You are on page 1of 10

Cofragens

Cilita Oliveira
Introdução

O que é a Cofragem?

Cofragem é o termo dado a moldes, em que temporária ou permanente o


betão e/ou materiais similares são derramados.
No contexto da construção em betão, o cimbre (molde em madeira com a
forma de arco, ou abóbada, que serve de armação de suporte, durante a
execução e estabilização da peça), suporta os moldes de cofragem.
Molde de madeira, cartão, plástico ou chapas metálicas, utilizado para
colocação de betão, de modo que este mantenha a forma determinada
durante o processo de endurecimento.

- Cofragem de uma Laje

Cilita Oliveira
Classificação das cofragens

As cofragens, dividem-se nas seguintes categorias:

A) Cofragens Recuperáveis

As cofragens recuperáveis constituem o grupo maior de sistemas de


cofragens, uma vez que permitem rentabilizar melhor o investimento feito
na sua aquisição / fabrico.
Compreendem, as tradicionais (em madeira), as tradicionais melhoradas ou
semi-racionalizáveis (através da introdução da normalização e de novos
materiais), as racionalizadas (ou modulares) e as especiais (mais indicadas
para estruturas especiais).

A.1) Tradicionais:
As cofragens tradicionais podem ser utilizadas para a execução
de qualquer elemento de betão armado, nomeadamente lajes, vigas, pilares,
escadas, muros e paredes e sapata.
A madeira é ainda o material mais utilizado nas cofragens tradicionais pelas
seguintes razões:
1. É abundante na natureza estando desde logo praticamente apta a ser
utilizada;
2. É um material com resistência significativa e leve, o que facilita o seu
transporte movimentação na obra;
3. É fácil de cortar e ligar;
4. Permite a obtenção de boas superfícies de acabamento;
5. É relativamente barato, mesmo tendo em conta a mão de obra
subsequente;
6. É passível de ser transformado industrialmente em outros materiais para
cofragens (aglomerado de madeira e contraplacado marítimo);
7. Garante um bom isolamento térmico ao betão fresco.

> Apesar dos pontos a favor, o pequeno número de reutilizações e a forte


incidência da mão-de-obra tem feito com que a madeira perca terreno em
relação a outros materiais, especialmente ao nível dos elementos de suporte
dos painéis de cofragem.

Cilita Oliveira
> Pela sua fácil utilização e relativo baixo custo, o prumo tubular metálico é
já muitas vezes conjugado com as cofragens tradicionais.

- Cofragem de laje e viga de bordadura

- Cofragem de um muro de suporte

Cilita Oliveira
A.2) Tradicionais Melhoradas:
As cofragens semi-racionalizadas ou tradicionais
melhoradas surgem como uma resposta à necessidade de modificar o
processo de cofragem e descofragem no sentido de o tomar mais fácil e
rápido de executar.
A evolução dos sistemas de cofragens levou à modulação dos seus
componentes, para alcançar uma maior produtividade.
Este sistema introduziu alguns elementos de natureza diferente dos que
são utilizados nos sistemas tradicionais, tais como:
• Prumos metálicos ajustáveis em altura e vigas metálicas extensíveis em
substituição de prumos e de vigas de madeira, respectivamente;
• Painéis de cofragem – racionalização;
• Painéis reforçados e/ou de outros materiais, tais como contraplacado
plastificado e solho tosco revestido com fibra de madeira;
• Melhoria dos sistemas de fixação / contraventamento.

- Cofragem de escada com moldes “melhorados” (1º e 2º vãos)

Cilita Oliveira
Ainda se pode falar de cofragens do tipo Racionalizadas.
• As cofragens racionalizadas ou modulares são constituídas por elementos
normalizados, fabricados em materiais que admitem um elevado número de
reutilizações, e entre si ligados de modo a permitirem uma fácil montagem e
desmontagem.
Distinguem-se das anteriores na medida em que foram concebidas
deliberadamente de forma a aumentar a sua rentabilidade, sobretudo com
base numa normalização de dimensões e processos de montagem e
desmontagem.
• Assim, de acordo com o peso crescente das unidades elementares que
constituem os sistemas, ter-se-á as cofragens ligeiras ou desmembráveis,
as semidesmembráveis e as pesadas ou monolíticas.

- Cofragem de um pilar estrutural - Cofragem de um pilar circular

Cilita Oliveira
B) Cofragens Perdidas

São cofragens em que todo o material de apoio á estrutura, fica embutido


ou inutilizado nela.
As cofragens perdidas são aquelas que, após a betonagem dos elementos
de betão, ficam solidárias com os mesmos, pelo que não são reutilizadas.
As cofragens perdidas são classificadas em estruturais ou colaborantes e
em não estruturais ou não colaborantes.

• As cofragens estruturais para além de moldarem o elemento enquanto


o betão está fresco, têm uma contribuição activa para a resistência da
peça após o endurecimento do betão (tida em conta no calculo).

• As cofragens não estruturais têm geralmente a função de limitar o


acesso do betão fresco a determinadas zonas, garantindo assim o
aligeiramento das peças.

- Exemplo de cofragem do tipo Colaborante

Cilita Oliveira
C) Cofragens Descartáveis

São um tipo de cofragens em que o material utilizado é totalmente


inutilizado, sem hipótese de reutilização.
É o caso das cofragens de papel cartonado.

Cofragem descartável em cartão serve para fazer pilares em betão de


diversas medidas em diversas formas principalmente pilares redondos.

MANUSEAMENTO: Fácil de transportar e manusear devido á leveza da


cofragem.
EFICÁCIA: Os topos são simples e sem reforço.
FLEXIBILIDADE: Vibração rápida e homogénea, devido às propriedades
elásticas das fibras celulosas.
ESTABILIDADE: Devido ao revestimento interior de polietileno o tubo não
derrama nem deforma.
PRÁTICO: Rápida descofragem com um simples objecto cortante.
RENTABILIDADE: Grande rentabilidade e produtividade, graças a redução
do investimento, ao ganho de tempo e á economia de mão-de-obra.

Este tubo de cofragem, apresenta-se como a forma ideal de construir


pilares circulares.
O seu fácil manuseamento permite a utilização de mão-de-obra não
especializada, dado que é pré-fabricado e apenas tem que se colocar no local
pretendido, obtendo um acabamento perfeito.
O tubo de cofragem, é constituído por cartão e fita de polipropileno
totalmente reciclados e recicláveis, o que o torna um produto amigo do
ambiente.

Cilita Oliveira
PRINCIPAIS VANTAGENS

 Suporta com segurança as pressões a que o tubo é submetido


durante a betonagem e compactação;
 Descofragem simples, basta puxar o cabo de aço que está
incorporado;
 Não sofre deformações;
 É estanque, não permitindo a fuga da pasta ligante;
 Não absorve a água do betão;
 De fácil manuseamento;
 Reciclado e reciclável após utilização;
 90% Biodegradável;
 Económico;
 Produto leve;
 Reduz a necessidade de meios materiais e humanos especializados;
 Acabamento perfeito do pilar

UTILIZAÇÃO / MODO APLICAÇÃO

Construção de Pilares Cilíndricos


Etapa 1 - Armação do pilar.
Etapa 2 - Colocação do tubo de forma a cobrir as armaduras.
Etapa 3 - Escorar o tubo em intervalos iguais ou inferiores a 2,00 m de
altura.
Etapa 4 - Enchimento do pilar com betão.
Etapa 5 - Cura do betão.
Etapa 6 - Descofragem do pilar, puxando o cabo de aço incorporado no
tubo.

Cilita Oliveira
Conclusão

Para além do papel, as cofragens descartáveis, também podem ser de


esferovite, ou um outro material que depois da peça solidificada, perdem a
sua função.
O que garante a sua viabilidade, é os reduzidos custos, o seu fácil
manuseamento e o pouco desperdício que delas advém.

Resta salientar a importância das cofragens, para uma boa estrutura.


É a base de toda a construção em geral.

Cilita Oliveira