Universidade Estadual Paulista - UNESP Faculdade de Engenharia de Bauru

RETIFICAÇÃO DE VIDRO

Bruno Bastos Gonçalves João Rafael Alves Marcelo Kazuo Yamamoto Max Hiroo Maruyama

711446 712175 711462 711527

. Escoamento ocorre quando a temperatura na superfície atinge seu limite de amolecimento (Bowden & Scott.VIDRO E SEU COMPORTAMENTO Sólido amorfo (estrutura desordenada). o vidro pode escoar quando altas tensões hidrostáticas forem aplicadas (Bridgman & Simon. A temperatura ambiente. 1953). Temperatura de transição vítrea: 550ºC (para o vidro comum). 1958).

Vidros Óticos Área ótica (lentes) Carbetos cementados Área automobilística Retificação de precisão de materiais duros e frágeis Revestimentos PVD Moldes de injeção e ferramentas de conformação Ferramentas de usinagem Nanotecnologia Cerâmicas Superfície de alta qualidade (rugosidades na casa de poucos nanômetros) Materiais cristalinos .

Resinóide. Apresentam limitação quanto a rugosidade e tolerâncias devido ao efeito de auto afiação Abrasivos: Naturais. Metal-Bonded. . y Sintéticos.REBOLOS PARA RETIFICAÇÃO DE VIDRO Tipo: y y y y y Multicamada. Diamantado. y Diâmetro de grão: y Inferior a escala submicrométrica. Vitrificados.

Fig.1 ² Desenvolvimento dos rebolos para retificação de vidro .

Fig.2 ² Retificação paralela .

3 ² Retificação transversal .Fig.

Cavacos com espessura de nível nanométrico. Danos mínimos na superfície/subsuperície.RETIFICAÇÃO DE VIDRO ÓTICO Material é removido a baixas taxas. . Baixas forças envolvidas (evidenciadas pelos baixos níveis de emissão acústica).

Amplitudes baixas de vibração entre o rebolo e a peça é um característica fundamental a máquina para a obtenção de remoção dúctil.REMOÇÃO DÚCTIL X REMOÇÃO FRÁGIL A remoção frágil deve ser evitada afim de reduzir os danos superficiais e sub-superficiais. . Uma distribuição não uniforme dos grãos no rebolo prejudica a qualidade superficial.

caracterizado pela ação de expulsão de cavacos. y Um segundo regime parcial dúctil. no qual a ação de corte foi acompanhada pela formação de cavaco. também pode ser alcançado para velocidades relativamente altas. y . um primeiro regime parcial dúctil.DANOS SUPERFICIAIS Podem ocorrer em três regimes: Em velocidades relativamente baixas. y Regime de fragmentação. ocorre em valores de velocidade intermediária. no entanto.

4 ² Classificação do dano superficial de uma peça de sílica fundida para rebolo diamantado .Fig.

Fig.5 ² Classificação do dano sub-superficial de uma peça de sílica fundida para rebolo diamantado .

y Essas características permitem uma boa taxa de remoção associada a uma melhor linearidade de corte.RETIFICAÇÃO COM REBOLO DIAMANTADO O desgaste das partículas de diamante para baixas velocidades ocorre em três mecanismos: Quebra protusiva. y Quebra parcial. y Esparsamento. .

porém são inevitáveis devido as características do processo de retificação.USINABILIDADE DOS VIDROS A tenacidade pode ser usado para prever a usinabilidade do vidro. y Sílica fundida: menor tenacidade pior usinabilidade em relação a quartzo fundido. . menor é a profundidade do dano superficial. Trincas sub-superficiais podem ser reduzidas. por exemplo: Quartzo fundido: maior tenacidade melhor usinabilidade melhor qualidade superficial e subsuperficial. y Para maior tenacidade.

y Devido a constante modificação do perfil do rebolo. a reprodutibilidade de resultados é prejudicada. y Das características do material da peça. y Das forças envolvidas no processo. .USINABILIDADE DOS VIDROS A profundidade do dano superficial depende: Da geometria do grão abrasivo.

CONCLUSÕES O processo de lapidação promove um melhor acabamento superficial e menor ocorrência de trincas e danos. . Os periódicos ciclos de dressagem para a reafiação do rebolo consomem uma parcela considerável de tempo. logo o desenvolvimento de métodos de produção eficientes visam garantir a qualidade dos componentes usinados assim como a estabilidade do processo de produção envolvido.

S. Mkaddem. David Stephensonb. Qingliang Zhaoa. X. Journal of Materials Processing Technology 210 (2010) 466²473.BIBLIOGRAFIA I. El Mansori (2009) Effects of abrasive tools on surface finishing under brittle-ductile grinding regimes when manufacturing glass. M. Zervos (2005) A study on ELID ultra precision grinding of optical glass with acoustic emission. Demirci.J. . Sun. Yingchun Lianga. D. Stephenson. C. International Journal of Machine Tools & Manufacture 47 (2007) 2091²2097. International Journal of Machine Tools & Manufacture 46 (2006) 1053²1063. A. Mezghani. John Corbettb (2007) Surface and subsurface integrity in diamond grinding of optical glasses on Tetraform ¶C·.

K.smooth surface. Namba. Y.E. 56 (5) (1990) 788²792. Franks. N. Koizumi. Puttick. H. 195²209. 7 (1). Y. M. J. CIRP 42 (1) (1993) 417²420. Ann. Int. A fundamental study of dry and wet grinding from the viewpoint of bending tests of glass. Abe. 1999. The physics of ductile²brittle machining transitions: single-point theory and experiment. Kanda. Y. Resour. Kotake. Soc. Precis. Kawaguchi. T. Ultraprecision grinding of optical glasses to produce super. Kanda (2004) A fundamental study of dry and wet grinding in bending tests on glass³effect of repeated impact on fracture probability. . Minerals Engineering 17 (2004) 1281²1285. A. Soc. Eng. J.. Jpn. Eng. Mater.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful