1) Influências históricas na Administração - Influência dos filósofos Platão (429 a.C 347 a.

C) Filósofo grego, discípulo de Sócrates, preocupou-se profundamente com os problemas polít icos inerentes ao desenvolvimento social e cultural do povo grego. Em sua obra, A República, expõe o seu ponto de vista sobre a forma democrática de gove rno e de administração dos negócios públicos.

Aristóteles Flósofo grego, discípulo de Platão, do qual bastante divergiu, estuda no seu livro Polít ica a organização do Estado e distingue três formas de Administração pública: Monarquia, Ar stocracia e Democracia. Francis Bacon (1561-1626), filósofo e estadista inglês, considerado o fundador da Lógi ca Moderna, baseada no método experimental e indutivo, antecipou-se ao princípio con hecido em Administração como principio da prevalência do principal sobre o acessório .

René Descartes (1596-1650), filósofo, matemático e físico francês, considerado o fundador da filosofia moderna. Em seu livro O Discurso do Método descreve os preceitos do s eu método filosófico, hoje denominado o método cartesiano, que serviu de fundamento pa ra a tradição cientifica do ocidente. Vários princípios da moderna administração, como os d divisão do trabalho, da ordem, do controle etc. estão basicamente contidos nos prin cípios cartesianos. Espero ter ajudado. Mariana Estevam As citaçôes citadas são diretas do livro logo abaixo. alguem sabe fazer citação indireta do texto abaixo. Influências históricas na administração. Influência dos filósofos Platão (429 a.C 347 a.C) Também filósofo grego, discípulo de Sócrates, preocupou-se profun damente com os problemas políticos inerentes ao desenvolvimento social e cultural do povo grego. Em sua obra, A República, expõe o seu ponto de vista sobre a forma de mocrática de governo e de administração dos negócios públicos. Aristóteles, também filósofo grego, discípulo de Platão, do qual bastante divergiu, deu en orme impulso à Filosofia principalmente à Cosmologia, Nosologia, Metafísica, Ciências Na turais, abrindo as perspectivas do conhecimento humano na sua época. Foi o criador da Lógica. No seu livro política, estuda a organização do Estado e distingue três formas de Administração pública: Monarquia, Aristocracia e democracia. Francis Bacon (1561-1626), filósofo e estadista inglês, considerado o fundador da Lógi ca Moderna, baseada no método experimental e indutivo. Antecipou-se ao princípio con hecido em Administração como principio da prevalência do principal sobre o acessório . René Descartes (1596-1650), um filósofo, matemático e físico francês, considerado o fundad or da filosofia moderna. Em seu livro O Discurso do Método, qual descreve os prece itos do seu método filosófico, hoje denominado o método cartesiano, que serviu de fund amento para a tradição cientifica do ocidente. Veremos mais tarde que vários princípios da moderna administração, como os da divisão do trabalho, da ordem, do controle etc. e stão basicamente contidos nos princípios cartesianos. Thomas Hobbes (1588-1679) desenvolveu a teoria da origem contratualista do estad o, segundo o qual o homem primitivo, vivendo em estado selvagem, passou lentamen te à vida social, através de um pacto entre todos. O homem primitivo era um ser anti -social por definição, vivendo em guerra permanente com o próximo. O Estado viria a se r, portanto, a inevitável resultante da questão, impondo a ordem e organizando a vid a social, qual um Leviatã.

Com o surgimento da Filosofia Moderna. seu estado-maior (assessoria) e sua coordenação funcional. sua hierarquia de autoridade.Princípio da Dúvida Sistemática ou da Evidência a. A organização militar tem influenciado enormemente o desenvolvimento das teorias da Administração ao longo do tempo. O surgimento do poder político e do Estado nada mai s é do que o fruto da dominação econômica do homem pelo homem. por exemplo. as normas administrativas e princípios de organização pública foram-se transferindo das instituições dos Estados para as instituições da nascente Igreja Católica e para as organizações militares. Em seu livro O Discurso do Método. Kal Marx (1818-1883) e seu parceiro Friedrich Engels (1820-1895) propõem uma teori a da origem econômica do Estado. Veremos mais tarde que vários princípios da moderna administração. . não é verdadeiro até que se saiba com e . hoje denominado o método cartesiano.Princípio da Síntese ou da Composição processo racional que consiste no ordenamento do s pensamentos. verificações e rev e modo a tornar-se seguro de não ter havido qualquer omissão durante o processo de r aciocínio (checklist). tem suas origens na organização militar dos . considerado fundador da Filosofia Moderna. passaram a incorporar uma infinidade de princípios e normas administrativas utilizadas na Igreja Católica. De qualquer forma.Princípio da Enumeração ou da Verificação em tudo fazer recontagens.Princípio da Análise ou da Decomposição . -------------------------------------------------------------3) Influência da Igreja Católica Através dos séculos. dos mais fáceis e simples para os mais difíceis e complexos.dividir e decompor cada parte de um problema para analisar as suas partes separadamente. uma vez que o campo de estudo filosófico afasta-se enormemente dos prob lemas organizacionais. ávidas de experiências bem sucedidas. deixa a Administração de receber contribuições e influências.Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) desenvolveu a teoria do Contrato Social: O Est ado surge de um acordo de vontades. qual descreve os preceitos do seu método filosófico. matemático e físico francês. --------------------------------------------------------------2) René Descartes (1596 1650) filósofo. do controle etc. A organização linear. Ao longo dos séculos. --------------------------------------------------------------4) Influência do Exercito. a Igreja Católica foi estruturando sua organização. celebrizado pela sua obra O Discurso do Método . . a estrutura da organização eclesiástica serviu de modelo para muitas organizações que. da ordem. considerado o fundador da filosofia moderna. hoje denominado método cartesiano cu jos princípios são: . como realmente verdadeiro. ---------------René Descartes (1596-1650). matemático e físico francês. estão basicamente contidos nos princípios cartesianos. em que descrev e os principais preceitos do seu método filosófico. que serviu de fundamento para a tradição cientifica do ocidente. como os da divisão do trabalho. Hoje a Igreja tem uma organização hierárquica tão simples e eficiente que a sua enorme organização mundial pode operar satisfatoriamente sob o comando de uma só cabeça executiva. ou seja. um filósofo.

Shop Management. e até o Extremo Oriente. 5. Mesmo Napoleão.1 a dominação da indústria pelas inversões bancárias e instituições financeiras e de crédito. o Grande (1712-1786). com a invenção da máquina a vapor por James Watt (1736-1819) e a sua posterior aplicação à produção.3 a separação entre a propriedade particular e a direção das empresas. 6. com o Imperador Frederico II. precursor do exército prussiano. foram maiores do que as mudanças havidas no milênio anterior. Morgan & Co.A substituição do Vapor pela Eletricidade. 4 6.Transformações radicais nos transportes e comunicações. ------------------------------------------------------------------5) Influência da Revolução Industrial A partir de 1776. que se iniciou na Inglaterra e rapidamente se alastrou por todo o mundo civilizado.A substituição do Ferro pelo Aço. através do qual todo soldado deve saber perfeitamente o que se espera dele e aquilo que ele deve fazer. pela J.P. Esse estudo permitiu também um a maior especialização das atividades e uma maior adequação de cada operário à sua atividad . ou seja. 4. que permitiu a racional ização dos métodos de trabalho do operário e a fixação de tempos padrões para a execução de arefa. 6. o general mais autocrata da história militar. nunca deu uma ordem sem explicar o seu objetivo e certificar-se de que haviam compreendido corretamente. 3.O desenvolvimento de novas formas de organização capitalista: 6. política e social que. O conceito de hierarquia dentro do exercito é provavelmente tão antigo quanto a própria guerra. como foi o caso da formação da United States Steel Corporation. A escala hierárquica. a escala de níveis de comando de acordo com o grau de autoridade e responsabilidade correspondente é tipicamente um aspecto da organização militar utilizado em outras organizações. o estado-maior formal como um quartel-general somente apareceu em 1665 com a Marca de Brandenburgo. uma nova concepção do trabalho modificou completamente a estrutura social e comercial da época. A segunda fase da revolução industrial a partir de 1860 apresenta as seguintes características: 1. 7 A expansão da industrialização até a Europa Central e Oriental.O desenvolvimento de maquinaria automática e um alto grau de especialização do trabalho. -------------------------------------------------------------------- 6) Taylor desenvolveu uma análise do trabalho realizado pelos operários e desenvolve u um estudo dos tempos e movimentos (motion-time study). Todavia.a formação de imensas acumulações de capital. pois a necessidade de um estado estado-maior sempre existiu para o exercito. A evolução do princípio de assessoria e a formação de um estado-3 maior geral ocorreu posteriormente na Prussia. pois estava convencido de que a obediência cega jamais leva a uma execução inteligente de qualquer coisa. em 1901. Taylor estabelece que toda a operação fabril pode e deve ser um processo padronizado e planejado de modo a eliminar to do e qualquer desperdício de esforço humano e de tempo.4 o desenvolvimento das holding companies. É o período chamado Revolução Industrial. Em sua primeira obra. provocando profundas e rápidas mudanças de ordem econômica. O principio da unidade de comando (pelo qual cada subordinado só pode Ter um superior) fundamental para a função de direção. Uma Outra contribuição da organização é o princípio da direção.O crescente domínio da industria pela ciência.2 . provenientes de trustes e fusões de empresas. num lapso de aproximadamente um século. 6.exércitos da Antigüidade e da época medieval. 2.

Fay ol. que consiste no estabelecimento da melhor forma de se desenvolver cada operação fabril. decompondo-as em movimentos elementares e estabelecendo o método mais eficiente de desenvolvê-las. preguiçoso e culpado pela vadiagem e desperdício das empresas" (CHIAVENATO. ou mais produtos utilizando a mesma quantidade de rec ursos. que tinha visão e controle do produto final. A partir dessa análise e sistematização. a gerência deve distribuir as atribuições de c ada um no processo fabril e repassar as responsabilidades. a supervisão é responsável por repassar o planejamento e c ontrolar a execução e o operário fica a execução pura e simples das tarefas.colocam como uns dos elementos imprescidíveis à gestão de em presas a Divisão do Trabalho e a Especialização. a gerência deve substituir o empirismo das operações fabris por métodos baseados em procedimentos científicos. A partir do conceito de homo economicus. ta nto em termos fabris como organizacionais.73). Dentro do princípio d o planejamento. do trabalho físico. eram as re compensas materiais obtidas pelo aumento da produtividade. do controle e da execução. A motivação do operário. segundo Taylor. Basicamente. material. Para isso. mão-de-obra . Taylor separou o trabalho me ntal. que seria responsabilidade da gerência. 1 993. devem ser analisadas as tarefas executadas pelo operário. A conseqüência da Divisão do Trabalho é a especialização do operário. Assim. etc. Especialização no sentido operacional.) possíveis. -------------------------------------------------------------------7) A eficiência é a capacidade do administrador de obter bons produtos (produtividad e. --------------------------------------------------------------------8) Desde os primórdios da Teoria Administrativa os pricipais autores . A divisão correspo nde ao que fazer enquanto a especilização determina como fazer. de responsabilidad e do empregado. Um gerente eficiente é aquele que realiza uma tarefa da melhor forma possível . O controle é estabele cido para garantir o cumprimento das normas estabelecidas pelo planejamento na e xecução das tarefas. Taylor desenvolveu uma Organização Raciona l do Trabalho. O operário era visto como um indivíduo "limitado e mesq uinho. Taylor estabeleceu quatro p rincípios: do planejamento. Ao con trário do artesão. o operário especializado só conhece a tarefa que desempenha. a Administração Científica estabelece que o pagamento do trabalhad or deva estar relacionado à sua produtividade para que ele desenvolva o máximo de pr odução de que é fisicamente capaz. Essa organização estabelecia uma divisão de responsabilidades: a gerência fica com o p lanejamento das atividades. o trabalhador passa a ser cada vez mais especializa do a desenvolver apenas uma parte do trabalho total. Ela corresponde à soma dos atributos de cada um na orga nização. No princípio do preparo. do preparo. onde cada um azer as suas tarefas de maneira mais efeciente e eficaz possível. buscando sempre corrigir. Como decorrência da aplicação dessas idéias. de acordo com o princíp io da execução.) utilizando a menor quantidade de recursos (tempo.. do método mais eficiente para executar a(s) tarefas(s) . E por fim. aperfeiçoar e premiar os níveis de eficiênc ia e produtividade alcançados. partindo-se do press uposto de fazer cada vez melhor. prepará-los e treiná-los para que desempenhem o trabalho com a máxima eficiência possível. ocorre uma divisão do trabalho de cada operário realiza uma única tarefa predominante.Taylor. Para descrever as atribuições da gerência. Todas as atividades er am divididas em tarefas e ensinadas aos empregados. O equipamento necessário e os materiais utilizados também devem es tar dispostos de forma a evitar desperdícios de esforço e tempo. alia do princípios militares e de engenharia. de forma repetitiva e predet erminada pela gerência. Isso fazia com que o operário produzisse mais e a empresa tivesse maior controle sobre seu desempenho. A questão é que a divisão do trabalho e a conseqüente especialização do operário acarreta e . ou seja. independente de ser no sentido qualitativo quan to qualitativo. A divisão do trabalho é a definição das tarefas que cada indivíduos deve fazer para cumpri r as atribuições de seu cargo. surgindo então a idéia de treina mento. Weber dentre outros . As normas de atuação no trabalho passaram a ser mais claras e detalhadas e o empre gador obteve maior controle sobre o desempenho do operário. com eça a se delinear uma estruturação mais sistemática do gerenciamento das organizações. devem ser selecion ados os trabalhadores de acordo com as características necessárias para o desempenho de cada tarefa. p. etc. Com isso. desempenho.

tal como os animais.tos colaterais sérios às organizações. 3. da origem a cargos. 4.O homem está perfeitamente informado. Est e primeiro princípio é então afectivo. Certamente esse atacante seria penalizado por seu clube de futebol. aplicadas ao consumo e à produção.O homem vive o presente num tempo linear. do bem-es tar e a evitação da dor. 5. ou "encarregado por essa infor mação foi levar a filha mais nova ao médico e só volta amanhã" e muitas outras maneiras de se fechar e proteger dentro das descrições de cargos. cujo o autor principal é John Stuart Mill (1806-1873) afirma que o que é útil é valioso e contrapõe o prazer calculado ao irracional.Ele está só e portanto livre dos outros homens. Cabe aos gerentes criarem funcionários capazes de. mas porque são essenciais para o ganho de produtividad e ------------------------------------------------------------------------ . Com base nesta construção abstracta. em momentos emergenciais. que afirma que o homem está sujeito. o utilitarismo e o sensualismo. Após a partida esse atacante respondendo aos questionamentos dos repórteres afirma que a divisão do trabalho que estava determinada a ele era fazer gols e ele fazia de várias maneiras. seus métodos e suas relações com os o utros cargos da organização. O Sensualismo segundo Condilac (1714-1780) afirma serem os sentidos a fonte do c onhecimento. Princípios fundamentais do conceito homo economicus: 1. O Hedonismo. classificando os pra zeres nobres e pobres. supri rem a falta de um indivíduo da organização. três grandes correntes filosóficas são responsáveis pela criação dest conceito: o hedonismo. não se lembra nem tem a capacidade de prever. Imagine uma partida de futebol onde o atacante em determinado momento do jogo es tá na grande área do seu time enquanto o time adversãrio cobra um escanteio e esse ata cante simplesmente não desvia uma bola adversária em direção ao gol e seu time perde a p artida por 1 a 0. pois define a única razão da actividade económica. 2. que os economistas construíram sobre um corpo teóri co unanimemente aceite. -------------------------------------------------------------------9) Tarefas são a menor unidade do trabalho. Agora por analogia quantas informações são negadas aos clientes internos e externos da empresa pelo simples fato de "esse não é meu setor". à lei natural dos instintos e que portanto se encontra implícita a procura do prazer. o interesse pessoal e a racionalidade são validos em todos os lugares e em todos as épocas. tem conhecimento da totalidade das conseq uências de todas as possibilidades das acções que se lhe oferecem. O desenho dos cargos acontece quando cons egue-se estabelecer as várias tarefas deste cargo. Não que seja algo negativo nas organizações mas ela ode ocasionar uma acomodação dos ocupantes dos cargos.O sujeito é universal. acontecendo de maneira cíclica. Segundo Albou (1984). -----------------------------------------------------------------------11) Condições de trabalho: O conforto do operário e o ambiente físico ganham valor. O conjunto destas tarefas. não existem determinismos que lhe sejam exteriores.O homem não obedece senão à razão. uma teoria do comportamento coerente. não po rque as pessoas merecessem. ou seja. ---------------------------------------------------------------------10) O conceito de Homo Economicus é um postulado da racionalidade que é caracterizad o pelo triunfo dos economistas que encontraram nele. elaboraram-se leis económicas que se encontram em todas as obras fundamentais: a lei da maximização da utilidade e leis sobre a utilidade marg inal.A razão psicológica essencial a toda a actividade humana é o interesse pessoal. a semelhança dos biólogos no Da rwinismo. 6. O Utilitarismo.

ordenada e co . Em 1913. a Ford Motor Co.. na maio ria dos paizes da Europa. repartiu com seus empregados uma parte do contro le acionário da sua empresa. estabelecendo suas principais diferenças. é a capacidade de consumo em massa. fabricando então 2. de forma prática e simples. em 1899. em sua origem latina. Contudo. unifi cação e formas de encadear as forças construtivas. já fabrica va 800 carros por dia. Por normalização dev entender. Fez uma das maiores fortunas do mundo graças ao constante aperfeiçoamento de seus méto dos. prescrição. Em 1926 . revolucionando aestrtégia comercial da época. Continuou seus projetos sem desanimar e conseg uiu financiamento com o qual fundou. no seu sentido mais amplo. Idealizou e projetou um modelo de carro autopro pelido e. necessária e suficiente para a existência da produção massa. chegando posteriormente a engenheiro-chefe de uma fábrica.12)O advento da revolução industrial. tendo em vista as divergências existentes na definição e interpretação do vocábulo. a ABNT usa a terminologia de normalização num sentido amplo. Três aspectos suportam o sistema: · a progressão do produto através do processo produtivoplanajada. No Brasil. A condição-chave da produção em massa é a sisimplicidade. Henry Ford ( 1863-19470 iniciou sua vida como simples macânico. prescrição. marketing obrigaram as organizações industriais a aprimorarem seus métodos de trabalho. de produção. significa dire triz. Por origem latina. teve outro méritos que simplesmente o de haver construido o primeiro carro popular em larga escala e ter feito fortuna principalmente por te r formulado um punhado de idéias e teorias próprias a respeito da Administração. processos e produtos.000 de car ros por ano. ná época. moderno método que permite fabri car grandes quantidades de um determinado produto padronizado. significa diretriz. Desta maneira. mão-de-obra. nos meados do século passado. Segundo eles a palavra norma. a jornada diária variava entre dez e doze horas. introduzindo avançadas técnicas administrativa s. maquinário. Brin kman e Borich. Três autores alemães esclarecem a origem etimológica da palavra norma: Zimmerman. Em 1914. Utilizo u o sistema de concentrção vertical produzindo desde a matéria-prima inicial ao produt o final acabado. que logo depois foi fechada. fundou com alguns colaboradores a sua primeira fábrica de automóv eis. isto é. Estabeleceu nessa época o salário mínimo de cinco dólares (US $ 5. em 1903. seja real ou potencial. A normalização não significa somente ordenação. considerando as necessidades de todos os interessados.000 pessoas. A condição recedente. Hquando. precisamos conceituar Normalização e P adronização. materiais. além da concentração horizontal através de uma cadeia de distribuição come cial por meio de agência próprias. idealizou a linha de montagem. desenho e ao mínimo c usto possível. Na produção em série ou de massa. utensílios. analisaremos o conceito de padronização. trouxe modificações pr ofundas no campo da ação administrativa. O avanço tecnológico moderno e o espírito competi tivo traduzido em aprimoramento em todos os campos de atividade empresarial. Por meio da racionalização da produção. de forma a tornar fácil o seu trato e o seu uso.000. ------------------------------------------------------------------------- 13) Talvez o mais conhecido de todos os precursores da moderna Administração. Inicialmente. com o fim d e evitar a variedade técnica e econômica arbitrária de dimensões e propriedades de todas as classes de produtos industriais. equipamento. Princípio da Padronização: padronizar e classificar.00) por dia e jornada diária de oito horas de trabalho. mas também o trabalho de desenvolve-l as. o produto é padronizado em seu material. fabricando um mo delo da carros a preços populares dentro de um plano de vendas e de assistência técnic a de grande alcance. qua is sejam o administrativo. já tinha 88 usinas e já empregava 150. bem como métodos e processos de trabal ho a serem utilizados. o que lhe permitiu a produção em série. o trabalho feito de maneira mais sistemática e organizada.

á saber: · Princípio de intensificação: consiste em diminuir o tempo de duração com o emprego imediato dos equipamentos e da matéria prima e rápida colocação do produto no mercado. em seu livro: "O minério sai da mina no sábado e é entreg e sob a forma de um carro. . O principio da exceçãoé um sistema de informação que apres enta seus dados somente quando os resultados efetivamente verificados na prática diverg em ou se distanciam dos resultados previstos em algum programa. Assim. caracteriza-se por interagir com o ambiente e por passar por constantes adaptações. tanto os desvios positivos quanto negativos que fugi ssem dos padrões normais deveriam ser rapidamente identificados e localizados para a devida tomada de providências. A velocidade de pr odução deve ser rápida. ao consumidor. Dai o principio da exceção. desenvolvida por BERTALANFFY (1969). à tarde". Em outros termos. ou seja. Por meio desse princípio. como ocorre com os seres vivos. O principio da exceçãoé fundame ntado em relatórios condensados e resumidos que acusam apenas os desvios ou afastamentos . na terça feira. o operário pode ganhar mais. para corrigi-las adequadamente. ------------------------------------------------------------------------------------------16) A organização concebida como um sistema aberto. · as operações são analizadas em seus elementos constituintes. tudo o que ocorre dentro dos pad rões normais deve ocupar demasiado a atenção do administrador. a execução torn ou-se totalmente padronizada. e o empresário ter maior produção. · Princípio da produtividade: consiste em aumentar a capacidade de produção do ho mem no mesmo período ( produtividade ) por meio da especialização e da linha de montag em. segundo o qual as decisões mais freqüentes devem reduzir-se h rotina e delegadas aos subordinados. Ford adotou três princípios básicos. -----------------------------------------------------------------------------14) Princípio da Exceção: Taylor adotou um sistema de controle operacional bastante simples e que se baseava não no desempenho médio. à partir da teoria geral dos siste mas. deixando os problemas mais sério s e importantes para os superiores. Este deveria prioritariamente veri ficar as ocorrências que se afastassem dos padrões. fundamentado em conceitos da biologia.ntínua. conseguiu fazer com que o trator ou o automóvel fossem pagos à sua empresa antes de vencido o prazo de pagamen to da matéria-prima adquirida. e o fracionamento das tarefas. Desta forma. · Princípio de economicidade: consiste em reduzir ao mínimo o volume do estoque da matéria-prima em transformação. bem como do pagamento de salários. mas apenas na verificação das exceções ou desvios dos padrões normais. as exceções. · o trabalho é entregue ao trabalhador em vez de deixá-lo com a iniciativa de i r buscá-lo. um mesmo período de tempo. Diz Ford. omitind ------------------------------------------------------------------------------------------15) Com a super especialização do operário.

É preciso entender de que forma as diferentes partes do sist ema interagem. U m sistema pára de funcionar adequadamente quando ocorre entropia interna. algumas funções do corpo operam no sentido de tentar contra-atacar essa elevação. caso queiram conservar-se de forma estável". uma vez que esses tem tendência d e se deteriorar e parar. como : homeostase. Dessa forma. O princípio da equifinalidade refere-se ao fato de ser conseguido um mesmo objetiv o à partir de vários meio diferentes. -------------------------------------------------------------------------------------17) Embora seja possível tentar entender o funcionamento de um carro só olhando as s uas partes separadamente. a concepção das organizações como sistemas abertos. Os organismos biológicos procu ram conservar uma forma regular que os diferencie do ambiente enquanto mantém uma troca contínua com esse mesmo ambiente. Os sistemas sociais também tem necessidade de tais processos de controle homeostátic o. é d ito que se caracterizam por entropia negativa"(MORGAN. Essa interação dos elementos do sistema é chamada de sinergia. Por outro lado a entropia (conceito da física) é a desordem ou ausência de sinergia. trouxe para o âmbito o rganizacional conceitos próprios da biologia. Essas características são conseguidas através do processo de homeostasia que regula e controla o funcionamento do sistema tomand o por base aquilo que hoje se conhece como "retroalimentação negativa" segundo a qua l um desvio da norma engendra ações destinadas a corrigi-lo. MORGAN(1996). começa-se a transpirar e a respirar pesadamente. importando energia para tentar compensar as tendências entrópicas. assim se coloca : " o conceito de homeostase diz respeito à auto-reg ulação e à capacidade de conservar um estado equilibrado. " A entropia é característica dos sistemas fechados. Dessa forma. tão logo a temperatura do corpo humano se eleva acima dos limites nor mais. e equifinalidade. entropia e entrop ia negativa. . como por exemplo. Os sistemas abertos.1996).Por outro lado. por outro lado. tentam sustentar-s e. o observador talvez não consiga compreender o que é um car ro só olhando suas peças. A sinerg ia é o que possibilita um sistema funcionar adequadamente.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Cancel anytime.