You are on page 1of 3

c  


    

     
 

Por Edinalva Oliveira

A maioria das pessoas tem ideia errôneaem relação ao auxilio reclusãoou auxilio ao
preso,quando na verdade,há que se lembrar de queeste auxilio não é dado ao preso e sim a
família e ou dependentes do preso, cujo objetivo é proteger a família do preso para que
estes (dependentes do preso) não passe por privações maiores que as necessárias, tais como
o sofrimento e o constrangimento, ou seja não passe por dificuldades como falta de alimento
e necessidades mínimas básicas ao ser humano, observe que este benefício é concedido
somente as pessoas de baixa renda, e outra vertente a considerar é que este o preso tem
que ter condição de assegurado pela previdência quando por ocasião do infortúnio, ou seja,
o preso tem que ser contribuinte da previdência por ocasião em que foi preso. Seumapessoa
nunca trabalhou com carteira registrada ou nunca contribuiu com a previdência social,
certamente não terá direito a este beneficio.


    c          



 
   
   
 
   
  
   c  
 c  

1.     é um benefício devido aos dependentes do segurado recolhido à


prisão, durante o período em que estiver preso sob-regime fechado ou semiaberto. Não
cabe concessão de auxílio-reclusão aos dependentes do segurado que estiver em
livramento condicional ou cumprindo pena em regime aberto

2.   Eproteger a família do preso e a seus dependentesum auxilio que assegure


que os mesmos nao passe por privaçoes como a falta de alimentos e outros generos
de necessidades básicas.Primeiramente, tem-se que o instituto em tela atende ao
comando do art. 226 da CF, o qual prevê ³! !  !
å à família por parte do
Estado. Na seara previdenciária, a família é protegida por meio dos benefícios de pensão
por morte e auxílio-reclusão. Em ambos o risco social atendido é a perda da fonte de
subsistência do núcleo familiar, na primeira hipótese em razão do óbito do segurado, na
segunda, por ocasião de sua detenção prisional. Sendo assim, o auxílio-reclusão é
prestação pecuniária, de caráter substitutivo, destinado a suprir, ou pelo menos
minimizar, a falta do provedor as necessidades econômicas dos dependentes.

  
      

            !"  #     
$ !!"  # c !    %"   "   &
  

O qual diploma queque ³    
       ou seja a
nossa Constituição entende que privando a família do provimento mínimo para alimentação
estaria estendendo a pena a outras pessoas da família do condenado, desta forma ao prover o
benefício o Estado fica em harmonia com a Constituição Federal.


Para a concessão do benefício, é necessário o cumprimento dos seguintes requisitos:
ƒ O segurado que tiver sido preso não poderá estar recebendo salário
daempresa na qual trabalhava, nem estar em gozo de auxílio-doença,
aposentadoria ou abono de permanência em serviço;
ƒ a reclusão deverá ter ocorrido no prazo de manutenção da qualidade
de segurado;
ƒ o último salário-de-contribuição do segurado (vigente na data do
recolhimento à prisão ou na data do afastamento do trabalho ou
cessação das contribuições), tomado em seu valor mensal, deverá ser
igual ou inferior aos seguintes valores, independentemente da
quantidade de contratos e de atividades exercidas, considerando-se o
mês a que se refere:

 '   c&     




 
A partir de 1º/1/2011 R$ 862,11 ± Portaria nº 568, de 31/12/2010
A partir de 1º/1/2010 R$ 810,18 ± Portaria nº 333, de 29/6/2010
A partir de 1º/1/2010 R$ 798,30 ± Portaria nº 350, de 30/12/2009
De 1º/2/2009 a
R$ 752,12 ± Portaria nº 48, de 12/2/2009
31/12/2009
De 1º/3/2008 a
R$ 710,08 ± Portaria nº 77, de 11/3/2008
31/1/2009
De 1º/4/2007 a
R$ 676,27 - Portaria nº 142, de 11/4/2007
29/2/2008
De 1º/4/2006 a
R$ 654,61 - Portaria nº 119, de 18/4/2006
31/3/2007
De 1º/5/2005 a
R$ 623,44 - Portaria nº 822, de 11/5/2005
31/3/2006
De 1º/5/2004 a
R$ 586,19 - Portaria nº 479, de 7/5/2004
30/4/2005
De 1º/6/2003 a
R$ 560,81 - Portaria nº 727, de 30/5/2003
31/4/2004

()*+,-,./01234*5624/-/1278*420+-*.62,.*9),56242./:)-,4212;*4,4//39-/#
/,32.()/9/38,.*42*39/-3,42/;/.9,</7/1*;/392/4)1,1*23,72)123:=3/-/".2<
1).9>4*,42?)*@,424/3AB31*,/4,?)C/39)4/ 

R Após a concessão do benefício, os dependentes devem apresentar à Previdência


Social, de três em três meses, atestado de que o trabalhador continua preso, emitido
por autoridade competente, sob pena de suspensão do benefício. Esse documento
será o atestado de recolhimento do segurado à prisão.


     

      '  


"   
 
ƒ Com a morte do segurado e, nesse caso, o auxílio-reclusão será convertido em
pensão por morte;
ƒ em caso de fuga, liberdade condicional, transferência para prisão albergue ou
cumprimento da pena em regime aberto;
ƒ se o segurado passar a receber aposentadoria ou auxílio-doença (os
dependentes e o segurado poderão optar pelo benefício mais vantajoso,
mediante declaração escrita de ambas as partes);
ƒ ao dependente que perder a qualidade (ex.: filho ou irmão que se emancipar
ou completar 21 anos de idade, salvo se inválido; cessação da invalidez, no
caso de dependente inválido, etc);
ƒ com o fim da invalidez ou morte do dependente.
ƒ caso o segurado recluso exerça atividade remunerada como contribuinte
individual ou facultativo, tal fato não impedirá o recebimento de auxílio-reclusão
por seus dependentes.

2.         


 
 D

O benefíciopode é requerido a
E  ± INSS- e pode ser solicitado por
meio de agendamento prévio, pelo portal da Previdência Social na Internet, ou ligue
notelefone 135 a ligação é gratis desde que seja de telefone fixo em qualquer parte do
Brasil, ou nas Agências da Previdência Social, mediante o cumprimento das exigências
legais.

;+2-9,39/p! ! ! !! ! !  !!


!
!  ! !! !!!! 
! ! 
!    !  ! !!! 

3.  
     E  
 c c      

ƒ .+2.2F,G 2;+,38/*-2F,G 
ƒ *782.F,.G
ƒ *782/()*+,-,42F;/32-9)9/7,42//39/,42G 
ƒ
,*.
ƒ -;62.F6.G
ƒ /:)-,42F,G1239-*<)*39/*34*C*4),7/A,1)79,9*C2F,G 
ƒ /:)-,42F,G/;+-/:,42F,G 4/./;+-/:,42F,G
ƒ /:)-,42F,G/;+-/:,42F,G42;H.9*12F,G
ƒ /:)-,42F,G/.+/1*,7 9-,<,78,42-F,G-)-,7
ƒ /:)-,42F,G9-,<,78,42-F,G,C)7.2F,G

$  c  2    



O valor do auxílio-reclusão corresponderá ao equivalente a 100% do salário-de-benefício.
Na situação acima, o salário-de-benefício corresponderá à média dos 80% maiores
salários-de-contribuição do período contributivo, a contar de julho de 1994.

Para o segurado especial (trabalhador rural), o valor do auxílio-reclusão será de um


salário-mínimo, se o mesmo não contribuiu facultativamente.

      

navlita@hotmail.com

Related Interests