Exercícios complementares

Questão 0
SONETO DE FIDELIDADE De tudo ao meu amor serei atento Antes e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou ao seu contentamento. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama. Eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure.
(MORAES,Vinicius de. Antologia poética. São Paulo: Cia das Letras, 1992.)

Questão 02
Leia o texto abaixo: Cabelos longos, brinco na orelha esquerda, físico de skatista. Na aparência, o estudante brasiliense Rui Lopes Viana Filho, de 16 anos, não lembra em nada o estereótipo dos gênios. Ele não usa pesados óculos de grau e está longe de ter um ar introspectivo. No final do mês passado, Rui retornou de Taiwan, onde enfrentou 419 competidores de todo o mundo na 39ª Olimpíada Internacional de Matemática. A reluzente medalha de ouro que ele trouxe na bagagem está dependurada sobre a cama de seu quarto, atulhado de rascunhos dos problemas matemáticos que aprendeu a decifrar nos últimos cinco anos. Veja – Vencer uma olimpíada serve de passaporte para uma carreira profissional meteórica? Rui – Nada disso. Decidi me dedicar à Olimpíada porque sei que a concorrência por um emprego é cada vez mais selvagem e cruel. Agora tenho algo a mais para oferecer. O problema é que as coisas estão mudando muito rápido e não sei qual será minha profissão. Além de ser muito novo para decidir sobre o meu futuro profissional, sei que esse conceito de carreira mudou muito.
(Entrevista de Rui Lopes Viana Filho à Veja, 05/08/1998, n.31, p. 9-10.)

A palavra mesmo pode assumir diferentes significados, de acordo com a sua função na frase. Assinale a alternativa em que o sentido de mesmo equivale ao que se verifica no 3º verso da 1ª estrofe do poema de Vinicius de Moraes: (A) “Pai, para onde fores, / irei também trilhando as mesmas ruas...” (Augusto dos Anjos) (B) “Agora, como outrora, há aqui o mesmo contraste da vida interior, que é modesta, com a exterior, que é ruidosa.”(Machado de Assis) (C) “Havia o mal, profundo e persistente, para o qual o remédio não surtiu efeito, mesmo em doses variáveis.” (Raimundo Faoro) (D) “Mas,olhe cá,Mana Glória,há mesmo necessidade de fazê-lo padre?” (Machado de Assis) (E) “Vamos de qualquer maneira, mas vamos mesmo.” (Aurélio)

Na pergunta, o repórter estabelece uma relação entre a entrada do estudante no mercado de trabalho e a vitória na Olimpíada. O estudante: (A) concorda com a relação e afirma que o desempenho na Olimpíada é fundamental para sua entrada no mercado; (B) discorda da relação e complementa que é fácil se fazer previsões sobre o mercado de trabalho; (C) discorda da relação e afirma que seu futuro profissional independe de dedicação aos estudos; (D) discorda da relação e afirma que seu desempenho só é relevante se escolher uma profissão relacionada à matemática; (E) concorda em parte com a relação e complementa que é complexo fazer previsões sobre o mercado de trabalho. 

analise o emprego do pronome SE e o sentido que adquire no contexto.5 milhão para 12. (Gazeta Mercantil. indica reflexividade e equivale a “a si mesma” e “a si mesmas”. Oitenta e cinco mil firmas faliram. Seguiu-se uma crise incomparável: o Produto Interno Bruto dos Estados Unidos caiu de 104 bilhões de dólares em 1929. (B) comunicar sobre o desemprego. Deu no que deu. indica reciprocidade e equivale a “umas às outras”. entre elas.) (I) (II) (III) (QUINO.5 milhões de trabalhadores – cerca de 25% da população ativa – entre 1929 e 1933.) Ao citar dados referentes à crise ocorrida em 1929. a quebra da Bolsa de Nova Iorque em 1929.Questão 0 Questão 04 Leia um texto publicado no jornal Gazeta Mercantil. A construção civil caiu 90%. (B) em II. só vendedores. e foi publicado na época de uma iminente crise financeira no Brasil. Nove milhões de aplicações. No dia 29 de outubro de 1929. coisa inimaginável em nossos dias. indica reflexividade e equivale a “a si mesmas”. No contexto da narrativa. perderam-se com o fechamento dos bancos. (C) em III. respectivamente. uma terça-feira. (E) em II e III. 1993. São Paulo: Martins Fontes. indica reciprocidade e equivale a “a si mesma”. (C) instruir o leitor sobre aplicações em bolsa de valores. O valor do dólar caiu a quase metade. tipo caderneta de poupança. Esse texto é parte de um artigo que analisa algumas situações de crise no mundo. Mafalda inédita. é correto afirmar que o pronome SE: (A) em I. (E) analisar dados financeiros americanos. Leia os textos a seguir: 2 . em um artigo jornalístico atual. Questão 05 Quem não passou pela experiência de estar lendo um texto e defrontar-se com passagens já lidas em outros? Os textos conversam entre si em um diálogo constante. (D) relacionar os fatos passados e presentes. Houve saques e norte-americanos que passaram fome. pode-se atribuir ao jornalista a seguinte intenção: (A) questionar a interpretação da crise. para 56 bilhões em 1933. praticamente não havia compradores no pregão de Nova lorque. indica reciprocidade e equivale a “umas às outras”. Observando as falas das personagens. O desemprego elevou-se de 1. (D) em I e III. 05/01/1999. Esse fenômeno tem a denominação de intertextualidade.

Aluisio de. Não há pigmentos.) (PRADO. como em um prisma. Carga muito pesada pra mulher Esta espécie ainda envergonhada. 1986. Mas andei lendo livros. e descobri que aquelas cores todas não existem na pena do pavão. caracterizada pelo cotidiano apresentado no texto. as vacas de leite caminhavam com o seu passo vagaroso. por: (A) (B) (C) (D) (E) reiteração de imagens. (AZEVEDO. tilintando o chocalho.) (A) A convivência entre elementos de uma economia agrária e os de uma economia industrial indicam o início da industrialização no Brasil. seu grande mistério é a simplicidade. (BUARQUE. As chaminés principiavam a fumar: deslizavam as carrocinhas multicores dos padeiros. (BRAGA Rubem. parando à porta dos fregueses. no seguinte contexto:  . Afirmação semelhante pode ser encontrada no texto de Carlos Drummond de Andrade. (d) Apesar da industrialização.) II. falta de criatividade.ed. Rio de Janeiro: Guanabara. Casa de Pensão. que assim é o amor.) O poeta Carlos Drummond de Andrade escreveu assim sobre a obra de Rubem Braga: O que ele nos conta é o seu dia. Quando nasci. retirado de romance escrito em 1884. 20. Eu considerei que este é o luxo do grande artista. diz que ela é: O trecho. 1989. (. (E) A vida urbana. Questão 07 E considerei a glória de um pavão ostentando o esplendor de suas cores. ao analisar a obra de Braga. Quando nasci um anjo esbelto Desses que tocam trombeta. descreve o cotidiano de uma cidade. anunciou: Vai carregar bandeira. atingir o máximo de matizes com o mínimo de elementos”. Carlos Drummond de. São Paulo: Martins. narrativa direta e econômica. O pavão é um arco-íris de plumas. Rio de Janeiro: Aguilar. um anjo torto Desses que vivem na sombra Disse:Vai Carlos! Ser “gauche” na vida (ANDRADE. como se observa no cotidiano descrito. formando ruas. Rubem Braga afirma que “este é o luxo do grande artista. Ai de ti. o seu expediente de homem. Considerei. negação dos versos. porque iam diariamente para o campo desenvolver atividades rurais. contornando praças. São Paulo: Cia das Letras. apanhado no essencial. oh! Minha amada: de tudo que ele suscita e esplende e estremece e delira em mim existem apenas meus olhos recebendo a luz de teu olhar. Questão 06 Viam-se de cima as casas acavaladas umas pelas outras. (C) Apesar de a industrialização ter-se iniciado no século XIX. ignora a industrialização existente na época. Copacabana. ausência de recursos. Alguma poesia. os quiosques vendiam café a homens de jaqueta e chapéu desabado: cruzavam-se na rua os libertinos retardios com os operários que se levantavam para a obrigação. ouvia-se o ruído estalado dos carros de água. quando. 1973.I. III. O que há são minúsculas bolhas d’água em que a luz se fragmenta. é um luxo imperial. De água e luz ele faz seu esplendor. oposição de idéias. no século XIX.. Adélia. em relação a Carlos Orummond de Andrade. Dá o sentimento da realidade e o remédio para ela. Quando nasci veio um anjo safado O chato dum querubim E decretou que eu tava predestinado A ser errado assim Já de saída a minha estrada entortou Mas vou até o fim. o rodar monótono dos bondes. a principal atividade da economia brasileira era industrial. que se vai diluindo em cisma.) Adélia Prado e Chico Buarque estabelecem intertextualidade. por fim. Letra e Músíca. 1964. Ele me cobre de glórias e me faz magnífico. atingir o máximo de matizes com o mínimo de elementos. (B) desde o século XVIII. Chico. muitos operários levantavam cedo.. Bagagem.) É o poeta do real. do palpável. Em seu texto. ela continuou a ser uma atividade pouco desenvolvida no Brasil.

.. (AZEVEDO. quadrinhos. 1986.. (ASSIS. Sábado na hora da escutas...... 1991. / Com seus matos sombrios suas águas” (D) “suas aves que são como aparições / me assusta quase tanto quanto” (E) “me assusta quase tanto quanto / esse abismo /de gases e de estrelas” (C) Medir é a medida mede A terra.) Embora não opte por viver numa pequena cidade.Toda poesia... e escrevam nela – Foi poeta – sonhou – e amou na vida.. (GULLAR.(A) (B) (C) (D) (E) uma narrativa direta e econômica.) 4 ... É de bom tamanho. Rio de Janeiro/Brasília: José Aguilar/INL..... seu expediente de homem.) (B) Essa cova em que estás Com palmos medida.. poema sobre a sua relação com as pequenas e grandes cidades. Obra completa. (CHAMIE...... – restos arrancados da terra que nos viu passar E ora mortos nos deixa e separados. João Cabral de. lavrador de Chapadinha: talvez tenha morte boa porque vida ele não tinha. Rio de Janeiro: José Olympio Editora...... Morte e Vida Severina e outros poemas em voz alta.Toda poesia... Poesias escolhidas. Machado de. Com seus matos sombrios suas águas suas aves que são como aparições me assusta quase tanto quanto esse abismo de gases e de estrelas aberto sob minha cabeça.. Álvares de. 1978. (MELO NETO.1971. 1983...... A natureza me assusta.. lavra duro campo.. Rio de Janeiro: Nova Aguillar. À sombra de uma cruz....) (E) Trago-te flores.. Bicho urbano Se disser que prefiro morar em Pirapemas ou em outra qualquer pequena cidade do país estou mentindo ainda que lá se possa de manhã lavar o rosto no orvalho e o pão preserve aquele branco sabor de alvorada. Para expressar a relação do homem com alguns desses elementos.. o poeta reconhece elementos de valor no cotidiano das pequenas comunidades.. 1967.) (D) Vou contar para vocês um caso que sucedeu na Paraíba do Norte com um homem que se chamava Pedro João Boa-Morte. inspirados nos fatos noticiados. Veja um exemplo: Fonte: (Jornal do Commercio.. construção de linguagem em que se mesclam impressões sensoriais diversas. (GULLAR... sentimento de realidade. Mário. Nem largo nem fundo. São Paulo: Summums. . Ferreira. ele recorre à sinestesia. é autor de “Bicho urbano”. Assinale a opção em que se observa esse recurso: (A) “e o pão preserve aquele branco / sabor de alvorada... É a parte que te cabe deste latifúndio.... seu remédio... real.... Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. a lavra. ilustrações.. muito cerco...... Questão 09 Em muitos jornais... um dos grandes poetas brasileiros da atualidade..) Miguel Questão 08 Ferreira Gullar. 22/8/93. é a conta menor que tiraste em vida. Ferreira....... medo do homem. Rio de Janeiro: Sabiá. palpável.” (B) “ainda que lá se possa de manhã / lavar o rosto no orvalho” (C) “A natureza me assusta. encontramos charges. vária várzea...) O texto que se refere a uma situação semelhante à que inspirou a charge é: (A) Descansem o meu leito solitário Na floresta dos homens esquecida.

a palavra mesmo assume o valor semântico de inclusive (palavra denotativa de inclusão) . o mundo cotidiano. A competência aferida é de compreender fenômenos de fundo histórico e a habilidade diz respeito a analisar a intencionalidade autoral que o texto deixa entrever. A questão requer do candidato competência para dominar linguagens e demonstrar habilidade para interpretar determinada situação apresentada. Questão 05 Letra A. Nessa questão. Na opção apresentada como resposta. mostrados numa relação entre o passado e o presente.Gabarito comentado dos Exercícios complementares Questão 0 Letra C. deixa entrever que. ensejando uma analogia. No contexto em que foi empregada. há que se perceber a presença da expressão em parte. procurando-os entender em sua existência. com seus personagens mais marcantes e característicos. como fica reiterado no último quadrinho. Questão 04 Letra D. para estabelecer o diálogo intertextual. Podemos observar com a leitura dos textos que os poetas citados no enunciado recorrem. A partir de uma dada descrição discursiva. Questão 06 Letra E. freqüentes. ou seja. simples. Questão 02 Letra E. ouve um ruído na comunicação a partir da primeira fala. A descrição. Mais uma vez a banca examinadora procurou levar o candidato a demonstrar competência para dominar linguagens. No contexto. procurando inferir a respeito da escolha de temas e de recursos expressivos. compreendendo relações estabelecidas por julgamento. em suas ocorrências mais triviais. que é a avaliação dos aspectos financeiros americanos. a do aparecimento do anjo. A competência avaliada é a de dominar linguagens. como ocorre no trecho constante da opção assinalada: inclusive em doses variadas. imagem essa que se manifesta no início dos três textos em estudo. Questão 0 Letra E. determina o dia-a-dia. 5 . a despeito da industrialização – “As chaminés principiavam a fumar” –. cobrou-se ao candidato a habilidade interpretativa e o conhecimento do emprego de determinada palavra num dado contexto.um fenômeno social é apresentado e deverá ser interpretado pelo candidato: a industrialização. através da qual a personagem emprega a palavra se com o sentido de reciprocidade e a outra entende que o sentido adotado possui sentido reflexivo. A habilidade é estabelecer relações entre textos literários. também. atentando. a paisagem de interesse do narrador – trechos após os dois-pontos. à reedição da mesma imagem. para o trecho final do texto – o último período.

quando o autor. comentário crítico. que dialoga. Questão 08 Letra A. confirmando este. cria a imagem associando as sensações visuais (branco) e gustativas (sabor). com “demarcação” – não é realidade para qualquer camada social. o estilo empreendido no processo de criação literária. alcançar o entendimento de que alguns segmentos da sociedade só alcançarão a posse de terras – a cova – quando a morte os tomar. Quis a banca examinadora avaliar a habilidade de o candidato fazer relações entre textos e verificar a presença de determinado gênero discursivo. a fala do outro quanto ao modo de narrar. Mais uma vez a competência a ser cobrada é o domínio de linguagens no processo de comunicação. que “latifúndio” – palavra que se relaciona. Os textos selecionados como apoio à questão são metalingüísticos e o segundo não só comenta o primeiro com também expande informações que aquele pratica. A chamada irônica – e com um fundo de dramaticidade extraído de um dado social de relevância política – leva o candidato a ter que. Entendendo-se que sinestesia é a construção lingüística que envolve numa mesma idéia duas ou mais sensações com a finalidade de despertar no leitor a percepção de mundo por esses sentidos empregada no processo expressivo. expediente de comunicação em prosa. O relacionamento entre linguagens foi aferido entre uma charge e fragmentos poéticos. prolongando a imagem de saborear o amanhecer através da degustação do pão que se come no café-da-manhã. recursos expressivos foram estudados como constantes do texto literário. diz Carlos Drummond de Andrade “narrativa direta e econômica”.Questão 07 Letra A. Questão 09 Letra B. o candidato deveria demonstrar domínio de linguagens e saber enfrentar situações-problema. 6 . interpretando a charge. Nessa questão. com a passagem “branco sabor de alvorada”. Nesse presente caso. vamos reconhecer tal recurso na alternativa citada. O que diz Rubem Braga sobre “atingir o máximo de matizes com o mínimo de elementos”.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful