1. O que é exposição?

Exposição se refere à quantidade de luz usada para formar uma fotografia.

Conseguimos ver tudo no mundo porque tudo reflete luz* – isso já aprendemos lá no ensino fundamental. E é graças à esse princípio que a fotografia existe! Toda vez que vamos fotografar uma certa quantidade de luz, de acordo com o que tem lá fora, passa pela lente e chega no sensor ou filme. Cada pedacinho de luz contém um pouco de informção: é a luz refletida dos objetos que está indo até o nosso olho e, também, até a nossa câmera.

Para nossa câmera criar as imagens estáticas que chamamos de “fotografia” uma certa quantidade de luz deve passar pelas lentes por um tempinho para que possamos reproduzir um momento. Essa luz não pode ser demais ou nossa foto ficará superexposta. Ou seja, ela ficará clara demais! Essa luz também não pode ser de menos ou nossa foto ficará subexposta. Ou seja, ela ficará escura demais! Aposto que você já lidou com situações em que as fotos ficaram muito claras ou muito escuras, certo? Às vezes usamos isso à nosso favor como um efeito. Mas a princípio buscamos fotos com uma exposição balanceada. A exposição é baseada em três fatores: abertura do diafragma + velocidade do obturador + ISO Esses três fatores serão explicados mais adiante. São eles que controlam a luz que será transformada em imagem.

Como expor corretamente?

As câmeras possuem mecanismos para nos dizer quando a exposição está correta. Nem sempre a câmera está certa, mas com a experiência podemos nos basear no que ela nos diz para expor exatamente do jeito que queremos as diferentes situações! Ao olhar no visor da câmera conseguimos ver uma régua de exposição. Ela nos conta como está a exposição da nossa imagem com a quantidade de luz que está entrando pelas lentes! Como essa régua funciona ou se parece depende um pouquinho da sua câmera, mas basicamente ela é assim:

Este pequeno retângulo embaixo mostra a exposição atual da sua imagem! Se ele estiver bem no meio é porque a sua câmera considera que a cena está bem exposta. Neste caso pode bater a foto pois a quantidade exata de luz vai entrar para que criar uma imagem bem exposta. Se o retângulo estiver mais para a esquerda sua cena está subexposta e se estiver mais para a direita, superexposta. Subexposição: Uma foto está subexposta quando uma quantidade insuficiente de luz entrou na câmera pelas lentes. Quando isso acontece vários pontos da imagem ficam pretos: sem informação nenhuma de cor ou luminosidade. Superexposição: Uma foto está superexposta quando muita luz entrou na câmera. Quando isso acontece vários pontos da imagem ficam “estourados”: brancos e sem informação nenhuma de cor ou luminosidade.

Modo de medição de exposição
Se sua câmera possuir a configuração do modo de medição de exposição (ou metering mode) é interessante saber como configurá-lo. Existem vários metering modes que ajudam a câmera a saber melhor quando a imagem está bem exposta. Em situações em que o fundo está muito claro (por exemplo: um fundo branco ou com uma luz direta) é importante configurar sua câmera para expor somente o que está no

“meio” do visor. Assim ela desconsidera a parte muito clara (ou muito escura) e você tem uma exposição mais correta. De qualquer forma dê uma olhada no seu manual para maiores detalhes! * Obs.: as formas como cada coisa reflete a luz diferem entre si, por isso conseguimos ver os diferentes objetos e cores. Nosso olho e a câmera trabalham de forma parecida – absorvendo o espectro de cores e luminosidade de tudo que está a nossa volta! A cor preta, por exemplo, absorve toda a luz, enquanto a cor branca reflete toda a luz.

2. O que é abertura do diafragma
O diafragma é um “olhinho” que abre na hora de tirarmos a foto para que a luz passe. Controlamos a abertura desse olhinho para expor corretamente.

A primeira configuração que vamos ver para o controle da quantidade de luz que entra na nossa câmera (exposição) é a abertura do diafragma. O diafragma fica na sua lente e se parece com isso:

É simples: quanto maior for a abertura que você configurar mais luz entrará pela lente! Quanto menor for esse valor, menos luz entrará. Quando você está em uma situação de baixa luminosidade a tendência é usar uma abertura maior, para que o máximo de luz possa entrar, e vice-e-versa.

E como eu configuro a abertura?
A abertura do diafragma é medida em um valor “f”. Quando menor esse valor mais aberto está o diafragma. Cada valor de “f” tem o dobro de área do próximo valor.

Procure no manual da sua câmera a forma de alterar a abertura na hora de tirar as fotos.

Lentes e abertura
Lembre-se: cada lente tem seu diafragma e um limite de abertura. Algumas lentes conseguem um valor de f1.4 (bem aberta!) até f22 e outras conseguem um valor de f5.6 até f16. Pense nisso na hora de comprar suas lentes: dependendo do tipo de fotografia que você pretende fazer é importante ter uma lente que tenha uma abertura bem ampla para que entre mais luz.

A abertura e suas consequências
O uso de diferentes aberturas não só controla a passagem de luz como tem como consequência alguns fatores como menor profundidade de campo e aberrações, dependendo da lente. O principal fator criativo que devemos observar é a profundidade de campo. Nas próximas lições você aprenderá mais sobre a profundidade de campo, mas a princípio já vai lembrando: quando você usa uma abertura maior (valor f mais baixo) a profundidade de campo diminui, quando você usa uma abertura menor (valor f mais alto) a profundidade de campo aumenta. Veja o exemplo em fotos:

f1.8 - Várias partes da foto estão “embaçadas”

f16 - Todos os elementos estão em foco

3. O que é velocidade do obturador
A velocidade é a quantidade de tempo que o diafragma ficará aberto expondo o filme ou o sensor. Quando mais tempo, mais luz entra.

Viu só como a parte técnica da fotografia é fácil? A velocidade é super simples de entender: quando mais tempo você deixar o diafragma aberto mais luz vai entrar e expor o sensor ou o filme. Se você deixa menos tempo, menos luz entra. Como a velocidade de exposição normalmente está em frações de segundo a maioria das câmeras mostra somente a parte de baixo da fração. Ou seja: se estou deixando meu sensor ser exposto à luz durante 1/100s a minha câmera vai mostrar “100”. Quando passamos a lidar com exposições mais longas, de 1 segundo ou mais, a câmera mostra 1’, 2’, 3’ e assim por diante.

A velocidade e suas consequências

a velocidade controla a quantidade de luz que chega no sensor – sempre com consequências que usamos de forma criativa.Com uma velocidade alta conseguimos ver a água da cachoeira detalhadamente Movimento Quando usamos uma velocidade baixa tudo que está em movimento começa a ficar embaçado. .Assim como a abertura. 1/250 . Algumas delas são: Congelamento Quando usamos uma velocidade alta conseguimos captar objetos que estão se movimentando como se estivessem parados. Assim conseguimos ter essa impressão de movimento da cena.

O que é ISO ou ASA .Com uma velocidade baixa temos um efeito de movimento Cuidado na hora de apertar o botão: o movimento da própria câmera pode tremer a imagem em velocidades mais baixas! 4.1/3 .

Imagem limpa e nítida . quando temos uma situação de bastante luz deixamos o valor ISO mais baixo para que a foto não fique superexposta. Você também vai escutar alguns chamarem de “ASA”. Os valores de ISO variam muito de câmera para câmera. Veja exemplos abaixo: ISO 200 . Quanto temos pouca luz deixamos o valor de ISO mais alto para que a foto não fique subexposta. embora seja uma nomenclatura mais abandonada. No geral. Você vai encontrar valores de 80 a 3200 e muitos outros além (também chamados de “alta sensibilidade”). Quanto maior o valor ISO mais sensível será o sensor ou o filme. O ruído é uma aberração que deixa a imagem com “pontilhados” de iluminação e cores – deixando a imagem menos nítida. O último fator que controla a luz de cada exposição é a sensibilidade chamada de “ISO”. E quanto mais sensível mais luz é absorvida. O ISO e suas consequências Mais uma vez a mudança desse valores não afeta somente a exposição: no caso do ISO quanto maior o valor de sensibilidade mais ruído será encontrado no resultado final.ISO é a sensibilidade do sensor ou do filme. Quanto maior o valor mais sensível é.

Lembra que no começo contei que a luz bate em tudo que está por aí e reflete nos nossos olhos e na câmera? Então: o balanço de branco existe porque existem vários tipos de luz por aí. mas as câmeras nem sempre são tão espertas então precisamos contar para ela qual luz estamos usando para que ela a interprete da forma correta. Temperatura de cor A diferença entre uma luz e outra é a temperatura de cor – medida normalmente em Kelvins. 5. Isso acontece porque cada tipo de luz tem uma temperatura de cor.Podemos notar na imagem manchas de iluminação e cores. Todo mundo já tirou uma foto iluminada por lâmpada que ficou amarelada. Ok. Nosso olho é muito esperto então conseguimos ver as cores corretamente em qualquer situação. vamos por partes: às vezes fotografamos com a luz do sol. Às vezes fotografamos com uma luz artificial como o flash ou uma lâmpada. Assim o vermelho vai continuar vermelho e o azul vai continuar azul e – como é de se imaginar – o branco continuará branco. E dependendo da luz que bate na nossa cena as cores podem ficar diferentes. Isso acontece porque a câmera não estava preparada para a temperatura de cor dessa luz.ISO 3200 . . o famoso ruído. Principalmente na cor preta. dependendo da luz que está iluminando nossa cena. O que é Balanço de Branco O Balanço de Branco faz com que as cores da nossa foto sejam iguais às cores da realidade.

Com o balanço de branco deixamos a imagem com as cores reais. tempo nublado. Também é possível medir manualmente a temperatura de cor. como a do meio. luz de flash.Procure no seu manual a forma de mudar o Balanço de Branco na sua câmera: normalmente você encontra todas as opções que você precisa: luz do sol. lâmpada fria. 6. Foco e profundidade de campo Esses dois item definem a nitidez da nossa imagem – onde fica essa nitidez (foco)? Quantas partes da foto ficarão nítidas (profundidade de campo)? . Mas primeiro use os ajustes automáticos para depois procurar fazer isso. entre outros. tungstênio (aquela lâmpada antiga que gasta mais energia). sombra.

pois é mais curto. Quando tiramos uma foto queremos que nosso destaque. esteja nítido e visível. Vamos passar a chamá-la de “DOF”. DOF vem de “Depth of field”. Quando o DOF é maior quer dizer que tanto os objetos à frente do escolhido como ponto focal quanto os que estão atrás também ficarão com um bom foco. no geral. O foco pode ser manual ou automático. Profundidade de Campo em inglês. Observe a comparação para entender melhor: Neste caso somente o tamborzinho está em foco.Foco Todo mundo conhece o foco. Quando o DOF é menor os objetos à frente e atrás do objeto escolhido como ponto focal ficarão sem foco antes. . Nas lentes automáticas você pressiona o botão do obturador somente um pouco (meio-toque) e a câmera irá fazer o foco automaticamente. A profundidade de campo é menor e os objetos em volta estão desfocados. Profundidade de campo A profundidade de campo define o quanto os objetos “próximos” do objeto que você decidiu ser o foco estarão focados também. Manualmente você gira o anel da sua lente.

Proximidade com o objeto Quanto mais próximo do objeto você estiver. menor o DOF – e vice-e-versa.Quando a profundidade de campo é maior os objetos em volta continuam nítidos (mas nunca tão nítidos quanto o ponto principal de foco) Fatores que influenciam a profundidade de campo Abertura Quanto maior a abertura. Veja alguns exemplos de uso do DOF: . menor o DOF – e vice-e-versa. Falaremos mais sobre Distância Focal na próxima lição. menor o DOF – e vice-e-versa. Distância focal Quanto maior a distância focal (“zoom”).

Distância Focal Você deve conhecer como “zoom”. Nestes exemplos o fotógrafo está sempre na mesma distância do assunto fotografado. Quando maior o valor. mais “aberto” será o ângulo de visão de uma lente. A distância focal define o campo de visão de uma lente. a única coisa que muda é a lente! . mais “fechado” será o ângulo de visão de uma lente. graças a uma abertura de f22 e uma distância focal de 18mm fundo desfocado graças à utilização de uma abertura f1.8 7. Veja abaixo exemplos para entender melhor. A distância focal é medida em mm (milímetros) e define o quanto você consegue ver a partir de uma lente.Toda a paisagem está em foco. desde o céu até o chão. Quando esse valor é menor.

• • • • • • Fotografia Equipamento Edição Negócios Artigos diversos Podcast Fotografando paisagens: tripé e outros tremores X Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia. Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! .

. teste os modelos e se quiser volte para casa para pesquisar os preços na internet. então temos que tomar cuidado com isso também. Mas tenha certeza que é de qualidade. perfeita. Evite comprar os mais baratinhos. para o fotógrafo de paisagem ele é essencial (assim como fotografar na Hora Mágica). vá em uma loja especializada. usamos o tripé. Para conseguir que sua câmera fique super estável siga os modelos dos profissionais: Use .Powered by WP Greet Box WordPress Plugin Mais uma dica para quem gosta e quer fotografar paisagens espetaculares: use um tripé. Quando queremos uma nitidez legal usamos uma velocidade alta o suficiente para a câmera não detectar o nosso tremor ao segurá-la (e a não ser que você seja um robô você sempre vai tremer um tiquinho ao segurar a câmera!). . mas existem outros fatores que podem fazer ela tremer: a hora que você aperta o disparador e a hora que a câmera levanta o espelho para exibir o sensor. Novamente isso não é uma simples dica: é uma regra para os fotógrafos que querem resultados espetaculares. Embora o tripé seja nosso amigo em várias situações. Mais O tripé evita que você trema a câmera.. São movimentos “bruscos” comparados ao tamanho do equipamento. Mas quando queremos uma nitidez para lá de legal.

uma para levantar o espelho e outra para expor o sensor. Algumas câmeras já vem com controles remoto sem fio. em outros casos você pode adquirir facilmente um modelo compatível com a sua câmera para evitar o tremor de quando você aperta o botão disparador. Quando você dispara uma foto o espelho levanta para expor o sensor e isso causa micro-vibrações na câmera que em certas velocidades mais intermediárias pode causar perda de nitidez. Já falei um pouco sobre isso nos artigos sobre Como segurar a Câmera e Tripés e outros tremores. quais são as melhores formas de conseguir máxima nitidez na sua imagem? O tripé é o segredo . Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! Powered by WP Greet Box WordPress Plugin Para fotos com nitidez máxima é imprenscindível seguir algumas dicas. você só precisar disparar duas vezes. Use a função Mirror-lockup quando estiver usando lentes tele.Use um disparador remoto. Não custa nada. Vamos a um resumo com todas as informações diretas ao ponto? Definitivamente. O resultado dessas dicas são fotos com nitidez de dar inveja! Os segredos das fotos Nítidas X Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia.

A melhor forma de manter a câmera estável é usar um tripé. Segure firme Caso não tenha um tripé ou o momento não permita usá-lo segure sua câmera de forma firme. Quando possível apóie a câmera em uma parede ou se segure em algum local bem firme e seguro. A melhor forma de escolher um bom tripé é ir em lojas especializadas em equipamentos fotográficos e testar. Para um resultado ainda melhor utilize o timer ou um disparador remoto (assim você não irá balançar a câmera só de apertar um botão contra ela). Assim ela com certeza não irá chacoalhar enquanto expõe o sensor. A diferença entre o profissional e o amador é que o profissional não se importa em carregar um pouco mais de peso levando o tripé para todo lugar que vai. Tripé de Qualidade Compre um tripé de qualidade e alto. Use um disparador remoto ou o timer Ao apertar o disparador você pode induzir o tremor na exposição porque “empurra” a câmera para baixo. Mão direita na empunhadura e mão esquerda na lente. . Ele deve ser de um material resistente e deve ter uma cabeça com regulagem fina. Pesquisando um pouco você também já descobre as melhores marcas.

Também tome cuidado com filtros: os de baixa qualidade costumam fazer sua foto perder nitidez. Mas cada lente tem sua “personalidade” então o melhor é testar. disparador remoto e Mirror Lockup só para garantir máxima nitidez) fiz fotos de comparação de uma casa. Utilize equipamento de qualidade Lentes de pouca qualidade são as principais culpadas pela falta de nitidez no resultado final. Normalmente é um ou dois stops depois da abertura máxima (em uma lente de abertura máxima f 2.8 a provável melhor abertura é f 5. focando no número na parede. A foto é essa: .Um disparador remoto faz uma diferença inacreditável Use o mirror Lock-up Para exposições médias use a função “Mirror Lock Up” ou equivalente da sua câmera – assim evitamos tremores que vêm do próprio epelho se levantando para expor o sensor. Usando uma distância focal de 52mm. Invista em bons equipamentos e verá a qualidade técnica crescer bastante.6) e no geral se mantém até f 8. Procure no manual da sua Câmera para saber onde ativar esse recurso (será necessário apertar duas vezes o disparador: uma para levantar o espelho e outra para expor o sensor). Descubra a abertura mais nítida da sua lente Cada lente tem um ponto de abertura onde a foto tem máxima nitidez. Teste suas lentes e descubra. ISO 400 e variando somente a abertura e a velocidade (sempre com tripé. Com lentes Zoom é possível que cada Distância Focal tenha uma abertura de melhor nitidez equivalente. Abaixo vou mostrar o teste que fiz com uma das minhas lentes.

a parte interna da câmera e. A nitidez perfeita Como você pode ver para conseguir uma foto com máxima nitidez é preciso observar muitos detalhes. principalmente. pois é preciso muito cuidado ao lidar com o sensor.Agora veja a comparação a seguir: o número. :) Mantenha tudo limpo Outro motivo simples de falta de nitidez é a limpeza dos itens que compõe a câmera. Também mantenha limpos os seus filtros. Com um pouco de investimento e muito cuidado conseguimos resultados espetaculares! . Sempre mantenha bem limpo o seu sensor – se não souber como limpar sozinho vá em uma assistência técnica de confiança. suas lentes. está com a máxima nitidez de cada abertura. que foi meu ponto de foco. Neste site você compara lentes e aberturas de uma mesma lente. Note a diferença de nitidez de uma abertura para outra: É bom lembrar que você deve adequar a abertura com melhor nitidez com a abertura que dá a profundidade de campo que você deseja. Infelizmente somente para canonzeiros.

Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! Powered by WP Greet Box WordPress Plugin Embora eu costume falar bastante de retratos por aqui vou variar um pouco para a fotografia de Paisagens. . Sabe aquelas fotos magníficas de paisagens que aparecem em revistas consagradas como National Geographic? Sabe o que elas têm em comum? 99% delas foram tiradas na hora mágica.Fotografando Paisagens: a hora mágica X Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia.

a saturação lindamente aumentada.Antes do sol se pôr É a hora em que as cores ficam mais agradáveis. os contrastes diminuídos. os detalhes e texturas revelados e as sombras suaves: Mais ou menos meia hora antes e depois do nascer do sol e meia hora antes e depois do pôr do sol. .

Qualquer paisagem só fica realmente bonita na hora mágica. Se quer um resultado perfeito a primeira coisa a se fazer é fotografar na hora mágica. Então lembre-se: paisagem = hora mágica O motivo O motivo é a luz. Não é exagero meu. é uma regra. Durante esses momentos a luz do sol tem uma incidência no local onde estamos que deixa o clima perfeito para fotos de paisagens: . muda a cada minuto. É preciso muita observação e ser rápido: a hora mágica dura pouco e a luz.“Mais ou menos” pois depende de onde você está e qual época do ano. nestes momentos. Depois do sol se pôr: riqueza de cores no céu Para que fotos de Paisagens fiquem bonitas essa não é uma dica.

É o parque “queridinho” dos fotógrafos porque tem um pôr do sol lindo e acessível. Só editei o contraste e saturação pois fotografei tudo em RAW. as cores do céu são reveladas incrivelmente variadas e saturadas. Contraste: o contraste entre céu e terra fica menor. Exemplos Saí para fazer umas fotos especialmente para este artigo. Sombras: a posição do sol faz com que sombras fiquem suaves e alargadas. Um fim de tarde no Parque Tanguá. delicadas… isso também ajuda a mostrar delicamente todas as texturas de terra. Abaixo uma sequência de fotos do mesmo céu – só com diferença no enquadramento – tiradas com apenas 10 minutos de diferença entre elas. É a coloração mais rica do dia. água e construções. Antes ou depois? Quando você está fotografando algum assunto que não é o céu a luz de um pouco antes do sol se pôr normalmente é a ideal. Isso também vale para o nascer do sol (só que ao contrário). aqui de Curitiba.Depois do sol se pôr • • • Cores: as cores ficam lindamente mais saturadas e a riqueza de tons é muito maior. Quente e aconchegante. assim o céu não vira simplesmente uma mancha branca para que a terra fique com uma exposição bacana. de resto sem edições: . Quando você está fotografando o céu ou o céu está aparecendo o melhor momento é depois do pôr do sol.

Até que o céu vire um breu completo as cores vão variando. Lembre-se que depois do show do pôr do sol ainda temos alguns minutos de luz linda. ainda mais linda do que no momento exato.Neste dia o sol se pôs mais ou menos no momento da segunda foto. e algum desses momentos pode resultar em fotos maravilhosas. Veja mais algumas fotos tiradas no dia: .

.Texturas e cores um pouco antes do sol se pôr Depois que o sol se põe o céu mostra suas cores Então como primeira dica para os que pretendem fotografar paisagens: nada de sol a pino! Fotografia de Paisagem é na hora mágica.

Independente se você vai usar muito ou não. ele ajuda em muito em diversas situações. Mas a verdade é que… eu mesma pouco uso o tripé. Correr atrás de crianças ou ir para lá e para cá em um casamento com um tripé “pendurado” na câmera não é nada prático e suas fotos só vão sair piores por isso. Algumas dicas: • • Se você fotografa retratos como eu não é necessário investir muito neste equipamento. Veja o tipo de fotografia que você gosta e saiba que o melhor amigo do fotógrafo pode ser um mero coadjuvante em algumas situações. Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! Powered by WP Greet Box WordPress Plugin Já comentei nos artigos Os Segredos das fotos Nítidas e Fotografando Paisagens: Tripé e outros tremores que o Tripé é o melhor amigo do fotógrafo e sem ele não conseguimos fotos 100% nítidas. Se o objetivo é bem específico – como fotografar estrelas/luas/planetas/etc – saiba que um tripé especial será o equipamento mais importante do seus set. Mas como dizia o sábio: “na prática a teoria é outra” (sim. é um dos melhores equipamentos para se ter na hora de conseguir fotos super nítidas. Se você fotografa natureza. ter um tripé é sim essencial para todos. o objetivo é ser contraditório). Devo comprar um tripé? Sim. O tripé. A pergunta certa a fazer é… Quanto devo gastar no tripé? O segredo está na qualidade do tripé. nem que seja para segurar alguma luz rs… Algumas pessoas vão usar ele mais. É um dos primeiros acessórios a serem comprados com a aquisição da sua câmera.Eu não uso tripé X Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia. Obviamente se você usará ele pouco não precisa investir no top de linha. É preciso que ele tenha regulagens de qualidade e seja forte para aguentar correria e bastante uso. arquitetura e still – que têm “modelos” mais quietinhos – um bom tripé é um investimento importante. outras menos. Então não duvide disso. Calma! Eu não estava mentindo quando disse que ele é essencial. todo fotógrafo deve ter um tripé – acredite. O tripé vai servir para ocasiões específicas e quando você estiver com vontade de fotografar algumas paisagens com máxima nitidez. . na teoria. Se suas fotos não existem sem um tripé de qualidade obviamente você vai comprar o melhor que puder.

Isso porque a claridade do Sol é realmente forte e se quisermos usá-la ao nosso favor precisamos dimiuir bem a quantidade de luz que chega no sensor para conseguir ver os detalhes do céu. Veja abaixo um exemplo disso: . Mas só o fotógrafo atrás da câmera vai saber quando “desobedecer” à exposição indicada pela própria câmera. Quando se trata do pôr do sol a foto só ficará realmente com aquela aparência espetacular se você subexpor a foto.Como fotografar o pôr do sol X Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia. Mas para conseguir belas fotos desse momento é bom prestarmos atenção à alguns detalhes: Exposição A sua câmera sempre diz o que parece ser a melhor exposição. Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! Powered by WP Greet Box WordPress Plugin O pôr do sol é um momento incrível que se repete todos os dias mas não cansamos de admirar e fotografar.

Na foto de cima a foto está subexposta e assim podemos ver os detalhes do céu e nuvens. . a bicicleta e a areia estão “bem expostos”. A foto debaixo é a mesma. só editei no Lightroom para simular o que a câmera indicaria como uma exposição correta (e consegui isso graças ao uso do arquivo RAW ^^). Mas a magia do momento sumiu totalmente. Não era isso que eu estava vendo no momento. além de capturar as belas cores desse momento. Realmente os barcos.

por isso tentar incluir elementos extras deste local adicionam uma beleza mais única à foto. Composição Embora o momento seja lindo por si só temos que considerar que você está vendo o Pôr do Sol de algum lugar. Admito que adoro a aparência de fotos com o pôr do sol em evidência e um enorme céu acima. como abaixo: . O céu e as nuvens também podem merecer destaque na composição.Então não tenha medo de subexpor. Diafragma bem fechadinho e velocidade alta. Abaixo. As fotos de pôr do sol podem ser realmente nítidas porque com a quantidade de luz disponível podemos usar as configurações mais seguras: ISO 100. Se as nuvens estiverem realmente bonitas o efeito pode ficar ainda melhor. pois a iluminação sobre elas vai estar no seu melhor momento. o barco e o mar têm mais destaque do que o próprio pôr do sol. por exemplo.

Também podemos fugir do padrão e fazer fotos em Preto e Branco – é menos comum. Cuidado com o Balanço de Branco que sua câmera selecionar automaticamente: ela pode pensar que está tudo amarelo demais – e realmente está – e tentar compensar isso fazendo a foto ficar sem graça e sem o dourado característico do momento.Cores As cores desse momento são únicas. mas igualmente belo. .

Você também gosta de fotografar o pôr do sol? Compartilhe suas fotos no nosso Grupo do Flickr ou comente aqui suas dúvidas :) .

Antes de fotografar. veja de longe os formatos. Dê voltas pelo local. . olhe X Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia. olhe para o que vai fotografar sem lentes no meio do caminho. Preste atenção no formato que as sombras estão tomando. Todas elas podem gravar o que você está vendo. Mas você tem que VER Por Ernst Haas Essa frase de Haas resume algo essencial de ser lembrado: antes de colocar o seu supermega-fodástico equipamento na frente da sua carinha. Paisagens Ao fotografar uma paisagem evite chegar. veja o comportamento das linhas. Veja de perto as texturas. A foto abaixo é a foto padrão que todo fotógrafo curitibano tem do Parque Tanguá (super queridinho de quem quer treinar fotografia porque além de lindo tem um pôr do sol que todos os dias dá um show). olhe todos os detalhes que podem ou não aparecer na composição. Olhe de cima. das formas. Conheça todos os ângulos para aí sim montar seu equipamento e começar a fotografar as composições pensadas. Use aquele equipamento que todo mundo tem igual: seus olhos. Com os olhos podemos poupar cliques inúteis e perceber cliques extraordinários. montar seu tripé e sair clicando. Olhe para cima. Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! Powered by WP Greet Box WordPress Plugin A câmera não faz nenhuma diferença. Preste atenção de onde a luz está vindo.

Tentando aplicar o olhar diferente fiz esta outra foto abaixo. Perceba os backgrounds e “upgrounds” Quando for fotografar um assunto específico olhe em volta e veja os backgrounds. não está espetacular ou totalmente especial. São neutros o suficientes? São não-neutros de forma a ajudar na foto? Olhando para todos os lados quais são as opções que você tem? Também é interessante olhar para os “upgrounds”. Ande um pouco e conhecerá novos ângulos. Ou seja: fotografando ligeiramente mais de baixo você pode ter um . Mas com certeza sai do sentimento seguro (mas sem tanta criatividade) daquela foto tradicional de cartão postal dando menos atenção para o monumento principal. Ok.

“background” que estava em cima do seu assunto fotografado! Vale o mesmo de cima pra baixo (“downgrounds”? Esse soa esquisito rs). Na imagem abaixo simplesmente fotografar de um nível mais baixo (de baixo pra cima) fez a foto ficar com menos gente atrapalhando no fundo e a bela iluminação do teto deu destaque ao buquê: .

mas ainda sendo neutros colocando os noivos super em evidência: .Na foto abaixo o background adicionou à imagem com suas texturas e cores.

a solução foi evidenciar a modelo deixando somente ela em foco e se destacando do fundo com a luz de cabelo/contorno: .Já na foto abaixo o fundo atrapalharia se estivesse em foco também.

.Aproveite para nessa hora retirar ou mover objetos que podem atapalhar ou ajudar na composição.

Por exemplo: você não pode posar a noiva.Quando necessário se antecipe Mas nem sempre é possível ter tempo suficiente para analisar tudo na hora de fotografar. preferencialmente. Por isso você pode se antecipar conhecendo o lugar e posicionando as únicas coisas que você terá controle: você e suas luzes! =) Olhe em volta. O importante é que seja uma lente de qualidade e bem nítida. Qualquer SLR serve. Olhe e pense Mas uma foto não é feita só de composição e iluminação. :) Equipamento para fotografar comida Câmera Embora seja possível tirar fotos ótimas com qualquer câmera vamos partir do princípio que você tem mais controle por isso está lendo este artigo: então daqui pra baixo vou tratar de assuntos para quem tem ou quer ter uma câmera com controles manuais e.8. e tente ver com esses olhos.8 e 2. entre 1. Seja lá o que você estiver fotografando saiba qual é o seu objetivo. afinal você pode tirar a foto de longe com uma tele ou mesmo aproximar depois na pós-produção. antecipe o que vai acontecer e na hora de fazer a foto os resultados serão os melhores possíveis. o que você quer/precisa mostrar. analise com a cabeça e só então comece a pensar na parte técnica. O objetivo é mostrar a beleza de um lugar? O objetivo é mostrar uma emoção? Um momento? Olhe com os olhos. . possibilidades de troca de lentes. no lugar com o fundo mais bonito. Na minha opinião ser uma lente macro não é essencial. na hora da entrada. Não é necessário ter uma top de linha para fotografar comida. Lente Para criar aquele efeito magnífico de profundidade (com um DOF bem curto) é interessante ter uma lente clara.

No momento eu utilizo uma Canon 50mm 1. Mas o inconveninente de depender de luz natural é que você só vai poder fotografar de dia… rs… veja um exemplo de foto utilizando luz natural: .8. Também existem opções no mercado de lentes mais tele como 85mm ou Zoom.Uma lente bem barata e que faz milagres na hora de fotografar comida é uma 50mm 1.8 e uma Sigma 24-70mm 2. além de criar aquele DOF que dá o charme.8. Iluminação Se você não tiver flash a luz natural pode ser o suficiente. Você não vai precisar se aproximar tanto e a abertura vai possibilitar utilizar bastante iluminação ambiente.

A “luz da lâmpada” também poderia ser considerada “luz natural”. Evite com todas as forças usar o flash embutido da câmera. Utilizar um ou mais flashes externos é o ideal: para um efeito suave use sombrinhas ou difusores. Abaixo um exemplo de foto utilizando luz contínua. Ao usar flash diminua sua intensidade para poder usar a abertura mais ampla. sem difusores: . Se possível aposte na luz contínua. mas ela é bem mais fraca e você precisará deixar as configurações bem apuradas para que fique nítido.

por isso as sombras estão duras: .Como você pode ver no setup desta foto não utilizei nenhum difusor.

Mas você não precisa ter um estúdio para montar sua bela foto. Cuidando com o que tem em volta você pode tirar a foto na própria cozinha! Veja a foto abaixo: .

Então tente manter as configurações formatadas de forma que você consiga aproveitar a luz mas mantenha a niditidez. E lembre-se: sempre que possível fotografe em RAW. Abertura: Controle a abertura para que seja possível manter um DOF interessante. mas depende da distância focal) use um tripé. principalmente se você estiver utilizando luz natural. pois fotografia de comida não é nada se não estiver nítida. Para aproveitá-la mais você terá que usar uma velocidade mais baixa e para conseguir uma foto bem nítida será essencial utilizar um tripé. Usar ISO alto faz sua imagem ficar mais granulada e com menos contraste. Se quiser deixar mais alimentos em foco feche um pouco. Se você não tem um tripé lembre-se de usar velocidades mais altas. . ISO: Use o ISO mais baixo possível. Velocidade: de acordo com os dois itens acima calcule a velocidade necessária para uma exposição correta. Tripé Ter um tripé é bastante interessante. uma parte da luz foi para o fundo e a outra preencheu a iluminação do prato: Se o interessante da comida for sua textura é legal manter uma luz mais direcional.Eu queria fazer uma foto da janta sem pretensão nenhuma. Se for muito baixa (em média abaixo de 1/100. Configurações do equipamento Repetindo: fotografia de comida não é nada se não estiver nítida. então deixei o prato em cima da mesa com bagunça e tudo! Como você pode ver no setup abaixo usei o flash com rebatedor. Você pode “melhorar” esse efeito de profundidade na pós-produção caso não tenha uma lente muito clara. se quiser somente um pedacinho em foco deixe na máxima abertura da sua lente.

Por exemplo: se você está usando uma lente 50mm a velocidade mínima a se usar é 1/50′ e se você está usando uma 200mm a velocidade mínima para conseguir nitidez é 1/200mm. Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! Powered by WP Greet Box WordPress Plugin Um leitor perguntou: É verdade que existe uma velocidade mínima que.A velocidade mínima de cada distância focal X Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia. Vamos lá: Velocidade mínima A regra básica utilizada em contextos gerais é: a velocidade mínima que você conseguirá usar para que a foto saia nítida com a câmera na mão é 1/distância focal. é impossível fazer a foto com a câmera na mão pois ela não ficará nítida? É verdade e mentira ao mesmo tempo. mesmo com velocidades altas as super teles precisam estar bem estáveis para fotos com boa nitidez Então a resposta definitiva é: depende! Depende da sua lente. Na realidade existem diversos fatores que podem influenciar ela: • • • • existem pessoas que conseguem segurar a câmera mais firme. depende da sua firmeza e depende do contexto em que a foto está sendo tirada . por isso quando estão usando lentes acima dos 300mm os profissionais não dispensam o tripé. abaixo dela.) . Essa é uma regra bem simplificada. e outras já balançam tudo na hora de apertar o disparador se você está usando flash em um ambiente escuro ele vai “congelar” o assunto iluminado mesmo com uma velocidade bem baixa se você está fotografando algo em movimento quanto mais demorada for a exposição maiores são as chances de que a imagem não fique 100% nítida se você está usando lentes super tele as chances de tremer a foto são gigantescas.

A “quantidade” de bokeh – proporcional à profundidade de campo – é resultado de quatro fatores principais: 1. Distância focal . Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! Powered by WP Greet Box WordPress Plugin É claro que você pode desfocar o fundo de suas fotos usando o Photoshop. eu digo boquê. O que é o fundo desfocado? Aquela parte da foto toda desfocada na realidade pode ser chamada de bokeh (ninguém sabe de fato como se pronuncia. Aqui vou explicar como conseguir esse efeito – que é basicamente uma marca da fotografia profissional – na hora de fotografar. Mas esse é o caminho mais difícil.) É possível fazer fotos com bokeh sem ter nada em foco (a imagem é resultado dos borrões) mas neste artigo vamos tocar em um ponto principal: queremos um assunto em foco e o fundo embaçado.Como desfocar o fundo das fotos X Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia. demorado e cujos resultados ficam menos satisfatórios. Lembre-se: para ter total controle sobre esse efeito é preciso ter uma câmera que permita configurações manuais e conhecer o básico sobre a profundidade de campo.

Distância entre assunto e lente Quanto mais próximos estamos do assunto fotografado menor será a profundidade de campo. E você.4 o fundo ficará muito mais desfocado do que se estivermos usando uma abertura de f/11. por exemplo. quanto menor o ângulo que a lente alcança.Quanto maior a distância focal de uma lente. Abertura de diafragma A abertura do diafragma também é um ponto super importante na hora de desfocar o fundo. Mas seguindo alguns desses itens já é possível ter uma profundidade de campo que irá resultar em belos e verdadeiros desfoques! — Esse é um dos efeitos da fotografia impossível de se reproduzir na pós-produção. Quanto mais longe o fundo estiver das áreas aceitáveis de foco da profundidade de campo mais desfocado ele ficará! Na prática… …nem sempre é possível usar todas as técnicas. 2. menor será a distância focal. Isso faz com que focalizar no nosso assunto com uma grande angular produza menos desfoque do que focalizar nosso assunto com uma teleobjetiva. eis a questão X Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia. ou seja. 4. gosta de usar a profundiade de campo para resultados diferenciados? Eu adoro! ISO alto: usar ou não usar. 3. Se estivermos usando uma abertura de f/1. A diferença é que com uma abertura maior o fundo irá ficar mais embaçado ainda do que usando uma abertura menor. Distância entre assunto e fundo Naturalmente a distância entre o assunto e o fundo também faz uma grande diferença. o que deixa ele mais dependente da técnica de quem está fotografando =) Além de retratos e macrofotografia é também ótimo para criar efeitos criativos. mais desfocado ficará o fundo. É claro que só ficará em foco o assunto aonde estamos focando. Quando se está usando uma teleobjetiva para um retrato vai ser difícil chegar muito perto para conseguir os enquadramentos necessários. Quanto mais próximo você estiver do assunto. É por isso que macrofotografia tem um DOF muito curto: estamos super perto do assunto. Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! . sempre.

Quando o ruído não atrapalha Muitas vezes o ruído ao invés de deixar a foto feia adiciona uma aparência muito melhor. Esse ruído criado digitalmente simula a utilização de ISOs mais altos Mas quando se trata de ruído quero ir mais além: ruído é tão ruim assim? Percebo por aí muita gente com medo do ruído. Adicionando um clima mais delicado. nostálgico ou distante (o tipo de foto que é tirada sem o assunto perceber. Algumas câmeras apresentam bastante ruído já no ISO 400. uso de tripé. plugins na edição… somente para não precisar encarar imagens com ruído. outras podem usar ISO 3200 e ainda terão bastante nitidez. As sombras da imagem são a parte mais comprometida pelo ruído. O problema de usar o ISO alto é sua consequência: o ruído. A quantidade de ruído na imagem vai depender muito da sua câmera. fazendo ela ser mais espontânea): .Powered by WP Greet Box WordPress Plugin • Se você não sabe o que é ISO aproveite para ler a lição 4 do Aprenda a fotografar em 7 lições: O que é ISO? Usar um valor de ISO alto normalmente salva nossa pele em momentos de pouca luz – quando não podemos usar flash ou procuramos um efeito de luz totalmente natural. Usam métodos diversos de iluminação artificial.

necessariamente. fotos de produto para publicidade e retratos que precisam de detalhes. . Normalmente a melhor forma de fugir do ruído é fazendo fotos com iluminação artificial em estúdio (que permite usar o ISO mais baixo possível) ou em momentos de muita luz natural. ter nitidez. Como em fotos de grupo (com ruído cada carinha pode ficar irreconhecível).Quando o ruído atrapalha O ruído só atrapalha mesmo quando um dos objetivos da sua foto é.

não a câmera. a sensibilidade do nosso sensor.Nenhum ruído e nitidez máxima com ISO 100 graças à iluminação artificial Lembrando que todo esse controle que temos sobre o ISO é uma regalia da fotografia digital: na fotografia analógica quem mandava no ISO era o filme. e você? O guia definitivo da Regra dos Terços na fotografia X . Ao colocar um filme de sensibilidade 100 você era “obrigado” a tirar todas as poses com aquele ISO. Hoje podemos trocar. tendo muito controle sobre o resultado final. Eu não tenho mais medo de usar ISO alto. em cada foto.

você vê aonde enquadrar os itens preferenciais da foto: Usando as convergências – imagens mais fáceis O segredo é que cada foto tem suas características próprias e nem sempre é fácil definir o que vai nas bolinhas. essa viagem é muito mais agradável quando utilizamos as regras certas ao criar nossas composições – seja uma foto. Pois bem. uma pintura ou um cartaz. Além do indivíduo que vê a foto conseguir viajar o olhar do jeito que o fotógrafo previu. nos pontos vermelhos. Se quiser ficar atualizado com as novidades do site Assine o Feed! Powered by WP Greet Box WordPress Plugin As áreas de design. Abaixo. Talvez pela característica encontrada em todas: a percepção de estética e a nossa reação à ela. Se existirem linhas na imagem. arte e fotografia têm muitas regras em comum. Os pontos importantes da sua foto devem ficar em alguma das 4 convergências dessas linhas recém-desenhadas. e de uma forma agradável. Abaixo você vê um exemplo quando a decisão não é tão difícil: .Olá! Vejo que você é novo no Dicas de Fotografia. dê preferência em posicioná-las junto às linhas do jogo da velha. vou tratar de uma regra super-falada. mas que nunca custa frisar pois é bem importante. Ela é usada desde a época quando fotografias não exisitiam (pois é. Regra dos terços – um resumo Não é necessária muita explicação para entender essa regra: pegue a sua imagem e desenhe mentalmente um “jogo da velha” nela. houve uma época assim) e quem retratava em telas a realidade eram os pintores. Regras são feitas para serem seguidas – e quebradas Não são “regras” que alguém simplesmente inventou. são regras que existem para que quem está vendo a peça consiga entender o que o designer/artista quer passar.

. veremos a regra dos terços em várias instâncias.como o objetivo era dar destaque ao passarinho ele foi colocado em uma das convergências. Imagens mais complexas Essa foto do Museu Oscar Niemeyer (o “queridinho” dos fotógrafos de Curitiba) pode até parecer que não tem nada de mais. mas se olharmos mais “de perto”.

.

3. O exato centro do cone do meio encontra-se com a borda do cone que está em primeiro plano neste ponto. Eu diria que é brilhante se a foto não fosse minha… rs… Horizontes . Os dois cones em segundo plano ocupam o lugar da linha que divide a foto em três horizontalmente. 4.1. Um pequeno detalhe que achei que deixou tudo mais interessante: essa borda que divide um dos 9 quadros da foto diagonalmente. onde há uma convergência. O fim do cone em primeiro plano acontece bem na linha que divide a foto em três verticalmente. 2.

.Às vezes. e temos que usar o bom senso e a experiência para juntá-las e criar a composição mais harmoniosa possível. mas existem outras regras. Não centralize o monumento. Não centralize as linhas. Estou frisando a regra dos terços que tem como mote a “não centralização” dos pontos de interesse na imagem. você vai se concentrar nas próprias linhas do terço. É mais simples do que você imagina: não centralize o horizonte. Foto do amigo André Beltrame. deixe ele em evidência colocando a linha do horizonte no terço inferior. Quebre essa e outras regras de vez em quando Pela-mor-de-Deus gente. Não centralize a árvore. Se o céu está mais interessante. coloque a linha do horizonte posicionada no terço superior. como em uma foto de paisagem. Se o céu não tem nada demais e você quer dar destaque para o que está abaixo dele.

Mais uma vez. mas também quando utilizá-la. claramente. o princípio da simetria. :) Sobrou alguma dúvida? Comente! . a foto está centralizada verticalmente. E sim. diria que é brilhante se não fosse uma blogueira modesta. Apesar da foto estar centralizada verticalmente encontramos o fim da escada na linha do terço inferior.Nesta foto dá para ver também. O segredo é não só saber a regra. as luminárias nas convergências superiores e os olhos da estátua na linha do terço superior.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful