You are on page 1of 14

Ácido Acetilsalicílico

Características .se na inibição irreversível da enzima ciclooxigenase. O ácido acetilsalicílico também inibe a agregação plaquetária. bloqueando a síntese do tromboxano A2 nas plaquetas.AAS ‡ Antiinflamatórios não. . ‡ Seu mecanismo de ação beseia.esteróides ‡ compropriedades analgésica. envolvida na síntese das prostaglandinas. antipirética e antiinflamatória.

INDICAÇÕES-AAS ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Cefaléia Odontalgia Dor de garganta Dismenorréia Mialgia ou artralgia Lombalgia Dor artrítica de pequena intensidade. . para o alívio sintomático da dor e da febre. No resfriado comum ou na gripe.

‡ Portadores de alguma lesão da mucosa gástrica ‡ Lesão hepática grave ‡ Hemofílicos ‡ Anticoagulantes .CONTRA-INDICAÇÕES ‡ Hipersensibilidade ao ácido acetilsalicílico e a outros antiinflamatórios não esteróides.

pois pode causar problemas no feto ou complicações durante o parto. chamada "Síndrome de Reye". que devido a algumas de suas propriedades prolonga o tempo de coagulação sangüínea. não deve ser usado em altas doses nos últimos três meses de gestação. O mesmo cuidado deve ser tomado em relação às mulheres que estejam amamentando. Existem relatos sugerindo que o uso de ácido acetilsalicílico em crianças e adolescentes com febre devida a infecção viral. especialmente nas gripes ou catapora. pode causar uma doença séria. porém rara. Por esta razão. estes pacientes não devem usar este medicamento antes de consultar um médico sobre a "Síndrome de Reye".AAS ‡ O ácido acetilsalicílico. exceto sob estrito acompanhamento médico. . O uso de AAS não é aconselhável quando há suspeita de dengue.Precauções e Advertências .

urticária e outras manifestações cutâneas.Reações adversas . asma. . O uso prolongado do ácido acetilsalicílico em altas doses tem sido associado com diminuição da função renal. rinite.AAS ‡ Irritação da mucosa gástrica ‡ Sangramento digestivo Podem ocorrer casos de hipersensibilidade manifestada por: broncoespasmo.

ASPIRINA .

SPIR da planta Spiraea ulmaria (de onde era retirada a Salicin) e IN um sufixo comum para medicamentos. . Foi a primeira criação da indústria farmacêutica. A ASPIRINA foi o primeiro fármaco a ser sintetizado na história da farmácia e não recolhido na sua forma final da natureza.‡ O nome ASPIRIN vem dos compostos usados na fabricação do remédio: A de Acetil.

Ela é recomendada. em outubro de 1998. derrame cerebral. infarto agudo de miocárdio e doenças reumáticas e vasculares em geral . novas orientações para o uso da aspirina em pacientes com problemas reumáticos. angina.‡ A FDA (Food and Drug Administration) dos EUA aprovou. para tratamento de homens e mulheres com isquemia cerebral. cardiovasculares e cerebrovasculares. em doses adequadas.

um efeito secundário comum da aspirina. que adiciona oxigênio molecular ao araquidonato para sintetizar a prostaglandina H2. ‡ As prostaglandinas regulam muitos processos fisiológicos. resulta da interferência da droga com a secreção de mucina gástrica. incluindo agregação de plaquetas. de ciclooxigenase).Mecanismo bioquímico da aspirina ‡ A aspirina e outros NSAIDs inibem a atividade de ciclooxigenase da prostaglandina H2 (também conhecida por COX. . inflamação e a secreção de mucinas que protegem a mucosa gástrica do ácido e das enzimas proteolíticas. contrações uterinas. ‡ A irritação gástrica. dor.

‡ Esta reação envolve um mecanismo de catálise ácida. originalmente utilizou-se cloreto de acetilo. no entanto. usa-se anidrido acético para o efeito. . distinto daquele usado pelos inventores da aspirina. Este método é. O primeiramente consiste na protonação do anidrido acético pelo ácido sulfúrico. Em ambos se efetua a acetilação do ácido salicílico.Mecanismo da reação de síntese ‡ As reações químicas gerais usadas para sintetizar ácido acetilsalicílico são semelhantes àquelas usadas industrialmente. Forma-se então um cátion com um grupo hidroxila. mas.

‡ Este cátion é adicionado ao grupo hidroxila do ácido salicílico. o que permite. . que fica com uma carga formal positiva. o próton (e carga) é transferido para o átomo de oxigênio do cátion adicionado. ‡ Por fim. a recuperação do catalisador. No passo seguinte. ocorre uma reação de eliminação que origina ácido acético. adicionalmente. O outro produto convertese no ácido acetilsalicílico apenas pela perda de um próton.

O valor obtido em um determinado experimento foi de 0. é possível medir a quantidade de ácido acetilsalicílico presente na pastilha de aspirina Bayer. o valor que se obteve está muito próximo. Isto significa que. quer o erro de titulação foi muito baixo pela escolha de um indicador apropriado e a uma execução correta. Dado que aquela era uma pastilha de aspirina 500mg (contém 500mg de substância ativa).497g para a massa do ácido. quer a perda de ácido no almofariz e na filtração foi desprezível. .Fração de ácido acetilsalicílico numa pastilha Bayer ‡ Através de uma titulação experimental de ácidobase.

Parte destes aditivos terá ficado retida na etapa da filtração. em que notou alguns resíduos brancos no filtro. as pastilhas de aspirina devem incluir um revestimento para proteger a garganta e o estômago da acidez da substância ativa. Esta há de conter outros ingredientes para contrariar os efeitos secundários da droga. . Nomeadamente.‡ Este valor indica também que a fração de substância ativa na pastilha de aspirina Bayer é 84%.