Demanda = Previsão + Pedidos em Carteira 140 120 100 Qtde 80 60 40 20 0 1 2 Previsão 3 4 Cart. ou MRP II.Pedidos 5 6 Demanda 7 8 São conhecidos ainda os seguintes tempos de espera e estoques remanescentes Item Mesa Tampo Tronco Suportes Operação Montagem Fabricação Fabricação fabricação Tempo de espera 1 semana 1 semana 2 semana 1 semana Estoque Remanescente 5 unidades 15 unidades 12 unidades 90 unidades Características Importantes do MRP O MRP deve conhecer a quantidade necessária de cada item para ser capaz de multiplicar pelas necessidades. adaptado e expandido de forma a incluir elementos de compras. . financeiros. Esta versão ampliada do MRP é conhecida atualmente como Planejamento dos Recursos de Manufatura ou (Manufacturing Resource Planning). o sistema e o conceito do planejamento das necessidades de materiais expandiram-se e foram integrados a outras partes da empresa. Um mesmo item pode ser utilizado em diferentes partes da estrutura de produto. MRP II Durante os anos 80 e 90. e marketing. As estruturas de produtos comprados não são relevantes para o seu sistema MRP.

disponíveis no mercado na forma de sofisticados pacotes para computador. •Redução nos custos de aquisição de material.MRP II Inclui um conjunto completo de atividades envolvendo o planejamento e controle de operações de produção. em geral. •Maior rotatividade de estoque. Módulo de planejamento mestre de produção (master production schedule ou MAS). divididos em módulos. Módulo de cálculo de necessidade de capacidade (capacity requirements planning ou CRP). MRP II Vantagens •Redução de estoques. Módulo de cálculo de necessidade de materiais (material requirements planning ou MRP). •Maior consistência nos tempos de entrega ao cliente. •Redução nos tempos de mão-de-obra. bem como as necessidades de materiais. MRP II O MRP II possui cinco módulos principais: Módulo de planejamento da produção (production planning). MRP II Sistemas MRP II são. Estes são em geral. . O MRP II permite que as empresas avaliem as implicações da futura demanda da empresa nas áreas financeiras e de engenharia. Módulo de controle de fábrica (shop floor control ou SFC). que têm diferentes funções e mantêm relações entre si.

fabricação.Desenvolvimento É neste momento que uma aplicação é escolhida e configurada para uma companhia. É o momento em que a companhia é profundamente observada e quando é definida a necessidade de uma solução. contabilidade. recursos humanos. etc) ERP Na prática. Com o lançamento do software R/2. ela entrou para a história da área de ERP. etc) e sistêmica (sistema de processamento de transações. o MRP II já poderia ser chamado de ERP pela abrangência de controles e gerenciamento. ano no qual surgiu a empresa alemã SAP (System Analyse and Programmentwicklung.MRP II Limitações •Software complexo •Custo elevado •Aceitação de erros . na tradução literal Análise de Sistemas e Desenvolvimento de Programas). Passo-a-passo de um projeto ERP Fase 1 . Funcional (sistemas de: finanças.Raio X Esta é a fase do projeto onde os processos e as práticas de negócio são analisados. sistemas de informações gerenciais. marketing. vendas. .sistema passivo (software) •Treinamento de Pessoal •Adaptação difícil do software às necessidades da empresa ERP ERP (Enterprise Resource Planning) ou SIGE (Sistemas Integrados de Gestão Empresarial) São sistemas de informações que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. Um ano interessante foi 1975. compras. Também são definidos o modelo de funcionamento da solução e outros aspectos do ambiente. Fase 2 . sistemas de apoio a decisão.

•Eliminar o uso de interfaces manuais •Reduzir custos •Otimizar o fluxo da informação e a qualidade da mesma dentro da organização (eficiência) •Otimizar o processo de tomada de decisão •Eliminar a redundância de atividades •Reduzir os limites de tempo de resposta ao mercado •Reduz as incertezas do lead-time (tempo de ciclo) . É quando os erros e falhas são identificados. Fase 6 – Avaliação (Homologação) A solução de ERP é avaliada. o que aumenta a resistência à mudança e pode gerar desmotivação por parte dos funcionários. •Adoção de “best practices” aumenta o grau de padronização entre as empresas de um segmento. Passo-a-passo de um projeto ERP Fase 5 – Implantação O software de ERP é finalmente instalado na companhia e se torna funcional aos usuários. •Torna os módulos dependentes uns dos outros.Passo-a-passo de um projeto ERP Fase 3 – Teste Aqui a solução de ERP é colocada em um ambiente de teste. por exemplo. Vantagens ERP Desvantagens ERP •A utilização do ERP por si só não torna uma empresa verdadeiramente integrada. Fase 4 – Treinamento Todos os profissionais são treinados no sistema para saber como utiliza-lo antes da implementação ser concluída. Esta é apenas uma avaliação geral do projeto ERP para referências futuras. • Excesso de controle sobre as pessoas. •Altos custos •Dependência do fornecedor do pacote. observando-se o que é necessário melhorar e o que está ou não funcionando adequadamente. pois cada departamento depende das informações do módulo anterior. para realização das correções necessárias.

Edwards •PeopleSoft da Oracle •PPInfo ERP da P&P Informática •Protheus da Microsiga •SAP R/3 da SAP •Sapiens da Senior Sistemas Softwares ERP proprietários •Benner Solution •INTEQ Systems •MXM Manager da MXM Soluções •ERP Viasoft da Viasoft Informática •GIAF da INDRA Sistemas .ERP Softwares ERP gratuitos e de código aberto •Adempiere •Compiere •ERP5 •Locasys •Openbravo •Siages •Stoq •WebERP Softwares ERP proprietários •CIGAM da Cigam Software Corporativo •Corpore da RM Sistemas •DON CORPORATE da Vilesoft •Dzyon ERP da Dzyon •ERP CONEXOS da CONEXOS Consultoria e Sistemas •ERP Primavera da PrimaveraBSS •GEMCO Anywhere da Gemco •Jiva G1 da Jiva Gestão Empresarial •Logix da Logocenter •Magnus da Datasul •maxiPRO Indústria da QLA Sistemas de Informática e Serviços Ltda. Softwares ERP proprietários •MD-Log da Informata Consultoria de Dados •MGE da Sankhya Gestão de Negócios •Mitra da Sankhya Gestão de Negócios •Microsoft Dynamics da Microsoft •NewAge da NewAge Software •One World da J.D.

projetos e contratação •Construção industrial •Construção residencial e comercial •Construção naval ERP – Construção Civil •SAP Product Lifecycle Management: Gerenciamento de ciclo de vida de produtos •SAP Supply Chain Management: Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos •SAP Supplier Relationship Management: Gerenciamento de relacionamento com fornecedores •SAP ERP: Supporting the Entire Value Chain ERP – Construção Civil •SAP Cyrela Rossi Residencial Matec Engenharia Fidens Engenharia Matec .ERP – Construção Civil SAP for Engineering. Construction and Operations (SAP for EC&O) •assegura informações integradas e em tempo real sobre projetos de engenharia. cronogramas e respectivos custos •Engenharia.

com/brazil/solutions/business-suite/erp/index.epx> Rossi .Referências Bibliográficas BARBASTEFANO.htm> Breve história do MRP. Rafael Garcia Barbastefano . (2004).edu. Brasil: Instituição Toledo de Ensino.centrodelogistica. Disponível em: <URL:http://sap.com.br/apostilas/resumo_mrp.doc> LAUDON. SAP. Kenneth C. Disponível em : <URL:http://www. 1996.Fatores críticos na implementação de sistemas mrp IIs [Em linha]. Sistemas de Informações gerenciais : administrando a empresa digital.br/new/fs-public. Rio de Janeiro. 2004.ite. São Paulo: Prentice Hall. Disponível em: <URL:http://www.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->