P. 1
InstalacoesTubosAco

InstalacoesTubosAco

|Views: 252|Likes:
Published by Romeu Braga

More info:

Published by: Romeu Braga on May 18, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/20/2014

pdf

text

original

Instalações de Tubos de Aço

Dezembro de 2008

• Seleção de Tubos e Conexões • Armazenamento de Tubos e Conexões • Vedantes • Roscas • Fixação • Corte • Escariamento • Rosqueamento • Lubrificação • Aperto

RIDGID Ferramentas e Máquinas

TREINAMENTO GRATUITO A preocupação da RIDGID sobre os conhecimentos desta matéria é tanta que temos organizado cursos gratuitos para Construtoras. Instaladores. podem ser feitos na RIDGID (com almoço incluido) para grupos pequenos ou na sua empresa abrangendo uma maior quantidade de pessoas.Fax: (11) 4689-3110 . Para maiores informações sobre este treinamento. e Departamentos de Manutenção Industrial e Predial. de um dia. Telefone: (11) 4689-3113 . solicitamos que entrem em contato com o supervisor RIDGID de sua área ou diretamente com o Departamento de Treinamento RIDGID. Os cursos.

engenheiros. 2. Executar a montagem das peças de uma forma adequada. e dos próprios operários. 3. ! Imagine as consequências de uma instalação mal feita: ! Para ter uma vedação perfeita. Devido a sua importância. Para eliminar os problemas de vazamentos há uma necessidade de mudar a mentalidade dos projetistas.As consequências serão desastrosas! ! Atenciosamente. ! Vazamento após alguns anos da entrega do serviço . e até alguns fabricantes de tubos. Para chegar a este ponto existem três passos primordiais: ! Vazamento na entrega do serviço . ! de Osasco. Selecionar materiais que atendam as normas internacionais de fabricação. a RIDGID. ! O assunto desta apostila não faz parte de nenhum curriculum universitário ou escola técnica (ao nosso conhecer). o transporte de materiais líquidos ou em forma de gás.Depto. compradores.Isto significa ter que refazer as instalações perdendo assim material e mão-de-obra. ! Vazamento de substâncias tóxicas ou que prejudicam o meio ambiente . Va z a m e n t o s d e g á s o u o u t r a s substâncias explosivas . Para que o material seja transportado adequadamente é muito importante respeitar determinadas normas técnicas. de Treinamento - RIDGID Ferramentas e Máquinas 1 . as quais serão explicadas de uma forma clara nesta apostila. em risco a reputação da pessoa ou companhia que fez a instalação inicial. existe a necessidade de um travamento entre os filetes da rosca no tubo com as roscas na conexão. quebrando e consertando. uma das falhas era a irregularidade das roscas. fazem palestras para amenizarem os problemas encontrados no campo. Esperamos que esta apostila venha a esclarecer suas dúvidas e apresentar soluções na eliminação de vazamentos. Utilizar ferramentas que produzam roscas dentro dos padrões internacionais com um bom acabamento no filete. colocando assim. chefes de obras.Isto significa que o dono da instalação tenha que resolver o problema. Segundo os peritos do Instituto Criminalístico ! RIDGID Ferramentas e Máquinas .® Basicamente as tubulações têm como finalidade. É muito comum uma instaladora comprar materiais e ferramentas de baixa qualidade pensando em economia quando na realidade esta economia pode custar caro.Todos lembramos da explosão do Osasco Plaza Shopping. ! 1. a TUPY.

7/17. 1/4” 3/8” ½” 3/4” 1” 1.1/115. Normalmente os tubos de aço são conhecidos pelos seus diâmetros nominais em polegadas. Norma Am.5 100. NBR 5580 NBR 5587 Diferença Min/Max Norma Ing. Não controlar a matéria prima que determina uma liga homogênea. 1/8” mm 6 8 10 15 20 25 32 40 50 80 90 100 125* 150* mm 10.1 113.50 17. 4.30 0. o diâmetro externo sempre permanece o mesmo. aço galvanizado.1/4” 1.9 47. Conexões Hidráulicas A qualidade na fabricação de conexões é o ponto crítico para evitar vazamentos. Esta apostila tratará mais sobre os tubos de aço.16 48.67 33.02 3.3/76. Estão aparecendo no mercado peças de origens duvidosas a preços econômicos.8 26.09 0. Os tubos de aço são vendidos em diâmetros de acordo com a tabela ao lado.9/48.9/166. As primeiras normas introduzidas no Brasil eram de origem Inglesa.20 21.5 21.00 1. 2 RIDGID Ferramentas e Máquinas .30 168. Posteriormente.3 33. porque a mistura das mesmas pode causar sérios problemas! Para efeito desta apostila.5 Os tubos hidráulicos são fabricados em vários materiais aço preto.30 141.24 0. qualidade de solda na costura e ao acabamento.22 0.29 13. nos preocupamos somente com o diâmetro externo dos tubos. O Brasil é um dos poucos países no mundo onde se trabalha com duas normas de tubos. conexões e roscas.00 0. já que os tubos são fixados. NBR 5580 Pol. ferro cinzento e ferro dútil.07 0.8 59. Entender as diferenças entre estas normas é fundamental. Polietileno e PAD).5/140. 2. No comércio estes tubos são conhecidos por tubos ASTM. Não controlar ou fazer tratamento térmico produzindo peças quebradiças.2/14.90 101.® Tubos Hidráulicos Tubos Diâmetro Nominal Ø Externo Ø Externo Ø Externo Norma Ing.04 0.10 mm 10.6 88.1/2” 4” 5” 6” 2. porém há uma tendência de mudar isto para diâmetros nominais em milímetros.32 73.60 3. provoca uma falha na junção com o tubo ao montar as peças. Usinagem das roscas internas fora da norma.34 26. 5.28 mm 0.26 60.70 165. já que o tubo em si não tem nenhuma dimensão equivalente ao diâmetro nominal.8 163.0/89.20 13.70 42.2 42. Não controlar bem o processo de fundição.30 26.3/34. 3. muitos deles comprometendo a qualidade para poderem vender mais barato.6 13. Existe no mercado uma grande quantidade de fabricantes de tubos. espessura de parede.60 114.30 60. que regem sobre mais ou menos 85% das instalações feitas no País.23 0.90 33.60 114.10 88.8/10. que provocam vazamentos ou que interrompem o feitio dos filetes das roscas.18 mm 9.0 138. chegaram as normas de origem Americana que representam os outros 15% do mercado. Dentro desta norma existem três espessuras de parede denominadas “L (leve). evitando a formação de bolhas ou porosidade nas peças. Zincagem por processos mais econômicos que comprometem a resistência à corrosão.1/2” 65* TABELA 1 * Nestes diâmetros a diferença é suficiente para causar sérios problemas quando as normas são misturadas. plástico (PVC.4/102.5/27. “M” (média) e “P” (pesada) ” porém. Existem normas para fabricação de tubos e quem os compra deve conferir se o material entregue está de acordo quanto ao diâmetro.04 0.8 75.72 17.30 139. Estes diâmetros são nominais. rosqueados e apertados todos no diâmetro externo. No comércio são conhecidos como tubos ISO.90 101.1/2” 2” 3” 3.00 0.30 76.03 88. Produzir peças econômicas é só: 1.40 42.05 0.0/42. Quem compra estas peças corre sérios riscos de ter problemas posteriores.40 48.0 16.0/21.15 21.7/60.

Correção das irregularidades dos fios com vedante RIDGID Ferramentas e Máquinas 3 . recomendamos seguir a risca as normas e usar três voltas de fita “Teflon” para cobrir algum filete defeituoso mas não para preencher o vão. Se misturar conexões NPT e BSP ficara quase impossível . Óbviamente o tubo e as conexões têm que estar dentro das normas. Fios de rosca perfeitos Fios de rosca irregulares Vedantes Uma boa vedação depende da qualidade dos filetes nas roscas macho e fêmea para proporcionar uma boa junção na hora do aperto. O vedante seria um complemento que as vezes ajuda como também pode prejudicar a vedação. O sisal ou outros materiais usados em conjunto com o zarcão.03. Recomendamos que as conexões sejam guardadas nas suas próprias embalagens para proteger ainda mais. O uso de zarcão em tubulações de gás foi proibido pelo decreto lei No. As roscas colocadas nas pontas dos tubos pelo fabricante muitas vezes não se aderem a nenhuma norma. Conexões Os piores inimigos das conexões são: a ferrugem e a sujeira. Recomendamos que os tubos sejam sempre armazenados num galpão coberto de uma forma ordenada.® Armazenamento de Tubos e Conexões Muitos operários estão acostumados a descarregar o caminhão displicentemente. Devem ser colocados acima do chão com apoio suficiente no meio para não dobrar. As embalagens também ajudam a identificar as peças e as normas das mesmas. atrapalham o travamento entre os filetes. As roscas internas também não possuem proteção. 12. Embora existam muitas novidades nesta área. Estas pontas rosqueadas estão sem proteção galvânica e assim ficam expostas para ação de ferrugem. Aconselhamos não usar tintas a base de zarcão já que o mesmo é composto de óxido de chumbo. Nas instalações “BSP” que utilizam rosca cônica no tubo e rosca paralela na conexão fica um vão que o encanador tenta preencher com vedante. Normalmente este vedante resseca e abre novamente com as vibrações da rede. Elas devem ser guardadas numa área coberta protegidas da chuva e suspensas do chão para não se contaminarem com terra ou areia.706 de 08. Tubos É sempre melhor pedir os tubos sem roscas. Deve sempre armazenar corretamente a matéria-prima para evitar problemas posteriores.76 do Estado de São Paulo. que é um veneno. Estas roscas também acabam-se batendo e se machucando no transporte se não forem bem protegidas. separá-las depois. jogando o material no chão que poderá provocar sérios danos.

que são resultantes de mistura de normas.® Roscas Dentro de cada norma existem três possibilidades de união: Não tem travamento Existem no Brasil duas normas de roscas para tubos a serem seguidas. A rosca cônica também tem o seu comprimento padrão em quanto a paralela pode ser feita no comprimento desejado pelo operário. Estas normas tem siglas que ajudam a identificá-las: Conexão com Rosca Paralela Tubo com Rosca Paralela Usando paralelo com paralelo a pouca vedação que poderia ter seria em função das tolerâncias usadas na fabricação das roscas fêmea e macho. Por permitirem uma melhor vedação estas roscas normalmente são usadas para média e alta pressão. Dentro de cada norma. 3 filetes Tipo de Rosca Norma Ing. Nos tubos fabricados de acordo com a norma Inglesa (NBR 5580) devem ser confeccionadas roscas de norma Inglesa (NBR 6414). Norma AM. Nos tubos “ASTM” fabricados conforme a norma Americana (NBR 5587) devem ser confeccionadas roscas de norma Americana (NBR 12912). As roscas são idênticas porém uma é inclinada e a outra não. Quando as duas peças são cônicas. Tubo com Rosca Cônica Para entendermos melhor os problemas de vazamento. Conexão com Rosca Paralela Travamento com aprox. NBR 6414 NBR 12912 Perfil Tubo com Rosca Cônica CÔNICA (Para Vedar) BSPT NPT PARALELA (Para Unir) BSPP NPSM Este é o caso da norma “BSP” onde a conexão tem rosca paralela e o tubo tem rosca cônica. “BSP” se refere à utilização de conexões com roscas paralelas (BSPP) usadas em conjunto com tubos rosqueados com roscas cônicas (BSPT). A vedação é feita pela junção de mais ou menos três filetes. a seguir faremos uma comparação: 4 RIDGID Ferramentas e Máquinas . Quando se escuta a sigla “NPT” refere-se a roscas cônica em ambas peças. Travamento em todos os filetes TABELA 2 Conexão com Rosca Cônica É muito comum ouvir a sigla “BSP” porque representa mais ou menos 85% das instalações feitas no país. existem roscas cônicas que são utilizadas para vedar e as paralelas para unir. a junção é total com uma vedação muito melhor.

1/2 11. de aperto Comprimento de aperto a chave Rosca incompleta Rosca amortecida Cilíndrica Cônica Cônica Cone maior Cone da rosca amortecida 90º Eixo da rosca 16 Conicidade 1:16 RIDGID Ferramentas e Máquinas 5 .1/2” 4” 5” 6” Paralela Cônica A conicidade das duas normas é a mesma: 1 x 16 ( 3. 576º ) A seguir.1/2” 3” 3.1/2 11.1/2 8 8 8 8 8 8 55º 2” 2.® BSP (BSPT E BSPP) Passo (5) Filete (4) Flanco (1) Crista (3) Passo da rosca (Nº de fios por polegada): Bitola Pol. um corte de uma rosca cônica mostrando seus diferentes parâmetros: NPT (NPSM) Passo (5) Filete (4) Flanco (1) Crista (3) Diâmetro de calibração Plano de calibração Raiz (3) 60º Comprimento de calibração Tolerância positiva do comprimento de calibração Rosca completa Compr.1/4” 1.1/2” mm 6 8 10 15 20 25 32 40 50 65 80 90 100 125 150 BSP (BSPT e BSPP) 28 19 19 14 14 11 11 11 11 11 11 11 11 11 11 NPT NPSM 27 18 18 14 14 11.1/2 11. 1/8” 1/4” 3/8” ½” 3/4” Raiz (3) 1” 1.

com cautela para não criar outros problemas. Há duas coisas muito importantes: 1.é o resultado do chanfrado que faz o cossinete antes de pegar a rosca firme. Este comprimento tem que coincidir com a largura do cossinete (exceto os cossinetes “retrocedentes” ). Em nenhuma circunstância deve-se permitir que o tubo gire.® Rosca total Rosca útil Rosca incompleta Rosca completa Instalação Rosca Amortecida Paralela ao eixo Antes de fazer a instalação. Como pode observar. já que isto debilita a parede e elimina qualquer proteção contra ferrugem. O torno deve machucar o mínimo possível o tubo. É recomendado o uso de torno de corrente já que a corrente machuca menos o tubo. é importante verificar se os tubos e as conexões são de normas correspondentes. O tubo deve ser fixado num torno apropriado para tubos. O que é importante de tudo isto é que na hora de montar a conexão o aperto a chave deve ser no mínimo de duas voltas e após este aperto os filetes amortecidos devem ficar fora da conexão. Isto vai causar desgaste prematuro nos cossinetes. Rosca Útil . é possível afundar mais ou menos os dentes conforme necessário for. Corte do Tubo Existem várias formas de cortar um tubo: A Quente com policorte ou maçarico aquece muito o extremo do tubo puxando o carbono e endurecendo a ponta.é até onde o operador deve poder apertar a conexão à mão.é o comprimento total da rosca conforme a norma. 6 RIDGID Ferramentas e Máquinas . O torno deve-se fixar no tubo com o mínimo de esforço. A mistura de algumas medidas de tubos de uma norma com conexões de outra norma pode prejudicar a vedação da rede. Comprimento de aperto é o comprimento que deve ser apertado com a chave. 2. Rosca Amortecida . Se a conexão entrar até o fim da rosca apertando à mão existe algum problema! Nas tarraxas (ou rosqueadeiras) que têm ajuste nos cossinetes. Também é importante verificar as pontas dos tubos já rosqueados como também as conexões para ter certeza que os filetes não estão machucados ou enferrujados. porém. Comprimento de calibração . Como podem observar existem várias medidas importantes: Fixação do tubo Rosca Total .é até onde deve se apertar a conexão. todas as medidas tem as suas tolerâncias. É muito importante deixar estes filetes fora da conexão e cobri-las com pintura ou outra substância para evitar a corrosão.

O arco de serra. O uso de um óleo adequado também é muito importante para o acabamento do filete. Se for maior. é recomendado o uso de “aço rápido” denominado “AR” em Português ou “HS” em Inglês. haverá problemas de quebra de dentes. Esta rebarba pode ser eliminada com uma lima ou um escariador que é muito mais rápido. haverá desgaste prematuro. A têmpera dada aos cossinetes deve ser de 58 a 64 RC. Se for menor. O aço tem que estar de acordo com o tipo de material a ser rosqueado assim como a velocidade de rosqueamento (velocidade superficial). feitos com um aço apropriado ao serviço. Escariar o Tubo Ao cortar o tubo. Tubo Conexão Rebarba RIDGID Ferramentas e Máquinas 7 . É muito importante verificar qualidade do cortatubo porque muitos modelos econômicos fazem “roscas” ao invés de um rasgo contínuo. terá um custo bem menor. é muito mais lento e também difícil de controlar o corte. além de ser mais rápido. Rosquear o tubo Para produzir uma rosca de qualidade deve ser utilizada uma tarraxa ou uma rosqueadeira com cossinetes de bom acabamento. temperados para ter a dureza necessária. É também muito importante uma boa lubrificação para melhorar o acabamento do filete ( vide próximo tema ). o rosqueamento de plástico ou aço inox. normalmente fica uma rebarba interna. que a longo prazo. Se este corte não sair perfeitamente no esquadro pode sobrecarregar o cossinete e desalinhar o cabeçote. pior será o acabamento do filete. Também é muito importante determinar uma roda cortadora de qualidade. Deixar esta rebarba não é recomendado pois ela pode reduzir substancialmente a carga da rede como também ser um ponto de ferrugem acelerado. Para altas velocidades. e que fazem a rosca dentro das normas. bem afiados.® A Frio com arco de serra ou o próprio cortatubo. O cortatubo. Quanto pior o acabamento do cossinete. utiliza roletes para garantirr que o corte saia no esquadro. embora mais econômico. Rebarbas Sais Fluxo do líquido Incrustações de sais O acabamento no cossinete é um espelho de rosca que ela vai produzir.

além de requerer no mínimo três passadas para fazer uma rosca. Tarraxa 65R-TC de 1” .1/2” a 4” Cabeçote 161 de 4” a 6” Cabeçotes 714 e 914 de 2. este tipo de cossinetes são usados nos seguintes equipamentos: Existem dois tipos de cossinetes: 1.® A afiação de cossinetes pode ser feita.sem mudar o ângulo de corte . Existem tarraxas no mercado que utilizam cossinetes “ajustáveis” que.2” Cabeçote 141 de 2. mas não é recomendada. mesmo sendo feita por um profissional . Esta rosca não ajuda na vedação e pode até atrapalhar na montagem. produzem uma rosca mais curta. No caso dos cossinetes retrocedentes. Cossinetes retrocedentes são uma alternativa à cossinetes de largura padrão.1/2” a 4” usados na rosqueadeira 1224 Observação: Nos casos em que a tarraxa ou cabeçote utilize um barril rosqueado para avançar os cossinetes sobre o tubo (no caso da 65R-TC. a 141 e a 161) não pode mudar de padrão de rosca (norma Inglesa para Americana ou vice versa) simplesmente mudando os cossinetes!! O passo do cossinete tem que ser o mesmo do barril para o cabeçote funcionar. Cossinetes de largura padrão Aqui a largura do cossinete determina o comprimento da rosca já que o operador deve parar de rosquear quando o extremo do tubo alcançar a face do cossinete. 8 RIDGID Ferramentas e Máquinas . No caso da RIDGID. e consequentemente fora de padrão. O afastamento é calculado para dar a conicidade desejada na rosca ( 1 X 16 ). Observe bem que se o operador continuar rosqueando nesta situação a ponta que ultrapassa o cossinete será rosca paralela com um diâmetro inferior ao diâmetro de calibração. od e ros ca A largura do Cossinete é o comprimento standard da rosca Garganta O Ângulo da conicidade feito no tubo é igual ao do cossinete Tubo Cossinete Co ri mp me nt a op drã 2. Roscas dentro do padrão serão produzidas desde que os cossinetes sejam adequados para a mesma. a tarraxa tem um mecanismo que afasta os cossinetes conforme vai executando a rosca. Isto pode causar sérios problemas de vazamentos.o ponto de penetração no tubo será alterado afetando a profundidade da rosca.

6” * Vergalhões 1/4” .220v Roscas: Tubo 1/8” .2” Cortar: Vergalhões 1/4” . cortar e escariar.1” Tubos 1/8” . As rosqueadeiras da RIDGID: • Rosqueadeira portátil modelo 700 Ideal para fazer roscas no sítio e até em lugares apertados. Lubrificação: Bomba “girotor” alimenta o cabeçote diretamente. Rosqueadeiras Elétricas Para facilitar e apressar as operações de rosquear. Capacidades: Roscas: Tubo 1/8” . Utiliza os mesmos cabeçotes das tarraxas manuais 00-R e 12-R. e tendo poucos filetes.220V Motor: Lubrificação: Bomba “girotor” alimenta o cabeçote diretamente. eles podem ter poucos filetes.6” * Vergalhões 1/4” . • Rosqueadeira completa modelo 300C Ideal para trabalhar em pequenas obras onde a exigência da produção seja moderada. RIDGID Ferramentas e Máquinas 9 .2” Escariar: Universal Serviço Pesado .1” Tubos 1/8” .2” * Tubos: 1/8” .® Sendo que os cossinetes retrocedem. o serviço se torna bem mais leve!!! Continua a vantagem de se poder fazer a rosca numa só passada. Capacidades: Capacidade: Tubo 1/8” .2” * Tubos: 1/8” . • Rosqueadeira completa modelo 535T Esta máquina é ideal para trabalho pesado devido ao seu motor trifásico.2” Cortar: Vergalhões 1/4” .6” * Vergalhões 1/4” .2” Escariar: Trifásico 220V (outras voltagens sob Motor: encomenda).1” * Motor: Universal de serviço pesado . existem máquinas rosqueadeiras portáteis para fazer roscas no local em tubos já instalados.

38ºC FERRAME NTA As temperaturas indicadas são aproximadas. Se não forem usados bons refrigerantes (e em abundância) os cossinetes podem chegar a soldar no tubo.2” * Tubos: 1/4” . De abertura automática. Cabeçote: * Observações: As capacidades estipuladas podem requerer vários acessórios que devem ser adquiridos com a orientação de um distribuidor ou promotor RIDGID. Lubrificação: Bomba “girotor” alimenta o cabeçote diretamente.Revista Máquinas e Metais 399ºC 788ºC Lubrificação Um dos grandes segredos de um acabamento perfeito nos filetes de uma rosca é a boa lubrificação. O Resfriamento da área de corte é muito importante já que as temperaturas às vezes ultrapassam 700ºC dependendo da velocidade superficial. Melhora a qualidade de acabamento do filete e. O óleo “Rosca Corte” é feito com um aditivo importado da Ridge Tool Company que faz com que o óleo da RIDGID seja idêntico ao deles proporcionando as seguintes características: A Lubrificação é feita com gordura sulfurizada que provoca uma reação quimica com a superfície do tubo. Isto garante que sempre haverá lubrificante entre o tubo e o cossinete e que o cossinete não empurre simplesmente o óleo para frente ou para os lados. É importante especificar a norma da rosca desejada: BSPT ou NPT. sem fluído de corte a 120 m/min. assim. e a quantidade do material a ser removido.1” Tubos 1/4” . resulta do torneamento de aço doce. 2.® • Rosqueadeira completa modelo 1224 Esta máquina trabalha sem adaptações em tubos até 4” com maior rapidez. tipo de material. o rosqueamento de tubos e vergalhões numa só passada é uma operação de usinagem pesada. Ilustração/Fonte .6” * Vergalhões 1/4” . Possui motor trifásico e caixa de duas velocidades para serviço de alta produção.4” Cortar: Vergalhões 1/4” . O óleo RIDGID de marca “Rosca-Corte” proporciona dois benefícios para o instalador: 1. P r o l o n g a a v i d a ú t i l d o c o s s i n e t e proporcionando maior economia para o instalador. diminui a probabilidade de vazamentos. 10 RIDGID Ferramentas e Máquinas . Normalmente estas máquinas são fornecidas para rosquear tubos de01/2” até 2” (até 4” no caso da 1224). Como podemos perceber. Capacidades: Roscas: Tubo 1/8” .4” Escariar: Trifásico 220V (outras voltagens sob Motor: encomenda).

O óleo RIDGID “Rosca-Corte” não perde as suas características com o tempo. Também. de fácil desgaste.1/2 3 3. o montador poderá apertar duas voltas (no mínimo) e ainda ter dois filetes (os filetes amortecidos) fora da conexão.1/2 5 6 8 8” 10” 12” 14” 18” 24” -36” 48” 60” 10” 14” -18” 24” 36” 36” -48” -- Chave Serviço Pesado *Capacidade para prender os tubos e as conexões RIDGID Ferramentas e Máquinas 11 . cada uma com suas vantagens e desvantagens. Chaves apropriadas para cada bitola de tubos Capacidade* Chave Serviços Pesado Tamanho de Chave Stillson 1 1. e “descartável” devido à falta de peças de reposição. Substâncias para reduzir a possibilidade de irritação da pele. desde que não seja diluído com outras substâncias. Outras características: Anti espumantes para reduzir a possibilidade de se criar uma espuma com o fluxo do óleo. pois é uma chave leve. deve-se incluir no aditivo substâncias a base de cloro e enxôfre. Se as roscas estiverem dentro da norma. para iguais medidas nominais de tubos. Lembre-se que a rosca cônica tem um calibração de aperto. O óleo deve ser pesado (alta viscosidade) e ser jogado com bastante força para ajudar nesta remoção. Existem vários tipos de chave para tubo. Recomendamos limpar os reservatórios das máquinas periódicamente e colocar o mesmo óleo de volta (de preferência que ele seja filtrado ). A remoção de cavacos é muito importante para evitar que os mesmos passem de baixo do cossinete e danifiquem o filete. Chave Stillson A tendência do modelo “Stillson” é desaparecer do mercado. O Aperto O aperto é muito importante para evitar vazamentos. O cossinete e o cabeçote são desenhados para ajudar a remoção de cavacos.® Para suportar estas temperaturas sem evaporar. As mais comuns são as chaves para tubo modelo “Serviço Pesado” e a modelo “Stillson”. deve-se usar uma chave adequada para o mesmo. Para não exagerar no aperto. tem menor capacidade de abertura.1/2 2 2 2. Á area de corte deve ser totalmente imersa em óleo com um bom fluxo.

Edison Gas Cylinders (All Gases Except Chlorine) Rosca Edison para Lâmpadas e Fusíveis Rosca Cônica de Tubo para Válvulas de Descarga de Gases LOHZ .Rosca Métrica Fina Rosca Standard Americana Cônica para Tubos de Junção N .ACME Threed General Purpo Rosca ACME para Fins Gerais Mangueiras.British Standard Fine Thread Sedes gado para Junções Mecânicas em Dispositivos NPT . Tubos Flexíveis e Niples AMO .American National Coadss Threads Séries SHORT .American Standard Microscope Objective Thread NPSI .Dryseal Special Taper Pipe Thread Rosca Nacional Americana Série Fina NGO . 6.12 and 16 Thread Séries Ferroviária NS .Taper Pipe Thread for Discharge Valves of Compressed Rosca da Instituição dos Engenheiros de Ciclomotores E .Unified Fine Thread Séries Rosca Standard Americana Paralela para Tubo Rosca Unificada Série Fina NPSC . 8.American National Hose Coupling and Fire Hose Coupling Rosca Unificada Série de Passos 4. 12.American Standard Taper Pipe Thread for Ralling Joints MF .Round Thread Rosca Nacional Americana Série Grossa NEF .Whitworth Standard Special Thread Rosca Standard Whitworth Especial .British Standard Cycle Thread Mecânica com Porcas NPSM .Loenherz Comprimidos em Cilindros (Todos os Gases com Exceção Rosca para instrumentos de óptica do Chlorine) M .American Standard Straight Pipe Thread for Free-fitting Rosca Standard Inglesa para Bicicletas BSCON .Brass with Luck Nuts Rosca Whitworth 26 fios/ pol.American National Extra-Fine Threads Séries Rosca Redonda SGT .ACME Thread Centralizing NPSH . N BUTT .Rosca Métrica Grossa NPTR .Unified Thread Special Rosca Standard Americana Interna Cíndrica para Tubo Dryseal Rosca Unificada de Diâmetro. UNC . Passo e Comprimento de NPSG .Unified Constant Pitch Thread Séries Rosca Cônica Nacional para Gás NH .Unified Extra-Fine Thread Séries Rosca Nacional Miniatura Rosca Unificada Série Extra Fina NPS .A 60º “V” Thread With Truncate Crests and Roots G reasseCup Rosca Standard Americana Paralela para Tubos de óleo e Graxa Rosca Americana 60º “V” com Raiz e Crista Truncada WHIT .American Standard Straight Pipe Thread for Loose Rosca Standard da Associação Inglesa Fitting Mechanical Joints BRASS .American Standard Straight Pipe Thread UNF .British Standard Whitworth Chlorine Comprimido em Cilindos NPTF .Dryseal American Standard Thread Fuel Tape Pipe Rosca Standard Inglesa Série Grossa CEI .Rosca Curta Cônica para Tubo Dyseal RD .Dryseal SAE Short Taper Pipe Thread Rosca Nacional Dente de Serra NC .American National Gas Outlet Threads Rosca Cônica Especial para Tubo Dryseal STUB ACME .British Standard Condult Mechanical Joints for fixtures Rosca Inglesa Standard para Conduit Rosca STD Americana Paralela para Tubos de Ajuste FolBSF .American Standard Straight Pipe’ ihread for Hose Rosca ACME Coupling and Nipples Rosca Americana Paralela de Tubos para Acoplamento de ACME G .American National Fine Threads Séries Rosca Especial Cônica para Gás SPL-PTF . 20.American Standard Taper Pipe Thread Rosca Standard Inglesa Série Fina BSP .American National 8.American Standard Straight Pipe Threed for Oil and Acoplamento Especiais V .British Association Standad Thread NPSL .British Standard Pipe Parallel Thread Rosca Standard Americana Cônica para Tubo NPTC .Stub ACME Thread Rosca Nacional Americana para saída de Gases NGS .National Miniature Screw Thread UNEF . para Tubo Latão Rosca STD Americana Paralela para Montagem de Junções BSC .American Standard Straight Pipe Threed in Pipe Couplings UNM .12 e 16 fios/pol.Unified Coarse Thread Séries Rosca Nacional Americana para Acoplamento de Tubos Fléxíveis e Mangueiras para Incêndio Rosca Unificada Série Grossa NM .Dryseal American Standard Intermediate Internal Straight Rosca Standard Americana para Objetivas de Microscópio Pipe Thread ANPT .American National Thread Special Rosca Nacional Americana Série de Passos 8. 28 e 32 Thmeds fios/pol.Aeronsutlcal National Form Taper Pipr Thread Rosca Standard Americana Intermediária Interna Cilíndrica Rosca Nacional Cônica para Tubos de Aeronáutica para Tubo Dryseal BA .American Buttress Thread Rosca Nacional Americana Especial PTF-SAE .Taper Pipe Thread for Discharge Valves of Compressed Rosca Standard Inglesa Paralela para Tubo BSPT .Símbolos usados para roscas ACMEC .British Standard Taper Pipe Thread Chiorine Gas Cylinders Rosca Standard Inglesa Cônica para Tubo Rosca Cônica de Tubos para Válvulas de Descaga de Gás BSW .Unified Miniature Thread Séries Rosca Standard Americana Paralela para Acoplamentos de Tubos Rosca Unificada Série Miniatura NPSF .National Gas Taper Thread Rosca Trapezoidal UN .National Gas Straight Thread Rosca ACME Stub TV .Special Gas Taper Thread Rosca Nacional Americana Série Extra-Fina NF .Dryseal American Standard Internal Straight Pipe Thread Fuel UNS .Cycle Engineers Institution Thread Rosca Standard Americana Cônica para Tubo Dryseal NPTG .Trapezoidel Thread Rosca Nacional Paralela para Gás NGT .

Fax: 55 11 4689-3110 SAC 0800 7710007 E-mail: ridgid@ridgid.SP .Brasil Fone: 55 11 4689-3113 .br .br Site: www.ridgid.Alpha Conde 1 06473-001 .com.® Emerson Electric do Brasil Ltda. 17 .com.Barueri . Rua Áries.Alphaville .

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->