You are on page 1of 22

LISTA DE EXERCÍCIOS

1 Sistemas de Equações
1 1 1 x
1.1 O valor de x que é solução, nos números reais, da equação + + = é igual a:
2 3 4 48
☺ a) 36 b) 44 c) 52 d) 60 e) 68
Solução:
Fazendo o Mínimo Múltiplo Comum entre 2, 3, 4 e 48 Logo
24 + 16 + 12 x 24 + 16 + 12 = x
= x = 52
48 48

Num sítio existem 21 bichos, entre patos e cachorros. Sendo 54 o total de pés desses bichos, calcule a
1.2
diferença entre o número de patos e o número de cachorros.
☺ a) 9 b) 8 c) 7 d) 6 e) 5
Solução:

Os patos ( P ) têm 2 pés e os cachorros ( C ) têm 4 pés,


então:
( P ⋅ 2 ) + ( C ⋅ 4 ) = 54
Substituindo o número de cachorros na segunda
Somando o número de patos e de cachorros temos: equação:
P + C = 21∴ P = 21 − C P = 21 − C ∴ P = 21 − 6 ∴ P = 15

Substituindo uma equação na outra: A diferença entre o número de patos e cachorros é,


portanto:
( 21 − C ) ⋅ 2  + ( C ⋅ 4 ) = 54
D = P − C ∴ D = 15 − 6 ∴ D = 9
42 − 2 ⋅ C + 4 ⋅ C = 54
4 ⋅ C − 2 ⋅ C = 54 − 42
12
2 ⋅ C = 12 ∴ C = ∴ C = 6
2

Se eu leio 5 páginas por dia de um livro, eu termino de ler 16 dias antes do que se eu estivesse lendo 3
1.3
páginas por dia. Quantas páginas têm o livro?
 a) 100 b) 120 c) 140 d) 160 e) 180
Substituindo uma equação na outra:
3 ⋅ ppd ⋅ ( ndd + 16 ) = 5 ⋅ ppd ⋅ ndd
Solução: 3 ⋅ ppd ⋅ ndd + 48 = 5 ⋅ ppd ⋅ ndd
5 ⋅ ppd ⋅ ndd − 3 ⋅ ppd ⋅ ndd = 48
ppd: páginas por dia 48
ndd: número de dias ppd ⋅ ndd = ∴ ppd ⋅ ndd = 24
2
npl: número de páginas do livro
Substituindo na equação 5 ⋅ ppd ⋅ ndd = npl :
Modelando as equações que descrevem o problema:
5 ⋅ ppd ⋅ ndd = npl npl = 5 ⋅ 24 ∴ npl = 120
3 ⋅ ppd ⋅ ( ndd + 16 ) = npl
Testando a solução:
120 120
− = 16
5 3

Patric Schürhaus 2
LISTA DE EXERCÍCIOS
Se um retângulo possui o comprimento igual ao quíntuplo da largura e a área é igual a 80 cm², quais são as
1.4
medidas de seus lados?
 a) 8 e 12 cm b) 4 e 20 cm c) 3 e 19 cm d) 5 e 15 cm e) 6 e 18 cm
Solução:
O comprimento igual ao quíntuplo da largura: C = 5 ⋅ L
A área é igual a 80 cm²: A = 80 cm 2
Sabemos que a área de um retângulo é dada por: A = C ⋅ L então 80 cm 2 = ( 5 ⋅ L ) ⋅ ( L )

80 cm 2 80 cm 2
5 ⋅ L2 = 80 cm 2 ∴ L2 = ∴L = ∴ L = 16 cm 2 ∴ L = 4 cm
5 5
Substituindo L = 4 cm em C = 5 ⋅ L teremos: C = 5 ⋅ 4 cm ∴ C = 20 cm

A razão entre dois números é 3/8. Se a soma do maior com o dobro do menor é 42, quanto vale o maior dos
1.5
números?
 a) 21 b) 24 c) 26 d) 28 e) 30
Solução: O Mínimo Múltiplo Comum é 3, então, multiplicando a
equação por 3 temos:
x 3
=  8⋅ x 
y 8 3 ⋅  + 3 ⋅ ( 2 ⋅ x ) = 3 ⋅ ( 42 )
Com isso, o maior é y e o menor é x. A soma do maior  3 
com o dobro do menor é 42, em matemática, se escreve 8 ⋅ x + 6 ⋅ x = 126
assim: 14 ⋅ x = 126
y + 2 ⋅ x = 42 126
x= =9
Mas, da primeira equação temos: 14
3⋅ y = 8⋅ x 8⋅ x
Substituindo o valor de x em y =
8⋅ x 3
y= 8⋅9
3 y= = 24
Substituindo na segunda equação: 3
8⋅ x Testando a solução:
+ 2 ⋅ x = 42 24 + 2 ⋅ 9 = 42
3

1.6 Calcular a fração equivalente a 5/7 cuja soma dos termos seja igual a 60
a) 52/53 b) 25/35 c) 10/14 d) 12/60 e) 7/30

A razão entre as medidas dos lados de dois quadrados é 1:3. Qual é a razão entre as áreas desses dois
1.7
quadrados?
a) 2:5 b) 1:7 c) 1:9 d) 2:8 e) 3:7

Um dos lados de um retângulo mede 10 cm. Qual deve ser a medida do outro lado para que a área deste
1.8
retângulo seja equivalente à área do retângulo cujos lados medem 9 cm e 12 cm?
a) 9,8 cm b) 10,8 cm c) 11,8 cm d) 12,8 cm e) 13,8 cm

Há 18 anos Hélio tinha 3 vezes a idade do filho, agora tem 2 vezes essa idade. Qual a idade do filho e de
1.9
Hélio?
a) 26 b) 29 c) 32 d) 36 e) 39

Patric Schürhaus 3
LISTA DE EXERCÍCIOS
Que número devemos somar ao numerador e denominador da fração 2/3 para que tenha um aumento de
1.10
20%?
a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5

Patric Schürhaus 4
LISTA DE EXERCÍCIOS
2 Trigonometria: triângulo retângulo
O lado de um triângulo equilátero T1 mede 10 cm. Qual deve ser a medida do lado de um outro triângulo
2.1
equilátero T2 que possui o quádruplo da área de T1?
 a) 20 cm b) 2 cm c) 10 cm d) 12 cm e) 5 cm
Solução numérica:
Primeiramente, calculemos h1:

3
h1 = 10 cm ⋅ sen 60 = 10 ⋅ cm
2

Agora, calculemos a área de T1: Substituindo:

 3   3
AT 1 = b1 ⋅ h1 = ( 5 cm ) ⋅ 10 ⋅ cm  = 25 ⋅ 3 cm 2 AT 2 = b2 ⋅  2 ⋅ b2 ⋅ 
 2   2 

Em seguida, calculemos a área de T2, sabendo que é o 3


quádruplo da área de T1 2 ⋅ b22 ⋅ = 100 ⋅ 3 cm 2 ∴ b22 ⋅ 3 = 100 ⋅ 3 cm 2
2
AT 2 = 4 ⋅ 25 ⋅ 3 cm 2 = 100 ⋅ 3 cm 2
b22 = 100 cm 2 ∴ b2 = 100 cm 2 ∴ b2 = 10 cm
Por analogia:
Como L2 = 2 ⋅ b2 então
AT 2 = b2 ⋅ h2
L2 = 2 ⋅10 cm ∴ L2 = 20 cm
 3
h2 = L2 ⋅ sen 60 = ( 2 ⋅ b2 ) ⋅   cm
 2 

Solução gráfica:
Outra maneira de resolver este problema seria
graficamente, montando 4 triângulos T1 segundo a
disposição ilustrada ao lado.

Patric Schürhaus 5
LISTA DE EXERCÍCIOS
Qual é a razão entre as áreas de dois triângulos equiláteros, sabendo–se que um deles está inscrito em uma
2.2
circunferência de raio 6 cm e o outro circunscrito na mesma circunferência?
 a) 1:8 b) 2:3 c) 3:4 d) 1:4 e) 4:5
Solução: A área do triângulo circunscrito pode ser calculada por:
A figura que ilustra o problema enunciado é a seguinte: a⋅h a+b+c
A= = r ⋅ s onde s =
2 2
36
cm ⋅18 cm
AC = 3 = 187, 06 cm 2
2
Agora, vamos calcular a área do triângulo inscrito:

O ponto de interseção das três medianas é o baricentro


ou centro de gravidade do triângulo. O baricentro divide
a mediana em dois segmentos. O segmento que une o
vértice ao baricentro vale o dobro do segmento que une
o baricentro ao lado oposto deste vértice.

Para isto, vamos calcular a2:


h2 9 cm 18
a2 = = = cm
sen 60° 3 3
2
18
cm ⋅ 9 cm
a2 ⋅ h2 3
AI = = = 46, 77 cm 2
2 2
Conhecendo h, podemos calcular a: Finalmente, dividindo AC por AI :
h 18 cm 36
a= = = cm AC 187, 06 cm 2
sen 60° 3 3 = =4
AI 46, 77 cm 2
2

ABC é um triângulo retângulo com ângulo reto em C. Se AB = 15 cm e BC = 9 cm , qual é a área do


2.3
quadrado de lado AC ?
 a) 44 cm² b) 154 cm² c) 24 cm² d) 14 cm² e) 144 cm²
Solução:
Pelo teorema de Pitágoras
2 2 2
AB = AC + BC
2 2
AC = AB − BC
AC = 152 − 92 = 225 − 81 ∴ AC = 144
A área do quadrado de lado AC será:
2
A = AC
2
A = 144 = 144 cm 2

Patric Schürhaus 6
LISTA DE EXERCÍCIOS

Calcule o perímetro do triângulo retângulo ilustrado


2.4 3
sabendo que cos β =
5

 a) 19 cm b) 24,7 cm c) 26 cm d) 24 cm e) 26,7 cm
Solução:
Pelo teorema de Pitágoras:
Cateto Adjacente
cos β = 10 2 = c 2 + b 2
Hipotenusa
c 3 c b = 10 2 − c 2 = 10 2 − 62 ∴ b = 8 cm
cos β = então =
10 5 10
Então, o perímetro vale:
30
5 ⋅ c = 30 ∴ c = ∴ c = 6 cm P = 10 cm + 6 cm + 8 cm = 24 cm
5

Considere a figura ao lado, na qual:


• o segmento de reta AB é tangente à circunferência α em A;

2.5 • o segmento de reta AC é um diâmetro da circunferência α;


• o comprimento do segmento de reta AB é igual à metade do
comprimento da circunferência α.
Então a área do triângulo ABC dividida pela área de α é igual a:

1 2 4 5
 a) b) c) 1 d) e)
2 3 3 3
Solução:
1
Como AB é tangente a α em A, então o triângulo BAC é retângulo em A. Logo, sua área é S ∆ = ⋅ AB ⋅ AC
2
O segmento de reta AC é um diâmetro da circunferência α. Sabemos que ∅ = 2 ⋅ π ⋅ r então, AC = 2 ⋅ π
O comprimento do segmento de reta AB é igual à metade do comprimento da circunferência α. Sabemos que o
comprimento (ou perímetro) de uma circunferência é P = 2 ⋅ π ⋅ r então AB = π ⋅ r
π ⋅∅ 2
Sabemos que a área de uma circunferência é S∅ = ou S∅ = π ⋅ r 2
4
Agora basta dividir a área do triângulo S ∆ pela área da circunferência S∅

1 1
S∆ 2
⋅ AB ⋅ AC
2
(
⋅ (π ⋅ r ) ⋅ 2 ⋅ r )
1⋅ π ⋅ r ⋅ r π ⋅ r 2
= = = = =1
S∅ π ⋅ r2 π ⋅ r2 π ⋅ r2 π ⋅ r2

A sombra de uma árvore mede 4,5m. A mesma hora, a sombra de um bastão de 0,6m, mantido na vertical,
2.6
mede 0,4m. A altura da árvore é:
a) 1,33m b) 6,75m c) 4,8m d) 5m e) 3m

Patric Schürhaus 7
LISTA DE EXERCÍCIOS
Um avião levanta vôo sob um ângulo de 20° em relação ao solo. Após 2000m em linha reta, a altura do avião
2.7
será de aproximadamente:
a) 1880 b) 1720 c) 1000 d) 728 e) 684

A frente de uma casa tem a forma de um quadrado com um triângulo retângulo isósceles em cima. Se um
2.8
dos catetos do triângulo mede 7 metros, qual é a área frontal desta casa?
a) 77/2 m² b) 37/2 m² c) 73/3 m² d) 47/2 m² e) 27/3 m²

Patric Schürhaus 8
LISTA DE EXERCÍCIOS
3 Dimensões e unidades
De acordo com o Comitê Internacional de Pesos e Medidas, o litro é, aproximadamente, o volume
equivalente a um decímetro cúbico, ou seja: 1 litro = 1,000027 dm3. Porém, para todas as aplicações
3.1
práticas, simples, podemos definir: 1 litro = 1 dm3. Além do litro, a unidade mais usado é o mililitro (ml),
principalmente para medir pequenos volumes. Expressar 250 ml em cm3.
☺ a) 25 cm3 b) 250 cm3 c) 2500 cm3 d) 2,5 cm3 e) 250.000 cm3
Solução:
1 litro = 1000 ml e 1 dm = 10 cm, portanto: 103 cm3 ⋅ 250 ml
x= = 250 cm 3
1000 ml
1000 ml = 103 cm3
250 ml = x cm3

Uma indústria farmacêutica fabrica 1.400 litros de uma vacina que devem ser colocados em ampolas de 35
3.2
cm3 cada uma. Quantas ampolas serão obtidas com essa quantidade de vacina?
☺ a) 40.000 b) 20.000 c) 30.000 d) 35.000 e) 45.000
Solução:

1.400 ⋅1.000 cm3


1 litro = 1.000 cm³, portanto = 40.000 ampolas
35 cm3

A polegada milesimal é convertida em polegada fracionária quando se multiplica a medida expressa em


3.3 milésimo por uma das divisões da polegada, que passa a ser o denominador da polegada fracionária
resultante. Converter 0,750 in em polegada fracionária.
 a) 1/4 b) 3/16 c) 3/8 d) 3/4 e) 7/8
Solução:
8 4
0, 750 128 96 12 3
× = 8
= 4
=
1 128 128 16 4

3.4 Quanto pesa 1 kg de água no Sistema Internacional de unidades;


☺ a) 981 kgf b) 0,981 N c) 1000 g d) 9,81 lbf e) 9,81 N
Solução:
O peso da água pode ser calculado por P = m ⋅ g , onde g é a aceleração da gravidade que, ao nível do mar, vale
m
g = 9,81 . Então:
s2
m
P = m ⋅ g = 1 kg ⋅ 9,81 = 9,81 N
s2

Um relógio digital marca 19:57:33. Qual o número mínimo de segundos que devem passar até que se
3.5
alterem todos os algarismos?
☺ a) 187 b) 147 c) 127 d) 167 e) 179
Solução: 2 minutos equivalem a 120 segundos. Somando com os
Todos os algarismos estarão alterados quando os dígitos 27 segundos restantes teremos:
da hora mudarem de 19 para 20. Para que isto aconteça
120 + 27 = 147 segundos
faltam 2 minutos e 27 segundos.

Patric Schürhaus 9
LISTA DE EXERCÍCIOS
2
Um corpo pesa 1000 lbf quando exposto à gravidade padrão da Terra g = 32,174 ft / s . Qual é a sua massa
3.6
em kg?
 a) 45,36 kg b) 0,454 kg c) 453,6 kg d) 4536 kg e) 4,54 kg
slug ⋅ ft ft
Solução: 1000 2
= m ⋅ 32,174 2
s s
Vamos utilizar a mesma fórmula da força peso: slug ⋅ ft
1000 2
P = m ⋅ g , onde P = 1000 lbf
m= s 2 = 1000 slug ⋅ ft ⋅ s = 31, 08 slug
kg ⋅ m ft 32,174 s 2 ft
Porém, assim como no SI N = , no Sistema 32,174 2
s2 s
slug ⋅ ft Lembrando que 1 slug = 14, 6 kg
Inglês lbf = , ou seja, o slug é a unidade de
s2 kg
m = 31, 08 slug ⋅14, 6 = 453, 6 kg
massa do Sistema Inglês. slug

Você vai ao posto de combustíveis e calibra os pneus do seu carro com 26 lbf / in² (26 PSI). Quanto é esta
3.7
pressão em Pa?
 a) 26 bar b) 179263,7 Pa c) 160 kPa d) 160 Pa e) 179,3 Pa
Solução:
slug ⋅ ft
lbf 2 slug ⋅ ft
26 2 = 26 s 2 = 26 2 2
in in s ⋅ in
N kg ⋅ m kg ⋅ m
Agora, devemos lembra que Pa = 2
e que N = 2
, portanto Pa = 2
m s s ⋅ m2
slug ⋅ ft kg m in 2 kg ⋅ m
p = 26 ⋅14, 6 ⋅ 0, 3048 ⋅ 39,37 2 2 = 179263, 7 2 2 = 179263, 7 Pa
s 2 ⋅ in 2 slug ft m s ⋅m

1
3.8 Se x = ft − 22, 225 mm , quanto vale x em polegada fracionária?
4
3 3 1 1 7
 a) 2 in b) 2 in c) 2 in d) 2 in e) 2 in
32 16 8 16 8
Solução:
1 Subtraindo o a parte inteira, 2 in, sobram 0,125 in para
Primeiro vamos converter ft em milímetro:
4 serem convertidas em polegadas fracionárias
16
1 in mm 0,125 128 16 1
ft ⋅12 = 3 in ⋅ 25,4 = 76, 2 mm ⋅ = = in
4 ft in 1 128 128 16
8

Agora, vamos resolver x em mm E, como ainda temos 2 in que foram subtraídas


x = 76, 2 mm − 22, 225 mm = 53, 975 mm anteriormente, elas devem ser adicionadas para se
obter a resposta final, ou seja:
Em seguida, vamos converter x em polegadas: 1 1
1 in x = ft − 22, 225 mm = 2 in
x = 53,975 mm ⋅ = 2,125 in 4 8
25, 4 mm

Patric Schürhaus 10
LISTA DE EXERCÍCIOS

Qual a massa do tubo ilustrado que tem espessura da


parede de 3,05 mm e é de aço inoxidável AISI 304, cuja
3.9 g
massa específica vale 8, 03 ?
cm3
 a) 2,68 kg b) 28,6 kg c) 2,86 kg d) 0,286 kg e) 0,237 kg
2
π ⋅ ( ∅ EXT − ∅ INT )
Solução: A=
Como a massa específica foi dada em g / cm³ então, vamos 4
2
converter todas as unidades para cm: π ⋅ ( 7, 62 − 7, 01)
cm A= = 0, 2922 cm 2
∅ INT = 3 in ⋅ 2,54 = 7, 62 cm 4
in ∀ = A⋅ L
 1 cm  ∀ = 0, 2922 cm 2 ⋅121,92 cm 2 = 35, 6307 cm3
∅ EXT = 7, 62 cm +  2 ⋅ 3, 05 mm ⋅  = 7, 01 cm
 10 mm  m
ρ = ∴ m = ρ ⋅∀
cm ∀
L = 4 ft ⋅ 30, 48 = 121, 92 cm g
ft m = 35, 6307 cm3 ⋅ 8, 03 = 286,1 g
cm 3

Um reservatório tem 1,2 m de largura, 1,5 m de comprimento e 1 m de altura. Para conter 1.260 litros de
3.10
água, esta deve atingir a altura de:
 a) 700 cm b) 0,07 m c) 7m d) 0,7 dm e) 70 cm
Agora, vamos calcular a altura:
Solução:
∀ = largura ⋅ comprimento ⋅ altura
Lembrando que: 1 L = 1 dm3

altura =
Vamos converter dm³ em cm³: largura ⋅ comprimento
1 dm = 10 cm 1260 ⋅103 cm3
altura =
13 dm3 = 103 cm3 cm cm
1, 2 m ⋅100 ⋅1,5 m ⋅100
m m
Então: 1260 × 103 cm 3
1260 L = 1260 ⋅10 cm 3 3 altura = = 70 cm
18 × 103 cm3

3.11 Quanto vale 28°C em Fahrenheit?


a) 301,15 °F b) 82,4 °F c) 542,07 °F d) 24,8 °F e) 84,2 °F
Solução:
9⋅C 9 ⋅ 28
Vamos utilizar a equação de conversão F = + 32 = + 32 = 82, 4 °F
5 5

Um tubo de aço Ø6” tem diâmetro externo 168,3 mm e parede de ¼”. Se a massa específica do aço é 8780
3.12
kg/m³ e o preço do aço é de R$ 3,80 por kg, quanto custa um metro linear deste tubo?
a) R$ 77,80 b) R$ 87,80 c) R$ 97,80 d) R$ 107,80 e) R$ 117,80

Patric Schürhaus 11
LISTA DE EXERCÍCIOS
4 Equação do 2° grau
4.1 Raízes da equação
Toda equação da forma a ⋅ x 2 + b ⋅ x + c = 0 , em que a, b e c são números reais com a ≠ 0, é chamada de equação
do 2° grau. Quando b = 0 ou c = 0, tem–se uma equação do 2° grau incompleta.

−b ± ∆
As raízes das equações do 2° grau são dadas por: x = onde ∆ = b 2 − 4 ⋅ a ⋅ c
2⋅a

4.2 Vértice da parábola


b
A abscissa do vértice da parábola é dada por: xV = −
2⋅a


A ordenada do vértice da parábola é dada por: yV = −
4⋅a

O retângulo ABCD tem área 105 cm². Qual a medida


4.3
do lado do quadrado EFGC?

 a) 3 cm b) 4 cm c) 5 cm d) 6 cm e) 7 cm
Solução:
A área do retângulo é dada por: Para uma equação do segundo grau existem duas
soluções possíveis:
A = DC ⋅ BC onde:
−12 + 122 − 4 ⋅1 ⋅ ( −85 )
DC = 10 cm + EC e BC = 2 cm + GC x1 = =5
2 ⋅1
Se EFGC é um quadrado, então EC = GC e, portanto:
−12 − 122 − 4 ⋅1 ⋅ ( −85 )
x2 = = −17
(10 cm + EC ) ⋅ ( 2 cm + EC ) = 105 cm 2
2 ⋅1
2 O resultado x2 = – 17 cm será descartado por ser
10 ⋅ 2 + 10 ⋅ EC + EC ⋅ 2 + EC = 105 cm 2 negativo, então vamos substituir x1 = 5 na equação
2
EC + 12 ⋅ EC − 85 = 0 (10 cm + EC ) ⋅ ( 2 cm + EC ) = 105 cm 2

A expressão resultante é uma equação do tipo


a ⋅ x 2 + b ⋅ x + c = 0 , ou seja, uma equação do segundo (10 + 5 ) ⋅ ( 2 + 5) = 105 cm 2
grau, cuja solução é dada por: Como a expressão acima é verdadeira, então o lado do
2 quadrado EFGC vale 5 cm.
−b ± b − 4 ⋅ a ⋅ c
x=
2⋅a

Patric Schürhaus 12
LISTA DE EXERCÍCIOS
Um azulejista usou 2000 azulejos quadrados e iguais para revestir 45 m² de parede. Qual é a medida do lado
4.4
de cada azulejo?
☺ a) 33,5 cm b) 35 cm c) 15 cm d) 20 cm e) 12 cm
Solução:
Vamos chamar de x ao lado do azulejo. Então
x 2 ⋅ 2000 = 45 m 2 Agora, vamos converter em cm para resultar numa
2 dimensão mais usual em construção civil:
45 m
x2 = cm
2000 x = 0,15 m ⋅100 = 15 cm
m
45 m 2
x= = 0,15 m
2000

A área de um retângulo é de 64 cm². Nessas condições, determine as dimensões do retângulo sabendo que
4.5
o comprimento mede ( x + 6 ) cm e a largura mede ( x – 6 ) cm.
 a) 10 × 3 cm b) 9 × 3 cm c) 9 × 4 cm d) 10 × 4 cm e) 16 × 4 cm
Solução:
C: comprimento = ( x + 6 ) cm
L: largura = ( x – 6 ) cm
A: área = 64 cm²
Substituindo x nas equações de comprimento e largura:
De posse disso, vamos lembrar que a área de um C = ( x + 6 ) cm = 10 cm + 6 cm = 16 cm
retângulo é: A = C ⋅ L . Então:
64 = ( x + 6 ) ⋅ ( x − 6 ) L = ( x − 6 ) cm = 10 cm − 6 cm = 4 cm

64 = x 2 −6 ⋅ x +6 ⋅ x − 36
0 = x 2 − 36 − 64
x 2 = 100 ∴ x = 100 ∴ x = 10 cm

4.6 O número –3 é a raiz da equação x 2 − 7 ⋅ x − 2 ⋅ c = 0 . Nessas condições, determine o valor do coeficiente c.


☺ a) 11 b) 13 c) 15 d) 17 e) 19
Solução:

Se você multiplicar um número real x por ele mesmo e do resultado subtrair 14, você vai obter o quíntuplo
4.7
do número x. Qual é esse número?
 a) 7 b) –2 c) –7 d) 2 e) 14
Solução:

Patric Schürhaus 13
LISTA DE EXERCÍCIOS
1 1 4
4.8 Resolver a equação + 2
=
9 3⋅ x 9⋅ x
 a) x1=4 e x2=3 b) x1=2 e x2=3
c) x1=3 e x2=1 d) x1=1 e x2=2 e) x1=4 e x2=2
Solução:
Vamos calcular o Mínimo Múltiplo Comum entre os
denominadores: 9, 3·x² e 9·x
Finalmente, vamos aplicar
9 3·x² 9·x ÷3
3 x² 3·x ÷3 −b ± b2 − 4 ⋅ a ⋅ c
x=
1 x² x ÷x 2⋅a
1 x 1 ÷x
1 1 1 2
− ( −4 ) ± ( −4 ) − 4 ⋅1 ⋅ 3
x=
Multiplicando: 3 ⋅ 3 ⋅ x ⋅ x = 9 ⋅ x 2 2 ⋅1
Portanto, o MMC é: 9 ⋅ x 2
1 1 4 4 + 16 − 12 4 + 4 4 + 2 6
Agora, vamos multiplicar o MMC por + − =0 x1 = = = = =3
2
9 3⋅ x 9⋅ x 2 2 2 2
1 1 4 
9 ⋅ x2 ⋅  + 2
− =0 4 − 16 − 12 4 − 4 4 − 2 2
 9 3⋅ x 9 ⋅ x  x2 = = = = =1
2 2 2 2
1⋅ 9 ⋅ x 2 1⋅ 9 ⋅ x 2 4 ⋅ 9 ⋅ x 2 9 ⋅ x 2 3 ⋅ 3 ⋅ x 2 4 ⋅ 9 ⋅ x ⋅ x
+ − = + − =0
9 3 ⋅ x2 9⋅ x 9 3 ⋅ x2 9⋅ x
x2 + 3 − 4 ⋅ x = 0 → x2 − 4 ⋅ x + 3 = 0

O gráfico da função f ( x ) = x 2 + 3 ⋅ x − 10 intercepta o eixo das abscissas nos pontos A e B. A distância AB é


4.9
igual a:
 a) 3 b) –6 c) 7 d) –5 e) 2

x f ( x ) = x 2 + 3 ⋅ x − 10
–6 −62 + 3 ⋅ ( −6 ) − 10 = 8
–5 −52 + 3 ⋅ ( −5) − 10 = 0
–4 –6
–3 –10
–2 –12
–1 –12
0 –10
1 –6
2 0
3 8

A parábola intercepta o eixo x em –5 e 2. Portanto, a


distância AB é 7.

Patric Schürhaus 14
LISTA DE EXERCÍCIOS
Uma tela retangular com área de 9600 cm² tem de largura uma vez e meia o seu comprimento. Quais são as
4.10
dimensões desta tela?
 a) 70 × 105 b) 80 × 120 c) 90 × 135 d) 100 × 150 e) 110 × 165
Solução:
L = Largura da tela
C = Comprimento da tela
L = 1,5 ⋅ C Substituindo em L = 1,5 ⋅ C
A área d tela será A = L ⋅ C , então L = 1,5 ⋅ 80 = 120
9600 = (1,5 ⋅ C ) ⋅ C
9600 Esta tela tem as dimensões de 80 cm de altura, por 120
C2 = cm de largura
1, 5
9600
C= = 80
1,5

4.11 Quais são as raízes da equação x 2 − 14 ⋅ x + 48 = 0 ?


☺ a) 4 e 6 b) 6e5 c) 5e7 d) 6e8 e) 8e9
−b ± ∆
Agora, apliquemos Bhaskara: x =
Solução: 2⋅a
Primeiro, vamos calcular ∆ = b 2 − 4 ⋅ a ⋅ c
− ( −14 ) + 4 14 + 2
2 x1 = = =8
∆ = ( −14 ) − 4 ⋅ (1) ⋅ ( 48 ) 2 ⋅1 2
∆ = 196 − 192 = 4
− ( −14 ) − 4 14 − 2
x2 = = =6
2 ⋅1 2

O produto da idade de Pedro pela idade de João é igual a 374. Pedro é 5 anos mais velho que João. Quantos
4.12
anos tem cada um deles?
 a) 22 e 27 b) 55 e 50 c) 15 e 20 d) 18 e 23 e) 17 e 22
−b ± ∆
Solução: Agora, apliquemos Bhaskara: x =
2⋅a
− ( 5) + 1521 −5 + 39
P = idade de Pedro J1 = = = 17
J = idade de João 2 ⋅1 2
− ( 5 ) − 1521 −5 − 39
P ⋅ J = 374 J2 = = = −22
2 ⋅1 2
P = J +5
Como não existe idade negativa, J 2 será descartado.
Substituindo uma equação na outra:
Com isso, João tem 17 anos.
( J + 5) ⋅ J = 374
J 2 + 5 ⋅ J − 374 = 0 Agora, substituindo a idade de João na equação
P = J +5
2
Vamos calcular ∆ = b − 4 ⋅ a ⋅ c P = 17 + 5 = 22
2 Ou seja, Pedro tem 22 anos.
∆ = ( 5 ) − 4 ⋅ (1) ⋅ ( −374 )
∆ = 25 + 1496 = 1521 Testando a solução:
22 ⋅17 = 374

Patric Schürhaus 15
LISTA DE EXERCÍCIOS
Comprei 4 pastéis a um certo valor unitário. Também comprei algumas coxinhas, com o mesmo preço
4.13 unitário, cuja quantidade comprada foi igual ao valor unitário de cada pastel. Paguei com duas notas de cem
reais e recebi R$ 8,00 de troco. Qual o preço unitário de cada lanche?
 a) 8 b) 9 c) 10 d) 11 e) 12
Solução:

$ = preço de cada lanche −b ± ∆


Agora, apliquemos Bhaskara: x =
2⋅a
A compra de 4 pastéis custará: 4 ⋅ P = 4 ⋅ $ − ( 4 ) + 784 −4 + 28
$1 = = = 12
A quantidade de coxinhas é igual ao preço do pastel, 2 ⋅1 2
portanto: C = $ . E como a coxinha tem o mesmo preço − ( 4 ) − 784 −4 − 28
do pastel, a compra de $ coxinhas custará: $ ⋅ $
$2 = = = −16
2 ⋅1 2
O valor total pago foi de R$ 192, então
Portanto o preço de cada lanche é $ = 12
4 ⋅ $ + $ ⋅ $ = 192
$2 + 4 ⋅ $ − 192 = 0 Testando a solução:
Pastéis: 4 ⋅12 = 48
Vamos calcular ∆ = b 2 − 4 ⋅ a ⋅ c Coxinhas: 12 ⋅12 = 144
2
∆ = ( 4 ) − 4 ⋅ (1) ⋅ ( −192 ) 144 + 48 = 192
∆ = 16 + 768 = 784

2
4.14 Achar a raiz da equação ( 2 ⋅ x + 5 ) + 3 ⋅ x = 25 que seja diferente de 0.
2 23 3 3 4
 a) − b) − c) − d) e)
3 4 4 4 3
Solução:
2
( 2 ⋅ x + 5) + 3 ⋅ x = 25
2
Vamos calcular ∆ = b 2 − 4 ⋅ a ⋅ c
Devemos reconhecer que ( 2 ⋅ x + 5 ) é um produto 2
∆ = ( 23 ) − 4 ⋅ ( 4 ) ⋅ ( 0 )
notável, ou seja, é o quadrado da soma de dois termos.
∆ = 529
Neste caso, a regra básica é: quadrado do primeiro,
mais duas vezes o primeiro vezes o segundo, mais o
quadrado do segundo. −b ± ∆
Agora, apliquemos Bhaskara: x =
( a + b)
2
= a2 + 2 ⋅ a ⋅ b + b2 2⋅a

Então: − ( 23) + 529 −23 + 23


2 2
x1 = = =0
(2 ⋅ x) + 2 ⋅ ( 2 ⋅ x ⋅ 5 ) + ( 5 ) + 3 ⋅ x − 25 = 0 2⋅4 8
quadrado 2 vezes o primeiro 2 vezes
do primeiro vezes o segundo o segundo

4 ⋅ x 2 + 2 ⋅ (10 ⋅ x ) + 25 + 3 ⋅ x − 25 = 0 − ( 23) − 529 −23 − 23 −46 23


x1 = = = =−
2⋅4 8 8 4
4 ⋅ x 2 + 20 ⋅ x +25 + 3 ⋅ x −25 = 0
4 ⋅ x 2 + 23 ⋅ x = 0

Patric Schürhaus 16
LISTA DE EXERCÍCIOS
O movimento de um projétil, lançado para cima verticalmente, é descrito pela equação
4.15 y = −40 ⋅ x 2 + 200 ⋅ x . Onde y é a altura, em metros, atingida pelo projétil x segundos após o lançamento. A
altura máxima atingida e o tempo que esse projétil permanece no ar corresponde, respectivamente, a
6,25 m 250 m 250 m 250 m 10.000 m
 a)
5s
b)
0s
c)
5s
d)
200 s
e)
5s

Solução:
Primeiramente, calculemos o tempo de permanência do
projétil, ou seja, x segundos. Para isto, vamos calcular
∆ = b2 − 4 ⋅ a ⋅ c
2
∆ = ( 200 ) − 4 ⋅ ( −40 ) ⋅ ( 0 )
∆ = 40.000
−b ± ∆
Agora, apliquemos Bhaskara: x =
2⋅a
− ( 200 ) + 40.000 −200 + 200 0 Agora devemos calcular a ordenada do vértice da
x1 = = =− =0 parábola
2 ⋅ ( −40 ) −80 80

yV = −
− ( 200 ) + 40.000 −200 − 200 −400 4⋅a
x2 = = = =5
2 ⋅ ( −40 ) −80 −80 40.000 −40.000
yV = − = = 250
4 ⋅ ( −40 ) −160

4.16 A razão entre a soma e o produto das raízes da equação 2 ⋅ x 2 − 7 ⋅ x + 3 = 0


7 7 3 3 2
 a) b) c) d) e)
3 2 2 7 7
Solução: 6 1
A soma entre as raízes é +
Vamos calcular ∆ = b 2 − 4 ⋅ a ⋅ c 2 2
2
∆ = ( −7 ) − 4 ⋅ ( 2 ) ⋅ ( 3 ) 6 1
∆ = 25 O produto entre as raízes é ⋅
2 2
−b ± ∆
Agora, apliquemos Bhaskara: x = A razão entre a soma e o produto das raízes é:
2⋅a
2
− ( −7 ) + 25 7 + 5 12 6 6 1 7 7
x1 = = = 2 = + 2
2 ⋅ ( 2) 4 4 2 2 2 = 2 = 2 = 7 ⋅ 2 = 14 = 7
2 2
2 6 1 6 3 2 3 6 3
− ( −7 ) − 25 7 − 5 2 1 ⋅
x2 = = = 2 = 2 2 2 2
2 ⋅ ( 2) 4 2 4
4

Patric Schürhaus 17
LISTA DE EXERCÍCIOS
2
4.17 O vértice da parábola que corresponde à função y = ( x − 2 ) + 2 é
 a) (–2, –2) b) (–2, 0) c) (–2, 2) d) (2, –2) e) (2, 2)
Solução:
Agora devemos calcular a abscissa do vértice da
Primeiro vamos desmembrar o produto notável
b
( x − 2)
2 parábola, que é dada por: xV = −
2⋅a
( x)
2 2
+ 2 ⋅ ( −2 ) ⋅ ( x )+ ( −2 ) = x 2 − 4 ⋅ x + 4
xV = −
( −4 ) = 4 = 2
o quadrado
do primeiro
2 vezes o primeiro
vezes o segundo
o quadrado
do segundo 2 ⋅ (1) 2
y = x2 − 4 ⋅ x + 4 + 2 Agora devemos calcular a ordenada do vértice da

y = x2 − 4 ⋅ x + 6 parábola, que é dada por: yV = −
4⋅a
Vamos calcular ∆ = b 2 − 4 ⋅ a ⋅ c
2 yV = −
( −8 ) = 8 = 2
∆ = ( −4 ) − 4 ⋅ (1) ⋅ ( 6 ) 4 ⋅ (1) 4
∆ = 16 − 24 Portanto, o vértice da parábola ( xV , yV ) é ( 2, 2 )
∆ = −8

Um corpo lançado do solo verticalmente para cima tem posição em função do tempo dada pela função
2
4.18 f (t ) = 40 ⋅ t − 5 ⋅ t onde o tempo t é dado em segundos. Quanto tempo o corpo levará para atingir o solo
novamente?
 a) 2s b) 4s c) 8s d) 16 s e) 32 s
Solução:
−b ± ∆
Primeiro vamos reorganizar a função: Agora, apliquemos Bhaskara: x =
2⋅a
f (t ) = −5 ⋅ t 2 + 40 ⋅ t
− ( 40 ) + 1600 −40 + 40
Vamos calcular ∆ = b 2 − 4 ⋅ a ⋅ c t1 = = =0
2 ⋅ ( −5 ) −10
2
∆ = ( 40 ) − 4 ⋅ ( −5 ) ⋅ ( 0 )
− ( 40 ) − 1600 −40 − 40 −80
∆ = 1600 − 0 t2 = = = =8
2 ⋅ ( −5 ) −10 −10
∆ = 1600

Patric Schürhaus 18
LISTA DE EXERCÍCIOS
Geraldo, um bem armado caçador, avista um galináceo que está prestes a ser seu jantar. Mas entre Geraldo e
a ave há um arbusto. Geraldo, então, rapidamente calcula que terá que lançar seu letal disparo de bodoque
segundo a trajetória descrita pela função f (t ) = −2 ⋅ t 2 − 4 ⋅ t + 30 onde o tempo t é dado em segundos.
Quanto tempo a ave levará para ser atingida?

4.19

 a) 2s b) 4s c) 8s d) 16 s e) 32 s
−b ± ∆
Agora, apliquemos Bhaskara: x =
Solução: 2⋅a
Vamos calcular ∆ = b 2 − 4 ⋅ a ⋅ c − ( −4 ) + 256 4 + 16 20
t1 = = =− = −5
2
∆ = ( −4 ) − 4 ⋅ ( −2 ) ⋅ ( 30 ) 2 ⋅ ( −2 ) −4 4

∆ = 16 + 240 − ( −4 ) − 256 4 − 16 −12


t2 = = = =3
∆ = 256 2 ⋅ ( −2 ) −4 −4
A ave levará 5 + 3 = 8 segundos para ser atingida

 −b −∆ 
O vértice V =  ,  da parábola é o ponto de máximo ou mínimo da função. O vértice da parábola
4.20  2⋅a 4⋅a 
descrita pela função f ( x ) = x 2 − 4 ⋅ x + 3 é:
☺ a) (–1,–3) b) (1,–3) c) (–1,3) d) (1,3) e) (3,–1)

O lucro de uma loja, pela venda diária de x peças, é dado por L( x ) = 100 ⋅ (10 − x ) ⋅ ( x − 4 ) . O lucro máximo,
4.21
por dia, é obtido com a venda de quantas peças?
 a) 7 b) 10 c) 14 d) 50 e) 100
Solução: Para obter o maior lucro devemos encontrar a abscissa
L( x ) = 100 ⋅ (10 ⋅ x − 10 ⋅ 4 − x ⋅ x + x ⋅ 4 ) b
do vértice da parábola xV = −
2⋅a
L( x ) = 100 ⋅ ( − x 2 + 10 ⋅ x + 4 ⋅ x − 40 )
1400 −1400
L( x ) = 100 ⋅ ( − x 2 + 14 ⋅ x − 40 ) xV = − = =7
2 ⋅ ( −100 ) −200
L( x ) = −100 ⋅ x 2 + 1400 ⋅ x − 4000

Suponha que o custo C para produzir x unidades de um certo produto seja dado por
4.22 C = 2 ⋅ x 2 − 400 ⋅ x + 100.000 . Qual o nível de produção (valor de x) para que o custo seja mínimo?
( x)
 a) 70 b) 100 c) 140 d) 500 e) 1000

Patric Schürhaus 19
LISTA DE EXERCÍCIOS
Deseja-se construir uma casa térrea retangular. Determine as dimensões do retângulo onde a casa será
4.23
construída, sabendo que o seu perímetro é 60 m e que a área deve ser máxima.
 a) 12m × 15m b) 12m × 10m c) 10m × 15m d) 15m × 15m e) 11m × 12m
Solução:
L = Largura
Substituindo o comprimento encontrado na equação da
C = Comprimento
área:
Sabemos que a área de um retângulo é:
A = ( 30 − L ) ⋅ L = 30 ⋅ L − L2
A = C⋅L
E sabemos que o perímetro de um retângulo é A = − L2 + 30 ⋅ L
P = 2⋅C + 2⋅ L Nota-se que a equação resultante é uma equação do
Isolando o comprimento na equação do perímetro: segundo grau, onde temos a área como função da
largura. Se plotarmos um gráfico desta equação,
2 ⋅ C + 2 ⋅ L = 60 veremos como a área varia em função do comprimento:
60 − 2 ⋅ L
C= = 30 − L
2

−b ± ∆ E, para encontrar qual é a largura responsável pela


Aplicando Bhaskara x = encontraremos os maior área, devemos encontrar a abscissa do vértice da
2⋅a
pontos onde a área será mínima: b
parábola xV = −
2⋅a
− ( 30 ) + 900 −30 + 30 0
L1 = = = =0 30 −30
2 ⋅ ( −1) −2 −2 xV = L = − = = 15 m
2 ⋅ ( −1) −2
− ( 30 ) − 900 −30 − 30 −60 Se a largura é L = 15 , substituindo em C = 30 − L
L2 = = = = 30
2 ⋅ ( −1) −2 −2
C = 30 − 15
Pelo gráfico acima, vemos que a máxima área será o
∆ C = 15 m
vértice da parábola, ou seja: yV = −
4⋅a Portanto, o retângulo que resulta na maior área possível
é um retângulo de 15 m x 15 m
900 −900
yV = Amáx = − = = 225
4 ⋅ ( −1) −4

Patric Schürhaus 20
LISTA DE EXERCÍCIOS

Patric Schürhaus 21
LISTA DE EXERCÍCIOS
5 Desafios matemáticos
5.1 Troque apenas dois fósforos de lugar e obtenha sete quadrados.
Solução:

5.2 12 fósforos compõem a figura. Movendo 3 fósforos consegue–se reduzir a área para 2/3 da área original.
Solução:

Três homens querem atravessar um rio. O barco suporta no máximo 130 kg. Eles pesam 60, 65 e 80 kg. Como
5.3
devem proceder para atravessar o rio, sem afundar o barco?
Solução:
Os homens de 60 e 65kg atravessam. Um deles volta. O
que pesa 80kg atravessa sozinho. O barco volta com o
que havia ficado. Finalmente os de 60 e 65kg
atravessam, e os três estarão do outro lado do rio.

Na figura temos 3 círculos grandes, e cada um deles passa por 4 círculos menores. Coloque os números 1, 2,
5.4
3, 4, 5 e 6 nos círculos pequenos de modo que os números de cada círculo grande somem 14.
Solução:

Patric Schürhaus 22
LISTA DE EXERCÍCIOS
FORMULÁRIO
CA CO CO
Triângulo retângulo: cos β = sin β = tan β =
H H CA
2
π ⋅ ( ∅ EXT − ∅ INT )
Área do círculo vazado: A =
4
Volume: ∀ = A ⋅ L
m
Massa específica: ρ =

Conversão de pés: 1 ft = 12 in = 304,8 mm

[ ºC ] [ ºF ] [ ºR ] [K]
Celcius Fahrenheit Réaumur Kelvin
5 F 32 5R 9C 9 R 4C 4 F 32
C F 32 32 R K C 273,15
9 4 5 4 5 9

Legenda

☺    
MUITO FÁCIL FÁCIL INTERMEDIÁRIA DIFÍCIL CAVERNOSA

Patric Schürhaus 23