You are on page 1of 2

Pedro Garcia dos Santos Neto RA55353 Inglês Única - 3º ano

Disciplina: Estágio 1

O filme “Escola da Desordem” nos apresenta de forma satírica o


funcionamento de uma escola americana dos anos 80 cheia de problemas e
obstáculos a serem superados, dos quais muitos são comumente encontrados
nos dias atuais em nossas instituições de ensino. O filme faz críticas tanto
contra os professores e a administração da escola quanto contra os próprios
alunos, distribuindo a responsabilidade pelo mal funcionamento da instituição a
todos que se encontram envolvidos com ela.

No filme, os membros da administração escolar estão muito mais


preocupados em evitar que os problemas da instituição gerem uma imagem
negativa da mesma do que resolvê-los. O descaso na administração resulta em
uma escola superlotada, onde há violência, roubo e tráfico de drogas,
chegando até mesmo ao absurdo de se contratar como professor substituto um
paciente que fugiu de uma clínica psiquiátrica. Os alunos vão passando de uma
série a outra sem aprender os conteúdos, ocorrendo até mesmo um processo
de um ex-aluno contra a escola por sair da instituição estando ainda iletrado.

Entre os professores o cenário não é menos caótico, agem de maneira


apática uns com os outros, estão esgotados, são mal pagos e sempre
desrespeitados pelos alunos. Há casos como o de um professor que não
possui o mínimo interesse em interagir com os alunos e os ocupa com exames
em praticamente todas as aulas (Ditto); um professor que se envolve
sexualmente com sua aluna, chegando a engravidá-la (Mr. Troy); um professor
que ocupa um cargo para o qual não foi instruído, mas ironicamente demonstra
ser o mais empolgado e estimulante dentre todos, fantasiando-se de
personagens históricos e representando suas ações (o lunático que fugiu da
clínica psiquiátrica) e o caso do professor engajado e preocupado com a
aprendizagem dos alunos, mas que se desanima pela falta de apoio da
instituição (Mr. Jurel).
Entretanto, os alunos não são representados como meras vítimas do
sistema escolar, mas, por refletirem o ambiente escolar em que se encontram
ou talvez por trazerem uma má conduta do próprio ambiente familiar,
demonstram tédio e desinteresse pelas aulas, apatia e desrespeito em relação
aos professores, contribuindo para piorar ainda mais sua própria
aprendizagem. Os alunos simplesmente não compreendem a importância da
educação em suas vidas práticas, para eles a escola representa antes uma
obrigação do que uma oportunidade.

Por fim, o filme nos traz um cenário escolar extremamente caótico, no


qual tanto professores e administradores quanto alunos contribuem de forma
negativa e não se interessam pela busca de soluções para a problemática do
ensino e aprendizagem, o que leva o expectador a concluir que atitudes
isoladas como a do professor Jurel não têm efetividade enquanto a sociedade
como um todo não conceder à educação sua devida importância.